Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00714


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i .^s>wwiPm*w*wsH^^ BHPW HWPMVHHHHmP1
H^m
^r*r^
N. 339.
I
. Atino de 1830. '
i
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Subs^reve-sena Tipografa do mesmd Diario na DireitaN. 267 I. andar em mezes por 640 rus humk^folla
fue sahir todos os dias uteis.
Tsr5a Peira 16 de Mar?o. & Siraco 'jf.

Preamar as 10 Aor
Pede8e-nos a puhlicagao das seguirte
tes pegas.
NOs abaixo assignados Negociantes
da Pra^a tle Pernambuco conside-
rando os servioos que tem feito a esta
Provincia e ao Imperio em geral susten-
tando o Systema Constitucional estabele-
cido contra os Demagogos d hum e mi-
tro partido contrario, o actual Governa-
dor das Armas desta Provincia o Rriga*
deiro Antero Joze Ferreira de Brito de-
claramos ter justo; e convencionado
mandar buscar a Franca huma espada
digna de Ihe ser appresentada, em signal
do nosso reconhecimento ao-* seus servi-
ros. Pernambuco vinte hnm deMaiode
mil oitoeentos e vinte nove. Assigna-
dos Antonio Marques da Costa Soares
Gervazio Pires Ferreira ~ Bento Joze
da Costar Antonio da Silva & Compa-
nhia hh Bento Joze Alves Antonio Jo-
ze de Amorim m Joze Ramos de Olivis
ra *-< Antonio Joaquim Ferrara de Sam-
payo i-( Francisco Antonio de Oliveira
++ Joze Antonio Gomes Jnior >-h Luiz
Gomes Ferreira >-* Joze Antonio de Oli-
veira -< Joze Bento da Costa h-j Joaquim
CandidoGomes Joao Pinto de Leinos
hh Manoel Alves Guerra mm Manoel Pe
reir Guimaraens & Conipanhin.^ Tilo-
mas Joze da Silva Gusmao h* Elias Bap-
tista da Silva *-* Manoel Zefirino dos San*
tos >-i Caetano de Carvalho Rapozo.

:
SENHOR.
IEndo os negociantes abaixo assigna-
dos entre si convencionado mandar
buscar huuia espada para ser offertada ao
Brigadeiro Antero Joze Ferreira de Bri-
to, actual Governador das Armas desta
Provincia em reconhecimento dos servi-
cotf por este Orncial feitos a bera da tran-
quilidade Publica, f seguranca daPro&
priedade dos Supplicantes sustentando o
sistema Constitucional por V, M. I, offe*
recdo, Jurado e mandado guardar contra
a demagogia de hum e outro partido con-
trario quer Republicano, quer Absolutis-
ta ; e nao podendo osobredfto Official por
huma extensiva applicacao da Ley, ou
pela sua reconhecida delicadeza acceitar
huma semelhante offeita allias alem de
toda a suspeita sem que primeiro V. M. I.
Ihe outorgue a licenca necessaria: uestes
termos os Supplicantes P. a V. M. I.
seja servido Mandar que o Sobre'dito Of-
ficiftj possa aceitar e fazer uzo d huma
espada cujas inscripcoens sempre Ihe re-
cordarao a devida dfeza do Imperador e
da Constitaica do Imperio do Brazil.
E. R. M.
Com as asignaturas cima declaradas.
---------------^------------
Illustrissimo e Excellentissimo Senhor.
TEndo manifestado nlguns Negocian-
tes da Praca de Pernambuco em re-
piesentarao que assignarao quant de-
fejavao offererer ao Brigadeiro Antero
Joze Ferreira de Brito huma espada que
pretendiao mandar vir de Frailea para
mostrarem de algum modo o seu reconhe*
cimento aos destinctos ser vicos de tao be*
neraerito Oflicial em defeza da Publica
tranquilidaJe e^lo Governo Constitucio-
nal contra os partidos que al tem maquis
nado a sua ruina accrescentando que at-
tenta a reconhecida delicadeza do referi-
do Brigadeiro julgavao que e^te nao acei-
tara a offerta sem expressa permissao de
S. M. o Imperador. Ha por bem mes*
mo Senlior que V. Ex. Ihe faca constar
que elle nao incorrera no seu Imperial
Desagrado por aceitar. a offerta que Ihe
quertra fazer. Dos Guarde a V. Ex.
Palacio do Rio de Janeiro aos 13 de Ja-
neiro 1830 = Mrquez d Caravellas ==
A.



{
(13(52)
I
Sr. Thomaz Xavier Garca de Almeida.
Illustrissimo e Excellentissimo Senhor.
IEndo os Negociantes desta Praca de
Pernambuc constantes do Acord
por copia jjtinto conseguido de S. M. I. a
licen'ea, para V.E. poder aceitar^ huma
espada qne os mesmos se lerabrarao offer
tar a Y. Ex. como hum signal do seu re-
conkecimento e gratidao, pelos servicos
por V. Ex. feitos, a urol da tranquilidad
de Publica, e sustehtacao do Systema
Constituconal'Jurado contra os Demago-
gos de hura, e outro partido contrario ;
tomara a liberdade de a appresentar a
V. Ex. pelos seus Deputados a esse fim
nomeados e abaixo assignados na eipe-
ranea de qu o.motivo que os oonduzio
facilite a sua acceitaqao tanto mais quan
to o fim oe sustentar a Consfituicao, e o
imperador corno se aoba na mesla es*
<:ripti he conforme os sentmentos de V.
Ex. Dos Guarde a V. Ex. muitos ans
aos Recife de Peruambuco 8 de Marc,o
1830. t1 Assignado hh Gervazio Pires
Fesreira-' Antonio da Silva.
IU.mc'Srs. Negociantes da Pra^a de Pernambuc.
DIxsNAND-se S. M. o Imperador meu
Augusto Amo Permitir queeu accei*
te a espada de Honra que Vv. Ss. me ofr
ferecem, de bom grado a recebo nao so*
poique ella hum pinhor do afferro e ad*
iesao de Vv. Ss. a pessoa de S. M. I. e
& Cons'ituiffito que temos jurado, como
porque ta*> nobres eliaes sentimentos tem
a muito produzido tiesta Provincia a ver-
dadeira opiniao do carcter do Grande
Pedro 1. Que firme em seus principios
ter a indelevei Gloria de Consolidar o
Systema Cpnstitucional que Offerecea Ju-
rou e nos rege. Eu sou grato a esta da-
diva nao pelos servicios feitos pois que nao
iiz mais* do que executar *as Ordens do
Governo o meu primeiro de ver, mas sim
por fiear depozitario de hum padrao que
ao mesmo tempo que amanea para com
S. M. I. os sentmentos de Vv. Ss. nos
recordar a cada passo os nossos mutuos
deveres Vy. Ss. agora aitida mais obri
gados ficao a fazerem todos os esforcos
e sacrificios em sustentar q Governo de
S. M. o Imperador, e a Constituicao do
Imperio e eu a dar a esta espada
que Vv. Ss. me offertaiao o seu verda-
dero uzo, podendo igualmente affianc,ar
a Vv. Ss. que ella sempre se desemba?
nhar em defeza dos mais cares objectes
que centem a-sua Legenda, Pela Cons-
tituicao e Peb Imperador, Dees Guar-
de a Vv. Ss. muitos annos ~ Quartel na
Estancia 8 de Marco 1830. m Assignado
mi Antero Joze Ferreira de Brito, GoVer-
Dador de Armas de Pernambuc.
&
CORRESPONDENCIAS.
JNR. Edictor. Sempre a travacon-
tas com os guapos Redactores, e Corres-
pendentes do. frentico, e desesperado
Cruzeiro; sempre desbaratando-lhes as
calumnias; e elles sempre no trote das
mentiras No Cruzeiro 232 she a cam-
po um tal ex ordenaaca do General Li-
ma a defender ao Sr. Boa* Villas, ou Vil-
las Boas, a quem alias na5 ataquei, fie nao
em dizer, que deo gostes a' columna, e ao
mesmo tempo oom o fim de me tornar o-
dioso ao Excellentissimo Snr. Pinheiro ;
sim ao Excellentissimo Snr. Prezidente ;
porque as calumnias, que apparecem ar
gora nessa cartinha insultadora ja' forao
produzdas em outro Cruzeiro ha' 4, ou
5, mezes. Se o Snr. Boas Villas, ou
Villas Boas aqui estivesse, e fosse o a
thor desse libello famoso, eu teria com
que. Ihe tapar a bocea,* mas como esse
Snr. nao tem culpa dos insultos, que me
dirige um dos seus despreziveis adula
dores, so' responder! em poucas pala
vras ao Snr. ex-ordenanca. Aquel le
Tenente Coronel, Ajudante Geaeral,
e amanuense do estimavel Brigadeir Lii
ma tractava me com atabilidade ; e nem
outra cousa pedia fazer, vendo por urna
parte a estimaeao em que me tinha o seu
General, e por outra que em nada de-
penda da sua Ajundataria General. Al-
guns debates teve comigo, em q.ue as ve-
zes muito nos apostemavamos; e tudo
era porque descubra lhe um fundo de
chumbismo, que trausluzia em suas pala-
vras a pezar do seu aftectatto liberalismo :
nunca lhe pedi favor algurn, e nem era
natural, que se dirigisse a um simples
Major quem tinha a intima amisade, e
estima do Brigadero, e Chefe da Pro-
vincia. Esse labeo de denunciante, e'
recurso muito mizeravel; e se nao forao*
ta contraro a' decencia eu 4udigitaria
os muitos favores, que fie n'aquelle tem-
po a varias pessoas, unieo fruete, que
colhi da preciosa amisade d' aquelle be-
nemrito General _< nunca denunciei;
m
1
A



I
(ms)
T
antes apadrinhei aalguns,' por cujo mo
t i voe sagrad ei algum tauto a o mesmo
Snr. Boa* Villas,* a um repolhinho, cha-
mado, se bem melembra, Leal, que
tractava da cavalhar^a do General, e
grande bate barba tire por este, e outros
motivos cora o facanhoso Capel lao de um
dos Ratalhoes de cojo neme agora me
au record. Sao testen? unhas de todas
estas verdades os Snrs. Antonio da Cosa
Reg Monteiro, Manoel Izidoro de Mi
randa, e Joa Francisco Duarte, 0 ou-
tros muitos : finalmente se eu tivesse esse
infame carcter, nao merecera do Ex-
cellentissimo General Lima tanta amisa-
de, que nao tem cessado de me eserever,
e com expresses tao honrosas, com el-
logios ta eordeaes, como -o que- ja' fiz
publico em urna das cartas, que me di*
ligio, inspressa no Constitucional N.
36, a qual existe ha Typografia do Dia-
rio para ser appresentada a quem a qui-
zer ver; a um vil denunciante nao se
confia segredos da maior importancia,
como aquelle rueu Amigo o faz na refer*
da carta, pedindo-me, que fiquem em
eterno silencio, pelo que vi-me obriga-
do a borrar quasi teda a carta a fin de
poder sair mpresso ta sement o que e'
em meu abono. Ten lio demonstrado a
vergonhosa calumnia dos tneus inimigos,
que ja' mais pudere provar, queeu fos-
se delator; ao nesmo tempo, que elles sem
pejo, sem uwanidade, sen remoraos, sem
Religiao tem denunciado em letra redon-
da a seus desgranados concdadaos, apos-
trofando as Authoridades para que man-
dem agarrar a fulano e sicrano, escondi-
dos em tal, e-tal sitio, a Hu de seren le-
vados ao patbulo con forme a sen tenca,
que tiyerao; chegando a tal ponto a fome
de mentir, enredar, e intrigar, que afiai
de produzir alguma impressao na Corte,
ousarao anprezentar em um Cruzeiro o
feUissimo Auuncio de que nestaProvincia
se achava escondido Manoel de Carva-
Iho ; isto he o que est no Cruzeiro, es-
eripto por seus Redactores, ou Corris
pondentes ; isto que ridiculo, vil, in-
fame, calumnioso, tyrannico, e perver-
so. Desengenle finalmente os Srs.
Columnas, meus inimigos, que apegar
intrigas nao conseguirn apear-roe da es-
tima dos meus honrados Patricios, que
assas conhecem o meu carcter pacifico,
e genio berafazejo.. Pena tenho eu do
meu estado valetudinario ; por que se nao
vvesse sempre adpentado, e abatido no
meu fizico ; eu nao esereveria contra os
columnas passageiras correspondencias
as minhas horas de alivio ; porem vo-
lumes ; pois que tendo sido um dos pri-
meiros, que nesta Provincia escrevi em
favor da Independencia, do Imperador,
e da Cunstituica'o ; nao posso ser indi fe*
rante aos males, que a mesma Provincia,
e ao Brzil todo prepara va essa conjura-
cao absolutista. Chamem-me embora re*
publicano, com tanto, que o nao* possao
provar nem por factos, nem por palavras,
nem yor escriptns : chamen>me farrou->
pilha : vejo nessa classe tanta gente dis-
tncta, e benemrita, epithetada assini
no Cruzeiro, que muito me honra este
nome : entretanto eu os chamo absolutis-
tas, inimigos da liberdade legal da sua
Patria, e o tenho provado; chamo-oa
cogumeloj, e o demonstro ; por que to
dos Ins conhecemos as extraeces : nao
estimo os homeus s pelo seu nascimento ;
antes mais admiro e respeito aquelle, que
pouco favorecido da fortuna por essa par-
te chega a merecer a estima de seus con*
cidados, e faz-se por suas virtudes dig
m/rlos Empregos pblicos : mas a qu
rheio de criases pblicos, e de baixa ex-
traccao, diz, que nobre, fidalgo, &c.
&c., um ridiculo, que so merece o des-
prezo do f
Somnambuh.
,--------------
A O Snr. Ediotor. do Diario roga a
Espora do Perreiro de Franca Ihe
queira publicar, para reipondcrenvlhe
os Advocados, Moralistas deat Provin-
cia, a segu n te .
Proposta.
Zaqueo cazou com Eufemia com a
condisao de ser dotado, recebeo o dote-
no dia do seu zazamente; e viverao ma-
ritalmente tiverao urna flha: em me-
nos de 2 anuos exbulhou-se a Zaqueo do
seu dote. Pergunta-se, se Zaqueo em
consequencia de se Ihe tomar o dote, o
seu casamento esta' valido, ou nao, e se
a Prole proveniente do dito cazamento e'
legitima, ou ilegitima. *
Leila
QUe faz Nicolaus Otto Bieber, hoje
Terca feira 16 do oorrente, pelas 10
horas da manual, de fazendas boas e ava-


*W*i
*m
I

]


(1364)


I


riadas na casa de sua residencia, ruada Conceicao de Mara, M. Joaquim Joze
CruzN 63. dos Santos, equip. 18, carga 176 cscra-
Oue pertendera fazer Guilherme vos, os qnaes desembarcarlo as Candeu
Fogg & Companhia, de fazenda limpas as, em 4 do corrente, a Joze Hamos e
a manh Quarta feira 17 do corrente, pe- Oliveira,
las 10 horas da man ha, na casa de sua re-
zidencia na ra do Vigario N. 12.
Alluga-se,

Huma preta que se ja fiel, e nao beba
agurdente, quem a tiver anuncie
por est Diario.

Noticias Martimas.
Entradas.

J^JfIa 9 do corrente. Rio Formozo;
24 horas, Canoa Co*ncei*oo do Filar, M.
Dia 10 do dito. ~ Porto de Pedras;
24 horas, S. Joao Deligente, M. Joze
Francisco Nunes, carga ca i xas, a Mano-
elCaetano Borges. Rio de Janeiro ;
31 dias, B. Dido, M. Belxior Joze dos
Res, equip. 21, em lastro, a Agostinho
da Silva Neves, passagriros o Dcutor An*
tonio JozeCoelho, Antonio Joze dos San-
tos, e 15 escravos no vos cam guia, Anto-
nio Joze Vieira da Silva de Marinha,
Francisco de Paula de Negreiros, Sayao
Lobato, e Francisco Rapozo Pereira. -h
Mar Pacifico, tendo sahid de New Bed-
ford, a 34 mezesa pesca, G. Amer. Wil-
liam Rotch, M. R. Tuckernan, equip.
21, carga azeite, a Matheus Foster, se.
Manoel Falcao, equip. 6, caifca caixas, guio viagem paia New Btdford. ~ Kio
a Joze Antonio Falca. Serinhem; Formozu ; 24 horas, L. S. Joze Viajan-
24 horas, L. S. Antonio, M. Alberto te, M. Antonio Joze da Costa teman*
Martins, equip. 7, carga caixafl, a Joze des, carga caixas, ao mestre. >-* Unna ;
de Olivera- Costa. Porto de Galli- 24 horas, S. Chica, M. Izidoro da bilva,
nhas; 5 dias, S. N. S. do Rozario, M. carga assucar, a Bento Joze da Costa,
Jernimo Moreira, carga caixas, a Jbze passageiros o Padre Antonio Cavalho
Antonio Falcao. Rio Formo/o ;4 Lia!, Vicente Joze da Silva, Luis Joze
lloras, S. Conceicao Flor do Mar, M: Beruardino, e Francisco Xavier Pretor
Joze Rodrigues, carga caixas. o Antonio Boston; 40 diai, B. Amer. Sophia elL-
Rodrigues Lima. Unna; 24 horas, liza, M, J. Smitli, equip. 12, earga fa-
Canoa S. Antonio Cieopatra, M. Mano- rinha e mais gneros, a Matheus e Foster,
el de Santa Roza, equip. 5, carra assu- tirou carta de gande para Val Paraso.
car, ao mestre. Rio Formozo, 24 ho-.
ras, S. Thetis, M. Henrique Carneiro
de Almeida, equip. II, carga caixas, a
Joze Antonio Lopes. Serinhem; 20
feoras, S. Conceicao, M. Antonio Joze
de Souza, equip. 7, carga caixas, aAn
tonio Ferreira da Silva Porto; 33 di
as, G. Port. Flor do Porto, M. Joao
Joze Pereira Borges, equip. 38, carga
vinho e mais gneros do pafz, a Caetano
Pereira Gonc.nl ves Cunha. < Costa da
Saludas.
JU^Ia lOdo corrente. Porto; G. Port.
Feliz Ventura, M. Joio de Souza Cirnes,
equip. 22, carga algod o e assucar, pas-
sageiros Antonio de Souza Cirnes, Ber-
nardina- Francisco de Azevedo, Manoel
Joze Machado, Matheus Joze dos Santos
Lemos Jnior, Fennino Joze Telis, do
Batalhao54 de Creadores de segunda li-
r Patagonia, tendo sabido de New London,. nha. Liverpool ; Barca Ing. Maccles-
a9 mezes, a pesca, G. Amer. Neptune,
M. N. Starks, equip. 29, carga azeite, a
Matheus Foster, seguio viagera para New
London. hh Guaisquill; 90 dias, G. A
mer, Gove'rnor Clenton, M. J. Page,
equip. 31, carga quina, e cucan, a Fer-
reira e Mansfield, seguio viagem para
New York, hh Malembo; 53 dias, S.
field, M. Thomas Tucker, equip. 12,
carga algodao e? assucar, passageiro Jo-
seph Nicholes Adolp Sohramn. Ham-
burgo; B. Hamb. Tritn, M. E. Eb-
besou, equip. 11, carga assucar. *-< Lon-
dres, B. Ing. Perseveranca, M. Richard
Watts, equip. 10, carga assucar, algo-
dao, e couros.


FernambucQ m Tipografa do Diavio,
~~x
*i -*r>*i

'. .- "-' "
T"T"~


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8FA53ZUT_SFJA4E INGEST_TIME 2013-03-25T15:48:14Z PACKAGE AA00011611_00714
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES