Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00700


This item is only available as the following downloads:


Full Text


f. 303.
ylnno Je 1830.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Subscreve-se na Tipografa do rarsmo Diario raa Pireita N. 267 2. andar em mezes por 640 rea huma folha
jue sahira todos os das atis.
Sabbado 30 de Janeiro. S. Martinha V. M%


P reamar as 9 horas e 18 minutos da manhaa.


-
CORRESPONDENCIA.
K$Nn.
A3at/. Edictor. Muito pode a ig
norancia estimulada pela ambica NaS
precisa ter grandes talentos para conhecer
que aquella pelo seu atrevimento, e esta
pela sua cegueira tem sido, e seraosem-
]>re a origem de todas as desordens do
mundo : com rasao affirma o profundo
Volney, que a ignorancia, e ambicao tem
causado as ruinas dos Imperios. E como
nao serao ellas as causas das ruinas das
familias em particular? Os argumentos
de maior para menor nao tem replica.
Bem sei que o Sur. Antonio Francisco
Cordeiro de Carvalho nao hade estar por
isso ; porque mais depreca um negro no-
vo comprehendera' urna demonstraca
geomtrica, do que elle se convencer'
por argumentos de rasa : nelle tudo he
forca, e por ella he que se rege. Por
tanto responder-lhe em termos he malhar
em ferro fri, he clamar no deserto; po-
rem va' feito : se elle nao se convencer,
quica' nao acn teca o mesmo com quem
lhe redigiu a carta, que elle subscreveu,
e mandou inserir no Cruzeiro N. 194 a
quem passo a responder. Entretanto o
Publico imparcial, para quem escrevo nos
julgara' segundo as nossas rasoes.
He laslimozo que em um tempo, e
lugar, taes como em o seculo prezente, e
no Imperio do Brazil, e com particulari-
dade na Provincia de Pernambuco, os
liomens se facinem a ponto de entenderem
que so podem ser felises intrigando, ata-
cando, calumniando, e ate' assassinando
seus patricios, para a custa de seu descr-
dito, e ruina elevarem-se a grandezas nao
merecidas, sem se lembrarem que os mais
nao sao tao estupidos, e destituidos de
meios, que nao possao conhecer-lhes o
horrorozo plano, e destruillo, ou pelo me*
nos fazer-lhes toda a pposicao possivel.
Eis o que acontece no Termo de Cim-
bres. 4
O Capitao Mor Francisco Xavier Paes
de Mello Barreto, cojo pessimo carcter,
escuso descrever agora por brevidade,
na5 podendo sobresahir naquelle lugar
por meio de virtudes, e talentos, que nao
possue, tem Janeado mao de grosseiros
recursos, e metamorphozes polticas para
se inculcar ora de republicano, ora de
monarchista constitucional, e afnal de
absolutista, conforme o tempo, em que
vive, bem como agora, sem com tudo de*
zistir do vil projecto de mudar de opiniao
logo que as circunstancias, e as suas vis-
tas ambiciosas de vangloria a isso o move-
rem ; e como os habitantes daquelle Ter-'
mo ja o conhecem, e nao estao dispostos
a puchar o carro do nefando triunfo dos
seus crime-, eilo empregando a violencia,
e a forca para nao soffrer o menor atrazo
na sua philaucioza carreira. Conhecen-
do porem que ainda assim nao pode pro*
gredir alli a seu bel prazer pela oppozU
cao de minha numeroza familia, que lhe
serve de empecilho aos damnados planos
de seu absolutismo, pela constitucional^
dade, firmeza de carcter, reciproca a-
mizade, e uniao, que entre ella existe,
assim como pela independencia, em que
vive do dito Capitao Mor, procura este
fazer partido com os facinorozbs, dando
valhacouto em sua casa aos Cardeaes, e
aos Barros, pardos criminosos do Cariri
Velbo que aggregou a si para estes lhe
limparem as barbas, segundo se expres-
sou quando os receben sob sua proteccao,
sendo o meu assassinato o primeiro servi*
90, de que os encarregou.
Agora parecem-me vir a proposito
as respostas, que devo ir dando aos pri*
meiros rticos da carta do Snr. Cordeiro
^"
-r-


-
(1218;
a esse respeito, em a qual m pergunta tirem certos caberas, que eu mosfrare
que indicia <|ii p'robbilMde, qfe ten -.1IP suieita a ludo quanto e
emo elle se sugeita
Por ella
appa-
calum-
<&c. Eu Ihe respondo. nr, ampara arrullo do meuassassinafo.
Pela sacrassa ignorancia, asme- NS me Icnntalido porem a Uta in-
solada ambi$t entndeXi o Oaftitao Mor diaios anda llie *ir Mb alguma cousa.
Xavier, ue podia em'bacar a tod-JB Na vecera da minha saluda de Pesqueira
cor a sa elevado ue UapTS M'T JJW1 CaT&tm*, estando certa pessoa em
acoronelado por meio de imposturas, e caza do dito Capitao Mor, ouyiu de noi-
mentiras, que pregou ao Governo depois .te bal ere m de leve em una janella, eo
da Hornada ; porem vendo e por va ero Capitae Mor em mais perguntar. quem
iirelo contrariado, por meu Pai, o Sur. era que bata, levantou-se foi abnlla, e
MWoel to m fluirn ( <|e fez fc poz se a conversar em segredo ; e como
-fV epofe d ser feffcitt'o tfor etle* fcssm por casualdade a tal pessoa taobem tives-
. como ki ir fui pelo Cardea, e agora pelo | pVecisaG de levatitar-se, abnsse oatra
'8ru\ ortfeir ) aventn 'Que estava des- Janella, e vis*e 4 "Cabras avadados, o Ca-
Mtfdo por n$ potler mosWr o contrario "pia Mor despedndo-os immediatamente,
doqn^fezVerfcPiiblto>, e log del i*. V<*ltou-se pava o hospede, edeu*lhe uina
BtWb^WW umVtfgai^ae^^mpfei', fctisfttca conto, e sem nexo, queren*
a^rratiora jtor'irtei taltfactsgnorattts-, e Malvados, quan- Wiens iao pegar-he um negro, que anda-
do so-VfeafUft ffcte. rfcao; mas temen- Va fgido, c, e no outru dia pelas 6 bo-
doque -ftfimdrtMto fcssassrirt' a *tfeu Pai, (rS da man ha-dera-tne o tiro la mata da
t\i rra deixass'ftiptfi'ria sua tf6rte( no Jnrema, 5 tegoas distante da caza do a-
tue:tilto &,Mghttavgt ) ;lhamlosme 'com toarte orbos pelo desem- com minha mulher, tan te por ser mais
erto, como por visitar de passagem a
leglriiute maridei preWter, e amarrar &o Certas pessoa* de ninha amlzade. Agora
fillbrtzo, ladrko, Iftestago, 'tfssassino, anasemos ocaso. Bater-se de leve em
* malvadisiihb (>ardal, sm tiie i/npor- lima janella de noite, nao se-perguntar
Wr fpltilb'Jimios Juizes traiisaetus, decretou abiilla com a mesma promptida, e por
in;p"ctofe;a!M *S3taj>dtltirB(fti9, torito por f/rsuadir^s gredo, &c., &c., torio isto indica urna
*f(ieu;ra quenvfenitntfvaa'meuPae pa*. eombinaca particular, emisterioza; da
rk'fl^ter^lhfe jas 'impudentes calmnras, cotitrario'iiao se pratioa tatitos actos suc-
*qie(itiblletv^:boOzeirbsdbreaRoma' cessivos sem besilar. Em bora se diga
da,'e'ti ue* com a minha mdrte totlos suo -ifue todo este segredo empreoizo para
'Cttbifia, s>h com tullse deix&r 'de tr- cazo ; mas enlao para que referillo n
'rtr'ttisblgum, 'tlue(tinta ou^asSlr'a fK inesmo memento ao sugeito, de quem ae-
'Ikr; ,J>6is'tssim*e'deve colligir do o^neel- gundo as aparmeias pareca occuUa'rse
le dice iii ceth*oC0Hao, quando alian- poocw antes ? Alem disto para se-peg-ir
tUy-e-lhe fsob#e o'PbVo estar desgostozo um negro fgido seria preciso baver ta-
(Ha-sua ffe(HivWhc!eaVCa|uttt6 Mor, res- inatiha cauteTla ? precisava-se de tanta
jmndera" 'O'PoVo nao be mo : assim se ^ente anmida ? Seria necessario mandar
matar ilm cameiro, e frigillo de tigella
jji-i.1 .i
l(\") Vrimeia :asnira. Quando ha in iparasedar de matalotagem aos taes, co-
c hcis, pitibablbdad^/e1 certeza nayhaca -ino para quem parta para longe segundo
iiminia e\n"e affirmar alguma cousa ; por me itif(rmara pessoas que prezeneiara
tanto era melhorque dicesse -*->Que indi- de perlo todo este rebolico na vespera do
*co,-qtae, iprobWlldade, rjue certeza, tem ^uccesso ? Todo pode ser ; mas aoine-
oSnr. Fuao para me^aqguir, &c;? M-as nos eu, que tabem tenho tido escravos
tia, oSrfr. 'Coweiro enfeude que tanto fbgidos, nunca-uzei de taes meios, e neai
faz argir * iumiar. -de que o escravoja tinlia sido pegado por


um carpira de tiome Joze, filho de Urna
Anua Roza, que o Su*. Cordeiro bem co
nhcce. Que me responder' elle sobre la-
to? llavera' probabitidade, ou nao? Poie
raiba mais que nao ignoro que ihb dos
Barios fot receber do Sr. Cordeiro logo
podesse ter o Snr. Cordeiro com o dito,
que nao tettv nada que vender, a excep-
(,-ao doseu tirinho pordetraz do pao.
Quem quizer mais claro, bote4he
agoa; porem eu que dezejo atis&zer at>
Sur. Cordeiro esclarecer-the^hei o cazo
de maiveira, que nao reste a menor duvi-
da anda sobre amis ridicula objeccaoy
que elle me possa fazer, bem como se me
objeclar que sendo 4 09 cabras, que con-
versrao de noite com o Capitao Mor, he
inverosmil que s me atirasse um e os
mais ftcaasetu apticos, &e. aosjueies-
pondo que ja fui sabedor de que estava
pos4a urna emboscada na estrada geral
perto das Inhumas, no lugar da Game-
leira, por onde suppuohao que en passas-
se, e que nesta emboscada estavao Do-
mingos A-fiouso, c um filho do dito cha-
mado Aflfoosinho, um irma do Cardeal,
Manuel Martins da Seria do Vento, um
Alexandre de tal, e outros, donde se con-
coucloe que so por seguranca, ou mera
prcveuca destacara um para aquella
Iravessa, por onde nao era impossivel que
eu passusse, ajaezar de ser caminho ex-
quisito, o que fiz pela razao ja dita. Tao-
bemja me informa rao que Francisco Cor-
deiro, digno irmao do Snr. Cordeiro,
PaHtaco do Arlequim Xavier, foi o mes-*
mo que me deu o tiro, o que nao duvido;
porque e*se hurwem ja venden na Bahia
um pardinho forro de nome Severino, que
por amizade o acompanhav.; ja deu um
tiro em seu Pae, pelo que foi degradado
para Angola, e quaudo volton, cazando-
te, e tendo ja filhos da mulher matou-a
(2) sem outra raeao mais do que quere
(2) Este facto he assaz horrorozo, e
custa crer-se ; porem he verdico. Eilo
aqu: Estando a mulher do soliredo
Francisco Cordeiro donnindo entrn este
monstro no quarto, em que ella desean -
cava, acompauliado de hum sequaz, pelo
qual mandando presionalla pelas peritas,
poz-lhe um joellio no estomago, e com as
mao as fauces tanto rhe apertou a gar-
ganta ate' que a vio espirar empolgada
cazar-se com outra, oquenaoooiweguiu
Ora, o que se deve esperar de ura desei*
mado. que vendeu seu amigo, atirouem
seu Pae, e matn sua mulher ? Respon-
da o Sor. Cordeiro. Entre Unto basta
por boje.
Sor. Edictor tenha a bondade de dar
a prelo a prezente carta em seu Diario,
per via do qual continuare! a esclarecer o
Publico sobre o mais que me resta respon-
der, e ponderar ao Sur. Cordeiro, o que
farei brevemente se Vm. fizer mais este
favor ao
Seu venerador e constante
Leitor, e assignante.
Antonio dos Sanios de Sequeira Cavaban/e.
>
Theatro.
NO dia 4 de Fevereiro da da abertiw
ra do Theatro desta Cidade, se fes-
tejao no mesmo os felises Despozorios de
S. M. I. com a Princeza Amelia de Le-
uchtemberg, recitando-se hum novo Elo-
gio e cantando Madama Eleonor pela
piimeira vez neste Theatro o Hynsno Na-
cional. Seguir-se-ha a reprezentacao da
Magestoza Comedia em trez actos Jntitu*
lada As lagrimas da Beleza sao as ar-
mas que mais vencem Sera' decorada
ricamente, e com brilhante vistuario ana-
logo ao carcter heroico. Aparecerao os
dois Retractos de SS. MM. II. Coloca-
dos em hitara magnifica vista de fogo fei
ta por hum hbil mestre desta arte, cuja
brilhante perspectiva anda nao foi exen-
tada neste Theatro, edeixara' saptisfeitos
ao9 espectadores.
Avizos Particulares.
MAnoel Sabino da Costa, aviza ao
respeitavel Publico que nao com-
pren nem negoceem cousa alguma com
sua Mi Rita Serilia do Amparo, em ra-
zao do anunciante andar em quesU com
a mesma sobre os bens, e seu Pai estar
auzente, e para que se nao ehamein a ig-
norancia se faz publico por este Diario.
as suas unhas !!! E o que mais admira
he ter elle, ha poucas horas antes, joga*
do, dancado, e brincado com a mulher
sem dar demonstrado de projectar um
crime tao atroz. Que tal o Cordeiro !
Apage Parece que um nao quer oeder
a outro a primazia sobre barbaridades,
como farei ver na seguinte carta, que pu-
bliwrei brevemente, e talvez a maulla.


I lili
I
i;

Ir
(1220)
A pessoa que percizar de huma ama ventas largas, boca proporcionarla, beicos
de casa, dirjanse ao pateo do Hospital D. grosos e meios vermelhos, dentes alvos,
17. "- ^s bem fallante, tem a cor alguma cousa WI-
Roga-se ao Snr. F. de tal Abreu la, pes largos, ascabecas dos dedos gros
oom luja de livros na ra do Collegio,
quena fazer favor restituir da maneira em
que estiver hum folhetp de instruyeles de
caladores, que deii-se-lhe para encapar,
e como ja vao fazendo 2 mezes que esta'
fazendo esta obra, e nao aparece na sua
loja o dito Snr. e nem o -folheto, por isso
rogarse queira restituir da maneira em
que se achar.
Compra-se.
Oeda de ouro e prata efectivamente
sos, as unhas ruidas, tem huma ferida na
perna direita, hum brinquinho na orelha,
e consta que levou huma espingarda, foi
com carniza e calsa de estoupa, e mais
roupa de sobrecellente, hum chapeo de
pello uzado, e hum bone' de baeta5 azul
pintado de branco e encarnado, suppoem
se que leva em sua companhia hum mole-
que, e duas negras seos parceiros com os
signaes seguintes ; Mariano, nac,ao Con-
go, seco do corpo, bonito de cara, den-
tes muito alvos, tem a orelha eiquerda fl-
melo prego enrente, na casa de rada, e por cima c!a sobrancelha esquerda
Cambio de George Gibson, Corretor In- tem huma sicatriz, pernas finas, pes e
glez, na ra da Cadeia doRecifeN. niaos muito descarnados, levou vestido
11. calsa e camisa de estoupa, e huma trxa
16 ou 20 arrobas de capim por dia, de roupa de sobrecellente, e hum chapeo
quem poder dar esta quantia ou parte del- de palha pintado de preto ; Maria, esfa-
le, dirija-se ao armazem de carrocas ao tura ordinaria, secca do corpo, nariz xato
lado da Cadeia, na quina do beco do fa- boca larga, dentes alvos, pes e maos mu-*
lecido Maximiano, para tratar do ajuste, to descarnados, peitos grandes, e a junta
dos dedos grandes dos pes muito grossos,
VfMI(le-S*e. ^ levou vestido de xita azul ja uzado e hum
^kJA loja de li\ros de-fronte de Palacio pao da costa azul e roupa de sobrecel-
JbW "'em da grande quantidade ^ue nel- lente e hum ferro no pe' e outro no pesco-
la se ada a vender, ha agora ultimamen- eo, e he de nacao Congo ; Apolinaria
te chegado de Lisboa em bom ppele rioulla alta, grossa, cor fula, feia de ca-
bem encadernados hum grande surtimen- ra, nariz grosso, o beico debaixo grande,
to sendo clasicos, latinos jurdicos, bre- tem todos os dentes na frente, peitos gran-
viaris, missaes, cartas de silabas em ma- des, bracos pes e maos grossos que pare-
nuscrito, papel de todas as cualidades, cin estar enxados, levou vestido saia de
livros em branco de todos os tainanhos, xita escura e carniza de algodaozinho,
tudo por preco cmodo. hum pao da costa azul, e roupa de so-
Huma mulata, com SOannos de ida- brecallente, representa ter de idade 27 a*
de, bem desposta, sabe cozer, engomar, 28 anuos; suppoem*se hir junctamente
cozinhar, e reger huma caza; na ra nesta cometiva outro crioullo de nome
Nova 1). 108. Manoel, alto, cara cumprida, dentes a
Rape' Princcza, orchata, charope cavalgados huns sobre os outros, e tem
de vinagre, dito de capilacia, ditoante- huma perna que no andar mette sobre a
scorbntico, arrobe ante-sifilitico de lafec- outra, auzentarao-se da Villa de Macei
tem, agua ingleza de castro, serveja pre- a 13 do corren te ; os apprehendedores le-
ta. sulphato de quinina, pomada epispa- vem na ra Direita no 2. andar do so-
tica, dita de hidriodacto de potassa, tin brado D. 52.
tas de todas asqualidades proprias para Felicianno, nacao rebollo, idade 20
pintores, e estojos de cirurgia ; na botica annos, com principio de barba, tem hum
de Gusmao Jnior & Compauhia. signal de cabellos no beico superior, esta-
JEscriVOS Fllgldos. tura ordinaria, seco do Corpa, caneca pe-
quena rosto cumprido, e he ladino ; os
ANtonio crioullo, baixo do corpo, apprehendedores levem na ra de Ortas
grosso, cabera natural, naris grosso, D. 53, que sera o gratificados.

Pernambuco na Tipografa do Diario.



m
I***
*r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZBNPV07W_XYUI5Z INGEST_TIME 2013-03-25T15:44:38Z PACKAGE AA00011611_00700
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES