Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01144


This item is only available as the following downloads:


Full Text
DE i83i7
>*
*P
7
QUINTtA FE1RA i4 DE ABRIL
mm
NUMERO 79
110 bb fMIAMlID(G
Subscn-ve-sn mentalmente a 6\',o res pagos adiantads, enl caza do lid-tor SOMEFfTE- na Di reir,
recebero correspondencias* e anuncios: estes inserem-se eratis sendo
n. a67; onde tambe se receoerao corresponde Cas* estes
le asonantes v.ndo assi-nqdos ,ecom o lugar da morada, e seao' publicados lio dia inmediato
ao la entrega, sendo esta feta afeo meto dia e vinHo rezmidos.
PERNAMBCO; NA TYPOCRAFIA FIDEDIGNA, RA DAS FLORES, N. 18. l83l;

ARTIGOS COMMUMCADOS.
Dicamus leges.
Fosderis cequas
jes.
Virg: Mneide: lib: XL
li As circunstancias criticas em que, recen-
tes rixns, una proefamacab assustadora e va-
rios actos illegaes collocara a corle e as
provincias do Imperio; julgo dever unir
ininlia vo dos orgaos da opinia publica,
para impedirmos em quanto nos couber,
* violaca da ordem legal e a aggressa
v povo contra o governo em quanto elle
seguir urna marc/m constitucional; mas
se a infraccao das Jis que regem o Brasil
emanar dos governantes, considerando por
este facto o pacto social como dissolvido,
aonselharei aos governados a resistencia
patritica e legal contra.as maquinacoes do
poder e contra o uso desptico da forca
militar, destinada especialmente protec-
96 das liberdades publicas.
Urna fermentaca arneacadora existe em
9 J
vanas provincias; receia-se un golpe d'Es-
ta do ; os esperitos agitados e inquietos
vm com indignagao um partido anti-Brasi-
leiro, protegido pela magistratura e pela for-
c,a armada erguer nesta provincia sua cabe-
ca d'Hydra e como ao tempo de suas dis-
seuses tataes minar surdamente o edificio
precario dn libertjad ronstitiicional invo-
cando com u.ma voz sacrilega a mesma Cons-
tituicaO. ,,....,
Quaf ser.enta^, o prestigio que fascina
os espiritas d'essa faucad brasileira que,
reunida a os estrangeiros oppressores de se
pai forma com el es urna associacao publi-
camente occuita, a fim de forjar as corren-
tes que devem maniatar os livres pulsos da
Patria? De que elementos pode ser compos-
to esse club tenebroso cujo fim foi e
sera' sempre apagar as luzes e accender o
f>g<>; essa sociedade iniqui, que proclaman-
do-se columna do trono, solapa seos alicer-
ees? Procuremos resolver este problima
monstruoso : magistrados venaes e cor-
rompidos, miitares demoralisados e am-
biciosos co.ninerciaute, ambiciosos aya. I
rentos, agentes subalternos ignorantes e se-
duzidos traidores ou luzitanos Eu
j'dgo que o quadro fiel; cfjgao os mes-
nios membros dessa fciecao liberticida e
lembrem-se que forab seos dignos collegas ,
que cava rao na Franca o abismo em que
(arlos X e seo tlirono fora precipita-
dos.
Minlia voz nao se levantar contra o Cru-
teito, todo o apostlo assalariado pelo des*
potismo merece o desprezo d'uma alma livre,
e o mellior modo de patentear o desprezo
o silencio.
E dexarei os partidistas do ministerio
seguir sua maneira um termo medio en-
tre dois extremos que o excess do vicio e
da virtude sao"idnticos satiseito etti com-
batter alguns de seos paradoxos que podeiri
illudir o publico mais fcilmente sedu/ido
pela eloquencia e os floreios de rlietorica
que por urna simples l.-gica : elles fi/.erao- .
se com seo nome um e sendo impenetravel
que minhas frechas as vezes buscarao tras-
pssar. .
Animado de sentimentos mais patriticos
um jornalista d'esta cidade continua se mos-
trar oca ni pea de seos concidad&os cujos
direitos e garantas tem sempre defendiio,
eu combinarei nieos esforcos com os dcste
edictor e lancarei um leve peso na balauta
da justica.
(Gontinuar-se-.)
...
O Cosmopolita
.
Al vez as seguintes retlexos sejab at-
tribuidas ao enojo deum esperito melanc-
lico, e nimiamente desconfiado, mas ellas
conterd alguma cousa de verdadeiro, e
urna verdade enunciada na crise actual sem
duvida um servido a Patria. Estamos che-
gados a a.* poca do Brazil, de certo
mais importante, e mais per igosa. 1821
foi a poca da Independencia: i83i parece ..
que sera* a da Liberdde constitucional ,
que se pertende combater e destruir sob.
o titul de federalismo. Este embuste de ve



-'-** '
r"*

CAO:



ser desmasenrelo? A Liberdade tem la-
en do profundas ^zes ella tem um thro-
fln em todos os coraees verdadeiramente
Bra/ileiros, n^> obstante disputa-se, e quer-
r roubar Constitnica& nao s o que ella
pode ter occasionado de mais exaltamento
( nicamente as ideas federaes); mas at
o que ella nos outorga da mais justa e ra-
soavrl liberdade. Violencias horrorosas
servem de preludio tcrrivel guerra que
desde i32q se prepara contra os liberaes, e
se a milicia va pelos peridicos prostituidos ao
absolutismo, quej miiscessarao dos amea-
nrcoin pa ti bulos, eproscripces; que nunca
cans;irao de menoscabar o sistema Represen-
tativo. Nao se pode g( vernar ( gritava
o Cr/eiro e pedia attenco) Nao se pode
govern tr quando muitos governao O
TettQ absoluto segundo o Amigo do r*ovo,
opercu a fecidade da Inglaterra., etc. etc.
Agora s querem esta Coustituicaopor onde
muitos governio, e o Imperador nao tem
vetto absoluto! Monstros A vossa frau-
de estV bein conheeida: cm vab uzaes dos
to* cenlos, e maoba das serppntes : o par-
tido que vos alimcntaes, que vos anima ,
estes que s*mpte forao inimigos natos do
Bra/.il, da Constituieo e d 1 Independen-
tia ; esses que nao se pj&o de serem inieis
sua Patria, nem tao p<>ueo se envergonlha
rao do perjurio; elles mesmos desmascarao
vossa hypocrsia constitucional, respirando
odio e rancor a tudo que Bnuileiro :
si'ii os Brarileiros saliera conliecellos, e a
vos os Brazilciros ntida Curan comalias la-
gri as aschagas, que Ihestbrirl > a ferro/ e
f<-go. Os Braileiros querem Constit den, e
Imperador : vos so queris Constituieo
pua exterminar os consttuconaes.
Com quinto pareqa tudo confundir-se e
aniquilar-se, neeessariamente deste clios
deve uascer a ordem : como seja so', a
eseravidao e nao o fanatismo o que temos
a combater, o hita ser mais frxa, porque
f causa asss aviltante e porque os ser-
vis nao espero urna cadeira no Ceo em
premio do martyrio da sna baixrza na tr-
ra. Os Brazileiros os devem confiar na
victoria: tenhamos uniao e firmeza. Um
(jverno frico, que se entrega partidos,
que F.UiTUA entre os principios da
(OH itWk[I e DFSt'O TU 110 nao
proprio para dissipar intrigas e rivali-
dades nem para sofrear partidos: com
tudo esperemos suas procidencias : a rao
deraeo a primeira das virtudes sociaes ;
mas a precaucSo he tio neressaria que s
cila garante nossa existencia. Refletindo
-obre os sueessos do tempo quem des-
i rezarcate couselho? Esperemos a ale 1 w J
sao dos RECOLONISADORE*; quando el-
la relampejar nos gritaremos ConstitucOj
Imperador Liberdade ou morte.
THEATRO.
H
Oje quinta feira, i4 do correte, se re-
prezenta urna excellente nova Pessa C ritiea,
nunca vista reste Theatro COMO SAO'
MUITAS SENHORAS ~ Seguir-se-h o
Dueto Quando seu Pal foi Carrasco
cantado pela primeira vez por urna moca
curioza Brazeira, para no caso de ter a
cJifta de agraciar ao respeilavel publico, i-
car admitlida neste Thcatro, e lindar o 01-
vertirnento com o Entieriiez *- O Pencudo
Sonulento.
AVISO DO CORREIO.
* I Paquete Niger recebe as mallas para
o Rio de Janeiro, Baha, e Massei boje i4
do corriente pelas 9 horas da noite.
'
NAVIOS A CARGA.


TARA O HAVRE DE GRAOA.
C
k>Fgue viagem com brc>idade o Brigne
Francez Ei/a, milito veleiro, e com excel-
lentes ennrodos para passageiros: quem
quizer ir,de passage dinja-se aos seus con-
signatarios S. O. Bitber e C. Ra da Cruz.
P/tRA O RIO DUJ^NEinO OU tuo
GR/i DE.DO\\W*\
_ Freta-se o superior, e veleiro Brigne
Escuna Pampeiro, forrado e pifgado de co-
bre com excelentes cmodos para passogei^
ros ; e prompto a >eceher eargb por ter
ultimado a venda de'seu canrgaiCnte. A
quem Ihe couvier dirjase a praca doConi-
mercio N: 3, ou .o Cipitao abordo.
*JRd MONJE naco.
Segu vi g com brevidade o novo*
velleiro, e bem construido Brigue Aleino :
quem no tuesnio quier transportar-se, visto
ter excellentes commodos,. dirija-se no Ca-
i



ptlo 36zt A Ivs da Silva abordo, ou na
Praca ras 10 as a hoias da tarde, cAi a sen
Cnsgna(aub Jo/e Joaciurm Jorge Gon-
^


Y^f
-i"------------*-- '* '':

J- VENDA 0U% 4 METE.

o7rP KnSue Americano Autelope, de
184 Toneladas, em excellente estado e com
todos os seus pertences na melhor ordera
jwra qindquer viagem ; quera o pertender
dmia-sea Luiz Gomes Ferreira etc. Mam-
neld.
(3)
I
7
D,
'


VENDAS.
0a negro oficiaes de barbeiro para
bra da trra : anuncie, .
Um carro de un cavallo hoto e por
pceo commodo: na ra nova, caza do
Segeiro Francez.
,~ I7m forte piano, em bom uso, e de
boas voy es : no aterro da Boa vista caza
l>. 10 1. andar.
as lojas de Ferrage N. 3o e N. 74
da ra do Queimado : tinta deescrever
em garrafa a 320 e sem garrafa 180 e um
sortimento de ferro da sueri 1 chato qua-
drado, e redondo.
* Taboado de pirho da primeira qua-
lidade cal branca de cs-iar por preco
.commod na ra da Ilibera junto a caza
nova serrara de Antonio Jos Marrquim
O Engeuho Cainassari, sito ria fregue-
7a de Serinhem moente correute com
todas as obras e acessorios preei/.os ; bous
vazos sercado bom, e bem tratado, boas
matas demarcado : dista 2 legoas e meia ,
embarque no Rio formoso : Vende-se( que-
rendo o comprador) com a sara criada,
para ruis de 2,000 paes fi quazi todos di
fizeuda : na ra do Collegio D. 2, ou no
mesmo Engeuho a fallar com o Adraeni?-
trador.*
, Urna cmoda d Jacaranda em bom
uo,eum espelho grande dourado, por
preco commodo: na quina do beco da
Congregarlo- loge de altdate que faz frente
para a praia d<> Colegio.
* Tr-z redes do certo, bordadas de
azul com milito gosfo: na ra da Cadeia
velha N. 54, 1 P andar




G
COMPRAS.
.


Ompra-se cazas terreas ; quem as tiver
anuncie.
3oo, a 4 ^a patos, para Sol ta dos:
no Quartei do Hospicio, ou anuncense.
.


ARRENDAMIENTO
j*Rrenda-se um sitio no lugar da Ibura,
distante desta Praca legoa e n eia, com bo-
as baixas, cenado, matas, e po-to de em-
barque : de fronte da Santa Cruz sobrado
D. r.
,
N,
ALUGUEL

1
A ra de Hortas D. 16, ha pira alujar-
se una ama de leite.

.


FURTOS.
.



Na
non te do r/ do corren te cas 7 as 8
horas, fiirtarao' da Caza D. i5, na ra
da Aboboda da Penha, 3 libras de ouro
coniendo as seguintes obras: 80 pares de
nrgolas, 6 de brincos cortados, icruxi-
fixos grandes, 8 redomas grandes, 3q a-
ilis de pedras cravadas em ouro, 5o' pal-
mos de cordao grosso, 20 oitavas de col-
lar, 4 cruxifixos pequeos, 20 pares de
argollas lizas pequeas, 16 Vernicas de
S. Braz, Conceic.ao', e Cabecas d S. Joao,
e 8 pares de solitarios de oreJhas de pedras
brancas : E bem assim 2 pares de esporas
grandes, 1.2 colheres grandes, 8 garios,
tudo de prata com o pezo de 4 libras ; as-
sim como com estas pecas roubarao' mais
toda a roupa nova de homem, que se acha-
va com o dito ouro em um bah, e 2 ha-
ca martes grossos. ; A pessoa que souber
onde existe tal roubo, ou parte dalle, e
mesmo tiver sciencia de quern foia o la-
droes dirija-se ao annunciante na referida
Casa, o qtial, lem. de recompensar gene-
roza, e francamente protesta encobirrr o
nome da pessoa, que o avisar, por jaso que
so' aspira ha ver o que se.Jhe roubou. e
perseguiros roubadores em conormidule
das Leis. Assim como, roga a qualquer
pessoa a quem aronteca ser offerecida por
venda algn? 1 dns pessas referidas, as
queirao' entregar ao annunciante instrnin-
00 o de quem seja a pessoa, que lli'as ven
deo.
** Furtou-se um Relogio sabonte, de
caixa donada ( doir^do antigo ) na caixa
a firma A. C M. i-* e no sinete tein u na
pedra cor deoiro : quem oapanhar entre-
gue a iVIarcelIiuo da Costa, que compensa-
ra o seu ti aba lho.
AVISOS PARTICULARES.
O
-

Uem pertender urna Ama para tractar


r
(32)
1
=com todo aceio, e zello de urna caza, ten-
do o protimo de ingomar, insaboar, e raes-
motractar de mancas; dirija-se.a ruado
Crespo D. 3. Na mesma caza para ven-
der urna Eserava crioula viuda da Paraiba,
a qal tm todas as habilidades, que se
podem -exigir de urna perfeita criada, para
dentro de urna caza, ou fora del la.
-Joze Francisco de Andrade recebeu
urna carta remetida do Rio de Janeiro para
o Snr. Carlos Daniel Biock, que a pode
ir procurar na ra do Crespo Loga D. 8.
Queii no Diario n. 5^ anunciou a
venda de urna caza rom bom quintal, pode
derigir-searua da Cadeia Velha caza n
5i.
~ Preciza-se de urna caza terrea, para
pequea familia, por 4 a 5$ rs mensaes,
sendo no Barro da Boa-Vista: a mitin*
cie-se. .
Joze Francisco Marinho com Loja de
Ourives na ra da Cadeia velha N. 36, faz
publico, que no dia 11 do crrante a tar-
,delhefora ura moleque vender um copo
de prata, e como desconfa ser furtado to-
oioq-o a fim de ser entregue ao seo verda-
deiro dono dandi os sinaes certos.
*m Quem perctzar de un caixeiro para
ra, nade de 16 ai. anuncie-se por es-
te Diario.
Preciza-se alar com o Snr. Antonio
Joze Gomes Samara', natural de Braga, na
ra do Crespo, Loja L). o.
M Quem tiver para vender, ou alugar
negros canoeiros, dirija-se ao Armazem
de car rocas ao lado da Cadeia para tratar
do ajuste" o n;esmo Armazem precita de
un hoiwern, que entenda aluma coiza do
mar para administrar canoas.
Urna pessoa que tem muitos conhecr-
mentos de servco de Engenho nropoe-se
a ser ndmini trador; quem delle preci*
zar anuncie a suh morada.
Belxior Jo/e dos Reis Procurador de
Anua Maria Comes viuva de Joze Rodri-
gues da Silva anuncia ao respeitavel Pu-
blico, que nao' rlevem contratar ou ne-
gociar com trez Escravos seos, Olficiaes
de Canteiros na Prac,a da Ribeira, e tirao'
pedias de cantaria, senao' com ella com
apiia de nao responder ella pelos factos,
e damnos dos ditos Escravos, e antes se-
rem responsiveis a ella por todo o prejuizo
que sentir da taita dos das de servico, que
pagaremaos seos Escravos sem a sua
pessoa; e paTa o que se drijao os Snrs.;
que quizerem que os Escravos trata)hera
lora de Portas ao annunciante, ou a sua
dita constituirte na ra principal de
Fora de Portas.
- Quem prccizar de caxeiro de ra, ez
criptorio, ou armazem : procure atraz da
Matriz da Boa-Vista, caza N. 6, ou anun-
cie.
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no dia 6.
>~Rio de Janeiro pela Baha; 18 dias;
Paq. Ing Spny Com. Janes. Seguio para
Falmouth no dia 8.
Entrados no dia 9.
~ Lisboa ; 48 dias ; S. S. JnUmio Vence-
dor, Al. Francisco Comes de Figueredo :
sl : de Beato Joze da Costa Passageiros 11
Marinheiros.
New-Bedford pela Costa do Brazil ;
10 mezes; G. Amer. Conneclecut, Cap.
Parker f. Smith; azeite: a Ferreita e
Mausfield. ..
i .
Entrados no da 10.
.
m Val-Paraso ; p3 dias; G. Amer. La
Fuyette, Cap. Roheit Hardy cobre, prata,
e coiros : aoOipito.
* Terra Nova ; 38 dias ; Barca Ing.
John, C^ W. Stephens: Baca limo:
Armsfild Brade e C.
._ New-Be 9 mezes ; Barca Amer. FranMim, < ap. Na-
thuiiiel C. Cary: azeite ; a A. P Clark-
Entrados no dia t%.
. '
- Pbiladelphia ; 33 dias; C. Arnera
Olobe, C*w Jones Devereux : firiula e u-
tios gneros ; a L> G.Ferreira Mansicld.
- Lisboa; 35 dias; B. Iriunfo Ame-
ricanoC^p. M a noel Sinles: vinhO e fgfs:
de A. M. da Costa Soars. Passageiros **
Eduardo IMarcolino da Silva, Domingos An-
tones Ferreira, 1 ilha e 4 netos, Gabriel
Pereira do Nascimento, Lino l'ereira Jc-
aquim da Silva Moito, Joaquim Joze de
Miranda Jnior e sua mulher, Joaquim
Joze dos Santos Lemos Jnior, Francisco
Xavier de Miranda, e sua Mulher, 2 cria-
nagaremaos seos Escravos sem a sua ai- auvic. V ~ r' .
rccW para trabalhar a esta, ou aquella dos, 1 preta, e a creadas pretas,
PERNAMBCO NA TYPOGRAFiA FIDEDIGNA N.
f *
vj v '

leli


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKUGDGFWJ_HCIT18 INGEST_TIME 2013-03-25T15:57:56Z PACKAGE AA00011611_01144
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES