Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01004


This item is only available as the following downloads:


Full Text
w
' '

N. 453,
Anno d 1830.
DIARIO DE PERJVAMBCO.
Segunda Feiba !6 de Agosto. & Ifc,^ ^.
Preamar a 2 Aora e 6 mitinhu da manhSa.
ARTIGOS de OFFICIO.
.*
A
I
Vitta do Officio de 13 do eorrente,
emque expoem as dificuldades, que en*
contra na execucao dos seos de?eres para
-inanutencau do soctgo Publico, agora so-
bre manara perturbado por Ladr5es, e
Jacinorozns, em razao da falta de pron
tidaS das. Autoridades Militares na pres-
tacao do auxilio, principalmente paraos
cazos de flagrante dilicto, que nao pode
esperar por essa formalidade; Tenho a
commimicar Ihe, que nesta mesma data
ramattto verOfficio ao Snr. Governador
das Armas para Ordenar a todos os Cota-
mandantes Militares, que advirtao aos n.
clividuos de siiajurisdicao, que, quando
emcazo deflagrante dilicto Ibes for nt
mad por qualuuer Authoridade Criminal,
ede Folicia, que acudaa' prender quaes'
quer criminozos, se preste, inmediata-
mente, eauxileem n'esse acto a Justiea ;
devendo ora tica r o mesmo em todas as mi-
tras diligencias, que nao forem de mo-
mento, depois de lhes ser ordenado por
seos respectivos Com mandan tes, os quaes
fisaro responsaveis pela falta de promp-
tidao na prestacaodos auxilios: Epelo que
toca a* Gente de Ordenanza, V. S. a po-
de i inmediatamente apenar para taes de-
licencias de flagrante dilicto, seguimento
de criminosos &c. independente de re*
quizicao; requezitandoporem paraasoiN
tras, que admittirem mais demora, aos
seos respectivos Commandantes o numero
de individuos, que for necesario. Dos
Guarde a V. S. Palacio do Governo de
Pernambuco 17 de Julho de 1830. __
Joaquim Joze Pinheiro de Vasconcellos.
fiar; Juiz de Paz da Freguezia de I-
pojuca, Joaquim Aurelio Pereira de Car
valia.
_,Llstrisimo, e Excellentssimo Snr.
= Uemettoa'V. E. o incluso Requa.
ment de Joze Lucio Correia, Alferes da
pnmtira Companbia do Batalhao5Jde
Cacaderes de segunda Linha do Exercito
quedando se da injusta pretericao, ,,e a^
caba de sofrer na Proposta, a' que se pro.
cedeo, dos Postos vagos do mesmo Bata-
llo, para que V. E., a vista das raaoes,
que elle allega, baja de communicar-me o
seu parecer. Dos Guarde a V. E. Pa.
lacio do Governo de Pernambuco 20 de
Julho de 1830. Joaquim Joze Pinhei. i
ro de Vasconcellos. Illustrissi.no, e
Excellentissimo Snr. Bento Joze Leme.
nha Lins Governador das Armas Interino
desta Provincia.
c
'Onstando a este Governo, que o
Profesor de primeiras letras d'essa Ci.
dade Antonio Filippe Neri, se acha ma.
tnculado no Curso Jurdico, naG poden,
do conseguintemente deempenhar, como
ciimpre, as funcoes do seo Magisterio;
VV. SS., averiguando a verdade do ex.
pendido, informars com urgencia a' se
melbante respeito, afim de ser posta a
Concurso dita Cadera, e provida em .-
tro Professor. Dos Guarde a VV. SS
Palacio do Governo de Pernambuco'20
de Julho de 1830. Joaquim Joze P,
nneiro de Vasconcellos. Snrs. Prezi.
dente, e Vereadores da Cmara MunicU
pal da Cidade de Olinda.
N
Ao tendo VV. SS. dado o devido
curapnmento ao Imperial Avizo de 27 de
Jevereno ultimo, cuja espia lhes foi man-
dada por este Governo em Officio de 19
de Abril; tenho ainda por esta vez de et*
itar-lhes a execucao de Ordens, em que
devenao empregar maior cuidado. Deoa


(3034) '
* j vv cc-Poiarin do Governo PortoB de&ta Cidade erao vendidas pelo
Guarde a VV. SS. /alacio do ^erno pon. ha| qu ^
&nrs. rreziaenie e f'u t nliniIllftr daauelles vazos ; e de
N
res por qualquer daquelles vazos; e a;e
prezente o alterrao elevando o ao preco
de 20 reis. A razao deste ultimo acresci.
mo he por haverera arrendado os Suppli-
cados hum pequeo terreno no Solo prin-
AS tendo VV. SS. dado o derido cipal do Engento denominado Monteiro,
Ao quazi a margen, do Rio, onde paaarao a
fazer erigir hum baldo ou pareda na gar-
niara Municipal desta Cidade do Recife.
Kxpedirao.se do mesmo teor a toda*
as Cmaras, menos as de Olmda, Cim-
bres. Pao do Alho, S. Antao.
n r..aPfip VV O5. faiacio quena uuiaaiuiim'......v------P----
Tn ^2libuWdeJulh xigem por cada huma canoa d'agoa que
^0 ~ o2 rjoze Knheiro de se enche no mesmo baldo 160 res: acres.
v* Jh Si Ouvidor iiela Lei cendo mais a isto que huma pequea en,
^^^loSdmT deAl.neu trada qu? ha'no dito ca^na por onde de.
desta Comarca, joaquiui dUo da5 aiglimag canoas
da Freitat.
Expedio-se outro do mesmo teor ao
Ouvidor do Certao.
A.
Cmara Municipal.
pois de feito dito pareda algumas canoas
por ali entreveo ese proviao dagoa os
Suppicados estimulados de sua propria
ganancia o mandara entulhar, ficando
por isso vedado aos conductorps,aqueHe
iltimo recurso, e os canoeiros obrigados a
hirem de rigoroza necessidade encher as
^a^r^fjfi TXeut =S ^ mesmo baldo, j ali come por
, ^LZSsqvSu^mAn^i. huma espece de extorco Pf***
* xa d'alcuns moradores desta Cidade a' taxa ; e quandoapezar mesmo de todas a.
cerca dadlhcaca do preco d'agoa as q-ellas cautelas Igum procura desv.ar-se,
canoa que as vendem, mandou, alem he por hum vigia, que al. ha', espanta.
Contras duendas, ouvir por escripia a do, e corrido, sem que tenha resursa al*
Eu Sd o deloza Lobo Brandao, e Un. guma. Nao entra em duv.da, que seno
da transcrerer no presente a mean Quei- Um de tempo unemoravel aquelle S.tm
para q", a' vista della, lhe envi* para o fim penpionad. ja .na os reo.
aSbempo escripia o, Proplanos de deiros, ou Senl.ores do Pred.o eraoautl.o.
oM,ePTanquesd'agoaa'vendaasra- rizados para er.g.rem o baldo, ou pare
riee^toquae^levautara aodobroo pre- da, enerando aos Povos a soh.eao d ,.m
do balde do me.o elemento. Isto at onus ou tr.buto; por ,sso que Rm*.Fon.
odia 21, querendo alies defenderem-se. tes, Estradas, M.nas, &c, &c., sao ea.
LT 4 lengas, nao pertencem a algum particu-
Illustiussimo, e Excllenfcimo Snr. lar embira lejaS Senl.ores do Solo. O*
? Os abaixoassign.do., moradores ne* agua.ie.ros purera o|pri{dot do urm us
la Cidade, reprezmtao a' V. E. que en. pavaraS por .sso a duplicar o valor dos
do a imoozica de tributos e pendes, hum vazos d'affoa quando anda ass.m a pen-
& nicamente do Poder do Chefe da Na- cao de 160 re.s por canoa, que ounduz o
cao, elle, se vm agora enerados com hu- lo e dez patacas daquelle Elemento, nao
ma nova pencaS illegalmente estabelecida pode legetnnar em boa 4r.lh.net.CS a du-
por En.igdio\de Souza Lobo Branda?, e plica?a em la excesso; he a prov.den-
Sutros. He o cazo : De tempo immemo, cia sobre otes tactos, que os Suppl.cante
rraUstabelaceu.se nesta mesma Cidade, vem implorar a V. E. O ser aquelle ge>
como hum ramo de negocio o transportar, ero de prime.ra necess.dade nao autbori-
m canoas agoas de Rio Monteiro e de za aos agoadeiros a dupl.carem a seu bel
w Li.,...^n^;..r^h,l.^. nraifir. e arbitrariamente o preco, poris.
1


V
'>
>
seca, que possa diminuir acorrente dos
indicados Rios; e ao contrario, a manha
poderao reiteirar o facto, levando o can-
taro ou balde a' pataca ; e os Suplican-
tes focados da necessidade, se verao o-
brigados a cevar a ambicio dos meamos
ao-oadeiros. He sobre estes objectos pois,
Exclentissimo Snr., que os Suplican-
tes pedem Providencia, ou mandndo-se
demolir o baldo ou paredao, pelo esbulho
qu o Publico'recebe ; ou mandando-se
taixar pelo prec,o de 10 rs. cada lium po
te ou ))alde. O serem taes providencias
propris da atribuicao da Cmara Muni-
cipal,* nem por isso deixao de pertencer a
V. Ex. como primeira Authoridade desta
Provincia, e Delegado do Imperante a
quem incumbe obem serdosmesmos Sup-
plicantes, e de toda a Provincia. Eis a-
qui o que pertenjiem os Suplicantes, da
alta sabedoria, e inteireza de V. Ex., e
por esta graca Recebera Merce -* Re-
cite 9 de Juiho de 1830.
Com B1 assignaturas.
H
Avizos Particulares.
APessoa que moja na ra do Amparo
deOlinda, no sobrado N. 21, *
que no Diario de Sexta feira 13 do corren-
te, anunciou querer vender hum moleque
com 18annos deidade ebonita figura;
que cozinha o diario de huma caza, e que
tambera engoma, queira traze o na ra
do Colegio no4. andar do sobrado que
tem por baixo hum boteqmm, para ser
visto ; certa de que, se agradar e nao ti-
ver vicios, ajustar-.se-ha.
Preciza.se dehumhomem para ten
tor de hum citio e que tenha as qualida-
des prtcizas; quem estiver nestas cireuns*
tancias dirjale a loje das fazendas bara-
tas na esquina da Pracinha do Livramen-
to de Joao Carlos Pereira de Burgos.
Auguste, restaurador francez, aviza
ao respeitavel publico, que tem agora
irrande hospedara de franca que tem
quaotidade de camarinhas equartoaque
se achao ornados e mobilhados ao gosto
de naris, tera' meios de agazalhar as pes-
8oas demaior distincaO, que quizerem
hnralo em confiarse a sua eleicao.
mesmo nao se poupara' em procurar a mi-
lhor comida e arranjo, o servio da caza
sera' feito por criados brancos, tera' duas
crandes salas para as pessoas que quize-
rem comer separadas, achar*e-hao ali
5)
como no antigo estabelecimento almocos
e jantaresa todas as horas, tem hum gran*
de sortimento de vinhos finos, francezes
e outros, este novo estabelecimento pos-
sue a vista mais agradavel e o fresco mais
desejoso ; tem taobem quarto cora na*
nheiro para as pessoas que quizerem tu^
mar banhos, e faz-se banquetes para fes.
tas, cazamentos, &c.
JLeilo.
DE diversas fazendas, e diferentes ar-
tigos, que pertende fazer Joaquina
Avelino Tavares nos dias Quarta e Quin*
ta feira 18 e 19 do corrente mez de Agos
to pelas 8 horas da manh na caza de sua
rezidencia ra Nova N. 88 com as con-
dieoens que aprezentara' no acto do mes*
mo Leila.
Corapra-se.
Um palanquim: na ra da Guia
.N. 16.
Vende-se.
HUm escravo com officio de Marcinen
ro, empalhador de cadeiras, e co-
zinha o diario de huma caza : na ra de
Hortas D. 20.
Hum Berco deconduru: na mesma
caza. ., ,
Hum escravo Musambique deidade
de 20 annos, bem sadio, e sem vicio al-
guro : no Aterro da Boa-vista, Padana
.8,
Duas escravas pretas huma que re-
presenta 28 annos de idade, muito boa
lavadeira ; outia que reprezenta 22 an
nos ensaboa sofrivelmente, e cozinha o
diario de huma caza : na ra da Sanzalla
velhaN. 7.
A dinheiro ou a prazo a aeao de mi-
ma loja grande de quatro portas na Praca
d Uniao N. 37 e 38 com a sua com-
petente armacao de vinhatico envidraca-
da e tao bem se arrenda : na ra Nova
N. 81.
Alluga-se.
HUma escrava boa cozinheira, e abil
para o servico de caza : na ra de S.
Pedro D. 36. .
Huma caza terria com seu quintal
no Posso da Panella na ra da Manguei-
ra a da esquina, com seu portao : na ra
da Rozario caza do Villaca a fallar com o
ti 11 io do dito.


_


(3036)
No lugar de S. Anna, citio de A-
maro de Barros Correa, com boa. casa de
vi venda, muito arvoredo de espinho, boa
orta, e huma grande baixa com capim,
para 4 ou 5 caval los : na ra da Cadeia
do Recife, na loja de Joze Antonio Bas*
tos.
Arrenda-se.
APropbiedade dos si lio j da Brasida
com coqueiros, e trras de plantar
junto ao Rio doce: quem a pe ten ler po*
de fallar com Joze Narciso Cam?lo, no
Pateo do Carmo, para saber as condico-
es/ e fazer oarrendamento.
^erdeu-se.
NO dia 13 do corren te hum molatinho
na ra de lortas, com idade de 8
annos, o qual se aeha vestido com calca,
e jaqu azul; qualquer pes9oa que o ti ver
em seu poder, o podera* remeter n\ Cha
de de Olinda, caza da viuva do falecido,
Eu ni faci Joze de Mattos, que se pagara*
as depezas.
'"' Escravos Fgidos.
JOaquim, crioulo, de idade de 52 a 28
annos, canoero, e pescador do alie
ugio no dia 12 do corren te as 8 hars da
no i te, e tinha vindo no dia antecedente
prezo de estar fgido a 3 annos e 7 mezes
he alto, [eseco do corpo, foi cativo de
Antonio Fernandes Chaves por alcunha o
Escova botas, eslava aceitado em a praia'
do jang, em caza da mullier do dito es-
cova botas, e me da dita mulher a titulo
de que era seu e nao do anunciante, quan*
o anunciante teto, os seus ttulos legaes :
os acrehendedores levem-o a ra do Ro
zario Botica D. II, ou na Cidade de O*
linda ra de S. Bento na Botica, que re
ceberao a qunntia de 20#000 rs., e para
firmeza do qual tica este anuncio na Ti-
pografa com a asignatura do anuneante
e he provavel que elle foce para o Jarjga
para a rnesma caza da dita mae da mema
mulher do escova botas, pois ella niandou
no dia em que elle vcio prezo hum sujei*
to a caza do Juiz de Paz da Fregtiezia
da S de Oiiada dizendo que eu anunci-
ante o tinha mandado pegar sem elle ser
meo, e islo mesmo dice o preto na Cadeia
da mesra Cidade onde esteve prezo no dia
em que veio, e por isso o anuncense vai
uzar do rigor da Le contra a mulher, so*
ra, e mais moradores de caza.
Joao Pereira da Svetra.
De bordo do Bergantim Nacional,
Galianna, fundiado defronte do Forte do
liatto, fugio em a madrugada do da 13,
para 14 docorrente mez de Agosto*, um
preto, escravo ao servico do dito Bergan*
lim, de nome Domingos, denominado be*
xiga, alto, reforjado do corpo, salpicado
de hexigas no rosto, beicos muito breos,
levou porcao de roupa furtada, e dinhei*
ro, e leva va corren te de ferro no pe*: os
a prehendedores levem-o abordo do refer
do Bergantim, ou a ra da Alfandega
velha N, 3, que sera' recompensado,
Hum negro de nacao Baea, estatura
mediana, olhos grandes o abutuados, ca-
ra bexigdza, pazes largas, pernas finas
pes grandes, e tem pelas costal uns caro,
eos, fugio em Dezembro de 1829, e foi
pegado em 27 de Fevereiio do corrente
anno na Rebeira de Unna, noflngenho
do Verde indo na companhia de uns al*
moqreves, e no mesmo dia trnou a fugir :
os a prehendedores levem*o ao Engenho
S. Roza, que se lhe pagara' o seu traba-
Jho.
i
D
Noticias Martimas.
Entradas.
'Ia 7 do correrte, Rio de Janeiro,
pela Bahia ; 21 das ; trazendo do ultimo
porto 6, & Perola do Mar, M. Antonio
Machado de Faria, equip. 9, carga fei-
jao, e farinha, ao mesmo M.
*
Sabidas.
a dito. Hamburgo ; E. Ing, Eli*
aebeth, M. J, Robertson, equip. 7, car-
ga assucar. se Rio de Janeiro, Jargua,
eBchia ; Paq. N. I. Constancia Com. o
1. Tenente Henrique Matioel de Mo*
raes e Valle, que tinha arribado em 2 ('.o
corrale, levando os mesmos Passageiros,
com excepcao de 1 Sargento, e 3 Solda-
dos. Philadelphia ; B, Amer, Panam,
M. Welliam Farmall, equip. 10, carga
assucar, e couros.
i.
?
Fernambuco na Typoyrujiu d Dimri:


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFG5TCK3C_7FIXVG INGEST_TIME 2013-03-25T15:07:12Z PACKAGE AA00011611_01004
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES