Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01464


This item is only available as the following downloads:


Full Text
PHHHHIHHHHHH^HHHBHI
tmm

BMHHaMha
MtariH

r
h*JKJ
VCKDE1831. ^EXTA_FEmA J25DE N0VE\RIK) NUMERO 3ff
SiiJ>sweve-se mewsalmcnte a 640 rs., adiantados, na Tipografa do Diario, ra da Soedade If. 498; na loja de livros do Snr. Figue ,
roa, Praca da Uniao ;V. 80; na ra do Livramento lado do A asente D. 16; onde se recebem correspondencias, e anuncios; estes insi -
rom -se gratis sendo dos prOprios assignantes somente e vindo assignados.
* '. I --------' MU ------- "
Os anuncios, que nao forem dos assignantes deverao alem das
de mais oondicoes, pagar por cada Hnha inipreesa 40 rs., e ser en-
tregues na loja de Li vreiro da ra do Livramento D. 16, ou na
Tipografa do Diario.
Tudo agora depende de nos mesmos, da nossa prudencia, mo-
deracao, e energa; continuemos como principiamos e seremos a-
pontados com admiracao entre as Nacoes mais cultas.
Prtclama^ao da AssembUa Oerml do Braiil.
I
%mpum em J&ertrcmbuco por antomno oge De acuantia falcao.

*
______
Artigos de officio.
II
Llms. e Exms. Senhores Presidente e
Conselheiros Os Cidadaos habitantes nes-
t Cidade, agora reunidos as cinco poiitas
convencidos que o direito de peti^ao h u-
na das garantas mais salutares, que nos
outorga a nossa Lei fundamental; com o
mais profundo respeito, e ao mesmo tempo
com a dignidade e firmeza propria de ho-
mens, que se destinao a antes perderem as
vidas do que verem escravisar a Patria*
vem perante V. Exc, e S. S. requerer
que se sirvao faser por em pratica os reque-
sitos seguintes; pois qtie os individuos con-
tra quein elles se dirigem, sao homens pe-
rigosos, e que podem em occasio de in-
vasao sublevarem-se, e mesmo sem isso in-
tentaren) aniquillar as instituicoes liberaes.
1. A dimissao dos Empregados pbli-
cos, que vao mencionados na relacao jun-
ta.
2.A expulso desta Provincia de to-
dos os individuos constantes da mesma re-
lacao, que vao as observacoes menciona-
dos com as fialavras para fora da Pro-
vincia.
3. O cumplimento da Lei, que manda
extinguir as Sociedades Estrangeiras, co-
mo sejao as contrarias dos Theresos, e Bar-
bonos.
4. A expulsao de todos os Portuguezes
nao cazados e de todos quantos forem de-
clarados inimigos de nossa liberdade, e que
talvez nao sejao lembrados na mesma re-
lacao, a excepcao de Artistas, Fabris, e
Capitalistas de dous contos de reis para ci-
ma.
5. O prohibirse continuar a desembar
car Portuguezes, a excepcao de Artistas,
Fabris, e Capitalistas de dous contos para
-*&$@00*-
9>- VT7 .

cima.
>
-
6. Em fim Arrecadar-se dentro de
quarenta e oito horas as armas Nacionaes
que se achao em poder dos nascidos em
Portugal, embora sejao Milicianos.
Elms., e Exms. Senhores ; sao tao pa-
tentes as rsoes justas, que obrigao aos
Supplicantes a lanzar mao deste meio a fin
desta Provincia conseguir a tranquillidade,
de que tanto carece, que seriao precisas
longas paginas para o narrar.
Nao he estranho que urna sociedade de-
nominada Columnas, quiz, e talvez quei-
ra aclamar o absolutismo, aniquillando in<
teiramente a Constituido, que nos rege:
nao he estranho que seos membros existem
em Pernambuco tramando, e enfraquecen-
' do-nos: (digao os horrorosos aconteeimen-<
tos de Setembro) nao he estranho em fim
que o despota Pedro de Alcntara compra
embarcacoes de Guerra, e se prepara para
hostilizar o Brasil. E devemos, Illms., e
Exms. Snrs. esperar por o momento da in-
vasao para nos desfaser dos inimigos inter-
nos ? Devemos por efeito de urna bono-
mia criminosa arriscarmos a -morrer entre
dous fogos? Nao de certo. -
He verdade que este paco nao li ou-
thorgado por Lei escripia ; mas he por a
Suprema Lei da Salvaco da Patria: essa
Lei, a cujo imperio cedem todos.
Creiao V. Exc. e S. S. que esta he a
opiniao geral da Provincia, e que com pou-
cas excepcoes nao ha quem se oponha: to*
dos querem a expulco dos columnas, e i-
nimigos ; e creiao mais V. Exc. e S. S.
que a menor porc,ao dos Cidadaos, que is-
to desejao, sao os que estao reunidos nos
ngulos das cinco pontas, Boa vista, e
Brum.
He por tanto que os Supplicantes firma-
dos nestes principios implorao mui respeto-
samente a V. Exc. e S. S. se dignem de-






--
^

(W18;

k
ferir ao que pedeiri, nao tomando em tem-
po algum V. Exc. e S. S. a presente reu-
niao, e requerimento, como criminoso, por
quanto os Cidados reunidos nos pontos
cima ditos j mais exorbitarao dos seos de-
veres, como tao louvavelmente tem pratica-
do. E. R. J. Em 17 de Novembro de
1831 Anastacio Joze dos Passos, como
Procurador-. Relacao para fora da Provin-
cia.
Chancelkr Francisco Joze d Freitas,
Dezembargador Gregorio da Costa Lima
Belmont, Doutor Manoel Pedro de Moraes
Mayer, Capitaomor Domingos Lou renco
Torres Gallindo, Coronel Bcnto Joze Le-
nienha Lins, Tenente Coronel Antonio Jo-
ze. Aranha, Dito Antonio Vicente Montei-
ro, Major Francisco Joze Muniz, Tenen-
te Coronel Francisco da Roxa Paes Bar-
reto, Dito Joze da Costa Cordeiro, Major
Vanod Joze de Castro, Dito Francisco
Felis de Macedo, Dito Trajano Cezar
Burlamaque, Dito Joze Gabriel de Mora-
es Mayer, Dito Pedro Borges de Faria,
CapitSo Cezario Mariano de Albuquerque,
Capitao Joao Pedro de Araujo e Agujar,
Dito Antonio Gomes Leal, Dito Antonio
Lins Caldas Tone, Dito Manoel Francis-
co d Brito, o Mrquez Francisco Paes
Barreto, Tenente Joze Antonio Pinto, Ci-
mrgiao-iiior Joaquira Ribeiro de Faria,
Anudante Bernardo Joze de Almeida,
Aleres Carlos Martins, Ajudante Antonio
Clemente Esteves, Segundo Tenente Felis
Miguis, Tenente Joze Aons Freixo,
Dito Monoel Joze da Silva, o Intendente
Antonio Pedro de Carvalho, Major Joze
Thomaz Kenriques, Capitao Antonio de
Dos, p Major Engenheiro Joao Bk>em,
Dimitidos J.ufz da Alfandega Joze de
Pinho Borges, Comissario Assistnte Joao
Baptista Pereira Lobo Jnior, Juiz de
Paz dos Afogados Francisco Nicolao de
Pontes, Eserivao Miguel Arcanjo Posthu-
mo, Dito Manoel Francisco Pereira Dutra,
Dito Antonio feibeiro Campos, Major Jo-
ze da Cogtti Rebello, Ajudante Francisco
Pereiva Lobo, Interpetre Guilherme Stp.
N.B Deyenl ser lanzados fora dos Empre-
gos todos os Brasileiros adoptivos que se a-
ehao empregados a excepto daquelles
que se tem distinguido a favor da causa do
Brasil; todos os Empregados das outras
Provincias que ali forao reputados como
inimigos e por isso lancados fora sejao i-
gual mente expulsos desta.>Anastacio Jo-
&
ze dos Passos. -O Conselho foi de parecer
que a rpresentacao dos Supplicantes, nao
pode ser diferida; tanto pela ineurialidade,
e illegitimidade da pessoa que figura de
procurador como porque ella importa ma-
nifestar escandalosa infraccao if Constitu- 4
icao jurada, a qual garante a todos os Ci-
dados Brasileiros o direito de permanecer,,
ou sair do Imperio como lhes convenha le-
vando com sigo seos bens, guardados os re-
glamentos policiaes, e salvo o prejuizo de
terceiro, e aos Estrangeiros heearantida
a mesraa immunidade pelo Direito das
Gentes, e pelos tratados quejemos cejebra-
do com as respectivas Nacoes. Nao po-
dem outro sim, e nem devem ser dimittidos
de seos Officios os Empregados pblicos,
que os Suplicantes exigem, e que constao
da relajo junta por que sendo elles pela
mesma Constituidlo strictamente responsa-
veis pelos abusos, e ommissoes praticadas
no exercicio de suas incfe preciso beque
para ter lugar tal dimissao sejao competen-
temente acusados, e julgados criminosos, e
entao sofrerem a pena de suspensao, prisao,
ou exterminio em conbrmidade da Senten-
ca. Palacio do Govemo de Pemambuco
17 de Novembro d 1831-Paes de An-
drade, Cavalcante, Ferreira, Maciel Mon-
teiro, Carvalho, Ferreira.
i
JUIZO DE PAZ.
Llustaissimos Snrs. Tendo sido e-
leito Juiz de Paz Supplente deste Bairro de
S. Antonio, estando bastantemente doente,
e por essa razao despegado de aceitar tai
emprego; eu apezar da minlla insuficien-
cia para prehencher as funcoes de tao im-
portante lugar, sem dar pezo ao meo esta-
do de molestia, tomei anciosa mente
posse, tao somente por me persua-
dir prestara alguns pequeos servi-
cos ao bem publico, e por consequencia a
nlinda Patria; mas como se tem augmen-
tado as minhas interinidades, por nao ter
hum instante de repouzo, e porque alem
disso vejo que nada posso obter com'os me-
os exforcos para o mehoramento e tranqui-
lidade publica, e que me vou inteiramente
arruinando, sendo-me por tanto deficil al-
cansar o depois melhoras dos meos padeci-
mentos.
Tenho por isso a partecipar a Vv. Ss. ,
que tomando em consideraejb o meo esta-





W\ *rv
-.,
_*

do de molestia lao prolongada, hajo de
rae despenearem deste lugar tao mal pre-
henchido por mim> a fim de que possa cui-
dar em minha saude. Dos Guarde &c.
Bairro de S. Antonio 18 de Novembro de
1831. --musjt. Snf^Prezidente, emais Ve-
readores da Cmara Municipal Joao
Arcenio Barboza.


_Llust. Snr. Dba amo sacas de fari-
a, que se aclia depositadas em poder de
. S. saido aprehendidas aos atravessa*
res, e monopolistas do mencionado gene-
ro, pode V. 5\ dar-llie o destino que bem
lhe parecer por assim determinar as postu*
ias da Cmara no Tit. 13 9, por isa*
lfcfje V. S. he Administrador dos Hospitaes
da Caridade. Dos Guarde a V. S. Bair-
ro de S. Antonio do Recife 3 de Novembro
.de 1831 ^Blust. Snr. Vicente Ferreirados
Guimaraens Peixoto, Adnikiistrador dos
Hospitaes de Caridade Joao Arcenio
Barboza.


JP Ez entrega Administracao dos Hos-
. pitaes de caridade de S. Pedro de Alean-
tara e Lazaros o Illm. Snr. Juiz de Paz
(103- -"-
$3* Un, venda com poucos fundos
na- ra do fogo esquina que volta para o
Carir.o a dinheiro ou a prazo dando boas
firmas: na ra do Queimado N. 77.
C^ Um selim em bom uzo por prego
cmodo: na ra Velha 1). 35.
Jd* Urna por^ao de barricas vazias; e
urna caza terria na ra da Gloria: no ater-
ro da Boa-vista N. 80.
3=* Um preto de Angola anda novo,
24 annos; ao p dos Martirios D. 70.
\* Um guarda vestidos, vindo do P
t com muitos e excellentes cmodos; 26
Cadeirras de Jacaranda com pouco uso:; 2
bancas de dito dito de bom gosto ; e T c*
ap ds*o: na ra daCadeia velha N. 54.
3^ Dous moleques um da Costa, d
16 a 18 annos; outro crilo de 12 a 14:
na Praca da Boa-vista sobrado N. 11*5.
3= Coigo Criminal em i 960, Lei das
Guardas Nacionaes dito 320, Vizao do ve*
Iho venerando dito 320, Rezumo deMy-
thologia em | 500, Guia das Cmaras di-
to 200, Bom Homem Ricardo dito 200,
Fonte da verdade 16Q, Mhetes para quan*
tas de cobre o cento 900, Ditos para uzo
das Boticas em ponto grand o cento 200,
1
deste Bairro de Santo'Antonio Joo Arce- Ditos de dito em ponto pequeo dito 120,
nio Barboza de cinco sacos de farinha to- Receita do Tayuy 60, Oracao da benho-

mada aos monopolistas na conformidaoc
da Postura Tit. 13 9. as quaes. coiti-
nho diferentes quantidades e reeebi mais
por ordem dada do mesmo Snr. Juiz
ham saco grande e hura pequeo contunda
o mesmo genero o que de tudo fico entre-
gue emthe a data de 10 de Novembro de
1831 com esta cautella fica saptisfeito o
Officio de 3 de Novembro do dito anno.
Vicente Ferreira dos Guimaraes Peia&to.
Administrador dofe Hospitaes de S. P. e JU
v

-
Ma crioula de 5 para 6 annos; na
J^rua do Fagundee D. 5.
3= Quatropretos paraoservico do cam-
po; na ra d'Agoas. verdes, ha loja do
, sOoradoD. 26.
{f* Frasqueras cora 12 frascos e 5 co
pos doirados, de muit boa qualidade, a
6#400 rs.: na Pracinlia do livramento
junto dos quatro cantos loja de fazendas
D. 17.
fcf- Um negro ladino, comprador, e
muito bom cozinheiro, na ra do Colegio
D. 4.
*a du Monte Serate 20, e o exeicicio de
peca 80 i na loja do Snr. Carduzo Aires,
ra da Cadeia vellia.
$3* Rezumo de Mythotogia em 5Q&,
Taboada de unidades dito 80, Cartas de
syUabas dito 100, Pautas 20, Receita de
Tayuy 60, Telgrafo de Bandeiras 120,
Mappas mensaes de Companhias de Caca-
dores 60, Ditos para Regimentos de aval-
lara 60, Diarios nuticos o cento 500, e a
vizao do velho venerando 320 : na loje dte
livros da Praca da niao, N. 38.

8
atren&aroento.
.A_Rre?*da-8> um sitio, denominado Fer-
nao das multer** junto ao Varadouro da
Cidade de Olinda ? na mesma Cidade ra
de S. Bento caza N. 1 ao pe" da Igreja de
S. Pedro velho.



ailuguet*
_A_Luga-se urna caza no Poco da pane-
la amargem do Rio, junto ao sobrado do
Lemos, na frente tem um quart com por
tapara o copiar, quintal murado: quera
-!
?.



f
j
*


.'

?"
' Mil
loso)
k [ iS "
o pertender dirija-se ao Hospicfc,1 no pri-
meiro portao passando a caza de Joze de
Pinho Borges.
(f* Aluga se pelo tempo da festa, por
26$ rs. urna easa no Caxang com duas
salas, dois quartos, cinco camarinhas, co
zinha, e estribara: naruaDireita nabo-
Ftai

tica do Peixe.
3t?o0 particulares
J"
Oze Roberto de Moraes e Silva, Ren-
deiro do Engenho de Santo Andr, faz
publico, que havendo aparecido em dito
Engenho un mulatinho fgido, e que as-
severa ser escravo de Joaquim Gwcalves
Bastos, aviza a este o queira ali mandar
buscar, na certeza de que o Anunciante
senao responsabiliza por qualquer fuga,
que o dito mulatinho faca, o qual diz cha-
ma se Antonio.
(f* Francisco Joze Ribeiro da Silva
faz publico; que se retira para Europa, o
que ja anunciou no Diario N. 230, no
qual por erro da Imprensa so* aparece o o
nome Francisco Joze devendo ser o nome
inteiro do anunciante.
Cd" Urna muiher Portugueza abil para
bem desempenhar o governo e arranjo de
urna caza offerece-se para quem della
precise; para cujo fim pode ser procurada
na ra da Sanzala-nova em caza de Euse-
bio Joaquim da Silva, ou anuncie.
------------.....-----------
EXPEDIENTE da ALFANDEGA.
Em 22 deNovembro de 1831.
Meza dy Abertura.
(&W d O. Bieber # Companhia.
1167 Pecas de fitas de setim
2 tafet
2 sarja
48 Chapeos de pello de seda
6 Pecas de pao de la ordinario
J. H. # -F. H. Luttkins.
\5 Caixas com 732 chapeos de seda
Em 23.
Eml. Ricou # Boilleau
29 Pecas de setim
4 Ditas de sarja
6 Cortes de vestidos de setim bordados
de prata
REEXPORTAR AO.
Para o Rio Grande do Norte. ^
Domingos Jone Vieira
4 Fardos com 240 pe^as de mada polio
Para New York.
, Eml. Ricou SejBQleau J
L265 Coleirinhos de eassa.
.
NOTICIAS
i
:

MARTIMAS.'
n
Navios que sefizerao a vela fio Lameirao.
XAHIA; B* Ing. &irin: sahido a 2 do
corren te* ffl
- RIO DE JANEIRO; G. Amer. Fer'-
rata: sabida a 9.
- PARAHIBA; B. Ing. Cognac Pa .
cket: sabida a 1 4j \
~ MARANHA; B.Ing. Sarah: sa
hidoal8.
- COWES; B. Ing. Hannah: sahi-
do a 13. ^.
- BAHA; B. Ing. Atlantic: sahido
a 15.
- MARANHA; B. Ing. William:
sahido a 23.
- BAHA; B. Ing. Alcides: sahido
a 23. |
Navios Entrados no dia 24.
EW YORK; 42 dias; B. Amer. I- j
zabella, Cap. William Y. Stwart: farinha
de trigo: Mathews & Foster.
i
Navios Sahidos no mesmo dia.
JtviO GRANDE DO NORTE; B.
Prezidente, Cap. Theotonio Siqueira Car-
valho. Passageiros Francisco Rodrigues
da Rocha, Antonio Luiz Vieira, Ana Lui-
za Vieira, Francisco Gomes da Silva, e m
um irmao menor, Joaquim Ignacio Perei-
ra, Francisco Xavier de Oliveira, e Anto-
nio Manoel Teixeira.
- RIO DE JANEIRO, POR BA-
HA E JARAGUA'; Paq. N. Bella Ma-
ra, Com. o 1. Teen te Sebastiao Ro-
que da Cunha. Passageiros Evaristo dos
Santos Silva, Frederico Miguel de Souza,
N,
I.
.-30 Duzias de lencos de seda. J e Doutor Salustiano Ferreira Froes.



11
.

Perj^fmbuco jva Tipografa do Diabio, Ra da Soledade N. 498. 1831.
.
**
^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2K42NDK9_GETYV2 INGEST_TIME 2013-03-25T15:13:31Z PACKAGE AA00011611_01464
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES