Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00780


This item is only available as the following downloads:


Full Text
N. 427.
- *

P
.

'i '.:....-..
Auno 4f 183g
1 !
DIARIO DE PERNAMBUCO:
Sabscrere-s na Tipografa do mesmo Diario raa Direlta N. 07 1. andar en ezei por 64 res haaa folia
sahir todos os das atis. .,
M.
Quarta Feira 14 de Jumo, S. Boventura B. Card.



Preamar as 11 horas e Alt minutos da tarde.
l.
'

ARTIGOS e OFFICIO.

^Cta da Quarta Sessad Ordinaria do
Conselho do Governo em 16 de Marco de
1830, presidida pelo Excellentissimo Sr.
Presidente Joa :im Joze Pinheiro de
Vaseoncellos.
Forao presentes es Snr?. Conselhei-
ros Deao Bernardo Luir Ferreira, De-
scembargadnr Thoniaz Antonio Mac:sl
Monteiro* Dcutur Antonio Joaquim Fer-
reira de S. Paiu, Doutoral Manoel Igna-
cio de Carvalhc, e Felis Joze Tavares de
Lira ; tornou asrento o Snr. Jcaquim Jo-
ze de Miranda, chamado pela ausencia
do Snr, Zafirino dos Santos.
Foi lida, e approvada a Acta da Ses*
sao antecedente. Despacbarao se os le-
sua asignatura, propoz o Excellentissimo
Snr. Presidente, ge elle deveria asiguar
s, ow se todos os Snis. Conselheiros : re-
soveo-se que a>sinassem todos. E deo*se
por tinda a Sessao, E eu Vicente Tho-
maz Pires de Figueiredo Camargo, Se-
cretario to C\m ;elho a subserevi. Joa-
quim Jos Pinheiro de Vaseoncellos.
Bernardo Luiz Ferreira Manoel Igna-
cio de Carrolho Fefis Joze Tavare9 de
Lira r Joaquim Joze de Miranda An-
tonio Jcaquim Ferreira de S. Paio.
Thomaz Antonio Maciel Monteiro.
9a em que se acha a Cadeia da Retaceo
desta Cidade, d qual continuadamente
se evadem os prez os, e dar as prr.videnw
cias niis eficaze* para o seo prompto re*
paro. J. em Oflicio d 9f d Abril pr-
ximamente pascado u tivede recommem*
dar-lhes este negocio, sen que algum re*
aultado auparecesse. De novo ~o faco,
remettendo-lhes incluzo o Ofti >, que me
deiigio a este respeito o Dezembargador
uvidor Geral do Crirae ; e espero que
essa Cmara nao dar' lugar a repeticao
de Officios lambrando-lhe eos deveres.
Dos Guarde a VV. SS. Palacio de Go-
vernp de Pemambuco 12 de Jwlhode 1830
Joaquim Joze Pinheiro de Va^eoncel*
JoV, Snrs. Prezdente, e Ver i adore da
Chamara Municipal desta Oidade do Re
cife.
Circtdar aos Concelheiros do Governo.
Egocio de'importancia, etJacompe*
tenca do Conselhu insta pela sua reuniao
no dia 15 do correte mez ; o que parti-
cipo a V V. SS. para sua inteligencia, e
para haver de comparecer na Salladas
Sessoes do mesmo as dez horas da manha
do referido dia. Dos Guard a VV. SS.
Palacio do Governo de Pernambueo 12
de Julho de 1830. == Joaquim J^ze Pi-
nheiro de Vasconcello. =x lliustrssimo
Snr....
JEndo da competencia das Cmaras
Municipaes fazer construir, 011 concertar
ag.pnioes publicas e ate* hum doi pri-
melros Irr.balhos, que Ih? ordena a Carta
de Ley da 1. de Outubro de 1828 no
Artigo 57, equeno. 1. do Artigo 66
insiste sobre tao importante objeclo; cum-
pre que V V. SS. em dezempenho de suas
obrigacoes hajao de tomar em considera*
cao o actual estado de nenhuma seguran1-
F
ico na intelligencia de qwe hum Na>
vio Pirata de 150 Toneladas com' Kuma
pesia de calibre 24 hA* aprrarcido rr*s a
goas d'esta Costa, como V. S. acaba de
comaumicar me: e para que eita. noticia
tenha do rhegar ao conheaiment do Com
mercio, mando publicar nos Jornas des-
ta Ciade a deacrip^ao, qiie- V.* S. do
mesmo remetteo a este Governo ; que^ar-
gradcf*.lh essa partreinacaf; >= Dftfl
1
1
'-\*'/



n
i
tt
i
y. CHffrde V| S. Palacio do Governo de ja' estava indigitado Re pelo Profeta do
Pernanibifco 13 da J.ulfio de 1830. Jo Senher, nao sobe aa Throno, se nao em
aquim JaZePinbeiro de Vasaoncelloa. vfrtuel da Acetamacao-dosDeputados do
Ulustri^Vio Snr, As. Cowper, Vice Con- seq Poro. O Livro do Paralipomenon,
l d S. M: Britnica. depois de enumerar as Tribus, qu con
Ml m correr? para a elevacaft te David; &
11 ,.,; ., cresceuta 4t Omnes isti viti bellatorsfeex
COMMUNTC^DO. pediti ad pugnahdum,, corde perfecto ve*
TT nerunt in llebro, ut constierentiRegem
JttU]tt^C0U9aJiea.parte Pqgmalica, e David su per universum Israel Todos
Moral dos Livros Snelos, outra cousa estes bravos guerreiros dispostos a mar-
he a parte Poltica dPova Judeo. A* ehr em ordem de-batalha viero com
fuella faz o objecto da nossa crenca, e he hum coracao puro ter com David em Ha*
a norma das nossas accoes em ordem a br para o constituirem Rei de todo o Is-
consegu rrr os a fiema venturanza eterna rael &c.
sta he o Direito Publico de huma Nacao, Ora se o Povo nada he na opiniao das
cujo Governo bem se sabe, que era huma absolutistas-; se o Rei he faito so* por I>e-
Theocracia, Governo peculiar a aquelle os, ede Dos so' recebe a delegacao d<%
Pvoescolhido, e nico em os Annaes da poder, que irrisoria nao he esta expressao
especie humana. Se Dos mesmo enter* da Escriptura "forao a Hebronpara con**
yinha em todos oa negocios d'aquella Na^ tituirem Rea David t A forca do verb
cao ; que analoga se pode tirar d'al para constituir he fazer huma cousa, que antes
nos, que, Dos louvado, nao pertencemos nao era ; d'onde se segue; que se Davif
*iem a Israel, nemaJud? foi constituido Rei petos Povos em He*
Os absolutistas recorrem a' unccao broa, estes finra os que Ihe outorgraO a
dos Principes d'aquelle Povo, recorrem a' auctoridade i inmediatamente, ( Vejare o
scollia, que de alguna destea iaziao os Lv. 1. do Paralipomenon Cap. ti. )
Profetas por ordem da Divindade; e d'a- Quando o mesmo Profeta Rei quer
h mu cathegorica, e dogmticamente exhortar a Na^ao para que fosse edificada
concluem, que todos os Reis de qualquer a caza do Snr., elle nao da' ordens arbi*
Paiz, que seja, sao feitos immediatamen trarias ; nao diz posso, quero, e man-
te por Dos, de cuja graca, a privilegio do; porm convoca huma Assembla dos
nao devem ficar excluidcs o Bei de Ar- Magnates, dos rico, e de toda a gente
gel, nem estupido Rei do Congo. Todo limpa de Israel: e pondo-se de pe* no mei*
esse systema theologico-politico he hum o delles, disse-dhes Dai^me atterscao,
laco armada a'credulidade dos Povos, dos vos, que sois meus irmacs, e formaes o
Povos sim, a quem alguns Padres adula- meu Povo, &c. Cumque surrexbset Uex^
dores, eos Poderosossemprecuidrao por tstetisset, ajt: Audite me, fratres mei,
trazer jlludidos, a fim de os fazer entes et Populus meus V (^ dem Cap. 28 v.i )
fevoraveis as suas arbitrariedades, e pai- Eterno em as consas dfcssa Nacao, os seua
xoes interesseiras. Principes pela maior parte forao tyrannos,
Nao obstante a immediata ngerea- e as. subleva9oes dos Povos erao taS fre'
cia da Divindade em os objectos civiz do quentes, que poucos d'aquelles se susten-
antigo Israel; basta folhear a B|b|a pa* tavao no throno : tanto he verdade que
ra teconhecer a grande preponderancia a doutrina da delegacao^ivina na pesioa
dos Povos, a sua necessaria coadjuva^ao do Principe nao he a que faz con ter os
em c negocios pblicos d'aquella mesma subditos na verdadeira obediencia noig
Nacao. Por muitas vezes elfc scolbero que o mesmo Israel, sempre guiado por
os seus Principes, eJuizes, outras mui- Profetas, vendo ate' prodigios feitos or
tas depozara os que se tornrap in^upor!- estes em confirmacaS da sua doutrina ce-
teveis por seu orgulho, e tyrannia, como leste, era tao turbulento, e levantado, oo-
boao^ &c. : as Assembleas dos Repref mo os Povos incircuncisos, e que nao cri-
ao no poder divino dos seus Soberanos
impreterivelmenta convocadas para deli- Depois da separado das duas f ribs
pertenciao de Wael, edejuda', opera pelo sunra
Davd por ex., que dicto.Rohoao, eaa que luta contiauadgi
berarem sobre as cousas, que
ao interesse geral.


x
T
V
viA vi vent estas huma contra a outr* Qua |uW*
YJClpjks 'dos mesmos Povos Qu barbaridades, a
perfidias dos seus Principes J fiaasa %ra|a filadas
contra -adab, Rei de Israel ; assaasma-o, eo Pd-
vo o coloca no throno era lugar do morto. Q.mea-
mo Baasa, apenas empolga o podr suprej|e tira.a
?ida a todos os da Familia de Jorobo*. Mortto a*
quelle^ giurpador, Buccede-lhe seu fiili;EJa: mas
tamb i, creado deste, achandoo amwlorrado por
huma grande bebedeira, matou-o, e o Pvo lhe
conferio a Coroa, que so' occupou. por 7 dias ; po
que o Exercto de Israel, apenas spube d'aquella
perfidia, aclamou por seu Rei a Anri, que era o seu
General. Dividio-ae entao a Povo em partido de
Anr, e partido de Thebnf, a fina de eleger cada
huin o Rei, que bem lhe parecesae : mas prevale-
ceo a faceto de Anr, e o Pov.a lhe deo o Reinado
(veja-se o Liv. 3. dos Reis Cap. 16).
Hum dos Principe mais despticos d'aqqella
Na<;ao foi Achab : mas quando Benadad, Rei da
Syria, lhe ordena que o reconheca por sen Snr. e
exige exprbifcanfcC9 donativos., e tributos, aq*ell
Principe convoca a A^semblea dos Reprezentantes
de Israel; e resolverao. que se nao e3tivesse pelas
ambiciosas, e injnsta^ pnenles de 3nadad. Di-
xeruntqeomne- maiores natu, et universas popu-
Jus ad eum : Non audias, eque acquiescas lili. '
(Id. Cap. 20).
Sena muito prolixo, e Cnfadunho o enumerar os
rnilh-rea de exemplos dagraide"nrepQ!4de*"ancia,do
Pov rh os negocias polticos, e civiz da Nac,o Ju-
daica : basta a mais ligeira leitura dos Li'vroa do9
Reis, e do Paralipomenon pura no9 conve cer-nios
oVsta verdade. Entre tanto os fautores do absolutis-
mo, que a torga nosquereip f*zer Judos (Judos
Rao elles) 9alto a Biblia, espialho aqai, eali pro-
pozicoes trncalas, destaco hura,, ou outro texto;
ediaem a credulidale dos Povos Aqui tendes o
Direito Publico das Nafoes CUrntaa : h< feito pelo
raesmo Dos : nao b V que se lhe diga.
Nao he d' hoje que os aduladores do Poder re-
correm a essa fonte (alia9 to respeitavel) para dar
oc*nho do Ceo a moeda corrente da sua doutrina
interesseira. O sagacissimo Padre Antonio Vieira
athou na Escri} tura Sagrada tudo quanto Un? pare-
ceo conveniente a os seus arran|os ; e da aa Omero,
jezimic\. Basta yer a sua Historia do Futuro- A-
hi elle f vernos livros dos Pr ftas passo por paaso
a historia da Acclamacao de l). Jo> 4. o que
ainda he mais galante ; foi achar aqoelle P dre no
Cap. 18 de Isaas a descoberta do Maranhao He
verdade, que a Hilaria dp Futu.rp promette a Por-
tugal em nome de Dos, e dos Lnos Santos p.oa*
se'eterna do Brazil ; o que nao' h muito conforme
com a actual Independencia deste novo Imperio r
mas bag Uella issb da-se-lhe cratro finito, e tica tu-
da concilla da ; porque hqm LivrQ de profeca. h*s
beritas mos de hum desses vlhaco3 he hirn manan-
cial in:xgotavel. He digna de nota a ma\ fe' d jente! Em se tmctan.do dessis materias^ fon.>
hura esquadro de textos do Aritigo e Novo Testa-
mento, ez. testa de todos marcha o Omnis pots-
1^, a Deo. : mas truncado ; por que o Texto nao a-
ctba ahi a propoiigao, porem acreecenta ordinata
est"; o quesero duvida muda inteiramente o senti-
do da fraze. Todo o poder he ordenado por Dos :
isto he huma verdade, e he o que diz o texto : toco
O poder veni de Dos : he hum paradoxo, hunm
mentir, que a Escriptura nao era capaz de dizer.
O poder de vida, entorte, qye os Romn' dera^
a os pas sobre 03 filbos poda vir de Dos ? O po-
der do Snr. sobre o escravo pode vir de Dos ? ^ Po-
de vir de Dos o'poder do Grao Turco ? Vira' da
Ceo o poder, que alguna Padrea d' Asi* tero d&dp*
pmdo os absolutistas- { rVl
COKESPOHDENCIAl/
i- .. ...
^jUW. Edicior. *-* Havendo apparecidq, tw ieu
Diario diversas correspondencias, e diatribes. dos
meu. vis detractores, com o nico fun de deprimir
o meu kredito ; rogp-Ihe que pelo megnio prefo me
permita, prevenir an respeitavel Publico, para que.
haja de suspender a tal respeko o aeu juiso, at..q^
eu me justifique ; o.que farei par os meios legaea.
Niato fara Vm. particular &vor aoseu
Attencioso Venerador
Joa5 Gncalves Rodrigues Franca.
' TI
392.
Coniinuaeaoda Diario z?.
A ..
UOVERNO.
f^
>
1 laJANDo reina o Despotismo c o Rigor? oG^
iio Grande no centro de fcium Palacio vive para si,
acanhado, aborrecido, e para os cutros entes mor-
tq .. Mas quando impera a Liberdade pe-
queo Genio dentro de huma choupana vive altivo,
e alegre, e entre balbucianfeB voz<-s d e ignorancia
llie escapaS algun3 pensamentos interessantes, des-
(a sorte se torna mais til a ociedade 0 ignorante li-
vre do que o sabio cativo,
: S Quand o Govrdo he Ahsalnto sucede re-
gularmente qut estando hum homem n Throno,' o
Estado h governado por huma ^furh>?r, a se esta,
hama-Mfhr por hum tomsm E desta maneir*
vem, a ser g-overnados os Povos ora pelos caprierro
dt hum, ora de eutro individuo.
3 ^amfo o G'overno he Conssuuciona, todosi
as CiaVtos prtccipaS dns grabas que Ihes cpmpb-
tem por seu mereci ment, e pelo contrario scnoN) Ab-
soluto apenas as'disfractr.d os Criados particulares dp
PCjo e aquejles que tem particuIaHdade com elles.
- Continuar-se a: '
------------------------ :------------------ '
..:... : -
Aw&b Partfcufres.
HVu estrngeiro que terh perfeito conhcrime^to
gramatical, e muito boa pronuncia d's lingos
as Pbriugueza,; Franceza, Espa-nholl, italraha, e
sabe Gramtica latina deseja empregHr-9e em casa de
algum Snr. para ensinar a os seirs filhos 04 para'qn$!-
quer outVa ocupagaj aderetitb aos seus c:.nhecilien-
tos ; craerrl delle precizar anuncie por este Diario:
oferece-se taobem a ir'fora da Citlad^.
Quem a uncin no Diario de 13 do crrente ter
tomado da m&o de hum preto, huma cabra parida,
que o dito andava a vepder, sendo que combine os
siemaes, que passa se a exp^r, a pode mandar entre-
gar na ra de S. Rita nova em a caza terrea D. 21$
qoe se be agradecer' o trabalho ; he branca' man-
xada de pardo com homa lista escura pelo lambo;
tero, as 2 orelhas raxa4vas huma terca parte, e na di-
reita, em disto tem mais huma pequea falta de
bun\lado, o tamanho de hum grao de milho gran-
de, desapareceo no da Segunda reir 5 do cor-
rente.
Joao da Silva Costa, filho do falecido Joo da
il.ya Coata, fas scienta ao Respeitavef Publico, que
em contrate com Anna Jor.quirta de Menctnci
a do jlit('seu Pai, a yenda do sobrado que elif
deTxu no Birro da Bba-viita, e man bena, e pot
que o anunciante esta' com letigio. com ella, para
nao tr'eTTa a meacSo dos bens, pof terrajado na
npraam que elle estava p^axyno a inorrer ; a fim de

I
-:w


e jao
(2028)
5o que| dar incmodos a qnem ella qoiaer Ditas de x'rtas fina 5180 5500 covado
140
?ender, por ser toda a venda que fizer nula, -' I Ditas de x i tas tinas amarillas 6000
Quem fnunciou no Diario N. 425 de 12 do Vestidos de touquim de todas as cores
orrente que^ comprar huma porcao de assucarj pa- Chales^ dito dito dito 2880
ra embarcar para fora queira anunciar asua moradia Lencos dito 1600 e Mautas
para ser procurado pois ha' quem tenha porco dp Meios panos o covado
mesmo emborricado branco e mas vaciado muito se co e d muito boas qualidades.
Dezeja-se saber quem foi aqu o Advogado e o
Solicitador que defenderao huma cauza crlm em
que era auctor Manoel de Medeiros Muois morador
em 5. Anto termo do Engenho Casimba contra
do Engenho Casimba
Francisco de Abreu Ferreira e outros ; anunciem
por este Diario para serem procnrados.
Compra se.
Brim branco a vara
'Rencos de tabaco ordinarios
Chapeo* de baeta
Riscado de colxSo o covado
Vestidos de CHSsa
Setineta branca fna o covado


.
Leilao.
too
700O
4ooa
5129
1920
640
220
J0O
480
100
4000
200
-
'<-,)
200
160
....
1280 1920
U^TAUe faz Nicolao Otto Bieber, hoje quarta feira
Ma commoda de amarelloja usada, e por preco k^afcH do crreme peas 10 horas da manha, de fa-
comodo : na rUa do Livramento loje de ferrage fzen -
e urna so' porta unto a venda D. 3. rns
porta ji
Huma Ethica de Eduardo Job : na ra Nova
D. 25.
Hum moleqne ladino de 16 a 18 annos de idade:
na Praca da Boa-vista caza D. 15,

zendas boas e avariadas, na caza de sua rezidencia
ra da Cruz N. 63.

Arrendarse.
HUm sitio no principio da estrada do arraial tr-
ras da caza Forte, com caza de taipa de vi-
veuda e hum qnarto que se coimninica para a mes-
V ende'se. ma caza, com annaca de venda, mu i tas arvores de
OU troca-se, 2 negros da costa sem v;cios, ede esninho, e terris uncientes de plantar : nu Praa
boa conducta, sendo hum dViles pintor, cano- da Boa-vista D. 15.
eiro, e bom padeiro sabe enfornar, e o outro he ca- VlQ^etlS,
noeiro, e bom padeiro taobem sabe enfornar ; tro- to
cao-se per 2 negros pedrsiros ou carpiras. E duaa
barricas de raz de lirio florentino de boa qualiuade :
em caza de J. B. Navarre no aterro di Boa vista.
PAra a Baha, segu prximamente viagem
Bro
gue Brazileiro Defenso da Patria, de que he
Mestre Joaquina Roberto de Ohveira Martins; quena
Huma venda com poucos fundos e com cmodos n<;lle quizer carregar dirija-se a Eml Ricou & Bol-
para familia cita no Aterro do Aftogado na quinta leau, qu ao Capitao abordo,
caza do Munis a direita : na mesma. Para a Baha segu viagem em poucos dias a
Huma escrava crioula com 28 annos de idade Sumaca S. Sote Triunfante Mestre Manoel de Sou-
pouco mais ou menos, boceteira, coze, e engoma I i- a Espinla, quem nellaquizer carregar dirija-se a
zo e cozinhao diario de huma caza : na ra de Or- Manoel Joaquim Hamos e Silva.
tas sobrado D. 14. Para o Am, ou Rio Oraude do Norte por to-
Huma caza na ra de S. Joze por preco como- da esta semana'a Sumaca Resta iiragaS, fundida ni
do : na meama ra D. 2. Forto do Matts : quem nella quizer carregar falle
Hum muleque de 18 ou 20 annos, do gento de com o dono abordo, ou na ra da Cadea veltia caza
Angolla, de muito boa figura, bem parecido e muito
abil para todo o servido, para fora da tena : na ra
Nova I. andar da caza N. 32.
Dez pipas de vinho de superior qualidade che-
gado prximamente do Porto a 78$000 rs. com pra-
zo de 3 metes : nos Armazens de Joze Luiz Goncal-
ves, e de Agostinho Eduardo Pina defronte do Arco
de N. S. da Conceico no Recife.
Hum Fardamenlo en muito bom uzo para sol-
dado do Batalho 53 de Melicias : no beco da Lin-
coeta N. 2.
Huma negra mossa, boceteira, ensaboa, engo-
ma lizo, e cozinha o diario de huma caza : n mes.
ma caza cima.
Huma feichadura grande com seus ferros de a-
tracar, ehum braco de balanca novo de Rom 5 o pro-
N.o'9.
rara Macelo segu viagem em poucos dias a
Sumaca S. Antonio Mastrc Joze Francisco de Oli-
dirija-se ao Mes-
;1 Joaquim Ramos
veira; 'quern nella quizer carregar
tre ou a seu Consignatario Mar.oe
& Silva.
Escravos Aprehendidos.
HUm moleque de nome Agostinho, que ae julga
ser d'aqui da praca ; quem for seu dono folie
com Joze Andre, com loje de ferrases naa cincos
ponto.
Escravos Fgidos.
JOaquina, nacao casange, idade de 14 annos,
com carniza de algodaozinho, sata de xita ja u
pnopara pezur cauas de assucar, tudo por preco co- zada, e bata preta ja' velha he qrovavel que ja te
inouo : na mesma caza acuna. nha mudado detraje, tem os pez apalheitad.s, e as
IS a loje das fazendas baratas na esquina da Pra- pernas cambaias, porem nao muito, ede feicSes
j
1440
2000
3200
cinha do Livramento de Joo Carlos Pereii a de Bur-
fos as fazendas seuintes :
ecas de paninho ordinario
Ditas dito
Ditas dito fino
Ditas ditoN. 8
Ditas ditoN. 10
Pechas" de xitas ordinarias 3520 covado
Ditas 4000 covado
feic5t
grosseirae, c naris xoto : 09 aprehendedores levem-a
sendo para a parte da Cidade de O linda, em caza
do Escrivo da Correigao Bernardo Joze Martins
Pereira, e sendo para a parte do Recife, na ru*-d9
Livramento no I. andar do sobrado D. 2, a dita
escrava auzento-se no dia (2 d? Dezembro de 1829,
-. o dono d mesma escrava protesta, desde ja' tjon-
jra qualquer pessoa que a tnha recolgida, seja tm%\
~r as suas iutences na couformidade da Lei.

____-

Pernmnbucv nm Typogrmfia d* Diaru
**



J.

1
-* m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIXNE1SA5_K46JI9 INGEST_TIME 2013-03-25T16:24:44Z PACKAGE AA00011611_00780
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES