Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00981


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m
x
Anno'de 1830.
DIARIO DE PERNAMBUCO,
Sbflcr-M na Tipografa do maiao Diario ru Dreita N. JB7 I. andar em mezes por 40 rala huma folh
* ^a imhrra todos os di as atis.
Sabbado 15 de Maio. & Izidorio Lavrador.
Preamar as 10 horas 54 minutos da tarde.
O
CORRESPONDENCIAS,
Snr. Edictor. Queira ter a bonda-
de, e paciencia de transcrever em o seu
excellente Jornal o segu nte >-t
Srs. RR. do Cruzeiro, e Amigo do Povo.
Vms., que a maneira dos jogadores
de azar, quando tem tido grandes perdas,
invidao o resto, dizendo '* onde vao os
burros vao as canastra%" ora so se entre-
tem com a minha pe3soa, np que muito
lhes agrdeco pela hpnra, que nisso me
fazem. Se ha', como diz o rifaS, quem
de huma .cajacfeda quer matar dus coe-
lhos; Vms., porque sao mais espertes,
procurao matar trez com o bordaS do seu
Cruzeiro. 1. a paciencia dos leitores,
enchendo o vazio das sitas folhas com es-
treitas\citag5es dos meus Conciliadores:
2. matar a sede, que me consagrad pe-
lo muito que tenho combatido a sua con-
juragao, e doutrinas absolutistas: 3.
malar*me o crdito fazendo-me odioso
com a ridicula calumnia de que fui do par*
tido de Car val lio.
Quanio ao primeiro colho os seus
subscriptores lhes darao os agradecimen-
los pelo opio, que Vms. lhes propinao :
mas a isso nada lhes respondo ; porque
fago justiga aescacez dos seus conhecM
mentes, escacez, que lhes nao permitte
cobrir-se da propria roupa ; por que a
nao tem ; e nssecazo bom he copiar o
que eu outr'ora produz: nao esquegao
de vez em quando as manoplas apontan-
do, que he das mclhores embaqadcttaa, de
de que se poda lembrar a giria colum-
nsta. A respeito do segundo declaro-lhes,
que quante mais me doestarem, maiores
provas da o, assim da sua ignorancia, e
ma' educacao, como da injustiga da sua
causa : Vms. bem sabem, se sotf, ou nao
capaz de os descompr muito sofrivelmen*
te: mas ja' depuz as armas da ringanga ;
e hoje so*'me quero servir das da rasao.
0 3. he alguma cousa mais ponde-
roso ; por que diz respeito a minha hon-
ra ; e por sso vou responder-lhes com a
verdade publica. Que eu nao fui do par-
tido de Carvalho bem o provao os factos
seguintes. Os prezos, que esse Preziden-
te intruzo conservava na Cadea de Olnda
porserem desafectos a sua facgao, tencio-*
narao com outros prezos do Recife pren-
der o mesmo Carvalho, &c. &c.; e tanto
sabiaS dos meus sent mentes, que confia-
rao de mim o segredo da conjuragao ; e o
Cadete Marcuno, que do Recife levou
hum caixao de cartuxame para esse fin,
confiou-o a meu cuidado, depozitando-o
na Sacrista do Mosteiro de S. Bento: o
Padre Luiz Joze Lopes, que hoje lhes nao
he suspeito, ah esta', que diga, como is-
to se passou. O Regiment d' Artilhana
poz em cerco, e correo todo o Mosteiro ;
por que o mesmo Carvalho teve denuncia;
que^uoccultara ali inimigos da asneira
do equador. Eu declama va quazi.de pu-
blico contra a loucura d'aquella facgao ;
e disto sao testemunhas o Sr. Capitao Ce^
zario, TenentePadilha, os dous Srs. Ca-
detes Bragas, todos os meus prezados Co-
legas do Seminario, o muito honrado Sr.
Cirurgiao Mor Joaquim Jernimo Serpa,
o Sr. Reverendo Coadjutor Manoe^ da
Fonceca e Silva, o mesmo Padre Barrete
em fim, que n'aquelle tempo me procu-
rou para o occultar no Mosteiro ; o a pro-
va mais decisiva foi o deixar de escrever
apenas comegou a governanga do Carva-
lho.
Todas as citagoes pois, que do meu
Conciliador, depgis da sedigao de 24, co-
pia hoje o Cruzeiro, sa5 outros tantos ar-
Nr

- T"
.
.f jAii


r
Mi
4
%,
gumentos fda minha adhesao a S. M. o codilho, vingao-se dh injuriar o fracojfcr*-
I. e a Constituicao do Imperio ; quando ce,*ro, que a penas fez sua vazfnha, co-
appareceo fc faceao demaggica nz pela rao manda o Author. Meus apostemados,
debellar ate' onde chegao os meus fracos e codilhados Columnas, nunca mais jo*
talentos; hoje, que apparece a conjura- guem semelhante Voltarete. Sou com" o*
cao absolutista, deque Vms. sao muito mesmo sangue fri, e impassibilidade o
dignos trombetas, combato a columna do pulverizador das mximas columnislas
Q Somnmbulo,
mesmo modo que a oonfederaca burlesca
do equador. Se hoje defeado a muitos,
que forao Carvalhistas; he por que co-
nheoo, que cairao em si, e contentando*
se da rsoavel mediana, sa5 affectos a
ConstituicaS ; e se os Srs. Columnas se
convertesu, e abracassem a mesma
ConstituicaS, eu se^ueria o mesmo proee* posto por hum tal Intrpido boa-%o,
dimento a seu respeta. A imitaeao do por hum escriptor, que descobrio, m
Rbzumo.
P.
Ernambucanos, Brazileiros, Leito*
res imparciaes, o Cruzeiro he hoje com-
ineu Divino Mestre nao desejo a marte do
peecador ; mas que se converta, e viva.
Continuem embora Vms, a encherem
v bandullo dos seus Cruzeiros com diari*
f.s descompostura! a ntinha pessoa : nao
com:eg'.tirao tornar-me odioso a os meus
Concidadaos, e muito menosdestruirao com
isto as (ninfeas doutrinas. Vms., Srs. Re-
qualquer erro; mas immensos erros de
Litteratura em M. T. Cicero O Ami*
go do Povo por outro, que em o seu N.
14, quando pertendiao an conjmacaSabsolntigta ao Excellentissimo
Sr. Antero, disse deste Sr. o seguinte
" O Excellentissimo Governador das Ar-
mas pode mui bem dizer a os seus sida*
factores, trabalha debaixo de regula- dusoque dizia Heurique 4.
ment Clementino, e Chalacino por ati* m Se vos perdercfcs as bandeiras, clhai
caro bgo da discordia entre os Europeos, para o meu penacho ; que semnre o en-
coutrareis no caminho da honra, e da glo
ria nh Hoje o mesmo Excellentssimo Sr.
Antero he oobjecto dos'mais insolentes
motejos da Columna! Eis os meus antas
gonistas ; eis quaes elles se mostrao pelos
seus mesnoos escriptos absque eo, quod
dem.
e filhos do paiz, discordia, que a Inde-
pendencia conseguida eve fazer cessar,
e que na realidade o tempo manso e H*an-
o ia acalmanilo a oihos vistos : e como
nao consent, que fossem por dianteas su*
as gediciasas, e anrquicas declamacoes;
eis o principal motivo de se lhes derramar intrinsecus latet.
a bilis. Eu fallei a os Europeos, hoje
Brazileiros, e cuutinuarei, a lingoagem '
da justica, da resao, e da verdade ; a >
lingoagem da harmona social, eestacer- &Nr. Edictor. Tendo cWado as
tamente paraliza todos os infernaes, planos mos do Illustrissimo e Reverendissimo
da columna. Fmulnr.ente Vms. desaba- Sr. Cabido huma declamacao infamante
tao emijunas contra mim a desespera- que contra elle sugeriu o Cruzeiro d
cao, que os devora : se aliviao com isto; quarta feira cinco do corrente Maio e
rahom nimio embora. Finalmente meus dezejando o mesmo Sr. Cabido apartar
Caroa patricios, V ms. perderao hum gran- de s.'huma calumnia que tanto o aviltara
de Vegete: que remissa Ttulos, tomou a seria medida de me ordenar em
Commendas, Ornaos, postos de accesso, qualidade de seu official, irie dirige por
tudo c,mpunlia o bolo, a que se atiravao escripto ao Reverendo Escrivao da Cama*
com mihas, e dentes : pedirao Iicenca ; ra Ecleziastica, para que revol vendo o seu
compraraoaseugosto; e so haviao de Archivo indagaste da existencia de certa
humifliarse, pedir resposta ; mandara dispenca deque falcamenteo arinjiu a
jogar o que lhes succedeo ? Oque eu quelle Peridico ter feito o dito Sr Cabi*
mesmo lhes disse por vanas vezes, perde- do : e juntamente ao Reverendo Cura da
rao a ma; e como a sua educacao nao Se' que serve interinamente de Vicario de
he das melhores, rasgao as cartas, dis* Sao Pedro Mrtir, por ter aquelle Sequei-
persoo ostentos, derrubao a meza, es* ra, que se dis dispencado, caza no luirar
pun.ao, fiemem, e naq podendo insultar de Arrombados da dita Freguezia da St'
oiicctamente Aqselle, Que lbee pregou o e assim aos Reverendos Vicarios do Poco



m
TT
m?


......'
V
> T1,a> ^J?1*5' dila *>!** ter-e no da 23 do crtente ofBrigue Escuna
receido aquelle Sequeira com a Sogra, Anbal, de que he Mesire Antonio Fer-V
e uirownente a os doBairro 4o Reeife, nande* Coelho, as Cartas sera* hmsadas
Je banto Antonio, e Boa-vista ; e sendo naCaixa Gtiml ate'ns 9 horas da noitedo
*sse mandato exwatado religiozamente da antecedente.
HT^ rezultado na5 se achar re-
feWa dispersa no Archivo da Cmara,
onwe, de necessidatle devra jaser para
ejnpre, rj>^^n0b e sua execucao noticia
algn** naqueiias ParocMas ; o que tudo
nca em meu poder para se dar a quem
queira 1er, e entrar assitn nocoiiheeimen
(
>
i
>
<>
c
Tkeafto.
DOMnfcso ltf do crtente Mato, a Be*
nefcjo de Bazilio Rodrigues Seixas*
poni de Mufcica do Theatro desta Cida-
de, se hade expor em Scena, a Tras-e-
to da exacta conducta da mU8trSsin,o e di* da Nova Cast*,, que dara' prTncl
fe,ratt^ido'cdrh,,T ''ioc IZfj i o J*1^' e cost"I"a(1 glande Orcnestra, a qual se compora'
n,a licencia do* Redactor daquelle Pe- de 20 Profeor de muzica sHa
;":;;r de'xa, rfi*> Snr. Cabi. do Duto deTancredi, cantado ?E
do de chamar aoJur, por se pe ar de dama Eleonor Tubine eoActoVFran-
d dreTribir^"tetd5fa,tardever- rsde Frei,as oj^TJX
aore;,trve P H," 0Cmfi,nClrt 1 act0 eK"'tar-se-ba a Overtura de
fu 7 Publico, que as..a. o obro Otello ; no fim do 2. a da Senerntola-
t^'^^t^-X ".^.At. no do 3. ade Eduardo, c cS2!
tas de suas respectivas Seasoes, datada de
11 do corrente Maio.
Joze Rebelio Pereira Torrts.
Vigario Oerala
EDITAL.
no 4. c a de Timonella ; e no do 5. a
de Tancredi, seguida de huma nova Ca
latina recitativa com vari^oes, executa*
da por Madama Eleonor Tubine, do Cru-
zado no Egito, nunca cantada n'este The-
atio, e no fim da d.ta, dezeiwienhara'
humas variacoes de Flauta, hum muito
abil Piofessor, que promete dar boa exe.

_ As ^soes da Junta da Fazenda Pu- ^HKBoKj "SSSTS
bhca desta Provincia de II. 14 e 10 de ntreme, do Jnredador
Junho prximo futuro se hao de arrendar
os Quarteis arruinados da Cidade de' O.
linda denominados = de & Joau = a
quem mais offerecer sobre a avaliaca se-
guinte.
A? tres cazas que servia* para reco-
Iher armamento, calabouces e cazinha do
Avisos Particulares
Cunha,
esta na
O Padre Sebastiao Joaquim da
Vigario que interinamente
V&rzjfe ofereee a qualquer Reverendo
cada huma.
As quatro cazinlias que se achao a*
hitadas por 17#280 re cada imma ta6*
bem annuaes.
Por tanto a6 pessoas que se propoze*
rem ao refirido arrendamento, compare-
ca nos das aprasados acompanhados de
eena Madores, e estes habilitados na forma
da Lei. Secretaria da Junta da Fazenda
de Pernambuco 12 de Maio de 1830. *
Antonio Mariano de Azcvedo.
t Correio.
PEla Administrado do Correio Geral
desta Cidade, se faz Publico que par^
te deste Porto para o do Rio de Janeiro,
inteligencia de ambos.
Preciza-se de huma pessoa qne seja
capaz para servico de ra e casa, quem
se achar nestas circunstancias dirija-se
a ra do Roza rio D. 6.
A pessoa que precizar de um caixei*
ro de ra que sabe 1er e escrever, anuncie
por este Diario. .
Vende-se.

T

TTUm sitio pequeo, muito bom, e bem
JSJfc^lanlado de arvores do paiz, ees
trangeiras, e delicadas, com casa de pe-
dra e cal boa, up estrada dos Afflitos de-
ironte do beoo do Espinheiro^ no toegmp^
--y~-----hf^. m~

r.-^rt


>'


(1544)
Huma n*ra, idade *> annos pouco 300*000 h., **-"comn!%
L
i$
ais ou menos, boa lavadeira, engoma*
deira, e cozinheira, sem vicio algum, e
esta breve a parir, e o motivo porque se
vende, he por seu Snr.. se retirar para
Portugal: defronte da Conceicao por de-
traz da ra Nova D. 13.
mos cmodos por 260#000 rs.; ip Traca
da Boa Vista D. 5.
A rrematayoes. *
OEngenho denominado Lastro n
Derrito de 8. Anteo, que esta' &s-
Tres moradas He casas terrias em O- to em praca pelo Juizo de Orfeos da. dita
linda, huma na ladeira dovaradouro, ou. Villa por renda trienal a quemis der,
tra na ra da biquinha, e outra na ra da quem o pertender devera Tntender.se com
Sanzalla defronte do Convento de S. The- o Advogado Manoel de Luna reir, as-
reza, quem a pertender dirija *e ao Va, sistente na mesma Villa, ou como anun-
Tador da mesma Olinda sobrado N. => 18. ciarte Antonio Caminha de Amorim, rno-
Toucinho de Santos em .larazes mu* rador no sitio da Trempe na Boa Y isla,
to novo, e de superior qualidnile por pre- _
o comodoro Trapiche d'Alfandega no- lirtOU-se.
va, das 9 horas da manlia, ate' o ireio T^TO dia 10 do correte, de hum sitio
dia, a tractar com Fran< isco Antonio de J^l <> Giqnia' denominado do bahs, um
Abreu Gama'. cvalo castado preto, capado, com a le-
Boa farinha de Mandioca, cinco tra 4 J na perna direita, clina repart-
patacas emeia o alqueire^ no escriot rio da, mais cumprida para a direita, e mais
de Lima Jnior Braga & Compaohia, curta para a esquerda, cauda cumprida,
junto ao Arco de S. Antonio, e abordo do com hum siflm! sobre as costellas direitas
rigue Escuna Carolina & Maria funda- a que chamao mal de beatas : e supoem-se
do defronte de Palacio, ter em liorna das maos a letra H ; carrega
lib*ralmrnte de furtapaco, e tem no lado
Compra-Se. direito do pesero mitro signal a que char
AEscrava ladina anunciada a'venda mao espada romana; rogase a pessoa
no Diario N.c 382; na ra Direi- que dele souber, ou o tenha comprado
q# 10# duija-se a Boa Vi*ta na ra daConceujao
lgumentenosobradojuntoaoThe- caza N. 178, que dar o seu adiado,
atro 1 andar.
Igualmente na ra Direita D. 11.
Igualmente no aterro da Boa Vista,
no 2. andar do sobrado D. 16.
Igualmente na Praia do Colegio, no
armazem de Antonio Manoel Pereira Vi-
ana. *^
Viagens.
PAra Mac,aio em breves dias a Soma*
ca Divina Pastora, Mestre Joao Jcze
de Lima, quem nella quizer carregar di-
rija-se a seu ;proprietario Manoel Bernar-
do do Couto, ou ao escriptorio de Mano*,
el Joaquim Ramos e Silva.
Alluga-se.
ou o reconpiara1.
Noticias Martimas.
Entradas.
J^Ia 11 do corrente. Porto de Pe-
dras; 24 horas, S. Estrella Matutina,
M. Antonio Francisco Nones, equip. 10,
carga caixas, a Antonio Rodrigues Lima,
passageiros Joaquim Pereira Guimares,
Jozeda Rocha e Silva, I eseravo de Ma-
noel Francisco Lobao, Antonio Goncal-
ves de Macedo, e Florecendo Sotere dos
Santos.'
Sahidas.
n_____, _______, r. ___ Ia 11 do dito. RioFormozo;
tado de novo, com estribara, cuzinha L S. Joze Viajante, M. Antonio Joze
comfugao de novo modelo todo feixado da Costa Fernandes, equip. 6, em las*
com portas de ferro, tudo a moderna, por tro.
OPrimeiro andar do penltimo sobra-
do ao pe' da ponte, na ra Nova,
com 3 salas, 7 quartos, acabada, e pin
i
D
i
PeAmrnbi
A ,
c

MHflMP*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKJSXCW01_DT7BF5 INGEST_TIME 2013-03-25T13:17:34Z PACKAGE AA00011611_00981
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES