Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00974


This item is only available as the following downloads:


Full Text

T
T

N> 376.
" ;
/
Anno de 183CV!
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Sobscre?e-s na Tipografa do mMmo Diario raa Direita N. 267 1. andar en metes por 040roil hnm
que sr.l. ir todos os das atis.
Sexta Feira 7 de Mao. S. Estanislao B. M.

t

Prcamar as 4 horas c 30 minutos da tarde.
-
^
DECRETOS,
H
El por bem.Sanccionar, e mandar que
be execute a Resoluca5 seguidle da As. G.
Artigo 1. o Jizes e Facto, para as
causas da Liberdade de Imprensa, reunirse
ha em SessSes peridicas, a saber: na
Corte, de 2 em 2 mezes ; as Capitaes das
Provincias, de 4 em 4 mezes; e nos mais
Jugares, quandofar necessario; mas nunca
com menor intervallo do que o de seis me-
xes, "
Artigo 2. Na5 se farao taes reunios,
se nao* houverera causas a tractar, e pode-*
r* havcr alguna extraordinaria reunia se
o Promotor do Juizo julgar comprometida
a segu ranea do Estado.
Artigo 3. O dia da reuniao sera* com
a necessaria aiitecipaca, marcado em Edi*
taes pelo Juiz de Direito a' fmdechegar
ao conheciment dos Juizes*de Facto, cu-
jos no mes serao declarados nos meamos E
ditaes.
Artigo 4. As Sessoes dereraS compa-
recer todos os sessenta Juizes de Facto, e
ot que faltarem sem causa legalmente jus-
tificada perantc o Jury, serao multados, no
Juizo do mesmo Jury, de 20 a 40$ res.
Ao Jury pertence fazer logo, e no mesmo
acto, a impozicao desta pena, lavrandose
hii ni termo, em livro proprio dos que forem
multados.
Artigo 5.c Formado cada hum dos
Conselhos de que tracta a Le da Liberdade
da Imprensa nos artigos 26, e 30, de vera'
logo, e sem intermedio, concluir o acto pa*
ra que foi formado.
Artigo 6. Estas Sessoes peridicas
duraro tantos das quantos forem necessa-
rios para o conhecimento e decisao de todas
as causas, .que houverem.
Artigo 7. Nenhum Em prego escusa
do exercicio de Juiz de Facto, a'excepcad*
Estado, Ministro e Secretario de Estado,
Magistrado, .Presidente de Provincia, e
Commanda&ra Armes.
Artigo 8. 1 % substituir ot Juizes de Fa
mmmmmmmmmimmm
oto, que ou morrerem, ou exercerem os
Empregos declarados no artigo anteceden*
te, ou se ausentarem por tempo prolonga*
do, e causa anteriormente participada ao
Juiz de Direito, chamarse*hao os immedia*
tos em votos at completarle o numero le-
gal de 60: e quando se nao retinad mais do
que 40, proceder se-ha com tudo ao sortea-
ment.
Artigo 9. As multas estabellecidas no
artigo 4 fica applicadas para as despea
zas ua Cmara, e sua cobran9a a* cargo dos
Procuradores das mesmas Cmaras, que
dever requerellas perante a Authoridade
ordinaria.
Artigo 10. Osnomes dos multados,
com as quaotias das multas, serao declara
dos por Edtaes do Juiz de Direito, e o Es*
crivao do Jury remettera' huma copia do
termo do artig 4. ao Procurador da C-
mara, a' tim de proceder a cobranca, e fa-
zello publicar pela Imprenta, se a houver
no lugar. "*
Artigo 11. Fica revogadas todas a*jt>
dispozces em contrario.
Joze Clemente Pereira, do Meu Conse*
lho, &e. Palacio do Rio de Janeiro em 12
de Setembro de 1828, 7. da Independen*
ca, e do Imperio.
Com a Rubrica de S. M. o Imperador.
Jos Clemente Pereira
v
l
T.
Endo f u Sanccionado a Resolucao da
Assemblea Geral Legislativa, sobre a inte-
ligencia da L., que actualmente regula a li*
berdade da Imprensa : Hei por bem Decla-
rar. I. que a dispozicao do Artigo 8. c Projecto de Le, mandado observa/ pelo-
Decreto de 22 de Novembro de 1823, com*/'
prebende o abuso da liberdade da Imprensa,
que for dirigido a infamar, ou a injuriar a
cada huma das duas Cmaras, deqi e ^.
compem a Assemblea Geral Legislativa ; a *
totlidade, ou a maioria absoluta dos seurj
respectivos Membrs. 2. Que a infamia
ou injuria feitu a todos, ou a cada hu.n dos
Agentes do Poder Executivo, nao se en-


t
T
*r****^
\
r*
\
-?
(1514)



tenda directa ou indirectamente feita ao me acompanha em servido a Corte. (AssU
Chefe dcste Poder. 3. Que os que impri gnado. Antero Joze Ferreira de Brito)
mirem, ou de qualquer modo fizereni circu* __
lar as opinies enunciadas pelos Senadores, Quartel do Governo das Armas da Prorin*
oulpeputados no exercicio de suas funces,
pa^JTcrsa por isso responsaveis. O Conde de
**" Valenca, &c. Palacio do Rio de Janeiro 13
de Setembro de 1827, 6. da Indepcndeu-
cia e do Imperio.
Com a Rubrica de S. M. I.
Conde de Valenca.
cia de Pernambnco 5 de Maio de 1830.
Ordem do Da
(.
u
\
D
Ignakdo-se S. M. o I. C. e Defensor
Perpetuo do Imperio do Brazil de incum*
bir-me interinamente do Governo das Ar
mas desta Provincia, cumpre-mc por de mu
nha parte todo o esmero por prehenxer as
Quartel General no Recife 5 de Maio de diferentes funcces do em prego em que
1830.
Ordem do Da.
Publicarse a Portaria seguinte
H
.avendo S. M. o Imperador Rezr lvido,
que o Guvernador das Armas da Provincia
de Pernambuco o Brigadciro Antero Joze
Ferreira de Brito, ven ha quanto antes a es-
ineacho colocado.
He por tanto a GuarnicaS da mesina
Provincia, a quem tenho dedirigir miabas
releces, e commendaudo-lhe sobre tudo a
fidelidade ao rnilhor dos Soberanos o Sr.
D. Pedro 1. respeito as Leys, e subordi
naca aoi Superiores. Debaixo destes prin-
cipios espero da Guarnica a indspensa
ta Corte para objccto do ser vico : II >uve vel coadjuvaca para a manutengo da dis*
igualmente por bem encarregir interina- ciplina, bom andamento do Servico, e de
mente do Governo das Armas da menina todas as Operacoes Militares. Filistnente
Provincia o Coronel do Batalha de Cac- conhecido entre os meus Compauheiros d*
dores N. 18 do prhr.eira linha do Exercito Armas, e Patricios pelos meus principios
Bento Joze Lamenha Lins, o qual paite
nesta occazia munido das competentes or
dens a esse respeito, e Manda por tanto
pela Seeretaria de Estado dos Negocias da
Guerra assim participar ao referido Briga-
deiro Governador das Armas para sua in-
teligencia, c immediato comprimento pela
parte, que lhe toca, logo que ali se appre-
zeute o sobreditp Coronel, Palacio do
Rio de Janeiro em 5 de Abril de 1830.
Conde do Rio Pardo
Em cumprimento as Imperiaes Ordens,
e as de Sua Excellencia o Sr* Prezidente da
Provincia entrego agora o Commando inte**
de adhezaS a Sagrada Cauta do Brazil, eaf-
ferro a Pessoa Auguslissima de S. M 1. pen-
s na damais ser precizo se na5 aiancar-lhes
acnntinuaca dos meus fiis sentimentos.
Assi^nado Bento Joze Lamenha Lins
Governadoi das Armas interino
CORRESPONDENCIA
\r. Edictor. He at onde pode che-
gar a fome de calumniar, e mentir No
Cruzeiro N 257 apparecemes, o Sr. Je-,
ronymo Villela, e eu, como dous dos que
rnarchara para o Boique Ora essa gente
rinamente, e o mais breve embarco para do Cruzeiro tem perdido inteiramente o pe-
a Corte. jo. D'aqui a dous dias sahimos por cnnha-
He do meu dever louvar, e agradecer dores de cobre em Olinda, &c. &c ; slhes
aos Corpos de primeira e segunda linha a resta dizerem, que demos batalhas. O Sr.
boa conducta, que tivera, e a disciplina, Intrpido, ja disse, que eu andei matando
que conservaras durante cinco annos, que marinheiros: emfim caaes homens tem o dia-
os tenho Com mandado, desenvolvendo sem- bo no edrpo. Vade retro satana. Despejo si
pre o maiur Patriotismo, amor ao Impera- melhante nao sei explicar pelas leis da na-
dor, aferr a Constituido, e a Paz ;. eu
Ibes recommendo que se nao separem de
geus juramentos, que se conservem como
at agora pacficos, receban a minha des*
\pedida, que bem sabem he saudoza.
tureza.
Dous sao hoje os pontos prinpaai dos
ttabalhos do Cruzeiro possesso : a toadijha
de repblicas (esta he a senha dada pelos
Mandes da Corte) e acnlarem as paixes
X Agora mesmo dos Peraambucanos me dos Europeos, a fin de os dividir dos Per
nambucanos natuiaes, e ver, 6e promovem.
a guerra civil; e para que ? (perguntar
alguem) Para deesa desordem poderem con-
cluir, e reprezentar os Cogumeles da Cor-
te, que a actual Constituicao. he cauza
dispesso, e lhcs recommeudo, que esteja
tranquillos, e continuem a ser fiis aos seus
^juramentos ao Imperador, e a Constituicao :
a esta so cahir com adissolucad do Imperio,
P% do Imperador, que sustentar com nosco
.''obra, que o tornou Immortal, e o primeiro de tudo, Nao dizia eu (exclamar este. mu*
Hroe do Mundo. to zeloso, e ponderativo) que simeiaute
O Sr. Capitn Ajudante de Ordens Jo- Constituicao ta liberal nao servia para o '
aquin Pedro Berlink por concenso de Sua Brazil ? A experiencia (dir^lautro entre
Excellencia o Sr. Presidente da Provincia rizouho, e pezaroso) est ifeurclara : em
1
,

"\
_-


_f-

/
B


C1515)

quanto a Constituiros ti ver formulas popu-
lares, etn quanto os Deputados nao forem
tirados da classedos homens de leis, id est;
dos Dezembargadores, e alguns Militares
d'altas patentes, tereuios sempre desordena,
Ahi he que est todo segredo columnista.
Q Sr? Intrpido, de quem Perambuco se
tinhade todo esquecido, depois que o dei-
tou ao pasto, e elle se foi para Cartaxo,
he hoje o proclamador dos Europeos ; e pa-
ra despertar o odio, que a ma do tempo
ja tinna em grande parte arrefentado, traz-
Ihes a memoria os insultos, que sofrra no
tempo das mdanos poltica?, e comoces
populares desta Provincia. Esse Moco tur-
bulento, e mal fajezo nao he ta5 estupido,
que ignore, que essas insolencias, e bar-
baridades fora perpetradas pela canalha
a qual eih todos os paizes aproveita essas
eccaziops para cometier latrocinios, e todo
a laia de desenvoltura: mas de propozito
procura afear e'sses factos, e fazer persua-
dir, que os ('onstituciouaes, chamados pe-
la columna farroupilhas, su5 os assassinos
dos Europeos.
Trez revolnces tem apparecido nesta
Provincia : a de 1817 ; a de 21 para a In-
dependencia, e a daborraxeira do equador.
Em todos estes mevimentos populares vio
se nunca os'Governos, e as pessoas, que di-
rigas os negocios, asas-jinarem, e rouba-
rom Europeos i1 So* a nfima plebe comet-
teo alguns excelsos, e assira inesmo em a-
bono ca verdade muito menores, do que os
que tem comet i do a genial ha de Portugal
em rircunvtanciaj quasi idnticas. Que bar j
barilades horriveis nao iiiamao as paginas
da Historia Pcrtugneza Na poca, em
que se trsetava da Acclamacao de D. Joa
1., que cruezas nao" praiicou a gentalha
nos Castslhans, naturalizados em Portu-
gal Que insultos, que assassinios nos que
crao, ou suppunhaS do partido da Rainha
D. Leonor !
O Bispo de Lisboa D. Martinho, Car-
' deal da Santa S Apostlica, Prelado de
luzes, e exemplrissimas virtudes foi larda-
do da jauella de huma torrp s por que tiuha
nascido em Castella : e quem cmetteo ta
horrivel sacrilegio? NaS foi a nfima pie
be: forao Silvestre Estevaj Procurador da
Cidade, EstevaS ATonso, e Joa da Veiga,
Cidados distinctos. Estes fora os que lau-
cara as sacrilegas mos sobre o seu Pastor,
e o arremessara a ra. EutaS a canalha
tomou cunta do cadver, des{:ojou-o dos h-
bitos Episcopaes, levou-o de rastos por to-
das as nas, e o deixou expo'sto acscaes, e
laves carnvoras. Em Perambuco anda se
nao praticou tul barbaridade nem contra
hum Sacrista.
llun.a Abbadeca de Benedictinas, s
por que era parqgta da Rainlia nao pode es-
capar ao furor da analha Ue&eurcada, c o

'Y
mais he, que o Mestre de Ariz, que poda
acabar com a sedica em hum abrir, e fe-
char de olhos, punha-se fora do negocio ;
porque assim Ihe fazia conta. A misera
Religiosa, acomettida no Templo, em v
correo desorientada ao mesmo Saerario, em
va pegoudehuma Hostia Consagrada ; em
va5 a colocou na custodia, e a poz adianie
de si, para Ihe servir de escudo : a Custodia
lhe foi arrancada das mos com iaaudicto
desacato. Na terrivel morada do Seuhor
resoarao os nomes mais indecentes, e im-
properosos. A desgracada Espoza do Cor-
deiro immaculado foi arrastada pira a rua"^
ahi ( que monstros ) pozera-a quazi nua ;
suas faces virginaes, e pudobun las forao
cobertas de bofetadas ; ahi chovera sobr'el-
la os golpes, e envolta no proprio sangue,
e no p, anda soltati lo os ltimos hocejos
da vida foi arrasta la pelas ras ja esfranga-
lhada, e descomposta, e por olti n> lanzada
em hum curral de vaccas no Roci Aii' !
Sr. Soares ja se fez isto em Perambuco ?
Vm. que an loo la* por Cartaxo, e
por Lisboa, escrevinhaado tanto exilia o
Mesmo Imperador, de Q ie hnj^ se diz ta5
amigo, a ver, se o fi Cidada B-azileiro,
logo com o competente lugarziaho de Va-
gistratura para cardar os farro ipil ha ; uao-
ca ouvio conar os horrores, praticados pe a
canalha de Lisboa, Porto, &c na ulti ni
restaurado de Portugal do jago Francez ?
Para que he pois essa record .49-tif do*
varejoa, qua a plebe Pernambic* 1a !o ata
Europeos em teta pos de muda icas polticas
se nao para entreter o fugo da discordia,
que seia apagando? Sancta licerdadedo
prlo 1 Se tu das azo a alguns mates, a
alguns inconvenientes iuseparavei* das o-
bras humanas ; por outra parte nos indem-
nisas, permttindo a rasao, a verdade, e a
justica plena authoridade para coinbater o
erro, a mentira, e a iniqutdade.
Tenhode rogar ao respeitavel Publico,
que faca huma rerlexa, que talvez nao te-
lilla escapado a espiritos, muito mais pene-
trantes, do que o meu. De muito tempo,
que em meus fracos escriptos increpo a ou-
sadia do Cruzeiro, e geralmente dos Srs,
Columnas de inculcaren) em seus escriptos,
e platicas, que S. M. o I. he o Principal
Agente da revolta contra a Constituyas.
Nao ha propozica minha, que o Cruzeiro
deixe de ter querido coinbater, se bem que
miseravelmente com patrant3s, descom|s- %
turas, e parvoces : aquella porm, que he ^
de todas semduvida amis ponderosa, dei fc
xao-a correr livremente, aao aventurando
sobre esta materia huma so' palavra Per,
gunto a todos os homeus, que sabem pen-
sar, o que quer dzer este silencio ? Que
indica esse tcito conseifti ment ? A quicio
que a parte contraria nao nega pa^ssa em Di-
reito por confeasado. Siui meu caro Sr. E^
.



>
f!516)
Oitor ; humadas iafernaes mximas da Co-
lumna he impor ao Povo, q|ueS. M. I. he o
Chefe da Conjurado anticonstitucional ;
que Elle os protege, &c. &c. Ah mors
ros Que insulto feito a hum Monarca,
le se pode chamar a CoQstituicao sobre o
Throno.
O Somnmbulo.
nelle quizar hr de pas&agem dirtja-88 ao
CapitaJ do mesmo ou a ra do Vigario caza
D. II. ...
Athe o fm docorrente mez lanira im. f
preterivelmente para o Maranhao com es-
calla pelo Ceara' o Biigue Brazileiro Pra- '
zeies : quem no mesmo quizer carrejar, di-
rija-se a seu proprietario Joze Joaquina Jor
ge Goncalves,

r
*>
Correip,
^~V Ccbriio Terrestre para o Ceara* rece-
jar be a malla no dia 7 do corrente polas 5
horas da tarde.
Compra-s,
ET7I VENDE-se moeda de prata effiectira
Cam
glez,
Huma venda no Bairro de Santo Anto-
nio, ou Boa-vista : anuncie per este Dia*
rio.
Hum escravo bom cozinheiro: anuncie
por este Diario.
O autor de Galvao, que he aplicado a
Cavullaria : auuncie por este Diario.
Vende-se.
M molato official de Pedreiro : no 2.
andar do sobrado junto a Tipografa do
Diario.
Os Diarios Fluminenes chegados lti-
mamente da Corte, desde o N. 44 at 7
Je Quarta feira 7 de Abril prximo passado,
por preco cmodo: na Pracinha do Livra-
mento loje de fazendas D. 25.
Hum negro da Co9ta de bonita figura :
no Forte do Matto Prenca de Antonio Ber-
nardo Rodrigues Sette.
Hum sobrado de meia agoa no beco do
Virginio, com sotaS, e xos pr^rios : na
ra doRozario sobrado D. 27.
Hum escravo bom official de Pedreiro,
sena vicios nem molestias: defronte do
Quartel da Polica venda D. 10.

Noticias Martimas.
Entradas.
HJl\ 2 do corrente. >-h Rio de Janeiro ;
Imente pelo preco corrente: na caza de 35 diag S-.Nova Sociedade, M. Antonio
bio de George G.bsou Comct* In- d Azevedo equq. n, carga carne, ao
;, a ra da Cade.a velha_N.o U. ^^ M. ^ ^arHaveUa8 *lS dias B.
Carolina Maria, M. Antonio Manoel Coi-
tinho, equip. 14, carga toucinho, e cafa,
a Manoel Gonsalves Braga, w Porto de
Pedras; 3 (lias; E. Conceicao e Ponte, M.
Ignacio Marques, equip. 10, carga cai
xas, a Joze Rodrigues da Silva Barroca,
passageira Maria do Carino, hh Buenos
Ayres ; 30 dia9; B. Ing. Acasta, M.
Thomas Smith, equip. 20, carga muas,
ao mesmo M., vem refazer-se de agoada
e segu viagem para a Ilha de Tobago,
na India Occidental.
Dia 3. hh Bahia ; 4 dias; Corv. de
Guerra Franc. Le Isis, Com. Picard Ca-
pitao de Fragata, demorase 5 dias e per
tende seguir viagem para Franca. *-* Mar
Pacifico ; 43 mezes ; G. Amer. Clark-
son, M. Joseph Alien, equip. 24, caiga
azeite, a Matheus & Foster. m Porto de
Galinhas ;S. Rainha dos Anjos, M. e do-
no Manoel Domingos, equip. 9, carga
caixas. t-< Costa de Patagonia ; tendo sa*
hido de Sag Haboue a 10 mezes ; G. A
mer, Thorn, M. E. Horris, equip. 25,
carga azeite, a Matheus & Foster.
Oia 4. Rio de Janeiro, pela Ba-
. no"h andar das cazas do JuTx da Paz hia; 25 dias; trazendo do uitiino porto 8,
do Bairro de Santo Antonio, nos dias uteis, Paq* N. I. Imperial Pedro, Com. o 1.
das 8 horas da manh athe as 4 da tarde, ou Teen te Felipe Vieira dos Santos, passa-
anuncie por este Diario, geiros o Coronel Bento Joze Lamenha
Via0*PllS Governador das Armas desta Provincia
M tt ~ -.mIlm com hum cania rada e 1 escravo, o Majo-
rtttEZSZ&'Z ffS Jrajano Cesar Barfa^ue Nico.ao Z
c^a nrompta segu viagem para o Havre dngues dos Santos Franca Leite com %
de Grace athe o dia 25 o corrente ; quem escravos, e 7 Pravas.
N
Alluga-se.
Egeas lavadeiras : na ra do Rozsrio
Tywgi
^
----*
ar.i^ Hvn-wt


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL0KZPQJC_TCHRU0 INGEST_TIME 2013-03-25T15:47:58Z PACKAGE AA00011611_00974
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES