Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00727


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m
'Anno de 1830;
|UV>

?
DIARIO DE PERNAMBUCO.
> i

era mezes por 040res huma folha
A
f
-
Sexta Feira 5 de Feveeiro. I Aguida V. M
Preamar as 2 horas e 6 minutos da iardt.
>


ift
CORRESPONDENCIA.
I
\
*.\
'Atj. Edictor. Triste figura esta'
fazendo o Snr. Thomaz Xavier! Exas-
1 peradoda victoria dos Constitucionaes, e
marmente coberto o bravo, e honradissimo Snr. Go-
vernador das Armas, descobrindo os tra-
mas da facinprosa Columna, manifestn-
dolos ao Monarca, e servindo a sua res-
ucita vel Ordem do dia para corpo de de-
licio da Devassa ; vnga-se agora era o
insultar no sen dilecto Cruzeiro, debaixo
do cpitheto fanfarreo de Intrpido.
Depois da escaramuza da Barra
grande encasquetou-se o Snr. Thomaz
Xavier, que tinha talentos Militares (IJ,
que era corajoso, intrpido, valentao &c.
C2) : mas em fim prezumpcao e agua ben-
ta cada um toma a que ihe parece. Quem
le csses novos communicados do Snr. T.
X. Intrpido nao pode deixar de se enojar
la parcialiuade, e inveja, que respirao
cm cada urna de suas linhas. O Snr. T.
X. conhece a preponderancia da Ordem
do Dia, que aquellelllustre Chefe dirigiu
O) Pois nao tem! Em 1824 o Snr.
T. X. andava effectivamenle a' Militar,
ora de sobrecazaca e banda, com seus ba-
badinhos nos punhos, ora de farda e es-
padagao ; e sempre com o seu cbapeo a-
galpado ; quem nunca viu o Rodrigo no
tempo da lucta com Luiz do Reg, com
ar de General de comedia, e Capitao nao
sei de que, te ve no Snr. T. X. um re-
trato perfeito em 24.
(2) Se be valenta torcer leis, ordcns &c.
para faztr hir ao Cadafalso seus Compa-
triotas, por assim o exigir o odio dette, e
a inveja daquelles, indubitavel, que o
r. T. X. e' valentao: e de ma9 digaoo
os que o vi rao tourear as Siuco-Pontes.
a sua Tropa: sabe, que esta medida,
dictada pela honra, e carcter firme, que
ninguem ( nem o mesmo Cruzeiro > ou
zou denegar ao Excellentissimo Snr. An<
tero, concorreu em grande parte para a
queda, e ruina da sua creatura, quero di-
zer ; a sociedade dos Columnas.
E' natural, que se devore d' inveja,
que se assanhe, e rompa em excessos, in-
dignos da sua ducacao, e do posto, em
que as circunstancias, e bons padrinhos o
colocarao. O Excellentissimo Snr. An-
tero nao e' homem.de letras, e' de Armas.
A sua Ordem do Dia, que tanto bem nos
oausou, foi estudada em seu coracao hon-
rado, fiel, e decididamente Brazileiro:
para a compor nao folheou Diccionarios,
nao catou epithetos, e frazes d' algibeira
para bizarrear de* Acadmico ; disse o
que senta; ecomc oque elle sent e*
Jumesto, decoroso, e justo; a Ordem do
D.a deve ser encarada por este lado. O
Snr--Thomaz Xavier, que manuza tan-
tos Diccionarios, que excogita boa copia
de expresses recnditas para escrever
quatro linhas, oxala' tives^e os sertfimen-
tos Brazileiros do seu Illustre Rival.
Quem cnhece as paixoes humanas
sabe, que o odio e' urna das paixoes*mais
ferteis em recursos: em falta de factos
contra o nossp inimigo, o odio nos forne-
ce invectivas a' larga mao ; por isso ra-
rissimo e' o homem, que confesse as boas
qualidades d'aquelle, com quem anda a-
travessado. Nestas correspondencias do
Snr. T. X. Intrpido nao havera' um
leitor,^ C ainda mesmo columnista ) que
Ihe nao conloa o'alvo, que e' indispr o
Excellentissimo Snr. Antero com os Per-
nambucanos : mas intil estratagema !
Os Pernambucanos sabem apreciar o m-
rito daquelle Chefe, e nao poderao esque-*
cer-se, que o Snr. Thomaz Xavier a trot
\r
y



**"



"' :
J7
(1234)

co tal vez ciernis urna comenta, oude
\im Titulo (3), nao se honffrijtou de en-
trar em cabalas para cpfivar a sua Pa-
tria. ^ -. .
As como desarresoaveis. Boa prova desta
"Crdade nos offerece o Sur. Thomaa- X.
. 110 seti Intrpido, inserto no Cruzeiro 202,
combinado com o Espreitador no mesmo
fi. e do mesmissimo Snr. T. X. Nes-
ta apelida gratuitamente.de demagogo ao
Excellentissimo Snr. Antero sern produ-
cir prova alguma, que ao menos pltW-
velmente corrobore esta calumnia. As
medalhas, que o condecorao, foraoMbe
dadas pelo Monarclia cm remuneraea
dos seus relevantes servicos as campa-
libas do Sul, e na guerra da Independen-
cia nos campos de Piraja' contra o tyran-
tio Madeira, e seus desapiedados Luzos :
*? que servidos de considercao tem fetO o
Snr. T. X. para ter hbitos e cometidas?
Havera* homem tao piedosa mente imb-
cil, que se persuada, que o Snr. Thomaz
X. correu para a Barra Grande, levado
do amor ao Monarclia, e a' Integridad
do Imperio? (4) Umciume de Pre/iden-
cias di vidu a principio os dous par idos *
e se os de ca nao tivessem a imprudencia
c loucura de aspirar a mudanzas imprati-
cavis^ os de la' nao se aproveitariao des-
te cri me para encampar-nns por virtude,
4 mrito o que no seu comeco s tinha por
mira a confirmcao de patentes &c. &c.
(5) O Sur. T. X. ja' foi perna forte de
- (3) Oh Um Titulo ? O Snr. T. X.
por um Titulo seria capaz de revolucionar
o Brazil inleiro, morress qxiem morresse.
A pouco foi elle despachado Mrquez de
Bemfica^ ole! dem-lho de veras, verao!
Na3 andava mais s nao deitado, e seria
preczo urna berlinda partiCutar com seu
oa, travisseirs &c. &c. para poder
tranzitar por essas ras, e que ertvpa*
Jla !! !
C4) Tanto amor ao Monarcha os mo-
Vu enta, como fonje o meSmo amor ao
Monarcha induz aCruzeirada adescom*
por, injuriar, calamniar a todos os que
nao sa da sucia: bello amor o Monar-
cha E quer esta canalha aspirar a gra-
tidaG de S. M.! Que desaforo !
\J5) Naquelle tempo algurts velhacos
bem cnhecidos, tendo virado as cazacas,
e as fardas, excitaras o partido donde ti*
nhao;de&ertado, paraba csta dellecolhes
hemardas : trabalhou com a sua quota
parte para a quedada primcira Junta Pro-
visoria desta Provincia: e se aquelle Go-
verno era legitimo, como ningirnnduvi-
da, o Sn. T. X. rao pode dizer con*
verdade, que nunca foj demagogo.
ttmbirra o-Sor. Espreitador ( ejrt
antes dlle embirravao todos os Columnas)
por o ExceHenfws4fno Snr. Antero se ter
chamado a s mesmo General: (6) como
este Snr. extranho a profissao daaletras,
eNmuito superior aos sarcasmos do Snr. 1.
X., despieza responder-lhe, e metter-se
nestas baralhas; eu que taobem tenho meus
livrecos, e mormente Diccionarios, na*
deixarei em campo, csgrimmdo so o bnr.
T X e sio a terreirosem medo algtmi
do recontro. O Diccionario da Academia
Franceza na palavra General -~ diz
assim Tomare tabem como substan<
tvo, e significa Chefe, aquelle que
Commanda em chefe. O Ex Snr.
Antero commanda em chefe o Exercito de
Pernambuco ; logo nao ha impropneda-
de em se cha-ar General. O Dicciona-
rio de Bluteau, que e' Poituguez, anda
e' mais terminante m General do Exerci-
to, ou Governador das Arma c'^aquelle
Official, que commanda em ciiefe ~ A-
lem disto o Excellentissimo Snr Antero
e' Brifadeiro ; por tanto Official Genera!,
nada ha mais usado entre nos, do que
dar o tractamento de Generbaos Briga-
deiros.
Mas, que mesquinho, e apouquen-
assim agora os
rem o que nao mereciao ;
captivos assulatudo, insultao, e desati-
bo os Pernambucanos Constitucionaes, a
ver se estes dao o menor passo errado, pa-
ra elles empolgarem o que tem em mira.
Mas ja la ve esse tempo ; os Constituci-
onaes estaiS vigilantes ; obre a canalba, e
lles provarao o rigor dos bracos livresj
nao esperem porem desatinos, porque ha*
bastante perspicacia para desmantelar se-
us tramas, muita grandeza d'alma para
desprezar seus latidos.
(6) Tempo houve em que por certa
gente o ExceHentissimo Sur. Atitero nao
era chamado se nao o Snr. General, a
cujo nome todos cabisbaixos fazia pro-
funda reverencia ; ma^ enta nao Iiayia5
Columnas; hojeesses mesmos estupidos
addlad^res escravos chamao-lhe o Antero*
julgando com isto abater-lhe o merec- ^
mrito! Isto e' que e' ser tollo, e vil.
.,
M


1U1I i
vm

'-..
'
*
Y

(c
(
*(
t
t
(
<(
((
(
lado- nao e' o corar dio Sr/T; X^em ttiK.mf&ecqt. as boas" gracas do Snv. T
ve doer tanto desse titulo, etf tra(amento X., de cujas; aitestacoes, e informaos
de Excell.encia que todos dao por civihv* dependeriao todos os ompregos, e postos,
dade ao Exclieotissimo Smr. Anterol ge tivessem ti brbaro gosto de ver por ter
Entretanto elle, que iienhum caso faz dis ra a Constituidas.
to esta* a bica de ser Tenerte General, -.,Admiradporpm, que o Sr T. X.,
cuja Excedencia e' fixa (7) c ao mesmo que se diz tao aptosteroado ratatra dema
lempo, que a do Snr. T. X. esta1 or gogos pretritos, prezente?, .futuras, es-
poleos das, passadns os quaes nem Se- colhesfi para proteger, pe mandar beijar
nhoria lhe uca, e tslvez tenha de dar una as Mos Augustas deS. MM. II. ;ao
paudoso a Dos a' Excedencia* a Dos Tenente Coronel Martins, demagoga.de
para nunca mais. raga, e que desde 1817 tem entrado raesta
l>tz o Sur. T. X. no sen Espreta- Provincia em todos asollamadas vulgar*
dor Elle ( o Excellentissimo Snr. An mente rasgas, e sedicoes: mas em fim es-
V tero ) nao ignora, que todos esses, a e galhardte agaloado fez-se columna,
quem boje protege, sao os mesmissimos fez gandes.a queda do Tramblho, e ser-
republicanos, que tem abalado esta vicos taes sao para o Sr. T. X. uragran-
Provincia em todo o lempo que elle d titulo de recomendacao.
aqu se acba Elle nao ignora, que a EYpasmosa a contradicho do Sr T
sociedade da Columna foi nicamente X.! No Espreitador toma > pjtrrnbjett
erecta para fazer barreira a esta cana* da sua inveja, e *ga ao Excelentsimo
Iba endemoninhada ; e se era umcon* Sr. Antero, a quem procura acbarar de
venticulo sedicioso; porque nao impe- demagogo; no Intrpido' ( logo imme-
diu elle aos militares de la' entrarem ? diato ) busca fazelo odioso por de-potico,
^ Aqueile Snr. Espreitador tomou bem^e'ftbsolutista Ali foi at prezo pol de-
de memoria al i^ao dos seusmestres os Ex, mocrata, e protector destes; aqui
Ministros d' Estado prximos passados : um fl age I lo dos mesmos demcratas; ali
os^Constitucionaes de Pernambuco nao 'republicano em sumna ; aquie'impos-
sao os demagogos de nutras epoclias ; sao si ve!, que seja Constitucional; porque e'
a nielbor gente, a totalidade da Pravin- absoluto, e pralicou muitos despotismos:
cia : a estes e', que o Excel lentissimo Sr. mas o Publico, e o mesmo Excellenijs*
^Antero se tem ligado des que aqu ebegou* simo Sr. General Antero (9) devem-lhe
com estes e", que tem contado para rezis- perdoar esse devaneios; porque o Sr. T.
tir a' cortjuracao absolutista do Sur. T. X. mesmo confessa no seu Intrpido,
X. com os seus columnas, destes em fim que esta' doudo : com efFeito una paixao
e'que mereceu o bonrosissimo prezente vehemente pouco dista da loucura De-
xlc urna espada, prezente, que se lhe nao os the concert ojuizo, e lhe emende
faria, se nao fosse publico, que urna so- vidonho tao caroavel ao absolutismo,
ciedade, creada, e dirigida pelo Snr. T. Quanto ao que diz o Sr. T. X. era
X. trabalbava quasi a escala vista por dar abono da sociedade dos Columnas, per*
cabo da Constituicao do Imperio, dom mitta-me, que lhe applique o bem sabi*
gratuito aqueile, e bem differente (8) da do rifo Quem hade louvar a noi*
commenda, que seus socios columnas arn va? O Sr. T. X. e' suspeito nesta
larao tirando por portas, e por quanto materia, e as suas assersoes a este respei*
Miguelista, e taberneiro infeciona esta to tem tanta forca nabalanca da jiistica,
Provincia, assim por tazer perrice ao ed criterio, quanta teria v. g. o faleci*
honrado, e Brazileiro Snr. Antero, como do J. S. L. a dizer, que a Condfeeracao
*-----------------.------;--------------------------do Equador nao era invento seu (10) O
(7) AlemdequeoExcellentissimo Sr. Excellentissimo Sr. General tanto igno-
Antero tem ja urna Senhoria de jure, e o ra essa bondade da Columna; que digo?
Snr. T. X., acabada a Prezidencia, nao Tanto soube dos seus perversos fins, que
tem se nao Merce. ---------------- ~--------
(8) E bem difiTerente de urna de ac,
c demais urna brida, e urnas espo-
ras do mesmo metal, porem de algum
valor &c. &c. &c. Quem nao tem ver*
gonha todo o mundo e* gen. -
(V) Negro nao quer fav; fava nelle.
{10) suspeitos sao o* Mellos, os
Gustavos, os Bernardinos, os Marinbos,
e toda a mais enriarla de absoluto-Cruzeii
raticos. }

wm


/
*M
itm
ella se queixou ao Imrriortal, e Justo So
berano. Quando o Excellentissimo Ge*
Jieral diz, que nao qniz privar seus sub*
ditos C os Militares ) da librdade de su-
as aceces refere-sc a' cpocha do recruta-
.ment para a organisacao desses janisa-
ios, ou columnas: entao nem elle, nem
is sabamos o que era essa sociedade:
mas logo que os esbriptos, e factos dos
conjurados o inteirarao do perverssimo
intento desses Srs., nao poz tempo em me-
l; sahio^se comasua Ordem do Da, que o
13razil nao escravo.
Nao me pergunte o Sr. T. X. o mo-
tivo ; porque eu o considero, elle se con-
sidera, nos o consideramos, e todos o
considerao General em chefe, e creador
dos columnas. O Sr. T. X. recomen-
dou*a muilo, como fillta sua, a seu Pa-
quenco Ihe denegou a aprova^ao publica,
amo deixou de mandar procuracao para
*im terceiro levar a crianza a' pia. O Sr.
T. X. para dar um testemunbo nao equi-
rvoco do quanto lhe era cara essa filha de
Jjcncao, sobranceiro ( porque e' Intrepi*
do ) aos clamores de urna Provincia to-
da, ed*' Escriptores, que Iheabriaos
olhos, nunca mandn imprimiros traba-
3hos do seu governo senao no Peridico
arauto da Columna, isto e'; o revoltoso
Cruzeiro. O Sr. T. X., que se dizia
iel executor das leis, e' voz constante,
que apadriuhuo um tal Brito, juizdo povo
^por alcunha, e sem que desse ador, est
administrador do contracto do tabaco, so
por que hoje papaguea pelas tabernas em
4'avor dos columnas, e do absolutismo,
que sao synonimos, da mesma maneira
<|ue em outro tempo periquava em favor
das bemardas, ou rusgas. O Sr. T. X.,
que se inculca muito econmico da Fas
zenda Publica, niandoU pagar o sold a
certo Official, que alcancara quatro me-
zes de licenca regustada; so" porque esse
Official pertenceu a* sua predilecta Co-
lumna : em mn sao tantos os factos,
( mesmo contando so os da sua incompa-
ravel Prezidencia, sem hir buscar cousas
velhas, enassadas) quesera enfadonho
reproduzios.
dcstttnido'de. habllidade, e cmo particu-
lar tem qualidades boas: mas um fundo
d'orgulho o domina ; a sede de aristn
cracia o devora, eeste o principio de pos-
tergar todos os seus deveres, de ser bigo-
diado por outros famlicos da Corte, e de
inetter-se em urna conjracao liberticida :
advirto porem a esse Sr. que essas suas
descomposturas ao Excellentissimo Sr.
Antero so podem agradar a um pugilo de
Miguelistas, rabutalhos da Provincia;
porque a prudencia, e ate* a sua educa-
c,ao exigem, que elle espere, que a socie-
dade. se justifique (11), para entao lhe
tecer os encomios ; porque csses precon*
ceitos injuriosos, essa defeza antecipada,
so mostrao ciume, inveja, raiva, c as ve
zs medo.
Sou, Snr. Edictor, o
Seu devoto.
O Impvido.
.*.
("II.) Nao pelo modo, deque, diz-se,
quer servir-se o nunca assaz malhado Ouh
vidor do Crime.

Vende-se.



O Sr. T. X. tem talentos, nao e'

NA porta da Alfandega, e na ra da
Cadeia armazem N. 8, bacalho
ebegado ltimamente da Terra Nova,
marca de fogo o melhor que no mercado
de 6,000 at 7,000 res conforme a por-
cao.
f* Huns movis de caza, a saber, 8 ca.
deiras de condur de palhinba, 2 banquu
nlias desala, huma cama, hum berco,
hum.espelho de salla, hum par de man-
gas de vidro, trez bas, huma meza gran-
de de jantar com duas gavetas, e taobem
huma escrava de idade 2 anuos, de todo
o servico de huma casa, cose, he bocetei-
ra, muito fiel, e sem vicio algum, tudo
por preco cmodo ; no beco do CarcereU
ro, casa D. 2, de huma hora da tarde a
the as 2.
Leilau
QUe fazem Jones & Wysme, hoje
Sexta feira 5'de Fevereiro de fazen-
das limpas, e avariadas, por cauta de
quem pertencer ; na ra da Cruz N.
10, pelas 9 horas da manh.

Pernumbuco na Tipografa do Diario.

.

*,
*]

-

J!^-
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXBT199ZO_HB2KLY INGEST_TIME 2013-03-25T13:51:50Z PACKAGE AA00011611_00727
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES