Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00836


This item is only available as the following downloads:


Full Text
bino de 184.
Quinta fcira 17
n 1)1 I lili) publica-sc. todos os da que
[aforen de guarda: o p.eco daMjgna-
U he de 4i rs. por quartel pnjni adimlmlns.
.aununcins dos assignantcs sao inseridos
Jo de 40 it'is lr I'"1'-'. 4n rs- cln 1>P
rento e as repelicoes pela inclndc.
nue n"o forera assignantcs pagao 80 rs.
*q
ir I!
inlia, e 160 em typo dTfferente.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Ooianna Paralaba, c Rio Grande do Norte
Segundas e Sexta* feiras.
Cabo, Serinhacm, Rio l-'ormnso, Porto Cal-
vo, c Macer, no i", 11 < '21 dcada mct.
Qxanhuns e Bonito a lo e 21.
Boa-Vista c Flore* a 13 e 28.
Victoria Quintas feiras.
Oliuda todos os das.
PREAMARDF. IIOJK.
Primcira a*2b. e54 min. da tarde.
Segunda as 8Jli. e 18 minutos da inanliaa
POASES DA IVA NOMEZ DE .1111.110.
._, tl \ ns 2 h. c 10 min. da tarde.
" ,. a 12 aos minutos da tarde,
"'"h.ia a 10 as llior. e min. da man.
SjSt a 28 a 1 hor. da minina.
DIARIO
de tlnllio.
Anno XX N. li*>.
DAS DA SEMANA.
IKI 14 Secunda S. Itoaventuia and. do J. de
$/-: l,l,2.v.,e do J. M.daS. v
K> i;. Terca i. Cainlilo, and. do J. de I).
1.
ere-
da I. v. do J. do* I ellos.
I Ou irla S. SUiuindo. and. do
ll. da II. vara.
T Ouinta S. Alcixo. aud. do Iiii do I).
"da 2. vara, do J. M. di 1. < 2. v.
1S Sexta S. Mariiiha. aud. do I de l>. da
1. v. doolvcl.r dos I. dos FeilOS.
19 Sabbado S. Vicente, aud. do J. <.c
I). da 2. vara.
20 Domingo S. Jernimo.
1 _______
CAMBIOS NO DA l DE lULAO.
Cambio sobre Eondres 85 d. p. 1#a 00 e 00d.
Parla-S/O r.'is por franco.
i Lisboa 120 por 100 de pren
Hese, de let. de boas Urinas 1 '/, 1 '/l I' ".'""
(h*o uncus hespanhola* 31#roo a 31/fifo
Horda .le /400 eri. 17*i00 a IWWO
,. deliMnov. 17^800 a lTOO
de 4/000 9/!W0 a 0/700
ftLm-Pai.icocs7 \m *
Pesos Columnare*. ItfXiO a W-o
Hitos Mexicano W40 a l^O-io
,. Moedas de 2 patee. !780 a 1/800
AccesdaC* do Bebcribe de 50/000 ao par
RHAMBUCO.
PARTE OFFCIAL.
Govefno da provincia.
AdminiStiUcaS no Su. Chiciiohho.
Dia 11. >
1 a .IVaclos. Commnnicsces da pntse s prcii-
Jcnoiai Jo imperio, e cmara da provincia.
Da 12.
3 ; P 36.Manda ao cummindo superior da guarda
tcional do Recifc dispensar do servico o inspectores
,e nuarieirlo noowadot, o nhamar para o aervic os de-
ittido*i e participa ao cliefc do polica que o requisi-
ra.
X,,Manda deapidir, a riala do que informa o engo-
lirirn em chefo, o do conforindade c.oni o disposto no
I o do artigo 13 da lei provincial n 144 do 22 de maio
Icite auno, o* ajndantea deeugenheirn Bcrnardino Nu
K*da Oliveira.e Joaqnin Ignacio Jo Barro Lima; edil,
pie, como pelo citado dcvSo existir 3 ajudnnte, fa-
i anuncio, convidando uppositorca para un dettM
Igaree, a fim de prefazer e u numero legal.
38 a 40.Coraoiiinica a thesouraria provincial, ca
niara municipal de Iguaraat, e lyco, que, na forma da
i lei, o coma inforinaee ropectiva, tranferio a
residencia,por despacho de 11 du corrcnte.a cadeira de
rimeras leltra da puvoacao de Patinado para a de Ita
lirunia.
41.Comraunica ao commandu das arma a passagr-m
leneedida pelo governo imperial para a guarnilo desta
irovineia no primeiro argento Antonio Venancio de
un, do 1 batalhi de arliiliaria pe.
42. dem ao arsenal de marinha, que e ofliciou ao
liui.tro a crea do destino da pracas julgadas inenpa
ei do servico.
43.Traii8initto urdendo tlieiourn.
44 Responda ao delegado do Oliuda, que, nflo lia-
[temi presentemente torca dispouijret ncm do oorpo de
llioia, nein de primcira liuha, nao podo aer salisfeita n
quisioau que fax do um destacamento; e que,sendo elle
n.ije toncnle-ooroncl cliefe do primoiro balnlho da
guarda nacional daquelle municipio, deve empregnr o
iicioslegaes, que tena sua dispnaico, para dar ao ba-
[tallin a disciplina o subordiuacao que llie falta, segun-
Llu iiifrina, e chamar deadoji, para faierera aguarda
ila eadeia, o guardaa naeionacs, que para ato forem lie
rosario, oaquaesifio ob,rigadota ervir gratuitaiuen-
|te por tres dias, na furnia da lei.
4a u 40.Manda a thesouraria provincial adianlar ao
ilcstacanienlo de Flores o sidos do correte mci e do
Je agosto eseterabro prximos futuros; e participa ao
.mum.iiiij.iuto i.t.iI iln coqio de polica, que assim orc-
quisitra.
Da 14.
47.Remalla ao relator da junta de jualca o proecs
'do soldado do balalliio destacado, Francisco Jos da
Mita.
18,Ordena a thesouraria provincial, que mande
jn'ir novamentu em prac.a o contrato do imposto d a-
[o'ardcnta no municipio do Cabo c de Iguarass.
40.Auturisa (i arsenal do guerra comprar
jeelus que precisa para os aprendtes inenore
os ob
. un -t
EXTERIOR.
Vimos jomaos dos Estados-Unidos, quo alcanzo a
122 de maio ultimo.
As Tullas de Wusbington, especialmente a Union,
lorian actual da nova admiuistraco, do a entender, que
Mr. Walker, secretario do thesouro, apresentaria bre-
n nu iiir ao publico nina redcelo na tarifa doa direitos.
O Nttf-York-Uerald di/:- deque eslava informado
i|ue o novo presidente, Mr. Polk, tinha concebido o pro-
I jecto do romear para utna missao especial u Inglaterra a
[John Calbour de Carolina do Sul, com plenos poderes
I extraordinarios o discrecionarios para negociar com a-
quello governo, tanto sobre o territorio do Oregon, co-
mo mi' tratado commercial sobre bases de reciprocida-
I de e igualdade de direitos.
No dia 11 de maio, pela manbSa, houvu em lioston
um incendio, que destruio perto de trila edificios. Te-
I *e origcm o'uma oflicina de carpinleiro, donde coinmu-
nicou-sa aos edificios djacenles; e espalhando-se as
cbammas, lrao destruindo ludo quanlo encontrrSo de
ambos oslados da ra. O quesuspondoo o progresso do
incendio, foi um muro de lijlo, que havia por trai de
um templo methodsta, situado na mesma ra. O Allat
d urna relaco das casas destruidas, que oro pela inaior
parte de madeira. e oceupadas por (amibas irlandezas.
Depois daquelle incendio bouve mais seis, quo segui-
rao-se em rpida succcssSona mesma cidade, dos quaes
um destruio ei casas om (arden-tlrcet (ra do Jar-
dim) .
Desde 10 at iG do maio inclusivamente ebegarao a
Boston, de portos estrsngeiros, 1722 emigrados.
Esperava so que a convoncao do estado do I.ouisiana
eoncluisse osseus Irabalhos sobre a nova constituicao no
dia 13, pouco maisou menos. A convenci estava em
sessao, bavia j lempo bastante, para fabricar dous ou
tres inslrumcntos daquelles. que estava para concluir
Tendo sido nomeada urna commissao para propr os
meios de levar-se a elleitoa conslituico, apresentarao-
se dous pareceres, um da maioria, e outro da minora
da commissao. O 1." rocommendava, que na segunda
segunda-lcira de novembro ceconsultassc o voto popu-
lar sobre a adopcao ou regeicao da constituirao, e pro-
punba que se permittisse votar a lodos aquellcs que po-
dessom ser volantes, segundo a nova constituicao, e que
o resultado fosse proclamado pelo governador. So a
constituicao fosse adoptada, lar-se-hia urna eleigao ge-
ral na terceira segunda-feira de Janeiro, e reunir-se-
bia a nova legislatura na segunda segunda-feira de le-
vereiro, em Nova rleans. O parecer da minora propu-
nha a segunda segunda leira de julho como o periodo
para se consultar a opinio do povo sobre a ratilicago
da nova constituicao; mas s permitlia volar aquellos
que goiassem desso direito segundo a antiga constitu-
cao-
Porm a convenci do estado de Louisiana decidi
a 11, por urna maioria o'uro vuto, que a nova consti-
tuicao fosse submellida ao povo para a sua ralificacao,
ouregeicSo; e que se permittisse, n5o s aos votantes
segundo a antiga constituicao, mas tambora aos quo
viessem a sol-o no caso da adopcao da nova lei orgni-
ca, o darcm osseus votos pro, ou contra asuarati-
licncao.
O Bulitin Commercial de Nova-rloans de 12 de
maio diz o seguinte : A convenci do estado en-
cerrara provavelmente amanbaa a sua sessao, e cessar
a sua existencia. O negocio, que agora temde tratar-
se, be pouco mais do que um objecto de mera forma.
Uleitor observar, que o documento, que a convenci
acaba do dar luz, vai ser submettido prova d'uin
voto popular antes da sua final execucao. Concede-se
um espaco de tempo sulliciente para utna completa dis-
cusso do seu mrito, anteriormente ao voto pelo qual
se ba de decidir da sua sotte.
Tinhao sido plenamente confirmadas ns noticias do
Mxico anteriormente recebidas. a respeito do Ierro-
moto, que all bouve no da 10 de abril. Sentirao-se
dous abalos, que aterrarao em extremo os habitantes,
os quaes precipitrao-se de suas casascom pavor para es-
caparera imminento ruina dos edificios que desabavao.
Tamanho foi o terror incutido por esta causa, que mul-
tides de gente procuraviio relugio as ras, piaras pu-
blicas, ejardins, abrigadas do tempo por Iracas cober-
turas temporarias. Como os abalos ero repetidos, fu-
gio em tumulto melado da popularao desorientada, da
cidade para os campos. Muilas casas licaro inleira-
mente destruidas, e anda inaior numero, d'ellas arrui-
nadas. Kmpregrio-se todas as ceremonias propriasdo
culto catholico para trauquillisar o povo. A instancias
da cmara dos deputados ordenou o presidente, que a
sessao docongresso fosse transferida temporariamente
para outro edificio, o da antiga inquisicao. Todava,
foi por muitosdiasimpossivel conseguir-se ocompar-
cimenio do numero de membros necessario para dar ex-
pediente aos negocios. At 1C nao tinha voltado para
acidado grande numero de eidados, anda receiosos
de novos abalos : mas n3o se szia mencao alguma de
perda de vidas na capital.
i'jsntat
FOLHET1M.
CAHOLIiNA NA SICILIA. (*)
/n saiiyuiie firdut
DIVISA D* Olllll M UF. S. Iv.M Milu.
SEGUNDA PARTE.
XX.\.
A VIAGEM DE MAR
Deiamo* i bordo do brlgue a rainba Carolina, o
brigne riu romo de Cataiiia, aprovvitaudo todo o vento,
lia bella era a noite que quaii toda sobre o tomhadi-
lllio a pmisou a raiuha, quo firoeurira e achara a propria
liauquillidade no auguilo espectaeulo do etrelladu fir-
mamento, reflectido nu escuro cspelho da onda. A bi-
crnea la brilliava com nyaterio obre a monianhaa de
Agrigent0| e dcrminava a duridOM lu obrc a cxteuao
da u-rra que mal se apereebiao. Depuit das fadigas e
", \ie Diario u.' io.
Parece, que o terremoto se estondta atravez do paz;
pois que foi sentido ora Vera-Cruz, Puebla. Morel.a,
PaUcuara, e n'outros pontos, se bem que em difieren-
tes datas, e em alguns districtos tivrao lugar os abalus
por muitos das successivos.
He quasi cscusado dizer, que o Meneo anda nao ca-
via declarado guerra aos Estados-Unidos, nem se fez
ainda intimacao alguma, quanto ll operares bost.s,
quesedizia bavor o general Herrera emprebend.do ;
mas cuia nalure/a elle conservava em segrodo. As ga-
zetas oceupavao-se. segundo o costume, com a d.scus-
sJo da medida da MMt*Cao. l'mba-so recebido e pu-
blicado a respeito de Mr. Bucbanan ao protesto do Seor
Almonto, a qual resposta servia do gancho, deque pen-
diao muitos artigos espumosos, ebeins de om_ e luna.
Os redactores nao fallavao senao em resistencia; mas
nao se via urna s cousa feita, ou mesmo proposta.
Urna folha zacateca fazia mencao d'uma cxplos3o.
quo bouve numa fabrica do plvora, situada na estra-
da, que segu para Guadalupe, pela qual fu. o edificio
completamente destruido ; o proprieta-io e mu.tos ope-
rarios lrSo morios, ou feridos.
Umpassageiro cbogado a Philadolph.a. a bordo da
escuna Crile, que sabio de Vera-Cruz a 22 de abril,
deo noticia de que os abalos do terremoto anda erao
repetidos, e que a explosao do armazem de plvora, a-
cima referido, foi oceas.onad por urna dessas convul-
soes. Os habitantes da capital tinhao-se relugiado cm
barracas estabelec.das ao longo dos passuios publico*.
Com ludo, cria-te que os abalo; baviao cessailo ; pon
queovolcao de S. Martinbo. que tinha estado quieto
por eiparo de 80 anuos, coraecava a lancar cbammas e
lavas. ..
A respeito de Texas o governo mexicano pareca ais-
posto a reconhecer a sua independencia, e quena esco-
Iher a Franca e a Inglaterra por arbitras, lal era o
theor das ultimas notas.
O general Santa Auna ainda estava em Porota, e o
seu processo pouco maior progresso tinha felo. As
folhas nada dizio cerca d'elle. e parec.ao havel-o
deixado inteiramenlo por mao. como thema. lslo nao
indica que a sua estrella ja so tivesse posto ; mas laitez
queso tenha eclipsado.
&-13SI:
NTEBIOP,
pengnt do dia, o repouo univerai tinha para rainhl
ioellavel encanto, dojura iuexplieavel. O seu COraeSo
reeebia-lho a influencia, o a tumultuosa paUOe* da
lucia, da vinganca, da ambicao rediao gradualmente u
lugar a emocOet inail pacificas de um amor anda novo e
nao mamfetado. Ma eiaa menia eqioeoe* niodeia-
vo de ter seu susto : Fabio eslava preo. Que sena
dalle? Cmiron cesaegniria talra-lo? Toda a aua eape-
ranca, a ca hora, a esperanza de una ruinlia, eslava em
amCaalrono! Nao se reeosfbecia abioeMarneceador des-
uno preieutlde por Tcito, e que sentado obre o thro-
no do mundo, lomba cruel do negocio humano? Di-
vidida entre o peiuamenlo do que a pos de si deixa-
va e do que a all'iuolar, Carolina patauu tuda a noi-
le abtorvida em si ineiiia, meditando no amor o no im-
perio.
Silencioso e rpido marcha va o brigne ; s se ouvia o
brando mugido da ondas, corlada pela CSOUmOM proa,
e o uiirru do vento nos cabo, liomein do lemo fazi
o sea quarto cun a ponclnalidadc de um aiitonialo; ttu
propicia e moslrava a noite, que algn pouco homciis
desempenhuvau a manobra) o relo ila equipagem dor-
ma eomo se estirarlo tundeados. U Aller ego que dora
em diente obaaaaremo* eoromandante, Bonaeraa o seu
navio cin perfeila ordeni u laiia observar a disciplina
militar em todo o seu rigor. Sua posiclo era ambigua
por nao dizer suspeita, porque alem do que liaba de es-
IUO DE JANEIRO.
o RELOOIO DA CAHAUA DO OBPOTiDOS.
[Cornipandincii rtmrada.Comi da corle.)
Amigo Sintinella.Esla ludo perdido Que ma si-
na a (leste pobre imperio do Brasil Ainda bem n3o ti-
nha detapparecido o horrendo perigo com que o amea-
eraademissao projectada do Manuel do Thesouro. e
ja ahi esla outro pengo imminento assustando o inde-
fecliret Nunes, que nao be hornera que so assusle com
qualquer cou^a Tieme-mo a passar.uha, e estou cora
os pesos lao cncolbidcs, que nao sei o que ha de ser de
mim.Seteoe, meu camarade, Iranquillise este seu a-
migo afilelo, i|ue j naoencontra alhvio.
Ouarta-feira bavia tiesta casa um espirito negro quo
esvoacavapor sobre as cabctas patriticas dos represen-
tantes do grande partido nacional, dos homens da pa-
tria e da liberdade.Era um zum-zum insupportavel;
a praia eslava niedonba, amcaeava naufragio prximo...
o ludo era para niim um inigma.quo no poda, nem
sabia decfror. Finalmente o Fernandes Torres declarou
abeita a sessao, deo por appiovada a acta, e o Nunes pe-
dio palavra para a primeira octasio. I.o-se o expedi-
ente, e finalmente deo-se a palavra ao inde/ectnel. Prm-
cipiou o patriota excellenle, declarando, que o levanta-
ren o das mauai nao pentantes nao o assustava, mas
so o alTligia; porque a aceao da autoridade bastava para
acabar com esses movimentos : nao aconteca assim,
porm, quando os poderes do estado so collocavao em
opposicao maniesta, quebravo a harmona que devia
existir entre elle*; porquo enlo era corta a AHAICBIA...:
nesses casos o Nunes assusta-se o receia pela vida da so-
ciedade. Misericordia Sem duvida, disse eu commi-
HL*UII i' -." MKif --+*-JJ* 'II1SIK
iranho o cu comportanieiilo, a sua cniuiiisso era as-
signada pelo amigo governo, c poeto que o novo ou por
negligencia, ou poresqueolmenle nao a livcsse ainda
ni ucado, nao pudn deixar de o aer de um para outro
momento. Rerocada ella ofBeialmeale, rbreoso Hio soris
entregar o navio, ou ftter-se pirata oonserrando-o. Em
todo o naso loria de dar severa cantas. Km quanlo pa-
ren nlO chegava esse mumeiitu decisivo, ia elle desfruc-
laudo o que llie deisavto, e pundo-se era regra como llie
erapossivel. Assim porexemplo, tinha elle eseios de
prnrar, melhor ou peiur, que o afio ingles lioanda-
ciosamenle spresado, nao tinha o eu drspaeho em
boa tornia, e que se ello o capturara e uuiifiaera fra
per interesse doeommercio e da navegacau. A rainba
nao llie falluu desle incidente, nao quereudo nem MIIO-
eionar, nem cundeninar um succco, queja mnito ba-
havia coinproinellido j antes quelia fingir ignora-lu.
O r.oiuniandaiiK' da sua pane lamben ttlu Ihe diese una
palavra, e levou a sua discric&O ao poni de respeiUU u
ineognito da augusta passageira, ate naconversacao par-
ticular, ainda qucCaatrouc o houvee iufurHiado do ne-
"ocio ; e aluda com mais rasao peranle a equipagem Ibe
nao eseapuu nem asna patarra, nem un aignal revela-
dor: o segredo foi guardado fielmenle.
A visgeiu loi foliz e sobremodo curta. Fez-se cami
nbo euorme durante a noite, mas ten e distinguir cou
tu alguma, mo obstante iiaugar-ee niuito prximo a
ao, o poder executivo, ou o modorador, ou o judiciario
fez alguma de estrondo... Estar suspensa a constitui-
cao? estar violada om seus mais importantes arti-
gos ?... Eu banzava com o exordio do Ilustre prsieiro,
quando S. S. revelou. quo a anarchia estava aporta,
porque o senado tinha declarado validos os collegios e-
leitoraes de l'ernatnbuco, quo a cmara dos deputados
annullra.
Soceguei um pouco com esta declarac8o : ora natural,
queaSiberia eslivesse em guerra com o lndostio: o
negocio se acalmara, logo quo os patriotas de ca se en-
tendessemeom os patriotas de 14. Durou pouco este re-
lorno ; tranquillidade; foi do pouca duracao o meu so-
ceg, porque ouvi aecusar o senado do precipitado em
sua decisao; dissrao que elle ubrava por cjpncAo; que
revalidara, ostaes collegios por injuriar, imultar c-
mara dos deputados; que os taes, quo vot validaeao erao outros tantos anarcktstat. Ouvindo ludo
.sto da bocea do Urbano, do Barrinos de Sergipo, o
principalmente do Mariano (que be codea), e vendo que
o presidente os nao cliamava orden, disse ca com a
minha campanhia:Com cfleito ocaso ho grave, gra-
vissimo : se estes n5o pi.Jem conter no intimo do pello a
ndgnaco, be porque ludo est irremediavelmento
perdido. Sauvequi peut'...E quando o dr. Moura
Magalhes disse, que o corpo legislativo figurava duas
uuramides troncadas, e que as inatitoiefle* polticas do
Brasil ero um amphiguri indecifravei!... ah entaofot
que me .ubir.io o peso le vera, e nto creio que, do-
vendo unnuiieiar om aniba a columna, quo era meio
lia, nao pudo dar com o balalo ou com o martellu; lo
alterado tiqnei '.
Mas diga-me voc, que be meu amigo -.como se a-
ireveo o senado a julgar de eleices, discutindn a culra-
,1a do mu lutur.......mbro ? Quen, quem fui que Ihe aeo
etsanutarisaolo? Nia abo o sonado que deve em ludo
o por ludo andar em barnonla com ss deliberarles des-
la casa, onde residen vida nacional ?M0 me venba di-
zeudo, que a oonstitulelo d a easa corporacio de ve-
Hiosu direito de verificar o poderes do seu* membros !
isto tambera c e disse, e naovaleo de nada. He verda-
de que no mesmo artigo e pela nieania pslavras e ex-
prime a constituicao, quando traa da verificado dos
poderes do deputados a enadures, e que, assim cuino
enmara electiva pude julgar valido ou nullo oscolle-
giot eleilorae, tambera o senado gusa desse direito. Ma
i'ssu nao vale nada, porque ba um artigo na OonstltUI-
cao, dores seiao ele.to da ifs//io maneira quo o depulado;
o que vnivel o olaraineiiio quer diierpelos rnrsmoi e-
leilores que elegrem os depulado: o aira o devo
entender; porque o acto addieional diz, que o membros
da asaemblea provinciae ejo eleilo pelo ine.nio
elcitures que elegrem os depulado gerac. Olhe o
esta denonStracSo nao convenee, digo Iho que nSo ha
nada quo 0On*eue*> Senliore da S.hera, coiihecao o
seu lugar, n. deilem a uianguiulias de fra, porquo
e no Indosto o fjro conter.....
A verdadu ba ((ue ba muflido;assim odissero osen-
lendidoa na materia e cala valo que, em caso de con.
Hielo entre a cmara do depulado o u enado, aquella
competo o direito de julgar. lato nao lera replica : esta
cmara ba de julgar o negocio, c por ito la foi urna m-
dicacao do Nunes, a lal re.peilo, a coiumiaaao de con-
lituico, que ba de fazer o melhor. E se a vommiua e
demorar, oomo ha desbarmonia, deaordeas, anarebia,
segundo a Iheprla do raesaMsimo Nune, he chrgado
ai'sus (aderil; cumpre resistir, para fazer brilhar nos
horiaonle bra.ileiros a harmona e a ordero. A tbeoria
esl abi le.tinha, e deve ter prealimopara alguma couta.
Oepois desta esuaramnea, emrou ollerculauo com a
lei de eleieoe au tumbo. Uiz-me o Saldanba, que ue
la materia nao ha nlnguem mais entendido do que o li-
tigioso; e sendo assim, el vilo que a lei nao preste pa-
ra nada; porque o lal lerceiro secretario pus Ihe delei-
tu, que foi uina desgrac para a tal VfHUS da Joanna.
Bale Uicuro fui principiado na terca, o termiiiou na
quarla foi re, cora um alluvio de emenda.
X cmara boje nieve devoradru Emenda do sena-
do sobro o projcclo creando a conladoria da luarinha;
parecer sobre o contrato folie pelo governo coma com-
panhia belga de oolonisseao; W elcitoral; emendas do
senado sobre o projecto creando relace; o finalmente
incompatibilidade du enpregos munieipaes com o car-
terra. Deacobiia-ac somonte |ior iutervallos, c como um
ponto luiuiuusu, como um estrella, ora nOS farol etabe-
lecido na coala, ora una fugueira aeea as montanlia
pelo pastore ; mas Seiacca eaua muntaiihas illustrada
por Ddalo ; Agrigculu e seu templos, Palma esuas ri-
soubas campia, a turro feudal de Alicata, a velha for-
laleza rabe de Hulera; ascidades, golfos, rio c monla-
ulias, ludo eslava afogadu; perdido no seio das treva,
Com (|ue impaciencia nao soffria a rainba o vagar de-
u navegacau sem flm! com que ineejosos olhos nio se-
gua o paaaaroa du mar que volteavao em lomo do na-
vio! e quanlo n.i.i detejava ler aza para tumbar do ca-
pricho do vento! Alen do mais lemia ella erupre al-
guiu mao encontr, que deacobrindo a na preicnca,
lena ao nieuio lampe revcladu o segredo da ua viagein
a Galana; raaa anda dcsta vez Ihe foi propicia a fortuna:
uaviagem nao foi perturbada, nao enconirou um o
navio ioglea, nem mesmo mercante nto obetante eatar
0 bngue preparado para ludo, O ponto dillicultoso do
vencer era Siracusa, urna daspnncipae ctace do In-
gkzet naquella poca; e por io oeoaamandante leve o
cuidado, logo quecbegou ao mar Ionio, de e fazer ao
largo, a fim de escapar s vigia. A noite veio em seu
soccorro e cobrio-lhe a passagem de imponclravcl veo.
1 odavr n&u paaartu lio longe, que a rainha nao podet-
se ouvir o ctirondo da artilberia, e distinguir atreves da


ir o lo rereidor. Isto he qne ho trabalhar A onntodori*
a mnrinha est creada; a discusslo obre o contrato de
OOlonitaoSo ficou adiada; a lei de elcioie levo a momia
orlo; .la emenda do senado ao projoctn creando re-
Jaces c.ihirSo algumas, ejulgouse objecto van/ojoso;
portante havor Ralo das cmaras : o ultimo projeoto
le lei lambn ficou adiado.
Saldauha die-me, que noandassc en coni sus-
tos, por amordadccisJo senado; pnripio O Paula Son
i", que sabe de cor c argumentado! os artigo* dq oona
tiiuicn, allirmra no | ac do campo do Sant'Aana, que
oaaenadareaeflo juici uberanoi na verifica^-ao u...
poderes de seus iiieniluo. Mndeme dizer ac isto lie
verdade, ee o Paula Souxa lie autor de ntMa na materia.
Sala da sesses, ;i de junlio de lS't.i.
O Riaocio da Casa.
&
Sr. Sentinella. A patria est salva, ope/ar de to-
dos os recejos dos patriota* ; o so nao est, vai cami-
nbando dircitinha e com securanca pela estrada da sal-
fac&o. Se cu soubcra que as cousas cbegariSo ao pon-
to a quu chegrao, netn que voc me pedase de joelbos,
nao lite escreveia estas cartas. Os representante do
povo soberano estao contentes; logo o povo tambem es-
ta contente: muito folgo com isto, ecordialmeote dou
osparabensao povo por tuir.anba f rluna. Acamara
tempestado n'estes ltimos das om calmara podre : vo-
C, que he opposicionista damnado, di que tu esta-
do annuncia prxima borrasca ; e eucreio que lie re-
msso de crise : os patriotas de um e outro lado brinco
e folgo como rapa/es em hora de recreio. O gover-
no vai andando to sereno, 15o bello, lo Cntente de
sua posigao, que he inestno um pra/cr. Todos estao
contentes; pois entao Viva o contentamente goral!
Nao faga cara feia, camarade ; he como Iho digo: beo
vjo que este estado be a mor te certa dos jornaes oppo-
sicionistas; mas seja um da patriota, e reconhera com-
inigo que nao ha trra lao abengoada como o Brasil no
anno da graca do 1845.
Monten, andrao aqu aos tombos com a admisso dos
jninistros, que nao frem deputados. Ora, isto he inu
til; basta que os ministros se carlem comosdeputa-
dos, o nao he preciso mais nada. Os deputados zan-
go-so com o ministro tal.1 escreve-se una carta, e el-
le he demiltido ; nao querem quo outro saia do minis-
terio ? escreve-se outra carta, o elle fica. Assim be
que be bom ; o mais sao historias. Fique n'esta ; por
ineio de um billet doux, rote, tallad el parfum alcan-
cao-ie cousas. .. ob que cousas E entao porque se
nao lia de resumir o governo representativo a eipreisao
mais simples? Isto de interpellaces, de dscussoes, de
exame, lie rococ, c'est commun.
OMuniz Tavares asseverou que n'esta casa nao ha
praieiros nem sanias luzias todos sao deputados bra-
aileiros, que, quando cntrao paraaqui, deixao l fra
o Donen) caspaixoes. Jsto loi dito com tanta unc-
cSo, que a cmara muito se sensibilisou : a commoco
loi geral .' He verdade que o padre nao nogou a exis-
tencia da Joanna ; o quo me (aria banzar alguinas ho-
ras, se nao lora a certeza que tenho de quo lodos estao
contentes.
llojo nao houve sessao por falta de numero. Voc di-
r que he vergonboso, que a cmara se nao reunase em
um di* to bonito, (So brilbante, to claro... Ueixe-
se d isso ; he mais urna prova do contentamente ge-
ral. Se ludo vai bem, para que deputados i1 para que
reunios? para que discussofs Nao ha nada que fazer,
inesmo nada pela palavra. (Jualquur da lica em si-
lencio este seu amigo.
Relocio da Casa
Sala das sesses. 7 dejjjnbo de 1845.
PEftNAMBuCOT
oi emfim o padre rccolhido a enxovia.aonde se a-
chavao 4 captivos, e 3 ladrees, nao obstante ter o car-
cereiro oflbrecido a sala-livre, o to; mas, depois de cinco horas de enxova, foi prisao
o Sr. Moraes, e o botou para a prisSo de cima.
_ Alejandre Jos da Cruz.um dos guarda-costas do
juiz municipal, surrou urna mulher em Maneota: he
um dos que forao presos pelo delegado, no barulho de
17 dnbri!.
vigaro de Iguarassi, homem, que nao se influe
em nenhum partido, de boa conducta, que tratadas
obrigaces do seu magisterio, som outra culpa mais do
que ser amigo antigo do capitao-mr Joao Cavalcanti de
Albuquerque, foi tambem envolvido no mesmo crime
do padre Trajano ( e outros muitos individuos), ese
ja causa ultribiio o acrcm amigos do thrnno imperial,
da ordcni publica, e de cu trnenle-coroncl, o Sr. Ma-
noel Joaqitim do Reg Albuquerque, em cojo easoeeir-
cunistaucias tambem me considero, e do quo muito me
honro
Aprovcilo a occasiSu de participar a V. S. quo, me a-
elnndo dncnle, nopoiso comparecer no servico; oque
farei, logo que fique bom.
Deoa guarde a V. S. Quartel nollongi, 14 de julho de
18/io. lllm. Sr. Francisco Carneiro Machado liios,
lenente-coroncl enmmaiida.ifc do fi. batallinu.Jos
Goncakesda Luz-, altere e oommandauU) interino da
ii.' companbia.
lllm. e Exm Sr. Informando sobre a represen-
tagan inclusa do doutor procurador-fiscal interino, ce
Navio sahido no mesmo dia.
Havre-de-Grace ; hrigue francez Arago, capitao S_
mSo Deyricn, carga assucar e algudio : panageiiu
Joaquim de Almeda Pinto, Brasilcro ; Jo3o An|0!
nio Gomes GuimarSes, Portuguez, levando em iU
companbia sua cuobada D. Mara Jos de.'osuiCu..
nha Guimaries.
eba,ha muitns das,desterrado da sua freguezia para nao mo V. Esc. n.e ordenou em seu ollieio de 7 du
ser calcado na enxovia.
Joo Iieixoto d Araujo e Silva,cidadao pacifico,que,
ha muitos annos,serve do vereador da cmara de Igua-
rass, foi agora processado, e perseguido pelo juiz mu-
nicipal delguarass, sendo corrida por urna patrulha a
cssa deste cidado; ecoino nao o acbasse, disse, queo
juiz Ihe liona ordenado, que, se o nao prendessem,
quera em tal caso seus filhos, eescravos na cadeia ;
assim foi executado,prendando se um filbe e duas escra-
ves, que ainda se achao recolhidos.
Ota, meus amigas, se todas estas proezts partissem
de um realista, quo nao dira delle, e do quantos rea-
'istas ba no mundo a gente demcrata ? Mas he um
demcrata, quom assim se porta he um agente do
grande partido nacional, que diz pugnar pela liberda-
de, pelas garantas, e por tantas outras cousas; mas
queou digo, pugna pelo diabo quo oscarregue.
Dizem queoe-xexccllentissimo lie mandado sabir,
mestranea cirurgico-medico, tomar banhos em Portu-
gal, u lim de obter melhorasem sua importante sade.
I'.is em que deo tanto uso de pilulas, tantas fadigas, o
tantos cuidados! todo este incommodo duve o nono \la-
noel deSouza, ou antes o Manocl de Souza dilles, at-
tribuir a praia, que com suas exigencias, e suas imper-
tinencias Ihe qucimro o sangue. Nao he a primeira
vez que os pas da patria teem feito com queosenh
Vlanoel do Souza v ver trras alheias, ou so v mostrar
la pela estranja. Su da primeira nao aproveitou, talvez
nem desta tire algum fruoto, poil osla em dado pro-
pria para rezar, o nao para (tajar. Se for certa noticia
do sua viageni, perde a praia o sen melbor oruaiuenlo;
pardo I'ernaiiibiico um flbo amantR da pobreta, de
quem, c qiiem se mostrou to afeigoado, to inclina
c,,.'i'1.l1l,u,!'\re|mrl,;a'''1'' f.-'r'0 "" ,C" ",ri,"oiro I vid. extempornea,
ciiuladn dar so a quem nada tinha, era mesmo serven
ta V, poi, o Nanoi-I de Souia Ueo o livro de mar
banzeiro, do venios pela pra o de agua na bomba : ven-
to de popa Ihe soprenidaqui ate l.
corrento tenho de significar V. Exe., prmeiro
que em principio de margo at maio passei ao doulor
Francisco Kodrgues Sette, juiz municipal da primeira
vara deste termo um procesio ejecutado em que me
dei de luspeito e em 9 de maio seguinto, o exercicio
do meu lugar, por 3 das em razio de tffcbar ino ano-
jado ; segundo, quo, obrando desta maneira nao
deleguei a minha autoridadee jurisdiccao.como preter
de o mesmo procurador-fiscal, mas segu o que de
termina a portara do antecessor do V. Exc. sob a da-
ta de 4 de Janeiro deste anno, de conformidade com o
disposto no artigo quarto da lei de 20 de novemhro de
1811, no quinto das instituicoes de 1 de Janeiro de
1842 e na decisin. 48 de 28 de julbo do 1843 ;
pois que na falta dos jues do civel, e dos de direto da
comarca empregados as assemblas legislativas pro-
vincial e geral, era o mesmo juiz municipal quem de-
va substituir-me nos meus impedimentos, em virlude
da dcsignacio foita na suprareferida portara.
Cumpre-me agora notara V. Exc. que o procura-
dor interino deixando de marcar a poca da suppoi-
ta delegago oceultando o nome do juiz municipal ,
que me substituio e declarando por lim, que de pre-
sente existe juiz do civel em exercicio, quiz sem du-
vida lazer suppr, que, nos meus impedimentos, ainda
continuava eu a ser substituido por juizes municipaes;
e como este facto se nao verificou na bypotbese *up-
posta conbecer Y. Exc. pela representagBo do pro-
curador-fiscal que este procedeo com summa levian-
dade, por nio examinar devidamente a legalidade do
Tacto, de que trata, e oceultou, por laconismo pouco
louvavel, circunstancias necessarias aoesclarecimeoto
de V. Exc. e boa deciso de sua consulla ou du-
Eclitaes.
Publica^es a pedido.
CORREIO.
COMMFOHMacU 0A i.in \iii-. i; PROVINCIA.
Pfoinelli-lbes honlom oceupar os seus loiteres com
gentilezas do Lul do cspeilio, quero cumprir a minha
pronena. Esse rapazola, depois que o Man cousa
subi ao puliiro, Icio desenvolvido una habilidado que
dfixaatraz quantos feitos gloriosos hajao em todo o im-
perio praticado os inaritucaeas do Galvao todos juntos.
rite em minhas maos urna especie do infoimacao dos
absurdos, commetlidos pelo tal martacaca, evou refe-
rir-Ibes o que de mais notavel abi encontrei. Ja mo
no admira o que esse perverso tem praticado a respeto
de Joao Cavalcanti, quando com os amigos do honrado
capitao-mr tem elle desenvolvido tanta infamia.
No dia 27 do junbo, estando em sua casa o padre
Trajano Estevao da Providencia, foi cercado e preso, a
ordem do juiz municipal, por crime do tentativa de
mortc ( inventada pelo mesmo juiz) em Joao Thenorio
de Albuquerque, um malvado, que se achava na casa
do juiz em armas, c que foi dos prsos remedidos para
o Itecife, requisieao do chele de polica, e que rece-
lico um ferimenlo no barulho, ou tiros quepartiro da
casa do juiz na ronda do delegado, na note de 17 de
abril, neste aconleclmentoj lao sabido, doqualtirou
o mesmo juiz um processo com teslemunbas, por elle
ensaiadas, das quaes duas ou tros tambem estiverio na
casa do juiz, donde fizerao fugo na ronda, o no outro
dia all se achavao na occasio da prisio dos guarda-
costas.
nbscuridade as ceutellias de fogo de artificio. Nese
ir.eaaaa dia e devia proclamar na Sicilia a nova oonsii-
tuicu, e esses signaes de ligosijo crio em honra da re-
em-nascida sieulo-briannica. Nio ignorava Carolina
.stacircuinstancia; mas ao v-la protfatir-ae, materia-
liiar-se cm toa prrscnca essaalegra oflici.il, Matio-ae
Ao lllm. e Exm. Sr. dtsembargador e conctlheiro Anto-
nio Pinlo Chicharro da Hama, ao cliegar de presiden-
te na Venrza do Brasil.
IOHBXO.
Raiou em Pernanibuco o fausto dia,
Qucrisoiibo nos troueo u illuslre Gama,
Homem sabio, virtuoso, e d'aurca fama,
Perjietuo drfi'ensnr da monaroliia.
Aniiuiudo no quo o governo Ihe exilia
No posto para o qn.il a patria o chama,
A prudencia o a justica, quo o acclama
Mu prestante varn, acro seu guia.
Permita, gram Cbicbrro, n Providencia,
Que, dest'oulra miaiio, tires o premio,
Igual ai> que te dora a concurrencia
De Minas Macelo \>, em cajo gremio
Do povo o recebeste, era incumbencia,
TO chara, quio logada, em proemio.
PorJ. F. H.t M. O.
lllm. e Exm. Sr. Tcndo \ Exc, por portara de
2 do correle, deiniltido-mo do lugar de subdelegado
do I." districlo desta c:dade, conlrme me loi comniu-
nicado, em data de 3, pelo Sr.chefe interino de polica,
e nao demttindo-me V. Exc., tambem de 1." supplen
te do delegado desta comarca,como devia; visto quo, nao
merecendo-lbe eu coofianca para oceupar o lugar de
subdelegado, menos a devo merecer para o de l.'iup-
plente do delegado, cujo lugar devo exercer por qual-
quer impedimento do delegado: portanto rogo a V.
Exc. me faga o obsequio demittir-me do lugar de 1.
upplente, cario de que desde j mo dou por demiltido,
e por -s jamis exercerei esse lugar.
Dos guarde a V. Ext. Cidade da Victoria, 12 de
julhodel845. lllm. Exm. Sr. Manoel de Souza Tei-
xeira, vico presidente da provincia do Pernambuco.__
Joo Nepomuceno l'aes de I.tra.
lllm. Sr. Bstanlo scnsivel me be nio ter parlilha-
do a surte do meus c.iiiipanlieiros, e ao mesmo tcinjio er
contemplado no numero dos o|l( iae, quo bao de servir
sob o commando de V. S. e anda be poaaivel cocti-
nuar V. S. a decidir dos deslinos da provincia., muito
fulgaria ser agraciado e.nii o mesmo destino, que deo V.
S. aos dignos olliciaes.ineus cullegas, do 8.*balalbo.ou-
Ueos guarde a V. Exc. Cidade do Recfe 9 de ju-
lbo de 184.lllm. e Exm. 8nr, Manoel de Sousa
Teixeira, vice-presideute da provincia. O juiz dos
feitos, Jeronymo Martiniano /ytirir de Mello.
COMME^CIO.
Alfandega.
Rendimonto do dia 16..............10:3l3j74l
DescarregaO hoje 17.
BrigueBrandy-Wtnemercadoiias.
IlarcaCalharinaidem.
BrigueTrt/o/iumfarinha do trigo.
BarcaAnlointtteidem.
Briguef. /'. I.oper idem.
BarcaThomat Mellaridem.
BarcaLrtamorebacalbo.
BrigueVultureidem.
IMPORTACO.
rAHIUS, brigue americano, viodo de B.iltimnre, en-
trado no crreme mrz. eonsigiiaco deL.li. Ferreira&
C, manifestou o eguinte :
1,31)2 barrica o lO meias dilaa cun farinha de tr
go, tii ditas com fumo, 1 caita com amostras doiuesino;
ao consignatario*.
lIRANltY W1NE. briguo americano, viudo de Phila-
(elplna, euirado no correle mot, eousignago de Ma
theiu Ausiiu & C, nsanifestou o seguinto :
2tiS fardo e (>\ eaUas com l'azenilas do algodo liso.
iraugado, braueo, do core o riaeado, 87 eaTxai banba
do piireu, ISO caitas velas do cs|icrniaeete. al caxas
che, 33U barricas abatid**, 7;iU ditas com farinha de
trigo, 2 cadeiras de babuino e 2 pote uiaiiteiga; aos
consignatarios.
THOMAS MELLORS, barca inglesa, viuda de Li-
verpool, entrada no crrenlo met, a eousignago de
Russell Mil loi & C, uiauifetou o seguintc :
2,000 barricas com farinha de trigo; au consigna-
tarios.
Moviiucnto do Porto.
O lllm. Sr. inspottor da thesouraria das renJa
provincaes manda fazer publico, em cumprioien
lo da ordem da presidencia da provincia de 7 do ror"
rente, que no dia 23 do mesmo ao meio dia, perani
niesma thesouraria, ir a praca, para ser arrematada
quem por menos fizer, conforme o regulamento de 11 d.
julbo de 1843, e sob as clausulas especiaos abaixo trans-
criptas, a obra do acallntenlo da estrada do Po-d'A-
Ibo entre o lim dos atierros da ponte do Casanga, (.
principio doC.o lanco, oreada na quanlia de l:897aKO0
res.
Os licitantes,devidamente habilitados, comparendo na
dita thesouraria no da e hora indicados.
Secretaria da thesouraria das rendas provincaes do
Pernambuco, 12 de julbo de 184o. 0 Secretan
Luix da Costa Portocarreiro.
Iu,
ESTRADA DE PA0-DO-ALH0.
u:\IitMf-NTO DA DITA ESTRADA, ENTRE O UM DOS 4T
TEBBOS DA PONTE DO CAXANG.a', B O PaiNCIPlO
DO (5." LANCO.
Clausulas especiaes da arremalacao,
1.' Os trabalhos e obras d'esta porcio de estrada se-
rO feitos pela forma, sob ascondires, .< do modo in-
dicado no orcameuto, approvado cm data de 30 de junbo
lindo pelo Exm. vico presidente da provincia, polo
preco de um cont oitocentos noventa e sette mil a
quiohentos res.
2.' Durante a execuco das obras, o arrematante es-
t obrigado a darsempro um transito fcil na estrada.
3.a As obras principiaro oo prazo de um mez, e lin-
dar no de qustro, ambos contados em conformidade
do artigo 10 do regulamento das arrematacoes.
4.* O pagamento far-se-ba em quatro prestacOei,
forma do artigo 15 do rospectivo regulamento, sea-
do de seis mezes o prazo de responsabilidade.
5.' Para ludo o mais, que nio est determinado pe-
las presentes clausulas seguir-se-hn inteiramente o que
dispOe o regulamento das arroma tai Oes de 11 de julbo
de 1843.
Repartidlo das obras publicas 3 do julbo de lS-.'i.
O engcnhero em chufe, Wauthier.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria das rendas
provincaes manda fazer publico, que, em virtual
la ordem do Exm. Sr. presidente Ja provincia, data-
da de houtem, ir nuvamente a praya, peraute a
mesma thesouraria, no dia 18 do crrenle, ao meio
dia, o rendimento do imposto de 20 porcento sobre
a ago'ardente de consumo, no municipio do Cabo,
pelo prego de 41/M3 rs., c no de Iguarass, pelo de
81#:i:i:i rs., por ter liavidooflerecimento de mais a
tenja parte do prego por que fra arrematado o dito
imposto nos referidos municipios. E para constar
mandouo mesmo lllm. Sr. inspector publicar apr-
sente. Secretaria da thesouraria das rendas proTinci-
aes de Pernambuco, 13 de julho de 1845. O se-
cretario, l.uiz da Costa l'urtocairiiro.
Deelaragoes.
s suas paitos po-
tomada de repeine de todo o furor da
litios,
! Esc germen impuro, fomentado pola Inglaterra
j nao desabrochar, disse ella entra i em concentrada cu-
r lera, murdendo sem piedade o labio j o lenibrandu-so uu
, niesrao inslante do fin da sua viagem :
I Nio chegarei tiiaii nunca! disse au curmiiandante
i ISu se queixe, minha Sra., nunca andel Uo de-
t prosa. Temo feilo urna viagem prodigiosameniu ra-
t pida; um Deo a protege; a Sra. governa os elementos.
I Aceito o augurio! ma vamos! em nomc do eoo
i chegareiuo!
O conniiaiidante mosirou-lhe um vapor avoriuclbado
no horiaonte.
II'' o l'.m.i disse-lbc, Catania 6ca au pe; ao rom-
; per do dia l oslaremos.
r Emfim! exclainou ella estreinocendo.
Catania, o Etna significavao Casturu, eaae homem
que ella lano aborrecer, o cuja rccurdaccs ia dcsiier-
tar.e cujas poixe '
[elle anda (cuba pai
(*; llojo caiiial das Alag**.
toen violenta tgUcio. A* pro|iorco quo so aproximo
a do termo, t tima oIhe ubdlnav* o rcvoltava contra
a torrivcl oxperieoeia que ella a si propria bava impos-
to ; quasi que se arrependia do baver levado oxo-
cujao esse designio Sublime, purom arriscado e teme-
rario.
Entretanto cumpria o oummandan'.c n palavra ; odia
des|.onlava apenas quando elle fundeou no porto do C-
itania oom inerivel affoutcza ; julgando que o mais (Mo-
ra meio do arredar suspeitas era aH'runta-las, marchan.
olio direito ao jieng., eseudando-so da sua propria auda-
cia. A lancha parti inimedialaineule jura torra.
Tenho a meu bordo, duia elle, nina dama estrata-
gema, que attrobida pela fama do irmu Bruno, vem ex-
preMataenle Calaoia confesar-e com elle ejirecso
iiumedialnineiiie do urna litoira, que a condnza i grulla
do santo eremita.
De ne sobro o tumbadillo.-, via Carolur surgiiem da
sombras do crepsculo urna jior urna, a cujiula e tor-
re de Catania, quo asseuta sobre a jiraia cuino urna ci-
dade innurisca, e cuja paredes c edificios caiado con-
Iraslio forlementc com a lavas negras, que cm promon-
torio sobeni ao seio dasazoladas nuvens.
Navios entrados no dia 1G.
Parabiba ; 08 boas, brigue-escuna de guerra brasi-
leiro Guararapes, commandante o 1." lente Jos
Secundino Gomensoro: traz tlli recrutas para a ma-
rinba, 1 prezo de justica, e 1 desertor do exercito
disposigaodo Exm. Sr. presidente desta provincia.
Santa-Calharina; 20 das, patacho hrasileiro Espadar-
le, de 123 toneladas, capilao Antonio Pereira Mar
tos, equipagem 9, carga farinha e feijao; a Ma-
noel Ignacio de Oliveira.
A lileira foi era breve adiada, e nella so mlico a rai-
rrecer.. o cujas r.coroacoes ia ic.j.er- nba con. a sua camarista, que tudo Ma se. nada ver
.tuda..aallru..l.r. Praia a eii.,j|ue|iudo ouvi* sen, nada ouvir. Toda a sua comitiva
uoo' Carolina passou u resto daTioi-Jcomjiuuba de um jjuia, e de dous houicu
que a acompanbavao a cavallo, e bem armados para e-
larcr.i na sua aegura.iya. 0 commandante levo de recu-
lar esta honra; jiurquo o brigue eliga tuda a sua sulli-
oitude. Alravestou a rainha a cidade cujos habitantes
anda estavao entre o bracos do Murpheu. \ esquipati-
c prac* do Elefante, o a espacoaa e litera, i na vel ra do
Etna, Strada elnea que llie era necossario alravetiar em
tuclo|o seu oomprimcuto, estavao descras. Apenas all o
cncontrava do quando em quando algum campunei quo
vitsba ao mercado no seu burrinl.o, uu mua, e quo aem
mcs.no olhar para a lileira, duia ao pjssar : Aquello
vai subir a Montauhu islo he, u Etna ; por quu na Sici-
lia, u sobreludu em Catania, s ha urna moi.lanba, ant
a qual tuda as aulras sao u.onliculu (1). A cur.oaida-
do dos viandantes nao ia mais lunge, e Carolina ahio da
cidade como bata entrado cm ser rejiarada nem .no-
mo visla pur niiiguciu.
Liijjo fura do Catania o mcsin auto de sabir delta, e
comeo a subir e scout.a na lavn; ma excepeo de
alguinascarnadas mais recentes quu as outras, cundo a
cultura ainda nao peuetruu, tudo o mais he revestido de
esplendo!., vegelacJo, Reparando seui proprio* desas-
O arsenal de guerra contrata, com quem por
menos fizer, o fornecimento mcusal deduzentose
trinta e quatro baldes d'agoa, par o mesmo arse-
nal ; duzentos e setenta ditos para a companliiu dos
aprendzes menores; e tre/entos ditos para a conijia-
iihi.i d'artilices; niandiiiulo-se buscar ao lugar d'onde
for feito o fornecimento, a que fAr para o arsenal, e
ruin ponina dosdilos uptendizes; e mandando o for-
necedor coiuluzir a que frpaian ('onipanhiadcar-
lifices: a quem convier, mande a sua pro|>ostacm
caria fechada a esta directora, ata o dia I!) do cor-
rente, declarando o preco de cada balde. Dirccto-
ria do arsenal de guerra, 15 de julho de 1845.No
impedimento do escripturario, JoaO Iticardo da Silva.
O abaixo assignado, como cnsul de S. M. Untan-
nica nesta cidade, oflercce quanlia de quinbentos mil
res a quem enlregar s autoridades competente!
Francisco Antonio Mendes, Portuguez e barheiro, quu
est pronunciado no crime do homicidio do fallecido
Eucrali Jane, subdito Britannico, pela subdelegacia de
S. I' r. Pedro Concalves, cuja quantia pagara, logo que
estiver recolbido a pristi desta cidade o dito Mendes.
Consulado britannico em Pernambuco,14de julho de
1815. //. Auguilus Cowper, cnsul
COMPANHIA DE BEBIHIliE.
0 ctia da companbia de Bebiribe ruga aos Srs.
accionistas que ainda nao cotnpletrao as entradas de
50 por cento hajio de o fazer impreterivelmente at o
ultimo do correte mez.
= Pelo lycAo desta cidade se faz publico, que, ero
consequenciadoquo ordenou o Exm. Sr. presidente da
provincia, rao a concurso da data doste i 60 das, si
seguinles cadeiras de primeiras lettras paia o sexo mas-
culino : a de Ouricury na comarca da Boa-vista, adt
. J os rabe cbaiiiavao ao Etna Gioei, quo quer
anha, o o jiovo ainda boje Ihe cbaiu, "
. jin da tiipulacioJMoulanba.
tres, a nalorea lem derramado con. jirufuso o seu lo-
to e seos ibeaouros sobre esse campo por ella devrsia-
dos ; deste modo naseo da unirle a vida, e da propria ei-
terilidadc a ferlilidado. O vnlcAo he o flagello o a rique-
za dessas |dagas. U robusto i-aetus lio o primeiru que
alravcssa a esjiessa e dura codea da lava de seenlo,
|ior que secuto sao preciso- para as vencer ; aberla nina
vez u brecha, elle a augmenta gradualmente, o a fecun-
da depois com seus fcrtilizndnrcs desjiojos.
O Etna se divide eu. tres lunas ou regies, cujos mi-
mes sulleicnlemenlc a carnclerii'u : a regio cultiva-
da, a dos bosques o a deserta ; islo be, o paraiso t
purga!lirio antes do inferno. A primeira, a que a rainha
entaoerusavt be um verdadeiro eiv*ooi **vjnba*ea*
searas I Le disputan a posse; as oliveira, as figueiras, e
que figo que ella dito! a aiuendoeirn, o alfosligueiru,
arvores fructferas do toda a especie fazem dessa regiao
un. con lio oo vergel, co vergel mais variado do mundo.
Aqu all alguiis campo de lava secca e negra, algu-
na evcatarnos como a f'oisa della l'alombn, a cota da
pumba, |)areee que |iroteslao, com sua Iristonha jue-
aenca, contra as victorias d.: fuuce e du novada.
Ataneat.i a lileira oom toda a jiresleza quo permimo
a muas, mas bem vagarosa ora ainda essa presteta pa-
dizi i montanha, O povo ainda boje Ihe chama Monte- I ra o doejo de Carolina, tanto mais quanto sin esse ea-
Cibello, que outra cousa nao quer dizer, eno Monto- I inhibo crinados do agudas escoria, que muito .ncuiii-
'uiodAo os animaes: debalde Ihe ostenta va o Etna, que


i8Ienda-t;randc nadePaja, as de Agoas-Bellas e S.
genio na de Caranhuns. Os candidatos, que s referi-
)3i cjdfiras se quizerem oppdr, habi!item-se nos termos
Secretaria do lyceo, B do junho de 1845. No im-
pedimento do secretario, Hermenegildo Marcellino de
Miranda.
Avisos martimos.
Ouem livor cintas coma barca Cranceza Orea,
arribada a esta |iorto na sua viagem do Valparaso a
Saint Mallo, tjueira apresental-aa no eseriptorio dos
" \\n;ii Irmos, at o da \h do eorrente. para
seren pagas; porqoo, passado este dia, nBoseat-
LiMidera mais a reclamacO algunia, a respeito do
dito nayio.
__ Para o Ass sai nestes i das o brigue-escuna
hhhtraco, capito Joao Goncalves Rocha ; para car-
n o passageiros trata-se na ra da Cadeia do Recife n.
'il, 011 com o capilio, na praca do C Jtnm ercio.
Para o Rio do-Janeiro sahir, impreterivelmen
le no dia 1" do eorrente, a barca nacional Firmeza:
imem na inesma tiver escravos a embarcar, o dever fa-
zerna maiiha d'aquellodia.
__Para o Rio-de Janeiro sahir, com brevidade,o
patacho nacional Valenle : quem no mesmo quizer
carregar, e ir de passagem ou remetter escravos a (rete.
falle com Gaudino Agostinbo de Barros, na ra da Cruz
n. 66. .
_ Para o Rio-Grande-do-SuJ seguir breve o pa-
tacho Guapo: quem no mesmo quizer carregar, ou
embarcar escravos, pode entender-se com os consigna-
tarios Amorim Irmaos, na ra da Cadeia n. 45.
Rara o Rio-de Janeiro, com a brevidade possivel,
segu eleiro patacho Catiro II. i quem no mesmo
quitar carregar, podo entender-se com Amorim Irmaos,
na ra da Cadeia n. 45.
Para a Babia segu em poucos das a garopeira
S. .hilo: quem na mesma quizer carregar, pode en-
tender-se cora Amorim Irmaos, na ruada Cadeia do
Recife n. 45
Para o Rio-C.raode, pelo Rio-de-Janeiro, segu
com brevidade o briviue Sania-Mara-Roa-Sor le; re-
cebe carga e escravos com destino ao ultimo porto : pa-
ra o que tratase com Amorim Irmaos, na ra da Ca-
deia n. 45. _________^_
l.eilo.
O corcelor Oliveira far leilo de grande vario-
dade de lazendas propriasdesle mercado as quaes se-
rio vendidas sem limites algumas adinheiro o nutras
prazo ; sexta feira 18 do eorrente, as 10 horas da
nanhaa
no seu escriptorio ra da Cadeia.
smsm
visos diversos.
PublicacOtt da etcola locietaria.
Acabao dechegar de Franca algumas obras da dita
escola philosophica, que n'uina forma clara e succinta
aprosentao as raais nobres o justas ideias sobre o esta-
do presente e futuro da numanidade, e cuja leitu-
ra portaolo pode ser da maior utilidade para os bo-
nicos de todos os credos politicos ; ellas vendem-se nes-
la lypograpbia pelos precos seguintea : dbacle de la
politique, lyiOOrs.; notions lmenlaires de la science
sociale, 1*200 rs.; almanacb phalanstrien, 400 rs.; les
nlants au phalanstri, y iO rs. ; petit cours d'conomie
politique, '240 rs.; de la poliliquu nouvelle, I'20 rs.
SjIiu o b.*35, oatba-se a venda os 4 horas da lar
de na praca da Independencia livraris n. G c 8.
O CLAMOR PUBLICO
Acha-so a venda o n. 2(, na praca da Independen-
cia livraria n. 6 e 8.
O abaixo assignado, senhor do escravo de nomc
Antonio, crioulo, idade pouco mais ou menos de 28
annos. estatura regular, chciodo corpo, barbado, com
cantisna cabera, rosto redondo e bem fallante, por
compra que delle fez cm de jnnbo ultimo a Jos Leo-
nardo, desta prac.a, que o bavia comprado a Joo Eer-
rcira de Alrceida Calado, morador no Altinbo,termo do
Bonito, roga a todas as autoridades policiaes, e capites
(ie mattu.que hajao deo apprchendcr.emqualquer parte
que ello se achar, fisto acharse fgido, desde 8 de mar-
co do correte anno, eoconduzSo a ra Dircila, so-
brado n.' 40, morala do mesmo abaixo assignadu, que
se lesponsabilisarii pela duspeza, que fur feta com a
captura do mesmo escravo, o prometi 50,000 rcis de
gratificacao a quem Ib'o entregar.
Jote Fernanda da Cruz,
= Carlos Ricco e Margarida Lemos retirao-se paro
fra da provincia.
Claudio Dubeux, teslamcntciro dativo do finado
Joo Antonio Martins de Novaes, tendo acceitado esta
testamentaria, resolveo o embargo, que oscredores do
-" -:-::.-..'-. .-9aSErS
anta clin e ergua cmtud.i a grandeta, tudas as sua
"lagnificencina ccspleuditrc ; que uu bastara esac ei
] i i.ii'iiln para niudcrar-lbe a libre da impaciencia u
lodevii que nageilade! que sclv.iycn grandeza O r-
alo vomitado pela entera, orejada do algn reputo
de cluniinn, iicMTrM.i no eipaoo aaforma maiifan-
laatieaa: ora era urna serpete raontiruuia, ora urapai-
aro anda maia monstravioj um instante dopoi* ene
rumo c abria eomu um laque, c ditsereia cutan urna pai-
ineira gigante, nina palmi-ira de fug; onlraa VCfte su-
ba diiviiii no mu ccimu una eiduiuua iiiiiiiciisa, logo
depoia curiada de repente em na bao pclu rento, caba
ioteirica, para espadacar-ie cm l'aulha ardeotes. D-
ranie cate tvuipu a parte eoniea damontanlia lalpioada
d'' nev a Unta de viva purpura, rofleota o duplo incen-
dio ilu volcn c do sol naioeole, o resto da mnntanlia
anda oatava em sombra, Ulan punco a poucu oeolga-
nliava terreno, c os cu raio desvian de um lugar a
ouiru ; diaaerea tima trreme de lava que caba do alto
da crtera J aa cinzas da regio desortn erao de mu ver*
nicllio ccuro, que algiiiiia cosm linliao de infernal ; u>
ImaquCB tninieiu se illoiiiiuariio ; depuin os vergeis, as
Vinhai, as caras, o em Rui a hiendas, as aldeas, as ca-
sas de campo, que ao p do voltio sao inaumeraveis;
0 incendio turuou-su universal.
Ja i.i o sol alto cm ieu curso ascendente uando a rai-
nlia ebegou a Nieuloii, ultimo lugar liabiladu da regio
Cultivada, que alii cede a pesite regilo dus bosques
mesmo Novaes baviSo verificado nos b ns da massa ;
acba se entregue da casa, o por isso habilitado para
receber, e passat quitacOos aos dovedures da testamen-
taria ; aos quaes o annunciante roga, venbao quanlo
antes remir seus crditos paianSo se ver na precisao de
realisar a arrecadacio por meios judicines. Oannun
ciante mora na ra das Larangeiras, n 18.
O Sr. A. D. P. venha resgatar os seus
penbores, que empenhou a urna senhora ( a qual
n3o ignora) por setenta ecinco mil rs. por seis mezes,
e ja faz mais de um anno ; e.nlo vindo tiral-os nestes 8
dias, vender-se-bao para satisfacSo do dinbeiro ; Sean-
So o mesmo Sr. responsavcl pelo resto, o os juros.
Perdoo-se um ineio bilbeto da lotera de Guada-
lupe, den. 1741 : quem o acbar poder entregal-o ao
Sr. padre visitador, Manoel Jos 1'ernande*, na ra de
Hoitas, n. 66 ; assim como roga-so ao Sr. tbesou-
reiro da mesma lotera, haja de n5o pagar o premio,
que por sorte sabir, senao ao mesmo Sr. Fernandas.
J. B. C. Tresse, fabricante d'orgos de igreja,
avisa ao respeitavel publico, e particularmente aos Srs
tbesoureiros, ou pessoas encarregrdas das igrejas, que
elle faz orgSos para igreja de todos os tamanhos, com
clarim, trombeta, cromorno, voz humana, erouxinol,
ou qualquer outro jogo : oulro dtoorjo, (queseado
ouvido nao tem apparecido aqui) a duas finas, a cla-
vier, e a chave de realejo para falta d'organista, ou por
falta de saber tocal-o ; entao se toca com a chave, co-
mo so fosso um realejo, obtendo a Diastna voz d*um
orgSo de igreja, contendo, nos cylindros, a missa, os
h\ unios, o os kyries, para quaesquor feslasdo anno ,
ludo reunido na mesma obra: outros orgaos, forte-
piannos, com voz humana, o flauta, para cantar a mu-
sica vocal ; realejos de todos os tamanhos, para igreja,
contendo, nos cylindros, a missa, os bymnos, e os aj-
iles, para quaaesquer fastas do anno ( proprio para
qualquer igreja, que nSo tem organista ) com a mesma
voz d'um o.gao : outros ditos realejos para recreio,
contendo quadrilhas, contradanzas para danzar, e
quaesquer marchas, ao gosto do comprador ; colicorta
os ditos instrumentos, e poe marchas novas : em Santo
Amaro, na entrada da estrada que vai para Belein, no
sitio de J. B. C. Tresse. ou no atierro da Boj-N ista,
n. 2(, a fallar com o Sr. F. Chaves.
= Aluga-sa um preto para socar assucar, ou outro
qualquer servico e he bom canoeiro, sendo o uluguol
pago mensalmenlo ; em Olinda ra do Balde casa
terrea n. 24 e no Recife tanque do agoa da ra de
Apollo n. 28.
= Quem precisar do um rapaz paracaixeiro de ra,
ou de outro qualquer estabelacimeiitu o qual d.i fia-
dor a sua conducta dirija se a ra estrella do Rosa-
rio venda n. 1.
= Pelo jui/ii da segunda vara do civel escrivao
Sousa vai I praca de venda, urna escrava do nome
Joanna no dia 19 do corrento por execucao enca-
minhada conlra Antonio Dias >OUtO.
= Aluga-se o terceiro andar da. casa da esquina du
ra do lio/ario n 39, defronte da igreja : a tratar
na ra doCJueimado, loja de ferragens n. "o.
= (uem precisar de roupa engommada obras com
lavarintos lencos com pontos de marca roupa
marcada costura cbaa flores de panno para igreja',
e de pennas, e papis para caslicaes ludo com per-
eicfio dirija-se a ra do Cabug n 16.
= Roga-se a pessoa quo annunciou hontem no
Diario, curar todas as cbagas novas e velhas dirja-
se a Fura de-Portas ra dos Guararapes n. 52.
Aluga-se urna elegante casa terrea na ra da
Estancia, com duas salas 4 quarlos cozinha fra ,
quintal murado e cacimba : a tratar na Estancia com
Jos Baptista Ribeiro do Feria.
RDga-so aos Srs. escrivfes do auditorio dcsLa
(traes, o Pavorde declararen) os procesaos,que tive-
reon.da antiga mesa das inspecees do assucar ealgo-
do, ao Sr sollicitador .Neto, porque dealguossi
precisa extrahircertidOes, desde !"! a I80(i.
Jos Francisco de Araujo (uimaiaes ieliia-sr
para u Europa,
Aluga-se urna casa na l'onte-Vellia, confronte
aoSr. CaUl, rom boa sala, alcova, 0cozinha, e por
oommodo proco i irata-si- na ra do QuciDiado, nu-
mero :io.
= Antonio Duarlc de Oliveira llego manda para o
Bio-de-Janeiro a sua escrava parda da nomo An
dreza.
= Precisa se alugar urna preta ou proto que sai-
ba cozinliar bem ; na venda da ra do S. Francisco ,
se dir quem quer.
Admirareis wvallias de tiro da China,
que teem a vantagom de cortar o cabellosem ollen-
sa a pello deixando a cara parecendo estar ua sua
brilhanle mocidade : cstj ac vem oxclusiamente da
China eso nello trabalhao dous dos melbores o mais
abalisadoscutelleirosda nunca excedida e rica cidade
de Pekim capital do imperio da Cbina Autor
Sbore.
N. B. t He recommendado o uso destas navalhas
niara viIhosni, por todas as sociedades das sciencias me-
dico-cirurgicas tanto da fcuropu como d America ,
Asia e frica nao s para prevenir as molestias da
T(B
Oci vaiido all a lilcira para alomar na volta, porque
sem perigo nao houvera podido ir mais adianto, montn
Carolina em um mansa mua do benedictino do San-
Nioslo-d'Arena, le mnntar a sua eantarlita em nutra, e
eoutiiiooii su.i vinguiii, sempr aciiiiipaubadn da sua c
colla dos dou eavalleiruS, u do guia que devia cuodui-
la grua do innao Bruno
Aqui muda a nStureta. Ao sabir apenas de Nieolusi,
entra team urna planicie de cima, o de escoria pul-
vcriadas, onde os aiiiiuaes su eulcrriio al o jodii. A
eaquerda ergue-io a vermelba pyramide do Moiite-Itoa-
i, que u'uiu dia de irrup^lo, surgi inteiiifa do vas-
tos llaneros do Elua, ciiiuo mua estraulia Minerva detse
Jpiter tunante da uiontaulias !
Mas muda anda o trrrcno : torna-se duro do movedi-
c.o que era. oiliza u arei.is solas (UOCedo um cainp de
lava agudas, speras, iiieoiumodas. l'igiirai-vus um
mar petrificado no ineio da tempestudc, o lerei n ideia
daa spame* bndulaofles desaa apagada furnalha. Nem
esso ocano de pedras quo leiu nlgoinas milhai do largu-
ra, su sube sem cueto; ao ebegar purm a extremidade
oppo.-ta, eompenadu ludas as t.idigus da viagem, en
(raudo nos bosque. Nns uuibrae desta segunda regiSo,
est edilii 0.1 j como mua -entiiiella avancail.i, um t'cm
pardiciro chamado Casa do guardas, Cata dei Can
pieri.
.Murcilo Carolina por muito lempo a sombra da mal-
la sem nada ver, porque o horlsoiilu he lechado de tu
cutis, mas lambem como um meio cosmtico: vendem-
so nicamente na ra do Crespo loja o. 8 o 15 de
Campos & Maia.
Arrcnda-se urna casa de dous andares na ra do
JJo"ueira com bonscommodns. e muito fresca, quintal
e cacimba ; a tratar na ra Velha o. ti5, de manhiia
at as 8 horas, e de tarde das 3 as 6.
Arrenda-so urna casa terrea na. ruada Manguei-
ra na travessa da ra da Alegriu para a liloria, n. f,
com bonscommodos e muito fresca ; a tratar na ra
Velha n. o.
-.= Aluga-se urna casa de dous andares na ra do
Amorim n. (i; na ra do encantamento n. 8 A.
__ Nestes ltimos dias furtaro de urna casa um de-
dal de ouro todo lavrado, com tres ordens de relevo, e
com o poso de cinco oitavas e meia, o qual tem as lot
tras iniciaos G. C. A. dentro do urna chapinha lisa, o
bem assim urna tuoeda de ouro do cunho inglez, do la
manho d'uma moeda de 4*000 rs., pouco mais ou mo-
nos, guarnecida toda em roda de ouro lavrado, com
um lacotaiubom de ouro que a fazia pendente: quem
de tal furto tiver noticia lar* o favor de co nmunicar ao
abaixo assignado, que gratificara generosamente
Franciteo Ignacio de Allayde.
__ Na praca da Boa-Vista, n. 13, troca sa urna ne-
gra cosinheira de 30 annos de idado por urna negrinha
do 10 a 12 annos, e ah lambem se dir quem engom-
an com perleioSo e por barato preco.
- O abaixo assignados lurem scicnto a quem con-
vier, quo compraran a loja de lerragein sita na ra do
(Jueimado n. 4; o tendo eito sociedade na mesma loja,
desde esta data a firma cominercial da dita casa he Cam-
pes & Almeida. liecife, de juiho do 18ia Josa de
Jlireira Campos. Joaquim de Almeidtt e Silca,
__Jus Rodrigues Sordos, subditj Ilespanhol, reli-
ra-se para fra do imperio.
__Troca-se uui Santo Antonio do maJeira, obra
muito bem feita, vindo de fra ; no corredor do Hispo,
n. 8.
Precisa-se de um homeni que ontenda de massei-
ra; no corredor do Hispo, n. 8.
Andr Nau/.or, da padaria do atierro da Iioa-\ is-
ta n. 6<, avisa a pessoa que lem uns penbores, os quaes
sao, um cordao, um bolao de peito e um transeliin de
prata, quo haja de ir buscar ut 18 do correte, quan-
do nao, vende para seu pagamento..
= Precisa-so alugar urna inulher idosa que possa
tratar de um doento eao mesmo tempo saiba cozi-
nliar ; no pateo da Penha n. 4.
a= Da-so dinbeiro a juros com penbores do ouro e
prata mesmo em pequeas quantias ; na ra da Praia
n. 22.
= O Sr., que no dia 11 ou 12 do coi rente pro-
curou a Honorato Jos de Oliveita Iigueiredo, em sua
casa, na ra Augusta sobrado n. 9 e nao o ancn-
trou pelo mesmo estar ausente queira ter a bondade
de voltar all, das 6 as 7 horas da manhaa o das duas
as 3 da tarde ou queira la*er o favor de deixar all o
seu nomo para ser procurado, visto ignorar-so quem
= F.'Prefiri de Cananno rotira-so para lora do
imperio.
Precisa-se alugar urna canoa f|e
pegue em barro para Soo a ooo peras de
obra 5 quem o tiver aitmincie, ou diri-
jase ra do Rosario ta Boa-vista n.
iG. lNu mesma casa lambem se precisa
de um canoeiro.
Oscredores de Joao Antonio Malln: Novaes
participio aos detedores do referido Novaes, fallecido no
dia 6 do corrento, quo a casa e bens do finado se acbao
sequestrados para pagamento do crescido debito praca
e annunciantes, e que assim nenhuui dos devedores
mesma casa laca pagamento a algucm, porquo qual-
quer pagamento qoe lucren: ser novaniente exigido po
los annunciantes, por ter sido fettoa pessoa incompe-
tente.
= Precisa-se do dous contos c quinbentos mil rs por
espaco de cinco annos, a um por cenlo, pagando-seos
juros lodosos metal, odando-se moradas de casas livres
o desembaracadiiis; quem os quizer dar annuncie ,
ou dirija-so ao Atierro dos Afogados n. 218, a fallar
com Francisco Xavier das Cbagas.
- D-se dinbeiro a premio sobro penbores de ou-
ro prata ou hypolbcca ; na ra eslreila do Itoiario,
n. 50, segundo andar.
= Eogomma-se roupa de bomein o senhora com
todo afseio o perfeicao ; lambem so cosem vestidos a
camisas de bomein ludo por prei.o commodo ; na ra
das Larangeiras n 15, primeiro andar.
iis lojas do Srs. Vieira, e
3unua, (cambistas) no Recife,- 31oreira
Marques, Fortnalo, e Mcnezes em S.
TERIA
DO (.UADJtiLUI'E.
Corrern imprcterivelmente as rodas
desta loteria no dia 22 do eorrente, li-
quein os bilhetes que licarem. Quem
se quizer nproveilar, ah est o que resta
a^^^B^tlJ.l_J^;r:'':l^l^^^.ff"; '--- ^-..w.Mamut
do o lado pela eipeasi cortina de carvalbo, c tem ou-
vir outra bulla que nao foao os turdoi eatUUroi do vnl-
eio, que a medida que o vai aproximando da inllain-
m.ida fuucet do mnnitro, se vio turnando cada ra mati
l'requeiite o maia terrivei. Ora he o terreno arenlo,
a 10endureuoeretine como oferto ob o pea do
eavallo : o caiitinho tilo cerrado ae turna eiu algn lu
are jifias arvorc, que apena M pude paar; oulraa
vetea lorpenta |>r aitreitoi trillio bordados de preci-
picio de ambos o lado. Uic;;ou-se 100 accidente ta
iuoia gruta daa Cabras, que servia de hoipedageiu ao
poregrilioi do Etna. Nao derla estar longo a do eremita,
g o iciiaeao de Carolina bata com violencia.
Entreunto ewitinuael o a subir. J di bosquei e
tomavau mais aborto, aa arvorc cada vei mais separa
das e ni'iio copada dcgenerSViu a cada ilutante em
arbuaio que tambera degenera vio cm luoquiubo mal-
lo; a gietta de espinbo e outra plantas aiiiiuneiavo a
IranilCIO da rrgitu do boaque para a regio desella,
que li ao nieaiuo lempo a regio estril o desolada. Km
11 ni o guia que inarohar a adianto parou,
__ tala V. acollona 110 termo da ana viagem, dase
ello a rainha, mottrandolhe eom o dedo, 1 alguma dia
tancia cima dcllcs, uuia gruta aaaa/. vaata, eevada ao
pe da um rochedu, donde pendiio alguma berras lon-
gaa quaai seecas pelo Ijiiuo do vollo,
Esia gruta seiuellianle tudas as ipje lao cavada, e
cu grande numero, na laida do Etna, era manifest re
de bilhetes
C
Vlarqi
Antonio; na Boa-vista, botica do Sr. Coti-
lo-, e em Olinda, loja do Sr Domingos.
Companhia geral de agricultura da rinhas do
Allo-ouio.
= O abaixo assignado, agente desla companhia nesta
praca do Peroatnbuco acaba de receber pela barca
Bella I'ernambucann o primeiro carregamento de vi-
obos daquella companhia depois que lia lot rehabi-
litada pela legislatura de Portugal a dotada com 01
iundos pblicos pela le de 11 de abril de 181-i, pira
levar a todos os mercados os padries a biliiii do vi-
nho genuino e puro do Allo-Douro geialmente co-
nbecido pelo nome de viobo do Porto a hm do
semrcui de ^uia o conunercio Kste carregamento,
contendo vin! o das mais escolbidas novidades devo
offereceraos sonhores consumidores, nao s a certera
da sua pureza e superior qualidade maso lypo verda-
dero dos eicelleotei vinhos do Porto. Espera pos o
abaixo assignado que os Senhores consumidores so
dir jo a sua residencii na ra do Vigario n. 19, pa
ru tralarem do ajuste do todas e quaesquer pOTCOSS ,
que desejarem. 'fkomas de Aquino I-onseca.
- Precisa-se de um caixeiro do 14 a 16 innos ,
que lenba pntici de venda e dfi fiador a sua conduc-
ta ; na ra Nova venda n. Co.
Agencia de paisapurles.
Na ra do Rangel, n. :5V, continuao-soa tirar pas-
saportes paru dentro o fra do imperio, e despacho-so
escravos, com prstela o commodidade.
= l\etirao-so para lora da provincia Carlota .Ma-
ra \ ianna Maia com sua lillia Manela Albina \ lau-
na o Antonio Jos' de Atesado Maia.
BOTICA CENTRAL DO INSTITUTO
llomeopathico do Brasil.
l'ossue todas as substancias experimentadas na Eu-
ropa, nos Estados-Unidos e ltimamente no lirasil e as
dynamisaces feitas pelos procesaos mecnicos do dr.
Mure.
Distribue gratuitamente a vaccina djnainisada e to-
dos os outro9 preservativos necessarios as epidemias
reinantes, e respondo a qualquer consulta, que a res-
peito do livTM, medicines, remedios e rgimen Ibu
lor dirigida.
Pratica dementar da bomeopitbia pelos Srs., Mure
oMarteus.
Enriquecida das primeiras experiencias puras feitas
no lirasil.
Prejo SjOOO rs e 10' rs. com urna boa cncader-
naco.
Eolbona homeopalhica, 2. anno, contendo noticias
sobre o estado actual da homeopathia, o rgimen, o os
estatutos do instituto bomeopatbico.
Praca 320 rs. com grande abatimento a quem com-
prar poreoei maiores.
LOTERA DO THEATBO PPLICO.
O thesoureiro desta loteria, disposto a empoobar
todos os osforcos para augmentar o crdito de que
semprc ella goscu, pela regulandade de sua extraccao ;
declara que os bilhetes da segunda parte da l.' loterii.
cujas rodas devem ter andamento muito brevemente, 10
acbao a venda nicamente no bairro de S. Antonio,
na botica do Sr. Joao Moreira na ra do Cibuga ;
na ra do (jueimado loja do mesmo thesoureiro, n.
39 ; e na ra da Cadeia do Recife,' lojas de cambio dos
Srs. Vieira, o Manoel Gomes da Cunha e Silva.
lia pe vinagrinho.
Estesuporior rape torna inviriavel a sua qualidada
por nao mofar, nem seccar; nao fere o nariz, nem pro-
iiii/ irrilacoes vertiginosas, porque a sua coinposico he
a mais simples possivel. A geral eslima que tem ttdo
este rap pelos apreciadores de urna boa pitada, e a ap-
provacao que a respeitavel sociedade de medicina Ibe
concedeo rematan o seu mais completo elogio.
Noras fumadas d'esteexcellente rap, com a cor mui
escura, se acbao a venda nos depsitos da ra da Ca-
deia do Recife, n 50, prai.a da independencia n. 2S,
Attcrro da Boa-vista n. 10, e Atierro dos Afogados n,
201), aonde se vende aljOOOrs., a libra, de o libras
para cima. O embrulho deste rap he azul, eos roa-
los brancos.
Alugo-se as casas seguintes: os dous tercoiros
andares dos sobrados ns. 4 e 6 do Atierro di Boi-Vista;
o segundo andar do sobrado n. 20, na ra do Rozario;
a casa terrea na ra da S. Amaro n. 50, do bairro de
S. Antonio, por 158 rs. mensaes; duas ditas nova-
u.ei.i acabadas, com quintal cacimba o todos os com-
modos para familia na ra Formosa n. 7 e na ra
do Sete n. 2; urna dita com os mesmos commodos pin
grande familia na rui di Sdedade n. 35, por 12*
rs. mensaes ; oulra dita pequea na mesma ra, por
7/ rs.; e urna meia-agoa por t.> rs. na dita ra ; o
outra dita na ra ao lado da malri da Boa-V illa n. 30:
a tratar no escriptorio de Francisco Antonio de Ol -
veira & I 1 Ibu na ra da Aurora ti. 20.
sollado de alguma deatruic.a'o deaennbeeida, interior
em duridl a epoea historien; puato q.ie a entrada
toaac aperlada, era ella capar.oao no interior, < lao pro-
funda, ao que se ui/.i.i, quo iiiiiguem jamis llio achara
Fundo. Por iaao paara, anle de aer aanetificada pela
prescuc.4 do irniao Bruno, por frequentada pelo man
apiriloa; c neiiliiiin paater, nem carador, aiml.i quu 00-
!hd->l de improviso pela irovoada, terio ouaado a'oi
refugiar (O '. lomados viata (lilla de tuperstieioso ter-
ror, icrio proferido lodo atfioiitar a tormenta do que
sabir nas garras do demonio preso neases antro a-
nialdieoado. Hua bola BVIierloia, quercriao lata
di/er urna naiade cliorosa, niuriniirava mu ngulo obs-
curo da caverna, c nina especie do nicho, abrigado do
nr exterior a juneado de musgo e tulla secca, ah er-
via de leito ao austero anaclioreta. Que inorada para mu
ente liuniBlio Eltava o bomein que a habitat a cima
011 baSO da luiuiain-la.ic ?
\ enburia he DtaitO feliz, diste anida o guia, ei
o irmao Bruno aetitado .1 entrada da sua grulla.
Kte viata tal ctremecimento cauaou a Carolina que
Un: toi precian reeolher luda a sua furca, para nao
oahir da sella, ma chamando cm seu apoio toda a ener-
ga de ana alma triuiiiphuii deaaa hurrivel criie.
Senhora emfim do ai ordenou a tua comitiva quo a
foaae esjierar a aljuin.i distancia, e apeando-so' endirei*
ton para a lerrivel grulla.
Continuar te-ha.)


4
O procurador JoSo da Silva Borges faz publico ,
que mudou a sua midaooii para a ra do Livramonto,
subrado n. terceiro andar.
Muga-seo prirnoiro andar de um snbndo, na
ra Direita proprio para ecriptorio ou para mora-
dia de horneo soltoiro ; quem pretender annuncie pa-
ra ser procurado.
Desappareceo um cachorro preto, alravessado ,
do sitio do (luilhcrme Soares Botelho no Hospicio, n.
8; quom dello dcr noticia ceita ou o levar o dito
sitio sera recompensado.
(Merece se urna niulbcr para cnsinar a cor.inbar
luil.i- as qualidades de comidas, tanto hrasileiras como
estrangeiras tantojde massascomo dn forno; quem so
quzer utilisar de leu prestimo dirija-se a ra das
Trincbeiras n. 24.
Perdeo-se, desde S. Anna at o Manguinho o
segundo tomo da jrammatica francezn d Sevene es-
tando o dito forrado com papel preto : quem o achou,
sendo que o queira restituir dirija-so a ra estreita
do lio/ano n. 30, primeiro andar que >o Ibo (cara
muito agradecido almdeser gratificado.
=s: Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 22,
da ra das Cruzes: a tratar na inesma ra n. 41, se-
gundo andar.
= Um rapaz casado, com poaca familia por ser
composta de 3 pessoas o (Tu re ce-se para caixeiro de
ul.;mii engeoho porto dn praca o tambem para onsi-
nar meninos a lor, escrever, contar e grammatica por-
tugueza ; quem quizer annuncie.
des e pequen.s porcoes, por preco commodo ; na So-
ledade n. 20. esquina que volta para Belem.
=; \endum-se .1 pretos mocos, de bonitas figuras;
um moIcqcodelU annos muito lindo ; urna negri-
nlia de 11 annos, muito esperta o bonita ; urna preta
do 22 annos parida de dous mezes com muito bom
Icito ; urna preta de ii annos, que cozioba
"i00s rs. : na ra Flores n. 21.
= Vcnde-so milho muito novo a 3840 rs. o al-
queire pela medida velha ; na ra do Cabug loja
por
Compras.
= CoiTiprao-se barris vasios ; na ra Direita n. 9.
sai Com,')rao-so apolic m da companbia do encana-
rnento das agoas ; na ru:i da Cadeia do Recife, casa
n.4l.
ss Compra-se urna re doma de vidro para santo ,
com sua competente pear. ha e que tetiba dous palmos
o meio de altura.i.iescno com pouco uso, serve;nas
Clnco-Ponlas n. 62.
Compra-so um casal de rolas hamburgue/as; as
Cinco-Pontas n. 62.
i ss Compro-se 2a" milbeiros de telbas velbas, sen-
do por preco commodo : na travessa do Oucimado
n. 3.
= Comprio-se por commissio escravos de am-
bos os seos, de idade de 12 a .10 annos: na ra l)i-
reita n. 3.
Compr5o-se tres cava I los proprios
para viagem ; ra do Han-el n. 5o.
= Compra-se urna marquoza com assonlo de pa-
Ihinba meia duza de cadeiras americanas, ein se-
gunda m Tu i e estando em bom estado ; na ra de
Hurtas n. 112.
= Comprio-se dous escravos um pedreiro eou-
tro carpira,para umaoncommenda do Rio-Gran Je-do-
Nul ; sendo bonitas figuras, pagao-se bem ; na ra
do Collegio armazem n. 19.
i= comprio-se, para fra da provincia escravos
de 14 a 20 annos, sendo de bonitas figuras pagao-se
bem; na ra da Cadeia de S. Antonio sobrado de
um andar do varanda de pao, n. 2o.
Vendas.
= Vndese, ou aluga-se urna casa terrea nova ,
feita a moderna no Coelbo na ra dos l'razeres ,
por commodo preco, tanto por venda como de alu-
guel : a tratar na mesma ra n. 10, das 6 as '' horas
da manhfia o das duas as ti da tarde.
= \ ende-se uuia parda que engornma perfeita-
mcute cozinba o diario de urna casa cose bem e
faz nicos o rendas; na ra do Ciuspo n. 10, niimeiro
andar.
Vendo se um casal de escravos com urna cria fe-
mea de 8 annos ; o preto ganha na ra : a negra co-
zinha o diario de urna casa, engornma liso, cose bem,
I un i e faz lavarinto e a cria tem principios de cos-
tura : na ra da Senzalla-Velha n. 142, segundo an-
dar.
- Vendem-se duas moradas de cBsas terreas no
vas : a tratar na ra da Concordia n. 3.
Vendem-se eslojos de navallias do cabo de mar-
fiin inglezas, a contento, botins e meios ditos de Lis-
boa ebegados ltimamente ; na ra Urya do Roza-
rio n. 24.
b Vendcm-se chitas para coberta, de bons pannos
e cures fizas, com estampas e arvoredos firgindo mal-
los, pelo barato precede 100 rs. o covado, (iinssimas
chitas francezas muito largas de assento escuro ,
de quadros e listras cores fixas a 320 rs. o covado,
dita a 260 rs o covado, lanzinhas do bonitos padroes
a 5200 rs. o corte e a 320 rs. o covado cortes de eas-
sa-cbtaa de todas as cures e muito largas a 2/rs. di-
ta em vara a 400 rs. dita transparente a 2560 rs.,
cortes de chita de assento escuro e cores lias a 1600
rs. chitas cor de ganga e de oulras muilas cores e
muito finas a 200 ra. ditas escuras de lindos padroes
a 160 ri., e em percas a 5500 e 6/ rs., pecas de breta-
nhas de rolo de superior qualidade a 2j rs. algodo
trancado muito largo e escuro proprio para roupa de
escravos a 240 rs. algodo americano muito encor-
pado a 220 rs. a vara dito muito largo e encorpado ,
proprio para lences a 280 rs. madapoloe de todas
as qualidades o mais fazendas tudo por barato pre-
co ; na ra do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Diai.
Vendem-se e alugao-se bichas de Uamburgo ,
chegadas prximamente ; na ra larga do Rozario ,
venda n. ">2 confronto a igreja e que fai esquina
para a ra estreita do Rozario.
= Vende-se um par de atacas de ouro de muito
bou gosto e sem feitio ; na travessa do Quoimado,
venda n 3.
= Vende-se urna cabra ( bicho) com urna cria : na
travessa do Oucimado n. 3.
= Vendem-ie ricas mantas escocezas de novos pa-
droes cbaies de seda, iuvas de pellica e de seda de to-
das as qualidades para bomem e senbora chapeos de
castor de abas largas, a 10,000rs. ditos francezes
muito finos, bengalas de canoa um sortimeoto de
calcado para homem e senho'a, e outras muilas fazen-
daa tudo por barato preco : na ra Nova n. C loja
doJ.l. .Mamede de Almeida.
= Vende-se urna cscrava de nacao quecozinbao
diario de urna casa lava de salino e varrella, e engorn-
ma sollrivel ; na ra da Cruz n. 52.
=\cnde-se urna venda com muito bons arranjos
para lamilla ecom boa cacimba e vende muito pa-
ra trra : a tratar no largo do Terco n. 4.
ss \ ende-se um chronometro ; na ra do Crespo ,
loja do Campos & Maya.
ss Vende-se um depozito de refinacio, na ru
larga do Rozario n. 38 com todos os seus pertences,
e gneros, ou sem etles por preco muito commodo ,
por seu dono retirar-se para fra : a tratar no mesmo,
ou na casa n. 15, ao lado do novo theatro.
] Cera lomada.
- Vonde-se em caixas do 180 libras cada orna, sur-
tidas desde duas al 16 em libra ; na ra da Senralla-
Vclha armazem n. 110.
= Vendem-O saccas de milho ditas de arroz pi-
lado ditas de farinha ; na ra da Cadeia do Recife,
armazem n. 8.
= Vendem se 6 moradas do casas na ra do Coto-
vello n. 19 urna dita na ra de S. Titereza n. 17 ;
ra Imperial duas de taipa ns. 20i e 206 de lij-
lo ns. 44 e 46 desta duas existe urna Iravojada ;
um alicerce com urna meia-agoa n. 09, em estado
do se levantar um sobrado do dous andares : a tratar na
ra Imperial n. 218, com Francisco Xavier das Cha-
gas.
ss Vende-se um terreno com 60 palmos de frente e
260 de lundo e cues de pedra no qual tem urna
serrara e um quarto para caixeiro ou ferramenta ;
tambem se vender um escravo bom serrador, se o com-
prador precisar : a tratar na praii do S. Rita serra-
ra n. 23.
= Antonio Vaz de Oliveira na ra do Amorim ,
n. 36, continua a vender em seu armazem bom caf
muido em grandes e pequeas porcoes, e igualmen-
te bom cal em grao em saccas e as arrobas. tudo por
preco commodo ; na misma casa ha, para vender ,
um torrador e fogao grande para torrar caf e dous
momlios igualmente grandes para moer caf.
Yendc-6e urna bonita escrava de 20 annos.de todo
o servico, para fra da provincia ; duas ditas de meia
idade, lavadeiras cozmbeiras e quitandeiras que do
480 is. por dia ; urna dita mo^a de 22 annos, engom-
madeira e cozinbeira com urna cria de 7 a 8 mezes,
muito bonita ; um preto moco, muito reforcado, de
todo o servico e proprio para enxada ou armazem do
assucar : na ra Direita n. 81.
ss Vendem-se 300 alqueires de sal do Ass, pela
medida velha por preco commodo ; no principio do
Atierro dos Afogados n. 63; tambem se laz negocio
com o armazem onde existe o dito sal.
=Vende-se, na cidade de Olinda a casa terrea u.
44, do pedia e cal, chaos proprios, sita na ra de
Alalinas l'errcira com duas salas do Irente 4 quar-
tos internos alm da cozinba quintal murado no
fundo com fruteiras: a tratar na inesma cidade e ra
n. 24.
Vende-se um realejo de bonitas figuras e boas
valsas; 4 vidros proprios para cosmorama ou mar-
mota ; na ruado Vigario n. 14.
sb Vende-se urna linha ou travo do embirindiba ,
com 62 palmos de comprimento e proporcional gros-
sura ; urna canoa aberta do carga de 600 lijlos de al-
venaria grossa, mui bem construia e fabricada do pr-
ximo : na ra da Aurora n. 12.
ss Vende se farinba de mandioca em saccas, muito
fina e barata ; no armazem delrontu da escadinha da
alfandega.
ss Vendem se charutos de regala muito supe-
riores ebegados ltimamente por preco commodo ;
na ra do Trapicho n. 43 segundo andar, casa de
Novaes -V Companbia.
ss Vende-se resina de angico de muito boa qua-
lidade de 8 libras para cima a 480 rs. e em me-
nos porcoes a 500 rs. ; na ra das Cruzcs, na esquina
do becco da Fol venda n. 2.
=Vende-se um guarda-roupa de amarello, em bom
estado por preco commodo ; na ra Nova n. 60
= Vende se um preto de TiOo tantos annos cozi-
nbeiro e intelligente para o servico de urna casa e
de plantario por preco commodo ; na ra do Ouei-
mado n. 57.
as Vonde-se colla do superior qualidade, por pre-
co commodo ; no armazem do Fernando Jos Rraguez,
ao p do arco da Comen.ao.
Ycudc-se um atlas bistorique chronologique et
gencologique, par XI. A. Le Sag; dito dito e geogra-
phique pulo mesmo autor ; na ra do Crespo n. 8.
= \ende-se urna preta com habilidades; na ra
do Padre Florianno sobrado n. 7.
Venden) so bichas de Lisboa muito boas, por
preco commodo e troco-se por outras, as que nao
pegarem ; vinho do Porto .engarrafado, muito velho,
a 48o rs. a garrafa dito mais novo a 400 rs. dito
de I- citoria muito superior a 800 rs. a garrafa, dito
de Madeira-sccca a 800 rs. a garrafa dito Xluscatel u
640 rs. dita queijos flamengosa 1200 rs. chocolate
de Lisboa a 360 rs. a libra litria superior a 560 rs. ,
macarrio a 320 rs., bolaxinba ingleza muito nova a
200 rs. carne do Sertao a 200 rs. manteiga ingleza
a 880 rs. dita Iranceza a720 rs., espermaceto ame-
ricano a 880 rs. dito francez a 800 rs. tapioca do
Maranhio a 160rs. cevadinba de Franca a 160 rs.
presunto de Lisboa a 400 rs., dito inglez para fiambre
a 320 rs. toucinbo de Lisboa muito superior a 320
rs., azeile de Lisboa, superior a 480 rs. e a caada a
3520 rs., cha bvsson superior a 3500 rs. dito mais
sumenoa 2560 rs. dito mais baixoa z2i0e 2400 rs.,
choiimos muito novos a 440 rs., ceneja branca e pre-
ta a 440 rs. a garrafa ; advertindo-se que todos estes
gneros se vendem a contento do comprador ; noAl-
tlerro da Boa-Vista venda n. 88, do Almeida & Cos-
ta, ua esquina que volta para o Hospicio.
tos de chitas em retallios, com senlos escures e co-
res fitas lencos de seda de cores a 1280 rs. o alm
deslas outras muitas fazondas por barato privo que
os Ircguezes nao deixaro de comprar; na esquina que
volta para palacio loja n. 27 de Manuel Jos Gon-
calvos.
= Vendem-aee alugio-se bichas do Hamburgo,
vindas polo ultimo navio por preco commodo tlio-
souras para aparar unbas, navalhas de barba, pedras
de aliar muito finas, na ra da Cruz no Recife, n.
tanto para retalho como em saccas: no mesmo de-
pozito ba muito bom feijao da trra e milho muito
proprio para plantar, ou para qualqucr applcaeao,
que Iho queirio dar, por nao estar furado ; tudo nor
preco mais commodo do queem outra qualqucr parla.
Vendem-se 24 oitavas de galio do ouro largo
para calcas do uniforme do estado-maior e um re-
trato grande do Sr. D. Pedro II, ha pouco chogado do
Rio; na ra de S. Rita, n. 01.
Vende-se urna porcao de barricas vasias, qu
43, loja de barbeirode Joaquim Antonio Carneiro : olforao de bacalho a 180 rs. cada urna alto e m ,
mesmo se ofTerece ao respeitavel publico, para s.m- I na rlln ra Direita n. 25.
fdeJ.r. Aiameae ue Aimeiue. w^ Vendem-se superiores brms du quadros e listras ,
= Veode-ae assucar refinado e caf moido em gran-jde lioho puro corles de vestidos de cassa-chitai, di-
grar, botar ventosas sarjadas, com esglificador tirar
denles limpar e chumbar tudo com perfeicao e ai-
seio, por precos raxoaveii.
= Vendem-se caixas com velas de cera ptima-
mente sorlidas, por preco commodo: na ra da Ma-
dre de Dos o. 5, primeiro andar.
=Vende-so a segunda loja de fazendas da casa n.
18 da ra do Queimado ; a tratar na mesma ou na
ra do Rozario, venda da esquina n. 30.
= Vendem-se duas negrinbas crioulas de 12 a 13
annos, lindas, sem vicios nem achaques; tambem
se trocan por moleques; tambem se vende um preto
moco de bonita figura : na ra do Collegio n. 13.
= Vende-se urna preta de nacao de bonita figura,
e muito robusta para qualquer servico principalmen-
te para o campo', por Irabalhar bem de enxada e be
mariscadeira : no Recife tanque d'agoa da ra de
Apollo n. 28 ou em Olinda ra do Balde n. 24.
. Vende-se urna preta de 18 annos, pouco mais ou
menos, sadia, e com algumas habilidades ; a vista do
comprador se dir o motivo da venda; na ra do Ca-
bug, luja de ourives n. 3.
= Vendem-se 4 escravas de nac.o mocas, de bo-
nitas figuras propriaspara todo o servico; urna ne-
grota de 15 annos de naci ; urna escrava crioula de
24 annos engornma cozlnha e lava ; duas pardinhas
de 14 annos, de bonitas figuras, cosem chao e la
zem lavarinto e renda ; urna dita de 8 annos, muito
linda ; um negro de naci peca para todo o ser-
vico ; um dito ae servico de campo, por 5008 rs
dous molecotos de bonitas figuras, para todo o servico ;
na ra das Cruzes n. 41, segundo andar.
= Vende-se, por prejo commmodo urna preta de
30 annos lava de sabio cozinba e bo boa vende-
deira; um molequede 15 annos, de bonita figura ,
e sadio ; na ra do Nogueira n. 27.
= Vende-se um preto crioulo bom trabalhador de
enxada proprio para o servico de campo ; na ra da
Aurora n. 4.
= Na venda nova da esquina defronte do Rozario,
por baito do sobrado de 3 andares, n. 50, vende-sa
muito superior cha bvsson de Lisboa, a 2000, 2240 e
2880 rs., manteiga ingleza muito superior a 880 rs.,
dita franceza a 560 e 720 rs., dita de porco a 400 rs.,
presuntos novos de Lisboa, em quartos a 400 rs. a li-
bra e a retalho a 440 rs., dito inglez em quartos a
320 rs., e a retalho a 560 rs. linguicas novas a 440
rs. latra nova a 560 rs. macarrio a 300 rs., ceva-
dinba de Franca a 140 rs. larinba do Maranhio mui-
to alva a 120 rs. bolaxinba ingiera nova a 240 rs.,
dita americana grandes 240 rs. amendoas coofei-
(adas com assucar muito fino de Lisboa a 600 rs., ditas
com casca a 320 rs. ditas sem casca a 320 rs., passas
novas a 320 rs. caf do Rio muito novo a 140 rs., di-
to moido a 200 rs. espermacete americano a 960rs. ,
dito francez a 800 rs. queijos do reino muito supe-
rio res o frescacs a 1440 rs. bocelinbas com doce de
ameixss de Lisboa a 1000 rs., frascos com conservas de
Lisboa ditos pequeos com sardinhas superiores
charutos regala a 2500 rs. a caixa doce degoiaba em
caixSes grandes e pequeos, milho alpista e painco
para passarinhos, azeitonas pretas muito grandes a
240 rs. a garrafa vinho do Porto fetoria muito velho
proprio para doenles a 560 rs. a garrafa, dito Madeira
muito superior a 600 rs. a garrafa, dito da Figueira a
240 rs. a garrafa eem caada a 1760 rs. dito de
Lisboa a 1760 rs., vinagro muito.forte PRR a 1000 rs
a caada, e 140 rs. a garrafa, e lodosos mais gneros
bons e por prego barato.
= Vende-se um chronometro, chegadoultimamen-
te de Liverpool; na ra da Cruz n. 13, em casa de
Ridguay Jamisson & Companbia.
= Vendem-se lcn?os do algodo e seda de bonitos
padroes a 640 rs. casimiras de algodio muito oncor
padas e de quadros pelo barato preco de 480 rs. o cova-
do riquissimos cortes de colletes de quadros a 2560
rs. o covado ; na ra doCrospo n. 14, loja de Jos
Francisco Das.
ss Vende-se um roqueto novo para clorigo muir
to superior ; na ra da Cadeia do Recife loja de fa-
zendas de Joio Cardoso Aires.
--Vende-se urna canoa muito veleira e nova de
lote de 6 caixas, com todos os seus pertences; adver-
tindo-se que se vende muito em conta ; na ra da Ma-
dre de Dos venda n. 8.
Vende-se salitre refinado em barrilinbos de 3
arrobas e meia, oleo de amendoadoce em latas de 20
libras, mercurio doce em caixnhas de 10 libras, al-
vaiade e chumbo de munigio; em casa de Fox Brothers,
na ra da Cadeia, n. 62.
Vende-se urna porcio do cera amarella em arro-
bas ou libras, como convier ao comprador; na ra
larga do Rozario, venda n. 29.
= Vende-se potassa americana muito nova em
barris pequeos; na roa da Cadeia do Recife arma-
zem deassuca n. 12.
Vende-se urna porcio de portadas do pedra da
trra lavrada cada urna portada por 27 c rs.;, e urna
porcio de soleiras de cordao cada um palmo por 680
re. : na ra da Praia de S. Rila n 22.
= Vende-se cera de carnauba de superior qualida-
de em porcio e a retalho ; na ra do Rangel n. 1.
Vende se um volo quasi novo, de excedentes
vozes, por preco commodo; na praca da Indepen
dencia n. 21.
Vendem-se saccas com la reos, a 4j rs. cada
urna no armazem de Joaquim Goncalves Vieira Gui-
rrarics, no largo da alfandega c no de Antonio Tei-
xeira Bacelar ; chegadas ltimamente saccas gran-
des.
Novo depozito de farinha na Boa-Vista ,
loja do sobrado n. 53 da rita do
Rozario.
= Aonde se encontrar a melhor farinba da Ierra,
e da de barco a mais superior, que existe do mercado,
Muito boas bichas, chegadas uh>
mmente de Hamburgo, vendem-se tan-
to aos ceios como em todas as porcoes,
e tambem se alugao por preco commodo, e
se vao ai plicar para mais commodo (|os
pretendentes; na ra do Rosario Estrei-
ta defronte da das Langeiras loja de
barbeiro n. 19
Vende-se farelo pelo mdico pro-
co de 4j^ooo e 2s'56o rs. ; na ra da
Senzalla-Velha n. i38.
Vende-se vinagre superior a 5oo
ris a caada ; na ra do Aterro dos
Afogados n. 7.
Vende-se a muito interessante obra
O mez de Mara a qual contin vi-
da de Nossa Senhora, muito til para as
Senhoras, com encardernacao dourada,
e estampas mui finas de Nossa Senhora,
e outras muitas, por preco mais com-
modo do em que outra qiulquer parle;
Diccionario Magnum Lexicn, ediccao de
t843, muito augmentada, pelo commodo
preco de Gooo, lloratius em 2 volttmes,
por 3s20O : na Praca da Independencia,
loja de miudezas, n 5.
Escravos Fgidos
Da casa de Jeronymo Martin ia no Figueira de
Mello fugiouma prelado nomeCerlrudns, Mina de na-
ci leudo a falla algum tanto atrapalhada o com
lanhos na cara, proprios de sua naturalidade ; letn
vestido de chita ingleza cor de caf ; quem a captu-
rar elevar a ra do Hospicio n. 14, no bairro da
Roa-Vista sera bem recompensado.
= Na noute do dia 15 para 16 do crrante mor de
julho desta anno, fugio um preto de nome Joao de
nacao Angola, de idade pouco maii ou menos de 30 an-
nos com os signaos seguintes: falla muito bem, que
at parece crioulo alto, grossodo corpo bem pa-
recido cor muito preta ; levou calcas de algodioxinho,
o camisa de algodioxinho entrancado e chapeo de en -
cerado ; ps compridos, os dedos grandes dos mer-
inos ficio um tanto por cima dos outros dedos; he tra-
balhador a bordo dos navios, na estiva e de catraeiro ;
quem o pegar, leve a ra do Pilar n. 4 que aera re-
compensado do seu trubalho.
--Fugio. em principios do mez de maio p. p., do en-
genho Riachio da provincia das Alagas um escra-
vo crioulo de nome Loureo(o de idade do 18 a 19
annos, est bufando, altura mediana, secco peroas e
bracos finos,bstanlo preto,alguma cousadentuco: quem
o pegar, leve ao dito engenbo a seu proprietario Joio
Marinho Falcio ou nesta praca a Manoel Gomes da
Silva na ra da Cadeia do Recife.
Fugio, no anno de 182o, um moleque de nome
Florencio, com os signaes seguintes : tinba naquelle
lempo 10 para 12 annos de idado falla descansada,
cabera um tanto ponluda para traz olhos grandes,
peatanas compri las urna costura de ferida na pern
direita da parle do (ora, logo a cima do tornozelo ,
signal este que nao pode mudar anda mesmo com
a distancia do lempo; foi visto e constava estar no Rio-
Formoso, e de presente nesta praca; roga-se encare-
cidamente as pessoas cncarregadas da polica capites
de campo toda a vigilancia no dito escravo, visto seren
seus senbores privados de seus serveos por tantos an-
nos os quaes dio cen mil rs. de gratiticacao a quem
otrouxer nosta praca na ra estreita do Rozario n,
43, primeiro andar.
= No dia 5 docorrente julho fugio de bordo da
sumaca brasileira S. Anna t'elis mestre Antonio Ro-
drigues um escravo preto, de nome Jos, Mina, bai-
xo ; escravo de Francisco Lopes da Cunba do Rio*
de-Janeiro : quem o pegar, leve a casa de Gaudino
Agostioho de Barros, na pracinba do Corpo Santo
n. 66.
= Em odia segunda feira do Espirito Sanio do
annno passado fugio a preta Catharina do necio
Angola ladina, alta, bastante secca do corpo, seio pe-
queo cor muito preta bem feita de rosto, ollios
grandes e vermelbos, com todos os dentcs na frente ,
ps grandes e um pouco medidos para dentro muito
conversadera e risonha de idade de 22 annos; tem
sido encontrada na Estrada-Nova da Magdalena, c no
Atierro dos Alogados vendendo verduras, e aos do-
mingos no maracat des coqueiroscm dito Atierro dos
Afogados: ha pouco, foi ella vista por um moco n-
huido da casa do palacio do governo, na ra de S. I'"'"'
to em Olinda para onde tornou a entrar ; he prora-
vel que estara por all oceulta visto o dito palacio es-
tar devoluto: a dita cscrava pertence a Manoel fran-
cisco da Silva na ra estreita do Rozario n. 10, te>'
ceiro andar, ou em seu sitio em S. Amaro.
= Fugio no dia primeiro do setembro do engenho
Monjope o escravo Trajano, crioulo alio, de cor fula,
de idade de 25 annos pouco mais ou menos barbado.
tem urna cicatriz em cima do olho direilo e oulras di
perna direita : quem o pegar levo a seu senhor Fran-
cisco Xavier Cavalcanti, que sera generosamente re-
compensado.
PEIIK. ; NATYP- DE M. F DEFAMA---- lb"/^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3RM7E084_NT3YD8 INGEST_TIME 2013-03-25T14:40:03Z PACKAGE AA00011611_00836
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES