Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00755


This item is only available as the following downloads:


Full Text
rfi i--v
h
N ?59.
T
Anno de 1830.
. DIARIO DE PERNAMBUCO.
Subscreve-M na Tipografa do momo Diaria raa Diraita N. 287 1. andar e aiezei por fJ40r8 huma foll.t
ueaahir todos os das uteit.
Quinta Feira 15 de Abril 8. Euthichio M.
frtomar as 10 horas t 6 minutos da iardt.
s.
CORRESPONDENCIA.
fN|u Edictor De quantas Anti*phra
sis tenho li'do anda nao vi huma ta5 com-
pleta em todos os sentidos, como os Colum-
nas intitularem-6e Christafis velhos, amigos
da orden, e defensores da Religiao. Para
prova disto nao precizo recorrer s su jas
descomposturas, com que esBes arrieiros tem
provocado a* todo o mundo: basta 1er o Cru-
zeiro 256. Snr, Edictor, que insulto, que
porcaria, que immoralidade Huma carta
assignada por M Hum que toma fresco na pon
te mais propriamente devra ser assignada
por hum dos que mora na enxovia. Sao
objectos desta suja correspondencia o Sur.
Redactor da Abelha, e o Excellentissimo Sr.
Antero. Eu transcrevo as duas propozices
de tarimba, e o Publico, os mesmos Co-
lumnas, que nao tem perdido todo 0 pejo,
decida la cornsigo, se este Peridico mere-
ce o titulo de sustentador da Moral Chris-
taa: eilas = Totonio para viver foi precizo,
que houvessehum Fr. Mercez, que o tomas-
separa Ganimedes A cutra diz assim
Ora Snr. Redactor, o Snr. Antero respei
to do Totonio succederia ao hourado posto,
cm que estava Fr. Mercez ?
Que depravaca de costumes! Que
fraze de fadista Que desattencao a huma
das mais respeitaveis Authoridades da Pro-
vincia Nada he capaz de fartar o odio bre-
geiral desses perturbadores contra o honra
do, e benemrito Excellentisaimo Snr. Ge-
neral Antero At o pertendem enxovalhar
com o horrendo labo de pederasta. Ah !
por mais que esses perversos pertenda deso-
rientar a opinia publica, enredando, men-
tindo, e mbrulhando tudo ; a verdade tri-
unfa dos seus irabustes, e os condemna quo-
tidianamente execrado do Brazil, e talvez
do genero humano.
Que diierenca dos nossos escriptos, das
producces dos farroupilhas aos escriptos dos
Christas velhos, e sustentculos da ordem !
Nos, observando a escandalosa proteccao do
Snr. T. X. columna, e seus planos tene-
broso!) seuipre o tractamos com melindre, e
reepeito, naO s quando era Prezidente
mas ainda depois que largou o governos
quando censuramos a sua conivencia com o-
absolutistas, era sempre com aquelle respei:
to devido a huma Authoridade, se bern que
causadora de todos os nossos males ; huma
palavra nao appareceo em nossos escriptos,
que se enderessasse a deprimir as acces da
sua vida privada: tudo em fim seencaminha*
va a fazpr-lhe admoestacoes, a abrir-lhe os
olhos, e at a suphcar-lhe, que nao quizesse
promover guerra civil. Os Snrs. columnas
pelo contrario desesperados cora a queda do
seu principal Patrono nesta Provincia, e des-
barato de seus prepsteros intentos, lanca
se, como fras sobre a pessoa do Excellen-
tissimo Snr. General Antero por este tar sido
aqu a mais terrivel barreira contra o desen-
volvimento do absolutismo : apodos, ridicu-
los motejas, m'iseraveis etopeas, de tudo se
tem servido esses respeitadores das AuthorU
dades, e ltimamente buscan infmalo, ca-
lumniando-o de sodomita! He at onde po-
do chegar o furor de partido!
Dizei-rae, Christas 7elhos de nova es-
tofa, amule esta1 o vossa caridade apostoliv
ca, o vosso amor a ordem, o vosso respeito
as Authoridades. constituidas? Ah hypo*
crilas! Quando pertendieis illaquear o Exa
cellentissimo General, e trnalo perjuro a*
Constituicao, $ ao Soberano, os elogios es*
borravaO em vossosassoldadados Peridicos:
vos o chamaveis o brioso, o honrado, o be-
nemrito, o justo Governador das Armas de
'Pernambuco, e at o comparasteis ao mais
virtuoso Monarca da Historia moderna,
Henrique 4. da Franca: hoje porera que
conheceis a firmeza de seu carater, incapaz
de ir de accordo com os vosso ^planos liber-
ticidas, iiein se quer vos merece os res^ei-
tas devidos a hum Delegado do Soberano;
os sarcasmos mais marotaes lhe sao lancados
nesses mesmos Peridicos, e at pertendeis
mrcalo com o negro ferrete desses homen
degenerados, e daquelle grao summo de de-
pravabas, que faz trocar hum sexo pelo ou*
tro, e reduzio a' cinzas Sodoma, e Gomorra.
Dizei-uae anda* huma vez: o JExce "

**.
toJ
T^


'I '.V
(1444)
lentissimo Snr. Antero nao he Authoridade? zonjeao pira osajudardes a empolerarse;
Nao merece respeito pelo lugar, que occu- se o eonseguirem, o latego do despotismo
pa nesta Provincia? Se a Religia de J. cahira* igualmente sobre vos, e uos Eu-
C. se as Leis do Imperio vos manda res- ropos, nunca a experiencia vos obrigue
jreitar a qualquer homem principalmente era a achar rasa no
sua vida privada, como vos, que vos dizeis Somnmbulo.
a honra, a virtude por excellencia, vos des-
prendis de todos os lacos do decoro, e a'
maueira do mais relaxado catimbao cobriz
de termos injuriosos a hum Cidada honesto,
a hum Brigadeiro, a hum Governador das
Armas, a' Segunda Authoridade da Provin-
cia?
Europeos honrados, a quem esses hj-
pocritas tem procurado imbair, persuadid-
do*vos, que os Pernambcanos s querem
repblicas para vos roubar, e assassinar,
que sao initnigos do Throno, e do Altar;
se algum de vos anda tem affeicao a esses
perturbadores, lde o Cruzeiro 256, e en-
vergonhai-vos de semelhantes patronos.
Lembrai-vos, que se vos tendes por de-
ver de honra amar o slo, que vos vio uas<
ser, anda depois de terdes criado cans no
Brazil, terdes mulheres, e filhos Brazileiros;
se fordes sinceros, e justos, nao podereis
louvar a Brazileiros, que vos adula para
engrossar o sen partido absolutista, poster-
gando o natural amor da sua Patrii. que
reputaes em vos huma virtude, podera* ser
vicio era vossos semelhantes ? Europeos,
eus Concidadas, esse Jornal alugado pe-
os impostores cogumellos da C6rte, tendo
xgotado todos os recursos do enredo, e da
sem que lhes tenha aproveitado,
ca mado mais horrivel expediente. El-
le busca dividir os nimos, indkspor-vos
contra os filhos do Brazil, accender o facho
da discordia, e promover a' mais medonha
guerra civil. E qual seria o rczultado deste
infernal plano ? Deixo a' vossa considera
cao o imaginalio. Esses Jornalistas, assim
comprados busca estabelecer o passado
absolutismo a' custa do vosso sangue, e de
seus mesmos Patricios. Que monstros!
Mas nao honrados Europeos: a luva,
que esses perturbadores nos afcira, nao sera'
acceita. Elles suspirao, que os Escipto- ** cinco palmos, e multo boa para se
Yes liberaes, possudos de odio declaraem abrir, e com pouco uzo : no AfFogado ra
contra os Europeos; e dest'arte se forme a do Motocolomb D. 6.
completa diivsao dos partidos: mas feliz** Hum negro de boa figura, canoeiro, e
mente ha* quem lhes penetre as damnadas cozinha o diario de huma caza : ern Pora de
intences: bem longe de proclamar-mos Portas na quinta caza defronte da lntenden-s
exgotad
intriga,
lauca n:
Atzos Particulares.
A Pessoa que anunciou no Diario de 8 do
corrente, precizar fallar com Ignacio
Nunes Correia, dirija se a caza N. 55, na
ra da Cruz.
Apara-se papel de todas qualidades por
preco cmodo, quem pertender procure n
ra do Livrameoto botica D. 4, que lhe di-
ra quem apara.
Eduardo Soares de Albergara avisa a
todo aquelle Negociante desta Praca, que
como tendo o dito senhor lhe tirado da admi*
nistracao do Correio urna carta, que elle
desconfia que viera urna ordem de seos Paes
para receber a sua mezada, aviza que todo
aquelle Negociante ou aquella outra pessoa
a quero a dita ordem vier impressa que nao
entregue sem que seja ao mesmo Snr., e
sem que elle mostr outros documentos para
poder receber o que na dita ordem convier,
c sendo queja tenha apresentado a ordem e
r"cebido o que determina a carta, o Snr.
Negociante ou outra lualquer pessoa fara' o
favor de por meio desta mesma folha publi-
car quem seja o Snr. que apresentou a carta
para o dito Snr. Eduardo Soares de Alber-
gara tomar as informaces, e dar os agrade
cimentas ao Snr. que lhe fez este favor.
Compra-se.
TJ
Ma mulata ou crioula de idade de 10 a
12 annos: anuncie por este Diario.
Huma canoa de carreira, que seja nos
va, e leve 6 a 8 pesetas : anuncie por este
Diario.
Vende-se.
HUma canoa de carreira de quarenta
contra os Europeos; nos seremos solcitos
em pregar a ifhia, e fraternidade. Record ai -
vos, que esses mesmos ulicos para forma-
ren a independencia exaltaran as paixoes
dos Brazileiros contra os filhos de Portugal:
ca.
Huma canoa de carreira, com vela, tol-
do, &c.: no Areenal da Marinha a fallar
com Francisco Ferreira.
Huma batanea nova, epezos; e perten-
boje, que aspira a dar cabo da Conetituica, ees de huma Padaria: falle com o mesmo a-
Ipromovem o partido Europeo contra os cima dito.
3
meamos Brazileiros. Este tem sido sempre
o plano infernal dos fautores da tyrannia.
europeos, nao facaes cauza como com es*
y ambiciosos; esses tflonstros boje voi lia
Hum citio na Boatviagera denominado
AHinho, o qual he pertencente a D. Felician*
na Miquilina Cavalcante de Albuquerque,.'
por preco cmodo, sendo metade do dinhei'\


(1445)
HSoaopassar'daEscriptura, e o resto dahia Ditas de ?"a fe f jaras a |S40 a2000
humanno, no c.zo'que o comprador nao Ditas demadapolaO a JOTO **
possa dar todo a vista? falle com Bernardino GhaP^ de so1 de seda- a OiW a w
dC fKa^iat. de idade de 14 annos sem) n de lila preta" a 8000 a 7000 a 6400
vicio algum, e sadia, sabe engomar, ensa- ^emuas o corado a 960 a 800 a MU
boar, boa rendeira, e mombanda desala: Corados de x.tas a180 "0M0 12U iw
na ra do Fogo no 2. andar do sobrado no4 Pares de me.as de algodaO mn.to fina para
'^oue-bola afrente para o beco do Paj ^-^ ^ ^ ^ a
r6' Huma morada de caza na ra do Padre Rap^.ovo a libra das Florea
2BS laze^ d ^^ D 80brad aetra^d 1^^^^^^
9 HnmescTo humaescrara, sem vi- Constituyo do Imperio para uzo
cios: na ra de Hortas .obrado D. 33. da Esc ta"-"-v:-"" teO "
Meios de sola em pora6 ou por miudo : Le das Cmaras Municipaes.... iw
a loje de fazendas no Aterro da Boa-vista de Regiment das mesma, em- ...
Joao Francisco de Pinho. Le. do Concelho Geral de Pro ^ ^ ?
Huma venda compoucos fundos na Boa- vincia '..... g0 ..
visteantes de chegar o Cotuvello, D. 43 'D'tasdos Jmzes de Paz....... *
com cmodos para familia: na mesm. Defeza dos Andradas ern .
Huma preta do gentio de Angolla, co- Mappas mensaes de Batalhoe^, e
sinha o diario de huma caza, engoma lizo, e Compsnh.as de Cacadores de
he boa lavadeira : na ra da Penha, sobrado segunda Linha.........
da esquina do beco do Car^areiro D. 1. Ditos semanae. taobem, d .Bata- ,.
Suma escrava crioula de idade de 20 Ihftes eCompanh.asAe ditos...
anno,, bonita figura, engoma liso, lavadei- Informales ra de ensoboados, e barrlla, e cozmha so- Corpo de pnmeira Liuba a I. f .
frivel: na roa da Gloria caza N, <=> 184. inteira............. -
Huma venda com poneos fundos na ra D.tas para Batalhees de Cacado-
Direita unto a loje de cera confronte a Sa- res e Regimentos de CnvalU-
cre^tm d'o Livramonto, adinheiro, ou a pra- ria de segunda L.nba cada L, ^ ^ ##
zo : na mesraa loje de cera. ^.vro...........nillillham dn*
Hum selim, com oS seus pertences, tu- D.tas para as CwwnhiMdos
do em bom uzo : na Bea.vista venda.de ga- "^SS*?. .40
"^Bilnrs'^reto8; para qualquer quan- Difa. para as ditas dos Rgimen- >
tia de cobre que se queira passar: na ra do tos de Cavallarja....._......
Na ra da Cruz N. 54 os iivros seguin- memoada W-'......,. ^ ..
te Diarios Nuticos o cento....... ^ aw ^
Cours'lmentaire de pharmacie do, e em urauwu F ......^ 120 "
Codex medicaraentarius cent0.....*' \' "'''*''':""1
Formulaire magistral D-- J^gT (eTmanu"
Elmcns de phamacie m?" .......1 g0o
Traite des poisons Tet d" taSa (> p^
Traite de matures medicalqs leiegraio mmi ^ ....... 120"
Eleinens dephisiologie veeetale. tados)...^.. ........ fin
Na Loiedas fazBenda3Sba'ratas na esquina Receta do Tayuyi............. 60
da Pracinha do Livramento de Joa6 Carlos Colero das Le.s do Imperio
Pereira de Burgos as fazendas seguintes at o 11. vol. en. formato
Pecas de cambTainha a 1600 a 2000 a 2800 de folh.uba d argibe.ra e a
1 3200 mesma Constituyas em igual
Ditak ditas 4000 a 5000 formato para os Sre. Assignan- ^
Ditasde xitas finas ,6400 a 7000 a 4000 a ^^^'t^^'^ ^
Dita de bertanh de rollo a 4480 coutinaando dita Imptessao he que M*tj
!


V
I
Amas de Leite.
"DRbciza-se de huma forra, ou cativa.
Diario.
bom e bastante leite : anuncie por
com
este
Escravos Fgidos.

HUm preto novo da Na^a 1 baara de
Loureco Marques, alto, de boa figura,
H46)
ta d'agora em diante as Assignaturas. respousabeliza por qtialqutr fnga, que o 4A%
Huma negra para fora da Provincia, com eacravo possa fazer. \
duas crias feraeas, boa cozinheira, engoma- .
deira, e hbil para todo servico de huma ca-
za, e o motivo porque se vende he porque
seu Snr. se retira para Portugal; detraz da
ra Nova defronte da Igreja da Conceicao
O terreno do sitio denominado Cajueiro,
junto a ponte da Magdalena, em porcao de
100 palmos de fundo, quer na frente da es-
trada, quer na da Caroboa, que o limita pela
parte de Leste, quer na do Rio da banda d'
Oeste, com rezerva de 50 palmos de cada idade de 20 annos ; marca de Botons da
lado doporta, e de 100 nos estremos juntos ponta do nariz ate a testa, huma marca de
Camboa e ao Rio Quera quizer comprar listas de crtizes, hum S no peito do
alguma porcao do dito terreno, pode dirigir- lado esquerdo: Fugio no da 10 do corrente
se a ra Nova em caza do Doutor Joze Rut* com Tanga de riscado azul, e baeta en car*
tachio Gomes, que tem ordem para o ven- nada. Outro fgido a quatro annos de Na-
estenca e limites. cilio mais pequeo, e algum tanto vesgo, de
boa figura, e 22 annos, de idade : os appre-
i'a-Se. hendedores levem-os a ra nova d' Alfande-
ga a Agostinho Eduardo Pina que genero-
^T7ENDE-se, ou troca.Be, hnraa monda y caza de dous andares na ra do V icario
com os fundos para o encantamento, por ou*
tra no Bairro de S. Antonio: no Patio de
S. Pedro no sobrado novo de varanda de
ferro.
Duas moradas de cazas terrias na ra
do Varadouro da Cidade de Olinda, e outra
na iua da bica de S. Pedro : no mesmo va
radouro caza N. 18 a fallar com Mauoel !g
naci do Nascimento.
Hum-sobrado de um s andar, ou mes-
mo hum 1. andar, nao sendo em ra esque
zita: na Tipografa deste Diario.
Allugi
.
Di
Noticias Martimas.
Entradas.
Perdeu-se.
*
l^JO da oito do correte huma ataca de
_Li pedra branca en fiada em corazes quem
achala no caso que a queira entregar ao seu
dono, dirija-se a ra direita na padaria D.
14 que fica por bailo do Sobrado de hum
andar onde existe hum ninxo ; e restituida
que seja se le dar de gratificado mesmo
valor della.
a 11. do corrente. Unna; 24 horas ;
S. Dezeugano Feliz, M. Feliz da Costa, e-
quip. 8, carga caixas, a Joa Alves Carneiro
Porto.
Dia 13. Goianna; 4 dias ; Can. Le-
aldade, M. Joaquim Joze de Castro, equip.
8, carga caixas, ao mesmo M. Carac ;
72 dias ; S. Bom Jezus dos Navegantes, M.
Joa Baptista dos Santos, equip. 15, carga
vaquetas, e eouros, a Jernimo Luiz da
Costa.
D
Saludas.
Escravos Apprehendidos.
Ia 9 do corrente. New Bedford ; G.
Amer. Amafcon, quechegou hoje da Costa
de Patagonia.
Dia 10. Lisboa ; B. Port. S. Marcos,
UM. Joaquim Francisco de Aimeida, equip.
M negro meio novo, que nao quer di- 20, carga assucar, passageiros Joaquim Go-
zer, ou nao sabe quera he seo Sr. pega- elho Sintra, e Sebastia Antonio Prior
do nodiaU do corrente mez ere acha em Dia U.-l Genova ; B. Sueco Johanna,
caza de Francisco Pereira Capita de Cara- M. H. J. Kasteu, equip, 12, carga assu-
po era Apipucos no Jugar da Porteira da Ar- car.
co, oflde a quem for seu dono dando os sig- Dta 13. Lisboa ; B. S. Joa6 Baptista.
anescertos, e pagando o seo trabalho ser M. Pedro Dias, equip. 22, carga assucar, e
entregue, prevemndo outro sim o mesrao na- couros, passageiro Joaquim Concaives Fer-
nunciantc a quem competir, que elle seaOra eir.
f
Pernambuco na Typogrqfia do Diario.
_


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDTUQ4OS5_7W97SY INGEST_TIME 2013-03-25T15:56:01Z PACKAGE AA00011611_00755
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES