Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01270


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^w
f^
1^
^^
ANNO DE 18.31. QniVTA PEIRa 91 DE JULTO
NUMERO 155.
DIARIO DE PERNAMRUCO.
.. H.?H-ToniC08'^"e "5 f>rem daa enantes deyerao t
lem dan de ma condicSes, pagar por cada linha impresa 40 rs
ejer entregue, na Joja I
' .'
moderadlo 3Jh? ^ n9 rae8m"8' dan88a Prudencia,
remw noitaZ 7 f Tmu" coa, principiamos, e i
remos aportados cm atimiracao entre as NacSesma cultas.

Proclamaqo de Attemblta Geral do Brasil.




PSKKAHBDCO NA T.POGBAF.A BE ATON.HO JoZE 0B M.HAKDA FALCA..

CMARA MUNICIPAL.
*< ;> *


Sesta Sessao
.
Ordinaria
de 1831.
DE
Presidencia do Snr. Marees
9 DE JLHO
.
I
I
Chando se presentes os Snrs. Veredores
ezeira Cavelcanie, Costa Jnior, Paula Rocha,
rito, Caldas, Esteves, e Peixoto.
Requizitou o Snr. Presidente, que se declaras-
te na presente Acta, que fioavo establecidas as
fcessoes Extraordinarias em todos os Sabbados
ut?is, e as Sfses Ordinarias em o primeiro dia
til de cada hum trimestre, e assim se resolveo u-
nanimemente.
Apresentou o mesmo Snr. Presidente como en*
c*rregado daProvedoria da Saude do Porto, ares-
posta d j requer ment de Nuno Mara de Seixas,
a qual com a' desta Cmara forao remetidos nes-
ta Sessao ao Excellentissimo Senhor Presiden-
te.
Recebeu.se hum requerimento de Bellarmino d'
Amida Cmara, em que denunciaba do Juiz de
Paz desta Freguezia, por infraccoes da Consti-
tuicao, referindo a soltura do preso Lou renco
Joze Tavares Pinto, o qual sendo preso com hu
ma facadeponta, por elle mesmo como coro-
mandante de huina ronda Cvica, e remetido ao
dito Juiz de Paz, este o inandou soltar depois de
8 das de prisao, sem lhe fazer o corpo de delicio
competente, e o remeter ao Juiz criminal para se
lhe rnipor a pena da Lei, a qual denuncia foi re-
metida ao Exm. Snr. Presidente para elle dar
adireccao, que achar justa na conformidade do
Artigo 58 da Carta deLei do primeiro de Outubro
de I oS.
Recebeo-se o orcaroento das pontes AfFogados,
Motocolombo' e Magdalena feito pelos Mestres,
Mat inhos, e Amorim no importe de 9:68#797, o
qual foi remetido ao Exm. Presidente da Provin-
cia. < : .
ReaolveoAse afila* Editaes para que todo o
marchante, que quiser continuar na marchanta-
r,a> v*nna esta Cmara prestar flanea edonea,
a nm de que por esta medida resulte a barateza
na carne, votando contra esta medida us Snrs.
Veredores Rocha, e Caldas
f Apresentou-se huta prospecto de hum mona
i".
. i
ment em memoria dos Mrtires da Patria de
1817, e 1824, offerecido pelos Cidados Joze
Maria Idelfonco Jacome da Veiga Pessoa, Jo-
ze Tavares Gomes da Fonceca, Antonio Carneiro
Machado Ros, e Francisco Antonio Pereira dos
Santos, pedindo licenca para poder colocar no
largo da Praca da Boa-vista, o que lhes foi con-
cedido. ,
Resolveo se continuar a Sessao Ordinaria, em
conseiuencia de assim-terem requerido os Senho
res Veredores Be/erra Cava lean te, e Esteves,
pela urgencia, que ha de se tractar dos objectos
das posturas, e dos reparos das pontes.
Requereo o Snr. Vereador Esteves, que agora
soubera, que lhe fora notado por falto as Vere-
acoes da primeira athe a quinta Sessao ordinaria,
que continua, oque nao tinha lugar porque ten-
do sido costume parteeiparse odia em que come-
cao as Sessoe3 ordinarias, nao teve elle essa par*
tecipacao, que esperava se lhe fizesse, o que fot
approvado por todos os Veredores, em conse-
quen?ia disto >rao marcados os dias como ja rica
dito, e por ser dada a hora declarou o >nr. Pre-
sidente fechada a Sessao, e para constar manda-
rao fazer esta Acta em que assignarao. Eu,
Francisco Antonio de Carvalho Secretario Interi-
no da Cmara Municipal a escrevi Moraes, P.
Bizerra CavalcanteCosta JniorPaula
RochaBritoCaldasEstevese Peixoto.
----------------
.
Setimt Sessao Ordinaria de 11 de Jumo
de 1831. ,
Presidencia do Snr. Moraes.
P*
Resentes os Snrs. Veredores Caldas, Es-
teves, Rocha, Brito, Costa Juuor, e Beze. i
Cavalcante, faltando com cauza os Snrs. Vere-
dores Peixoto, e Paula.
Julgando se preciso, que se houvesee declara
do na Acta de 9 do crreme, que esta Cainr.ra<
consultou a S. Exc. o Snr. Presidente, por hu-
ma Commisso de 3 de seusunembrcs. os Sonhn-
res Veredores Peixoto, Caldas, e Cota ,Junor,
sobe a pertncao dos Cidados Joze Maria Idel-
fonco, Joze Tavares Gomes da Fonceca, An'o-
nio Carneiro Machado, e Francisco Antonio Pe*.
reir dos Santos, do prospecto Dor elles apresen-
tado, e Licenca pedida e que S, Exc* prestou o




<
*
t*
[634]

seo beneplcito, e nao se havendo declarad*,- o
fasemos declara na presente Acta.
Recebeo-se hum officio do Exm. Presidente do
Governo satisfazendo a requisiefi), que mU C-
mara fez por officio de 7 do corrente, certihcan-
do haver officiado ap Exm. Snr. Commandante
das Armas, para ordenar aos Commandautes das
Fortalezas, e quarteis, para franquearen! a Com*
missao Inspeccionante, as prizes Civis e Milita*
res.
Resolveo-se officiar ao Sr, Doutor Ouvidorda
Comarca pela Lei, para em qualidade de Juiz
Criminal tomar a denuncia contra o correspon-
dente do Diario n, ^ 118, em consequencia da re-
soluto tomada em Sessao de 5 do corrente, por
ser o negocio desta Cmara, e nao poder o Pre-
sidente della, em qualidade de Juiz de Forape-
la Le Presidir est causa.
Ofnciou-se aos Snrs. Vereadores Ramos, e
Fassos, para comparecerem na Sessao Extraor-
dinaria, que seguir que selhe fara' aviso, por es-
tar fnda a Licen^a que pedirSo.
Ficafeixada a Ses&ao Ordinaria por estarem
em revisao as novas Posturas, das quaes, e dos
repacos das pontea se tratara' na priraeira Sessao.
por ser dada a hora declarou o Snr. Presiden-
te feixada a Sessao, e para constar mandarao f
zer esta Acta em que assigna'o. Eu Francisco
Antonio de Carvalho Secretario Interino da C-
mara Municipal a escrevi. Momes P. Caldas
** Esteves Rocha Costa Jnior Bizerra Ca-
ralcante.
A


Yista da seguinte certidao eonhe^a o Go-
Temo com que direito come o Pinto sujo, de
quem fallamos no nosso Diario de segunda feira,
o dinheiro da Nacao.

JLLlustrissimo e Excellantissimo Snr. Diz
F............ que para bem de seu direi to pre
cisa, que pela Secretaria das Ordena de V. Ex.
se lhe passe por Certidao o teor do asser.to da pri-
sti de Antonio Pinto, Portuguez que vrio presu
do Reconcavo da Babia em 1823, eo mais que
do mesmo assento constar, P.a V. Ex.seja ser-
vido mandar dar a Certidao pedida. Ef. M.
x- Passe. Palacio do Governo de Pernambuco
16 de Julho de 1831. Pinheiro.
M
Certidao
, anoelFrancisco Soares, 2. Tenente as
Ordens do Governo desta Provincia &c. Certifi-
co, que a folhas cento e onze do Li'vro primeiro
de as sentos de presos existente nesta Secretaria se
acha o assento de que faz mensao o Supplicante,
cujo theor he o seguinte. Antonio Pinto, preso
r'.cjlhido aCadeia d*sta Cidade em desenove de
Janeiro de mil oitocentoa e vinte trez, remettido
pelo Governo da Villa da Caxueira. Removi-
do para a Cada da Cidade de 01 inda. Anto-
nio Pinto foi entregue ao Commandante do Es*
quadro Franc'sco Joze Martins, para assentar
Priuja em nove de Fevereiro de mil oilo ceios e
vinte trez. E para que o ref.-rido conste onde
convier fiz passar a presante certidao em virtude
do Despacho rectro. Secretaria das Ordens do
Governo de Pernambuco dezenove de Julho de
mil oitocentos e trinta e mu.
Manocl Francisco Soaret,
Pede-nt-nos a inserce do seguinte artigo da No*-
va Sentindia
KJS grandes homens, aquelles que pelos servi-
eos prestados a Patria, se tem tornado o dolo de
seos Concjdados, eobjecto, do geral respeitoj*
mais deixao de estar sugeitos ao odio e a intriga
dos ambiciosos, que de continuo, trabalho na
ruina desses quelhes oppoem urna barreira i mpe-
netrare!. Arrancado a 7 mezes da profundidade
d.is masmorras onde o lanzara esse Tiranno D,
Pedro de Alcntara, agora he novamente lancado
n'ellas, vindo prezo de sua Patria, o Immortal
Cidadao Barata, esse Hroe que desde o momen-
to de nossa Independencia Sustentou firme, e co-
rajoso a causa de JLiberdade Brasilera, que anda
hoje faz o motivo de sua injusta prizo !! Hum
velho respeitavel, o Mrtir da Patria e da Liber-
dade, p dolo Brasileiro,, ainda depois da 7 de
Abril, he maculado pea intriga, e lancado em
huma mas morra!!! Cre-lo-heis, Leitores? Quan-
do Villla, e Clemente Pereira vivem no ineio de
nos impunes, Barata geme em huma Fortale-
za!!!!! Quis tolia fondo..-----temporal la-
crimes?...... Nada porm temos que admi*
rar ; Barata nao he aprimeira victima da sua pro-
pria honra esta he sempre a sorte dos horoens
Grandes, e a historia justifica quanto arennos
a tal respeito. Scrates expirou victima da intri-
ga e da inveia ; Pochion recebeu a cicuta em pre-
mio de seos serrinos ; hum brbaro a foroc sino
proscreveu Aristides do seio da Patria, e as ba-
talhas de Bilizerio, e seus servaos militares nem
h'ima considera cao mereeerao a esse General
Guerreiro que mendigava ceg o sustente da sua
vida!!! ....
Os inimigns de Barata sao bem conhecidos :
debalde se disfarc,o com o veo de adherirem a
cauza da Liberdade; sao trahidjres ; sao despo-
tas, sao fiscravos, e bosta para sua infamia o se-
rena aristcratas d tempo do Pedro ladrao, Se-
us crimes sent ponidos e o Hroe Barata encon<
trar nos bracos do grato, e carinh zo Povo Flu-
minense o premio que he devido a seus serv908
relevantes, e conhecidos p-lo Brasil inteiro.
Despotas mo-dti vas, este ancio que tanto nos
iuiomoda, j mais sera' victima de vossos mons-
truo zos planos; vos sois bem conhecidos Quem
foi agraciado por Pedro Ladro, quem he Aris-
tcrata, hade padecer no Brasil, onde he bem co-
nhecido por todos.
Si
CORRESPONDENCIAS.

>V. Editor Tcndo sido injustamente pro-
vocado em alguns nmeros de seu D ario por pes-
soas, que ou me sao desafectas, ou me nao conhe-
cem, tenho-ine ate' hoje conservado silencioso a's
vagas aecusa^es, que se me tem feito; mas ve-
jo-me agora obrigado pela primeira e ultima vez,
a d;zer alguma couza, em tatisfa^o de minha
reputreo, pelo que lite rogo tenha a bondade de
inserir em sua estimavel Folha a seguinte declara-
co : Que, se nao tenho sido mais exacto no ge-
ral cumpnmento, e desempenho da Fiscalisaco
dos trez Bairros desta Cidade, de que me acho
encarregado, nao he isso HMffclo de o.isso mi-
nhu, mas de me nao ai har ainda premomdo das
competentes instrueces, inherentes a taes empre-
gos ; Que as posturas, que me i'vem serv r de
regiment, e tscudo, para poder curar das truns-
\


w

^.
[ 35 ]
I gresroes, qusehouver de commetter, esto em
m revisao, ha ms de trez mezes, e nwforo ainda
I publicadas : Que, nao obslante, tenho feito o
% que de minha parte esta', no c umprimento de al-
% guns Artigos de posturas antigs, que me tem ser-
vido-de governo por roe parece em applicaveis a'
todos os tempos, ea alguna casos, a' bem do pu-
blico, em quanto o contrario me nao for ordena-
do : Que, a vista de tao infundamentadas accu-
sscoes de ommisso, e de outras coihub, com que
sepertendeatinuar-me, o Publico Judicioso, e
Imparcial acreditara' minhas a roes, pelo que
ellas sao, e devem ser, a nao pelo que de mira
dizem os mcoa antagonistas ; certo de qua, por
minha conducta, teriho evit .do, e evita re i pelo
poder a'estes, facios, por oade posso contia
mim exercer a sua maledicencia e Que finalmen-
te, nao sendo de minha intencao excusarme a'
responsabiliidade, qtit me posea reverter de qual
quer oroissao, que de ninfea parte possa haver,
no desempenhi) de minhs actuaes obrigacoes,
como empregado publico; jn%a com tudo de
meu dever prevenir as pessoaa, que menj fco-
nhecem, e de quem espero me facao justici, que
podendoeu, como homem errar, nao possocom
tudo convencerme de que tenha comniettido fal-
tas, para tao atrozmente ser deprimida a minha
reputadlo ; e que, no caso de preciso ser, pode-
ra levar esta asnergao a' ultima evidencia.
Francisco de Barros Flcete de Laceria C-
saleante.
.
Fiscal desta Cidade.

s


;

Nr. Editor Mu contente ticaria sem chrvi-
cla o invicto Sentioella Pernambucano se alguem
Ihecontasseaoouvido, oque por meio de hum
estillo de alto coturno pronunciou em J$. B.nto
perante muita gente do olho vivo o Ilustre Se-
chor Souza Martins, hum dos Aristcratas por
exctllcncia, membro forte da sociedade Patrio-
tica, e p*rte d- hum tudo quanto ha de bom na
Academia de Olinda / Ah quem dera ao bom
sentinela apanhar as palavrinhas do Snr. Sou-
za!.... que palitinho nao teria elle para esgra-
vatar o*, den tes !! Mas nao me pilha o segredinho,
queso' confio de Vm Snr. Editor, pedndolhe
de joellio em trra, e inao postas, m'o nao revele
a viva alma. La vai.
Fallando-se ( antes de pi incipiarem as Aulas )
sobre o descontentamento, que se divultrava em
algumas pessoas a cerca da Patrioticao Snr.
Martins arqueando as sobrancelhag, e lanzan-
do faiscas dus olhos assim disse sd levndose
o publico a pao e avan^ju mais,, para ser aqul-
la corporacSo boa, basto ser ella huma socieda-
de,, de maneira que reduzindo-se o terminante
raciocinio d Snr. Martins a' hum Enthimema
pode-se concluir: ergo huma sociedade deroq-
badores he boa. Bravo, bravo. Vv o Snr,
Martins ... vi .. .va, que so por uto deve ser
Dep-tado, e athe desput td&o. Pobres maturos
dePinuhy para quera prepara hum assolador
con. i niponas de Fidalg-arro/e. Snr. Editor, te-
nh* a hondade re arrumar estas lnrns em o lu-
gormis re-ndito do sen Diario para ninguem
saber o que se pausa entre Vm e este
Sen fluctuoso leitor
O Dinguinlindingue.
i
s
$
* I
AfR. Editor. Aosprimeiros boatos a fes*
peito do depoimento to nosso patricio o Snri Ma-
noe| pau|0 Quintella, sobre os factas de 34 ex-
trados dOB archiVos, ( ja sabe, para servir a Pa
11 ) o meu coracao estremeceo na conjetura de
que tal vez o terror, alguraa inimisade, ou outro/
qualquer motivo oculto, que nunca felto mor-
f>e"|let.entr" serventuarios pblicos, e a que tao
tacil he ceder o cora cao humano em momentos
e ymganca, deshsassem o meo Amigo da vereda
da honra, da intoireza, eda verdade: ah quan
to sou contente! A Buesola N. 7 ou o sea Pin*
tambo; deevaneceo completamente meo vao re-
co : apareceo o depoimento de hum hornera de
bem, de hom patriota, que nao de vendo como
tal faJtr a verdade, disse a verdade 1 E em ene
he pode isso ser desairnso ? Os factos sobre que
jurou ante hum tribunal de sangue, os quaea per-
tend*ndo negar, a d speito da mais etenca notc<
r edade o comprime! erio, nao sao os que abali*
sao a heroicidade do Snr, Carvalho? Prndente
Pr geral adamadlo? (assentimento) Que se'
mandarao tropas bater a Barra grande ; que se
Pjojectou a federadlo; que se convidar as Pro
vincias do norfe ; c. nada mais verdico, nem
mais glorioso t o risco lhe devia correr quem lhe
. tirara o proveito. Seja abensoada a Bussola, eo
seu Pintainho cressa sem gfUgo, para restituir
sempre assim, o crdito dos verdadeiros consti*
to Amigo Huma vez que se nao pro ve que o Snr.
Qttintella foi voluitarimente depor, o sea' jura-
mento nao o pode jamis aviltar entre as pessoas-
de censo : l'. porqu nao devendo nunca faltar
a verdade nem contra ci, muito menos contra ou-
tros, com tudo, s respondeo o preciso para nao
se construir connivente^ ou maluco; 8.^ por
queretficou os mhis brilhantes fitos quehoje
distingue o entao Reo, nao acressentando o mui-
to rna s quesnbia, como obrara se f'ora hum cru-
el denunciante: 3. por que seguio muito hon>
i admente o conselho de J. C. *-* I i vra-te dos ma*'
les, que Eu te livrarei dorares E qual he hoje
em da o pinto que se expom a morte nem por
seu Pai ? *
Exulto por ver tao exuberantemente inte-
gra a cisudesa do meo Amigo, pelo proprio facto
com que o pretendio delrair. Rogo ao Sr. E-
ditor em obsequio da gratidao, em abono da es
tima de que nos he credora a verdade a publica-
cao mais breve desta, que em oposico ao Pintai-
nho lhe dirije. *?
O FrangOi
r

-
THEATRO.
.
aLll'OjE 21 do corrente a Beneficio de Angela
Montini Garda, se representara* ao publico a
Pessa Patritica o Ministro Constitucional^'
intermediada de Excel lentes Overturas e da A
ria, cantada por Madama Prima, a Festa da
Roza, do Duto cantado pelo actor Henrique
Carlos, e Anna Mara do Carmo, a Despean
da do Marujo de um novo Terceto Bailavel,
do Minuete escocez, e do novo Pantomimo o
Cazamento or engao, cohclrndo cent amtl?
to engracada danca a Gavota.



(





l
VENDAS.
U."
M negro da costa, canoeiro, e urna canoa
pequea aberta : na ra Nova loja de puntea.
Z m moleque, 14 annos, cozmheiro: fal
lem a Luis Custodio Correia, na pracinha doXi-
Vraroento D. 19.
Urna escrata, cozinheira, e engomadeira,
90 annos, parida a poucos dias com rauito bom
leite, e sem cria: na ra d'Agoas Verdes, D 23.
- Pedras de cantara, e lages, urna leiteira
em bom uzo, e azeite de carrapato por preca c-
modo : na Botica D. 7 da ra do Rozario.
Vndese, ou ipoteca-se ura citio com ca
zas terrias, e urna de sobrado principiada, unido
o ponte da passagenr da Magdalena : na entrada
da ra do Rahgel lado esquerdo D. 39.
Na Praca da Unio N. 30
Vieira, Dectionary luglish And. Portugus, t
volumes
Ma?son, Dictionnaire de V Academie Francaise
2 tol.
Constancio, Dito des langues Francaiae et Portu-
gnise 2 vol.
Barbozi, Dito Franjis et Italien, 2 tol.
Voltaire, Dito Philosophique, 9 vol,
Dito Hestorique, Critique a% Biblio-
' graphique, 30 tol.
Peigent, Dito dito dito 3 tol.
Vosgien, Dito Geographique Unirerael, 1 tol.
Compendio de Geografa-Histrica Antiga emo-
moderna, e Cbronologia.
.-i Urna tenda no pateo do Pilar ; na esquina
n. J44.
-< Bi*ae grandes, e pequeas, com condicao
de se trocarem aquellas, que nao pegarem : na
venda da ra do Vigario n. 50
m Um fardamento para Official de Cansado-
res de Primeira linha ; na Prca da Unio n.
28.
Bixas com a condico de trocar-se as que
-nao pegarem : na tenda dequa.tro portas da ra
do Vigario esquina para o Forte do Maos.
636 jfa
rendir procure Capitao-mor Gocalo da Costa
B*rboza na Villa> do Pombal, ou com Manoel
Rodrigues do Panano aterro da Bod-tista.
COMPRAS.

c
_'Avalgs de carga, nao sendo velho9: na bo
tica da ra do Rozario D. 7.

400, a 600 tullas velhas : as cinco pontas
D. 12. ou anuncie.
-h Urnas anriilhas notos, ou uzadas; na Pra-
ca da Unio n. 28.
Na Praga da Uniao loje n. 30 ouro, pra-
ta, e cobre, sem feitio, chamado couiuinente re-
Ibo.
Urna venda grande, em bom lugar, adi-
nheiro, aqual venda diariamente de 12$000 rs.
para cima : quem a tiver anuncie.
Bscravos de toda a qualidade com offitio
ou sem elle; na ra das Cruzes D. 4. 2. an
dar.
ARRENDAMENT3.
Ai \ 1
Rrenda-sb a metade do sitio PaoMsta ri-
beira das pmsanhae de baixo, da parte do nerte,
que serve para criar g*do ; quem o periender ai-
'
'
AVIZOS PARTICULARES.
.
Rbciza-sb de urna creada para caza, nao
sendo moca : na botica da ra do Rozario D. 7.
- Qnalqufcr pessoa, que tendo urna casa ter-
na na Boavista, a quiser hyootecar, anuncie.
m Quem anuncion no Diario n. 153 preti-
zardeuma preta cativa para criar urna enanca,
dirija-se a rna do Azeite de PeiXe n. 13.
- Precza-se falar com o Snr. Padre Antonio
Joze Ribeiro, na Praca da Unio N. 28, e e
negocio de seu interesse.
_ Quem quizer urna mulher de idade para a-
made caza ; dirija-se a ra o Aiago N. 202.
s


E,
ESCRAVOS FGIDOS.
,

_M o da; IS do corrente fogio um moleque
ds nome Joaquim, bm preto, da Costa ( sem ter
IhIdos no resto), 9annos de idade, em um dos
lados do naris lem urna costura, e em ambos os
cotvellos marcas de sarnas : camisa, e calca &c.
sendo esta de estopa, e aquella de brim : quem o
adiar podera1 letat-o a seu senhor as b Pontas,
ra dos Copiares D. 5 que recompensara' o tra-
balho.
-. No dia 11 do corrente fugio um negro de
nome Benedicto, Camundonho, baixo, lingoa
embarazada, e tem no hombro direito a maica M :
letou carniza de a!godo-ziriho nota, e calca u-
zada de duraque cor de canna ; quem o pegar,
lete-o a ra des Quarteis D. 2, e sera' bem pa
go.
Fugio hade hter, dous mezez, um negro
da Co9ta, de nome Joo btmin, quase ceg,
tendo por signal, urna ferida na perna esquerda ;
naturalmente hade estar peto mato cortando ca
pim e lenha para outros conduzirem, por ser este
o trafilo, a que elle eptava acontumado ; quein o
aprehender, podera' trazello a casa de seu senhor
no Kecife na ra do Vigario n. 7 que sera' gra-
tificado pelo seu trabalho, .
P
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no dia 20,
Orto deGalintns; 12 h iras; L. S. Anto
nio, M. Alberto Martins, carga lenha, a Antonio
Joze de Oliveira.
..
Navios saludos no mesmo dia.

i
U> : _
Nna ; S Lourentina, M. Joze Marques,
em lastro, e 3 pessageiros.
Monte Video; B AIcino, M. Joze Altes
da Silva, carg-a sal, passageuos Joze Joaquim
lor^e Goncalves 1 filho menor eseu genio J r?e ;i de Araujo e Aguiar Capit > do 8. Corio
drt Aiiilheria de Posic, a"o da primeira Linha, Jo-
anna II,/.a 2 filbas e 1 filho todos menores, e 2
esclavos lemetidos.

PERNAMBUCONATYPOGiUFIAU O DIARIO, RA DA SOLED ADEN. 498, 1831.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQVTUXSDO_CG0FUX INGEST_TIME 2013-03-25T13:22:00Z PACKAGE AA00011611_01270
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES