Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00935


This item is only available as the following downloads:


Full Text
#. 562.
' "mi
Ann* de 183K
DIARIO DE PERNAMBCO.

- f
Snbcro?e-so na Tipografa do metalo Diario roa Direita N. Vn U andar
* Aira todo, oadiajtftris. ~T ~U naut
m le pe 049 res amaa folia
Sabbado 1 de Outubro. S. Martimano M.
Preamar as 3 hora e 42 minutos da mnha.
RTICOS de OFFICIO.
Jha/OpTANQO a este Governo, que no
lermoda Villa de Cimbres se tem conti-
nuado a perpetrar assassinatos, bem co-
lino agora acaba de acontecer, sendo vc-
timas infeliaes da barbaridade dos malva-
do dous honesto Cidadaons, Vicente
Ferreira da Silva, e o Ajudante Francis-
co Luiz Pereira de Mello; Cumpre, que
V. b. a quern compete manter o socego
lublico, e |unir estej, e outros atienta-
dos, proceda na forma da Le, contra o
Aasssmos, a fim de sofrerem ojusUca.
tigo, deque se fazem merecedores; e
mostrarle pticamente aos habitantes
desses Lugares, que nao he era vao, que
a nossa providentsima Constituicao ga-
rante aseguranca individual, ede pro-
pnedade de todos os Cidadaons. Dos
Guarde a V. S. Palacio do Governo de
Pernainbuco 11 de Outubro de 1830 ^
Joaquim Ji.ze Pinheiro de Vaseoncellos
~ Si, outor Antonio de Araujo Ferrei-
ra e Jacobina Ouvidor, e Corrgedor da
.Comarca do Sertao
que a nossa providentissima Constituicao
garante a seguranca individual edepro-
pnedade de todos os Cidadaons. Dos
Guarde a V. S. Palacio do Governo de
Pernambuco || de Outubro de 1830 ~*
Joaquim Joze Pinheiro de Vasconcelioa
Snr, Juiz de Paz da Villa de Cimbre*
* Expedirao se do mesmo teor ao Juiz
Qrdinario, e ao Capita Mor da mesma
Villa-.
Ccniimmcao das reformas propostas a
Constiiuiqao da Franca.
o
c
FOnstando a este Governo* que no
lermo da Villa de Cimbres se tem conti-
nuado a perpetrar assassinatos, bem co*
ino agora acaba de acontecer, Sendo victi-
mas rafelizes da barbaridade dos malva-
dos dous honestos Cidadaons, Vicente
Ferreira da Silva, e o Ajudante Francia-
co Luiz Pereira de Mell. Cumpre, que
V. S., peld parte, que Ihetoca, d todas
as providencias, que estiverem a seu al-
cance, para que sejao prezos, e compe-
tentemente procesados os Auctores de tao
liorrorozas barbaridades, a fiu de sefre-
rem o justo castigo, que asais presera-
vera, e mostrar-se pratieamente aos hab
Untes desses Lugares, que nao he ea* vao,
Artigo 27, declarando o poder da
coroa para augmentar ilimitadamente o
numero dos pares, nao sofreo alteracao
mais, do que o exigirse que se declarasse
na Constituicao; que ma lei poria limi-
tes a aquele direito. Ate' aqui os pares e-
rao admitidos na Cmara quando comple.
tavao vmte e einco annos, sera ter voz de-
iberativa antes de cheffarem aos trnta.
Agora se propoem admitil os com a facul-
dade de votar na idade de vinte, e cinco
annos. O direito dado aos Principes de
sangue para tomaren assento na Cmara
dos pares, se Ihes conserva, mas a dade
em queeies devem ter a faculdade de vo-
tar, se identifica com aqiela que se requer
nos outros membros do pairado. Propoz-
se, quesesupjimisseoartigo 3lquede-
claravaj que os Principes do sangue naS
podenao tomar assenlo na Cmara, sem
ordem expressa do Rei, seb pena de fee
julgar nulo, e de neuhum efeto o que se
tivesse rezolvido em suas prezencas. As
dehberaces das Cmaras erao secretas
Agora se propoem ; que para o futuro, el
las o nao sejao, excepto a pedido de cinco
de seus membros, e entao se converteraS
em comissao secreta. O artigo 35, e o



T-

(3M0)
cinco .rtt*. snbs-qnente, 8 relativo, a que a Cmara fica,' P^ada a Hvre e,<
SU d Deputado*. Antigente a ^^^S^SSE^!?
funotfSe. d'*te encargodurav.o croe an. *^P* d fiot ndo a n*smas,
o,, ecada ano. e renovara a qn.nta e.gm >, de reorganizar a8 ju.
parte do numen dos eputado. PjT ^e!C?,^ao,%3"a -oloefias inteira.
S. lei suWquente foi abolido este mrte. ^^vj^fo"^
ma> em.bst.luido, comoemre no, por urna menUpete ~7eslr^rainario pode.
eleica septenaria. Por U PW* ^Tr'creado, dehaxo de qualque'r de,
a duracaS da Cmara ^ve ser Inn.tada a rao sey ? enU) d" fidelidade a
,Me cinc, *. >>',! 2~fiyS co,,6*l. Urioli.mo,
ido ela mesma urna infraccaSde u.n prin. ate' serem reele tos ; obre votado
[iI(i na Crt, foi desprenda ua p= -'^^5^ MKjS
carta a nomeaca dos presidentes dos co e .... I, res, ate se.em f^g*
legio, eleitoraes pertencia corna, agora vencido, de alg. m compete .o. memo, eleitores. Pela mes- vencao .los entorno. -"? **
n ^rS^r^^L^' SSLI,V- >-nTeTEoPreino
22* cSS-T-T Jf C *"** nula,, e de nem um .feto; e que
Orle.eu,cabi.ahonradeuzaroPrmeiro se a prezente con^u.u.cao f.m
d'ella alter.caS, e assim aprezentou.seao propoz.se decarar-se que os interne.
Tenente GeLral do Reino a Uta feto pe- gerae, Vm^rl^^ZuMuU>dl
U Cmara para que d'ela ewolhesws o ehamavao agora ao trono pe o tu loae
Prndente. Sua Alteza nomeou Mr. Ca. Re do. Primen, Sua Alteza Lnw Phw
aimfr Perrer. declarando ete o mem. liped'Orleans Tenente-Oeneral do IUb
g^EESC numero devotos, e no, eseus descendente, para ;**
aiunlando; que era dever de todo o bom macho a feo.ea, en, tom* F"^n
cidada curvar se a, lea, ecomo tal no Nra, com excluza o perpetua da. lemea.,
xercici provizorio das funccoe. monar. eu descendentes,
chicas, ele fazia a escolto requizitada,
Iba. erperava aer aquela a ultima vez em


(SKI)
*,
f
i *
Crrelo
PEla Administracao do Correio Geral
ciesta Cidade, se faz Publico que par-
te deste Porto para o de Maca'.o no dia
19 do corrente o Pataxo Protetor, de que
lie Mestre Joze Gregorio Correia, ai car-
tas serao lansadas na caixa geral ate' as
11 horas da manhaa.
Theatro de tarde.
Expectaculo Imperial.
^Omingo 17 de Outubro em aplauzo
aos faustisissimos annos de S. M. o Se.
nhor D, Pedro 1. Imperador do Brazil.
Executar-se*ha naOrchestra a overtura,
Sem ira mis, tera' a prineira aparic.ao o
novo pao de bocea, seguirse-da a over*
tura Senorentula, dar* principio a repre-
zentacao o famozo drama Lizia e Brasil,
no qual aparecer* a Augusta Efigie de S.
M. I. e se cantara* o Hymno Nacional:
executar-se-he a overtura Califa de Bag-
dad, segur*8e*ha o dueto Alfaiate, depoii
deste Caetano Fernandes dancar o Fan-
dango Espanhol, e logo a overtura Izabel
Ranilla de Inglaterra, depois Antonia Ma-
ra, e Manoel Antonio executarao o famozo
dueto a Barca de Vapor, (indo o qual da
ra' principio a reprezentacao da peca Fa*
zer Justica sem faltar a Clemencia, ou o
Modello dos que bera Governao, a qual
sera' reprezentada com toda a pompa, e
brilhantismo, como no dia dos annos de
S. M. I.
O Emprezario para agradar a todos
os leus protetores como os nicos apoios
de sua subsistencia, e de seus colega*, se
lembrou repetir este grande expectaculo
com toda a pompa, de dia, para aquellas
pessoas que o nao poderao disfructar na
noite do dia 12, e como aprezenta o thea-
tro todo armado, e decorado com a mes-
na dignidade; suplica aos benemritos e
circunspectos expectadore, se dignem
com boas razoei, e doces palavras dissua
dir a alguns meninos bulicozos que tem
por galantaria o romperem, e destruirem
aquillo mesmo que se tem arranjado para
cmodo, e utilidade geral dos expectado-
re ; como sejao os assentos de palhinha,
coxins de encost, tanto de camarotes,
como de plateia, que se achao quazi to-
dos destruidos por eeito de huma mal pen
cada jovialidade ; principiara as 4 horas.
Pric* geral 320.
Avizos Particulares.
NA loja de fazendas no aterro da Boa
Vista tem para vender 600 a 700 co
vados de baetiltia de varias cores, e como
se percisa d dita pelo anuncio Jeito no
Diario N. 501, e o dono da loja nao po
de hir a Intendencia para tratar do aju le,
roga ao Snr. comprador da mesma, quei-
ra vr a dita loja ver o genero, e tratar o
negocio que for pouivel.
Jacinto Silvestre Vicente, vi refor*
mar a casa de pasto do beco da Pol, O.
6, 1. andar, na qual promete dezem-
penhar como deve o seu officio servindo
bem a acuelles Snrs. que se quizerem uti-
lizar tanto de cozinhados, como aseados,
e tudo mais que se cos urna ter em huma
boa casa de pasto, faz assados para fora,
e taobem da'jantares de todo preco, e tu-
do com muita limpeza, e prec,o cmodo.
>-h Fa$o Publico que hoje Quinta eira
14 do corrente, fui agarrado pelo poder
da forra por dois Meirinhos no Forte do
Matto, sem ordem de Auctoridade algu-
ma, por mandado do Major Francisco Jo*
ze de Mello por intrigas que traz enmuro
por defender a honra do meo Sen dorio
que foi o Reverendissimo Snr. Joaijuim
Eufrasio da Cruz : As auctoridades cus*
tituidas, e o respeitavel Publico devein o-
lhar para semeldante altentado por fulla*
rem os Meirinhos ae devido respeito a Le
e ao mandad* de manutencao pelo De*
zembargador do Civel, e prenderen hum
homem livre na Cadeia aonde me achn,
sem crimes, so' porque assim o manda e
queroSr. Major Mello, sendo esta quar-
ta vez, para me vender.
Antonio Jotquim da Cruz.
Aviza-ie a todos os Snrs. que tem
bilhetes da rifa da catraia, que a mesma
se hade efectuar, no Domingo 17 do cor
rente, pelas 3 horas da tarde, no lugar
que o mesmo bilhete menciona ; eadver-
te-ie que todo aquelle que nao compareeer
nesta ocaziao, rica sugeito ao que nutro
qualquer deitar por elle diante do mesmo
auditorio.
Vende-se.
HUma escrava, idade 20 anuos, multo
servical para huma cafa, cozinha so-
frivelmente, e muito robusta ; na ra da
Gloria defronte do porta do fundau.
Potassa de prmeira quulidade che*
gada prximamente, aioendas completas
i
ii


mmm^
w i
(3J32)
perpendiculares e orientaes, taxas de
ferro de todas as dimencoes ; na ra do
Colegio, caza d Francisca Felizrda Le-
al de Barros*
>-h Rap novo a 20 res a oitava ; era
Olinda na botica do Pinheiro.
Na loja da quina da ra do Crespo
ijue vira para o Queimado, o resto dos
ir.eios bilhetes das secundas Loteras, hu
jna a beneficio dos Expectaculos do The*
atro, e outra a beneficio do9 Emigrados
Portuguezes, e para concluir-se a venda,
dao-se com abate de 30 por ce>to.
. Na loja de Joze Lopes de Albuqoer-
que, ra do Crespo D. 3, rap -limito fres*
eo vindo ltimamente de Lisboa pt lo Bri-
gue Filinto chegado a* Parahiba, e dal
reexportado para aqu, em botes de libra
1,920, dito demeia libra 1,000, e ta-
bem tem mais antigo em libra 1,000, e
tul oitavas a 10 rs.
Vinho da Madeira, e Champanha,
tjueijos londrinos, e de pinha, mustarda,
conservas, tinta branca, azul, preta, e
verde, e oleo ; em baixo da Hospedara
Inglaza no Forte do Mato.
__ As melhores obras da Littratura
Franccza, algumas dos melhores pro-
i fessores de Jurisprudencia e de Medecina,
Ktodas por precos muito cmodos, e toman-
do mais de huma obra far-se-ha hum a-
batimento nos preces; na loja de Ponchet,
a ra Nova.
Alluga-se.
TTUma caza terrea, com duas sallas, e
[Jtez quartos, cuzinlia puchada fora,
quintal, no bairiro da Boa Vista ; diri-
jase a ra Nova D. 27.
__ Huma canoa d' agua mentalmente;
quem a ti ver anuncie por este Diario para
ser procurado,
Leil&o.

OUe se hade fazer Quarta feira 20 do
corrente mez de Outubro pelas 11
lloras da nianlma, no Escritorio da Viuva
te Carvalho Rapozo & Companhia, na
roa do Colegio, pela AdministracaS da
inesma caza, dos seguintes objectos, por
nao se ter verificado a primeira arremata-
cao por falta do devido comprment do
arrematante. A Sumaca S. Antonio Li-
reiro, metade de outra Sumaca, denomi-
nada Espirito Santo, huma porcao de en
chadas, e huma porca5 de estopa da ten
ra : quem quizer lansar nos referidos ob-
jectos queira comparecer uo referido da*
s Inventarios das Embarcac.oes podera se
ver no referido Escritorio*
Furtou-se.
NA noite do da 30 de Setembro para
amanhecer o l.3 do corrente, do
armazem N, 41, da na da Cruz, que
faz quina para o becodas Miudinhas, hu-
ma burra Hamburguesa de ferro battidd
em chapas entraneadas em chadres, pin-
tada de preto por fora, e de encarnado por
dentro, tinha cento e tantos mil reis era
cobre perto deduzentos* hum grande ca-
diado de segredo que eslava na dita bur-
ra, e outro que estava n'huma. gaveta do
ba'cao do armazem ; quem della tiver no-
ticia podera' dirigirle eo mesmo arma-
zem, ou ao aterro da Boa Vista lado di-
reitocasa D. 5, onde recebera' boas a*-
vicaras,
Escravos Futidos.
MAtheus, estatura ordinaria, torio
de hum olho, e zambro das pernal
auzentou.se a mais de 2 mezes, da Cida-
de da Parahiba, e pertnce a Victoriano
Pereira Maia, e consta andar nesta Cida-
de, ou na de Olinda ; os apprehendedures
levem a ra do Crespo, caza D 3, que
sera bem recompensados do seu traua-
Iho.
Joaquim, Angolla, parece crioulo,
idade 14 annos, dentuco, bastante magro,
pernas finas, pe? apalhetados, levou ca-
rniza e siroula de algoda novo, chapeo
de palha, e auzentou-se a 1 mez da Villa
de S. Anta ; os apprebendedores levem
na botica da ra do Rozario, de Bartho-
lomeo Francisco de Souza, ou a seu Sur.
Joaquina Joze Esteves morador nadita
Villa, que serao bem recompensados do
seu trsbalho.
Hoza, naca conga, muito mal pav
recida, pes apalheitados, seca docorp,,
com hum lubinho no gogo', boa estatura,
com 20 anuos de idade : os aprehenderlo-
res levem-a ao Patio da S. Cruz, junto a
venda de Pedro Baptista, que sera' ge-
nerosamente recompensado do seu traba-
Iho.
fftC
Pei-iiumbuco nm Typoqrafw Diario.
<
A
%


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1Y6YDVHL_O2SAD0 INGEST_TIME 2013-03-25T15:29:15Z PACKAGE AA00011611_00935
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES