Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01468


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
MM
-.
ANNO \m 18.33
TERA FEIllA i.u DMJiuikij
.,,
unm
J
.HHilMp1' ^**?**5^**!?*^r****'. '''--^'^^^''''**",,^r,w,'~'y-r^~^^''^'^'*OT'pf^t>*
remwBWUI jjwijfiuwvwiw

i.-
Sulrcvc-sc mcBWilinente u B40 rois. adi antao*, (aTipografa
j0 ,,..!,,... < Matri* da S. A uto.) i u solrtfcdo (i.i porta la;-;;;i
r
n^m va rc-i'.i.'uiv'ii;-.:.-, e anuncio; psts inwrem-se
,.i:~ ndu i..'-|>n ..: i ij-;nttiues somente e vindo assignado.
l'udo ajcora dependa de nos meamos, da nasaa prudencia, na*
(lcni<*o, e energa continuemos conio principiuinws e sercuio
apoutadoc con admiraban cutre as Nacea maja cultas.
Pioclamartiu da sssomfilen Ueral do Braxil.
W^fcl.St.'QBW^-"-*
tynpnm ern j&rroamwico ppt 3io?c dctortio dc abre
___________mi-_i gil ."ICTIB "*tf" TflW' ""TT"Tirr~~--------------------
DI AS da SEMANA.
aii'l do J. Je
3.*- S. Remigio- Re.'" de m.. t
Orfos de t. P. as 7 h. e 18 m. da m.
4.'-S. Leodegario-Ssso da TUez. Publica. Pr. as
8 h. e 6 m. da m.
.V-S.CW/tV/o-Rel."'" di m., Aud. dos J.' do C d
ni. e de t., e Ch. Pr. asS h. e 54 m. d* ai.
0. -S. Fmncisco-Sea. daThex. P. de m. e Vud. doJ.
lo Or'aos del. Pr. as h. e 4*m. dn m.
Sabbado-6\ Wenceslao -Hl.** de m. < aud. do \ ig
(i. de i. Preamar as 10 h. 30 m. da m.
Domingo-6 Santissmo Jlozario de MaraPr. as
11 h. 42 ni. da m.
segumles noticias.
L partido do Governo ra leudo cada da menos forca, e
* m Peridicos da opotico tambera vo leudo urna Un-
; a i(^m mais dicidida. Os Cabanos suipr.hcnclerao
no lulgar d'o Cafando um piquete consideravel das Tor-
aselo Commandante das Armas, os quaes nem lempo
(iverao i", laucar mo das armas, sendo parle driles
morios ; Tacadas, algu'ns prisionciros, e poneos os f-
gidos, ficaudo sem bagagem, armamento, munices,
e mantimento, elles esto cada da ganhando maior
forca, e retomando os pontos perdidos.Em certos
clubs lem-se tratado da serle, que devem ter os Cara-
tnunis, uns querem morte, oulros somente expatria-
d-oes. Os Estudantes do Curso Jurdico lobem fise-
roa sin repre-enlaeo, liouvero cento, e lanas as-
signaturas contra esta medida, c outras tantas a favor.
Nao se pode reunir mais mentiras em lam poucas li-
nhas; he este o eostume ordinario das folhas Caramu-
ruanas, edelle se pode tirar argumento sobre- a bon-
dade, e juslic.i de sua cauza. Quera tem raxo, e jus-
lica nao mente, nao invena laclo*. Batidos por to-
dos os lados busco refugio na imaginario, e fiogem
prsperos sucessos para se alegrarem, e aos seus. To
boas novas trnho elles toda sua vida. Mas comeean-
do polos Peridicos, onde eslo os da oposieo decid-
, com que possao elles contar? Aqui nenlium, e a
pioprs :{ius >la, que be desafecta ao Governo prega
boje i \io t asara a uuio, e obediencia aquello.
^1) 'liiiloj e to bous amigos livessem (lies om toda
parle como ern Pernambuco. Tantos peridicos ti-
tessem a seu favor em todo o Brasil como tem em Per-
nambuco, esua ronca e agourcnla vot nao viria lerir
nossosouvidos.
As noticias de vencimentos dos Cabanos sao do mes-
nio calibre. Contera com elles, que cedo depois de
t biix o (rwerno, e por no Throno o cu predilecto.
l)Eb;i ( rte as Cara L-sk em oFcidatfciro CaramurPeridico
do o de Janeiro em o N. 22 de 10 (PAgosto, as
Pernambuco at 10 de Agosto.
O bravo Commandante das Armas, e boje o
Coronel Coelbo llie prepaff as estradas, eiiecessa-
rio para a viagera. E at o proprio Curso Jurdico
l!ics nao eseapou E o mais be, que do extracto, e de
rartas se sabe, que se Ibv atribue assiguadoa para pros-
nripcoes ; mas s melade dos Estudantes ; porque
roma oulra parle rojeta o elles*, e porque nao ? Alei-
vosn-; Os Es'udanlii* de Olinda sobeijas pro vas lem
dado de seu amor mlem, e liberdade do Brasil. El-
les nao parlilho idns de desordens, e illegalidades,
e menos ainda ideas fuiramuruanas. O assignade u-
r.ico, que aqu bouve esleanno Coi um protesto contra
a resta ii racn Or* Pedro I.", e otrereci ment que fea o
Corpo Acadmico, de suas Toreas contra os reslara-i
res, e :\ hem va lran;uili"!ade publica, e o assigiiaro
nao cenlo o tantos; mas duzentos, e tantos; e dos
Irinla e tantos, que o nao assignarao, nao consta, que
nutro fizessem, nem que sejo Caramur^s : dessa ab-
jeela gente nao ha em Olinda, ao menos ostensivos.
Continua o Caramun fallando do ParaConsta
(diz elle) que Seara, e Macliado livero | no Para dos
seus mesmos partidarios, o premio de suas maldades,
ao 1. sucedeo o Coronel Manoel Sebastio, e ao 2."
o Conego Baptista, e que nnquella Provincia a maior
parle da gente limpa tinba sido mora, ou se aeliav.i
expalriada, que a Plebe desenfreada continua va
dominar, e vem esperancas de oulra porte menos des-
agradavelNao basta vo ao misero Para as dosgra-
cas, que lem soTrido, ainda tinha mais de ser o des-
enterr.ja-ngoas dejqialo bobo, se quer com elle di-
vertir. Cada um diz, o que lbe parece; para um o
partido de cima desejava desde o comeco da indepen-
dencia roubar, ematarosPortuguez.es, nao ha nelle
urna s pessoa de grvala lavada Ve. para oulros nao
he gente limpa, he plebe desenfreada, e de mistura
vem noticias, sabidas pelos ares; para nao dizermos
forjadas. O Para he desgracado as intrigas tem ali
eilo seu nsseoto ; o sangue tem manchado suas ras
(parte delle bem merecidamente derramado, e porque
assim o quisero as victimas) a intolerancia, e os temo-
res ainda ali reino, e seu eslado exige pronto reme-
dio ; mas nao se ereia, que o partido vencedor be co-
posto dolers, de fed roes, e de plebe desenfreada, e
que os do, contrario sao uns sanlnhos. E deixe de
querer deles iolgar, quem souve bomens apaixona-
i!os, e exageradas relaeor.>. O Para be infeliz, e rae-
QBce do, Governo toda a consideraco. Praza aos Cees
ntie a prudencia presida as providencias sobre elle lo-
madas, que o Senhor Costa l'erreira, que tanto con-
ceiio nos merece, e todo o Brasil, possa aliviar seus
males, e lbe restituir o soreg, c tranquilidade de que
lauto ba mrsler.
NOTICIAS 3NACIONAES.
OPatueV, Atlante sabido do Para em Age:
dismenl\ir as falsidades
V( io
que a respeito des/ j'n '

f
I


rinda, e da do Cear se assoalhavo. Nos daremos
em um seguiute N. as noticias, que dellas podermos
colher, e podemos desde j assegurar, que o Para go-
zavasocego, apenas inlerrompido por desavencas en-
tre o Gommandante da Corveta, 7 de Abril, ali esta-
cionada, e o Presidente, e mais authoridades da Pro-
vincia, e q' o Cear gozava soeego ; o q' nao ohstte o
Presidente, e Concerno tinho julgado necessario nao
deixar desembarcar e ir para o Cralo, Pinto Madeira;
\mas o havio 'eiio ir at Maranho, em o mesmo Na-
vio em que daqui lora prezo.
CMARA MUNICIPAL.
8.a Sesso ordinaria do dia 31 de Julho de 1833.
Prbzioecia no Su. Mello Cavalcante.
COmpaiieceiiao osSeuhores Doutor Mavignier, Ca-
mello, Silva, Oliveira, e Gusmao, faltando com
causa os Senhores Doutor Peregrino Maciel, e Esto-
ves.
Aberta a se>sao, e lida a acta da antecedente foi san-
cionada por estar coforme. O Secretario leo os sc-
guintes officios.
Hum do Ver ador Frrnciseo Ludgro da Paz, pe-
dindo seis mezes de licenca para h'ir a Corle : conce-
dida principiando de amanb e quanto a absolviro
da mulla por haver faltado sem cauza, que requeiesse
no Juizo competente.
Outro do Engenheiro Fermino Herculano, parte-
cipando, que a obra da ponte estava parada, e as ra-
zos, e representando sobre oulros objectos tendentes
a mesma ponle do Recife : inteirada. Por esta occa-
sio leo-se oofficio addiado do Exm. Presidenta, em
que diz que o Concellio do Gover resolver nao deso-
nerar a Cmara das obras publicas de que se encarre-
gara no passado anno financeeiro, e o Senbor Came-
lo fez a seguinle propostaProponbo, que se nomeie
huma commisso para na sesso de amanb impreleri-
velmente dar o seu parecer sobre os officios desta C-
mara, eos ofueios do Exm. Presidente respectivamen-
te a abrir a mesma Cmara mo dos negocios das obras
publicas, e ponles para a semelhante respeito se tomar
difiniliva deliberadlo. Casa da Cmara em 31 de Ju
Iho de 1833O Venador Camello, cuja proposta foi
aprovada, e o Senbor Presidente nomeou para a Com-
misso os Senhores Camello, seo autor, e Gosmo, a
(juem se entregou ludo.
Outro do Exm. Presidente pedindo explicacoes da
l.'condico do contracto da afferico; resolveo a C-
mara, que se Ihe respondesse dando-se a intelligencia
com que seeslabeleceo a dita condico.
Outro do mesmo sobre a quanlia de 699$930 reis
pedidos para os reparos e concerlos feitos na Cadeia,
e sobre a advertencia pela expressb pouco alteneiosa
&c. : resolveo a Cmara que se respondesse quanto a
primeira parte, que ella linba mandado fazer esses re-
paros, e concerlos, em consequencia de assim )h'o ter
incumbido a Lei, e ser instada por S. Exc, e que es-
sa despeza devendo sabir da <|Uota marcada para seme-
Ibantes obras na confrmidade da Lei do Orcamento
do anno inanceiro, que acabou, foi por isso peque-
rida por a Cmara, que a nao deduzio das oulras qu-
tias para outros objeclos destinadas; e quanto a se-
gunda, parle se resj)ondesse, que a Cmara tendo-se
dirigido directamenie a S. Exc. o Senhor Presidente
da Provincia, e em lempo em que nao havio sesscs
ordinarias do Conselho, persuadio-se, que em lazer
sentir a S. Exc. a falla que havia, de se I, r posto a
disposico da Cmara a quantia para os dito* ^ncerlo-,
e repajos nao involvia expresso pouco alte^'osa. O
Senhor Doutor Mavignier jurou suspeico em tudo
quanlo for negocio tendente a obras publicas deste
Municipio.
O Senhor Camello oppoz-se a esta suspeico, c a fi-
nal resolveo a Cmara nao ter lugar a suspeico.
O mesmo Senbor Doutor Mavignier requemo 10
dias de licenca, e a Cmara Ibosconcedeo, principian-
do a correr d'amanb.
O Senbor Doulor Mavignier appresentou hum pro-
jecto de diviso deste Bairro em 5 deslrictos, o Senhor
Gusmao appresentou outro, e lobem o Senbor Silva,
sobre cada hum destes trez projectos hove grande
discuco, e a final sendo postos a votado cahiro os
dos Senhores Doutor Mavignier, Gusmao, sendo
aprovado lal qual eslava o do Senhor Silva, que se re-
meneo a Commisso composta do Senbor Cam lio, pa-
ra o redigir (fe novo, e appresental-0 amanb o
de voto contrario o Senbor Doutor Mavignier.
Despaeharo-sealguns requerimentos, e por sei
da a hora alevanlou-sea sesso. Joze Tai
da Fonceca Secretario a psereveoM
Pro P.OliveiraGusmaoCamello Silva-Dou-
tor Mavignier.
Quartel do Co''po Municipal Permanente 27 de
etembro de 1833.
O a
OEM DO
Di\.
COnstakdo ao Commandante Geral, pela parle da-
da do ORcial d'Eslado no dia 25 que o Soldado
Antonio Onofre Bizerra da 2.1 Companbia arvorado
na patrulba rondante na noite de 24, consenlio que
deixasse a patrulba, e fosse sua casa o Soldado Fran-
cisco Lopes dos Santos, do que re/.ultou ter este huma
disputa na ra, com hum Soldado dos da Fortaleza do
Brum ordena. Que os ditos dois Soldados de^u
Commando, contnucm a serem prezos por espasso de
seis dias, contados do dia de suas prizes ; e adverte
que qualquer individuo do Corpo que sendo eucarre-
ga8o de alguma patrulba, assim rondante como em au-
xilio da justica permettir que algum Soldado- abando-
ne por qualquer pretexto que seja, e que nao empregar
todo seu zlo e cuidado para que se fassa o servico
sem quebranto da reputadlo do Corpo, e como somos
obrigados, ser irremediavclmenle julgado em Conse-
lho na confrmidade do artigo 7. do Decreto de 22 de
Oulubro de 1831, e nao manda j praticar com aquel-
lo, por estar persuadido, que talvez a falta de conhe-
cimento do dito artigo Ihe desse motivo a cabir n'a-
quclla falla, e para que nao se chame a ignorancia,
oulro sim ordena, que os Snrs. Commandantes das
Companhias fass'o ler em frente d'ellas os arligos pe-
uacs do dito Decretnos dias primeiros, e 15 de cada
mez.
O Snr. Ajudante amanha as 10 horas do dia aprc-
zentar na Secretaria os recrutas (pie anda nao ouvi
rao os laes artigos para Ihe serem lidos.
O Com man da ule Ge ral.
Francisco Antonio de S Brrelo.
\Wde
Se-
so (;iz
Quartel do Coipo Municipal Permanente 2
tembro de 1833.
Or.dem o Da.
TAkto mais digno da eslima, e conside
O Soldado de seus Concidadus, qu.-nlo lucante.
e espondo a propria vida por Ibes garantir a liberda-
de, e Independencia da Patria, respeilo seos direilos,
e propriedades, espera por tanto o Commandante (ie-
ral d esses ('amaradas roecnchogadns da Campanha,
que se portem com a conduela propria de Muni'ipaes
Permanentes, nao Ibes dando lugar u que Ibes note al-

i
i
l

*>A


\i>tr j*-
MI
't
'
guma falta de cumprimento de seus deveres, visto que
lo briosemente se comportarn na lucta contra os fa-
oiososde Panellas, e para que Ihescheguea noticio, or
dena ao Snr. A plante, que d ordem, a que ama-
nha as 7 horas do da estejao todos reunidos no Quar-
tel, para Ihes ser lida esta recommendaco.
Persuadido o rnesmo Commandante Geral, que as
revistas dos docnlcs passando-se as horas, que at hoje
se tem passado, longe de ser til a saudedo individuo,
pode ser prejudicial, por obrigar-se a que nparessSo
os Soldados infermos'na Torca do Sol, oulro siin orde-
na que d'amanh indiante seja ella passada as 7 horas
do dia no Quartel do Estado Maior, apresentando os
Sargentos das Companhias, com assistencia dos Snrs.
Commandantes d'ellas os doentes, que houverem, e o
Snr. Facultativo, que assislir passar-me-h diariamen-
te pela rcparlico do mesmo Estado Maior, urna rella-
co nominal, ede Copanhias de todos os infermos, com
declaraco desde quando doentes, e osdias de Conva-
licenca. que perciso para seos restabelecimentos.
Amanhau as 7 horas e meia do dia estar o Corpo
formado para Missa.
Francisco jinlonio de S Belo.
EDITA L.
Manoel Francisco Monleiro Juiz de Paz do 5.
Destricto desta Frcguezia de S. /tiitoni* do lie
t cij'e poi S. M. I. e C. o Snr. D. Pedio 2. que D-
os Cwiiarde &c.
REconuecendo a urgentissima neressidade de re-
mover de prompto quanto me possivel neste
Destrito o desrogrado arbitrio com que actualmente se
regeila a moeda de cobre s poique dizem Ihes nao
agrada 5 muitas vezes at pela cor, sem darem cum-
primento aos Editaes do Exm. Prezidente desta Pro-
vincia de 6 de Junho, e 28 de Julho do anno prximo
passado, produzindo por esta forma graves males m-
xime entre as Classes indigentes. Faco saber em ob-
servancia dos-citados Editaes, que da publicaco'desle
em diante dever correr neste Drstricto a moeda de
cobre que alem do pezo marcado tirer regularmente a
forma da verdadeira, nao sendo vazadas: cujo pezo so
admecivel na moeda moderna, e nunca da velha cu-
nhada, e sem cunho, a qual embera nao tenha o res-
pectivo pezo de ve com tudo correr no mercado por*ser
verdadeira, e legitima secando de huma vez a indis-
creta regeieo q' utella se tem feito, em detrimento dos
Povos, e os que assim o nao cumprirem sero procesa-
dos e punidos como desobedientes na forma do artigo
1 28 do Cdigo Criminal. E para que se nao xamem
a ignorancia mandei passar o presente que ser afixa-
do no lugar mais publico desle Destricto, e publicado
pelo Diario. b. Destricto da Freguezia de Sa^lo
Antonio doRecife 30 de Setembro de 1833. Joaquim
Joze Esteves Escrivo de Paz o escrevi.
Manoel Francisco Monleiro
^v x v **%v %v
y/goo pata Un par os lee idos d'afgodo, la, e se-
da. (Do i dos Conh. Uteis, trad. por J. C. B.)
TOviEM-se algumas batatas Inglezas, lancem-se em
huma clha com agoa, deixem se aqui por algn-
inas horas, e escovem-se, para que tiquem sem algu-
ina parte terrosa, ou eslranha, Reduso se por meio
de hum ralo a huma plpa, qae deve ser recehida a
huma peneira, e que deve estar sobre Jium vaso, em
que esteja huma pouca d'agoa bem limpa; assim, e
espremendo-se sobre a peneira a massa, ou plpa das
batatas rdadas, se consegue exlrnhira agoa da sua ve-
getacao, qual se aproveita no vaso, em que se mis-
tara conHi pouca agoa commum, como se disse. Dci-
xe-se entao repousar este liquido, separe-se a parte so-
lida, (fcula, que pode bem servir para alimento) e
guarde se a agoa para servir em tempo opportuno. O
residuo, que fica na primeira, pode servir para quei-
mar-se.
Prepare-se huma mesa cobrindo-se com hum pana
bem limpo, e bem cstendido, esobre este eslenda-se
a peca d'algodo, la, ou seda, que se queira limpar.
Esfrague-se ligeiramente com urna escva embebida
no liquido da plpa das batatas, e enchugue-se depois
a peca em agoa commum, e bem limpa. Esta opera-
cao, sendo feila com todo o cuidado, deixar per ll-
mente limpa a peca, a que se applicar.
(Do Valenciano).
w*v****^^ *%/%*
II
Sociedade fiem-feiUsra.
Oje ha sessao extraordinaria as 4 horas da tai
de.
%>* **
AVIZO.
OS cobradores deste Diario sao os mesmosque co-
braro o mez prximo passado; a quem lao somen-
te devem os Snrs. Subscriptores saplisfaserem as sua
assignaturas.
SID0O0 Do Correto.
ORrigue Nacional S. Jo2e Grande de que he
Capito Antonio Carlos Francisco da Silva, sae
para a liahia no dia 10 de Oulubro.
v:' ^^* O Brifiue Escuna Dois Jmigos de que Ca-
pito Manoel Pereira de S sai para o Rio Grande do
Sul, pelo Rio de Janeiro no dia (10) do correrte.
^^- A Sumaca Oliveira recebe a malla para o Rio
de'Janeiro boje 1. de Outubro pelas 5 horas da tar-
de.
jgatuo* a Carga.
Para o Ric de Janeiro.
COm toda a brevidade a Sumaca Anroia Capito
Joo Rodrigues Amaro, forrada de robre, e de
boa marxa : quem na mesma quiser carregar, ou ir
de passagem dirija-se a Gaudino Agostinho de Barros
na Praciha do Corpo Santo D. 67, ou ao Capito a
bordo.'
UHk escrava : na ra Velha D. 26, segundo un-
dar- ti i
^^- Farinha de mandioca de superior quahdacle,
feijo molatinho, e milho, tanto em sacas como em
medidas miudas por preco commodo: nos armazens,
Bairro do Recife ra da moeda, em Santo Antonio lar-
go do Colegio D. 13.
^gm Tjma negrinha de 14 annos nacao da U)sta,
que entende de costura : no ra do Rangel D. 7.
^-^- Barretinas tanto para Officiaes como para
Guardas JN'acionaes, com plumas, e sem ellas apare-
Ihadas, e boneis para osmesmos por preco commodo :
na loja do Pedroso defronte da Igreja da Madre de
Dos n. 26, e na Praca da pule n. 19.
%T^> Vende se obrigacoes, e letras j vencidas do
Juiz de Paz dos A (rogados Manoel Goncalves Servina
por melado de seu valor, e se faz todo o negocio :
quem as quizer anuncia
Urna venda com poucos fundos, em fo-^,1*

h-
-
V



l'l -,*' /
Portas cota bous commodos, e boas proporcoens,
e de bom interesse, a dinbeiro ou a prazo com boas
firmas : na mesma D. 44.
^C?- Paneiros de tipioca do Para, castanha, vafe,
sapa tos, e sacas de milbo de alqueire a 2$240 reis :
i tu porta das canoas, em casa,de Antonio Joze Coelho
Braga.
M Diccin rio de Vieira, de Inglez para Porlu-
f^pea : na ra da Sen/alia veiha n. 30.
C^* Una tierra, que cosinbe o diario de urna ca-
ica, e que nao ten ha vicios: no primeira caza terrea
no Tundo da Matriz da Boa-vista.
8$T^~ i'ma porfi de eseravos : nesta Tipografa se
dir quem compra.
%**%* %**%%-
mmu
CKi.
A
Lldga-.-w una ama de leite prcta captiva na ra
Direha O. l loja de Ourives.
% -%*%%
?
*etta0
PErdco-sc no da 29 do p. p. uin alfineite de peito
de diamantes i o qual cahio de urna varanua na
ra do Rozario : a pessoa que o tiver adiado, ou que
he sea offerecido poder dirigir-seao atierro da Boa-
vista lado direilo no sobrado de 3 andares, ou a esta
Tipografa do Diario, que ser gratificado.
-.** *v
furto.
I npR^oo-se mandado lavar urna porco de roupa cm
JL Beber i be, entre esta duas carnizas novas, urna de
eassa liza com pregas atrevessadas na berlura, e bieo
deagulhanos punhos, e eullarinho, a outra de pani-
nlio fino con) pregas ao cumprido, embaslidas, e bi-
eo de agulha como a primeira ; e como diz a preta que
mandou entregar por outra, e esta nao entregasse, in-
dagndole della, disse que dera a guardar em urna
casa no pateo da Ribeira ao p doassougue ; e indo-se
a essa casa, disse o dono que quem lumou corita das di-
tas carnizas bi urna mulber, eque j ah nao mora va :
roga-sea essa Sen hora, ou a quem dellas souher, ou
Ihe l'orcm offerecidas, e queira entregar, ou avisar na
Ma das llores D. 7, que ser reeompencado, cuja
roupa bi estraviada a 15 deSetejnbro.
%. -% *.-%,%*%<
OJutz de Paz do 5. Destricto do Bairro de Santo
Antonio do Recite aviza ao rcspeitarel Publieo
que a sua ordem, se tcha recolliido u Cadeta desla Ci-
dade, o preto Joze Marcelino e como pode succeder
que seja captivo, por isso faz o prezente anuncio afim
de que a pessoa a quem interessar, possa comparecer
neste Juizo.
fcS As pessoas que tem contas para liquidar com a
caza do finado Mauricio Durand, queiro aprezental-as,
at o dia 10 do presente mez de Outubro, em a Clnn-
* cellaria do Consulado de Franca, onde est se proce-
i dendo inventario dos bejis do mesmo finado.
$^* Preciza-se de 500$ reis a juros : anuncio.
*r^?~ Pergunfa-se a ronda do Sur. Minoel f'rlis
quema aulhorisou para das oito horas emvanle leva-
rem^a junco os eseravos que vo servico de scusJSnrs. {
3ue passao no seu Destricto como fizero na noite do
a 28 com oesmivo de Francisco A. Runos que ten-
do o mandido a casa do >eu mano as 8 e meta horas
da noitc aSenhora Palmilla o meteo em se reo, e os
que quizero saplisfizero a sua vontade as costas do
dito cscravo, quasi junto a porta do sen Senhor, e nao
s este corno outros sem mais se lembrarem que elles
custo dinbeiro.
&3? Tendo apparecido no Diario de 25 do p. p.
um anuncio pira a venda di urna casa terria cita
na Praca da Boa-vista, os herdeiros do lalescido Fran*
cisco NunesCorreia fazem publico, que pertenceiido-
Ihes por direitodous tercas da dita propriedade, niu-
guem contrate sobre os mesmos compra alguma com
oulra qualquer pessoa.
f^ O abaixo assignado responde ao Sur. Jonquim
Silverio de Azevedo,q'elle nao pode aceitar oduello,
que Ihc foi offerecido; porque para o abaixo assigna-
do compor urna comedia igual que foi coro posta pero
Sur. Azevedo, preciso era, que bebesse pelo menos 3
garrafas d'agoa arden te ; e como nao sao estes os cos-
tumes do abaixo assignado; elle est dispensado do
duello offerecido.
Hfnriqm Fel de\Dncin.
*r^ A Sen hora D. Maria Theodora do Amaral,
queira anunciar a sua murada, pois mn filho do Capi-
lo Joze Ramos de Souza deseja fallar-lhe.
$3* O Sur. Manuel Estevo da Costa queira an-
nunejar a sua morada, ou dirigir-sea ra dns Trin-
tlieiras D. 12, afim re se Ibe entregar mm Oficio:
Vr^ Da-se a juros 100$ reis com hipoteca em es-
eravos desembarazados: na ra da Ribeira da Boa-vis-
ta D. 30. Na mesma pereisa-se de um menino de 1-2
anuos, para caixeiro de urna venda, dando fiador de
sua conduela.
^e3" Quem tiver para allugar eseravos para serven-
tes de pedreiro, dirija-so a primeira caza terrea no
fundo da Matriz da Boa-vista, ou anuncie.
^ES5* Boga-se ao Senhor Da mi o Gomes Corroa,
baja de se dirigir a ra do Queimadu D.-10 ou anun-
ciea sua morada, para >c tratar de negocio de interesse.
^T^*" Quem tiver' e quizer allugar urna casa no
largo da Ribeira ; anuncie.
"> *%
JOiQum, representa 22 anuos de dade, meia esta-
tura, bem preto, sem barba alguma, reforeado do
corpo, tem um pequeo golpe sobren testa, outro mai-
or abaixo ra Ponte direita, meteos joelhos alguma eou-
za para dentro, e ofliein! de sapateiro, e pescador ; 'u-
gi 40$ reis a quem delleder noticia, e ntsla Tipografa
se aira quem seu Sr.
C"^* .loaquim, naco Rcnguella, 35 anuos, alto,
cor tulla, com o embigo t reseido para Cora, e urna fe-
rida do p direilo, calcas de brim. camisa de algodo
grosso. fulla gaga, toca muito berimbo da sua ierra,
tem sido visto na Boa-vista, e na Ribeira do poixr
tem as rtaosebeies de calos rio punho do remo, (pian-
do Irabalhava as lanxas : ra do Am NOTICIAS MARTIMAS.
Navio entracls no dia 30.
BARCIXOiYA; 57j Polaca Sarda S. Antonio,
Cap. Luis Bodoana: vinho, e azeite : Joo Pinto
de Lemos.
Saliido no mesmo dia. ,
I'ERRA NOVA; E. Ing. Rota, Cap. Phelip A-
. Iixandrc : assucar.
Pgnx. j\-j Trp. no Diurno WS.'.




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVFOYFFAF_HLKJNZ INGEST_TIME 2013-03-25T12:24:36Z PACKAGE AA00011611_01468
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES