Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01073


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*m
NNODE i83i.
QUARTA FERA i DIUAI\EiRO.
NUMERO 8.
MAM 1$ fll'HAMIB10(G
*Snbr'it mensalmrntc a fi o rei pagos adiamadot, na Trpogra/ia Fidedigna, na loja de vreiro de Manoel Marques T'ianna, Rita
ah l'enhn ailharga do M-ramento O. a}, e em casa do E-litar, ra Dtreita, n Jf>7 ; ett cuj ttts, e anuncias : estes wsrrem-se qratis, sendo de assignantes, viada assighados, e com o lugar da morada, c serao publicados no dia imtne-
duna ao da entrega, senda estfala at o meio dia e viitdo retumidos.
JKRNAMBCO: NA TYPOGRAFIA FIDEDIGNA, MJA DAS FL08ES, N. J 8. 1831.
ei
/
RIO de JANEIRO.
J-J A Cmara dos Senhores tornou o Projec-
to de Lei, fixando as despezas do armo fi-
nanceiro de i83i a i832, com Emendas da
mesma Cmara, sem reserva aos objectos
de privativa iniciativa da Cmara dos De-
butados. Perto de 5oo Contos de rs. de
inipostos, applicados ao resgate da moeda
iraca, que actualmente assusta o Imperio,
foro iniciados a outras despesas propostas
pela Cmara dos Senadores : Duas mil pras-
sas no Exercito de Terra; Quinhentas na
tripuladlo das Forcas Naves, e perto de
seiscentas no Corpo de Artilharia de Mari-
nha foro iniciadas na mesma Cmara, que
nao tem iniciativa sobre recrutamento.
Alm d'esses objectos soffrero tambem al-
tcraces importiintissimas disposices pV
sunmia utilidade publica ; e nao menos fo-
ro interpretadas disposices Constittici-
onaes em equivoca intelligenci*-das garant-
as do Sistema Monarch ico-Constitucional-
Representativo.
Attendendo-se ao rigor de Principios,
taes Emendas deverio ser rejeitadas, e a
Lei novamente proposta pela Cmara dos
Reputados; pois nao pode conciliar-se com
o mesmo rigor de Principios a aisposico
Constitucional de fuso oas Cmaras; que
ji este caso equivaleria hum reconhecimen-
to dado por esta Cmara ao poder, que se
arroga o Senado, de iniciar em objectos de
privativa iniciativa da Cmara dos Deputa-
dos. Cumbre todava equilibrar a applica-
c&o do rigor de Principios com a posicao
poltica da Sociedade, para bem acertarmos
no desempenho de nossos deveres. A nova
proposito da Lei, que deve fixar as despe-
sas do anno fmanceiro, exige prorogacao
?los trabalhos legislativos, e novas forcas pa-
ra entrarmos em huma, ardua, e apenas tri-
lliada vereda: a nossa posicao moral, as
nossas forcas ''fsicas permittirb esperanzas
de utilidaJe Publica ? Exige a harmona
entre as duas Cmaras, que constituem a
Assembla Geral: Cmara dos Senadores,
hpm que possuida de sentimentos Constitu-
cionaes, estar em posicao de annujr aos
Principios rigorosos de nossas instituicoes ?
Huma desinteljigencia momentnea entre as
imaras nao poderia occasionar graves ma-
\ Naco ?exige huma acquiescencia nos
Ca
les a JNacao fexigeIiurna acquiescencia
partidos, que tem maior, ou menor influ-
encia na direccao dos agentes Nacionaes, e
dos da Publica Administradlo; pode-se con-
tar com essa acquiescencia, no rpido pro-
gresso de nossas livres Instituissoes ?
Admittamos agora o assentimento da C-
mara dos Deputados as Emendas da C ama-,
ra dos Senadores: seguir-se-hiad'alii, que
os Principios Constitucionaes perdesseni a
sua forca f Como Elles nao foro anda -
em vigor, e cada vez mais forca tem adqui-
rido ; e s agora he que periga o seu adi-
amento ? Quando, pela primeira vez, a
Naco v huma fixaco de despesas, pelos
seus Representantes ; quando os Ministros
do Poder Executivo esto em vesperas de
abandonar a presa do arbitrario na distri-
buidlo dos dinheiros Pblicos; quando a
Naco nutre esperancas de ver oeeupados os
empregos por seus filhos ; quando hum gol-
pe mortal vai ferir a alguns favoritos do pa-
tronato ; quando huma esperanca de fisca-
lisaco transluz entre hum cabo de prevari-
caco; quando, em fin, huma pedia se
achava talhada para hum grande monumen-
to, que tem de ser todos os annos aperfei-
coado; ser ento, que os promotores do
bem geral da Naco tudo arrisquem, tudo
sacrifiquem, para tudo conseguir ? Tanta
severidade nao cabe aos patriotas de huma
Nacao adolescente.....Nem menos pde-
la fazer vacillar o passo, que nos cumpre
adiantar, a equivoca intelhgenria, que as
Emendas inculco sobre o Art. 171 da (ons-
tituico. Senhores! O Art. I7i da Cons-
tituidlo s diz respeito s Contribuicoes di-
rectas: que actualmente, entre nos, nao dp
anda para o pagamento do juro, e amorti-
sacao da Divida Publica : para executar-se
huma disposico, que determinasse o paga-
mento dos impostos independen temen te da
fixaco annual da despeza, seria necessiiio
emendar a Constituidlo; o que nao se faz
Eor Emendas da Cmara dos Senadores na
ei de fixaco de despezas. Conclua-se pois


r
* -
' ', |l 11 l

(3o)
*'

!
r
Y '
a Lei da Fixaeo de (spesas, a grande Lei;
e diga-se Cmara dos Senadores, que suas
Emendas foro consentidas pela Cmara dos
Deputados.
Paco da Cmara dos Deputados 2 de No-
yembro de i83o. ^ Hollando, Cavbante.
v
O abaixo assignado exannnou com atten-
cao as emendas, que o Senado offereceo
Uei, que marca as forcas de Terra, e Mar,
e ixa a Receita, e as despezas Publicas no
futuro anno inanceiro.
Estas emendas excedem de sessenta ; e
sua materia he to clara, e de natureza tal,
tjue o abaixo assignado julga superfluo ac-
eompanhal-as de observasbes. He com a
mais viva magoa que o abaixo assignado se
pronuncia contra nao poucas dessas emen-
das, persuadido de que nao podem ser ap-
provadas sem comprometimento da dgni-
d.ide desta Augusta Cmara, e manifesta
o'ensa da Constituico do Imperio.
Sem visivel razao de utilidade publica se-
parou o Senado da Lei do Orcamento a fi-
xaeo das forcas de Terra, e Mar, forman-
do desta duas Leis distinctas e separadas.
Aos espiritos inquietos com os desagrada -
veis boatos de recolonisacao, e absolutismo
parecer que o intento he expor denega-
do da Sanccao as Leis, que hxao as forcas,
e conseguir-se assim a conservaco de Tro-
pa Extrangeira no Imperio sem licenca
da Assemblea Geral, e contra o voto dos
Brasileiros amigos da Patria ; desgranada-
mente no Senado tem assento Conselheiros
da Cora, talvez comparticipantes desta, e
de outras medidas semejantes.
A to pouco se nao limtou o Senado -
xando as forcas de Mar ; elevou-as a duas
mil pracas, e do Corpo de Arftheria da
Marinha" consentio. apegas que existissem
vagas 800 pracas, restabeleeeo a despeza
das Galeotas, posto que particulares de S.
M. o Imperador, revahdou os contractos
feitos com os Officiaes Estrangeiros sem dis-
tineco, sequer, entre os anteriores, eos
posteriores a Constituico. O abaixo assig-
nado repete que emendas taes nao merecen*
a honra de ref utaco.
Cabe aqui huma reflexo sobre a conduc-
ta denossos Ministros, noque respeita
economas. Admira que os nossos Minis-
tros, quemis tem appresentado dezejos de
reformas, e economias, peco para as des-
pezas sempre as mesmas quantias ; a histo-
ria de nossa Administrado o prova sobe-
jamente. O actual Ministro da Marinha en-
eetou sua administraeao por estrondosas
Portaras de reformas, e pela aceusacao Commandante das Galeotas, suspeito de-
extravio dos dinheiros pblicos, e entretan-
to orea a despeza das Galeotas na mesma
quantia, em que foi oreada pelos seus ante-'
cessores em 1828, e 1829, isto he em
13:13o$4oo res ; e he a quantia, que parav
ellas consigna o Senado em huma de suas
Emendas.
Menos offensivas do bom senso sao ai
emendas da Lei da fixaco das Forcas d
Terra; posto, que fossem elevados a doze
mil os Cabos, Anspec,adas, e Soldados ; e
que se suprimisse o Artigo, que tollie ao
Governo o abuso do emprego das Milicias.
Se esta Augusta Cmara entendesse conve-
niente dar mais huma prova de sua condes-
cendencia com o Senado, poderia adoptar
esta Lei, separando-a do Orcamento.
Poucas das outras emendas sao adopta-
veis no juizo do abaixo assignado. Parece
que o Senado se ohidou de que a hum Po-
vo nao pode ser imposta a obrigacao de
pagar tributos, que nao sejo os indispensa-
veis para manter o Estado : como pois con-
servar o Cargo de Regedor das Justicas, ap-
provar a nomeacao dos Conselheiros da
Fazenda, cujo ordenado suprimi esta Au-
gusta Cmara, continuar os veneimentos
dos Membros do Tribunal da Bulla, quan-
deforao suprimidos os dos outros Empre-
gaios, elevar a despeza da Repartico dos
negocios Estrangeiros a i4:ooo$ooo rs. ?
Gomo elevara mais de hum milhao de cru-
zados as despezas publicas, que a Cmara
dos Deputados por algumas razes polti-
cas, e de humanidade, nao restringi s ab-
solutamente necessarias, resrvando para
os futuros orcamentos economas mais con-
sideraveis, e que sao reclamadas pela Voz
Geral.
A emenda, que mais revolta, he a que
manda pagar imposto, anda que nao baja
Lei do Orcamento: a Cmara dos Deputa-
dos se cubrira de ridiculo, se a nao rejei-
tasse, quaesquer que fossem as nossas cir-
cunstancias. He incrivel que, sanceionada
doutrina diversa as duas anteriores Leis
do Orcamento, que consagrando-se nellas
oprinepiode que o pagameuto dos impos-
tes depende de huma Lei annuaJ, queau-
thorise sua arrecadacao, se queira hoje o
contrario; fora retrogradar no caminho
Constitucional a adopcao de semelhante
emenda.
Rejeitadas pois as enlendasy nao pode en-
trar em quest 60 que, sendo o Projecto de
Lei da mais transcedente utilidade, deve
seguir-se a reuniao das Cmaras para sua
final ultimacao. O abaixb assigna^se per-
suado que o Senado teni j desckb de sua
;
i
-


i ir
* >.**
.....i
ai*.
!* I '
A
(Ti)

c*
anterior opposico a que os Membros de
ambas as Cmaras votem promiscuamente,
e como se huma nica fosse. Gomtudo, nao
existindo hum Regiment commum, lembra
o abaixo assignado que muito convir adop-
** tar-se interinamente o Regiment interno
do Senado na parte respectiva s emendas
remettidas por esta Cmara, e que nenhuma
diflerenea se faca na votaeo entre Senado-
res, e Dcputados, contando-se os votos,
e decidindo-se pela maioria dos Membros
presentes.
Nao lie de esperar reluctancia da parte do
Senado, que bem conliece os seu s direitos,
e os da Nacao. Se porem contra a geral
espectculo o Senado recusar a fusao das du-
as Cmaras em Assemblea Geral, o Brasil
reconhecer a origem de seus soffrimentos,
a causa de ficar elle tara bem este auno pri-
vado da Le do Orcamento, e consequen-
temente quem seja o responsavel pelos ma-
les, que se devem seguir. De certo esta Au-
gusta Cmara nao poder ser taxada por
sua conducta firme, e leal,' e por sua reli-
giosa adhesa Lei fundamental.
B. P. de Vasconcellos*
Cumpre advertir aos nossos Leitopes que
nao- obstante serem os votos cima/trans-
criptos, os de dous Snrs. Deputado*s, mem-
bros da Commisso de Fazenda, e porisso
nao se poder julgar qual d'elles he o da
lllustre Commisso todava o Snr. Depu-
rado Duarte e Silva apezar de se-achar en-
fermo compareceo no dia 4 na Sesso e
decarou que elle subscrevia o voto do Sur.
Vazeoncellos, e assim Ih'o-havia dito, ape-
rar de nao concordar em todas as opiuies
ali emitidas, e que fazia aquella declaracao
para destruir toda e qualquer suspeita que
podesse ter produzido contra elle o ter ap-
pareeido o voto sem estar n'elle assignado:
pedio enta licensa ao Sur. Presidente para
retirar-se por enfermo. ~ Portanto devemos
considerar o voto do Snr. Vazeoncellos co-
mo o da Commisso.
Astra de 6 de Novembro.

K
EDITAL.
-T Erantf& Junta da Fazenda Publica, se
hade por novameme em Praca na Sesso de
12 do corrente mez, e seguintes, os contra-
tos a baiKo declarados, e que ja foro an-
nunciadospor anteriores Editaes para serem
arremattados a quem njaior preco offerecer,
e por o triennio, que se finda em i833, a sa-
ber.
O contracto do Novo impasto das
carnes verdes de vacca da Freguezia de n-
na
Dito dito da Villa de Garahuns.
Dito do tabaco em p
A renda da Typografia Nacional
As pessoas, que se propozerem a arre-
matar os ditos contractos, compareci na
salla das Sessc/es da mesma Junta, habilita-
dos na forma da Lei. Secretaria da Junta
da Fazenda de Prnambuco 10 de Janeiro
de i83i.
Joze Victorino de Lemos,

VENDAS. -' i
C -' '": >'* '
. V Oleles da Nova Luz Brazifcira, escrip-
ia pelo D. Cipriano Joze Baraja de Almei-
da: ra da Gloria D. 4i.
--Bilhetes e meios bilhetes da 3. Lote-
ra beneficio dos Emigrados Prtuguezes,
com2opor centos de rebufe: na'lofa da
esquina da ra do Crespo para a do Quci-
mado.
Gigos de louca azul, e bixas de ioo a
18o rs. ra da Madre de Dos defronte da
porta principal da Igreja.
Um escravo, da costa, 20 anuos, sem
viejos: na ra do Rozario para o Carmo
venda de Joze Claudio Gomes, que foi de
Lisboa.
"-Urna criolla, idade 20 annos, coze, e
emgoma sofrivelmente, sem vicio algum:
ao Sargento Quartel Mestre do Bataho
N.i8.
Bixas, vindas do Porto e Lisboa, de
80 a foo rs. : Forte do Maltes venda N. 12.
Farinlia de mandioca do Rio de Janei-
ro a i$5oo rs. em sacas, e a 1^200 sem el-
la: na loja de fazendas de Caetano Joze de
Siqueira junto ao arco da Conceico da pon-
te.
Urna preta, crioula, 23 annos, engoma,
cose, eozinha, e faz doces ; sem vicios: an-
nuncie-se por este Diario.
Urna molata escura, 20 e tantos annos,
com todas as habilidades necessarias para
bem servir urna familia: anuncio-se por es-
te Diario*
COMPRAS.
LMa bengala de cana da India, liza, e
nao muito fina; annucie-se por este Diario.


mm

., i

*
m
..
'

mimo.
. .: c '
t.-

l/O coro, da Igreja dos Franciscanos nes-
ta -Gade, furtnrao um respicndor gran-
de de prata da Imagem do S. Christo:
quem tiver noticia {leste furto queira denun-
eialoa-o P. Porteiro do mesmo Convento.
I anu.
-: Tin n o i,ut!v r^aerjXJig.
AVEifPARTICLVHES.
(X End sido partilliada a Joa Maria Mas-
earenhas Rozado a Caza de dois andares na
ra da Gadeia, que foWo faleseido Antonio
Ferreira da Silva, c estando a nicsma Eran-
ca letigioza por os mais Erdeiros nao quere-
rem reoonhecer como tal ao Supradito -Mas-
careabas; ^|idpo estes ao respeitavel
jHibtiep, ^e t^^qem faca contracto algum
con^fiWl&iza;' nao s por se estar dispu-
ta ndo\*4%bsto dir i to de Eranca do dito
jascarertlias; como pela mesma Caza estar
o^fda a fazer d repozicao dois cortos
ititfftf, e tantos mil reis a huin dos le-
gtimos Erdeiros.
-Na ra de S. Thereza N. 499, ha urna
criada de todo o servico de urna caza, e que
eozinlia, lava, e engoma.
No Mundo novo D. 22 ha um homem,
que se propoe para caixeiro de ra ou ar-
niazem, com pratica deste servico, e milito
hbil. /' :.
Predia-rsc para a Povoaco fio Carur
Freguezia dos Bererros um Sacerdote para
Capellko da respetiva capella, quajquer
Sr. Sacerdote, que se propozer para isto
pode entender-se com Manoel de Jezus Pa-
vafita com loja de fazendas as sinco-pontas,
na certeza de que se lh fazem certos 200$
rs; alem <& nieia estolla, que rende mais
de docentes, e que apparecendo hoje mesmo
achara conduco prompta, e cmmoda.
A 17 do corrente abre-se urna aula de
meninas na ra do Rozario 2. andar do
sobrado D. 7 defronte da esquina do bec
do peixe frito, na qual se ensinar a ler,
eserver, e contar, gramtica Portugueza,
e toda a qualidade de costura : a Snr. que
.se prop&e a este magisterio afianca todo o
desvelo da sua parte, e convida os pais de
familia, que pertenderem entregar-lhe suas
filhas a irem a referida caza tractar dos ajus-
te.
Precisa-se de urna casa em qualquer ra
desta Cidade, especialmente as d agua ver-


>


de, direita, Pateo do Carmo, ou S. Pedro:
quem ativer annuncie por este Diario.
L KJ \_* B L* \^ *--'
ESCRAVOS FGIDOS.

C'Onstancia, cassange, i4 annos, bonita
figura, magra, fgida na noite de 10 do
corrente, levando com sigo urna trouxa de
roupa sua, e no eorpo vestido de chita es-
cura, e contas azuese encarnadas no pesco-
co, e suppoe-se por sua idade ter sido fur-
ia da, ou seduzida : no Aterro da Boa-Vista
casa do Dez. Tibureio Valeriano da Silva
Tavares.
-LAsaro, cabra, 22 annos, baixo, re-
forcado, ferreiro, que trabalhava por este
oflicio no armazem de carrocas do porto
das canoas, e ltimamente no arsenal, f-
gido no dia 6 para n do corrente: a Manoel
Antonio de Souza Motta ra da cadeia ve-
Iha, JN.6.
Francisco, angola, 28 annos, estatura
ordinaria, semblante carregado, urna cica-
triz no braco direito: defronte da cedeia
D. 7.
Goncalo,' mulato, grosso, cabellos e
olhos pardos, cieatrizes no pescoco, carni-
za de chita, calcas de estopa, fgido a 10
do cofrente: em S. Antonio armazem de
carrocaV de Claudino Joze Branco, no Reci-
te a Antonio Rodrigues Lima.
NOTICIAS MARTIMAS.
Entrados no da 1 o.
Terra ftova; 58 dias; B. Ing. Mercu-
r>Cap. Thomas Roe, equip. 10, carga ba-
ca lho : Armsfield Brade.
Entrados no dia 1 r.

Rio de Janeiro; 29 dias; Barca Nacio-
nal Finte nove de Agosto, Com. o Capito
Tenerte / edro da ( unha. Passageiros os
Srs. Deputados por esta Provincia Gervazio
Pires Farreira, e Manoel Zeferino dos San-
tos.
Saludos no dia 10.
Porto de Calinhas; S. N. S. do Ro-
zado, M. Jernimo Moreira em lastro.
Rio Formozo; S. Guadelupe, M. Cus-
todio Moreira dos Santos; em lastro.

t

H.
-

go^tn
PERNAMBCO NA TYPOGRAFIA FIDEDIGNA. i83i.
. .
*-*
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2TQAI0RA_QSSWNV INGEST_TIME 2013-03-25T16:25:29Z PACKAGE AA00011611_01073
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES