Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00576


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
., -}'. %*, .
7
Ir
T
i

N. S53
^
*4wwo de 1829,
DIARIO DE PERNAMBUCO.

,s^sasfdo bm" Dta", ",a Dire,uN- *** p "* ..H
Segunda Feira 23 deJVovembro. & Clemente P. M.
freamar as 3 horas e 18 minutos da tarde.
*KT*i%> ;$
CORRESPONDENCIAS.
)Nr. Edictor. h-. O Padre Xico Forca,
acuelle, que ensensando ao General Lu-
iz do Reg, e comparando-o a tres res-
peitaveis Imperadores Romanos em tium
Soneto impresso, ao depois subi ao pul-
pito, e colocou-o abaixo de Satanaz ; a-
quelle, que anda va atraz do docel das al-
morreimas do Bispo, e ao mesmn lempo
dizia em particular a muitos, que hera
hum marinheiro milito podre, e depois lio
Cruzeiro chamou-o Sancto; aquelle, que
chegou a dirigir-se ao quartel de S. Ex.
o Snr. Governador das Armas tiritando
de medo, e dizendo, que se hia lanzar
em seus bracos, que deixaria de escrever
Feriodicos, se S. Ex. assim o quizesse ;
aquelle, que no mesmo Cruzeiro em nao
poucos nmeros I he teceo os mais guinda-
dos, e bem merecidos encomios, he o au-
tor da Ancdota do Cruzeiro 145! !!
O Rey Hespanhol, que quiz imitai
o Fidalgo, que de hum golpe havia de-
capitado o touro> he o Excel len ti ssimo
Snr. Antero, cuja espada, e commando
das Armas he (na opiniao do Padre For-
ca ) espada em mao de cabocolo. O Fi-
dalgo, grande toureador nao deixa de ser
( noseu parecer ) o Excellentissimo Pre-
zidente pelas enrgicas medidas contra a
encamisada do Boique !!! Eu considero
a este Snr. por hum Magistrado integer*
rimo, nao peco em instruccau, activo, e
desembarazado :| mas guerreiro, homem
d'armas nao ; porque nao he essa a sua
proficao, e se tem intrepidez de animo*
he a inerme coragem de hum honrado
Cidadao, porem paizano: e nem S. Ex
pode gostar de huma adulacao ta5 fedo-
renta, que em vez de o lisonjear, o faria
passar por D. Quixote. Esse Padre for-
quinha he habilissimo em entabolar a iiv
triga; Todos, quantos conhecem de per-
lo ao Excellentissimo Snr. Prezidente
sabem, que elle sempre tractou com io-
difiera ne,a os combates dos gladeadores
Perodiqueiros, etendo muitos, e serios
afazeres; nunca se deo ao trabalho de
examinar de perto os Snrs. Columnas.
O Padre Forca, que desde a sua primeira
pennada no Cruzeiro, e Amigo ( do ab-
solutismo ) so tpm cuidado em dividir na.
ra poder levar ao cabo a revolucao, qu
medita ; vendo que perdeo mais de 200
por cento na enrgica declarado do Ex-
cellentissimo Governador das Armas ; in-
tenta contrapor a esta espeitavel Autho-
ridade a do Excellentissimo Prezidente,
bandeara Provincia entre Constituciona-
es C que elle chama farroupilhas ) capU
taneados pelo Excellentissimo Snr. Ante-
ro, e Columnas ( que elle diz ser so* gen-
te ) dirigidos pelo Excellentissimo Snr.
Thomas Xavier. Que enredador, que
sedicioso, que perturbadorznho! Ha
mister destramar esta intriga ; he mister
persuadir a os Povos em alto e bom som^
que o Excellentissimo Snr. Prezidente
nao he capaz de maquinar contra a Cons-
tituido a quem deve o que he ; servid
8m de canal ao requerimento dos Colum-
nas ; porque no principio qualquer se en-
gaara com elles : e como ee apregoavao
sustentculos da Religiao, e do Throno,
hera muito natural, que os olhasse com
alguma estima : porem hoje, que os hon-
rados abandonarao essa sociedade ; hoje,
que seus sinistros fins sao patentes, e
provados; nao he admissivei, que os pro-
teja ; porque elle sabe perfeita mente, que
attentar contra a actual Constituicao he
o mesmo crime, que a confederacao do
equador ; e que se os Authores desta me-
recer o patbulo ,' a mesma sorte dcs-
gracada devem sorer aquelles, que r*


l
~7:
'


r

. .'
(1010)
volucionarem os Povos para destruir a to a mim tem estado de observacao: quem
Constituicao: em fim o Excellentissimo sabe, se este seu silencio he precursor de
Snr. Thomas Xavier tem sobejo tino ; e grande trovoada, vinda do Throno sobre
na5 querer perder vergonhosamente, o a gente da fe do carvoeiro i A circuns-
que tem adquerido por tfer sido Constitu- tnca de habitar elle no Palacio, que foi
cional. Nao h pois indespozicao entre Colegio, nao faz nada ao caso ; assim
ar.ftofif Authoridades, Q ExceHentissi* como na Ancdota do Padre Forca nao
mo Governador das Armas manifestou os se olha para ser o Rey Hespanhol. Oc-
seus septimentos a Tropa do seu Com- correndo ao author d'aquella o termo Rei-
mando por .saber, que varios Officiaes se tor para designar este, ou aquelle Minis*
haviao alistado na sediciosa Columna, tro de Estado, o de Colegio he relativo a
atientas as participaces, e denuncias, Reitor: esta he a interpretado, que me
que lhe fizerao os Snrs. Coronel Joaquim parece mais obvia, e conforme as cir-
Bernardo de Fiffueredo, Tenente Coro- cunstancias. A do Padre Forca he, que
giao Mor Joze Aiexananno, e ouiros qi
haviao entrado de boa fe niaquella socie- tra qualquer, xplicou-a no fun; e so lhe
dade. Se as criminaeoes sao falsas; se a faltou dizer hh Constitucionaes, nao vos
Columna he innocente; he preciso pro- fiis no Excellentissimo Governador das
valo convincentemente: e desmentir aos Armas : a sua espada he espada em mao
mencionado* Snrs. Officiaes da primeira de cabocolo : nos ha vemos botar abaixo
consideracao nesta Provincial esta Constituicao apezar das suas Tro-
O Excedentsimo Pw.idente nao na : norque temos para nosso Chese o
escaramuzas dos renoaicos, nisie uonimue pois raare carrasco ; pro-
Lombriga enforcador fareja por todos os siga em seus provectos ; saia com a sua
lados onde possa armar huma intriga, charola; proclame a que^a do Trombo*
Elle, que declarou guerra traicoeira ao lho, e vera' se a espada do Excellentissi-
Padre Mestre Fr. Miguel; porque quer mo Snr. A n tero est em mao de Cabco-
forca fazelo author de correspondencia lo; ver oque vai por esta Provincia;
as, vendo no Diario 233 huma Anecdo- vera' o>metano Excellontissimo Preziden*
ta, deo tractos ao milo, e explicou-a se- te, em quem Vm. se fia ; porque diz a
gundo o seu genio intrigante, atribuindo- todos que he Columna, como se desen^
a logo ao meu Amigo. Declaro, que nao volvetao guapamente, como fez com a
sei quem seja o author desse enigma: patifaria dos mentecaptos do Boique. Se
mas quando o li interpretei-o da frmase- Vm. escapar (o que duvidaS. Agostinho)
guinte O Monarca amigo do Filozofo escondido em alguma trapeira podera' es-
heo Imperador : o Filozofo he a Cons- crever ao AnalyMa, Jornal do Commer-
titnioao; o Reitor he o Ministerio do ci, e Diario do Rio Amigo?, a Caluma
Rio de Janeiro, que recebendo nao me- na gorou, e Vms. enganara.ti-nos porem,
nos de dtias contas do Excelleutissimo
Governador das Armas, e sabendo do que
vai em Pernambuco, faz-se moila, e pa-
rece, que algum manda escrever para ca'
animando aos Columnas, ao.mesmo tem*
po, que nao se falla, se naoVem Constitu-
ina isjuizo lheo d Dos.
O Sonmbulo.
>.
3>Nr* Edictor. Estou foro demim!..
Estou perturbado!.. Oh !... Que So.
icao. O Excel lentissimo Snr. Thomas nambuio!.. Que papel !>.-. Que
Xavier ainda nao deo burtxso passo-a fa- ta!.. Sr. Eductor; confesso-lhe, i
Que gaze*
agora
vor, nem contra os Columnas, a excep- he que estou convencido de quanto indig-
caS de dirigir no principio o requerimen- no he,, quanto patife, o Vigario do Reci-
to com boa informaeao, segando diz*-se, fe, o Padre Forca, o Bispo do Catuc, o
e isto faria outro qualquer em seu lugar cativo Xico Doutor. Este reptil he men*
estando engaado: os Columnas tem an- tiroso, he sem vergonhay he intrigante,
dado a apedrejara Constitticao; mas el he traicoeiro, e he o maior regateira que
ie ainda nao deopalavra sobre isto: quan- ha no mundq. Cartas com navalhas aos
M

.'/
'
'.'.
i .re
>>


tt.

I. p-
"">> **
*-**
"-
fiori)
Padres Bento, Moreira, Mauricio, e ou- carregos baxos e mui curtos, e puxando-
tros ; cartas, soneto*, &n. &c. &c. nos se perde, com marca IR naperna direita,
.Peridicos a os Padres Dea5, Chantre, quem dele souber ou o encontrar dirija-
hago, em nn quaze todo o Cabido, se ao Pateo da Santa Cruz esquina da ra
h hum raio que o parta ? .... Sr. Edic- Allga*Se.
lor, nao posso continuar, e o Pingelo d TTUma morada de caza de sobrado ou
chino he charco nexgotavel : logo lhe J^^rria cmoda para luima mande la-
cn ta re huma historia sobre hum Lzaro, milia, nao sendo na &oa-vista ; quem a
p hnmu T .^o..., UV> anuncie por esta folha.
Huma caza para passar a festa sendo
, junto ao Rio ; quem a tiver anuncie por
este Diario.
e huma Lazarina.


Sen venerador.
O raivoso.


Compra-se
na Tipografa deste
Rata velha
Diario.
Vndense,
Aviaos Particulares.
ROga-se ao Sr. Jpze Ignacio Ribeiro
morador na ra do Manoel Coco pro-
prietario d'uma rifa que a 9 ou mais me*
zes est a coffer queira dar cumprimento
a ella, ou restitua o em porte dos Bi I he tes
a quem os comprou e na falta nao seen-
ade que se he tornara' a embrar pois
parece que esta* esqucido oque nao a- is pertences, da ra d Rozario caza ter-

PE9AS de 6#400 : na ra da Cassimba
cazaN. 10.
O casco do botequim armaeao e ma-
contece assim aos compradores que lhe fi
zerao o favor de lhos comprar.
A pessoa que percisar de hum ca*
xeiro para loja, venda, ou ra; anuncie
por este Diario.
Perdeu-se.
.
,
na : na ra do Colejo caza de Caetano
de Carvalho Rapozo, D. 3.
Hum citio de trras, com pequeas
matas de madeiras, e grandes capoeiras,
denominado Pimenta, tendo de fundo
meia legoa, e de largura hum quarto,
distante da Prca 18, no lugar da Barra
'Um relojo Francez com 2 figuras as grande, por preco cmodo: na ra Direi-
^costas, ponteiros de segundos e dias ta D. fi.
do mez, de horas e minutos, e hum cine- Hum citio com trras proprias, pea
te de ouro, no dia'18 do corrente no Af- d coqueiros, e huma Pesqueira : na C*
fogado atrs do muro de Paula Pinto ; dade de Olindarua do Bom fim caza N.
quem o a.chou leve-o a Francisco Nicolao 21.
que sera' bem recompensado. Colxens de todos os tamanhos nara
.-'1' U W .*
o lugar
te ; quem1 a achou e quizer restiturr l- m/arela. Redes do maruhao brancas in-
veha no beco d S. Pedro sobrado D. 2 trancadas d hum so punho, $\taS de 2
que ser bem rcmpehcado. puWlS d cordao pintadas, proprias para
tipoias. Almarjos invidra^ados para loi-
* UrtOlT-Se. cros ou outro qualquer imr Gangas a.
JTO dia 11 do corrCnt no pateo da S. mrelas de com pan hia cpni' mofo porem


N
Cruz hum cvalo grande, seld, e d boa qualidade e com 9 covados e 1 ter-
Ar> ^ctoniin flC/M.rn von-an^o ci 7*20 rs. Lifaites avarados a 80 rs.
' a vai;a ; e ludo o mais por precos como^.
branca na testa, clinas bastantes apara- dos: nn Aterro da Boa-vista, na lose de
enredo, castanho escuro, .regacu
branco dos quatro pez, com hurria'estrla^'
ltl_. A. -#V 'l>t^Km2 1_I0_
da, meio descahido do be90, e ociando fzehdas de Jao francisco de Pinho.
anda baba-se, tem os 090S dos quadris Hum relojo com gaiolade bronze e
bastante altos com huma esfoladela no 6- hum canario que canta todas as horas,
90 direito, cauda comprida e grossa, e og cujo foi da Rifa do Saboia, e he huma ri>
#**
T


/i


a pessa : na ra do Rozario Botica D.
If{
Olio de Iinhaca de Superior quali-
dade; no aterro da Boa Vista, na venoja
D. 36.
Na loja do 6a i rao na quina do beco
Largo, calsado das qualidades abaixo ex-
pecificadas, chegado prximamente de
Lisboa, e por preco cmodo, o qual alem
da sua boa qualidade foi mandado faer
de encomenda, e Como acontecesse que
algumas pessoas da primeira vez ficassem
com falta delle por se ter acabado, elle se
apressa novamente a fazer certo ja ter re*
cebido outra porcao, Convidando por es-
ge motivo a todos os seus freguezes, a que
em quanto he tempo se surto deste ge*
ero visto estar prxima a festa
Botins de Bizerro har homens e rapazes
Capatos dito dito dito
Ditos de Corda vao
Botas de montara para pages
Capatos de marroqu m e de Dura que de
cores para Sen horas
Ditos de Duraque preto de superior quali-
dade
Ditos de setim, sarja, eseda, de todas
as cores
Ditos de corda vao para Senhoras *.
Botinas chiquitas para meninos e meninas
de todos os tamanhos*
t
t
Escravos Fgidos*
MAria, nacao Cabinda, de idade 50
annos pouco mais ou muos, esta-
tura ordinaria, testa enfeitada, dentes re-
cortados, com hum carolo no lado esquer-
do do naris, muito preta, leva vestida
huma carniza de algodao-ziuho em folha,
hum vestido velho e roto, (sujo de azeite^)
de xita azul: os apreftendedores levema
ra das cinco Pontas caza N. 22, on*
de serao recompencados do seu trabalho.
Manoel, naca5 Congo, baixo, cheio
do corpo, feio, beicos grosos, pes peque-
os, tero hum dente tirado adiante, huma
pequea costura na orelha esquerda, com
calca e carniza de algodao, jaqueta de xi-
ta uzada, e chapeo preto ; Antonio, de
nacao Songo, anda moleque, espigado
do corpo, cara bexigosa, e bonito, com
calca de brim, e carniza de algodao, ja-
queta de riscado amarelo, ebone; Cae-
tano, moleque, nacao Casange, seco do
corpo, e-fullo, com carniza de algodao,
jaqueta de chita verde, e chapeo de palha
oliado, e tabem levarao huma trouxa de
roupa delles, fgidos no dia 26 de Outu*
bro : os aprehendedores levem-os no Re*
cife ra dos Tanoeiros scjbrado N. 7*
Gualdino, reprezerita ter de idade
10 a 11 annos, baixo, cabecudo, testa
larga, alguma cousa xeio do corpo, fugio
no dia 19 do corrente mez, e anuo, com
calca e carniza branca, e he crioulo : os
aprehendedores levem-o a Manoel Fer-
nandes da Cruz, que sera* gratificado do
seu trabalho.
Claudina, Ua^ao Mozambique, eos**
tas e bracos bordados, o beico de sima fu-
rado, orelhas com buracos grandes, alta,
grossa do corpo, cor meia tula, pernas fi-
nas, e pez pequeos, fgida no dia 19 de
Outubro : os aprehendedores levem-a a
caza de seu Sr. no Pateo de S. Pedro, ca-
za D. 10, que sera' bem recompensado
do seu trabalho.
Huma negra de nacao Camundongo,
idade de 25 annos pouco mais ou menos,
estatura mediana, cor fula, magra, den-
tes abertos, huma orelha furada com hum.
buraco grande, fgida no dia 2 do cprreu*
te com gauxo no pescocq, levando huma
saia preta, e huma cor de si tiza : os apre-
hendedores levem-a a seu Sr. na loje fran-
cesa defronte da Igreja do Sacramento,
que sera' recoimpencado.
Mauricio, mulato, estatura propor-
cionada, seco do corpo, anda gempre cal-
cado como costuma, reprezerita de idade
20 a 22 anuos pouco mais ou menos, f-
gido no dia 1. do corrente mez : os a-
prehendedores levem-o a ra do Rangel,
em cazu de seu Sr. Joze Martins Suriano,
que sera' bem recompensado ; e o mesmo
faz certo de nao responder por toda e qual-
quer obra que o mesmo mulato, tenha re-
cebido para a fazer de alfaiate.
Gregorio, mulato, de boa estatua,
grsso, acbocollado, cabello caxado,
com falta de hum dente na frente, repre-
zenta de idade 40 anuos?, fgido no dia
19 do corrente, com jaqueta preta de lila,
$ calca branca, e dizem que anda as ve-
zes calcado : os aprehendedores levem-o,
a ra i)ireita sobrado de dous andares
D. 13, que serao bem recompensados do
seu trabalho.

t
& Pernambuce na Tipografa do Diario,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN7SYLOW1_JM41NR INGEST_TIME 2013-03-25T14:55:44Z PACKAGE AA00011611_00576
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES