Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01350


This item is only available as the following downloads:


Full Text

_-----------.
/
.,
"j
i
l
A? NO DE 18.31. SESYjd.AI%RA> DIJ ACOST NUMERO I
DIARIO DE' PERNAMBCO.
v
Os anuncios, que nao forera dus assifnantes deverao a-
lein das de raais ondicdes, pagar por cada linlia impressa 40 rs.
e ser entregue* na luja de Livreiro da ra da Livrameuto so-
mente
Todo aurora depende de nos mesmi;s, dannssa prudencia
moderacio, e energa; continuemos como principame a, e le
remos ap<,ntadjs com admirado entre as Nacoes mais rulias.
Proclamaqao da Assemblta Geral do Brasil.

Pernambuco naTipog rafia de A
ARTIGOS DE OFFICIO.
A-
Vista do Officio de V. S. datado de ho-
je, emquepartecipa, que tendo chegado a este
PortooBrigue Oriente Africano vindo de Ango-
la, fqro adiados a seo bordo 37pretos, oito ladi-
no, e 29 novos, acobertados com Passaportes de
forros, obstara o seo.desembarque por suspeitar,
que houvesse dolo na intioJucco de taes pretos
a pretexto de seren, livres, cumpre-me diser-lhe,
queobrou bem, e que o jniz de Paz dessa Fregu*-
sia passa a tomar conhecimenta desse caso, e for-
mado o Processo legal o remetiera' ao Dezembar-
gaclor Ouvidor Geral do Crime, para haver de se-
guir-se os mais termos, que fbrem de Direito. D-
os Guarde a V. S. Palacio do Governo de Per-
nambuco 1. de Agosto de 1831Joaquim Jos
Pinheiro de VasconcellosSenhor Intendente da
Murinha Antonio Pedro de Carvalho.
NTON1NO JOZE DE Mili ANDA FaLCAo.
-
jE
M conformidade do Officio de V. S. de 30
o uiez rindo, inclusas remello as Instruccaes, que
foijio feitas para a Polica le Paz desta Cidade,
a fim de que as fac* por em efeito se adiar con-
veniente aparte, que for applicavel ao seo Des-
tricto, podendo mandar receber no Trem Militar
as armas precisas, pelas quaes ficara' V. S. res-
ponsavei, a' Fazenda Publica. E muito confio,
que V. S. continu a manifestar, o zelo, e ,inte-
jesse,.que ate' boje tem tomado pelo socego, e
tranquilidade publica. Dos Guarde a V. S. Pa-
lacio do Governo de Pernambuco 3 de Agosto de
1831 Joaquim Joze Pinheiro de Vasconcellos
Senhor Francisco Joze Cavalcante Ga'vo,
JuizdePaz da Villa de Iguarassu'.
.

'" .

i:
y

; CMARA MUNlCjtfAL.
>
,
5e6sao Extraordinaria de-8 de Agosto de
DO I
ooi.
-_
-Presidencia do Snr. Moxaes.-1
Hesentes os Snrs.'Vareadores Hacha, Bi-
zerra Cavalcante, Pixo^o,, e BritOj faltando poro,
cauza os Snrs. Vereadore fiateves, Paula, e
Calda. (
Recebeo-se hum Officio da Junta da Fazen-
da Publica em data de 5 do corrente participan
do, que a quantia mensal destinada para asus
tentacao dos prezos pobres, Ihe sera' entregue no
principio de cada mez, ou nos ltimos dia* do an%
tecedente, se os motivos expostos no Officio desta
Cmara de 30 de Julho passado exigirem este a-
diantamento.
Recebeo-se um Officio da Secretaria d' Esta-
do dos Negocios do Imperio em data de 22 de
Julho passado do corrente anno extranhan-
do nao se ter pubicado contas do pro-
curador, os trabamos e dicizao pelo pelo, as-
sim como as Actas e Resolucoens, como lhe in-
cumbem os Ait. 46, e 62, da Lei no 1. de Ou-
tubro de 1828. Manda a Regencia em Nome do
Imperador advertir a esta Cmara daquella falta,
esperando, que seja tnais exacta no cumprimento
dos seus deveres.
Forao remetidos pelo Excel. Snr. Presidente
a esta Cmara i.s Leis de 6, e 14 de Junho do
anno de J831 ; e 6 Decretos de 7 de Junho d
mesmo auno, e outro de 14 do mesmo mez e an-
no sobre diferentes objectos, e a proclamaqao de
18 de Junho e 1831.
Lerao-see discutirSo-se 7 Ttulos das novas
Posturas, que ficaro approvados depois de aU
gumas emendas e reflecoens. i
Mandou-se pagar a quantia de 53$760 do
indulto do Aterro do Manguinho, e !da ra do
Palacete.
E por ser dada a hora declarou o Snr. Presi-
dente fechada a Sesso e para constar mandaro
fazer esta Acta em que assignarao. Eu Francisco
Antonio de Carvalho Secretario Interino da C-
mara Municipal a escrevi, Moras, P. ; Rocha,
Bizerra Cavalcante, Peixoto,
. ',' *.
e Brito.
&
CORRESPONDENCIAS.

.
wr. EditorInimigo de violencias, e de todo
o malvado, que faz consistir na torca o eo mri-
to, vou contar-lhe o que presenciei nlS do cor-
rente. A chava-me eu em hum lugar prjimo a
Cadeia desta Cidade do Recife, quando a ella
chegava urna escolta condusindo se bem melembra
4 presos, e reparando cora attenco vi que um d'
entre elle trasia em si nao pequeas manchas



i


A^k


)

x defiGnanelasecco' erfleta*ooem uf dos ndivi
dos da escolta eslava maltratado, por traser *
cabeco altada con um pao: excitado pela minha
inseparavel cjmpanheira a -curiosidad dei-me
ao trabalho de investigar o que va, e emao sou-
be Senhor Editor, que os presos vinho remetli-
rfos pelas Justtcas de Goianna, e que chegando
a Palmado ( lugar cuja celebridade consiste em ser
o bei 90 de quHiita f*ca de punta ameacadora ha
pela mata ) viro os guardas qne havia indisposi-
ro contra os ditos presos, e teniendo pelas con-
gequencias, requisitaro do CapitSo Manoel VieL
ra um auxilio ate' se porem fora do perigo, que
os ameacava ; que este Capitao mandara juntar
tima escolta de gente sua, a qual fasendo reunir a
Patrulha que conduzia os presos, marchou elle
roesmo acompanhando, ou guiando o andor, mas
que indo all pelos aproxes da PovoacJo dera or-
dem para que toda a Tropa seguisse outra direc- j
cao, e que a poucos passos cahiraa gente do nos-
so impvido Capito sobre os presos, e tudo o
mais, fasendo o estrago supra referido. Note Sr.
Editor, que os presos, vinho acompanhados por
dous Officiaes deJustica, e que um delles fora
espantado, sahindo de cabec; quebrada; e isto
ja em presenca daquelh? guerreiro Capitao, que
por muito guerreiro ja se acha afleito a batalhas,
acedes, e combates destes &c.; e como mudo es.
pectador da victoria que os seos valentSes aca-
baro de alcanzar sobre os presos, e meirinhos,
nao se pode resalvar da justa suspeita de coniven,
te cun os seos subditos. Nao devo afancar a ve-
racidade deste facto, mas devo diser em abono da
verdade, que os Vieiras esto ja de rro assenta-
da aqnantos attentados, e insultos se tem com
horror visto, elles praticarem impunemente na-
quclla infeliz trra que os vio nascer. Ja o seo
digno irmfio em os fins do anno de 18S5 praticou
iwta aeco to vil e infame como a que o facto re-
erido espoem a consideracao do respeitavel pu-
blico, e das Autoridades, a qual foi Senhor Edi-
tor, que tendo desptica, e atrevidamente o tres-
louctfdo Joo Vieira da Cnnha feito prender em
Cara, casa do nosso bein conhecido, honrado
Futrido Joao Nepomoceno, a Joao Justino, pes*
soa a quem odeava por ser liberal, o fez algemar
e entregar a cohorte de seos vandalios, e chegan*
do com elle a mata do Moleque, nao muito dis-
tante do dito Engenho Carau manda apear toda
a Tropa, e formando com ella dentro da mata
virgem um quadro ( que genio Militar O' que
herosmo !) mandn chibatar o misero, e indtfe-
so preso !! Logo Senhor Editor avista deste, e ou-
tros factos, que escuso relatar por serem da mai-
or pnblicidade, nao admirarei que seja verdadei-
ro o attentado contra os presos. Perdoi meo ca-
ro Senhor Editor a importuna seca, etenha a
bondade de dar a luz no seo Liberal Peridico
estas mal tragadas linhas do
Seo Patricio, e obrigado criado.
O Admirador dos taes Vieiras.
^50 1 t
>i^i-?Ja em escravos quando os achava dispns-
tos e q\e era d^stro na arte de assassinar, quie-
ra humaos prezo fgidos das sinco pontus; eque
o t 'l proletor o conservava por c rtos fins, que a
i- -______ ____:_ _____4____:i .
S:
rzV*. Editor. Pernoitando eni certo Enge-
nho na Freguezia de Unna, furtaro-me hum ca-
vallo, ea troco de alguns vintn* soabe que hum
pardo He sobre nomeSoares protegido do Snr. do
jftngenho.vizinho, em cuja caza mora de porta a
dentro o tmH escondid em certo lugar, fui, e
cem efleito achei ; e entao soube qie o tal costu-
mava taxer uuitas ytit* aquella graca, e que tao-
seu tempo medirio ; eque seria prudencia eu
retir^r-mesem msso fallar, pots do contrario me
acontecera o que aconteceo a hum homeni desta
Pr-tca, sem me diser a naturesa do acontec ment
tomei o conselho e amolei as botas sem nada re-
presentar ao Juiz de Paz ; agora porem que sou
de nov* informado que esse ladrojuntamente com
outro vierSo ero meo segu i ment te' o Engenho
Minuito, onde perguntarao as horas em que li-
li passei, equantas pessoas acompatihavao a mi-
nha carga, deixa-me suppor que elles tenavo
executarem mim alguma das duas habilidades e
apesar de nao perender voltar a'quelte lu^.r,
queira oom tudo publicar o que venho de diser
no seo Diario para que chegue a noticia ao Juiz
de Paz para entrar no conhecimento da verdade
e faser punir com o rigor da Lei tanto o protector,
como o protegido, pois eupiotesto nao me des-
cuidar de saber se houve alguma correcto para no
ultimo caso declarar o nome do engenho, e seos
propnetarios, eo mais que souber em verdade a
tal respeito : se o meo pedido tiver lugar fara'
Vmc. cpm Uso hum relevante eervico ao publico,
e ao
Seo assignante
F.
EDITAL.
Christaxao Pereird de Miranda Varejn Juiz
Ordinario e de Direito do Conselho do* Jurados
d 1 Cid'de de OHndu e seo lermopor S. M. 1.
e C, que Dos Guarde Scc,
|j Ac saber, que tendo dse tratar em Conse-
lho do Julga ment de processo que por abuso de
liberdide de Imprensa teve principio no Juizo dos
Jurados la Cidade d > Itecife de Perriajnbuco. en-
tre rartes como Autlur denunciante o Uoutor He-
dro Antonio di Mnt*.a e Albuquerque, e Reo de-
nunciante Jo7e Francisco da Silva Amoral, resi-
sidente nesta Cidade, em yirtude do que foi o
mesmo processo p ira este Juizo remettido, se fai
prt'cso a reunio do Conselho dos Jurados desta
mesma Cidade, e por isso hei por convocados na
forma da Lei para o dia 5 de Setembro do pre
sent anno as 9 horas da manh na salla da Cma-
ra os Senhores Juizes de Facto spgnmteO Co-
ronel Manoel Correia deAr.ujo,, Francisco Ce-
zario de Melle,, Nicolao Joze Vz Salgado,,
Francisco de Paula Correia de Araujo,, o Heve-
rendo Padre Mestre Manoel da Moma Rodrigues
de Araujo,, o Coronel a Bienio Joze Vict nano
Borges da Fonceca,, Joze Joaquim de Oliveira
Maciel,, o Capitomor C1\r:stovo de Barros llego
Falcao,, o Reverendo Padre Mestre Joo Ro-
drigues de Araujo,, Trime' Correia de Araujo,,
Joo Carneiro Rodrigues Campello,, o Cirurgj-
omor Joaquim Jernimo Serpa,, o TenenteGo*
ronel M moel Ignacio Bezei ra de Mello,, o Co-
ronel Joze Camello Pefcsoa,, Manoel Thoniaz Ro-
drigues Catnpello,, Jor> Carneiro da Cunh ,. O
Capito J ffo Lins Cavalcante de Albuq'ieique,,
Hercobno Po Pedro,, o Rever n lo Conig Fran-
cisco Antonio de <)liveira Rozelles,, o Reveivido
Padre Mestre Luis Florentino da Almeida Cata-
nho Manoel Rodrigues Campello,, o Tuiente
f
V
\



i
Xavier Cavalcante de Albnquerque Lins,, o T
J
T ci Vanderlei,, o Reverendo Chantre Jio da Sil-
va da Fonceca,. Joze Antonio da Silva,,*Ignacio
Pereira Brandao,, Bernarda Vieira Leito de
\
/
v
*
Coronel Ignacio aoiohiu uk onnua hmupvm v
Cupilo Antonio Simplicio de Barros,, Joo Car-
neiro da Cunh<* J nior,, Francisco de Paula d"
albu murque Mtranh> o CapitSo Frncac^
Xavier Cavalcante de Albnquerque Lins,, o Te-
nente Coronel Antonio Joaquina Quedes,, Boa
ven!u a de Mello Cstello blanco,. Manoel da
Motta Silveira,, o Reverendo Conigo Manoel Fer-
reira da Asaenco,, Joze dos Santos Pmhero,,
Jote Antonio de Carvalho Couto,, Joo Mauri-

Antonio de Barros Falcao,, 04 I PrimeTrc|rct>nheciW*o/par% zo dos me
am*d4Hn ,\* Rrf. JiiSn Car- m minosAjue comeco a 1er, obra mu re
come^davel pelaa explicaceea qe cona
ten, as quaes sao apropriadas, a idade,
4 estampas
Mello,, Manoel Jernimo Guedes,, o Reverendo
conego Francisca Xavier Carneiro. E para que
chegue ^ noticia de todos mandei passar o presen-
te que sera' publicado Dla Imprema, e affiya-
do nos lugares publiros sob pena comecada na
Lei. Dado e passado nesta Cidade de Glinda
sob meo signal hos 26 de Agosto de 1831. Eu
Joaquina Jos Ceriaco Escrivo o Escrevi.
Christovao Pereira de Miranda Varejao.
>
NAVIOS A CARGA.
Para Angola*

Eg* viag-m ate' o dia 25 de Septembro, o
Brigne Activo; quem ntlle quizer carregar, ou
hir de passagein, dirija-ae a ra do Trapixe N.
4, a fallaa com Angelo Francisco Carneiro.
R
VENDAS.
.Ape* Princza em libras, chegado prxima-
mente de Lisboa : na ra Nova lojas N 7, e S.
Um par de brincos de brillantes, e outro
par de solitarios de btilhaates; quem os pertendvr
anuncie. ,
*m Compendio da ffimrori antiga, e particular-
mente da Historia Grega, seguido de um compen-
dio de Mytoogia, ou bxplicaco da Historia fa-
bulosa do Paganismo, seus Deuzes, Semideuzes^
e Hroes ; com um Indo* Geogrfico das Nornea
das Rpg56es, Cidades, Rios, &c. 1 fW
Aventuras de Telemaco, filbo de Ulysses ..
por Fenelon t *
Compendio d Geografa Histrica, antu
ga, e moderna, e chronologia, para u- ^
zo da mocidade *
Mappa Geogrfico, Histrico, e Mercan-
til ; contendo os lemites, Povoaco, Go
verno, Soberanos, Divwoens, Capites,
Prmcipaes Cidadea, Ordena Militares,
Universidades, Religio, Exerc'uo, Ma-
rinha, Rios, MontanhaB, Ilhas, Lagos,
Latitudes, Longitudes, Medidas, Pezos>
Moedas, Cambios, Commercio, Produ-
cto; Mannfactura-., e Posaessoens UU
tranar'nas na Asia, frica, e America,
de todos os Estadoa da Europa, e dos
Estados Unidos d'America ftc.em folio 1
Cowrs de Droit Public nter, et externe,
Par I. Commandecer Silvestre-Pinheiro
Ferreira, Ministre iT Estat
Observe coens sobre a Carta Constancio
1 "
N
.
bservscoens sobre a Carta Constitucio-
nal do-Reino de Portugal, eConstitu-
cao do Imperio do Braail A
H
'
I


J
COm rx cniaiin'iij
Izabel ou os Desterrados da Siheria, por
M. Cottin *
Economa da Vida Humana, por Roberto
Dodeley *
Belizario, porMannotel 1
A Caverna Morte, novela traduzida do
Inglez *
Ciar de Abbr, por Madama Cottin *
O Dotte de Suzaninha, ou Historia de Ma-
dama de Seoneteno, contada por ella
mesma *
Novellaa escolhidas de divercoa Autorea 2
Ordem da Sania .Missa, em Latim, e Por-
tuguez, com divercoa pfficios, Psolmoa,
Ladainhas &c
Gramtica Franceza, para uzo dos Portu
guezes *
CollecSo de Pedamos em Prez*, Francez,
e Pocluguez *
Guia de Converaaco, em Fraucez, e Por-
tugus T U
- Rape' chegado ltimamente de Lisboa em
caixas, e libraa : na Pracinha do Lwramento
D.ai- .
- Barretinaa de seda para Offic ae ti&VSSm
e ditas para Milicianos ; na Praca da UniSo jun-
to a loia de cambio. ..
- 325 sacas de algodo de escolente qua-
dade, recolhidaa em Fevereir, e Marco do cor-
rente anno ; quem aspfenender ebrija-se ao t orte
do Maltosa fallar com Pedro Francisco de Mello,
e Antonio Bern .rdo Rodrige?.8ete.
1 Um p.daco de trra em chaos prApnos,cpm,
2 cazinhaa de taipa na estrada do Afraiali narna
da Trompe N. 1. .
^ Urna negrinha, 12 annos, principio de cos-
tura, abil para todo o aervico, e para mumban-
da: no sobrado D 10, ra de S. Francisco daa
6 hora te' as 8, e do meio dia te' flJ %
J, Urna caza terria na ra da Guia D. 30, em
chaos foreiros a Camama d' Olinda, pertencente a
Antonio Soares daCunha; na ra do Rozano
!lCama forte, e bem construida Lancha, pa-
ra 10remos; eurna mui boa, e grande rede de
pescar : aborlo da Polaca HespanhoJa, S Anto-
jo, ancorada defronte do Trapiche d' Alfandega
velha.


COMPRAS.
[Eitb de vaca por junto, o diariamente ; n*
ra do Colleaio, loja.de loU9a, e viclros.
- Um es-cravo mo de L3 a 10 annoa : na
pracinha do liivramento D. ?8.

'



>
PERDA.
nj O da26 perdeu-se um relogo do coix
manila, fabrica coberta, falta o ponteiro dpj
minutos, edo mezes ; a caixa ja az^da, com
afumas roana8 pretas ; quem delle souDar, Pl
rija-searuaDireitaPadaria D.5, qe sera r
compensado. *

I




FUifro.
j^ UifT-ARA^desta Cidade um escravo por no
me Joze Ca^ange, levou vestido una caiga de pa-
o com vivos encarnados, ejaqneta de riscado ;
quem dellesouber ; dirija-se a ra do Padre Fio*
rianno D. 24, que sera' gratificado.

P
AVIZOS PARTICULARES.
Reciza-se de um bom feitor, que saiba bem
enxertar ; quem e9tiver nestas circustancias falle
com Antonio Martins Ribeiro morador no Aterro
da Ba-vista.
A pessoa que tem anunciado a venda de um
escravo tanoeiro na ra d'Ortas, queira dirigir-
se ao Pateo de N. S. do Terco, venda D. 4, pois
nao tem sido possivel acertar-se com a dita caza.
-* Quem anunciou no Diario de 23 do corren-
te, ter no dia 17 do inesmo aparecido urna escra-
va ainda meia nova ; anuncie a caza da sua resi-
dencia para receber os signaes da dita escrava.
Joze Manoel de Rezende avista do auuncio
de Antonio da Silva inserto no Diario N. 9 183,
aviza ao Respeitavel Publico que nigem pode
ra' fazer negocio alg-um com as cazas de bote-
quim, bilhar, epasto, que o dito Silva offerece a
venda, sem que primeiro este indemnize aos seos
credorea, ou alias ficando o comprador.responca
vel por todas as dividas do mesmo; e por isso faz
o presente anuncio para que se nao chamem a
ignorancia.
Quem precizar de m homem exercitado
na agricultura, e que se propoem a ser adminis-
trador de Engenho, ou sitio, procure ha ra No-
va 2. andar da caza do Miguelinho.
O Snr. Antonio Jernimo, morador n'um
sitio nos suburbios desta Cidade, queira enten-
der-se com quem mora na ra das Cruzes D. 8,
crue e' para negocio de seu interesse,
; Qualquer pessoa que se queira propor a for-
necer ao 4. Corpo de Artilheria dos gneros.se-
guintes, carne fresca, seca, tucinho, farinha,
ieijo, arros, sal, elenha, podera'comparecer ao
Quartel dosobredito Corpo para tratar-se dos a-
justes, com a3 condicoes necesarias.
Pelo Agencia do Batalho 13 se convida a
quem por menos quizer fomecer o dito Corpo,
om carnes, feijo, tucinho, farinha, &c, a que
omparec no respectivo Quartel as/10 horas dos
lias 29, 30, e31 do corrente, para serestipujacjo,
contractado devidamente perante membios
to Concelho da caixa de administradlo domesmo
Corpo. .'
Quem precisar de hum caixeiro para arma-
$em; l#ja, ou fu *. annuncie.
Quem quiser dar 150#000 xs a juro?, de 2
pt cento ao mez, como praso de um anno para
ge acabar urna casa quele hipoteca : aanuncie.
-- O abaixo assignado lendo o annuncio do
ennor Joze Francisco Vaz de Pinho Carapeba
no Diario numero UKduvidando do que dice o
.inundante sobie o seo
amigo
o Senhor *Jo2e
-Jjaifchno Leite para o tirar desta duvida aprsen-
la por ora tmente .'a caita do seo amigo Lene a-
^aixoti-a^nscrita e outra vez Iheasseveva que oSr.
jei te encontrando o escravo do a anunciante ero
Antao
',
nto Anto em Outubro de 1829 mandn pa-
a a Fasehda Ginipapo, e huma teatemunha des-
factoque revelou ao annuociante foi mesmo o
no do senhor Carapeba, e ja este procedimen-
.to nao he de quem tem honra, e probidade como
spoos o senhor Carapeba no seo amigo e ainda
a poneos das, pessoas habitantes da Villa de
Cimbres asseveraro perante testemunhas e9tar o
senhor Leite na posse do escravo do annunciante,
tal vez o senhor Leite goste s de annunciar dep%-
is que inorrem como a pouco fez de huma ne-
gra.
Antonio Rebello da Silva Pereira Jnior.
Illustrissimo senhor Antonio Rebello da Sil-
va Pereira Jnior Recebi a sua carta datada de
onse do corrente a qqal respondo o seo preto Lu-
izjaseacha em meo poder, e a vinte deste por
militas recomendables nimbas foi prezo com a
maior seguranca possivel, e ate' com grandes pro-
metimentos q' fiz ao sugeit, porem nem por isso o
preto deixou de ir-se embora, e da mesma fgida
veio ter comigo e eu Ihe prometti de o comprar, e
por isso esta' ate' ter hum homem que seja capaz
de o entregar a fim de dar conta a Vmc. aquelle
homem que lhe disse que era capaz de o lev ar ja
nao esta' no lugAr Ate'quatroou cinco de No-
vembro la' lhe chega elle e pertendo que elle nao
fuja. Eu aqui esperarei sempre por suas ordens
a mostrar que sou De vmc. Amigo muito atten-
I ciosa criado Joze Claudino* Leite 30 de Outu-
bro de 1829.
- Eslava reenhecida.

ESCRAVOS FGIDOS.
mm
Abianna, nacao Angolla, ainda nova, bai
xa, e nao muito crianza, peitos cahidos, olhos pe*
quenos ; fgida, do Fngenho Cordeiro a 2 mezes-
levando vestido camis" d. algodao, o vrstido de?
chita : os aprehendedores levem-o ao dito. Enge-
nho, ou na ra do Qeima'do D%10, que rerao
recompensados.
Francisco Soteno, molato, de 16 a.IS an-
nos, com ofricio de aifate, fgido uo dia 11 do
corrente da Cidade d>Qlinda, levando vestido
calca e camina de brim, e jaqueta de ganga; ;coa\
urnas pintas d roxo, ja o^esiHaiada : os aprenen/-
dedbres levem-o aos 4 Cantos em Olfinda ejn casa
de Manoel Antonia Xavier de Freitas, que pa-
gara'o trabalho. t o
Domingos, nc,ao, 14 annoe, muito esper*
to, alegre, olhos grandes, naris chatcj, beicot
grossosj dentes claros,' pea grandes, fgido no dia
10 do torrente, levando vestido calca de Lila, pre-
ta velha, um rapa ida' mesma como urna samar-
a : os aprehendedores, le;vem-q ao peco de Pe-
dro, a caza de un jBqbrado so' deiroqte diurna
tema de alfaiate* que'sera recompensado.
Manoel, cabra, eslava aprendendo a pa-
deiro, de 18a,20 annos, baixo, grpsso, rosto re-
dondo, .e Itzo ; fgido o dia 2-i do corrente, le-
vando vestido cal^a' de brirn, carniza de, algo-
dbzinho,, e chapeo de palha de beirevirada : os
apreheudedores leve-ia-uo a caza de Joo Ferreira
dos Santos, Fottt. do Mattos, ra do Ameran,
qu'seo generozaniente recompensados.
(.
-l.l
u
H
l
i fl

I

PERNAMBCO 11A TYPOGRAFIA )0 DJARO, !RA DA SOLDAUEN.^ 498 18,1.
,s%*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET3XAR24B_RYXP6V INGEST_TIME 2013-03-25T14:28:45Z PACKAGE AA00011611_01350
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES