Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00588


This item is only available as the following downloads:


Full Text
N. 265


: i ^
'- f 'l II
/frailo efe 1829.


DIARIO DE PERNAMBUCO.
Subscrev-se na Tipografa do memo Diario roa Direita N. c 567 1. andarn meiei por 640 rail hanafolfift
Une lahira todos o das otis.
Quarta Feira 9 de Drzembro. S. Le cadia V. M.
Hreamar as 4 horas e 6 minutos da tarde.
*
V
Odt>j
CORRESPONDENCIA.
jcJ)N/t. Edictor. Que llie parece o Sol*
dado da Barra Grande, amigo das Co-
lumnas no Cruzeiro 154? Vm. nao con-
hece quem he este hroe ? Pois conheeo-o
eu pela pinta. Principia o nosso assolda-
dado por hum rebate falso, dizendo, que
est atiteac.ada a nossa Independencia, e
pelos Farroupilhas! Ora esta he grande !
Esta faria i ir a mesma forca Que fazem
#>s Constitucionaes, Snr. camarada ? C dos
Columnas ) Qual he o passo, que tem da-
d i para sedices ? He mister, que lhe di
^a ? Vm. bem sabe; so a intriga, o en-
redo da patifisima Columna ser capaz
de confundir os Constitucinaes com meia
duzia de vadios, e loucos das duas Ro-
triadas. Mas vamos ao dde do nosso
Soldado, que he a minha expressao, quan-
do disse vem huma ordem a esta, ou a-
quella fAuthoridade, e esta por motivos
occorrentes, so a ella conhecidos julga
prudente, nao executar, e reprezentar "
&c. D' aqu decide por algebra, que isto
quer dizer, que se S. M, o I. mandar
render o Excellentissimo Gvernador das
Armas, por motivos occorrentes nao obe-
decer. Isto he muito m consecuencia,
Snr. Soldado ; Vm. nao parece nisto, que
cursou as aulas. Huma Authoridade a
quem o Soberano manda render deixou
mediatamente de ser aquella Authori-
dale.
Supponha, que S. M. I. manda mu-
dar o Excellentissimo Prezidente eo ipso
deixa de ser Prezidente: ainda mais sup-
ponha, que a favor deste anda-se pedin*
do por portas hum abaixo assignado,
como ja se deo principio, de nada vale;
deve-se hir embora, e obedecer ao So-
berano: suponha que o Excellentissimo
Prezidente, ou o Excellentissimo Gover*
nador das Armas, ou outra Authoridade
protege os Columnas, e apparece em re-
volucau contra a Independencia, contra
o Imperador, ou contra a Constituic.au z
deve ser amarradinho, e mandado logo
de mimo ao Imperador.
Este Soldado he manhoso, e grande
absolutista: elle quer fazer odiozo o
bravo, e honradsimo Snr. Antero Joze
Ferreir de Brito ; mas debaide : este
Brazileiro benemrito, sendo ivre ; por
que nao he Soldado captivo, e columnis-
ta, he escravo da Ley. Se o Soberano o
mandar mudar immediatamente obedece :
mas em quanto nao, hade defender tiesta
Provincia o Imperador, e a Constituica6r
sem que precise para isso de espada d
grande preco ; huma que custa 20#000
r. he bastante para acabar com os Co-
lumnas ; e advirto que a que elle cinge
ja a tem desemba'nhado militas vezeb em
defesa da Constituido, e Imperador, e a
sua tempera est conhecida ; e se o Sr-
Soldado quer experimentar, tome a sua
farda da Barra Grande, sahia para o
meio da ra com os seus Columnas, pro*
clame a queda do Trambolho, e vera* o
que vai.
Com effeito para que saocaixas en-
cofradas, e tirar a sardinha com a mao do
gato? Appareca logo esse aborto, logo,
e mais fugo nos Columnas, e viva o Im-
perador, e a Constituicao : assirn os da
patifaria do equador, andarao com dan-
sas de ratos, ate que se declararao, e le-
vou-os a fortuna. Pergunta mais se tere*
mosascenade 1824 ? Sr. nao, Sr. Sol-
dado columna; os loucos dessa epocha
huns forao punidos com a morte, outros
degredados, e fot agidos : essa facca jaz
inteiramente acabada; e se ha alguns
restos do ligeiro, estes so* serao capazes da
fazer alguma borracheira, como a histo-
A

i

-
j


:*-






(1062)
riado^ique: oquehaagora he outra Nao, Sr. Camarada : esse he o pretexto,
peste perturbadora? revoltosa, que he A realidade he, que Vm., compon do Sr. Soldado da Barraban- tro; se empolgareui algn, commando,
de,, e os Collumuas ; porque aquelle, nao ou governanca, querem ^jtoempa-
contente como que poV aquel le motivo a- chados e dizer como aquel le G ove,na-
bixou, quer ver por trra a Constituicao, dor na India Dos esla mu, o alto o
^fim^xo.n.e.tLervic.a.agarxaraJg'unx IP^^^^^
titulo, m*is huma, comme.yla &c. ^..c>zer oo^ qmzer. Olne n^lffi^.
Ouem fezji suba ao Imperador foi J. S. caziaS.de nos avistar,, e nos tallar mos ,
ta^dissipado, e extincto. Vm, Sr. Sol- ficara;, convencido, ^ *"**
dado, com os seus Columnas sao os que Constituido o Imperador sempre tara o
querem fazer a guerra a NacaS, e a que for acertado seguro a sombra da
Constituicao a titulo de amibos ntimos Ley esem imputacao; e aMlub o
do Imperador. Vm-, e o* seus Columnas Brazil, na5 sei o que sena. Ha muta
do.arroxo, por encomeuda de certos hn- gente que saiba analyzar hum escnpto.
postores da Corte sao os que tramao huma A Constituicao actual, he- Maitralmen,
revoiuta'osanguinolenta, emedonha, que te trabalhada: he o Cdigo, mafeadequa*
ta^zeveoBraziLafidocabo, e de azo do ao Brazil', qu sepodra imaginare
as pertencoesnao.de Portugal, que nem elle contenta as ideas do seclo por huma
Wfloto mecher, nem obrar, nem da parte Cpr qe o mundo realmente go-
Franca; e Inglaterra, que pouco se i oh venale com palavras) e por-outra as-
iWnmnosco, e s querem commerci- Mos do Imperadbr deposita todo o essei-
arr;. mas.de hum ambicioso, hum novo ciai do Goverm: por Unto a ^onstiUii-
IturbVte. &o, &c Vm., Sr. soldado com ca5 actual do Brazil deve deser tao *a-
os seus malditos Columnas, sao os que grada, e inviolavel, como heo beu Alto
quereii extinguir .as fbreas Brazileiras, thr. Na5 pense, que repcovoete Syste*
que so podem resultar da unanimidade. ra : pelo contrario por connecer a con-
i .Se assimna he, responda-me veniencia, e bom arratijo desta maquina,
Ouem foi, que oflfereceo ao Brazil, ju4 he que julgo imprudencia (alem de en-
mu., Hg jurar tactual Constitu- me) e papdvice oquererem tirando
coS? Nao foi o Imperador* Entao pa- Brazil, expondo os Bovos a suWevac,oes,
ra que- Vm. Sr. Soldado, e os seus Co- e guerras civiz. Nao Ihe digo nlais ; por
lumnas a querem acabar? O Impera- que Vm. nao tem nada de tollo: he ve-
dor eacomendou-lhe is$o ? Nao certa- Uiaquete:
mente.: logo Vms. o procurao fazer por Vm. convida, Sr. Soldado, aoe seu
perturbadores, e porque huma duzia de Columnas, que tenhao coragem, **9
cogutnelos, rouiio impostores da Corte pldez f para acabar com o trambolho,
Uies recomendao, que trabalhem por ao- que he a sua frra> Eu convido ao Excel-
clamar o Imperador absoluto, gema quem leritissimo Sr. Povernador das Armas, e a
gerner < que serao por isso premiados. todos os Constucionaes para os levar-
Din-a-me, Sr. cabo de esquadra, que mos a ferro, e logo,- se ouzaremsahir pa-
tem que dizer a esta hngoagem ? Que ra ra com a sua procissao. Saiba mais,
acha de farroupilhismo nestes meus lega- que o Excellentissimo Sr. Antero, se re-
ea sentimentos ? Nao esta' aioda satis- ceber ordem de S. M. o I. para, se ret-
feit ? Quer, que o Imperador governe rar, nao so nao admittira' rrs abaixo,
f]
s
ir x\ao ve meu ouiuam m- un nanraio au^inu 01. para prender os
postor, que isto nao pode ser ? Nao co- Columnas em consequencia de devaca,
nhece,' que *e S. M. I. chegasse a dizer que esta' na Ley, ha de agarrar ao Sr.
* usquero Governar, como Me pare- Soldado, ea hum por hum dos que foreni
eer.whera hum perjuro, eexpunha-se a obrigados a prisao, e livramento : sirva-
ejeecca^ao univeralv. .Nao se lembra que lhe isto de regiment a respeito da Colum-
KJte- &i jamado Iniperador Constitucin na.
t&rJrVa que Oquer Vm. absoluto? Finalmente, Sr. Edictor, tenh.o t
He por wuito amor, que lhe tenha ? ro^ar a Vm., aosSr. Redactores, e
*



.
(1063)
Correspondentes dos Peridicos* Constitu-
cionaes, que assim como os captivos aU-
coyiteiros Columnas adoptarao taj>impro-
priamente o epitheto de Farroupilhas pa-
ra designar ort Constitucionaes : nos ado-
ptemos *tambem o termo Cogumelos (1)
para designar os impostores absolutistas.
O Padre Forca, citador de Dicionarios,
que Ibes explique a significacao, everaoj
que he muito mas adequada. Seu.Vene*
rador
O Trambolhista, que conhece o
Soldado da Barra Grande.
P. S. Esqueced-me fazer certo ao
Siv-Cabo de Esquadra, ou Soldado da
Barra Grande, que se o Padre Forca, ou
outro qual quer Columna for ao quartel
do Excellentissimo Sr. A tero com alguma
depuaijao relativa sna jurisdicao, esses
depulados da soberana Columnalegislati
va, traplem de levar logo hum par de azas
para voarem sem maior perigo. l
---------------*-,----------
EDITA ES.
Francisco Rebtllo da Gama Capiptao de
- Mar, e guerra dl Armada K. I. e
Intendente da Marinha da Provincia
de Pernanbuco por S. M. I. C. que
Dos guarde &;c.
PA90 saber que em vrUide da Portara
da Junta da Fazenda Publica desta
provincia de 25 do mez prximo fin do,
tenho dirigido ao Patrao mor deste Porto
a Portara segninte O Snr. 1. Te-
nente, Patrao mor deste Porto fique na
intelligencia, que d'ora endiante fara'
fundiar", e amarrar todas as Emb.arCacoes
mercantes nos lugares, e forma seguinte:
todas.as Embarcacoes, que subirem para
Mosqueirq, e trocerem carga qiie de va
entrar na Alfandega ficarao amarradas ao
Sul da linha tirada leste oeste pelo Tra-
pixe do Pelourinho, e todas as que vie-
rcm em lastro para carregarem efeitos do
Paiz, devera. ser-amarradas ao Norte da
dita liuha. As embarcares carregadas
fie carne seca continuarlo a fundiar no
lugar ata agora dezignado ; \>$m como as
pequeas embarcacoens Costeiras ;< fican-
do assim o espado do mosqueiro dividido
(IJ Como be natural que o Padre
Forca oa explique aos nossos eito-
res o que seja Cogumelo explicaremos
nos o que significa este substantivo
Aquelle que nascendo de pas vizchega a
ter posto* e dignidades
em quatro diferentes fundiadouros* que ser
conservaran distintos semalteracao algu>
ma. -Logo que descarregacos estejao os
Navios qoe segundo a prez en te ordem
fundiarem ao Sul da Hnha I*. O. do Tra-;
pixedo Pelourinho sera3 removidas para
lugar, con veniente ao N< da mesma linha
nao se devendo concenrar ao Sul della se
nao os navios que tem carga que de va en-
erar na Alfandega. O Sr> Patrao mor he
encarregado da execucao-desta ordem,
que de vera? fazer. exeoutar de baixo da
mais refrita responsabilidade azendo-a
intimar a tados os Praticos'para ter o de-
vino efeito pela parte que Ibes toca. In-
tendencia da Mari n ha de Pernambuco 3
de Dezembro de 1829 Gama. E pa-
ra que chegue a noticia das pessoas a
quem competir a execucao da pred ta
Portara I mandei afixar e*te Edital nos
lugares do costume, e publicar pelos peri-
dicos destaCidade do Recife. Intenden-
ca.da Marinha 4 de Dezembro de 1829
Frapcisco R,ebe!!o da Gama Intenden-
te da Marinha.
Joao Goncalves Rodrigues Franca,
----------0;-------
Manoel da Fonceca Silva, Fiscal desta
Freguezia do Santissimo Sacramento
do Bairro da Boa Vista &c. &c.
F
A90 saber a todos os moradores desta
Freguezia que tendo a Cmara Munici*
pal desta Cidade feito publicar a Postura
N. 9 cujo theor he o seguinte toctos
os moradores desta Cidade sao obrigados
a conservaren^ sernpn-e limpas as testadas
das suas cazas ; entendendo-se por testa-
da a parte do terreno, que Ihefica enfren-
te, at o meo da ra, se tiver vizinho de-
fronte, e toda a na se o nao tiver ; assim
como de ter as calsadas das suas Cazas
feitas, e concertadas ; eos moradores dos
Sitios as suas testadas livres de ramos: eo
que assim nao obrar pagar 2 mil reis de
multa; e a despeza que se tizer pelo Fis-
cal, e Procurador do. Conselho, suare-
velia, com a limpeza. da ra factura da
calcada, e limpeza da estrada \ as pes-
soas encarregadas de obedecerem o que
nella se orderta. se tem injeiramente es-
quecido desse devev. o que seria bastante
para destruir a authoridaile da (Jamara
Municipal, e por tanto advirto a toila&as
pessoas a quem pertenec* o comprimento
da Postura baja de comprir com toda e
zacc^o, na seiteza de que se vai a pruce-








(1064)
s'jr
* i
der contra os trangresores; para que Maria Francisca do Reg, Vu.va de
chegue a noticia de todos se pasou o pre- Caetano Carvalbo Rapozo ta^sc e te a
zente Edictal. Bairro da BoaVista 3 de esta Praca, que a sua <^"*
Dezembro de 1829. Eu Joaquim Pedro esmo g.ro commerc.al deba,x^ da firma
de Mello Homem Ajudante Porteiro da ^f^JS^Si
Cmara Municipal o escrevi. nio ranusco aus o *thnrirfn
Mantel da Fonceca Silva. a ser seu Caixeiro, ^J^f^1
para em sua falta fazer as suas vezes na-
quellas coisas que sao proprias do seu em-
A
Leilao
Cmara Municipal da Cidade de prego
Olinda, nao tendo podido conseguir, a-
pesar de seu, exfor^ a tapage> 4* pertendem fazer os interessados
que fez o R.o Beb.nbe, e dezejando an- Q^g^ de Vapor, no dia Sexta
oozamente prover aos habitantes da mes- ** la Serrer. P ; ^ ^
ma Cidade de agoa para beberem, con* ieira u no wrrctiwi
vida a todos os propietarios de canoas de do estabelec.mento todo junto m. da.-
tranporte d' agoa que quizerem, para a ma das serras em separado e "q>
expone a vendajem no Varadero fobri- de vapor destacada, huma serra c, reatar,
gando-se a prestar todos os auxilios que com pertences, e vanos utenc.l os.ferro-
6 i i- rt 'o /niara velho &c. assim corno numa
es tiverem a seu alcance para a hvre ven- g^m, coure vemu *-
, ^ a5 de taboado de amarello, o que tu*
do se pode examinar antes, a vista do ln
ventarlo, no lugar onde se acha a referida
serrara na Boa Vista ra da Viracao,
adverte-se que a venda lie a praso ou a vis-
ta conforme reajustar no acto da arrima-
da. linda 4 de Dezembro de 1829.
O Secretario da Cmara.
Manuel da Motta Silvcira.

Pica i/i/iu>'i ...* --Kf
Erante a Junta do Hospital Militar taca, que em preter vel mente *"
desta Provincia se hade por a leos nos efFectuar no mencionado d.a a quem mais
diasll, 12, 14, do corrente mez o forne- der. -m*L
cimento diario da carne verde para o dito No mesmo da, e lugar se *
HospiUl pelo lempo que hade de correr ra Distilla^ah estabelec.da com todos
do 1. de Janeiro a 30 de Junho do futuro os Alambiques, e pertences como^consta
armo de 1830, as pessoas que se propose- do Inventario que se pode examinar qual
rem ao dito fim deverao comparecer no quer da
mesmo Hospital nos referidos das muni-
dos com os seus respetivos Fiadores das
11 horas da manlia a 1 da tarde. Con-
tado ria do Hospital Melitar 4 de De-
zembro de 1829

Alluga-se.
ma caza no Poc,o da Panella, com
i
Jote Maria da Cruz,
.,

Avizos Particulares.
IJa frente para o Rio, com duas portas
e duas janellas, quintal murado, cacimba
e portao para sah.r pelo fundo ; na ra da
Cadeia do Recife D. 14, ou no Portao
junto ao sitio de Joze de Pinho Borges,
no Hospicio.
APessoa que anunciou querer com-
prar mallas em bom uzo ; dirija-se a
ra da Penha no sobrado da esquina do
beco do Carsereiro, D. 1.
A pessoa que percisar de hum cai-
xeiro o qual sabe bem ler, escrever, con-
rar, e tem pratica e conliecimento de
qualquer negocio, chegado prximamen-
te de Portugal, dirija-se ao beco da Pollo*
D. 4.

Compra-se
HUm selim com os seos pertences, e
em bom uzo; no beco da Viraba*
D. 29. w .
Amas de Leite

HA huma com excellente leite, na
quina do Colegio 2. andar, ou na
mesma ra D. 4.

ai Q0^~Z> & CT^^^D >
PermmOuc* na Tipoffrafia do Diario.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6E1DUOKE_4MJI0F INGEST_TIME 2013-03-25T13:02:50Z PACKAGE AA00011611_00588
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES