Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00976


This item is only available as the following downloads:


Full Text
?? JT. S78.
dt*
M
III
_-
V
i**' rtfessa r/
.fimo efe 18S0.
-^
? ^
DIARIO DE PERNAMBUCO.
9abfCKTe-t na Tipografa do mesmo Diario na Direita N. S87 1. andar em mezes por 640 res hama folha
} qae sahirtodos os das atis
Jf*.
'
v.
Segunda Feira. 10 de Maio. S. Antonino Are.
-
\
Preamar as 6 horas e 54 minutos da tarde.
0an*^
&
CORRESPONDENCIA.
t\
'Nr. Edictor. Depois de mais de
hum annp de prizao forao soltos finalmen-
te os Sfrs. Falcao, Moraes, Tavares,
Mello, &c. &c. A caballa mais inicua
foi engendrada nos antros da Columna
para perder esses Cidadas, so pdr que e-
a5, e sao publica, e decisivamente cons-
titucionaes. Ao mesmo tempo que n'a-
quelles conventculos se forjava o plano
dos pasquins ; ao mesmo tempo que os
membros mais moraes d'aquella socieda-
de sediciosa, e sanguinaria aliciavao tes-
temunlias, cujos depoimentos coutradio
torios, e alguna at dignos de rieo- pela
sua futilidade, e inverossimilhanca sao
huma prova mais do conluio absolutista;
o Cruzeiro, e Amigo do Povo, Arautos
da Revolt, constiturao-se partes offen-
didas, e tornarao-se esses Peridicos ac-
Cusadores encarnicados dos prezos, cujo
crime de pasquins, e os mesmos pasquins
forao arranjados entre varios dos mais
perversos columnas!!!
E que provas ali apparecem para
confirmar a criminalidade desses Cidada-
os ? Nada de pozitivo, nada do estado
da questuo, nada relativo a os mesmos
pasquins, Accusacoes vagas, recorda-
coes de passados desvaneios. Todo o ar-
gumento d'aquelles dous letrados Periodi-
queiros reduz*se a isto i-h Aquelles ho
mens envolverao-se mais, ou menos em
1824 na sedicao de Car val ho: logo forao
lles os que fizerao, e pregara* os pas*
quins : c por esta dialetica, desconhecida
at mesmo nos arbitrios do Divn, gra-
tnarao mais de hum auno de prizao!
Custa a crer, que tal acontecesse em Per-
nambuco, em tempo de huma*Constitu'
cao, que tanto defende os sagrados diiei-
tos do Cidadao !! !
Mas os Magistrados desta Provincia
(com algumas excessoes} sao pela maior.
parte furiosos absolutistas, e se nao sao da
irmandade Columnista, sao Juizes natos
da revolta, ou Juizes por devocao. O
Sr. Intrpido entre as suas deslavadas cho*
carrices disse, que os Pernambocanos
quera que os Excellentissimos Prezl
(lentes, e mais Authuridades trouxessein
na testa hum letreiro, que exprimiese
" Eu sou Constitucional. Engaarse
nessa parte, como em tudo mais, o Sr.
Intrpido : os Pernambucanos o que que*
rern he, que as Authoridades tragao a
Constituido no coracao, donde infalli-
velmente apparece em obras ; o que elles,
querem (e todos os Povos assim sao) he
ser governados pelas leis, e nao pelos ca
prixos, interesses privados, e paixoes dos
delegados do Poder ; o que el les querem
he, que as Authoridades nao tramem con*
tr o systema Reprezentativo, abracarlo
pela Naca o, e seu Philan tropo Monorca,
a fim de perpetuaren os abusos do passa*
do redimen absoluto. Bonns civ est
(diz M. *t. Cicero, aquelle pedante, em
quem o Dr. Intrpido descobrio immensog
erros de Ldtteratura) qu\ non polest pati
tara in sua civitate poteiftiam, quee supra
leges esse velit. Bom Cidadao he a
quelle, que nao pode tollerar no seu Paiz
Authoridades, que se queirao fazer supe*
riores a lei. "
Que desgranado nao he, que ceg, e
furioso o espirito de partido O Cruzei-
ro, e Amigo do Povo, que como Advoga
dos de seus irmaos columnas, e orgaos dos
Srs. Magistrados da sucia, era acensa*
dores, Juizes, e, rigorosamente, os ver*
dadeiros reos, nao pouparao declamares,
e at doestos para indispor com o Publico
aquelles Cidados, e tornar odiosos ho-
mens, cujas sentencai forao layradas de
.
T
T


Y-^
>
.'
/

V
(1S28)
^

..

V
\ '
ante mao as tenebrosas espeluncas da
.Columna. Era precizo aproveitar o en*
sejo, que da va a esses perversos a borra*
xeira dos Affogados ; era precizo dar cor-
po a accusac.ao systematica de repblicas,
Gvolumar, quanto fosse possivel, o neg
que chicara* para prolongar e estender a
martello o natural livramento dos prezos!
Debalde baixavo da Corte Avisos, man-
dando apressar o processo desses cidada-
os : o Sr. Ouvidor do Crime, tao amante
dos amantes da ordem la' descobria sem-
ci do absolutismo. Quaes deviao. ser as pre hum pretexto parabigodear as orden
victimas ? Aquelles Cidadaos tem-se mos superiores, e ir inoeudo os prezos, ja que
trdo em todas as epochas constantemente os nao podia levar ao patbulo ; e hum)
affectos a liberdade ; esupposto que em Magistrado, que assim tyranniza a os se-
oulros tempos se deixassem levar de ex us concidadaos, calcando a mesma lei na
cessos, hoje devem de estar satisfeitos com tural, e postergando a pozitiva, tabein
o systema Constitucional, que nos garan* he martyr do Imperador Sr. Ouvidor,
fe essa mesma liberdade, por que a muito e Dezembargador Gustavo A. de A.,
suspirao as almas bem formadas, os ho- Vm., como homem particular, nao seise
mens honrados. tem boas qualidades ,* mas como mpre
m quanto pois os dous Peridicos gado publico, e Ouvidor do Crime, nao
accusadores prosegua o a escandalosa ta* se pode sequestar a nota de rancoroso ini-
refa de perder pais de familias, e Cidada- migo parcial, quando a lei so o constitue
os, que em nada os offenderao ; logo que Juiz desinteressado, e recto. Esses Bra
se espalhou a noticia dos movimentos do zileiros, que Vm. soube reter em prizao
faconhoso Piato Madoira no Seara', esses por mais de hum anno, ou erao culpados,
mesmos Peridicos saem a campo a defen- ou innocentes. Se Vm. conhccia que e-
der o irmao columna, e este faccinoroso rao culpados ; por que lhes defiri por
roa' aia ue martyres dad esses Srs. a b. saneao da le i rara que
M. I.! Hum Scriba muito larapio faz* sentencalos aos seus dous sinco annos ja
se columna : saltao-lhe em sima os Cons- oo Cruzeiro e Companhia, ja por casas
titucionaes f Coitadinho! he hum mar particulares, se havendo as devassas cul
tyr do Imperador. Hum Magistrado he pabilidade bastante, elles tinhao de so-
corrompido, e venal; patrocina tractan- frcr a peoa, que alias nao hava de ser
tes, &c. &c. : clama o prelo contra elle ? decidida, e imposta por Vm. s)' ? E se
Pobre anjinho innocente lie martyr do erao innocentes como bem se conhecia das
Imperador. O Sr. T. X. engendra Co- mesmas devassas, e ainda melhor das su-
lumnas, protege huma sociedade bsolu* as defezas, o que Vm. mesmo viu, e co-
tista ; quer dar cabo da actual Constitu- nheceu, poisnaihe tao miope, evia, co*
ao, tal vez promessa de Barao, ou Vis- nhecia, e sabia pelas rasoes que ficao
Conde de Bem-fica: os Constitucionaes ponderadas, com que se justificara' para
gritao, reclamao, reprezentao, quaixao o Juiz Supremo, para a Naca5, para o
se? O Grande Defensor Perpetuo muda Mundo? Vagas declama < oes contra in-
e Ministerio, tira do polciro o sedicioso ventados farroupilhas, cuido, que o nao
Prezidente? O trama dos farroupi- dispensao do rigoroso dever do seu Minis*
llias 1 O Sr. T. X. he outro martyr do terio. Vm., parece-me, que nao esta'
Imperador: ate' Pinto Madeira, facciuo- authorizado para vingar faltas pretritas,
roso publico, querellado por dous homi- e perdoadas, e menos para castigar re-
cidios taobem he do ranxo dos martyres volucoes possiveis, que nao tem outra pro*
do Imperador! Em verdade todos elles va de existencia, se nao huma toadilha
sao martyres: mas he dos seus proprios ensinada pelos ulicos da Corte, erepe*
imbustes, e da adulat;ao: martyr quer di- tida incessantemente pelos fautores da C
zer testemunho; e elles o sao dos misera* lumna." Se existe em Pernambuco esse
veis ardiz do absolutismo. espirito republicano, muito justo he, que
E que diremos do Sr. Ouvidor Gus seja combatido : mas os escriptores colum*
tavo ? A sua parcialidade, e conivenca nistas atacao tudo de huma vez, republi*
com os columnas he a mais escandaloza, cas, e a actual Constituicao : em fim per*
que se tem visto no labyrinto do foro cri mitta-me Vm., que conclua, estas breve
mina!. Que evasivas, que subterfugios, reflexes com o que dizia o grande


I i
\

zem.
D
O Somnmbula*
(1523)
con (sermofidel. c. 44) a os Ministros diado Sangue, o Padre Antonio Francis4
kda Graa Bretonha. Sciant Judices, co Regis hh S. Bento de Porto Calvo, o
'sejusdicere, non jus dar; leges inter- Padre Francisco das Cbagas dos Santos
pretari, non condere. Saibao os Jui- Pinheiro h* S. Matheus de Inhamuns, o
zes, que elles dizem o direito, e nao o Padre Joaquim Dumingues Carneiro -
da; queapplicao as leis, e nao as fa- S. Antonio de Queixeiramobim, o Padre
Joze Joaquim Barboza >-h S. Miguel de
Ipojuca, o Padre Joao Mauricio da Con*
ceicao ch Secretaria d' Estado dos Nego-
cio da Justina em trinta de Marc,o de mil
^EzEJARAMossatisfazeraompletamen oito centos e trinta Joao Carneiro de
te o pedido do Shr. Doutor Joo Candido Campos,
de Brito para a publicacao na nossa folha O Illustrissimo e Reverendsimo Snr.
da lista dos Alumnos da sua Aula de Bo- Cabido mandou fazer publica e9taRela
tnica em Olinda; mas ella he tao exten- cao, por mim fielmente copiada, da que
sa, que nos tomara avultado lugar. Bas- lhe foi remetida para com roais presteza
ta, -( parece-nos ) que o Publico saiba, chegar a noticia aos Reverendos Presbi-
que o Snr. Doutor se presta de bom grado teros na mesma mencionados, anm de
a dar licoes de Botnica a 62 pessoas, pa- procurarem as competentes, e respectivas
ra he tributar aquella honra, e estima, cartas d' AprezentacaS de Sua Magestade
que dos seus Compatriotas merece o Ci-- o Imperador Constitucional. Caza Caj* ,
ladaS, que bem serve a' Patria : dos A- tular de Olinda 5 de Maio de 1830.
lumnos dessa Aula 28 sao Estudantes do "* Manoel Xavier da Trindade.
L anno do Curso Juridico, 10 do 2. Conego Secretario.
e23do3.
3

Relagao das Igrejas do Bispado de Per*
namhuco que em consequencia da Pro*
posta do Cabido da Cathedral de Olinda
forao providas nos Presbteros abaixo
mcnsionadosy t a que se refere a Porta-
ra da data desta
[Greja de Santo Antonio de Tracu-
nhem, o Padre Ignacio Joaquim de Santa
Anna ** Santo Antonio de Garanhuns^ o
Padre Agostinho de Godoes Vasconcellos
i-h N. S. da Conceicao da Cidade das A
lagoas, o Padre Domingos Joze da Silva
ni N. S. da Penha da Taquara, o Padre
Joze Felis Pereira m N. S. d* Aprezen*
tacao do Limoeiro, o Padre Feliciano Pe
reir de Lira m Santa Anna do Bom Jar*
dim, o Padre Manoel da Motta Silveira
Cavalcante >m N. S, da Expectac^o da
Villa do Ico, o Padre Jernimo de Brito
Bizerra *-< Santo Antonio do PilaC Arca-
do, o Padre Joao Capistrano de Moraes
Sarment i-h Senhor Bom Jezusde Cama-
ragibe, o Padre Francisco Manoel Maci-
el N. S.* d' Assumpc.ao da Cidade da
Fortaleza, o Padre Antonio de Mello e
Albuquerque N. S. da Guia dos Pa-
tos, o Padre Jeronim Emiliano Rangel
h-i Santos Cosme e Damiao da Villa de I-
guarass, o Padre Joze Joaquim Lobo
Albertim m N, S. da Conceicad do Ria-
Correio.
, *
o
Brigue Brasileiro Gene-
ral Antero, recebe a malla
para o Rio de Janeiro no dia
11 do corrente pelas 9 horas
da noite.
Anuncio.
PAiTa fornecimento dos Armazens Na-
cionaes desta Intendencia se preciza
os gneros seguintes
Agoardente do paiz
Feijao
Arroz pilado
Assucar branco
Toucinho
Azeite doce
Vinagre
Farinha .
Bolaxa
Azeite de peixe .
Cobre de forro
Pregos de cobre
As pessoas, que tiverem destes gneros"
devera5 comparecerem na Intendencia da
Mariana no dia Kr do corrente com suas

,
ibi


T
m
'.s
mu\
C1524)
'1
X
^amostras, e presos. Intendencia da M a o diario de huma caza, engoma, faz
rinha 8 de Maio de 1230." lodoso servico com agilidade ,- no largo
Joze Goncalves Rodrigues Franca, de S. Joze D. 2.
r\\
Joze Goncalves Rodrigues Franqa
E^c/vao. interinla
li.tndciicia da Marinha.
Huma escrava moc,a, sadia, sem v
cob, com algnmas habilidades, piopria
pa ra. tender comprar anuncie por este Diario
para' ser procurado.
Viagens.
. /' t ^
Ara Maeaio, e Bahia, a Sumaca
Ezequiel, com.. toda a brevidade,
quem rianesma quzer carrejar, ou hir
p
Avizos Particulares.
ANgela IVlontino'i fia rea, ropa aos
Snrs. vJoao Luis Vieira, Placdo Pe-
reir, Francisco Xavier Pacheco de MeU
Jo, Joao Paulino de Olanda. e Francisco
Xavier, que por caridade hcijade Ihe re-
meter o emporte dos (Camarotes que Ihe
tomarao para o seu Beneficio a 2.3 de
Marco em que se reprezentou a Da oca de rispa<*sage, dirija-se a Joao Evangelista
Santa Benemrita: a Bew fi< iada ioa da Costa e Silva, ou ao Mestre daiueii
aos mesmos Snrs nao lom in |or ataque na.
este anuncio, pois que sendo l^lrangeira AlIllga-SC
nao tem^utro meio de poder rec* her, por
nao, saber as moradias ciVtes, Snrs. aliaz TTTUma escrava ladina, que sabe coz
ja tena ltiJc cumprir com os deveres cte JEJular, lavar, e hbil para todo o ser-
ena obrigacao ; e taz por Unto cedo que yreo de nina casa : quem a pertender diri*
a sua moradia he na ra d Horario m* ja se a Boa Vista, ra do Tanibia*, casa
obrado junto ao do Juiz de Paz, p r ci- D. 24, ou anuncie por este Diario para
ma da venda do Raimundo da Silva Maia ser procurado.
nol. andar. Hum escravo que saiba fazer todo o
Pelo Diario N. c "7! *e fez publico servido de huma padara, quemo ti\er di-
que da casa do Padre Joze B* i lo de Vas rija-e a i na Direita D. 4, ou anuncie
ce'ncellos, na ra do Ninxocio Liv ramea*
to desapreceo hum r elogio de *4iperior
qualidade, oqual pertenceao Padre Joa-
cjuim Eufrazio da.Cruz, o mesmo roga
aos Snrs. relogoeiros,^ou a outra qualquer
pessoa a quem for oferecido, que deca*
re por este Diario, de cujo favor sera'
gratificado, o dito relogio foi furtado por
huma preta de Angola de nome Mara, ^
a qual anda sempre embriagada, e por.
sso nao se lembra a quem venden : e lie. 'J^| da &>nta Cruz da Boa Vista, huma
escrava do referido Padre Joze B*hto^ toa 1 ha de lavarinto, e renda, de huma da9
>~ tribunas logo ao entrar a festa do Senhor
. .jfc Compra-S. / Bom ezus da Viassacra, quem a quizer
EVende-se moeda de ouro e prta e restituir,'ou della tenha noticia, falle ao
fectivamente pelo preco correte, na Provedor da mesma Irmandade que he
casa de Cambio de George Gibson, Cor- Miguel Bernardo Quinteto, morador na
retor In'glez, ra da Cadeia do Recife ra Nova ao pe" do Hospital de S. Pedro
*N.o 11. de Alcntara <;aza D. 32, que omito bem
Vende-SC gratificara', alem de ficar muito obriga*
..,.- do, protesta ficar em silencio.
KJm preto official de anzoleiro, ida* Huma canoa de car reir pintada por
e 18 a 19 annos ; no aterro dos Af- fora toda de preto, com humaTita branca,
ados caza do despacho de agoardente. e por dentro verde, quem della souber par-
Huma negrinha de Naeao Benguel- ticipe no tareero da Boa Vista, N. lf,
idade 10 a 12 annos, cozinha ofrivel que sera' gratificad*.

por este Diario para ser procurado.
A mas de Leite.
PERCizA-se de huma que seja cativa,
e tenha bom leite, quem a tiver a-
nuncie por este Diario.
Furtou-se,

IkTO da .3 do correte Majo na greja

-.

Parnumbmo na Typogrqfia do Diario*





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGMAKE1GS_TIPYE4 INGEST_TIME 2013-03-25T13:43:51Z PACKAGE AA00011611_00976
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES