Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00802


This item is only available as the following downloads:


Full Text

** "m
"' W"'''
1

f
\r
r
*
t

ANNO XXXI. N. 156.
Por 3 mea adiantados 4,000.
Por 3 mexes vencidos 4,500.

SEGUNDA FEIRA 9 DE JULHO
Por anno adiantado 15,000.
Porte franco para o subscripto!.

DIARIO DE PERNAMBUCO
=
.
KNCARREOADOS B\ SCBSCMP?A'O-
Ueeife, propriet?rio M. d> Vari Rio de Ja-
neiro, o Sr. Jo5o Pereira Marti as ; Baha, o Sr. B.
Duprad; Macei, oSr. Joaquim Bernardo de Men-
dooca : Farahbe, o St. Gervaicio Vctor da Naliv-
dade ; Natal, o. Sr. Joaquim IgnacloPereira Jnior;
Aracaly, o Sr. Antonio de Leaos Brasa; Cear, o Sr.
Victoriaue Angosto Borges; Maranbao, o Sr. Joa-
quim Marques Rodrigues ; Fia ihy, o Sr. Domingos
Hercnlano Ackiles Pessoa Cearene* ; Para, oSr. Jus-
tino J. Ramos ; Amazouas, Si. Jcrouymo da Costa.
CAMBIOS.
Sobre Londres, a 27 1/4 e 27 i/8 d. |por 1.
c Pars, 355 rs. por 1 f.
< Lisboa, 98 a 100 por 100.
c Rio de Janeiro, 2 por 0/0 de rebate.
Acrdes do banco 30 0/0 de premio.
da companbia de Beberibe ao par.
> da companhia de segaros ao par.
Disconto de lettras de 8 a 9 por 0/0.
METAES.
Ouro.Oncas bespanholas- 291000
Modas de 69400 velhas. 169000
de 69400 novas. 16*000
de4000. .99000
Prata.Patacoes brasileiros. 1*940
Pesos noltimnarios, 1*940
mexicanos..... 19860
PARTIDA DOS C.ORREIOS.
Olinda, todos os das
Caruar, Bonito e Garanbuns'nos das 1 15
Villa-Bella, Boa-Vista, Ex eOuncury, a 13 e 28
Goianna e Parahiba, segundas e sexlas-feiras
Victoria e Natal, as quinlas-feiras
PREAMAR DE 1IO.IK.
PrimeiraO 30 minutos da larde
Segunda 0 a 54 minutos da raanha
AUDIENCIAS.
Tribunal do Commercio, segundase quinlas-feiras
Relacao, tercas-feiras e sabbados
Fazenda, tercas e sextas-feiras s 10 horas
Juizo de orphos, segundas e quintas s 10 batas
1* vara do civel, segundas e sextas ao meio da
2* vara do civel, quarlas e sabbados ao meio dia
EPHEHERIDES.
Jullio 6 Quavtominguante aos 12 minutos e
40 segundos da tarde.
14 La nova ai 2 horas, 21 minutos a
40 segundos da manha.
23 Quarlocrescenteas5horas, 30 mi-
nutos e 40 segundos da manha.
29 La cheia as 4 horas 44 minutos e
33 segundos da manha.
DAS da semana.
9 Segunda. Se. Cirillo e Bricio bb. "
10 Torca. S. Silvano *.t; S. Bianor m.
11 Quarta.S. Sabino m. ; S. Abudino m.
12 Quinta. S. Joao Gualberto ab.; S. Jasou.
13 Sexta.S. Adelo p. m. ; Ss. Joele Eadras.
14 Sabbado. S. Boaventura b. card. edeutor ser.
15 Domingo. 7. O Alijo Custodio do imperio ;
S. Camilo de Leltis fundador.
ADVERTENCIA.
S lie permtiido pifiar a subacnp-
cfio deateDIARIO a 4j(M>0 rs. o quartel
dentro de 15 dias doomeco; depois do
que somente le recebera' AjjOO.
PAITE FFICIAL.
MIMSTKRIO DA .IUSTICA.
DECRET,*. lttE 4 IB JNI10 DE 1855.
Declara que as offieiaes di guarda policial das
provincias ti Para t da Amazonas, que n&a fo-
ram contemplado' na orgartsaeSo da guarda na-
cional das referidas prottntlat, tem direito a ser
reformados.
Hei por bem saneelonar a msedsr que se exacu-
te a resoluco segioti%a asejmbla gcral legisla-
tiva :
Arl. i." Temdireilo a ser reformados, era con-
formidade da le n. 6Q de l> de setembro, e do
decreto a,. 723 de 25 deevtiibre de. 1850, osofli-
ciaes il guarda policial da* provincias do Para e do
Amazonas que nao tiverem iido contemplados na
organismo da guarda nacional das mesmas provin-
cias.
Arl. 2." FJeatn revogadas as dispossoes em con-
trario.
Jos Tliomaz Nabaco de Arac jo, do meu conselho,
minijiro e secretario de Miado dos negocios dajus-
tica, assim lenha entendido e faca ejecutar.
Palacio do Rio de Janeiro, era 4 de junho de 1855,
31. di independencia e do imperio.Com a rubri-
ca de S. II. o Imperador.Jos Thomaz Sabuco
diArauj:
3. acea.Ministerio dos negocios da justica.
Rio de Janeiro em 11 de junio de 1855.Solicita
Y. S. nasau officio de 18 do mea prximo pretrito
Esclarec roenlos cerca daa seguimos duvidas que
Ule occorrem na execueao do dfcrelo n. 1597 do 1.
do referido mez, que d regulamenlo para os tri-
bnuaes do commercio: l., e, nao obstante sr la-
xativa e naoexemplificava a lUsposioao do arl. 6.
1. do rilado decreto, corapretteade ella por ideo-
t ida de de razio os interpretes. q> commercio e os
avaliadore commerciaes, cuja rroroeaoao e malricu-
- la pertence limbem ao tribunal do commercio pe-
los reguUmentos n. 738, art. 18, 2., en. 737,
art. 533, e decreto de 23 de outubro de 1852 ; 2 ',
Se entre es casos de aggravos, apezar de nao vir
enumerado no arl. 72, se deve considerar os de que
trata a resolucSo de 10 de jullio de 1850, arl. 2.,
quanto a fiaoca as cusas do proeesso e imposto subs-
titutivo da dizua da chancellara, visto ser esta
resoluto extensiva s caneas commerciaes (regola-
mente a. 737, arl. 736); 3., ss para servirem ante
o tribunal do commercio d,evem ser admiltidosos
solicitadores nomeados pelos |residentes das rela-
oes, em virtud* do decrete n. 3'.)8 de 21 de dezem-
aro de I8M, ou aa devem ser prvidos pelos presi-
Mnwi-dtatribaaae* do comjnwcia, a qucui o art.
56 do novo regnlaraeolo s d a noraeasao dos con-
tinuos e olliciaes de joslica ; 4. >, a quera devem ser
distribuidos os emolumentos;qu tem de entrar para
a respectiva caia, se aos adjuntos somente, se lam-
b'em compttem ao presidente c o tribunal, como se
pratica na ralaco, e tambera pelos depotados com-
merciaes; 5., e, nao obstanjg. wrem.ni angun
^(AtMeYs-peje presidente, deiera as cusas entrar
RelarSo dos offieiaes do eorpo de saude do exercilo
a que se refere o avito desta dala.
Segundos cirurgioet lenles Tbcopbiio Clemente
Jobiin e Francisco Lope* de Oiiveir Araujo, 2.
cirargiio alferes I.aarindo Marlins das Neves.
Secretaria de eslado dos negocios da guerra ero
16dejuoho de 1855. Libanw Augusto iaCunha
Mallot.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da guer-
ra, cm 18 de junho de 1865.Uto. Eira. Sr.
Determinando S. M. Imperado* que V. Exc man-
de Immediatamenla seguir para seo rtapeclivos
corpos o roajor do de artfices da corle Carlos de Mo-
raes Camisao, e o capiUo do 2. balalbao de art'lha-
ria a pe Trhiao Pi dos Sanios que.se achaca nessa
provincia, assim o commonico'VV. Exc. para sua
intelligencia e pontual execuc^o.
Dos guarde a V.Exe.Marque: daCaxias.Sr.
presidente da provincia de Pernamboco.
Rio de Janeiro, Ministerio dos negocios da
gnerra, em 18 de junho de 1855.-*-l)e ordi-in deS.
M. o Imperador mande V. S. seguir para o respec-
tivo eorpu, na primeira opporzauidade, o 1. teneu-
(e do i." balalbao de ai tildara a p Francisco M.i-
noel Pereira Fontes, que actualmente serve na divi-
sa do seu miniando.
Dos guarde a V. S.Marque: de Caxias.Sr.
Francisco Flix da Fooseca Pereira Pinto.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
guerra, em 18 de junho de 1855.lllm. e Exm. Sr i
Determinando S. Magestade o Imperador que Va
Exc. faca activar a marcha do capilSo do 1. regi-
ment de artilharia a cavallo Eloy Manoel de Oli-
veira, quando.ainda se ache nessa provincia; e que,
caso nao esteja em viagem o capiUo do 2. balalbao
de artilharia a p Antonio Jos da Costa, Oque de
nenhum efleilo o disposto no aviso de 4 do correte
mandando-o vir i corle, arsim o declaro a V. Exc.
para sos intelligencia) e ponlual execu(Ao.
Dos guarde a V. Exc.Marque: de Caxas.
Sr. presidente da provincia da Babia.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
guerra, em 18 de junho de 1856.lllm. e Exm. Sr.
De ordem de S. Magostado o Imperador mande
V. Exc. dispensar do ser viro em que se acha no ar-
senal de gnerra dessa provincia e seguir immediata-
mente para o respectivo carpo, o capitn do 2. ba-
lalhao de artilharia a p Joao Evangelista Nery da
Fonseca.
Dos guarde a V. Exe,Mrquez de Caxias.
Sr. presidente da provincia de Pernamboco.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
guerra, em 17 dejunbo de 1855.lllm. e Eiro. Sr.
S. Magestade Imperador ha por bem ornear
director das obras militares da corte o marecha 1 de
camp Jos Mara da Silva' Biltancourt; assim o
communco a V. Exc. para seo conbecimento e exe-
cucao na parte que lie loca.
Dos guarde a V. Eic.Marque: de Caxias,
Sr. barSo de Tramandahy.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
guerra, em 18 dejunho de 1855.lllm. e Exm. Sr.
S. M. o Imperador ordena que V. Esc. mande re-
colbcr ao respectivo corpo o capillo do 3." batalnao
de artilharia a p Joao Francisco Cllete.
Dos guarde a V. Exc.Marque: de Caxias.
Sr. presidente da provincia do Para.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
gliflil, em

para o cofre, afim de seren repartida), ou se esses
emolumentos s perteacem ao presidente, como as
distribaloSet, assignaturas e jnnmentos, nos termos
do art.'61 do nevo regolamenlo das casias, mandan-
do observar provisoriamente pelo art. 96 do decreto
n. 1597 do 1. de maio ultimo; 6.", se o presiden-
te, fiscal e adjuntes, e inaii empregados jadiciaes
novamenle creados, devem ser lagos de seos orde-
nados e gratificaces em folla da relacao, a eujo
pteeidenle dever o do tribunal do commercio en-
viar atistanos mensalmenta, on se em folha sepa-
rada fofmnda pelo presidente ilo tribunal do com-
mercio, e por este directamente enviada respectiva
rrelaria d. estado.
Sua Msgestade Imparaoor, a Cajo conhecimento
levei o oflicio de V. S., bou' e por bem decidir,
pelo que respeila primeira duvida, que o art. 6.,
1." do decreto a. 1597 do 1. ie maio do corrente
anno he taxativo, e nao coroprehende portento
nomeacjlo de ivaliadores e Interpretes, a qualt fi-
ca restricta, combinado aqnelle artigo com fi arls.
4 e 19, s cmaras era que tiverem assanlo / tribu-
naes ejaizes especises. Quanto a segunda/.uvida,
que se deve eousiderar entre osjea tos'de aggrf'os ds de
que trata a resolucio de 10,de jilho de 1850, sendo
qaa o arl. 669 do lleg. n. 737 tambera os nao compre-
keadis, massempresesubentend iramporvirtude das
leis especiaes que os crearam. Quanto lercejra,
sjiia deve admittir-te a servil em no tribunal do
commercio os solicitadores Horneados pelos presiden-
tes das relac,5es,' para quo se nj moltipliqaem taes
empregados. Quanto 'quarla, que os emolumentos
qu entrarera para a respectiva cafxa devem ser dis-
tribuidos peto presidente do tribunal, e pelo fiscal,
adjuntos depotados. Qoanlo i quinta, que per-
tencem ao presidente do tribu na I as cusas prove-
nientes dos aggravos por elle decididos. E quanto,
fiulmeole, asesta, qne a folha dos ordenados e
graliflcacSes do presdeme do tribunal, do fiscal,
adjuntos a mais empregados, deve ser formada pelo
mesrao presidente, e enviada mensalmenta a esta
secretaria de estado. O que < ommunico a V. S.
para sua intelligencia, a era reiposla so seu citado
oflicio. ,
Dees guarde a V. S./os\ Thomaz Sabuco de
Arafa.Sr. Jase Ignacio Vas Vieira.
MINISTERIO DA GUERRA.
Rio de Janeiro.Ministerio des negocios da guer-
ra, em 15 de junho de 1855.lllm. eExm.Sr.
Determina 8. M. o Imperador que sendo cassada a
licenee com qaa se acha o raajoi- do 1. regiment
de cavallaria llgeira, Jlo da Cosa Barros Masca-
renhai, fique larnbem de nenbum eHeilo o aviso de
5 da corrente qne o mandn par disposijo da pre-
sidencia do Rio de Janeiro, ifin de reunir-se ao
respeclivo eorpo ; o que V. Exe. Tari cuiprir. Dos
guarde a V. Exc. Mrquez de Caxias. Sr. ba-
ria de Tramandahy.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
gnerra, ata 16 de junho .de 1855.lllm. e Exm.
Sr. Determina Sua Magestade o Imperador que
V. Exe. taca segair quanto antes para Montevideo,
afim de reunir-se a sea carpo, o lenente-coronel du
7. betalho de infamara, Joaquira lo- (ioncalvcs
Fonles, que so acha na corte ; n oulrosirn que V.
Exc.nome o 1. cicurgi3o,teneolc Dr. Manoel I.ou-
. renco Estrella, os segundos cirurgiftes lenles Drs-
Francisca Jos da Cotia e Abren, e Aprigio Ramos
Proenea, e o 2. elrargiSo alfares Dr. Jlo Jos de
Carvalho Filho, dous para rrem pira1 alli, a os ou-
Ires para a provincia de S. Pedro do Su!.
Dos goarde a V. Exc Marqvez ie Caxias.
Sr. barao de Tramandahy.
Rio de Janeiro. Mnisterc. dos negocios da
guerra, em 16 de junbo 'de 1855. lllm. e Exm.
Sr.De ordem de S. M. o Imperador mande V.
Exe. segflb para Montevideo os ofileiaes do corpo
de saude do exercilo constantes da relacao jun;
que rilo ser empregados no trrico da divisao auxi-
liadora.
Deas gaarde a V. Bxc Marqtiez ie Caxias.
Sr. baria de Tramandahy.
e juiiio aelSjn.lllm. e Sxni/Sr.
Determinando S. M. o Imperador que o 2. cirur-
Jos de Magalhaes Leal, Antonio Florencio Pereira
do Lago.
Balalbao do deposito da corte.
Tetiente Antonio Joaquim da Silva Tamborn!, al-
feres Manoel Joaquim de Almeida Sobrinbo.
Meio balalbao de Pianby.
Alfares-secretario Jos Manoel Eduardo de Paiva>
alferes I.uiz Eduardo de Carvalho.
Corpo de goarnicao da de S. Paulo.
CapilSo Luz Soares Viegas ; lenle Francisco de
Asis de Araujo Macedo.
Corpo de guarnicao fix de Minas Geraes.
CapilSo Chrslovao de Abren Carvalho Conlreiras,
alferes Manoel Jorge Marinhn. .
Secretaria de astada dos negociot da gnerra, em
19 de junho de 18.55. Libanio Augusto da Cunha
Maltas.
Bio de Janeiro.Ministerio dos negocios da
{.guerra, em 19 de junho de 1855.lllm. e Exm. Sr*
Determinando Soa Mageetadeo Imperador que V.
Exc. mande recolber ao respectivo corpo o. len-
te do 1. balalbao de artilharia a p Jos Joaquim de
de Lima e Silva Ulna, que s aclis empregde no ar-
chivo militar, assim o communico a V. Exc. para
seu conhecimento e execuco. Dos guarde a V.
Exc.Marque: de Caxias.Sr. bario de Traman-
dahy. ,
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
guerra, em 19 de junho de 1855.lllm. e Exm. Sr.
Havendo os segundos cirnrgies lenles do corp
de saudedo exercilo,Drs. Francisco Lopes de Oliveira
Araujo e Francisco Jos da Costa e Abren, pedido
demissao, sobr'esleja V. Exc. na ordem expedida para
que elles sigam para os deslinos indicados ; ficando
porem V. Exc. na intelligencia de que no caso de
Sua Magestade o Imperador nao annuir demiss3o<
deverao elles embarcar logo que assim se ordene.
Dos guarde a V. Exc.Marque: de Caxias.Sr.
barao de Tramandahy.
Rio de Janeiro.. Ministerio dos negocios da guer-
ra, em 19 dejunho de 1855.lllm. e Exm. Sr.De
ordem de S. M. o Imperador mande V. Efe. seguir
para o respeclivo batalho o lente do 3." de infan-
tera Jos Caetano de Oliveira Rocha, que te acha
nessa provincia. Dos guardo a V. Exc.Mrquez
de Caxias.Sr. presidente da provincia do Espirito
Santo.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da guer-
ra, em 19 de junho de 1855.lllm. e Exm. Sr.Sua
Magestade o Imperador determina qne V. Exc. man-
de seguir para os respectivos corpos o cnpilao Jos
Crispiniano Conlreiras e Silva, e os alferes Carlos
Mara de Oliva e Francisco Lacio de Oliveira Nelto,
este do5. regiment de cavallaria, e aquellos do 4.
da mesma arma ; bem como o alferes secretario da
corpo de cavallaria de Matlu Grosso Joao Carlos do
Silva. Rangel, qae ah se acham. Dos guarde a Va
Exc. Marque: de Caxias.Sr. presidente da pro-
vincia de S. Paulo,
Rio de Janeiro. Ministerio dos eegocios da.guer-
ra, em 19 dejunho de 1855.lllm. e Exm. Sr.De"
terminandoS. M. o Imperador qne o mujer do meio
balalbao do Piauhy Antonio Jos Fernandes Braga,
e o lenle do 2. de infamara Luz Panto Figuei-
rs Nabuco de Araujo, que se acham nessa provin-
cia, sigam inmediatamente para seusrespectivos cor-
"" irn o communico a V. Exc. pera sua intelli-
is guarde a V. Exc.Mrquez
idente da provincia de Minas
giao do corpo de sande do exercilo, Dr. Ignacio Jos
Garca, seja addido ao batalho de engenheiros, e
que V. Exc. faca recolber ao seu corpo o alferes do
2. balalbao de infamara Antoniu Malloso de An-
drade Cmara, que se acha addido quelle batalho,
assim o communico a V. Exc. para seu conheci-
mento.
Dos guarde a V. Etc.Marque: de Caxias.
Sr. barao de Tramandahy.
Rio de Janeiro. Ministerios dos negocios da guer-
ra, em 19 de junho de 1855. lllm. e Exm. Sr.Em
additameoto ao meu aviso de 16 do corrente, envo a
V. Exc. a inclusa relacao dos ofliciaes do exercilo que
devem immedialamehle recolher-se a seas corpos.
Fica entendido que V. Exc. dispensar desla me-
dida os que matriculados eslejam na escola militar,
remeltendo-mc os nomes daquelles ofliciaes que an-
da possam estar tora dos respectivos corpos, e na cor-
te, sem previo conhecimento desta secretaria de es-
tado. Dos guarde a V. Etc.Marque: de Caxias.
Sr. barSo de Tramandahy.
Relacao dos offieiaes dos differentes corpos do exer-
cilo a que se refere o aviso desta data.
1. Regiment de cavallaria tigeira.
Alferes Floriino Florambet da Conceicao.
2. RegimentoUle cavallaria ligeira.
Alferes Joao Frederica Gulherme de Carvalho,
I.uiz Jos Nuoes Pioheiro, Francisco Augusto Pinlo
Peixolo.
3. Regiment de cavallaria ligeira.
Capitaes Jos Feliciano Naves Gonzaga, Francisco
de Siqoeira Queiroz, alferes Francisco Augusto Fer-
raira da Silva.
5. Regiment da cavallaria ligeira.
Capitaes Augusto Cesar de Araujo Basto, Manoel
Alves de Azeredo, lente Jlo Piales Fanislien; al-
teres-secretario Joao Baplista de Godoy; alferes Jos
Proeopio Tavares, Wenceslao Vieira Armond, Do-
mingos Alves Branco Muniz Brrelo.
Companhia de cavallaria do corpo fixo da Baha.
Tenante Francisco Jos de Souza e Silva, alferes
Carlos Augusto de Carvalho.
2. Balalbao de infamara.
Cspilao Jos Joaquim da Silva Costa, alferes Jote
Joaquim Rodrigues Braganea, Gustavo Chrstiaoo
Deiouzart.
3. Batalho de infamara.
Tenente Antonio Candido de Araujo Macedo ; al-
feres-secrelario Antonio Pedro Vaz ; alferes Libera-
to Jos Feliciano Kelly.
4. Balalbao de infamara.
. CapilSo Manoel Geraldo do Carino Barros; tenan-
te Tilo Lirio da Silva; alferes Joaquim Jote Corle
Imperial.
5. Balalbao de lufantaria.
Capilao Joao do Reg Barros palean, lenle Car-
los Olvio Danckvart ; alferes ajudanle Severiano
Rebello da Silva Pereira, Jos Antonio Pereira de
Almeida, Luiz Antonio Coln, Joao LoizTavares.
6. BatalhSo de infanlnri.
Teaentes: Luiz Hilario Setubal, Jos Bonifacio de
Andrade Waudelli; alferes Flix Jdsliniano de Al-
buquerque.Francisce Marianno de Sequera, Antonio
Alexandrino de Mello, Manoel Francisco Imperial.
7. Batalho de infamara.
Alferes Luiz da Cunha e Cruz. _
8. Balalbao de infantaria.
Alferes Joao Caetano dos Santos, Jos Ferreira de
Azevedo, Francisco Joso Marlins Pamplona.
9. Balalbao de infamara
Alferes Theolonio Jos de Almeida Fortuna.
10. BalalhAo de infamara.
A!Teres Francisco da Cunha Biltancourt, Manoel
Joaquim de Souza Jnior, Angosto Carlos de Siqoei-
ra Chaves.
11. Balalbao de infantaria.
Alteres Fernando Marlins Carrocho, Heliodoro
Francisco de Menezes.
'12. Balalbao de infantaria.
Alferes qnarlel-meslre Feliciano Jos Henriques.
13. BatalhSo de infantaria.
Alferes-tecrelario Pedro Joaquim Nones da Mes-
qaila; alferes Joaquim Caetano dos Res, Manoel
^=hio ue aioerro.- Ministerio dos negocios de
guerra, cm 19 dejunho de 1855. lllm. e Exm. Sr.
De ordem do S. M. a Imperador remella V. Exc.
a esta secretaria de eslado os termos da inspeccao de
saude feitaao capilao do 7. batalho de infantera
Joao Xavier de Souza, que se acha nessa provincia.
Dos guard a V. Exc.Marque: de Caxias.Sr.
presidente da provincia de Sania Cstharina.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negociot da
.guerra, em 19 de junho de 1855.lllm. e Eim. Sr.
De ordem da S. M. o Imperador informe V. Exe.
sobre o desloo que teve o alferes do 6. balalbao de
iufanlaria Jos Francisco de Assis Cordeiro, que te
achava doeote nessa provincia.Dos guarde a V.
Exc.Mrquez de Caxias.Sr. presidente de San-
la Calbarina.
Rio de Janeiro.Minislerio dos negociot da guer-
ra, em 19 dejunho de 1855.lllm. e Exm. Sr.sDe-
terminando Sua Magestade o Imperador qne se re-
colhao immediatamente. aot respectiuos corpos os
ofliciaes constantesda relacao junla,exceptuando po
rem ofque etliverem matriculados no curso militar
desta provincia, assim o communico a. V. Exc. para
tua intelligencia e pontual cxecufjo na parte que Ihe
toca. Dos guarde a V. Exc.Mrquez de Caxias.
Sr. psesidente da provincia de S. Pedro do Sul.
P.elacao dos offieiaes que se refere o aviso desta
data.
2. Regiment de cavallaria ligeira.
Capitaes: Luiz Joaquim de S Brlo, Jos Antonio
Correa da Cmara, Antonio Rodrigues do Nascimeu-
to, alferes Diego Alves Ferraz, Antonio Germano de
Andrade Pinlo.
* 3. Regiment de cavallaria ligeira.
Capitaes: Francisco Jote dos Santos, Luciano Jos
da Rosa, Manoel de Catiro Canto e Mello ; lente
Adolpho Sebastio de Alhayde.IsidoroJFernandes de
Oliveira ; alferes Francisco Jorga Simoes Pires.
4. Regiment de cavallaria ligeira.
'II Capitaes: JoSo Sabino de Sampaio Menna Brrelo,
Antonio Vctor de Sampaio Menna Brrelo ; lenle
Francisco Olilo de Carvalho e Silva; alferes Joa-
quim Jos Baptitla.
4. Balalbao de infantaria.
Alferes Frederico Chrstiaoo Berys.
6. Batalho de infantaria.
Capilao Loiz Antonio Dias de Andrade. tenente
Pedro de Ancantara Monlairo, e Jos Antonio da
Lima.
7. Batalho de infantaria.
' Teoenle Jos Mara Ferreira da Assompcjio, alfe-
res ajudanle Jote Gonralves de Meirelles; alteres Ja-
cintho Brrelo de Castro.
8. Batalho de infantaria.
Tenente Galdino da Silva Villas-Boas.
10. Balalbao de infamara.
Tenente-qaartel mestre Cantillo Xavier de Mello,
alferes Jas Pedro Gouzaga, Jeronymo Alves d'As-
sumpsao, Jos da Cunha Morelra Alves.
12. Batalho de infantaria.
Tenente Alexandrino de Mello Alencar, alferes
Francisco Borges de Lima.
Secretara de eslado dos negocios daogaerra em 19
de junho de 1855. idanio Augusto da Cunha
Mattos.
Rio de Janeiro. Minislerio dos negocios da guer-
ra, em 19 de junho de 1855.lllm. e Exm. Sr.S.
M. o Imperador determina que V. Exe. faja seguir
para a corte os 2. cirurgies do corpo de saude do
exercilo Antonio l'olycargo Araponpa Amara!, Ja-
nuario Manoel da Silva, Felisberto Augusto da Silva
e Manoel Bernardino Bolvar, ficando a respailo (les-
te sera efleilo o aviso de 23 de maio lindo que o man-
dn ir para as Alagoas ;^c outrotim que se reuni
aot corpos a qne perlencem o tenente Francisco Jos
de Menezes Amorim, do 2." regiment de cavallaria,
o major Francisco Joaquim Ferreira de Carvalho, e
glferet-secrelario Josto de Freitas Marcarenhas, do
4.a regiment, e tenente Hcrculano Alexandrino de
Mello, do 5. da mesma arma, os lenles Angosto
Lopes Villas-Boas, do 2. balalbao de infantaria, e
Jos Joaquim de Figueiredo, do 12. desla arma-
Dos guard a V. ExcMrquez de Caxias.Sr.
presidente da provincia da Baha.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
guerra em 19 do junho de 1855.lllm. e Exm. Sr.
Sua Magestade o Imperador determina que V. Exc.
faca seguir reunir-se ao seu corpo o capilao do 4.
regiment de cavallaria Jos Francisco de Andrade e
Silva, que se acha nessa provincia.' Dos guarde a V.
Exc.Marque: de Caxias.Sr. presidente da pro-
vincia de Sergipe.
Rio de Janoiro. Ministerio do* negocios da guer-
ra m 19 de junho de 1855.Illaa. e Exm. Sr. S.
M. o Imperador determina qrre V, Ele. faca segair
para os corpos a que perlencem otcapilaes Luiz Mu-
niz Barreto Nelto, do t. regiment de cavallaria, Fir-
inmo Jos de Oliveira, do 3. batallio de infantaria ;
Jos Luiz Teixeira Lopes, do .4. ; Jos Manoel
Braga, do 7. ; e Antonio Caetano Trvateos, do 10
todos desta arme; bem como o tenante do meio ba-
talho do Piauhy Francisco Goncatves Pereira Luna,
que alii te acham; eoutrosim, que V. Exc. mande
novamente inspeccionar de saude o teneote do 5. ba-
lalbao de infantaria /as Joaquim da Silva Rosa, e
remella a esta secretaria de eslado. coma respectiva
f do oflicio, o termo da inspecS;So, dispensamlo-o
V. Exc. da cqmraissb em que se acha i disposicao
do conselho administralivo deesa provincia. Dos
guarde a V. Esc-Marque: de Caxias.Sr. presi-
denta da provincia du Maranbao.
Rio de Janeiro. Ministerio das negocios da guer-
ra, em 19 dejunho de 1855.lllm. e Exm. Sr.De
terminando Sua Magestade o Imperador qne os ofli-
ciaes do exercilo constantes da relacao junla, que se
acham nessa provincia, sigam inmediatamente para
tent respectivos corpos, assim communico a V. Exc.
para sua intelligencia e pontual execuco ta parle
que lhe toca. l):os guarde a V. ExcMrquez de
Caxias.Sr. presidente da provincia do Para.
Relacao dos offieiaes do exercilo a que se refere
riso desla dala.
4. Balalna de infantaria.
Al reres ajudaute Silvana Jos Nery.
5. Balalhao d infantaria.
Alferes Inuocencio Eustaquio Ferreira de Araujo.
7. Balalbao de infamara.
Capilao Jos Saturnino Gaspar.
9. Balalbao de infantaria.
Tenente Bernardo Joaquim Pereira ; os alteres
Joaquim Fabrico de Mallos, e Joao Carlos da Paiva.
Meio batalho do Ceara.
Alferes Luiz Flix de Azevedo.
Companhia (Iza da Parahiba. .
Tcnenlo Manoel Joaquim da Costa.
Secretaria de estado dos negocios da guerra, em 19
de junho de 1855. Libanio Augusto da Cunha
Mattos.
GOVEHNO SA PROVINCIA.
Expediente do da 4 de Joltao.
Oflicio A Ihesouraria provincial.Infrme-
me Vmc. porquo dcixou desee levada a efleilo a
apprehensao de un escravo del Jos da Foneeca c
Silva, que sem o desembarazo policial necessaro,
consta ter sido encentrado nvjpn bote atracado a
om navio para seguir para o Re de Janeiro.
Dito Ao Exm. conselbeiro presidente da rela-
cao, inteirando-ode haver o promotor publico da
comarca de Flores entrado no da 21 de jur-ho ulti-
mo no gozo da bcenca que lhe foi concedida. Fo
nomeado o cidado Candido Pereira de Souza para
exercer uterinamente aquelle lugar. Fizeram-se
as outrat communicacoes. I
Dito Ao Exm. niarechalcommandanle das ar-
mas, declarando haver aulerisado ao inspector da
Ihesouraria de fazenda, mandar pagar ao lenle
Vicente de Ppula Rios de Oliveira a qoanla de que
trata o oflicio de S. Eic. n. 745, no caso de ettarcm
nos termos legaes os documentos que acornpanha-
ram ao dito oflicio.
Ditp Ao mtsmo, para mandar dar baixa ao re-
crula Manoel Chaves, visto ter aprctenUtdo istncao
legal.
Dito Ao metmo, dizendo que, em observancia
das medidas sanitarias, coovem que S. Exc. mande
aprestar a transferencia da cavalhada da companhia
fixa para as novas cocinas qne consta achare n-se em
eslado de recebe-la.
Dito Ao mesmo, reeommendaodo que mande
apresentar em frente do convento de N. S. do Car-
rea desla cidade, no da 16 do corrente Ss 9 horas da
manha,urna guarda de honra para assistir a festad
mesma Seohora, a qual dever permanecer alli al
que se finalise o Te-Deuni. .
Dito Ao inspector da Ihesouraria de fazenda,
communicandoqno falleceramos capitaes reforma-
dos Francisco de Paula Crrela de Araujo e Manoel
Soares de Souza, esle no dia 2 do correte e aquelle
em 27 de maio ultimo.
Dito Ao director das obras publicas, approvan-
do a despeza de 16S920 rs, que Smc. mandn fazer
eom os reparot de que precisava o caes da Ribeira.
Communicou-se i Ihesouraria provincial.
Dito Aojuiz municipal da 1vara, inleirando-
o de haver designado a Smo. para presidir no dia 7
da correle ao andamento das rodas da segunda par-
le da 6a lotera, a beneficio da matriz da Boa Vista.
Communicou-se ao thesourero das loteras.
Dito Ao inspector da Ihesouraria provincial,
remetiendo para o fim conveniente a relacao das det-
pezas feilas no corrente mez comoasseio,e expedien-
te da repartido das obras publicas.
Dilo Acamara municipal do Recite. Estan-
do concluir-se a parte do matadouro publico na
Cabanga,e eonvindo remover-se com a mxima bre-
vidade a mslanca do logar da Cinco Pontea para
alli, afim de podr-se melhor cuidar da limpeza da
cidade, como reclama a saude publica, eumpre que
Vmcs. mandem logo dar as providencias necessarias
que devem preceder a supradila.transferencie.
Porlaria Ao agente da companhia das barcas de
vapor, para mandar dar transporte para o Cear no
prmeiro vapor que para alli seguir a Luz Rodr-
guez Samico, caso exista lugar vago para passagei-
ro de eslado.
Dita Mandando admiltir no servico da exercilo
como voluntario por lempo de 6 annot, o paisano
Manoel Antonio da Cunha e Alboqnerque, que per-
ceber alem dos vencimentos que por lei lhe com-
petirem, o premio de 3008 rs. Fzcram-se as ne-
cessarias eommunicar;es a respeito.
Dila O presidente da provincia lendo era villa
a proposla do lenle coronel commaudaute do 1
batalho de infantaria da guarda nacional do muni-
cipio de Nazarelh, sobro a qual inlormoo o respec-
livo commandanle superior em oflicio de 28 de ju-
nho ultimo, resolve nos (ermos do artigo 48 da lei
o. 602 de 19 de setembro de 1850, Hornear para ofli-
ciaes do referido batalho os cidadaos seguintes.
Estado-maor.
Tenente quarlel-meslre Joaquim Theodorico de
Albuquerque Maranbao.
Alferes porta bandeira Jos Faustino de Barros.
1 Companhia.
Capilao Patricio Jos Ribeiro de Vascancellos
Jnior.
Alferes Henrque Luz Pereira de Lira.
i Joao Rufino de Abren.
2> Companhia.
Alferea Frankln Alves de Paiva.
o Manoel Joaquim Bandeira de Mello.
3 Companhia.
Tenente Leopoldino Saraiva da Mello.
AlterasAntonio Tavares de Araujo Jnior.
4* Companhia.
Capilao Autonio Lourcnco Tavares de Albuquer-
que.
Tenenle Candido Rodrigues Mariz.
Alferes Ignacio Cavalcanti de Albuquerque. |
5* Companhia.
Capilao Plinio Cavalcanti de Albuquerque.
Alferes Jos Feliciano de Oliveira Vasconcellot.
Manoel Cabral de Oliveira Mello.
6> Companhia.
Alferes Ilermino Nunes Bandeira de Mello.
71 Companhia.
Tsenle Jos Cabral de Oliveira Vasconcellos.
Alferes Pedro Francisco de Oliveira Mello.
n Antonio Francisco de Oliveira Mello.
8" Campanbia.
Capilao Silvano Antonio Gaio.
Tenente Salviano Baodeira de Mello.
Communicou-se ao respeclivo commandanle su-
perior.
Dila Ao presidente da provincia, conforman-
do-so com a proposta do tenenle coronel chefe do 2a
batalho de infantaria da guarda nacional do mu-
nicipio de Nazarelh, daladade 14 dejunho findo, so-
bre a qual informou o respectivo commandanle su-
perior em oflicio de 28 do mesmo mez, resolve nos
termos do artigo 48 da lei n. 602 de 19 de setembro
de 1850, nomeaf para ofliciaes do dito balalbao aos
cidadaos abaixo mencionados..
Eslado-maior.
Tenenle-qusrlel-mestre Joao Barbosa Velho de
Mello.
Alferes secrelario Luiz da Conha Bandeira de
Moraes.
Alferes perla bandeira Manoel Jos da Silva Ca-
bral.
Cirurgiio Manoel Correia de Oliveira.
1 Companhia.
Capilao Jos Francisco Bellera Jnior.
Tenenle Manoel Francisco da Molla..
Alteres Flauzino Alves de Oliveira.
o Antonio Xavier de Andrade.
2 Companhia.
Capilao Joaquim Francisco Bellem.
Tenenle Francisco de Paula de Albuquerque.
Alferes Jos Francisco Ribeiro da Costa.
Antonio Dioiz de Albuquerque Mello.
3a Cmpanhia.
Capilao Joaquim Zefirino da Silva Cabral
Teneute Thomaz da Molla Cavalcanti.
Alferes Jos Bandeira de Mello.
4 Companbia.
Capilao ManoelaCabral de Oliveira Mello.
Tenenle Custodio Jos de Souza Pinto.
Alteres Joao Fernandes Vieira do Araujo.
Francisco do Reg Barros.
a* Companhia.
Cspilao Candido Claudino de Oliveira.
Tenenle Francisco Cabral do Mello.
Alferes Manoel Xavier de Andrade.
6" Companhia.
Capilao Manoel xlo Regd Cavalcanti.
Tenenle Jos Faustino Cavalcanti.
Alferes Manoel Cabral de Mello Jnior.
7a Companhia. ^
Capilao Jote de Uollanda Cavaldaiiti l.oilo.
Tenenle Vicenle Cavalcanti de Albuquerque.
Alteres Francisco de Moraes Aqdrde Guerra.
8a Companhia.
Capilao Joaquim Cavalcanti de Albuquerqoe.
Tenente Sebastio Jos de Mendon;a.
Alteres- Jeionymo Tavares de Albuquerque Mello.
Communicou-se ao respectivo commandanle su-
perior.
Dila O presidente da provincia leudo em vsla
a proposta" do lenle coronel commandanle do 3
batalho de infantaria da guarda nacional do muni-
cipio de Nazarelh, datada em 27 .de junho ultimo,
sobre a qual informou o respeclivo commandanle
superior em oflicio de 28 do metmo mez, resolve de
conformidade com o disposto no arl. 48 da lei n. 602
de 19 de setembro de 1850, noraear para ofliciaes do
dito balalbao aos cidadaos seguintes :
Estado-maor.
Tcnciile-quartcl-mestre Chrslovao de Barros Ca-
valeanli. ,
Alferea porla bandeira Antonio Henriques de
de Albuquerque. '
m 1" Companhia.,
Capilao -Ooao da Cunha Ferreira.
Tenente Henrque Ferreira da Cunha.
Alferes Manoel Ferreira'da Cunha.
2a Companhia.
Capilao Joao Fernandes Vieira de Mello
Tenenle Rozendo- Cavalcanti da Conha
Barros.
Alteres Antonio Manoel Ribeiro.
3a Companhia.
Cspilao Chrslovao Bezerra Cavalcanti.
Tenenle Loorenco Bezerra Cavalcanti.
Alferes Manuel Gonralves da Silva.'
r> Jlo Pereira de Mello Cavalcanti.
4* Companhia.
Capilao Carlos Jos Gomes de Oliveira.
Tenenle Jos Francisco Lopes Lima Jnior.
Alferes Manoel Caetano Borges Ucboa.
i> Jos Francisco de Moura.
5> Companhia.
Capilao Manoel da Trindade Bezerra Jnior.
Tenente Antonio Bernardo Lopes Lima.
Alferes Francisco Xavier Ferreira da Conha.
i) Joao Evangelista Gomes Caldeira.
6" Companbia.
Capilao Chrslovao de Uollanda Cavalcanti de
Alboqnerque.
Tenenle Manoel Cavalcanti de Albuquerque.
Alferes Joao Mauricio Wanderley Jnior.
Joao Soares Cavalcanti de Albuquerque.
7a Companhia.
Capilao Aureliauo Cavalcanti da Rocha Wan-
derley. .
Tenente Ignacio Francisco Cavalcanti Wander-
ley.
Alferes Antonio de Uollanda Cavalcanti da Ro-
cha Wanderley.
i) Joaquim Jos da Silva.
8a Companhia.
Capilao Francisco Cadena Bandeira da Mello.
Tenente Francisco Gomes Caldeira.
Alferes Antonio Marcolino Bandeira de Mello.
d Carlos Augusto de Albuquerquo.
Communicou-se ao respectivo commandanle su-
perior.
OflicioAo Exm. director da Facoldade de Di-
reito, para informar se anda sao precisas para o
douloral daquclla F'aculdade, 89 cadeiras, qae fo-
ram encommendadas pelo lente coronel Jos Joa-
quim Rodrigues Lopes a Remigio Kneipe, e de que
Iralam os papis que remelle.
DiloAo Exm. marecha! commandanle das ar-
mas, dizendo que nao ha inconveniente em serem
autbenticados pelo capilao Manoel da Cunha Wan-
derley Llns, delegado do termo 'de Villa-Bella, os
documentos que devolve.
DiloAo mesmo, para mandar por em liberdade,
por terem sido jutgados incapazes do servico do ex-
ercilo, os recrulas Manoel dos Aojos c Manoel Rei-
naldo.
DitoAo mesmo, inteirando-ode haver expedido
as convenientes ordens, para quo se paste guia de
soccorrimento ao alteres Guilberme Marques de
Souza, e se lhe dCpassagem para o Para, no pr-
meiro vapor, que para alli seguir.Expediram-se as
ordem de que se trata.
DiloAo inspector da Ihesouraria de fazenda,
Iransmitlindo para os convenientes exames, copia
da acta do conselho administrativo datada de 15 de
junbo ultimo. r
DiloAo chefe de polica, declarando que espe-
dir as convenientes ordem, aos inspectores das the-
sourarias geraes, e proviociaes para mandarem pa-
gtreat contat, que S. S. remellen, das despezas fei-
las com o sustento dos preso pobres da cadeia do
Limoeiro, desde o 1. at 30 de juntio ultimo, e com
aluguel dat casas, que servem de quarlel aat desta-
camentos da freguezia .da Varzea, e do 2. district
do Bom Jardim.
DiloAo presidente do conselho administrativo,
recommendando que promova a compra dos medi-
camentos, fazendss e mais objeclos mencionados na
relacSo, e pedidos que remelle, visto serem neces-
sariosao arsenal de guerra.Fizeram-sc as necessa-
rias communicacOes.
DitoAo inspector da Ihesouraria provincial, pa-
ra mandar por em hasta poblica a obra dos coneer-
tos de que precisa a ponte da villa de Igua-
rassu', tervindo de base sta arreraaUcao, o orca-
raentoe clausulas que remelle por copies.Coromu-
nieou-se ue director das obras publicas, e recom-
mendou-se a cmara municipal daquella villa, que
continu a ciidar da conservacao da mesma ponte.
DiloAo mesmo, traosmiltindo por copia o con-
trato celebrado pela commissao de polica da assera-
Wa legislativa provincial, como proprielario da
lypographia do Diario de Pernambuco, para a po-
blicacao dos debates da mencionada asterobla por
lachigraphos.
PortaraAo director Jo arsenal de guerra, para
fazer concertar com brevidade as armas em mo et-
lado, que lhe forero remedidas pelos commandan-
les dos corpos da guarda nacional do municipio do
Recife.Communiceu-se ao respectivo commandan-
le superior.
DitaA o mesmo, recommendando que forne'ca
com urgencia ao commandanle do corpo de polica
as armas que forem precitas p|ra at pratas do refe-
rido corpo.-^Cqmmuniceu-se so soprudito com
mandante.
DitaAo asente da companbia das barcat de va-
por, para mandar transportar para o Rio, de Janeiro
no primeiro vapor, que seguir para o sul, o tenle
Alexandrc Jos da Rocba, caso exisla lugar vago
para passageiro de eslado.
DitaO presidenle;dapaoinca, lando em vista
o aviso da rrparlicao da marinha de 6 de 'fevereiro
ultimo, pelo qual so concedeu lcenca a Jos Fer-
reira da Casta Novaes, para ortar as taitas per-
lencentesa Joao Duarla Feeraira, situadasasa Una,
ou Agua l'rela. o 600 pcaoetioe de amarello, sobre
que versa oulro aviso da mesma repartirlo, datado
de3dedezembrode1853, Tecommenila as autori-
dades lcaos, qUe n3o ponbam impedimento algum
ao corle c co,nducr,ao dess madeira, tendo porm
todo o cuidado para que nilose commell-ioi abusos
por motivo de semelhante coneess^p.^omutuai-
cou-seao capilao do porto.
Reg
<;
COHHANDO DAS ABUSAS,
Qaartel-ceoeral do coznsaoado daa aras** de
fcra.nkaca cltUde do Recife, eat 7 e
Jalao de 1855.
ORDEM DO DIA N. 77.
O mrechsl de campo commandanle das srmas
taz cerlo, para que tenhi o devido efleilo. que a pre-
sidencia deferindo a suppltca que lhe enderecou o
Sr. alteres do otavo batalho de infantera Jos
Francisco de Moraes Vasconcellos para permanecer
nesta provincia aguardando a deeisao do governo so-
bre a paesagem que espera para o nono batalho da
mesma arma, tazando no aniaoto o servico que lhe
competir nesse batatero, assim o determinou por of-
ficio datado de houtem; cooseguintemenle o Sr.
major commandanle interino do sobredlo balalbao
nono o considerar addido, a contar do dia 10 de cr-
ranle, vislo eomo tsle Sr. official est no jozo de
um mez de llcenca que terminar po dia 9.
O mesmo marechel de campo declara, qoe boj*
embarcan) para a provincia da Parahiba, o Sr. alfe-
res Jos de Avila Bilancourt Neivs do'decimo bala-
Ihao de infantera, que va servir por ordem do go-
verno no respectivo meio batalho provisorio, e para
o Para o Sr. alferes Goilherme Marques de Souza a
reunir-se ao balalbao 11 a que pertence.
Jos Joaquim Coelho.
Conforme. Candido Leal Ferreira, ajudanle de
ordens encarregaddo delalhe.
ADDICIONAL A DE N. 77.
O marechal de campo commaudaute das armas
faz publico parascencia da goarnijJo desla provin-
cia, o oflicio que aboixo se transreVe", reeebdofda
presidencia na data do lionlem.
m OFtICIO.
l. seceo. lllm. e Exm. Sr. Constando-me
de aviso circular da repartido da guerra de 15 de
junbo ultimo, que S. M. o Imperador por decreto
de 14 do mesmo mez, hotrve por bem conceder ao
conselbeiro Pedro de Alcntara Beltegarde a demis-
so que pedio do cargo de ministro e secretario de
estado dos negocios da guerra, nomeando para subs-
litui-lo ao Exm. Sr. Mrquez de Caxias; assim o
communico a V. Exc. para sen conhecimento. Pa-
lacio do governo de Pernambuco 6 de julho de 18>5.
lllm. e Exm. Sr. marechal commandanle das ar-
mas. Jos Rento da Cunha e Figueiredo.
Jos Joaquim Coelgo.
Conforme. Candido Leal Ferreira, sjodante de
ordens encarregado do detalbc.
IItERIOR.
MINAS GERAES.
Ouro Preto 20 dejunho.
Temos as mais satisfalorlas noticias da explora-
do e Irabalhos para a navegado do rio das VelhaS;
orna carta escripia daquellaspacageas qoe me foi
confiada, e as participacOes que consta tere sido
feilas presideucia, me animam a dizer-lhe, qne a
navegabilidade do rio das Velhas nao he mais uro
problema, e que era om futuro nao mu remoto a
cidade de Sabara ser om porto.
O engenheiro de la Martinicre, que Vmc. bem sa-
be, he o director tos Irabalhos, depois de ettudsr
eom toda a silencio o rio entre Trahiras e o Maqui-
nesinho, lentou estabelecer Ires servicos, o primeiro
no Maquine grande, o segundo na Onra graude, e o
lerceiro no lugar denominado Fondao.
Foi obrigado porem a renunciar por ora aos dous
Irabalhos pois que, alenla a altura aclnal das
aguas, seria misler o emprego de preparativos lon-
gos e dispendiosos, de grandes esforcos emfim.que
se dispentam logo que baixom as aguas, com a espe-
ra de mais um mez.
Estahelcceu-se o servido do Fondao/onde os ro-
chedos a destruir se plevam a superficie actual do
-ri0i -' .i-j
O Sr. de la Martinicre para pr-se ao abrigo das
variacOes da altura das aguas, comecou pela cons-
Irucco de um cerco de 16o palmos de exlensao; de
forma curvelinea, para mais enrgicamente poder
resistir ao impulso da torrente, lendo 8 palmos de
altura, 8 de espessora na base, A 4 no cino.
Foi conslrudo sobre lages e seguro por cavalleles
inclinados que servem de segurar a fachina ; com
Ierra brrenla bem calcada lapou-se completamente
o cerco, oque produzio uo interior urna diflcren;s
de nivel, e qualro palmos e meio. Com a proleccao
deste cerco, o Sr. de la Marliniere pode fazer im-
meuso servico; i forja de broca e plvora arran-
caram-se pedacns de rochedos de 14 palmos de
comprimenlo, 8 de largura e 3 de espessora ; e para
maior (elicidade nSo foi preciso tirar para fura do
leilo do rio astas podra, ellas foriro laucadas em
um fundo exislenteeto mesmo rio, que as engodo,
fundo este qee d ao logar a denominarlo de Fun-
dao. '
A allur verdea! dos rochedos quebrados he de
palmos sobre urna exlensao de 165 palmos e urna
largura meda de 12. Trabaitu-se agora em estabe-
lecer segundo cerda al o maio do rio, para o que
se desmanchou o primeiro que de tanta vtnlagem
foi. lie a segunda paralela qae abre contra for-
te Fundao ja em parle destruido, te be que ae po-
dem chamar nosto Sebastopol esses rechedos que se
oppoem navegado do toberbo confluente de S.
Francisco. As pettoas qae nunca pretencisram Ira- '
balboa de miuerac4o n3u poden fazer idea do que
he um cerco ; qoaodo o rio he caudaloso o nao he
possivel distrahi-lo de seu leilo natural, os mineiros
usam dos cercos e chiqueiros pra exlrahiremouroou
diamantes, reduzindu o rio a secco, como dizem el-
les. por parles,
Esse eercu he urna verdadeira tracbeira eaalra a
torrelo do rio, e sao moitos os syilmti de CfiBs-
Iruccao oeste genero. Sea deelivioade do. rio he
rpida, a trincheira cotneeaem uro psito da margem
forma ngulo com essa margom, e depois continua
aralle ament at o ponto couvenienle. Se o ro
ie morlo, outiio ne indupensavel que o cerco qoe
cometa em om ponto da margena desereva orna cur-
va, e v acabar em ohlro pooto da niesroe margem,
formando urna especie de lago cota as aguas seques-
Iradas ao ro : heiato oque se chama cbiqueiro. No
cerco s.mplet a parle eompreheadida que se qoer
minerar por si te seeca, pois qoe as aguas se re-
tirara pela declividade ; no c*rco|fechodo he preciso
deseccar o lago por meio de bembas e antros instru-
mentos.
Um cerco, diste ao, he ama trincheira. e na ver-
dade lodo cerco he vigiada noite e dia por leuloe-
las, e tu algoma oliuva acontece cahir oes eachoai-
rae do rio, a vigilancia te cedobra ; 'o exercilo de
mineiros est em armas f fachina trra solt, ea-
xadat, iouces, cavadeirat, esto prometas i correr
ao lugar atacado.
O rio enraivecido com os obstculos oppottot i
son intteha, com os reforsjbt recebidos da chnva, so
procura abrirbrecha. Se em alga o Boato a trincheira,
cedendo ao impTelo e humidade das, aguas deixa en-
trar o inimigo, as mais'dat vezes sao baldados os ca-
lreos dos defensores do cerco ; orna vez aberta a
brecha, a torrente faz progressot borriveis ; o rio
eteumoso e cooruido medooho leva diante si paos,
fachina, ludo qoe te oppoe A toa marcha ; e dentro
em pouces minutos corre triumphaole em toda
a largura de seus dominios. Do cerco nem vesti-
gios e os mineirot ta pouca ll3o aclivoe contem-
plan] inertes d margem o lugar era qne tantas
esperanzas forara levadas pelas aguas, e as vezes
cboram a morle de algum companheiro arrebatada
de emvolla com as ruinas do cerco.
Deixando o episodio volte ao. oosso rio. Ocerco
feilo para deslruiro dos rochedea do Fondao nSo o
foi com o finido seccar o rio naquella parle, roas
para fazer descer ts agoas, como deleito deaeeram
pcrmillindo obter-se o resultado referido.
A' vista deste resudado, be de esperar-se maoret
nos meaes de agosto e setembro, lempo em qoe a
maior baxa das agitas oflerece maior facilidade.
Os Ires nonios de que falles no principio formavam
a base da objeccjlo apreseolada pelos pesaimistas
que coocloiam a impossbilidade da navegado. A
destruirlo dessat rochas nao he mais urna biela de
7 cabef.it. Destruidos esses obstculos, e estrellado
o caiul por meio de margeos ailificiaes de fechina
em alsous lagares, mareeus que se consolidara por
meio da planlacjo de vegettes proprios que sa aete-
guram com suas raizes, o rio terna-se perfeitaaea-
te navctavel.
O Sr. Yasconeellos tnmou a peilo esta esperanzo-
sa navegacSo, e 9 Sr. de la Marliniere afianza o bom
xito da empreza.
(Carta tarticular.) t
SAN PAULO.
|T San Paolo23 de junho.
Deve-so prudencia dejat do theatro desla ci-
dade nao ter perecido mais de om acadmico na ul-
tima reuniio Iheatral. O jaso poda ser srave.
Foi urna reproducQodas'sceos havirta no mes-
mo sitio, no lempo do presidente Joaqun Jos Loiz
de Souza. Mat desta vez, a causa da desordena veio
da platea.
Refiro-lbe os tactos, sob miaba f de correspon-
dente : quero que all na corte se reflieta sobre elles
com imparcialidade: podem ter moitaconsequeiicia.
Nem seu sutpeito; j da outra vez, qaaado hoove
scenas escandalosas entre aldanles e cadetes, pro-
nunciei-me contra estes. 'Agora, fazeode-lhe urna
serla exposiflo do occorrido, deixo a discricSo de
seas leitores um juizo sobre a materia.
Fazia o Sr. J. Augusto o seu beneficio; a casa es-
lava choia. J no coraeco do espectculo a platea
mostrcui-se mais activa. Todava, o joiz do thealro
toleroO pequeas infraeces do regulamento, devidas
as pessiroas accommodacOes do edificio.
Termihou o drama, e o inlervatlo precedeote
far?a deu occasiao aos fados qae Re voa referir:
Comecou ama grande rasioria de estadnotes e nao
cslodaate* a cantor a ladainha, cojo coro era com-
pacto, unisono. Faca idea .do grotesco deate episo-
dio, e do escndalo de faci.-Foi um gracejo menas
religioso,'um insudo aot nostos costumes, om rid-
culo lancado aot Brasileiroa. Por alguna momentos
perdurou esla scens ; a msica era religiosa.a pala-
vra impdica. Ouvio^se vacbalos indecentes e o
coro unnime responda ora pro nobis.
Nunca vimos aceas desta ordem em lamanha pu-
hlicida*;. Devo dizer qoe ot perturbadores <}/rco
ii.lo erara tmente enlodantes, e anda qoe um gran-
de numero dettes nao teve parte no tacto. Honra
se fas, j por vezes leoho dilo,ha tuna grande maio -
ra de estudttites que honra a ciaste a a seos neis.
Em vista desta scena que e nao sel qualilicar, o
juiz do thealro, o Sr. major Marlins d%Aloieida,
rio-se forjado a providenciar. Essascena criminosa,
sacrilega e tumultuaria deva terminar. Descea
suloridade de seu camarote, msadsu que seis solda-
dos penetrassem na platea para conler a gente, em-
quanto uma ordem de prsao se inlimava a um ac- !
demico, que nm viga da platea denunciava eomo o
iniciador da tal brineadeira.
Aqoi rebeotou a bomba. O mojo poz duvida em
render-su ordem, a forca quer faze-la eflecliva,
ao passo qne os espectadores te levantaram naa ban-
cadas. Cumecaram enura at altercasoes, e um con-
flicto te originou, durante o qual se veeiferava con-
tra a legaldade da prsao.
Abandona-se a platea, e a acea coniinuoo no ta-
guao do thealro, alopetado de espectadores. Falla-
va m todos, nnguem te entenda. Depois de varia-
dos lances, qae nao sei referir, a moca resolveu-se
a obedeccr, e foi conduzido. ao quartel do corpo fixo.
Tinha-se aventado a idea de que oBreso era moco
fidalgo, e nao poda ser retido na cadeia publica. O
subdelegado accedeu, comquaoto o foro fosee des-
conbecido.
Sobe de ponto a desordena; crea de cem esludaa-
les pouco mais qu menos grilam que qaerem acom-
panhar seo collega, pois que caafeasavam, liohtm
incorrido a mesma culpa. Era a mesma scena do
presidente de Que ja faliei: o subdelegado nao eon-
sentio. S ordenou a prsao de om.
La segu para o quartel um aeompanhamenlo de
quati duzeatot individuos, anlre elles esfudanles in--
diflerenlet ao caso e curiosos.
Mas atravessavam as orases em atlas exelaraecoes.
Erara s^uasi duas horas da noite ; esse metmo grupo
tendo acompaohado o estudante at o quartel, des-
ce pela ra dette nomo em cmprelo alarm; aoovaoi
se voeiferases contra a tubdelegacia. Fasa idea do
susto das familias acordando 1 esta hora com seme-
Ihanle alarido. Ouvia-se no Irajecto insultos, va-
ha a verdada, dirigidos ao juiz do thealro.
O grupo encaroinhou-se para a casa do chefe de
polica, segando me dizem, para a do vice-presi-
dente. Mas eslae autaridades nao lnham o preso
soa ordens. ,
Mis tarde, ys quatro horas da madrugada, o Sr.
majur .Almeida resolveu mandar pastar ordem de
soltura, altela a nstoreza do-fsclo. Toi entao que,
segundo me dizem, se ouviram vivas e morras.
Tenho ouvido ceotorar a autoridade por nao ex-
ercer rigor nesta serie de fados; mas eateude-so
que o rigor da legislajao criminal nao se pode tp-
plicar a esla tiluaso. Fof um episodio de enthusias-
rao escolstico. Se quizessemos usar dat regirs nor-
raaes, qne funestos aeonlecimeatos nao teriamos a
deplorar Sim, porque se fezoppotisSo i forca pu-
blica.
Felizmente naa houve offensa physica em todo o
epjjsudio, e na hora em que Ibe escrevo j se nao fal-
la afssa brineadeira, repruvada pelas capacidades es-
colaslcat.
Mal vo os nossos negocios de Iheatro; as cousas
nao podem continuar assim. Se por eximia pruden-
cia do subdelegado nao correo seogue, devenios em-
pregar cautela para que uo se repitatnUo deplora-
veis scenas. A' uma vez se pede aos thefes de fa-
milia do Rio de Janeiro e de oolros pontos, que lem
seus lilhos na academia da Sao Paulo que interce-
dan! pelo aoeso mutuo interetse. A autoridade que-
brou em seos rigores ; mas querer ella tempre tub-
meder-se aos enthntiasmot da juventude'.'
' Eu vejo as cousas ronilo mal paradas ; estes con-
flictos nada lem de segursnea; reeeio trullo qoe a
sorte de grande numero de flores academices soflra
pela irrellexao de alguns. >
Estamos em uma trra de paz, os acadmicos tem
aqui muta devolacao (diga-o o Sr. visconde,de Bae-

M
1
;l
n^^f^vi^^^BnBBqBpBteatBBBBBi^H
l
iitii inn



DIARIO DE PERMMBUCO SEGUNDA FEIR 9 DE JULHO D 1855
i

f
r
pendy, que teve oeeasiao de iijnizar das comas de
San l'auto-' Para que matura concordia, arrollar a
autoridade por nm inomcnlodu enthasiasmo.
Felizmente, repito, a maiora acadmica tero em
San Paulo um nome que lhe faz lionra.
Temos fe que os enno* supriores conjuren!, eoi
nome da honra, e fama aradepica, aos seus compa-
?heiros, para que neta soffra o prestidlo da lulori-
dade, nem ai familias de tan os alumnoi rectbam
oras desastrosas de um momc.ilo para outro.
aSPosso asseverar-lhe que, se ah se referir qualquer
cousa que nao leja o que Vane. J leu. ha falto. Pro-
cnrei referir o Cacto sem pahBo ; desei mesmo as
minuciosidades para que nada ie ignore ahi.
O Sr. Fernaudo da Fooi:ca cnutinna a deson-
voWer actividade na repreuio do ilraveeaadore da
generes de primeira precisa o. l'lliraamsnle lem
subido extraordinariamente, dizendo-me os enten-
didos que a alia aera famosa no correle anno.
E, pois, os monopolistas comecara a fazer o sen
farnel para os provectos futuros. Como as guardas
3o postadas nal abas da cirfrde, os compradores
avaneam muilo longe e fazem entrar o contrabando,
favorecido pelas Ireyai da nolte.
Nao lem aproveilado teiapre a idea, lia (res das
apprehandeu-se um grande caiTi carragado de fei-
jilo, cuja caresta comees. Espci a-se que a continuar
a actividade policial, a pobre* < nSo softVer tanlo.
Tenho ouvido applaudir-ea muilo a entrada
d S. marquez de Calas para n pasta da guerra.
S. Exc. he roiihecedur de maitns provincias do
imperio, onde lem fundado seu mrito ; pode por si
niesmo avahar as necestidades do exerciloderrama-
do pelo paiz.
Urna grande parle delta pnvncia, que he dedi-
cada ao Sr. marquez, cojas quididades conheceu em
poca infelizmente calamitosa, d sinceros embras
a S. Exc. Ai medidas leodeut'S a fazer recolher os
ollici.ies a seus cornos, emboa amarguem, revelam
qua o ministerio di guerra esta disposlo a aniquilar
oa abusos do exercilo.
O eogaoheiro ingle foi encarregado pela vice-
presideneia, de levantar urna planta da colina do
Ypiranga, e a do terreno por onde atravessa a es-
trada da capital aquello ponto.
Tem-se fallado em premdilacAo da parte de
alguus estudiles, em ordem desfeilear o subdele-
gado, que interrumpen a reo alisador ladainha.
Crelo que essa inlancSo 11A0 u realisar, sobreser
ama idea frtil em perigosos resollados, eslou certo
que a parte mais Ilustrada da I iculllade se oppori.
24dejanekc.
Faeo aala apendiculo para uio arredar da pontua-
lidade que Vine, me tem poi moilo recommeu-
dada.
Fci hanlem festejado o San JoSo como sempre
uesta trra em que, segundo ouvi dizer, ha cmara
uuicipal.
O espectculo que oflerece esla capital nesta noite
nao abona a civilisacao de que nos gnbamos : basta
dizerdlie que quem nflo quer nurrer queiroado tica
em casa. A cada canto sedivisii urna lucia de caro-
los, que munidos de busca-pes diverte-se em ver
qoeimar a humauidade, sendo que isto vista dos
progresaos da naco, he considerado negocio maito
licito. Se nao he um desaes fogurtes, he urna bomba
expedida a cada momento dos rmateos, cujos donos
para variar o drvertimento armam um furioso baca-
marte, cuja explosAo mais de una vez tem sido fu-
nesta.
A cmara permille algnroas deslas brlocadeiras na
noile da San JoAo; abre ulna excepeo nesse da,
ponas martes quo euto so fitina) correm por con-
ta detle santo, que deve pagar as cusas de seos fes-
tejo*.
Ora, ser civilsador que no coraeo da capital se
permita esla espectculo barbaresco? As catailro-
plies annuaes, nestas oites nao lem forca para esli-
mo lar a mnnicipalidade a erigir ama postura, que
nao seja de trolas verdes, casas de roldas, 6 onlras
velteidades que ah eslo apparecendo T
Ouca o que houve honiem.
Na ruado Rosario uro velho e,ivertia-ie coro amas
contas que os fogueteiros chama; velas. Em fren-
te casa desta brincador se achava um filho do Sr.
Goularte l'eateado, recostado ao peitoril da janella
de um sobrado. Urna vela foi leri lo na garganta, e
o menino calrio. Nao se linha dado f desle"aconte-
cimeoto; mas daiii a om momenla a familia do in-
feliz moco o procurava para pidir-lhe om objecto.
Dirige- a sala. divla um vullc estendido no pavi-
mento. Era o lilho do Sr. Goutarte que eslava mor-
lo; o foRoelo cortoo-lha a garganta ; roalara-o ao
mesmo instante... A infeliz vctima sepulta-se ho-
ja en San francisco. Sobre.quim recaba esla des-
Creioque paraoaano haver i postura prohibndo
c fogo sollo dentro das moros : ja morrea alguem.
Esta he a regra aqui. Faz-se calcada porque ja bou-
\eram pomas destronaadas ; cui'la-se em agua, por
que ja estarnos todos de papo. Agora lie justo que se
prohiba o fogo sollo, porque j marren aigaem. Te-
nho vergonha de contar estas coi as de minha Ierra.
{dem.)
{Jornal do Corvnercio do Kio.'
dos que cerram de cima, he urna molestia contagio-
sa para as nullidades, de cujoexomplo iou victima
innocente, porque o lempo c os homens o querem
que assini seja.
PEIMMBICO.
COBHESPONDEKGIA DO DIARIO DG
PKRMAMBTJCO,
BAHA.
San Salvador 5 de julho.
Foi pouco acradavcl para nos a infausta noticia do
citolera no Vara,porque o raorre: de peste e fume he
negocio que Diitguem fot por sai vontade, e estando
lio parto o tal asitico, os medrosos, como u, de-
vem andar cora as suas coosas em dia, para nao de-
morar u partida qoem liver da siauir vragem.
O vapor Son-Saleadur, portador da triste nova,
foi impedido na sus entrada, edepois da qaarenlena
do cosiume, me vio as roaos o seu inleressaute
Diario, que nao dasmenle s faci da visita do mal-
dito cholera. Prazo a Daos, que por la se acabe o
que for, para que nao tenhamos de lamentar lanas
victimas, acrifi radas ao furor de semellwole peste.
Poucos das vio, que lhe ecre", e como o vapor
Pedro II segu hoje para Lisboa, c segundo a escala
deve ah locar, quiz lambem por elle roeller em ex-
ercicio a minha peona, oara dizer-lhe o que vai por
aqui, vislo estar alodao povo en: regu aos dverti-
montos de Uousde Julho.
No dij 4 noile foram os carros para os palacetes
da Piedade e di Saude, acompanliados de immenso
povo e parle do exercilo patritico da noite do dia
i-, nao com aqoelle urilhanthmn, mas coro o mes-
mo enthasiasmo de vivas, fogoehs, versos, etc., ele.
He louv-vel a ordem quo lem presidido a todas
essas demonstraron palriolicis ; comqnauto um ou
outro individuo, para lingularisar-se, exagere o seu
enthasiasmo poni de djr gritos de morra, alran-
do pedras am alguma casa que ss descuidou da dei-
lar illuiuinacau as janellas, etc. A idea dominante
das croas e thorrat he o mmmer-in nacional, idea
qua, lomada como alguem a enlende e qoer, nao
pansa de urna illuso, porque os niesmos que a pro-
palam, dasscredilam-na como succedeu com a da
constttuinte, que muguem hoje riis della se lem-
bra...
Dorniosso 6nalisam-ie aa festejes do grande dia
dos Bahiamw, a se o povo conti or a seguir a ve-
reda da ordem, uada hacera qui nolar-sa, por, ser
urna ncessidade o enireter-se a gente uesses fot-
guedos, que fazem esquecer a paste e oulroa prejni-
zos qua lo pouco ialeressam vida.
Os directores dos festejos do Unas de Julho do an-
no vindnuro, sao ossenliores:
Burao de Jaguaripe.
Dr. JoSo Mauricio Wanderloy.
Desembargador JoSo Feneira S"olo.
Hr. I.urt Antonio Peroira Frauo.
Ur. Joao Jos Barbosa de Oiiveira.
Dr. Ascanio Ferraz da Molla Pedreira.
Dr. Anlonio januario de Faria.
Dr. Jos Joaqnim Landulfo.
Francisco Vicente Vianna Bandeira.
ManoeUos de Figueiredo l.eile.
Eipidio da Silva'Baraona.
Major Mauoel de Ljraa Rocha Pilla.
Ur. Jeaquim Carneiro de Campos,
Antonio Pedro Ferieira.
Joao Emygdio Pacheco.
ErnestoPereiraCoelboda Cunlii.
No dia 2 do crrante leve lagar na sua Irespecliva
igreja, a fosla da Visilacan de Nnssa Senhora, com
aquello brilhanlismo proprio de ama irmaadade lao
opulenta e nohre como he a da Misericordia desta
cdade. No da 3, depois da mian cantada, proce-
deu-se a eleicilo, e foram eleilos Provedor, o Sr.
conamendador Francisco Jos Gudioho; escrivao, o
ir. Ur. Evaristo Ladislao e Silva ; bnsultores, os
enlieres, toneiite-coronel lioncalo d'Amarantc Cos-
U,xJoLo>spereira' de Caryalliu, Joaquim Perei-
reira Pestaa, Antoninde Oiiveira Alvc e Ur. Fi-
lippe do Silva Baraiu. O commendador Uodiuho
pedio escosa do cargo, allegando j ler eeavido 8
unnos, e correntio segunda vei o eMcrulinio, foi una-
nimemenlo eleilo.ano qua muitc se regosijaram as
recolhidn, porque considerara o digno provedor co-
mo seu pai e proleclor.
Finda a elei^ao foi servida urna grande meia, on-
de nada fallou para ennobrecer c aclo.
A polaca sard. Italia, quo estiva impedida pelo
contrabando do pao-brasil, que litera dla polaca
no auno ikissatte, seguio para a.(>isla d'Africa, de-
pois de ter prestado o seu consignatario urna Banca
idnea pelo valor da multa, ni raxSo deTft} por
tonelada de sua lotacSe, at que as antoridades ad-
ministrativas e o poder judiciaric possam colher os
sclarecimento de qoe Ir.tam o urts. 11, 4, 5 e 6 do
regulamcnto n. 303 de20dejanho de 1844, ejul-
gar sobro a denuncia dada a respailo do dito con-
trabando.
i) 0Awcrivae' *'* Pcrelra Pinto e Olavo Jos
Rodrigues Pimeula foram nomeados inlerinamente
para ojuio commerciali'lo tribual do commercio
desta capiiil ; se obliverem a (Ttclividadc, nao ilei-
\arao de llcar satisfeilos.
O brigadeiro Fonscca Cosa, muilo digno eom-
mandanle das armas desta provincia, pedio daoJaaSo
e vera ibstitoi-lo brigadeiro Uj| Pachecoa|)ei-
xa S, Exc. na Baha amigos affeiriados, que nao p.i-
dem dcixar da sentir a u brevu partida, depois de
ter mostrado no curio .periodo do na commando-
telicadaaneiras,capacidadei honradez com que
oesempen*rou tao honrosa comuissAo.
Escievendo hoje pelo vapor portugus, moslro-llia
qoe lenho dawejos de ser pontual na remeta de mi-
nhas misSitas, e como ninguem pode dar mais do
que possue, contcnie-se Vmc. cam o qoe alinhave
a praasa. delirando margem os nfeites loaicos e
grammalicaes, porque alm da pessima lettra, je-
juo HiteiraroenU aa regras ou preceilosda boa es-
cripli,naue acompanha-mamiita gente, fiada no
dizer o vulgo que o errar he dos roestres. Uesla for-
ma ion lielao raeu prograrama, no qual dase que,
quando nada hoovesse para dizei, faria carneas pr-
ndenles de provincia, pois o desejo da^andu a par
RECITE 7 DE JULHO DE 1855.
AS 6 HORAS OA TARUE.
RETKOSPECTO SEMANAL.
No domingo primeiro do correnta leve lugar na
sala grande da Faculdada de Uirello desta cidade a
inst.ilasSn de urna sociedade Iliteraria composta
pelos estad a ntes da mesma Faruldade e denominada
Alheen Pernamboeano. O Sr. Ur. Joaqnim Vilei-
la da Castro lavares,.lente da Faculdada. cscolhido
presidente honorario da mesma sociedade abri a
sessAo da installacjlo, e por esla occasiAo pronuncioa
am eloquente discurso aproprlida ao motivo que
reuna a sociedade. e no qual com a elevada inlel-
igencia que todos lhe conhecem, eque elle lem sa-
lido cultivar e enriquecer, demonstrou cabalmente
necessidide que ha para o homein desenvolver
suas Taculdades inlellectuaes como o mais seguro
incio de preenclier o fim a que foi destinado. Al-
gn oulros discursos foram pronunciados-nessa oc-
casio por algons dos respectivos socios.
Uiversas pessoas gradas e pertencenles pela maior
parle ao numero dos que cultivara as loltras com-
parecern! na Faculdade de Uireitu para assislir a
13o louvavel renniao, qne por certo esleve esplendi-
da, e na melhor ordem. Fazemos votos para qoe o
Alheen Iliterario preencha os Tos aquesepro-
poem os seus membros, e para que nao tenham a
mesma sorlc qoo bao tido onlras mnitas assocac,6es
que no mesmo sentido se tem formado, e para as
quaei, segundo nos consta, a vida lem sido breve.
No mismo dia 1. chegou, proveniente dos portot
da Europa, o vapor ./ron. que nos trouxe noticias
daquella parle do mundo. A queslao do dia Se-
bastopol conlina ainda indecisa, e pur mais que
se tenham redobrado os esforcis dos contendores,
por melhor asseslada que lenha sido a artilharia
inimiga, Sebastopol resiste... nova lrac,a de ataques
tem sido pralicada, e sem duvida contra todas as
previsoes Ssbastopol ainda respira, se bem que com
difficuldade ero consequencia da umita fumaca. de
plvora que por la deve haver. Se, porm. os re-
cursos tem sido felizes na defeza de Sebastopol, o
mesmo nao lhe aconleceu no mar de Azoff, onde
os alliados tomaram-lhes as baleras construidas as
cosas de Kerlcli e Jenicale, e das quaes foram obri-
gados a retirar-se cedendo o Russos ao alaqueque
nesta posicAo Ibes foi dirigido pelos alliados. A
noticia desle aconlecimenlo nao podiam por certo
agradar em S. Pctersborgn ; mas na verdade nflo
foi elle de tal alcance que uzease inclinar a balanca
da victoria para o lado a quem fot propicio.
Na Hespanlia a revoluto posta em campo pelo
partiJo Carlista nao linha sido completamente suf
focada, e nen, por tanto restabelecida plenamente a
paz, por mais enrgicas qus tenham sido as medi-
das lomadas pelo governo; he porm de esperar que
com estas e com a amnyslia promellida pela rainha
aos revoltosos, que se apresentassem em nm certo
prazo, a ordem reappireceri.
Todo o ais que da Europa sabemos he de
menor importancia, e nao pode por isso entrar
no circunscripto quadro qne nos lemos compromet-
lido a trabar. Os nossos leitores, porm, que frem
mais curiosos, terio em outro numero achado mate-
ria bastante para salisfaxer-se.
Segunda-feira 2, no pateo do Carmo, foi pizada
um i escrava do Sr. Anlonio Jos da Cunha, por om
carro, cajo bolieiro lendoo abandonado,den lugar a
qne os cavallos deilando a correr enconlrassemnes-
ta occasian a mesma escrava, que se nio pudendo
desviar promptameote, por vir curregada enm um
baldo d'agua, soffreu o damno indicado. Ainda por
este modo offendem ao publico os laes bolieiros, por
que desamparando o carros deixam qne os cavallos
entregues a si desembestem muilas vezes, e occasio-
nein aconlecimentos semclhanles ao que hoje refe-
rimos. O remedio para este mal he reclamado mes-
mo pelo inleresse dos dorsos de carros.porque sabem
-do que em laes occasiocs podem estes arrebenlar-se,
deveriam ser severos despadindo de sen servico os
bolieiros que assim obrassem.
O brigue nacional Elvira, chegado do Rio dJa- 9
neiro no dia S do correle, a o vapor Itnperador no
dia C, trouxeram-oos noticias do Sol do imperio, en-
tre as quaes avalla a da modiflcacAo soffrida no pes-
soal do ministerio, e occasioiada pela retirada dos
Sn. Visconde de Abaelc BeHegarde; sendo este
substituido pelo Sr. Mrquez de Casias, e aquelle
pelo Sr. conselheiro Paranhos, o qual deixando a
nata da marinha em que se achava, foi nella substi-
tuido polo Sr.deputado Joao Mauricio Wenderley.
Esta modificacjlo, porm, foi meramente nominal,
porque a poltica conlina sem a menor alleracalo, e
so bem gue ainda e-teja em campo a pequea op-
posijao que se lem levantado contra o ministerio,
todava esle considere,- seguro e bem fundadas n-
zfie tem para assim pensar.
Fallecen na corle o senador pela Parahiba Manocl
de Carvalho Paes de Andrade; mais urnacadeira pois
seacha vaga no senado; avista do qaerorrrrao em bre-
ve nquella provincia as rodas da grande lotera elei-
toral, e lio de presumir qne, eguindo o governo como
lem seguido, a honrosa marcha de nao impr candida-
tos, sem duvida oblera o grande premio algum dos
dislinctos Parahibanos, que nao cm peqneno numero
hooram a provincia em que naaceram.
Disculia-se na cmara o projecto da reforma hy-
polhecaria, le de que cerlamente tanta necessi lade
lem o paiz.
O jory desla cidade lem Irabalhado, c aguardamo-
aos paladar conta deseos trabalhos depois que for
encerrada a sessilo, que nos nao consts j o tenha
sido.
Do numero das pessoas fallecidas esta semana,
confrontado com o das semanas passadas, verao na
nossos leitores qne tem volta lo a son estado ordina-
rio, termo medio, 33 a 40 pessoas, a morlalidade se-
manal delta cidade, desapparecendo assim a alia
qoe infelizmente se observou em alguns das mexes
passados -~q que sem duvida bstanle deve agradar a
nossos leitores, porque quantj menor for |o numero
dos morios, mais ser a probabflidade da vida. Ad-
miramos qne sem ama causa assignavel se nolem en-
tre nos ssas variarles 13o consideraveis na morlali-
dade, e por maior que nos apunten) como causal disto
a falta do assein pela agglomeracao de immundcies
na ra, augmento da populadlo eut., comtudo
somos inclinados a desconhecer cono exclusivamente
verdadeiras laes causas ; porque conheeemos qnein-
conleslavelmeote muilas melhoras lemos obtido
certos respeitos, e nao obstante, o mal continua,
entendemos que valia a pena que pessoas habilitadas
estudassom o negocio, e dessem sobre elle o sen pa-
recer, afim de que removendo-se a causa do mal,
esle livesse de desapparecer.
Falleceram esla lemsna 33 pessoas: sendo livres,
II homens, 4 muflieres e 13 prvulos ;escravos, 1
homem, 3 mulherei'e 1 parvui.
Rendeu a alfandega 81:497JJ096 rs.
com effuilo cvislem na continuacfio da ra da Praia
de Santa-Rila, os terrenos de marinha destinados
edificarles particulares, cojos ttulos de aforamento
pedem ao governo da provincia, Jos Jacume.Tasso
Jnior, e Antonio Vielra de Souza, podendo Ihes
ser concedidos, com a ron linio He cederem ai por-
ftei precias para as ras e iravessas.A' commls-
iao de e lifica^Oes.
Ontro do raesmo, informando ter de opiniao que
le eonslrua am peqneno caei de pedral teecas, qua
poderi imporUr em 120000, na exlremidade do
ul da ra da Praia dt Santa-Rila, em inbslitalcao
da estacada qne se refere a representarlo do l-
ente coronel Franca,dirigida an fiscal respectivo.
A' meima commssao.
Outoro do mesmo,informando n,1o descobr ir incoo -
veintes na obra do telhero, qae pretende faier
Maria Joaquina da ConceicAo, dos fundos da casa em
que mora, na< Cinco-Ponas do patrimonio munici-
pal.O mesmo deslino.
Oulro do mesmo, devolvendo os papis concer-
nentes prelencao de Joao Baptisla Fragozo, infor-
mando qae os palmos do terreno de marlnhas, na
na do Brum.cujo aforamenlo elle requer, enlraro no
concedido a esta cmara para ama praca publica alli
projeclada : fazia mais ajgumas reflexOes acerca des-
se objecto.Igual deslino.
Oulro do mesmo, participando haver-se entendido
com o Ur. Mauoel Francisco de Paula Cavalcanll de
Albuqaerque, acerca da nova direccjlo que se pre-
tende dar a estrada denominada Corredor-da-Varzea
ou a suhsliluirao por oatra ; c que sendo misler
habilitar-se por raeio de estudos graphicos para po-
der orgaoisar a planta e ornamento respectivo, peda
cmara aulorisasse o pagamento da despeza que
se fizer com esses trabalhos.Inlerada, e maudou-se
expedir ordem ao procurador para pagar a des-
peja.
Oulro do fiscal de Jaboaiao,dizendo que no mezda
maio ultimo se mataram 48 rezes, para consumo da
mesma freguesaAo archivo.
A cmara receben ordem do governo da provincia
por despacho de 14 do correle, sobre a pelicSo db
fiscal da freguexia do Poco, ;para diferir n este nos
termos de sua nformac i, eem conseqnenca, man-
dou ordem ao procurador para pagar o accrescimo
do ordenado do requereule, na razio de 1009000 rs.
animal, a contar daquella data de 14, prestando o
peticionario a fianza qae oflerecea.
O Sr. Gaineiro fe* o seguinle requerimento, qae
foi approvado :
miterio o cumprimento do 3. do arU 7. do rego-
lamento do mesmo cemlerio.
a -Sal das sessoei 20 de junho de 1855. Ga-
uuiro.u
l)espacharam-se! as pelites de Antonio Joaqnim
de Almeida Cruz, Je Anlonio da Cotia Ribeiro e
Mello, de Antonio Vicente Ciuiraariles, de Francisco
Custodio de Sampaio, de Joaqom Pereira Ramoi,
de Joanna Maria de Ueos Corees FerrSo, do lente
coronel JosJAntonio Lopes.de Joao Francisco d'Oli-
veira e Silva, de Jos Alves da Silva Goimaraes, da
Isabel HypolU Ferreira Moura, da Jos Mamede
Alves Ferreira, de Manoel Ignacio d'Avilla, de
Manoel Gonjalves da Silva, de Paulo Jos Gomes,
e levenlou-se a sessao.
Eu, Manee! Ferreira Accioli, secretario a escrevi.
Barao de Capibaribe, presiden le.Reg Albu-
querque.Reg. Barata de Almeida.Gameiro.
a Um morador de Assungnl,ao dcilar-m ama noi-
le, meiados de malo, delxoa a porta de saa casinha
aberla. Junio a cama crh que repnusav elle com
sua mulher, dorma um filho menor de poucos me-
zes de idade. Alia nolte pinetra na habitarlo um
tigre, agarra na crianza e leva-a sem ninguem o pre-
sentir. Ao amanhecer os pais procurara debalde e
lilliinko. O marido parle, acompanhado de nume-
rosa malilha, para ver te enconlra vestigios da infe-
liz enanca. A 150 bracas da habitarlo, e agazalha-
do sob a folhagem, dorma o innocente I NSo linha
a menor contusao ou ferida em todo o eorpo.
victima, e, longe de miltral-la, depositon-a sobre
nm leilo de folhai.v
A esquadrilha ingleza qae eslava ancorada
no nosso porto tahio ante-hohtem a faxer exercicio
Tora da barra.
Ao anoilecer de honiem cruzavam quaii lodos
esses vasos entrada da baha.
A respeito da Babia referimo-nos a caria de nosso
correspondente qae vai transcripta em logar compe-
tente.
O vapor D. Pedro II condaz do Rio de Janeiro
para a Europa 148 passageiros, e 3 para a ilha da
Madera.
CMARA &fUBHCIPJOa DO B&CIFE.
SESSAO' EXTRAORDINARIA DE 20 DE
JUNHO DE 1855.
Presidencia do Sr. Bario de Capibaribe.
Prsenles os Srs. Reg e Alhnqucrque, Mamede,
Rego,'Oliveira, Gameiro, fallando sem causa parti-
cipada os mais Srs., abrise a sessAo, e foi lidae
approvada a acta da antecedente.
Foi ldo o seguinle
EXPEDIENTE.
Um oflicio do Exm. presidente da provincia, Irans-
mittindo por copia a lei provincial n. 372, que ap-
provou as posturas addicionaes desla cmara.lnlei-
rad, e mandu-se publicar, e remoller copia aos
fiacaes.
Oulrq dojaiz supplcnle da l.'.vara, Manoel Filip-
nHa Fonceca, de 15 do crrante, participando que,
por ter de r corte do imperio, tinha nquella dala
pastado o exercicio ao presidente desta cmara, visto
nao se acharem juramentados os supplentes qae 0
deveriam succeder.Inteirada.
O Sr. presidente declaran que nao eslava no exerci-
cio da vara.por se|ler juramentado osupplenle quem
compela exerce-la, depois que o referida juiz Ib*
ofliciou.
Oulro do engenheiro director das obras publicas.
consulto ndo cmara se queira que se fizosem nos
vidraf as das portas da capella do cemilerio, as deco-
racoes com pinturas histricas, em mosaico, segundo
os modellos, que remetteu feilos por Arsenio Fortu-
nato da Silva, qne s'oflereceu para faier esse Iraba-
lho, medanle a piiga de 2:i00ri00 n.A cmara
mandou que se lhe respemdesse que nao, o que se
collocassem nat portas do lemplo vidros communt,
por mo poilcr o estado do seus cofres comportar se~
melbanlc despeza, e ter ella de fazer ao mesmo lem-
plo oulras decorarles dispendiosas e de mais neces-
sidade.
Oqtro do procurador, communcando que,' d'ac-
enrdo cora n secretario, chamara, desde o dia 13 do
correte, ao amanuense Hypolito Cassiaoo de Vas-
concellos Alhuquerquc MaraiihAn, para servir inle-
rinamente na conladoria, por ter pistado a oflicial
maior o eropregado qae eslava nesle exercicio noim-
pcJimenlo por molestia, do proprietario do lugar.
A cmara approvoa o expediente tomado, e resolveu
que se chamasse o contador ao servico, visto nao ler
elle continuado a provar o seu estado de doente.
Oulro do liscal da Boa-Visla, participando a ruina
em i|ue se acham as estradas da pools de Ucha,
Chora-menino, entre as duas ponles da Paasagem
o largo do Manguinho.Mandoa-se ouvir ao enge-
nheiro cordiador, rccomraendindo-lhe lizesse logo o
ornamento da obra indispensavel.
Oulro do fiscal do Sanlo-Anlonio, informando qae
Paulo Jos Gomes& Medeiros, podiam depositar mn-
deiras nos rundos de sua serrara, na ra da cadeia,
urna vez que deixassam lagar para transito, embora
seja esle ainda pouco por illi. Concedea-se a 1-
ceuca com esla condiiao.
Oulro do engenbeu-o cordeador, informando que
JURY DO REGIFE.
Da 7 dejjclho.
Pretidencia do Sr. Dr. Alexandre Berna'dino dos
feis e Silva.
Promotor publico interino, o Sr. Dr. Francisco
Gomes Velloso de Albuquerque Los.
Advogado, o Sr. Dr. Joaquim Elviro de Moraos
Cgrvallio.
Escrivao, o Sr. Joaqnim Francisco de Paula Este-
ves Clemente.
Feita a chamada as 10 horas da manhaa, acharam-
se presentes 38 Srs. jurados.
Foram multados em mais 209 ri. cada nm das se-
ntares jurados j multados nos anteriores dias de
sessAo.
Aberla a aessAo, foi conduzidaabarra do tribunal,
a r Anna Joaquina da Conceicaa, aecusada por cri-
me de fenmentos graves perpetrados na pessoa de An-
ua Joaquina da Jess.
Compez-se o cousclho de scnlenca dos seguinles
senhores:
JoAo Anlonio da Silva Grillo.
Frederico Augusto de Lemos.
Jos Bernardo Ventura.
Caelano Pinto de Veras. ,
Josc Baptisla Ribeiro de Farias.
Anlonio Goncalves de Moraes. i
Marcolino Goncalves da Silva.
Jet Goncalves Torres Jnior.
Francisco de Paula e Silva
Jlo Carneiro Rodrigues Carapelo.
JoAo Alhanasio Botelho.
Joaquim Angueto Ferreira Jacobina.
Fin dos os debales foi o conselho condolido a sala
das conferencias a 1 1|2 horas da tarde, donde vol-
tou as 2 com suas respoilas, que foram lidas em voz
alta pelo presidente do jury, em vista; de caja de-
clsAo o Sr. Dr. juiz de direilo condemnou a re a
dous mezet e meio de prisAo e multa corresponden-
te a melada do lempo, groo medio do arl. 201 do
cdigo criminal, e cusas, e Icranlou a sessao, adian-
do-a para as 10 horas do dia 9 do correte.
m------
BEPARTICAO DA POLICA
Parle do dia 7 de julho.
Illm. e Exm. Sr.Levo ao conhecmenlo de V.
Exc. que das differenles parlicipacoes hoje receladas
nesta repartir,a>scoasta que foram presos:
A minha ordem, Jeronymo, e Marcelino Jos,
escravos do Francisco Jos Daarte Camarco, ambos
para avcriguar,6es.
Pela delemeia do primeiro districlo desle termo,
o prelo escravo Benedicto, lambem para averigua-
roes.
Pela subdelegada da fregaezia de S. Jos, o pre-
lo Raphael Jos Bento, igualmente para averigua-
res.
E a roquisicAo do depositario geral, o prelo es-
cravo Luiz.
CORRESPONDENCIAS,
Srs. redactores.A gratidio e a caridade me em-
penham patenlear ao publico por meio de suas
acreditadas columnas, o grande beneficio que recebi
do Sr. Ur. Carolino Francisco de Lima Sanios : a
gralidao, porque he ella umjdever sagrado que ne-
nlmm homem de bro pode infringir ; a caridade,
poique a pablicidade em laes casos he um aviso
humaoidade sofTredora.
Ha qoatro annosjque eu solivia om forte eslrcila-
menlo de uretra, ponto de muilas vezes nao me
ser possivcl ourioar, sem milita difllculdade e go-
la gota ; oulras vezes essa difllculdade ern tama-
ita que en solTria ataques que me proslravam com
soores fros, dores e tormentos ; dorante qaafrp
annos recorr varias meios, e at ao oso de alga-
lias n.. 1 e-2, qae nunca pude conseguir que pene-
trassem a bexiga, lal era o grao do eslreitura. l-
timamente, havendo-se o men estado empeinrado,
nao lendo encontrado 'unitivo algum, dirigi-me ao
Sr. Dr. Carolino, que ss tem frito verdadeiramenle
notavel em curativos desta ordem. Foi urna Inspi-
racAo feliz 1 O Sr. Dr. Carolino presloo-se de boa-
mente ao mea convite, e com tenia pericia me tra-
ton por meio da dilatarlo, chamadaforjada,le-
vando nesse curativo o espaco de 40 dias, que live
a forlana de me ver lvre de tao doloroso marlyrio.
A principio, dilatou-me o Sr. Ur. Carolino a uretra
por meio de algalia* ordinarias, qoanto fossa suflt-
cienle para dar pasiagem ao instrumento ; depois,
inlrodnzindo o dito instrumento, apezar de.Tortes
dores, e por tres vezes em dias intercalados, consi-
gui realisar completamente a enra. Em viste dai
difflculdades qne nutras me expnnham para oblen-
c.Ao de tal resultado, o Iratamenlo empregado pelo
Sr. Dr. Carolino excedeu a minha expectativa, e he
confundido pelos sendimenlos da mais profunda gra-
IldJo, que appareco hoje parante o publico para
dar ao Sr. Dr. Carolino am testomunho solemne do
mea elerno reconhecimento.
Ai pessoas que tem tido a desgraca de soffrerem
como eu essa enfermidade, sao as nicas qne saba-
rAo apreciar o grande beneficio qne acaba de fazer-
me o Sr. Dr. Carolino : e por isso, para demons-
Irar-lhe qaanto lhe sou agradecido, toda t expressAo
he pouca. Digne-ie o Sr. Dr. Carolino de aceila-lo,
ede desculpar-me ao mesmo lempo, ss ousei offen-
der to de perto a saa modestia. Atienda qoe,
ainda quando devesse eu recnar ante essa conside-
rado, nao poda sem infracrAo de um preceito le-
gilimo e chrislAo, deixar de patenlear essa reconhe-
cida pericia do Sr. Dr. Carolino, porque he misler
que aquelles que soffrem saibam quem se devam
dirigir para enconlrarem suas dores am efflcaz li-
nitivrr.
Espero, Srs. redactores, que com a insereno des-
tas lindas muilo obrigarao ao de Vmcs. aliento res-
pei lador
Iai: Moreira da Silva.
Carne secca- O mercado est sapprido com 42
mil arrobas do Rio Grande do Sul,
e6,000 arrobas de Buenos Avres;
a primeira venden-te de 38300 a
49100, e a segunda nao abri
preco.
Familia de trigo- Ha em ser 1,200 barricas de Bil-
limore, 1,800 da Trieste, 100 da
Genova, e 2,400 saceos de Valpa-
raso : vendeu-ie a 329 a primei-
ra, 369 a segunda e lerceira.e 309
por seis arroba da ultima. Che-
!;aram 150 barricas de Lisboa qne
oram relalhadoa de 32 a 339 por
barrica. Chegaram lambem 900
laceas e 200 barricas do Rio de Ja-
neiro, aquellas foram retalhadii
30 e eslai ficam em ser.
Vinhot- Tem sido pouco procurados, e an-
da eslao em ser a maior parte dos
chegados de Portugal nos ltimos
navios. Consta sefizeram pequeas
vendas do PRR a 240, e de oulros
autores de 2009 260 por pipa.
Velai------------ Venderam-ie de 680 a 700 rs. por
libra das de composi(3o.
Uisconio ----De8a9por cenlo ao anno.
Freles ------ Nao ha navios.
Tocaram no nosso porto dous vaporea a enlraram
4 embarca' oes viudas dos portas do imperio, i da
Europa c ni fazendas e 1 em lastro.
Sahiram 4 embareacoes com carrregimentos do
paiz para portes cslrangeiros, 1 para acabar de car-
regar no Rio Grande do norte, 3 em lastro e 2 para
os portos do imperio.
Exlslem no porto 31. sendo 20 brasllelras, 1 ha-
noveriana, 4 hespanholas, 3 ingieras, 2 portuguezai
e 1 tarda.
MOVIMENTO DO PORTO.
Dos guarde a V. Exc Secretaria da polica de
Pernambuco 7 de julho de 1853.Illm. e Exm.
Sr. conselheiro Jos Bento da Cunha e Figueiredo,
presidente da provincia.O chefe de polica Luiz
Carlos de Poica Teixeira.
Naci taludo no dia 7.
Parahiba hiale brasileiro Conceiean Flor das
Virtudes, meslre Izidoro Brrelo de Mello, car-
ga carne secca e mais gneros.
Rio Grande do Sul patacho brasileiro As(rea,a
meslre JoAo Ignacio Ferreira, carga assucar. Paa-
sageiro brasileiro Anlonio Martins.
Liverpool pela Parahiba brigue ingleza uFairy,
capilao 1 liornas Feria, carga autocar.
Par e pnrlos intermedios vapor brasileiro ilrape-
rador.ii commandanle o primeiro lenle Torre-
zao. Passageiros desla provincia, o Dr. Jos do
Reg Barros Lacerda e um escravo, o alferes Jos
de Avila Bilancourl, Francisco Soares da Silva
Retumba e 1 escravo, Manoel Luiz Pereira Lana,
Bernardo Norat, o conego Firmioo de Mello Aze-
dn e dous escravos, Cosme Jos de Vasconcellos,
Manoel Gomes da Cruz. Leonel da Silva reman-
des, Simoa Maria da ConceicAo, Jos Fernandes
dos Sanios, o alferes Guilherme Marques de Sott-
za, n Dr. Gustavo Adsjlpho Ramos Ferreira e ama
ex-praca.
A'frcio entrados no dia 8.
Parahiba 8 diat. hlate brasileiro Flor do Brasils.
de 28 toneladas, meslre JoSo Francisco Martins,
equipagem4. carga loros de mangue ; a Vicente
Ferreira da Costa. Passageiro, Felisraino Perei-
ra da Silva.
Porto34 dias, brigue porluguez Bom Suecesso,
de 195 toneladas, capilao Manoel Gomes dos San-
tos Sena, eqnipagem 15, carga vioho e mais gne-
ros ; a Tliomax de Aquino Fonseca & FilBos.
Joaquim da Silva Cimpos, Joaquim Jos da Silva,
Joaquim Jos de Oiiveira, Luiz Paulino, Fran-
cisco Jos Rodrigues de Sena, Malhias Alves,
Joao Baptisla, Joaquim Fraga, Joaquim Escaleira,
Luiz de Azevedo Carvalho.Jos Anlonio de Sena.
Rio de Janeiro e Baha 7 112 dias, vapor porluguez
U. Pedro II, commandanle o primeiro tenante
Joaquim Viegas do O'. Passageiro para esta
provincia Manoel Anlonio Rodrigues, Antonio Al-
ves Ferreira da Silva e Augusto Uarle de Moura.
EDITAZS.
Srs. redactores.Era resposta a'os annuncios in-
serios nos ns. do sen Diario de 5 e 6 do coi rento, as-
signados por am irmao de Notsa Senhora da Boa-
Viagem, lemos a responder o seguinle : Que as con.
las do patrimonio perlencente a mesma Senhora
lem tido presladas annualmente com regolaridade,
approvadas pelo Sr.,Dr. juir de capellas ; a excep-
?3o das de 1852 e 853 que foram apresenlndas a
mesa regedora, e por ella approvadas. nao se lendo
lancado no li*ro dereceila e despeza por estar elle
nessa occasiao em poder do Sr. escrivao de capellas;
e em qaanto as contal de 1851 e 1855 existem promp-
las, e vao scrapresenlidas na prxima mesa qoe se
tem de reunir no dia 15 do crranle para dar pos-
se a nova mesa nowarta, a qnal tem de mandar
passar estas conias para o lvro de receila e despe-
za, afim de que Sr. Br. juiz de capellas ai approve.
Emquaoto as casas do patrimonio na realidade
acham-se algumas deterioradas, porenfnAo por cul-
pa da mesa actaal qae asrecebeu nesse eslado, a se
as nao pode concertar foi porque, alem das difflcul-
dades que encontrn em receber algumas dividas
alrazada para despender com esses concert?, leve
lambem de pagar um saldo conlra o patrimonio
apresenlado nascontas de 1852 e 1853, na razao de
1789i quanlia esla dispendida com o concert das
daas casas n. 2 e 3: alem disso nao era possivel, qoe
rendendo o patrimonio 700 ou 8009 (mximo da
renda animal) se podes acudir ao mesmo lempo as
despezas da igreja, ordenado do sacrisUo, fesla, ele.
ele, e as despezas de concertos. Avista deslasra-
zfies previne-se ao Sr. irmo, que bom ser nao pu-
blicar fados de qne est ponco informado, devendo
antos dirigir-te ao Sr. lecretnio da irmiudade pa-
ra eliminar o sen archivo, oa requerer a mesa
quando'estiver reunida, afim de lhe minislrar estes
esclarecimenlos, direito este que tem qnalqaer ir-
mao, ligando o arl. 45 do compromisso. Temos
mais de scientificar ao Sr. irmao, qae a nova mesa
nomeada acha-sc composta de membros mui hones-
tos, e com mui boas disposires para fazer todas as
economas necessarias e cobranca judicial de todas
as dividas atrazadas. afim de que, principiando o ve-
rao se prineipiem tambera as obras; assim como lam-
bem declaramos que ser esla a nica resposta qae
daremos, sem ser i auloridade competente, se eila
no-la exigir. De Vmcs. ele.
(Immesario.
Recife 7 de jollio de 1855.
O barao da Boa Visla, hachare! em malhemalicas
pela Universidade de faris, coronel do eslado,
maior de primeira classe do exercito, cavalleiro
da ordem militar de S. Bento de Aviz, commen-
dador da ordem de Chrisio por S. M. Fidelissi-
ma, dignilario da imperial ordem do Cruxeiro,
senador e grande do imperio, commandanle su-
perior da guarda nacional da capital da provincia
de Pernambnco, e presidente do conselho de re-
vista da mesma guarda, por S. M. I. etc.
Faeo saber, que oa terceira dominga do presente
mez (15 do correte ) se reunir o cooselho de re-
vista da guarda nacional, como determina a segunda
parle do artigo 25 do decreto n. 1130 de 12 de mar-
co de 1853, na sala dassesses da cmara municipal
desla cidade, as 10 horas da manhaa, na conformi-
dade do art. 44 das inslrucres n. 722 de 25 de ou-
lubro de 1850, afim de lomar conhecimento dos re-
cursos qae versarem sobre os casos no art. 33, e que.
forem inlerpostos pela maneira determinada no art.
% das ditas inslrucees.
E para constar a quem cbnvier, mandei expedir
editaos, que serio afilados nos lugares mais pbli-
cos desta cidade, e publicar pela imprensa.Recife
9 de julho de 1855.Barao da Boa-Vista.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
COMMERCIO.
Pelo vapor Pedro IIy chegado honiem do sul, re-
cebemos jornses do Rio de Janeiro que alcam-ara ao
1. do torrente, e da Baha ateo.
Acli ua-se em primeira discos licia um projecto disponda que ai provincias do Rio
de Janeiro e Sergipe darAo mais dous diputados, as
do S. Paulo e Pauliy mais um, e que nenhuma ou-
tra d menos de doua.
Tinba sido nomeado presidente da provincia de
(soyas o Sr. Ur. Antonio Auguslo Pereira da Qunhi,
primeiro vice-presidente da mesma.
Foram demiitldos, por assim o haverem solicitado,
os Srs. : brigadeiro Manoel Antonio da Fonseca Cos-
ta do commando Jas armas da Bahia, lencnle-coro-
nel Jos Anlonio da Fonseca Galvao do do Para, e
major do'cslado-maior de primeira classe Manoel
Ignacio Bricio do lugar de vice-direclor do arsenal
de guerra da corle.
Para o commando das armas da Bahia foi despa-
chado o Sr. brigadeiro Jote l.eile Pacheco ; para vi-
ce-direclor do arsenal de guerra da crle.o major do
eslado-maior de primeira classe Jos Manoel da
Silva.
O tribunal do commercio de segunda instancia da
corle devia ser inslalladn no-dia 2 do crranle.
No dia 23 do pastado foram executados em Maca-
li os (res co-rcos do famoso facinora Molla Co-
queiro.
Do l.o a 30 de junho rendeu a alfandega da corle
1;157:38992I0 rs. ; e no mesmo perodo renden o
consulado 3W:893>i02 rs.
L-se no Correio Mercantil :
Acaba de chegar a esta corle, vindo do Cea-
r, um moco, lho dos serlocs daquella provincia,
de 18 annos de idade, e de nome Daniel Pedro Fer-
ro Cardos. Nunca tendo sabido do lugar do sen
nascimcnlo, nao havendo jamis aprendido cousa al-
guma, a nfto ser primeira leltras, lerobrou-te esse
moro de copiar a caivete sobre madera alguns de-
senbos de carias de jogar e oulros semelhanles que
lhe cahiam as maos'. o resultado de sen traballio
sorprenileu por lal maneira a algnmas pessoas que o
vram, que estafo determinaran a vir corle apro-
veilar seu bello (alent de gravador que essas pri-
meiras tentativas deixam presentir.
Pessoas entendidas, que j tiveram aqai occa-
siAo de ver os ensaios d joven artista, dizem-nos
qae, se nao sao de urna rara perfeicao, nem por isso
desmonten) de modo algum as esperances que deram
lugar n sua' viagem.
a Recommendldo ao Sr. ministro do imperio, he
de crer que esse mogo receba urna directo conve-
niente, e lalves (cubamos que applandir-noi para o
futuro da recommendaeao qne por meio destas l-
nhas fazemos em sea favor.
A seguinle noticia he exlrahida de urna carta
escripia por pessoa qae merece crdito a um seu p-
renle no Rio de Janeiro :
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia 2 a 6. .
dem do dia 7.....
75:7559077
5:7429119
81:4979196
Descorre am hoje 9 ie julho.
Brigue inglezEcerltenrnercadorias.
OONSULAUO GBRAL.
Rendimenlo do dia 2 a 6.....
Idam do dia 7 ...
8:0239688
2569143
DIVERSAS PROVINCIAS.
Rendimenlo do dia2a6.....
dem do di 7 ....
8:2819831
5059647
11*63215
O Dr. Cusi lio Manoel da Silva Goimaraes, juiz de
direito da l. vara do commercio oeata cidade do
Recite de Fernambuco porJLM. I.."e C. o S*--**
Pedro II, que Dos guarde e^*^ ~"
Faeo saber aos qae a presenta
rem, em como o coronel Jos p\ jaj
veira me dirigi por escripia a'pwiayaoTneorMe-
gainle :
Diz o onronel Jos Pedro Velloso da Silveira. quo
sendo Anlonio Henriques de Miranda devedor ao
sapplicanle da quanlia de 2:326750 de urna lettra
por elle aila, vencida em 15 de fevereiro de 1846,
qae foi dada em IransaccAo ao supplicinle por o
saccadar Antonio Gomes Pessoa, ignorando o suppli-
caote a onde reside o supplicado, e para cautela o
seu direito e inlerruraper a prescripcAo, vem o sup-.
plicante proleitaf perante esle jaizo, como lhe per-
mute o arl. 453, 3. do cod; com afim de que
fique lalvo o seu crdito, e possa a lodo o lempo
liaver a importancia da mesma e joros' do supplica-
do e endossante, para o qua requer so lome por ler-
moo seu protesto, s seja intimado por edites.
Pede a V.'S. Sr. Ur. juiz do commercio assim
lhedefira.E R. M.Como procurador, Flix Fran-
cisco de Souza Magalhaes. '
Nada mais se con linha e nem declara va oolra al-
guma cousa em dita petico, a qual sendo-me apre-
sentada nella dei o meu despacho do Iheor le-
gajle :
Distribuida ; cosJ)o requer. Recite 28 de jonho
de 1855.Silva Guimaraea.
Nada miis se coiitinha e nem deeiarava outra al-
guma cousa em dito meu despacho, em virlude do
qual fra distribuida ao escrivAo que esla subiere-
vea, de qae lavrara termo de proteslo >do Iheor se-
guinle :
Aos 28 de junho de 1855, nesla cidade do Recife,
em meu escriptorio veio o solicitador Flix Francis-
co de Souza Magalhaes, procarador do anpplincanle
o coronel Jos Pedro Velloso da Silveira, e disse,
era presenea das leilemonhas abaixo assignadas, qne
elle prolest'ava contra Antonio Henriques de Miran-
da por todo conteudo na petieao retro, e na con-
formidade do mesmo protestado (em afim de produ-
cir o sea devido effeito. E como assim o disse e
prolestou, Qz cate termo em qae assigooa com ditas
leslemunhas. E eu Pedro Tertuliano da Cunha, es-
crivao o escrevi.Flix Francisco de Souza Maga-
lhaes.Francisco de Oiiveira Mello e Silva.
Nada mais se conlinha em dito proteslo aqui co-
piado, e produzindo o inpplicante suas lestemonhas,
sendo sellados os autos e| nellei dei a senlenja do Iheor seguinle :
vencido o lempo marcado pelo cdigo commercial
para dar-se semelhaola facto, sendo dito protesto
intimado por edilaes, visto como o devedor ha lu-
iente e de residencia incerla, o que ie d a reipiito
de Antonio Gauiuo de Almeida Mendooca taml>em
devedor da quaolia de 2349600 n. saldo de diver-
ts lellros ja vencidas, ludo legando o determinado
no 3. do artigo i$3 do cdigo citado.
Pede ao Illm. g*r. Dr. juiz do commercio dferi-
mento.E R. M.O advogado, Martins Pereira.
E mda mais ie conlinha em em dila petieao, a
qual sendo-me aprestniada mili del o meu deipa-
cho seguinle.
Distribuida; como requer. Recite 3 de julho da
1855.Silva Goimarlei.
E nada mais se eontinha em dito deipacho, em
vlrtude do qua foi a accSo distribuida, o o escrivao
lavrou o protesto seguinle.
Aos 3 de julho de 1855, nesta cidade do Recife
em meu escriptorio veio o'supplicanle Uenrque
Gilison, e disse era presenea das teslemuuhat abai-
xo assignadas que elle preleslava conlra os supplica-
dos por todo o conteudo na pelico retro, a na con-
formdade do mesmo protestado lem afim de prodn-
zir o devido eOeilo.
E de como assim o disse e profesin fiz este ter-
mo em qae assigooa com ditas as leslemunhas. Eu
Pedro Tertuliano da Cunha,' escrivao escrevi.
Henrique GibsonI.uiz Francisco de Mello Tara-
res Faustino Jos da Fonceca.
E nada mais se conlinha em dito proleslo, depois
do qual foram aqueridas leslemunhas que justifica-
ran! a ausencia dos suppllcados, e foi julgada pela
senlenca do Iheor seguinle.
Julgo por senlenja e costas a justifleasao d., e
mando qae se proceda i citacao editil requerida.
Recife Sdejolho de 1865. Custodio Manoel da
Silva Guimarles. Em virtude de dila minha sen-
teoca o escrivao fez passar o presente, por bem do
qoil v8o ser intimados os snpplicados do proteslo
aqui copiado, afim de que| nao proscrevain suas di-
vidas, e mando a todas as pessoas, pareles, amigos
e conhenhecidos lhes fajara aviso qae pelo presente
Jo intimados do referido proteslo ; e esle ser' pu-
blicado pela imprenta e afiliado no lagar publico do
costme.
Dado e pastado nesta cidade do Recife aos 6 de
julho de 1855.E eu Pedro Tertuliano da Cunha
eterirko subscrevf. Custodio Manoel da Silva
GuimarSes.
O'Dr. Coslodio Manoel da Silva Goimaraes, jaiz de
direilo da 1." vara do civel e commercio, nesta
cidade do Recife de Pernambuco, etc.
Faeo saber aos qne'o presente cirta de edites vi-
rem, ou della noticia tiverem como Jos Gon-
jalves Malveira me fez a pel^ao do Iheor seguinle :
Diz Jos Goncalves Malveira eslabelecido com
loja de fazendas na ra do Crespo, que quer protes-
tar judicialmente conlra seu devedor abaixo decla-
rado Joao Antonio Leitao da quanlia de 1009200
rs., de saldo de sete leltras aceitas por elle, e venci-
das a primeira da quanlia de 20000 rs., em 8 de
norembrode 1849, a segundada quanlia de 209000
re., em 8 de dezembro do 1849, a terceira da quan-
lia de 209000 rs., em 8 de Janeiro de 1850, a qaar-
ta da quanlia de 209000 rt., em 8 de fevereiro de
1850, 1 quinta da quanlia de 209000 rs., em 8 de
marjo da 1850, a sexta da quanlia de 209000 rs.t
em 8 de abril de 1850, a stima da quantia de
M92OO rs., em 8 de msio de 1850, que sendo Igno-
rada a residencia actual do mesmo devedor se fasa
a intimarlo do protesto por edilos para o fiz pre-
visto no 3. do artigo 453 do cdigo do commer-
cio.
Pede ao Illm. Sr. Dr. juiz do commercio assim
lhe delira.E R. M.Advogado, Fonceca.'
Distribuida ; como requer.Recife 30 de junho
de 1855.Silva Goimaraes
A Santos Oiiveira. Aos 30 de junho de 1855,
nesta cidade do Recife, perante mim e as leslemu-
nhas abaixo assignadas, disse o solicitador Miguel
Jos de Almeida Pernambuco que protes'lava como
procurador bastante de Jos Gonjalves Malveira
como de facto protestado tem, contra JoSo Antonio
Leitao na forma declarada em saa pelicSo retro, o
qnal fica sendo parle da presente, e de como disse e
protesloo assignou com as lestemonhas abaixo decla-
radas. Eu Joaquim Jos Pereira dos Santo* escri-
vao escrevi.Miguel Jos de Almeida Pernambu-
co Manoel dos Santos Azevedo Luiz Anlonio
dos Sanios.
E mais se nAo conlinha em dita petico, despa-
cho, distribuida e termo de protesto aqai copiado,
m virlude da qnal produzo o supplicanle suas
lestemonhas, e subindo os autos a' conclusio dei a
- minha sejlenca do Uieor seguinle.
Joao Baptisla do Amaral e Mello, vencida em 16 de ..
jonho de 1840 (saldo) d* n. 153085, 3 letlraa de
Joao Mauricio da Cnnhi DurBo, tendo 1 vencida no
1 de oulubro de 1845 de rs. 3199072, ontra vencida
no 1 do fevereiro de 1846 de rs. 3199072, outra no
1 de junho de 18*6 de rs. 31073, 2 ditas da Can-
dido Liberato da Oiiveira Maclel, 1 vencida em 21
de marco de 18*8 de rs. 200*000, paire vencida em
ai de junho de 18*7 de n. 1539280, 1 Jila de Luiz
Antonio Rodrigues Estevas, vancid em 9 de janei-
re de 1840 de ri. 2249000, 1 dito te Jos Joaquim
de Cervilho Vleira (saldo) vencida em 19 da selem-
bro de 1847 de n. 2:3049278, urna diti de Victorino
Gome* da Silva vencida em 12 de novembro de 1841
de rs. 5189655, 8 ditas da Igeieio da Cunha Perei-
ra, 1 veneida em 4 de agesto de 1843, de rs. 7609285,
ontra vencida am 4 de fevereiro de 1845, de ris
4559700, 1 val de Carlea Anlonio de Araujo e Joso
Maria Barboza em 3 da dezembro de 1843, de rs.
1179000, I Ultra de Joaquim Kraneiaco de Souza,
vencida em 18 de feverejro de 18*4 (saldoj. da rt.
339200,1 latir de Vicente 2509000, vencida a 3 de malo de 1843, 1 latir de
Antonio Jos de Aguiar de n. 66*150 vencida em
4 de Janeiro de 1848, 1 leUra de Themat Jos de
Farias de rs. 259090, vencida em 23 de marco de
1844, 1 lettra de Antonio Manoel dos Sanios de n.
119250, vencida em 6 de Janeiro de 1844, 1 dita de
Ignacio Pereira de Carvalho de rs. 19970f), vencida
em 29 de telerabro de 1845, 2 dilai de Joao Jos
di Silva, 1 vencida em 22 de lelembro de 1841 de
n. 669700, e a oatra de 4198*0, vencida em 15 de
marco de 18*2,1 dila de Antonio Danlai Corrala J-
nior, rs. 4559360. vencida em 16 de abril de 1850,
2 ditas de Antonio Gomes Siraiva, 1 de rs. 4879432,
vencida em 28 de abril de 1847,'enolra de rs.
1229840, veneida em 21 de ootobro de 1847, 1 dita
(a ordem) de Francisco Marinho de Oiiveira de ris
789040, vencida em 18 de novembro de 1841, 1 let-
tra (laido) de Michael da Bocha Carvalho de rs.
2759590, vencida a 16 de agoste de 1848, 1 leltra da
Jos Maria Barboza de rt. 539000, vencida 1 22 de
maio de 1850, 1 dila de Manoel Delphino da As-
sumpeao, de rs. 549000, vencida a 1 de fevereiro de
I845, 1 dila de Antonio Bernardo da Cunha, de rs.
299980, vencida a 5 de euksbro de 1848, 1 dita de
Jos Justino Fernandes de^Souze, de rs." 409000,
vencida a 29 de meri-o de 1848, 2 ditas de Jos Joa-
quim de Agolar, nma de rs. 4009000, vencida a'3
de junho de 1847, e oatra de rs. 4009000 vencida a 3
de setembro de 1817, 1 dita de Jos Francisco de
Souza de rs. 409900, vencida a 2 de Abril de 1845,
i dita de Jos Anlonio de Soasa de rs. 2709500,
vencida em 3 de oulubro de 1840, 1 dita de Bernar-
do de Azevedo Silva de rs. 139780, Vencida em 7
setembro de 1846, 1 obrgar,ao de Flix Jos do Nat-
ciment de rs. 559000, vencida em 10 de dezembro
de 1847, saldo de nma conta crrante de Joao de
Ueos Franco de rs. 1819189, assignada em 9B de
maio de 1848,1 leltra de Jos Alves de Farlnde rs.
459540, vencida em 8 de dezembro de 1846,1 certa
de ordem da quantia de 6509870, veneWe a 17 de
agosto de 1847.Recife 28 de janho de 18%. De*
claro que a carta de ordem cima, he a 'Francisco
Thomaz Villa-Nova a Joaqnim Correia da Silva 1
leltra de 5009000 j ha multo vencida.
E nada mais se conlinha em dita relaeo,' depois
da qual foram aqueridas Ires leslemunhas qae joa-
lificaram a ausencia dos devedores, cuja justificar Jo
foi julgada pela senlenca do Iheor seguinle.
Julgo por senlenca e costas a juslifiearao ralbas, e
mando que se proceda a citieao dital requerida.
Recife 3 de julho de 1855.Custodio Manoel da
Silva Goimaraes.
Em virlude de minha tenteora o escrivAo fez pas-
sar o presente, por bem da qual tai ser citados e-
entimidore do protesto aqai copalo, os sappHeados
devedores, afim de qne seja interrompida a pret-
cripeo, e mando a todes as penoei, amigos, paren-
tes e condecidos dos ditos devedores aqui declara-
dos, lhes fieam avisos em como pelb presente, sSo
inimado:i do protesto aqni transcripto, e-este ser
publicado pela imprensa e afiliado ne lugar publi-
co de cosime.
Dado e psssado nesla cidade de Recife, eos 6 de
julho de 1855. Eu Pedro Tertuliano da Cunha, es-
crivao sulucrevi.
Custodio Manoel da Silva VwmarSe.
O Dr. Coslodio Manoel da Silva GuimarSes, juiz de
direilo da primeira vara do commercio nesta cida-
de do Recite, por S. M: I.?-elc.
Fajo iiber aos qae o presente edltel virem, como
o commendador Domingos Affonao Nery Ferreira,
me fez a petico do Iheor seguinle :
Uiz o commendador Domingos Alfonso Nery Fer-
reira; tutor do menor Manoel Gentil de Costa, filho
1
\
/

Jlgo por sentones e castas a juslifiearao lis.", o o-' Onillo Beirtu Jos Aires, qne sendo Berna
6719862
RECEBEUORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimenlo do di 2 a 6.....6:9099366
do dia 7 ..;.... 3:472,s060
dem
mando que se proceda a citaeAo edital requerida.
Recife 4 de julho de 1855. Custodio Manoel da
Silva Goimaraes.
E mais se nio conlinha em dila sentones aqni
copiada, em virtude da qnal se passou a presente,
pelo Iheor da mesma hei por Ultimado o supplicado
do referido proteslo, que ser publicado e afiliado
nos lugares do costuuie, e publicado pela imprensa.
Dado e patsado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco 7 de julho de 1855.Eu Joaqnim Jos Pe-
reira dos Santos, escrivAo osubscrevi. Custodio
Manoel da Suca Guimariles.
O Dr. Custodio Manoel da Silva GuimarSes, juiz de
direito da primeira vara do commercio nesta ci-
dade do Recife de Pernambuco, por S. M. I e C.
ele. ele.
Faeo saber aos que o presente edital virem, co-
mo por este juizo Manoel Pereira Lamego, por
si e como testameoteiro de Goncallo Jos Alfonso,
me fez a peli(3o do Iheor segninte :
Diz Manoel Pereira I.amego, por si e como lesla-
mentero do finado Goncallo Jos Alfonso, lotor dos
menores seas fillios, qae sendo devedor aos supplt-
ycantei oa individuos conslaules da relacAo junta por
titulo de letlraa e papis de crditos, que o soppli-
cante para reserva-de seo direilo de e de seas tu-
telado*,, e para qoe fique interrompida a preterip-
eao, protesta na conformidade do art. 453 3 do
cdigo do commercio, e requer a V. S. que se digne
tomar por termo o seu protesto fazendo-se a compe-
tente intimac,Ao por carta de editos, visto como sao
moradores em lugar incerto e nao sabido.
Pede ao Illm. Sr. Dr. juiz do commercio da pri-
meira vara assim lhe delira.E R. M.Akoforado.
A qual sendo-me apresentada nella dei o meu
despacho seguinle.Distribuida; como requer. Re-
cife 28 de jonho da 1855.Silva Guimaraci.
E nada mais se conlinha em dito meu despacho, e
lendo sido distribuido ao escrivAo qoe esla subscre-
veu, lavrou o protesto seguinle :
Aos 28 de janho de 1855, nesla cidide do Recife
em meu escriptorio veio o supplicanle Manoel Pe-
reira Lamego, e diste em presenea das lestemonhas
abaixo assignadas que elle proleslava contra os sup-
plicados declarados na relacAo junta por todo con-
teudo da pelirao retro, e na conformidade da mes-
ma protestado lem alim deproduzir o devido efreilo.
10:3819426
CONSULADO PROVINCIAL.
Kcndimentodo dia 2 a 6.
dem do dia 7
18:6349*16
2:5488423
Julgo. por senlenca e cusas a prescripeo folhas, E de como assim o disse e prolestou fiz este termo
21:182o839
PRACA DO RECIFE 7 DE JULHO DE 1855,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios Houveram trsnsaccdes sobre Lon-
dres a 27 1|4 e 271i2 conforme as
condicOes do pagamento. Consta
que a Ihesouraria quiz tomar le-
tras a esle cambio, porm nao 11-
cliou saccadores a mail de 27 d.
por 19.
Algodao .... As entradit monlaram a 473 sae-
cas, que. foram inmediatamente
vendidas de (9200 a 69IOO por ar-
roba de primeira sorte. .
Assucar A entrada foi mu diminuta, e os
preces foram os inesmos, porm
mais firmes.
Couros- Venderam-se do 185 a-187 1|2n.
por libra dos seceos salgados.
Agurdenle- As ultimas vendas regalaran) 1
859 a pipa, porm hoje nao ie ob-
ten) mait este preco.
Bacalho Continua a ser procurado pelos
precoi de 7* a 109 por barrica,
ficando hoje em ser 4,000 bar-
ricas.
e mando que se proceda a citacao dital requerida.
Recife 2 de julho de 1855.Custodio' Manoel da
Silva Griimaraes. *
Nada mais se conlinha e nem se deeiarava ontra
alguma cousa em dita senlenca aqai copiada, em
virlude da qoal o escrivao que esta subscreven fez
passar presento carta de edilos com o prazo de 30
dias, pelo Iheor da qual chamo, intimo e hei por in-
timado o supplicado Anlonio Henriques de Miranda
por lodo o conlendo na petico e protesto supra
transcripto, para que compareca neste juizo dentro
do dito prazo por si ou por seus procuradores, seb
pena de revelia. Pelo que loda e qnalquer pessoa,
parantes, amigos e conhecidos do dito supplicado
Antonio Henriques de Miranda o poder fazer
scienle do que cima (lea exposlo, e o porleiro do
jnizo afiliar a presento na praca do Commercio, e
na casa das audiencias, sendo lambem publicado
pela imprensa.
Dada e passada nesla cdade do Recife de Per-
nambuco aos 6 de julho de 1855. Eu Pedro Tertu-
liano da Cunha, escrivao o suliscrevi.Custodio
Manoel da Silva'Gitimarae*.
O Dr. Custodia Manoel da Silva GuimarAcs, jniz de-
direito da 1. vara do commercio nesla cidade do
Recife porS. M. I. ele.
Faeo saber aos que o presente edital virem ou.
delle noticia liverem como Henrique Gibson me fez
a petieao do Iheor seguate :
Diz Henrique Gibson que sendo-lhe o padre Jo-
s Januario Pereira devedor da quanlia de 1*550,5
ra., importancia de urna leltra vencida em 17 de
novembro de 1850, que proteslou judicialmente
contra dito, devedor para que nao. corra conlra o
supplicanle a prescripcao, pois ainda ie nao acha
em que assignou com ditas teslemunhas. Eu Pedro
Tertuliano da Cunha, escrivAo o escrevi.Manoel
Pereira. Lamego, Luiz Francisco de Mello Tavarea,
Joaquim Jorge de Mello.
E mda mais ie conlinha (m dito proleslo, depois
do que se vio estar a relacAo dos credores do Iheor
seguinle.
RelacAo dit leltra! pertencenles a Manoel Pereira
Lamego, por si e como testamenteiro e tutor dos
orphAos de Goncallo Jos Alfonso.
Urna lellra de Jos Jacinlho Pacheco vencida em
12 de agosto de 1840 de rs. 5149590, 3 leltras de Ma-
noel Jos Pacheco, urna vencida em 11 de Janeiro de
1839 de rs. 7919390, outra cm 5 de agosto de 1839
de rs. 1999902, outra em 25 de fevereiro de 1840 de
rs. 3889U0, 4 leltras de Manocl Jos Tarares de
Araujo, urna vencida em 24 de agosto de 1831 de
rs. 3829430, outra em 20 de julho de 1339 da rs.
2249910, outra em 15 de dezembro de 1839 de ris
48*9520. outra em 1* de fevereiro de 18*0 de rs.
3199816, urna leltra de Bentb Jos Pacheco vencida
em 5 de abrii de 1840 de rs. 3959830, nma letra de
JoAo de Lima e Domingos Soares, vencida nm 19 de
Janeiro de 1839 de rs. 6969288, urna dila de Sabino
Jos da Cunha Pereira vencida em 8 de novembro
de 18*0, den. 1379680, 1 dita de Bento Francisco
Camelo, vencida em 28 de marco de 1842 de ra.
4259405, 2 ditai de Adriano Jos Botelho, 1 venci-
da em 10 de junho de 18*0 de rs. 6.59625, e outra
em 28 de setembro de 1841 de rs. 409560,1 leltra de
Jos Soares Garca vencida em 7 de abril de 1839
de rs. 4709065, 1 dila do Manoel Alexandre Tra-
visso vencida em 19 de julho de 1841, de ris
4799340, 1 dila da Jos Ferreira da Silva, vencida
mSOdeseletibrode 1840 den. 5779990,1 dita de
\
\
>
Antonio de 'Mendonca devedor ae casal daquelle fi-
nado da qaantia de 1:200*000 rs., por Ululo de urna
ledra vencido a 15 de marco de 1843. que hoje per-
enceeseu tutelado, qoer por isso para'reserva do
direilo do menor, protestar na conformidade do art.
453 3" para que Bqne interrompida a prescripcao,
e por isso requer 1 V. S. qae maride lomar por ter-
mo o sea protesto e iotima-lo por carta edital,
visto como devedor he lsenle e o luoplicante nao
sabe do sen domicilio certo. Pede ao Illm. Sr. Dr.
jaiz do commercio da primeira \an assim lhe deli-
ra. E R. MeProcarador, Rodolpho J080 Barata
de Almeida.
E nada mais se continha em dila petieao, a qnal
sendo-me apresentada, dei o mea despache segante?*
Distribuida ; como requer. Recife 30 de jnnho
de 1855.Silva Goimaraes.
B nada mal se continha em dito men despacho,
era virtude do qual foi a accio distribuida, e o es-
crivAo lavcoa o protesto seguinle :
Aos 30 le janho de 1855, nesla cidade do Recife,
em mea escriptorio, veio o commendador Domingos
\ffonso Nery Ferreira, e disse em presenta'ds les-
temonhas ibaixp assignadas qae elle protesteva
contra o supplicado por lodo conteudo na petleve re-
tro ; e na conformidade da mesma protestado lem"
afim de produzir o devido eSeilo. E de como assim
o diese e protestos, Dz esto tormo em que assignou
com ditos lestemonhas. E ea, Pedro Tertuliano da
Cunha, escrivJo o escrevi.Domingos AtTooso Nery
Ferreira.Luiz Francisco de Mello Tarares.Joo
Caelano de Abren.
E nada mais se continha em dito protesto ; depoil
do qual foram ioqneridas 3 leslemunhas que juslifi-
caiam 1, usencia do lopplicado, depois do que fora
jnlgado pela senlenca do Iheor seguinle :
Julgo por senlenca a jnstificacl* foltras, e mande
qne se proceda a cilacio edital requerida. Recife 5
de julho da 1855. Custodio Manoel da Silva Goi-
maraes.
Em virlude de dila minha senlenca, o escrivao fez
pasear o presento, por bem de qoal vai ser intimado
o supplicado do protesto aqui copiado, e mando a to-
das as pessoas parantes, amigos e conhecidos do sup-
plicado lhe facam aviso como he intimado do eras
proleslo para nao prescreveT a divide aqui mencidtM-
da, e este ser publicado pela imprensa e filiado
no logar publico do costme.
Dado e pateado nesla idade do Roerte eos 6 de
julho de 1855. E en, Pedro Tertuliano da Cunha,
escrivao o subscrevi.
Custodio Manoel da Silva GuimarSes.
0 Dr. Coslodio Manoel da Silva Gnimirae*, Jaiz do
direilo da primeira vara do commercio nesla ci-
dade do Recife, por S. M. I., etc.
Faro saber aos que o prsenle edital virem, como
por este mou juizo James Cmbtree & Companliii,
me fizeram'a petico do iheor legainte :
Dizm Jatees Crabtree & Companhia, que sendo-
Ihei Caelano Francisco de Barros Wandetley deve-
dor da qaantia de 3:7509000 rs., importancia de 4
leltras, sendo urna de 7509000 rs., vencida em|!6 de
maio de 13*7, outra de 1:00O900O rs., lambem ven-
cida em 31 de maio de 1849, e finalmente oatra da
mesma quantia, vencida em 31 de maio de 1850,
que protestan) judicialmente contra seroelhanie de-
vedor, sendo-lhe mimado o proteslo por edilos por
ser morador em lugar nio sabido e ausente para o
fim previsto pelo 3. arl. 453 do cdigo commer-
cial. Pedem ao Illm. Sr. Dr. juiz do commercio der
ferimento. E R. Me. O advogado, Martins Pe-
reira.
A qual sendo-me apresentada nella dei o met des-
pacho segarnle.
Distribuida ; como requeren!. Recife 28 de jnrihaV.
de 1855.Silva Gnimarlee.
E nada mais se continha em dito meu despacho, e
tendo sido diitriboido'ao escrivao qoe esle escreveo,
lavrou o proteslo segninte :
Aes 30 de janho de 1855, nesti cidade'do Recite,
em mea eserlpiorio.vierara JsaieiCrablree ACompa-
nhia,e dlsseram em presenciadas (eitomnnhas abaixo
assignadas que eiles protestavtm contra o sopptteado
por todo conteudo na petico retro ; e na Mbnnt*
\
M
r
1
' I

BaflV wm



I
i
\
i
s
\ dade di nmi premiado lem afim de prodaifr o de-
vido effcito. B di como assim o disseraro e protesta-
ran],fiz esle termo em que assigh rnm com ditas tes-
temunnas. E eu, Podro Tertuli ino da Cunha, es-
crivso o escrevi.James Crablree A Companhla.
Luiz Francisco de Mello Tarar.*. Joo Castao
de Abran. ,
E nula mito se coAtlnha em dito protesto, depoia
do que foram inqoeridis testero inhas justificando a
ausencia do sapplieade, em vist i do que subindo a
minha conclusao, profer a mioht senleura do theor
aeguinte :
lulgo por sentenca e caitas a justificarlo folhas e
mando que se proceda a cttar;ai> edit.il requerida.
Recito 5 de julho do 1855.CoitDdie MHnoel da Su-
ya UaimirSea.
E nada maii seeonlinha tm dita minha sentenca,
em virlude da qaal o eterivSo fe;: pastar o presente,
* em virtud! do qual he intimado o supplicado Caeta-
do Francisco de Barros Winderlt-y, do protesto aqui
transcripto, aflm de qne Dio prescrevs a divida a
causa mencionada, e para o qne ser este publicado
pela imprem e fluido no lug?r public do eoslu-
me, e mindo a (odas as pessoas, amigos, prenles e
ennhecidos do vnpplieado lhes ficero aviso desla in-
limaclto.
Dado nesla cidade do Recife ios 6 de jullio de
1853. E eu, Pedro Tertuliano da Cunha, escrivao o
subierevi.
Custodio Manoelda Silva Guimaraes.
O l)r. Custodio Mmoel da Silva Gulmaraes juiz de
direito di primein vara do civel o commerci0
nesla cidade do Recife de Pemambuco, etc.
Fleo saber aos que i presente carli de editas vi-
ren on delli noticia liverim, como Mmoel Jic-
ques di Silva eoulros.rne fuerain a pelicjlo (Jo Iheor
sesuinle :
Diztm Maooel Jicques da Silva e oulros herdel-
ros do casal do finado comnMmdador Antonio di
Silva, que possuindo mullos, i lulos creditorios de
obrigacoes mercaotis perlencentis ao mesmo cassl,
' dos quaes sao ajrredores om grarde numero de pes-
oasausenles de quemnao ha noticia, e onlras de-
1*r conherdas, acojas residencias silo incertas, querem
protestar para consenra^c restvi de seus dircilos
contra os ditos devedores, e por isso requercio os
i suppUdntes a V. S. que se digne de mandar qne
distribuida esto, i tome por termo u seu protesto, e
que s e passe caria de edilos para ser intimada aos
5 supplicados. coastanlM di retaejo junta afim de ve-
rem iuterromper-se a prescripcao na forma do art.
t *533 do cod. comm.
E Msira pedem a V. S.JUm^r. Ur.joiz de direito
do commercio deferimenlo. E R.M.Maooel Jac-
ques da Silva.
Distribuida ; como requeren). Recife28 de jo-
nho de 1855.Silva Guimaraes A Cunha. Oli-
veira.
Aos28djnhode 1855, nasa cidade do Recife,
em mea escriptorto, veto o snp ilicanle Manoel Jac-
, que* da Silva, disse em presenca das leslemonhas
abiixo asstgnadas, que elle protesiava contra os sup-
plicados declarados na petijao retro, em conformi-
Jdide da roesma protestado lem, afim de produzir o
, divido efleilo. E de como assiia o disseram e pro-
( leslarara, fi*,*tU lermo cm qun assiguaram com di-
tas iMiemanbai. ,
Eu Pedro Tertuliano da Cunha, escrivSo o escre-
vi.Manoel Jacquet da,Silva.Domingos Barbosa
i f Rodrigues-Manoel RaymundPanaforte.
\. Os berdeiroido Mrquez. de Queloz, moedi for.
te, 7i*96|010 rs. i Vicente Ferreira Padilha Cal-
lomby, moeda correnle, 11:076*179 rs. ; Gil Tho-
. mas dos Sanios, 90&ft530 rs. ; herdeiros de Joi-
V quim Luto Viraes, l:821j>344 r.. ; Joaquim da Fon-
aaif' anea Soares de Figoeiredo, *76t789 rc.; Benlo
Jos da Cosla,4:a04,948 rs.; herdeiros de Dioso Tei-
xeira de Macede.5:9709609 rs. ; Lauriano Antonio
Ribeir, 3:5458090 rsJ ; Jos Antonio Machado,
8.-836J7*rs.; Manoel Uetonodetooveto,7:29314
ri. ; Jos Luto de Abreu, 99IJ772 ; Antonio Jos
- Moreira Gomes, 2:40-29548 rs. ; herdeiros de An-
tonio Tristio de Serpa Brandlo, 1:1*28416 rs. ; di-
CT^ 'os de Manoel Pereira Guimaraes e Jos Antonio
Pinto; I:jBI8II3 rs.; diloi d., JoSo Jos da Silva
Nitlo, 1:055*930 rs. ; ditos de Honorio Jos Teixei-
% ra, 3:744*173 rs.; ditos de Antonio Francisco da
Silva, 3693961 ; ditos de Jos Vicente da Silva,
_ 5 773JM44 fi.; ditos de Thomait de Araojo Pereira,
148J460 rs. ; Fnncisco Jos la Cosa, 4958000 rs.;
Tiro e herdeiros de Jos Mu lini Suriano, 6058476
rs.; herdeiros de Antonio Bernardo Rodrigues Sel-
le, 600)000 rs. ; Antonio di Rocha Wandcrley,
\ 9539095 rs.; Jos Antonio da Cosa, 8299440 Fran-
^1 cisco XivierPaes de Mello, 2:5499513 rs.; Miguel
do Sacramento Lopes Gima, lOOpOOO-rsr-}
DIARIO OE PERMRBUCO SEGUNDA FEIRA 9 DE JULHO DE 1855
>
i
I'
1
!.
h
?
r
Venirte1
ThomaTiTW-de Figoeiredo (^amargo, 3479270 rs.;
herdeiros de D. Isabel Ron Carneiro Monleiro,
4119842 rs. ; Bernardo Jos ca Cosa, 4659500 rs.;
Symdiberg & C, 1789582 rs.; Amonio Smiles
Robado. 2709000 rs.; Jos iolooiu deSouza Vei-
r, 1049593 rs. ; herdeiros di Antonio Jos da Cos-
ta, 6409000 rs. ; Jos de Mell Cesar de Andrade,
229)4395 rs.; herdeiros de Patricio Jo de Oliveira
M.ciei, 1809027 rs. ; ditos du Manoel Jos Marlins
Kibeiro, 1009000 rs.; ditos dt Luir. Manoel Coe-
llio,-5389841 re. ; Antonio Jicinlho Xavier Cabrar,
2t4#000 rs. ; Bonifacio Maiimiino de Mallos ',
^739320 rs.; Jos Fernandos Soares, 349382 ra. ;
liano Anloaio da Fonsena, 209000 rs. ; Anto-
nio lose Pinte Goimaraes, 398651 rs.; Uenrique
Martina Pereira, 959407 rs. ; Manoel Ignacio do
Reg, 49*446 rs. ; Alexandre Thomai Seabra de
MeUo, 389000 rs. ; Joaqsim Jos Galvio, 509000
rs. ; Joaqun) Fnncisco do Rigo, 20JOOO rs.; Chris-
(ovlo Guilherme Brekenfeld. alm dos juros, 388140
rs.; Alexandre Mara Mootairo, 59>r20 rs. ; Luiz
Custodio Gorreia, 2519450 rs.; Joaquim Viilerio Ta-
vares, 580*520 n.; Francisco Jos de Barros & C,
fallidos, 5139819 rs. ; herdeiros de Jos da Silvs Pin-
to e Mirto da Luz dos Santos, 1:7729595 ; ditos de
Francisco Milaqnin do Amnril, 442*473 re. ; Jos
da Silva Braga, 501*008 rs. ; Jos Salvador Civil-
leiro, 70*980 rs.; Manonl Alves'de Carvalbo,
1:158*460 rs.; Bernarda Jos Pereira Guerra
1:407*439 rs. ; Antonio Joaquim do Carmo Nunes,
2:522*070 rato ; Alexancre da Silva Marns,
1:636*465 rs.; JoSo Estanislao da Cruz Figoeiredo!
454*524rs.; Jos Ignacio Yaz Vieira, 392*315 rs.;
vinva de Marques di. A. Fillioa, 809099 ; D. Ma-
ra de Piano Borgee, 395*1150 rs.; l'homaz Pereira
Lages, 125*000 rs. ; Diogo Jt Marlins, 2,619*132
rs.; Maooel Fernaodes liabuco, 53*825 rs.; Ma-
noel Antonio Gllvlo, 1:1X*920 rs. ; Jos Joaquim
de Soolo, 327*970 re.; heiileiros de Francisco Jos
Ferreira de Mello, 4:401*500 rs.; Joaode Frailee
Coelho, 79*000 re. ; Antotio Jos Pinto Guimaraes,
422*550. ; Damiao Antooio de Carvalho, 115*435
Nicolao da Silva Azevedo, 66689.50 rs. ; JoSo de
Barros Reg Acciol, 52&5SI3 rs. ; Jo3o Antonio de
Almelda & Fllhos, 22*902 re. ; Alexandre Luiz de
Araojo, 728*408 re. ; Antonio dos Sanios Nazareth.
1:166*033 rs.; Jlo da Silva e Oliveira, til 12*310
rs.; Ignacio Joaquim da Silva Braga, 1:211*138 rs.;
Rodrigo de Sosia da Silva Pinto, 303*168 rs. ; Jo-
s Fernandas da Cunhi, 1:275*792 re. ; Rila Joa-
quina de Sania Anna, 109*480 rs. ; Francisco de
Me^V) Vaseoncellos, 170*645 rs. ; Jos Riymundo
Y eln, 88*301 rs. ; herdeiros de Joao Neporooce-
i. Carnelro da Cunha, 9:1163754 rs. ; ditos de Jos
Eslevfln de Agolar, 790*991 m. ; Alexandre Jos de
Carvalho, 300*000 rs. ; Joaquim Xavier da Mala,
45*000 re. ; Francisco Jos da Costa Guimaraes,
64*000 rs. ; Antonio Francisco dos Santos, 1148833
re. ; Joiqnim Jos de Carvalho, 65*050 rs. ; Jos
Fsrnindes Portugal, 129*522 re.; padre Fclix Fran-
cisca Correia Bigueira, 140*000 n. ; Jos Caetaoo
Borges, 22*600 rs. ; Venc sl.lo Miguel de Almeida,
67*508 re.; padre jfos Fernandes dos Sanios, 11*200
rs. ; Raynrando Thomnz Pcrerc Dulri, 494*164
re. ; Jos Aolonio de Oliviin, pescador, 4*000 re.;
Cselaao-Cordelro de Anujo Feio, 162*113 n.; viu-
va Moraes & Carvalho, 10-l*075 rs.; JoSo da Malta
209*549 rs. ; Gabriel Archanjn Raposo Soires, 589130
rs. ; pidre Anlonib Francisco da Silva, 28*179 rs. ;
Jos Mara de Visconcelli* Bombn, 76*029 rs. ;
Jos Coelho Guimaraes & Filho, 9*070 rs. ; Verissi-
nia Rodrigues Bello, 91*37;! re.; .ioaquim Jos Fer-
reira Campos, 3*541, ; Loaren*, Antouo Polery,
500*875 rs. ; Antonio Ferreira Mala, 3*6*405 rs.
Maooel da Molla Silviira, 98*000 re.; BeAiardino
de Sena Das, 70*000 rsr; Francisco Casado Lima,
13*440 re. ; Jos Gregorio de Mallos Pinto, 169*090
Francisco Xavier Ribeiro, 39*851 re. ; Joao Ma-
noel de Almeida, 41*070 ; herdeiros de Jos Anto-
nio Gomes, 1:017*048 rs.; ditos de Antonio da Silva
Coelho, 265*170 rs.; ditos de Joito Baptisla Monlei-
ro, 9:462248.re.; ditos di pidre Jos Mirrelino
Goofarres da Carvalho, 1:457*146 rs. ; Jlo Fren-
tico de Sooza Paral, SOOlOOO re. ; Sebastio Al-
ves de Mello, 44*000 re. ; Francisco Izidoro Tr-
baull de Arbeville, 717*785 rs. : Francisco Pereiri
GnimarHes, 98*156 r.. ; Antonio di Silva Queiroz,
299S896 rs.; Luiz di Costa Goimaraes, 3*555 rs. ;
Manoel Caelano de Pinho, 173*660 rs. ; Jos de
Carvalho de Frailas, 6*000 rs. ; Joaquim Ignacio
Cillido, 18*830 re. ; Francisco de Barros Pimenlel ;
b7*160 rs. ; herdeiros de Fnncisco XaviMile Oli-
veira, 80*525 Jacintho Ignacio, 21*900 re. ; Jos
do O', 53*150 re.; Amonio Pereira 1:531*122 rs. ;
os herdeiros do desembagador Venineio Bernardino
Uehoa 278*311 reis ; Luiz Amable Ligneao ,
1:596*436; Jos de]MattosGirao, 630*012 rs. Jo-
s Fernandes Lopes, 379800 rs. ; Gregorio Jos de
Sooxa, 2:938*098 rs. ; Manoel Monleiro de Si,
876*720re.; Jicintho Joao da Ora ou seus herdei-
ros, 462*256 rs.; masa fallida de Diogo Borne & C,
21:087*000 rs.
E mais senio conlioha em dita pelirio, de spacho,
distribuirlo, termo de protestoe relacao dos deve-
dores aqui copiada, em virtude da qual produzio .
opplcante suas testemunhas, e subindo,os autos a
minha conclusao dei a sentenra do theor sesuinle :
Jalgo porsenlenc? e cuitas a juslificacao folhas, e
mando que se proceda a cta^ao edita! requerida.
Recife 3 de julho de 1855^Custodio Manoel da
Silva Guimaraes.
E mais senao continha em dita senlenr.i aqui co-
piada, em virtude da qual mandei passar a presente
pelo theor da roesma, hei por intimados os sappl-
cados do referido protesto, que ser publicado e alli-
xado nos lugares do coitume, o publicado pela im-
preiisi.
Dado e pitsado nesla cidade do Recife 6 de jolho
de 1855.
Eu Pedro Tertuliano da Cunha ^scrivUo o subscre-
vi.Custodio Manoel da Silva Goiroiries.
O Dr. Coslodio Manoel da Silva Guimaraes, juiz
de direito da l. vara do civel e commercio deja
cidade do Recife por S. M. I. e C. ele.
Faro saber aos que a prsenle carta de edilos .Ti-
ran) ou della noticia (iverem, em como Joao Moreira
Marques por seu procurador me faz a pelirao do
Iheor seguinle :Diz JoSo Moreira Marques por seu
procurador, que elle quer justificar a ausencia o in-
frela da residencia de seus devedores de ledras,
notas, promisorias e obrigac,oes, e protestar nao lhes
correr a prescriprao, sendo elles intimados por edi-
los na conformidade do art. 453 $ 3.' e sao elles:
Aogusto Bandein & C, rs. 142*250, Jos dos San-
ios da Silveira 200*000, ltraz Marcelino do Sicra-
menlo 150*000, Fernando da Cosa 120*000, Joa-
quim Manoel de Castro 509000, Thmaz Jos da
Silva 400*000, Manoel Pereira da Silva 10*000, JoSo
Elias do Reg Dantas 228*000, Sergio Tertuliano
Castello Brauco 40*000, Manoel Gomes da Crui
105*000, Joaquim Jos Leitao 80*000, 'Joao Stuarl
Borburcma 105*730, Gonralo Alvas Tavares 52*350,
padre Joaqun Jos de Menezes 66*040, Luiz Jos
de Sampaio 200*000, Esmenldo da Conceicao Pas-
sos, oque restar desua lettra de 161*000, Joao Bor-
ges de Mendnnca 297*333, Manoel Antonio da Silva
Bastos 156*060, Malhiai de Albquerque Mello
195*068, Antonio Joaquim da Silva 55*000, Joa-
quim Correia Leal 20*000, Jos da Costa Albquer-
que Mello 21*680, Joao Das Birbosa 20*000, Ma-
noel Martina Cardoso 44*480, Francisco Antonio
Ferreira Farofa 60*000, Antonio Jos Alves de Me-
nezes 148*000, Raymundo Jos Pereira Bello 12*,
Joaquim Jos Marques 28*000, Joaquim Paulo de
Lira Flores 40*000, Joaquim Sebastao Alves da
Fonseca 409000, Justina Mara Rufina 50*000, pa-
dre Joao Henriqoes da Silva 77*000, e Sebastao
Jos de Souza 209000. Portanto requer a V. S. man-
de tomar o protesto, e justificado, passar a carta de
edilos na conformidade do eslylo. Pede ao Sr. Dr.
Juizjio civel e do commercio assim Ihe delira.__E
R. M.Epaminondas de Mello.
Distribuida : como requer. Recife 28 de junho
de 1855.Silva Guimaraes. A Molla.Oliveira.
Aos 28 de junho de 1855 nesla cidade do Recife,
em meu cartorio veo Joao Paulo Xavier de Salles,
procurador bastante do protestante Joao Moreira
Marques, e disse perante mim e s leslemuuhasabac-
io assignadas, que protesta de conformidade com a
pelirao em frente, e de como assim o disse fix este
termo em que se assignou com o procurador bastan-
te do protestante com as teslemonhas ahaixo assig-
nadas. Eu Manoel Jos da Molla, escrivao escre-
vi.Joo Piulo Xavier de Salles.Miguel Archan-
jo Fernandes Vianoa.Joao Manoel Meudes da Cu-
nha Aievedo.
E mais se nao continha em dita pecao, despacho
e termo de protesto aqui ludo copiado. Uepois do
que em virtude do despacito, produzio o supplicanlc
rnonhns, e send^-meo'tos coflTos'cYin
sol Tesim
vista dellas, dei a tentenca do Iheor seguinle.
Juigo por seotenca e cusas a juslificacao folhas,
e mando quo se proceda a cilarao edilal na forma
requerida. Recife 2 de jolho de 1855. Custodio
Manoel da Silva Guimaraes.
E mais se nao continha em dita seotenca aqu
transcripta, e em virtude da qual passou o escrivao
que esta subscreveu, aprsenle caria de edilos com
o praco do eslylo, pela qual e sen theor hoi por in-
timados aos supplicados declarados na peli;ao aqui
copiada de lodo o cooloudo na mesma pelijao e ter-
mo de protesto, pelo que toda e qoalqner pessoa,
prenles ou amigos dos supplicados o podero fazer
sciente do'que cima fica exposlcj. E o porleiro do
juizo aullar o presente nos lugares do coitume, e
ser publicada pela Imprensa.
Dada e paseada nesla cidade do Recife aos 2 de
julho de 1853.Eo Manoel Jos da Molla, escrivio
a subscrevi.
Cutlodio Manoel da Silea Cuimaraes.
O Dr. Custodio Minoel di Silva Guimaraes, juiz de
direito do civel a commercio, desla cidade do Re-
cife, e seu termo porS. M. I. e C.,elc.
Fajo saber aos que o presente edilal virem
e delle noticia liverem, que Francisco JoJo de Bar-
res, me dirigi a peticSo do theor seguinle :
Diz Francisco Joao de Barros que sendo-llie deve-
dores os herdeiras do Joa Bernardo Fernandes Ga-
ma, de orna lettra mercantil do valor de 193*000 re.
vencida a 24 de marco de 1843, e os herdeiros de
Antonio de Oliveira Meflo, da quantia de 469720
re., valor de outra vencida a 14 de agosto de 1848,
os quaes devedores se adiara auzentes sera que delire
luja noticia nem sejam condecidos os logares de la
respectiva residencia, quer o supplicante protestar
para conservarlo e resalva do sen direito-contra os
inpplicidos, e por Isso requer a V. 8. que se digne
mandar lomar por termo o seu protesto, e quer se
passe cart de ediles para ser intimada aos suppli-
cados, afi ra de verera inlerromper-se a prescrip^ao na
forma do art, 453, 3. do cdigocommercial, e assim
pede ao Il[m. Sr. I)r juiz de direito e do comm.
deferimenloE R. MeFrancisco Joao de Barros.
Distribuida ; como requer. Recife 28 de junho
de 1855.Silva Guimaraes.A Baptisla.-Oliveira.
Aos 28 de junho de 1855, nesla cidade do Recife
de Pemambuco, em meu cartorio veio osupplicante
Francisco Joao de Barros, a disse peranle as tesle-
munhas ahaixo assignadas, que protesiava na
forma de sua pelijao relro contra os supplicados re-
feridos em dita petisao.e de como sssim o disse e
proleslou, fiz este termo que assignou coro as teste-
munhas. Eu Manoel Joaquim Baplisti, escrivao
interino o escrevi.-- Francisco Joa de Barros.
Francisco de Oliveira Mello e Silva__Luiz Francis-
co de Mello Tavares.
E produziodo o supplicanlc suas lestemunhas pro-
vando dos supplicados subindo os autos a minha con-
clusao nelles dei ;a senlenja do Iheor seguinle :
Julgo por sentenra e costas a jaslificacao a folhas,
emando que se proceda a cilarao edilal requerida.
Recife 4 de julho de 1855. Custodio Manoel da
Silva Guimaraes.
Em cumprjmento desla minha scnlenca o escri-
vao interino Baplista passou editaes, pelo theor dos
quaes chimo, cilo a hel pnr citados os supplicados
devedores cima referidos por lodo o conteudo na
pelirao e protesto suprn transcripto: pelo qne (oda
e qualquer pessoa, prenles, amigos e condecidos dos
supplicados devedores, lhes podero fazer trenle do
que cima fica exposlo, e o porleiro do juizo alUxar
um dos prcsenici editaos na praca do Commercio, e
oulro na casa das audiencias, e se publicar pelos
jornaes.
Dada e passada nesla cidade do Recife de I'er-
nambuco 4 de julho de 1855. Eo Manoel Joaqaim
Baplista, escrivio interino o subscrevi.
Cuitodio Vanotl da Silva Gulmartim.
O Dr.Custodio Manoel di Silva Gnirairdes, jatz de
direito da 1.a vara do comrmsrcio, nesta cidade do
Recife de Pemambuco por S. M. I. e C. qua Dos
guarde etc.,
Faco saber aos que a presente carta de edilos
virem ou della noticia liverem,em como Joo Keller
& C, me dirigiram por escripia a petlcao do Iheor
setHiiiito :
Biiom Joao Keller & Companhia.que sondo-lhes :
Joaquim da Silva Guimaraes devedor da quantia de
575*000 re., importancia de urna latir vencida em
3 de maio de 1848, 25*300 re., saldo do outra lettra
vencida 3 de fevereiro do mesmo inno, Jos de
Oliveira Campos, da quantia do 800*430 rs., total de
4 Ultras vencidas a 3 de novembro o 30 de dezera-
bro de 1818 30 de Janeiro e28 de faverelro de 1849,
Jos Joaquim de Almeida Guedes, da quantia de
434*685 ra., toUl de Ires lettrss vencidas aos 11 de
dezembro dos anoos de 1848, 49 e 50 ; Eslevao Jos
Paes Brrelo, da quantia de 163*000 re., de ama let-
Ira vencida em 12 de junho de 1846 ; Jos Joaquim
Machido Pimenlel, da do 967*200 re., de urna Ultra
vencida em 10 de Janeiro de 1849, e Francisco Paes
Brrelo, da qnantia de 68*420 rs., lambem de urna
Ultra vencida a 21 de maio de 1831 : querem fazer
enlimar protesto judicial, para que nao corra contra
os supplicanlesaprescripsiolque correria.se nao pro-
testassem, lendo-lhes intimados por edilos, por se-
rem de residencias incertas, e ausentes em lugar
nao sabido, todo segundo o determinado no 3. do
art. 453 do cod. comm.
Pedem ao 1 Um. Sr. Dr. juiz do commercio defi-
rimenlo.E R. MeAlcoforado.
Nada mais se continha em dita pelirao, a qual
sendo-mc apresentada nclla dei o despacho se-
guinle :
Distribuida ; como requerem. Recife 28 de junho
de 1855.Silva Guimaraes.
E liada mais se continha em dilo despacho em
virtude do qual o escrivao aquem (ocou a distribui-
do da pelirao, lavrou o seguinle termo de pro-
testo :
Aos 28 de jonho de 1S.55, nesla cidade do Recife,
perante mim e as testemunhas abaixoassigoados, dis-
seram Jlo Keller A- Companlna, qoe protestavam
como de ficto protestado lem na forma declarada na
pelirao retro contra Joaquim da Silva Guimaraes.
Jos de Oliveira Campos e Jos Joaquim de Almeida
Gnedes, e oulros "constantes da dita petizo relro, que
fica sendo parle do presente, e de como assim o disse
e protestou na forma da sopradila pelirao, assignou
com as teslerouohas abaixo declaradas. Eu Joaquim
Jos Pereira dos,Sanios, escrivao o escrevi.JoSo
Keller & Companhia. Jo3o Caelano de \breu.
Jeronymo Theotonio da Silva Loureiro.
E havendo os supplicanlas provado com lestemunha
a ausencia e incerteza da residencia dos supplicados,
e fazendo-me o respeciln escrivio os autos conclusos
nelles profer a scnlenca do theor seguinle :
Julgo por scnlcnr.i e custas a justificarlo folhas, e
mando qoe se proceda a cilarao edilal requerida.
Recire 2 de julho de 1855__Custodio Manoel da Sil-
va Guimaraes.
Avista do que hei por intimados os supplicados
supra declarados pelo conteudo da pelictlo c protesto
nesla insertos, afim inlerromper a prescripcao dos
dbitos nesla mencionados : pelo que lodos os p-
renles, amigos e condecidos dos ditos ausentes os po-
dero fazer scienles de ludo quanlo fica exposto.
E para conciar mandei passar a presente e mais
outra do mesmo Iheor, sendo urna publicada pela
imprensa, e outra afiliada pelo respectivo porleiro
no lugar do coslume. Recite 5 de julho de 1855-
Eu Joaquim Jos Pereira dos Sanios, escrivao o
subscrevi.
Custodio Manotl ia Silca Guimaraes.
O Dr. Coslodio Manoel da Silva Guimaraes, juiz de
direito da 1.a vara do civel c commercio, nesla
cidade do Recife de Pemambuco, etc.
Faro saber aos que a presente carta de edilos virem
ou della noticia (iverem em como Uenrique Brunn,
carador fiscal da musa fallida de Joaqnlm de Oli-
veira Maia Jnior, me fez a pelirfio do Iheor seguin-
le :
Diz Uenrique Bruno, curador fiscal da missa fal.
|ida de Joaquim de Oliveira Maia Jnior, quequer
protestar judicialmente contra os devedores da dita
massi que sao os seguintes : Guilderma Piolo Xa-
vier, da quanlia de 234*600 de principal de orna Ul-
tra aceita por elle e vencida em 19 de dezembra de
1850, alm dos juros de 2 por cento ao mez, Jos
Luiz de Oliveira Azevedo, da quanlia de 2:820*665
s. de principal de orna lettra aceita por elle, e ven-
cida em 13 de dezembro de 1846, alm dos joros de
2 por cento ao mez, Severjno Rodrigoes Lins da
quantia de 430 rs., de principal de urna lettra acei-
ta por elle, e vencida em 2 de agosto de 1850, alm
dos juros de 2 por centono mez, Antonio Gregorio
Kaciano, da quautia de 950*785 rs., de principal de
ama Ultra aceita por -He c vencida em 20 de jn-
nho de 1850, ales* Jos juros de 2 por ccnlo, c sendo
ignoradas as resic \as actuies dos mesraos devedo-
rot^sefacjjjiiiilir..____;)o protesto por edilos para o
fimprvBHT!o^. doVrt, 453 do cod. commercial.
Pede ao Illm. Sr. Dr, juiz do commercio assim o
delira.E R. Me Advogado, Fonceci.
Distribuida ; como requer. Recito 30 de junlio
de 1855.Silva Guimaraes. A Sanios__Oliveira.
Aos 30 de junho de 1855, nesla cidide do Recife,
peranle mim e ai leiterouodas abaixo assignadas
diste Miguel Jos de Almeida Pernamboco, como
procurador bastante de jlenrique Brunn, como ca-
tador fiscal da massa fallida de Joaqaim de Oliveira
MaU Jnior, queproleslava como de fclo protesta-
do lem otuira Guilherme Pinlo Xavier e oatros, e
de como o disse e protestou na forma de saa pelia
retro, qoe fica sendo parle do presente, e assignou
com as lestemunha abaixo assignadas. Eu Joa-
quim Jos Pereira dos Santos, escrivao o escrevi.
Miguel Jos de Almeida Pemambuco. Luiz Antonio
dos Sautos.Anlonip Pinlo de Barros.
E mais se nlo continha em dita pelillo, despacho,
distribuirlo a lermo do protesto aqui^copiados, em
virtude do qaal produzio o supplicante suas testemu-
nhas, a sobindo os autos a conclusao dei a raiulia sen-
lenca do Iheor seguinte :
Julgo por sentenca e custas a juslificacao folhas, e
mando que se proceda a citaran edilal requerida.
Recife 5 de julho de 1855.Custodio Manoel da
Silva Guimaraes.
E msis se nao continha em dita sentenca aqui co-
piada, em virtude da qaal se passou 'a prsenle, pelo
tli >or da mesma hei por intimados os supplicados do
referido protesto, que ser publicado e allivado nos
lugares do cosame, e publicado pela imprensa.
Dada a plisada nesla cidade do Recife de Per-
uambuco aos 7 de julho de 1855. Bu Joaquim Jos
Pereira dos Sanios, escrivao o subierevi.
Custodio Manoel da Silva Guimaraes.
O Dr. Coslodio Manoel da Silva Guimaraes, juiz de
direito da primeira vara do civel e commercio
nesta cidade do Recife e seu lermo, por S. M. L
e constitucional qne Dos guarde etc.
Faco saber aos que o presente edilal virem ou
delle liverem noticia, como Antonio dos Sanios
Siqueira Cavalcanti Jnior me dirigi por escripia a
pelicjlo do theor seguinle :
Diz Antonio dos Sanios Siqueira Cavalcanli J-
nior inventarame do finado Dnminzoi Antonio
Gomes Guimarae*. que sendo devodor aquello fi-
nado por Ultras j vencidas Antonio Pedro de S
Brrelo da quantia de 253*836, o mesmo de 285*616,
Prudencio Jos Lobo de Figoeiredo 203*910, Jos
Eloy Machado 130*793, Thereza de Jess Lopes
300*195, a mesma 292*000, a mesma 250*000, An-
tonio Januario Paes Brrelo 1:120*000, o mesmo
1:406*450, /os Cl indino l.eile 135*350, Dr. Her-
rulano Goncalvps da Rocha 1:000*, Jo3o Manoel de
Barros Wandcrley 450*000, Francisco de Pauli do
Reno Brrelo 104*800, Francisco Aflonso Ferretea
87*000, Antonio Claudino de Paula Pessoa 33*780,
Anetelo Alves da Silva 54*200, Joao do Reg
Barros 29*, Manoel Joaquim da Costa IOS, Bernar-
do Jos da Cusa 228*000, Francisco Jos da Costa,
papel de crdito, 1:000*, Thomaz de Aquino Rodri-
gues 61*, Francisco Jos Alves Gama 1IOS150, quer
o suppliranle protestar judicialmente contra ditos
devedores, para qne nao corra a prescripcao de se-
melhanles dbitos, sendo dilo protesto intimado por
editos, segando o disposto no paiagrpho 3 du arl.
453 do cdigo comm., porserem aquelles devedores
auseutese de residencias incertas.
Pede a V. S. Illm. Sr. Dr. juiz de direlo do com-
mercio da l. vira deferimenlo.E R. M. Procu-
rador Rodolfo Joao Barata de Almeida.
Nada mais se continha em dila peticao, a qual sen-
do-me apresentada nella dei o despacho seguinle:
Distribuida ; como requer. Recife 26 de junho
de 1835.Silva Guimaraes.
Nada mais se eonlinha em dito meu despacho, cm
virtude do qual o escrivao a qaem foi dita pelirao
distriboida, lavrou o lermo do protesto do theor se-
guinle ;
Aos 28 de junho de 1855, nesla cidade do Becife,
peranle mim e as teslemonhas abaixo assignadas,
disse Anlooio dos Santos Siqueira Cavalcanli J-
nior, como leslamenieiro e invenlariante de Domin-
1 o Antonio Gomes Guimaraes, que prolesta como
de fado protestado lem, contra Antonio Pedro da,
S Brrelo e oulros, pelos motivos declarados em sua
pi-ro relro, e de como disse e prolestoa na for-
ma da dita pelirao. que fica sepdo parle do presen-
te, assignou com as testemunhas abaixo declaradas.
Eu Joaquim Jos Pereira dos Sanios escrvo o
escrevi.Antonio dos Santos Siqueira Cavalcanli Ja-
nior.Luiz Francisco de Mello Tavares. Cimillo
Aogusto Ferreira da Silva.
Nada mais se continha em dito protesto. E ha-
vendo o supplicante provado com teslemunlias a au-
sencia e Incerteza das residencias dos supplicados,
e fazendo-me o respectivo escrivao os autos conclu-
sos, nelles profer a seguinte senteuca :
Julgo por seotenca e cusas a justificado folhas, e
mando qoe se proceda a cilarao edilal requerida.
Recife 3 de julho de 1855.Custodio Manoel da Sil-
va Guimaraes.
Nada msis se continha em dita sentenca, em vir-
tude da qual o respectivo escrivao lez passar a pre-
sento carta edital, pela qual hei por intimados os
supplicados ausentes cima declarados por lodo o
contundo da pelirao e protesto nesta inserios, afim de
inlerromper a presencio dos dbitos nesla mencio-
nados ; pulo que todos os prenles, amigos e conde-
cidos dos ditos ausentes, os poderlo fazer scienles do
eiposto.
E para constar mandei passar o prsenle mais
oulro do mesmo theor, sendo um publicado pela im-
prensa e oulro afinado no lugar do cosame. Re-
cife 5 de julho de 1855.
Eu Joaquim Jos Pereira dos Nautas esnivao 0
subscrevi.Custodio Manoel da Silva Guimaraes.
O Dr. Coslodio Manoel da Silva Guimaraes, juiz de
direito da primeira vara civel e commercial por
S. M. I. e C, ele.
Faco saber aos que a presente carta de edilos vi-
rem ou della noticia liverem, que Jos Mara da
Cosa Carvalho lestamenteiro e tutor dos orpdaos fi-
llios de Joao Antonio Marlins Novaos, requereu-me
o conteudo cm sai pelirao do Iheor seguinle :
Jos Miria da Costa Carvalho, testamenleirn e tu-
tor dos orpliaos lillms do fallecido Joao Autonio
Marlins Novaes, conservando em seu podar diversos
ttulos de credilo pertencences a heranra do mesmo
fallecido, e nao querendo carregar com a responsa-
bllidadede taes ttulos, visto serrn os devedores em
grande numero, pessoas descondecidas de residencias
inccrUs nesla provincia, e fra della e dos quaes nao
lem noticia, vem o supplicanlc protestar segando o
que diipOe o irl. 453 3 do cdigo commercial e
requer que lomado por termo o seu protesto, epro-
cedendo-se nos termos legaes se passe carta da editos
para serena intimados do dito protesto e verem correr
do novo n prescripcao sendo intimido' pessoaImenle
a devedores Antonio Jos de Oliveira, Manoel Ze-
feriuo de Castro Pimenlel, viuvade Guilherme Pa-
tricio Bezerra Cavalcanti, e assim pede ao Illm. Sr.
Dr. juiz do civel da primein vm deferimenlo,E
R. M.Jos Mara da Cosa Carvalho.
Dislribnida ; como requer. Recife 25 de jonho
de 1855.Silva Guimaraes.
Aos 26 de junho oe 1855, nesla cidado do Recite
de Pernamboco em meu carlorio veio Jos Mara
da Costa Carvalho testamenleirn e tutor dos orphaos
filhos de Jo3o Antonio Marlins Novaes e disse pe-
rante mim e as testemunhas abaixo assignadas qua
protesta de conformidade com a pelirao relro, e de
como assim o disse O este termo em quo assignou o
protestante com astesteraaiihasabaii.oassigoadas.Eu
Manoel Jos da Molla, escrivao a escrevi.Jos Ma-
ra da Costa Carvalho.Jos Goocalves de S.Es-,
tanislo Pereira de Oliveira.
E mais se nao eonlinha em dila pelirao despacho
e lermo aqui transcriptos depois do que se s?gue a
relarao do Iheor seguinte :
Manoel Francisco Munz 135*452 ; Manoel Jos
Pinlo 26*720 ; Joaqaim Jos Alvim 13*200 ; Ma-
noel Jos da Silva 52*; Mnlaqaias Jos 8*060;
Ignacio Teixeira da Fonseca 24*220 ; Jos de Me-
deiros Arruda 121*360 ; Antonio Rodrigues Porto
163*600 ; Manoel Joaquim Viudas 169280 ; Igna-
cio Joaquim Braga 4109643 ; Jos Alves Cordeiro
26*420 ; Jos Francisco Vieira 11* -, Miguel Fran-
cisco Ha pozo 72*992; Manoel Teixeira Peixolo
159527; Francisco de Medeiros Cabral 69*860; Joa-
quim Francisco de Oliveira 138*012; Luiz Jos
Fernandes 751*680 ; o mesmo 1:103 ; Chrislovao da
Rocha Wariderley,10*600 ; Antonio Gomes da Silva
Jnior 95*155 ; Joao l/>pes Bandeira 14*080 ; Tra-
jano de Alencar Renevides 49*460 ; Jos Antonio
Alves 465*750; Antonio l.eile da Silva 522*148;
Arcenio PanluUao Cadaval 30J760 ; Joaqaim Jos
Esleves 186*427 ; Gonjalo Gomes Duarle 130*;
Antonio Fernandes Angola 50*956 ; Alexandre Jos
de Barros 19*883 ; Gil de Frailas Costa 800*; o mes-
mo 20*334 ; Jos Podro Alejandrino 100* ; Anto-
nio da Silva Polixao 382*580; Manoel Leilo de Aze-
vedo 201*720 ; Joao ChnsoHomo de Guiman e Mel-
lo 250* ; o mesmo 250* ; Thomaz Fernandes Viei-
ra 202*190; Francisco Antonio Vieira 122*571 ;
Joaquim Pereira Lima 270*140; Hereulano Alves
Lima 107*740; Ignacio Beuto Ribeiro 287*420 ;
Francisco Ignacio da Silveira 75*140 ; Aotonio
Marlins da Silva Moita 206*540 ; Leonardo dos San-
ios Nogueira 752*780 ; Joao Marinho Falcao
1:101*506 ; Francisco Marques de S 549*450; Fi-
delis dos Santos Cavadinho 401*771 ; Andr Ferrei-
ra da Cunha 68*128 Joaquim Jote Bezerra Jnior
424*470 ; Theodoso Rodrigues Valenra 89*580 ;
Lucas Beangelisla dos Santos 62*690 ; Jos An-
tonio de Barros 1:000* ; o mesmo 85* ; Antonio
Joaqaim da Silva Carapeba 1:091*073; Francisco
Antonio 134*210 ; Patricio Jos de Almeida 9* ;
Engenioda Silva Lacerda 2319193; Manoel Caval-
canti de Albquerque Lcenla Bretn 428*245 ;
Jeronymo de Faria Santos76*210; Antonio Bezerra
Lcile 238*326; Manoel Fernandes de Oliveira
178910 ; Francisco Jos da Rocha 112*032; Joao
Jos Evangelista da Cunha 370*152 ; anoel Joa-
quim da Cunha 1:191*320 ; Jos Ferreira Portugal
31*620; Joao Marques da Costa 227*700; Andr
Accioli Adeliano 699*890; Fernando Rodrigues dos
Sadlos 2998720; Loureuco Monleiro da Silva
268*177 ; Anlonio Ribeiro de Campos 146*960 ;
Fabriciu Jos da Cuuhi 251*460 ; Manoel Teixeira
de Vasconcellos 300*; Palricio Jos do Reg 69* ;
Jos Barbosa Filcueira 58*045 ; Joao Leile Chavirs
e Mello 400* ; Manoel Rodrigue^' Sobral 106*551 ;
Ignacio Gomes de S 698300 ; Manoel Francisco de
Araujo Carnauba 200* ; Ignacio Holands Casado
215*640; Jos Rodrigues Torres 195; Joaquim Jos
de Oliveira 326*660; Andr Goncalvcs Valle
1:249*; Jos do*Coiilo*de Jess 632sl67 ; Manoel
Jos de Mello 218*232 ; Manoel Bernardino da Sil-
va 5208613; Dionizio Jos dos Santos 900; Joaquim
Adorno Chaves e Mello 796*794; Manoel Fernandes
de Oliveira 120* ; Agoslinho Nogueira de Carvalho
50*; Francisco de Gooveia Caslro e Albuquerque
30* ; Andr Ferreira-da Cunha 805*; Jos Verissi-
mo de Souza Lima 36*569; Sebastao Jos de Moura
478*781: Joaqoim Jos Bandeira de Moura 203*720;
Caelano Jos Pereira 1:164*680; Joaquim Goncal-
ves de S 184*148 ; o mesmo cima 700* ; Miguel
Narciso Nobre 147*505 ; Jos Marlios do Valles
350*; Cosme de Andrade Florencio 431*332 ; Ovi-
dio (inncMvea Valle U05OO ; o mesmo cima
608*410 ; Vicente Ferris Calomdi 182* ; Manoel
Gomes de S Jonior 293* ; Joao do Reso Barros
068950; Francisco Marques de Carvalho 200* ; Ma-
noel Soares Sodinho 222* ; Manoel Jos de Souza
428141 ; JoSo Evangelista Taboca 40 ; Jos Lecon-
te 53*620 \ Pedro Tenorio de Araujo 246*762; An-
tonio Alves da Silva 1508380; Rosero da Silva Cor-
reia Nunes 198*080 ; Joaquim Jos Bandeira de
Moura 280*765 ; o mesmo cima 58*980 ; Luiz de
(Jueirr* Coutinho 401*780 ; Amonio Ignacio da Sil-
va 1708 : Joaquim Jos do Nascimenlo 1:197*769 ;
Florentino Velloso Cavalcanli 371*8)8; Manoel Jo-
s da Silva Sera 92*530; Jos Se veri mi de Moura
cisco de Lacerda 244*438 ; Maooel BernarJino da
Silva 34*660 ; Domingas Cavalcanli de Albquer-
que 360*; Marlind> Gomes da Silveira 169*71X1 ;
Bernardo Jos de Barros Correia 79*864; Filippe
Rodrigues D. 233*; o mesmo cima 234*; o
Inrsmo cima 233j ; Auna Joaquina de" S. Jos
187*390; Jos de Souza V. Camello Pessoa 87.5*685;
S" ao Baplista Gomes 29*228 ; Manoel Pinto Lima
1*945 ; Jos Antonio Gnuralves Candoso 16*880 ;
Francisco Xavier da Silveira 70*880 ; Manoel Bap-
lista Ribeiro de Faria -75 ; Aolonio Jos Coelho
de Lima 37*580 ; Joao Baplista da Silveira 85*705;
Antonio Baplista de Agaiar 1:470*120 ; Joo Vi-
cente Leao 63*040 ; Jos Joaquim Teixeira Palha
2:893*619; Joao dos Santos Fecreira 20*175 ; Au-
tonio Luiz Ribeiro de Bnlo 51*845; Jos Joaquim
Teixeira Palha 2:546*389 : Jos Vieira Rodrigues
de Carvalho e Silva 150* Francisco Antonio da Sil-
va 318*513 : o mesmo 351*053 ; o mesmo 3578140;
o mesmo 362*313 ; o mesmo 365*766; o mesmo
370*116 ; Manoel Rodrigoes Dias 285* ; Jos Igna-
cio Xavier 2969 ; Antonio Jos da Fonseca 183*260;
Jos Joaquim da Silvt Braga 1:210*183 ; Jos Vi-
cente Lean 82*785; Francisco do Borja Buarque
414*420 : Manoel da Costa Gidclha :i3-f,.)(i ; Luiz
Antonio Goncalvcs 160*; o mesmo 160*; Jos Cae-
Uno di Cruz 58*333 ; Joaquim Jos da Sanl'Anna
M78*913 ; Anlonio Moreira da Costa 45*; Joao el-
la de Sampaio 32*400 ; Venceslao Ignacio da Con-
ceijao 14*760 ; Jds Caelano da Cruz 35*480 ; An-
lonio Januario Pies Brrelo 39*720; o mesmo
49*720 ; Anlooio Januario Paes Brrelo 4*t70
Joao Stuart Borburcma 64*230 ; Vicenta Ferreira
Tavares 278360 ; Lato do Moura Accioli 17*972
o mesmo 178974 ; Manoel Lucas dos Sanios Olivei-
ra 14*950; Flix Pereira de Lira 16*210 ; Jos
Bernardino Pereira de Lima 12* ; o mesmo 12* ; o
mesmo 9o-3; Manuel Biplisla Ribeiro de ('arias 15*-
Joao Jo- de Moura 75*645; Pedro Jo 'dos San-
ios 51*335 ; Uenrique Manoel Maldeiios de Mel-
lo 38*500 ; Belacmino Firminn Bcerra de Mel-
lo 17*760 ; Joao Correia Gomes 9*320; JoSo
.Insuda Fonseca 69*100 ; Jeronymo Joaquim Bas-
tos 77*552; Joao Luiz Teixeira 58*500; Autonio
Josc da'Fouseca 148*950; Jn3o Francisco Duarle
4*650 ; Jos Arcanjo Figueira de Mello 66*770
Antonio do Reg Pacdeco 25*600; Manoel Caelano
Cavalcanli do Albquerque 33*040 ; Antonio Jos
da Santa Croz 10*800; Jos Fernandes Jorge 9*340;
Anlonio Luiz Ribeiro de Brito 489*985 ; Manoel
Esleves da Abreu 30*423 ; Luiz de Queiroz Couti-
nho 200* ; Joaquim de Albuquerque Fernanda
Gama 30*750; Augusto Komciio de Souza Bueno
Castello 297*329 ; Inuocencio Gomes Pinto 108* ;
Mac Donnel 4*040; Manoel Joaquim~~Dimles 12*195:
Loureuco Cavalcanli de Albuquerque 127*185 ; o
mesmo 52*196 ; Flix Augusto Scola OOOs ; Loo-
renco do Rezo 19*640 ; Joaquim Jos Bandeira de
Moura 42*900 ; Antonio Lopes Pereira de Camino
35*920 ; Theodoro Jo- dos Santos 10*900 ; Ber-
nardo Jos Fernandes de S 42*197 ; Luiz de Quei-
roz Coutinho 20*720 ; Francisco Autonio de Sa
Brrelo 5.38700 ; Fre T.de Smta Maria 7*100; Ma-
noel Jos da Silva Seara 2)0* ; Flix Bezerra de
Moli Lcilao 18*600; Fredericn da Costa Ros
204*1011; o mesma 20*188 ; JoJo Policirpo do Re-
g Barros 274*128 ; Jos Gomes de Oliveira 15;
Leocadio Bezerra Cavalcanli 38*058; Luto Ignacio
moieo Antonio de Araujo llego 1ct*9bU ;
Pinto de Lima 2:1*610 ; Manoel do Reg
15*056 ; Jos da Costa Agr 1654*659 : Lo
cisco Pereira 24*020; Lniz Jos Curre
de Alhuquerque 40* ; Tdeotonio Ioaquim da Costa
33*160; o mesmo 135*332; o mesmo 130* ; Joa-
quim dos Santos 8*; o mesmo 18*; o inesuio 18* ;
Joao Francisco dos Santos 12*060; Julo Marinho
Cavalcanli de Albuquerque 54*480 ; Antonio Fran-
cisco da Cunha 80* ; Francisco Jos dos Prazercs
Cambim, do mesmo 3 de 16*. 48* ; Manoel Joa-
quim de Mello 25*560 ; Joao Slnart Borburcma
878* ; o mesmo 2 de 878*, 1:7.36* ; Martinho Joa-
quim de Mello 9*540; Antonio Cabral Rodrigues
39440 ; Estevao Prutomarlyr de Figoeiredo Wan-
derley 2:262*200 ; Theodoro Joaqaim da Cosa 489;
Jos Joaqaim de Sanl'Anna N 70*805 ; Raymundo
Nonato dos Santos 69800 ; Manoel Jos di Silva
Seara 30*600; Aolonio Simdes do Carao 19*250 ;
Luiz Antonio Gonrilvcs 70* ; o mesmo 265*730 ;
JoSo Stuarl Borburema 607*350 ; o mesmo 89*200 ;
o mesmo 60783:10; o mesmo dinheiro de emprestimo
400; Francisco de Hollanda Chacn 2:000*; The-
moteo Antonio de Araujo Reg 18*960 ; Manoel
Reg Barros
uto Fran-
rreii de Si
110*320; Canuto Jos da Silva Lobo 95*890 ; Pia-
lo Nunes Serra 355*213; Joao Botelho Nctto
28(8385 ; Luiz Francisco Pne Brrelo 87*550 ; Es-
levao Jos Paes Brrelo 85*370; Antonio Borges
Leal 879980; JoiCtcilio Carneiro Monleiro 68*440;
o mesmo 28; Jos Anlonio Bilancoort 47*675;
Eduardo Mornay 500*; Antonio Jos da Santa Croz
454* ; /."ferino Alves Camelo 33 ; Pedro Jos de
Lira 100* ; Antonio de Siqueira Carvalho 1:042*915;
o mesmo 1:042*915; o mesmo 502*140 Jos Luto
Salgado 85*000 ; Jos Victorino daCruz 126*660 ;
Anlonio da Silva Pinlo 69*500 : Francisco Manoel
Coelho 150*000; Luiz Bspo Bezcrri 1:391*000;
Jos Pereira Lagos 111*962; Jos de Souza Ra-
pozo 236*828; Jos Ferreira Guedes da Molla
45*590 ; Jos Pereira Lagos 611*962 ; |Jose
Ignacio Xavier 296 ; Cosme Joaquim de Abreu
358713 ; o mesmo 25*600 ; Francisco Borges Lau-
diin 362* ; Manoel Alexaudrc do Sampaio 613*920;
Jos Ferreira Guedes Mallos 45*670 ; Joaquim Jos
de Sanl'Anna 378*943; Pedro Tenorio de Araojo
100*000.
E mais se nao eonlinha em dita relacao aqui co-
piada depois do que via-se que o supplicanle produ-
zira suas testemunhas, e qne preparando o escrivio
os autos, os fuera conclusos ao Dr. juiz de direlo
do commercio. Custodio Maooel da Silva Guima-
raes, o qaal de a senlcoca do Iheor seguinle :
Julgo por sentenca e cusas justificado, e mando
que se proceda a cilarao edilal na forma requerida.
Recife 2 de julho de 1855.Silva Goimaraes.
E mais se nao continha em dita sentenca aqui
transcripta, era virtude da qual o escrivao qoe esta
subscreveu mandou passar a prsenle,pela qual e seu
theor se chama e cita a lodos os devedores constan-
tes da relarao cima, para ficarem scienles do con-
teudo da policio e lermo de protesto, ludo com o
prazodalei. E para que chegue a noticia a todos
mandei passar edilos, que sera/i afiliados nos loga-
res designados no cdigo commercial e publicado
pela impiensa. Didi e passada nesla cidide do Re-
cife de Pernamboco aos 5 de julho de 1855. Ea
Manoel Jos da Molla, escrivao o subscrevi.
Custodio Manoel da Silva Guimaraes.
O Illm. Sr. inspector da Ihesouraria provincial
em cumprimento da ordena do Exm. Sr. presidente
da provincia de 23 do correnle, manda fazer pu-
blico qoe no dia 19 de julho prximo vindooro, pe-
ranle a junta da fazenda da mesma thesourarii, le
ha de arrematar, aquem por menos fizer, a obra da
estrada da Magdalena, lato he,' o 1." laojo da de
Pao d'Alho, avaliada em 72:360*000 rs.
A arrematarlo ser feila na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio do anno fiado, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas qu se propozerem i esta arremala-
rao compare^am na sala das sesses da mesma juula
no dia cima declarado pelo meie dia competente-
mente habilitadas.
E para constar se mandn afluir o presente-e *ovados '*68-
publicar pelo Diario..
Secretaria da Ihesouraria provincial de Pemam-
buco 25 de jonho de 1855.O secretario.
Antonio F. d'Annunaacao.
Clausulas especiaes para a arrematacSo.
1.a As obras do primeiro laneo da estrada de Pao
d'Alho,farse-hao de conformidade com o orcamenlo,
plantase perfis.approvado pela directora em conseibo
presentados a approvario do, Exm. Sr, presidente
da provincia, na importando 72:3608000fjk
2.a O arrematante dar principio as obUPnopra-
zo de dous mezes e is concluir un de dous aunas.
contados na forma do arl. 31 "da lei provincial n.
286, seodo obrigado a'dar sempre transito ao publi-
co de p e carros.
3.' O pagameoto da importancia da arrematarlo
sera lei lo na forma do art. 39 da lei provincial n. 286.
sendo metade em apolices da divida publica, creada
pela le provincial n, 354, e a outra metade em
moeda correte.
4.a O ar remala ule deveri (er ao menos meladedo
essoal do servido de gente livre.
55* Para ludo o que nao se achar determinado as
presentes clausulas nem no orcamenle, seguir-ie-hi
o que dispo a respeito o lei provincial n. 286.
Cqnforme.O secretario, A. F. da Annuneiacao.
O Illm. Sr. inspector da Ihesouraria provin-
cial em.imprmenlo da resolurao da junta da fa-
zenda, manda fazer publico, que no dia 19 deju-
llio vai novamenle a praca para ser arremata-
do a quem por menos fizer a obra dos reparos de
qoe precisa o acude de Cirnar, avaliada em
1:012*000 re.
E para constar se mandou aflixar o presente e pu-{
blicar pelo Diario.
' Secrelari da Ihesouraria provnciil de Pemam-
buco 25 de junho de 1855.
O secretario,
Antonio Ferreira da Annuneiagio.
O administrador da mesa do consulado provin-
cial avisa que lem de ser arieraalados em hasta pu-
blica a porta do mesmo consulado,. no dia 9 do cor-
rele, pelas II horas do da, a prela Germana, criou-
la, idade de 13 para 14 anoos, avallada em 850*000,
e o bote do patacho Santa Cru:, avaliado em 150
re., sendo a importancia total de 1:000*000, o< qoe
foi apprehendido pelo guarda Eneas Targine Accio-
li, em 12 do Janeiro deste anno por extravio dos di-
rcilos provineiaes de exportarlo. Mesa do consula-
do provincial 5 de jaldo de 1855.
Antonio Carneiro Machado fliot.
DECLARACOES
O hiale Oom Amigos fecha a mala para a Ba-
ha no dia 9 as 11 horas do dia.
Nao leudo sido por engao contemplado na
lista dos multados pel subdelegada da Boa-Vista,
quo foi publicada no Diario, o multado (fie abaixo
se decan, manda o Illm. Sr. Dr. chefe de polica
faze-lo publico, por assim com ir. Ra de Santa
Croz, liberna n. 20, Anlooio Fernandes Umi foi
multado por infracrio do artigo 22 titulo 4, em vir-
tude de ser encontrada exposti venda urna porcao
de caf muido falsificado com mllio. em 8*000 rs.
Secretaria da Polica de Pernamboco 7 de julho de
1855.O primeiro amanuense,
Jos Xavier Faustino Ramoi.
~ IHfnjfc. inspector do arsenal de marinha
m,J, lazer p"*ci>. que no dia 9 do correnle mez,
s 11 horas da ma.ihaa, designado na declararlo com
dala de bonlom, pa.-a a compra de diversos objectos
Srecisos ao fornecimenlo do almoxarfado, firn tim-
em precedidas as proposUs e concurrencias da es-
Jylo, eulregues as propostas alaquelln hora, a dos
abaixo mencionados :
Tima de escrever, 12 garrafas ; remos de tojo, 6
duzas ; caivetes finos de aparar penna, 24 ; peo-
nas d ave, 200 ; obreas, 60 paes ; louro para assoa-
Iho, 20 duzas; lona eslreila e larga, 30 pecas. O
carvao de pedra que for preciso para fornecimenlo
dos navios d'armada o offleinas desla reparlro.
Secretoria da capitana do porto de Pernamboco 3
da julho de 1855.O secretorio, Alexandre Rodri-
gues dOS Alijos.
BANCO DE PERNAMBIJCO.
O Banco de Pemambuco sueca sobre
a praca da Babia, c contina a tomar
lettras sobre a do Rio de Janeiro. Ban-
co de Pemambuco 25 de junho de 1855.
O secretario da direcc-ao, Joao Ignacio
de Medeiros Reg.
O Illm. Sr. inspector do arsenal de marinha
manda fazer publico, que no da 9 do andante mez,
precedidas as propostas e concorrencia do eslylo,
apresentadas aquellas, at s 11 horas do dilo da,
proceder a esta mesma hora a compra dos objeclos
declarados na ola junta, precisos para fornecimenlo
do almoxarfado, com quem por menos vende-los.da
mellior quslidide, e conforme as amostras qne neste
sentido acompanharam a proposlas, seudo que os
comprara era maior porsSo, se os presos tolo con-
vidaren!.
Secrclaria da inspecc.no do arsenil de marinha de
Pernamboco em 2 de julho de 1855. O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Nota que refere-se a declarado desta data pa-
ra a compra de objectos precisos ao fornecimenlo
do almoxarfado.
Agulhas de palomba, 20 ; dilas de brim e lona,
100; alvaade ordinario, arroba e roeia arcos; de
ferro sonido, 2 arrobas; |Ca forlido, 1 irrobi ; co-
la da Pabia, 20 libras; cadeados de ferro, 10; ca-
nelas para pennis, 40 ; dedaes de repuxo, 20; do-
bradkes de ferro, 20 ; fio de veto, 2 arrobas ; dito
de algodao, 5 libras ; lona sortida, 400 varas; linha
c merlim, 2 arrobas; dila da barca, 5 arrobas e
miii ; Uncus de sedi, 50 ; oculos de alcance, 2 ;
pipel ilmago, 10 resmas ; dilo de peso, 2 ditos ;
pennis d'ive, 100 ; dilas d'aco, 6 caixas ; podrs de
amolar, 2 ; pregos de cobro para costado, 2 arrobas;
pregos de ditos para forrar, 2 ditas ; ditos ripaes,
7,000 ; ditos batel, 7,000 ; ditos de issoalho, 1,00o;
dilos ciibraes, 2,000 ; pas de ferro, 20 ; passaba,
15 molhos ; pao de pinho ou vergoutiiihas, pran-
xOes de pao, carga ou olicica, 120 ; raspas de fer-
do, 30 ; saceos de condcelo, 30 ; sola, 12 meios ,
lila branca, 10arrobas ; dita prela, 10arrobas;
travs de difieran les qualidades, 150 ; laixas de
bomba, 5 libras; ditas de ferro, 5 ditos; chumbo
em Uncol, 9 arrobas ; dito em barra, 10ditos; vis-
tas de osso, 150. O fornecimenlo de lijlo de alve-
oaria grossa, a razao de 20 milluiros por mez ; dilo
de cal prela, a razao de 2,000 ilqueires pelo mesmo
lempo.
Secretaria da inspecrao do arsenal de marinha de
Pemambuco 2 de julho de 1855.O secretario, Ale-
xandre Rodrigues dos Anjos.
Os 30 das uteis para o pagamento da dcima
urbana na reparlirao da mesa do consolado provin-
cial findam-se no dia 9 do correnle, lindos os quaes
incorrem na multa de tres por ccnlo todos os senho-
rios dos predios que deixarem de pagar seus dbitos
no anno de 1854 a 1855.
Alm dos objectos cuja compra fu esta repar-
lietlo no dia 9 do crrenle mez, s 11 horas da
mmhaa, conforme ha feito publico, lera lugar lam-
bem no mesmo dia e i referida hora a de cairo
velho, cera em ardiles, verdete em p, ferro in-
glez redondo em verga de 6 e 7 oitavos, dilo qua-
drado de 4 e dilo da Suecia em barra eslreila, na
quanlidide que na occasio julg'ar-sc conveniente.
Secretaria da inspecrao do arsenal de marinha 6
de julho de 1855.O secretario, Alexandre Rodri-
gues dos Anjos.
CONSELHO ADMINISTRATIVO.
O conselho administralivo, em virlode de aulori-
sar,ao do Exm. presidente da provincia, tem de com-
prar os objectos seguintes :
Para os msicos do 8. balalhao de iufaniirii.
Bonetes 11, chirlaleins 11 pires.
Meio balalhao do Ceara.
Mantas de 1,1a 312, sapatoi 100 pares.
Diversos corpos.
Panno verde escuro para sobrecasicos e calcas do
10." balalhao 158 covidos, malas de laa para o 4.
balalhao de arlilhara, 9. e 10. d infanUiria, cosa-
paabia de artfices, e de cavalaria 253, sapalns pa*a
rn mesmos 1301 pares, botoes convexos grandes de
metal brooseado com o n. 10 de metal amarello
2232, ditos pequeos com o mesmo numero 1956,
panno azul mselo para o 2. balalhao de inhalara
135 covados, sapalos para o mesmo 57 pares; capoles
de panno alvadio 63.
Recrotos cm deposito no 2. balalhao.
Sapalos 50 pares.
()itav%balalhao de infanlaria.
Mantas do laa 355, panuo. verde escaro enlre-fino
1871 covados.
Nono balalhao de infanlaria.
Manas de 13i 376, panno verde escaro enlre-fino,
Meio balalhao da Parahiba.
Mantas de laa 48.
Quarto balalhao de arlil hara.
Panno carmesira para vivos, covados 90.
Escola de primeiras Ultras do segundo balalhao de
infanlaria.
Ara prela, libras 6, compendios de irithmelica
por A vi la. 3. 'ft;
Quem os quizer vender aprsente as anas propos-
las em carta fechada na secretaria da conselho admi-
nistralivo as 10 horas do dia 12 do correnle mez.
Secretaria do conselho administrativo para forne-
ciinenlo do arsenal de guerra 5 de julho de 1855.
Jos de tirito Ing le:, coronel presiden le. Ber-
nardo Pereira do Carmo Jnior, vogal e secre-
torio.
Relafo dos individuos multados pela subdelegada
do Recife no dia 20 do correnle.
Domingos Joaqaim Ferreira, roa da Cruz, cip.
das postara, arl. das postaras, importancia em 8*
rs., por 5 libras de queijo podre.
Meodes & Braga, ra das Cruzes, cap. das poslo-
ras, art. das mesmai, importancia em 89 n, por
10 arrobas de timaras podres.
Manoel Aolonio da Cesta, ra das Cruzes, Cap. das
postoras, arl. das mesrnas, importancia em 4* rs,
por falla de limpeza.
Andr Barbosa Soares, rea di Cruz, cap. 4 daa
posturas,, arl. 22 das masmas, em 8 n, por 1 X
barrica do bacalho podre.
Manoel Jos Correia, ra da Croz, cap. 4 das pos-
turas, arl. 2 das neamas, em 109 rs, por 56 libras
de presunto podre. ..
Joao Coelho do Rosario, Pillar, cap. 4 da posta-
ras, art. 22 das mesrnas, em 89 rs, por ama porcao
de toocioho podre.
O mesmo, Pilar, cp. i das postaras, arl. 21 das
mesmas, em 4grs, par falla de limpeza. Imperta
em 509 re. .
Subdelegara da Recife 23 de junho de 1855.
O subdelegado 1 supplenle Lniz de Franca Mello
Jnior.
Kelarao dos individuos multados por iufracrao de
posturas em occasio da inspeero que proceden
esta subdelegada no dia 20 do torrente nos arou-
gues deila cidade.
Ribein de S. Jos.
Angelo Borges di Silva, modado na quanlia de
69 rs, por infracto da segunda parte do art. 2 til.
11 da postara da cmara desla cidade por ter sido
encontrado em aeu acougue o peso de 8 libras falsi-
ficado.
dem.
Luiz Moreira de Mondonca multado em 69 rs.,
por (er um peso de libra falsificado.
Ra do l' Joaquim Pinlo, mulla lo na quanlia de 129 rs, por
ler os pesos de 4 e 2 libras falsificados.
Ideaajt.41.
BellarmiDo Alves deJArouxa,na quanlia de 109 ">
por ter urna balanza com accrescimo.
, -.-;. Ribeira da Boa Visla.
Ricardo Romualdo da Silva, multado na quanlia
de 69 rs, por ler o peso de 8 libras falsificado.
Delegara do 1 dislriclo do Recife 21 de jonho d<
1855. O delegado Francisco Bernardo de Car-
valho.
PUBLICAgAO LITTERARIA.
Acha-se i venda o compendio de Theora e l'rali-
ca do Processo Civil feilo pelo Dr. Francisco de Pao
la Baplisla. Esta ebra, alm de orna introdcelo
sobre as acroes e exceproes cm geral, trata do pro-
cesso civel comparado com o commercial, eonlm
a theora sobre a applicacao da causa julgada, eou-
(ras doulrinas laminosas : veude-se nicamente
na luja de Manoel Jos l.eile, na roa do Ouei-
mado d. 10, a
autor.
69 cada exemplar rubricado pelo
COMPANHIA. GYMNASTICA FKANCE2.A.
O director Heniult tem 1 honra d; avisar ao pu-
blico desla jkda, que obteve lieeitca para MA
C.MCAreprflBtarao, a qual lera logar quarla-fein
tt do correla. Convida aos amadores qoe llie
deem a sua costumada benevolencia o protecrao.
Esperando deste respeilavel publico om bom acolhi-
mento, desde j Ihe agradece.
O jornal de terca e quirta feira dur o program-
ma da represeotocjlo.
AVISOS martimos.
PARA 0 RIO DE JAMBO.
Segu em poucos dias o patacho nacio-
nal MCTHEROY, capitao Manoel Pedro
Garrido, ja' tem parte da carga engajada:
para o resto e escravos a frete. trata-se
com os consignatarios Isaac, Curio tC,
na ra da Cruz n. 49, primeiro andar.
RIO DE JANEIRO:
O brigue nacional FIRMA, capitao Ma-
noel de Freitas Victor, segu para o Rio
de Janeiro nestes dias. por ter ijuasi seu
carregamento completo, pode ainda rece-
ber algumas miudezas e escravos a frete
para os quaes tem bonscommodos: trata-
se com Novaes & C, ra do Trapiche
n. 34.
PARA A BABIA
segu coro muita brevidade o hiale nacional Dous
Amigos, capitao Joao 'Rodrigues Vlanna Dantas ; j
tem parto da carga prompti : pan o reato trato-so
com o sea consignalario Antonio Lmi de Oliveira
Azevedo, na roa da Cruz o. 17, ou com o capitie di
prec.
Para Lisboa pretende seguir brevemente o pa-
tacho portugoez Rpido, por ter a maior parla do
carregamento promplo : quem no mesmo quizer car-
regar ou ir de passacem, (rale com os consignatarios
Thomiz ds djbino Fonseca & Filho, na roa do Vi-
gario n. l'.i, primeiro andar, on com o capitao na
praca. '
Dentro em poneos das sahra para Lisboa o
famoso patacho portugoez Brilhante, vtoto qui j
tem mato de inalada di carga pronipto ; e por toso
as pessoas que nelle qoizerem carregar devem dir-
gir-se quanlo autesao escriplorio da Vlova Amorim
& Filho, na ra da Cru* a. 45.
para o rio de janeiro.
O brigue escuna MARA seguir' em
poucos das para aquelle porto, por ter a
maior parte de seu carregamento engaja-
do : para o resto da carga e escravos a
frete, trata-sc com os consignatarios Ma-
chado & Pinheiro, no largo da Assemblea
n. 12.
PABA ARACATY-
Segu em poucos din o bem conhecido billa Ca-,
pibaribe: para carga oo piseageiro Irala-se na ra'
do Vigario n. 5.
LCTT.I-VT-JB
O igenle Borja tora Uilo em seu iiniiaw
oa roa do Collegio o. 1.3, de um grande e completo
sortimento de obra de mircinerii aovas e usadas,
e de ulros moilos objectos differenles.que se aeha-
rao patentes no mesmo arrancia ; assim como ir
tambera leitao o sobrado de om andar, sito oa
rna da San-Pedro Marlyr o. 56 em Olinda, ja an-
nunciado nesle jornal : quioti-feiu 12 do correte,
s 10 horas.
_____AVISOS DIVERSOS
Regiment de tulas.
Sahio a luz o regiment das custas judi-
ciaes, annotado com os avisos que o alte-
raram: vende-se a 500 ris, na livraria
n. 6 e 8 da praca da Independencia.
MASSA ADAMANTINA.
i-rana seo Pinto Ozorio chumba denles com esto
deliciosa massa, coja sua boa qualidade j he noto-
ria, assim como lambem caiga com ouro e prata, e
oatros melaes braceos qpe toas cores igaalam mallo
aos proprios naluraes : pode 1er procurado pin ale
fin, na roa eslreila do Rosario n. 2, confronto a
igreja.
Quem annnnciou ler om escravo de 25 anoos,
para trocar por ama preta qoe sirva para roa, poe
apparecer no Recife, na roa da Croz a. 14, legando
adir, pira ver se se faz seraetoaole troca.
Ainda preci coznhar, sendo s para eale servico: 111 roa Angos-
ta n. 3, sobrado. '
abaixo issignidos fnem sciente ao
M paitovel publico e a todos com quem lem
fgocios, qoe pelos annuncianles se ach en- ,
carrngado com Ilimitados poderes para del- i
les trilar e al decidir, a sen filho e rmao I
r Antonio Carlos Pereira de Borgee Ponce de ;
~ Len, com quem devatfo entender-se. '
Engeoho Aguas-Claras 3 de julho da 1855.
Francisca da Cunha Bandeira de Mello,
Jos Flix Pereira de Burgos.
RmsatMXKmm*
Aloga-se por prego razoavel o primeira andar
da ra da Cadera do Becife n. 47, propro pan mo-
rir hornera solteiro oo escriplorio : 1 tratar por bai-
lo, na loj de Mmoel FerreiradeS.
Anlonio Jos Teiieira Lima avisa a toda e
quaiquer pessoa, qoe nlo contrito com Mi- ;
noel Pedro de Alcntara tabre,'a venda da '
Eli Joaona, que a saa verdadiri dom he '.
ra do Rosario.
mmmsmaBom
f. AO BARATO.
Botzeguins de duraque gaspiados para
senhora a 2^500 rr. opar, gapatos de cou-
ro de. lustre para senhora, francezes e
de Lisboa a 1 200 rs. o par, sapatinhos
de colxetes a 320 rs. o par: na praca da
Inde|>endencia loja de calcados de Anto-
nio Augusto dos- Santos Porto ns. 57 e
59.
O cautelista Antonio da Silva Gui-
maraes faz sciente ao publico, que vendeu
na sua casa da Fama o bilhete ititeiroda
segunda parte da sexta lotera da matriz
da Boa-Vista n. 418, com 6.000^(000 rs.
O cautelista Antonio da Silva Gnima-
mart.es no aterro da Boa-Vista n. 48,
vendeu o bilhete inteiro'.n. 418 em que
sahio 6:000$000 rs-, da segunda parte da
sexta lotera da matriz da Boa-Vista : o
dono do bilhete pode vir receber 5:520$
rs., na loja do mesmo cautelista, logoque
sahir a lista.
Francisco Antonio Coelho, proprie-
tano do hotel Francisco, oflerece o mes-
mo estabelecimento demuitos annos acre-
ditado nesta cidade a quem o pretender
comprar, com todos os pertences a di-
nheiro a* vista ou a prazo com lettras ga-
rantidas : os pretendentes podetn diri-
g r-se ao mencionado proprieta rio, ou ao
escriptorio do Sr. Francisco Gomes de
Oliveira, na da Cadeta do Recife n. 68.
Peranle o Sr. Drjuiz de orphSos, lerca-feira
10 do correnle, ni sala daa audiencias, te ha de ar-
rematar de renda por tres anoos urna cata e litis no
lugar do Caldeireiro. pertencenle ao finado Domin-
gos Aolonio Gomes Cumaries.
Na roa do Hospicio, sitio n. 6 da irahora via-
va Ce nha, existe urna ama para se alagar para ca-
sa de familia.
Boga-te ao Sr. Francisco Antonia da Carvllho
o favor de apparecer na roa do Crespo n. 3, a nego-
cio do seu ulerease. *
RECREIO MILITAR.
Previne-te ios Srs. socios qoe a partida lera logar
no dia 14, e as propostas para convite de familia sa-
rao entregues ate o dia 9, na cm ds abiixo issigua-
do, na rui do Aragao n. 12.O secretario,
Alteres Barros.
Companhia Pernambucana de navegarao
eos t eir.
O conselho de directa convida ios Srs accin to-
las da mesma empresa 1 elfectuarem at o dia 31
do correnle me?, mais 10 per cento sobre o valor
das accOes que sobscreveram ; e o encarregado dos
recebimcolos he o Sr. F. Coulon, ni roa di Croz
n. 26.
Aluca-se om grande sitio na ilha do Retiro,
PaS'agem da Magdalena, com doas boas casas de vi-
venda, umi grande senzala para pretos, urna olaria
e casa, dous vivejros acabados de concertar: qaem
o pretender poder-se-ha entender na raa da Madre
de lieos n. 36, ou ni travesa da mesma roa arma-
zem n. '..
O lliesoureiro da soredade Releo da Mocida-
de, possuido do maior contentamente) pelo premio
da nter ia. avisa aos Ilustres consocios,que o esplen-
dido baile projectado nos seas vastos saldes, fica
transferido para ama qufnlafeira, anlecipando-se a
preteni-los, que devergo comparecer coro lavas de
pellica, meias de teda, e ponteados ac atit.Opro-
fessur dos tres.
Qaem precisar de urna orna para servico de
casa de portas dentro, dirija-te a roa das Laran-
geirn, toja n. 6.
Precisa-se de um horoem porlugaez, j habi-
litado ao servico de campo, pan lomar coala da di-
recto de um grande sitio, plantado de capim, moi
pecio desla praca.para no mesmo morar eTrabalhar,
e do seu producto e rendimenlo se faz um interessa
etc. : a fallar na venda grande defronle da matriz
da Boa-Vistan. 88.
Precisa-se de umi arai portugoeza, que siiba
cozii hir, engommar e coser, para casa de homem
solt ro : na ra do Uuemado n. 33 A, loja junio
a da Fima.
A pessoa que lem annunciido dar dinheiro a
prenio de om por cento so mez', coro hypolheca em
bens de niz de*.'i praja, anounre onde deve ter
procurada para se poder Inlar.
I


I
O ARIO OE PERM1UCBO SEGUNDA FEIM9 OE JULHO DE 185?
*'-*-e8#?#S:#.




)
I"
3
i
s
8

HOMIEOmillV.
Remedios eflicacissintos contra as
febres inttTmittentes.
Grande sortimeuto de cailoiras ae homu-o- 2
palhia moilo em conti. y
i mide Untura s ctcnllitr. 1&00O
ubos avulsos a 3(Ki, 4(10 e 300 rs. d
Elementos de homaxipalliia, 4 vol. 69OOO. 9
No comnllorio honneopatliico do Dr. Casa- 9
nova, ra dasCrute n. -2S.. (
Roga-se no Illm. Sr. Dr. jniz de eaiiellas, qne
naja dalaocar tuas valas sobre, os bens de N. S. da
Boa-V geni ; este patrimonio tem te renda animal
au de 1:0(105000, m anas casa, algunas ja tem ca-
bido e outras ealAo para taliir, lodos us annoa se re-
cebe o rendimento do patrimonio, o que se taz destt
diuheiro lodos os irmaos goorain, por isso roga-se
ao Sr. Dr. jmz de capillas, qno clsate a cotilas n
estes senheres que leem sido 14o euflkoiii os bens.
de Nossa Senhora, nomeaiido c|uaiajo antes urna eotn-
roissao, nlvn de reparar is bens que tero caliidu e
outros que estao para earir, dando esta commissao
coala meusalinenle da despezi que te/, uaqucllc
niez. Islo pedeUm nudo.
Precisa-se de orna itna forra oo escrava, ou
rnesmo de um moleque para servico de compras e
. mandados de urna.pequen familia': na ruado Hos-
picio n. 7.
Precisa-se de um ciieiro que tenha pratica
de taberna e que d fiador a sua conducta : na ra
do Encantamento n. 10.
Alaga-se ama escrava muilo fiel, emwmmap-
timamente, lava, cose e cozinha muilo bent: quem
a pretender, dirija-se Passagem da Magdalena,
primeiro sobrado passando a ponte pequea, que
achare com quem tratar.
Massa adamantina.
Sebasliao Jet de Oliv.-ira receben e Franja ha
poucos dias nova poroso ele massa adamantina para
chumbar denles. Esta preparado incontestavel-
aaaule superior a todas as que at agora se emprega-
vam para este Uro, he a nica capaz de preservar de
total ruina oe denles cariados, e porque Ibes enche
perfaitamente as cavidades, e adquire ap*nas appl-
cada, a mais completa acidez. Como prova desln
verdade poderia o anunciante indigitar grande nu-
mero de pessoas, a quem, sempre com resultado o
mais feliz, a tem applicado, islo porm seria ocioso
porque he quasigeralraenlereconhecida a suprema-
ca desla preciosa preparadlo. O aiinoncianle.offerc-
ce, pois, seus servicos, na e tirar denles, como tambera para outro qualquer
fim de sua arte a todas ai pessoas que su dignarem
honra-lo, proeurando-o a qualquer hora na sua lojs
da travessa da ra do Vicario a. 1, ou solado do
Corpo Santo n. 83, segundo andar.
Jos Pereira Cesar, tendo comprado a Custodio
Jos de CarvathoGuiraaraM todas as fazendas e divi-
das activas da sua loja, sita na roa do Queimado n.
-21 A., e desojando conservar todos os freguezes que
ja o sao do mesmo eslabnlecimento, avisa a todos
aquelles, tanto da praca cuino de lora della, qne lhe
sito devedores, que venham a mesma loja salisfazer
os seus dbitos, que ah adtarao bom sorlimento de
novas o baratissimas fazendas. e o melhor agrado, e
a mesma franqueza que sempre houve inste estaba-
lecimento.
Retratos.
No aterro da Boa-Vista II. 4, lerceiro andar, eon-
tinoa-se a tirar retratos pelo syalema clir; sialolypo,
com muHa rapidez c perfe rao.
Aluga-se um sitio no lugar dos Afoliados, na
roa de S. Miguel n. 39 : a tratar na Boa-Vista, r"a
da Glora d, 69.
Conslando-me que Sra. II. Leopoldina Mara
da Cosa Kruger pretende alienar seus bens de raiz,
- previno aOque os quizercm comprar, de que mdvo
contra a dita seohora seca, dcceudial pelo jnizo da
pcjmetra vara do commercio do Recife, para me pa-
- gar da quantia de 4:8809000 e dos juros vencidos, t
qne esses bens estao sujeilos ao referido pagamento,
afim do oa*o se chamarem os compradores vm lempo
algum Ignorancia. Recife tO de malo ele 1855.
Malliias Lopes da Costa Maia.
Precisa-se de una ana para casa de
hornera solteiro. sendo parda ou preta, e
que saiba coser, ensaboar cozinhar. e,
sendo necessario, comprar alguma cousa
na ra, porque ha escrava para fazer es-
te ultimo servico: na ra estrita do .Ro-
sario n. 15.
Basilio Alvares de Miranda Varejao, como ad-
ministrador de sna mulhet D. Carolina Josephina
Porcia de Uendonca, berdiura universal do senhor
ou patrono do barbeiro An mi da Trudsde, alias
Paes, fallecido ha pouco mus de um mez, vem pelo
prsenle protostar, como protestado tem nos respec-
tivos autos, haver de quem arrematar as casas e alu-
gueis da heranca do dilo Trlndade, que sem motivo
plausivcl, se nao a pretexto de poder seguir ruina
pela conservarsei dellas, pon em praca o juiz de or-
phaos, es?riv3o vasconcellcs, contra os interesis do
anounciante, qne se habilita pe) mesmo juizo.
CONSULTORIO DOS POBRES
50 IUA HOVA 1 A.WBAR 50.
O Dr. P. A. Lobo Moscozo di consullas homeopalhicas lodos os dias aos pobres, desde 9 horas da
manhaalcomeio dia, e em casos extraordinarios a qualquer hora do da ou imite.
Ollerece-se igualmente para praticar qualquer operacao de cirurgia, e acudir promptameolc a qual-
quer mullier que esteja mal de parto, e cujascircumslancias nao permitlain pagar ao medico.
i CONSULTORIO DO DR. P. A. LOBO MOSCOZO.
50 RA NOVA 50
VNDESE O SEGUINTE:
Manual completo de meddicina homcopalhica do Dr. G. H. Jahr, traduzido em por
luguez pelo Dr. Moscozo, quatro volumes encadernados em dous e acompanhado de
um diccionario dos termos de medicina, cirurgia, anatoma, ele, etc...... 209000
Esta obra, a mais importante de todas as qoelralam do esludo e pratica da homconathia, por ser u nica
experimentar a doulriua de Hahnemann, e por si meamos se convencerem da verdade d'clla: a lodos os
fazendelros e senhores de engenho que esto longe dos recursos dos mdicos: a lodosos capilesde navio,
que urna ou outra vez nao podem deixar de acudir qualquer iucommodo sen ou de seus tripulantes :
a todos os pas de amilia que por circumstancias, que nam sempre podem ser prevenidas, sao obriga-
dos a prestar in continenti os primeiros soccorros em suas enfermidades.
O vade-mecum do homeopalha ou tradcelo da medicina domestica do Dr. Hering,
obra lambem til as pessoas que se dedicam ao esludo da homeopalhia, um volu-
me grande, acompanhado do diccionario dos termos de medicina...... 111-011(1
O diccionario dos termos de medicina, cirurgia, anatoma, etc., ele., encardenado. looO
Sem verdadeiros e bem preparados medicamentos nao se pode dar um passo seguro na pratica da
homeopalhia, e o proprielano desle estabelecimento se lisongeia de te-lo o mais bem montado possivel e
ninguem duvida hoje da grande superioridade dos icus medicamentos.
Boticas a 12 tubos grandes.............
Boticas de 24 medicamentos em glbulos, a 109, 12 e 159000 rs. "
Ditas 36 ditos a...........
ditos
SJjOOO
Ditas 48 ditos a.................. fSSXn
Ditas 60 ditos a........... iSX
Ditas tU ditos a.................. uw<
Tubos avulsos................... iSSio
Frascos de meia onca de lindura............ ] [ 2*000
Dilw de verdadeira lindura a rnica............".".*.*.". cnn
Na mesma casa ha sempre i venda grande numero de tubos' de cryslai de diversos (amanhos
vidros para medicamentos, e aprompU-se qualquer encommenda de medicamentos com toda a brevida-
" por precos muilo commodos.
de e
MASSA ADAMANTINA.
Roa do Rosario 11. 36, segundo andar, Paulo Gni-
gnoux, dentista francez, chumba os denles com a
massa adamaulina. Essa nova e maravilhosa com-
[iosicao tem a vanlagem de encher sem pressao dolo-
rosa todas as anfractuosidades do denle, adquirindo
em poucos instantes solidez igual a da pedra mais
dura, e permitte restaurar os denles mais estraga-
dos come forma e a cor primitiva.
UBLICACAO' DO NSTlTliTO HO g
MEOPATHIGO DO BRASIL.
THESOUU HOMEOPATH1CO '
VADE-MECUM DO S
HOMEQPATBA.
Methodo concito, claro e seguro de cu- 3
rar homcopathicamente odas as molestia! Si
que affligcm a especie humana, e parli- "fi?
cularmente aquellas que relnam no fira- |
iil, redigido segando os melhoces traa- 7.
dos de homeopalhia, lanto europeos como vi
americanos, e segundo a propria experi- 6j*j
enca, peto Dr. Sabino Olegario Ludgera JS
Pinho. Esta obra he hoje reoauhecida co- rao a melhor de todas que iratam daappli- (A
carao homcopalhica no curativo das mo- J
leslias. Os curiosos, principalmente, nao @j
podem dar um passo seguro sem possui-la e /a
consulla-la. Os pas de familias, os senho- W)
res de engenho, sacerdotes, viajantes, ea- 1
pilaes de navios, sertanejosetc. etc., devem
te-la man para occorrer promplamenle a
qualquer caso de molestia.
Dous volumes em brochura por 10&000
encadernados 119000'
Vende-se nicamente em casa do autor,
ra de Santo Amaro 11. 6. (Mundo No-
vo).
Quem precisar de um caixeiro brasileiro, que
sabe escrever, fallar correctamente a lingoa franceza,
c igualmente possuindo todos os requisitos necesa-
rios para poder escrever e fallar com a 111,11.ir perfei-
3o a lingoa portugoeza, enlenriendo alguma cousa
da lingoa ingleza, dirija-se ra do Trapiche u. 36,
segundo andar, das 9 horas da manhaa ale as 3 da
larde.
A taberna de Gurjah de cima continua a estar
prevenida de um completo sorlimento de molhados,
miudezas e azendas ; ior tanto todas as pessoas qne
quizerem continuar a honrar este estabelecimento,
all acharan ludo que precisarem a vonlade do com-
prador, pelo mesmo precoou com pouca dirTeren^a
da praca ; na mesma taberna ha cortes de laa do ul-
timo gosto, chegados ltimamente para veslidos de
senhoras.
Us abaixo asaignados fazem scienle ao res- @
9 peilavel publico, que compraram a padaria
que ro dtt viuva do fallecido Carlos, sita no
9 largo de N. Senhora do Terco ou Cinco Pan-
^ 'a, osquaesprometlema todos aquelles senho- 9
% res que Ihes fizettm ahonra de comprar o ex- A
cellenle pao, bolacha fina, biscoilo, fatias,
O bolaclmias de aramia, dos servir com as me- S
& Ihores farinhas que houver 00 mercad, as-
9 sim como a sua bolacha grande be firmada es
6 com a firma de Ribeiro& Pinto, e a pequea 3*
g com a de R, & P., avista do exposlo esperan) 33
% a concurrencia tanto de seus amigos, como 9
do Illms. Srs. de engenho: a padaria prn- A
m optar aIrabalhar no dia 2de julhocorrente. 19
j;v Ribeiro & Pinto.
Na ra do Cabug 11. 9, lerceiro audar, preci-
sa-se de urna ama boa cozinhtra.
Aqu nao ha uzura.
Alugam-se as bem acreditadas bichas de Hambur-
go, das que os facultativos coslumam mandar appli-
car, pois nr-"-
nhas e de bu
Deposito de cal de Lisboa.
Na jua da Cadeia do Itccife, loja n. 50, contina
a veuder-se harris com superior cal virgein de Lis-
boa, por preco coinniodo.
Vendem-se duas pretas de meia idade, urna boa
qiiitaudeira e o 11 ira ba coxinbeira e lavadeira de
brrela ; um preto que serve para lodo servico e he
hom calador : na ra Uiieil.i u. 66.
Vendem-se nina cama de angico, dous encher-
ges, um colchao c urna estante, sendo ludo novo
e por preco mui diminuto : na ra das Cruzes u.
39, primeiro andar.
Vende-se una porreo do saceos de milho e
outra porcHo de arroz de casca, chegado ltimamen-
te de Penedo : a tratar na ra DireiU 11.69 com An-
tonio Alves de Miranda Gniniaraes, ou a bordo da
harcara Carolina, fundeada no Caes do Ramos.
Vende-se linba do algodo em novellos para
costura, bem acreditada ueste mercado pela supe-
rioridade de sua qualidade : em casa de Southall
Mellor i C. ra da Caileia do Recife n. 36.
1U LOJA DE 6 PORTAS
em frente do Livramento.
Vvinlem c veslidos de seda, hunilos goslos, pa-
ra meninas de 3 a 6 annos por 69 ; lencos de cam-
braia, brancos e pintados, a 160 rs. ; chitas de bons
pannos a 160, 180 e finas a 200 rs. ; riscados de li-
nlio para roupa de menino e homem a 240 rs. ; fa-
zendas escura propria para roupa de escravos a 160
rs. eoulras muilas fazendas por prera barato.
A 400 RS.
Lencos do cassa e seda, lindos e modernos pa-
droes: na ra do Queimado a. 33 A, loja junio a
da Fama.
Vende-se escolha de caf de boa qualidade : na
ra do llriini, armazem o. 14.
Capas de burracha baratissimas.
Vendem-se capas de borracha, o melhor possivel e
por preco que se nao vende em parte alguma : na
ra da Cadeia to Recife, luja n. 50, defronte da ra
da Madre de Dos.
ARADOS DE FERRO,
Na fundicao' de C. Starr. & C. em
Santo Amaro acha-se para vender ara
dos cV ferro de -crir- qualidade.
MOENDAS SUPERIORES.
Na fundicao de C. Starr & Companhie
em Santo Amaro, acha-se para vender
moendas de cannas todas de ferro, de um
inodello e construccao muilo superiores
PECHIMHA E MAIS PECHMA
NA RA NOVA N. 8, LOJA DE
Jos Joaquim Moreira.
Acaba de receber pelo ultimo navio francez, um
magnifico sorlimento de burzegoins para senhora,
todos de dnraqu!, mas que pela delicadeza com que
dgo feilos e consistencia da obra, mui tu devem agra-
dar ; accrescendo alm disto o preco, qne apenas he
de 29100 rs. o par, bem como, sapalos de couro de
luslre para senhura a I96OO, dilos de cordavao mui-
lo novos a 19000 ris, pagos na occasiao da en-
trega.
Vende-se um excellente terreno de 33 palmos
de frente, na ra da Aurora junio a casa do Sr. Joa-
quim Manoel: a tratar na ra Velha n. 18, ou em
Santo Amaro, sitio defronle da capella.
Lu/. Jos de S Araujo tem para vender no
seu rmazem da ra doliruin 11. 22, osegninle, che-
gado ltimamente : gigos com champagne de supe-
rior qualidade, em garrafas e njeias dita-, ternes de
cestos muilo bem fetos, carnudos para meninos,
muilo fortes e bous, urna grande machina de lavar
roupa, urna halanca romana com todos os seus per-
tenecs, que pesa de 800 a 1,000 libras, ludo por pre-
co commodo.
Panno e setim preto, brin brancos, casemiras
e gangas do cor, lencos de setim de cor para grvala,
grvalas feilas, e oulras multas fazendas de gosto,
por preco nzoavel: na ra do Crespo, loja n. 19.
Vendem-se chapeos de sol de seda o luvas de
seda para bomeus e ?cnhoras, ditas de lorjal pretas,
com dedos e sem elles, por preco commodo : na ra
do Crespo, loja n. 19.
PEDE-SE A ATTENCAO' PARA QUEM TIVER
BOM GOSTO.
C. G. llesse avisa as pessoas gradas e de bom tom,
]iie lem para vender 2 liudissimos carros de 4 ro-
das, do mais novo modello de Pars, e ltimamente
acabados ; a construccao dos ditos carros foi feita
mui de proposito para acreditar o seu estabelecimen-
to, e agradar aos Treguezes, de quem tem reoebido
nao equivocas provas de sua benevolencia,e por isso
empiecen todo o zelo d'arte na sua solidez e bem-
feiloria, e os oflerece desassombrado a todo e qual-
quer entendedor, o pretendenle a toda hora do dia,
na ra do Pires n. 22. aonde podem ser minuciosa-
mente examinados ; o preco dos ditos ser razoavel.
Vende-se arroz pilado muito superior, dilo de
casca, saceos com milho, ditos com farinha de man-
dioca, tudo mais barato do que em outra qualquer
parle, que he para se acabar com o resto : na tra-
vessa do Carioca, armazem de Antonio Pinto de
Souza.
Vende-se todo o necessario para urna estri-
bara para dous cavallos, incluindo as lelhas com
pouco uso e por preco commodo : na roa do Colle-
gio n. 4.
9 Acha-se a venda o manual do guarda na- A
K cional, ou tullcese de todas as leis, regula- 0
dj) meulos, urdens e avisos concernen les a mes-
1$ ma guarda nacional, orgauisado pelo capilao
% secretario ccral do commando superior da fj>
% guarda nacional da capital da proyincia de 9
( Pemambuco Firmino Jos de Oliveira, des- $
' de a sua novaorganisicio at 31 de dezembro
de 1851, relativos nao s ao processo da qua-
5 lificacao, recurso de revista, etc., ele, senao 3$
Sa economa dos corpos, organisagao por mu- 9
nicipios, balalhoes, e corepanhias, com man- O
pas e modelos, ele-, etc.: vende-se nica- #
9 mente no pateo do Carme n. 9, primeiro an- %
9 dar, a jOOO por cada volme, m
Vende-se o apreciavel vinho Bor-
deaux engan-afado, muito proprio para as
pessoas que se acbam em dieta e por pre-
ro baratissimo, por ser urna pequea por-
cao que resta : na ra da Cruz n. 26,
primeiro andar.
Moinhos de vento
ombombasderepuxo para regar hortai e haixa,
dec.ipim, na fundirlo de D. W. liowman : uarua
do Brumos. 6.8el0.
AGENCIA
Da Fundicao' Low-Moor. Ba da
Senzala nova n. 42.
Nest#estabelecimento continua a ha-
ver um completo sortimento de moen-
das e metas moendas para engenho, ma.
china*4e vapor, e taixal d3 ferro batido
e coado, de todos o taiaauhos, para
dito. ^
-;
morpua s
f e outras doenras d^ pelle. ^f
Tralam-se com especialidade as affecccs
da pelle, particalarmenln a niorpha.
S No consuultorio homoiopathico do Dr. Ca-
sanova, roa das Cruzes n. 28. Ci
Aos pobres trata-si de graca. $
-i
O abaixo assignado, tundo deixado voluntaria-
mente o lugar de cobrador da barre ira de Cacha li-
ga, fallara ao mais rigoroso dever se cordealmente
nao agradecesseaolllm. Sr, teen te-coronel liernar-
do Antonio de Miranda, nac s os immensos favores
recebidos, como tainhem as maueiras obsequiosas
com que dignou-se Irala-le drenle anno e ineio que
na mesma leve em pregado, proprias de um cora-
9S0 bem formado ; e aproveita a occasiao para fazer
sentir aos seus gratuitos ininngos, que nada mais o
forcou a tal procedimealo senio as- tingoas mordazes
que a delractavam.tem que a isso dsse motivo, que
appella para o mesmo film. Sr. teucnle-corontl,
que ha pouco lempo augmialou-lhe o ordenado de
340)000 para 3000000, e alio como dizem ler sido
despedido.Joao-Rodrigues Cao.pello.
Veeiaa-se de um caixeiro para taberna, de 12
a 16 aonos, dando fiador asna conducta : dirija-se
Tua estrita do Rosario, taberna n. 16.
Precisa-se alagar una preta escrava, sem ha-
bilidades, para servir em una casa de bnuilia : a
filiar na ra da Cadeia do Recife, loja de cambio
n. 38.
O Sr. Antonio Alves Ferreira da Silva lem car-
tas viudas do sal, na ra da Cadeia do llecifen. 48,
toja.
AO PUBLICO.
No armazem de fazendas bara-
tas, roa do Collegio n. 2,
vende-se um completo sortimento
de fazendas, finas e grossas, por
precos mais baixos do que em ou-
tra qualquer parte, tanto em por-
.cOes, como a retallio, afliancande-
se aos compradores um s preco
para todos : este estabelecimento
ahrio-se de combinacao com a
maior parte da cusas commerciaes
inglezas, rancezas, allemaas e suis-
sas, para vender fazendas mais em
conta doque.se tem vendido, epor
isto offerecendo ellt: maiores van-
tagens do que outro qualquer ; o
proprietano deste importante es-
tabelecimento convida a' todos' os
seus patricios, e ao publico em ge-
ral, paj qne venham (a' bem (ios
seus intefesses) comprar fazendas
baratas, no armazem da ra do
Collegio n. 2, de
Antonio Luiz dos Santos & Rolim.
Est a sabir a luz no Rio de Janeiro o
REPERTORIO DO MEDICO
HOMEOPATHA.
EXTRAHIDO DE ROFF E BOEN-
NINGHAUSEN E OLTROS,
posto em ordem' alphahetiva, com a descripciio
abreviada de totlasasmuleslias, a indica^ao pliysio-
logica c therapeulica de todos os medicamentos lio-
meopalhicos, seu lempo de aceao e concordancia,
seguido de um diccionario da significacao de todos
os termos de medicina e cirurgia, e posto ao alcance
das pessoas do povo, pelo
DR. A: J. DE MELLO 3IIIRAES.
Subscreve-se para esta obra no consultorio horneo,
palhicodo Dr. I.OBO MOSCOZO, ra Nova 11. 50-
primeiro andar, por ."i?(K)0 em brochura, e 6JJOQ0
cucadernado. '
fp) O Dr. Ssbino Olegario J.udgcro! Pinho, ffy

g co n. 68A, para o sobrado de dous anda- J
mk resn.6, ruadeSanto Amaro, (mundo novo.) fg
10O0o
85000
75000
6000
49OOO
so, ra Nova n. 50 pri-
Precisa-se de um feilor que eotenda de plan-
tacoes e saiba igualmente tratar de jardim, para um
pequeo sitio no lugar da Capunga, pref*rndo-se
porloguez : quem pretender dirija-se roa Velha
na Boa-Vista n. 56, ou repartido do sello, que
achara com quem tratar.
O abaixo assigoado, lendo vislo no Diario de 5
do corronle mez, no requerimento da Sra. D. Can-
dida Agoslinha de Barros e Sr. Jos Candido de
Barros, ser devedor Jos Raymundo Ferreira da
quantia de rs. 52J000 de nma lellra vencida em 0
anno de 1842, faz ver aos meamos senhores que Jos
Ravmundo Ferreira, moradoi na cdade de Sobral
nada devia ao fallecido Gaudlno Agostinho de Bar-
ros, e por iiio se nao eulende com o mesmo Sr. Fer-
reira tal lettra.Jost Rodrigves Ferreira.
O abaixo assignado, ten lo de se mudar para o
sed engenho Pindoiial, e nao podendo ptssoalmenle
despedir-so de todos os seus amigos e conhe'cidos da
comarca de Nazarelh, vem pelo presente agradecer
a todos o bom Iraurmento que lhe derain durante 16
annos e mtio ero sua residencia, em Tamalape de
Flores, assegurando a todos a c oiitinuae.no de sua es-
tima, e pouca preslibltidadc na comarca de Pao
d'Alho.Joaquim Cavalcami de Albuquerque e
Mello.
Precisa-se de um aaeniu de idade de 12 a 14
annos, para caixeiro de tabern,, preferindo-se por-
loguez ou de frada provincia : a lar em Fra de
Portas n. 92, taberna.
Precisa-se de nma ama forra oo captiva, que
saiba eogommar e cozinhar: r o pateo da Penlia, so
brado de um andar, por cima da taberna.
INFORMAQO'ES OU RELAgCES
SEMESTRES.
Na livraria n. C e 8 da praeja da In-
dependencia, vende-se -relaees semes-
traes por preco conunodo, e querendo res-
mas vende-se ainda njaif em conta.
Novos livros de homeopalhia mefrancez, obras
todas de summa importancia :
Hahnemann, tratadp das molestias chronicas, 4 vo-
lumes............ 209000
Teste, molestias dos meninos.....6JOO0
Hering, homeopalhia domestica.....79000
Jahr, pharmacnpahomeonathica. 69000
Jahr, novo manual, 4 volumes .... 169000
Jahr, molestias nervosas.......69OO
Jahr, molestias da pelle.......89OOO
Rapou, historia da homeopalhia, 2 volumes I63OOO
Harthuianu, tratado completo das molestias
dos meninos..........
A Teste, materia medica homcopalhica. .
De Favolle, doulrina medica homeopathica
Clnica de Slaoneli .......
Casliiig, verdade da homeopalhia. .
Diccionario de Nvslen.......IO9OOO
Atllas completo de anatoma com bellas es-
tampas coloridas, conteodo descripcao
de todas as parles do corpo humano 309000
vedem-se lodos estes IIDs no consultorio homeopa-
thico do Dr. Lobo Mo*os
meiro audar.
AULA DE LATIM.
O padre Vicente Ferrer de Albuquer-
que raudou a sua aula para a ra do Ran-
gel n. 11, Onde continua a receber alum-
nos internos eexternos desde ja' por me-
dico preco como he publico: quem se
quizer uttlisar de seu pequeo prestlmo o,
pode procurar no segundo andar da refe-
rida casa a' qualquer hora dos dias uteis.
EDCACA'O DAS FILHAS.
Entre as obras do grande Fenclon, arcebispo.de
Cambray, merece mui particular menear otratado
da educacao das meninasno qual esle virtuoso
prelado ensiua como asmis devem educar soas 11-
Ihas, para um dia chegare/n a oceupar o sublime
lugar de rnai do familia ; torna-sc por tanto urna
necessidade para todas as pessoas que desejam gui-
a-las no verdadeirocaminho da vida. Est a refe-
rida obra traduzida em portuguez, e vende-se na
livraria da pra^a da Independencia n. 6 e 8, pelo
diminuto preco de 800 rs.
IHMMtrtt
DENTISTA.
Paulo Gaignoux, dentista francez, eslabele 9
9 cido na ra larga ({o Rosario n. 36, segnndo
% andar, colloca denlescom gengivas arlilicacs,
e dentadura completa, ou parte della, com a
f$ .pressao do ar. 9
fe Rosario n. 36 segundo andar. m
ieiffica
O Dr. Joao Honorio Bezerra de Me-
nezes mudou a sua residencia da ra
Nova, para a ra da Aurora sobrado n.
02, que faz esquina com o atejrp da Boa-
Vista, e ahi continua a e\erctffa sua pro-
fissao de medico.
:e
i J. JANE, DENTISTA,
contina a residir na ra Nova n. 19, primei- A
9 ro andar. S
S999999&99m
Dr. Ribeiro, phvsiciap by lhe universily ol
Cambridge, United Slales, contines to reside, atrua
da Cruz n. 49, 2. (loor, and atienda especially lo
the eve and ear's diseases, he makesoceular examina-
lion al any hour iu prvale residences ; remember
Ihat for lhe examination of the ear, it requires lhe
lighl of lhe son.
As melhores bichas que tem viudo a esta
provincia,*
sao as que vieran) nesto vapor inglez que passon pa-
ra o sul, lem um'palmnde comprido, e segundo di-
zem os fresuezes, lem feito urna bicha mais sangra
do que 5 ventosas j estao no deposito dellas, ou ra
1 estreila do Rosario n. 11.
r, pois nesle estabeiecimeolo as ha bem fresqui-
e de buns lamanhos, e prova, que quem lem
precisado de 8 basta 4, e os precos sao bem rasoa-
veis : na ra estreila do Rosario," padaria n.13.
Precisarse de ota bom Irabalhador de padaria
e que queira cncarrefftr-se de entregar pao em urna
peqiienajfcgiiezia de pao, liado conta da casa : a
tratar ns""p< A pessoa que anounciou dar dinheiro a juros
de um por cenlo ao mez, com hypolheca em bens de
raiz, qneira dirigir-se i ra da Cruz n. 21, segundo
andar, que se dir quem faz esse negocio.
Desappareceu da casa do abaixo assignado, no
da 2 do cor ten le, as 7 lioras da noile. urna preta por
nome Marcelina, de n*r,.1o, de idade de 30 anuos,
pouco mais ou menos, de cor fula, lem talla de um
dente na frente da parte de cima, e tem nos bracos
um bordado com tres letlras iniciaes; levoo dus
veslidos, sendo om prelo e um oulro com listras en-
carnadas e verdes, ambos de chita : roga-se a todas
as autoridades policiaes e capitAes do campo, caso a
peguem, leva-la i ra da Senzala n. 42.
Precisa-se de um caixeiro de 14 a 16 annos de
idade, para taberna ; na roa Nova n. 71.
Precisa-se de urna ama, que saiba cotinhan: no
sobrado n. 1, confronte a ordem terceirade S. Fran-
cisco. \
, O abaixo assignatln declara ler vendido urnas
cadeiras ao Sr. F.....das quaes haviam lirado cinco
em seu poder para se envernisarem, defeudo o
mesmo Sr. cima as mandar buscar no dia seguinle,
dia em que justamente veio um prelo para dilo fira,
e como sejam as mesillas cadeiras reclamadas pelo
dilo senhor, que diz nlo recehefa o abaixo assig-
nado roga por consequencia a pessoa que as liver
em seu poder o obsequio de mandar leva-las ao seu
armazem de trastes na ra Nova, que muilo o obri-
gari. L. Pugi.
Jos Pereira Cesar faz scienle ao publico e
especialmente ao commercio desla praca, que com-
prou a Custodio Jos de Carvalho Guimaries as fa-
zendas q todo o debito activo e passivo relativo ao
seu estabelecimento da loja de fazendas dn casa n.
21 A, sita 11a ra do Queimado ; e que (em eslabe-
lecido na mesma casa e loja urna sociedade com-
mercial era comandita com o Sr. Jos Teixeira Lei-
le, por espaco de tres anuos a contar do dia 5 de iu-
nho prximo passado.
Recife 7 de julho de 1855.
TIIEATROD' APOLLO.
Sociedade dramtica emprezaria.
Em consequencia de ler-se fechado o (heatro de
9aula-lMbel, a sociedade dramtica emprezaria par-
ticipa ao respeitavel publico, que leudo contratado o
lliealro d'Apollo para dar os seus espectculos dra-
mticos, afim de ganhaiem para sua subsistencia e
parajadeseus empregados e actores escriplurados; re-
corren! ao benemrito publico desla cidade, que por
mais de urna vez tem protegido artistas em idnticas
circumslancias. dando todas as semanas espectculo
escolhido3, e abrindo desde ja urna assgualura de
12 recitas com o abalimenio de 10 por cento, sendo
Os precos da casa os seguinle- :
Camarotes de 1.a ordem.
Ditos da 2.- .
Ditos da 3.o
Cadeiras.........
lieraes.........
Galeiras.........\ "500
A sociedade dramtica prometi envidar lodos os
meios ao seu alcance para bem salisfazer um publl-
- que de certo nao deizar do a proteger na crias
Brunn Pracger&C, tem para ven-
da em sua casa ra da Cruz n. 10.
Lonas da Russia.
Instrumentos paia msica.
Oleados para mesa.
Charutos de fia vana verdadeiros.
Gomma lacea.
Vendem-se dous pianos fortes de
Jacaranda:, construcrao vertical, e com
todos os melhoramentos mais modernos,
tendo vindo.no ultimo navio de Ham-
burgo: na ra da Cadeia, armazem n.
21. .
NAVALHAS A CONTENTO E TESOURAS.
Na ra da Cadeia do Recife n. 48, primeiro an-
dar, escriplorio de Augusto C. de Abrcu, conti-
nuara-se a vender a 89000 o par (preco fixo, as j
lieni mohecidas c afamadas na\albas de barba- feilas
pelo hbil fabricante que foi premiado na exposicao
de Londres, as quaes alm de durarem extraardina-
riamcute. naoseseutem no rosto na acrilo d cortar;
vendem-se com a condirjlo de, nao agradando, po-
derem os compradores devolve-las al 15 diasdepois
pa compra restiluindo-se o importe. Na mesma ca-
sa ha ricas lesourinhas para unhas, feilas pelo mes
mo faircanle.
Vendem-se os verdadeiros licores de
absyntho e kitcli, chegados pelo ultimo
navio francez e por pre^o muito commo-
do : na ra da Cruz n. 26, primeiro an-
dar.
TEXTOS PARA VOLTARETE.
Vendem-se caixinlias core ten tos de mui-
to bom gosto para o apieciavel jogo de
voltarete, chegados ltimamente de Fran-
ca e por muito commodo preco: na ra
da Cruz n. 26, primeiro andar.
Na travessa do arsenal armazem n. 9 vendem-
se saccas com arroz pilado.
A 93000 A PECA.
Vendem-se pecas d brim fino de linho. com 20
varas, proprio para cerdas, toalhas, lencoes e outra
muilas obras, pelo baratissimo prer,o de"98000 a pe-
ca, assim como oulras muilas fazendas que a dinhei-
ro se vendem barato-: na ra ta Cadeia do Recife,
loja 11. 50, defronle da ra da Madre de Dos.
Vendem-se 2 livros nuticos, o Piloto instrui-
do e taboas de reducto, ludocm hum estado: na ra
estreila do Rosario 11. 6.
Vende-sc superior doce de goiaba, feito 13o so-
mente de casca : na ra do Rangel, quina do becco
o Carcereiro, taberna n. 50.
, 7JOO0
78000
49000
13500
15C00
actual, em que nao lem outros lacros"a perceber
mais do que a concurrencia do mesmo publico.
Recebemse assignaturas e cncommeudas de bi-
Iheles no mesmo theatro das 10 horjfe 2 da tarde.
e das 6 as 8 da noite. ^
t- Aluga-seou vende-e urna casa com
slito e sitio no lugar da Torre, junto ao
sobrado do Sr. Peixoto, com todas as com-
modidade para iamilia, cocheira, estri-
barla, quartos para feitor, etc.: na ra
da Cruz n. 10.
COMPRAS.
Compram-se palacoes brasileiros, hespanhes,
mexicanos e pesos de 5 francos : na ra da Cadeia
do Recife, loja de cambio n. 38.
Compram-se travs de emberiba, de 30 palmos
de compnmenlo c 1 em quadro : na ra da Praia,
casa terrea junto ao subdelegado.
Compra-se urna negra de boa figura, que sai-
ba bem engummar, coser o cozinhar, paga-sc bem
assim como um moleque de 14 a 16 annos : quem
liver, dirija-se i ra da Cruz n. 23.
VENDAS.
Domingos Alves Matheus tem para vender em sen
escriplorio, na ra da Cruz n. 54. um rico piano de
armario, rcceutcmenle chegado e de boas votes, as-
sim como se encarrega de mandar vir outros a con-
tento dos pretendenles.
Attencao.
Vende-se 1 cama de irmacHo, de Jacaranda, 1 me-
sa de amarello com 7 palmus de comprimento e 4 do
largura, propria para alfaiale cortar obras, 1 dita
para coznha, 1 eaixilo de amarello envidrando pro-
prio para jmider fazendas e calcados, e 5 quadros
com moldWa de Jacaranda : na travessa do Queima-
do n. 5, segundo andar. Na mesma casa compra-se
um binculo de marfim ou de metal, que seja grande
6 em bom us.
Vende-se urna escrava de 24 aunos, qnitandei-
ra, coziuba o diario de urna casa e lava de sabao ;
vende-se por quererse comprar um moleque : quem
a quizer, dirija-se ma da Moeda d. 11, segundo
andar, que adiar com quem tratar.
Vende-se urna cabra (mocho) raposa, com mui-
lo bom leite : dirjase i Santo Amaro junio ao ce-
milerio dos Inglezes, casa de 2 portees.
1 'CEMENTO
j. da melhor qualidade: vende-se em
0- casa.de Brunn Praeger &C, ra
S da Cruz n. 10.
Vcnde-se no^nnazem de James Halli-
"day, na ra da Cruz n. 2, o seguinte :
Relogios de ouro e prata, sabonetes pa-
tente inglez.
Sellins inglezes.
Silhoes inglezes proprios para senhora
montar.
Lanurnas para carro.
Molas de 5 folbas para carro.
Eixos de patente para carro.
Couros para coberta de carros.
Fio em novellos para sapateiro.
COM PEQUERO TOQUE DE
1VARIA.
A 5000 rs. a pessa.
Vendem-se na ra do Queimado, loja n. 17,
pet;as de madapoln com pequeo loque de alaria a
39000, e algodozinho americano com pequeuo lo-
que a 29OOO a pec,a.
PIRA ESCRAVOS.
A 1$200 rs.
Cobertores de algodao cncorpados: na roa do
Queimado, loja n. 17.
FEIO E BOM.
Vende-se estojo com urna navalha, verdadeiro
aro inglet, feio e bom, pelo barato pret;o de 13500 :
na ra' do Queimado 11.63, loja de Joao Chrisoslomo
de Lima Jnior.
Charutos Bahianos.
Chegaram pelo nltimo navio viudo dn Babia, os
muito afamados charutos varetas e de S. Flix, da fa-
brica de Brandan, sendo em caitas de 100, 50 e 25 :
vendem-se na roa do Queimado n. 9.
Vende-se urna excellente bomba de repuxo :
na ma do Collegio u. 16.
Vende-se um sitio do lagar da Cruz de Almas,
com muilo boa haixa para capim, terreno alto, com
arvores de fructo, mullo boa e grande casa de viven-
da, com urna casa ao lado, que serve para qualquer
estabelecimento, casa para prelos, o outros commo-
dos : a fallar com o coronel Jos Carlos, ou com An-
louio Luiz Vieira, no mesmo sitio.
A JjSOO.
Chales de merino, finissima fazenda, bonito sorli-
mento de tudas as cores,, pelo diminuto preco de
59500: na ra do Queimado 11. 33, loja junio a da
Fama.*
Vendem-se 3 escravos, entro elles um ptimo
mulatinho de idade 16 annos, muito lindo, urna pre-
ta da boa conduela, quitandeira ; na ra Direila
n. 3.
Vende-se rap superior, Paulo Cordelro, a
13280 n libra, rap priuceza de Lisboa, em vidros :
no armazem de Palmeira & Bellrao, no largo do Cor-
po Sania n. 6.
Deem atten-
cao ao barateiro.
Vinho da Figueira, de Lisboa,' brauco superior,
Unto do Porto engarrafado, muilo bom, o velho a
800 rs. a garrafa, azeile doce do melhor, vinagre de
Lisboa engarrafarlo, brancoe linlo.sardinhas de Nan-
lesem latas, queijos do reino muilo frescaes, passass
cliouricas, paios, presuntos, cerveja de superior qua-
lidade, vinho Bordeaux engarrafado a 400 rs. a gar-
rala, e a 320 deixando-ae-o casco, dilo champagne
da melhor qualidade, dito muscalel do verdadeiro a
.560 a garrafa, charutos da Babia muilo buns, sabao
branco do Rio, graxa ero latas da melhor, batatas de
superior quaa'dade, cha de indas as qualidades e do
melhor, bolachinha ingleza superior, mauteiga in-
gleza e franceza, banha de porco muilo alva, bola-
chinha de aramia muito superior, velas de carnauba
pura edccomposicjto, ditas de esper mcete das me-
lhores qualidades, e pelo mais barato preto, talha-
rim, mararrao e aletria, cevadinha, sag, marmela-
da, papel almaco e de peso, dilo paulado, e ludo
mais de muilo hoa qualidade, e o mais barato que
se enconlra: na taberna da ra Nova n. 50, na es-
quina da ra de Santo Amaro.
Que fumaria aromtica lem oqs charutos que
se vendem nicamente, e por preco commodo, ua
loja da roa do Crespo n. 19.
VINHO DO PORTO SUPERIOR FEITORIA.
Vende-se por preto commodo no armazem de
de Barroca & Caslro, ra da Cadeia do Recife n. 4.
Vendem-se sapolis grandes ; no sitio da Trem-
pe n.'1. sobrado qne (em taberna por baixo, c na
ra da Cadeia do Recife, taberna defronle do becco
Largo.
A pechiojlia.
No aterro da Boa-ViSta^W, dfrontc da
boneca.
Ceblas chegadas ltimamente de Lisboa a 200 e
400 rs. o cenlo, presuntos, lingui;as, paios, mautei-
ga ingleza de todas as qualidades, dita franceza, bo-
lachinha de soda, biscoilos, e muitas oulras qualida-
des, pasias, ameitas, tmaras, cha da India de tedas
as qualidades, e muilos outros gneros chegados l-
timamente, tudo de superior qualidade e preco mais
barato do que em outra qualquer parte.
GRANDE E NOVO
Sorlimento de chapeos de sol tanto de saja como
de panno, para liomcns e senhoras.de lodosos lama-
nhos e qualidades, palitos de panno, seda, Ua, linho,
alpaca etc., de todas scores e qualidades, calcas de
brim branco e pardo.e um sorlimento do malas para
viagem, assim como baleias para vestidos e esparti-
Ihos para senhoras, cobre-6e o concerta-se (oda e
qualquer qualidade de chapeos de ol, por menos
preco queem ouira qualquer paarle : na roa do
Collegio o. 4, casa de J. Falqne.
Attencao.
Chales de ganga bordados a 2J800 : na ra do
Queimado n. 33.
Vendem-se em casa de S. P. Johns-
ton & C., na ra de Senzala Nova n. 42.
Sellins inglezes.
Relogios patente inglez.
Chicotes de carro e de montara.
Candil-iros e casticaes bronzeados.
Chumbo em lenco!, barra e munico-
Farello de Lisboa.
Lona inglezas.
Fio de sapateiroe devela.
Vaquetas de lustre para carro.
Barris de graxa n. 97.
DEPOSITO M FABRICA DE TODOS
OS SANTOS DA BAHA.
Vende-se em casa de N. O- Bieber &
C, na ra da Cruz n. \, algodao tran-
cado daquella fabrica muito proprio pa-
ra saceos de assucar e roupa para escra-
vos, por prec,o ommodo,
Em casa de J. Keller 4 C, na ra
da Cruzn. 55 ha para vender xcel-
lentes pianos vindos ltimamente de Bam-
b rgo.
Vende-se urna batanea romana com todos os
stus perlences.cm bom uso e de 2,000 libras : quem
pretender, dirija-se ma da Cruz, armazem d. 4.
COGNAC VERDADEIRO.
Vcnde-se superior cognac, era garrafa', a 12J000
a duia, e 1J280 a garrafa : na roa dos Tanoeirus n.
2, primeiro andar, defronle do Trapiche Novo.
FABINHA DE MANDIOCA.
Vende-se superior farinha de mandio-
ca, em saccas que tem um alqueire, me-
dida velha, por preco commodo: nos
armazens n. 5, 5 e 7 defroute da escadi-
nha, c no armazem defronte da porta da
alfandega, ou a tratar no escriptorio de
Novaes <& C, na ra do Trapiche n. 54,
primeiro andar.
Chales de merino' de cores, de muito
bom gosto.
Vendem-se na ra do Crespo, loja da esquina que
volta para a cadeia.
ATTEHfO.
Na ra do Trapiche n. .341 ha para
vender barris de ferro ermeticamente
fechados, proprios para deposito de fe-
ses ;estes barris sao os melhores que se
tem descoberto para este lim, por nao
exhalar em o menor cheiro, e apenas pe-
zam 16 libras, e custara o diminuto pre-
co de 4S000 rs. cada um.
Vende-se pipas, barris vazios e bar-
ricas internadas: a tratar com Manoel
Alves Guerra Jnior, na ra do Trapiche
n. 14.
Attencao 1 !
Vende-se superior fumo de milo, segunda e capa,
pelo baratissimo preco de 33000 a arroba : na ra
Direila n. 76.
Potassa.
No antigo deposito da roa da Cadeia Velha, es-
criplorio n. 12, vende-se muito superior potassa da
Russia, americana e do Rio de Janeiro, a precos ba-
ratos que he para fechar conlas.
Vendem-se 2 lindan negrinhas moilo sadias,
m ndn ama de idade da 7 annos e a outra de 4, a pri-
rreira tem principio de costara : na roa do Crespo
n. 10, segando andar. Na mesma casa compra-se
u n negro mo(o, de bonita figura.
A boa fama
Vendcm-e chapeo, de palha da Italia muilo fi-
nos, para liomem e menirm. polo baratissimo preco
d 19600 : na roa do Queimado, loja de miodezai
d Boa Fama n. 33.
Attencao.
Na ra da Cadeia Velha u. 47,loja do Sa (Manoel)
vt-nde-se damasco de lila de deas larguras, muilo
proprio para coberlas de cama e pannos de mesa.
\y
9M*
POTASSA BRAS1LEIRA.
Vende-se superior potassa, fa-
bricada no Rio de Janeiro, che-
la da recentemente, recommen-
-se aos senhores de engenhos os
seus bons ell'eitos ja' experimen-
tados: na ra da Cruzn. 20, ar-
mazem de L. Leconte Feron &
Companhia.
AOS SENHORES DE ENGENHO.
Heduzido de 640 para 500 rs. a libra
Do arcano da invencao' do Dr. Eduar-
do Stolle em Berln, empregado as co-
lonias inglezas e hollandezas, com gran-
de vantagem, para o melhoramento do
assucar, acha-se a venda, em latas de 10
libras, junto com o methodo de empre-
gi-lo no idioma portuguez, em casa de
N. O. Bieber 4 Companhia, na ruada
Cruz. n. 4.
mr
~ esa
a S
X

a
a
-
s
a
-O
S
-5
-
-

fad
CXI
&
4)
-o
o
I
ee
I
o
a
I
s
"i
a
a
s
'2
S 3
5
S5
2
s
i
s
(4
O
'<
a
ss
o
C/5
en
<
H
a
-o
e
V
N
a
i.
O
Na ra da Cruz n. 26 primeiro an-
d ar, vndem-sc os seguintes relogios por
muito barato preco que faz 'admirar, re-
logios de ouro patente suisso, ditos de pra-
ta, ditos de dita' dourada e ditos de dita
galvanisada.
Velas.
Vendem-se excedentes velas de carnauba pora e
de composic.80, sendo estas do melhor fabricante do
Aracaly, pelo commodo precio de 140500 a arroba :
na ra da Cruz armaxem n. 15.
Na ra do Crespo, loja n. 12, vendem-se bons
cobertores de algodao, brancos, de pello a 1&400, e
sendo em porr.io fax-se'algama difierenca no preco:
lambem vendem-se sedas escocezas1 a 1$200 o covado,
bonitos padroes e sem defeilo.
Superior vinho de champagne e Bor-
deaux: vende-se em casa de Schafliei-
tlin A ELLES, ANTES QUE SE ACABEM.
Vendem-se corles de casemira de.hnm goslo a 28,500
48 e 59000 o corle.; na ra do Crespo n. 6.
Taixaa para engenhos.
Na fundicao' de ferro de D. W.
Bowmann, na ra do Bru, passan-
do o chafariz continua haver um
completo sortimento de Jixas de ferro
fundido e batido de 5 a 8 palmos de
bocea, as quaes acham-se a venda, por
preco commodo e com promptidao'
embarcam-se ou carregam-se em carro
sem despeza ao comprador.
Cera de carnauba.
Vende-se aa ra da Cadeia do Recife n. 49, pri-
meiro andar.
Vende-se um cabriole! c dous cavallos, tudo
junio ou separado, sendo os cavallos mullo mansos c
muilo coslumadosiem cabriole!: para ver, na co-
cheira n. 3, defronle da ordem lerceira de S. Fran-
cisco, e a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za Jnior, na ra do Collegio n. 21, primeiro ou se-
gundo andar.
FAZENDAS DE GOSTO
PABA VESTIDOS DE SENHORA.
Indiana de quadros muilo fina e padrOes novos;
cortes de 13a de quadros e flores por preco commo-
do : vende-se na ra do Crespo loja da esquina que
volta para a ra da Cadeia.
CASEMIRA PRETA A 4*500
0 CORTE DE CALCA.
Vendem-se na ra do Crespo, loja da esquina que
volla para a ra da Cadeia.
Na roa do Vigario o. 19, primeiro andar, ven
de-sefarelo novo, chegado de Lisboa pela barca Gra
tidSo. i
Na ra do Vigario n. 19, primei-
ro andar, tem para vender diversas mu-
ticas para piano, violiio e flauta, como
sejam, quadt-ilhas, valsas, redowas, scho-
tickes, aiodinhas tudo modernissimo ,
chegado do Ri? de Janeiro.
Vendem-se ricos e modernos pianos, recenle-
menle chegados, de encllenles yoxe*, e precos com-
mettfiBeflrcasa de U. PllbeT & I.UimMiil,ia, tm
roa Ciuz n. 4.
Capas de panno.
_Vendem-se capas de panno* proprias para a esta-
(ao presente, por commodo preco : na ra do Cres-
po u. 6,
Grande sortimento de brins para quem
quer ser^Emenho com pouco dinheiro.
Vende-se brim trancado de listras e quadros.de pn
ro linho, a 800 re. a vara, dito liso a 640, ganga
amarella lisa a 860 o covado, riscados escaros a im'i-
lacao de casemira a 360 o covado, dito de linho a
280, dito mais abaixo a 160, castores de todas as co-
res* 200, 240 e 320 o covado : na vm do Crespo
COM PEQUEO TOQUE DE
Algodao de sicupira a 2&500' e 39 : vende-se na
roa do Crespo loja da esquina que volla para a roa
da Cadeia.
Alpaca de seda.
Venile-se alpaca de seda de quadros de bom gosto
a 720 n covado, cortes de laa dos melhores gslosque
lem viudo no mercado a 49500, ditos de cassa chita
a 1j)80i>, sarja prela hespanholn a 29400 e 29200 o
covado, setim preto de Maco a 29K00 e 39200, guar-
danapos adamascados feitosem Gaimaraes a 396OO
a duzin, loalhas de rosto rindas do mesmo logara
99OOO e I29OOO a duzia : na ra do Crespo n. 6.
CHALES DE LAN E ALGODAO,
EOTOS A800 RS. CADA II.
Vendem-se na roa do Crespo loja da esquina que
volta para a ra da Cadeia.
COBERTORES.
Vendem-se cobertores escuroe, grandes e peque-
os, a 19200 e720 cada nm : na roa do Crespo n. 6.'
CORTES DE CASEMIRAS
DE CUBES ESCURAS E CLARAS A 3000.
Vendem-se na roa do Crespo, laja da esquina que
volta para a ruada Cadeia.
A Boa lama.
Vende-se papel marfim paulado o mais superior
qde he possivel haver, pelo barato preco de 4*000 a
resma, dito de peso pautado a 39600, dito almaco
sen) ser paulado, porm boa fazenda, a 29600 a rea-
ma, peanas de ac, bico de lanca, o melhor que po-
de haver, a I92UO a caixinha coro 12 duzias, ditas a
WO, caivetes fiaos de 2, 3 e 4 folbas a 24. 320, 400
e 500rs., dilos de 1 folha.a tfiO, lapis finos enverni-
saos a 120 a duiia, ditos tois ordinarios a 80 rs,,
canelas de ac e marfim lomeadas, coosa muilo de-
licada, a 128, 200 e 300 rs., capachos piulados para
salas a 600 rs., iiengal-nhas de janeo com bonitos
casles a 500 rs., grande sortituenlo de oculoe com
arnincSo de ac a 800 rs. o par, dilo de armario de
melal a 400 re., lonetas qoadradas com armado de
tartaruga a I90OO cada urna, ditas com armario de
bnfalo a 500 re., carteiras para algibeira, fazenda
muilo superior, a 640, lavas brancas de algodao,
proprias para mootaria, a 240 o par, ditas de cores,
fazenda boa. a 400 rs., (velas douradas para calcase
colletes a 120, esporas finas de metal a 800 e lgOOO
o par, chicotes finos a 800 e I9OOO, ricas abotoadu-
ras para collete a 400, 500 e 600 rs., tranceln pac-
tos de borracha para relogio a 100 e 160 rs., tinleiros
c areeiros de porcelana a 500 rs. o par, riquissimas
caixas para rap 640,1JO00, 19500 e 29000, cara-
pacas pintadas muito finas para homem a 2*0, meias
pintadas muilo finas para hornero a 320 o par, e alm
de ludo islo outras inoitissiroas cousas que ludo te
vende mais haralo do que em outra qualquer parle,'
como ha muito lempo esla contiendo : na roa do
Queimado, nos quatro cantos, loja de rniodezas da
Boa Fama n. 33.
Deposito de vinho de cham-
pagne Chateau-Ay, primeira qua-
lidade, de propriedade do conde
de Marcuil, ra da Cruz do Re-
cife n. 20: este vinho, o melhor
de toda a Champagne, vende-se
a 56^000 r. cada caixa, acha-se
nicamente em casa de L. Le-
corate Feron & Companhia. N.
B.As caixas sao marcadas a lo-
goConde de Marcuile os re-
tidos das garrafas sao azues.
Deposito do chocolate francez, de urna
das mais acreditadas fabricas deParis,
em casa de Vctor Lasne, ra da Cruz
n. 27.
Extra-superior, pora baunilha. 19920
Extra fino, baunilha. I96OO
Superior. 19280
Quem comprar de 10 libras para cima, tem um
abale de 20 %: venda-se aos mesmos precos e con-
dicoes, em casa do Sr. Barrelier, no aterro de Boa-
Vista n. 52.
Vende-se ac em cndeles de um quintal, por
preco muito commodo : no armazem de Me. Cal-
moni & Companhia, praca do Corpo Sanio n. ti.
Riscado de listras de cores, proprio
para palitos, calcase jaquetas, a 160
o covado.
Vende-se na ra do Crespo, loia da esqoina que
volta para a cadeia.
Vendem-se no armazem n. 60, da ra da Ca-
deia do Recife, de Heory Gibson, os mais superio-
res relogios fabricados em Inglaterra, por precos
mdicos.
Vende-se excellenle aboado de pinho, reetn-
lemenle chegado da America : na rui de Apollo
trapiche do Ferreira, a entender-se com o adminis
ador do mesmo.
VBoalaua.
\ eodem-se lindisaims caixas para costara de se-
nhora a -4?, 39 e 39500, caixinbas muito delicadas,
proprias para guardar joUs a 600 e 800 r., pentes
de inarfiu para alisar, faxeoda superior, a 19500,
luvas de lorcal com belolas, muito boa lazendu, a
800 rs. o par, ditas de seda de toda* ai cores e sem
deleito algum para homem e senhora a 19200 o par,
pentes de tartaruga de muilo bonitos padroet t'49500,
59000 e 59500, ditos de bfalo imitando tartaruga a
I928O, e alm de lude islo oulras cousas de muito
bous goslos, e ludo por precos que muito agradarlo
aes compradores : na ra do Queimado, nos qaatro
cantos, loja de miudexas da Boa Fama o. 33.
Compra-se effeclivamtule bronze, laloe co-
bre velho : no deposito da fundicao d'A urora^auL-- "
ra do Brum, logo Da entrada n. 28, e na mesma
fundicao em S. Amaro.
IECHAB1SI0 PARA EH6E-
HHO.
NA FUNDICAO DE FERRO, DO ENGE-
NHEIRO DAVID W. BOWNIAN, fik
RA DO BRUM, PASSANDO O VHA-
FARIZ,
ha sempre om grande sortimento dos seguintes ob-
jcclos de mechanitmos proprios para engenhos, a sa-
ber : moendas e meias moendas da mais moderna
construccao ; taixaa de ferro fundido e batido, de
superior qualidade e de todos os lamanhos ; rodas '
dentadas para agua ou animaes, de todas as propor-
coes ; crivos e boceas de fornalhae registros de be
eiro, aguilhoes, bromes, paramos ecavilhoes, mo-
nho de mandioca, etc., etc.
NA MESMA FUNDICA'O.
se execulara todas as encommendas com 'a superio-
ridade j condecida, e com a devida presteza com-
modidade em preco.
ESCRAVOS FQIDOS.
Desappareceu no dia 28 de junho o eacrave
Joao, de uarao Angola, que reprsenla ler 30 annos
de idade, altura e corpo 'regalar, cara redonda, com
carne sobre os olhos ; tem um ealombo nascendo da
orelha direila pona do qneixo, e outro mais pe-
queuo em cima ; tem falla mansa a cosluma a ena-
briagar-se. e anda ganhando na ra; levou comisa
caifa de riscado azul e um bonele, etc. : qualquer
pessoa que o pegar leve-o ao seu senhor D. da Silva
Campos,* na roa das Cruzes n. 40, que recompen-
sar.
Do patacho Valente, fugio um es-
cravo marinheirodenome Caiin, crioulo,
idade 28 annos pouco mais ou menos, al-
tura regular, fot vestido de calca de risca-
do, jaqueta, de brim, camisa branca e
chapeo de molla : quem o apprehender
pode-o levar em casa de Novaes & C,
ra do Trapiche n. 34.
Desappareceu do engenho Camorirr. Grande,
da freguena de Agua Prela, o escravo Gabriel, na-
cao Beuguella, parecendo ser crioulo mas no he,
maior de 32 annos, altora .esular, cor muilo prela,
cabellos achatados, olhos amatcllados, bastante vi-
vo e ladino, dado a contar historias do qne lem vislo
por onde tem viajado, mentiroso e atrevido quaodo
est embriagado, pernas linas, e bem fechado de bar-
ba, rosto redondo, j lem sido lurrido, levou um
gancho ao pestoco que he de suppr o tenha tirado,
porm ba de estar rom o couro do pescoco grosso e
spero, o qual foi escravo do Sr. major Antonio da
Siiva Gusmilo. trabalha de barbeiro. c lambem en-
tende de cozinha, trabalha de pedreiro e sabe fazer
telha. Desappareceu no mesmo dia do dito engenho
cima, em companhia do mesmo escravo Gabriel a
escrava de nome Maria, naco Cassange, idade 50
aonos. bstanle alta, muito scea do corpo, efir pre-
la, caneca comprida para Iraz, j baslaule piolada
de cabellos brancos, principalmente pelas Tontea, tem
um denle menos na frente, no queiio de cima,
roslo catnprido, beh;o de cima meio revirado, naris
afilado, ps seceos, peitos muito pequeos, a qual
escrava o seu antigo senhor j morou em Gurabira,
dislriclo da provincia da Parahiba; ambos os escravos
desapparecersm no dia 28 de malo do correte an-
no : por isso roga-se a todas as autoridades policiaes
e capiuies de campo, hajam de apprehende-los e le-
va-Ios a sea senhnr Ignacio Ferreira de Mello Leis.-i,
no enzenho cima, ou netla prag a sen correspon-
dente Manoel Antonio de Santiago Lessa, morador
na roa Augusta n. 3, que sero bem recompensados.
PERN. TYP. DE M. F. DR FAMA. -1855
J.
s
. "i
______


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGDFJEPRL_R3M0XD INGEST_TIME 2013-03-25T12:40:46Z PACKAGE AA00011611_00802
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES