Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01384


This item is only available as the following downloads:


Full Text
#
SO DE 1831. SEXTA FEIRA 9 DE SETE
UMERO 193
IARIO DE PERN

SnhRcrete-se m*iMalaiente 640 r* pago adiantado. naTlpojralla do Diario rot da Soltdade N. 498 ; na loja eBmiJ*;
Figncrd
en
ff WdV.e b^'corrV ihV. anuncio. e*. itterea^e M* fe P-PtVtfaS.Tb7m rip
irnado., e.emJ publicado no dia invnediato ao da entrega, .end<> esta fcitaaf at 8 h.ai d; da viodo recomido, e bem cripto
aisignadot
ta / Procac3e da Juemblea Geral do Braritf^.
Perkambuco ha Tipografa be Antonino Joze dk Miranda FalcAo.






ARTIGOS DE OFF1CIO.
Acia da Sesso extraordinaria do Conselho do Oo*
vtrnocmM de Agosto de 1831, presidida pelo
txcetltntissitno rSHtko* Presidente Joaquim Jo-
te Pinheiit de Vasconcelhs,
F.
OnXo presente* os Senh ores Conselhei ros
Francisco de Paula Cavalcante d* lbuauerqne,
Dfo Bernardo Luis Ferreira, G-rvazio P res
Ferreira, l|tWBbrbador Tboriiz Antonio M.-
ciel Monteiro, e D-utoral Manoel Ignacio de
Carvalho, fa. lando o Senhor Filippe Neri Fer-
reir.
Tratou se dusmeios, que convena por em
nratica para obstar, que a tranquillidade publi-
ca linse alterada ne ta Provincia por qua'quer
motivo, e menino para perseguir com mais ener-
ga as quadri'has de Salteadores, que infesto as
Estradas, e Suburbios desta Preca, e os Fabri-
cadores de moeda falsa, cujo mal cresce todos os
dies ; foi o Conselho de parecer, que se nomeasse
utn Commandante para es Esquadras das Guar-
das Municipaes, que, em virtud do Artigo 7.
do Decreto de 14 de Juubo deste anno, bouverem
de prestar servido a' Cavaljjo, limitando se somen-
te eos D stnst s dos 3 Juiies de Pa* desta Ctda-
de, aos S de Olinda, e aosde rais 4 das circum-
vwirihacas de ambas as Cidades, por seren os
.lugares mais infestados das referidas Quadri-
has ; e que o Commandante das Armas auxilias-
, q' se as ditas Esquad'fe com ama Patrulha de 12
a 20 Soldados da Polica Montada, deveria-servir
. debaixo das ordena do Mencionado Commandan-
, te. E como para o desempenho de to impor-
tante Com missao, frase preciso escolher pessoa,
quetivesse os requisitos necessario, eessescon-
corressem no Sargento-mor Francisco Antonio
Perreira dos Smtos pareceo ao Conselho, que
elle fosse convidado para se encarregar de tal
Commiso, e attendendo a que este servico .he
roubata todo o tempo de tratar de seos negocios
p^ssoaes, foi igualmente de parecer, que se Ibes
desse urna gratificado de'50$ rs. mensaes, du-
rante o tempo, em que estives^eempregado nes-
ta Commisso, tomando sobre si a responsabili-
d.-'de de r-posico a Fas^nda Publica, no cazo de
aad merecer a approvaca da Regencia.
O Senhor Prezidente informou ao Conialho,
1
que tendo a Junta da Faenda de dar cunipn-
ment a Carta de Lei de 4 de Novembro do ati-
no pasando, que extingui o Commissariado Ge-
ral do Exercto, mandando pagar a' dinbeiro as
Thesourarl.s Militares a* Etapes, e Forragena,
havia feito a sua avlioco segundo dispS; o Ar-
tigo 5. da referida Le, e a remetiera ao Conselho
paa appcovar, ou emendar e n conformidade do
mesmo Artigo: oqual depeis de examinar os
procos da avaliaco dos gneros, de que se com.
I 5 cada urna Etapa a aprovou ; o que fo. com-
municado a mencionada Junta da r azende. b
deose por rinda aSessao. E eo Vicente /aho-
rna* P.res de Figueiredo Camargo, Secretario do
Governo, edo Conseibo a subscrevi _- Seguiao-se
a aBsignaturas.
JNom'eio ao Senhor Majar de Milicias Francis-
co Antonio Pereira dos Santos pira commandan.
tedas Esquadras das guardas Mumcipaes, que
houverem de prestar o seu servico a Cavallo, com-
prehendendo os tres Bairro deala Cidade, os don
Se Ol.nda, e os D.stricios de B.b.nbe, Jaboatao,
Poco da Panel'a, Varsia, e fgados. E comfio
na sua prob.dade, Patriotismo, e sello pela tran-
qu.lidada publica, que equilibrando a difid.fpw-
denciacom actuidade, que he.doptado, .desem-
penhara' com acert as d.l.genc.as Policiaes que
fhe forem ordenadas pelos respectivos J
Paz, em conformidade das Instru, que rec-
belo, e houverem de receber desta Governo, as
quaes'sempresero relativas a Cauza *h*
defexa Legal do CidadaS injustamente opprimi-
do. Para mais prompto desempenho do servico
8Pra' auxiliado por huma Patrulha de 12 a SO
Praca de Cavalaria do Corpo de fjg^JB*
sera'appreseatada a cada um do. Junes de Pal
dos mencionados lugares, P".iue. ^"d. ^
seu competente cumpra.se, hmao de c<>nfrnr-J
o Commando das sobredldas ^^f
lo Governo de Pernarobuco 31 de Agosto de
II Jt Pinheiro.
, ronselho ^^v Governo dos
Utawdo-se no L-onseiuw *-
s
V
/


ni .ud
-
/
' *
[786 1
e fabricado-
T
^m


.
er na forma da
erturbo a socie-
ga'ir as Quadrjjbas/le saltead
res de rooeda raraR e para pre
Ley os de mais cranosos, que
dade; foi este de parecer, q ese poses se eraac-
tividade as E-quadras das Guardas Municipaes,
que em conformidad do Artigo 7. do Decreto
de 14 de Julho do corrente anuo, houverem de
prestar o seu servido a Cavallo, dando-lh.es um
Commandaute activo, que auxiliado por urna ra
trulha de tropa de rolicia Montada, pdense
logo acodir a qualquer desordem, tanto dentro
desta Cidade e da de Olinda, como dos Subrb*
os. Em confordade do que Communico a V. s.
qne tenho nomeado com o parecer do mesmo Con-
selhp, ao Major Francisco Antonio pereira dos
Santos para Commandante da Esquadras monta-
das des 3 Bairros desta Cidade, dos dous de Q-
linda, dos Destrictes de Bibiribe, Jaboato, po-
co da panella, Varsea, e Afogados, por concor-
rerem nelle os requisitos necesarios para obom
desempenho de tao importante commissfio ; fi-
cando assim as ditas Esquadras separadas das
outra9, que-fasem o servido ape',' as quaes. sta-
ro debaixo da direcao do Commandante Geral
que V. S. bouver de nmear, ou ja tiver nomea-
do, regul-mdo-se o servido ordinario, tanto da-
quella montada, como desta de pe', pelas Institu-
ido., que inclusas remeti. De- m\do acrecen-
tar, que bem que o sobredito Decreto nao mande
separar aEsquadra Montada das de pe, comtudo
as tiesas adunes circunstancias, e lo^alidade
assim o existe pura melhor desemoenho do serv*
, conferente nesta data representei a Renc'a
do Imperio pela Secretaria d' Estado d<>s Neg
cios d* Jistca. Dos Guarde a V. S. pal ci
do Governo le pernambuco 31 de Agsto de
1131 Joaquim Jos pinheiro de Vasconcellos
_ Snr. Juiz de paz Suplante de S. Antonio do
Recife Joo a rcenio Barbosa,
Expeduose iguaes aos Juizes de paz da
yrfguesia des. rrei pedro Goncalves, Boavista,
da S'de Olinda s. Pedro Mrtir, Biberibe, Ja-
boatao, poco da panella, Varzea, e Affoga-
dos.

Instrucces por qw se ieve regular o servco Jas
guardas Municipaes mandadadas criar por De*
creto de 14 de Junho do corrrente atino.
A LITIGO 1.
c
Omo o fim destas rondas seja manter a 8>gu-
ranca, e tranquillidade publica, deverfio aspa*
trulhas impedir, que se coinmeto crimes 5 pren-
der em flagrante a'qelles, que os couietterem, to-
mar as armas d. fes as da fuelles que as trouxeieru
clara, ou oceultamrnte, impor silencio aos que
dkerem injurias ou levantaren votes contra a se-
g- ranea de qual quer pess ja, tanto Nacional co-
roo Extrungeira, fser recolher a' suas rroradas
os que foiem ach^dos em estado de embriaguez,
e mesmo polos em custodia, quando nao tstejo
em estado de obedecer ; separar os ajuntamentos,
em que. haj manifest perigo de desordem, ou
vigial os, a fim de que nell s se m mtenha
dem ; e final nenie desemp nhar, o que
deten nado pelo Artigo 5. %. 3. dt
35 de Outubro de lb'7.
Qa Iqu r^fiividuo, que for preso pJ
Ihd-. sera* logc\l<*v d a prese, ja do
P Tj/ecliffj
em que se
circunstanciadamente o motivo da prlso, e nom
das Ttstemunhas, que presenciaro o ficto cri-
minoso : o Juiz de paz proceder' enntra elle na
forma do seo Regiment, julgando os que fortn
reos de polica, e remetiendo os outros ao respec-
tivo Juiz Criminal com o competente auto da
corpo de Delicto, entenogatonos, e indicacao das
Testemunhas. palacio do Governo de pernambu-
co 31 de Agosto de 1831"* Joaquim Joze pinhei-
o de Vasconcellos.
I'.
Llm. e Exm SenhorEm cumprimento ao
Despacho de V. Exc. mandei o cabo Tilomas
de A quino da primeira companhia de Policia, efi*>
tregar as carrocha a Claudino Joze Branco, e
saber delle o importe Jo frete, respondeo o negro,
que eslava del las ericarregado; que se nao mexia
dali sem ordem de seo Senhor.Dos Guarde a
V. Exc. muitos annos Quartel no Recife 3 de
Petembro de 1831.Illm. e E.\c. Senhor Joa-
quim Joze Pjnheiro de Vasconcellos, .Presidente
da Provincia.'Luiz de Moura Accioli Coronel
Reformado de segunda linha.
p
\
- 1
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO E*TBAORDliARIA DE 90 DE AGOSTO
DE 1831.
Presidencia do Snr. Moraes.
Resntes os Senhores Vereadores Rocha,
"Bserra Cavalcante, Brito, e Caldas, f.liando
Corp cauaa os Senhores Vereadores Peixto, Es-
tevs, e paula, e sem ella o Senhor Parsos.
lecebeo-se hum i ffi io do Exm. Senhor
Presidente em data de 13 do c >rrmle acompanh i
do da representadlo in lus* do Jais de Paz
do Bairro do Re ife en\ que se queixa, que o*
Iain|.i5 s d il|umincao do ir es'i o Bairro nao
furto acesos a' noite do dia Vi do corrente se nao
a meia nolte, expondo assim as ratrullias Civu
cas a perigos, e dando aos m dfeitores occ*.sio
mais fav. ravel a nerpetrarem crimes ; e foi revol-
vido, que secrnd.isse ao Arrematante da illumi-
nt-ca:) remetiendo se a queixa por copia do dito
Juiz de Paz pi.ra elle dar as providencias preci-
sas com uigencia.
O-itro officio do mesmo Exm. Senhor Pre-
sidente remetendo a Cmara hum tritio, que Ihe
euviou o Juiz de Pat d > Poco da Panella para
que a vista do so contheudo, e do Edil I do
Juiz de Paz de B.-beribe, e fli io do da Fre-
guesia da Se' de O inda dar esta Cmara as pro*
videncias em conformidade do Decreto de II de
Seterrbro de 1830 so re a deviso dos limites do
destr'cto duquella Freguesia, que a Cairara de
Obnda acaba de mutilar a seo arb;trio para o
que se devia esta Cmara entender com a da Ci-
d de le Olinda ; res Iveo a Cerner que se ofl8
cisse a Cmara de Olinda para que assentassem
em o lia tjue sedevem a juntar para se tractor da
fevlso dos destricto ptlas comisso-'S, que cada
huma r.bmear.
Recebeo se hum officb do Juiz de Paz da
Fregresia do Recife em qie pa-teoipa o estado
de ruma em que pe achao s calpul s di dita
Freguesia requisitan lo as i.rovid> ncas preci" s
a eate rtipCilo ; resulveo a Cadiara, que o wfficj-
.




{I .
a Fiscal para maedar tapar os buracos das
as dquella Fregaesia e de toda a mais on-
iver.
^utro officio do Fiscal desta Cidade parte-
cipfido, que no da 16 do corrente mes orte no
ro dos Affgados huma grande expluco de
de plvora m a casa de Joo Soares Me.'
res, do que resultou a morte de dous escravos,
tel%lo ja ido 0 mesmo Meirelles multado pelo
mesmo Fiscal duas veips por vender a dita pol-
vora nquelle lagar contra as ordena da Cma-
ra'; representa mais o dito Fscal, que na ra do
Cotuyello exista hum lago, que cdusa grande
prejuisoa'saiule, e trantuto Publico resolveoa
Cmara sobre este objecto que se officiawe ao
dito Fise.il determinando-Ule que mandasseatter-
rar o dito lago.
Recebeo-se outr oficio do Fiscal dos Affo-
gados em que partecipa o estado ruinoso da prf-
te dos Affbgados e urgencia de remediarla
grande md e fieou adiado. wttrm p:
Oatro do CarcereirO da Cadeia desta Cidada
eth que requisita o concert da mesma cadeia,
letrinas com urgencia ficoti adiado.
Propoz o Senhor Presidente qrfe se mandas-
seaffisar Editase par* s"ftser publico, que no
primeiro de Setembro se hade por em pra^a o
contracto da illuminacao da Cidade para se arre-
matar a quem por menos a quizr faser assiin se
resolveo.
Propoz o mesmo Senhor Presidente, que fa-
sendo-se preciso continuar no calamento das ras
para evitar o deposito d^s agoas e consequente-
niente as lamas, e nao podendj concluir se pela
falta de pedra por estar vedada a' conducco de
presos para a Ilha de Farnando embarca c&s
Mercantes, que a Cmara tfonvencin gom Negociante para mandar vir a pedra donde
^gse mais conveniente o quefi despresado com
damento de se no poder faser esse trate e
epend'oso a' Camura.
Saio Eleito o Senhor Vereador Beserra Ca-
ojeante para Presidir a Elcicio do Supplnte d j
z de Pa/ da Frrguesia da Al ur i beca a quem
officiou para este fim.
O Procurador recolheo ao cofre a qnantia
S08#120 rs. pertencentes aos presos pobres
da Cadeia desta Cidade, da csa legada por
'Boaventura Goncalves, e de que foro rendei-
Tos Antonio da Silva & Comp. e Luiz Eloi Du-
ro.
Ficou convocada a Sesso Extraordinaria
para o dia 25 do corrente para se tratar das Pos-
turas.
O Senhor Vereador Bi7rra Cavalcante re-
quereo, que se responsabelisasoe ao procurador
da Cmara pela exc*o da cobranza das multas
constantes <4t KeLco, que o Actual F;scal ap-
presrnto a esta Cmara visto a giande difieren-
$* conh-cida pelo ex ame feito pelos Senhores
pesideute, e Veriador setxoto encarregodos da
coui5so o qnal ficou adiado por falta do Snr.
Vareador peixoto encarregado da commissao das
Coi tas, e protesta o mesmo Senhor Bicerra Ca-
valante de nao responder pela falta do procura-
dor, E per ser dada a hora declarou o Senhor
Presidente fechada a Sessao e para constar man-
d rao l.4str esta Acta em que assignarao. En
Francisco Antonio de Carvallo .Secretario Interi-
no .. (amara Muniripal o Escrivi. Moris,,
P. Caldas,, Rocha,, Bist-rra Cavalcante,, e Brilo.

[ rm i
" 5:

'
w

4o Faustistimo, Dia %
rio da Independa B
>' > > 7 .
\
L

Seplcm1Jtnfn?Dcrs*+
ucira. -.\
D--P*.
Ez vezes tem do tempo a mo robusta
Vivido a roda dos fugaces'annos,
uepois que o sacro nome Independencia
No Brazil foi ouvido.' ; ,.-.,'...
:Pezados ferros d'europeo dominio '..{'. -t
Sobravao-lhe ao deear* nem mais poda
Curvar este Giganteo altivo coUo
A caduca -Ulussa. .
Que lacos, aue ella armou por ver, se o torna
A' quebrada unio, qne 0 tmha escravo \
Que vezes lh' offertou Fingida liberdade!
Bem repelex> Brazil a tc d'ouro,
Em que o triste veneno se Ib' ofereee;
Mas ai misero acctlhe, afaga, enthrona
Hum Tigre Lusitana- .i
j Eis a fe ra, que toma de cordeiro
: Asroupas, a candura, a voz, o gesto;
Comnosco he todo amor, e dos seos proprios
Verdugo nos parece :
Mas pouco e pouco estira as duras garras,
Prepara-se a prear no manso aprisco,


*
r-r




E de grao Defensor, que g' encapara,
He publico inimigo.
Qual corre manso e manso o claro ro,
Entre placidas margens, qu* arvorejo,
E vai se, nao cuidoso, despenhanho
Na voragem dos mares ;
Tal, Patria, teus fados desastrosos
Hio te desusando em fero abysmo,
Tal descuidada te levava a morte
Dos escraves o bando :
Opprobrio eterno a prfida columna,
Qu' intentava escorar o monstro ufando :
Eis disperta o Brazil, e ja faz rosto
As roncas do tyranno. -
Gracas aos Liberaes, que a Patria adorao
Mais, que os infames dons do despotismo;
A quem ferros nao basto, nem a morte
Aquebrantar-lhe os bros.
Aurora Ibi de sombras enlutada
O sete de Septembro, em que o perjuro,
Por melhor embaiar-nos proclamara
Ficticia liberdade.
Hojesim, cara Patria, hoje comees
A raiar luminosa a Independencia :
Agora dize, quem te ma8 estorva i
" O Brazil ja he livre. "
Musa, qte imagens a meus olhos trazes ?
Quaes homens, ou que hroes vejo assomando,
Aqu!, alt, d' alm, como porfta
Das deslembradas campas ?
Que pasmados que vem como sobra^ao
A Ivas d' honrado sangoe inda tingidus !
Na destra impunho palma gleriosa
Melhor, que d' Alexandres.
Ornfio-lheas frentes cobijadas ^'roas,
Que nao pode abalar da Parca a bice ;
Lagrimas rertem dos pezados olhos,
D' r~|egria hascidas :
Os roste. et">uerri para o ceo sereno,
Como quem s.^do ceo os bens aguarda;
Depois curvadcV reverentes bejo
Osqueriik)s Penates.'
Sdve de Pernar 'buco hroes, e filhos,
Da sacra liber-fad** honrados Mari Ve



A quem deve '/Brazil, e dev o tautt
1 Pe jfraVdo ideemos.
7-'
\
i


'"
Tyrannos vos^ijubarSo vid/wcassa,
Que as vezes ntdshe fardojque contento ;
Mas poder nao tivero de roubarvos
Brio, honra, e virtude.
Por ser livres deixastes quanto he caro,
Espozas, fiihos, pas, irmos, amigos :
Se ao malfertor deslastra o cadafalso
A o Patriota he honra.
Em quanto o.lisohjeiro d* alma escrava
Beja as cadas, que lhe forja o crime ;
Vos os dons desprezastes vergonhosos,
Qu' os despotas reparten :
Vos arrostastes do verdugo o aspecto,
"em tnrvou-vos o horror da campa escura,
C'os olhas no porvir, alma na Patria
Final suspiro dcstcs.
Vinde hercesdo Brazil, honrar o Da,
Que a morte Vos fundi gloiia, e renome,
Yinde soprar em peitos Brazileiros
Oa liberdadeo fogo:
Vinde ensinar-nos esse heroico esforz,
Que sabe preferir virtude a vida,
.Abrir-nos o caminho arduo, e fragoso
Da verdadeira gloria.
Eia, Pernambucanos, neste Di a
Votos se formein de ser sempre livres,
as mos desses MartVes juremos
Odio eterno aos tyrannos.

.
D.
LIRA.

a famoso,
D' infinda gloria,
Eterna seja
Tua memoria:
De pais a fiihos
Repetiremos :
,T Independentes "
" Sempre seremos
Seremos livres
I)' Europa escrava,
!Ncao formando
Briosa, ebrava:
Setembro o sete,
Sete d' Abril
Sero eternos
Para o Bsazil:
Naquele a obra
Principiamos,
Neste o tyranno
De nos lancamos
t
Foi-se o perjuro,
Que se dizia
Amigo, quando
Mais nos trahiS :
Suas promessas
Sem presistencia,
Mais erfio lacos,
Qu' Independencia:

[7SS]

r
i
Por socios tinha
Dos seus ardiz
Hrneos perdidos
Infames viz:
Ma-; tnes columnas
Nao lhe vallerSo;
Qu' os Patriotas
Prevalecero :
Triunfo excelso
Da liberdade
Contra as caballas
Da iniquidade.
Eia, Patricios,
Nao esfriemos,
Nossos direitos
Firmes guardemos;
Seja espancada
Com valenta
Dos nossos lares
A tyrannia:
Em nos impere
Lei, e raso,
Sempre em nos haja
Paz, e unio :
De nos s' auzente
Rale cap ti v"*.
E a libertad
Triunfe/ e viva.
S
Por hum Pert'.mbuc arte.
FERPfclMBUCO NATVPO
; EDITA L.
Antonio Elias de Maraes, .luis de Forapcla\Lc%
e Presidente do Tribunal do Jury #c
r Ac saber, que o Tenente Francisco de Pji<
la Soua Portugal, me pedio em seo requcnm1
to, que vto odia 7 do corrente mes ser fenac._
mandasse convocar os S para odia 9, visto que elle se acha a partir pa!
a Corte do Rio de Janeiro y r ordem
deseo Superior, e como oseo Libello ja esteje
em juizo, considere! de urgencia a sua pertencao,
e por isso convido aos ditos Senhores para se re-
unirn no did 10 do correte mez,' no lugar, e ho-
ra, do costume. Rec fe 5 de S-neipbro de 1831.
Antonio Elias de Morhes.
VENDAS.
T Otssa da primeir sorte por preco commodo:
duis escravo*, sendo um manijo, e o outro c*ne-
eiro ; temos de condenas : duas pedras de filtrar
ag m; hum par de dragonas de ouro para Cap-
to, na ra do Colegio D. 4.
Rape' ltimamente chegado de Jjisboaa
I7&0 res a libra, na botica da ra do Rozr.o D.
7.

A
AVIZOS PARTICULARES.
Pessoa, que respbndeo em um dos Diarios
prximos pausados ao annuncio, que sanio em
outro, partecipando a quem quise* um cont e
clusentos mil res a premio dahi a vinte das, di*
riia se no segundo andar do sobrado junto a ca-
deia D. 5 a fallar com o Eacrivo da Ouvidorta
Geral do Crime o S nhor Rebello, para este dtser
quem quer faser este negocio, e a pessoa que to
bem annunc'ou no Diario desabbado 3 ilo -
rente querer a quantia de um cont e quinh
mil res com byjoteca deuma olaria, e seis "
vos, dirija se ao mesmo Senhor Rebello.
Pirdeo-se nodia 6 do corrente hum bil
de cobre da quantia de sincoenta mil rei& pa
doporJoze Antonio Pereta d'Abren & Irra
Com data de 3 de Agos'o do corrente anno de n
mero 40; quemoachar, queira entregar na n
da Cadeia do Recite numero 9, que sera' recom-
pensado ; estando ja prevenido o paseador do seo
desencaminho, e nao pagar se nao ao annunei*
ante.
Pertendese fallar ao Senhor Manoel Fer-
reiracAmorim para negocio de seo interesse; quei-
ra annunciar sua morada, ou dirija-se a ra Di-
reita D. 57. .
A ppssoa, que annunciou querer um Dicci-
onario Magnum Lixicon em bom ozo, procure
na ra da Larangeira D. 3, onde se vendem ou-
tras obras Latinas.
_ Thomaz Antonio Nunes previne aorespe*
tavel publico para que nao aceite bilhete de co-
bre, ou recibo paseados em seu nome por nao
girar presentimente bilhete algom que verdadeiro
seja, bem como declara o senaS responsa bel izar
por quantia alguma, ou f izenda que se possa ter
emprestado, ou vendido, >se empreste, ou sevenda
apertoa alguma de sua familia, n5 tendo sido
o empresti-no, 00 venda feitaem virtude d'orde
verdica delle annunciante.
DIARIO, RA DA SOLEDADE M.o fiAl^i
s


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E817MX5FJ_VUG184 INGEST_TIME 2013-03-25T13:47:00Z PACKAGE AA00011611_01384
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES