Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01338


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.
*
ANNO DE 1831. SEXTA FEIRJf a 12 DE AG&STO NUMERO 172
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Os anuncios, que nao f<>reu do assignantes deverao a-
lein das de mais cindicoes, pagar por cada iinba impressa 40 rs.,
e ser entregues na toja de Livreiro da raa do Lirrameuto so-
mente.



r.i-
- r

Tudo agora depende de nos mesmos, danossa prudencia,
moderaclo, e energa; continuemos como principiamos, a se-
remos apuntados com admirando entre as Nacoes maii calta.

Proclamarle da Asstmblta Geral do Brasil.
Permambco na Tipografa de Antonino Joze de Miranda FalcAo.
.
-


COMMANDO DAS ARMAS.
Artigos d' Officio.
T.
Ransmito a V S. por copia os Officios in-
clusas, e bem asim a RelacSo dos Snrs. Officiaes,
que em virtade dos supraditos Officios, passao
d'ora em diante a vencer os sidos respectivos.
Dos. Guarde V. S. Quartel do Comraando
das Armas de Pernambuoo 1. de Agosto del831
__Francisco de Paula Vasconcellos, Commandan-
te das Armas.Illm. Snr. Juo Baptista Pereira
Lobo.
1-
_ Llm. eExc. Snr.Sendo notoria, e ate' re-
conhecidapor V. Exc. a falta de Officiaesi de
primeira Linha, que faz a Guarmcao desta Pro-
vincia, e havend alguna Officiaes, que se achao
desempregados, e privados de seos respectivos sol-
dos ; julguei conveniente para occorrer a sobredi-
ta falta, ouvir o Conseho deste Governo, e com
o parecer do mesmo communico a V. Exc.^ que
deve empregar provisoriamente, e ate' decisao da
Regencia do Imperio aquelles dos ditos Officiaes,
que estiverem as circunstancias de serem enve-
gados, vencendo os mesmos sidos que pela Trie-
zouraria das Tropas ja venciao antes de terem si-
do por mero facto desempregados. Dos Guarde
a V. Exc, Palacio do Governo de Pernambuco
11 de Julho de 1831 -Joaquim Joze Pinheiro de
Vasconcellos,- Illm. e Exm. Snr. Francisco de
Paula e Vasconcellos, Commandante das Armas
desta Provincia.
I
_Llm. e Exm. Snr.-Em resposta ao Officio
de V. Exc. com data dehonteny no qual me
prope, se por ventura os Officiaes, que estfio
desempregados, e foro agora chamados ao ser-
vico devem vencer os sidos da antiga, ou da no-
va Tabella, e se os que nao poderem ser embre-
gados, por nao haver delles necessidade nos or-
pos, assim mesmo devem perceber os respectivos
' sidos ; sou de parecer, que devem ser pago pe-
la nova Tabella, e que devem perceber o respec-
tivo sold nao s os que forem empregados, mas
tobem os que ricarem de tora, liufnm vez^ que
estejfio as mesmas circunstancias1, ojue' outros.-*
Dos Guarde a V. Exc- Palacio do Governo de
Pernambuco 16 de Julho de 1831'-Joaquina Jo-







.
ze Pinheiro de Vasconcellos Illm. e Exc. Snr.
Francisco de Paula e Vasconcellos.
_
Relaqo dos Snrs. Officiaes, que exlao no cas*
de entrar para o Servido, e de percebcrem
os seos sidos.
Major.


Jb Rancisco Joaquim Pereira de Carvalho Ju
mor.
Capites
Joao Francisco de Mello.
Manoel Joze de Serpa.
Joze Maria Idelfenso.
Tenentei.
Pedro Alexandrino de Barros Cavalcante de
Lacerda.
Estevao da Cunha Mendes.
Francisco Joze dos Santos.
Francisco de Paula Meira Lima.
Francisco Joze dos Passos.
Francisco Joaquim Machado Freir.
Manoel Cavalcante de Albuquerque.
Antonio Ceelho da Silva.
Antonio Rodrigues de Almeida.
Fellipe Gomes de Souza.
Joaquim Joze oVSouza.
Noberto Alves Cavalcante.
Joaquim Rodrigues da Silva.
Joaquim Bernardo de Souza Rangel.
( Continuar'seha.)
.

EDITAL.
*
^>Ua Exc. o Sur. Presidente manda fazer du-
blico, que tendo de ser prvido pelo Conseho
deste Governo o lugar vago de Bedel do Curso
Jurdico da Cidade de Olinda em conformidade
do Artigo 18daLide Mde Junho desle anno;
todos os Cidados Brasileiros, que a elle se qui-
serem oppor comprelo trinta das depois da
data deste nesta Secretaria habilitados, e mu-
nidos deseos requerimentos, com os documentos
do estillo. Secretaria do Governo de femam-
buco 8 de Agosto de 1831. *
Vicente Thoae Pires de Figuetredo atnarg*.
Secretario do Goyerno.
>
,
T

/ '




I;
7
'.
r
* c
< .
t

&
v
tOERE9PaNE5lCIA3L
~JrN* Editor.Carota-rae que o nr. Capito
Roma dando huma ralacffo dos Ofticiaes colum-
nas do seo Batalhao ao Kxm. Snr. Commanilan-
te das Armas incluir nella ao Capito Antonio
Fernandes Padiha, ao que nao posso dar crdi-
to, porque tenho ao Sr. Capito Roma como ho-
mem verdadeiro, incapaz de apresentar aos seus
Superiores huma parte, ou relacao falsa, pois que
sabendo este 8r: que o Capito Padilha nunca
fui columna, ara incapaz de affirmar o contrario
disso, salvo se todos aquelles Officiaes que se. por-
taro com alguma moderadlo naquelle tempo sao
columnas, en to neste caso muitos existem no
Batalhao do Snr. Boma com modetacao demasi-
ada, passando ate' a diserem que se nao querio
compTrrreterem pura com o Snr. Lemenha, e tal
vez entre nesse numero o Snr. Roma. Saiba pois
S. Exc, que o Capito Padilha minea foi co-
lumna, communiquei muitas veses este Snr., e
sempre me fez ver que o partido columnatico eta
mao, e que trabalhava contra a liberdade do
Brasil, e deve S. Exc. saber mais, que o Capi
to Padilha he hum official capaz de puyar a es
pada e dirigir hum Batalhao em defeza de sua
Patria. Snr. Editor queira publicar em seo esti-
mavel Peridico estas refiexoes, qu milito lhe a>
gradece o
Justiceiro.
*J*Nr. Editor^ Queira inserir por obsequio em
sua folha a seguinte Carta do Snr. Cocino, sogro
ir. Portugal com a resposta, que ao mesmo
escrita meo a-ame respet, par* nao' Jv frisad
de contradictorio, e mentiroso, como aconteceo
ao>meo Amigo, perante o publico, quinde* nao he
asam.
Isto posto, nSo posto, e tem dvo receBer o
seo presente, como amigo ( pois so' nesta quali.
dade he que o poderia receber); e por isso tomo
a resolucao de o yol lar, nao como desfeita, mas
como cautella, certificando a V. S., que logo
dirig.
T.
Seo amigo e Collega
J. B, C.
Illm. Snr. Padre Joao Barboza.
Oija a Liberdade de offertar a V. S. esta pe-
quena lembran^a.
Queira desculpar a ridiculariapois he s sig-
nal do meo reconhf cimento. Estimo va' a me?
Ihor da sua molestia e creta que son
De Vw S.
Sbo amig-o atiento e criado
Manoel Antonio Coclho.
Illm. Snr% Manoel Antonio Caelho.
Unto cordeal mente anda nao poder estreitar
com V S. os lagos de urna sincera amisade, pe-
la correspondencia, quehoje li no Diario, do Snr.
Portugal cotra meo Amigo Cansancio.
Receioso de que o-.mesmo me acontee i, te-
nho determinado nao manifestar nada, pro, nem
contra nossa queato, e nnuir to someute a'de-
cencia de sua accusacjfo (?), sera que preceda
(; Hoje porem ja nao eatou mais de*$e a-
cordo, visto o Sr. Portugal ter a liviandade d
anda? diseado a hum de cade ranxo, que eu te-
nho metido empenhospara com seo sogro, a nVh
de queell* me nao aecuae perante o Jury, quan
do eu pelo contrario, soq o meamo que tenho si.
do robado para isso, e ao que ja tinha anuido
poriqiecvngapdealgflns evpenhoa procurad.
pelo.mr. Caelho, sogro do Snr. Portugal. A sua
caftinltf, e o seo presente, com a confssfio de ser
um sigial de reconhechnento bem provo qual de
nos temnudo regado, e qual deu motivos ao re-
conhecimento Nao tei como gente to levianase
mete em questfes milindcosas perante o Publico.!

s
depoisque harmonisar legal mente comigo poderl
conhecer, si tenho, ou nao, a lhaneza, quesero.\
quer, para ser amigo franco, e sem ceremonia j
mas por ora, perdoe-me, que nao posso ser mais
que um
De V. S.
Mu attento venerador e servo
J. Barbota Cordeirtr.
S. C. 9 de Agosto de 1831.
.....
&Nie, Editor^- Quan do entre nos se vao af-
frouxando as Rondas Cvicas nocturnas, que tan-
tos bens tem produzido ( frouxido tal vez nasci-
da da paz, que felsmente gozamos ) e quando
alguns cidados por mal entendido espirito de
distmegao, e altanara escoarose, ou positiva
mente se negar, e nega a esta serv 90 ( por que
de tudo ha, mais ou menos, em toda parte ) jul-
go til publicar o seguinte i de huma carta fide-
digna da Corte.
Sea veneradora criado.
p >
O Amigo das Rondas
VjS acontecmentos do dia 15 do correte
( Julho ) pose -nos em conaternagao. Tem-sc
organhado hum Batalhao deofficiaes de todas
a.t classes, sem reserva de idude, e de con-*
di^o { e he quemfat hoje a Guarnico da Ci*
dade. He galante ver hum Tenente Genera?,
t ou hum V'iee Almirante com as correias, e a
granadeira ao hombro fazer seniinella !! / (r)
Snr. Editor.
3>
11
11
1)
11
R
JOeo-lhe a honra, e favor de dar lugar a esta
na sua- boa folha, a fin de que por fila conste, <
que a ^ociedade Patritica h -rmonisadora n Ses-
sao de 31 de Julho do corrent" eMabeKceo hum
solichador, a qae'm paga 200^000 rs. annuaes
para cuidar no Livramento do presos pobres ; e
que dous dos seos socios, que sao Advogados, se
compromettero a' fazer quanto fr preciso de
seos oicios em falta qualquer dos que pelo Juizo
forem nomeados aos mestnoa presos : outro sim,
que amesma Sociedade tomou sobre si alimentar,
e fazer as dispesas da possivel educucao des tres
orlaos desamparados filhos do n~>eso Patricio o
falecida Padre Joao Baptista da Fonoeca.
Oh! Dos a ajude.
Sou Senhor Editor,
Seo inuito respeitador C.

Hum dos Amigos da Patritica
(t) PernambucanoB Con idad >s briosos^
e,inimitaveis ^fio vos deixeis exceiler por e*
nhum Povo do Mundo em amor da Patria, e da
ordem. Ah l Q ie este quadro provoca a lgri-
ma, e me accende no fugo muid activo do PaUl
otismo (Do Cr.>
'


/

%my

N-
.'

St'. EBitor.
, o podendo ser indiferente aos despotis*
mos,1 e arbitrariedades do Juiz de Pa*z de'Nasa-
rth Antonio Dburado Cavalc-ante, Tenente Co
ronel 'eito apressa, (quea praftatSobra: acaben,
e talve com publicado do- nosso N oVaCdigo
Criminal) Vigatio Capitular, (haja vista ao Ca*
zarriento, qne elle, vallendo-se da su* authnrtda*
der quiz &zety de Hu'm Coelho owif huma Tarta*
ruga;) as fiz conhecer ao respeitavel ^Publico,
por meto de dnas Correspondencias insertas en os
seas Diarios do anno pr p. Bis seno quando ap-
parece, ( fUl outro defuncto Amigo do Povbj )'
qtiui uii8o pos nmuduSpd>qdtuJ ped'mdo aoraes-
morespeitavel Publico h-ouvesse des\ispendq^o
seu juizo acerca daquellas accusac/oetiBy nonqraaT''
t Ihe constata de certa, que dito seu amigo,
(do 631150 qatu pos qomsus pa qa'-.tf) chama?
ao tribunal dos Jurados o Matulo observador.
B por queja mais de feurft anrio se tero pus
sido, tendo o rapeitsvel publico suspensoy ein*
eerto o sen imparcial juizo, em tempe que
o &rett ter bem ce? to, e apurado; roga-rbe,. Snr.
E tdr, o achina, que, a vifcta de tamanhu lapso
de tempe, da Correspondencia do- Nazareno
~-, ja o pode dicidir, fazendo a justica do seu
cotu me ao
Matulo Olhetva&tyr*
' Um Pirmodeseis otavafj *ra b&Vi ertado^
aiade'rradfc mogbo, cora urna encord* cao deso-
brecellente: na ra do Livramsrito loj* deLi-
vreiro D. 1(5. .
~ Urna morada de caza com dous rfodares, \o-
ja, e porto, 40 palmos de largura,- e 102 de fun^;
do, bm quintal, cacimba,, e muitas arfres de
fruto, chaos proprio : enV Girada ldeira d Si
BentoN* 13.
-* Uriacazaterriajimto ao meamo" sobrado,
com igual fundo, e largura, paredes dobradasj,
ja travejada, quintal com cacimba, e'parriras,
muro depedra oat, e chbr propsios ; 2 mole-
quesquasi ladinos, e 4 nebros embancadicos, ha-
bis para servico de alvareagas, lanchas, Seo-,
Uina lancha grande, tudo por preijos corrtodos :
no Forte do M-wttos j rna- do A mori m, N. 1
uas moradas d cazas ternas novaste ben*
construidas, no principio do aterro do' Affbgadosr
defronte do viveiro, e caza de Monizi na ra a
Palacete D. 23.
>.
6,

.

COMPRAS.
.
.<.:


... ;,

"i: ( .
9rrr. Editor.
Q>
Uem pei^ntfr^oer saber: por tanto queira
fazer o fotor dizer-me,- setendo-se dacelleger do*
us Juizes de Paz, a Cmara, Municipal pedia
mandar presidir as Mezas Elleitoraes' ; huma pe
lo Juiz de Paz, outra pelo seu respectivo Suplen-
te, exircendo ambos em o mesmo dra as fuhcjoens
do seu Bmprego. Snr. Editor, se Vm me der to-
da ntelligenciad que seja htim Juiz' de Pa
hum Siipletise, alemde fazer buui bem ao Publ*
co, mcto'obrigara1' particularmente ao
M cazl de coelhos : narua'W>va armasen*
de farinha na cava do Mazsa.
I| ~ A Gramtica Filoaophica da lingo Portus
IffUezaw por Fermino Soares Barboza;
30 d'a Pracada Unio.
f)P-
"

PERDA.
.
Erdeo-se urna caixa de tabaco de prata
graodenocaminho do Forte do Biumj quem a
ti ver achado lete-a a ra do Litramento loja do
Livreiro D. 16, que sera' recompensado.


Nasmvno Ignorante.
?

VENDAS.

r\ Tlas celeste de Flamstie : "ha roa do Padre^
Floriano, sobrado da esqama, defronte do bec#
do Serigado* /
(fin molequ de 15 artnos: no atero da
Boa-vista era casa de Manoel Rodrigues do Pas-
so.
Trinta e sete couros salgados : na mesma
caza cima.
Umaescrava mocambique, 25annos dei-
dade, costureira^ engomadeira, e cozmheira ;
um filho Je 3 annos: na ra Direita D 11,3.
andar.
r* Urna venda na ra de S Rita nova IX 19 :
na rnesuta.
Rape'Princeza em-caiaes, eem libras: na
ra da Conceicao do Kecife na loja prxima a ca
aa N. 33.
m Um preto, de 18-nnos deidade, ou trocan
se por urna preta vendedeira de ra : no Forte do
Mattos 13. ^^
Urna porcao depennns de Emri, demuito
boa qualidade: no beco daLmgoeta N.!^9.'

o
R,
.-

i
AVIZOS PARTICULARES.
Oc ase a pessoa que anancion no dia 9 do
corrente por este Diario, ter achado um bilhete
de cobre, da quantia de Rs 100#000, queira a-
nunciar a sua residencia para ser procurada, afina
de daros signaes ertos indicados no dito Bilhete
ou querendo pode dirigirse defonte do Traprxe
nosoN. 14. : .
- A viuva Ann Thereza de Jezus moradora
nesta Praca faz publico que pessoa algoma com*
p.e, ou hipoteque a Herculana Francisca Pereira
moradora na PotoacSo do Bebedor Freguezia de
Granhuns, os bens do falecido seo filho o Reve-
rendo Joaqun Pedro de Ahneida que exercia de
Capelo no dito lugar do Bebedor, os bens se
f;uintes ; urna enginhoca, e caza situada em meta
egoa de trras foreira ao Erario Nacional, duas
cazas de tnipa citas nadita Pofoa^o, urna es-
cravapor nome Luzia, ura cavallo glido, duas
poltras, dose faccas de leite com auas crias, dois
rebanhos um de ovelhas, e outro de cabras, a pra-
ta do uso de casa, e os mais movis miedos visto
que* o dito seo fttho faleceo sem testamento, he
ella sua legitima erdetra por isso fa* oVs*nte a-
nuncio para em todo tempo seno cBaiaarem a ig-
norancia. 1 -ii
- Quera percisar de um caxeiro qtte saiba 1er,
escrever e contar, proprio para admintstrar e ze-
fcje de ferragem (pea pratica que de*e


^
["7D4-J
xercicio em tido a oito annos) com a perfeigao
que estiver ao seu alcanse, e tambcm da' um ou
mais fiadores abastados em bens e nome nesta pra
gadasua conducta e capacidade ; dirija-se ao
aterro da Boa-vista em caza de Manoel Rodri-
gues do Passo, ou anuncie.
No dia-4 do corrente mez passei um bilhete
a Marcelino Antonio Pereira de duzontos e qua
renta mil rs. em cobre, por compra de um escravo,
e no da 5 me foi aprezentado o dito bilhete por
Joaquim Dins, que no mesmo instante recebeu a
mencionada quantia, o que certifica Marcelino
Antonio, e como perdi o bilhete fago publico que
aparecendo, neuhum valor tera', pois que esta'
pago. Jos Felis da Cruz e Silva.
*-> A serrara de vapor que trabalhou nesta Ci-
dade na Boa-vista, acha-se estabelecida no Mon-
teiro, tocada por agoa, e dezempenha primoroza-
mente oferecendo o taboado depois das serras de-
sempeado exactamente, sem a mnima prectfSo
de inxo', e ate; como aplainado para muitas coi-
las. Tem a mesma serrara ja urna porcao nao
pequea de taboado para caixas muito bom se-
gundo o que fica dito do Engenho ; pau sangue
virgueiro, camassari, genipapo brabo, perjui,
jaguarana &c. e continua serrando. Quem qui-
zer experimentar os ditos objectos pode dirigir-se
ao abaixo assignedo, junio aonde esteve a dita
maquina de vapor, e declara-se-lhes que as despe-
gas de conducgoes M prezente sao por couta da
serrara.
Emigdio de Souza Lbo Brandao,
-> Preciza-se de urna ama de leite, forra, ou
cativa : quem estiver nestas circunstancias, diri-
ja-se a ra do Colegio N. 11, 2. andar, ou
anuncie.
Todos os Snrs., que tiverem algum negocio
com Joaquim Herculano Pereira Caldas, seja
qualquer que for asua natureza, podein dirigir-
se a ra dueita no2. andar do sobrado D. 13.
"-< Quem quizer ser feitor de um sitio perto da
praga ; dirjase a ra do Amorim N. 125.
- Quem precizar de urna mulher forra, ejai-
doza, que sabe engomar, cozinhar, e entende de
todos os arranjos de urna caza: anuncie aiua
morada.
Quem percizar de urna crioula forra, que
sabe cozinhar, engomar, e tem prestimo para, ou-
tro qualquer servico de caza : procnre no Mundo
novo N. 182.
Faustino Jacome Correia pertende retirar-se
para fora (esta Provincia, e assim o faz publico
para cumprir as ordens d Governo.
Quem quizer urna ama para caza, que tem
trez filhos menores, muito capas, e sabe cozinhar;
dirija-se a ra Direita D. 45.
Quem anunciou querer hipotecar, ou com-
prar urna caza terriano Bajrro da Boavista ; diri-
ja-se a ioje de ferrage defronte da Madre e Dos
N. SOI.
Quem quizer roupa lavada e engomada, e
costuras por prego cmodo ; dirija se a primeira
caza antes de chegar ao nixo do Livramento D.
10.
Francisco Rodrigues de Souza, e Salvador
Pereira d> O.ivoira, seguem viagem para o Ara-
ran, $ p*ra cumprirem as ordens do Governo
faz o prez^oji-anncio.
ESCRAYOS FGIDOS.
N. '
O dia 5 do corrente fugio um escravo de no-
me Antonio, mogambique, marinheiro de bordo
da canoa Calvario da Santa Craz ; reprezenta ter
de idade 32 annos, estatura alta, cheio do corpo,
com signaes da sua na gao no rosto : os aprehen* '
dedores levem-o a ra da Cadeia N. 1, a Joze
Gongalves Torres, que sera' bem recompengado
do seu trabalho.
No dia 7 do con ente dezapareceu decaza de
seu Snr. urna escrava de nome Mariana, Angolla,
idade 20 annos, estatura alta levou vestido de ris-
cado roxo, e pao da costa : os aprehendedores
podaro le Val la a Praga da Boa*vista botica de
'"Gusmao Jnior e Companhia.
De oordo do Pataxo Biazileiro, Bom Ami<
go, fugio no dia 27 deJulho p. p. um escravo
marinheiro, preto de Angolla, por nome Candi-
do, de corpo boixo, e grosso, rosto grande, e
com signaes de bexigas, bem ladino, levou ves-*
tido quando fugio carniza, e caiga de riscado da
costa, tem sido viste na Ribeira, e em Fora de
Portas: os aprehendedores levem-o abordo do
dito Pataxo, ou a caza N. 67 na Pracinha do
Corpo Santo, aonde se Ihe recompengara'.
No-dia 9 do corrente fugio um molatinho de
nome Januario com um cavalTo castanho, com u-
ma carga de lenha, de idade de 16 annos, pez
apalhetados, com urna marca de ferida feixada a
pouco no dedn grande do pe', levou vestido ca-
rniza e siroula de algodao, e jaqueta azul : os a-
prehendedofes bvem-o ao sitio do sobradinho na
estsada do Arraial, ou na ra das agoas verdes
n'urn sobrado defronte da Sacrista de S. Pe-
dro.
A 12 para 15 das fugio um escravo de no-
me Francisco, levando camizo de cambrainha,
jaqueta de ricadinho, e siroula de estopa, e'de
pequea estatura, seco pernas finas, e foi encon-
trado na estrada de Beberibe com urna sella nova
na cabega em companhia de um homem a cavallo
os aprehendedores levera-o a ra do Jardim D.
14, e sjfa' bem recompengado.
a 9 de Julho prximo passado, fugio
nome Antonia, baixa, meia ful-
po, tem manchas, ou panos pe-
lln vestido de riscado azul es
o da chito velho, baetaazul ea
a nova embainhada : os aprehendedores le*
n-a em caza de seu Snr. na ra larga do Ro-
zarlo D. 7, quesera' recompensado*
Fugio um moleque de nome Antonio, ida-
de de 13 a 14 annos, levou carniza e siroula de
hamburgo, e um ferro ao pescogo, olhos grandes,
nm signal abaixo do naris, pe3 grandes, e e' mui-
to ladino, costuma dizer que e' forro ; outras
vezes pede a quem o leve para o Rio de Janeiro,
dizendo que ficou aqu fgido, e que seu Sor. e'
o Tenente Joaquim Jeze do Oliveira a quem de-
seja ir seruir ; roga-se aqualquer Capito de Na-
vio, ou Commandante de Paquete, que nao re-
cebao a seo bordo o dito esclavo, e que por obze-
quio o fago remeter, a ra do Qneimado, D. 19,
que se lhe tcara' obrigado : o mesmo se recom-
inenda a qualquer Caqito de Compo, ou outra
pessoa a quem se promete bom pagamento.
^
1, e siu-
urna n
la, gre
los brag
uro no


PERNAMBCCO NA TYPOGRAFIA DO^ARIO, TtUA DA SOLEDADEN.o 498. 1831.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E88EPL0EO_JWNC7Z INGEST_TIME 2013-03-25T13:46:42Z PACKAGE AA00011611_01338
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES