Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01015


This item is only available as the following downloads:


Full Text

X. 4S5.
Amo d 1850.
Fi
y
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Sabscreye.se na Tipografa do meino Diario raa Blreta N. J97 1. pandar ea naaei por C4f rel hama folla
t.e afcir toaos #s aiai atei.
A Feika 31 de Agosto. Si Raymundo Nonnato Car dial.
sb


Preamar as 2 Aorat e 54 minuto da tarde.

-ir

ARTIGO di OFFICIO.
FOi prezente a* este Governo o seu Oft
ficio de hoje, e a'vista do stu onthe-
udo, tenhoa responder-lhe; que deve V.
S. ordenar ao Guarda Mor, que fac,a cor
rer a todos os que vierem de bordo do Pa*
quete, e que forem suspeitos de trazer
moeda de cebre ; apprehendendo a que
forachada, a qual sera' recolhida a essa
Alfandege. dando depois conta a Junta
da Fazenda da sua qaantia. Dos Guar-
de a V. S, Palacio do Governo de Per-
nambuco 36 de Julho de 1830. Joa-
quim Joze Pinheiro de Vasconeellos.
Snr. Juiz Interino de Alfandega das Fa-
zendas Bernardino Joze da Cunha.
JFrOi prezente a* este Governo o Officio
de V. 8. d 24 deste mez, participando a
aprehencao, que fizera, de noventa sacos
de cobre, contendo cada hum 100$ rs.,
por desconfianca, que teve, de que dito
dinheiro fosse falso, ou passado por con-
trabando : e, tendo de louvar o zello, que
toma pelo bem publico, e interesse da Fa-
senda ; cumpre dizer-lhe ; que pela Jun-
ta da Fazenda se exped rao as ordens pa-
ra ser aog seus Cofres recolhido esse di-
nheiro, afim de se proceder as diligencias,
e neeessarias averiguacoes a semelhante
respeito. Dos Guarde a V. S. Palacio
do Governo de Pernambuco 27 de Julho
de 1830 hh Joaquim Joze Pinheiro de
Tasconcellos Snr. Juiz de Paz de Ita-
maraea' Francisco Honorio Bizerra de
Menezes.
JP Icao pas9adcs a' Ordem de V. S. os
dois Balseiros, que hontem a' tarde fora
reeolhidos a' Cadeia desta Cidade, remet*
tidos pelo Juiz de Paz da Capella do Pi-
lar de Itamaraes', pelos motivos constan
tes do Officio do mesmo Juiz, que por co
pia remeti a'V. S., para, a' vista do
seu eontheudo, proceder, como for de Di-
feito, contra os sobredi tos Balseirus. D-
os Guarde a V. S. Palacio do Governo
de Pernambuco 27 de Julhe de 1830___
Joaquim .lose Pinheiro de Vasconeellos.
Sur. Dezembargador Ouvidor Geral
do Crime, Gustavo Adolfo de Aguilar.
A^Eenvio a' VV. SS. o Requerimento,
que liles dirigi o Juiz, e Meza rio* da Ir
mandade doSS. Sacramento da Fregu*
zia de S. Antonio do Recife desta Cidade
sobre o interramento dos que e fnao no
Hospital daCaridade, e caza do* Ekdos-
tos, para que VV. SS., avista da respe-
ta do Administrador daquellas duas caza*,
a' queni ouvi, defirao, como Ihes parecer
justo, visto que me nao compete a decizao
desse negocio, e sim a* esa Cmara, con-
forme o 2, Artigo 66, titulo 3. da
Ledo l.3 deOutubro de 1828. Deoa
Guarde a VV. SS. Palacio do Governo
de Pernambuco 27 de Julho de 1830. __
Joaquim Joze Pinheiro de Vasconcellos.
Snrs. Prez i den te, e Vereadores da
Cmara Municipal desta Cidade do Re*
cife.
s,
CORRESPONDENCIA.
Wh. Edictor. Quando lhe dirig a
minha correspondencia relativa a* exprs*
sao descomedida, e insolente, atribuida
pelo Imparcial (que nao he BrazleiroJ ao
Snr. Deputado Joze Custodio Das, an-
da nao tinha lido os ltimos Peridicos da
Certe: mas como quer, que os recebesse,
encontrei na Aurora dt 30 de Julho de
corrente o seguate. Em quanto na* da-
mos cabal respoita ao incendiario artiga
-5**



wi.

(5082)
'I
to Imparcial extraordinario, de hontem,
aprestaino-nos a informar o Publico de
que he falsa, e calumniosa a imputacao,
que ali se faz ao Snr. Deputado Joze Cus
todio Das. Outras frao as palavras, que
disae o Illustre Deputado, e de nenhuma
sorte dirigidas a menoscaliar a Sagrada
Pessoa de S* M. o, Achavamo*noB pre
zeute, quando o Snr. Deputado orou,
quando o Snr. Calmon requereo explica-
c,ao, e de tudo daremos conta exacta no
prximo Numero da nossa Folha. Mal
hajad os malvados, que de huma e outra
forma querem perturbar a ordem publica,
e arrartrar-nos aos abysmos da guerra ci-
vil. "
Bern Ihe disse eu, que nao acrediti
va n'aquella historia contada pelo laca
nhoso Maya, ora escreviuhador do Sema
ario Cvico, e boje n'aquella corle ser
viudo a' cabala absolutista debaixo do no-
me de Imparcial, e Brazileiro. He n is-
ter advertir, que a Aurora, tal vez a me*
Ihor, e mais sizuda Folha do Brazil, he
escripia pelo Snr. Deputado Evarioto Fer
ieira, que foi testeiiiunha ocufof, e auri-
cular do que se fez n'aquella sessao. E*las
cousas, quero dizer; e?tas calumnias nen-
huma impressao fizera na corte; poique
aoubese immediatamente a verdade: mas
o revoltoso portuguez Maya ahio-se,
quanto antes com hum Suplemento, a im
de que a sua mentira achasse lo&ro pases-
gem no Paquete, e viesse honrar as sojas
paginas de seu irmao Cruzeiro. Sera*
crivel, que hum Deputado se propozesse
a mostrar a falsidade do Imparcial em
huma cousa paspada em sua prezenca, na
prezenca de tantas pessoas, se alias fosse
verdade ? Que desgraca do Brazil! O
Maya, que vestio de trajes de Imperador
a hum moleque na Babia, o Maya, que
pregava liorna especie de cruzada contra
os Brazileiros, e sua Independencia, o
Maya, Redactor do Semanario Cvico, o
Maya, que tractava aos Brazileiros por
melaron, macacos, e cabras, existe na
capital (1) do Brazil, e anda nos insulta
todos os dias Nao admiro, que esse
Portuguez cosmopolita, e i ni migo jurado
(1) Devenios pois esperar ver breve
mente no meio de nos Jorge de Avilez,
Madeira, o Ruivo, Paula, hum Pereira,
o Dea6 Freir Fidi, e muitos outros,
que tantos servicos fizeraS a' Independan
cial Veinte, adoremu*.
dos Brazilejo3, procure mentir, enreda-,
e aticar a guerra civil; o que me espanta,
e envergonha, he ver Brazileiros, copian-
do aspatranhas, as enredadas desse h >
mem, cujo nome so devra excitar a iu.
digna cao das almas mais indolentes, e a*
pticas: mas que quer, meu caro Editor?
Ha* Brazileiros mais indignos, viz, bai-
xos, e serviz, do que o Portuguez mais
captivo, e infame.
Snrs, do Cruzeiro, e geralmente Srs.
irmaos columnas, sirvao, sirvao de rasto*
a fac procura dar cabo da liberdade legal dj
Brazil: se ella prevalecer (o que mui ca
ro Ihe hade custar) Vms. choraro lagri-
mas de sangue, e sem remedio: lembrein*
se, que Europeo captivo he essencialmen-
te inimigo dos Brazileiros: se agora os a-
braca, e lhes fazem mil agrados he pof
que delles carecem para os ajudar: se che*
garem a conseguir o seu plano,* no* Cons
titucianaes acabaremos nos patbulos, <&c.
&c.; mas Vms., Brazileiros Columnas,
e Calungas ficaro para o bacalho; e o
mais he, que bem o merecem. '
O' Brazil, of minha querida Patria,
quando veremos o Nosso Defensor Perpe
tuo, o Nosso Anjo Tutellar, como hum
Pai amante, e amado, rodeado, de seus
verdadeiros flhos, isto he ; dos Brazilei*
ros, que amao de veras o seu Paiz, e dot
Europeos honrados, que nos ajudarao na
ardua empreza da nossa Emmancipaeao,
e Liberdade ? Quando deivaro de dar
re "-ras entre nos os Portugueze* esc r a vos,
que por mais escravos, que sejao, nao
querem ir para o seu D, Miguel i TaU
vez, que e-sa conjuracao LusoBrazilica
esteja trabalhando indirectamente para a
nossa felicidade; pela re^ra d que ha*
males, que veni para bem : elies desejao,
e promover a guerra ci\ il: pode ser, que
desta rezulte a limpa geral de quanto ini-
migo vive entre nos para nos pemeguir, e
desinquietar. S. M. o I. bem diste, que
a i arvore da Liberdade nao mece sem
sangue. Todava Dos permitta, que of
maus Brazileiros se convertao, e que o
Portuguezes captivos voltem ao seu anc
to Reino, e nos deixem em paz, Etei
os sinceros desejos do
Somnmbulo.

i
t
/
i!
t f>


* '
li i-
>ti .1
mmm
(5083)
K
Correio.
OS Paquetes Imperial Pedro, e Feliz,
receben) as mallas para Masseio,
B*ha, Rio de Janeiro, Ceara', Mar*
nlia. e Para', hoje 31 do corren te pelas
9 horas da noite.
Avizos Particulares.
PREviNE-se ao respeitavel Publico,
que a casa anunciada no Diario de
SO do correte a venda, na ra do Padre
Floreaoo D. 23 N. 473 esta1 embarga
da no resto do valor hipotecado a Manoel
Goncai?es, por divida dofalescido pro*
prieta rio Francisco Joze Baptista, como
fiador de sen flho Joze Olimpio Baptista,
actual propietario dessa mesma casa.
Quem quizer pinturas de bom gosto,
e paineis para illuminacao, com a Augus-
ta Etfigie de S. M. I., tuclo em boa or-
nen para o dia 7 de Setembro, e 12 de
Outnbr >, dirjanse ao aterro da Boa Vis*
ta, na cas i que ten o distico Pintor, que
la acharad com quem tratar o seu negocio
que seia' por preco cmodo.
Manoel Ant-nio A Ivs Guimares,
pertende abrir aula de primeira* letras na
ra da Gloria lado direito D. 1(5, awim
roga a todos os Sur*, que se queirao aproi
veitar do seu prestimo, que se irijao a sua
moradia, que alem domis entina di ver*
sas contas pertencentes ao negocio.
Perciza-se ftlar com o Sor. Francis-
co Cavalcante de Albuquerque, ti!lio de
Lourenco Cavalcante de Albuquerjue,
natural da Provincia do Ceara', e morador
em Piauhy, e como ha noticia de que o
mesmo Snr. esteja ne*ta Prac,a, e se igno*
ra aonde assiste, roga-se ao memo quei-
ra dirigr-se a ra Nova, luja D. 19, ou
declarar a sua residencia.
O abaixo assignado natural deata
Piaea tendo-sedhe inteiramente de Acui-
tado os meios de vida, pos que nao po-
dendo continuar em seu negocio por nao
ter fazendas nem quem as fie, para abas-
ter sua loja, faltando-lhe athe quem o a
bone para o dito fim ; e porque he cazado,
temquatro filhos menores, faltalhe todos
os socorros precizos para a manutencao
de sua familia, como a educacao daquel*
les seos filhos; por isso roga a toda e
qualquer pessoa que esteja ns circuns-
tancias de o empregar a fim de adquirir
com que se possa manter, e sua necessita-
da familia, queira por sua bondade anun-
ciarle por este Diario para ser procu
rado.
Joze. Ignacio Riheiro.
No dia 29 de Agosto de 1830, apa-
receo em caza de Manoel Pereira liemos
morador na ra do Rozara huma e*crava
de nome Maria, por conliecimento d hu
ma escrava do mesmo Lemos, dizeod
que anda fgida e que quera que a com*
prace, perguntando-se quem era seo Fnr.
e onde mora va dice que o Sor. se chama-
va Joze Manoel e era morador no E ige-
nho B un Jar Hu em Unna ; por tanto o
anunciante fas publie > para que a quem
pertencer a dita escrava quanto antes ve.
nba tomar conta della pois se nao re

n
sabeliza pela fuga da dita escrava, par-
que a nao tem amarrada.
A pessoa que anunciou no Diario de
Sbado querer comprar temos de medidas
de f ]h i, de pao, > de ferro ; d.rija-se as
5 pon tas venda D. 51.
Preciza-se de 100 peqas de 6400 rs.,
quem as tiver e quizer trocar a cobre com
o seu competente premio: dirjale a Ti-
pografia deste Diario que llie dira quem
asquer.
Compra-se.
T
Artaruga: na ra Direita sobrado
D. 14.
Vende-se.

BIxas effecti va mente, de muito boa
pialidade cliegadas as ultimas em*
barcac,3es do Porto, e Lisboa, a preco de
80 rs. a 320 cada huma, e em porcoes
sera' muito mais em conta: na venda
grande de 4 portas, da ra do V.garU
N. 22, de Joaquim Pires de Al i.pna
Lopes, na esquina que volta para o Fute
do Mato.
Hum escravo de 18 a 20 annos de i
dade, ladino, dogentio de Angola, sena
vicio, nem achaque algum, a tul para to
do o ser vico : na ra das Ldrangeiras,
caza D. 6, 1. andar.
Potaca muito nova, chegada ulti
mamente: na ra da Cruz ao pe* do Bom
Jezus armazem N. 5.
Para tora da trra hum escravo ladi*
no, mosso, bonita figura, bom canoeiro,
caiador, e com principios de car pina, e
barbeiro: na ra de S. Beato de O inda
N. 16.
Hum selim tizado, e por preco c-
modo : na ra Direita D. 10.




0M4)
Huma eserava molata, de dade de da Cadeia velha no 5. andar da casa
18 a 17 annos, engoma, coze xam, eco do Capitao-Mor Quarssma, N. 41 ; ou
zinha iofrivel, por preco cmodo: na ra defronte do Corpo Santo no armazem de
da Gloria N, 173.
CafiV a 6 pataca a arroba, queijos
Xiondrinos e de pinna chegados no Pa
quete, Prezuntos, Mustarda, Concervas,
Tinta azul e preta em barris : no Forte
do Matto por baixo da hospedara In-
gleza.
mbfl Alluffa-se.

Um segundo andar para pequea fa-
milia no Bairro da Boa cabos N. 5, que serao bem recan pen*
c,ados. &
Da Villa de Maceio desaparece em
o mez de Abril prximo passado hum mo-
lato acabocolado, cora idadede 17 a 18
anuos, cara redonda, cabellos pretos e
corridos, boca grande e den tuca, hum
dos dentes da parte de cima da boca ra-
diado ao ineio, estatura ordinaria, po-
rfo tenho bomcreci ment 4or ser muito
moco, nao muito -eco do corpo, pes gran*
Antonio: anuncie pelo Diario, reMi^Jisq det e achapados, e nao carnudos, brizos
FlirtOUHSe. pardos, e tem principio de eapateiro, por
NAnoite de 26 pata 27 di cofrenfe de sso supoem-se esteja acuitado em alguma
huma Yenda na ra do Cotejo o se. tenda de eapateiro : os aprehendederes o
guinte 36 a 4OJCO0 re. em diuheiro de po cobre, entrando neste 1380 em plata, u vincia a;ra- d'Alfandega telha |N, I,
Jna porcao de moedas de 5, e 10 rs. e le- ou a mesma ViUa de Maceio a Antonio
varo a mesma gaveta onde esttfvi o nheiro, 5 caixas de sabao American y 5 cacao a quantia de 20#OOO r$<; e o mss
resmas de papel almaco, 2 'queijos, hum feinf. do dito eroravo protesta uzar de todo
bocado de xa' bolaxinha Ingleza, e un o rigor da Ley contra quem o ti ver aco-
arco de paocom5 ferros proprios para.fu- lado em sua caza depois do prezente a*
rar pipas, e barris; qualqWr pessoa a nuncio. i i
quem for offsrecido alguns destes genero*, i Justino, nacao da costa, de idade
ou del les noticia tirer, ou de, cubrir o la- de 16 a 20 annos, com hum talbo na ca-
drao, sera' pelo anunciante recompensa- ra, fgido no dia Sexta feira 27 do cor
do; assimcomo o mesmo protesta centra r nte levando vestido calca branca e ca-
qualquer pessoa em cujo poder se ache o miza de pao de algodao, e hum bone'
furto, Ou parte del le. > com pintas brancas e encarnadas e com
aIgu mas utas pregadas : os aprehended>
Vl&g'enS. res levem-o a ra da Cadea do Reeife ca-
A Ti* 15 de Septembro prximo parte za N. 43, que recebera' o seu traban
impreterivelmente para Genova a Hio.
Galera Francesa Grand Duquesne tendo Bento, do gento Gaba, reprezenta
toda a sua carga de caixas pronta, toma- ter mais de 30 annos, porem tem cara de
ra1 anda alguma carga miuda, ou alg3 velho, olhos encovados, as macans do
dao, quem pertender embarcar a dita rosto altas, queixo comprido, muito bar
cargfa pode tratar com o Capitulo abordo bado, estatura mediana, bastantemente
da dita Galera, e a Antonio Ferreira Al- mogro, e quando anda mete os pes para
ves na Prac,a do Conmercio
___ ___
Escravos Futidos.
IEverina, crioula, de idade de 25
dentro; fgido uo dia 27 do corrente de*
vando vestido carniza de baeta encarnal a
e siroula de algodao da trra ; o dro
preto levou hum eavallo castanho, frente
5^30 annos, bastantes marcas de bixi- abtrta, clina compriua, e calcado de
gas no rosto, fulla, cheia do corpo, tem branco nos 4 pes o qnat anda nao fes a
hum srgnal de carne debaixo do naris, ultima muda : os aprehendedores levem-o
beicos groeos, dentes aparados, e altura as Barreiras Bairro da Boa-vista, a caza
proporcionada, fgida no dia 26 do cor- de Joze Antonio Al ves da Silva, que a-
rente : os aprehendedores levema a ra rao generozamente recompencados.
PernambucQ na Typoqmfia ito Dimrio.
V
1
I
-,<
t


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL4U5SNXK_3CFV40 INGEST_TIME 2013-03-25T14:44:59Z PACKAGE AA00011611_01015
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES