Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01106


This item is only available as the following downloads:


Full Text

*.
ll*ll
\NODEi83i.



SEGUNDA FEIRA ai DE FEVEREIRO. NUMERO 4,
B1IA1II 1)1
1OA!I1B0(G
PERNAMBUCO; NA TYPGRAFIA FIDEDIGNA, RA DAS FLORES, C. l8. l83l.
ARTGOS D'OFFICIO.
I Lmstrissimo e Exm. Sr. A embarcaco,
que entrou no Porto de Goiana com cscra-
vos novos, he urna Escuna, que s diz Fran-
cesa, a qual sendo apprehendida pelo Juiz
de Paz da Taquara, mandei conduzir para
este Port, onde se acha, ate que o Juiz
competente decida a tal respeito, como for
justo: o que communico a V. Ex. em res-
posta ao seu officio do i.do corrente.
Aprovt esta oceasiao para significar a
V. Ex. Os meus respeitos e corisideracao.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Goverrio
de Pernambuco 12 de Fevereiro de i83i
Illm.-e Exm. Sr. Jos Thomaz Nabuco de
Araujo Presidente da Provincia da Parahiba
Joaquim Jos Pinheiro de Vasconcellos.
Em resposta ao officio de V. S. d 9 do
corrente, que trata sobre a prizao das por-
tas, tenho a significar-lhe, que acabo de
entndr-me corn o Commandante das Ar-
mas, para que essa prizao receba tanto os
prezos da Polica, como os de V. S. que
iao nicamente a sua disposicao, c sem
dependencia algma do Commandante da
Polica, mas vigiados pela mesma guarda,
que ica rsponsavel por tiles. Outro sim
aev V. S. communic.ir ao Commandante
do llegisto do Porto', que a dita guarda fica
com ordem de prestar-lhe os individuos
necessarios para o servido do Registo'
Dos guarde a V. S. Palacio do Govrno
de Pernambuco 12 de Fevereiro de i83i.
Joaqun! Jos Pinheiro de Vaseonclfos
Sr. Capitam Tennte Intendente da* Mari-
riha Antonio Pedro de Carvalho.
Tenho'ordenado que pelo Trem Na-
cional se faca a abertura das portas, que V.
S. requisitou em seu officio de hontem,
para a fcil communicaco da Secretaria do
Curso Juridico. Dos guarde a V. S. Pala-
cio do Governo de Pernambuco 12 de Fe-
vereiro de i83i Joaquim Jos Pinheiro
de Vasconcellos Sr. Vice Direitor do Cur-
so Juridico da Cidade d Olinda Lourflco
Jos Ribeiro.
Sendo necessario completat os bata-
Jhoes de casadores de 2. linha desta Cida-
de nmeros 53, e 54, bastantemente desfal-
cados, cumpre, que V. S. procedendo ao
alistamento dos individuos do corpo das or-
denanzas, que estiverem as circunstancias
de assentrem praca naquella linha, haja
de remetter-me as relacoes, que exigir dos
Commandantes de companhias, as quaes
devero vir examinadas por V. S. Dos
guarde a V. S. Palacio do Governo de Per-
nambuco 12 de Fevereiro de i83i Joa-
quim Jos Pinheiro de Vasconcellos Sr.
Commandante das ordenancas da Cidade
do Recife Francisco Gonsalves da Rocha.
Tenho ordenado ao Tenente Coronel
Inspector do Trem, qu satisfaga a requisi-
c,ao de V. V. S. S. em officio de hoje, dos
utencilios, que forao das obras publicas, e
hoie s achao recolhidos ao mesmo, os quaes
V. y. S. S. pedem para dar principio ao
concert da ponte dos Affogados, deven do
mandal-os receber pelo seu Fiscal, que as-
signar termo do entrega, finda a obra.
Dos guarde a V. V. S. S. Palacio do Go-.
verno de Pernambuco 12 de Fevereiro de
1831 Joaquim Jos Pinheiro de Vascon-
cellos Srs. Presidente e Venadores da C-
mara Munidipal desta Cidade.
Com quanto me pareca ter V. S. obrado
legal.nente no cazo da eordoacao da frente
de urna caza na ra de S. Bento, de que me
d parte em seu officio desta data por ser
hoje da competencia dos Juizes de Paz as
attribuices oitr'ora pertencentes aos Jui-
zes Amotacs, que forao abolidos, com tu-
do he a Relacao do districto, a quem com-
pete decidir a questao suscitada a este res-
peito entre V. S.-e o Juiz ordinario Christo-
vo Pereira Varejao. Dos guarde a V. S.
Palacio do Governo de Pernambuco 12 de
Fevereiro de i83i Joaquim Jos Pinheiro
de Vasconcellos Sr. Juiz de Paz da Fre^
guesia de S. Pedro Mrtir da Cidade d'O-
linda, Ignacio Antonio de Barros Falco.
*<>
.1 '
^-m Sr. Alogoano livre nos dirige o se-
guiute noticia vaga de que se est 1
cabalar para sair este u aquelle Deputido
nesta occasio me lembra urna m eseollu
*-


rife
*-*
(64)
que fr/.ero na elcico de 28 os meus Patri-
cios Alagoanos para seu Representante na
pessoa do Commandante das Armas d'en-
to ; eseolha tanto raais revoltante, guanto
aquelle monstro inimigo das nossas Iusti-
tuicoes livres, incapaz de ser Representan-
te do Povo Brasileiro, e tapado do enten-
diniento, e dos ouvidos! Esse monstro de-
pois de se ter saciado no sangue dos Alago-
mos, fazendo espirar debaixo da xibata, e
d'oniros differentes modos os meus amados
Patricios, somente por opinies politicas,
depois de haver commettido as maiores ar-
bitrariedades, csse monstro, com vergohha o
confesso, foi ser Representante dessa mes-
illa Provincia! Mas urna tal eleico, que nao
era a expressao dos votos dos Alagoanos,
chocou seus nimos, e dirigirlo ento ao
Governo urna queipa da execranda con-
ducta d'um tal Commandante de Armas,
que todavia 'nao sofren o minimo castigo,
como he costume no nosso Governo. O
que faz pasmar que alguns Penedenses sa-
bendo a inculpahiiidjde do monstro, feste-
aro esta noticia com uin Te-Deum na
greja dos Franciscanos, e copo d'agua na
casa de um figurao da Villa, ao que assisti-
ro todos os frades pela pitanea, e os que
esperavao que o Commandante Ihes conse-
guase na Corte confirmacoes e patentes. A
nao ser a cabala, as condescendencias, as
amizads, e as adulacoes nao succederia tu-
do aquilio na minha Provincia, e por isso,
e por ontros motivos eu clamarei sempre
contra a cabala, e recomrnendo nos meus
Concidadaos Peruambncanos que 'aco livre
eseolha, e nao se deixem levar a imitaco
de 11111 Povo ignorante, pois que temos bas-
tante ca pac da de para distinguir o bom do
mau, o sabio do ignorante etc.
Um nosso Correspondente nos esere-
ve, dizendo-nos, que a polmica acrimo-
niozamente sustentada pelo author do coin-
municado do Diario n. 34, eo Redactor
do Constitucional, sobre a eleico de um
Deputado, parece ja exorbitar dos limites
marcados para urna tal questo. Diz mais
que sem se entremeter no objecto dessa
questao, isto sem emitir a sua opinio a
respeito dos Srs. Ollanda, Mello, Monteiro,
e Barata, como indicados para serena elei-
tos, por ulgar a qualquer d'elles mui ca-
paz de prehencher o nobre e magestozo car-
go de Reprezentante jda Naco Brasilei-
ra, se limita nicamente a pedir a esses
Srs. que abandonem essa to odioza pol-
mica, tanto mais insofrivel por ser entre
pessoas de urna opinio, e mesmo modo de
pensar, empregando os seus conhecimentos
em coizas de mais transcendencia, donde re-
sulte um bem mais efficaz sua Patria. Se
porem elles nao qizerem abandonaba, ao
menos deixem-se de personalidades impro-
prias de homens bem educados, e so adap-
tadas ao Cruzeiro, e seos colaboradores.
Outro correspondente quer saber a
rasao, por que havendo na Povoacao de
Goianinha, termo da Villa de Goiana, urna
('apella bem fundada, e com suficiente pa-
trimonio cannico, Capellao es'tolado, que
administra os Sacramentos aos Potos, e
urna luzida rmandade do Sacramento; fez
a respeitavel Munieipalidade de Goiana
prezente de um Juiz de Paz para urna pe-
quena Ermida na mesma Povoacao; deixan-
doficar no tinteiro aquella Capella, que a
todos os respeitos a melhor e mais privi-
legiada da Freguezia. O nosso Correspon-'
dente se enganou talvez tomando a Povoa-
cao pelo termo della; pois que o Juiz de
Paz da Povoieao e distrieto e nao da Ca-
pella, 011 Ermida ; seassim nao foi nao en-
tendemos como seja urna tal nomeacao.
Outro correspondente o Sr. Militar li-
beral, nos diz, que nao contente o seu Com-
mandante das Armas de deixar impune o
Major Muniz pela infraecao escandalosa da
Constituido, commettida quando Comman-
dante de Cimbres, o empregou aqui nesta
Cidade no batalhao 18, dizem, que a espe-
ra de urna licenca, que requeren o Tenente
Coronel graduado actual Commandante d'a-
quelle bafalho, para passar elle Major a
commandar o referido corpo; no que mos-
tra o Sr. Commandante a particular estima,
em queni tem todas os Militares distinctos
por algum acto, 011 palarras de desafecto ao
sistema Constitucional, que Ihe deu ser e
nome : quedeste modo vai conservando den-
tro da Cidade, por amizade, a quem quer
como conserva o Major Costa, como presi-
zidente de um esdruxulo Conselho de Guer-
ra permanente, a maneira de um exercito
em campanha, talvez para mostrar o genio
guerreiro que tanto distingue a S. S. quan-
do se tracta de objecto da predileccao da
Nacao"; mas que em fim elle nada admira no
creador de Conselho julgador de Conselho,
a nomalia, de que.nao temos exemplo, eem
que nao cahiria qualquer Sargento.
ED1TAL.
x\.NTonio Pedro de Carvalho Intendente
da Marinha etc.
Faco saber, que cm observancia as or-
dens, que pela Junta da Fasenda Publica
desta Provincia foro dirigidas a Intenden-
cia da Marinha, se hade proceder a venda
.-
J.



(.65)
em hasta publica de 4a8 alqueres de sal,
medida do padro, e de urna porcao de
cabos velhos: o qu se hade verificar em os
dias 22, e il\ do corrente mes ; e se faz pu-
blico para pleno conheciment d'aquelles a
quem convier a respectiva compra.
Intendencia da Marinha g d Feveriro de
i83i. Antonio Pedro de Cervalho.
VENDAS*
UMa mulata, i5 annos, com principios
de coser, e engomar: na ra das Aguas-
verdes sobrado D. 2, i. andar, junto a
outro sem varandas.
Uuma negra, 28 anuos, cose liso faz
renda, e cosinha o ordinario : no Aterro
da Boa-Vista D. 4 prximo a ponte.
Outra, ( para fora da trra, e se tro-
ca por un nioleque ) 20 annos, boa cosi-
nheira, e erisaboadeira, por preco comino-
do : na verida da esquina do Pateo de S.
Cnm para a ra velha.
, Urna crila, cose lava e engoma: na
botica d Miguel Jos Ribeiro, ra do Quei-
mado.
. Outra, lannos, cose, engoma, e co-
zinha o ordinario ; por detraz da Matriz
de S. Antonio D. 1, 1. andar.
N. B. Todas sem vicios, defeitos, ou mo-
lestias.
_ Um sobrado de 2 andares, chaos pro-
prios, quintal murado com cacimba, na ra
do Livramento ao entrar da ra Direita D.
20: na ra dos Quorteis D. 3, 2. andar
das 6 as 8 horas da manha, e das 12 as 3
da tarde.
^ Um sitio no Remedio, grande casa
de pedra e cal na altura do respaldo, e ou.
tra de taipa com frente, e fundo de pedra e
cal, arvordo, boas baixas plantadas de
capim, cerca de cspinho, banho e embar-
que prximo e um escravo, que trabalha
bem de enxada, moco, e feitor do mesmo
sitio : na ra do Fagundes sobrado novo
sem Numero, de 2 andares.
Bixas grandes, e pequeas, vindas l-
timamente do Porto na Galera Castro : na
ra do Queimado armazem D. 12 defronte
do beco da Congregacao.
^ Bixas grandes e frescas por preco com-
modo, e com a condico de se trocar as que
nao pegarem: na venda de 4 portas N. 22,
esq i na da ra do Vigario para o Forte do
Ma..os.
Um par de fivellas de suspensorios ;
na^otica D. 24 da ra Nova.
Duas negras, urna ladina, e outra
quasi nova : na ra das Cruzes sobrado de
2 andares D. 16.
_ Urna cabra com 2 cabritos, costuma-
da a crear meninos : na Tipografa Fide-
digna.
COMPRAS.
x Ara a Intendencia da Marinha, aseite do-
ce para o farol, caf em.gro e feijo de
qualquer cor sendo bom.
Trinta garrafas de vinho de caj :
quem o tiver anuncie-se.
Ui
ALUGUEL.
Ma casa terrea na ra da Solidade com
bastantes cmodos : na ra do Crespo N.
6. D. 7.
AVIZOS PARTICULARES.
V^/Uem tiver para a lugar um sitio perto
da Praca, que tenha casa para pequea fa-
milia, e capim, ou lugar para plantar-se o
necessario para o sustento de um cava 11 o ;
anuncie-se por esta folha.
Quem tiver para alugar urna casa bai-
xa, ou de sobrado de um andar, para pe-
quena familia sendo as ras do Collegio,
Queimado, Livramento, Rosario, Nova,
Flores, Aurora, e Atterro da Boa-Vista,
anuncie por esta follia.
Na caaeia de Goiana foi recolhido a 11
do corrente um rapaz branco de 22 annos,
prezo com urna porcao de obras de ouro e
prata, que se Jacho depozitados, e parece
ser furto feito a algum ourives, pelo que se
acha dito rapaz sumariado pelo Juizo de
Fora ^aquella Villa, por onde devem reque-
rer as pessoas qu se julgarem donos de di-
tas obras.
_ Na ra dos Quarteis D 7. ha um ho-
mem, que se prop para feitor de sitio,
do que entende muito por ter tido smpre
a occupQcao de Hortelao.
_ xSfa venda da esquina da ra do Fogo
para o beco do Sarapatel ha um homem
mui hbil, que se prope a fazer por trra
qualquer viagem, que se Ihe destine at
200 legoas para o Sul, Norte, ou Interior,
na diligencia de alguma commissao, a que
dar execucao com o maior disvello, dando
relaco dos lugares, que oceupa o terreno
da dita longitude por os ter transitado
em viagens.
_ Quem percisar de urna ama de leite,
escrava, e sem cria, dirija-se ra da Glo-
ria, n. 22.
4*-


ft66)

_ Precisarse fallar ao Sr. Francisco Jos
do Amara 1, que casou coai urna filha de
Joaquim Gomes Soares, ja fallescido, e que
morou em 1812 na ra do Livrament ; se
aqui existe esse Sr. queira anunciar a sua
morada para ser procurado.
~ Nao tendo podido verificar-se a aber-
tura da Aula de Danca no dia anunciado a
tempo, Madame Garsia previne aos seus
antigos discpulos, e a todas as pessoas em
geral, que infallivelmente vai dar comeco as
lices hoje segunda feira 21 do correte s
horas do costume.
R
ESCRAVOS FGIDOS.
OEverina, crila de Goiana, 27 annos, fu-
la, cheia do corpo, estatura regular, rosto
marcado de bcxigas, um Jsignal de carne
debaixo do nariz, beicos grossos, dentes li-
mados, fgida a 26 de Agosto p. p. : na
loja de fasendas ra doQueimado D. 5.
Francisco, Angola, cstatura^ordina-
ria, grosso, semblante carregado, urna ci-
catriz no braco direito, official de Carpin-
teiro, fgido a 20 de Desembro' p. p.: de-
fronte da cadeia D. 7.
_ Antonio, mulato, 20 annos, acaboco-
lado, estatura ordinaria, {cabello solt, o-
lhos e boca grandes, dentuco, mos calo-
sas, ps apalhetados, fgido do Canice ter-
mo de Goianna, e se presume tersido fur-
tado, e condusido para esta Praca : seu
senhor o Pardo Andre Gomes de Albuquer-
que, no dito lugar do Canice : ou Joa-
quim Pereira de Mendonca defronte da
cadeia D. 7.
m Joanna, Angola, 25 anuos baixa del-
gada, sein defeito algum no eorpo, falla des-
cansada, fgida a 2 do.corrente do Mon-
teiro vestida de saia de chita asul, camisa
de pao de linho, e pao azul tizado : na
ra do Cabuga' D. 6.
_ Miguel, crilo, 14 annos, urna cicatriz
no rosto, fgido com camisa e calca de ris-
cado azul, e foi escravo do Coronel Pessoa:
na ra Direita 3. andar por cima da bo-
tica de Ignacio Neri da Fonceca.
-f
-
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no da 19.
_ Liverpool ; 55 dias; R. Ing. Scipio,
Cap. James Scotland; fazedas: a Rus-
sell e Mellors.
~ Londres ; 3g dias ; R. Ing. Rosehill,
Cap. T. Niean: fasendas : Smith e Lan-
caster.
^ Porto; 58 dias; R. Port. Flor de
Filia do- Conde, Cap. Antonio Joaquim
Ramos: sal e outros gneros: MonoeJ
Joaquim Ramos e Silva.
^ Road Island pelo Cabo da Roa Espe-
ranza ; 9 meses; Rarea Amer. Miles, Cap-.
George obey : azeite : Ferreira e Mans-
field.
Liverpool; 3() dias ; R. Ing. A/ary,
Cap. James Royd Coubro : lastro : ao Ca-
pito.
Ilha do Maio ; 38 dias;. E. Hamb.
Tritn, Cap. Ebby Ebbessen : sal: al. H.
e F. H. Luttken5.
Sahidos no dia 18.
-< Goiana pelo Rio Formoso ; 0. Con-
ceicao do Pilar, M. Manoel Falco: laftro.
^ Porto de Galinhas ; S. Rainlia dos
s/njos, M. Joaquim Raptista dos Santos:
lastro.
'
Saidos no dia 19.
_ S. Catharina por Assu'; R. Sacramen-
to, M.,"Joo Antonio Lontra : lastro.
Una; S. Bom Jess dos Navegantes",
M. Francisco Jos Machado : lastro.
^ Rio I M. Antonio Jos da Costa Fernandes; las-
tro.
Passageisos vido do Rio de Janeiro no
Paquete N. Imperial Pedro.
OTenente Ajudante do Ratalho deCas-
sadores n. 65 de 2.a Linha, Antonio de
Sousa Gondim para a Paraiba, Doutor Pe-
dro de Paula Cavalcanti Albuquerque Len-
te do Curso Jurdico, e 1 criado, e 6 solda-
dos dimitidos : da Rahia fiernardo Pe-
reira Misquita, Jos Joaquim Simes, Re-
nigno Tavres de Oliveira, Emilio Tavares
d'Oliveira, Luiz Moreira alves Falco Mu-
niz Rarreto, Reverendo Jernimo Caval-
canti Albuquerque, Francisco Manoel do
Reg Macelo, Jos Gomes da Silva, Reve-
rendo Amtonio Marques Rastilha, Reveren-
do Joaquim Francisco Farias, Jos Pacheco
Pereira, Jos Pinto Silveira, Jorge Lopes
Chaves, e Joo Jos Roiz de Almeida.
\i
I S
.

PERNAMBCO NA TYPOGRAFIA, FIDEDIGNA. i83i

1

-uL
__
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ46FQBK7_G6UE7Y INGEST_TIME 2013-03-25T14:10:36Z PACKAGE AA00011611_01106
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES