Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00749


This item is only available as the following downloads:


Full Text
W. 353.
te,-?'
-4 fino de 830.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
,. SX^EStd0"DiarI#~Direita m **67 *e *ndar e" ffleze8 por 64"i8 hura* folh-
Segunda Feira 5 de Abril 8. Vicente Ferreira
' Preamar aos 30 minutos da tarde. -

CORRESPONDENCIA.
Snr. Edictos,
F.m que comiste o verdadeiro ridiculo f
I Ssim como Longino, Joao Guilher-
me Berger Alemao, o Padre Lamy, Mr.
Rnlin, o Abbade Bateux, e ltimamente
ocelebreinglez Houg Blair rabalharao
por determinar a natureza do verdadeiro
Gosto as Bellas Letras; assim como
desde Ptolomeo, Copernico, e Tycho os
grandes Astrnomos la Hire, Monier,
Cassmi, Keiil, M. Halley, Mupertuis,
Newton, Picard, Hook, Bradley, Hor-
rebow, e otitros procuraras determinar as
parallaxes do* differentes astros, e Plane-
tas; as^irn como os mais observadores hy
drografos anles de Galileo, e depois co-
mo fossem Descartes, o citado Newton,
Daniel Bernoulli, Euier, Maclaurim, o
Padre Cavaller, Bufn, &c. buscarao
explicar cada hum segundo oseusyste-
ma a causa do fenmeno das mares, ou o
fluxo, erefluxo das agoas, a pezar das
grandes difficuldades, qne encontravao
na explicacao dos fenmenos, v. g. a res-
peito dos mares Caspio, Mediterrneo
- Branco, e Bltico; por isso qne nao tem
mares sen*veis ao mesmo tempo qwe o
samuiloconsi.leravelmente as do Golfo
de Veneza, e do resto do Mediterrneo ;
a ssim como os maiores physiologicos da
- antiguidade Andr" Ccesalpino (que pare-
ar ce ter sido o primeiro) Harvey, Leu
, wnhocfc, Cowper, Lower, Mery, Mr.
Siiias, e mullos outros fizera reiteradas
otaervacuea para descobrir a circulabas
do aligue, ma* causas, eeffcitos; assim
ycomo huns, grandes cassoadores do gene*
ro humano, conhecidos por alquimistas*
4 Eiretieo Fdalctha, Raymundo Lulo, Ar-
na!dodeVilla*nova, Theofrasto Paracel-
sq, Bernardo Trepano, Nicolau Ma*i
*-,-
"'
*rr
mel, e alguns outros maganoes embebe-
rao tempo, e locubracoes litterarias na
indagacao da Crvsopeya, ou Pedra 61o-
zofal, Meando depois das suas alquimias
tao faltos de ouro, como erao dan tes ; eu
tenho empregado todas as minhas facili-
dades em descobrir em que consiste o %
verdadeiro ridiculo.
Bem sabia eu, que a difinicao geral
de ridiculo he tudo o que provoca o ri-
so de zombaria : mas dependendo to.
das as aflfeccoes da noss'alma asim dos
objectos externos, como das circunstan-
cias da nossa organizacao ; observava, H
que certas cousas, que excitavao garga-
lhadas a huns, apenas causavao hum pe
queno riso a outros, e a alguns 'Ibes des-
pertava enejo, e tacitumidade. He pre-
cizo pois (dizia comigo multas vezes)
nestas minhas indagacues filosficas des*
cobrir objectos, que por sua essencia, e
acessorios moraes suscitem o riso mofador
na maior parte dos individuos em todos os
tem pos e lugares : Suava, e tressuava por
encontrar huma colisa, que me levasse ao
descobrimento desta materia, mais inte*
ressante, do que parece a primeira vista.
A historia offerejeia-me innmera veis ac-
coes, cfie podiao satisfazer aos meus de-
sejos. O hlozofo Asellepiades, montado
ein huma vacca de cujo leite se nutria,
correndode Cidade em Cidade para ens*
nar as suas doutrinas ; l se chega algftm
tanto para o ridiculo; mas lembrando-
me. que nao sabemos dos usos 'aquelles
lempos, suspenda o meu juizo ; porque
tal vez a equitacao em bois fosse privativo
dos filsofos nes&e secuto, assim como
nao ha muitos anuos, que nao ha va Me-
dico sem mua. Homero, o grande Ho-
mero, comparando por fineza os olhos da
Deoza Juno a olhos de boi; nao deixava
de mej^zer rir: norijn tal^z na Grecia
-i,_: -^


(1418
r_

cbamaswm olhos de b*i aalguma rolinha,
i,u ave formosa; assim como nesta rio-
vinoia damos o norte de sangue de o a
hum pasmo de lindsima plumagem ; e
Ra no me.ma. Em Londres deso.to
Bispos, e 32 Abbades todos mitrado de
envUa con, a canalha correado a pedra-
da os cadveres dos justados Ibomaz
BlJuk Benedicto Saly parecia-me
E grande ridiculo mas semelhan e
acQa5 prodiw na .ndignaeao. do que
liSo he huma certida da tao gabada
Sdoria, eviflude dos nossos ma.ores.
Kfeu heide ter .ido f****
as burlescas facanhas de D. Quixoie, as
Jyra das vagena de p^1^.^
Taca6 de Quevedo, o celebre^G .IB de
Santilhana, o Gusmao de AltomM, o
Mon Onde Thomaz HinU de
Chausse, d' Antin de ^<>%ofo
heida ter lido murtas vezesJTitoeoto
*emu saber, comedia de Seda mi, a Me
tromania, o Arlequim Deucahao, e.van.
os epigramas do ^P? &
Precisas ridiculas, o D. Garca de Na
vana o Ctcuimagi** o Amor med-
co oPeaofidalgo, as Mulheres sainas
deMolien, o Dialogo dos dous de
Cervantes, o cioso, comedia do grande
Seira, m Pecas do ^wj*i
nao beide saber em que consiste o rerda-
deiro ridiculo? ,
Este ridiculo, que eu procuro, sera
huma eou*a assim por modo de hum Vi-
brio muito magrioho com huma pistola
u eio da ra Z chamas* certo neme
uero.o ? La' ee aproxima ; porem a:n-
d"na5 ciega. Sera' accaso huns homens
vc ros como os outros, algn, com cri-
l publico, e sentenciados chamando
Z Cbristaos velbos, e gente da fe do car-
Toeiro? I^faZ"r;pormheonva^
trevimento, que outra cousa. Pow onde
5 esse ca?acleristico de bum ridiculo
S a todos excita o riso, as gargalhadas
Tem mixtura de outra qualquer afleccac ?
Conteso, Sr. Edictor, que Uehe
nerdido a paciencia, e assentado de a-
ir fcao da descoberta ; porque em
lautos objectos, e acocea examinava,
2a podio encontrar aquelle calrico de
ridiculo C permitta.se.me a expeme )
Le tornasse a eousa de hum ndwlovH
YO, animado, e sempre capaz de obrar.
de tantas/adig^, o exames Igei co-
mo Pitagoras descobrio no banho a de*
monstracao do quadrado da hypothenu-
a ; eu achei o procurado prototypo do
ridiculo no Cruzeiro 242, que etivolvia
hum embrulho de sabao. A maior parte
das grandes descobertas tem sido flhas do
accaso.
Eu disse, que por ah coma de# pla-
no, que o substituto do primeiro Intrepi^
do, isto he ; o Intrpido de boje he o Sr.
M. C. S. por assim o dizerem vanos ta-
verneiros, que tem alguma rasaodeosa-
berem, e mesmo compozitores da Typo-
grafa do Cruzeiro. Que fazem o Re-
dactor, ou Redactores deste Peridico ?
Como se fra bum canon do Concilio
Tridentino v. $~decidem cathegoriea-
mente, e muito serios. He falso o jue
diz o ChriitaS -eejho. Nem o Intre^Mo
he o Sr. M. Ol, nem>s compozftoes
desta Typografi'.q dissarao. e em que
se funda a infallibilidade desta decisao,
desle Theorema, desta Pragmtica?
D testemunho do mesmo Redactor, e em
hum nos abaixo asignados doscompozi-
tores !!! O' auctoridades dos Padres do
Concilio de Ni cea, eu vos respeito sobre-
manera. O' teaemunho irrefragavel,
fundado na afirrnacao nfaljvel de hum
Periodiqueiro com seus mpoztores,
quem ousara' desmentir-vos .r^-Falta va a
Arte Critica mais este testemQttfeo de ver*
dade: aanrmacao de hum eSbriptQjrde
Gazetas, e dos que eompoe, e imprimem
as Gazetas. Omnis homo mendax, dise
o Psalmista; faltou-lhe acrescentar, ex-
cepto se for Redactor, e compozitor do
Cruie.ro. Eutao, Sr. Edictor, achei, ou
nao achei o perfeito ridiculo? Pitago-
ras pela sua descoberta fez huma heca-
tombe, ou sacrificio de cem bois ; pela
minha apenas requeiro huma heca tomba
de gargalhadas a cusa do ridiculo Cru-
zeiro. m
O Christao Velho.
Advertencia.
Apra^a do dia 7 de Abril corrente,
destinada para arrematacao do for-
necimento das luze dos quarteis, e Cor-
pos de Guardas, fica transferida para o
dia 14 do mesmo mez, por ser feriado Vp
queile outro indicado. Secretaria da
Jueta da Fdoenda da Pernamliuco -3 de
Abril de 1830.
\ Antonio Marianno & Azevedo. .
K
^4
i
X


#*,
>
I
i
L *
-_
'
Atzos Particulares,
r
NA tarde do da 2 do corrente Abril,
q fiando Luiz Gomes Ferrara se re-
tirava com a sua familia no seu carro paf
ra sua caza succedeu que perto da ruado
Cabuga\ os Cvalos se espantassem, e
nos esforcos que fez o cocheiro para os
f ^ parar quebrassem as redeas de hum delles
de sorte que antes que se podessem parar
e 6egurar, consta ao anunciante que hu*
ma das rodas maltratara a perna de hum
muleque, e por isso roga agora o anunci-
ante a' pessoa a quem o muleque perten-
9a, queira declarar a sua morada a fin
de o anunciante mandar prestar os socor-
ros que o offetidido necessite, e pagar
qualquer daspezaja feita, qucrendo o seu
proprieta rio.
Francisc^Xavier da Silva Mendon*
aviza ao rspeitavel Publico, que nao
roceem huma letra do valor de duzen-
Jfvintehum mil e trezentos, sacada pe
lo^iesmo anun||ntea Martinho Joze da j
5flbf e asseita por elle Martinho, com o I
eu signa 1 costumado que he huma crus, '
cujaHetra foi passada no dia 7 de Janei-
ro un res rnezes, ese hade vencer a 7 do
corrente, declaro que o sacador mora
resta Praca, e o asseitante mora em Tu-
ba tinga Freguzia de jionta de Pedra ; e
a dita letra desapareceo de caza do anun-
ciante,
Perciz-se de hum Feitor para hum
sitio, quesaiba ler e esc re ver ; quem e
tiver .tiestas circunstancias dirija se a ra
da Conceicfoda Boa Vista, sobrado N.
179.
A pessoa que inuncin por este Dia-
rio querer saber da moradia de Francisco
Gomes Ferraz, dirija-se ao Engenho Pe-
-. nanduba, Freguzia de Munbeca, ou no
pateo de S. Pedro, a fallar com Joa de
Alema Cisneiros.
Adiase aberto hum novo Cafe res-
taurante Francez a maneira de Pariz, si-
tuado na Praca do Comercio Junto ao
f Trapixe do Pelourinho. O proprietario
y. deste novo estabelecimento ja conhecido
esta Cidade, ambicionando merecer a-
davez mais a conanca do rspeitavel Pu-
blico tem a honra dt previnir ai pes6oai,
S que quizerem obzequialo com a sua con-
fiaiica, queserao satiifeitas com diligen*.
ciatanto no que raspeita ao preparo da
comida, como no servido: athar se ha
hum sortimento de vinhts uperiores, ca
fe, almo^s jantares re. para particulares
sendo moradores na Cidade.
Compra-se.
HUm temo de pezos de 1 libra at l
arroba, sendo ja uzados: atraz da
Praca da Uniao venda D.J.
j.
Vende-se
j J. Serpa part ai pa ao- respeifavel
Publico que na loja de livros defronte de
Palacio, e naladeirada Mizer.icorda em
Olmda D. 17, achao-se a vender Tratados
de Educaeao Physico-Moral dos Menino*.
Obra mu til aos Pais, e Mais de fami*
has no interessante cuidad*, da sau.'e, e
moral de seus filhos, assim como t*!>em
para outra qualquer pesssoa aue dezrj*
teralguma noca no que diz respeito'a
conserva9ao de sua satine.
Acha se a venda a obra intitulada
O que he o Cdigo Civil? pelo Dou.
j tor Vicente Joze Ferreira Carduzo re*
comendada pelo Estatuto para o I. =>
2. anno do Curso Jurdico ; em Olmda
em caza do Porteiro do dito Curso, a pre-
90 de 2#000 rs.
Potassa, pelobaixo prajo de 80 res
a libra; no escritorio de Luis Gomes
Ferreira & Mansfield.
Tinta fina de escrever ; na ra Nova
I. andar do sobrado D. 33.
"Huma venda com poneos fundos na
ra ireita junto a loja de sera defronte
da sachristia do Livramento ; Ha loja de
sera junto a mesma, e taobem se vende
a prazo dando bom fiador.
Huma negra lavadeira, cozinheira,
e propria para outro qualquer terv9o huma caza, lem vicios e vende-se por hh
querer, servir a sua Senhora ; na ra de
Hurtas sobrado D. 64.
Huma escrava ptima engomadeira
tanto de roupa de homem como de mu*
Iher, boa cozinheira at de rnassas e tao-
bem doceira: falle ao destribuidor deste
Diario do Bairro de S. Antonio.
Hum preto do gento de ftngola, a*
inda naosso, com otiicio de padeo, e ca-
noeiro ; na ra Nova loje de fazendaa
D. 23.
Huma escrava, angola, de 20 annos
bonita figura, possante, t sem vicio: na
ra de Ortas D. 33.
1 Na Loje das azendas baratas na es*
=.:>
:i


(1420)

quina da Pracnha do Livramenlo de Jo*
ao Carlos Pereira de Burgos alem de
militas qualidades de fazendas ern conta
tem
Pecas de chitas entrefinas.... a 3#500
ooovado..................a #100
Libras de Rap viudo ltima-
mente.................... a 1#600
Huma morada de caza terria, prxima-
mente acabada, com conotos suficientes pa*
ra huma familia grande, bom quintal, e com
des pez de coqueiros; cita na estrada jue
vai para o Remedio : as cinco Pontes ca.za
D.53
Noticias Martimas.
Entradas.
JL/Ia 24 de Marco. Rio Formozo ;
2-1 horas, S. Ave Maria, M. Francisco
Martins de Olireira, equip. 9, carga
caixas, a Manoel Joze. Banco do
Brazil ; tendo andado a peica a 9 m'ezes,
G. Amer. Stonnington, M. L. B. Bly*
den, equip. 31, carga azeite, a Mathe-
us e Foster. Rio de Janeiro ; 20 das,
B. Pedro 1. M. Joaquim Duarte de
Souza Agujar, equip. 21, carga toucie
Huma canoa aberta de carreira com 30 -nh ecaff a Antonio Joze de A mor i m-
pnlmos de comprido, e faltando me algum
concert: no fina da ra de S. Rita Nova ca~
za D. 8.
Vmho do Porto a caada a 800 r. ,
PRR a 960 rs.. Figueira a 800 rs., Brauco
PRR a 1280 rs. e tudo o mais por precos
cmodos: na venda da ra do Asaouguinho
D.34.

passageiros Izidorio Joze Muniz, Jo e
Antonio Guimaraes, o Baeharel Leoca-
dio Ferreira de Gouveia Pimentel Belle-*
za, Ouvidoi doPar?T AyreaH;gino Mon-
triro, Antonio Joze Correi de Azevedo
Coitinho, Cadete do I. T Corpo de Ar
tilharia de Posieao da Primeira Linha.
l)ia 25 do dito. Uoa ; 24 limas,
S. Cnnceic.au Felicida^, M. Manoel
Antonio da Silva Crilo/^quip. 10, car*
ga caixas, a Jernimo Liz da Costa,
p ssageiros Manoel Antonio, Antoriio
de Medeiros Tavares, e Antonio dos Sun-*
tos Una, 21 horas, E. Ventura, M.
Francisco Joze Machado, equip. II,
carga caixas, a Jernimo Luiz da Coa-
ta.
Saludas. ,
JJa 24 do dito. Lisboa; B. Port.
Vera Cruz, M. Jacinto Rodrigues Mon-
teiro da Gama, equip, 19, carga tBa
car, e algodao, passageiros Felipe The-
odoro Alves, Faustino Antonio Ladioma,
.,. j^___.- j, *-! :.,u Alexandre de Abreu Castello, Ajudante
aria do gento a Angola, anda ,^, r-i i i TT
z i r ii de Ordena co (.invern de Anela. U-
nova, que pouco, ou nada talla a ^ .^ -ir T
,9 sienas raiiin* ?? ; E Con^a'J <*a Pnte- M- Ignacio
Arrematares.
POr o Juizo do Civel, Escrivao Cr-
rela, *e hade arrematar huma porcao
de fazendas penhoradas por varios credo
res a Joaquim Fernandes Vianna, e se
achao em huma loja na ra da Cadeia do
Recife, sendo Depositario Joze Ferreira
Antones Vilaea. O rescripto se acha em
ma do Portelro, onde esta os precos e
qualidades das fazendas. Quem nellas
quizar laucar pode comparecer na P/ac/a
do mesmoJuizo as Segundas, e Quintas
a tarde.

Escravos Fgidos.
lingoa do Paiz, com os signas segu
tes ; no braco esquerdo hflm hh S t* fei
to com ferro, alta, e magra, o corpo a-
inda cinzento de sarnas, orelha* por fu-
rar, com carniza de bertanha babados de
paninho, saia de chita azul, com florea
iucarnadaa, e auzentou-se no dia 27 de
Marco ; os appreheudtdores Ievem a ra
do Rosario^no sobrado D. 7, por cima da
botica de Bartholomeo Francisco de Sou-
za, que aera o pagos do seu trabalho.

Marques, equip. 10, em lastro. Rio
Formozo; S. Guadalupe, M. Caetano
Moreira dos Santo?, equip. 12, em las-
tro. Rio Grande do Norte; e Pa-
raiba; B. Presidente, M. Joaquim
Antones de Souza, equip. 12, carrafa*
zendas, e molhados, passagei ros Ignacio
de Albuquerque Marauhao, com 14 c-
cravos, com Guia.
Dia 25 do dito. Londres; B. frtm
Elisa, M. William Porter, equip. JO,
carga assuear, e algodao.


Pernumbuco na Tiprogafia do Diario.


*
0
t
T*
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYER4A9WS_D2ILTW INGEST_TIME 2013-03-25T15:01:30Z PACKAGE AA00011611_00749
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES