Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00837


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/I mo de I84>.
Sexta feira l
> IHMIIO publica-sc lodosos dias que
..,, forpui de guarda; o preco da aeaigna-
,n i h- dc4/rs. por quartplptjojarfaiiliii/oi.
i; aununcloi dos asiignantcs sao insoridos
, ii/.io de O ria por linlia, do rs. CIU ty|io
illrrontc, c as rcpctirocs pela mondo.
Ib que nao fbrciii a-signantes pago 811 rs.
por llntaa, e 1(1" em lypo dili'crcnte.
PHASES DA LA NOMF.Z DE ITII.HO.
nii"V if--'- '" '" '' >'
Creacentc a 12 aos 3 minutos da larde,
i na chela a 19 a 3hor. e 43 inin. da man.
Miugoante a 20 a I lior. da mnima.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Goianna Paiali; lia, e Rio Grande do Norte
Segundas e Sextas feiras.
Cabo, Scrinliaem, Itio Formoso, Porto Cal-
vo, i Macey, no 1 ", II e 21 de cada mea.
Garaiihuiis e Honito a li> e 24.
Boa-Vista e l'lores a 13 c 2S.
Victoria Quintas feiras.
Tlliuda todos os dias.
PREAMARDEIIOJK.
Prlmcira as.lli. etttaln. da tarde.
Segunda as f h. c li minutos da manla.
de Julho.
Anuo X\ y. 157.
i'v^*w>n#MMWn>w^ ~*
DIAS DA SEMANA.
l^W- '4 Segunda S. Pn.ivciiluia aud. do J
\tfj~ D-ia. v.. e do I. M. .la 2. v.
Viy 15 Terca S. fatnlllo, aud. do J.
\L da i. v, e do J. dos Feitos.
i(i Quarta S. Slxenando. aild. do
1). ila 3. vara.
17 Quinta S. tlelxo, aud. do Ini/ .
da 2. vai i, o ilo I, M. da I, e 2. r.
1^ Sexta S. M.irinlia, aud. do I de |l
I. v. do civel, c dos J. dos F"itos.
10 Sabbndo s. Vicente, aud. do J.
I), da 2. vara.
20 Domingo S. Jernimo'.
de
di
de
D.
de
I).
da
de
CAMBIOS .NO DA 1" DE JUDIO.
Cambio sobre landre 2ftd.pl/a6u eOOd.
.. Parla 370 rol or franco.
Lisboa lio por 100 de prcin.
Resc. de le. de bo is firmas 1 'A 1 '.' P- /
Oaro-OneasbesnAiiholas 3I*TKH) a 3i#8on
> Moeda dcB/inO \. I. I7D00 i fWHHi
.....leSMOn nov. 1' '>" < 17/700
.> de on syooo- fl)
/>,,,/,<- Pataroes .... I#*J.V> a I '":"
Pesos Cobimnarca. I '>< > Ir"
Ditos Mcxlcnuua l--'> : '"'
Mocdas de 2 patac. 1/780 a l.#Stn>
Accoei da C* do Beberrbe de 50/000 ao par
INTERIOR.
feitss segundo as indicaew do artista (ttcamoteur) que
(em de Inzer as poloticos.
Tenlio leito a descripcio e dado a minba opiniio.a
respeilo do banco dut dores o das mesas dos ministros;
agora vamos sessio.
Venus em primeiro lugar urna tal concessao, feits a
nao soi que rompsnhia decolonisacio : aqui para nos,
parece-me que foi urna grando mgica do ministro, que
referendou o decreto da concessJo. P'allou contra esle
arranjo o Sousa Franco, oqual, se nio fura as inultas
lan lidia C33D riiuuuii; uu aiitum uios, hu I ,, I "J 1*
u ,1 i Ivo/os. uuo tab en memoro tem vida, a quesoapph-
como Ihe contare eu ludo quanlo se bal .* Huu "u ... .... ,'
.,,,... ...... ,'(.,- ,1.11.1 r .i, I i I (I i r_ Ii i lina nUiii nllifii
RIO DE JANEIRO.
O l. I 1 ii.. lo HA IAM1M DOS DKPUTAnOS.
[Corretpondenciu murada. Comi da corte.)
Amigo Sr. Sentinella. NSo morreo o /elogio da
cmara dos doputados ; tambem nao llio rolirou Dens
Nomo Senhor a faculdado que Iho deo de ponsar e cs-
crever; interrompeo a sua correspondencia, e raides
rapilies exislirio para esse silencio de alguns das. Ab!
meu amigo
leito para impodir-ine nio soque Ibe escreva, como
tambomque Ihe remella estas mtnhas carias ? Ocaso
lio grave, eslive em verdadoiro sitio ; e at o Salda-
nha!.. o Saldanha, que era nos:o camarada, concor-
reo com os oossos inimigos para o grando fim : j se
nio quor incumbir dedar-me papel e tinta, e nem ao
menos se quer enearregar do levar-me ao corroio esta
caria O Saldanba!... Aqui anda mais, ou menos. I'oi
preciso libertar me dos curios >s impertinentes, que fa-
rojro o como, e quando eu Ihe escrevia, c quizerin
convencer-se ; foi preciso arranjar-se quem substitui-
do Saldanha : ludo esta feito, e principio.
Muito lonho d'esta vez que contar-lhe : foi bastante
cu dizer-lbe, que os patriolat d'e.sta casa j se nio que
riSo prestar a esta minba muito verdica e imparcial cor
respondencia, para que elles protestassem contra as mi-
nhas inlen(oes silenciosas. Dos Ihe d muitosannos
de vida, assim como a mim me dro n'esles cinco dias
0 maior dos regalos parlamentares.
Segunda leira foi um gosto vflr a sorpresa, que cau-
sou a ijuantos deputados ao entrando pelo sali o ar-
ranjo das nv'sas e cadeiras para os ministros nio depu-
tados. Eu bem vi quando se fez o estrado, quando se
puzerio as tees mesas e cadeiras, o desde logo fui sabo-
reando o praier de ouvir os commentarios, que se fariio
resp ilo. Figure voc, meu amiguinho, enllocadas
eni frente das duas archiuancadas dos deputados, o de-
fionte da mesa da presidencia, duas outras, do novo
dez palmos d>'compri lo, o dous a tres de largo, forra-
das de mal engraixada vaqueta preta, e cahindo-lbes
djs lados o por d'avanta escurissimo panno verde-gar-
rafa, com um friso de msroado galio entrefino, que
parece arrancado a algum usado caix&o de defunclo; li -
gure mais por detraz de rada urna d'essas mesas tres ca-
deiras de bracos, e abi tem o bando da dore, esse ban-
co dos ministros, na cmara dos deputados. Ora
agora ouea o que se disse: a uns pareceo, que erio e as
de defunlo pobre, e queso esperavao pelos retios mor-
laes do ministerio ; a oulros parecorio as taes mesinbas
as (|ue no jury so dio aos reos de gruvala lavada ; e es-
le frao adianto desfiando oscrimes do ministerio....
disserio cousas horrorosas! outros, finalmente, com-
i i' ,ii."ni as mesas ministeriaes lis du que usao nos am-
1 .illie .tros anatmicos, e lombrario so logo do cro-
que de que tem lallado o Alvares Machado, para revol-
ter o fundo do lago c puxar praia os corpos morios.
j!litalia. A minba opiniio lio diversa, inicuamente
diversa d'essas, que tenbo mencionado. Ha muito tem-
i, que esto salao se converteo em gabinete de physica,
que se succedem os peloliqueiros, e einpre com ap
plauso; falUvao-lhe .smente as indispensaveis mesas
cuberas para se fazerem com mais limpuia as umpal-
macOet, os pasta-pana, as artes de mgica branca ;
irio ellas, o agora os ministros estao cerlos do que
ninguem bisp^ra o modo por que elles empulmao o or-
'.amonlo, etc. He por islo, meu Sentinella, que inda
as mesas nao liVm gavelas; aquellas, qualquer oflicial
do carpinleiro be capaz de fazur ; mas as gavetas... as
gavetas tr-em queso Ibes diga : (ampos falsos, buraqui-
nhos, buratOos as gavelas de tacs mesas devem ser
CAROLINA -NA SICILIA. (*)
ln sanguii:' fietlus
divisa HA OKUI.M uf. s. IaNOaMO.
SEGUNDA PARTE.
XXXI.
A ENTREVISTA.
O irmiii lirunn calava senao na flor, ao menos' na for-
da dude : ludo nelle iiiipuiilia ropeito. lira elle de
llic alio < beiD fcilo, de nwtu grave e severo, ii'iu dei-
tardetoratiavel, oom o que tautbora a tdi atn-abia;
lia iViinie alta, que Indicara alta iniellifenoia; m
um preius, onde reupiravao a sereuidade d'alinB e o ai-
encin ilii paiXOe* inferiores. Anda que todo o sen vca-
uario se liiuiava iumi inica do burel e Imiiunco,
trata todava o man perfidia asseio as mioa eu bao
aununciavto o onidado du bomem, qua reipeitafa-asa
Cunto ni;, um iiputlolo, o Icniplii do espirito.
Ao ver l|iroiUMr-M da na grata um i uiullier soiiulia,
: reoii-
vo, e
ao. nem
l.
ou elle algiiun paisos para ir ao cu encontr,
lioceiiiin-a u primeiro elbar eom hupastivel
ini qug un rostoexprimissea musligeira en
erprwa, disae-lbe:
Vos sois a rainba Carolina.
.". Vide/Jurien.* iJ.
cavi-i emplastos para restituir-lb'a, (eria conseguido
mais do que cons'guio. Sou 'lo parecor (nio sei se voc
concordar commigo). que membro tem vida no pres-
ta para nada ; o nio ha omplaslo, que o sare.
Ahi eotroii, asiim sem mais, nem menos, um tal
sujeito de casaca bordada... Ah! he o ministro da
marinha, o impagavol Hollanda. Entrou sem ccromo-
nia, porque assim o determina o novo syslema de
entrarlas e saludas. Vem discutir a proposta, que lixa
as frca do mar para 184G1817. O Ferra/, logo que
o vioassanbou so, c foi-Ihe a riba com vento fresco : pe-
dio-lhe conciliasse a contradices > em que so achava o
governo, pois propunha para oexercito lorgas ordina-
rias, e para a marinba extraordinarias Ecomefleito,
sendo o pedido de lonas segundo o estado do paii, ou
nio bouve a necessaria concordancia entre os dous mi-
nistros, ou enlio devo-so acreditar que, para a mari-
nba, o imperio ost em circunstancias extraordinarias,
sendo ordinarias para a guerra .'
O l'erraz pedio explicacis a respeito do estado da
provincia de Pernambuco, onde ha o que todos os lira-
si leiros sabem : pedio informacO b a respeito da rapar-
ticio da marinba dos colonos contratados para o cr-
po de i ni peres marinbeiros ; o al pedio ao ministro,
quo explicasse as causas da inodilicacio du gabinete.
Acabou de fallar o cabo da pattulba e fui tudo silen-
cio : o presidente ia encerrar a discussio, quando o
Hellanda se resolveo a tomar a palavra. Ah meu
umiguinho, o ministro da marinha he um homem per-
dido ; deve-se ter d quando acontecen! cousas d'estas,
que pinlem muilo bem succeder a qualquer de nos : o
pobre ji nio dir cousa com cousa ; meu camarada, es-
t perdido para a patria e para a libordade, nao tem
duvida.
Eu quizera fazer-lbe um resumo do que disse o Hol
landa n'esta discussio: mes bo impossivcl fazel-o : ob-
joctos mais graves reelamio a silencio, osera nunca
acabar se eu escrevesso quanlo se tem parolado n'esles
cinco dias, gloriosos para a cmara dos deputados. I .mi -
lentc-se pois cum urna simples ideia a respeilo da dis-
cussio do lixariio do freas de mar. O Hollanda deo por
paos e por podras ; no responduo : diverg ncia, que
apparece cntic a pro,iosta da marinha u u proposla da
guerra; porque quiz aier acreditar, quo pedua a mes-
ma forja agora, porque a pacificacfio do Rio-Grande-
lo-Sul nada influa para a diminuieo da mariiihn de
guerra. O estado desgranado da provincia do Por-
namhuco nio merece a atlcncao do I'ernambucano mi-
nistro : all nao ha mais, quo dous partidos, am-
bos amigos do lirssil, do progresso e da civilisaeao.
ssa bo a parlo mais bella do discurso do II.'llanda .'
Pois em Pernambuco nao ha nada, e entretanto o mu -
to patriota Urbano declara aqui n'esta casa, altoobom
sim, que os Saquaremas Peinambucanos conspiran a-
bertamente contra a integridado do imperio, j na A.
P., j em clubs de que todos lem noticia?!... pois nao
ha nada em Pernambuco, e entretanto o L'cba Cavul-
canti diz, em plena cmara, que ha all um bulalhtio
ligeno, promplo a subverter a ordem pblica ; que as
autoridades policia>s do partido praieiro commaidSo
E vg Castreo, respondeo ella t%forcando-sc por
dissiiiiulur a llcrajao da voi.
Bem claro be que nenio primeiro encontr nao eslava
a vanl.i(cni do sen lado ; poil c|ue ella eilura coininovi-
da o o sen adversario nao.
Outro lime lian (enlio entra os Imiiii'ii* sei.o o do
i rian Bruno. Qnauto ao anterior, se nutro en tlve, que
roa importa? Sei que oxiallo ewoulru lempo umGas-
loruo, mas se boa memoria trullo, esse Castreo lo i coii-
deiunado unirle pelos vosnoi vice-reis. Virieis aqui
para laier cxeonlar sua senlenca?
Venbo para rovoga-l.
Tarda lie a lembranca; Dees a revogou, ba muito
lempo, e nao a bavia confirmado.
t principes, disse urgalhoai a rainha, que do todo
tornara a i, mal que coniicav urna lucia ijunliiner, os
principes sao no mundo os representantes de Dos, e
Mu* ministros MU* decretos sao usdcllc; oque ellos
jul|iiii obro a ierra liejulgado no Con.
lluui vedes que nao : Castreo, cuiidemnado por
vi'n, \eio a ser, dapeito da vossa lentenoa, c mi gra-
do vosso, O liouiriu do Dos.
linlao i'.ont'essais qoC sois Castreo ?
Sun. eu lui Castreo se o DOgasM, podereis eror
que por iinilu o Istia, e o modo morreo lia muilo lempo
ii.i niinia alma, assim uutttu .i e*|M*rauoe. Mu que que-
ris de iiiiiu, Sonbora? Esle brbaro deserto, a sninha
Itnica do burel, essn caverna lonebi'os.i, nao vos dil lu-
do aqui, que nao catis mais uu murada dos virus ? Que
unilrs I.uit entre us morios !
V eolio ressoscila-los.
Sabis vos se elle consenlir nisso .' sabis se no
prefereiu o silencio ai pal do sen tmulo voluntario ae
vio bulieio, aos fulcis barulbus da existencia que Ibes
queris restituir' Deixai-me, Senbora, deixai-me na
grupos de dosrdeiros, que assassinio seus adversarios?
Nio ha nada em Pernambuco, e entretanto o Lrbano
8Sseveracom todj a praieirada, que a provincia avisi-
nba-se ao estado de bifbiridade ; quo Vicente de Pao. -
la pi rmanece armado, espera quo os chefes do paili-
doyuiioir IhedOcm as ordens para devastar l'ernani-
buco?l... Dos do Co quo bo islo?!!! Pobre Hol
landa, que se nao atreve a dizer o que dove, ohoobri-
godo a fazer aos seus inimigos praieiros guerra oceulta
de emboscada, de sorpresa! Pobres praieiros, queque-
rom guerrear o Hollanda o a todos os Cavalcantis, e le-
inom perder o opuio, quo Ibes da o governo, sem o qual
elles nao valem nada na provincia de Pernambuco .' E
assim so passa o lempo i os partidos, oceupando posi-
qOc duVidosas, sem ousarem expor s claras suas pre-
lenQes. suas opinius a respeito dos horneas e das cou
sas, annulliise o limitio-so ao individualismo O
paiz. sofito, quoixa-se, reclama remedio aos seus males,
e ninguem o quor altondcr : o systcma repros.'ntalivo
imeaquinhi-ie, reduzte a miscraveis Iransaccoes, o,
lal qual o li/eao. tufloc toda a ideia do verdadeiro pro
gresso. Ser tudo islo muilo bom, mas be pramela
duzia de tratantes, quo pensio, quo us interesses bra-
sileiros sio a materia prima das suas Iruficancias.
O Hollanda entendeo, que mcllia una lama em A-
frica, fatendo do crpu do imperiacs marinbeiros foco
do colonisacio estrangeira. O pobre hoinein, quean
ligamento era tao patrila, que at se quoixava dos pos
cadores oslrangeiros, agora assovera, n'esta inesma ca
niara, que nem remadores ba ; que nao achou eui to-
do o imperio um mestro de reas; e para remediar to
das estas fallas resolveo fazer do edrpo do imperiacs ma-
rinheiros um viveiro de rapazeles l'orlugiiczcs, que con-
trata, cque, no fim do lempo do contrato, quando bI-
guina utilidado pdem prestar, deilio o arsenal do ma-
rinha. E o Hollanda tica muilo contente porque os
rapazessaomespingardeiros. alfaistes, etc., porque pa-
ro este ministro he maldito o bomem. quo no sube
pregar o scu boto Se voc, meu Sentinella, liver
algum amigo, quo d urna vista de olhos polo arsenal da
marinba, badusalcr cousinhas bonitas
Pelo que respoita modilicocio do gabinete, nio ha
nada, que espante ; o syslema representativo no lltasil
est anormal ; a politice do gabinete, dopois da modi-
licacao, bo a mesma qno era nnleriormonlc, o os mi-
nistros sin nomeados e dcimllidos livremenle. lira-
vo, meu Hollanda! fallaste como um anjo, e dste mais
urna prova de que, com lano que a pasta csteja em ca-
sa, ludo o mais vai bem! Porque ser anormal o sys-
lema representativo r>o Brasil por que razio bouve a
modificacao licand > a poltica a mesma .' a que vcio u
livre nomeacao e domissao dos ministros, que perlouce
cora ? (loilado do Hollanda e.-polou-se como un
alarvo. E o mais he, que a maioriu opoiou muilo o
ministro da marinha: spplaudio eslapelolica!
Depoia das biilbaluras do Hollanda, o quo bouve do
mais noluvel foi o discurso do Alvares Machado, que
quer es/iernear, soja como lr. Vendo rite distincto
parlamentar, quo os ministros baviao lomado o conse-
ibo que Ibes elle dora no principio da sesso possada, 0
que, para evitar toda a dis.ussio, ellos nada propu-
nbao ao corpo legislativo, prorompeo em vivas censu-
ras contra o governo, que nao aprovoila a inaioria :
O ministerio n'io quer recrutar, dilia o ex-presidcnle
do Rio-Grande-do-Sul; nao nos ensina o manejo, nao
nos impoe o regulamenlo militar : cu ostou promplo,
quero ser reciutado, quero saber como devo andar, se-
para a direila, so para a esquerda. Aqui tem noce,
meu amigo, o que bo a maioria serva bumilissima
dos ministros: o que vale ao lirosil lie, que os mi-
nistros sao incapares de qualquer ponsamenlo ; sean,
minba sepultura; en nto quero ressiiseitar, Mas que di-
go eu! esta palanas na niinlia bocea sao nina blaspbe-
iiii.i ; o que cliainio nioi le, lie a vida ; osla tnica de ana-
eliorola que lomis por una amorlallia, lio um veslido de
na ; eom ella eulrei em um novo mundo, c s depuis
que a vest he que eoiuprolioiul u l'olicidade.
Felieidado! aqui?
Aqui, Sonhurn, Mas nao lio a felieidado cuino vos
.i entendois; e debalde procurara eu dar-rus delta urna
ideia, porque nio a coinpielii'iiilerois. li deinas, creu
que nio viesles aqui para ouvir a iniulia eonfissflo.
Venbo | ela.....ntrario Riier a minba.
Nao, Senbora, nao, vos ci vosoonlessais a nin-
guem, nem merme a Deo; leudes demasiado orgulh,
lalvoi nao la 010 quanlo seria neeefsario para sor luiniil-
de ante elle e sincera cun voseo. Nao sei se devo preslur
ou cerrar os ouvidos s vossas palmras, porque eslou
certo <|oc a vossa vilgeifl leni um tim intereisado.
Caatvro, leinpro me couliocesles mal. Amos de
me julgar, om i-me.
lio vos esculo, disse ello, depuis de um momento
de refleco, o mostrando a Carolina urna pedra quadra-
da, quo icuva entrada da irrua.
Heiu se \e que ello reprosenlava u papel de principe,
o a rainlia o de subdito, rasando-a sentar em v.-i de es-
perar que ella llie periiiillisse que e: seuiasnc, tomav.1 el-
lo em ludo t inciative: era o inundo asnvessas; nas
quem sr leiuln.ii .1 lili de niquelas Domis elle 11 m se
porlaia assim, 110111 por vinganfa, 110111 por bravata, mus
muilo naturalmente, soin premeditacio, pola nica forra
das ooosaij o lanilioni de nina pnslctu excepcional. A fi-
nal elle baria conservado, durante o eolloqnio, sua vau-
Uoem do principio seiupro si'i'eiio, iiupas.sivel, llalla
l.illado seui culera, sem amargura at ojuandu recordu
.1 Ma cuiideinmiro. Disseni em verdade nina suuilu.i
c>m urna tal maioria, pjderilo exocutar os planos mais
infernacs. O Alvaros Macbaii declarou, que ln do
desculpar-se na sua provincia, quand i scousarem i
tcrildadu da cmara, com a inercia do gorerno, que
111 la prop)/, que no aproveitoii a nuioria, quoesla-
va pelo cabralo. Ninguem lalla mais claro em ou-
Ira qualquer parto domando, ji a miiiria loria leito
mar o ministerio, pira que o governo fosse dedo aos
seus chefes ; mas aqu a maioria manda 0 Airares Ma-
chado lazer estas advertencias! A razio lie tlmplicis-
siini : a maioria nio sali, so devo an I >r para a direila,
ou para a esquerda ; com tanto quo Ibe djm os iinll
por me/, ludo vai bom. Notou -so. quo esle dscur-
11 tere no Hollanda u^na grande inlliencia diurtica :
ao menos levo algum prestimo.
OCionealves Martina aproveilou co'ii multa habilida-
de lodo oa dealemperoJ do Hollan la o do Alvaros Ma-
chado. O Souza llamos, e o Souzi M irtins dorio as
maos ambas 00 ministro ; mas
Cesso ludo quanlo a anliga musa cania,
()ue outro valor mais alio se alevanta.
Ahi est o oflicio do secnlarin Casaiaoo, ( veio pelos
ares!) no qual declara, que a Siberla nio esta de ac-
crdo com o Indostao. o quo era intural, a respeilo
das vantagens da lei, criando relavos, e que por con -
sequencia nao quer lusao. Esta nao bo mi !
Sabe por ventura o sonado, om que se mlico .' nao
se lembrou, quo ha aqui urna immensiilade dejui'ea
de direito, quo queroin BRCA .' Assanhou o nleresse
particular, o este so levanta amoarjador. vomitando f-
gi, o protoslando, que tudo subverter A inda
bem nio eslava lido o oflicio, o j 1 todos es patriolat
faZO um barullio de todos os diabosO sonado nio
quor as relacos. bo ebegado o caso do talus popul-
an o casus fii'derit, como disse o Nunes Machado. Dos-
la vez vai ludo raso : o senado ha de amargar o caso.
Proleslemos, dizia o Saturnino da all'audoga o do liio-
Grande ; osonado rouba-nos um diruilo quo bo nos-
so, e sem o qual nio ba mais sjstcina representativo;
e porque u Sousa Ramos leve a comgem de opinar quo
o senado proceder em confu midade da constituirlo,
os paii iotas.|in/.erao engulir o rabuhla di Valenca^citmo
ellos o cliainio); lamaiihas boceas abnrio para gritar
contra es proposicoes do Sousa Ramos! Finalmente,
depoisdu muilo deslemporo, c de se dizer muila usnei-
ra, quo o Ramiro qualilicousignal de vida do sysle-
ma representativo, assentroo cm quo o presidente
nomeasse urna commissio especial de 'i meinbros, que
disse, com urgencia urgentemente, par cor a respeilo
do oflicio do senado Forao nomeados para osla com-
mis. ao o Marinho, Oltoni, Urbano, Ierra/, e Moura
Magalbaos.
No da signinlo (vespera do Sanio Antonio) iviaiid
o negocio da culonisacio-belga, que foi de novo 10-
meltido as commisseside estalisticu o doconsliluicio. --
l'.ntr 11 em discussio o projeclu de lei do eleices; mas
os patriotas eslavao I idos com sentido nss becas, qua
be um bom bom arranj 1, e propdi se o adiamento.
'abi a pouco l^o-so o suspirad 1 parecer da commissio
especial ; relirou-se o adiamento, que ja nao era pre-
ciso, o entrou em discussio 11 famoso parecer.--lie 0-
hra du se tirar o chapeo I diz o redi/, quo a constitu-
lio nao permitte a cmara, cujas emendas forao rejei-
'.adas, nogar-se a fusao ; o a final conclu! que se man-
dil dizer ao senado que examino do novo a sua de'ibera-
to, e que tomo melhor accordo ; sono os doputados
tomar; o as legitimas providencias que nocasocabem.
O nossoCoolbo llaslos addilou | Ir./ia na algibeira
a feliz lembranca) quo, quando o Senado nao reformo
o seu primeiro accordao por torca dos embargos uppos-
tosem touipo, a cmara dirija ao tbrono urna mensa-
uaimmmmmmmm'M > *-
dos Campoa-Elysioa, comando a um visitante estranhii
sua anterior existencia, ou anles a de outrem.
Carolina, cujas paixflca ero lio impetuosas, loiuilu-
roaveie, solivia a inflneucia deesa grande contraste c o
ascendente deaae grande caraoter, Pele primeira rea em
sua vida liavia enoonlrado alguma cousa mais lorie du
que ella, o looava 1:0111 o dedo, por assim di/or, una su-
porioridado moral que a conscionei.i a lore.iva a reeo-
nlieoer o aceitar. Nunca o sen orgulhu fura posto i lio
rudo provauc.i. Esperara ella da palle ilo seo inimgo,
recriillinaci'.es vilenlas, ussomos do culera, injurias,
ullrageaj cus planos do dofosa, lodos ui bous clenlos
estarla perdidos, a Prieta da sen inlmiga a dominara, a
eamagave. Sentu-ao na podra que ic Ihe doaignara ; el-
le ientouae em nutra a slgum paseos dola
Darlo ellea cosas crtera, e tinhfia dianlodeei,
seus pos a mais bolla paiaagem da Kuropa. Dominando a
altura du arroredo que cobre a regiiu dos bosques, ai ia-
i.ivu naaenoantadaa laidas da montanha, noa vergeia,
esse eumpus, e.-ses floridos prados, casal quinta e al-
deias, que nos alravessamoi ao romper do da. Mais
abaixo dorme Catania no meiu do sua voluptuosas cam-
pias, a brilliaute ali 11ra de seus-edilieios, coulrasla com
a amortecida verdura das laianjeira* C ll'aiTnbeiras; an-
da mala abaixo 11 vasla o l'eiiil planicie, que a cidado
baptiaa eom sc nomo, drsenrola as largaa onduluecs de
suas douradas searas o prateadu Sj metho a corla o fe-
iiinda ; o lago de l.enlini brilba 110 meiu como um ospo-
llio, o a-, pe i iiiii.nl .- collinaa du II; Ma, celebres polo
seo niel, engraoadamente a abraelo visto purm de lio
alio, montea e collinaa deaapnarocem ; a mais leranta-
das eaboeas se bumillliu e se sbaixlo ao pes do rei que
as supera; ninguem ea ve, aderinhaaeIbe a exiatenoia
pola sombra; como as moutanliai da le, grandealignaa
negrea represen tao as alias cordilhciras de que aSicilia
T -.


ftem (o o Meirelles vola por sto) pctlindo-lhe humilde-
mente a sua ilissolD. .1.>!
O I). NUnoel fui o primeiro que atacou o parecer :
f xplicou o arligo da conslituir,ao, o d'elle dcdtizio cotn
claren que o leado nao linlia sabido da osphera de
sous ihr ilos, pon nao su Ihe poda recusar que exa-
minuto i mil (mu a vantagem do projerlo ante* de defe-
rir au rcqucritiiCiito da cmara don depuladosEm
quinto lallava o I). Manocl erSo constantes as inlT-
ruprffei, u que este depulado corajoso respondeo Man-
are Bom dcsrmharaco. Paroce plano ;oncertado entre
esle Sis. o ioleirouiperotn com dctenos aos depulados
que nao concordio com suai opinies extravagantes,
prorurando por este modo arredal-os do seu proposito.
Depois do I). Manocl falln o Saturnino da allandc-
. {a e do Rio-Grande. A constiluicio, no entender
deste Carnot perna-quebrada, nao di ao senado o drei-
lo de que elle usou nesta occasiao. Alen do artigo 61
da constituirlo, ha a posse om quu est a cmara dos
leputidos de requerer a fuso, e de Ihu ser ella con-
cedida pelo senado sem discussio. Ora, de lodos os
argumentos deque se serven) os que defendem o pare-
cer da commissio adhoc, o mais fraco, c monos proce-
dente be esse da posse ; porque direitos polticos nao
prescrevem, como Ibes dissu o Itilieiro, (|Uoniea(lr-
mao ser entendido as jurisprudencias: alm de ludo,
n i existe a tal posse allegada, p.rquo cm 1827 ( e cu
I o desse lempo o senado se recusou fusao que
II.o fui requerida o nio houvo a menor duwda
a cerca do direito que tinha para fazel-o. Em
1S:10 s entrn ein duvida o modo da votico : o
senado quera, quu, depois de discutida a materia das
emendas rrj.'itadas, as camarus \ntnssrni e! suas res-
pectivas casi.s : e nio deputados e senadores promis-
cuamente.On Je est a posse ? para que lia de o Sa-
turnino (aliar com tanta ligeireza nestas materias As
raiSed em que cle joanmeo se firmou para sustentar
que a inteligencia do artigo Gl da constiluicio he a
mesilla que deo a commissao especial, sj j de cabo de
i ,ui im. Dizia elle, que, admittido esse direito, o
senado viril a ser superior a todos os poderes do estado,
porque o artigo til he o nico correctivo vitaliciedadc
d aquella cmara. Outro oflicio, meu senhor : os que
.-ssim orgumenlao.e sao lodos os quesuslenloo parecer,
presuppoc no senado urna maioria caprichosa, facciosa
oppondo-so o. leis mais justas e mais ventajosas que I he
mande a cmara dos depulados; pois, sendo assim, nao
ha correctivo algum ao poder que ao senado d a cons-
tituidode rejeitar todos os projectos de lei : sup-
pondo a maioria do senado caprichosa, facciosa ; ella
nao emendara os projectos do lei, rejeilal-os-ba, e
ninguem I he pode ir un. Scjio justos, sejao raroa-
ves, vejao bem que artigo Cl nio impo'la o menor
correctivo aos poderes do senado ; e, examinando a na -
tureza c posicao desse corp>, conheccr tambem que
nao pode alii haver capricho ou faceao : e senado he
muilo interessado em respeitar todos os direitos, para
que os seus sejjo respeitados.Por rsse modo, dizern,
lica annullada a cmara dos depulados; e do outro,
romo lica a cmara dos senadores ? TeobBo paciencia :
n.i'i veem as becas este anno ?_para o anno vir : nio
ujio lio solregos, lio golosos.
Seguio-se ao Saturnino o Itibeiro, que reconheceo
no senado o direito de que usou. Estcsujeito be dos
taesquo lio ao negocio descarnado, e nao se imporlio
rom o que possa acontecer. O Itibeiro descarnou o ar-
tigo Cl da constituido, o delle dedu/io o direilo, que
tem o senado, de recusar-so s fusoes requeridas pela
cmara dos deputados, e viee-versa.
O I''i mili de Sa, na seguinte sessio (o dia immcdia-
to ao do milagroso Santo Antonio), defendeo o parecer
da commissao smente em seu prembulo ; mas entcn-
deo que a conclusao hu ineffiraz, o que a commissao
dcvOra logo apresentar a rosolucao interpretativa, visto
queja nao pJe ser contestado que o arligo he duv-
dj o.
O liarrinhos do Scrgipo quer que se adopto a feliz
liiiibrania do Coolho Itdstos, pornm nao para se con-
vocar urna nova cmara com poderes ordinarios, e sim
urna eoiislituinle. Assim meu... Este sujeitinho he
ilnutoi :' Assim, meu liarrinhos; ou somos ou nao so-
mos : venba una convenci que ponha o senado em
si-u vcidadeiro lugar. Eu nao recuarta inesino ante a
eilini cao dessa excrescencia ; qne di/, amiguinhode
Scrgipo?...
FuII >u depois o Sonsa Hamos, o foi um raio con-
tra o parecer : os patriotas de rao o cuvaco com este dis-
ru's', em que o rbula de Vainica foi lgico, enrgi-
co e corajoso. Foi urna brilhante acquisicio que fi
zerflo os Saquaremas : o Honorio levo juizo na occa-
siao em que indicou ao Imperador o Sousa liamos pa-
ra presidente do Piauhy. Muilo goslei do modo por
que este digno Min.'iro repellio as rozerin dos aspiran-
tes dciembargatoria, que a forra o tentaiao perturbar,
'' ;jjyiiaU!*Si.y!llT*ii3fir,' ... ftSBFTEKtum
cala cubera. Tildo parece plano : daaarois que n ilho
inicua liccomo una carta geugraphic.i dcstnrolada, que
quasi a leuden na mana ; com mu olhar a 8f illail lodo
intuir, cora ai mi eididei, rioi, olio, promontorios,
e de Indoi o lados tendea o mar por hnrisoiilc. Esla
perpetua rala do ocano imprime na paiiagoin um icn-
limenlo do infinito, que turna anda mus magestuso e
magnifica CIM ncnmparasol celia. O espectculo he
biiliine porciii mudii : <>* rumores da trra nao lobera
at l ; ae slguina vm .1 rjuaudn em quando perturba o
funde silencio dessas lulidoei, be a voz do volean
e desviar rj| sua argumentaeo.Hei da fallar, dizia
Ibes elle; ho de expor minha opiniSo ; n5o preciso dos
seus ronselhos, o r"jcito os seus precalos
Scguio-so-lhe o Sonsa Franco, o bravo ex-presiden-
te das .Magnas, quu fez do brigue Cafado' palacio pre-
sidencial, o novo filiado nos mysterios joannicut, e lu-
luro ministro de Madima. Este depulado entendo que
a i unan do sonado impede a soluc&o das questoes quo
possao apparecer, e que a falta de solucio de ques-
toes nogoverno representativo d cm resul'.ado, do um
lado os golpes de eiladi. c do outro a resistencia.
Ora, alii tem, Sr. SentiaeUa, a decifraeao de ludo
o que se ba passado : como os patriotas drSo foros de
leqitimidade iiksistenci \ \bm\da, be sem duvida
que entre as providencias legitimas que a commissao
especial simplesmcnto indicou, sem as especificar, se
deva contar a tal resistencia. Bem desconfiou da cousa
o D. Manocl. que ja Ibes conhece as manhas. Se voc
puder, pelo primeiro paquelocscreva a Ldx Pbilippe
de Franca, o a Victoria da Inglaterra, para que adop-
ten) qunnlo antes a fusuo das cmaras dos seus parla-
mentos ; porque do contrario ficaraO questoes sem so-
lufao, o ser necessario ou o uso dos golpes de estado,
ou da resistencia : mande-lhes di/.er quu ho esta a o-
pinifio do Sousa Franco, l do Para ; o os dous sobe-
ranos notcnbao duvida em copiar para seu uso o arligo
Cl da constituirlo do Brasil.
J est corpprid de mais esta caria, o vou por-lhe
termo quinto antes. Hercio muito que nSo se decida
a questiio tocedo, pirque o IWoura Magalhs man-
dou o Bibairo Polonia consultar a fonte d'onde foi
lirada a doutrina do implicante artigo til ; o Jansen,
porcm, diz que se (leve ir NorWOga, pois de l be
que veio a fusao das cmaras. Estes dous parlamentares
deveni quanto antes declarar em que ficSo, para que so
emprehenda a )iagcrn nuste ver o. O Jansen fallou as
sim depois quo loo o discurso do Antonio Carlos, que
no senado fallou em Norwcga o em Slorting, e nao
sei que outras judiciarias do mesmo calibre. O (al Sr.
Aulonio Carlos, desta vez, perdeo 50 por", na opi-
nio dos patrilas; j dizcm que elle he um louco; tam
bem porque disse esse vclbo que a constituirlo nao o
brigao senado a annuir fuso, quando os deputados
a requerem ?
O Saldanln est meio virado; conversa muilo
com o llollanda, quando c vem ; vai pedir a caixa da
cangira ao Alvares Machado, e d tabaco ao ministro
Indagei o negocio, o sei que, tendo o bom do velho ido
visitar um Diogenes do senado, este impingio-lhe taes
caraminbolas que o velho firou quasi convertido para o
gremio dos patriotas. Ja nao heoSaldanba de ha dias;
quasi desapparecro aquellas ideias justas e sics, que o
distinguido Juanlum mulatus ab Hit !. .. Por
aqu me fico boje ; adeos.
Sal* das sesses. 15 dejunbo de 18)5.
O II i: i uni ii a Cas*
PERNAMBUCO.

CMARA MUNICIPAL ACIUAUE DOHECIFE.
SESSA EXTRAOROINAIIIA DE II HKJ1I.II.) DE |8|5.
Presidencia do Sr. Hegoe Atbuqueique.
Achando-se prsenles os Srs.Oliveira.Carneiro Mon
teiro, Cintra, Mello Cavalcanti, c Itego Marros, fal-
tando sem causa participada os nutros Sn ; o Sr. pre-
sidente abri a sessao, depois do quu foi lidaoappro-
vada a acta da antecedente, secretario, passando a
dar conta do expediente, leo um officio do Exm. vice-
presidente da provincia de 25 dejunbo om que com
iiiunicava cmara haver indefirido o requerimento do
I) mingos Antonio Comes Cuimaraos, por convencer-
se de que o terreno de marinlia,pedido por aquelle pe-
ticionario, pertencia a cmara municipal Inteirada.
Outro do mesmo vico-presidenle, de 21 do mesmo
mez, auterisando cainara.para fazer as despezas ne
cessarias tom enterramenlo de corpos, visitas desa-
de, Ae., aperar deja estar esgotada a respectiva quo-
ta Inteirada, c mundou cornmunicar contadura
ttulro do mesmo e da mesuia data, participando ler
dado nova organisacao guarda nacional deste muni-
cipio, creando mais urna legio com a denominarlo de
3.*, corno mosrava a copia da portara que veio inclu-
sa no oflicioInteirada.
Outro do mesmo, do I. de julho, mandando orga-
psir urna nova planta da ra da Cadeia do bairrodo
lleeile, de uceordu com a inlormai'o dada sobre a pe
lico de Jos Antonio liaslos.Inteirada, e foi o offi-
cio remettido commissao de cdificac,ao.
Outro do nicsmo de 8 d'julho, communicando ter
deniillido do lugar du promotor o bacharel Bunvenuto
Augusto de Magalhaes Taques, e nomeaio, em lugar
dest', 6 Luiljrjl Je Sampuio. Inteirada.
Outro do mesmo, do U do corrente, participando,
que ao meio da de 11 deste mez comparecer o Exm.
concelheiro Antonio Pinto Cbichorro da Gama, presi-
dente nomeado para esta provincia, a fim de ser jun-
mentado, cempossado. Inteirada.
Um ollicio do secretario da presidencia, remetiendo
a coileccao das leis provinciaes deste anno. Inteirada
FrSo informar, ao cordeador um requerimento
de Antonio Bntelho Pinto de ^esquita e commissao
de edificarlo um outro de .Mcsquita & Dutra.
Tendo i esse lempo ehrgado o Exm. presidente no-
mcado, urna commissSo o foi receber ; e, depois de
lida a carta imperial de sua nomeacao, e a dirigida i
cmara, preslou o juramento dos Santos Evangelbos,
que Ihe loi accoito pelo presidente da mcsmi cmara.
Depois de juramentido, e ompossado, fez icimarais
pirtieipacoc proscriptas pela lei de 1." de outubro de
1828.
Preenchid < dota maneira o (im principal da sessao,
o Sr. presidente levantou a sessao. E eu Jlo Jos
I''err"ira d'Aguiar, secretario o escrevi llego Albu-
quer que, pres dente Oliteira Carnnro Montei-
ro Cintra Manuel Barros Mello Cavalcanti.
COBREIO.
i:oiiiii-;h'"\hkm:ia DA CIDADE E PROVINCIA.
Ah livennia bontem um prova de qiianio a prain pilo-
na pela liberdudo, e be clicia de amor pela jiuiiea, de
rcjipeito pelaa le, iiieamo com a prnia imuid.r.Todo
aabem a gana, que ea quadrilba tem ao doulnr Perei-
M, por eauaa de una procesi-ot, era que ello fui juiz, e
o Romo, etc. r.a: tinha o doulnr um procesan por
cuma du um ferimeuto feito era um qudam, quo n qui
icra espanenr, mas que perder a Ida quando contnva
liral-a : linvia ao feito o respectivo uorpu de delict", c
di'puia delle um cxanie do ranidade, no qual tintino o
medicoa declarado, que n ferido rraullonle das pnnrados
n.in ola v.i h'i i, porque de proposito n.'iu liana Hilo 111
ruda convenientemente. Quu fi/crSo njjora catea lio-
mona de tanta prnbidado n pr.iieira :' Uinjiiit de paz
incompetente por maia de urna razio, procedo a novo
cxanie du sanidade ; declara te alii, quo as ferida
nao puderao arar nu prazo, que o cdigo lera marca-
do para aa penan que perinillein fi.uiga; manda este exa-
nio ao rapazolu Brilo Mardo; e este que eatuda a le-
;i!ar"iii pela vuraaodas quarciita, o pelus dadoa, com o
deaembararo quu a estupidez o a nioldadu dio, cxpedio
maia de rinroenln niandadoa era paprlinlios, para que o
dootor Pureira futae preso sera maia nem menos, c to-
dos oa zeladon a da confraria ae pozero a cata do ho
iiieni, ote quu o ppndcrSn, e o levarn paro a cadeia,
Cota grande apparato.onde anula leveauaa dos luna d
i-e.Mu ii, ate que rea para a aula live No verdailu eata
gente be maia vil quu carne de na; lie luoia infame que
Movflenlo do Porto.
navios entrados no dia 17.
Camellas; 13 dias, hiato biasileiro Espirito-Santt
de 20 lonolada, mcitrc Joaquim Jos Perera, eqj,
5, carga farinha ; ao mestre.
Tcrra-Nova ; 46 das, patacho ingiez John / /t/ar,
de 102 toneladas, capilao John Lamzed, equiparen'
C, carga bacalbo; a M.' Calmont & Companbia.
Rio-Real e Estancia ; 4 dias, hiato brasleiro L'spi(u,
ador, mestre Jos Mauricio da Silva, equipageroG
carga farinha ; ao meslrc.
Ass 23 das, brigue brosileiro Sagitario, cspiij0
Isidoro da Silva, equipagem 14, carga sal ; a Sin-
tos Braga.
Natos sahidvi no mesmo dia.
Rio-de-Janeiro ; barca brasileira Firmeza, cibij0
Narcizo Jos de Santa Anna, carga varios gneros
passageiros, Francisca Damianna da Solidado ci n.
Ihos menores, Manoel Valerico da S. I.obo, Brasi-
loiros; Francisco Eduardo Alves Vimna, por(U.
guez, e3escrsvos; A. E. Labutire, France/a, t j
(Ihos menores, Brasileiros ; 20 escravos de diversas
pessoas a entregar.
Genova ; barca sarda Felice, capillo Antonio Risso
carga assucar.
Rio-de Janeiro; brigue americano Fabius, capillo
Joseph L. White, carga parto dique trouxe de llal-
li more.
Editaes.
que ruge em leua bliyiillOI mu fin, lie o ululo ..udo do
Iiiiii.) mi da cliamiua. que rodoiaoinbl ao urgir da ora-
lera, e derrama na alhmiisplicra um elieiro ullocador de
la tiiine e eoxofre.
A raiulia a Castreo lirr"O por miiilii teiupu lliudoa
uin preicnca done grande eipeotaculu, mouoi preoocu-
pa.l .- sem duvida ilellea memiiua, do que da eilrailba fa-
lalidado que cm leraelbinte lugir os reuna. A rainba
fui a pritBeiro a romper o silencio :
Castreo, dille ella, Toa soia o born ni que cu maia
leiiliu lidiado na minliJ sida rni vna conlien-r, pois ngg
liuje ros vejo pela priiiieira vez, e eu ou, sera duvida,
amainar que vos maia odiis,
Oodiii lie uiu eiiliiueiilo que cu uto comprelicii-
do maia, I a pal.ivra que o cvpiunc deixuu de ter aenli-
liu para.mim.
Tanto pcior! porque qucm nao odea no ama, eaea
nada amis, nem nieaino a voasa patria, acabou-se a e>-
per.iiie.i que .-IM tos tinha fundado.
Vo medixetea. Senlii.ra, quo vnliei fjzer-me.i
vuss.i eonfiaako, a alo euvir a minha ; para qnoentio me
peda coma doa mana enllnientoar
J que me lembraii mea papel de penitente, vou
iiutar-iiiea elle. Sim, Caatoreo, eu toa odiatar Chele
dos iuiiuradiirea, doajaeubinu de Caanla, ros rae ul-
traja veis cm voaaos club ja como ranilla, j como mu -
llar; puderia lalvcz a minha perdoar-vua, a niullier nao
vos perdooii. Bu doria er viug.ida, queriu-o, e o fui....
mu ao menos acrcdilei quu o era; vossa Coiidcmoacao
Mliatei o met odio a a juanea, porque em lim ri ereii
um perturbador, umfaceiuau, bavieii merecido asen-
tenca que se rol fiilmiooii, c ae eiitau live algum pesar,
fui de quo o voam pretendido suicidio privaste o cada-
falso de um grande criminoso, u a Sicilia de um grandu
i xciiipl... _lcoi vedes a minha franqueza, u que alo me
f.Cii im Huir do que aou. I.unge du aprc.eutar ridiculas
juslifieaeies, eu nao uttenuo nada, e vou ate ao encon-
tr de vosiui legtimos rcseiitiiiientos.
alona reseulinientos i......... J alo vm dissu, Se-
nluirii, quu casas palavraa no lea mais sentido paro
mim Ajienas conaerru una leiubr.inca vaga e confuaa
das cous.ia que mu recordis, nao sei cun que intuito,
Com o nico de vn-las-rccordar, a un de que au
depois nao possaia aceiisar-mc de voa haver illudido.
Illudulo a mim? para fazer o que? Anda noen-
tendo o que queris du iiiim.
Entendu-lo-liei, lugo; deixai-iue prmeguir. Au
odio inooedeo o aaqueeimenlo, v eatavea niurto, a
com voaeo o veneno, em quu preparavcia vuasai sedi-
ciosa sellas. Aleiu dalo, os insultos, ns caluimiias, que
fustes u primeiro n soacitar contra iniu, forte aeguidas
du lautas outras calumnias, de tantos uniros insultos
voasu insolente exem|do fui Uu bem imitado, que toda u
minlia energa, todas as lunillas lurejs mal cliegavio pa-
ra fazer face ao presento, quaiilu mais seeu uicuccupas-
se do paaaado Ale u vusau nome, cjue tantas o lio jus-
tas culeras baiii licitado etn mim, perdeu-se iuteira-
menie da miulia memoria. (Jodio e a viuganca adorrae-
cem ..l,re oa tuniiilu. .Muilo anuos, militas tempesta-
os carrascus; lie maia iminuiidu quo a praia !
O boato espaldudo, de que o Sr. lanoel de Souza
voltsva a lomar sobre seus hercleos hombros o pozo de
continuar a varrer a provincia, lez mexcr, a remexer
a praia Se ba cousas, que, mexidas, fedem, eiendo
una deslas a priia, consideren) as almas devotas, que
do trabalbos nao vira a junta de salubridado tendo de
providenciar sobre a conlinuacao da piste Ora, se
na verdsde o po-de-lo volta as niaos do mestre, eulo
a rapa/iada sera repleta, e nos os teremos de ver do ban-
dulbo ebeio, e anailados como um Manoel liraz; quem
poder com elles ? Se da primeira, o Sr. Manoel fez
urna poda, qual a que todos sabem, da segunda, arran-
cara at a sepi. Se da primeira, se estendeo at ao Ma-
cla : da segunda,nio ficiri pedra sobie pedra, o mes-
mo nao se sabe se car em seu lugar o hdalo do sino,
quo repicou a sua posse, e dobrou a sua sahida ; mal-
dita poltica, maldita praia, que at com hdalos me-
xom. Bem se podo diy.er, sem pergo decontradila,
que em Pernarnbuco at os badajos, sinos, o porcas
sao a favor de Sr. Manoel.
fSeatus venter, qui ti portavit, uberaque mamastis.
iJcsculpem os leitores este boccadinho de latan, e le
julgarem, que nao presta, quo nao he bem encaixido ;
advirti, que o erro vem de detraz, porque boje nio
so procuro as cousas para os lugares, mais os lugares
para as pessoas, ou cousas, que be o mesmo ; e como
isto be moda, vamos com ella. Tambem nio he boni-
to, nao he decente ver moias om uin frado, ou um Ira-
do de meias, e comtudo soflre-se. E s soflre-se este
escndalo, pralicado por um Irado mao, porque tam-
bem se nio ha de suflrer um pedaco de latim, anda que
seja mao ? Dos se avenha com seu mundo !
Por ordem do Illm. Sr. inspector da tbesourarii da
rendas provinciaes se faz publico, que as arremiticon
annunciadas para os dias 18, e 23 do corrente, firig
transferidas; a primeira para o dia 19, o a segunda
para o dii 21. Secretaria da tbesourrii dis rendii
provinciaes, 17do julbodo 18VS. 0 secretario, luis
da Costa Portocarreiro.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de farendi
desta provincii, tendo de remeltor para Londres 500
quintaes de po-brasil, manda convidar os donos, ou
consignatarios de navios, que quizeretn fazer este trsns>
porte, queirao comparecer na mesma thesouraria, em
qualquer dii til, horas de seu expediente. Secre-
taria da thesouraria do Pernambuco. 17 de julho l
1845. O official niuior interino, Ignacio dos Santa
da l'onteca.
Declarages.
COMMErtCIO.
Alfandega.
Rendimonto do dia 17..............I3:9l5al49
eicarregaO hoje 18.
BrigueTrtfoumfarinha de trigo.
IlarcaLatharinamercaduras,
liarcaThomas Mellar farinha de trigo.
BarcaLi enmurebaca i bao.
UarcaAnloinettemarcador ias.
......um
dea liaviiu paaaado ; nem cu cudava maia cm va, quan-
du inesperadamente aoubu que a voasa morte era una f-
bula, que o iriiio Bruno e Castreo eru umoo mesmo
huiiiem. No mesmo instante parlo, diego, e veulio pro-
por-voa que caquecamoa cora o passudo uussaa velhas
inimiudei, noasua vellina disiidenciai, u noa alliemua
para uin fim coiumnin.
E qual be case fim?
11c o livramentu da Sicilia, que ha muito lempo
geme oh Djugu brilaiinie
Queris, Senliora, livrar a Sicilia!...... aera duvi-
da, comii livraatea em outro lempo Mapulca eom Kull'u.
Nao leudo deatu vez un e.ucl jal a eonijirniiioller, con-
luntais-vus cora um eremita.
Dizei mu Podro-Eremita, porque trata-ae du pre-
gar ii i tu- cruzada na Sicilia, a mais santa de ludas as cru-
zadas, a da independencia e liberdado.
Soia vos com elfeilo,Senliora, rus, Carolina J'Alu-
ira, que uusais em uiiulia presenca pronunciar aeme-
Ihmtei palavraa?
E perqu llSo?
Porque?..... Porque nlio tendel esse direito.
E quem pretendera negar-mu ease direilo que me
perleuce, c do que uao ?
Qucm?..... a Sicilia, aples, a Europa inteira, c
eu, Mfuste nceauarlo, sim, cu! Su o tenor de vossu
nome impuiesse silencio au inundo inteiro, na fulla de
outro aecusador, levunlar-ac-liia Caatoreu contra va.
Pensis bem quem fallis:'
E vos loinbein, Senliora, pensis bem qucm cu aou,
pieni vus aoiaP Que! pois vos invocis a liberdade,
rol loda lianlnnla do aligue dos inartyres, que luorrcriu
por ella c por vos! lie preciso reuurdar as vossua victi-
mas ? Maia fcil aeria contar as do volcao que ronca i
O arsenal do guerra contrata, com qucm por
menos fizer, o fornecmento nicnsal de duzcnlos e
trinta e quatro baldes d'agoa, parn o mesmo arse-
nal; dtizentos 0 setenta ditos para a roinpanliia dos
apiTtidizes menores; e trezentos ditos para a cotnpa-
nhia d'artilices; mamlando-se buscarao lugar d'onde
forfeitoo fornecimento, a que Mr para o arsenal, p
companhia dos ditos aprendizes; c mandando o for-
necedor conduzr a que frparaa companhia de ar-
tfices : aquemeonvier, mande a sua proposta em
caria fechada a esta directora, at odia l'J do cor-
rente, declarando o proco de cada balde. Dircclo-
ria do arsenal de guerra, 15 de julho de 18*5.Vi
impedimento do escripturario, JoaO Khan/o da Silra.
COMPANHIA DE HKIUKIIiE.
O caixa di companhia de Uebiribe roga aos Su.
accionistas que anda nio completarlo si entradas de
50 por cenlo bajo de o (azer irnpreterivelmente aleo
ultimo do corrale mez.
= Pelo lyco desta cidade se faz publico, que, cm
consequencia do que ordenou o Exm. Sr. presidente di
provincia, iro a concurso da dala desto a lid dias, ai
seguintes caderas de primeiras letlras paia o sexo mas-
culino : a de Ouricury na comarca da Boa-vista, a di
Fazenda-tirande nadePaja, as de Aoas-Bellas e S.
Bento na de Csranbuns. Oscandidatos, que as releri-
das caderas se quizerem oppr, babilitem-se nos termos
da lei.
Secretaria do lyco, S de junbo de 1815. No im-
pedimento do secretario, Hermenegildo Marccllinodt
Miranda.
O dr. Joio Feriaira da Silva, membro do conce-
Ibo de salubridade, participa a qucm convierque vaccias
as quartas e sabbados na casa dos expostos, tendo
principio as nove horas em ponto. As pessoas que se
apresentarcm para ser vaccinadas, devem dar o nome,
idade, naluraiidadc, filiacio, estado, condicio e mo-
rada para registar ; assim como lico obrigadas o ol-
lar no cilavo dia, sol> pena de serrn multadas na C00-
formidado das posturas da cmara municipal. Itecife,
14 de Julho de ISi.'i.
O arsenal do guerra compra salitre refinado, re-
zina de cajueiro, ago'ardento branca, vinagro, cam-
pbora, espirito do vinbo, facas flamengas, fio fino da
sos: o Etna ao menoa, ao destruir obedece como cejo
as loicas ci as da nalureza; nao leni conscirncia des
leus estragos; mas s, quandu feris, O fazeia adverti-
damente, com rcflcxo, com pr.izer; e oa frueios do cri-
me vos s oa collieis. itccapilulrmua o vosau reinado, a
voasa vida. Nio folio doa escndalos, daa corrupcoes da
loda a especie, de que liaveis liado exeinplo : qneru UU*
lu-iii deitarem silencio a impura Eniiiin, esso ininiuiul*
eurleiia, que um vclbo l.nii fez mi mullier, Nelsuii sal
coiiculiiua, e vos vi.sea amiga. Culo o insolente f me-
diocre aventurciro, osle dcplorav I Aclun, que o tosH
capricho infliiigin por tanto lempo ao reino; e enlUni
anda nutres mijitos, lteuordnr-vot-liei as i nasas oea
Hseaeors, na voasas rapiuna, voaaaa ilercufieadas predi
galidades, vossos servia tribunaes, o exercito de cspioi's
que roa eicollavnP Anda ros dispenso ludo isto. Mu "I
eadaf.ilsos, as uialauc is '..... I'astai commigo, I6 0 0U-
808, easa saiiguinoleuta revista. Oa fados acoden em
busiii.i ; por qual cumefareinus ? Evoquemos prinnue.
su queris, joven, e iulrepido Manuel de Deo, um
mancebo, quasi que um menino, que morro, porque '
Por haver era demasi amado a liberdado, E IIIasi e W"
raiio, Mena dous eumpanbeiroi de oapiireiro, e com >"
" i.-sos proprioa julga
qoies devia subir ao cadafulso. Vossos proprioa julgadn-
rca outro erime nio poderte aeliar nelles senflo o aiiM>r da
liberdado. lalo uro so o preludio; a grande ai ru vai cu-
mevor. Dizei-rae, rainba Carolina, cala longa procissa
de corpos decapitados nunca destila ante voa, iumtr,
durante as vossaslosomni.iB''..... Mas nao ; va d'anlc-
uiiiu rao reipomleatei: qnaudu elles eslo murtos, vm
nao pensis mais maso. Mus pensa Deoa, que algiiin di
faro quu vea taniliein pensis. Tlenlo, bellezu, lirtode,
saber, nem o acto nem a Idade, nada puupaiieipara fal-
lar vossaa inexoraveis viugancoa. veneravel Caiac-
maa. Maia raen aeria uunior as uo voicao que ronca a lar vossas inexoraveis viiijrancaa. u veneravel uar*-
nuasua pea, o cujoi furore lio brandoi 6 vista doi ros-1 cilo, o heroico Manlun, dous genrica irrcjircbensi-


algodo. c follias Je ppalio : quem too gneros tiver,
Lendo da inelbor qualidade, mande suas propostas, de-
clarando seus ltimos procos, em carta Techada o esta
[directora, at o dia 20 do corrente. Directora do
arsenal d guerra, 17 dejulho do i8i5. Noimpedi-
I monto do escripturaro. Jodo Ihcardoda Silva.
O hachare! Lua Jos de Sampao Jnior, promo-
tor publicodesto tormo laz publico, aqun convier ,
juo su acha temporariamente rosidindj na ra Nova ,
en)
casa do doutor Alcanforad.
PLILICACAO LITTKRARIA.
as
II. GUIZOT, taoceleLrado entre oshomensde
estado, oceupa lugar nao menos eminente entre os pu-
blicistas. A sua doulrma do governo representativo ca-
ncterisa urna grande escola poltica, o tem-s tornado
uutavel pelas discossdes, que ha prodozido. No entre
tanto o osmioprofessor, sem reunir em um tratado a
tuai ideas desenvolvidas sistemticamente, somonte lem
em seus variados escrip.os, na maior paito historeos,
derramado seus pensamento eplicando o systema cons-
litucional.
, Colligir as explanarlos do sua theoria dispersas em
(diversos vo'umea; expr os seus principios de uin modo
I fcil, separando tudo que he de circunstancie, ou pura-
I mente hatorico;coordonal-os e acommodal-os comoem
[(impendi, contendora tbeoris do gobern reprosenta
Itivo-he trabalbo.quo naodeijardoserbemaccoito.pe-
llosquo, desejosos de conbecer as doutrinas de Mr.Guiot,
I estimars poder prescindir de colbol-as em suas proprias
lohras, cuja leitura requer meisespac o moditacan. Pois
leslcliobalho (oi felumento concluso por um dos nos-
Isos maii Ilustrados cultores das ciencias politicas, e
test prestos a ver a estampa, formanJo um volume em8.
llrancci, mpresso com toda a nitidez o apiro na oflici-
I na dos Sri. Santos & Companha.
Suhscreve se pelo preco de5 rs., pagos na recepgao
da obra, na livraria dos mesmos Srs. no Corpo Santo ;
ni do Sr. Figueira, na praca da Independencia ; o em
(tlinda, nacasadoSr.J L daC. Parnago.
Avisos martimos.
A sumaca Sa*ta Cruz j nao recebe mais carga
I para o racaly.
I Quem tiver coritas rom a barca franceza ucean,
larribada a este porto na sua viagem do Valparaizo
Saint Mallo, queira aprosental-as noeseriptoro dos
I.Srs. Avrial Irm-'ios, ale o dia 18 do corrente, para
scrcm pagas; porque, passado este dia, nilo se at-
I tendera mais a reclamac.no alguma, a respcilo de
ilito navio.
Pura o Ass aai uestes i das o brigue-cscuna
I Deliberuello, capito Joio Goncalves Rocha ; para car-
pa o passigcros trata-se na ra da Cadeia do Rceife n.
|i0, ou ci.ra o capillo, na praca doCommcrcio.
Para o Rio-Je-Janciro sahir, com brevidado.o
I patacho nacional Valente : quoin no mosmo quizer
[carrogar, e ir do passagom ou remelter escravoa a Iretc,
Vallo com Gaudiuo Agostinho de Barios, na ra da Cruz
n. 6G.
l.eilo.
O corielorOlivoira far leilao do grande varie-
Idado de (azendas proprias deste mercado as quaesse-
Irao vendidas sem limites algumas a dnheiro e oulras
a prazo : ho|o 18 do corrente, as 10 horas da ma-
nb.'ia no seu cscrplorio, ra da Cadeia.
A visos diversos.
Um homem llrasilciro se ofTereco para admi-
nistrador dalgum engenho, por ter disso bstanle co-
nhcciiiiento, ou para uutro qualquer genero d'agrcul-
tura ; esta promp'.o afianzar a sua conducta : quem
do seu presiono so quizer utilisar, dirija se i ra da
Mangueira da loi-Ytsla, na travs da ra da Ale-
gra i' ira a Gloria, n. 1C,
Precisa so do urna ama para o servico de urna
casa ile um houiem solteiro, e que nao tenha familia;
pnfere-sc alguma, que nao seja da pai : quomostt-
ver nestas circumstancias, dirija se ra do Rosario da
H,i-\ isla, n. 2.
Mara Candida Pina rolira-so para a Europa, a
funde tratar de sua sodc, odexa por seus bastantes
procuradores nesla cidade, para todos os seus negocios,
aosSrs. Joio Pinto do l.emos, e dr. Miguel Archanjo
da Silva Costa.
Precisa-se, para um engenho, distante!) leguas
delta praca, de um bom ferreiio, com cumpanheiro,
que trabadle coui o mesmo, dando-se aos mesmos casa
de lelha para inorarcm, e tonda com os pteparos no-
cessarios, o o Ierro, o ac, que lorem precisos para o
res, experimentados, escaparlo eoa perifoe da guerra
para oanirein aos guipes dos vos" carnicol, A sot-
cnoias, as lettras, apuliiita, a poesa, i liialoria pira-
na em Dominico Grillo, Mano Pagano, Rallo, Confor-
li,Cala, Vincenso Rusao, Scoti, Lognlitts......... eomo
nomoa-lua todo? Nobrcs prolado, biapos, hurguetea e
pora, tudas a plana, todas as jerarchiss si" diiimnda
pagan o tributo aos vossus liooarios. Al"' a niiillierea,
una tiuques* Popoll, nina ador.ivrl Senfclioe, tuna Eleo-
nor Pirarme!, amada, adorada por Mctaauaio, Jamben
pnclift, milita outras anda, e das mala bellas, alo de-
goladaa, lio dogolsdas depoia de mil uliragcs. E vos ou
ais agora parodiar em rainhs prosenca iodos esses il-
Inslre marlyrr, balbuciendo o nome desia anta lber--
llade, que roa fugasteis em sen aangue? He de mais
tanto csquecimciilu, tanta audacia!
Biaquan.lo Castreo tallara, a rainhi se havin erguido
Oumu una len; os ulliu oardejavo cliaioa-, u seio or-
qui j.na-llie ooin vinienein convulsiva; cun os aobr o-
Hias cerrados, as venia entumecidas, o labios tremlos,
toilas as fricos alteradas ella laucara te paia o nuda-
ii so Machn la, eoHio para iinin|oilar,mas elle nao e
dvixara intimidar, nem so interrumpa, agnarstau al
o tim todo o sen singue li ii'j as mais dura e mais seve
rae|iala*raa, as mala Forte* reeriminacAes, ello a pro.
iiuiii iava eom eaaa vos eereoa, iinpassivel, que nunca se
llir alterara, o que callo lomara pelo contraste anda
mais esaaagadoraa aa sua fvrmidareia accusacc.
Temerario, rlamou a rninlia travondo-llio do
bruifn c- saeudindn o eom forc/, lu rsqueces que com
una pojarte pnsso razer-tc cabr a cabrea !
FoaeJ caliir como lana, outrns, cuj-i numero
titio aruliari por umi urna,
Ksia lie o ni a intrcjiidu di irolou Carolina, que ec dei-
principiodo srus trabalhoi; e adverte-se, queolug.r
he do interesse, e de haver minio que (azor. A quem
convier, anda menno sendo eklrangciro, procure na
ra do Vigario, numero 10, a Guilhoimo dos Santos
Sares.
- O Sr. que vendeo urna caxa do charutos falsifica -
da, que Ihe sendo representado, n pugnou restituir o
dinheiro, queira reitituil-onaruailoCiespon.il;
senio veri o seu nome por extenso nesla lolha.
I'recisa-se de urna ama de leitc c
cjnesaiba pensar urna enanca: quem atver
ou acliar-se neslas circumstancias, dirija-se
ao a andar do sobrado dei'ronte lo vi-
veiro do Wuniz no principio do aterro
dos Aiogados.
Eu abano assgnado ex-contrameslre da tenda
de marcineiro do sr. Jo Raptista llerbiter pelo
presente declaro,terem-se liodado todosequaesquer tra-
tos, desde o primeiro do correle niez entre mim e o
mesmo Sr. e bem assim eatou pagoesitiseito de to-
das a* contas existente entro nos. fixadas em 15 do
correte em dinheiro e urna leltra: o que faco publi-
co em abono da verdade, eem satisfaco ao bom Irata-
mento que sempre recebi do mesmo Sr. alm das
boas manoiras, que sempre commigo di spendeo.
femigto Kneip.
s= Severno Jos de Mendonca, morador na villa do
Campia-Grande, comarca da Parahiba fa* saber
ao respeitave! publico que petsoa alguma negocie com
Manoel I'erreira Mendes Guimaraes morador na c
dade da Victoria um escravo do gentio do Angola de
nume Francisco com os signaes seguinles: baixo ,
grosso, cor um tanto lula nariz chato, um tanto cal-
vo pouca barba ps grossos o em um delles um d.--
dode menos[; representa ter de idade45 annos, pou-
co mais ou menos; cujo escravo pertenco a> abaixo as-
signado ; assim como tambem oulro escravo de nome
Domingos do gentio de Angola, bem explicado no
purtuguc cor bem preti nariz afilado rendido de
urna verilba representa ter de idade 32 annos, pouco
mais ou menos ; consta que o dito Mondes Cuinaraes
j o vender ; a pcssoa, que o comprou,queira annun-
ciar por esta folha oonlender-socom o Sr. Antooio
Liandro da Silva morador na ra do Caldcireiro des
ta cidade por ser procurador bastante do seu legiti-
mo dono. jeverinoJot de Minilonra.
.= Ha para alugar urna casa terrea com muito bons
commodos, na ra da Gamboa do Carino n. 0; quem
a quizer dinja-se a ra do Cubuga le jai de fazen-
dai, de Pereiraft (iucdrs.
>= Aluga-se urna pequea casa na travessa do Po-
cinbo desta cidade : a tratar na ra larga do Rozaro
n. i l por preco commodo.
= A mesa regedora du irmandade do Divino Espi-
rito Santo av isa a todos os irnios que a mesa goial,
annunciada pora domingo passado lcou transferida
para domingo 20 do corrente, as 10 boras da ma-
nhaa.
PublkacQet da acola tocietaria.
AcahSo dechegar de Franca algumas obras da dita
escola philosopbic8, que n'uma forma clara e succinta
apresentao as mais nobres e justas ideias sobre o esta-
do presente e futuro da lumanidade, o cuja loilu-
ra portaolo pode ser da maior utilidade para os hu-
men* de todos os credos polticos ellas vendom-se nes-
ta*iypographia putos precos seguinle : dbacle de la
pohtique, 1*200 rs.; notions elmontaitos do la science
sociale, IjSOOri.; almanach phalanslcrien, 100 rs.; les
enlants au phalanstri, 2 40 rs. ; petit cours d'cooomie
politiquo, 2i0 rs.; de la poltiquo nouvclle, 12d rs.
__ O abaixo assgnado, senhor do eteravo de nome
Antonio, crioulo, idade pouco mais ou monos de 28
annos, estatura regular, cheio do corpo, barbado, com
cantos na cabeca, rosto redondo o bem follante, por
compra que delle fez em Odojnnho ultimo a Jos* Leo
nardo, desta praca, que o havia comprado Joo l'cr
reir de Alur.cida Calado, morador no Allinho,termo do
Bonito, roga a todas as autoridades policiaes, e capitaes
de mallo,que hajao dco apprehonder.cmqualqucr parte
que ello se achar, vistj adiar se fgido, desde 8 de mar-
co do corrente anno, ooconduzao a ra Dircila, so-
brado n." 40, morala do mesuio abaixo assignado, que
se responsabilisara pola despoza, que f.r leita com
captura do ni smo escravo, o prometi 50,000 res d
gratificacao a quem Ih'o entregar.
Joti l'ernandci da Ciuz.
= Carlos Ricco e Margurida Lentos rotirao-se iara
fura Ja provincia.
Claudio ubeux, testan.cnteiro dativo do finado
JoSo Antonio Martina do Noraet, tendo acceitado esta
teslamcnlaria, resolveo o embargo, t|ue os credores do
mesmo Novacs havio verificado nos brns da massa ;
acha so entreguo da casa, o por isso habilitado paro
xou caliir lew replicar una s patarra sobre a grossei
ri pi'dra que liso serva ilo ltenlo; encunando a cabeca
mao c encarando o naeboreta com elboa Bxoi e devo-
rudore:
Castreo, dissc-lhc ella depoil de urna pansa, o o
rador dos clubs soLrevivc no inoug; cu o rcconlieco
mis vusso ullragrl.
Nio vos olliajo, record vo a vossa vida, como
me rceordastei a rainba, Teiiho cu culpa do quo baja
laugne no vosso passado '
Sanguc !... raail de continuo do singue que cor-
roo; fui en que coiuecei alucia? o (piando no etluca-
vao ojo lindamos o direilo do nos defeuder r deriamoi
oflrcr, que una iniuoria facciosa noa deiM o le, e
translornasse o Estado, sob pretexto de reforma lo i Mo-
jo se colillero, j nimio larde, o que so dere esperar des-
si s preleiididos reforniadore, que estrello por glande
sentinieiilos, por frases mgicas, e concliieni pela gui
lliotina. En ou rosponsavel 6 Deo. romo rainlia, do
poder que me elleeunfiou. Cada jcraielia lera si os de-
vores u.sim como sen direilo, t eu faltara aos ineuJ,
so deixussu uvular sobre a ininlia fronte a cora que
nella sustento. A surte de Luii XVI foi una grande li
ato para lodosos principios; iccwo infelii euiuilo Iraco
Aonarcba himreasasabida resistir em lempo, ni" te
ra perecido nem irraslldo iniulia nula ao cailal.il
so. A' vista de seiiielliunlcs exrniploi ningoeio mais se
deve embalar eom utopias, nem ndoriiiecer naa deccp
roes de urna lougunimidadu benvola e coi demaiia in
gema.
Escapoii-vos agrande patarra; qtuzestea vingar
vossa iriua Maria Anloinelio oppondo terror a Terror,
e lerar.tando cadafalso contra cadafalso.
Sir, quuvingariuinlia inuaa, o nio perecer co
receber, o passai quitacooi oos dovedures da teslamcn
taria ; aos quaes o onnuncianto roga, venho quant^
antes remir seus crditos para nao so ver na precalo d
rcalisar a arrecadarao por meios judicaos. Oannun
cenle mora na ra das Larangeiras, n 18.
O Sr. A. I). P. venha resgatar os seu
penlmres que empenhou a urna senhora ( a qua
nao ignora) pur setenta ccinco mil rs. por seis me/es
da sua pureza c superior qua.'aile maso tjpo verda-
deirodos cxccl.'cnles vinlios do Porto. Espera pois o
abaixo assignado quo os Scnhores consumidores so
dir ao a sua residencia na ra do Vigario n. 19, pa-
ro tritirem do ajusto do todas e quaesquer porrAcs ,
H que des"jarcm. 7hoinaz de Aiunu tonteca.^
I Precisa-sede um caixeiro du lia 10 annos,
qui' lenha pratici do venda o du fiador a sua conduc-
nao igiiuiiiy pui auiciii, t-Hii/f iiitiio, i#v. "----------1 ------- i -
o ja faz mais de um anno ; e.no vindo tiral-os oestes 8 ta ; na ra Nova venda n. 65.
das, vender-so-ho para satisfoco do dinheiro ; li:an
do o mesmo Sr. responsavel pelo resto, o os juros.
Perdeo-se uin meio blbeto da lotera do Guade-
lupe, den. 1741: quem o achar poder cntregal-oao
Sr. padre visitador, Man >el Jos Pernandcs, na ra de
Mollas, n. 60 ; assim como roga-se ao Sr. thesou-
reiro da mcima lotera, baja de nao pagar o premio,
que por sorte sabir, senSo ao mesmo Sr. Fernandos.
= Aluga se uin preto para socar essucar. ou oulro
qualquer servico o he bom canuoiro, sendo o aluguel
pago monsalinenle ; em plinda ra do Ralde casa
terrea n. ii o no Recfe tanque de agoa da ra de
Apollo n. 28.
= Quem precisar do um rapaz para caixeiro de ra,
ou do outro qualquer cstabelecimento o qual d fia-
dor a sua conducta dirija se a tua oslroita do Roza-
do venda o. 1.
= Pelo |uiio da segunda vara do cvel cscrivao
Sousa vai /praca do venda, urna escrava do nome
Joanna no dia 19 do corronto por eiecuclo enca-
minliada contra Atilonio.Dias Soulo.
= Aluga-se o terceiro andar da casa da esquina da
ra do Rozario n 39, defrontc da gcaja : a tratar
na ra do Oucimado, lujado ferragens n. TiO.
= Quem precisar de roupa engoinmada obras com
lavarintos lencos cotn pontos de marca roupa
turnada, costura chaa flores do panno para groja,
e de pennai, o papis para castigaos tudo com per-
feicSo dirija-so a ra do Cabug n IC.
.-= Aluga-se urna elegante casa terrea na ra da
Estancia, cotn duas salas V quartos cozinha fra ,
quintal murado e cacimba : a tratar na Estancia com
Jos Raptista Ribeiro do Paria.
Jos Francisco de Antojo Guimaraes retira-se
para a Europa.
Admiruveisnavalhas de uro du Clima,
quo leom a vantagem de coitar o cabello sem olen-
sa da pello deixando a cara parecendo estar na sua
brilhante nioridado : estj ac ven) exclusivamonto da
China c so relie trabalhao dous dos me'liores o mai
abalisadoscutelleirosda nunca excedida e rica cidade
do Pokiin, capital do imperio da China Autor Sitare.
[^_ |;_ lie recommendado o u^n dcslas navalhas
maravilhosai, por todas as sociedadei das ciencias me-
dco-cirurgicas tanto da Europa como d America ,
Asia o Alnca nao s para prevenir as molestias da
culis, mas tambem comoum rr.eio cosmtico: vendem-
so nicamente no ra do Crespo lojas o. 8 o 15 de
Campos & Maia.
- D so dinheiro a premio sobre penhores de ou-
ro prata ou bjpothcca ; na ra estrellado Rozario
n. O, segundo andar.
= Engomma-so roupa de homem o sonhora com
todo Mteio o pi rfeicao ; tambem se cosen vestidos e
camisas de homem tudo por piero commodo ; na ma
das Larangeiras n 15, primeiro andar.
DO (UAMELUI'E.
Correr imprelerivclmente as rodas
esta loteria no dia 22 do corrente, li-
jiiem os bilhetes que ficarem. Quem
se quizer aproveitar, ahi est o que resta
de bilhetes as lojas do Sis. Vieiro, e
Cunta (cambistas) no Ivecil'e Moreirft conceileo rcmataoo seu mais completo elogio.
* M L.1 \ ..... I ., ,. .1 ,. ,1 ...(....v,-..!!. n(>' I .1 I r rulll
Aynriu de pasaportes.
Na ra do Ringel, n. IJV, continuSo se a liar pas-
lapurtos paro dentro e f ira do imperio, e despachan-m
oscravos, com presteta o commodidade.
= Retirao -se para (ora da provincia Carlota Ala-
ra Yianna Maia rom sua filha Manoela Albina V au-
na e Antonio Jos de Atetado Maia.
Agencia* de ptusnportti
Na ra do C.ollegio, botica n 10, o no atlorro da
Roa-\ isla leja n. i8. tirio-se passaportes para dentro o
fiirado imperio, assim como despachao seescravos: ludo
com brevidade.
Cautellas contra as falsN
fica^oes.
Constando a Mi.t aoi >^ C. que etn ri-
'timas lojas desta cidade se vende lim
tap rom a falsa deoominacSo de LVAPK
AKEA PHKTA c eom astuciosa imita-
cao, nao s dos liles, rtulos e sellos da
sua fabrica, romo do pntpro nome dos
anrmncUtntes, fazem scient aos sen
freguezes c ao publico que, em resguar-
0 de sua propriedade e dos seos tlirei-
los, lodos os boles e meios boles de sen
rape levao por extenso a iirma dos an-
nunciantes Meuron &C. : c rorfo a seus
nao coufuiidio sua Iirma cotn
ie M & C &c. &c., inventados para Iludir
publico por este meio, digno de seus
autores, l'ortanlo qualquer outro rape
lite se aprsenle debatxo da denominacao
le RAPE' REA l'BETA lie urna lal-
silicacrto dos productos da fabrica de
Meron ck C, inventores, e nicos pro-
pietarios das fabricas de RAPE1 ARE"\
PRETA, tanto no Rio de Janeiro, eomo
na Babia e nesla provincia ; c rogao aos
Srs. compradores, c com especialidade
aos do interior da provincia ( para onde
consta aos annttncianles terem-se feito
grandes remessas) se acaotellem contra a
fraude, pois nao troci, c nem se res-
ponsabilisao pela qualidade dos botes que
nao lenho a sua Iirma. O preco be de
isooo ris a libra, e nao se vende menos
de f) libras.
MEUROft & C.
Hap vinagrinho.
F.sto superior rapft torna invtriarel a sua (|ualidado
por nao mofar, non seccar; n5o fere o njriz, nem pro-
dur rrtacSea vertiginosas, poniuo a sua composieo lio
a mais simples possivel. A gcral estima i|U ten tio
este rap polos apreciadores do urna boa pitada, o a ap-
provaeao quo a reipeitarel sociedado do medicina Iho
reguezes
os mines (
Maiques, Fortunato, e Mcnezes em S.
Antonio; na Boa vista, botica do Sr. Con-
t; c em Olinda, laja do Sr. Domingos
Companhia geral de ag cultura das vinhas do
Alto-ouio.
= O abaino assignado, agento desta companha nesla
praca do l'ernambuco acaba de receber pela barca
Helia l'ernambucana o primeiro carregamonto de vi-
nhos daquella companhia depois quo 1 lia (oi rehabi-
litada pela legislatura do Portugal e dotada com os
lundos pblicos pela le de 21 de abril de I8H. para
.'ovara todos os mercados os padres e bausas do v-
nho genuin-i e puro do Alto-Douro geialmenle co-
nbocido pelo nome do vinho do Pollo a lim de
servireindo niia ao commorcio tiste carregamento,
contendo vin' os das mais escolhidas novidades deve
oflercier aos seohores ennsumidores, Dio s a certeza
Mtfrf.a.^ftnJ -. .,>^-;jiSjMtv.az;.-t-.:.-j&-.lM.---arfl,ia'*'*al>
mu ella perecen. Fia respailar em mim n innje.lade du
ilirono aullad nella peloa seus rassalloi; eonserrel
.ilr.i o leu peder, u seu prestigio, e mnnlivc un putos
ims limites iia fulelidade. o futuro me fara jnica e
singar minlia memoria du ealiininiai ds meai con-
tera 1 nroneoa.
O' principes da Ierra n'u arObiOinnill, Ulurpail
Indns lis privilegios, lOOS na bens : sabnreandu us (jo-
ios barbaroi, e os proveitoi doeTimo, ainda carecis
,l.i mtmai da innneonoia e (bu preitigioi da persegu
cao Nio vus baila o impunldaala, queris a ipntboose;
e se din au vnssiis nelns n >erdadciro mime, so vn-lu
rrcordio rnente, pretendis que vus ullrajin, que vus
calumnian. Tendean minos a corajjein de auslentsr as
Kissii* aceoes.
K iiueui vus diz quo en lia a tciilm ?
__ Pruvai-iu'n i'iiln iiut iiiilo-ino sem culera, o nio-
dernndu o orgulhb de vnssas Bpolagiaa c a exaltajjuile
musas paixes Separi-vns, sulai-vus urna vei na von-
sa vida (tus prejuius do peder; labei elevar vus cima
de vos Oaeintl, i cima do llirnnn, nppundo que nos en-
cuiiiramos em nutra existencia, o que lio a sombra de
Castreo que talla smnbra de Carulina.
Desta surte res arrugis n direilo de me feter
oomparreer ^^* vussu iriluuul r
__ Nao fui cu, senhora, que i elle vos cliamei; v
vus BprosenlJKles espuiilaiicamenlo.
__ Elle lem raan, (lisio a raiulia eomsigo mesilla, e
lornando-oe de subilo serena pur nuil desias irausirea
repentina!, que eran do Seu genio; fui eu luesma que le-
vanlei contra mim esta tempestade; doria esperar por
ido, gmente, ajuutou ella dirigiudo-ae & Caatoro, po-
dieis tenida ruis generlo.
Nao me pe lenco s lo A generosdade he tima
Novas fornidas d'estecscellente rap, com a cor niui
escura, se aohlo a venda nos depsitos da ra da Ca-
deia do Reclo, n 50, praca da Independencia n. 28,
Altorro da Boa-vista n. 10, o Atierro dos Afogados n.
209, aonJe so vende alaOOOrs., a libra, de 5 libras
para cima. O embrulho deste rap bo azul, eosrotu-
01 brancos.
LOTERA DO TUEATBO PUPLICO.
= thesoureiro dosta loteria, disposto a einpenliar
todos os esfurcos para augmentar o crdito de quo
sempre ella goscu, pela regularidado de sua exlraccao ;
declara quo os bilhetes da segunda parlo da lo.' lotera.
1 ujas rodas devem ter andamonto muito brevemente, so
acbao a vonda nicamente no bairro do S. Antonio ,
na botica do Sr. Joo al ore ira na roa do Cabug ;
na ruadot^uoimado lojado mesmo thesoureiro n.
39 ; e na ra da Cadeia do Hecife, lojas do cambio dos
Srs. Vicra, e Manool Gomes da Cunha e Silva.
jisi*n*a*-*viw*iM:*" m .*..v-ai^^-w*ijMVaaaja
sblolrlcao, cu nlO pnsso absolver vos. Nao acreditis
d'iiqui, que 011 sejii 11111 f.innlien CgO, que uttaca bru-
lalmente 01 tffeitoi, sem indagar as causas Nio, icnbo-
ra, alo a justica eondemiia a Infama na actos, a equ-
dadelcra em emita os motivos. O pontos de vista mu.
dan eom as posJ(oM,os prejuxos trausvio tanto eomo
as paitficae ns nteresses;.is aqu purque vus suppon-
des menos culpada diiinte n Dens, do que poranle os
homens. Qoero erer que ao subir ao Mirona ciaei!
mimada doloorareis ntenffiea. Irmaa do imperador
Jos II e do grao-duque Leopoldo, linbeis por honra,
eitou eerto aillo, marebar lobre aasnaa pegadas, e-do
representar como rlle as reformas sem oontequenoia;
u comean dus puvoa be lio tacl de enamor.ir-c, que
lialleo ile esperauea i Valsa acelamaco, cuiiin no .le-
pois liilleo do terror s no suiu dn rollo Humo.
Mas quem mis riaflnal? perguntou Carolina
eom allive* e euneentradn orullin; quem SOIS vos para
de ln alto me jnlgardcs, e me l'.illariles COI0 lauta au-
turidado?
Quera ion eu ? He a minlia vida que queris eo-
nheeer ? Nio tenlio motivo algura para oceultala. Sa-
be-a, scnliurn, se dissu sois corioia, julgareis pur vos
inesnia depnis de a ter uuvido, se eu pnsso, seeudevo
coehar a monstruosa allianea, que ilndeepropor me,
e cujea enndi^es queru ignorar.
. Eu vus esento, reapondeo a rainha com vivo mo-
viuienlo de curiosidade,
Caatora fioou poralgoni momentos em protunda ss>
leiicin, eabsorvidoem si inesnio, eumo para recullier
as suas lembranc; depois do que falln uestes tcrnius,
sem prembulo o sein [ireparsco.
(Continuar it-ha.)


j Precisa so alugar uma pida quo seiba vender
na.rua tuda a quMidado de fruas ; na ra Nova n. l.
Matioel Aires Ferreira, por alcunha Manoul das
casimiras, mudou a sua residencia da ra das Cruzei,
para obceco do Theatro n. i, por cima do boliqum .
pnme;ro andar.
O baiio assignado vendo no Diario de Per-
nambuco, de quinta feira 17 do corrento um an-
nunciocom us Icllrai iniciaes A. I). I. relativo a
unspenhores, e coro quanto esteja bem convencido,
que tal onnuncio se n5o pode entender com o mesmo
abaix > ssignado todavia para arredar do si qualquer
MHpei'ta roga ao autor do dito annuncio de ler a
bondade de declarar pelo mesmo Diario, se o dito an-
nuncio entende se com o abaixo assignado( oque n3o
be possivel). Antonio Domingo Ptnlo.
Socedade theatra Tha lense.
Oprimeiro secretario avisa aos Srs. socios, que
osbilhotes para a recita do dia l!l do corrento dis-
dribuem-se nos dias 17, 18 e 19 do corrento ein ca-
sa do thesoureiro. na ra do Queimado n. 07. Sexta
feira pelas 7 horas da tarde reune-S" o concelho para
approvacao de convidados. O concelho ad ninistrativo
roga aos Srs. socios que tiveretn de dar seu cartao ,
haj.io de ir buscar suas partes no dia 18 para serem
approvados pelo concelho. Roga-se a todos os Srs. so
cios que anda nocumprirao o ortigo 32 dos esta-
tutos hajao de o cumprir at o dia l'.t do crtente.
= Quemtiverum moleque para alugar dirija-se
a praca da Independencia n. 7 para tratar do ajuste ;
cmliora seja pequeo.
Desappareceo um cachorro prelo, atravessado ,
do sitio de (luilhermu Soares Bolelho no Hospicio, n.
8; quem delleder noticia coita ou o levar ao dito
litio ser recompensado.
as Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 22,
da ra das Cruzas: a tratar na mesma la n. 41, se-
gundo andar.
= Um rapa* casado, com pouca familia por ser
composta de .1 pessoas, offereee se para caixeiro de
nl;rum engenbo perto da praca e tambem para ensi-
llar meninos a ler, rscrever, contar e grammaUca por
tuguea ; quem quitar annuncie.
**
feita a moderna no Coelho na ra dos Prazcrcs ,
por commodo proco tanto por venda como de alu-
guel : a tratar na mesma rus n 10, das C as 9 hor
Compras.
de pa-
em se
ra de
= CompraO-se apolicei da companhiado cncana-
mento dn agoas ; na ra da Cldeil do Recife casa
n. 41.
= Compra-se uma marquexa com assento
Ihinha meia duza de cadeiras americanas ,
gunda mSo e estando em bom estado; na
Hurtas n. 112.
= Comprio-sc dous escravos um pedreiro e mi-
tro carpina.para umaencommenda do Rio-Gran le-do-
Sul ; sendo bonitas liguras, pagao-so bem ; na ra
do Collegio arma/e ni n. 19.
aa Uimprfio so, para fra da provincia escravos
de 14 a 20 annos sendo do bonitas figuras pago-se
bem; na ra da Cadeia de S. Antonio sobrado do
um andar de varanda de po, n 20.
= Compra-se uma casa terrea cm qualquer rita
desta cidade, que sirva para negocio de venda paga-se
bem ; quem tiver, annuncie.
= Comprase Dossin linaire et arpentage pour
loutesles ocoles primaires, quelquesoit le mode d ins-
truction qu'on suive par L, i. Francorur; avec
son atlas; quem tivor, annuncie.
Compra-se geomelria e mechanica das artes ,
oflicios, e das bellas artes curso normal para uso dos
artistas .ve. pelo baro Callos Dupin com os scus
3 lomos d/> sua composicSo sem os quaes nao scive ;
quem tiver,annuncie.
Compra-se um caderninho da novena de S. Joao
Itaplista ni ra das Cruzcs n. 10 ou annuncie.
Vendas.
Atlcnoiio !
- \endo-sea 120, 140, liOe 180 rs. o covado de
chita ditas fnas a 220 e 250 rs. o covado sendo, es-
cura, madapolo a 150, KiO e 180 rs. a vara dito
lino a 00, 220 e 240 rs. dita madrasta fino a 280
rs. a vara, meios chales de cassa do quadros a 300 rs.,
(lu.i ,i 1 0 rs. o covado, lindissimos cortes de cassa-
chitas a 2(00 rs. o corlo cliadrczes de linlio para ja-
quelas a 520 rs. o covado, muito boa qualidade, supe
rior setim prelo de Macu para collule a i.'JOO rs. o
covado dito entrefino tambero de boa qualidade, a
3200 rs. o covado, fusblojbranco de excellente qualida-
de a 1000 rs. o covado algodao liso de boa quali
dade a 100 rs. a vara dilo americano largo, muito
encorpado a220rs. a vara, dito trancado azul mes-
ciado a 21(1 rs. o covado, muito encorpado marte
azul de vara de largura a 2G0 rs ocovado muito boa
fazenda para prelos casimiras de quadros do bom
goslo para calcas a 1200 ris o covado lencos de
cassa pintados a lt>0 rs. pecas de bretanba de rolo a
1800 rs, a pega ditas de brctaoha depuro linho, de
ti vara a 2800 c 320(1 rs. brim trangado branco de
puro linho muito encorpado a 1400 rs a vara es-
guiode superior qualidade do verdadeiroe puro li-
nho muito lino a 1500 rs. a vara, pecas de chitas a
4-100 .';200 B500 e 6000 rs. a peca escuras, ditas
do madapolo a 2800, 5200 e 3400 rs. dito lino a
4000, e 4200 rs. a peca, madraste fino a 5200 e 5400
rs. a pega cassa de quadros para bahados a 3000 rs.
a peca riscadinbos trancados a 200 rs. o covado ,
muito boa fazenda para meninos cambraia lisa de
vara de largura a 000 e 800 rs. a vara, castores ou
riscados a 240 rs. o covado, superiores cortes de cbali
de listrasdesedaa 16 rs. ditos de seda com flores a
r>0,000 rs o corte mui rica fazenda superiores
cortes de cassa-chilas, modernos padroes, a 4200 rs. o
corle, cambraia de listras brancas adamascadas a o/ri
a peca, sarja bespanbola fina muito enjorpada a 2300
e 2500 rs o covado dita fraoceza larga a ilion rs
o covado escocez de algodao para vestidos a ."00 rs. o
covado, biim trancado de quadros para calcas a OO
rs. o covado de bonitos padroes, chitas linas, de
gosto muito moderno a 320 rs. o covado chapeos de
sol, de de seda para homem a 5/ra. ; alm destasfa-
zendas oulras uiuitss por barato preco : na ra do
Collegio, luja ri. I, de Antonio de Axevedo \ Haron-
eo* Irma o.
= Vende-ae, ou aluga-so uma casa terrea nota,
= \ende-se uma parda que engomma perfcila-
mente cozinba o diario do uma casa cose bem e
faz bicosc rendas; na ra do Cicspo n. 10, n imeiro
andar.
- Vendo so um casal do escravos com urna cria fe-
inea de 8 annos ; o prelo ganba na ua : a negra co-
zinba o diario do uma casa, engomma liso, cose bom,
borda u faz lavarinlo e a cria tem principios de cos-
tura : na ruadaSenzalla-Velha n. 142, segundo an-
dar.
- Vendem-se duas moradas de casas terreas no-
vas : a tratar na ra da Concordia n. 3.
= Vendem-se estojos de navalhas do cabo de mar-
fim inglezas, a contento, bolins e meios ditos de Lis-
boa chegados ltimamente ; na ra larga do Roza-
rio n. 24.
== Venden*M chitas para coberta, de bons pannos
e cores fixas, com estampas earvoredos firgindo mal-
los, pelo barato prego do 100 rs. o covado, finissimas
chitas francezas muito largas do assento escuro ,
de quadros o listras, cores fixas a 320 rs. o covado,
dita a 2G0 rs o covado lanzinbas de bonitos padroes
a 5200 rs. o corlo e a 320 rs. o covado cortes de tas-
sa-chitas de todas escores e muito laigasa 2/rs. di-
la cm vara a 400 rs. dita transparente a 25C0rs.,
cortes de chita do assento escuro o cores fixas a 1600
rs. chitas cor de ganga e do* outras muilas cores c
muito lints a 200 rs. ditas escuras de lindos padroes
a 1CO rs., e em pegas a 6500 o M is., pecas de breta-
nhas de rolo du superior qualidade a 2.) rs. algodao
tiancado muito largo e escuro proprio para roupa de
escravos a 240 rs. algodo americano muito encor-
pado a 220 rs. a vara dito muito largo e encorpado ,
proprio para lenees a 280 rs. inadapolooi de todas
as qualidades e mais fazendas ludo por barato pre-
co ; na ra do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
ias.
Cera lavrada.
- Vende-secm caixss do 180 libias cada urna, sor-
lidas desde duas al 10 em libra ; na ra da Sen/alla-
Velba arniazcm n. 110.
= Yendcm-sc saccas de milho ditas de arroz pi-
lado ditas de farinha ; na ra da Cadeia do Recife ,
armazem n 8.
= Vcndem se C moradas do casas na ra do Coto-
vello n. 19 uma dita na ra de S. Tbereza n. 17 ;
ra Imperial duas de laipa ns. 201 e 20G de lij-
lo ns. 44 e 46 dcslas duas existe uma travejada ;
um alicercecom uma mcia-agoa n. 09 em estado
de so levantar um sobrado de dous apdares: a tratar na
ra Imperial n. 218, com Prancisco Xavier das Cha-
gas.
sb Yendom se 300alqueires de sal do Ass, pela
medida velha por preco commodo ; no principio do
Atierro dos A fugados n. 63; tambem se faz negocio
com o armazem onde existe o dito sal.
=Vende-so, na cidade du (Huida a casa terrea u.
44 do pedia e cal chaos propiios, sita na ra de
.Malinas le ma com duas salas de Irente 4 quar-
tos internos alm da cozinba quintal murado no
lundo com dulcirs: a tratar na mesma cidade e ra
n. 24.
= Vende-se um realejo de bonitas figuras e boas
valsas; 4 vidros proprios para cosuioiaais ou mar-
mota ; na ra do Vigario n. 14.
= Vende-se uma linba ou trave do embirindiba ,
com 62 palmos docomprimenlo o pioporcional gros-
sura ; urna canoa aberta de carga de 600 lijlos de al-
venaria giossa, mui bem constru la e lubricada de pr-
ximo : na iua da Aurora n. 12.
= Vendo se furia lia de mandioca em saccas muito
lina c barata ; no arinazoiu delronte da escadinba da
all'andega.
rs \endem so charutos de regala muito supe-
riores chegados ltimamente por preco commodo ;
na ra du Trapicho n. i3 segundo andar casa do
Novaes & Comnanbia.
=\'ende so um guaida-ioupa de amarello, em bom
estado por preco commodo ; na ra Nova n. 60.
Vende so um prelo du r.Oe lautos annos cozi-
nbeiro c inlulligunlo para o servico du uma casa e
de plsulaco poi pieco commodo ; na ra do (Quei-
mado n. 57.
Vende-te colla do superior qualidade por pre-
co commodo ; no aimazem do Fernando Jos Uraguez,
ao pe do arco da Conceico.
Vende-se um atlas Imloii ,ue chronologiquo et
geneologique, par al. A. Le Saga; dito di(oo geogra-
pbiquu pelo mesmo autor ; na la do Crespo n. 8.
san VeuJeui su bichas de Lisboa muito bas por
preco cammodo e trocao-su por oulras, as quo nao
pegaran ; unbo do Porto cngarralado, muito vulbo,
a 48o rs, a garrafa dilo mais noto a 400 rs. dito
deleilora, muito superior a 800 rs. a garrafa, dilo
du Madeira-secca a 800 rs. a gauafa dito Muscatel u
6(0 is. dita queijos llainengusa 1200 rs. chocolate
de Lisboa a 360 rs. a libra latra superior a j60rs. ,
inaiarro a 320 rs. bolaxinba iogleza muito nova a
200 rs. carne do Sorlao a 200 rs. mantoiga ingiera
a 880 rs. dita Iranceza a 720 rs., espermacote ame-
ricano a 880 rs. dilo rancez a 800 rs. tapioca do
Maranhao a 160 rs. cevadinba de 1'ranga a 160 rs.
presunto de Lisboa a 400 rs., dito ingle/. para fiambre
a 320 rs., loucinho du Lisboa muito superior a 320
rs. azeile de Lisboa, superior a -180 rs. e a caada a
3520 rs., cha hvsson superior a 3500 rs. dito mais
sumeuo a 2560 r?. dito mais btixo a SSiO e 2400 rs.
cbourigos uiuilo novos a 440 rs., ceneja branca e pr-
la a 440 rs. a garrafa ; adverlipdo-se que lodos estes
gneros sevendeui a contento do comprador ; no At-
tterro da Boa-Vista venda n. 88, de Almeida ta, ua esquina que volta para o Hospicio.
Vendem-se superiores bnns de quadros e listras,
de linbo puro, cortes de vestidos de cassa-clolas di-
tos de chitas em relalbos com a sen los oscuros e' co-
res fixas lencos de seda do con a 1280 rs. e |m
esius outras muilas lazendas por barato prego, que
os Ireguezes nao deixara de comprar ; na esquina que
volta para palacio loja n. 27 do Manuel Jos Gon-
lalve.".
= Vcndem-soe alugfio-fe bichas de Hamburgo,
rindas pelo ultimo navio por preco commodo ihe-
souras para aparar unhas, navalhas de barba podras
de aliar, muito linas, na ra da Cruz, no Recife, o.
43, loja do barbeiro de Joaquim Antonio Carncirs : o
mesmo so o fie rece ao respeitavel publico para san-
grar, botar ventosas sarjadas, com esglificador tirar
denles limpar e chumbar ludo com perfeigao e ai-
seio, por precos raziareis..
= Vendem-se caixas com velas do cera oplima-
mento sorlidas por prego commodo: na ra da Ma-
dre de Heos n. 5, primeiro andar.
=: Vende-ie urna prela de notan de bonita figura,
e muito robusta para qualquer servico principalmen-
te para o campo, por Irabalhar bem de enxada o be
mariscadeira : no Recife tanque d'agoa da ra de
Apollo n. 28 ou em Olinda ra do Balde n. 24.
= .Vende-se uma preta de 18 annos, pouco mais ou
menos, sadi, e com algumns habilidades; a vista do
comprador se dir o motivo da venda ; na ra do Ca-
bug, loja de ourives n. 3.
= Vendem-se 4 escravas de nagio mogas, de bo-
nitas figuras proprias para lodo o servigo ; uma ne-
grota de 15 annos do naci ; uma escrava crioula de
24 annos engomma cozinba e lava ; duas pardinhas
de 14 annos, de bonilas liguras cosern chao e la
zem lavarinlo e renda ; uma dita de 8 annos, muito
linda ; um negro de naci pega para lodo o ser-
vico ; um dilo ae servico de campo, por 500jj rs ;
dous molecotes do bonitas figuras, para todo o servico ;
na ra das Cruzes n. 41, segundo andar.
= Vende-se um roquete novo para clrigo mui-
to superior ; na ra da Cadeia do Recife loja do fa-
zendas de Joio Cardoso Aires.
Vende-se uma canda muito veleira e nova de
loto do 6 caixas com todos os scus pertences ; adver-
lindo-se que se vendo muito em conta ; na ra da Ma-
dre de Heos vendan. 8.
= Vende se salitre refinado em barrilinbos de 3
arrobas o miia, oleo de amendoadoce em latas de 20
libras, mercurio doce em caixinbat de 10 libras, al-
vaiade e chumbo de munigio; em casa de Fox Brothers,
na ra da Cadeia, n. 62.
= Vende se, por prego commmodo uma prela de
30 annos luva de sabio cozinba e be boa veode-
deira ; um moleque do 15 annos, de bonita figura ,
e sadio ; na ra do Nogueira n. 27.
=*Vende-se um pretocrioulo bom trabalbador de
enxada proprio para o servigo de campo ; na ra da
Aurora n. 4.
= Vende-se umchronomelro.cbegado ltimamen-
te de Liverpool; na ra da Cruz n. 13, em casa de
Ridguay Jamisson & Companhia.
= Vendem-se lencos de algodao e seda de bonitos
padroes a i() rs. casimiras de algodao muito encor-
padas e de quadros pelo barato preco de 480 rs. o cova-
do riquissimos corles de colletes de quadros a 2560
rs. o covado ; na ra do Crespo n. 14, loja de Jos
Francisco Dias.
=Vende-se uma porcio do cera amarella em arro-
bas ou libras, como convb r ao comprador; na ra
larga do Rozario, venda n. 29.
= Vende-se polassa americana muito nova em
harria pequeos ; na ra da Cadeia do Recife arma-
zem deassuca n. 12.
= Vende-se uma porgio do portadas do pedra da
Ierra lavrada cada uma portada por 27 e rs. e uma
porcio de soleiras de cordao cada um palmo por 680
rs. : na ra da Praia de S. Hita n 22.
= Vende-se cera do carnauba de superior qualida-
de em poicao e a retalho ; na ruado Rangel n. 1.
-- \ eiideiii-so meios bilheles da loteria do Guadehi-
pe a .'iOii rs. : na ra do Cabuga loja da esquina,
de relojoeiro.
= Vende-se um refe com corrame e b.nda para
inferior de guarda nacional, tudo um bom estado e
por preco commodo ; em Fra-do Portas, ra do Pi-
lar n. 141.
ss Vende-se uma preta que cozinba o ordinaiio de
uma casa cose, ensaboa e laz todo o mais servigo de
uma casa ; na ra da Mangueira n. 18.
= Vende-se uma preta de bonita figura e muito
hbil ; na ra da Palma n. 8.
= Continuio-se a vender coeiros bordados do me-
rino a 5 rs. cada um ; na ra do Cabuga lojas de
lazendas,do Pcreira Guedes.
--Vende-se arroz do casca em saccas, e alqueire ,
por prego commodo; no Passeio Publico, venda
n. 9.
= Nendem-so 3 negrinhas do 14 a 16 annos, mui
lindas, e ptimas para mucamas por serem recolbidas,
e com varias habilidades ; dous moleques de idade de
14 a 18 anuos; dous escravos de nagio de 20 annos,
todos do boa conducta o quo se afianca ao cou.prador :
na ra Hireita n. 3.
= Vendem-se as seguintes obras: Castello de Gras-
vile, por 3 j is. ; as Luziadas de Camoes, 2/ rs.; car-
las de Lcbo a Narciso 700 rs. ; Galera Pilloresca da
hisloria de Portugal, 1000 rs.; Geographia univer-
sal '[ rs. ; 2 volumes do Panorama boa encader-
nacio 8.,' rs. ; Tentativas poticas contundo varias
pegas l/is. ; Calatea novella pastoril, reir & Gue-
i rs. : na ra do Cabuga loja de fazendas.de Po-
des.
= Vende-se um preto bem possanie ptimo para
lodo o servigo ; na ra Direita n. 12.
= Vende-se uma barcagade loto de52 caixas, que
se acba no estaleiro aira* da casa do Snr. Carduzo
prestes a ir o mar, onde os pretendenles se devem di-
rigir, a fim de examinar, nao s a perfeigio da obra,
e segurangn como ns boas qualidades de madeiras ;
tambem se vendo oulra nova, de 16 caixas, que tem
6 mezesde navogagio e uma cana do t a qual se
prometi dar a troco de barato : a tratar com Jos Ili-
gino de Miranda.
=Vendo-su a bordo do Liste Eipeculadar fari-
nha de mandioca do boa qualidade e mais em con-
ta do que qual juer ontra.
= Vcado-su graxa do Rio-Grando, por pnco
cujnmodo ; na ra da Praia n. 23.
Vende-se um lear por prego commodo ; na
ra eslreita do Rozario n. 50.
Vende-se um transclim com 10 oilavss um par
de brincos com 3 oitavas o meia de ouro bom; na
ra larga do Rozario a. 19.
Vendem-se24 oitavas de galio de ouro largo ,
para caigas do uniforme do estado-maior e um re-
trato grande do Sr. D. Pedro II, ha pouco chegado do
Rio ; na ra deS. Rita, n. 91.
Vende-se leijao mulatinho muilo novo, em sac-
cas de dous alqueires e oieio ; no armazem de Fran-
ciscos ias,!erreira, no caes da alfandega.

(los
Vende-se mui'i boa saiga-parrilha chcgij,
prximamente C R*r ; ao p do arco da Conceirjg
armazem de Fern < 'o Jos Braguez.
Vende-so champando muito superior, covadinhi
'.".rvilhas esaceos vasios ; ni praca do Corpo .San'
n. 11 tm casa de Me. Calmont& Companhia.
Vende-se f'arelo pelo mdico pre.
co de 4'SO'JO e 2.<56o rs. ; na ra
Scnzalla- Velha n. i38.
Vende-se vinagre superior a
ris a caada ; na ni i do Aterro
A Togados n. 7 .
Vende-se a mnilo inleressanle obra
Omez de Maiia a qual conten vi-
da de Nossa Senlion, nitrito util para as
Senhoras com encadernacao domada,
e estampas mui finas de Nossa Senhora'
c outras muilas, por preco mais com!
modo do em que otitra qmlquer parte
Diccionario Magnum Lexicn, ediccao de
i843, muito augmentada, pelo commodo
preco de 6S000, Horatius em 2 volumes
por 3.saoo : na Praca da Independencia
loja de miudezas, 11 5.
Na botica nova da ra dos Quar-
teis, de Jos Alaria Goticilves Hamos, ha
um bom sortimento das melhores semen-
tes de hortalica, viudas prximamente
de Lisboa.
Vendem-se meios bil leles da lote-
ria de Nossa Senhora de Guadelupe, que.
corre mpreterivelmente no dia aa do
coi rente, a 4s'4000 : na ra do Crespo n.
16, loja de .los Azevedo de Andrade.
Escravos Fgidos
= Na noute do dia 15 para 16 do correte moi de
julhodesteanno, fugioum prelo de nome Joao, dt
nac&o Angola, de idade pouco mais uu monos de 30 an-
uos, com os signaos seguintes; falla muilo bem. que
al parece crioulo alio, grossodo corpo, bem pi.
recido cor muilo prela ; levou calcas de algodozinho,
e camisa de algodozinho entrancado e chapeo de en.
erado ; ps compridos, os dedos grandes dos mci-
mos (icio um tanto por cima dos outros dedos; he tra-
balbador a bordo dos navios, na estiva e de catraeuo :
quem o pegar, loro a ra do Pilar n. 4 que sera re-
compensado'do seu Ir- balho.
= Fugio. em principios do mez de maio p. p., do en-
ger lio Riachao da provincia das Alagas um escla-
vo crioulo de nome Louren^o de idade do 18 a 19
annos, esta bufando, altura mediana, secco pernati
bracos linos,bstanle preto,alguma cousadentuco: 11 m m
o pegar, leve ao dilo engenbo a teu proprietario Joio
Marinho Falcao ou nesla praca a Manoel Gomes sa
Silva na ra da Cadeia do Rocife.
== Fugio no dia primeiro do setembro do engenbo
Monjope o escravo Traja no, crioulo alio, de cor lula,
de idade de 2o annos pouco mais ou menos, barbado,
tem uma cicatriz em cima do olho direilo e oulras ni
porna direita : quem o pegar levu a seu senhor Fran-
cisco Xavier Cavalcanli, que ser generosamente re-
compensado.
= Em o dia segunda feira do Espirito Santo, do
annno passado fugio a preta Catbarina do najio
Angola ladina, alta, bstanlo secca do corpo, scio pe-
queo cor muilo prela bem feita de rosto, olbos
grandes o vermelhos com todos os denles na frente ,
ps grandes o um pouco meltidos para dentro muilo
conversadeira e risonha de idade do 22 annos; tem
sido encontrada na Estrada Nova da Magdalena, eoo
Atierro dos A logados vendendo verduras, e aos do-
mingos no maracal dos coqueirosem dito Atierro dos
Afogados : La pouco, foi ella vista por um moco sa-
hindo da casa do palacio do govorno, na ra de S. lien-
to em Olinda para onde lornou a entrar ; he prova-
vel que estar por all oceulta visto o dilo palacio es-
tar de\oiuto : a dila escrava pertencea Manuel Irn-
cisco da Silva na ra eitreita do Rozario n. 10, lei-
ceiro andar ou em seu sitio em S. Amaro.
Fugio, no anno de 1823, um moleque de nome
Florencio, com os signaes seguintes : linba naquelle
lempo l para 12 annos de idade, falla descansada,
cabeca um tanto puntuda para traz olbos grandes,
pestaas compri Jas uma costura de ferida na per na
direita da parte de fra logo a cima do tornuzelu ,
signal este que nao pode mudar ainda mesmo com
a distancia do lempo; foi visto e constava estar no Rio-
Formoso, e de presente nesta praca : roga-se encare-
cidamente as pessoas encarregadas da polica, capilaes
de campo toda a vigilancia no dito escravo, visto seren
seussenhores privados de seus servicos por tantos an-
nos os quaes dio cem mil is. de gralilicacao a quem
otrouxor nosla praca na ra eslreita do Rozario n.
43, primeiro andar.
Desappareceo, desde o dia 14 do correle, 1 par-
do de nomo Pedro altora regular cheio do c rpo ,
de idade de 50 annos pouco mais ou menos peines
um tanto finas caa enrugada ; luvou c< misa e cuiou-
las ; suppoe-se ter mudado de traje, pouca tarca;
ulga-su andar aqui nesta pra(a; roga-so a toda e qual-
quer pessoa quu o pegar o conduzaao sugundo an-
dar da casa o. ao lado do largo de palacio, com lun-
dos para a ra do Queimado ou na ra do Crespo,
loja n. 4 que sera generosamente recompensado.
Ainda esta fgido um preto de Angola, de no-
me Joio, baixo, re rcado do corpo cor bstanle fu-
la, cara redonda ; levou calcas tinadas de Irim branco
trancado e camisa de algodauznho liso ; quando fu-
gio tinba uma corrento no p direito que (leve ler a
marca o consta quo ja a lirou : quem o p*gar, levo a
ra da Alegra n. 54 que lera recompensado por teu
tenhor,Marcollino Jos Copes.
PEHN. } NATYP- DE M. f DEFAMA-- l8/ju.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERKOQPT6B_T0PFO8 INGEST_TIME 2013-03-25T12:47:07Z PACKAGE AA00011611_00837
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES