Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01524


This item is only available as the following downloads:


Full Text
%
.

ANNO DE 1831.
m*

TERCA FEIRA 6 K DEZEM3RO
wmmmmatmmmmmmmv m i T, vwm m'iwjammmmmawm
NUMERO 259^
DIARIO DE PERNAMBU'
*>.%
Subscrcve-se mensalmente a 640 re. adiantados. nd Tipografa do Diario, ra da Soledade N. 498; na loja de livros do Snr. Figue-
r?>a, Praca da Unio N. 80; na ra do Livramento lado do Nascente D. 16; onde s receben correspondencias, e anuncios; estes lisi-
en -s gratis sendo das proprios assignantes somcate e vindo assignados.
I
%' Os anuncios, qc nio forem dos assignantes deverao alem das
de mais conaicoes, pagar por cada linha impressa 40 rs. e ser en-
tregues na loja e Livreiro da ra do Livramento D. 16, ou na
Tipografa do Diario.
Tdo agora depende de nos mesmos, da nossa prudencia, mo-
deracio, e energa; continuemos como principiamos e seremos a-
pontados com admiracio entre as Nacoes mais cultas.
Preclamaqao da Astemblea Geral do Bruzil.
3mpre&o em pztmxtibuto por amortlo 3|o0e De fletante falcao

Hft&tdWt*'


CMARA MUNICIPAL.
Continuagao da Acta de 12 de Novem-
hro.
ARTIGOS DE OFFICIO,
A que se refere a acta suprdita.
T,
Endo chegado ao conhecimentd da
Regencia o abuso, que se ha pra^icado as
diftrentes Municipalidades sobre o Jura-
mento da Constitui^o do Imperio, consen-
tirtdo-se cegamente que Estrangeiros, vin-
dos ha pouco de Portugal, o vao prestar
por interesses particulares, como, se hum
acto semelhante, a nao ser aos olhos de Au-
thoridades menos escrupulosas, os constitu-
issem Cidadaos Brasileiros: E sendo certo
que os nascidos o Brasil, e os adoptivos,
nao necessito daquella formalidade para
serem Cidadaos Brasileiros, pois que a
Constituido no Tit. segundo, Art. sexto,
prragrafos primeiro, segundo, terceiro,
quarto, e quinto, declara cxpressamente
as cond9oes precisajyrara huns e outros se-
rem como taes con ^ados ; nao devendo
por isso continuar-se mais na burla de hum
acto tao sagrado, que escandalosamente
se tem proposto aquelles, quem a dita Con-
stitui^ao nao contempla: Ha por bem a
Mesma Regencia, em Nome do Imperador,
Ordenar, que, ficando derogada a disposi-
cao do Avizo Circular de quinze dq Maio
de mil oitocentos vinte e quatro, e quaes
quer outras, em que se exigi Certidao do
Juramento da Constituido para consulta de
Lugares e Empregos, se proceda aoencer-
ramento em forma dos Livros do referido
Juramento ; e que destes livros sejao logo
entregues Secretaria d' Estado dos Nego-
cios do Imperio os que estiverem cargo
das Cmaras Municipaes da Corte e Pro-
vincia do Rio de Janeiro; fazendo as C-

maras das outras Provincias igual entrega
s Secretarias dos respectivos Gverns.
Joze Lino Coutinho, do Conselho do
Mesmo Imperador, Ministro e Secretario
d' Estado dos Negocios do Imperio, o te-
rina assim entendido, e fac^a executar com
os Despachos necessarios. Palacio do Rio
de Janeiro em quatro de Agosto de mil oi-
to centos rinta e hum, dcimo da Indepen-
dencia, do Imperio.
Francisco de Lima e Silva.
Joze da Costa Carvalho.
Joo Bra&o Muniz.
Joze I0o Coutinho.
ExDflknotorio que muitos Portugueses,
alias inirigOB do Brasil, por se haverem
pposto asua Independencia, chegando
mesmo ao ponto de empunharem as armas
contra huma Causa tao sagrada, tem sido
at ago/a escandalosamente considerados
como Cidadaos Brasileiros, pelo Governo
transacta so* pdp motivo de continuarem a
permanecer no*Brasil depois daquella po-*
ca, eisto contra o genuino sentido da Cons-
tituido rio Titulo 2. Art. 4. E sendo
tambem constante que outros uuitos che-
gados a este Imperio depois da poca da
Independencia, so pelo simples facto de
haverem Ju'ack) a ConstituicSo, se achao
gozando dos Dkeitos e foros de Cidadaos,
com manifest prejuiso da Nacionalidade
Brasileira: e eumprindo a todas as Auto-
ridades Constituidas o velar na guarda da
Le fundamental, defendendo os interesses
e garantas dos Cidadaos Brasileiros; A Re-
gencia, em Nome do Imperador, Ha por
bem Ordenar oseguinte: Primeiro.^ Que os
Chefes de cada huma das Reparticoes, Ci-
vis, Militares, e Ecclesiasticas, onde hou-
verem Empregados de nascimento Portu^
gueses, escrupulosamente examinem se el-
T
.


'+*+*


(1052)

les ao de facto Cidadaos Brasileiros adop-.
livos ou naturalisados, na forma da Consti-
tdicao Titulo segundo Art. quarto e por
Decrete da Assembla Geral Legislativa;
e quando tal legitimidade se tome duvido-
za a respeito de alguns dos primeiros faro
que elles justifiquen! perante os Juises ter-
ritoriaes as condieues determinadas no cita-
do Titulo segundo, Art. quarto da Consti-
tuico do Imperio; dando-se de tudo cunta
ao Governo para sua completa inteligen-
cia : Segundo. Que toda a Auctoridade
perante a (mal se aprsente qualquer indi-
viduo, que nao seja nascido no Brazil, pa-
ra usar de algum Direito ou regala, per-
tencente a Cidadao Brazileiro; nao con-
stata que assim use, se ella nao estiver per-
leramente certificada de que tal individuo he
Cidadao adoptivo, ou naturalizado, seguudo
o Direito ou regala, de que pertenda apro-
veitar-se na forma da Constituicao. Ter-
ceiro. Que por via dos Cnsules Portu-
guezes, residentes neste Imperio, se remet-
tao, na Corte, Secretaria de Estado dos
Negocios Estrangeiros, e as Provincias,
as Secretarias dos respetivos Governos, Lis-
tas exatas de todos os individuos da sua Na-
cao, ora existentes no Brasil, e que nao sao
Cidadaos Brazileiros; bem como de todos
osoutros, que forem chegando, com hiten-
co de residirem no Paiz.
Joze Lino Coutinho, do Conselho do
Mesmo Imperador, Ministro e Secretario
d' Estado dos Negocios do Inperio, o te-
nha assim entendido, e faca executar com
os Despachos necessarios. Palacio do Rio
de Janeiro em dezoito do Agosto de mil
'oitocentos trinta e hum, Dcimo da Inde-
pendencia, e do Imperio.
Francisco de Lima e Silva.
Joze da Costa Carvalho.
Joo Braulio Momz.
Joz Lino Coutinho.
i
.LLM.e Exm. Senhor-Havendo chega-
ido ao Conhecimento da Regencia o mo
(estado, em que quase geralmente se achao,
logo em seo comeeo, as Escolas Elementa-
res de Ensino Mutuo, que o Estado com
sacrificio nao pequeo tem procurado esta-
belecer e espalhar, a fim de metter na
massa geral dos Cidadaos a primeira e ma-
is essencial instruccao de 1er, e de escrever,
sem o que se nao pode dar melhoria de in-
dustria, e nem de moralidade ; e isto tal-
ives pelo pouco cuidado da parte das Mu-



.
H
nicipalidades, a quem cumpria prestar hu-
ma escrupulosa attencao em negocio de
tanta transcendencia. >"MeSmaRegenci-
a em Nome do Imperador, sempre solhcita
em promover o bem estar dos Cidadaos *
Brasileiros, Ha por bem, que V. Exc. fa-
sendo conhecer as Municipalidades dessa^
Provincia o disgosto, que Lhe tem causado
hum tal conhecimento, exija dellas marou
sollicitude sobre as escolas, que seacharem
estabelecidas em seus respectivos Mu-
nicipios ; nomeando para Inspectores
de adequada intelligencia na materia, e
conhecido patriotismo, que, velando sobre
o estado das Aulas, methodo seguido, con-
ducta dosMestres, e aproveitamento dos
Discpulos, demo sobreditas Municipalida-
des exactas e amiudadas contas do que fo-
rem notando, para se providenciar a res-
peito : e outro sim, que encumbo aos seos
respectivos Fiscaes o cuidado de verem se
as Escolas estao sempre abertas nos dias
que nao forem feriados, e pelas horas mal-
eadas para cada huma das Sessoes de en-
sino, quer de manh, quer detarde ; fican-
do os Professores certos, que do conheci-
mento deste em diante nao poderao receber
seus ordenados, sem apresentarcm Certi-
dao de frequencia, passada pelo respectivo
Fiscal do Destricto, em que-ensinao: e fi-
nalmente que V. Exc, exigindo das Mu-
nicipalidades esclarecimentos exactos de
trez em trez mezes sobre o bom ou mo
estado de taes estabelecimentos informe
com o que lhe occorrer, para se providen-
ciar como for mister. Dos Guarde a V.
Exc. Palacio do Rio de Janeiro em 2 de
Setembro de 1831 -Joze Lino Coutinho-
Snr. Joaquim Joze Pinhciro de Vascon-
cellos.
i
Llm. e Exm. Snr.- Tendo a Regen-
cia, em Avizo de 13 do corrente, parteci-
pado a V. Exc, que o Provedor da Sau-
de desse Porto obrou em conformidade do
. 13 do Regulamento de 17 de Fevereiro
de 1829, quando sugeitou quarentena a
Polaca Hespanhola Santiago que havia
ebegado dos portos do Mediterrneo, e
consignacao de Nuno Maria de Seixas: A
Mesma Regencia, Ponderando, sobre este
objecto; la por bem, em Nome do Impe-
rador, Declarar a V. Exc que o referido
Artigo 13, que manda fazer seis dias de
quarentena as embarcacoes vindas do Me-
diterrneo, e Levante, incluso Gibraltar,
t
>
t<

**
VI



Opssy
V
*
14
liaba em vista a febre amarella, que entao
reina va naquelles lugares, mas que nao sen-
do actualmenteJ sulpeitos aquelles portos,
nem se encontrando abordo das embarca-
res dalli vindas, doentes, que possao dar
contagio qualquer; cumpre que nao se ex-
ente literalmente o referido artigo, no que
prtence sua primeira parte; subsistiado
porem, quanto a segunda acerca das em-
barcac,oes, que se communicaro com qual
(juer Navio, que houvesse partido de por-
tos inecionados Dos Guarde a V. Exc.
Palacio do Rio de Janeiro em 28 de Se-
tembro de 4831 Joze Lino Coutinho
Snr. Joaquim Joze Pinheiro de Vasconcel-
os. Cumpra-se, e registe-se. Palacio do
Governo de Pemambuco 4 de Novembro
de 1831 Paes de Andrade.
t
Sesso Extraordinaria de 23 de Novem-
bro de 1831.
A,
'
i.
.Brio-se a Sesso extraordinaria sob
a presidencia do Snr. Moraes, sendo pre-
zentes osSnrs. Oliveira, Bastos, Pires, Fer-
reira, Brito, e Paula, faltando com causa
os Snrs. Esteves e Caldas.
O Sur. Prezidente fez a leitura do expe-
diente : hum officio do Prezidente da Pror
vincia communieando-lhe que o Juiz de
Paz Supplente deste Bairro Joao Arsenio
Barboza deixara por motivos de molestia de
exercer dito cargo, e determinando, que se
chamasse quanto antes o immediato em vo-
tos; em consequencia officiou se ao Pro-
prietario Flix Joze Tavares de Lira, pa-
ra que tomasse couta da vara, o qual res-
ponderlo, que nao podia por continuar a-
inda os mesmos motivos, que o fizerao lar-
gar, officiou-se a Antonio Joaquim de Mel-
lo immediato em votos, o qual aceitando o
convite recebeo o juramento do estillo e to-
mou posse do dito cargo.
Hum officio do Juiz de Paz dos Affoga-
dos, dizendo, que nao havendo emdito lu-
gar Eleitores para formar o Conselho de-
terminado por a Ley da creacao das Guar-
das Nacionaes, nao sabia como a pozesse
em effectividade: resolveo a Cmara, que
se lhe respondesse, dizendo, que meditasse
bem na Ley, e que depois a executasse sem
perda de teinpo.
Hum do Juiz de Paz Flix Joze Tava-
res de Lira, pedindo que, se lhe mandasse
pagar o que gastara com ataboleta, qu? a
Ley manda va ter na porta: a Cmara fi-
cou inteirada.
Determinou a Cmara ao Procurador,
que de boje em diante desse ao Carcereiro
da Cadeia o azeite de carrapato necessario
para as candeas dos presos.
Nao havendo quem lansasse nos contrac*
tos da aerico dos pesos e medidas do ter-
mo deste Municipio, e das medidas de fa-
rinha da praca da Boa-vista, determinou a
Cmara polos em ad ministrado, nomean-
do para os administrar a Belarmino de Ar-
ruda Cmara- a quem se officiou partici-
pando a nomea^ao.
Officiou-se ao Exm. Snr. Bispo, para
que se despozesse a cantar a missa do San-
to Espirito no dia 1. de Dezembro pr-
ximo vindouro, na Matriz de S. Frei Pe-
dro Goncalves, em que ha de ter lugar a
instalaco do Conselho Geral de Provincia.
O Prezidente participou, que os. dous
O fficiaes de Carpinteiro Antonio Joze Ma-
rinho, e Manoel do Carino, lhe tinhao
communicado, que nao podio comparecer
no dia, hora e lugares indicados para as,
vestorias, que a Cmara pertendia fazer.
Officiou-se ao Presidente da Provincia
pedindo-se-lhe, que mandasse por o Enge-
nheiro Joao Bloem levantar hum plano pa-
ra os novos arruamentos desta Cidade.
Determinou a Cmara que o Fiscal
deste Bairro Rodolfo Joao Barata de Al-
meida, dissesse a Jacinto Soares^ Botelho,
que podia continuar na edificacao de sua
caza nos Barros baixos, com tanto porem,,
que deixasse ficar a ra com. 40 palmos de.
largura.
Officiou-se a Junta daFazenda para que
enviasse a Cmara os esclarecimentos pre-
cisos acerca do pagamento do arrematante
da illuminacao publica; visto que o Pro-
curador tem suprido as faltas que tem ha>
vido da parte da mesma Junta nos paga-
mentos mensaes. /
Remeteo-se ao Presidente da Provincia,
na forma da Ley, incerrado olivro em que
estava laucado o juramento prestado a^
Constituido do Imperio.
Despacharao se alguna requer mentos, e
por ser dada a ora o Snr. Prezidente ale*
vantou a sesso Eu Joze Tavares Go-
mes da Fonceca Secretario a escrevi. -
Moraes P. Oliveira, Bastos, Pires, Fer-
ipira, Britto, Paula.
i



*<-



i

t
*
*
r


.rfMMM^Mi

;.-
i
(1054)




atollo* Do Correto.

1
Pela Administrado do Correio se
taz Publico que o Paq. Ing. Grinalde rece-
be as malas para a Baha e Rio de Janeiro
no dia 7 do corrente pelas 9 horas da ma-
nh.
O Brigue Brazileiro Feliz Destino,
de que he Capitao Pedro Dias, par-
te deste Porto para o de Santos no dia 11
do corrente.
O Brigue Brazileiro Triunfo Ame-
ricano, de que Capitao Manoel Si-
inoes, sai para Lisboa no dia 15 do cor-
ente.
'*
;
i
k


1
/
&en&a&
-LtXEios biltes da 2.a parte da 7. Lo-
taria do Seminario de Olinda, a prata e a
cobre: nos 4 Cantos loja N. 18 em Olin-
da.
0=3* Urna escrava de 16 annos, muito
sadia capas de servico de urna caza: na
ra da Senzalla por detras do Coronel Ben-
to Joze da Costa, caza de Rita Maria de
Mello.
G^ Folhinhas de porta* de algibeira, e
de padre: na ra do Colegio D. 3 botica
de Cypriano Luiz da Paz.
3* Urna carteira grande em bom uzo,
que serve para escriporio: no Pateo do
Carmo D. 5.
{f* Um cavallo rudado de meias carnes,
novo muito passeiro e carregador de meio,
por preco cmodo; no Quartel do Paraizo
a tratar com o Secretario de ex Batalhao
14.
fcl" Urna tenda de ferreiro com todos
os seus pertences: na entrada da ra do
Rangel D. 41.
&3" Cassas finas bordadas de ramage, len-
cos de fil de seda de 3 pontas, chapeos de
Trieste de pelo fino e mui leves, rap Prin-
ceza do mais novo botins de bezerro para
dhomem, sapatos ditos ditos, ditos ditos In-
e|rlez dito, ditos de Cordavao dito, Ditos de
Setim de cores para Senhora, ditos de Mar-
roquim de cores para Senhora: na ra da
Cadeia velha loja n. 26 por precos com-
modos.
fiel" Para fora da Provincia um crilo
de 18 annos, bonito e bem feito do corpo, ]
-------------------------------------------------------------------------------%
com principio de sapateiro, e proprio para
page: na ra do Queimacta N* 77 D. 3.
ffct Sementes de di*ercas qualidades de
flores, e de legumes: na ra nova loja Fran-
ceza de Vctor.
*
D
Compran

icioarios Portates em meio uzo:
na Botica da ra do Rozario D. 7.
G^r* Um ornamento para Altar porttil,
contendo todo oaparamento para celebrar,
estando em bom uzo: na ra do Queimado,
D. 1.
G3* Urna padaria, com seos pertences:
anuncie por este Diario.
__________.
amigete
Luga-se urna caza boa na ruada Ca-
za Forte para quem quizer passar a Festa,
da parte da sombra com muito bom como-
do ebom quintal de arvoredos fructferos, e
bom Poco: aO principio da ra do Fgun-
des dolado esquerdo vindo da Ribeira ca-
za N. 124 D. 2.

t
<*
c
atit?o particulares
ustooio Domigos Alves retirase para
um dos portos da Europa, e para comprir
as ordens do Governo faz o prezente anun-
cio.
NOTICIAS
MARTIMAS.
A
F
Navios Entrados no dia 5.
ALMOUTHpela MADEIRA; 30
. e do ultimo 20 dias; Paq. Ing. Grinalde,
Com. Hill.
p,
Navios Sahidos no dia 4.

(MITO-ALEGRE; Pat. Saudade, M.
Joze Francisco Seta: sal. Passageiros
Antonio Lopes Guimaraes, e Sebastiao Lo-
pes Gui maraes.
~ LIVERPOOL; U Ing. Melby, Cap.
Henry Edn: algodo e assucar.
' Pebxfmbco xa Tipografa do Diario, Ra da Soled jije N. 498. 1831.

-


'" '.|M '"
'.
-vrr


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX8AU4NAX_EYR80W INGEST_TIME 2013-03-27T14:18:37Z PACKAGE AA00011611_01524
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES