Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00998


This item is only available as the following downloads:


Full Text
,,i.. -,
N. 44S.
Am de 1830.
DIARIO DE PBRNAMBCQ.
flabicreve-to aa Tipografia da aesata Diario na Dlrelta N. 507 1. adsr < eaet por 64f reis aiau folia
fia saalr todos os dUi atis.
'
'\
Sabbado 7 de Agosto. S. Caetano.

Preammr as 6 /ora j e 54 minutos da tarde.

O
ARTIGOS 01 OFFICIO.
iz Ordinario procedido pm ra*aodoseu
AOfficio, se o Juiz de Paz se sentpgrra
Cta da 21/ Sessao Ordinaria do vado, de ve usar dos recursos, queemDi'-
Cunselho do G.v rno cin 8 de Maio de reito Ihe sao permettidcs. Compareces
1850, presidida pelo Excel le i tissirao Snr. para ser examinado, Juaquim Mximo
Presidente Joaquina Jt ze Pinlieiro de de Freitas, oppositnr a' Cadeira de prn
Vasconcellos. meiras Letras da Povoacau de S. L >u
Forao presentes os Snrs. Conselhei renco da Mata, e sendo chamados os exa
ros Deao Bernardo Luz Ferreira, Dot- minadores Manuel Antonio Monte iro de
toral Manuel Ignacio, de Car val ho, De* Andrade, e Man el Carueiro de Souza
zembargador Thomaz Antonio Maci 1 Lacerda, e verificando-se oexame, au
M' teiro, Doutor Attonio J.-aquini Fer fui approvado: do que se lavrou o compe-
reir de S. Paio, e Felis Jcze Tavares de Unte Termo. E deose por fiuda a Sessao.
Lira; faltando eem cansa participada o eu Vicente Thomaz Pires de Figueiredo
Snr. Franciscu de Paula Cavalcante de Ca margo, Secretario do Goveruo, e do
Albu|iierque. Cunselho a suh^cievi. Esta v; o a^si^-
Fui lida, e approvsda a Actaantece- nades o Prezidente, e Memoro* do Con-
dente. Forao presentes dous Officio da selho.
Cmara Municipal da Villa do Cabo, em
um exnondo a dutida, em que se achava
a respeito do veto, que de ve ter o Presi-
dente da mesma as delrberacoe, e pe-
dindo esclarecimentos ao Conselho, que
R
. metto a' V. S. o Officio, que aca%
bu de receber do G vemador. das Armas
com us docuntent, que o acompunharao,
sobre a prizaodo Cnpituo das Ordnanos
julgou nao ser da sna competencia resol* Silvestre Bizerra Le te, que afirma o ie-
a interpretaba ferido Governador das Armas ter sido por
engao, e na >Upozica6 de que este fosa
hum tal Francisco Leiteda Silva, enten-
ciado a'pena ultima ; para que V. S. ,
procede ndo as necesarias aieriguacoes,
e exames, baja de restituir sem perda de
._ '* g-i^^ i.
ver tal duvida, que import
de Lei, quando alias tinha a Cmara a
decisao, que pedia, nos Artigos 27, e 34,
da Lei, que Ihe serve de Regimiento : e
em outro participando, que tendooseu
Secretario pedido demissao, havia ella no
meado outro, cuja approvacao pedia ao lempo o dito Capitao ao gozo desuali*
Conselho, que igualmente resol ve o nao berdade, se com effeito se verificar o en-
ser da sua competencia, pris queanome gano. Dos Guarde a V. S. Palacio do
ac do Secretario he privativa da Cama- Governo de Pernambuco 17 de Julho de
ra pelo Artigo 79 da citada Lei, indepen- 1830. Joaquim Joze Pinheiro de Vas
dente de approvacao do Conselho. Fui Concellos. Sur. < Dezeu.bargador Ouvi-
mais apresentado um Officio do Juiz de dorGeral doCrime, Gustavo Adulfo de
Paz da Villa de Flores, queixando-se do AguiLr. ^
Juiz Ordinario da mesma Vil la ha ver ti
rado urna devassa contra elle, f*zendo-o i CORRESPONDENCIA.
prender em virtude de pronuncia : resol* 4^ ^
veo o Conselho nao dever tomar conheci- &Nr. Edictor. In
ment da queixa ; porque, ha vendo o Jiu omnia,

priiri, et ante
sirva-e Uanscrever o documento
*- -



(3010)
'
eguinte Estanislau Pereira de OliveU
ra Jnior, Serventuario interino dos Offi
cios de Destribuidor, e mais anechos da
Ouvidoria desta Comarca por S. M. I. e
C., que Dos guarde &c. Certifico que
revendo o livro, que servio no anno de
mil oito centos e vintedousachei a destri-
buicao, de que trata a peticao retro, a
qual do theor seguinte Brito. Justi-
fitacao de Joze Germano Pi de Carva-
lho contra Joao Goncalves Rodrigues
Franca, ero 2 de Abril de 1822 Ao di-
to livre me reporto, e paseei a prezente
em queme assigno. Recife 22 de Julho
de 1830, nono da Independencia, e do
Imperio do Brazil. =s O Destribuidor
Estanislao Pereira de Oliveira Jnior.
Certifico que revendo o meu cartorio, nao
me foi possivel descubrir os aut< s de Jos-
tificaeao de que tracta a certidao*upra ;
Recife vinte tres da Julho de 1830. O
Escrivao Manoel Antonio Coelho de
Oliveira. Ora, Snr. Edictor, avista
deste autentico documento como se afeita
hum Joze Germano a dizer no seu Dia-
rio N. 441, em fraze muito indigna, o
ue disse ? que baixo adulador que por-
co mentirozo! que vendido! que corrom-
pida que escarrapaza o seu nome intei-
ro, e nao contente com ter emporcalhado
o seu Diario, mandou (no qu obrou a*
certadamente) publicar a mwma perver
sidade no Peridico dos prezos, dos fac-
norozos, e dos falcarlos, isto he no Cru-
zeiro, redigido pelo papa Algodao po
rem, Snr. Edittor o meu projeclo nao he
responder a este mizeravel, que empre.*-
to s?o nome, he sim fazer verao Publi-
co, a verdade do Pratico, a certeza do
que tem dicto ; os documento?, que tem
para o provar, e como esta' para isto
promptissimo' njuize agora o Publico,
62 o que o Pratico tem dicto, (que inda
na3 he hum quarto do que se tem delapi-
dado, e do que ade aparecer no Jury) he,
ou nao verdade, se provara', cu nao, se
o deapidador ficara\ ou nao compreen-
dido : ajuize o Publico, avista do docu-
mento cima transcripto, se existi ou
nao cauza daqueile Germano contra Gon-
calves, e em que cartorio; assim como da
certidao do Escrivao Coelho, deila nao
aparecer, se foi, ou nao rota, e adiante
das testemunhas, que no Jury seaprezen-
tarao ; ajuize o Publico a que sed uc oes
tem recorrido aquelle deapidador; porem
enhemeras, que ihe naopodem aproveitar;
elle tem buscado todos os meios de se eva*
dir ao Jury, nao o conseguir'; e|e foi,
(como a muito eu esperava) valer-se do
Redactor do Cruzeiro, para no N. 68
apprezentar aquella lamtntacao, ou o,
quer que he aquillo, concluitido surratei-
ramente que a Lei tinha marcado o meio.
de semilhantes acuzacoes, e que para el-
les havia Juizo Privativo, o Pratico bem
sabe disto ; porem nao quer Devasta, n-
jo bento! Devasta com tanto Santo !
tanto milagre tanto Cruzeiro tanto pa
r-a algodao! tanto papa Intendencia\ li-
bera n< s Domine; abrenuntio Satanaz !
Devasta para o homem sahir santificado !
Devassa semelhante a dos pasuuins ; nao
Snr. Escrivao da Intendencia, Jury: de
qui pe ira Vm. Snr. papa intenden-
cia, valer, se nao do papa algodao para
vir doni acuella Jeremiada? nada era tai*
natura!, a similhanca cria amizade, Snr.
papa Intendencia ; olhe nao se_ poda dar
huma melhor paHha; porem o maxave*
lisrro esta' cmihecido, o Pratico nao se iU
lude, e adverte ao Respeitavel Publico
que he a ultima resposta que da*, que di-
ga queni quizer o que lhe parecer, que
elle a nada ruis responde porque o que
o deapidador quer he matar o Pratico em
guerra de papis, para destrahir o Publi-
co da materia primaria, ifcto he dos rou-
bos: nao, Snr. deapidador, esta' enga-
ado, o Pratico, ja sejustificou anteo
Publico -contra a Carta do marchante da
Jeremiada do Cruzeiro, por tanto nada
mais tem a dizer se na5 Jury.... Jury
Snr. deapidador, ou entao ladrao, aco-
rn tal punido: esta' milito contente, por
serem remettidos os Livros que pela Junta
forao pedidos? mizet metui! elles forao
vistos, e revistos, quid inde examinen*
se (piando muito o calculo, achararse
' eertissimos; porque em 3 e 2 sa5 4, nao
erra o deapidador ; com tudo, (seguro e
me reporto aos meamos Livros) que no
consun o ultimo nao se aehou assignado
os Escrives das Classes, e uem Empre-
gados que acompanhassem alvarengasao
alto mar; por tanto o exame naque lies lii
vros he por analize, e Htif por calculo:
esta analize ade ser feita perante o Publi-
co no Jury; tenho, Snr. Edictor, contra
minha vontade sido bastante extenso, eu
dou por concluida a prezente correspond
deucia, e so* lhe rogo me guarde em sua
folha todos os diat hum cantinho, em que
caiba isto Snr. papa Intendencia ou Jua



* -
(3011)
/
\
17, eu ladro, le ladrao, eomo tal punido ate
que elle inesmo inste cotn o Snr. Juix de Direito,
para dar preferencia a sua canea: a Dos Snr. E-
dictor.
Se leitor.
O Pratico matriculado de Fora de Portas.
Atrizo.
m *#?
Condicoefts do arrendamenU da llha do Nogueira.
\J Rendeiro sera' obrigado a conservar todos os
Talados, e camboHS pertencente a llha, que s a*
chao abertas ; e nao deixara' criar mangues as
campias que existen limpaa com pastos d >s gados,
c evitara* a entrada d'agoa salgada na lugo a d'agoa
Fara* ama estacada da parte do mar para evitar
a destruirlo que o inesmo mur estt' fisendo na Uha
por falta do abrigo dos arrecifes pela grande quanti-
dade de pedras que se ten tirado dos mesmos: fu'
a porta do 1 i'verro, e tapara' o urrombo do momo,
conservara' tol>s os nrvoredos de espinho que exis-
tein na orta, os velados da mesma abeitos, sem que
nelles entre agoa salgada.
Sera' abrigada a plantar todos 01 coqueiros qua
se achao nasridos, e capases de st-rem mudados ;
asta plantacosera'feitaem tempo proprio, e em a-
litihamento dos mais que exin-in : no caso de ser
precizo se. funei Iguin concert na caza pt-r se achar
damnifcala dar' parte para se mandar faaer.
As canoa* que e.stiverem incapases de seren
acncertadas recoluera' p*ra trra, e as serie eom
pretendidas na arrematuc,o. Todas as bfndViton-
as que bouver de fatcr sera' por contt do inesmo
Keiideiro e quando entregar a mesma liba sera* re-
iatada para seversetem cuniprido com as candi
coens ,-i(i.Ha expesus. E senda ete arrendamento
eom os gados cvalos e escravos, as produces todas
sao c'o'Propnetario, e de qu.du.uer cabeca de gado,
avalo, mi escravo que faliescer dar' logo parte ao
Administrador para fiser verificar a morte, que sen-
do por culpa, man trete, ou abandono do Rendei-
i'o sera' por cor)tu dt-ste que tica obligado a bem tra-
tar, alimentar, vestir, e curar os mesnos escla-
vos.
A arrematr;ao sera' feita somente com o gado
fe mes, bizerros, dous touros, cvalos, redes, as
lanoas que seivirem, ferramentas, caza, e campo e
nada mu i.
N. 13. Sao 43 caberas de gado ao todo, f qHar-
taos, 10 escravos.
f

Anuncio.
X Odas as pesroas, que tiverem recolhido quaes
quer gneros para fornecimento dos Armazcns, e
Arcenal da intendencia da Marinha, dos quae* te-
nho rnente as ordens, porque os entrega rao, e
nao o documento legal para sua cobrun^a, e que do
inesmo consta ja se at harem os ditos gneros carre-
jados em Receita, devem infalivelmente appresen-
talos as respectivas clases, paraserem iramediata-
tente carregadas em Receita, e entregues aeui do-
cumentos concluidos. O raeamo se deve entender
com os Mestres dos Barcos, que por Costume recolhe-
rem nos meamos Arrna/ens leu ha de lotiicao : e isto
e etl'ectuara' (pelomais tardar) ate' o dia 12 fucturo
do eorrente mez, lutendencia da Marinha de Per-
nambuco Q de Agoste de 1830
Antonio Pedro de Caroalho.
Intendente da Marinha.
JP Iquew as Shrs-.' Subscriptores tueste Diario na
inteligencia de raandarem os seus anuncios a Tipo*
grafa, para serena publicados, devendo vir assigna-
dos, cotn a declaradlo Assignante obstando-
se assim asqueixaa da falta de publicarlo, que sem-
pre ex'st 1 rao sendo remettidos pelos Destribu i dores.
Tambent se roga aos Snrs. Subscritores, que costu-
nio assignar anuncios alheios, se escuzem de o fa-
zer nos de escravos fgidos, tanto porque os anun-
cios gratis para os assignantes nao devem abranger
os dos seus amigos, e conkecidos, como porque a-
quelles fazem a parte intil, e fastidioza da blha.

Correio.
PEla Admi mitrarlo do Correio Gerat dcate Ci-
dade, se fas Publico que parte deste Pprto para
o do Maranhao no dia l* do correte a Sumaca lin-
peratriz do Brazil de ajue he M. Ignacio Joae Bar-
radas, as ('artas sero la usadas na Caixa Geral ate*
as 9 horas da turne do da antecedente.
Para o Rio de Janeiro no dia I.) do crreme o
Brigne Milindre Mestre Antonio Joze Lisboa.
Para o Rio de Janeiro, Baha, e Maceio no
da Ib, do corrent o Paquete Nacional Niger deque
he Cvinmandante Bernardo .'oze lmeida quem qui-
aer carregar ou ir de passagem dirija-se ao Adniinis-
trador do Correio, e na vespera athe as 9 h)rs da
noite re receben) cartas e p&ssada que seja esta ora
e proceder' a feixar-se.
jlmzos Particulares
O Snr Francisco Xavier da Foncecaqneraprp
curar huma carta sua rinda do Rio de Janeiro
no Paquete Niger a 4 do eorrente mes eni c; Snr. Coronel Francisco de Brederodes d.AnraUe
no Atierro da Boa-vista a qual foi tirada por engeno
por se persuadir ser de outrb Franciac Xavier da
Fonceca, t como nao seja do segundo avila se ao
priaieiro ^nr. anunciado a qurua procurar.
Faz-fte sciente ao publico que se fes huma ref >r*
ma na casa de Pasto que foi do .telonio Ricardo a-
tras do Corpo Santo, tanto de cozinha como de bote-
quiun e tudo por presos como>los ; os pertendentes
dirijo-se a mesma esta N. 67.
O Snr. que declarou no Diario de 3 de Agesto
querer arrendar bum sitio grande para plantario de
capim. qaerendohum grande sitio perto da Cidadc
de Olinda, tow grandes viirzes para plar.tagao, e
outras, pode procurar na mesma Cinae nos 4 can-
tos sobrado D. 1.
A pessoa aue aounciou ter hum escravo cozi-
nheiro ; dirija-se a ra da Cruz do Recife na caza
N. 23.
Gusmo Jnior *: Companhia, partecipo ao
respeitavel Publico que tendo no dia >i de Juiho
mandado o sen Caixeiro Luis Francisco dos Pa*so
Louro receber a ra Direita aquantiade Rs $7$'75G
que o dito Caixeiro ate' boje 4 do Agosto inda nao
procurou a caza dos anunciantes, e por este motivo
faz-se ver ao publico que os ditos anunciantes nao
responden) por qualquer contracto que elle qja.de fa-
aer, ou pedir em nome dos anunciantes.
Leilao.
QUe pertende fazer Izidro Domingc des Psstos
haje 7 de Agosto pelas 10 horas do dia de 30 ar-
robas de fumo viudo do Rio de Janeiro na Escuna.
Carolina por contae risco deqinni perisnur na jKa>
ta do Pina.
aaaaaaft


f30!2)
Compra #e.
H-Uss Caixilbo.par porta d'alcova, que tenha
nove e merb palmos de alto, e cinco e tres quar-
Io de largo, inda mes no sendo usado : anuncie
por esle Ditno, ou falle cout o deatribuidor do mes-
Uo do -iuo o Uecife.
Vende se.
HUm escrato molatinho de idade d T2 annos,
que sabe cozinhar o nerial de huma caza, bo-
mu ricura e npto para pagem : na ra do Vigario,
Ca*aN. 15.
Humap relko de cha de Pfata moderno e la-
Vrado coin inuito bom gusto, ch -gado pro zima men-
te do Porto, por preco cmodo; e tioScm huma par-
o de Le Koy compozico do milhor autor vindo do
lio de Janeiro : na madoColejo D. 4.
H.nn cazal de Pambas de a zas brancas, com
trez filho; cu Fora de Portas no fundo da Ii-reja
do Pdar.
Farinha de Mandioca ordinaria, para Fabrica
de esclavatura : na ra do Quemudo no Annasem
D.2.
Potasa da prmeira qualidade chegada proxi-
niameme, muendas completas perpendiculares entaes, e laxas de ferro de todas as dimen ra da Calejo caza de F. F. Leal de Barros.
A acc,o de hun a taje grande de 4 portas na
Pra$a ila niio N. 37 efconi a sua compatente
a.m.co de vinhatico envidracada, a dinkeiro ou
a prazo : na ra Noya N. >8.
Sacas de feijo molatinho, barris de en hove,
p ele limpar facas, barris de fisto P K R, prez un tos
zuuitos bons para fiambre, e'ioma de Jamaica em
garrafas, e vinho de Feitoria em barris e en 00 oe sete annos : na raa da Cadeia N. c 64.
Hum negro de idade de 18 annos com officio de
carniceiro e canoeiro ; e huma canoa m i trferta s
na ra da Sanzalla velha na esquina do beco do por-
to das canoas N, 52.
Hum fardamento com corrame, mexil, e to-
dos os mais pertences para hum Soldado de Melicias
do B-talho 53 : na me*ma casa cima.
ir.- reos escravos ladinos, femias e mazos, en-
trando hum negro ceainheiro, ehum moleque com
bastante principio de atraate : en N. S. do Terj
loje de fazendas h. 7.
Jlluga-se,
HUm negro, o* huma negra que satba alguaia
couza de cosinha : na ra Nova loje D. 19, ou
anuncie por este Diario.
Viagens.
PAia o Ro de Janeiro, o Bergantim Nacional,
Galianna, forrado de cobre, e muito veleiro:
quem no mesmo pertender carregar, eu ir de pusaa-
ffem se podera' dirigir a ra d'Alfandrga velha caza
N. J, ou m aeu Capit&o Joze Pinto d* Araujo Vi*
azuza
Amas de Leite.
Rccisa-sE de huma forra com bom e bastante
leite : anuncie por esta folha.
Escravos Fgidos.
Uliavir, altura medianna, com falta de dentes
na frente da parte superior, pea lansados para
o lado quanloKndi, ehetroula, fgida no da 29
do passado com sai a pr ta de lila, p*no pret > de
tragar, e huma trouxa peqaena deroupa: osapr*-
hen ledores leveua-a a ra do C. e.po 0.12, que sera*
recompensado.
Pedro, ida le 15 annos, veio da Ilha do Cabo
verde para esta Provincia, he natural da Costa Ca-
xe, muito proto, tem os olhos grandes, per us
sambas, muito vagarosa no andar, fulla muito cla-
ro, e dizem andar para fora en hum Engdnho : os
aprehendedores levem-o a ra do Colejo 1). 4, caza
de F. F. Leal de Barros, que sera' bem recompea*
fado.
Hum negro de naci Congo, alto, e groto do
corpo, os dentes de diante abettos, fgido no da
quarta feira 2 do crreme pelas 9 horas da noite,
com carniza e siroula de estopa : os aprehendedores
levem-o a caza de seu Snr. em huma pad^ria n*s cin-
co ponas D. 20, que seraj bem recorap9ncadoa do
seu trabalh.
Huma negra n* nos, com os dentes muito sahidos para fora, com ti-
ma troux i de roupa, e jul#a*se ter sido furtada
vendidi la para o sefMfo, no anno de 1824 ; a pesso
que del! dei r F >l 7.ar la Lf,d de B.rros n ra j olejo 0. 4, qua
sera' gat:h\-do com 20#000 rs.
Joa juitn, de id d de 11 annos pouro mais ott
menm, e le 5 a 6 poluios de altura, naci Cougo,
m gro, vendia na rua em hum tabolleiro com doue
fljid s, caneca grande, rosto comprimo, oielhas pe-
quena* com hum pequeo defeito ns mesinaa pela
pa te de sima, e tem dous dentes de si.na liundos na
frente rta boca, futido no di* 28 do mez paveado,
com caigas de al^oilo, e camisa de bnm de maugaa
curt is i os aprehendedores leve.n a rua da Sannalla
nova, debaixo do sdbradinho numero 3, que se*
ra' generosamente lecompanfado do seu traba*
Iho.
R't, na^ao costa, ladina, alta, greca do cor-
po, bem preta, o m taihos no resto, eliuns caros, s
pelo mes uo, t pela tenia, olhos upados, e toda
ebtia Jamaltas de ana nuca >, fgida no da 8 do
ni"? de Jnlho do crreme anno, co.a teettde de xita
da fabrica : os aprehondedores levem a ru* do ll-in*
got sobrado D. 19, que sera* bem recompensado do
seu trnbalho.
Eduardo mulato de idade de 20 annos, baxo#
cbelos crespos, urna falta de lentes na frente, corpo
hum tanto cheio, e supoemse ter sabido cen jaqutta
azul: os aprehendedores levem a a casa de Antn
da Silva & Companhia, ou na Cidade de OliruU na
ladeira da mizericordia defronte do Serpa em caza
de Joaquim Francisco de ta' que sera* recompea*
fado.
P
J
NOTICIAS MARTIMAS.
Sahidas.
1 -/I* 4 do corrente. Monte Videe, com asala
plos portos do Brasil ; B. Defensor da Patria, M.
Joaquim Noberto de\)liveira Martina, equip. 20,
carga farinha do Reino, e fazendas, pn*ag iros
Francisco Vital, Francisco ds Silva, Francisco
Mrtins de Oltveira, Antonio Frois, e Francisca
Garca.
Pernambuco na Tijpoqrafia do Diario.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJWSDG18D_S4J8M0 INGEST_TIME 2013-03-25T16:11:30Z PACKAGE AA00011611_00998
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES