Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00878


This item is only available as the following downloads:


Full Text


tt.* m.
rAnno d I83o.
DIARIO DE PERNAMBtTCO.
ooMMiatodo^dluotaii. .uuo. w>7 1. udor on >. por re lt fott(l
Quinta Feiha 9 de Setembho. & Sergio P.
Preamar a$ 10 foro 9 mmuto, da tarde.
! Aniterearo da Nona Independencia
rorJanno Scrinhaeme.
ODEL
(^^ Estro/e primeira.
MJEvzab do Pind, placidas Camenas,
Dai que eu oje pulsando a Ebrnea Lira,
& com vozes serenas
As ureas cordas fira
Para cantar da Patria gloriozo
O seu Dia Primeiro Magestozo,
ntistrofepnmeiral
Se o canoro Alseo,
Em quanto a Patria escrava, a Lira d'oiro
Nem um discanso do
E a Magalario, Pitaco, e Mirsilo
Moveo acerba guerra;
Eu da Eliconea Serra '
Das Muzas c'o favor eide seguMo.
i Epodo 1.
E se outr'ora a espada
Taobem soube empunhar.
Para afoito vingar
A Patria que gema atribulada;
Oje mais e1 notoria
Minha Justica decantar-llie a Gloria.
Estrofe segunda.
Oje de novo Febo rutilante
Nos fogozos Etontes desde o Olimpo
Em Carros de diamante
De bruscas nuvens limpo
Xeio de gosto a todo o Brazileir*
Traz este Dia fausto, e lizongeiro.
Jntstrsfe segunda.
E no Zenith xegando,
Faz parar os Etontes espumozos,
E como contemplando
Nosa alegra: diz em toin sobVano
O' Brazileira Gente!
Oje Independen te
Pela dcima vez completo um ano
Epodo 9. *
EJnpiter Superno
Como outr'ora aos Romanos
C'os Destinos Sob'ranos
Tem decretado que de ser eterno
tv. t .. Este Werio. existencia
Da Liberdade, e mais da Independencia;
strofs terceira.
Dise: e tirando dos doirados loros
s Etontes instiga: e do alto Monte
Ja' os celestes Coros
o j A Pae de Faetonte
Ordenao que do Da o luzimento
Conserve ate' o lquido elemento.
Antistrofe terceira.
Eis o nclito Marte
Com os Brazileiros, que dos marcios loiros
1 iverao grande parte,
Pelos imortaes Feitos, que fizeraS,
Ja* contra os Lusitanos
Quando os lasos tiranos
Da vil, e antiga eseravidao romperao :
Epodo 3.
Sobre a trra bailando
Com ureo luzimento
Deste geral contento
Soltou ingente brado, e resando
OPovoBrazileiro
Gntao-Viva o Imortal Pedro Primeiro.
s,
(Recitada no Tiatroj
CORRESPONDENCIA.
n-* TAiflor: Qe Ihe parece o
Uwnmumcado do Cruz. N. o 91 f He
L2 De5 men08 Padre Amaro de.
embocado. Ha' muito, que a caoa,ea
mandona trabalha em prmero ^^
de.trU,.r < Trambolho; e no caw de Z
Cmara, afim de er dJwelrida, epw.


"' !'
(SI10) .
t* aeiei,a de Deputados de pao J>'^
t.rios para feehar os olhos a tudo, assig- w"P"**. .. ijberal, que cre..u huin
"lud e voltar cada hu. para os seu. Fot m^dd*''^e quas o de Na-
ficom huma venera ao peito pelos re. *SS*2 de Wate"
levantes tercie* de Reprezentantes a. poleao meamre(iordade da Cmara a
thomatos. correndo para que produzio huma Marinha tal, que nao
Para este effoto forao correnao para h i ,he ue ? He
Londres, dizem. que TOO l.b sterh.s, ha d"J^^^idade a%uedessan.
e o bom do Padre ^^^^ gra ZL os das o Thezouro caqueUco
importa coa. a prospendade do Brazil, gr mmma9, e sommas a gente
como nos com o que come o Pr ^oJa g ate' inim ga do Brasil ? Se-
das Indias, b1v.ntouhumab.Sto.adem,. ^'"dad, da amara de maos da-
noriclade anrquica n Assemblea sus- J farroupilhas, a que tem levan-
tentando, que esta minondade tem ad- dasmh ^ ^ 9aUead na
querido a preponderancia, &c. &c. He udo numi toda9 as
bem achada! Mas quaes sao os fados *** E ese, dadores pela mor .
que comprova essa preponderancia da ftww"; 2,nca ,,e
Einoridade. ou pendida faccao dme- S0^Vdos P He a minoridade
"tica? Pelo contrario se estarcid, e, certos M gitra expalhado pela
do andamento do. negocios, nao serena da Cmara q ^ ^. ^
mo* a irrisa, com que G?ver"b'S $autbores, e socios sao logo postes
deou a devaca a respeito dos columnas I0*8'" havedo hum so%
desta Provincia e nem ^SSCSal ueTfre a P*na ultima, antes abrin-
dos noseio da Reprezentacao Naco .al ue tes, P c(jmo .,
h..mens stygmatizados pela voz publica J^ "^ '? Sao estes sen*
do Brazil/ como fautores da conjurado de seos A-j"*^ c0BtiAewet que
liberticida. Hfl,reui o Brazii, e nao sa6 produzdos
O que tem feito essa suppostam.no. aflW> < inoridade da Ca-
ridade.' Apenas hum,: ouQUtro^epU a ^ ^^'^^pm^liberaes. Es.
do, que dizem serhberal, es rea hga~ nmra, ^P^. alrpaite das veze.
comuna, clama no deserto, ou oflerece ai H a,uma9 a torto, e a direito:
gumprojectomais especioso, *>;* C Taludo em esgrima de Peridicos,
Le merece logo a dcapprovacao da man ""^J* a facCao engmelo-
oria. Se algn. Peridico, apparecem ao me.noP ^ ,
maB descomedidos, e fogosos isso 1 hu- cbpma q afi,had()Si Toda
ma consequencia nece.sar.a dal.berdade 'a"j'ofced H melter ma nessa
do Prelo, do defeito da L... que nao Mf Q yedada aos fanoa,
precavendo o. recursos da malicia, b o nova Arca at pub,CO) dea,
Lminhoa muito.abuso., como v g.pu- quero^J^ ypccritas intitula,
blicar doutrina. diametralmente oppostas fiaraJ"a ^ ,,e da ^n
aXrPUlt'dXirrrgr. aK Cruzeiro, edequantotem
SteBBa&^-S ^^glmen actual fol cncocrU-
? ^rSSSLrtStt -r^Selledyoe^ osmesmo,,o
i morcegos oo mer
que querem Consti
de. s.: tqr r reduo ,rs; &. *-.-- <> **
(

ita^^I




do, tomem contas as reprticoes de finan-
zas, e coarctem as despezas.
He necessario pois desacreditar a
Cmara, e o termo coacau termo de
huma eiasticidade espantosa, serve admi-
ravelmente para 01 fins, que entre si tem
concertado o fortioso horto dos tortullios.
Releva figurar huma minoridade domina-
dora na Cmara, e esta minoridade sus-
tentada peio partido liberal. O Portuguez
Padre Amaro levanta a lebre em Londres,
dizen que segundo os principios polticos
de Mr. V Argent (700 lib.) publicista de
rua chea ; e todos os podengos da Co-
lumnata repetem ladrando a mesma toa-
dilha.
Nao ha* rasao suficiente para a C-
mara de ver ser dissolvid : mas se S. M.
o. por motivos, que me sao occultos,
entender, que assim o dev fazer; he hu-
ma das atribuicoes do Poder Moderador,
e devemos todos annuir a' sua delibera*
cao. Entre tanto a sucia dos tortulhos
nao pode sofrer Cmara nenhuma, que
toque no objecto^/manfot, e responsabli-
dade dos Em pregados. Elles querem huns
Deputados la' a 9u geito, e quetenhaoos
eeguintes requizitos: I. Hum carcun-
dismo nato de pas, e avs, e com prefe-
rencia os sujeitos, que serviraS ao Madei-
ra na Bahia: 2. c nao dizer palavra,
nem proferir propozicao, que possa ofFen-
der anda indirectamente a tudo quanlo
ti ver inspeccao, ou governan^a; e para
tirar-se de escrpulos, melhor sera*, que
De potado nao Calle; servindo so' para
fazer cortezia, e votar a' carga cerrada a
favor de tudo quanto fr lizonjear o Mi-
nisterio. 3. Huma adulacao a toda pro-
Va, e ao mesmo tempo geito para desfruc-
tar o Thezouro Publico, e se tiver huma
fabrica de cunhar moda, esse deve ser o
primeiro Deputado do mundo.
Eis pouco mais, ou menos como quer
a sucia cogumelo-chupista, que sejao os
Deputados do Brazil: nao sendo assim;
apparece logo huma minoridade democr-
tica, e fogo, e mais fgo. Nao admiro
as asneitas dessa sucia, composta pela
mor parte de cabecas de camara: admi-
ro sim a ousadia, com que dirigem as su-
as apostrofes ao Imperador E vos Im-
perial Snr., salvai o Brazil ( He como
arremata o revoltoso communicado do
Cruzeiro ): Dos assim vo lo determina "
Que tom cathegorico mesmo de cogumelo
bravo! por bocea dequem assim o
manda o Eterno ? Pelas boceas virtuo*
sas de Joze Victoriano, e do Braga E
nao se hade rir desses pal nacos
O Somnmbulo f
Correio.
PEla Administracao o Correio Gerat
desta Cidade, se faz Publico que par-
te deste Porto para o do Aracat, no da
11 do coi rente o Pataxo Conceicao de que
he Mestre Manoel Silva Araujo; e para o
de S. Miguel a 22 do mesmo o Hiate
luveja, de que he Mestre Joaquim Joze
Souza, s cartas seraS lansadas na Caixa
Geral ate' as 9 horas da noite do da an-
tecedente.
Avizos Particulares.
JOrgk da Costa Gadelha Cava lean fe;
tendo anunciado por este Diario, que
a sua rifa nao poda correr com a primeira
parte da sexta Lotera a favor do Semi-
nario de O inda, por nao terem extrac, a5
todos os bilhetes, e que coneria com a
segunda parte da mesma ; boje faz cert >
ao respeitavel Publico, que por huma fa
talidadeja' nao pode correr dita rifa, e
por tss roga a todas as pessoas, que com-
pra ra5 bilhetes deila, liaja de procurar
o dinheiro, que por elles derao nos mea-
mos lugares a onde es ti vera a venda.
Penmnta-ae ao Snr. Felis Vieira da
Silva, quando pertende realizar a sua rif i
anunciada a correr no mez de Junho pau-
sado.
Perciza-se de 1005000 rs., e da-se
pinhores de prata e ouro: quem os tiver
dilija-sea Tipografa deste Diario que se
dir* com quem deve tratar sobre este ne
gocio.
Joze dos Santos Bandeira Jnior
faz scente ao Publico que se acha estabe-
lecido com caza de cambio na ra da
Cadeia N. 58, aonde compra e vende
moeda de ouro e prata, e desconta bilhe-
tes da Alfandega e Letras.
Vende-se.
HUm negro cosinheiro, idade 22 a 25
annos, de boa figura, e conducta ;
na na da Cruz N. 60.
Prezuntos secos, de suprior qnal ida-
de, libra 120 ; na ra da Cadeia Ve I lia,
armazem N. 11 _
Hum apa re no de cha de prata mo
derao e de muito bom gosto, huma por
_


M
W

Oao de Le Roy, compnsicao do melhor
author, potassa da primeira qualidade,
moendas completas perpendiculares e o-
rientaes, e taixas de ferro de todas as
qualidade* ; na ra do Colegio casa de F.
F. Leal de Barros.
Hum escravo do gento de Angolla
idade 26 anuos, muito bom cozinheiro, e
com principio de cortador de carne, sem
vicio nem achaque ; na roa Veiia, no
L andar, do sobrado D. 26.
.Leilao.
QUe fazem N. O. Bieber & Compa-
nhia, no da Quinta feira 9 do cr-
rente mez, pelas 10 horas da manhaa, de
fazendas de algodao e linho na caza de
ua residencia, ra da Cruz N. 63.
Que fazem N. O, Bieber & Cumpa
nhia, de huma porca devinho tinto de
boa qualidade em pipas grandes, Sexta
era 10 do corren te mez, pelan 10 hor s
da ma: da a, no Forte do Mato, ra do A
raorim arinazem N. 22.

A 11
Alluga-se.
HUma canoa aberta, jone nao seja pe*
quena, nem em extremo grande,
quem a ti ver anuncie por este Diario para
ser procurado.
Hum bom cozinheiro forro, ou cati-
vo, quem estiver tiestas circunstancias,
ou o ti ver, drija-se a esta Tyjwgrafia, ou
em Olinda na caza N. 22 na ra do
Amparo.
Achou-se.
NO da 6 do corrente, hum bilhete de
cobre da quantia de 100$000, na
ra da Cadeia do Recife ; quem for sen
dono pode dirig r-se ao Escrptorio de Li.
ma Jnior Braga & Companiia, junto ao
Arco de S. Antonio, que dando os signa*
es certos lhe sera' entregue.
Arrematado.
FIndos os das da Le, no aterro da
Boa Vista perante o Snr. Dezembar-
gador Maciel Monteiro se hade arrematar
de renda annual os sitios Porto da Madei-
ra, avaliado em 33S500 : outro denomi-
nado Cacunda e Manimb em 11I#500,
e outro campo grande em 16#000, sita*
dos em Bebiribe, e forao do finado Auto*
nio Joze Sonto, para pagamento doalw
canse em que ficou para com os Adminis*
tradores da liquidacao dos fundos da ex-
tincta Companhia. O escripto se acha
em mao do Porteiro de Juico.
Escravos Fgidos.
PEdro idade 15 annos, veio da Ilha
de Cabo Verde para esta Provincia,
he natural da Costa Coxee, muito retinto
tem os olhos grandes, pernas zambas,
muito vagaroso no andar, falla muito so*
fri? el mente, e dizem andar para fora em
hum Engenho ; os apprehendedores le-
ve m a ra do Colegio D, 4, que sera o
bem recon pensados.
Miguel, nacao Benguella, bem la-
dino, foi e^cravo de Francisco Joze Fer-
nando* Antunes, e tem ossignaes seguins
tes, he de marca, corno regular, rosto
com pr ido, fulo, bexigozo, pouca barba,
pernas finan, pes a papagalhados, e au-
zeutou se a 8 de Agosto do corrente annb;
os apprehendedores levema caza cima.
Antonio, nacao Quica man, meiono-
vo, levou vestido carniza de estopa, cal-
lao curto da mesma fazenda, alto, olhos
jrralides, rosto redondo com bastantes
marcas de bixigas com huma perna tnais
proseo do que a outra, com alguma barba
reprezentr ter 30 e tantos annos, e auzen
t<.u-se a 2 do corrente ; os apprehendedo-
res levem a sua Sen hora Candida Mara,
na traveca de S. Pedro, que receberao a
paga do seu trabalho.
Vicencia, crioulinha, idade de 10
annos, seca do corpo, com signaes de
bexigas, levou vestido de chilla azul, e
carniza de algodaoznho; auzentou-se no
dia 4 do coi rente, em occaziao que hia
arribeira, comprar, tal vez fosse furtada,
e por isso roga-se a toda pessoa que della
ti ver noticia, ou for oferecida, que nao a
comprem, e participarem a seu Snr, mo-
rador defronte do muro da Penha, assim
taobera os apprehendedores que a pega*
rem levem ao mesmo que serao recom-
pensados,
Errata,

N,
O Diario N. 471, o ultimo verso
o 1. quarteto do 1. Soneto em lugar
de Sobir o orizoute &c. leia-se
Sobir do Oriente o rozeo monte.

Pemambuco na Typogrqfia do Diarh.

>*.

v
dL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8ZVEL17X_NUCYD0 INGEST_TIME 2013-03-25T14:13:22Z PACKAGE AA00011611_00878
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES