Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00831


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Inno de I845.
Scxla fcira
O fl/Ifl/O publira-se todos os dins que
o forera de guarda: opino daassigna-
K mu- nao forera aatignantai pago 80 rs.
Ih.lia,' 10 em typo dillerciilc.
PIlASES DA LA HOMEZ DE 1ULBO.
,a nova a-i as 21. c 10 rain da tarde.
1 ....... ;l 12 aos 3 minuto* da Urde.
na chela a I!) as 3hor. c 43 rain, da man.
UlugoanW a 2 a 1 hor. da iiiinhaa.
PARTIDAS DOS CORRF.IOS.
Golanna Parahyba, o Rio Grande do Norte
Segundas c Sextas fciras.
Cabo, Scrinliaeni, Rio I-oimoso, Porto Cal-
vo, p Macey, no 1 11 c 21 de cada mcz.
Ga.anl.uns c Honlto a 10 c 24.
Roa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria Quintil reirs.
Olinda todos os das.
PREAMARDF. BOJE.
Primeira as 10 b. e b' mi... da manhaa,
Segunda as 10 h. e 30 minutos da urde
do .Tullio.
Ann XX N. MI.
DAS DA SEMANA.
7 Segunda 8. Pulquera, aud. do
IVda2. v., e do J. M. Ha 2. v.
8 Terca 8. Proeopto, aud. do J.
da 1. v, e do J. dos Fritos.
i Quarta S. Cyrlllo, aud. do J. de
3. vara.
10 Quima S. JannarlOi aud. do lu/.
da 2. vara, e do J. M. da 1. 6 2. v.
11 Sexta S. Sabino, and. do .I de D. da 1.
v. do iv. i, e dos I. dos Pellos.
12 Sabbado 8. Flix, aud. do J. de D.
da 2. vara.
13 Domingo S. Anaeleto.
J.
de
D
de
CAMBIOS NO DA 10 DE HJLHO.
. A|e*S
por franco.
Cambio sobre Londres.
Parii 370 ris poi
a Lisboa 120 por 100 de prem.
Deac. de let. de boas firmas I '/, I .. p.
Oero-Oncasheipaiiholas 31*500 a MlSn.t
MocdadeD/fOOvel. ISiiimi a isiiio
de 6X00 no V. 17#S00 a 1S/MMM
de4/000 500 a 0/TOO
Piala Palaeoes 10,MI a l'.i.O
,, Pesos Golumnares. 1*900 a \/f\m
Diios Mexicanos l'Ho a 1/090
MoedasdeS paUc. i#78t) a 1S00
Accoesda C." do Beberibc de 50/000 ao par
PARTE OFF.CI AL.
Commando das Armas.
Ouarlel-general na cidade do Recife, 10 de julho de
484.5
lilil.\l DO DA N.42.
D'ordemdcS. Bxo. o Sr. general cnmmandanle da
arma se IranacreTon oflicio, que abaxo legue, do lili...
t Exm. Sr vine-prciidenie da provincia, para cjuo tc-
ulin a devida cxcciiclo.
lll.n. o Exm. Sr. Dcvcndo ler logar a pmse do
Kvin. presidente ii<>nie Pinto Chiohorro da Gama, no di 11 do corrento pela
una liora da tarde no palacio destn governo, l.aja V
Evo de ordenar, que s tropa de linl.n, qne poder mar-
char, se rena a di.ai legie da guarda nacional desle
municipio, snb 0 eomnisndu do cnmmaiidante superior
l'ranciioo Jacintlio Percira, para f.uer n honras e con
nueiH-ias .10 referido Exm. presidente. EV Exc. com-
parecer com lodosos o(\|oiacs das diffureuto classcs do
enrollo, existente nota cidade, a fim de assistircm a
: ,...!. Dos guarde a V Exc Palacio dePcrnainbi.cn,
i) de jnll.o de 181ofanoel de Souza Teixeira.Illm
e Ex... Sr. brigsdeiro eominiinilsote da armas, Antonio
Correia Sera. nJoscda Silva (iuimares, sjudanto de
nrdcni. ___^_____^____
INTERIOR.

RIO DE JANEIRO.
III-T0IIIA DO CONFLICTO RNTItE AS MJ\S CMARAS.
(Continuaco do n. antecedente,.
CMARAS DOS DEPUTADOS.
Sessdo do dia 1G.
O Sr, Franca Lciic pronuneiou-M a favor do parecer
da commisso especial.
USr. Goncalces Marlins: Sr. presidente, a com-
misso e os oradores que a teem sustentado tcem decla-
rado a inlelligencia do artigo 01 da cnualiluico lio f-
cil, lito clara, tan liquida, que se admiran que algn.
nulligoncia contraria se possa dar; ouvi inclino que
era urna ii.Ielligeucia ao alcance de mu menino de c-
enla.
Sr., esta exageradlo pode dar logar a dcsconfianca,
porque tanta clrela allegada podi-r Ester acreditar que
nobre maioria nao est no sen estado normal, no sen
angi.e fri habitual, quando entra n'esla discussao.
Um Sr. depulado: Nflo f.ii isto o que se disse.
O Sr, Ijoncahes Marlins: O mesm parecer da
cnmmissu avanca o que agora repito, c para justificar-
mu elle sobra. Bu declaro que, longo de enoontrar ni
materia esta clarcja que se inoulca, e.ilendo O orlign 01
de diversa uianeira ; e cun conscicncia e profunda con-
neeiio, en. qualquer potioio cill que me aelie, en. quau-
i" Dos me conservar a ratto ea inlelligencia, toral de
pensar da niesraa nianeira que boje, cerca do sentido
i|ue eollio do citado artigo. Neste Citado de ooiivccu
imagino que cada un. de ns possa pensar dittcrciitcnicn-
le; mas revolla-me tanta eertea, tanta facilidad, e tanla
i.reta do lado opposto. Sr. presidente, cu vou moslrai
que ii negocio i.So bu Uto liquido, lie. a inlelligencia
da nobre maioria lo indisputavel: uqui osla un. pare-
cer ou Irabalbo de una commilloO mixla de ambas as
cunaras na nrganisscu de un regiment enmmum pan
casos de reuililo da attorabla geral; assiguarao este
trabslhu bomcm polilioos, senadores ou depuiadoi, mui-
lo imtavcis pela las mitrucco c scrvicoi, e nlguns des
t-< autores da nosss constituirn, e como laes mais ha-
bilitados para llie darem a gei.nina intelligcncia. Neste
Irabalbo se consagra a intelligei.cia quo ao artigo 01 da-
mos nos (.no cuinbalciuos o parecer. Ora, se assim lie;
se esta parte do Irabalbo d.:s coniinisscs rounida foi as-
signado una ni m eme ule.......
USr. Anido: Unnimemente, nao.
USr. Gonca/tes Marlins: ......unnimemente,
pois que os pinico que se assignrJo,vencido o fiterau
uniente em qoanto i promiseiiidade na rotSC.0, que era
o pomo de discordia da poca ; continuo, SO este irab.i-
bo foi iiiianimemenlo assignado; e tao nolaveis para-
nle..lares, de cuja auloridade en grande parle nao podis
lilierl.ir-vus, assim ciiteildrSo eoin usco aOontliluicioi
como boje se nos dii que a inlclligcneia idntica lie un
conlrasenao boa raiao e n intelligcncia Ir.vial da lellra
do artigo?
Aqui est 0 artigo 'l'l deste regiment u que me rcliio:
peco attenco:
Para a reuniao das cmaras, no caso do artigo 61 ds
conslituico, fet-se ndispensaucl nao s o convite de
una, como o consei.limento da oulra cunara, preceden-
do diseusio. >>
Bita artigo foi approvadn pelo senado : v-sc pois que
esta absurda, iutolligeucia foi lamben ja a que ten- a*
quelle cargo pulilico naquelll epona ,1827,. fc.u nao
quero, enleuda-se-nic bein, quelite sirva de argumen-
to par apuiu deminlll opiniio mas deve servir para
centellar a faoilidado inculcada da contraria intelli-
gencii.
Bita artigo, approvado pelo senado cora lodo o regi-
ment, veio para eslacasa, onde nau consla ler lorido
Oppoliuao alguna, O regiment cabio, be verdade, ou
fui rejeitado unanimemento; porn, nao eonaiando que
o fusse por causa do artigo -Vi, devu suppur que o foi cu.
consequeuels do inigu 48, oda roticlo promiscua, que
era a questao da epuca.
Coiit'esicnios porlanto que muita gente de boa Rs ten
entendido a oonatituiclo d'eita maueira; nonlessem os
nubre deputadoi que o senado j entendeo aim a
Cenitituiotu quando appriKou o regiment commuiu.
Este regiment fui rejeiudu, noweou-se outrs con
misalOj ('aunvn cnuiiuiisn, faicudo 11 ni novo regimen-
t, n.ii, tocn ne.-tc ponto; mas, aubcudu nos que 11.10 tu.
objcclu de queaio, que pudesse levar o senado a refor-
mar 0 que tinha propnulo, r sabendo nos que n.lo bouse
um objeclo do duvida quepudesse lcvnl-o a isto, deve-
moi concluir da snn ninissko quo o regiment con.innm,
(ratando da maueira por que se devio condoiir as duas
cmaras reunidas, era extemporneo, ou sabia for dos
limito! de iua missao quando diiia o que se devia falc-
antes dcsta reuniao. Se o regiment comnium era uni-
oamente para o que so devia Ester quando as camarai es-
lav.ao reunidas, ea maueira de se deliberar, cnliil aquel-
lo arligo era inlromeltido onde n.O devia entrar, lie o
que se pode concluir ; excepto e, como disse, a retira-
da tivesse provindodeopposicau, o po se nao prora.
Dirci ainda poueai cousas cerca da inlelligencia lil-
leral do artigo 61, que alias tein sido exuberantemente
IralaJa pelos n.eus amigo quo me precedro.
Sr. presidenta, dUicr.o os nobres deputados que a
palavra reipierer,de que a couslituicao se serve, nio
pode ser entendida no sentido vulgar, isio he,como em-
bregada por um inferior para o superior, poique a c-
mara be cm ludo igual ao senado; devendo-se sim en-
tender DO sentido obrigatorio de exigir, mas usado por
corletia e polidei. A palavra requerer -pode ser em-
bregada por tres diversos modos; ou, como he man re-
celada, de un. inferior para o superior, ou aquello com-
petente para delerir-llic ; ou como convite de igual pira
igual; ou como uma exigencia. Pela primeira, acama-
ra recusante be siipposta subordinar-so a oulra; pela
segunda, conserva sua igualdade 0 independencia; pela
terceira, ganba sobro a oulra, con. prejuio delta inde-
pendencia e igualdade. Aiim explicado, passemos ao
resto de minlia argumenucao.
Qual lio a iudulo de uosso sysleraa repres nlal.vo
Creiu que esta indule na factura das leis lie que ncnhuilll
lei se faca sc.u O cuiisentiincnto dai duas cmaras afola-
dos, ; qualquer das cmaras lem un. velo, e nada pode
paitar sum o oousentimento deltas.
Ora, abi esl a fusao. Qualquer que soja o dctenvol-
vimento quequi-irao dar constiluico na sua execueao,
nuici bao de otfcnder o principio de que nunca urna le
subir sanecao sera o vol das duas cmaras. Sendo as-
sim, Sr. se a inlelligencia que os nobres deputados
derem ao artigo 61, dada a intelligei.cia da (Olacao pro-
miscua, tr contraria a elle principio ; se isto se seguir
da esculla que fuerera os nobre depulado da ultima
ilas tre especies que etabeleei, desnaturado fica o sys-
tc.uaconstitiicion.il. Su nao bouvesso votucao promis-
cua, se as cmara vutaisen. separadamente, como acn
leee en. oulra parles, nenboni reeeio baveria do qu
paisasso urna lei sera o acourdo das duas cmaras, mas,
visto que lia VOtaCiO promiscua, pode una le paliar
em o voto de nina da cmaras.
Ora, o ineio do remediar de alguna maueira uililOOn-
venienlcs do que foi j occorrido cersa da pro.niseui-
dado, be a libcrdade de cada una das cmaras se prestar
a esta fusao; porque cada una deltas, sabendo a coiilui-
gonoll a que so subjeita, e subjeilando-se de faci a rc-
uniu, ela pelo que se resolver nella, e implcitamente
subjeitou a sua volitado deliberaco comniuin: mas, se
lr levada fusao contra sua volitado; so a sua maioria
for vencida, lile se d o caso de ler paliado directa ou
indirectamente sen. scu voto uma lei que vai ser apre-
seulada sanecao do Imperador.
Prucurflo o nobres depotados lallircm-IO por un;
tangente inadiuisiivel, quando diiem que a cmara re-
querida, leudo uina vez reeonhooido a raulagcni do pro-
ieetO de lei pelo faci delheler feito emendas, em fes de
o rcjcilar, escuado lio que, quando requerida, vote se-
gunda vos sobre oslo objeclo.
Sr. presidente, se assim se pudesse argumentar; se
quera uma vei reconlieeeo a utilidadc do projeotO, com
abstracco de suas iiiodificacc, nao pudesse dcixar de
dmittir sempro esla vaniageni, ninguein estara mais
no caso de nao dever deliberar sobre este ponto, do que
acamara iniciante. O senado v. g. no caso presento,
poderia julgar que o pmjecto das relnccs nao era la de
uma Tinlagem iranicedenta; elle purlantu o nao una
propolto: oiiinu porm acamara dos deputados Iba en-
vin, para nao o rejeiur, proourou melhoral-o, c des-
truir, leguudu suu maueira den encarar, o iiiionveoi-
enle queeucerraro. Aebo poia que o icconhecimenlu
da vai.tagora do projeelo be mais explcito da parla H
cmara autora, a qual coniludo vola segunda vei suDre
asna Tinlagem: que digo cu? Vota, anda depois dea
reconbecer por esta segunda vei, sobre o arbilrio da op-
porluuidude do coimle para a sesiu. Ditera porm el
nobre deputados que a cmara autora nao tinha anida
pronunciado scu juiso sobro as emendas, e be o que tai
quando vota pela vanlageino opporluuidadeilo convite :
creio qne mais forte Uo a ratfo que asusto cmara re-
culada ; porque, c aquella nao tinha pronunciado anida
MU jeito obre u emendas, esla tinha-o feito.explcita-
mente, reprovando os urtigos que eilll emendas ubsli-
luem; lio ella portauto toreada a contingencia de os ad-
mittir, lendo-o uma yes reprovado. A cau.aia rec-
same lem prsenles a contingencia da paiMgem dus
emenda ou dos seus arligos que ellas subsliluirao, e de-
libera qne, apetar .lisio, cunvom que O projeotO paiM
por orna ou mitra forma ; porm, sea recusada na de-
liberar na presenca dosis coutingci.cias, o partido he
deiigual. .
Sr presidente, se a couslituicao, no ortigo l, tives-
se disposlo que o rcconlicc.n.cnlo da vanlagcm tos.e ae-
lll |.....ente da cmara reeu.anle, e que a elle e .eguisse
infallivelnienleafusio, eudira que era urna desigoal-
dade, una inconveniencia; purera, dipr que depon
anida deslo reconhecimento lieuie acamara recsame o
arbitrio de pedir a fasto, e obligar a oulra cmara a
ureitsr-se auto, eria, a nicu ver, uma atrocidadc; ic
ria o desmancho do equilibrio constitucional.
Esla iatelligeucia tris uutroi inconveniente batan-
graves; .. perficlo das lei tena de sollrer, ou anles
mullas leu deix.rio de paar, porque o senado, v. g. ,
qoe he men nuiueru.u, e teffre dc.vauage.u M fiuao,
receir-ie-hia mita mes deadmitiir uma lei inelhorau-
te
du-a, e preferirla roproval-a totalmente, para livrar-s
* _______ ----------------* i ni i! I < i I
lu-n. v inuiinu ice* ---------.....
da contingencia de ver paitar sen. wu oto uma diap.
siciio que enlciidesse prejudicial ao pan.
A co.utiluicr.o, Sr. presidente, nao den a infalllbillda-
le poltica n llgum dos tre ramos do poder legislativo,
non ailou; (leo-a a todo tre ; os cm o concurso
delle todo qilil que se fuesse uma lei. Nao importa que
o governo mioja unido con. a cmara em oppoiicao ao
senado ; ambos esles, cmara e governo, pdem estar en
erro, j o teem oslado, e a constiluieai. conl.a lambe,.,
ao senado a lUltalltaelu da orden, e las iust.luicoes.
lNos uraoij, durauleuraa lonja rainondade, o exoea-
sos que aquella uiiiao causara, o reoilbecomo os inul-
tos que poderia ainda ter produiido, se a providencia
nos nao lOCOOrrOISOl Do qual das hypolhoses poden, re-
sultar maiorM inconvenientes da demora OU retarda-
mei.to de uma inuovacio, ainda quq muito til, que lie
o que se pode seguir de uoisa intalligenoia, ou da pre-
eipitaelo de una modida desastrosa.' Na primeira iiy-
polbeie, a illuilraelo, a foro* da opiniio, aoomtanoii,
ludo cihlini aji.daraa reo.....piislar o bum; na segunda,
..no de males irrfparaveis! Nao vemos que a primeira
hypollieso se rcprodoi co.uta.itemenlo us naeues mais
felitei o mais bemgovernaJai? nSi proiencia a huma-
nidade qoe por ICtei medidas da .Ulis alia j..,l.ea. me-
didas que importan a folici.lade de mill.oe de subditos,
sflo retardadas auno. BIOOuloi? 0 onde isto e observa,
nainacSo onde iitu se pana, a felioidade nau marcha
com a prosperidade? Y.-de-o en Inglaterra, que entre-
tanta he a primrira nacilo do mundo; lalvet, entregue a
...freguidao e os embale das peixoei dein.jmento, nao
paisano de uma naci de pescadores. Apoiados,.
litro nos ludo se quer f.uer mi un da; nao MI quer
reno pelo lempo, pelo irabalbo e pela illuslracao ; s..t-
fre-so obstculo, seja este destruido, marehe-se. guan-
do se ler o caso de nio poder ser a cmara temporaria
dissolvida, como j 10 leo durante a miuoridade, onde o
correctivo contra esta cmara em UU1 momento de lt.-r-
vecenc? A sooiedade braiileira nao peder aer iieaia
occa.io prdM da demagogia deienfreadn! [ApowiaM).
Nao se vi,, j o senado excluido do inlerv.r na reforma
da conslilincao? nao se to esto enrpo, eurvan.lo-se u
trrenle, tolerar e.t abuso? Eu fallo agora con. o. no-
bre. depulado, que, contraro boje a miaba opmiao,
eomm.go se uiiirao para prote.lar em 1834 contra es a
,ue SUppaie.UOl inraiaV, So o senado nao abusn anda
albojOl se abuso se leu. dado da nona parto, como
argonientar lmenlo COlU 01 ..busos do senado lloTC
ja um lempo em que a cmara do.deputadoi era o uni-
co poder nopaiti os ...tro doo.Mmoa porraaneoilo
sen! acoso ; le.no gracas Providencia de ler o Bra.ll
escapado la crise, e evitemos sua repetlCBO.
A coiutituicao, confiando mai eipeciallUOOtO u cma-
ra dos deputadoi oulra liref.1, parece que quu com c-
pecialilade tambera confiar ao senado aguarda deitl
eoiiiliiuicao, que podi luccumblr em alguma eme vio-
lenta ; e'lauto confio., nollo, que ale o .iicu.nb.o de re-
parar os esqueoimoutoi do proprio executivo, co.no
quando ll.e leeommcuda a convoca.;;.,, da nova cmara,
o calo do nao ter sido cu lempo convocada.
Para conseguir sen fim, a oonililuieSo quil que pira
aelicao dos senadores se desse.n asmaos os duui e -
me.ilos a cor, o o po.o desde es.o ponto c ne-
cio os correctiv,. indirectos, que poden, be... supina
falta do que nao ci.xcrga a nobre miara > X' ,
aomeci d.ta mixta concurrencia. A idade do eleito, ai
qualidadei que dceler, tul independeuoia, toa poi^e
garanti,)... c inas que todo 1.11 nao nlcrromp.d.. e .s-
lencia, .....enlada per continuas e parc.aes NkMdlb
Cei, complclao os;ton.a de correclivoi que a tomli-
''"^^V^^MelborheacabartogoConia
cunara dos depulado*.
USr (i Marlins: Nao he esla a concluan que <
deve tirar'; lien so acabo com a cmara dos deputadoi,
nemseiiulli6q.ioosoi.ado: reipeiteui-io ambo., cum-
.idoassim aoonililuicao. Otoado, Sr. prndente,
nao be composto do nma so opllliao, em uma so poca,
por orna so influencia ; nao representa o inlcresse de
omento, no... a gratidao de um beneficio recebido em
uma s poca c de uma s j.cssoa he hll.o de multas pai-
xoes, resultado le muitol inleresses, producto de lem-
pos diversos, de eiforcoi o beuoBeiol ale mcimo contra-
rio.: esta cmara poil d.lliciliuenle se lomara facciosa;
ella o parecer quando con.balcr as exagorecOe., U
quae outrus clasifiearo,talci mais rcioavelmeuto, de
faccao. Sendo ambas a. cmaras diffircutei em sua or-
ganiiicao, eleiclo o ubatituieto, acbou a eonilituicau
que lmente doveria crear contra aiexageracues a des-
vos da cmara temporaria um eorreeiiro extraordina-
rio, qual lio o la dissolu;.ao.
Co-ii estas ideius, Sr. quando unco licita casa que o
senado lio faccioso, e que esta cmara oceupa boje a po-
sicio de conservadora ; esla cmara, que pelo menos foi
fl.it din unto II plixci milis violentas, que foi prece-
dida do aiiniqol.iineiilo lol.il do estado anterior dopaii,
inniquilaraei.lu realiudu rpida e rioleniamenie ; da
qual una parle da nacao foi expellida, porque nao esla
reprcscnlada ; quando, digo, oufo icinellianle proposi-
eao, diiponho-ine a nao me admirar de mais nada que
ii ea para o futuro!! Sera sim os nobres diputados
COliierTldnre, mas do seui inleresses, do seu partido e
das pailn quo o trouxerau para esto legar.
Concilio declarando que voto contra o parecer; e pe-
ra.ile o pail, que nio ha de uuvir, declaro que voto com
urna conieicncia religiosa. (Acolados,.
epois da grande questao. que desde quirla-feira se
entila ni cunara dos deputados pelo molino de oSo
hsver o senado annuido a fusao requerid por aquella
canina, o nico fado digno de nota he o desmentido
quo o Cemmereie de Porto Alegre da ao boato de
ba\er sido issassinado o brigsdetio liento .Minovl Iti-
beiro. Congralulsmo-nos pois c'm lodce os amigos
do llirono c do Urasii.
Scnlinella da Mnareltiu .
m
STNOPSB DOS APURADOS TI1AI-.AI.IIOS DA MCI-.-rRESIDENCIA
DI8TA PROVINCIA.
Conclusflo dodia 7.
Sobesta dala o orglu oflleial do Sr. Manocl do Soma
publica .. teguinte oflieio de S.eiu que o delegado do 2 u
diitrioto deila oidado c-.mrauniea ieo presidencia
que colhera en aua iigon a S. Loiireneo : he um dea-
mentido nlerano folha oflleial, que nem por eaae ca-
rcter te moitrou, ieno menoi menlirosa, ao menos in-
fernada!........i.is exi.clid.io Parece que a fulhs ufllcill
lote den poraehada dcsta luinuden.ia, nem ella, era
elle, louvado seja Dos !
Illin. e Exin. Sr Era ciimpriiiienln a portara de V.
Exe. le Ii do correle eni que mo nrdenava, que com a
mair urgencia loinauo conlieolmento du horroroso al-
tentado perpetrado na peitna do infelit Jlo .Carnciro
do Albiiquerqae Jnior, subdelegado di freguetia dea.
Lourenoo, donde Ihc reiultou a murta, dirigi-me a a-
quella povoacao, nomeimodio, pclai seis horas la lar-
de com nina loica d>i cavallaria de 20 praras, eomraan.
dada por um oflloial lo meiiio corpo, onde e.heguei
pelas !l horas da iioule; 0 IV-ilas ai petquitai iiecessariss,
pude colher que no lia 6 pelas !> hora da manlia, 0S-
liinilo o infeli J"o Cirueirn a uuvir misia na capella.
mor da igreja matrix, detcrj I coro por uma columna
o preto Joo da fiama, 0 Se iiicaminhra ao altar a fallar
ao vigario. e sendo cslorvailo pelo lierilfau, iispenileo
os pistoi, ato que io ounoluio mina Depuii do quo
se enaaininhirtO para a laorlltil vigario, sacristn Jo-
an oiiif, prole..r Anreliauo le Pinlu. liorges, e Sub-
delegado, aos quae aeompauhou o 0)01100 Juan da (la-
ma, que ancindo e inexperadaraenta aos pi do viga-
rio Ibe pedio que o raloeae, porque <> queran prender;
entretanto descubri SO-Ibe uma faca de punta, que tra-
lla lo peito, o Sendo-ill'o pedida pelo momo vigario
Olltregou com alguma repugnancia, pele |u recebeo
pelo subdelegado urden de pris3o. Passado alguns mo-
mento, o assassino apodorou-M da mema faca, que Ol-
lar! depositada em cima (ie um caixao entre o vigario o
o mcimo subdelegado, tlirigo-ie a este o crava-lhe duas
puiihalailas, das quaei faeeon iraiucdialamenle; pero-
eondo tambera o Uiasillo le qualru tiro, que ll.e sal.i-
rao d'entro povo, quando tratan de evadir se perse-
guido pelo clamor publico. Compre mu ainda observar
a V. Exc que durante a lucio entre o subdelegado c o
tiHiiino ferio por este levemente feridoi > laeriilto o
professor, que preteiidcrao evitar tao nefando crime,
como ludo ver V. Exc dos l.fllooi juntos, lie o luo
lenho a levar ao conliecimentu do V Evi^. a oeiva do
oontado na citada portarla : significando Ibe mais, quo
por julgar nCCCIiario liideslaear naquella noVOICao nina
IVnca de oito pracaa, corapoili do : soldado de cavalla-
ria o .i i'uar.l.is nacionaeedu moimo lugar, oonmanda*
da por ii ni inferior daquellc corpo al a segunda oidora
le V Exc Iteui guarde a V. Exc. por milito Inno.
Drlegalun do i lisircio do termo do Itecife, 8 do
lulbode 1 s'i.i lllm. e Exm. Sr. coromendador Manocl
de Sonta frixeira, lig. vio presidente la provincia le
Pernambuoo. Fifppe Carneiro de Ulinda Cumpello,
di ligado.
Dia 8.
171 a 197. actos Deinisso lo promotor do Ueci-
fe 11. A. le M. Tquet, e do da Boa Villa Joo le-Soiua
liis ; iioracaces de l.uit Joso de Simpliu e Augusto
Jos l'eixoto para o ubtiluir, 0 de Manocl Claro (ion-
calves Guerra para o Limoeiro, que o Saropaio deixava
Vago.__CommonoaCei lestes acto de lllvaoio do es-
tado.
Acabou-so ciufini a brigl obre esta broa de pio-de-
l; veremos se os dente que a ho de devorar s.io na
vcrda.lc dignos di Un.
198 a 209. -leforma do lenle coronel cliefo do 3."
bltllhao do Bonito Joo Barbosa Macii 1 o do major da
reipeciiva legiao Ignacio J no Goelhojdoi teguintei olli-
ciae d<> j. batalho dos Afogados; ajudante Fraucisoo
Joaquim Machado, capillo da primeira cumpauhia Ma-
lina de Albuqiierue o Mello, lenle Semlo Correia
Cvalcanti M.camuiru, tlfere Jos Lint Lnu o Antonio
Martin lo Cirvalho; llferos da terceira cumpauhia
FrancilCU das Chlgal Cavalcauli Pcsoa e ilanoel de Je-
ss Jordn Caldeira; da quarta eompanhia,oapiUo Fran-
cisco Xavier Lilis Cavslcanti, alteres Manuel Joaquim
do Miranda; da quinta conipanhis, capilo Lnil do Krgo
Barrete, lenlo Antonio lon;alvc de Moraes, altores
FranciscoGonCllve dos Santo; da sexta companhia, lo-
neiitc'f heofilo de Soula Jardn, altere Antonio Jacinll.o
l'essoa; do lencnle-coroni-l du 1.0 batalhto do Olinda
Pranoiseo de Paula Soma Leao noiueacei de leucnte-
i'iii-.iucl do 3. balalhao lo limlo a Manocl da Silva 0
suma; do tenante coronel lo 1 'batalhto lo Olinda aj-
se Joa|uim de Alraeida Gucde; o de iiiajor da iegio do
mesrao municipio Candido Bmigdiu Pereira Lobo :
cmiiuiiiuicace deste galope e conlradinca
210 a 212.Soppresstu daoadeira de primeira Jet-
tras da Laga do-Carro.
213.__Communicafio pagadura militar de liaver
sido noiucado Ignacio lVanc.sej Marlins para aj.idar ni
irabalbo de mi escriplnrajo no impedimeiilo do es-
orivlo e oflleial, venoendo 1,000 reii no diaiutais.
214,Accuca recejuo do ollicio do comuundinle
Ja- armas que acon.panbou o inappa das pravas falleci-
da! no b spital, no l. semestre deste anno.
C0RRE10.
CORRESPONDENCIA DA CIDADE E PROVINCIA.
Apanb.do em flagrante, como tantas ve/es, o gno
orgo ollicial, e no mestno da em que elle, ainda quo


a modo de surrelfe, eiibia a prova autbentica da sua
inamissiina mentira, ten euecuho oflicial o arrojo do
dizercom as bocbechas enchadas, em alio e bom lom,
como so na praia houvcra adunia cousa que nao fura
alio t bom, que nunca bouve mten(ao lieiim tal re-
quciHi.ento a cerca do que quer quo osso sobre a pre
lideoeil do Exm.Chichorro da Gama Safa Poisapa
lavra honrada dos honrados redad 'res do grao-pasquim
anda serve para alguma cousa i' Ddi entes que s sao
conlioeidos pelas suas mentiras e infamias, e por mais
nada e por ningucm mais, pdem valer ulguma cousa
E que Uiro elles ao pasquimzito que hoja appareceo
em muitos lugares ? Provavelmento o mesmo que ja a
respcito de outros teem ditosempre comaquollo mesmo
descaramento que be aquella grana. Mas quem os a-
creditari ? Ora,aqui vai um dos pasquins que me cbc-
;ou as maos, e consta-no que outros erao seguidos de
litis algumas pbrases, proprias depraieiros, como
mor do llahianos, etc. ele.
As armas, nicus patricios, para sustentarmos o
nosso digno Souza Teiieira.
Confiado no acert de suas medidas de lalvacao pu-
blica, ou limpe/a de caminhos, como diz oseuorgfio
oflicial, o Munoel de Souza assentou do dar por (indos
osseus traliallios, eJepr a vasioura e rodo, como
quo bavia felo ale hontem. Ficrio com isso mui zan-
gados os rapazes, porque, fossem quem foss"m ossuc-
cessores, quoriSo elles ao monos qu'! a guarda naci
nal da cidade nlo licasse em maos de baronistas ; mas
taes ii,i> os candidatos que o mesmo Manuel de Souza,
parece que leve um assomo de vergonha, c nao qu 1/
estar por isso ; valba a verdade, puis cu duvido.
diario n vnunm.
Obrigue-escuna brasileiro Fama quo cliegou hon-
tem a este porto, procedente do rlio-de Janeiro, com
lidias de viagem, d noticiado haver o senado sus-
tentado a sua donegacao .1 fuso das tmaras; e que o
Exrn. ministro da lateada pedir a sua deinisso, dan-
do logo paito de doenlo.
Commimicados.
O vapor ebegado do Sul segunda-feirs 1" do
corrente trouxo-DOS duas importantes noticias: u-
ina quo o Sr. Antonio Pinto Ghichorro da Gama,
presidente nomcado para esta provincia, havia partido
a lSdojujnho, o devia aqui estar a cada hora: venha
embora S. Exc. quo llie nao invejamos a sorlo
A outra lie urna nuvem negra, queengrossa sobro nos-
sascabefas, c quo pode dar de si funestas tempestades.
Ilavia o senado estreitado um pouco as mullas da gran-
de pescara, com que ospraieiros pretendio apanbar
randes, e gordos peixes, pondo algumas emendas a
lei que cria relajos as provincias de Minas e Ko-
Grande-dc-Sul : voltando a lei assim emendada para a
cmara dos deputados, forao rejeitadas as mais impor-
tantes emendas,aquellas que mais prejudicavo os inte-
resses dos maritacacat do Sr. Antonio Garlos, dos
qu.ies est amejada a cmara qualrienal. Como porm
o projecto Ibes era to vanjatoso, assim decidi a vota-
cao da cmara, e em conformidado do artigo til da
constituir j requereo-se, por meio de urna deputacao,
ao senado a junc fio das duas enmaras em assembla ge-
ral, para serem discutidas as emendas rejeitadas, e do-
cidir-so o que se entendosso mellior. U senado nao en-
tendeo que fosse to vantajoso o projocio que vulessea
nena recorrer a esse moio.e que pelo contrario no estado
actual das (nangasdo imperio era prejudicial,e resolveo,
por i'.' votos contra I i, nao annuir a esseeonvite, e
nesta conformidade respondeo a cmara dos deputa-
dos.
I.ida na cmara a respo-la do senado, bouve una
furibunda cxploso : nao parecan genio, no, por m
furias desliadas do averno, sohiesalundo entre todos o
tniefectnel Joaquim Nunos Macliado, que, com todos
osares de um disacisado esusiote, lancou sobro aca-
mara vitalicia urna cnliada de insultos, improperios, e
orneabas, quo bom o quulilicavao para digno compa-
11'..oro do ex-deputado Navarro. Disse que o senado
era revolucionario; que dera um golpe do estado,nulli-
licando a cmara dos deputados, cajo coinporlamento
em una discussao to seria e inoiuantosa moslrou
que eslava alheada, sega de paixo, o incapaz de de-
liberar : no anuo do 30 nao bouvo tanta indignidade ,
c assim mesmo hem funestas foto as consecuencias da
exageraeao dos principios. Km lim decidio-sc a no-
incaeio de urna commissao especio!, a qual em breves
audiencias apresentou um parecer cheio de palavras
ocas, miseraveis so|ihisrnas, em que resumbra a
lalta de reII tao, e madureza propria dos mocos inexpc
rientoa, e escaldados, de quo ella so compunba : be
urna verdadeira faina de funmbulos Utal nao fosse
seno isso Mas lie um verdadeiro furor demaggico,
que, se levar a sua u vante, fie ir nullilicado o senado,
llenando de existir como um (acto, e s<> como urna es-
tril theoria; acamara dos deputados tornar-so-ha tam-
ben) de (acto a nica potencia, (e essa irresistivel) no
estado, c a cora, destituida da proteccao de um carpo
intermedio entre ella e a cmara qualrienal, ser leva-
da de rujo pelos furiosos embates da pura democracia
em delirio.
O forte dessa commissao especial, e que a cmara
decidi, finque o senado nao tem vontade, ncm juizo
a formar desde que a cmara dos deputados enteodeo
quo o projecto he vantajosn: o sonado que, segn lo o
padre Muniz Tuvarcs, nao he infalliv I, deveficara-
crelitando d" le, que o pr.)|crto he vant.ijoso, porque
a cmara dos deputados, que be infallivel, assim deci-
di. Embora ontenda que o projecto sem as emendas,
que propoz, be urna calamidade para o paiz; embora
saiba, que, anda reunido em toda a plenilude de seus
metnbros.seru sampre esmagado por porto de oitenta vo-
tos seguros da cmara dos deputados, nenhum recurso
llie resta para salvar o paiz; nao tem que fa/er r fle-
gflat; submeta o col ao duro p do despotismo de mo-
ros rrefl ctidos, e deixe-se esmagar asi, e ao povo.
Se o senado nao tiver urna vontade e um jui/o lio li-
vre como a cmara dos deputados acerca da vantagem
de tal ou tal projecto de lei, a vista da siluacSo do paiz,
quem podera mais resistir s exageradas pretenedes de
urna cmara de deputados como a actual, tai dominada
pelo espirito da revoluclo de quo ibio urna grandsi-
ma parte do seus membros? Julguem os bomens impar -
ciaes, se be poisivel, em um systema de governo como o
domo, admittir, que uoia cmara poss* ter o direito de pobre inviiies de corpvis que ccfara
coagir a outra a subjeitar-so de bracos cruzados von-
tade imperiosa da outra em casos, em que a conslilui-
co requer o accordo, e mutua inteligencia de ambas.
N3o hepotsivel.
Nema leltra do artigo Gl, e seus antecedentes esub-
sequentos mplicao semelbante ideia, nem os prece-
dentes autonsao semelhanto intelligencia. A commis-
-.'ti trucou de falso, quando,disse, que segundo todos os
fados anteriores,a cmara dos deputados estava na pos-
se ile obrigar o senado a reunir-so om assembla goral
com a cmara dos deputados, nos casos do artigo til da
constitualo ) nem outra cousa era de esperar de urna
commissao composla do joven ardentes, que, sem ex-
periencia o sem conhecimento dos precedentes parla-
mentares da assembla legislativa do Brasil, deo um
parecer lio rpido, tem tomar o lempo necessano para
examinar as actas da caa. Se a commissao fun Jou-se,
para firmar as suas extravagantes conclusdes.no factode
desde o anno de 1830 baver sempreo senado annuido
aos convites da cmara para as diferentes j unce, oes, es-
ses lacios sprovSo (e nada mais) que nessas occasies
o senado tem estado de accordo com a cmara joven, e
principalmente em materias dos orcamentos ; e contra
estas conclusos da commissao especial, e da cmara
que as approvou, estao os precedentes da primeira legis-
latura : por duas vezes fui o senado solicitado para a
junecao das duas cunaras, o em ambas o senado recu-
sou-se a isso, e a cmara dos deputados declaruu que i-
cava entendida, sem levantar essas indocentes algazar-
ras contrao senado brasiluirn,que,como cor pocollegisla-
liv o,ti ni iguaes prerogalivas com a cmara dos deputa-
dos. Estes dous factos provao, que sempre se cuten-
deo que o artigo 61 nao impunba a nenbuma admittir
como irrocusavel o juizo da outra, de que era to venta-
joso tal ou tal projecto de lei, que tornava indispensa-
vol a reuinio das duas cmaras.
No anno de 30, as vistas da cmara dos deputados 0-
iaii dar vida aoarligotit, lazel-o exequivel, e para
isso declarou ao senado, que em falta de um regimen-
t commum se subjeilava ao particular do senado. Tai-
vez que o senado ento acroditasse o quedepois muitos
teem dito; qun a cmara quena faier passar certas dis
ji.isn.ur- legislativas, cujo ohjecto era docilitar, e pren-
der o ex. cuino para seus lina. O caso he que o sena-
do noe>tava disposto a ceder; mas inlerveio o desejo
do Imperador, quo quera evitar choques perigosos na-
quella conjunclura, em que os espiraos estavo to ex-
altados, que homens decentes, quando a deputago
voltava do sentid. lirarao as bostas do carro, e o pux-
v3o a mao, e o senado cedeo. Era bem terrivel aquel-
la quadra Todo o Brasil o sabe. Teremos nos agora
voltado a esses lempos i'!?! Ol Brasil, Brasil, os
ceos velem sobre ti II
Digo ao Sr Nunes Machado, que be elle o a sua
cmara, que querem dar golpes de estado; quequerem
nullificar o senado, negando-lhe o concurso de sua in-
telligencia a cerca da vantagem de tal ou tal projecto,
a ponto de tornar necessaria a juneco das duas cama-
ras : be elle o a sua cmara, que quorem revolucionar;
quo o senado,quando mesmo commetta um erro de in-
telligencia, est no seu direito todava : o contrario
seria acabar com elle, e com a consGtuicSo. Ueixo de
analysar o estirado, porm 000 parecer di commisssio,
por nao caber isso em um pequeo communicado. I)i-
reis que rom a mai.ir deslealdade, propria do carcter
conhecido do relator da commissao,tunca ellamio do ar-
gumento adodium, ad terrorem, dizendo que o se
nado m slra nao ter confianza no poder moderador,
suppondo que nao lera coragem para negar sincero a
11 mu lei nociva. I.le argumento, ultn disto, provanao
de mais, nada prova. A estar. 111 em guarda os Per-
naiubucanos, os convida
O Cailrioto.
Al;;iiiis Habimos, ostudaiilcs do curto jurdico de 0-
inla, tCIDpro .it'.iiiiia.i o coiIium.isI.is pela ordem, |iro<-
peridnile, e iiidepeiiiloncia dn suu paiz natal, bem como
oa seus llemaa Oomproviociaiini, carcter que l.uiili 011
enielliaiileniciilc m evidenein, c descortina em tmlj o
Braaileiro, que uraiiatnoole aedi tal,reunirio-se, euniu
animalmente aoe itieceder, em o da '2do crreme, moi
vei'oariu da entrada lriuiii|ihal do bravo exereito braii
leiro na oidade de S. Salvudor.c cxpulaao dos Portllgue-
108 das |da|.i Lia 1 i.i 1 iaa : fado este, que lu de proili|t-
to eipiicorreo a tiin de quo a Ierra da 5. Cruz, livie ilaa
;arr. .- do lud, nulo c |ieHado def |io li nlo, aubJSSC ,1 i'i-
thegiiria de imperio, c li uro entre as nacos por tal gui-
sa co iiussa kladl).
Iteiiuiro-io, po8, comn referido fica, com o tilo de
loli'iiinitarem lili grato da, cada vez mais recordador
de nolidei en c luo.i-o.-os lilo, em fealival banquete;
ionio se vio par ila aliiinduiici.i, delicadeza e gusto,
divisaudo-se anda puro, e sublime ciinteiilaineiito em
todos os semblantea, e taiiibein Icuiliroiulo-se, nao me
nos a mor parto doi que alii te achrao, que leus pas
luii.ui sido activos quinliut-iros om qiiejanda gloria, em
tan inagrstosj empreis, que lu rbula e Lrilliaiiteiueii-
le figura entre os tastos do Uiasil.
Ah, enlevados de prazer cin coiiipanhia de collegas,
narlioipra de taes lentiiuenlus, fizerSo-ic os mais charos
brindes, reeitaiido-se oiu leguida dilles as poesas, cuja
piiblicotao p.-diiiios
Ellas sao jiroduecoes lo Sr. Antonio Rauge! de Tor
res Bandeira, boje ja uiiu bein oonhecidu nesia provin-
cia, que, igualiiicnto trans|iorladu do jubilo, nol ai offe-
receo; aeui de outros improvisos, com que na mesnia
occaeUo nos miinoieou.
He, pois, n ti ni de patenlenr-llio o mais subido agrade-
einiento de lodos quantos tor.'i.i presentes a este tesliiu;
he a lim do acoronoar ao Sr. Torres liandeira eiu to
bem estremla qu8 bella carreira, que damos coiihe-
cer ao publico, sob seu eoiisenliiiieiilu e especial favor,
o elevarlo de sem pensameiilos em semellianie oppurlu
oidido e o seu brasileirisiiiu, que nao cedo a di.ioteir.i
ao cornean mais verdadeiraiiiente patrila. Assim pon,
ai coiiHainos ao aprecio dos riitendidoi, c leui o menor
hesitar esperamoB, que o publico continuar titzer jus
tifa o a bem aquilatar ao novu cjoven vote.
AO DA i DE JULHO.
IIYM.VO.
Ooaiiio he doce ler iivre e quaalo lio helio
Na mente revolver felos sublimei
Km prol di Libcrdado Apenas se ouie
U rgido canillo trioindo au longc,
E a inortc cnvolt* em lurbilhoes de fumo
Us campos assnlar; u ciilliosiasino,
U elctrico tornr da indrprndciii ta
i.avr.i lias almas, que no altar da Patria
Pela Patria loorrer jurrAo sempre.
U carril do Iriumplm aireo fado
^
Lito ferro de intrpido guorreiro,
Itoda lobcrbo tobre 01 ferreos gonzol
Do alraeur negro que empoleira o inonslro
Do Despotismo.A viuda I.bordado
Troveja uo prciente e no futuro :
Quem fui Iivre uai paginai da historia
Seu nomo eslampar tem ler receto
Da morteaustera quo acobarda aus norrios.
Quem ha hi que nao ahila eulhuiiasmn,
E as veas ferver-lhe O sangue em pillos.
Se reoorda o lieroiaino c a liberdade
Do impvido Bahiano que nao temo
Pugnar pela Plida, e dar-llie a vida
N'uiu sacrificio de valor to alto ?...
Despotismo feroz quo a paz es punco,
Que brota a divisao, que gera o eriine,
Noi pacficos campos da Batiia
Atreven so a surgir, bridando iroio,
Convocando ao exterminio, ao languo, a inorto
Peilos que a Patria no ieu gremio havia
A niuineuiado com o licor materno
De repente echoou na voz doi lempos
D grito da famosa Kiberdade,
E os peitoi d'ifo aos golpes que redobrio,
Fervern de gloria, agito-sc, coinbateni,
O ministro csm.igauo afinal triiiinpliu
Lingua voraz de ardente labareda
Nao derriba to rpida o edificio,
A' que 10 apega em noule tenebrosa,
Cuino ene genio que aira vez dai sombras
Impvido caoiinlia, e esmaga o ministro.
Seclos d'oiiro que p'ra sempre fustes
Dormir na eternidado em vos niu acbo
Herosmo e valor que igualo aquellas
Quo triumphu da inorto. O Bralileiro
,N;lo precisa ir to longo, se desoja
Vrscu nome innuortsl. Bchia exulta
Sobro ni inquieto turbulento! mares,
Qual tropben inagnainmo que SSlina
Sobre as idadci altuntandu os Evoi,
Verdes luiros colheste, a fama, a gloria,
E nunca inorreris, porque es to Iivre.
Quaudo tallas de Washington, l fogo,
Nada receias le recordal Franklim :
Enthuiidsmn, valor, Independencia,
Eis-aqui leu tbesouro. Ah I 1180 te apague
Jamis loa memoria; eterna dure
Estampada nos prticos do Eterno.
Vivau llallis '. Intrpida guerreira!
.Morra o tjraimo, que roriou-lhe 01 ferrol |
J fenece o ineu canto, e a voz le perde,
Espira 1101 nicuilabioi !... Mu que valcm
Palavras dn um mortal, se a gloria inmensa
Escapa ao guie du fcrrenlio lempo ?...
Il.1h1.1110 vivein porque vive o Patria,
Aman a Patria por amor da Gloria,
.su qiierem liberdadc e independencia.
Eterna lama, e perennal memoria.
SONETOS.
Se a gloria no Uuivcriu tem um dis,
Em quo devo surgir iiirs resplendcnte,
Esse da ha de ter eternameiile
Molivo de prazer e de alegra.
Quem pode disputar te, alta Babia,
A gloria du ser Iivre c indcpendenle ?...
lim grito patritico e talento
Tu soltastee morreo a tyranni.
Aurora mais serena o mais brilbaulo
Juman podo raiar ; a hcroii iilade,
Surgi, gritn, venecu, fui triumphanle.
A Patria conquislou a etornidade,
Gnu por trra o monstro fulminante
Esiuagou-lbu a cervita Liberdade.
mott8.
Supplantaste no inferno a tyrannia.
Salve, da feliz da brilhanto !
Nos fistos da Babia assignalado;
Tu has de ler no mundo elcriiiado,
Monumento (fautor firme e constante,
O Habanos fiis com o pcito ovante,
Apoz das eras, de mu porvir vedado,
Um padro bao de erguer lo auribordado,
Sem roceio do toiiipn devorante.
Ilo do o hlhos da chara Lib ruado
Fervorosos clamar inda algumdia,
N'outro teropo, lulvez, c n'onlra i dado :
Salvo da do paze de alegra !
< Alcancasle, Babia, a Kternidiido,
.1 Supplantaste no inferno a tyrannia-
Publicaco a pedido.
Illm. e Exm. Sr. vico-presidente Diz Manoel
Jos Teixeira Bastos Jnior, que, seodo, entro os candi-
datos, que se opposerioao concurso da cadeira depr-
melas Ultras da freguezia de S. Josdesta cidade, o
primeiro approvado plenamente, e que loi preferido a
todos os mais, sabe agora que, contra a expressa dis
posifo do $ (3. do artigo 4 da lei provincial o. 140 de
7 de maio do corrente anno, foi por V. Eic. noroeado
Joaquim Antonio de Castro Nunes, que, teodosido re-
provado com dous It. 11. ,nao poda, nem mesmo ser pro-
posto, como loi, em quinto lugar, e anda menos ser
prvido em dita cadeira a despetto do direito adquirido
pelo supplicanle, que em concurso legal alcancou a
preferencia garantida pela dita lei, costrale e pratica,
ainda nao interrompida por todos os presidentes, que
teem administrado esta provincia. Ora, como com se-
melbante esculhi V. Exc. tenha eibulbado o suppli-
canle do direito, que adquiri, em protestar contra
a nomeacio do supplicado por ser, fallando respeitoaa-
mente, Ilegal, e obiubrepticia ao seu direito, e pedir
que, tendo em attencio a sobredita lei, e aa msii inte-
riores, baja por bem revogar semelbante nomeacio, e
prover o supplicanle,fazendo-lbe recta e imparcial jui-
tica: por tinto pede a V. Exc. Ibe delira, Manoel
Jote Teixeira //asios Jnior.
Recile, 7 de agosto de 1815.
COMMEriCIO.
Alfandega.
iiendimcnio do diai....
DesearregaO hoje 11.
BarcaTfinowneinos de Ierro.
BrigueCierromercadoi ias.
1.. l:8io#8i;i
Muviujeiito do l'orto.
A'ueoi entrado* no da 10.
Hamburgo ; 46 diss, galera dinamarqueza Cathaiina,
de 231 toneladas, cquipagem 15, commandanle
Cbristian Godfrey Drescher, carga fa/enda ; Jf.
O. Bieber.
Rio-de-Jtneiro; lt dias, brigue escuna brasileiro
Faina, do 1W toneladas, equipagern 14, capit0
Manoel Antonio de Souza, carga carno a Amorinj ,
Irmos.
dem; 22 dias, brigue brasileiro Mara i.; de 121
toneladas, oqupsgem 7, capito Anselmo Ma'rqnes
Vieira, carga varios gneros; ti Gaudino Agostinho
de Berros.
Maranh.ii) ; 28 dias,brigue-escuna brasileiro, Carolina,
de 178 toneladas, equipagem 12, capito Francisco
Bernardo de Mallos, carga arroz, larinha o aceite
decarrapato ; a Manoel Duarle Hodrigues.
Navio* lahidot no mesmo da.
Macei ; barca americana Undine, commandanle J
L vette Bremio, com a mesma carg que trouxe.
dem ; brigue sardo Cathartna, commandanle Angelo,
carga lastro.
Oburtac&o.
Fez-se a ella para Ssntos na noute do 9 do cor-
rente a barca brasileira Maria, que, vinda do Ass
com salepalha, tina tundeado no lameirio no dio
26 do panado.
Ediiaes.
A cmara municipal da cidade d Olinda, e uu termt
em virtud* da lei, etc.
- Faz saber, que nos dias 12, 14 e 15 do corren-
te mez, se ha de arrematar, por quem maisder, um
terreno com 40 palmos de fundo e 30 de largura, alrat
da propiedade perlencente ao casal do finado Joo Ma-
ria Seve, no lugar do Varadouro desta cidade de Olin-
da ; compartiendo os pretndanles habilitados par
no mesmo terreno poderem lancar. E para que che-
gue ao conhecimento de todos mandamos publicar
o presente nos lugares do costume. e pela imprem.
Cidade de Olinda, 9 de julbo de 1845. JoiJoa-
quiut de Almiida Guedei, presidente. J0S0 Paulo
Ftrrtira secretario.
Miguel Archanjo Monltiro dAndrade, oficial da
ordem da Roa, cavalleiro da de Chriito e inspector
da alfandega de Pernambuco por S. M. I., qut
Dto* guarde, &c.
Fago saber que no dis 12 do corrente mez i porta
da mesma, se bao de arrematar em hasta publica oitenta
obras do Mez de Maria.no valor de 192,000 rs ; trida
e om cdigos do Bom Tom no valor de cincoenta mil
ris; desenove Msgnum L'xicum no valor de dienta
mil ris ; doze Homilas no valor de vinte e quatro
mitris; impugnados, no despacho por factura de Le-
noir Pugctto&& pelo amanuense Francisco Foli-
cianno Rodrigues Sette; sendo dila arrematac subjei-
ta a direito de 10 por cento. Alfandega, 9 de Jullio
de 1815. Miguel Archanjo Monteiro d'Andrade.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, oficial da
impiiial ordem da Rosa, cavalleiro da de Chisto, 1
inspector da alfandega de Pernambuco, por S. /I/.
/., que eo* guarde, etc.
Faz saber que boje 11 do corrente, ao meio dia, ts
bao de arrematar em basta publica,no porta da mesma,
4 estotras no valor de 6,000 rs impugnadas pelo guar-
da desta alfandega Honorato Barbosa da Costa, no des-
pacho por factura de Joaquim Gongalves Csscao, sob
n. 120, sen lo s arremalaco subjeita a direitos Al-
fandega, 11 do julho de 1815.Miguel Archanjo
Monteiro de Andrade.
O Dr. Francitco Jado Carneiro da Cunha. juiz di
orpho* e auientet da cidade de Santo Antonio do
Recife 1 teu termo provincia de Pernambuco, por S'
M. I. e C., que Deo guarde, etc.
Fii;o ssber que por este juizo fot julgado o padre
Tbom da Iva Guimares fura do estado de regersua
pessoa e administrar seus brns, sendo seu curador ad
Lona Joo Carlos da Silva Guimares; e por isso se faz
publico pelo presente para ninguem com ello contra-
tar sobre seus bens, pena de nulhdsde, e esle se pal-
sou por bem de minhu sentones profer.da nos reiptdi-
vos aulos, que se eumprir. Kccifo, 17 do junho de
1846. Franciico Joo Carneiro da Cunha.
Ueilaracoes.
CURSO JUHIICO.
Por ordem desta directora se faz publico, que
terca-leira, 15 do corrente, ter lugar o annunciado
concurso para asubslituico da cadeira do latim docol-
legio das artes, pelas 9 horas da maoba Secretaria do
curso jurdico deUlinda, 6 de julbo de 1845. O bi-
cbarel Eduardo Soart* de Mugara, oflicial interino,
servindo de secretario.
A barca Firmeza recebe a mala para o rlio-de-J>-
neiro amanbi (12; pelas quatro horas da larde.
0 brigue escuna Correto do Braiil recebe a ma-
la para o Kio-de-S. -Francisco amanbia (12) ao rueio
dia.
THEATRO TAMENSE.
COMI'AMII \ll ALUNA.
O espectculo, annunciado para boje, nao pode le
lugar em razio de feslejsr-se no Ibeatro nacional a | osse
do Exm. Sr. presidente da provincia, e lies transferi-
do pira 3.' eira, 15 do cerrente.
THEAT~I,UBLIC.
Dedicado a posse do lixm. Sr.
Presidente
DU I 1 DO COnRENTE.
Recitar-stf-lia nm elogio anlogo, can-
ta ndo-se o hyinno nacional perante os re-
tratos de SS. MSI. 11. segiiindo-se a
renresentaeo da hrilhanlc peca nova
O BAHBE'lKODU HEl DE AHAGAO.
O thetro eslai decentemente arma-
do, principiando o espectculo chf^a-
da do Exm. Presidente.
Avisos marilinios.
O hiale Novo Olinda partir mpreterivelmente


r* o Rio Grande-do-Norte no da 13 do correte ; e
En mais alguma carga tratar at boje : os pre-
,,Jenf so entcnderd eom Antonio Kodrigues Lima,
a praca do Commercio, ou na ra da Cadeia Vclba n.
i primero andar.
1 Para o Havre sai no da 19 do corrcnlo o brigue
Irarice/. Cetar: para garga o passagoiros, trata-secom
i mal Irmaos, ra da Cruz.
_- Para a Haba a sumaca Tentativa, torrada de co-
re odoprimeira marcha, segu infallivclmcnte no da
11 do.orrrcnto.
_. Para o Ass sai nostes -i das o bngue-wcona
Ptlibcraco, capito Joao Goncalvcs Rocha ; para car-
ta e passageiros trata-se na ra da Cadeia do Rccifo n.
41) ou com o capito, na praca do Commercio.
Avisos diversos.
= Mugise duas canoas de conduzir agoa que
estejio estanques ; quom as liver tnnuncie, para se
ir ver e tratar do ajusto.
Na ra das Agoas-Verdes n. 46, tirao-so passa-
portM para dentro e lora do imperio; despschio-so es-
cravos; cobr8o-se dividas na praca e fura dola, liien-
do-setudo coma maior brevidade epromptidio.eprcs-
tando-seas necessarias garantas.
s Arr-nda-se uina casa dedous andares na ra do
>'ogueira com bons commodos. o muito fresca, quintal
o cacimba ; a tratar na ra Velha n. C5, de rnanha
al as 8 horas, e de Urdo das 3 as 6.
Arrenda-se urna casa terrea na ra da Manguea-
ra na travessa da ra da Alegra para a Gloria, n. 7,
com bonscoinniodos e muito fresca ; a tratar na r
Velha n. 65.
O abaixo assignado, lendo de aior umaviagem a
Europa a tratar da suude de sua senhora, e como an-
tes de se retirar pretende saldar ua contal com esta
praca, e como o n51 pode faier j como deseja, sem um
sacrificio, tem resolvido vender tres predios novos de
dous andares e dous armazons sitos na travessa o por de-
trat do thcatro publico, um sobrado com fenle para dita
travessa e com osrmazens para o rio.
Tambem se vende a casa que serve de theatro publi-
co, s ou om globo com os predios, as3m como 8ft l""-
renos de 30 palmos de frente, e 150 de fundo na linha
da ra da Concordia entre as dua, travessas do Montei-
ro e Calderoiro, cujos terrenos teem parto atterrados e
parto alagados, e dando-so por precos mu commodos a
dinheiro e a praso : os pretndenos de taes ohjec t>
pdem se dirigir a ra do Rosario larga 11. 18, que a-
charad com quem tratar.
N. B. O abaixo assignado, logo que tonha lugar a
sua retirada, e lindos os sous negocios, sous estabeleci-
mentns fice no inusiiio p em que se aclio, debax
da administrado do seu filho e socio, estando j na posse
de um dos ustabelocimentos. Manoel Antonio de Je-
"" M 1 k
A bordo da sumaca Comanle imixaae, na
fahnha de mandioca de boa qualidad\ > a preco
nuil barato do que em outra qualquer embarcacio.
Luii Antonio Mesquiti Falcio manda ao Aracaly. a
tratar do certos negocios, ao seu filho Carlos Mara Fal-
cio, menor de dado, levando em sua companhia um
criado de nome Andr Martina.
-Quem precisar de um rapa pnra caixeiro de ra
ou de qualquer estubolecimento, o qual da fiador a sua
conducta, dirjase a praca da Boa Vista n. 6, ou an-
nuncie.
- D-ie dinheiro a premio com penhores de ouro,
mesmo em pequonas quantias: na ra do Rao gel n. 3,
1 "andar.
LOTERA
DO CiUADELUI'E.
Muito pouco ) augmentou estos das a venda dos
bilhetes, devido sem duvi la a esterilidade do lempo, e
por iss > nao lio pnssivcl corrorem hoje os rodas, em
gravissiino prejuizo da rmnndade. Nova iiecnea se im-
petra boje do S. Exc. para marcar outro da neilc
mesmo mer, e marcado quo seja, ella correr com os
bilhetes que tver ousem elle.
LOTERA d seminario.
Achando-sej muito adiantada a venda dos bi-
lhetes da lotera, concedida por S. M. L i instruccao
publica em o seminario episcopal de Olinda, e deven-
do ser a prmeira cujas rodas corri, se adverte ao res-
peilavel publico, que brevemente se annunciar odia
imprelerivel do seu andamento, e para isto he necessa-
ro, que os amantes desle jogo continen) na compra
dos bilhetes, cuja venda se acba nos lugares do costu-
me. 1 11
Fazem-se transellins de cabello de
qualquer modelo, pulceiras, anneis, litas,
&c &>c ludo o mais bem fcito que be
poMiVel, por preco mdico ; na ra (
Cabne, laja de fazendaa n. 6.
= Engomu.a-so toda a qualidade do roupa com
perfeicao o preco commodo ; na ra da Gloria n. 83.
= Furlro no da 7 do corrente de urna sala ,
um par de brincos do ouro ; julga se ser algum prelo :
a pesjoa a quem e.lo furto f r offerecido queira ap-
prehendore entregar na loja da esquina do beceo da
Congregico, n. 41, que ser recompensado.
= Jos Joaqun. Alves Te.xevra embarca o seu ei-
craio l.uu para o lliodo Janeiro.
Precsa-se de um caixoiro Portuguez de 16 a
20 annos para urna loja de fazendas nesta prava e
que tenha bastante prat.ca quem est.ver nestas cir-
cunstancias, annunce para ser procurado.
= Precisa-sode urna ama secca para servir em
urna casa capaz de pouca lamilia distante desta praa
duas leguas, que saiba ei.gommar, onsaboar, cosiohar,
eseias ; na ra largado Rozario venda.n. o3.
= J.s Joaqun. Lima Bairio e Bernardino de Se-
na retirn se para lora desta provincia, por alguns me
zcs,a tratar de seus negocios.
= Jos Agostinlio Carreira Guerra subdito Por-
tugue. retira-e para fura da provincia.
= Precisa-se de um caixeiro para tomar conla de
un a venda por bataneo, que aiha luei sua obigaca.
c dando fiadora sua conducta; quem est.ver neslas
circunstancia dinja-se a travessa da ra Bella n. o.
que achara com quem tratar.
= Novacs & C. comprro os seguinlcs meios bilhe-
tes da 1 parto da 3.' lotera a lavor das obras da igreja
do N. Sra. do Guadclupo deOlinda, ns. 440, 2743.
8->9. 432, 28h 58', 872, pertenccnles ao Sr. Anlo
nio Pereira de Almeida ; ns. 272, -2741, 817, 170.
porlencentes ao Sr. Francisco Joaqun) Fitwa da Cu-
nba, ambos do Pan; e o hilhete da mesilla lotera n. 25
pertenceuteao Sr. Jos Antonio Martins & C. djMa-
ran!5o.
Oabaxo assignado faz sciento ao respcilavel pu-
blico, que de seu poder so extraviou uina letra da quan-
ta do'JSOiOOOrs., sacada da Babia em 16 do prxi-
mo passado a 15 di.s precisos pelos Srs. Antonio Pa-
rtir Espinhera &. C. a seu avor contra os Srs. No-
vaes & C. desta praca, cuja lettra foi acceita pelos Srs.
Novac 6 C. em 2o do prximo lindo, e tencida boje ;
e comoeslej embolsado do importe da referida lettra,
fax o presente annuncio a fim de ficara mesma lettra
do neuhum vigor. Jote Marcellino a Rosa.
O CLAMOR PUBLICO.
Acha-se a venda o n. 24, na praca da Independen-
cia livraria n. 6e8.
- Quem pretondor comprar alguma obras de prala,
hem como alguns caticaes, o outra obra; procure na
venda da casa da esquinada ra do Collegio delronte do
caes, casa da viuva do (unba.
Aluga-so urna casa na esquina que volta para o
Cujueiro. e a Passagom, com commodos para familia,
e pequeo sitio, com sabida para o hanho, aonde mo-
rou o Sr. Joaqun) Jos Kerrera; quem pretender, di-
rija-se ao pateo do Carmo, loja de tartaruguoiro n. 2,
ou ao sitio do Cajueiro, junto a Francisco Ribeiro do
Brito, que achara com quom tratar, com seu proprio-
taro. .
= Arrenda se, por annos, um sitio perto da praca,
que tem casa de podra o cal. commodo para 10 vaceas,
arvoredosdefructo, agoa do riacho, e varzoa para ca-
pjm sendo a quem adiante 300 r. para so descontar;
e por isso se arrenda por muito menos do valor, o cos-
lumo : quom qu/er annunce, ou se dirija a ra da
Gloria, casa terrea n. 37, ou a ra do Rorario, a r ran-
cisco Antonio do Sousa.
- Acha-scna porta dalhesouraria de azendaum cha-
peo dosol, allideixadobontomBdocoircnto; portanto
quem lr seu dono, dando os signaes ov.denles de ser
seu.lho ser restituido; e para isso entender se-baocom
o porteiro da mesma.
Precisa-so de um pequeo de 12 a 14 annos, que
entenda de venda : na ra ireila n. 23
.S. Campos manda para o Rio-deJaneiro aonlro-
gar ao seu lilho.um escravo de nome Francisco.
ekOabai) assignado, respondendo ao Sr. Uomin-
go) Alves Barbosa, que en um annuncio,inserto no
Diario dt l'ernambuco de hontem, pretendo apresentar
ao publico o abaixo assignado, como capaz de relor em
seu poder aquillo, que nao Iho portcnce, ou estorquir
oalheio, assevera aoSr. Barbosa, que com an-
nuncios nao conseguir cortamente manchar a re-
putaco do abaixo assignado a quem nao inlimuiao
bravatas; e muito doseja, quo o Sr. Barbosa,despre
...*_ ...l!u ,,. rie 11111114
Quem annunciou querer comprar nm do ter-
restre, procure no acouguo francez, ra dos Quarte.s
'=Precisa-se do dous contos e quienhentos mil r por
espaco de cincoannos, a um por cont, pagando-seos
juros todos os me/es, edando-so moradas de casas livres
o dosembaracadas ; quem os qui/.er dar nnuncl^_
ou dirija-so ao Atierro dos Afogados, n. 218, a lanar
com Francisco Xavier das Chagas. ...
= A n.osa regedora da irmandado do Divino espi-
rito do Santo convida a tolo os irmSos, pira urna
mesa geral no domingo. 13 do corrento, as 10 horas
em ponto.
_ A pessoa, que annunciou quorer comprar as es-
pherastorretreeceleste; querendocomn_ral-as anda,
em bom estado v a ra Imperial n. 16/.
AdmtntveU navalhas de ac da China,
que tcoma vantagem do cortar o cabello sem ollon-
sa da pello dexando a cara parecendo estar na sua
brilhante mocidade : esti ac vem exclusivamente da
China e s nelle trabalhao dous dos melhoros e mai
abalisadoscutelleirosda nunca excedida .0 rica c.ade
de Pekm capital do imperu da taina Autor
N B II recommendado o uso destas navalhas
marvilhosa, por todas as sociedades das sc.encas me-
dco-cirurgicas tanto da Europa como d America .
Asia e frica nao s para prevenir as moloslus da
cutis, mas tambem como um meio cosmtico: vendem -
sounicamentona ra do Crespo loja n. 8 e 15 de
Campos & Maia.
- Precisa-se de urna ama para o servico de pessoa
solteira ; no paleo do Collegio unto a casa ama-
, do molhados. na cidado do Macoi ; quem est.ver
nestas circunstancias dii 1 ja-so a ra da Cadea do
Recife n. 20 de inanhaa al as 8 horas, o do tarde
depois das duas.
= Precisa-so de urna mulher que se|a capai. pa-
ra ama do um casa para todo o servico c eompra
na ra larga do Rocano fabrica do charutos n o-,
= Quem quzer alujar uina praa, para toJo o ser-
vio de Uina casa, dirija-se a ra Diro.ta padaria
n. 24.
= Thomas II. Battershy retira se desta provincia.
-PaiaoSr. Bartholomcodo Faria Cosa.na botica
n.6, da ra do Collegio existo urna ua caria que
sem falta a devo procurar.
O abaixo assignado lendo largado a casa em
que morava na ra do Padre Florianno n. 27, no da
28 do me, p. p. |U..ho o indJ nesso mimo da sa-
lisfazero mez e entregar as achaves da casa por ser
nessn dia, que so venca o me/;acontoce nao odiar opro-
prietario Pedro Jos do Olivoira por ter (segundo
dizem ) fallecido no dia 23 ou 24 do mesmo meii, 1
n-mquem suas vezo (ite*so ; por isso roga aos lier
deiros ou quom direito tenha quo vao ver a chave e
o meidoaluguol na ra da Calcada n. 1-; o pro
ndo o meio de que laneou mo, realisa as suas amea- ,e|U nao maiS( quo a quani vencida at aquoi-
ca chamando a questSo para o veidadeiro lugar, onde Ujl. nrn ,,,, 8e ac|ia munido de documento,
....__;_ ..... nn. ella dever er debatid; pois que naquelle lugar o a
baixo assignado pelas provas.quo tem a apresentar. mos
trar que oSr. Barbosa somonte procura desconc^i
lual o na opiniio publica, de quem ficai bemeonhe
cido: e se com elTeito o Sr. Barbosa n3o proseguir em
suas promess.s. ento o publico nos lari justia, e cu
desde j certifico ao Sr. Barbosa, quo su no lugar com
ptente outra vez Iho responder! -Antonio Ixntode
Souzu.
^Quem liver para vender urna estante para msica
annuncio. .,
=Hoje 11 do correlo (sexta-le.ta), das tres at as
seis horas da tarde, a porta do Sr. Dr. ju.z do c.vcl d>
l vara na ra Nova, teein de ser arrematadas, po
ser a ultima praca. urna parte do slo grande, silo as
Salinas, o duas pequeas partes em urna casa do dou
andar, lila na ra do Vigario. todo porloncenle aos
dous orphao. quo ficarao por fallociinento do Miguel
Forreira do Mello llilho).
Oscredores de Joao Antonio Mait.ns Novaes
partcpo aos devedores do referido Novaos, fallecido ao
dia 6 do corrento, quo a casa e bem do finado se achao
sequestrados para pagami uto do crescido debito a praga
e annuncianUs, o que assin nenhum dos devedores a
mesma casa laca pagamento a alguem, porquo qual-
quer pagamento que fuerero ser novamente exigido po-
los annunclantes. por ter ldo fe.to a pesioa incompe-
elL' Roberto Bernardo Bandeira e sua mnlher, Anto-
nia Mara da Conceicao, vendem a parte que teem na ca-
ta sita na ra do Jardim n.2i; auiai como a me.a-egoa
sita na praia de Santa Rita : so alguem e |ulgar com
direito a d ta casa e a meia agoa declare ne.tes 8
' = Preci-se arrendar um sitio perto da praca ,
que tenha bastante pasto para 12 vaceas; pga-sc bem:
quom tver annuncio para se tratar do ajuste.
-Precisa-se do urna ama quo tenha bom le.le,
tendo preferencia a que nao teoba filho : no pateo do
hospital do Paraiion. 20.
_ Roga-seaoSr. J. X. M. de v.r pagar a quan
ta de 17j800 res que deve de efleitos que com-
prou na loja de Joao Maria Ponchctem 1854, po.s nao
gnora a quom dove pagar dita quantia.por ja so ter ido
varia veres em sua casa.
Aluga-seuma casa terrea nova, e bem acabada,
com quintal e cacimba e bom commodos pa.a amilia.
por preco commodo. sila na ra do Tamb. me.n.o
k-lronte do beceo ; a fallar na botica da ru, do Ara -
;5oToSr. Ribeiro Jnior, que achara com quam tra-
tar.
_ Ofleroce-se um moco padeiro. o qual abe bem
Irabalharomlodoiervco pertencente a padar.a, anda
mesmo que seja para fura da prava, e lamben! se ouere-
ce para caixeiro de engeuho, do quo tem alguma pra-
tica : quem se quizef utilisat de mu diminuto preilimo,
podo annunciar por esta folha. para ser procurado.
_ Jes Leonardo embarca para o Rio de Jane.roo
seu ecravo seguinle Mana parda, Marco, cr.oulo,
Joanna naSo Angola.
_ Precita >e de urna ama do cesa para o servio in-
terior, sendo para um bomem estrange.ro, na I onte
Velha n. 8. _, ,
Fernando Sibila embarca para o Rio-de-Janie
rooieu moleque crilo de nome Martinbo.
J IKI^.II IHilll) IjOW 1 -------------
le da para o que se acba munido de documentos
o provas como lora entregar a chave e pagir o quo do
va. o motivo por queodeixoudo laier como cima
fica dito. Pranriico Ufogueira P.nto.
Por igualdade Je nome, lirou-so do correio urna
carta, vnda do Rio de Janeiro para a Sonhora I).
Anna Joaquina do Jess, que Iho mandou seu 3iho
Francisco, despachante da alfandoga daquolla cOrto ,
a pessoa a quem ella diz respeilo dirija so a loja do
livros da praca da Independencia.
abaixo assignado pede aos Srs.
tahelliaes desta cididc, e de outra
qualquer comarca, que bajo de ni o lau-
car em suas notas tuna caita de libeithile,
que o padre Tbom da Silva (iuimares,
estando desasisado deo gratuitamente
aoseu escravo Manoel Joaquim, pedieno,
em a3 de junlio de 1841, icconbecida
pelo Sr. tabelliao Bizerra a qual carta,
estando guardada por pessoa que conbs-
cia que o padre nao tinlta siso e tinlia
perdido o juio e por isso nao podia obrar
desta maneira, agora desappareceo a mes-
ma carta; comoesleja o dito padre quab
cado demente e o abaixo assignado,
seu irmSo no exercicio de seu curador,
II.c cumpre acautellar os prejuizos de sua
casa pela, qual be responsavcl j rogando
igualmente pessoa cuja caita liie lr as
mitos de Iba entregar.
Joclo Carlos da Silva Gnitnaraes.
s propietarios da fabrica de espi-
rito da ra de Santa Rita n 85, aviso aos
seus Ireguezes que, em consequencia da al-
ta extraordinaria que acab de ter lugar
nns precos da agoa r den te, sao obligados a
levar os espiritos de sua fabrica aos pre-
cos scguinles, os qtiucs assim mesmo an-
da licao muito abaixo daquelle* por que
llcariao se a diierenca fosse feita na mes-
ma proporcao da subida da acoardente.
l\eino.'...... i#ooo
Genebra.........880
Dita............aao
Ahz ........ ...8eo
Ivpirito......isa8o
Licores .........180
Dito lino ......480
= Pordeo se una caixa de prala para rap na
noute do dia 7 do corrcnlo, na greja do covento de
S. Franeieca na occasiao do um enterro; julga-se
er lurtada da algihe.ra da casaca e tem os ngnaes
seguinle : dequadroso palma dentro dos meimm ,
com a firma na lampa J. A. N. B. a 1""" f'r f*'
recida baja de apprehendcl a l lovar na ra daa Lru-
zes n. 28. segundo andar que s-r recompensado.
- O fiscal do bairro do S. Antonio Malhias de
Alhuquerque o Mello, mudou a sua residencia para a
ra de Agoas-Verdes n. O.
O bacharel Allons de Albuquerqui o Moli ad-
voga porante os auditor id desta cidado e mudou a sua
rosidenria, e escriptorio para a ra de Agoas-Vcrle
n. 64. ,
- 01abaixo asignado, estando ausento quando ap-
pareceo no Diario de l'ernambuco, n. 118, o lalso e
doloso annuncio de Antonio Pinto Soares provenien-
te de urna ordom para com arrobas de carne secca. pelo
dito Pinto retida nao Iho perlencendo o abaixo as-
signado declara que nunca comprou carne secca ao
relerido Pinto e nem Ibe entregou a mencionada or-
den) e nem com ello tco trato algum commerc.al at
lioje. Dix o annuncianleem o seu annuncio paia me-
Ihor poder Iludir ao publico que tem testemunl.M de
haver vandido ao abaixo asignado a referida carnescc-
ca: he falso: tae testeinunhas n5o ha; c nem a
poder obter com verdade. o menos pelo abano
assignado nao ter tidocom o annuncianto Irato ne-
nhum a respeilo e nada Ihe dover ; o tuc protesta
nrovar em lempo oportuno para haver do annuncian-
te a pena da le por ter pretendido usurpar ao pas-
sador da referida ordem e ao aba.xo assignado a im-
portancia das mencionadas cam arrobas do carne secca.
nao II19 devend.. aquello c nem o abaixo assignado o
valor de um coilil ; im. o abaixo assignado se ulana
de ler tcstemunhai o at documentos para prova do
qu<- relere e em caso preciso o far publico para
ue esto conheca a espertc/a do dito P.nto Soares .
quaudo prctendeo u.urpar o que Ihe nao era devido.
l'ernambuco, 10 de jullio do 1845- Domingo Al-
tes Barbosa. ..
, Repllelo da ordom A quem cjnv.er pudo
vender ao Sr. Domingos Alves Barbosa cen arrobas
do carne secca cue pelo trato quo o ines.no fuer.
pelo present me responsabiliso Rec.fe ,31 do Ja-
neirode 1815. J. I. deU. Basto Apparega o
trato leilo, quo deveria ser copulado e escripto em
referida orden, pelo abaixo asignado; mas como ba-
ria do appareeef se o .baixo asignado nada comprou
aodito Pint. Soaics o nem so utilisou la referida or-
dem para nada )ominjoyl/ Barbosa.
LOTERA O THEATRO PUPLICO.
= Olhesoureirodosta lotera. disposto a empenliar
todo o osorcos para augmentar o crdito do quo
sempre ella goscu. pela regular.dadede IM "*'
declara que os bilhetes da segunda parto da 16.' lotera,
cujas rodas dovem ter andamento muito brevemente, se
cirio a vonda nicamente no bairro do S. Antonio ,
na botica do Sr. J0S0 Morcira na ra do Uouga ,
na ra do ueimado. lujado meimo tbesoureiro n
39 ; e na>ua da Cadeia do Recife loja. de cambio do
Sr Vieira, e Manoel Gomes da Cunha e Silva.
= Precisa-se alug.r 3 pretos para serventes de pe-
dreiro ; na ra da Cadeia do Recife n 2o,acharaa com
quem tratar.
Aqencia de pasiaportes.
Na ra do R.ngel. n. 34. lirao-10 passaportes para
dentro e f.'.ra do imperio. despach3o-sc escravos. o cor-
real-so folhas ludo por prcro commodo, e com a
maior brovdado -,
-. Custodio da Costa Cunnares vai ao Penedo a
tratar de seu negocio. levando em sua companbia au-
noel Lopes Guinarie. ,
= Onerece-se um rapaz Portuguei, de idado do
I8a20ann,s. para loja do faienda. do que lera
bastante pratica : quom o precisar, dmia so a r ua 00
Vigario n. 22.
caada.
botija,
caada
= Aluga-so urna casa do dous andares na ra do
Amorim n. (i: na ra do Encantamento n. 8 A.
= Nicolle. com armazn, do comestives. na rus da
Alfandega Velha, n. 58 ac-ba de receber pelo Bi-
l m o navio francei. salames muito booi, de Bolanha,
azeito doco supc.fino. -le Franca, conservas do frutas e
de comer, vinhos do todas as qualidados quo preten-
de vender pelo preco mais barato.
Arrenda-se a propriedade Chacn a mar-
gem do rio Capibaribo. defronle do engeoho -ordel.
ro com duas casas para habitacao, sendo urna dellu
nova, e com muito commodos, om boas senzallas, ero
numero de deasois, que saooutras Untas casas, qui
ao pdem alugar no lempo de verao ; com tres grande
baixas muito frescas, para plantario do capim, ou can-
na, ou outra qualquer ; com bastante trra mais alta,
a margem do rio o outra commod.dadc; arrenda-
se por tres annos, e quem a pietcnder, diri|a-e a casa
do advogado Jos Narciso Camello.
Pcranle o Sr. Dr. juix de direito da l. Tirado
civol, na casa do sua residencia na ra Nova, M hada
arrematar, hoje 11 do corrente. pelas 4 hora da tarde,
a escrava Joanna. pcnhoradi por esecucao da v.uva So-
ve & l'ilhos contra Joaqun) da Fonscca Soares de l'i-
gueiredo : os pretendentes devero comparecer nesse
dia o hora.
NOVA FABRICA DE MACHINA.
O cstabclecimcnlo dos engenliehos c inacliinislas Me.
Callum 81C, na ra do Bram n. (ie 8, acha-se competen-
temente ii.onl.iilo a moderna pa.a o concert de machi-
nas de vapor, iiioendas de caima C qualquer outro 111a-
eiii.iisn.o. No mcamo hbrioio-M tambem, com a ...a.or
nerfeiciio, mohnos c piensas de mandioca, aguilliOes e
chuinaceira de rodas de agoa, vcios e outras pecas para
errarla, parafuooi de todos os tamanhoi, c qua.quer
especie de obra de ferreiio ou inacliiiiisla
Urna mulher de bons costumes se oflerece para
auma do una casa, exceptuando engommado, e com-
par ; na ra da ."-enralla-Nova, numero 16, segundo
id dar.
Compras.
garra

fa
arn Compro-se vaceas de bezerros novos; na ra da
Aurora n. *i.
1= (.omprSo-se, para fra da provincia eicravo
de 14 a 20 annos sendo do bonitas figura pag5o-e
na ra da Cadeia de S. Antonio, sobrado de
Lem
um andar de varanda de pao, n. 20.
= Con.pra-se um globo terrestre o outro celeste ,
ou smenle o terrestre estando em bom uso. Annun-
ce, para ser procurado.
-


4
_n=*
= Comprio-se os livros seguinles : o Sacramento
da Penitencia e di Kucbaristia ; os Exercicina do Pu-
dre Aloneo Rodrigues ; Diflerem-a entre o temporal e
o eterno ; a Escada Mystira do Jacob ; a opera Norma
en italiano ou italiano e portugus : na traversa da
Aladro de Doos n. 9, ou annuncie
= ComorSo-se, para lora da provincia, escravos de
ambos os sexos de 16 a 25 annos; na ra do Cres-
po n. 10, primeiro andar.
= Compro-se 4 bois mancos para carro, e dous
quartos: no principio do Atierro dos Alocados
n. 31.
= Compra se urna duzia de cadeiras de Jacaranda ,
e un sopha, cm bom estado ; na ra Nova n. 8.
Compra-se um cachorro atravessado que seja
de boa rara paga-se bem: quem tiver annuncie.
Compra-seum mulatinbo de 12a 16 annoi, de
boa figura e conducta; psga-se bem ; na ra eitreita
do I!' /ario n. 21, ou annuncie.
Comprase urna escrava moca sadia tem vi-
tios quotaiba engommar bem ecoser; na ra das
Cruzes n. 2(, segundo andar.
Vendas.
Attencao !
=Yemle-sea 120, 1 iO o K'.Ors. o covado de chita ,
ditas finas escuras a '220 rs. o covado, m&dapolio a
ISO, 100 o 180 rs. a vara, dito fino a 200, 220 e 240
rs dita, madrasto fino a 280 rs. a vara, pannos linos
a/.ues a 2*00 rs. o covado, de urna linda vista meios
chales de cassa de quadros a 300 rs. chila a lio rs. o
covado lindos cortes de cassa-chilas de muito boni-
tos padroes a 2000 rs. chadrezes do linho para ja-
quetas a 520 rs. o covado,fa/endade muito boa qualida
de c muito honesta, superior setim preto do verdadeiro
chamado macu para collule da meibor qualidade ,
a 4300 rs. o covado dito entre-lino tombein de boa
qualidade a 3200 rs. o cavado superfino lusto
branco de excedente qualidade a 1000 rs. o covado,
.1 Ludio liso de muito boa qualidade a 100 rs. a vara ,
dito americano, largo, a 220 rs. a vara, dito trancado
azul mesclado muito encorpado a 2i0rs. o covado,
tuarte azul de vara de largura a 260 rs o covado, mui-
to boa fazenda para pretos casimiras de quadros de
bom gosto para calcas a 1200 rs. o covado lencos de
cassa pintados a 160 rs. pegas de bretanba de rulo a
1800 rs a pega, brins trenzados de quadros de bonitos
padroes a 000 rs o covado, riscadinbos trancados a
200 rs. o covado, muito boa fazenda para meninos,
castores ou riscados a 240 rs. o covado, cortes de cam-
braia de listras brancas ad. tendo 0 varas e meia ditos finos de cores sendo
de quadros e listras de vara e tanto de largura dos
mais modernos a 5^ rs., ditos de superiores cassa-chilas
do melhor gosto, finas a 4200 rs. o corte, pecas de ina-
dapolo a 2800, 3200 e 3400 r. dito fino' a 4000 .
e 4200 rs. a peca, madraste fino a 5200 e 5400 ra. a
peca ditas de chitas a 4400 5200 5500 e 6000 rs.
escuras, bretanba de linho puro, a 040 rs, a vara, es-
guiaa de superior qualidade do verdadeiro e puro li-
nho a l.'iOOrs. a vara, cassa de quadros para babados a
5000 rs. a peca cambraia lisa de vara e lanl > de lar-
gura a 000 e 800 rs. a vara muito fino superiores
vestidos de teda com flores a 00,000 rs mui rica fa-
zenda, novos cortes de cbali de listras de seda a 16j rs. o
corte pecas de bretanba de 6 varas, de puro lioho a
3200 rs a peca superior briin truncado branco mui-
to encorpado de puro linho a 1400 rs. avara, oscocez
do algodao para vestido a "()() rs o covado chitas
francezas finas do vara do largura e de novos pedio s ,
a 4S0 rs. o covado sarja hespanhola muito encorpa-
da e boa qualidade o larga a 2300 e 2500 o covado ,
lila Iranceza lambem larga a 1600 rs. o covado chi-
tas ebegadas ltimamente de gosto moderno segu-
ras o muito finas a 320 rs. o covado, chapeos de sol,
de seda prela para houiein a .'i rs ; todas estas fa-
zendas s3o limpas c de boa qualidade alm do outras
muitas de um sorl'menlo completo por barato prego:
na ra do Collegio loja n. 1, de Antonio de Azcvc-
do \ illarouco 8t lrmo.
Ctra lavrada.
- Vende-se em caixns de 180 libras cada urna, sor-
tidas desde duas at 16 em libra ; na ruada Sen/ulla-
Yelha armazem n. lio.
asa Yendem-se a terca parte e bemfeitoriasda pro-
priedade de Agoa-Fria de bVbiribe-de-Baixo a qual
tem pasto para 10 vaccas de Icite todo o anno una
grande casa do vivenda duas ditas mais pequeas ;
ditas de pedra ceal muitos arvoredos de fruto mui-
to boas bailas para capim maltas para lenha e mui-
to boa agoa de beber; vndese ludo por preco muito
commodo : na ra Nova n 60.
= Yende-ieum carro de 4 roJas, com arreios e
cavado muito bom do mesmo carro ; na ra nova de
i. Amaron. 6.
= Vende-se ou troca-sc por um sitio perlo da
praga que tenha bastantes aores de fruto e baixa
para capim, urna excedente casa com grandes com-
modos denlro do Rccife ; a tratar na ra Imperial
n. 9.
= Yendem-se chitas para coberta, de bons pannos
e cures (xas, com estampas e arvoredos fi gindo mal-
tos pelo barato prego de 160 rs, o covado, finissimas
chitas francezas muito largas de assenlo escuro ,
de quadros o listras cores fitas a 320 rs. o covado,
dita a 260 ra o covado, lanzinhat de bonitos padroes
a 5200 rs. o corte e a 320 rs, o covado cortes de cas
sa-chilas de todas ascres e inuilo laigasa 2-rs. di-
ta em vara a 4<>0 rs. dita transparente a 2560 rs.
cortes de chita de assenlo escuro e cores lixas a 1600
rs. chitas cor de ganga e de outras muilas cores e
muito finas a 200 rs. ditas escuras de lindos padroes
a 160 rs., e em pegas a 5500 e G# rs., pegas de breta-
nhas de rolo de superior qualidade a 2j rs. algodo
trancado muito largo e escuro proprio para roupa de
escravos a 210 rs. algodao americano muito encor-
pado a 220 rs. a vara dito muito largo e encorpado ,
proprio para lences a 280 rs. madepolOci de todas
as qualidades e mais fazendas ludo por barato pre-
go ; na ruado Crespo n. H, loja de Jos Francisco
Dias.
., Vendem-se bengalas de canna da India, verda-
deira com casIGes mui elegantes, ditas de biirracba
e bamb ltimamente ebegadas da Franca
da Cruz armazem n. 48.
por prego commodo ; gomma-laca, propria para fabri-
cas de chapeos e dita superior para obras de niarci-
neiro ; na ra da Cruz armazem n. 48.
- Vendem-se duas moradas, de cusas terreas no-
va : a tratar na ra da Concordia n. 3.
= Vendem-se bichas grandes o pequeas, ebega-
das ltimamente de liamhurgo por prego commodo ;
barricas e nielas ditas de farinha de tri'jo o ditas de
S5S nova e de superior qualidade ; puneiras de ara
ncclel.ii.in; meias de linho de Clao : na ra estrel-
lado ltozario padaria n. 13
Ycnde-se um escravo de 22 annos de elegante
figura proprio para o servico do campo ou engenho;
na ra deHortas n. 112.
=Vendem-se duas prelas, sendo urna de bonita fi-
gura e com habilidades queao dirn aos comprado-
res, e a outra que sabe cozinbar o diario de urna casa.c
engomma ; na ra da Cadeia do Recife n. 47, a fallar
com Jos l'ires de Moraes.
= Narciso Jos da Costa anda tem para vender al-
guns cortes de estamenha para habito do terceiro de
S. Francisco.
- Vendem-se o alugao-se bichas muito boas
por prego mais commodo do que em outra qualquer
parle na travessa da ra do Vigario loja de barbei-
ro n. 1.
bb Yendem-se 6 passaros de difierenles qualidades
o bons cantadores por prego commodo ; na ra das
Cruzes n. 16, primeiro andar.
= Vende-se um escravo carreiro e bom trabalhor de
enxada c ptimo para topo o servico ; na ra Drei-
(a n. 18.
Vcndo-se o botiquim da Estrella : a tratar no
ir.es mo.
= Vende-se urna escrava de linda figura perfei-
la cozinheira engommadeira lavadeira e cose chao ;
na ra da Cruz n. 56, segundo anar.
=Vende-se urna venda sita na ra das Agoas-Ver-
de> com 4 portas de (rente e umu para o becco, com
lodos os fundos que tem denlro ou parto driles, con-
forme o comprador quizer : a tratar na mesma venda ,
ou em casa de Lima Jnior k Companbia.
= Ycnde-se um prolo e urna parda aquello pro-
prio de todo o servico de urna casa ou do campo, e es-
ta boa lavadeira e engommadeira ambos mogos e de
bonitas figuras ; na ra na Cadeia de S. Antonio
n. 25.
= Vendem-se dous Uboleiros novos, por barato
preco ; no pateo do Carino n. 3.
= Vende-se um atlas; cartas geograpbicas em pon-
to grande ; grammatica ingleta de Constancio ; his-
toria sngruda e universal, por Ltossuet ; oragoes de Ci-
cero para analyses de rbetorica ; cartas de Cicero ; So-
lela : no pateo do Carino n. 3.
= Yendem-se 3 molequ>sdo idadedel4a 16 an-
uos ptimos para lodo o servigo; dous escravos do na-
cao, de idado de 20 annos, sen jo um cozinbeiro;
um mulatinbo do idado de 18 annos, bom carreiro ;
duas negnnbas, sendo urna engommadeira, e cose
bem e outra de idade do 14 annos ; urna Uiulatinba
muito linda e ptima para mucama ; urna escrava
de idade de 30 annos boa cozinheira engom-
ma bem faz doces e confeitos de todas as qualidades:
na ra Direita n. 3.
mm Vendem-se couros de cabra corlidos, de muito
boa qualidade ; na ra da Conceicio da Roa-Vista ,
n. 8.
= Vende-so urna escrava do nagSo Mogambique ,
moca de bonila figura, engomma coznba e lava
de sabio com urna lilha negrinba de 3 annos ; 3 es -
cravas de naci mocas, de bonitas figuras, proprias
para todo o servico e mesmo para quitandeiras ; duas
negriiihas, de 13 a 14 annos, proprias para serein edu-
cadas; 1I11..S iiiiil.itinbas, nina de 15 aun s, cuse chao,
faz lavarinto e renda o be ptima pura mucama ea
outra de 8 annos, e sao do bonitas figuras; um mo-
lequc do 15 annos, muito lindo, proprio para olicio;
um escravo de nagfio de 55 anuos, trubalhador do
servigo do campo : na ra das Cruzes n. 41, segundo
andar.
= Vende-se um carro inglez de 4 rodas, por pro-
co commodo no Atierro da Boa-N isla cocheira de
L Monier a tratar com o proprictario na ra da
Aurora 11. 62
= Vende-se canella miuda de superior qualidade,
16 annos ; o motivse dir aocomprador : em Fura
de-Portas, confronte ao hospital de marinha, n. 147,
primeiro andar.
Vende-se chales de lia e seda a 4500 e 6000 rs. ,
chitas do ramagem para coberta de cores (xas, a 160
rs. o covado finissimos corles de cassa-chitas a 2500
rs. ditos debitas de quaJros o listras muito moder-
nas, a 4200 rs. ditas do cambraia de listras de cores ,
do ultimo costo, a 4500 rs. tarlatana muito mo-
derna a 4500 rs. o corte lanzinba com listras le seda
a 8000 rs. o corlo cassa de quadros a 360 rs. a va-
ra cassa lisa fina a 400 rs. dita superior brelanba
de rolo com 10 varas a 2200 rs. cortes de colete de
setim preto com flores a 1600 rs. pecas de bretanba
de linlioa 3/rs. lencos de seda de cores de lindos pa-
droes a 1760 rs. cortes de chitas escuras e cores fi-
nas a 1600 rs. ditos do dita fina com 15 covados a
2800 rs., cambraia lisa fina a 480, 640 e 800 rs. a va-
ra meias de algodao cr para bomern a 2800 rs. a
duzia, cortes de vestidos de parisienso a 3840 rs. ,e
em covados a 320 rs., pegas de madapoln a 3200,
3300, 3800, 4500 e 4600 rs. ditas de madraste fino
a 5000 e 5400 rs., britn trangado branco encorpado de
puro linho a 1280 rs. a vara dito pardo a 720 e 800
rs., riscados de quadros muito modernos a 240 rs. o
ebegada ltimamente de Lisboa em latas de meia,
e 2 libras, por commodo prego: no armazem de Dias
Ferreira, dclrontcdas escadinhas.
= Vendem-se 5 oscravas mogas, de boas figuras,
engommao e cozinbao e urna cose ; urna dita boa
quilandeira ; duas molecas pegas urna do 12 annos
e nutra de 18 annos boas para seren educadas por
serein recolbidas ; una preta de meia idade por 200j
rs. ,cozinha,engomma, e lava roupa; urna parda de 20
annos, de boa conducta, e ptima para o servigo de ca-
sa ; 4 escravos mocos, de boas figuras bons para lo-
do o trebalho : na ra do Crespo n. 10, piimeiro an-
dar.
= Vende-se umjogo de bancas de Jacaranda, por
preco commodo ; no pateo de S. Pedro loja o. 6.
= \ endem-sc 3 relogios de ouro de difierenles for-
mas dous pares de brincos, um botao de abertura ,
um par de rosetas para menina ; na ra do Rangel n.
3, primeiro andar.
= Vende-so um mappa topographico com a nova
planta da cnlade do Porto onde se tem marcados todos
edificios, pragas, e ras novamenle abeitas; assim
como urna geographia universal moderna conlendo
ascinco partes do mundo, impies>a em 1H38 pelo
seu autor I). Jos de Lrcul ; uin primeiro volume do
Museu Piirtuenso ; o Secretario Portuguez ; na ra
largo do Ro/ario n. 22, periodo quartel de polica.
Vendem-so barricas e meias ditas com farinha do
trigo americana ditas do SSS, ancoretaj com atei-
tonas, feixes o rodas do arcos para barricas, sal de
Lisboa : na ra do Vigario arma/cm n. 11.
=s Vende-se urna porcao de dunas de assualbo de
amarello e juntamente urna porcao de costadinho o
forro do mesmo aim como urna porgao de assualbo
de louro, e forro do mesmo ; certilca-se que esta mi-
deia ja esta cerrada ha muito lempo e se vende
por preco commodo i na ra da Concordia venda
n. 15.
= Vende-so um pranchao de sedro de qualro
costados, com o deleito de ter algumas rachas, mas
na ra (serve para obras de enlalhadores, por preco commodo ;
I na ra da Concordia n 15.
Vendem-ie caias de tartaruga verdadciri para rap, I % Vende-se, ou Iroca-se, um preta de idade de
covado e outras muitas fazendas por barato preco;
na ra do Crespo n. 8 loja de Campos & Maia
= Veode-se urna parda de 30 annos, pouco mais
ou menos sabe lavar de varrella e sabao coznba o
diario de urna casa, e he ptima para vendas de tabolei
ro as tardes; na ra do Livramento n. 7.
jltettfGo ao barato I I
= Vendem-se marroquins a 1400 rs. a pello, luvas
de pellica para bomern a 960 rs. o par, carteiras de
marroquim para algibeira, maolinhas para grvala ,
uvas curtas de seda para senhora a 200 al 1120 ra.,
ditas compridasa 18 e 1120 rs. galio falso amarello
e branco a 100 rs. a vara retro; preto a 80 rs. a oita-
va sendo porcao meias brancas o prelas de algodo
para bomern e senhora ditas de sede para bornean
lilas lavradas largas e estreitas, dor barato prego as
varas, suspensorios de seda agulbas em carteiras e
caixinhas com todo sortimento pentes do tartaruga
para marrafas.e outras muitas miudezas por barato pre-
go ; na ra do Rueimado n. 24.
= Vende-se urna casinlia na ra da Alegra da Boa-
Vista, que faz esquina para o becco que vni para a ra
Velha cuja casa rende 58 rs. mensaes, por preco
commodo ; a fallar com .Manuel Jos MagalhSes Basto.
= Vende-se urna taberna com muito bons com-
modos para familia boa cacimba e vendo muito pa-
ra a trra : a (ratar na ra do Caldeireiro n. 58.
= Vende se urna casa terrea com grande solio ,
feila a moderna, com 27 paln.os de frente e bem cons-
truida com grande quintal e caes,na praia do Fagun
des n, 39 ; a tratar na mesma.
ss Vende-se mi I lio a 4, rs. o alqueire da medida
velha ; na ra da Cadeia de S. Antonio depozito de
farinha n. 19.
= No armazem de Francisco Dias Ferreira de-
fronte do guindaste da alfandega vendem-se, por pre-
go commodo, charutos regala e rueio-iegalia fu-
mo em folba superior, de primeira qualidade e
barris com 12 pescadas de Lisboa a 4200 rs.
Vende-se muilo boa farinba de tapioca, alva
nova, pelo barato prego do 2560 rs. a arroba ; no ar-
mazem de porta larga defronte do caes do Collegio ,
junio ao botiquim da Estrella.
sss Vendem-se alguns quadros Iluminados em bom
uso, urna cama com colchos uin ospelho em bom
estado dous pares do mangas lapidadas, urna mesa
quadrada para cha duas compoleiras lapidadas ; na
ra do Queimado botica n. 1 '>.
= Vende-se urna parelha de cavados ja ensinados
para carro e mesmo .separados assim como um ca
sal de gneos brancos ; na estribara da ra da Flo-
rentina.
= Vende-se arroz de casca em ssccas; no caes da
Alfandega armazem n. 5.
==\ endem-se chapeos pretos de castor, de abas lar-
s; na ra do Trapicho Novo n. 5.
ss Vendom-se estojos de navalbas de cabo de mar-
fim ingieras, a contento, botins e meios dilos do Lis-
boa chegados ltimamente ; na ra larga do Roza-
rio n. 24.
Vende-se urna farda, urna barretina um bon
para guarda nacional tudo em bom estado ; na ra
do Queimado n. 15.
Allencdo !
Vende-so o legitimo e muito acreditado rap
area preta de Meuron & Companbia pelo mesmo prego
da fabrica, de libras para cima a lOOO rs, e dahi para
baixo a 18080 rs; assim como muito bons queijos novos
muilo frescos, e mais gneros de venda: nos A (logados
ra do Motocolomb
Vende-se farelo pelo mdico pre-
co de 4sooo e 2s'5Go rs. ; na ra da
Senzalla-Velha n. i3b\
Continuase a vender a agoa de
lingir os cabellos e as suicas; na ra do
Queimado n 3i, e 33 : o methodo de
applicar a agoa acompanha os vidros.
Coeiros de merino lino bordados de
retroz, de cores muito bonitas, a Ssooo
ris oda hum, lencos brancos de cambraia
de linho muito linos e muito bem bor-
dados a 7s'000 ris cada hum, bicos lar-
gos e bonitos para roquetes de Padre a
2.SOO0 ris a vara ; na rita do Cabug, lo-
jas de ldzendasde Pereira & Guedes.
CHEGUEM AO BARATO.
Ynnlrin-.se los de linho, que tambem
servem para chales, de 3 linarias,, pelo
mdico preco de cinco patacas ; na es-
quina da ra do Crespo, que volta para
a ra das Cruzes n. 16, loja de Manoel
Gomes Viegas.
-~ Vende-se a collec^ao de leis estrava
gantes desde as Urdenacoes atacompil-
lacao de Delgado G volumes, preco 3o#
ris : na livraria da esquina do Collegio.
Escravos Fgidos.
=3 Desappareceo no dia 10 do corrcnlo pela ma-
nhSa, urna prela de nome Thereta, de idade de 35 1
40 annos bastante fula por estar doente custa a an-
dar por ter o p direito alguma cousa iridiado ; |(.vou
camisa de algodiozinho vestido de ganga riscada -
a qual be deioacao Quicami: quem a pegar, leve a ra
do Queimado n. 14, segundo andar.
= Fugio a preta Roza de Angola, altura ordina-
ria um pouco vergada de 40 annos de idade pou-
co mais ou menos, j (em alguns cabellos brancos
alguma cousa fula nariz bstanle grosso,, falla beir
porluguez, o dedo mnimo da mao direita tem um
grossura que parece incbagio; desappareceo na nou-
tedeG do corrento, com um vestido novodecluti
amarella de quadros e avental do cha a/ul e levou
mais um vestido de picte ou chila azul encorpada ;
quem a pegar, leve a praga da Independencia livra-
ria ns. Ce 8 ou no sitio da Capella do Bozarinbo
que ser generosamente gratificado.
= No dia 20 do mea de junho fugio um pardo do
engenho Arand freguezia do N. S. da Escada por
nome Antonio oflicial de alfaiate de idade de 35
annos, com os signaes seguintes: estatura ordinaria ,
cara comprida cabello pegado um tanto vermelho ,
com urna cicatriz em cima de urna sobrancelha nariz
afilad j bem barbado padece de cravos nos ps: ro-
ga-se as autoridades policiies e judciaes de o pegarem
eo conduzirem ou participarem nosla praga na ra
larga do Rozario a Joan Manoel Rodrigues Vallenga
ou na freguezia da escada a aeu senhor Francisco Ve-
rissimo Rodrigues Estoves sanhor do dito ongenho ,
que em qualquer das partes serio bem gratificados do
seu trabalbo.
Roga-se a todas as autoridades policiaes, senho-
resdeengenbos, capiles de campo e pessoas particu-
lares apprehendo o escravo crioulo de nomo Luii ,
que no dia 8 do correte fugio do engenho l)om-Fm,
freguezia de Ipojuca comarca do Cabo com os sig-
naes srguinles: alto, secco, bem feito de eorpo, cor
bem preta, cara redonda, olhos e testa grandes, cabello
rente trabulha de pedreiro e barbeiro he muito
regrista : quem o pegar, leve ao dito engenho a en-
trogar a seu senhor Francisco Jos da Custa (i ui mi-
raos *ou na ra de Agoas-Verdes n. 46 quo aera
recompensado.
= Em odia segunda feira do Espirito Santo do
nnno pastado fugio a preta Catbarina do nagao
Angola, ladina, alta, bastante secca do corpo, seio pe-
queo cor muito prela bem feita de rosto, olhos
grandes e vermelhos com todos os denles na frente ,
ps grandes o um pouco meltidos para donlro muito
conversadera erisonba de idade de 22 annos; tem
sido encontrada na Estrada Nova da Magdalena e no
Mterro dos A logados vendendo verduras, e aos da-
mingos no maracat des coqueirotem dilo Atierro dos
A Togados : ha pouco, foi ella vista por um moco sa-
hindo da casa do palacio do governo, na ra do S. Ben-
toem Olinda para onde tornou a entrar be prora-
vel que estar por alli oceulta visto o dito palacio es-
tar dovoluto : a dita escrava, pertence a Munoel Fran-
cisco da Silva na ra estreita do Rozario n. 10, ter-
ceiro andar ou em seu sitio em S. Amaro.
= Desappareceo no dia 13 de Junho dosto anno
urna preta da Cosa de nome Lucrecia alia cheia
do corpo pernas finas tom um talho no pescogo,
representa ter 40 annos ; levou saia de chita rouxa ,
e panno da Cosa : quem a pegar, ou della der noti-
cias dirija-se a ra Nova venda n. 65.
1= Roga-so aos capiles de campo e autoridades
competentes caso enconlromum preto do naci Ca-
cango baixo, carece, ps pequeos, pernas arquea-
das bom barbado de nome Jos de o pegarom a
levarem ao Forte-doMallos, ra do Costa n. 12, que
ser gratificados do seu trabalbo
= No dia 6 do orrenlo fugio urna prela de nome
Joaquina de nagSo Cagange que representa ler 50
a 32 annos cor fula baixa lem as nadegas um tan-
to arrebitadas para trar. com urna pequea costura no
rosto com falla de um dente em um lado, nariz cha-
to, com alguma carne sobre os olhos, peitos peque-
nos e murchos ; levou dous vestidus um de chila de
quadros miudos arues e o outro de chita cor de cal
com flores verdes e panno da Costa ; esta prela foi
de coznba e anda um tanto porca : roga-se as auto-
ridades policiaes capiles de campo ou qualquer
pessoa de aprenbonder e levarem a seu senhor Domingos
da Silva Campos, na ra das Cruzes n. 26, que ge-
nerosamente recompensar.
= No dia primeiro do correte fugio da venda
Le o de Ouro junto ao quartel do Hospicio um
escravo de nome Vuent figura pequea crioulo ,
muito fallador, o modo de andar he um pouco esran-
chado ; este escravo pertenceo a Luiz Pereira Raposo,
morador na ra do Sebo ; como este escravo tinha de
costume em outro lempo vender frutas e hortalica por
isso be muito cmbrenlo, pelo Carmo, puteo da S Cruz,
Fra- de-Portas, e estrada da Varzea e he por onde
lem andado ; por isso roga-se a todas as pessoas e au-
toridades policiaes, que o pegarem de o co'regareni na
dita venda que serad gratificados.
= No dia 7 do carente mez fugio urna pardi de
36 annos pouco mais ou menos; ha poucos dias, veio
da cidade da Parahiba ; de nomo AnJre/.a, nao se esta
certo, mas poeta se que no roslo da parle direita teut I
sigual grande ele molestia anli-a tr escura, muilo
matute; levou vestido de chita de cores encarnadas,
e chales de chila ; quem a pegar b've a ra da Ma-
dre de Doos n. 7, quesera bem recompensado.
O abano assignado, morador na ra Direita, an-
nnncia, que no dia 9 do corrento pelas 9 horas da
noute desappareceo urna escrava de nomo Calharina, de
14 a 15 annos de dade, baila, luda, cheia do corpo,
cara redonda; na testa lem baixa de una queda qoa
levou em pequea; roga aos capiles de campo o cn-
carregados de policia para que a prendo.que sero bem
recompensados.l'ianciico Xavier Cavalcanli d Ai-
buquerque.
PEHN.
NA TYP. PF. M.
F.DE FAMA 1,S45,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWQIMRN9T_FVTTLF INGEST_TIME 2013-03-25T14:48:01Z PACKAGE AA00011611_00831
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES