Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01537


This item is only available as the following downloads:


Full Text
JUIIIUJ D1U4J1.
I
6

\
\
DIARIO

waffinauamiH,' PERNAM
ssafc*jEaBB
Subscfeve-fle mensalmcnte a RIO rs. adiantados, na Tipografa do Diario, ra da Soledadc \. 498: na loja de Ifvros do Snr. Figne-
roa, Praca da Unio S.0 80; na rua d> Lirramento lado d Xascente D. 16;
rcoa-s gratis sendo das proprios asignantes smente e vindo assignados.
onde se receben correspondencias, e anuncios; estes insi-
Os anuncios, que nao forem dos asonantes deverio alem das
de inais condcoes, payar por cada linlia impre?sa 40 rs. e ser en
tresnes na loja de Livrciro da rua do Livramcnto D. 16, ou na
Tipografa do Diario.
Tudo agora depende de nos mesmos, da nossa prudencia, mc~
dera pontados com admirac,ao entre as Nacoes mais cultas.
ProcLmOf&o da AntmbUa Geral do Brmil.
giraprejfo em #entambuco por antomtto lose He ^tranna Jfalcao*
-----------------*&#&&&*-----------------
Continuagao do Titulo 14. c das Postu*
ras da Cmara.
. 5. V/S Professores d' Aulas Publi-
cas, e particulares de qualquer sexo, sus-
pender o o uzo dos castigos de palmatoria,
eassoutes, ou outro qualquer, queseja tor-
mentoso, aplican.lo somente com energa os
meios de correos,e privares temporarias,
sem procedimentos infamatorios; sob pena
de serem multados em 4$ rs., salvse o di-
to Mestre tiver consentimiento por escrito
de seus pays.
6*. as occasioes de incendio em qual
quer parte, que elle baja, os moradores d'
aquelle quarteirao mandarao immediata -
mente hum escravo com lium barril d'agoa,
a ajudar apagar o incendio, no lugar em
que o ouver, e o Delegado do Juiz de Paz
ser obligado a comparecer no dito lugar
para alistar os nomes dos pretos, e de seos
senhores, a fim de saber se a pessoa, que
se escusou de mandar, teye ou nao motivo
justo; e adiando nao ser justo, o laucar
na lista, que eleve dar ao Fiscal para impor
a multa de 4$ rs.: a mesma multa sofrer
o Delegado, que nao comparecer.
Sendo porem o incendio denoite, alem do
que fica Pcofrindado, todos os moradores
do respectivo quarteirao, colocarao huina
luz sua janella, para^illumiiar osconcor-
rentes, facilitar o jfraifli'to, e evitar desofy
dens; e quem faltar a esta providencia, S
cara incurso na mesma pena: e ficao obri-
gados os Pedreiipke carpinas a compare-
cepem no lugar/doincendio, com as suas
ferramentas, a pretarein os socorros, que
delles dependerenwb a mesma pena.
7. Srao obngados os donos das cano-
as, e depsitos d'agoas a prestarem promp-
ta, e gratuitamente toda a agoa, que lhe
for pedida, e se tizer necessaria para apa-
gar os incendios; assim como, todos os mo-
radores das cazas em que ouverem cacim-
bas as immediacoes daquelle quarteirao,
serao obrigados a franquear a entrada pa-
ra tirar agoa, requisitando ao Juiz de Paz,
ou aos seos Delegados, as medidas de pre*
caucao, para nao serem prejduicados, sob
pena de qualquer dos infractores pagaren*
a multa de 4$ rs.
8. c Fica prohibido o tristissimo brin*
quedo Publico, das figuras de Judas nos
Sabbados de Aleluia; assim como os
Furnicocos, e Papanguz; figuras de mor f
tes, e de tirannos, as Proci^oes que a I-
greja celebra no lempo da Quaresma, por
tornar o acto irrisorio, e indecente: os ad-
ministradores contraventores paga rao de
multa 4$ rs., e os representantes de taes
objectos sofrerao 24 horas de prisao.
9. Ninguem poder vender no merca-
do, armas curtas de qualquer natureza,
que seja, c nem Plvora inda que particu-
larmente seja, sem Licenca da Cmara, e
mesmo com esta, nao podero vender a
pessoas suspeitas, ou a escravos, prestando
alem da Licenca, huma fianza edonia por
termo, perante a Cmara: os infratores in-
correrao na multa de 10$ rs. e a pena de
4 dias de Cadeia.
10. Fica prohibido aos ferreiros, e
cutileiros de faserem qualquer arma a pes-
soa suspeita, ou escravos; assim como os
Barbeiros, e amoladores de as preparar;
sob pena de sofrerem os factores a pena, e
multa do antecedente, e os preparadores
metade da sobredita pena, e multa.
11. Todo o ferreiro, ou cutileiro, que
fizerem, ou prepararem chaves falsas, ou
qualquer, outro instrumento, que possao
faser aberturas, e broqueiamentos de portas,
assim como qualquer outras pessas, ou ma-
quinas^ que possa* ser applicadas a ru


. r. /
___________ -A.
\rif
- .

'V. .,
>%v bo, c ao fabrico da moeda fal^a ; ser mul-
tado em 20$ rs. e sotrera 8 dias de Ca-
ricia, sem prejuizo das Leis criminaes: a
pessoa que denunciar qualquer das infrae-
<;es do prezente provadas ellas pelo
termo de adiada, receber a sobredita mul-
ta a qual a Cmara llies tara boa. Sendo
porem a infracc,ao sobre os fabricadores de
maquinas de moedas falcas, ser a multa de
30$ rs. com a mesma pena de priso.
(Continuar-se-ha.)
E
chegado esta Cidade o celebrrimo
Ajudante do Batalhao da Corte oAlemteja-
no Joze Mara, pessoa recomendavel pelos
seus actos aqui praticados: ignoramos ao
que veio este houiem, e si como Official
vem aqui receber o nosso dinbeiro este
um mandato do Governo assaz digno de
censura; porque nem o tal Joze Maria foi
em tempo algum pertencpnte a Corpo des-
ta Provincia, nem della natural, ou mo-
rador. Dissolvidos os Corpos de primeira
Linha, parece justo, que o Governo fizes-
se reverter as Provincias, de que erao na-
turaes os Olficiaes, que se achassem em
Corpos de outras; isto at muito confor-
me com os principios da Federac,ao: quan-
to aos adoptivos devio voltar aquellas,
em que estavo empregados na occasiao da
bidependencia, porque essas Provincias pa-
rece seren as suas. Mas nesses cazos de
viao sahir daqui aquelles, que depois dessa
epoclia forao empregados nos Corpos desta
Provincia; porque nao justo, que nos
carreguemos com os que nos pertencem,
mais com os que nos quizerem cmpunvir:
carregue cada Provincia com aquella por-
cao de males que devidamente llie toca,
baja porem justica e imparcialidade ueste
deploravel rateio. Ora se justo o que le-
vamos dicto, como se pode sofrer, que nos
sobrecarreguem com os que nunca nos per-
tencerao, si nao por forcado imprestimo,
tanto mais oneroso, quanto a chronica es-
candalosa de suas vidas lhes ganha um bem
merecido odio ? Sao de taes ordens da ac-
tual Administracao que os desgostozostiro
argumentos para sustentaren! que o Gover-
no quer aqui ajuntar um grupo de gente
desacreditada para fins oceultos: bem Ion-
ge estamos de attribuir taes inteu<;es ao
nosso Governo, pelo contrario entendemos,
que elle quer como pode hvrar-se de tal
gente; mas nao eleve Pernambuco pagar
s o, que alias nao de ve. Basta-nos, e so-
bra-nos a pe? te, que por iossos pecados nos
tocn em nao pequeo quinhao: bastlo-nos
e sobrao-no1 tantos Columnas, Absolutistas
desavergonhados, que nos insultarao, e que
apezar de pertencerem esta Provincia,
seria bem bom, que nao continuassem a
comer o nosso dinheiro como em paga dos
seus mos feitos,e nao nos vexe o Governo
com malvados, que devenios abominar, e
que nao temos obriga^ao nenhuma de so-
frer.
Um anuncio publicado no nosso Di-
ario de um amante da cac^a, e a experien-
cia quotidiana nos excita a dizermos duas
palavras sobre este objeeto. Queixa-se o
Sur. apaixonadft da ca9a do Snr. do. En-
genho da Torre, que insulta, diz elle, a
quem lhe entra nos seos cercados: e o que
faria elle no lugar co Senlior do Engenlio?
Que os apaixonados da cac^ fossem para
essas matas que circulan esta Cidade ar
uzo ao seo gosto, ninguem teria que diz cr-
ibes; mas quererem os caladores- a travessar
com tiros estradas muito transitadas sitios e
cercados, sem nenhuma cautela, e com e-
mnente perigo de pes^oas e de animaes
domsticos e de valor, o que se nao pode
sofrer a sangue trio, principalmente si se
attende ao nenhum proveto, que esses ca-
ladores tiro do seo exercicio, que todo se
reduz ao gostiwho de dar tiros, mostrar
que bom escopeteiro, e que possue urna
espingarda estima vel. As desgranas por
cauza dessas incipidas cacadas tem sido
umitas, s o seo producto ainda nao deu
talvez para matar um dia a lome um mi-
seravel. Sem aprovarmos. pois o exetsso
do Senlior do Engenho da torre, (seo hou-
ve) o desculpamos attendendo a que sao as
tenas de seu engenho as mais perseguidas
dos taes caladores, que elle nao tem obli-
gado de sofrer, e seria bem til privar por
algum luodo um divertimento to pernicio-
so, feito quaze sempje sobre bem ms aus-
picios. > \ f
SnUiiCliOl
A,
.Manha 30 do cor Alte sabir a luz o
1. c N. do FEER.VllSTA, que se a-
char venda na loja do'Snr. Atalude na
Praca da Unio, a 40 rs. cada exemplar.
.
'*#??>--



Xrri
i
B
aenaj.
'Ixas prximamente chegadas do Porto,
boa qualidade, e prec,o cmodo: na Praca
da Uniao loj N. 8.
G-^ 1 Cazal de pretos ladinos para todo
o servico de campo, e mn selim quaze no-
vo : na ra da Scnzalla nova por sima da
padaria que foi do defunto Muniz.
3" O Engcnho Nuss, cito na Fregu-
zia de Camaragibe, termo da Villa de Por-
to Calvo, moente e corrente de todo o ne-
cessario, com legoa e meia de trras, as
quaes fica comprehendido o Engcnho La-
rangeira : no Engcnho Pilar, distante da
Capital das Alagoas 3 legoas, a fallar com
o Tencnte Coronel Jnzo*le Mendonca d'
Alareao Ayalla; ou a Francisca Felizarda
Leal de Barros, na ra
do Colegio
D. 4.
G^" Urna preta ladina: na ra do Ro-
zarlo da Boa-vista D. 5.
{3* 2 Canoas d'amarello, quaze novas,
que carregao 3 caixas de assucar, ou 60
alqueires de cal cada urna: na ra da Cruz
armazeni N. 52.
0=3=* Apolices da Companhia Gera Ex-
tincta : na loje de livros da praca da Uni-
ao N. 37 e 38.
(pl" 3 Canoas novas d'amarello: na ra
da Moeda, Forte do Mato em caza de Mi-
guel Arcanjo de Barros Correia.
3" Una cabrinha de 12 annos: na ra
de S. Joze D. 15.
(^ Uin sitio no lugar do Jang, com
caza de podra ecal e cmodos para gran-
de familia^ com 3000 pes de coqueiros, 1
viveiro de peixe, 500 brabas de frente, e
3 quartos de legoa de fundo: na ra do
Jardim D. 11.
;
W"
^*
Ui
Compran
Ma canoa de carregar agoa, que nao
exceda o seu valo* lie 60 a 80$000 rs. :
muncie. f "%'
#3" Um tronSx em bom uzo:
anuncie.
A,
tguet.
.Lluga-se o A andar da caza da ra
Direita D. 13 com cmodos para urna gran-
de familia: na ra da Cruz N. 17.
>

s-
StofOg |5cittc
L vA3 se tendo ainda ultimado at ago-
la o fornecimento da carne verde, que a
Intendencia da Marinha tena de subminis-
trar aos Navios de A. N. que estaciona-
rem e vieren-i a este Porto; noyaiiKnte se
faz publico aquellas pessoas a queni isto
convier, que hajao de comparecer na men-
cionada Intendencia nos dias 7, 8# e 9, se
nao forem das santos, ou firiados.
O Escriyao da Intendencia da Marinha
Joao Gongalvcs Rodrigues Franqa.
{3 Qufco tiver para alugar urna negra
para todo o servido de urna caza de pouca
familia: anuncie.
3" Roga-se ao Snr. Gervazio Luiz de
S Sampaio, o obzequio de anunciar por
este Diario, a caza de sua rezidencia, pa-
ra se Ihe entregar pessoalmente urna carta
de suma, importancia.
3" Para inteligencia dos Snrs. Negoci-
antes desta Praca o abaixo assignado nao
mais Caixeiro de Francisda Felizarda
Leal de Barros.
Joze Joaqmm Marques Braga.
3" Preciza-se de um caixeiro para ra,
e alguina escripia; na Pracinha do Livra-
uento sobrado D. 22, nos das uteis.
3* Nomeado por rodeno do Excel. Snr.
Commandante das Armas no impedimento
do Illust. Sur. Coronel Joze de Barros Fal-
cao de Lacerda interino Commandante do
Corpo dos Snrs. OHciaes de primeira Li-
nha, declaro aos mesmos Snrs. ser a minha
rezidencia na ra do Rangel D. N. 1.
Francisco de Assis de Castre Botelho
Pato Torrezao.
3" No dia 11 do corrente dcsapareceo
ou furtaro hum pardinho de noine Luiz
Silvestre Pereira da Paixao das nove para
dez horas do dia, tendo este hido a hum
recado, idade de 8 annos cabello estirado,
olhos pretos, cara redonda, boca pequea^
dentes na frente largos, levou vestido^calc,a
e jaqu de pao azu), e os bott^ do ja-
qu amarelos com armas Injperiaes, chapeo
de palha branca cojpa tito preta e aba vol-
tada com botins de toco* e at j. tem al-
gum principio de 1er por assignar o seo no-
me: qual quer Snr. que delle tiver noticia
ou Capitao de campo o poder levar a ca-
za de Joze Soares Ferreira Senzalla nova
N. 14. 2. andar que ser bem recompen-
sado do seo trabalho. Adver-te-se que o
inesmo pardinho he forro e por isso se fez


tftfMMNQfeflMP^fcaWMfcflAHaM^MMbMnAnai
tmtfT
mm
o presente anuncio para que ninguem liaja
de cmpralo e aquelle, que o fizer correr
na pena da Lei tanto o vendedor como o
comprador para que em qualquer tempo se
nao chame a ignorancia se faz o presente
anuncio desde o dia que dcsapareceo*
B
t#fo$ .Fufitoosi.
^Enedicto, crilo, 22 annos, cheio do
corpo, com officio deeapateiro, ecozinhei-
ro, urna cicatriz na testa de urna pedrada ;
fgido a 8 d' Abril p. p. e consta andar
tirando lenha na matla deBeberibe: ra
do Colegio loje de louea, e vid ros.
{3* Joao, nacao Angola, 9 a 10 annos,
malfeito de cabera, pernas grossas, o beieo
de baixo comprido, com a marca Onq bra-
co esqnerdo; fgido a 19 de Agosto p. p.
com calca de linhozinho azul, ecan.iza de
xila de qnadros miudinhos, provavel que
tenha mudado roupa, e discontia-se que o
furtarao e foi para as partes de Goianns :
ra da Cruz armazem N.52, a entrgalo
asen Senhor que Antonio Domingos Pin-
to, o qual offerece de alvicaras 20$ rs.
3* Francisco, oficial de carpina, etao
bemcanoeiro, costuma nos dias santos tra-
balhar no porto das canoas da ra nova,
depois que fugio tem sido encontrado nos
dias de trabalho com a ferramenta de car-
pina debaixo do braqo encaminhando-se
para dentro do Recite, he de estatura bai-
xa, representa ter vinte e tantos annos, bem
preto, olhos vermelhos, orelhaesquerda fu-
rada, fgido no dia 10 do corrente com
calca de algodozinho jaqueta de pao a-
zul,* e chapeo de pello de seda ja velho: ao
pateo da Santa Cruz no sobrado pegado a
#greja.
\-
NOTICIAS 1 MARTIMAS.
. Navios entrados no dia 25.
s
?ERINHEM; 2 dias; S. 8. Joze Ven-
cedor, M. Pedro Lobo: caixas: de Auto*

nio Marques da Costa Soaresi. Passage-
ros Joze Antonio Rapozo, e Joze Jacinto
de Souza.
Dia 27.
- MAR ALTANTICO; tendo sabi-
do de Bedford a 15 mezes; G. Amer. Eagle,
Cap. Shubael Hawey: azeite dej)eixe:
Ferreira & Mansfit ld
- HAMBURGO; 63 dias; B. De-
nam. Avelus, Cap. C. J. Koch: azendas
e molhados : Aschram.
Dia 28.
- CEARA'por ASSU; 27dias; Pat.
Carolina, M. Vicente Gonc.alves: sal: ao
Mestie. Passageiros o'Coronel Thomaz
Antonio da Silvewa ex Commandante das
Anuas do Cear. com sua muliier, e Fer-
nandos da Costa.
G,
Navios sahidos no dia 21.
"OIANNA; Can. Conceigao do Pilar,
M. Manoel Falcao: azendas, e molliados.
Passageiros o Teen te Coronel Joaquim
Justiniano da Silva, e o Coronel de secun-
da Linha Joao Joze da Silva.
i
Dia 25*
- MALAGA; B. Hesp. Carmel, Cap.
Antonio Frederico: algodao.
Dia 26.
- RIO de JANEIRO; B. Franc. de
Guerra.
- SERINHEM; S. Felicidad e, M.
Manoel Pereira: caixas.
- GOIANA; L. S.Joze Viajante, M.
Luiz Lino: lastro.
Dia 27.
- PENEDO, porMACEIO; L. Ma-
ra da Gloria, M. Francisco Fernandos
Candido.
Dia. 28.
- UNNA; S. Bm Flor, M. Joaa
Agostinho do Nasciijfntt: lastro. _
- SANTOS, por ASBU, BAHA e
RIO de JANEIRO; B. MicatL, M. Vi-
cente Eloi da Fonceca: Afceros. Passa-
geiros Francisco Xavrer \l Cunha, Jo-
aquim Antonio Martins Cliianca, Joze Car-
los de Corvalho, Lopo fidl Facundio, e
Antonio Fragozo de Medliros.
!


(i
Pebxambco jva Tipografa do Diario, Ra da Soledade N. 498. 1831.
i

m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EA4ZHS7IF_QBUBH3 INGEST_TIME 2013-03-27T17:08:46Z PACKAGE AA00011611_01537
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES