Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00794


This item is only available as the following downloads:


Full Text
9&/3flh|gBtjg:
l
ft
1
r

!
I
^tfWO fe PS0.
DIARIO DE PBRNAMBUCO.
bscreve.se na Tipografa do esmo Diado roa Dlreita N. 97 1. andar en ueaes por 64$freis hama fclha
que sahir, todos os ns atis.
Sexta Feira 30 de Julho. 8. Rufino M.
Prcamar aos 30 minutos da tarde.
**
^
. ARTIGOS db OFFICIO.
.LCta da 14. Sessao Ordinaria do
Cnselh) do Gov< rno em 20 de Abril de
1830, prwMda julo Excellentissimo Snr.
Presidente Joaquina Joze Pinheiro de
Vasconcellos.
Fnrao presentes os Snrs. Conselhen
ros Francisco de Paula Cavalcantede AU
buquerque Dea Bernardo Luz Fer-
reir, e Felis Joze Tavares de Lira, e
falta rao com caima participada os Snrs.
Dezembargador Maciel Monteiro, l)ou-
toral Manuel Ignacio, e Doutor Ferrei-
ra de S. Paio.
Foi lida, e approvada a Acta da Se*-
eao antecedente. O Snr. Paula Caval-
cante ponderou o estado desgracado las
estradas da Provincia, mesmo as das im
mediac.5es da Praca, de que resultava
prejuizo, transtorno, e atrazo-a'agricul-
tura, e comtoercio, dificultando condu*
c,oes, e transportes dos gneros da vida,
oque fazia a sua caresta: e disee, que
elle reclamava particular attencau do Con*
eelho sobre este importante objecto de
commodidade geral: resol veose, que o
mesmo Snr. Paula proposesse a* este res-
peito o quelhe pareca conveniente lazer-
se, eicrevf ndo as suas reflexes, para se-
roflL presentes ao Couselho, emmittir cada
licmi a sua opiniao, e deliberar se, quaes
os meius rnais adequados deserem repara-
das as estradas, e mesmo algumasabeitan
de novo em mais recta direccao. E por
que faltarao os tres Snrs. Comelheirosre.
feridos, assentarao os Snrs., que se acha-
rao presentes, que se desse por finda a
Sessao, deixando para a seguate as ma-
taras, que haviao a' tratar. E eu Vi-
cente Thomaz Pires de F'gueiredo Ca-
margo, Secretario do Governo, e do Con-
t! lio a subscievi. Joaquim J>ze Pi
nbeiro de Vasconcellos Francisco de
Paula Cavalcante de Albuquerque
Bernardo Luiz Ferreira Felis Joze Ta*
vares de Lira.
JJEndo prezente ao Conselho do Go*
verno a incluza reprezentacao de queixa,
que contra V. S. llie dirigi Don v gos
Pires Ferreira, rezolveo o mesmo Con-e*
Iho, quefosse V. S. ouvido a' semelhan*
te i esputo, dando sua informacao. D jos
Guarde a V. S. Palacio do Governo da
Pernambuco 1.5 de Julho de 18.30, Jo-
aqun Joze Pinheiro de Vasconcell o#
Snr. Felis Joze Tavares Lira, Jiiztie
Paz da Freguezia de Santo Antonio dt>
Recife.
Ri
^Emetto a' V. S. para suaintelligen-
ca a copia incluza do Officio. que em re-
zolncao do Couselho do Govern > acabo
de rti?igir ao Juiz de Fora pela Le, que
se hav>a dirg:do o mesmo C< nsetho por
occazia do conflicto de juri-di^ao appa-
recit entre V. S. e e'.le. Dos Goar
de a V. S. Palacio do Governo de Per-
namb.co 15 de Julho de 830. Joa-
quioi Joze Pinheiro de Vasconcelos,
Snr. outer Oovidor, pela Lei, de*ta
Comarca, Joaquim Aires de Almeida
Freita3.
A
m Vista da participacao, que V, S.
me fea, em data de 13 do corrente, de ter
atacado hum coito de I ad roes na ruad
Cotovello, e Arraial, perseguido, e pren-
dido alguna, entre os que taobem se *eba
vo criininozos deJustica, que se havao
evadido das prisoes, achando-s^lhey Ai-
mas, algutnu Fazenda roubada, chave-,
e outros instrumentos, que f rao \*p t
hendidos ,\ depois de louvar a proa | >. >. ,
eactividade, com que V. S. com ?%
i v

^^^


l m '"" ''- '.....- i ^
!^WnV;^'"'V^
(2082)
sua Escolta, se portou nessa diligencia,
tenho a' segnificar-lhe, que a tranquil ida-
de Publica exige de V. S. todos 09 esfor*
cos, e sacrificios, que estirerem a 9eu al*
canee na perseguicao, e prizao do9 La-
drees, e facinorozos, que tantos males
tem cauzado aos paci fieos habitantes des*
ta Provincia, principalmente, os morado*
res do campo, e suburbios da Cidade, os
quaes tendo o maior Direito a' vigilancia,
c providencias deste Governo, viven
tranquillos, e conados na Protecao do
melhor dos Monarchas, e na seguranca,
que a Constituida o no Art. 179 garante a'
ta liberdade civil, individual, e de pro*
priedade. Dos Guarde a V. S. Palacio
do Governo de Pernambuco 19 de Julho
de 1830. Joaquim Joze Pinheiro de
Vasconcellos. Snr. Tenente Coronel
Aggregado, e Commandante Interino da
Polica Francisto Joze Martins.
8,
CORRESPONDENCIA.
'Nr. Edictor, Como sempre gostei
de assistir a actos litterarios; pois que
del les o homem por mais estupido que se
ja, sempre adquire algumas instruces ;
por isso dirigidme ao Seminario no dia 24
deste mez, em que hia fazer exame por
opposicao a Cadeira de Historia Sagrada,
e Eclesistica o Reverendo Padre Mestre
Francisco Joaquim das Chagas.
Pelas nove horas e trez quartos en*
trou o acto; o Examinando Oppositor fez
huma Disertacao em Latim, a qual reci*
tou quase toda de cor, prova de quanto
se achava Senhor d'ella, a respeito da mi-
lagrosa passagem do Jordao pelo Povo
Israeltico, dissertacao, que encheo a mi-
li ha Alma, e de todos os Espectadores,
que excedao ao numero de tresentos Srs.
entre Seculares, Militares, Sacerdotes
Simplices, Vjgarios, Conegos, Religio-
sos Franciscanos, e o D. Abbade de S.
Bento, e diante dos Snrs. Doutores Au*
tran, que a esta hora ja tinha acabado a
Aula, e Porto, que retirou-se as 11 horas
para hir a sua: dissertacao em fim que o
Arguente seo Oppositor ao fiualisar d'ella
deo hum testemunho publico do talento,
e superiondade de conhecimento ao da*
quelle Examinando sobre si, mesmo na
materia de opposicao, e da Cadeira de
que era substituto, e se achava lendo. O
Oppositor Reverendo Nunes argumentou
em primeiro lugar sobre o dito ponto ira*
pugnando e mal, e de que nao houvera o
dito milagre, e que o Povo poda ter pas-
eado o Rio por guindastes, que necessida*
de havia de tal milagre, admittindo entre
tanto o da passagem do Mar vermelho,
e ah disse mais ou antes repisou isto mes-
mo, O Defendente tomn a palavra, sus-
tentando o milagre pelo modo, com que
as agoas superiores retrocederao o seo
curso natural, e as inferiores forao parar
immediatamente ao Mar do Deserto, isto
he ao Lago Asfaltites, chamado vulgar-
mente Mar morto, deixando seco o Rio
do Jordao no mes de Nisu, tempo de sua
inundacao, apresentou a historia de Fla-
vio Josepho, o Escriptor dos mais antlgos
que temos, provou com a Escriptura ma-
nejando os principios Filosophicos, refu-
tou completamente aquellas objecoes, h>
cando este Arguente espichado, apesarde
ser Examinador, e Oppositor a ponto,
que enimudeceo ficando bem fustigado e
batido pela refutacao das suas objecoes, e
seui poder, como pode a Burra de Bala*
m, articular som. Nao verificou se, co-
mo disem que foi motivo da opposi-
cao deste Reverendo Vigario, Nunes, a
sutentacao da onra Portuguesa, que
se achava decahida no Seminario. Seguio
o Reverendo Monte que bem argumentan*
do sobre a historia do Povo Israelitico
durante os 40 annos no deserto, excelen-
temente responden o Oppositor Defenden-
te, seguindo a ordem das Estacoes da*
quelle Povo, referindoo que houve de
mais notavel em cada huma dellas, usan-
do da critica, conciliando o que [a havia
disposto sobre a conducta deste Povi\ e
jogando em fim com as ideas, bebidas no
Diccionario Bblico deCalmet, Anotceoes
de Alapide, Pereira, eda versa antiga,
e outros. Concluio o Acto o Reverendis*
simo Doutor Manoel Ignacio argutnen
tando a respeito dos Pontfices, do segan-
do Seculo da Igreja, das Epstolas atribu-
idas a cada hum delle?, da disciplina da
Igreja tanto Oriental, como Ocidental,
perseguieoes, ao que o Defendente res*
pondeo ptimamente, ".presentando umi-
ta leitura dai taboas Chronologicas de
Linglet, Baronio. Eis oque se passou
ueste Acto, o qual foi sem duvidb muito
melhor que o de Quarta feiro, no qual o
Reverendo Nunes foi de todo espicha-
do. Por tanto esperamos toda justica
do" Cabido, para que o Publico juiso que
*
MI


.

2
^
i 1-t,
u
31
(2083)
le fas de suas Reverendsima! nao seja desmentido.
Espero Snr. Edictor o favor de inserir estas mal or-
ganisadas linhas, em quanto aparando nova pena,
melhor passarei a discorrer, se accaso assira o qaize-
rem os immigos.
Do amigo de Justina.
Correto,
Si
LVr. Edictor. Como Vm. deu lugar noseu bem
conceituado Diario a carta de hum suposto Praiico
Matriculado que vem incerta em o N. 403;
justo he que pelo seo mesmo Diario d publicidade a
mu abreviada resposta que pala parte que me toca
dirijo ao tal Snr. Pratico Matriculado.
Por este obsequio Snr. Edictor Ihe sera' assas-
mentc grato o Seo multo Afectuoso Venerador.
ose Germano Pi de Carcalho.
s
>Nit. Pratico Matriculado, ou antes Snr. Patrao
de alguma Alfarenga, vi, e revi, o seo composto de
falcidades, ~J?8vlSV-de assercSes ta calumniosas,
nSo sei bem ajuisar se Vm. he com efeito homem ou
Diabo. Em verdade nao posso comprehender como
Vm. com a coragem so' propria de hum Cabileira se
atreveo a mofar to despejadamente do respeitavel
Publico dandolhe a saber fictos a todos os respeitos
improvaveis por que se todos sao do jaez do que me
da respeito, [entilo posso com impavidez, e sem ma-
is continencias diser-lhe que mente, e mente Snr.
Pratico. Oradiga-me qual foi o pleito, que eu pro-
puz ao Snr. Joo Gonij^lves Rodrguez Frnnca por
que achei falta extraordinaria como Vm. da nos su-
primentos de carnes que fis para o Arcenal ? Por-
que, nao disse antes, que a minha questao so' poda
ter lugar com esse homem que dis ser honrado paga-
dor ... por embol*ar-me com bilhetes a vencer ?
E se es3e sufrimento foi em 1822, para que dis Vm.
que isto se passou em 1S23 ?
Onde e quando me conciliei a roeros do mesmo
honrado pagador. e iz rasgar o su posto proces-
so ? Em que Juizo teve origem, e a que Cartorio
foi Destribuido ? Talve nada me responda porque
pilhei-o segundo orifo como Rato em Ratoeira !
quero diser em a mais recheada falcidade.
Basta Snr. Pratico, que ja me vou estendendo
mais do que pertendia, e permita-me que conclua a-
irmando ao respeitavel Publico que se Vm. enten-
der tanto de sua profisso assim como sabe revelar
verdades enlo temos todas as Embarcacoes enea-
Ihadas nos baixos da Costa.
Eu son Snr. Pratico com a atencao que merece
hum calumniador.
Seo admirador.
Jozc Germano Pi de Carvalho.
- Edem-nos do Para'a insersao doseguinte
Anuncio.
P
RRoporm-st; ho Respeitnvel Publico oestabeleci-
mento de hum Poriodico, cojo titulo sera O Bra
zileiro fiel a Nafao, e ao Imperador para publi-
caras Leis da noasa Augusta Assemblea, as discus-
oes dos Cmaras dos Deputadose Senadores, e cor-
respondencias dos Subscriptores : logo que houve-
rem assignantes nosta Cidade, e fora della, que sus-
tenten! o Peridico, apparecera' a luz com a seguin-
t Vreris amor da Patria nam movido
De premio vil ; mas alto, e quazi eterno :
E julgarei qual he mais excellente,
Se ser do Mundo Rei, e de tal gente.
Cam. hu. Can. 10.
O Paquete Constancia principia a receber carga
para Masseio, Bahia, e Rio de Janeiro no dm
30 do corrente.
0 Paquetes Patagonia, e Constancia recebem
as mallas no dia 31 do corrente pelas nove horas da
noite.
A Sumaca Santa Rita Carlota feixa a mala pa-
ra o Aracati no dia 30 do corrente as nove horas da
noite.
Amzos Particulares,
AChando-me authorizado pelo Illustrissimo e
Excellentissimo Snr. Prezidente desta Provin-
cia para nomiar hum Piloto para bordo do Paquete
Patag-onia, que deve suprir a falta de hum Tenente
que hca no Hospital doente ; aquelle Snr. que esti-
ver nos circunstancias comprela nesta Intendencia
para receber a sua nomiacao. Intendencia da Ma-
naba de Pernambuco 27 de Julho de 1830.
Antonio Pedro de Carvalho.
Intendente de Marinha.
A pessoa que percizar de hum rapas, que sab
bem 1er, escrever e contar paracaixeiro de loje, ru
ou Escriptorio dirija-se ao beco do Padre no 2. anv
dar do sobrado defionte do Escrivo Ataujo, ou a.
nuncie por esta folha.
Preciza-se falar com huma aulher ja idoz que
morou na Boa-vista na ra do Cotuvlo no anno de
1820, e como se ignora a 6ua rezidencia, roga-i
queira anunciar por este Diario.
Quem preeizar de hum Feitor abil para o servi-
do de Engenho, e do Campo ; anuncie por e3ta fo-
lha.
Preciea-se de huma preta forra com capcida-
de para reger huma caza, quem estiver nestas cir-
cunstancias procure o sobrado D. 25 na ilharga da
Igreja do Livrairtento.
Preciza-se falar ao Snr. Antonio Alves daJSilva
vindo de Santos para esta em Margo de 1828 para se
lhe entregar huma encomenda, ecomo se ignora a
sua moradia, roga-se ao mesmo Snr. queira dirigir-
se abordo do Brigue Alcino prximo a Conceico
da Ponte para lhe ser entregue a dita encomenda.
A pessoa que entregou na ra da Cruz hum par
de butins consertados de novo a hum negro inda bu-
sal os queira procurar no armazem de assucar N.
41 na nesma ra que se lhe entregaro dando signa-
es certos.
A pessoa que anunciou no Diario saber curar
dor de gota, dirija-se a ra Direita N. 307.
Pertende-se saber se existe em Pernambuco o
Snr. Joze Caetano ArTonco Vianna, ou quem suas
vezes faca pois se tem negocios de teu interesse a
communicar-lhe, queira anunciar a sua moradia por
este Diario, ou falar corn Joze Jnnuario Alves da
Maia na na da Cruz N. 64.
A pessou que se attribue ter tirado por engao,
a carta, ou cartas da Lista do Rio de Janeiro N.
3164, perteneente a Joao Luiz Machcdo, queira ter
o encommodo de levalla a ra da Sanzalla velha ca-
za N. 42,2. andar, aonde assiste o mesmo.
Compra se.
HUma molatinha que seja bem parecida, de ida-
de de 9 a 10 annos : na ra da Cruz na caza
N. 47.
Venderse.
HUma quartola com 40 caadas de mel flefuro,
superior qualidade, e muito boa madeira, pro-
pria para embarcar : na Boa-vi it a ra velha caza
N. 38.
"
V


C2084)
Huma commoda em mein uzo : na ra da Pe-
nha l>.23.
Hum escravo ptima oficial de sapateiro, de i-
dude do 4U annos, e sm vicios: na Tipografa do
Diario se lhe dir' quem o vende.
Hum escravo de 16 arinos de idade, cozinha o
diario de huma caza, engoma, e ensaboa : em Fo-
ra de Portas por detras das cazas do defunto Cons-
tantino.
Arrendarse.
UM citio porto da prac,a com caza para huma pe-
quena familia j quem o tiver annncie pur esta
folha.
Roubos*
I
jffT> Artolomeo Gomes de Sequeira morador con-,
JDlfronte a Igreia do Rozario da Boa-vista fas *ci-
fcmJ u A v r'0' qV "" 6 *m0!' eme ao P"W V lhe roubaro na noite do.dia
juntamente a obra de J,rg.l,o, tudo em muito bom 23 24 do cJrrente 0 aeiniinte : huma cazaca
uzo, e por preco cmodo: na Gamboa do Carino ao- ... j a u i u i c
br do Di 'vnuiuuauutims preta de pao fino, roupa branca de homem, de be-
nhora, e de menino, hum crucificio de ouro com 3
Diversos escravos ladinos, onde entra hum co-
zinheiro sem vscio algum : na ra Oireita na Botica
defronte da Tipografa do Diario.
Na loje da ra da Cadeia do Recife N. 41 o
spguinte
Hbitos do Cruzeiro, e Christo
Pentes de tartaruga da moda
i Agoa superior de Collonia em vidros feitoa em fi-
l guras de core9
^ Bandejas e tizoras de espevitar vellas de casquinho
fino
Tinteiros aparelhados de casquinho fino diferentes
Botins e sapatos de bizerro
fcapatos de cordavao de homem e de Senhora
C'axas de tartaruga de xarneira de diferentes mo-
lellos para rape
Chicotes superiores para cavallos
TeJlins largos de ferragem aiaarela para estado
maior
Colxetes afiveladot
Cainp;,ribas de metal branco
-Agulhas de todos os nmeros e qualidadea
Sellinslnglezes de homem com seus peitences
Ditos de Senhora
Aneis de oun medirnos
Cadeias deo'.iro de bom goso
Linha muito boa de marcar roupa
Rtros de varias cores
Pinceis para barba
Jstojos Ingleies para barba com seus pertenece
Oculos de armac.o com vidros verdes e brancos de
1 6rao
Lacar de Patente Inglez
Carteiras de algibeira de livro e correa
Chapees de sol de seda
JPo de ouro falco
Butoes amarelos de todas as qualidades para ca-
sacas
JLuvas de castor brancas e amarelas, e^epelica com-
pridas para Senhosas
varas de cordo groco, 4 varas de cordao fino cora
huma cruz, 3 aneis de ouro 2 de coracao e I Iavra-
do, 2 ditos hum de traque e ontro de diamantes, 1
vara de cordao com hum coracao de ouro com o le-
treiro de coracao deJezus, I faqueiro de prata da
meia duzia, 35$Q00 rs. ere prata, e 6#Q00 rs. em
cobre, e hum estojo de navalhas de cabos de mar-
fim ; e por isso roga a toda e qualquer pessoa que
souber do dito roubo, ou que lhe seja oferecido qual-
quer dos ditos trastes haja de declarar por esta folha,
ou dar parte ao mesrao anunciante que sera' grati-
ficado.
Amas de Leite.
PRfc7*4-hb do huma forr; e sem cri^ : anun-
cie por este; Diario.
Escravos Fgidos.
JOaqtm, crioulo, com oficio de capateiro, tem.
m-us de 60 anno de idade, alto, magro, cabeca
quaze branca, olhos vermelhagos, rosto descarnado,
e os ossos Wo peito muito viziveis, fugido a hum an-
no, e he visto ora no Recife, ora na oa-vista, pro-
tegido por pessoa inconsiderada : os aprehendedores
lovem-o a seo Snr. em Olinda, na ra de S. Pedro
lartir, sobrado de dous andares N 24, que se-
ro i\ compencado?, O mesmo protesta, e faz certo,
que ha de proceder contra a pessoa, que tem o dlt
escravo, se lho nao remeter brevemente.
D,
NOTICIAS MARTIMAS.
Entradas.
O
Anuncio igual a este publicado no Diario N.
438 estava conforme com o original, betu como o
prezente.
O Edictor.
'Ia 27 (]o corrente. Porto de Pedras ; 2 das ;
E. Conceico e Ponte, M. Ignacio Marques, equip.
10, carga caixas, a Joze de Barros Pimentel, passa-
geiros Ricardo Cnney de Araujo trazendo em sua
Allugatse.
companhia Joze Bento Monteiro da Fonceca hum
Sobriuho Silvino Goms de Abreu ehum escravo,
Jcao Baptista Vieira, Antonio Mauricio Acciole
Canabal hum Fmulo e hum escravo, Thomas Red,
Manoel Joze, e Mara Joze. Rio de Janeiro ?* 16
diaa { B. E, Anibal, M. Antonio Fernandes Coe-
lho, equip. (3, carga carne, fe xao, fuaba do Rei
HUma caza de sobrado de hum so* andar, na no. toucaho, e plvora, a Joze Antonio de Oli-
rua da Sanzalla nova, que tenha quintal per- veira, pntmgnm Joo Francisco Ferro.
tencente a mesma ; on huma caza terrea, boa, na
t. ra, cujo quintal re communique para a banda SaHIDAS*
da praia : anunci por esta folha. JT\
Huma cazaterria no Bairro da Boa-vista, ou L/Ia dito. Goianna ; C. Conceico do Pilar,
em S. Antonio, que nao exceda o seu preco mensal M. Manoel Falcao, equip. 7, carga gneros do Pa*
de 6$0QQ rs. : anuncie por esta folha. iZj ptts3ageiro Francisco Antonio da Fonceca,
femambuco na Typogrqfia do Diario.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EV9QDXKR4_JAIT6K INGEST_TIME 2013-03-25T13:18:25Z PACKAGE AA00011611_00794
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES