Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01156


This item is only available as the following downloads:


Full Text

(
HM
I II
pO DE ,83
QUINTA FE1RA 28 DE ABRIL.
L' t NUMERO rtr.
la de ipieimam'ibidc
uhscj
i
revese mensalmentea'.o res pagos adietados, ein caza do"Editor'sbSlNTE^^n)Su
n. a;; onde tambero se receber correspondencias, e anuncios: estes inserem-se sratis, sendo
Ke assignantes v.ndo ass.gnados e era o lugar da morad,, e serao' publicados no da immediato
ao da entrega, sendo esta feta atd+rneio da e vindo rezmidos.
PERNAMBCO; NA TYPOGRAFIA FIDEDIGNA, RA DAS FLORES, N. iS. l83l.
________________ I^M

I
/ ARTIGO D'OFFICIO.
Aeta da 18.a Sesso Ordinaria do Conse-
Iho do Governo em 23 de Abril de i83i ,
presidida pelo Exm. Sr. Presidente Joa-
quim Jos Pinheiro de Vasconcellos.

Aohnrab-se reunidos os Senhores Con-
selheiros Francisco de Paula Cava lean ti
de Albhquerque, Deao Bernardo Luiz Fer-
reira, Gervasio Pires Ferreira, Dcsembarga-
dor Thomaz Antonio Maeiel Monten o,^ e
Do-itora] Manoel Ignacio de Carvalho ; fal-
tando o Sr. IVlanoel Zeirino dos Santos.
Foilida, e approvada a Acta da Sessa
antecedente.
Tratouse de varios objectos de utilidade
Publica; e deo-se por finda a Sesso. eu
Vicente .Thomaz Pires de FigueredoCamar-
go Secretario do Governo e do Conselho
a subscrevi. Seguiud-se as asignaturas.
:.
CAM RY MUNICIPAL.
Extracto da Sesso extraordinaria
de 26 de Marco.
Prezidencia do Sr. Mello.
P
X Aesentes os Senhores Vereadores Mora-
tes Ferreira de Moraes Ferreira, Bap-
tista Paula Gomes e Esteves faltando
com causa o Senhoi- Leal, e a berta a Sesso
fz-se a leitura do seguate.
Huma participado do Fiscal dos Affoga-
dos, que o Juiz de Paz Francisco de
Sales se tinlia mudado para a Villa de
Sirnhaem. Discutida resolveo-se empos-
sar o immtdiato e sendo-o K aquim Flo-
rencio da Fonceca, actual Supplente que
com o adre Joo Henrique do Templo,
e Joaquim Ignacio Gonsalves da Luz est em
igualdade de votos decidio-se a sorte pelo
primeiro ao qual se mandou expedir Di-
ploma e convocar com o eleito Supplen-
te* Joaquim Ignacio Gonsalres da Luz para
-a posse.

Hum Requer ment de Jos Baptista Ki-
beiro de Faria, que em virtude ue huma
sen tenca da Aelaea pedia se lhe mandasse
eordear para edificar em hum terreno con-
tiguo ao arcao de S. Antonio; cordeacao
que lhe negara a Cmara transacta por
entender que o edificio nesse lugar se op-
punha servido publica, e formoseamen-
to da Cidade. Bastantemente discutido e
o parecer da Commissao ad hoe nomeada ,
e tendo jurado suspeico os Senhores Passo,
e Ferreira de Moraes vtaro contra o
requerimento s Senhores Ferreira, Esteves,
e Przidene e a favor os de mais desem-
patando o Sr. Presidente pelo indeferimen-
to por quanto estava presente o Titulo do
dominio do terreno pela Cmara.
Os Senhores Paula Gomes, e Ferreira
de Moraes fi/erao huma proposta para se
sobrestar no concert da Ponte dos Affoga-
dos ( grite quem gritar) visto que tendo-
se elle supposta pequeo e conheeido ur-
gentissimo,' hia-se descubrindo cada vez
mais ruinas, at que se expendao as for-
milidades da Lei. Approvada.
Indicou entilo o Sr. Presidente, que se
tomassem as desejadas_jnedidas legaes para
o concert. Resolveo-se que o Fiscal fases -
se o Orcametito por peritos para haver ar-
rema taco.
O Procurador apresentou as suas cori-
tas do i. trimestre do presente an-
no. Foro ao Senhor Lerreira para
examinar.
Posta pregao a Obra da Ponte do Aeci-
fe, apareceo Francisco Antonio Pereira dos
Santos, e exigi por escripto, para poder
licitar algumas declaraces do Orcamen-
to. Resolveo-se officiar ao Ex. Presiden-
te para mandar ao Engenheiro satisfazei-
las.
Despacha rao-Se requer me ritos.


EDITAL.

A. Cmara Municipal desta Cidade, tendo
de concluir Arremataco da obra da Pon-
te do Reeiffe conforme o Orcamento feito ;


r>

eqnefoi lancador o Tenentc Coronel Ma-
ribri Cavalcanti de Albuquerque, o qual
laucn fuer a Ponte pela quantia de
SLfi6^fS4|6 na forma do Oreamento, e
. has ordicoes, nao se effectuou a Arrema-
<< o porqtiT o dito lancador nao se sugei-
toi a pena de 4:ooo$ooo de re* imposta
pela Cmara no caso de se nao concluir
obra no termo de 120 dias uteis conforme
o Oreamento : agora porem que a Cma-
ra resolve impr smente a pena de
ilootfooo a que o dito;iancador Cavlcanti se
sugefta pagar no cazo de nao apresentar
concluida plenamente a Ponte no prazo que
pedio de mais3o dias sobre a do oreamen-
to eque fasem i 5o dias uteis, cuja pena
satisfar por si seos herdeiros, e Fiadores;,
niia no cazo de prestarse com toda a dili-
gencia sem que possa oppr causas furtu-
tas, e imprevistas, porque haverido negli-
gencia sofrer ser acabada a obra a sua cus-
a, e de mais sofrra a multa de 1 :ooo$ooo,
e porque a taes conduces nao forao pre-
zentes outros lanzadores, faz a Cmara este
anuncio p^ra que comparessao os lanqado-
res, na Sesso do da 28 do correte Abril
uas Cazas das mesmas. Eu Francisco Anto-
nio de Carvalho Secretario Interino o es-
ere\i. Reciffe cm Sesso Ordinaria da
Cmara Municipal de 2b de Abril de i83i.
Antonio Elias de Moraes.P.
Jos Antonio Esteres.
Francisco de Paula Gomes.dos Santos.
Jos Roiz' do Passo.
Jos Joaquim Beserra Cavalcanti.
Rento Jos da Costa Jnior.



CORRESPONDENCIA.
Sni*. Editor Sempre observador da
Lei sob o Governo* Monarchieo-Constituci-
onal, obedecendo respetosamente, como
cumpria as Autoridades constituidas, nao
tinha razao para duvidar, que assim me
conduzindo, ficaria relevado de jalaos im-
properios, mormente dos improvizads por
esses Snrs,, que tanto se enculco detenso-
res acrrimos dos Direitos Magestaticos;
porem fui illudido anal, e com a leitura
do Cruzeiro n. 89 (em que seu autor com
a denominaca de Totcnio do Correio me
. reprezenta surrado pela Faceao Carvalhina)
passo agora a ficar convencido, de que to-
do o Cidado, apesar de reiterados esforcos
para se constituir merecedor da geral esti-
ma nao escapar a esses Snrs. como objecto
de antipata para ser ridicularizado, huma
vez que deixe de approvar os daados pla-
nos para as Bas especulares lucrativas.
Cumpre-me por tanto para fazer desvane-
cer oconceito desprezivel, que sobre uum
tnha peroduzido a letura desse Peridico
aue euleve ao conbeciment do jud.c.ozo
Publico, qual a desafeiqao, que merec de
certa -ente em 1824, e consequentemente
os perLs, que estive sacrificado, sem
confu usa? lela infamia de ser surra-
dfentendendo como ainda hoje entendo
que a nossa Constituido, naquelletempo
Proiecto oTerecido por S. M. t devia fazer
a nossa felicidade eu fui sempre do voto
aue o aceitassemos desde logo jurando-
Lo ja se havia feito em outras Provin-
cias, quando aqui se trata va de f.zer llie
opposnja ; e porque eu concorresse auaii-
to em mim catia para que elle fos^e divul-
gado assim como os parceeres de algumas
Cmaras do Sul, que ja o havio acetado
cuios impressos eu havia recebido, e aqu
se oceultavao ; chamei sobre mim por tal
procedimiento o odio de alguna uitolleran-
tes e exaltados, cuja razao e direitos sao
nicamente a sua vontule, gente que a-
parece em todos os partidos, eque tasem
em todos o essencial do odioso delles preme-
ditaro elles pois dar-ne un signal de sua
desaprovaco, e em huma noute alguna tos
mais desalmados esperando-me a sabida da
Casadeum amigo, investiro-me funozamen-
te; mas a vclocidade deminha carreira, nico
re urso a que me pude amparar era tal oc-
casio, me livrou daquclles furiosos, um
dos quaes a penas me cicatrisou com a pon-
ta da espada : tudo isto pode ser compro-
vado pelo Senhor Capito Joze Antonio do
Batalhao f 8 que presencio o tacto, e seni
victima attento o seu e*tado morbozo, se
como en fosse perseguido.
Eis fielmente todos os insul-
tos que sofi i naquelle tenyo, e cuja iiar-
racio, se bem que agora forjadamente a
publique, ale entelo nunca-julguei preciza,
ol a proposito, tanto por nao envolver ol>
jecto interessante, como porque jamis
procurei inculcr-me para recompensas
em objei tos, propriamente do meu dever.
Ate aqui est demonstrado, e he pnbUct-
simO que o Totonio do Correio, segundo
a fraze do Redactor do Cruzeiro, nao tora
surrado, apezar dos insiciaveis dezejos de
nietamaforseados defensores do Trono Im-
perial ; agora resta-me tobem saber de
Vm. i no que me fara especial issimo ob-
zequio, qual a cauza primordial de nao ter
simpatizado comigo es se Redactor. Sera
porque no revolto auno de i8a3 nao me
enronhava nos uniformes de guerrilha pa-
ra com elle suciar as patuscadas de prea-


Jtt


(38 rf

s Pussns ? Ser talvez por nao rae
embriagado naquella poca o amor da
Patria, chegando o calor patritico ao
tirioo excesso de entrar pela Tipografa
de que Vm. era primeiro Compositor, e a*
quelle Redactor aprendiz, cutilando ban-
cos, mesas, e almarios entre gritos ater-
L radnres de morro esss Tirannos, e viva
a berdade ? Ou ser porque na propa-
guei como campeo por essas'Villas Centra-
es as delicias da Gonfederacao ? Por acazo
ser porque nao tive a habilidade e astu-
cia de fugir de huma dessas Cadeias, como
elle o fizera, quando fora prezo, por se ter
ja evaporado a governanca doEquador?
Ou ser finalmente .... nao me adiantarei
inais eem troco da desaffeicao, que me con-
serva gratuitamente esse Redactor, eu me
condo de suas indiserices, mormente
quando observo, que elle, e outros muitos
so arrastados da forga de circunstancias
proerem por conveniencia o contrario do
que sentem no fundo do seu eoracao.
Rogo-lhe pois, Snr. Editor, queira dar
lugar estas mal traca das linhas no seu
Peridico, por bem da verdade. Eu sou
no Correio o Ajudante Contador e em toda
aparte o
Seu amigo e Patricio.
Antonio Joze Gomes.

THEATRO.
Beneficio de Francisco de Freitag Gamboa
Aloje quinta ira 28, se hade representar
urna nova e magnifica Peca intitulada
-CRISTIANO ttEI DE DINAMARCA
^-Nesta sumptuosa comedia'se ver um
indig uzurario sempre prejudicial aos
seus similhantes, um malvolo Escrivao
empatando cora suas artimanhas as rectas
aces da jusfica; um indigno procurador
que hipcrita vende as partes, e finalmen-
te urna preversa testera unha falga, que to
perniciosa se tcrnti a humanidade, tantas
vesc quantas pelos labios preversos lh
sai o dora da palavra: porem o Ceo condoi-
do dos males da humanidade the enva um
Anjo tutelar, um Monarca tecto, e justicei-
ro que atendendo aos males do seu povo
faz cortar pela raz o germen de tantos ma-
les, premeia o Soldado benemrito, casti-
ga o Juiz arbitrario, socorre o lavrador o-
primido, filialmente, eleva em triunfo a vir-
tude preseguida, e quaze baaueada aos pes
da prepotencia, por outro lado vinga a hu-
manidade fasendo atlie cortar a infame
mo daquella testemunha falca que to in-
solentemente subscreveu palavra compra-
i
das, juramentos extorquidts pelo vil nte-
resse, ou pela infame hznja: Eis o quadro
da presente peqa que alem de sua belesa
natural vai adornada de duas muito exce-
lentes vistas novas pintadas pelo Snr. An-
dx Alves que ainda que nao queira anuir
publica gao do seu nome, o fazemos para
honra dos artistas Pernambucunos, como es
ta insigne Pega tenba demandado mais
despesa do que %ialquer outra, raso de
so reprezentar desessete vezes a fio em
Lisboa, e oito no Theatro do Rio, por isso
se nao podem vender os Camarotes se nao
por duas noitcs posto que a maior parte
ja .estejo ocupados. Seguir-se-ha Cauto-
ria e o novo Entremez do Cinto Mgico.
Principiar as 8 horas.


AVISOS DO CORREO.
I) Correio Terrestre para o Ceara' recebe
a malla hoje 28 ao meio dia.
; O Brigue Portuguez Unio rebe a
malla para o Porto no dia 28 pelas 5 ho-
ras da tarde.
C* O Brigue Portuguez Ligeiro recebe a
malla no dia 29, pelas 4 horas da tarde.


LEILAO*
.

Um
jilherme Fogg e C. fasem leflo de Fa-
sendas limpas, no dia Sexta feira 29 do cor-
rete pelas 10 horas da manha, na casa de
sua residencia ra do Vigario N. 12.
VENDAS.
relogio sabonete, caixas de ouroj
de repetigao, e dous sinetes, com chave,
e corrente tambem de ouro, tudo por pre-
go commodo: na Botica do Moreira no
Pateo da Matriz de S. Antonio, assim como
tambem se vende cada urna cousa de persi.
Um moleque, de nagao, 18 annos; no
Trapixe novo, a falar com Manoel Jos dos
Santos.
u Urna escrava : na ra Direita D. 9.
_ Urn cvalo gordo, sem achaque, pro-
prio para jornada : na ra Direita Botica
D. 25. ,0
_ Para fora da Provincia urna mulata 18
nnos, sabe coser, e engomar por 3\o$ooo
reis pagando o comprador a Sisa : no At-
ierro da Boa-vista casa n. no.
_ Urna casa terrea N. 10 em chaos pro-
prios e quintal, na riia dos 4 cantos na C-
dade de Oliada : na mesma ra sobrado
N.7

"-. )*..-.


**
MM


1
(382)


_ Urna muala, 25 anos, milito boa cos-
tureira, engomadeira e cosinheira, e urna
preta com o mesmo prestiroo : no beco do
peixe frito as casas do defunto Cordeiro.
Urna morada de Caza terrea na ra
dWgoas Verdes: na toja de ferrages na
Pracinba do Livramento D. 27.
Una teneno cotn 33o palmos de freate
no e trro dosAffogados da parte da mar
pequea, com o fundate a baixa rnar
e Capibaribe : na mesnia loja.
Outro terreno defronte do Hospicio
com estucada e principio de aterro, e
i4o palmos de frente xjom todos os seus
fundos : na mesma loja
_ Vende-se, ou troca-se por outra no
Reeife una casa terrea cita no Arrombado.
anuncie-se.
J COMPRAS,
\J[]em tiver casas terreas ou de sobrado
para vender, anuncie-se.
_ Urna canoa de carreira bem cons-
truida, que possa condusir 8 a 9 pessoas ;
anuncie-se.
ALUGUEIS.
A-Luga-se duas canoas abertas que carre-
guem 4oo a 5oo tijolos de alvenaria, quem
iis tiver dirija-se a loja de ferrage I). 27,
l'racinlia do Livramento.
*m Quem quiseralugar um armasem no
Foite do Mattos com todos os pertences
p;ia enardar saccas de algodo, sobrado
por cima, que serve para escritorio ; diri-
ja-se a Francisco Ribeiro deBritono mes-
mo lugar.
Arrenda-se um sitio no arraial n. 454
e tem nina jaqueira na estrada defronte do
porto; com larangeiras, coqueiros, jaquei-
ras, cajueiros, mangabeiras, mijitos cafesei-
ros, pimenta da India e outras militas ar-
vores de fructo e plantas metidas : quem o
pertender dirija-se ao mesmo sitio, ou a ra
do Rangel D. 3.
Nao ra do Nixo do Livramento D. 3
ra unutereada, que cozinlia perfei turnen te*


.

PERDA.
I
U Ala memoria deflores e urna chave d
Relejo de ouro com argolla amemoria com
o pezo de 4 oitavas e achare eom o de urna
oitava ; perdida da ra das Laranjeiras in-
do pelo beco do Roza rio e o beco do Padre
athe a ra do Rangel: no beco do jPeixe^
frito caza de Joo Ferreira da Costa que
dar o adiado*.
FURTOS.
JT rtarao duas bolas de ambra urna
grande com duas toltas de cordo fino de
bur, outra pequea com duas voltas de
cordo mediano e ollio de pedra encarna-
da furto eito pelo Natal: na ra do Quei-
mado I). 19. 2. c andar
-Na noite de a5 para 26 do corrente
fortou-se um Relogio juntamente com um
lenco de Seda mais algumas couas ; a pes-
soa a quem este fof ctfcrecido queira tomar
e a nunci por esta folba, que o donse obr-
ga a recoinpencar a saber o Relogio tem du-
as caixas de prata com urna de tataruga por
ora.
NOTICIAS MARTIMAS.

Navios entrados no dia 26.
_ Plymouth ; S^dia*; B. lng. Cervan-
tes, Gap. Henrey Huges: em lastro: a
fcmith e Ijincaster.
Seri 11 hem ; [ da j S. Conceicao, M.
Antonio Jos da Silva : caixas : de Jos
Joaquim Ferreira.
_ Liverpool; 48 das; Barca lng. Bri-
tannia,Cnp. Thomas Bloye : fasendas: a
Johnston Fater e C, Passageiros i Ingle
ses trabaIhadores.
. ^ Dito; dito; B. lng. Perman, Cap.
VViNiam Waters: fa sendas, manteiga-, e
folhas de cobre : a N. O. Bieber.
Salados no da 2.6.
, Rio Foimoso : C. Conceipao do Pilar,
M. Antonio Jos : lastro.
~+ Porto de Pedras ; L. S. Antonio Flor
do Brasil, Al. Joao Francisco Lima : lastro.
Lisboa; G. Port. .V. Hita, Cap. Ga-
millo Antonio de Sousa : assucer e algo-
do. Passageiros -Francisco Jos Rodri-.
g'ues de Aguiar, Portqguez, Joze Antonio
deCarvalho Coimbra/sua mulher,e2 lhos.
PERNAMBUCO NA TYPOGRAFIA FIDEDIGNA N. 18."


. 1
.. 1


...


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOBY4XVRC_79H17W INGEST_TIME 2013-03-25T14:18:08Z PACKAGE AA00011611_01156
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES