Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00556


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO XXII. N. 251.
Por 3 meses adiantados 4,000.
Por 3 mezes vencidos 4,500.
TERCA FEIRA 30 DE OUTUBRO DE 1855.

Por anno adiantado 15,000.
Porte franco para o subscripto!.
DIARIO DE PERNAMBUCO
ENCAKREGADOS DA SfJBSCIlIPOAO
llccifc, o proprieterio M. F. de Faria ; Rio da Ja-
neiro, o Sr. JoSb Pereir Mrlins; Baha, o Sr. D.
Uuprad ; Mare, o Senhor Claudioo Fateao Das ;
Parahusa, o Sr. Cervario Viclor di Nalivrlade ;
Natal-, o Sr. Joaquina Ignacio Ferjsira Jonior; Ara-
nio de Leaos Braga ; Ceara, o Sr.
Jo. quiTii Jos ita Oliveita; Maranhao o Sr. Joa-
qui m Marque Rodrigue*; Piauliy, o Sr. Domingos
He reulano AckilePesoa Cearense; Pai, oSr. Jus-
tino J. Ramn; Amazona, o Sr.Jeror y roo da Costa.
CAMBIOS.
Sobre Londres, a 27 7/8 e 28.
Pars,'350 rs. por f.
Lisboa, 98 a 100 por 100.
Rio de Janeiro, 1 1/2 por 0/0 de rebate.
Accoes do Banco, 30 0/0 do premio.
a da Companhia de Beberibe ao par.
da companhia de seguros ao par.
Disconlo de lettras, de 7 a 9 por 0/0.
METAES.
(Juro.Oncas haspanholas. 299000
Moedas de 64()0 velhas. 169000
de 69400 novas. 169000
> de 4000. 99000
Praia.Palaces brasileros. 19940
Pesos columnarios. 19940
mexicanos..... 19860
=*
PARTIDA DOS CORREIOS.
Olinda, todos os dias. i
Caruar, Bonito eGaranhuns, nos dias tel.
Villa-Bell, Boa-Vista, Ex e Ouricury, a 13 e 28.
Goyanna e Paraliiba, segundas e sextas-feiras.
Victoria e Natal, as quintas-feiras.
PREAMAR DE IIO JE.
Primeira s 7 llorase 42 minutos da man lia.
Segunda s 8 hurase 6 minutos da larde.
AUDIENCIAS.
Tribunal do Commercio, quarlas e sabbados..
Relacao, tereas-feiras e sabbados.
Fazenda, quarlas e sabbados s 10 horas.
Juiz do commercio, segundas as 10 horas e as
quintas ao meio-dia.
Juizo doorphaos, segundas e quintas is 10 horas
Ia vara do civel, segundas e sextas ao meio-dia.
2* vara do civel, quarlas 6 sabbados ao meio-dia.
EPHEMERIDES.
Outubro 2 Quarto rainguanle as 9 boras 24 mi-
nutos e 44 segundos da larde.
11 La nova a 1 hora, 3 minutos e
47 segundos da man a.
18 Quarto crescenie a 1 hora, 17 mi-
nutos e 49 segundos da tarde.
25 La cheia as 5 horas, 6 minutos e
49 segundos da mauha.
DIAS DA SEMANA.
29 Segunda. Trasladado de S. Isabel viti.
30 Ter$a. S. nuno m. S. Macario m.
31 Quarta. Vigilia) jejum, S. (u
1 Quinta. >^Fes& de Todos os Sa
Sexta. Coromemoracao de todc
3 Sabbado. S. Malaquias b. S. Horberio.
4 Domingo. 23. S. Carlos.
S. .oaiinicio ab., S. Clare p
PARTE MTICUL.
*
COBEDEAIfDO DAS ARICAS.
Qaartel-renoral de eaautaaao das irn ae
PtnMaaan a claaae ao H o.takree 8S*.
OROEM DO DA N. 1:7.
lia. Sr. roarechal d campo Jone Joa-
mmandante das arman, manda pnbli-
citf) ciencia da guarnido ,e effeilo neeessario,
as san ibeetulorias que forana proferidas no
coma! erra e na janta de justicano processo
Se. caniUtedo nono batalhao de infau-
rogos de Lima Veiga, pela culpa definida
no artigo 28 dos goerra.
WfB de comelko de gterra
l cidade do Recife c processo ver-
Domiogos de Lima Veiga] capilao do no-
fantaria, auto de coi-po de delicio,,
is sobre elle pergunladas, ulerrogalnrios
Mamo reo Sai defeza, (eslemiinhas que
amentos e mais pecas Jesle dilo pro-
Jho de goerra decidi por ploralidade
I, que a sobredil culpa nao se acha provada
sodada eaavencido; porqainto do depoi-
emnnha* de lis. 33 a f\s. 38, e dos do-
! II. -3 a 11. 50, riaoslra-se que o retanle
> com remedios, nlimenlos pro-
prios pira o* doenles e oulros objectos de que as
pracas linhini precisfo, e por sso nenlium lucro li-
das etapas das pracas ib o sen cnraman-
rlanto o pe oais dos au'os absolvem o
o appellam.
es doconselho de goerra no quar-
i 4 de oolubro de 1833. Aletandre
^^^*" e Silva1, auditor de goerra in-
fer u Mara lldefoi so Jacome da
Veiga Peswa, tenente-coronel, presidente.Jote
J laqaim de Barro, capiliio ioterroganle. Joaquina
.1 nlonioPenUnarrer, espita vogal.Manoel Perei-
n de Soma Bariti, capilao vognlS Manoel Luca-
lo da Cmara Guaran', capitao ro|;al. Jos dos
SintoaNuoeM Lima, vapitilo .vogal.
Stnttnra da junta de justiea.
Confirmara a lealenca do consalho de guerra, e
mandam qae alia se execule, mi do iiomediala-
solto o capillo acensado.
da jauta da justici. mililar em 3
s>3.Pigueiredo.Tellea.Gilira-
Limenha Liiu.Sal ueiro.Chaby.
teat Ferreira, ajudanle de ordens, en-
de, detalhe.
EXTERIOR.
**
DO ISIARIO DE
PERNAMBUCO
HAnawco.
^^^^HKbru.
Ido do mal passado j deu
e icontecimento dos nossos das.
Nioguem pode diminuir a impor-
ra a Rossia, n lile potico nin-
araa u.na del" ti'U*
iceaho. 1 ,
laartas a*w**inda um M"
TOirSebaslo^ol, um assedio
lmenle se crios a seu objecto,
. Qoiodo em 1 de oulaliro do anno pss-
lepois da bltalUa da Alma linliam
aa do sul em Trente da dila praca.
iasi fortificasao alguma. Na Russi^
bto om ataque por Ierra, e s pen-\
lar. Algons miseraveis basiioes
allarilo foi lodo quanlo
^^BPVrBra.
io ojlenlo dos engenbeiros rus-
o inlelligente Tnllleben, que rom
lo de eapilRo para general, rriou
l o pode er vencida depois de
tlo poderam proseguir a victoria. O principe de
MeaschikolT lomou a sna posiro era Simpheropol
fez cerrar o porto de Sebastopol metiendo a pique
orna parle da Hola russa que se achara no porto, e
os adiados em breve se convencern) da impossibi-
lidnde de poder emprehender pelo lado do norte al-
guma cousa contra essa prac,a colierta por om grande
forte, em quanto qoe se achavam amelgados no
llanc por um exercito rasso, e achando-se as saas
esquadras impedidas de qualquer cooperaran. Foi
preciso cuidar na propria sal vacuo, e a atrevida
marcha ao redor de Sebastopol para o sol leve bom
successo. Se o principe de Menschikolf lives um presenlimentii d'isso, fcilmente pedera ler der-
rotado o etercilo dos alijados n'essa marcha. Esa 1 .-
de outubro os adiados lomaran) Balakliva, oceupa-
da poralgons poneos de invlidos e comecarara a se es-
tablecer na planicie ao sol de Sebastopol, osFran-
cezes do lado direiln acostados ao mar e a balda de
Kamieseh, os Ingieres com os Turcos no lado es-
aoerdo apniando-se sobre Balaklava e oceupando a
linba deTchernaia. A curta campanha al l ja li-
nha custado aos Francetes o seu marechal Saint Ar-
naud. o qual soccombira poneos dias depois da li.i-
talha do Alma de urna molestia inveterada que nao
pode resistir is fjdigas dos ltimos dias. O general
Ganrobert linba lomado em seu lugar o commando
seral. l^m reconhecimenio, feilo pelos generaes em
chele dos allidos, do lado do Sul de Sebastopol
convenceu-os di impnssibilidade d'um golpe demau,
e acharam-sc collocados na necessidade de abrir um
assedio regular. Em 15 de oolubro estavam na posi-
tSo deafarir o bombardeamento da primeira paral-
lela. Dorou dous dias, e as esquadras lambem lo-
maran) parle. *
KaPjorm sem efleilo e as esquadras soffreram
coiisideravelmenle.
EolrelatKo os Hustotjyiberam perfeilamenleapro-
veilar s seu lem|io.^fc>rcos sobre reforcos chega-
ii Crimea por via de Perekop, rom marcha ac-
celerada, cada dia as moralhas e forlilicac^tes de Se-
bastopol se lorntvam maw lories, e os damnos do
primeirn bombardeamento foram concertados m-
roediataraenlc. J em 25 de outob** os Russos se
! achavam habilitados para tomara oflensiva. O ge-
neral Liprandi n'essdia se lanon sobre a parte me-
ridional di linha do Tcheinaia, tomou Ir reductos
occopados petos Turcos, e derrolou quas luda a ca-
vallaria. Pouro faltava, e Balaklava estava perdida
n'ee dia, para os Inaiexes. Um golpe oflensivo dos
Russos, aindamis imporlanle que leve lugar em 5
de novembro no norte da linha da Tchernaia perto
delnkerman. por engao do general SoiinniiolT. o
qoal nouevoeiro d'uma mitnlina nalonal errando fez
orna diversXo ii'orq lugar falsa coulra os Inglezes, de-
cidi a halallia quasi ji coroada de um feliz resulla-
do, em desfavor dos Russos.
A raina doexcrciloalltado dependa d'uma caua-
lidade. Mas a sna victoria nao fui senao urna victo-,
ria de Pyrrhus.
Pelo lempo de alguns mezes a sua Torca de
se achava aleijada e quebrada, e com ras*0
.de Menschi-
vou mais Urde a clnm^_
koff do commando sjV l0r- *r |UV haw apr
o exercito alliauo, e decidido
rota do' mesmu pela repelico dos seus ata-
es. *.
gando a Franca e a, Inglaterra os sna" antigs posicies, entregando a maior parte aos
S e un exereKo de -200 mil ho-
llar aqni passigeiramente a historia
d'assa I defensa.
ro da 1831 desembarcou o pri-
tlo dos illiadoN perlo do a-sm
-frt a em Enpaloria. E em 17 de
aba computado o desembarque de ludo
da expedicio,e em 18 eeroecou-s a avanzar.
90 leve lagar um encontr no Alma com o
io all colloeado debaixo do commando
i MenschikolT. Vencerim os alliado<
sape ioridade das suas armas, porm
Pei
ouco lempo depois da baUlha de Inkerman co-
m'e;o o infeliz invern da Crimea. He bem onhe-'
ido de que rrfaneira decimou o exercito dos adia-
dos. Hilando se emprehndeu a expedico da Cmca
nao se pensou em urna campanha d'inverno. Nada
se acliava preparado a esse respeilo, enA quando os
gritos desesperados do exercito sufTredor penetraram
ale Franca a Inglaterra pelas correspondencias das
cajetas, larde de mais se Iraluu de lomar as devidas
providencias para proteger o exercito contra, os hor-
ores do invern.
s obras d'assedio,debaito d'essas circunstancias,
pr^gredirm muilenjamenle, e os Inglezes em pon-
se viram obrigadns a renunciar ao sustento das
Fran.cezes.
Tanto mais activos foram os Russos as suas obras
de fortificucao e nos seus repelidos sorleios, os qoaes
se nao tiveram oulro resudado, ao menos destrui-
rn! a obra de muitus dias dos adiados em nma ni-
ca noile. *
A nica cousa que os adiados poderam fazer, foi
chamar a si novas tropas,, em parte para sopprir as
immensas perdas por molestias e ladinas, e em parte
para se reforjar para a futura campanha da prima-
vera.
Pan esses reforcos perlencia lambem o exercilo
turco do J#anubio debaixo do commando de O mer
Pacha, de que ja ha milito nao se linha precisflu no
Danubio.
Em 21 de dezembru de 1831 comerou o embarque
do momo em Varna, e continuoo aleo primeiro
meiado de Janeiro. Elle desembarcou em Eupaloria
e all logo rumerou a forlifirar-sp.
Singnlarmoule o principe de Mensrlico(T n.'io fez
nada para impedir o desembtrque, ignorando duran-
te algum lempo completamente as obras de forlific.i-
c9o que com rapidez se levanlaram. S em feverei-
ro he que, tarde deraaii, Ibes dedicoo a sua atlen-
co.e u m recoiihecimcnlo Toreado queo generalChru-
lefl emprehndeu em 17 de ferereiro contra aa obras
de Eupaloria, convencen o general em eliefe rtisso
de qae essa posi^aoso se poderia reganhar com gran-
des sacrificios que n,1o compensaran! o seu ganho.
O ataque combinado com reconhecimento do ge-
neral Clinilcff Toi repulsado por Omer Pacha. Co-
mo se dizia, a noticia desse assalto malogrado abg-
ineulnu a crise da molestia do imperador Nicolao, e
contribuio para accelerar a sua morle que leve lu-
gar em i de marco. Tambem leve a consequencia
que o principe de MenschikolT Toi chamado do rom-
mando geral na Crimea. Isso he corlo, a inactivi-
dade a que esse general se havia entregue desde o
da 5 de novembro, Toi um erro imperdoavel. Um
pouco mais de energa da parte do general rasso, e
os adiados nao poderiam ler-se sustenlado dorante o
invern.
Em lugar do priocipe de MenschikolT enlrou o
nligo commandanle nos principados danubianos, o
principe de Gorlschakoff. Pouco lempo antes os
adiados aproveitaram dos primeiros bellos dias da
primavera para de novo comecarem as saas obras de
assedio, o na noile de 23 para 24 de Tevereiro'oaFran-
cezes soffreram urna derrota no alaqe sobre as for-
lilicacOes que os Russos estavam comecando po ou-
leiro de Sapom. Animados por esse resudado, os
Russos, na noite de 28 de fcvereiro.levaiitaram ama
nova obra, o redato Volhynia, e pouco lempo depois
um segundo'Kamschalka, e eslabeleceram dian-
te dos inesmos alguns enlrinclieiramenlos para a l i -
radores a fun de impedir os trabadlos dos silanles.
as- noites de I para 13, de 13 para 16, e de
17 para 18 esses enlrincheiramenlos foram atacados
pelos Francezes com grande perda. Na noile de 22
para 21 de marco os Russos responderam a esses
ataques por urna sortda Tur le, que he verdade foi
repulsada, mas somente depois de haver causado
grandes estragos as trinrheiras dos Inglezes eFran-
cezes. Desde 21 de fevereiro al 23 de marco os
combates sempre foram sobre o mesmo flanco, e o
sirtanle nao ganhoo nenlium p de terreno para si.
Em 9 de abril os adiados comecaram um bom-
bardamento geral conlraSebastopol,que continaaram
durante quasi duassemanas. So em 23 de abril de-
pois de haverem g^sif-qasfrioda a sua niunicao,
^"^oflniKBlWr entao se vio q\e nao se linha ob-
o resultado algum. <
Todos os eslragos as obras linbilo sido) concerta-
dos da novo pelos Russos.com toda rapidtez duranle
sa que* osFrancezes f leanjaram,
_________" paratellas por ali^AknV'lro<.
lliffemiTTsT^W (VTeilas enlrelanlo paj^lomar o
inlrincheirameM^kaiirajorese,,, r, J& doredu-
fo de Kamlsclialka\jjL^M^^1j|i* Telizes foram os sitiantes nos sens esl'orcos sobre o
Qanco esquerdo. Aqui tambem (iveram algnraas
derrotas, mas em geral os continuados combates de
9 de abril al ti de maio Ibes permillirim de eslen-
der consideravelmenle as suas obras Tonificadas.
Em 19 de maio o general Canrnbert por motivos de
saude reoanciou ao commando em cheTe. e o gene-
ral' Pelisier enlrou em seu lagar. O seu primeiro
passo Toi urna expadic.lo para oceupacao do mar de
Azolf, a qual sem encontrar resistencia alguma oc-
cupon Keilscli e Jenicale em fins de maio, e all
devaslou do modo mais brbaro oito smenle a pro-
priedade do estado, como lambem a de particulares.
queimando e saqueando ludo quanlo encontrava as
costas do mar. Em 23 e 21 de maio seguio em Tren-
te de Sebastopol om ataque contra urna obra de con-
traapprecho que os Russos linliam levantado em
poucos das perlo da haslioCenlral, em cujo ataque
os sitiantes lirurn vencedores com um sacrificio e-
lorme de vidas: igualmente Telizes foram,os fran-
cezes quando lizeram um assallo nos flanco esquer-
do contra os Sedutos de Kanjlsclialkr e olh\ uia*
a lela Iclengnelli.
Tanto mais desastroso toi o assallo empreheodido
em 18 de junho contra o basli.lo de Malakufl. ac-
bou com a completa derrota dos adiados, tanto dos
Francezes como dos Inglezes, e a consequencia Toi
urna enorme perda de vidas. De novo linha chega-
do um momento, que bem aproveitado pelo general
russo poderla ler quasi arruinado'os adiados, mas
o general Gorlschakoff commelleu o mesmo erro do
seu antecessor e deixou passar o momento favora-
vel.
O inimigo ganhon lempo para se reslabelrcer da
sna derrota,e cometa de novo os seus trabadlos que
cada dia progrediram mais. O val t heroico das tro-
pas russas se manisfeslou continuadamente nos pe-
queos sorleios que se seguiram, porem infelizmente
Tal lava as sens officiaes i energa para bem dirigir
a offensiva. Cada p de terreno foi defendido com
a mais nolavel bravura, porm o prncipe deGorlo-
chakoTf concenlron loda a sua coergia na defensiva,
e nao quiz comprehender que a offensiva he a ver-
dadeira defensiva. S em 18 de agosto, depois de
haver-se deisado ao inimigo lempo sufliciente para
se reTorcr, leve lagar um ataque dos Russos do la-
do da Tschemais, lo hbil como graudiosamen'e
concebido, porem falhou em parte por ser empre-
bendido larde de maise. em parle por um erro com"
medido pelo general Read.
Em 17 de agosto os adiados abriro um lerceiro
bombardeamento conlra a praca. e se nU se julgarao
naposicao de emprehendar jaum assallo.com ludo se
percebeu qoe a perda dos Russos deviatersido horri-
vel at agora, porque ellos ja nao linliam tropas suf-
filenles para reparar os estragos que o Toga tao pr-
xima do inimigo causava as suas Torlificaces. As
obras comecavam a soffrer cada vez mais, e a con-
minada embonada do inimigodevorava cada dia 300
al 1000 homens, ama perda que nos dias 17 de
agosto at 5 de setembro pode ser calculada em mais
de 1 ,000 homens : A isso se accresceotou a perda
de 6,000 homens na baialha de 16de agosto, e quan-
do na maMl do dia 3 de setembro os adiados final-
mente comecavam o quarto bombardeamento, os
Rassos perderatn desde o dia 3 al 8, como mesmo
disse o prncipe de Gorlschakoff, mais de 2,50o ho-
mens por dia. Na verdade lambem para hroes exis-
le urna impossibilidade, e nao era de admirar se os
Rosaos, enfraquecidos de 30,000 eni um ufez, nilo
poderam mais repulsar o assalto, (mprehendido pelos
adiados em 8 de setembro, ao meio dia. E de qn'e
modo glorioso nao combaleram elles nesse dia qua-
si lodos os ataques foram por elles repulsados, al
que os Francezes se poderam estabelecel em Ma-
lakoff.
Ji fallei da evacuarlo do lado do Sul de Sebasto-
pol. Em 12 de selembro o principe de Gorlsahakoff
dirigi ao^eu exercito a seguinte orderu do dia.
Valornsos camaradas4
Em 2i de setembro do anuo passado appareccu
um exercito numeroso do inimigo era frente de Se-
,e
proximaram as trinrheiras do inimigo, lambem se
approximaram as saas baleras : a cintura de fogo
que cercara Sebastopol se estreloa~cada vez mais, e
levava mais perlo da cidade a morle e deslrnic.no.
O inimigo aproveilando da supremaca do seu fo-
go na mais perla proxiradade, depois d'um fogo re-
Toreado de 20 das, qae diariamente cast.iva a nossa
guarnicao de 500 al 1000 homens, comerou em 5
de selembro um bombardeamcnlo infernal de um im-
menso numero de boceas de Togo d'um calibre inau-
dito, cuja conseqiif acia fui a deslraic^o diaria das
nossas forliliraces. as quaes ale agota sx se tinham
Podido concerlar duranle as nuiles com immertsos
eslorroseis mais senstveis perdas-debaixo iU fogo
incessanle do inimigo. Sobretodo a mais imporlant
desas obras, o redulo de Korhiloff sobre a altara A
Malakoff, que forma va achave de Sebastopol sendo o
ponto que domina va todaacidade.seflreu estragos 18o
consideraveis que mo se deixaram reparar. Debaixo
dessas circunstancias a oceuparc do lado do Sul
n.io era sen.io expor as nossas tropas diariamente a
urna mort intil, ao mesmo lempa que agora eram
mais necessarias do que jamis ao imnerador e
Russa.
Por isso com o corara quebrado, mas na ronvic-
5.1o de cumprir um santo dever, en resolv d'evacuar
Sebastopol e de condariras nossas tropas para o lado
do norte em parle sobre a ponte j anteriormente
construida, e em parte sobre navios. Entretanto o
inimigo, ;is 10 1|2 boras da maithaa do dia 8 de se-
lembro, quando encarou as obras meio destruidas e
os Tossos enjulhados do redulo de Korojlol, empre-
hndeu um desesperado assallo simultneamente so-
bre a baslies n. 2, de Kornilufl, e n. 3, e Ires horas
mais larde sobre a hastian n. 3 e os redutos Belkin e
Schvarz.
D'esses seis aUques cinco foram gloriosamente por
nos repulsados; algons dos pontos atacados, como o
segundo bastan, sobre o qual o inimigo havia trans-
portarlo cautines por meio de ponles sobre elle lau-
cadas, passaram por vezes de urna mo para a outra,
eficaram finalmente na nossa, mas o redlo de Kor-
iiiloff, qoe soffrer mais do que os oulros pelo bom-
bardameulo, flcou as mSos dos Francezes, que ha-
viamdirigido contra elle perla de -30.000 homens,
depois das inmensas perdas qne I olamos soffrido des-
de ocomec.0 do combale, nao nos Toi possivel arran
ca-lo, porque nos unhamos de juntar-nos na escarpa
do oileiro entre as ruinas de construccOes devasta-
das, e de a vanear sobre um dique estreito por rima
de um Tosso profundo 0,1 linha Irazeira orcupada
pelos F'rancezes.
Essa empreza devia ser sem resultado a Irazer-no
i
i LIVROPOSTHtlMO. *
Por Kaxlsaa Da Casa*
< que a morle Injjjguiu, e talrez
Mirada de Setti-Zaynal Bflligiam-me, eu
^Krlviopara lall'-He minhas do-
ne em resposti ama longa car-
una boa explieacivde rninhas Tal-
es que dahi resullarirm. Acabo de re-
caVta, que poderia quasi Mtrvir-me de con-
i ella me evitar o incomraodo de faz-
nle, nyo pobre Joao Marcos, es-
o; es infeliz, e desla vez laslimo-le
eritaieiilii, porqfiu assim o mereces. Procuraste
l inocuas perigosms da rior ; a dr
I limigo, lentio que a amavas, e nao
itxar-le, aferroa-se a li, o arrasta-te pa-
tojo fundo s loa queda le Tara coohe-
crves-iue ingenuamente : i Quequeresqne
'a que perd a nica cieiura que pude
* A uto responderei que lo consolaras mui
que nanea a amaste. Como sampre,
^^Hp smente para obedecer
Susana, a le retiraste Ulvez para.talisWer o os-
lo viajar, que seesare npellto-le
ge de nos ; se realmenle i livesses amado
ausenta do durante alguns mezes se fosse
< logo pura junio daquel-
que le cliamav?. Nao me leus i'ilo umitas vezes :
primeiro peusamentu de um l.omem dianle de
urna mullier qae agrada-lhe he pissui-la ; mas seu
primejru pensainento depois que a poue he deixa-
la ? Por.<'sU>eoi acrao tua moral como pessoaconsa-
queote. *prlmeiros dias e dominado pela dor vi-
vissim parado conlra li.a vooude de urna
saael, lomaste por an ur la colera, fi-
iioe eslavas cerlo de nao cumprir,
ras qie accenderam i o conc.lo dessa
i, que devias ler apagado ;
usencia applacou ingiilarmente es-
ses bellos impulsos de terna lidel l.ule ; emqtianlo
alijaste, gaardasU a Susapa urna l' que nao linha*
paraste, compraste ama
rava, a1 is necessidades do
-dadesde ilominacao qoe ha em
Esta Sel 11
i-na\ realiza em nada o qu
le queixa-se Jncessanteni
_
do milita v ,w
lauto Un) SOI!
0 piando Susana corajosa para si, e
fraca pala tf, im.i.-iiiando ser amada porque amav,
deixou ludo para alcaneir-le, e a bou-te oceupado
com a In lotele 1 irnura lisle priiseiramenle em Vcx decoofessajes ama Tai-
ta que terinMo perdoada, e depois. em lunar de
atestares log'a eicrava, quizeslelimpor.ar. porque
linha concebido lalvez a |iossibiliJade de conservar
essa* duas niulheres juntas em la vida. Tivesle
rerunnha de Susa reza-
que
1
ViiJe Dfon'o n. 246,
a>T^il|anlr> ilflla. que olingaste Setti-Zayneb a
encerrar-s cnTau-aposento. Quando empnrravas a
poi la do harem ias lasmenle para dar escrava
coiisolacoes ou ordens '.' I jwife-so-te que n3oo creio ;
nao es homem com quem o diabo perca seus dire-
los. Expiasle mui amargamenle la conduela, na
posso accasar-le ; mas podes baler aos peitos dizen-
do : Foi miiiba i culpa I foi minha a eulpa Sabes
o que tena acontecido se Susana e elti-Zayneb li-
vesse paJUo acoslumar-se a viver juntas '.' Fatigado
de SusaMHerias vollado a Selli-Zajneb, a qual le-
nas deixudo para yodares a Sasana. Nao me desmiu-
tas, bem sabes que digo a verdade. Lembras-te do
dia em que eu censurava toa conduela para com
Adriana .' 1 u le vnltasle para mim dizendo-me:
Cala-te, es mais rigoroso do que urna consciencia.
Agora podrrias fallar-me lambem assim, pois bem
sabes qoe sou toa consciencia.
ii Soii'reras muito lempo dessa desgraea ; mas pa-
ra li nito sera um remoiso, ser nles orna oceupa-
co. Teu caracler naturalmenle inclinado a orgu-
lhosas tri-lc/ns nao perder essa occasiao de maldi-
zer o co e de aecusar es deoses. Tu U nutrirse, des-
sa lemhranca dolorosa, laucaras essa historia no pe-
no insaciavel de leo cerebro, e de lado isso apenas
te restar lalvez om pezar : ode teres perdido a Sel-
li/.ayneli. Tu a lanienlaras, desgranado scisnvalco,
porque nao esgolasle a sorama de desejos que ella
le inspirara, aspira como um beberra Umenta o co-
po que deixou no meio. porque jnlgava a sede ap-
placada. EnTadado pelas UnUtivas inCractuosas que
fizesle, creuilo de boa T (eres amado realmenle a
Susana, porque tua ferida ainda verte saugue, por-
que ella Toi-te arrancada violentamente pela morte,
dizescomtigo : Nao amarei mais, vivere com a me-
moria daquella que perd, e nao me consatarei !
Engaas-te, amars anda, e desla vez desejo que
saja seriamente ; has de consolar-te porqiae o coro-
co he feito de maneira'que consola-sede todo.
o J vi(e Irablharem os conservadores de es-
tradas ? Tapara os barrancos, coacerlam as escarpas
e encanam os vallados de esgoto, ou qaando o lem-
po- he bello, couleniam-se de,varrer a paalra. En-
Wo pasta a diligencia fcil alegremente aoaom das
campainbias e do chicote. Quando vem a chuva, a
estrada arruiua-se de novo, as pe Iras deslocam se,
as anuas cavam fojos, e a pobre diligencia ahilada
at ao meio das rodas marcha peni velmeule. Os con-
servadores recomern! entao seu trabadlo sempre se-
melliante, sempre til ; um raio de sol vem em seu
occorro, e a diligencia torna a passar a galope ;
isso dura al qug lenliam cabido tantos chuveiros,
e bajara passado tantas carruagens que a estrada fi-
que impraliovel.
' O mesmo acontece ao hnmem. O coracao, essa
rande estrada das paixes he sempre reparada e
varrida pelo lempo, este conservador sublime. Elle
tambem lapa o< barrancos, afim de que notis pai-
xues possam adianlar-se alegremente sobre um ca-
ii i ai lu igual ; mas quando a desgrana iletencada
em nos alguma das borrascas de ciuuie, traijao, men-
lira, iluviiia, ou amargura, enlao ludo itasea-se, e
caminha com crandes dores nessa via escavada al
qu o lempo lenha nivelada os precipicios, aplanado
as desigualdades e reslabelecido ludo nessa estrada
por onde correm incessanlemenle novos viajantes.
Tranqiiillisa-le, poi< ; amars ainda, e em rez
de esgolar-le este'ilmente Picando sempre encerrado
nos pezares de la vida passada, recobra a cora-
gem, odia para u futuro, deixa-l de sonhos, e pre-
para lea cori;ao pan u graves realidades do amor,
Se qoe a mulher nanea Toi para ti mais do qae urna
dislraccao, ou urna viclima ; nao a comprehendes
le, nao le dignasle de eleva-la a li sem perceberes
que ticavas mullas vezes abaixo delia. Obedecendo
ao impulso da ndole doentia de que lia pouco fal-
lei, procorasle nella o que podesse augmentar anda
las disposicoes Instes, mas nunca procurasta as
consolacof s infinitas que ella guarda para aquelles
deque senie-se verdadeirameule ainada, eenlAo pa-
gaste-lhe cenluplada a tristeza que della soubesle ti-
rar. Sei que leus padecido atrozmente ciumes re-
trospectivos. Mas comprehendeste jamis quanlo he
sublime a coulissao da mulher qae conla-le de joe-
Ilos sua; fallas passadas, e lalvez esquecidas '.' Nao
senlisle nma adoracao proTunda como a eternidade
ao aspecto desse semblante banhado de lagrimas,
que conleuiplava-le com odios supplcantes? Tens
meditado a morle, o assassinio, a exterminaco da-
qaelles que te pfecederam ; mas quando la colera
eslava applacada, quando tua ntetligencia poda
emliin fallar-te alravez da tumulto ablandado, nao
ouvias sua voz que dizia-le : E lu que lamentas e
que choras nao es tamoam culpado, n3o lens tido
outras ternuras, nao teas obedecido a leus capri-
chos, cliegasle virgem aos iiracos daqnelU que amas
agora ?
Que respondas enhlo'.' Nada ; curvavas a caneca
e conlenlavas-le de dizer: Sei que padece sei que
um raciocinio nao prevalece conlra um senlimenlo
Todava releva que nossa coragem suffoque nossas
|>enas. Fui amante de urna mulher casada que vi-
nha conlar-Ote geiaendo que o marido a enganava,
c que ella liaba ciumes. CerUmenle este caso he
raro miu coracao allou do colera, mas eomprehen-
di qoe essa mjilher padeca e cnisolei-a. He justo di-
zer quo'amo as niulheres parque amo o amor. Jess
Clirislo disse : Deixai os meninos virem a mim !
Qaem viesse agora diria: O' niulheres, vou a voa
porque smente por vas o ente he completo e real-
menle humano.' '
Nao lenho Teilo "como lu, mea eharo Joao Mar-
cos, longas e bellas viagens; mas emfira lenho dado
algumas voltas sobre nosso planeta, e ja estivo tm
Jerusalm. Percorri essa cidade como carioso sem
sceplcismo e em mpiedade; pde-se n8o compar-
lilliar vel; -uniente os alheos fazem-me rir quando nao
inspiram-me nojo. A primeira rez que visilei o
Sanio Sepulcro foi em um domingo; indo a esse lu-
gar celebre, que he ao mesmo lempo um Ininulo e
um lierco, passei allanta de ara templo prolestanle
iiAvameule edificado pelos Inglezes : Uncei-lhe um
rpido olhar; asseinelinva-se a urna aola de colle-
gio on a urna sala de espera de camiuho de Trro;
horaeus vestidos mqda eoropea, de cabera deseo-
berta e assenlados. reaularmenle em bancos polillos
ouviam um ministro de capa branca que lia a Bi-
blia. Senli um aperlo de coracao; urna religiao que
s satisfaz a raalo he incompleta ; preliro a idolalria
que dirige-se a todas as nossas (acuidades; o pro-
lestaulismo morrer* pelo que Iho deu uasciraanto o
livreexame! Coiilinuel meu caminho e cheguei as
arcadas rabes da igreja do Sanio Sepolcio ; as par-
las eslavara aberlas entre doos maros de mendigos
esfairapados; enlrei. Sabes o que vi: um reunan
de capedas, altares, tribunas, lugares Iridicionaes
severamente guardados pelos seus possuidores, e ra-
da dia disputados sem vergonha e sem T pelos Ar-
menios, Gregos, Latinos e Coplas. Os Cresos sao
ladrOeso, dizia-me um Trade latino; os Latinos sao
salteadores, dizia-rac um Trade grego. O'Christo,
V
bastopol, e apezar de carecer a cidade de meios ar- Innumeraveis perdas. Decidi-me a abandonar a ci-
dade era lodo ocaso e pelos motivos cima expos-
los. Como enlrelanlo o resudada obtido pelo ini-
-Jo en,
tificiaes para se defender, elle nao se atreven de al-
'aca-la cun violencia, e emprehndeu um assedio re-
galar. Desde esse lempo, e apezar dos immensos re-
cursos de que dispnnha o inimigo, accarrelainlo-lhe
os seus numerosos navios continuados refoj
arlilharia e munices, lodos os seae^xesTorc.
cer vossa coracam e perseveranca
durante onxc mezes o meioum acofj
co no* annaes militares, que urna
Tonificada riebawg, olho do inim
lentar lano te^^^|r., um
Toram em lu l idnticos casos. ^^V
E com 1.1o grandiosos meios, depois de urna desas-
trosa arcao d'uma arlilharia de immenso calibre du-
rante nove mezes, o inimigo depois de lia -er recor-
rido mais de urna vez a um bombardamenlo reTor-
c.ido da cidade, laucando conlra a mesma cada vez
algumas cem mil badas, vio a iuellicacia d'esses raei
os, e decidio-se de lomar Sebastopol por a-.sall.
Em 18 de junho elle emprehndeu o assalto de di-
versos lados, lancon conlra a cidade, mas foi por vos
recebido intrpidamente, e repulsado brilhanlemcnle
em todos os pontos. Esse mo excito ohriaon-n a
vollar roiitinuacao ilas suas obras d'assedio, aug-
mentando-as suas baleras, e redobrando a sua acti.
vidade na continuadlo das obras de trinebeiras e
minas, j
D'esse modo, desde o assallo que vos' repolsastea
gloriosamente em IS de junho, decorreram mais 2
i|2 mezes, dorante os quaes vos animados dos sent-
racntos de dever e de amor do Ihrono e da patria
dispalastes heroicamente cada p de terreno ao ini-
migo, e obrigasle-o a avanzar smenle passo a passo,
e a pagar cora torrentes de sangoe e ama immensa
perda de monco cada covado de distancia.
Com lao renhida defensa vossa coragem nao en-
flaquecen, mas alcancuu; o mximo griod devocan
comludo se vossa intrepidez e vossa paciencia foram
Ilimitadas, lambem ha um limite material para a
possibilidade da resistencia. Na medida que se ap-
roigo se limilava exclusivamente na tomada do re-
dulo de Kornilofl, eu dei ordem de nao
d. r nenlium ataque so ti r *>
'F redulo, mas de
o mesmo, o que foi bem
ir de lodos os esforcos dos Francezes
da gorja do redulo.
a noite, as tropas receheram ordem
undo as disposieo j antes lomadas.
Jhravo^a*n7!flfr..gragcra que vos dsles nesse dia.
diza eu contigo, quanlo' crucificada lodos as dias
em tua propria csalo Dei urna gmela para subir
M Calvario, e outra para entrar no sepulcro. Nada
iniidon era Jerusalm, os raercadores eslao ainda no
templo! F.u pon-orna com a Imiracao as galeras, a
cpula,'os vestbulos, as escadas, mide ajoelham-se
os christaos do paiz com vestuarios listeados e largos
turbantes ; vozes agodasgcantendo os psalmos Ta/.iam
resoar as abobadas, e o incens pairava uo ar como
ama uuvem.
Conlinuei meu passeio nesla vasta igreja que he
segunda as Iradiccfles nazarenas o centro do mundo,
e que cobre com seus edificios desharmoniosos lodos
os lugares.onde passou-se o grande drama da paixao;
vi a pedra da menlo, onde Toi deposlo o corpo de
Jess Cbri-to. vi o lagar onde choraran) as sanias
mulhcres, vi o tmulo de Jos de Arimathca-, a alra-
vessando os corredores que condazem ao convenio
latino, nu qual eu quera entrar, cheguei a uina ca-
pada obscura, onde parei machinalmenU. Sobre
o ladrilho de pedra cnzeula e usada havia urna rosa
de marinare branca e preto ; om aliar de madeira
roberlo de pintura escamosa elevara se em om cali-
lo eni loalha nem velas ; a rapella pareca vasi e
abandonada ; todava eslava suspenso a pare le um
quadru grande denegrido pelas moscas e pela poeira,
caiiti'uiplei-o e distingu urna imagein de Chrislo
cora chapeo de jardineiro iduminado pela claridade
radiosa que sahia-lhe das chagas, e Tazendo um
gesto como para alaslar ama mulher loara ajoelhada
que estn lia os bracos paca elle ; da bocea de
Chrislo sahiam algumas palavras qae foi-me diflicil
decifrar ; li : A'ott me langere. Que capella he
esta '.' perguniei a um fraile ialino que acompa-
ra-rae. He a da Magdalena, respondeo-me elle;
este lagar cobre o jardiin onde nosso Salvador app-
recen-lhe depois de sua morle, dizendu-lbe : Nao
ote loques. Nao posso dizer-te, meu charo Joo
Marco, a emoli qae experimentei. Sent Irio mis
costas, a as lagrimas eudiraiu-roe aos olhos. Pen-
sei com um entemecimenU semtgual na pobre ra-
pariga que amara extremosamente aquello que nao
linha orna pedra onde descansasse a cabera, iuia-
8inei-abella|e delirada, perdida na multidao dos dis-
cpulos andando por ctmiohos pedregosos, assenlan-
do-tea iiiargem dos lagos, subindo as monteabas e
seguindo sempre com uro olhar inefavel aquelle. ca-
jas palavras commoviani-lbc o coracao, aquello que
lizera-lhl esta pr,.mes-a divina : Mudo le ser
pentoado, porque muito tens amado Eu a vra
endiosando com seus longos cabellos os ps lloridos
do Senhor, os quaes molhara com seus perfumes e
Suas lagrima-, e depois pnrli la de dure na I Ira lando
seu bello rosto, hcijaade as chagas do morto que
adorava. Foi ella que licou mais lempo junio do
sepulcro, fui a primeira a quem elle appareceu,
porque era attrahido pelo amor immenso, que en-
cina o coracao da peccadora, e ohedeceu sem llovida
ao desejo insensato qoe ella linha de ve-lo ; Toi a
quera elle disse : Mara v Toi quera llie respon-
deu : Mestro Ella lomara-o pelo jardineiro, e
dizil-lhe chorando : Se Totes vos que o lirasles,
dizei-meonde o pozesles, afim de queeu o leve!
Depois, quando elle vollou para o pai, ella relirou-
se conservando a lemhranca iudelevl dessa temara
infinite, morta para o prater e para a vlH, e pen-
sando nos momentos dilosos era que contemplava o
mais bello dos filhos de Israel, referiudo os precei-
tos divinos aos povos que o rodeavam. Muitos pin-
tores hao tentado representar a Magdalena aos ps
de Chrislo, mas nao o tem conseguido, porque nao
irada pela explosao das nossasioinas, nao so i'j
perseguio as (ropas que se reliravam, mas al'mes-
mo nao aliron com sua arlilharia sobre as nossas co
luunias, o que impunemente poderia (ur Teilo.
Bravos camaradas, he triste e duro de abandonar
Sebastopol ao inimigo, mas lembtai-vos do sacrificio
que fizemos stfbre o aliaras patria em 1812. Mos-
co* vale bem Sebastopol I mis a abandonamos depois
da immortal haladla de Borodino.A defeza de Sebas-
topol durante :I9 dias he superior Borodino.
Mss nao Toi Moscow, foi smente um montao de
pedras e cinzss que se enlregou ao inimigo no de-
sastroso anno de 1812.
Assim, nao entregamos ao inimigo Sebastopol.mas
sim ruinas inllammsdas da cidade qsje ns mesmos
incendiamos, cuja defeza nos honra. Pela sua cahi-
da'ns reganhamosa liberdade demovimenlo eco-
meca una nova guerra.que he a guerra mais propria
para o soldado Kusso, a guerra em. campo aberlo.
Mostramos ao imperador, mostramos Russia que
snmos animados do mesmo espirito pelo qual se dis-
liiiguiram os nossos antecessores. Onde o inimi-
go se mostrar, iremosenconlra-lo e deffender a Ier-
ra da patria como fizemos em 1812.
Durante algum lempo se pensava que as paten-
cias neutras pela cabida de Sebastopol se iriam in-
clinar para o lado dos adiados occidenlaes. Espe-
cialmente sereceiava isso da Austria. Mas nada tem
menos fundamento do que nm tal receio. era em
Vienna, nem era Perlim se pensa en aproveilar-se
desla oceurrencia contra a Russia, e a neulralidade
d'Allemanha acha-se mais segura do que antes.
Em sentido militaros adiados nao gaiiharara em Se-
bastopol se nao um raoniao de ruinas, e em sentido
diplomtico o obtido em 8 de selembro com sacrifi-
cio de 120,000 homens ngo lem valor algum. Era
lugar do que se esperava em Pars e Londres que
esse aconlecimenlo seria o principio do fim, elle nao
ser teuan o fim do principio, e a jraode guerra
agora vai comeear prnpriaiiiente.
Na vida interna da Allemanha os aconlecimeolos
mais nolaveis das ultimas semanas focan, as eleicoes
para as cmaras da Prussia, e a abertura da cmara
da Baviera novamenle eleila que lev; logar em 15
de selembro pelo rei em pessoa. As primearas ds-
cussOea mostearan! loso qoe o gnverno nada anliou
pela dissoluco da anliga. ,V opposiclo da velha c-
mara se achava representada na nova por ama maio-
ria superior, e pode-se quasi pretender qae a nova
cmara consiste de frcales da oppuiirao. Deve-se
reconhecer que o governo traa ullimamenle da
concilacSo Tazendo esforcos para marchar de accor-
do cora os desejos do povo.
Nao se pode ainda formar nma ido* exacla a res-
peilo do resudado total das elricoes na monarchia
prussiana. O qae se sabe be que as grandes cida-
de, quasi sem exepcao, sorcumbio o partido do
governo como era Berlim, Breslau, CoMaiia, Mayde-
burgo e Dantamas provincias onde a influenci
dos erapregados pblicos he absoluta as esperanras
do governo sao lano mais favoraveis de surte qoe he
bem possivel, qoe lera para si a inaioria as c-
maras.
O rei da Prussia acha-se ainda ni' Rheno, e era 3
de outubro em Colonia depositou a pedra funda-
mental da primeira ponte fixa qoe se vai construir
obre o Rheno. A falla de el-rei nessa occasiao Toi
nolavel louvando as heneos da paz que goxava o
paiz, e declarando sua decidida determinaclo de
sustentar sua neulralidade.
Na Austria o ministerio das finaiicas parece nao
ter ainda chegado a qualquer decisa > acerca da re-
organisacSo das linnucas. Negocia-se ainda e com
nao menos de qnalro difiranles partidos, qae todos
fizeram as suas differenles proposlas ese gaerreiam
reciprocamente. Os concurrentes 5o o credil
mobilier de Paris representado por seu director Mr.
Pereire, a cas Rolschil.uma sociedade de capilalis-
las de Iterlm.e orna outra dila da .1 ustria./
Tudo que se tez he que o governo enlregou ao
Banco Nacional o valor de 150 railhOes em heus do
paiz, para em parte pagar a saa divida ao Banco.
Porm em lano qne esses bens nao se transTorma-
rem em prala por meio de venda a particulares, o
Banco nao se achara na pos^ao de cffectuar.de novo
seus pagamente*.
;\coi^ea,naU".'om Roma ainda nao se publicou.
Na Dinamarca finalmente honre umasolucSo a
respeilo da consliluicao ge,'
As duas cmaras em CaL
mente, e a nova constitu^
eleran que a mesma per!
i de outubro. O peine
nand (lio do rei, recus
cao, e por isso ae mesnl
l"v .-..n-liluirao M
mlilarescomo commanla
Seelan.d, Fuen, e Latead.
linliam ni comprehendido ; o proprio Leonardo,
esseespirilo grego e alheo quo nao Tazia aso do
myslicisrao, e pintava o banquete era vez de pintar
a ceia, nao sendo a verdade viva da legenda evan-
glica ; Lesueur Toi o nico que percebeu o Nido
proTundamente humano, real, phisico c natural
desla historia.
Se Tui to commovido uessa pobr? capella deserte
dedicada a Magdalena no mesmo lugar em que ella
vira o Senhor pela ollima vez, he porque creio nu
amor, no qual nao eres, meu charo Joao Marros, e
em razao ; cerlos espirites fortes n'negara por prin-
cipio, e solfrem-no envergonhando-se, estes somen-
te mereccm nm sorriso, e sao ridiculos ; oulros pa-
decen! por isso. e sao dignos de lastima ; porm ape-
zar de dores alias Compensadas por prazeres celestes
levemos amar de todas as nossas torcas, de lodo o
nosso coracao, de teda a nossa intelligencia, anda
quando nao rejamos correspondidos, pois he a lei
imposte ao homem sobre a Ierra Sei que o amor
lem s vezes amarguras 13o grandes que o coracao
fica perturbado para sempre ; mas qual he a pai
x3o que nao tem dores qoaes sao as dores
que nao Um influencia fecandadora ; he por
estar doenle que a oslra d anas peroles Alguns
tem dilo : Sendo a mulher um obslnculo a ludo,
nao deve ser um obstculo a nada Sao Irocadilhos
de palavras, me\i amigo,enigma de conTeleiro a na-
da mais ? A mullier qae ama nao he obstculo a
liada ; o amor eleva-lhe e desenvohe-lbe o pensa-
mento, e Taz-lhe comprehender mullas cousas que
ella nao auspeilava. Torna-se um obstculo quan-
do nao ama suflicieulemente e nao ama suflieiente-
menle quando nao he bem amada. Seinea a ternu-
ra se queres colhe-la, o seuljmeiilo verdadeiro he
como urna epidemia. Se houvesses tido a Telicidade
de experimentar amores fluientes, leriai observado
um phenomeno singular ; o amante apaixonado lor-
na-se allralivo para as outras niulheres, as qoaes
commovera-se s-nlindu-se penetradas pelos efluvios
poderosos que doli emanam. Tem-se dilo : o aae-
lliur meio de ser amado de urna mulher he amar a
outra ; islo he verdade, mas desle Taclo mu simples
tem-se lirado urna couseqaenoenria mu telsa. A-
quelles que qnerem alardear de espirituosos referem
a esse respeilo mil conlos absurdos.A mulher sen-
do naturalmente invejosa procura usorpar o ohjeclo
das alleices de ouirem !A mulher, crealura enga-
adora e perversa smente compraz-se em fazer o
mal. E coolam com mil enfeiles a velha histeria do
paraizo terresire. Tudo isso he loucura, he philosn-
phia de sapaleiro (em regra geral lodos os egoislas
sao reputados philosophos.) e nada mais A mu-
lher srnle-se atlrahda nao para o homem qoe nma,
mas para a paixao verdadeira e seria qae o anima ;
aao he a esse senhor de cabellos louros ou prclos.de
nariz aquilino ou chalo quo ella quer;dar-se,,he a
esse senlimenlo inilclinivel, profundo e grave que
ella qeer arsociar-se ; comprehande confusamente
que ah ha Telicidade, quer seo qoir.li.lu, e lera
raa.
Axioma : Por mait igoitiaque teja urna mulher,
jmui laber quanlo pode ur imada.
".adheriram final-
, e total, e a le de
in publica das em
rderik l'erdi-
& nova couslilui-
'aa publicou
e seijs postes
inas' ,
LONDRES.
8 de oulubro.
Poucas horas depois de expedida a minha ultima
crla, chegavam esla cpilal as primeiras nolicraa
de um grande resultada militar obtido pelos adia-
dos no ibeatro das hostilidades, o assalto e tomada
de Sebastopol. '
Este immeuao aconlecmeulo quo era esperado
com grande impaciencia, consumoj-se no dia 8 de
setembro. Cam ello mncluiram a Franca e a In-
glaterra a parle iyais laboriosa da nclul campanha,
e facillaram assim o futuro bom xito desla guerra
colos-al. que ja lem cuslado lano singue e bloavul-
lados capitaes. A par de tan imprtenle evenlua-
lidade, o movimenlo interno desle paiz cabio em
ama inaceao que hade proloogar-se emquaulo a.
preoccupac.ln publica esliver absorvida nos porme-
nores da grande Taranha. Eis o succinlo resumo
desse glorioso lriumpho :
O assallo Toi dado no dia 8 depois de um violen-
lissimo bombardeamento, que duran tres dias e Ires
noites sem interr.upcao. A's onze horas da manhaa
as columnas do ataque estavam formadas nos seas
respectivos postes. Meio dia em ponto, dado o sig-
nal, os adiados precipiUram-se dastrim!
Ira as forlificices russas, e ipt algorai
renhida Iota I bandeira franecia
riota na mais importante daquella-
lorre Malakoff. Para o assalto desle pon
ueral Pelissier linha escolhido os mediares bat
do exercilo fraocez. Taulos eram
disposlos para vedar o ingresse dos sil
ftreciso que elles operassera prodigios de bravura
par.-i alravessarem os Tossos, galgarem os parapei-
los, e, mais ainda, para se raanterem na pos!
conquistada.
Os Russos lenlaram tres -veza de-
quisladores, porem oulras tantas viram-se Obriga-
dos a retroceder, depois de oDrerem graode mor-
an iladc. Para esle tri eJuplio muito coulribuiram
as companhia de engeoharia, \oItando as bateras
ioimigas contra os proprio Rasso*. e rejeitando-os
assim o Togo violento da importante fortaleza,donde
acabavam de ser expedidos.
Nos oulros pontos do aasallo os sitiantes nao ti-
nham podido ubler demica vsnlagesn. Em todos
esses pontos 4ue abraogiam as posic/tes mais impr-
tenles da linha de forlilicaces do iuimigo, o adia-
dos enconlraram tao vigorosa resistencia, que, dj
pois de arvorarera era alguns delles suas bande:
viram-se obrigados a recolher-e parallelas, re-
ducados pelo Togo dos Rassos.
Aos Inglezes coube o assallo do Radenle. As co-
lumnas (aneadas contra este redacte chegaram a
penetrar no recinto delle, porem nao poderam min-
ler-se. As triacheiras ingleza qae ficavam defron-
te do Radenle dislaram cerca de 300 metros das
obras avancadas russas. Ja nesse longo trajelo as
columnas de assalto foram mu sensivelmente decl-
inadas ; transposlo o parapeito, os Inglezes acba-
rara-se a bracos com o inimigo. renhida
lula, porem o general Simpson nao reforcau a
las primeiras columnas, e lireram ellas de ceder
resistencia dos Russos que cada rez se tornara mais
ellicaz com as iropas frescas que acudiam do i
da praca.
A conquiste da torre Malakofl compensara de
sobejo esees reveze parciaes, e, apezar dalle,
dio a accio em favor dos adiados. Senbores desa
posicao, os Francezesslmioavam a cidade e o por-
te de Sebastopol, e achavam-se lambem a
das nutras fortalezas russas. Malakafi
culminante, c a chave da praca.
O general rnsso comprehendea, qae prolongar a
resistencia sera sacrificar a guarnicao a urna mpro-
licua morlandade, e tesolveu evacuar a praca, re-
Urando-se para a raargem septentridnal da baha de
Sebastopol por urna ponte de jangadas qae ha al-
gum lempo linha construido, e qu* inmediatamen-
te destruiq. Antes de proceder a esse expediente
extremo, o general rasso incendian a cidade, ian~\
C-nu fogo s minas de at.te-mao disposlas para des-
Iruirem por meio de explosiies os estabetecitnentos
navaes e mililaree, melleu a pique os vasos de guer- .
ra rosaos que estavam ancorados no porto, e innli-
lisou, quanto caba no lempo, lodas as mnnices e
aprestos bellicos all arcun le morios
annos.
A retirada effecluou-so para 9 da
selembro. No dia segoiate os adiados oceuparam
militarmente Sebastopol, p exliuguirain o incendio,
e tratarais de assenlar posicao nessa cidade o
""^eusU. de Unta bravura edeloalji
perseveranca. Ci3a~>Bciorja^obtida gm condi'.
taes nao poda deixar de ser coinprada .
semve perdas. Os Inglezes perderam
dous mil soldados na ac<
A temada de Sebastopol he um rerez mui coosi-
deravel para a Russia. He a annollac,an de 70 an-
nos de esforcos, despezes e trabadlos gigantescos, a
perda dos seus primeiros estebeleeimentos mirili-
rpos e militeres, eaniqoilacao da sna raiiinha. E
estes resallados sao ainda inferiores s consecuen-
cias pollicas qae provaveliKnte bao de deriiar-ae
de um tal aconlecimenlo. A cujas sim-
palhias pendem mais para i Roa
potencias occidenUes, hade ver nesse lev
Mears pYimeira viste convencido de qae Deosem-
pre proceden progressivamente.
As mulhcres sao inflis e inconstantes menos
do que n. Cada cple lem em si um senlimenlo
indefinido de inqaieUcao que o inipede sempre para
as censas navas, onde raudas vezes enconlra smen-
le crueis desengaos. Esse senilmente, cujo im-
pulso cada um sollre mais ou menos, eu o donorai-
narei o direito .i telicidade. Sabemos iuslivamen-
le que temos o direito de ser Telizes, e procuramos.
Se procuramos smente em ns nao acharaos, se
procuramos smente nos oulros lambem nao ; mas
adiamos na linha providencial qie est situada a
igual distancia do cu e do rio eu, islo he no amor,
o qual he urna Iraca entre nossas Torcas e as de ou-
Irem. Para fazer-nos Telizes he necessaria a com-
rr.unbao em so rama goal do objecco e do >nbjec-
lico. lie essa procara da Telicidade que nos Taz en-
ganar-nos lanas vezes, be ella que torna as aludie-
res incoiislanles e os homens inflis. A historiada
Din Juan he um symbolo. Nao me demorarei so-
bre t --o asMimplo lao balido. Di.iem que elle a
de amores era amores procurando um ideal quo pre-
seiftia. Muila gente do numero daqoedes a quem
li iIh la is dedica va seus iivros tem viito smenle nes-
se ideal urna auianle adorada e dolada de certas
qualidades ; mas lem se engaado. Elle procura a
Telicidade onde deve realmente i anifeslar-se" ao
amor ; nao a achava e tornava a pi.|e ente.
a Creio que mis remiinerares futuras o amor he
recompensado como urna virlude. Araai-vi
aos oulros, disse o divino meslre. fara as a
res o amor verdadeiro he completado pela malerni-
dade, e he por ahi que ellas sao crnelmehte puiifdas
das faltas que commetleram as vidas precedentes.
No Oriente a esterilidade he cousi torada urna mat-
dicao. A mulher que foi mi mai reuascer estril
'oa existencias futuras, e o desejo immoderado que
lera de ter lilbos ser talvez o pezar secrete e alias
perceplivel de ha ve-Ios maltratado onlr'ora. Foge
das mulhcres esteris, porque esto maldicoadas
por Dos.
Sabes o que ser a bemavenluranja final ? 0-
ve-me. Entre todas as existencias que percorremos
debaixo de differenles Turmas huraanas, nossa mo-
nada ainoo urna alma sobre todas as outras. Procu-
ra-., sempre, e se nao acba-a fica diste. Nada a de-
tem nessa busca, nem os obstculo?, nem asdir.an-
cas, nem os perigos. Ella abe i.proveilar nos-os
gastos e nossos insidelos para cond nzir-nos a actos
que nos approximaram lalvez daquella que a allrahe
pela sua aflinidude elecliva. Essa reminiscencia,
cuja influencia lyrannica ullremos lanra-nos aira-
vez le toda a sorle de acasos. Tens observado
vozes de que mauelra roaravilhosa os neonlecimen-
los cJnibinara-se para reunir dous entes que nao se
coul.ecem physicamente e que sao riesliiiadosa ama-
re in-se'.' Pois bem, nos mundo superiores essa
dual almas que lerao atraversado as gerares pro-
curando-se, araando-se, essas dois almas que por
urna (roca perpetua, iucessantemenln renovada des-
rioridade do imperio do N., *t^^^H
politica de espezar a causa do O
sis pode ser que desislaa^^^H
vitas, e he provavel que a Anal
o sysleraa de incerletaa e ov-iltaci
boje raraclefisado a sua p
Oriente: Esla ul(ma potencia pedia um penhor
em que podesse firmar sua adhesao
da. Tomai Sebastopol, dizia ella aos al
cula um ledo d'armas dessa ordei assim
o mundo que o voseo poder he superior, ao da
Kussia, qae eu enla nao hesitara em asaoeiar-me
complelamente 'vossa cause.
o homem, e nao pulcadmiltr-se que a ultima obra
de Daos seja inferior > primeiras ; a mulher lendo
vindo depois de lodas as outras he naturalmenle a
mais perfeila ; abre ara livro de paleonUlogia, e
mai aoeru quanlo pode er amada. de taclos nao Torroam por assim dizer mais do que
Os orientan considerara n mulher como iim en- urna essencia sero reunidas, e identificadas para
le superior ao homem, e nisto, como em mudas ou-
lras cousa, sao mais consequenles do que ns. Com
efleilo Deoscreou a mulher depois de haver creado
sempre na mesraa monada tendo
sua 'ommuiihio iudisso
vre de eus tormentos.
ser o beijo de Dos no espen infi lite.' Revolve a
humanidai)o em lodos osaentidoi, e nao acharas
em lodas as saas obrts mais do que um morel ver-
dideiramenle immutivcl : o amor !
ii Nao creas que smente i humanidade o sinla e
o experimente ; pois le engaaras. A natnrez.
da nao existe seno por elle. Os sabias compozeram
grandes Iivros de calculo e de non ex-
plicaran! as leis naluraes cora cifras, viram ludo cora
as lunetas, niediram ludo pela sua regra ; uo vemos accusa-los de haverem inventado linsuageus
impossivels, ifim de parecern, profundos Torca de
serem obscuros ; e he juste confessar que foram os
arroleadores do campo da sciencia. Aquelles que
vierem estudarao a efeacao relativamente aos seos
co/ttimei, e nos revelarlo os misterios magnficos da
lei do amor.
Elles nos dira a alegra infinita das plantas que
mam-se enlre si, e nos contarSo os esforcos I
veis que fazem os nietaes para se reunirem. Nos,
pobres ignorantes, sabemos acaso se ora planeta
irtVreria de dor vendo-se abandonado por algara do
seus salellites '.' No principio ludo era trevas, e o
elemento hmido esleudia-se sobre o nada. A luz
foi creada e fecundou as aguas, e entao nascerara
os militares de mandos que povoam a iinmensidade !
Tudo he casamento e gozo o* ualureza I Paramos
smplesmeole no facln physico, sabemos aprovcila-
te para as nossas necessidade ; mas nao iodagauos
as leis inviziveis emortes que regem a creacao loda.
Quando o Trro lnca-e ao imn, e uie-se a elle em
um beijo extremoso, ere que suas molculas 'au
eslremecera de alegra 1 Quando a flor raarnlia se-
para-se da haslea durante a estacSo de seus amores,
e vai inquieta pelo rio submergida, nadando o pro-
curando anciosamente a flor qoe ama, uao lie solli-
citada pela etperanra dos carinhos-que a aguardara,
e impedida por necessidades de amor 7 Cerlos cor-
pos amam siimeule pela rerainiacencia ; p6r exein-
plo, a mor parte das metees que oAo podem entrar
em coinniunlio sena liquidados pelo Togo como se
se lerabrassera do oslado primitivo, da poca prea-
damica.em qae corriam livremente um para o oulro
como ocanos de lava. O bramido, as erupcea dos
volces sao lalvez as prazeres do amor dos metaes
enlre si. O gazes que reunem-ae, o hvdrogenio
que precipila-se sobre o chlore impregnado de
ludo o que'attrahe.se,-procartte, acha-se, mislu-
r-se, ludo ma, goza, e lente ioeffavei delirias ;
er que a Ierra ngo estremece de liegria quando re-
cebe os beijos do sol ?
Desejo quasi exclamar oomo os poetas dais
Onde eslou f Poii segaindo meupensaiueu
byrintHO dalranscOes, aflaslei-mamaito do ponto
departida. O evanselbo disse : Proenrai, e acha>
reis. Eu te direi : Procura e acharas ; nao negues
aquillo que nao pdenle apreciar ; nao esmoreces,
recomer vinte vezes se for preciso leo trabadlo de
conquista ; nao he da primeira Teila que o mineiro
acha a vea de onro ; lica cerlo de qoe has de adiar
aquella que tero de applacar-le as coleras, enterue-
eer-te o coracao, dissipar-le a tristezas e cantar coi'ii
ligo o llozanna dos dias dilosos. "J,0 dij-jg que liao
amars mais ; pois lio millar que ames ainda, para
que.^eeebendo pvla temara forcas desconhecidas e
centiipladas, comprebendas emfim qne o amor he a
armadura do hornero. Caminha vida nova,-A rea-
mada lendo ,-, MMHnie .urreic*,, ao anmenlo de las faeuldades. s 1 e
ioluv.1 ; ser. ano o amor I,- ao amor. Apreod. a amar, da-te sem Mdida-
.sera o extese permanenle, leu cor.Cao palpitar.i mais livremente em leu lo
alargado, urna vida ardenle e joren le circularaniias
retes, e la intelligencia engrandecida brilhara o-
bre la fronte como ama estrella, n
Icontfnuar-se-ha.)
/
ruraanian pa.....___


OIMIO OE PURAIBUCO TERCA FURA 30 OE OUTUBRO OE 1855
Entretanto .le agota a allitude dt Austria e da
Prussia parece nao ter-se modificado por motivo da
lomada de Sebastopol. A imprensa ingleza, uoan-
ses o Junes, continan) a dirigir violentas ceusuras
contra a poltica do re Frederico oilierme.
A rainha Victoria eslava em Baimatal, quaodo
edecou a Londres o despacho telegnpiuco dos re-
sultados doaisatla. A mensagem foi inmediata-
mente traustoiltida S. M., que a recubeo s 10 ho-
ra da uoite. Apeiar da hora a retorta mandou im-
mi.'diaiiiBtiDte publicar u despacho, qun logo chegou
uo coiahecimenlo dos habitantes das ImmediacOes
do castalio da Balraoral. Os eampoiieaas fesleja-
raiu cotu fogo de artilicio o triumplio daa armas
alijada!, e coiicorreram s portas da residencia real
a uxpriinirem o seu regozijo eutoaiido o dymno na-
cional d.iCra.i-brelanha, e felicitando a rainlia cun
cnlhnsiasticoi vivas.
A noticia espalhou-se em I.un dijes com extrema
celeridade. As Ivpographia do Globe, do Sun, do
lij-.prm e de lodos os jorna cja noitc Toram inva-
didas por urna alluviio da povo sequos de ler o
thtor du descacho ofllcial, e de inteirar-se da exac-
(.1 relarao do acontecido. Nos lliealros, a noticia fo
puotieada pela anloridade, eo regozip publico tra-
dutio-se em fervenles applausoa. No dia seguiute
. sinos de todas as grojas e a artilhai a do parque
da S. James u da Torrejde Londres aiinunciaram a
gratada victoria aos liabilaules da eapiUi da ra-
. Bmlanlia ; os navios ancorados no Tamisa oruararo-
se de baudeirii ; no i Le illuminou-se a cidade, e o
recolijo pulrticu inani feslou-se 'por variadas de-
uiontlracoas.
Bnlao oto se sabia aioda que as tropas in-
ginas tinhain sido repellidas, e que s os F'ran-
eer.es haviam conseguido lomar .3 man-ler-sc
ua torra Matakoff. ,A| telegraphia eliiclrica trans-
luiltlra o resultado final do assalto, e nao da-
va iudicado os pormenores. '.Has.quaodo chegoo a
Londres a pmticipicao oOlcial do geuiral Simpson,
e vio-se que (oda a gloria da conquista perleocia aos
Frauceze, ti regotijo publico allenuuu-se, e con-
vertea-se quasi em irrita;. O Jimts, o Moruimj
Potl, o Atornilla ffrttld, o Daile N,twi, todos os
orgSos da publicidad.,.aemldisttuccao departidos,
lastimaran) qoe a Inglaterra houveest contribuido
Uo poueo para o'lin.l retallado desse raemoravel
dia. .A altivez britnica nao poda tolerar que as
suas tropa* te Iteuves-era retirado veudas na pro-
pria occasiao em que. i direita deltas, os soldados
trnceles ganliavaro Uo assignalada victoria.
Por oulro lado.- as correspondencias particulares
da Crimea dsvam a entender que os balalhes 11-
gluzes encanrugados do analto do Hdenlo tiuham
sido sacrificados au iniuigo, poisqoe te liavia con-
fiado ease pangoso combate a > ou 3 batnlhoes, sem
lar o general Siropsdh disposto anteci|iadameole os
reiorcos que deviam acudir-lhes em caso de neces-
idad*. O goueral em chelo das forcas ioglezts oa
Crimea lera sido desde nlao objeclo das raiis vi-
lenla invectivas da imprensa peridica. O Times
especialmente qualifica-o'de incapat, brada contra
a sna.coiiserv irao no caminando do contingente iu-
gle, e diz qu, em quaulo elle coiumandar as tro-
pas lxritanie.ii, nao bao de estas baler-se, senao pa--
ra serero derrotadas.
goreroo ioglez parece nao coatf artilhar estas
idas, poit acaba de promover o general Simpsou i
patente nmediala, justamente por ir olivo dos ser-
viros prestados na occasiao do assalto.
Logo depois da lomada de Sebastopol publicaram
alguna jornaes que a Prossia se presentara como
niadiadora, conridaudo os gabinetes inglez e fran-
cet a entab-ihirero novas uegociar-oes de paz com a
Roaaia.'AcniKcenUrsni siguas que a, Franca e a In-
glaterra nao tinham annuidoi ao convite da Prussia.
V nda iteuham deslen boatos lem sido confirmado,
'litio, pelo contrario, induz a crer que a guerra
ce atiabara coroioteusid.de. Anda ha Ires diaspar-
tiramde Inglaterra para a Crimea novos reforcos de
tropa e grandequantidadede materia: de.guerra.
Aioda niniuem iMie qaal ser o plano de eam-
pauha quu agora adoptarlo os alliados ; presume-se
que pretenden! corlar a retirada dos Rossos. Para
ideseiabarcaram 20,0011 hotnens ds caralla-
rfci em Eupa loria, ais quaes ja penetraram no inte-
rior do paiz. e derrolaram a cavallai ta russa que
guarneca est.es pontos.
Em Inglaterra, a vida poltica nunca se extingue
cumptlamente. Quaodo o parlamente nao esta
funeeionaiut:,, iraprovisam-se tribuna nos meelings
0 uas reuna 1 populare, onde eminintes persona-
So dcsdeuliam comparecer. Suas
pilavras tem entao o carcter de urna manifestarlo
mi-parlamcular! Mais. de urna ve/ lem sido ini-
ciada, ues.i especie le .tiemble. do pavo, med?,
das que lem (lepis yiu-ilra-W 09 seus autores.
_^BSSP*!,'"D->8 oilimamente dua. occasi.ies des-
is quaei molivaram dousdiscursos de lod Pal-
uierttou que uao devo deizar de referir ncsla m-
nha caria. primeiro destes discursos foi profe-
rido ero rapista a ama mensagem ds monicipali-
didede Meloourse. Nelle o estadista inglez se-
n eou algumas allr.tik indirectas relalivas ponsivel
roorgaHisaca j da llalla. Na poca actual, em que
a inpreiisa iropala a necessidade de urna reorgada
Hiucao d p-ninsbla italiana, as palavras de lord
rtnni grande alcance, n nao se limi-
siuiples aUosoes de mu remla appli-
( o^ilro i .curio do cliefe do gabin;la da rainlia
Victoria foi mais explcito e |K>silvo. Os habi-
tantes de Hausej preseutaram a lord Paliners-
liii urna mensagem de felicitarn por motivo
ta tomada ds Sebastopol. A mensai.em tuha sido
votada em i:m uectiiig reunido uo paco municipal,
1 qoe o maiit da localidade havia onvocao a pe-
dido dos liabilaules q ie desejavam, na occasiao em
|ue lord I'almewton ohegaste sua residencia de
DroadUnds. lestemoiilisr-lheos seutimenlos de res-
peilo que trdiuam os seus principios polilicos.
O discorso versou sobre as consequeiicias que de-
vem resultar do graade uonlecimento do diaa
lomada de Sebastopol, e abunda cm brillianles con-
iderasOes iwbrea aacessidade e o alcance desse
traoste feit) de armart. Lord Palmerslou ezalla a
nlliaoca qoe ora liga as duas grandei potencias do
Occidente, 11 sostena que a guerra quando he em-
prehendda com o iuluilo nobre e generoso que ca-
oerra actual, nao be una calamidade,
llorera mu dever nacional.
A alliaocu auglo-fianceza lem sidj mullas vezes
nxaltada comprazerss brilhanlese lucidos raciocinio
111 atolla iao tem sido capaz de eilinguir radi-
calmente o reciproco ciume das doas grandes na-
Oa*.4 Anda ha poueo lempo esse cime manifet-
lou-se beiii visivelmenle por occasiao do recente as-
sallo de Sebastopol. Oua nlo Iheoria que-torna*
guerra.otBfjevtr uacioual resta saberse ,essa Ihese
^tr.l aoolliida pelo partido da paz, que cada voz se
loma nials uumerosje qoe provavelmente lera de
assigualar-se na prozima reunido do parlamento.
As tullan publicas occoparam-se nimio ulli m-
menle com as seria: divergencias (|ae czislem cn-
Irea crle do \apoles e a de S. Janes. A Ingla-
terra Tez vehemente reelamacOes ; o governo na-
politano recu ou acceder a ellas ; preparrju-se en-
tao urna etquadradeslindda a urna demonilracao
uos marea du peles.
A Auitria ioterveio, e o rei de Ntpoles demillio o
aeu miuialro da polcia, a quem te allribue o syite-
ma govermlivo de vtlenla pres>So que ora gover-
na o reino das duas Scicilias. O incidente nao tem
panado alim do que acabo de referir.
Parlia anle-houl;m de Londres o principe Prus-
fiiano qoe, segando se sappoe, deve casar com a
priucaia nal da Gra-SreUulia, fillia mais velha da
rainha Vic'.iria. O Time lem escripto varios arli-
goa acarea desaa projectadu allianja da princeza in-
gleza con. u lierdero prssumplivo da corda da
Prussia. essesartigot prolende-se farer tobiesa-
liir o estadode humilliacao em quo a Prussia tem
cabido per.iote a Europa, e awigoalara-se os perigos
e ucouvenicnle qoe hatera eu formar essa uuio
eulrea l.m.ilia real de Inglaterra" e a de Holienzol-
lern, que stria considerada como o primeiro passo
dado para urna alliauca com a Hostia.
Ot vapores procedentes da Asia Irooieraiu ha al-
gunadias noliciii de um movimcnlo insurreccional
quo lavrana ua provincia de Borobaim e em varios
ditlriclos la India lngleza. O mais imporuiile des-
es nioviiiicntos lio o dos Soutlials que comecaram
pralicando loda a sorle de violencias e atrocidades,
bstavam forlemeole organisados em numero de
30,000, linhain deitruido 200 etanUs aldeias e as-
saltado roesmo variatcldatiet. Os principaes ban-
dos tehavim-se acampados ao norle do rio More e
ameacaigni atravessaro rio para altacarem a praca
de Nogor'e.
Noticias posteriores aununciam estar' a revolla
quasi suffocada ; porm a situaran dopaiz he para o
governo origen) de graves embarazos. Cartas de
Bombaim refarem-se a um conflicto mui serio que
rebentou na provincia d'Oude entre os Hiodoos e
os Musulrrrauos. JSale estado de cousas aggravava-se
coro a imminenca de una grauda oartia de vve-
res na provincias de Oeste.
BONGIVAL.
7 de eulobro.
Neala poca do nosso oulono europeo, poca de
ferias, momento de repoosogeral.consagradosaos ol-
limos ezplendores do vero, .lenlameole exliucto
cahe folha a folha na lierva, e dia a dia no patsado,
escolhernos por algomas semanas um grato retiro,
onde a gente esqnece um poueo o re anguila domi
de Iteraran. Aqui, a nossa penna nao deizar de
ser liel sua tarefa, mas desla vez s lhe poder
Iranscraver de urna maneira um poueo mais conci-
sa, um poueo mais rpida, ossuccessos do mez pas-
sado, e todava se realsaram grandes cousas.
A guerra do Oriente deu um passo, Sebaslopo'
esla oceupada pelas tropas franco-inglezas. A10 de
selembro Paris e loda a Franca cont urna alegra e
conlraredade que contribuio para determinaro abor-
to que leve. Ai cortes forara convocadas para o !
de oulubro ; as faenes anda se agilam na Calalu-
nha.
A 16 de selembro, o joven rei I). Pedro V entroo
no periodo da sua maioridade, e lomoo as redeas
do cafado : este aconlecimento foi em Lisboa a oc-
casiao de ceremonias e festas de grande tolemoida-
de, que excitaran] o mais real eothoiatme.
A Inglaterra j esla preparando com grande acti-
vidade a carhpanha de 1856 para o Bltico. Trata-se
em Londres do casamento da filha mal velha da
rainha Victoria com o lilho mais velho do principe
real da Prussia.
Em Paris, omcoogresso internacional de estalis"
lica se reunid no mez pausado : lendo lugar depois
do que lia peuco se reuni em Hruvellas, linha por
mi-sjo, como elle, preparar a unidade dos melliodbs
e dos quadros para a veriucarflo malhematica dos
factos sociaes. Procurouelucidar ludo quaulo cons-
titua o seu prograiuma, a saber : popularlo e terri-
torio, produivo agrcola, induslrial e commercal,
juslira,c soccorros pblicos, vigilancia e eslalislca
especial das grandes cdades. Anda fez mais : cn-
uma emnr.iu ardenle, am aluzados em todas as! veilc'd de que a onidade dos melhodos suppoe a
parageus Ires despachos do general Pelissier datados
de 9 de selembro, e coucebidos noslermosseguintcs:
O assalto foi dado ao meio dia sobre Malakuff. Os
reducios e o Hadante da tyircuaeni foram lomados
com um enthusiasmo admiravel.aosgrilos de viva
o imperador.|Eiu seguida tratamos de nos alojar nes-
la paragem, e dah conseguimos apoderar-nos de
M.tl.itvlV, o Hadante da t^arenagem nao pode ser
conservado em consequeucia da potente arlilharia
que fulminava os priiueiros occupaules desla obra,
que a nossa solida instalar jo em Malakoff nao lar-
dara a derriba-la, assim como o Hdenle que foi to-
mado pelos nossos valenles alliados com o seu vigor
habitual ; mas, assim como no radeote da Careua-
gem foram obrigados a ceder aule a arlilharia inimi-
g e poderosas reservas. Avista das nossas aguias
que flucluavam sobre Malakoft, o general de Salles
operou dous ataques sobre o Basliao Central, que
uilo foram bem succeddos. as nossas .tropas lorna-
ram a entrar as uossas trincheiras : as nossa per-
das sao graves, e aiuda no posso precisa-las, su
amfilameolc compensadas, poisque a tomada de Ma-
lakoll'lie um Iriumpho cujas cousequencas serao
mmeotas.
a lirio verilquei que o ioimigo metiera a pique
os vapores : sua obra de destruirAo continuou de-
baito do logo das uossas bombas. A suecessiva ez-
plosao de minas em varios ponlos, uos obriga a def-
lerir a entrada ua praca que nao apreseota mais que
um vasto foco de incendio. Todava aperlado
pelo nosso fogo, o principe Corlschakoff pede urna
armisticio para tirar os seus feridos junio do forle
de S. Paulo, leudo sido a ponte crlala por pruden-
cia em viriude de ordens suas. E o valor das pona, e lera o respectivo algarsmo as-
sim que for cabalmente confie ido por 1111111.
Karabelnaiaae a parle dosul.de Sebastopol ja nao
existem: vendo o inimigo a nossa firme oceuparao
em MalakolTdecidio-se a evacuar a piara, depois
de ler arruinado e feito sallar por va dat minas
quasi todas as defezas. Passando a noile no meio
das miuhas Iropas posso asseverar-lhe que ludo sal-
tou em karabeluaia, e segundo o que pude ver, de-
ve ler acontecido o raesmo di*nle dos nossos ataques
esquerda. Este immenso Iriumpho faz a maior
honiyas uossas tropas. Dar-lhe-hei na promeaores
das nossas perdas, que depoi* da tantos combates
obstinados nao podem deixar de ser graves. Aina-
nhaa poderei precisar os resultados desla grande
peleja em cuja honras os generaes Bosquel e Mac-
Malion tiveram grande parte. Tudo lie possivel no
Tscllertiaia, e estamos meditando uisto. u '.
Nao he necessario entrar ua reprodcelo circums-
lanciada dos relatnos enviados ao ministerio da
guerra em Paris, para a vahar a importancia immen-
sa da victoria e a excellenle siluacao que assegu-
ra aos eierclos alliados na Crimea. A posirao do
exercito russo he revelada nteiramete pelo compor-
(amenlo do principe GorlschakolT, retirando
cendiandu a cidade e melle:
da conservadas no porto, ri
quadra destinada a escrarjScao de Conslan
cuufessando desl'arte
oppor urna resist
de AzoO, aniquilar
terminara a balalh
combate s liavia u
salvar o material ir
armazeus da prajaf
co resultado :
1 aaabu, assim
rario prever o que se
unidade dos meins de avaliar.1. nao recciou ence-
lar e resolver as grandes quesles do futuro que
leudem onidade moral dos povos, eslabeleceu os
pontos desla uuiformidade desejavel das medidas,
das moc la, das legislacoes, das larifas dos corraos
e ale das linguas, para a qual a Europa .-amicha a
passos largos.
O futuro desta nova scienca. a necessidade de ap-
plica-la utilmente s precises da sociedade bao sido
de (al sorle e lo unnimemente senldas.que vinle
ecinco ou Iriuta nacOes diversas se hzeram represen-
tar pelos delegados mais Ilustres nesta sessao, um
dos successos mais consideravers da poca pr-
senle.
O prncipe de Saxe Cobonrg (iolla veio i Pars n>
sslir us representares na academia imperial de mu-
tica, de urna opera da sua coinposirio,|de que da-
remos conla na nossa prxima correspondencia : as
oolicias Ibealracs e Iliterarias sio destituidas de in-
teresse. G. M.
PAK1S.
211 de selembro.
A grande noticia que lalvez ja lhe lenlia sido le-
vada por algum navio do vela, quando chegar-lhe
esta caria, mas que ineu dever de correspondente
liet me obriga a fater-lhe couhecer, lie : Sebasto-
pol foi lomada Em a noile de 8 de selembro loda
a cidade propiiainenle dita, islo he, toda a parte
meridional, onde seachain osarsenaes, osestabe-
leciineulos pblicos, as doca, foi evacuada pelos
Kussos, e os exercilos alliados tomaram pose della.
Agora s resta aos Kussos os fortes do norle separa-
dos da cidade por um braco de mar. A esquadra
nleira do czar foi quciinada ou mellida a pique.
Tal lie o grande Tacto deque a Franca e a lugla-
lerra cslao preoecupados depois de alguna das, e
que caba de jjausar na Europa ama profunda seu-
saro. Depois de um anuo de campauha na Cri-
mea, depois de onze mezes de assedio, esla cidade
soberba, oude os czares linliam gaslo no e-paco de
"0 anuos lanos lliesouros, accumulado lano meios
de alaque contra a Turquia, essa Cibrallar do
mar N'rgto, cabio em poder da Franca e da logia-
Ierra, e di-ssa esquadra orgulhosa que dominava o
mar Negro e que Iracoeirameute linha destruido ir
marinha lurca em Svtiope, 1180 resta mais nada,
absolutamente nada, nem mesmo um bote.
Como se fez islo ? porque prodigio de hibili.lade
e valenta, esta cidade, que pareca impenetravel,
cabio em nossa maos".' Na verdade parece urna
fbula essa pagina de historia inscripta pela espa-
pa de nossnj generaes as praias da Crimea : para
lomarse Sebastopol, era necessario apoderar-se im-
mediatameuic do forle Mal.ikoll', islo he, de umitas
forlilcares ebeias de canhors, protegidas por um
fosso de 18 ps de largura e 21 de altura, e guarda-
do por um exercito quasi igual cm numero ao do
alliados. Pois bem Malakoff foi tomada d assal-
to em puncos minlos, e nao obstante os esforros
dos Huesos, qoe por seis horas tentaran) rechacar-
oos daili, nossos bravos soldados cotiservaram-se
inabalavelmenlc naquella'posicao, fazendo urna
triucheira dos corpot amoutoados de sen ini-
roigos.
Eit uqui finalmente os tres despachos que cliega-
ratn soccessivamente a Pars nos das 9 e 10 a nos
informaran) desle gloriosos resultado.
a lien se o assalto a Malakoffv seut redueles co
le da Querenagem foram tomados por nossos
com um impelo admravel aos gri-
' Tratamos immediataman-
na
char em estado de
A expediento do Mar
ussos, de-
pois desle
que fazer para elle,
euchia o arsenal e os
* lier foi oblido esle uni-
cha em maos
pria praca. Fora teme-
passar agora, mas a opi-
*/.. A expedie
^Bvise do Ku
^tchernaia, dep
>ci
nio geralmenle acreditada he que as obras do norle
da baha nao formam um todo bstanle completo
para ser o puni de apoio de urna resistencia dura-
doura. A circumstanciis que obrgaram as Iropas
do czar a evacuar Sebastopol subsistem, e lites ve-
dam que ". expojihain a um novo assedio.
Assim, um primeiro e imporlaule resallado foi
alc.1nr.1do: con) ludo seria singitlar jllusSo pensar
quo tudo esl frito. Depois como antes da queda de
Sebastopol, as condires do equilibrio do estados
curopeus continuara a ser as mesmas, honlem assim
como boje, o que conven) a salvarflo do mondo civi-
lizado, he urna limitaran eflicaz das forjas espansi-
vs e aggressivas da ltus-ia, he o Oriento d'ora em
vanle livre das cobiras de S. Pelersburgo.he o Occi-
dente protegido contra qualqucr lenlativa de domi-
ni^ao moscovila, he a ambiro Iradiccional dos suc-
cessores de Pedro Grande reduzida a impotencia.
Somonte a lomada de Sebastopol, a evacuaro pos-
sivel da Crimea onde os exercilos russos se conser-
varan) difiicilmenl depois da queda do seu baluar-
te etsencial, resolveVn de urna maneira omnipotente
as indecises e interprclares conlradiclorias da di-
plomacia. Dizem alguus jornaes allemes que ja
novas negociare- eslilo aberlas unir a Austria e as
potencias occidenlaes acerca do sladiiarlual da ques-
lao do Oriente. O fac nao tem nada inverosmil,
mas se com effeito existem negoi-iaroes ende os ga-
binetes de Vienna, de Pars c de Londres, julgamos
que nao sao novas, poit que a alliauca de -J de de-
sembr anda subsiste. A Austria declarou recen-
temenle que manlinha lodos os principios e lodos
os comproinissos, e dahi retulla um estado perma-
nente de relaces e negociares sobre o reclmen-
lo dos traa h.s e sobre as eventualidades que se li-
gara a esla allianca. F'ora exlraordinario que a lo-
mada de Sebastopol nao tivesse ligorado desde muito
lempo oa primeira ordom deslas eventualidades.
Quaulo a Prussia, a sua siluarao he sempre a que
te lhe condece. dede o comecii do conllicto orien-
tal, tem com tudo vora o sen eiercilo sobre o p
d? guerra. Por quemtou contra quem?
Cre-se geralmenle que o Iriumpdo dos exercilos
alliados leuda alguuta influencia sobre a poltica
dos estados secundarios do mondo germnico. Ha
certameule algumas probabilidades ueste sentido,
mas as potencias occldentaes mui cuidadosas da ua
digoidade nao lera dado passo algum a esle respeilo,
e a sua accessilo i alliauca aogln-franceza ter 13o
volonlaria como tem sido a sua neulralidade ale
doje.
A llalla preoecupa sempre a altenro publica, es-
pecialmeule o reino das Duas-Sicilias: o governo
uapolitano se acha na siluarao maia critica, a inter-
vengo do aredi-duque Maximiliano d'Auslria t
leve por effeilo urna melhora temporaria, e depois
el-rei Fernando parecen nao querer abandonar a
gituaclo que maniera ha cerlo lempo a sla parle,
oem modificar a toa poltica. Tem circulado os
mais extraordinarios boatos, eo estado dos espiritas
te lem tornado cada vez mais assustador. Com ludo
noticias mui rcenles annuuciaram que Uvera lugar
um comeen de satisfacAo opinao publica, que o
director da polica napolitana fora demitlido assim
comiAi ministro da guerra. Aguardando acoule-
cimeolos mais graves, a Inglaterra enva urna es-
quadra s aguas das Duas-Sicilias. Pretender' ella
faier do Mediterrneo um lago inglez? Tem-se fal-
lado tambero na ressnrreirao da realeza de Moral:
dar-seda caso que a Franja queira intrometler-se
ueste negocio?
Urna grave differenca occorrida entre o Pieroonte
e a Toscana est em etlado de ajuslar-se por meio
de um compromiso enlre os doas governo.
El-rei Viclor Emmanuel mai incomipodado por
um momento em sua saude, se acha melhor, e vir
Paris no fim do mez.
Em Madrid, M. Bruil, ministro das finanras, con-
tina aapplicar lodos os seus cuidados a venda do
bens nacionues, e restauraran do crdito do
paiz. A raioha assignou a ti de selembro o prbjeclo
de regulamenlo eda orgauisacao do paco, c dizem
radenle da Ouereuag.
servado diante da poderosa artilhai
os primeros occupaules desta obra qu
installacao em MalakolT nao tardan
Mr, assim como o Radenle, coja saliei
da pelos nossos adiados com o seo vi,
mas, como no Hdenle da QsSUHI^'t^r-^-a""""
ceder dianle ilijriiu^ ^S/*f poderosas
'''"i'iii l---^g^^ii^^*^WH*r-niiii-iii.iri.lii em
^If'rl.iLollr^WeTdl de Salles deu dous ataques cou-
Iru o basliao cenlrat, mas foi mal snecedido e nos-
sas Iropa voltaratn para os seos enlrinchrirameu-
tos. Nossas perdas sao graves, nao posso dizei
alada quaes foram, mas foram amplaroeule com-
pensadas, porque a torre de Malakoff he um suc-
Oatatj, cujas consequenrias serao inimensas. '
Tal de o texto uo primeiro despacho que pareca
presagiar aluda tnuilas lulas; mas algomas doras
depois recebemos segundo despacho., que esclarece
stngolarmeule a siluarao : ei-lo :
O getteral Pelissier ao ministro da guerra.
Keducto Brancino 9 de selemdro. tres doras da
inauha. '
Karadelnaia tarrebalde de Sebastopol) e a par-
le tul da cidade 11A0 existen) mais. O inimigo ven-
do nossa solida occup.icao em Malakoff decidi eva-
cuar a (praca, depois de ler arruinado e feilo vbar
por meio de minas quasi todas as obras de de-
fe za.
Passando a noile no meio das inhibas tropas, pos-
so assegurar-vos que em Karabeluaia foi tudo des-
truido, e pelo que pude ver, o mesmo deve aconte-
cer em no--ns ataques da esquerda. Esle inmensa
tnecesso faz a miliar honra as nos vos-dei nina rolaran minuciosa da uossas perdas ues-
te feilo, que depois de lanos combales, nao podem
deixar de terem graves. 'Amanda poderei apreciar
os resultados dessa graude datallta, na qual os ge-
neraes Bosquel e MacMadon tiveram grande par-
le no ganho da victoria. Tud esl tranquillo 110
Tedernaia, e nos estamos alerta.
Finalmente quasi ao mesmo lempo edegou a Paris
o lerceiro despacho com riata de 9 de -elembro s 8
doras da noite:|eis aqui o seo couteudo: Hoic ve-
rilquei que inimieo linha mellido no fundo seus
vapore,-na odra de destruirn continuou dedaixo do
fogo de nos-as bailas e botabas. As mina faziam
exploso successivamenle eetn muilos lugares, obri-
gando-me a demorar a enlrada na praca, que ao
aprsenla mais que um vasto foco de incendio. E-
Irelanlo perseguido fortemenlc por nosso fogo, o
principe liorlscdakoff pede um armisticio parit le
varos fondos perlo do forte de S. Paulo, leudo si-
do corlada a paule por sua ordena por urna medida
de prudencia. Procuro saber a cifra das nossas per-
das, o qual vus remellcrei logo que roe for conde-
cida. Tudp vai dem, e nos velamos 110 Tcber-
uaia.
Algumas explicarnos liradas de iuformaces ulte-
riores esclarecerlo nos nossos leitores o sentido des-
tes despardos. No-da 8 ao meio dia em potito come-
ron o coraliale.Oassaltu foi tcnlaxln a principio so-
mentc contra Malakoff e o que se chama radenle da
Querenagem. guando o seneralPelissitr vio que es-
lava-mos scnliores dcMalakofl, fez aos inglezeso s-
- 'i-i I couvencionado e o general Simpson fez atacar
o pequeuo Hdente. Ao mesmo lempo e por oulro
siiinal, o geueral de Salles, que commaudava o bas-
liao central, arremeasou vivamente suas columnas
de alaque contra o Basliao central. Este quadruplo
alaque foi logo bem surcedido, mas os Hossos vol-
lando iiiniir hai.menle rom massas profundas sobre
lodos o pontos, onde os alliados n.i-i tiuham (do
lempo e fortilicar-se. couseuuiram desalojar-nos por
loda 1 parle, excepto de Malakoll. A lula foi ler-
rivel e a perda de lodos os lados enormes.
Mas nao obslaule eslas vanlagcns parciaes de nos-
soj niinigos, o succeiso do dia era uosso, porquanlo
conservavaiuos Malakoff. Desle poulo dominavamo*
a cidade e suas forlilicaccs, por isso o principe
liorlscdakoff decidise resolutamente destruir
quanlo pode com o auxilio das minas as obras de
defez, queimou 01) melteu a pique a esquadra rus-
sa toda nleira, deslruio os arsenae. e por meio
de urna ponle, que linda mandado laucar sobre a
nahia, prevendo o que acontecera, fez evacuar a ci-
dade por seus sollados, que refugiaram-se nos for-
tes do norte.
O pormenores, que nos chegam a cada instante
fazem o quadro o mais lerrivel do aspecto, que
apresentava Sebastopol, quando uossos soldados, de-
pois da partida dos Huttos, comecaram a entrar
nella. Urna s casa nao linha liento intacta e at
que eslavam menos maltratadas, lindara cinco ou
seis bailas. Um grande numero de feridos linha si-
do abandonado pelos Russos, e quasi todos estavain
morios ou moribundos, eslaudo lia dous 011 Ires
das faltos de lodos os soccorros O solo linda sido
minado ao redor dos edificios principaes e era ne-
cessario CJiiinbar coro a maior precaugAo, porque
muilas deslas minas uao liuliaui feito anda explo-
sOes, e a cada momento ouviam se dclunacoes
Urna ompauliia de botnbeiros fraucezes, que linda
sido enviada por precaurAo, presin nesta occasiAo
grandissiinos servidos; apagou por toda aprteos
incendios, de modo que Sebastopol pode ser oceu-
pada por dous regmenlos nossos. que ficaram de
Hitrmelo debaixo do commando do general Bazai-
ne. Conslruiram-sa ja algumas baleras e de espa-
co a etpaco da urna (roca de dallas e bombas en-
tre nossos artildeiros e os russos dS forle do norle ;
mas nao de este o negocio mai- importante, porque
e-tau.os sendores absolutos do porto, e temos couse-
;(,u guido nossa fim principal anuiquilando a esquadra
russa. Agora espera-se urna campauha na Crimea,
que devera brigar o general Unrlsclwkol a pastar
oulra vez o isllimo de Perekop e abandoutr s 001-
Ainda que os Russos relirando-se pozestem fugo
por (oda a parle, adiamos cora tudo islo ricos des-
pojos em Sebastopol : quatro mil pecas, cincoenla
mil bailas, quaolldade euornv: de plvora licaram
em nosso poder, e ot generaes alliados astAo oesle
momenlo oceupadot em fazer o inventariif deste ira-
meuso material.
Tantas vantageut nao foram oblidas tero grandes
perdas ; calcula-se que o luglezes perderm, em
morios e feridos, casca de 2,000 homent. A perda
dos Franceses he muio mais considerare! : o ge-
ueral Pelissier nao lem podido dar anda aeno cal-
clos approximadet, estimando a nossa perda em
cousa de 1,500 feridos e 1,500 morios. He orna cifra
enorme, sobretodo quando nesta lista fnebre vc-se
a parte que cahe aot nossos oflich.es. Sabe-se ja
pelos despachos telegraphicos que cinco dos nossos
generaes foram morios no campo de datallta, e sin
os generaes Saint Pol, Bretn, Macolle, Rivel e de
Poniere-, cinco mais ou mettos gravemente feridos :
os generaes Bosquel, Mellinel, Lanolle-Kooge,
Colisin e Brisson. O general Bosquel p mais hbil
e o mais respeilavel de lodos, e comiiiaudanle do
segundo carpo do exercito, foi mui gravemente fo-
ndo, se bem que baja esperancas de salva-lo. O
seneral Bosque! foi quem cummaudou o assalto de
Malakoff.
As recompensas, as promosses, as condecorarles
nao futanlo ao nosso bravo exercito. como teslemu-
ndo do reconliecimenlo do imperador e da Franja.
O general Pelissier foi nbineado marechal de Fran-
ca ; o vce-aliniraiilu Brual, o mais bravo dos not-
aos marinlieiros, foi elevado ,1 diguidade de almi-
rante.
A tomada da lrre de Malakoll c de Sebaslopal
foi celebrada em Franja com regozijos pblicos
eram-se em Paris 101 Uros de candAo de manhaa
e de larde ; canlou-se um Te Deam solemne em
Nolre Dame na preWBca do imperador e do todas
as autoridades, e os lliealros foram gratuitamente
abortos au povo, que aprecia este genero de diver-
limento. Em nossas pequeas aldeias douve illu-
1111 njran e fogo de artificio, e posto que bora nume-
ro de familias estn coudemnadas ao luto por este
Iriumpho, que cuslou a vida a lanos bravos.
A alegra publica fui acial em ra;. 10 do esplendor
que este feito d as uossas armas. Os luglezes lam-
ben) regozijaram-se vivaineule, poslo que tenham
contribuido menos directamente para a victoria,
mas como povo calculista, coioprehendeu que as
vantagens da derrota dos Kussos sao adquirida pa-
ra nos como para elle-.
E entretanto ha urna observacao particular. A
bolsa de Paris e a da Londres ap'enas experimenta-
ran) um pequeuo movimcnlo de aira coro a noticia
d.TIuin.i.la de Sebastopol, e logo depois lodos os va-
lores abaixaratn com urna precipitacao espantosa, c
essa tendencia para a baixa existe anda uo momen-
lo em que lhe cscrevo hit muilas causas para esle
descrdito; a primeira e a mais activa he a mu co-
Iheil.i. Pela tercena vez urna parte da Europa oc-
cidental, sobre ludo a Flanea e a Inglaterra nao
produzem este anuo o trian uecessario para seu con-
sumo, tero anda de pedir no eslraogeiro, especi-
almente aos Estados-Unidos da America, grandes
quantidade de cereaes. Esla insufliccncia lem con-
loo resultado inmediato elevar em proporeescon
sideraveis o preco do pao, e obrigar ao mesmo lempo
a exportar unta graude quantidade de numerario e
elevar o jaro do dinheiro, ditninuimlo excesiva-
mente a reserva metlica dos dous grandes- bancos.
Huta causa, que influe sobre os fundos pblicos
he agilarAo demaggica, qoe a eommistao revolu-
cionaria de Londres procura derramar na Europa.
Nunca os artificios da anarchia foram mais activos
do qoe agora. Mazzini inuudaa Ilaliacomsuas pro-
clamarles incendiarias. Kossulh tegue a mesroa mar-
cha ua Allemanda, e enlre nos, o chele de nossos
demagogos, l.edru H-Uiu provoca incossanlemenle
seus partidarios insurreicao. Creio queja lhe fallei
de urna tentativa, que leve lugar em Antuerpia no
fim do mez pastado, quando pretexto de pedir
p3o, Irezenlos ou quatrocentos veldacos apresenta-
ram-se armadona portas da cidade para a entregar
pildagero; fetizmeulc liavia na cidade toldados
qoe 01 rhamaram logo ,1 orden). Um fado anlogo
leve logar cm um das nossosdepartamento meridio-
nacs. visindo da fronteira do Pienionte. Alano- re-
fugiados polilicos linham-se reunido em Nice para
peuelrarem em 1 rancie proclamaren) ahi a repbli-
ca democrtica o social. Nossos suardas da alfandega
foram suflicienles para os repellir, mas esta tenta-
liva contribuio muito para espaldar a inquie-
tarlo. Todos pensam no perigos, que correra a
Franca,se o imperador viesse a morrer. Os demago-
gos -abe.il perfeilamenle que o imperador de o che-
fe da abobada do uosso edificio social, e uesta quin-
zena liveroos orna nova prova de seus criminosos
desiguios.
lim enligo condemnado poltico, chamado Belle-
m.ir, 110 dia 8 do crrenle, destecho!) um tiro de
pistola sobre um dos carros da corte, creudo alirar
no imperador, qoe se diriga a urna repretenlacao do
Ihealro italiano. As nossas gazetas apeuas mencio-
naran) o laclo, porque o imperador oAo quiz, que
se uzease o menor rumor. O individuo foi preso e
depois de um pequeo un feito secretamente,
ncerrado como louco em Bicelre. Elle nao est
le lon^-aj, mas yira a se-lo ; he o mai
slujjVe o mais proprio para evitar que
antes crlme.
8 de oulubro.
i entrar as minociosidades, que nos,
- as parles sobre a lomada de Serlas-" mmD'i
ira lhe iu-asf.r. Neala quin- u
cetiivaijasV S,ui relalorios
^mmm aos quas vi-
commaudaule da eu-
enlidria; alera 4iHo geaeral Simpson, o do
general La .MarmoraVrVBmmandaiite do contingen-
le sardo: a estes documentos ofliciaes deve-se juntar
um numero inliuilo de correspondencias, que allluetn
em lodos as uossas gazelas de Paris e dos 'departa-
mentos, e algumas das quaes su inleressantissimas
e inulto pitlorescas. Infelizmente fllame esparo
mndenle da guarda municipal, 0. Cario Mascare-
tilias. Islo ha de fazer aenseco uo parlidtsjaAem-
britla, e mesmo uo ministerio actual, porquaBata es-
pada de a mais aliada do bando cabralitta. Talvez
porm o joven roonarcha lhe mude a cor, porque,
Como te sabe elle 11*10 tem nada de cabralista.
A balela qoe tem feilo correr algn jornaes, be
que Lopes de Meuduuca vai para nosso coutul 110
K10 de Janeiro, nao teto fundamento nenlium. Que
Joao Baptitla nao da de (star all moilo lempo he
cerlo, mas nao ter ette o seu tuccestor.
Uo Lopes de Meodonca, o qoe ha da positivo ha
casarse domingo com a filda mais nova do Street,
mas cora pequeo dote, porque s lhe d urna me-
sada de -> >sOO0 rs., com qoe o pobre rapaz lhe ha de
cuitar muito a viver, porque o qoe lem da Recoluco
de Selembro, tambero nao be mullo. O casamento
he feilo r,mira vonlade do pai della, e por isso mal
recompensado. A respeilo do vico-consulado de
Pernamlnirii ver o que lhe digo pelo D. Marta II.
A Patria anda nao tadio. A historia da incuba-
rn e parlo desle jornal be curiosa. Dar elle bom
burro ao dizimo ? Esperemos.
e urna galera cosmoramalica, qoe entre outras vis-
tai, lem apreaentado ao respeilavel publico, a to- '
berba e arrugante praca de Sebastopol, ficandoette
diverliinenlo junto a ota restauran!, no qual nao
pnucos poderam tambera ver, por um oi.'ii'o a meuoa
que nao queiram entrar em combate, o rigidot e
amolados queixos a fuurcionarera como dignos ins-
trumento! da estrategia de muilos coripeOes, solla-
" odo desabridamenle as fraga! mi.ralbas de um
LISBOA
13de oulubro.
Esl .ii-.-l.iiii.iilo rei de Portugal e Algarves o prin-
cipe real D. Pedro, primognito da rainda D. Maria
II de saudosa memoria e de D. Fernando Saxe Co-
bourgo tiutli.i, que a mesma augusta aendora rece-
dera em -canudas nupcias, o novo soberauo de 5.
de ooroe na successao desles reinos.
A 1(i de selembro, dia em que S. A. 11. perfazu
os seus. 18 anuos, idade marcada pela caria consti-
tucional da mouarcliia porlusueza, para terminar a
menoridade ao auccessor da diuiuaslia reiuanle, pe-
las 11 horas da m.ioh.ja, o marquezda Hibeira Gran-
de, alferes-mr, assomou a varaiida principal do
palacio das corle, acompandado dos res d'armas,
leudo na mAo o estandarte real; eulo n rei d'ar-
Porlugal bra-lou tres vezet: alieu.-.lo em seguida
o alferes-mr disse : real, real, real, pelo muito al-
to, muito poderoso e fidelissimo rei de Portugal o
Sr. D. Pedro. V., viva desenrolaudo a bandeira
incontinente.A mullidAuque alulhava o largo do edi-
ficio descobrio-se, corretpoudeudo gravemente, e a
Iropa que all eslava postada em alas saudou ao
mesmo lempo conforme a disciplina. Tret vezes
liradaran rei d'annas : altearan e de cada urna,
tres vezes. I res vezes logo ero seguida, de cada
urna, das do rei d'armas, repeli o alferes-mr o
mole supradito.
El-rei que s 10 horas chegara da sua real mora-
da por enlre as alas, precedeudo llie o cortejo deter-
minado para tan solemne aclo, lendo entrado na
sala descamaras com o ceremonial,da etiqueta, lo-
mou o regio lugar ; o regente fez ama allocurn as.
cmaras, a que responden o da dos dignos pares,
seguiudo-se o juramento do novo soberano, como
indica a cnisluicio sobre um livro dot Santos
Evanseldos, no quaL,eslava engastado um crunlixo
dourado, fazendo depois um breve discurso allusivo,
com sanaue fro ; lindo o qu-, o alferes-mr bastean-
do o estandarte acclamou re de Portugal o Sr. D.
Pedro V, com as mesmas palavras que depois veio
repetir a varaoda ao som da arlilharia do Caslello de
Sau Jorge, que aunonciava a Lisboa a inaugurado
da nova coroa.
Encerraram-te as cmaras, relirando-se SS. MM.
com (oda- solemnidade, e dahi a poueo, appareceu
el-rei na varanda bem como seu augusto pai, e os
infantes seut irmo. Asjanellas atacaram-se de
personagent esenhorat, o duque de Saldanda, com-
mandanle ero edefe do exercilo mooloo a cavallo e
com o baslAo de marecdal na mAo direita acclamou
rei de Portugal'o Sr. D. Pedro V, recoldendo-se SS.
MM. depois de feito itlu. A corte as respectivas
eqoipaeeus foi em direilura da S, e bem assim o
real sequilo ; o. luzilo coche qoe condozia SS.
MM. lirado por oito soberbos cavallos, magolfica-
meule ,-ajaezados fechava o prestito, seguido pelos
corpot de cavallarin.
Cltegados que foram a S, apearan) se dirigindo-
te porta da C1lhedr.1l, debaixo de palio levado pe-
la cmara municipal', onde 09 receberam o patriar-
cha enm o cabido, que os acompaoharam lambem
debaixo de paldo pelo templo a-dentro. A tropa
neste comeuos lomara posicoet con,ementes. Aca-
bados os ollico da igreja, sahiram SS. MM. da
mesma maneira e vieram para opavilhao no Terreifo
do Pajo, e all receben el-rei as chaves da cidade,
que Ibe apresentra o presidente da municipalidade,
pronunciando por essa circumslancia um discurso,
ao qual o monareda responden libenlissimameute.
O presidente acclamou por esta vez rei de Portug-*!
o Sr. D. Pedro .V. SS. MM. descendo do real
escabello collocaram-se beira do pavimento, o in-
fante D. Luiz, que durante a ceremonia da cmara
municipal Uvera aleado o estoque, distinctivo da sua
dignidade de condettavel do Reino, ficou a' direita
do soberaoo, do lado opposto eslava o ja' ex-regenle,
acercando-te dos augustas personageot, os grandes do
Reino, o ministerio e de mais magnates presentes.
O alleres-mr arvoroo o estandarte, e as Iropat co-
mecaram a pastar ero coulincnci... Rompa a mar-
cha o marechal, em-^ii^arrmrirMiextra o bastao do
Foi lido o seguidle
EXPEDIENTE.
lim ofticio do Exm. presidente ila provincia, cum-
muuicaudo, allm de qne, quaulo a 11 le (ralasae a c-
mara de eflectuar a irrigacAo daa ras, que a coin-
panhia de Bebiribe harta annoido ao convite que
lizera, de franquear graluilamenle seus chafarizc .
ellt rorae"ento d'agua necetsaria a mesrou irri-
gacao, declarando poretn qne, para se evitaren) abu-
-?i ,,,n V f05,a convenciooado enlre ella e
? ? arorndoro,nK!O di.lribulco
?iag. ?,'I7^ ,com,"1<' *> Polica, para con urgeV
iiu 1. a nM'ehrrp*jlucom cornpaohia.
""'" D'-'hBre im,Kit' >Pndedo qoe
nao parliudo delle ero lhe con.laodo Soe livesse si-
do proposl. ou emanada de au.orid.de coropelen-
le.ordem alguma proh.blodo a vend, da b.lata rai-
nha, logo que lhe con.lou lio maligna iuvencao e
d.r.gr. 10 delegado e subdelegado deti. tS'Z
sentido constante da circolar qoe> por copla remel-
teu.o qoe responder o delegado aot termos do uf
ficio que lambem eaviava por cpi, o que ludo
sendo publicado no Diario de l'ernambuco, proda-
zio o effeito desejado, fazendo desapparecer seroe-
lliante embuste, e continuar o abaitecimeolo do dito
genero no mercado, mai que todava nao cestava a
polica de empregar loda at diligencias pomveis,
para deseobiir o autor ou autores desta falsida-
de.Inteirada.
Oulro do fiscal do Recife, dizendo que nao sabia
d onde partir a prohib.icao da vende das referida
batatas.Inteirada.
Outroi(-2) dos fltcaet deala fregueiia e da Boa- s-
*" commuucando o mesmo.Ioleirada.

pan
Hadante de pretuutn, ou urna Malakoff de pastis !
, se a iso reunirmos o fuellar dai facat e garios, o
bater do pralos, oeilouro do champagne, o vivo en-
tusiasmo de todos, reremos, qoe a vista animada que
nos oferte o restauran!, nao de menos importante
da que aot aprsenla o coima-rama. E fe i todo
etset diTOftmenlos, qoe nos di o lico'.y, accresceu-
larmo f rifa montlro, na qual nAo ha premios bran-
co e o que mait he, ette movimento ncessaote dat
onda da moltidao, espaldada por toda a parte, rei-
nando em ludo.a melhor|ordem ponivcl; ver Vmc.
que podemos ufanamente dizer, que ein nada temos
a invejar as sua Uo gahada testas de S. Amaro, Po-
co, Apipocot etc. Entre ni, nao faltara lambem
os bailesi particulares, dados uat cosas que iieam naa
immediacOes da igreja.
A noile da antes de honlem. foi all em tudo com-
pleta ; porque alm do mais, offereceu-noa o livoly,
iim.peq leo, mas briltianle fogo de artificio, sabido
daa maos do hbil pirolhecudico Loires.. digno disc-
pulo do Otli, este metmo qae preieiilemenle em
Lisboa, ja' deve ler arrecadado boa lonuna de pata-
cos com os fogos, aprsenla los por occ.ltiao da ac-
clatnarAp do Sr. D. Pedro V.
Basta de narrar-llie ot succetsos da nossa retn
que vai o?mameute passando e dr-culpe-me al] Oulro do litcal de S. Jos, dizendo que,'por mais
indagaedes que lem rail nao mu* ,ur,.i-.r!.____
guma coutaque adi lica ; e que sahindo da peona
de um carranca, como eo, nao dexa de ter de al
gum modo pelitcavel, ha muilo que nao sabia do
neu serio, estou de maro. Vamos, pocem, ao que
resta digno de mncionar-se.
Como lhe dise em urna dat minhas ultima-,o Jo-
s dos boiziuho e Joda a sua sucia, co 11 posta lam-
bem dos beduinos do Progresso, esperaran) aiicio-
tos que se lindaste aquarentena que deliiiba na Pon
ta d'A rea, o senador A. Munii, segundo viee-presi-
dentee a quem em razao dos incommodos do barao
do Tur\-assii, infallivelroenle o Exm. Vieira Ber-
forl tena de entregar a redeas do governoa lim
de entre outras medidas qoe el les ardenlemente am-
bicionaran) pr-se era pratica por qualquer phau-
laslico motivo a prompta uspencAo da cmara mu-
nicipal,em razao da prxima appuraro geral dosde-
putados provtuciaet. A niaiorV da cmara sendo
governista, bem v, que tal medida para doment
da laia do Jote, he de palpitante uecesnidade, muilo
eindora nasceste da maia revollante iunnuralidade.
Tal suspeucao dara lugar a toda estas falsifica-
es, palmeadellat de votos, e inmoralidades de to-
da a especie como soe sempre pratica-las o grande
Jos dos boiziu los, loda- at vezes queie acha no cam-
po de qualquer especulativa empreza. Alem dessa
bomba asphixiaule, lindamos tambera segundo elle
propalara por todos ot cantos, a s ispea,ws e de-
mtaet em massa, nomeacoes para ai e para os seu!
Era na erdade um co de Mafoma sondado pelo
encandecido cerebro do nosso deroe... Od! que chu-
pailellas nao dara elle na lelas da burra provincial!
Que cura radical com 13o succulenlo hile. nAo leria
elle dessa lerrivel pecanilrites, de qot- sollre desde
que so acibarara 01 feriis tempot da inuiiii laries
llegidias! Tolo isso eram verdadeir.n, planos de
ataque ou antes verdadeiros saques com que elle
londara em sua imaginaran astandada pela cobica !
Mat! Oh! coutas transitorias des.e mondo! O
Toeanlir eulrou no dia 13, na vespora em que
qoareulena do Sr. Angelo se findava, e por elle che
ga a noraear.lo desle teiihor, de segu do vice-presi-
denle para sexto, e o Exm. Sr. commeodador Viei-
ra Belfort por expressas ordent do governo eanti-
nua tas redeat da administrarn, al que edegue
o presidente nomeado o Exm. Sr. Crut Machado!..
Esla indicia foi urna verdadeira decepi ao, que pros-
trou o nosso Jos, deixaiido-aaen) na abatimantn
tal, qne nem atdislraces doTvolv, nem o baile
philarmonico do Sr. Zeigler, aunde eu lite a occa-
siao de o ver, poderam traser-lde ao magro carao n
menor vislumbre da alegra, que por loda parle
reinava!
Como lhe disse em urna das ultimas, boje em dia
ealou firmemente capacitado de que, anda mesmo
quaodo o Sr. Angelo tomaste cotila da a Imiinslra-
i;ao, nenlium dos grandes amibos do ezinho se re-
alizara !! O Sr. Angelo na elevada posicAo que oc-
cupa mal pode lobrigar seitielhante individuo,
quaulo mait preslar-se a servir-lhe du igoobil ins-
Irumenlu a seus hediondos planos!.
Coro o /.ezinlw, etcuaado he dizer- de, que (odot
os da sucia igualmente soffreraro. (i anda muito
mais os quatro ou cinco da malilda Jo Progresso,
que como j lhe conlei, se lhe hsviain ajumado em
homognea fozao!
Nao fallarei iadividualroenle de 1 ida esta arraia
uiiuda, porque s cosluroo uccupar-11 e coro at sal-
enciat, deixandn aquella voltear-te im roda desla
sol rendo ou gozando das toas doret ta prazeres.
O Estandarte anida
nao toobe ixplicar-not a
seu posto, daiido-lln/ i direita, o cxrrmTai)da~nie*^ remocao do Sr. Aogelo. Aquella gente de Uo
primeira divisa^ojfflililar, u conde de Sania Maria rw cobarde, qae nao se atreve, mesmo na posirAc
tropa marcdayurem brigadas, a cavallaria forte di "de oppoticionislat, que sao, a fazi rcni a menor
800 cavallosfera moi vistosa. Seriara 5,000 homensjeensura ao governa geral, o ouico que parece ser o
ao todo. Al 4 horas dadas, SS. MM. regressarara responsavel de todas etsat decepces. pelas quaet tem
aos seas pacos reae, e a sirldadica foi a carnindo dos J ''' ado. I.imilainc onicameute i urna mes-
eus quarteis\()Tejxelro do_. jrrBlrnTopzil>S!r'''> de virulenU descomposlurat e ca-
y^a^ mella anarnecid^ Itamnia de toda a especie estampadas em ten digno
lans-Jafeitlet t;|asquim, coillrat/^r^iTi^nr^--ialdiii'Ae actual e
represenlartjlo as armas das
quando do |a\\lhao, em p, f
los pirenles, chrr(-*..iinrjir,ia;l.
estalua do D. Jos, o joven rei vi;
_ ipalidades. E/ ii'ssectariot^^obard'es, que S. ^
"o de seus augo4 J da faltidade, e a valenta da traidor',
gante, defionte da Jpais podem elles, te as ideas geraes que dividen)
. marchar os seus aiz, elles nao pnssuem um t representante y
subditos, em espeelativa lodo o seu povo, cercado ieus peusamenlos nAo se Iraduzem lora daqui: irVio
dos seus comeldeiros, o espectculo toruou-se ma- se ligam a grupo algum geral; por isso, que paria
gestoso. O sol desvanecen.io-se, ora sargia, ora tol- fclles, a nica poltica de o venlre, que iufallivel-?
clava-te pela nedrina. e teslemunhava assim o nua- 'menle deve encder-a cusa de lodos os meios osV
nova mageslade, que s pesava o sceplroJ roai imroorae !!..
que ella experimentoo em todo este negocio urna sai armas toda a pennsula d. Taurida.
para as levar ao seo condecimenlo. anda mesmo em
resumo ;xVimilo-me apenas em chamar sua alien-
cao, j qoe Vmc. faz algumas vezes extractos jud-
ciosos das gazelasinglezat, para asque se encontrara
uo Times o no Daily \cws. O que todas estas carias
particulares du cuino cerlo, he o bom humor e o
enthusiasmo dos nosaos soldado.*, os quae-creein que
de buje ero dianle ludo Uies de possivel e fcil, e
que se consideran) pelos domensmais felizes, porque
a lomada de Sebastopol os livrou do penoso Irabaldo
das Irincheiras.
Que te vai fazer agora ? Que resoluto se vai to-
mar a respeilo de Sebastopol Logo qoe a noticia
da lomada foi|conheci la, di-ser.nu que o primeiro
cuidado dos alliados seria acabar a destrincan das
i-.irinicares enmecada por nosias bailas e pelas mi-
nas do inimigo, obstruir o porto, fazendo inabilavel
para sempre este poni da costa, onde a Russiacon-
teve al aqui suas mais lerriveis antearas contra
Constantiuopla. Peusava-se que era etle o meio de
conseguir umdus lim principaes da guerra, tirando
de boje em diante Rusa toda a possibilidade de
domiuio sobre o mar Negro ; mas logo depois nos
veio do campo adiado a milicia de que se linha to-
mado uma determinar inlelr.uuenle contraria.
Em lugar de arrazor Sebastopol, o general Pelissier
fez restabelecer e armar suas principaes forlifica-
res, e para explicar-se islo, aprescnlain tres razes
muilo plausiveis : em primeiro lugar, convm aos
alliados vencer o mait cedo que for possivel os for-
tes situados ao norle da baha, e que eslAo anda em
poder dos Russos. Eslet fortes, que nao podem pro-
longar sua defeza, urna vez que o exercito do prin-
cipe liorltcliakoff leuha sido arredado de Sebastopol,
podem embaracar nossas operarue, em quanlo esle
exercilo ettiver uas vitinliaurasda piara.
Em segundo lugar tem-s de fazer na Crimea
uma r.impanlia e Sebastopol dever ser nossa base
principal de operares, porque he por esle porto
e pelos de Kamiesh e Balaklava., qun o exercilo se
conservara uiiicommiinicncau rom a Franca e Ingla-
terra : tinalinenle segundo loda a probabilidade, as
Torca alliada devoran patar anda um invern na
Crimea, e uesle caso impoita dar s tropas acautona-
meiilos IAo cominodos como pacficos, o os quarlei-
de Sebastopol Ao inliuitamenle prefe.iveit ao triste
abrigo.qne no invern pastado lites davaiu sn.is bar-
racas.
Esla campauha na Crimea, j comcrada provavel-
meule, faz Irahalhar ueste momenlo ludas as imagi-
narnos, s generaes alliados guardam a respeitu de
suas operarles o segred mai absoluto, eVmc. com-
orelieiideque boje, qoe te trata de estrategia, a me-
nor indi-ci ir.io seria um aviso dado aos Kussos.
Por tanto 11A0 se tabe nada alisollilamente sobre o
plano dos nlliado, apeuas < condece'por vagos indi-
cios os iiinvimenlus dos exercilos.
O que parece cerlo de que a cidade de Eupaluria
vai representar um papel importante. Situada a
pomas leguas ao norte de Sebastopol, no caminho
que vai ao. isllimo de Perekop, Eopatoria linha sido
oceupada al aqui por uma guarnirn de algans mi-
niare de Turcos, e guarnecida da obras de defeza
por um deslacameutode Fraucezes. Hojeremllese
para aquella cidade rehreos considerareis., de modo
que se posta ter alli un venia leiro corpv de exer-
cito de una trnla mil humen..
Em quantu ot alliados se fortifican) no lado direi-
lo, parece que se eslendem para a sua esquerda no
valle de Raidar, posto que o grosso do exerciln con-
serve sempre suas posiedet no Tedernaia. De lodat
as parle e-pera-seem bteve um feito grande o de-
cisivo; dizem que os Kussos o desejam, e eitou cer-
lo qoe nosso soldados nAo querem oulr cousa se-
11A1) satisfazer seus deaejos.
LISBOA.
13 de oulubro!
Faca estalp.ira lhe participar que linha j (egarado
miiida, a nossa correspondencia, pelo vapor D.
Mara II, que sesuppuulu sabir ainanliaa pela 10a-
nliaa, mas que Irau.ferio a partida para o dia 17. A
cartas que te franqueiaro aqui, sAu como as alma
que caliera 110 inferno, au at reslituem, por isto lhe
faca este aviso por este vapor inglez.
As uovidades lambem sao poucas. Os empreilei-
ros do caminho de ferro de Sanlarem. perdern) na
rolaran desla cidade, o aagravo que liuhain inlerpos-
tp do despacho do juiz de primeira instancia que lite
(inda mandado entregar at odrat e materias! eom-
.aina pertugueza. Agora lrala-te de fazer urna
composicao. El-re D. Fernando foi buscado para
empendo e juiz de paz nctla desavenca, mas o uego-
cio esta mullo remissode parle a parle. Veremos o
que siirgat.
As obras continuara, mat lem chuvido tanto, ha
quasi mez c meio, que ditlicilmenie te poder con-
cluir este anuo.
De poltica nao ha nada notaval, excepto dizer-se
coro bom fundamento que o Sr. D. Pedro V. sem-
pre chama par. seu ajudaute de campo, o ex-com-
Pouco lempo depois a inullidAo escoando-e pelas'
ras vollava seus lares pensativa, enlAos o r-
bombo doscandesapregoava que mais uro rei ,-lw-
via na Ierra.
A' noile, o monareda foi ao (dealro de D. Maria
II, represeulva-se o drama do illuitre Garrell. Um
duto de Gil Vicente, e pela primeira vez a comedia
do distincto dramaturgo |Mendet Leal. A derau-
ra do cdanceller; porm 11,10 assislio at ao lim,
mandando dizer ao autor da nova prodcelo que em
oulr occasiAo veria a toa fortuna litteraria. Este
procedei de magnifica corlezia agradott muilo. .
O dia 17 passou-se no cortejo do paco, a ceremo-
nia do Iioij i-in/ 1. banquete nolavel pela concurren-
cia e cuidado apparalosodas etiquetas. Tiveram lu-
gar estas solemnidades no palacio d'Ajuda. O largo
eslava IAo bem oruado; mas uao no doleremos na
discripcAo dos ornatos pela carencia de bom goto,
qualidadoque fallan a pussoa que os superiuteudeu;'
apenas a rica banda de msica que all locava f.i/.i
esquecer o mo effeito; reslando-lde a roesquinliL
desculpa de que 11A0 hotive fallada boa vonlade.
Nessa noile Coi el-rei a San Carlos, o espectculo que-
rido da alia sociedade, eslava abarrotante de gente,
as teuhoras vestidas a corle resplandecan) com os
adereros e cuitoso toncado ; infelizmente a corapa-
uhia 11.10 con espondeo as esperancas dot dileclaiites;
ma o luziueulo dos espectadores, a augusta 11 escu-
ra do soberauo preoecupava muito mais us espirites
do que o cantores.
A grande parada foi no dia 18, em Campo Grande,
bonito suburbio da capital; os corpos linha 111 orden)
de estar promptos nos quarteis as tres horas da ma-
ndila, ao romper d'alva pozeram-se em movimento,
lomando a direcco predcta ; toda a Lisboa la foi
parar. O marechal duque de Saldanha commandou
na dignidade de sua palente. El-rei passon revista
seguido de seu ajudaute de campo, do estado maior
geueral, e depois veio para Campo Pequeo, que ti-
ca contiguo; e alii arvurando o alferes-mr o estan-
darte real, destilaran! a Iropas marchando em con-
tiuencia.
Nessa noile a familia real foi para o torreao da se-
cretaria le guerra ver o fono de artificio.
O paquete D. Maria II, por commndidade dos
passageiros Irantierie a partida psra 17 do correule.
Apressemu-nos em fazer o uosso correio pelo inglez
reservando para o primeiro mais noticias tobre o
Testejo e oulros incidente que vAo decorrendo..
Ali Sacha'.
ITEBIOR.
CORRESPONDENCIA 1)0 DIARIO DE
PEH.NAMBUCO.
MARANUA'O.
S. Luiz -20 de oulobro.
Creio qoe fallarei redondamente aoque na miuha
ullima Ibe liavia promellido. Esperava muilo e moi-
lo .los successus, mas etsrs fallaran), e com elles,
rallara! eu lambem. Bem ve que a culpa absoluta-
mente I aliando, u-o he miuha.
Comerarci estas poucas linhai noliciaiido-lha que
a saude.publica he a melhor possivel : por ora, gre-
cas a Divindade, grecas a forle qaarenloua, que o
governo sabiamanle tem mandado observar, o cho-
lera ainla nao no assallon.
A morlalidade lem sido demasiadamente regular,
ao poni de nao ter liavido um s oblo, nos din l.
e 17 do correle, em toda esta capital, que contando
vinle e lana mil almas de popu'.acao, de cousa que
de cerlo deve merecer admiracao. 1>i boa nos ha
sido a quadra acta com a sua viracAo produzida
pelo* ventos geraes e suas noiles de toberbo luir !
Prende aetualiuenle a geral altencAo. a nossa ea-
plendida festa dus Remedio, lugar que como da de
saber, he um quasi arrabal.* desta lormosn capital.
At novenas do eslylo lem sido coocorridas com
verdadeira endiente, dando desse modo tetlemunbo
do espirito religioso e folgazAo, que distingue o 110a-
so povo ; o devoto eo jauola enconlram no mesmo
lugar ot predilecto, objerlot do seu culto. Alm da
grande festa religiosos leraos em pequea distancia da
igreja, o licoly que ollerere au publico de cerla ca-
lliegoria, mediante a bagatela de 30 rs., um mag-
nifico salAo coberlo de copadas maugeira, anude
primam a da usa, a alegra embriagadora dos hrrao-
iiiosos sous de uma banda de msica ; tuii isso pre-
sidido por reutenares de luzes, pelo aromada flores
e por militares de estrellas vivas, quaet sejam os
meigot 0II101 dat nossas bellas patricia,que;ein nada
lem a inrejar o fuzilar dat estrellas,e o fruuio clario
da la, qu.i preseulemenlo se ditlanca na rasta abo-
bada de um reo sem iiuvens. Alm deesa distracar
do salto de Flora, quati que ollerecida t peritas ao
espirito, que contraste temo outras, nlo menos
iulerc-santes: cadeirat cavallindot inovendo-se no
rea, em dirercAo oriaonlal perpendilar a em forma
oscilatoria, ollererem muilos momenlos de rerda-
deiro prazer. Alli existe tambero diverlimentoi de
innocente jogo como teja a ingracada pitorra japone-
za, o aapo,a roda da loriuna, a pomba, o diutmeiro,
Fiel ao pensaraenlo do governo geral, S. Exc. o
8r. commendador Vieira Belfort, caramba ovante
na senda Irilhada pelo fallecido e sempre lembradu.
Sr. Dr. O. Machado. Com a preciso necessana e caro
esse tlenlo deque he dolado, lem se torna lo iy-
canaavel em empregar toda as melidas que jnlga
mais necessarias ao engrandecimeulu da provincia
qoe o vio nascer. Firme ueste proposito, lem elle,
combinando as conveniencias polillo is, distribuido
algum empregos em quem acha verdadeirot rocreci-
inenlas. As pro vid ncias por elle dada sm orden) a eri -
lar a i 111 parlarn do cholera, dao-'lhe hgitimo direito
ae respeilo, ou antes as benitos de todos. Coudoen-
Jo-se da orle dos miseros presos, qua em acanhad.
cadeia aonde jazem, alm de formaren) um foco, de
borrivel emanacAo, produzem a mitlira do grande
criminoso, com o limpies culpado, acaba de mandar
fazer as competentes reparaces 110 r.iio ja concluido
da cana da correcco, eisa obra, na qual tendo-se no
lempo do Sr. Costa Ferreira, gaslo para mais de
dO contos de ris. ahi jazia em comp eto abandono,
roslando apenas um abrigo aos indigente, e offere-
condo aos olhos do publico uma prova da nossa in-
curia... Acaba igualmente de muid, r construir um
maguilico poco no interior do qu.rlel do campo de
unque, cuja obra esl em roaos, debaixo da vigi-
lancia do major de oiigenheiroa J0A0 Viclor Vieira
da Silva. Acaba finalmente deleXoedir um regula-
menlo par. o rgimen interno da sijetelaria do go-
verno, que em sea generu. pode servi r deSaodell
Surdo aos gaidos da calila estrellada, nAofeW.
sentida que uro s insulto se troque com os que tUa-
riameule aquella gente lhe lauca; -oauinio al-
nisso a marcha do ultimo administra lor. Este pro-
cedimenlo, lilho da trauquillidade da sua conicenci,
e desla elevada educaran, que o dislingue, nao lem
feilo arripiar carreira aos lae soso, que to abtolu-
lanieute iucapazesi em sua lerrivel htdVophobia, de
comprehender os linos iuslinclos do bro e do caval-
leirismo...,
Continu S. Exc. sempre assim, que nunca deixa-
ra' de ser devidamente apreciado por lodos o lla-
men da mai simples educacao.
leuho politicado demais, e por isso deixe que pas-
te a d ir-lhe uma noticia, que ten) causado sua talit-
fac,lo aos nossos dileclantes: quero fallar-lde da pr-
xima chegada do emprezario Sr. Ranionda e da sua
grande companhia de canto. Eis-shi o Irecdo de
urna caria daquelle Sr. escripia ltimamente de Tu-
11,11 Estou vendo se arranjo umi bailarina ; a
operas quo eteollii para o primeiro anuo sito : Norma,
Luc. Linda de C|iamouuil, Belisario, Exir, -Gem-
ma, i; irheirn, Bealrix de Tenda, Filha do Rgimen-
lo, Purilano, Eslrangera. Lista dos celebres artis-
tas. Primeira dama absoluta, a celebre madama
Adele Rostetli liebussini, primeira cama Mil: An-
giolina Zamboni Remsini. primeiro tenor absoluto,
Reroorini, primeiro tenor, Domingos TernavMio,
primeiro bartono absoluto. Jos Dippolito, primeiro
baixo profundo e b.xu bufo. Frederico Gallo-Tum-
ba. Segudda dama com primasia Justina Gaili, se-
guudu lenur dem, Cezar Savio, segundo baixo dem
Kicardo Kicardi : esle de lambem nestre dos coros
e gran ia professor, om corista baln, am idem te-
nor, meilre compositor e director 11 Sr. Fahio M-
ximo Caara.
Rsp iro contratar anda ama primeira dama a nma
bailarina.
Clcale agora Vmc. que bellas noits nao iercmo9,
ouvindo lodos eneedeedeos da Italia....
O Sr. David Concal, c- de A/.ev -do.director do ga-
binete de leilura, Porluguez, acaba de publicar um
epitome da historia de Portugal, que tem sido bas-
tantemente applaudido.
He um pequeo volume de 557 paginas, qoe con-
ten) rom minuciosa deicripco os gruidos feilo dos
herots daquella naco. Como un? erropeodio claro
e preciso ao alcance da cumprehentAo de lodos, nao
deixa de ler seu mereciroenlo.
Aqui concluo ; porque leudo a imaginacilo com-
pletamente preocupada com a larde e noile de boje,
vetpera da graude feata de que cima Ibe Tallei. A-
lm do mais temos um grande fugo de artificio, no
qual te repreieular a lomada da loire Malakoff. Ra
de ser interessanle, principalmente quando aouber
que lio elle obra do uosso curioso Castanheira, qne
nao tei aunde aprenden a'graude arle do Sr. Osli,
Soube nesle momenlo que o San Saloadur sahe
hoje s quatro da larde, e o roronlin,,- as 7 da noile.
Nio tei torque mala ra' esla miuha inistiv..
Prjmelti ter prolxo, a etteiidi-me de maia. Nao
lde [trece ? Adeut I
igacoes que lem ftilo, nao pode detcobrir quem
roise o autor da prohibigao dat balatat, cunttando-
ihe apenas pelas carias que remellia, que, soldados
do eorpo de polica roram quem obstaram a venda
dellas, e nao o guarda monicipal de sua freguezia,
como asseverou n. tecretarla dea! cmara o Dr.
Aquino, sendo que a carta do Sr. Freiles Barbosa
destrua completamente semelhauleaasercao. apezar
de se ler a elle soccorrido o metmo Dr__Inteirada.
Oulro do advogado, respoodendo a contulla que
lhe fez a cmara, relalivamenloa desistencia da d-
sapropnacao da casa terrea do barao de Cimbres,
sita na ra dos Pires, dizeudo que a liomolagaeS
lirofenda pelo juiz do civel desla cidade no arbrl
ineutua que se procedeu a requeiinienlo JasU c-
mara, para ser desapropriada a referid* casa, lera a
Torca de obrigar simiente quaulo ao preeo eslabeie-
cido 110 caso de venlicar-se deapropriaco, reas
nao de obrigar a que ella se faca no caso de eoleu-
der a cmara queJie contraria aut ulereases da mu-
nicipalidade, porque a parle nao pode ser coasida a
execular a sentenra que obleve em seo favor :
recendo-lde por lauto que, em vista dat razos que
loram expendida 110 ofticio que lde foi expedido,
poda a cmara deixar de fazer effecliva a detapio-
priaro. pagando at cusas do proceiso de arbilra-
inenloInteirada, e mandou-se expedir orden) ao
procorador para pagar as castas.
Oulro do bacliarel Joaquim Francisco Uarle, da-
lado de t do cvrreule, commouicando achaAa 110
exercicio da vara de orphao e ausente deat termo,
ua qualidade de lerceiro supplente, visto ei
ciado o respectivo proprieUrio__Inteirada.
Oulro do administrador da companhia enearrega-
do da limpeza da cidacle, dando parte do aai
lo do primeiro a seis do coneote.Maodoote i>u-
blicar.
Oulro'do procurador, remetiendo obtlaoco da r-
ceila e detpcza municipal do mez de selembro ulti-
mo, bem como do cemiUrio publico, pertenecido
ao trimestre Iludo no dilo mez___A' commissao de
polica.
Oulro do administrador do cemilerio, participan-
do ler cedido a urbano Chrispi.no Mamede de Al-
meida, a madeira de pind que foi do simples da
capella por 1509 rs., como conalava do recibo que
remellia, pastado pelo compradur quo uao quiz dar
mait o preco de 3009 rs. que a principio offereceu.
luleirada, e manduii-se remeltcr o redi 1 pro-
curador para com elle haver a referida goantia.
Oulro do engenbairo cordeador, informando que,
lendo examinado o estado da pontezlnba de cae tra-
ta em sda peticao Caelano Jote dt Silva, oa estrada
velha da Magdalena, ao lado da nota, a .chara coin
effeito completamente deteriorada, no cata de aer,
reconstruida, mas que podaa-te-dia aiuda cuucerla-
la de modo a poder durar por mais algum lempo,
coilocando-se urnas 10 estivas no teu paviraent e
construindo-se noros parapeiiM. Maudou-se que
lizesse os reparos indieados.
Oulro du Bacal do Poco, participando qne 00 roe/
de selembro ultimo ae consumirn) na frtneti173
reres. Ao archivo.
Oulro do roesroo, informando qua, nao soffreudo,
segundo a plaa reipectira, alleraclo alauroa fren-
te da casa de Antonio Joaquim dos Sanios Audrade,
ua povoacSo do Mnnleiro, como lhe allinnou o en-
sendeiro cordeador, e obrigtndo-se o requerenle a
faze-la de conformidade com as postaras, ,3o havia '
i-mbaraco coolinuarao dos seut reparo.Inteira-
da, e assim se deferio .0 peticionario.
Oulro do metmo, participando ler dado corridas
samlarias nos esUbeleciraentus da son' freguezia com
o subdelegado respectivo e rirurgio Manoel Joa-
quim Pereira, que se lem prestado gratuitamente a
esse servteo, offerecendo-se para nelle continuar,
nao se lendo encontrado gneros arruinados. '
De novo expunh. o mesmo fiscal necessidade de
deiignar-te um lugar alli para a matanca da gado,
desuado ao consamo, por estar exposte .o tole
ctiiiva o em que ella se pratica actualmente.lutei-
ida. quanlo a primeira parte, e quanlo a segunda,
n.licasse o local que jnlga adequado
dectar.ndo logo^-^nruorieta-
Visto ter faltado a algomas sesses o Sr. Ganiei-
ro, membeo da conunisln de saude, requeiro que
aeja nomeado oolro membro para que a referid.
commissao d pareceres a respeilo de negocios,
"Vd'T ei" 'eU Pder' *eudo ,l-|nBsde nr8nle 111
Recife 10 de oulubro de 18t5.Mello.
I-01 nomeado o Sr. S Pereira per. membro da
commissao.
Foi approvado um pareci/ da commissao d ed-
ticacao, sendo de vol qae se adoptaste o orcameulo
apreseutado pelo engenheiro cordeador, da
truecao de uma ponle de pe-Ira e cal na estrada de
Joao de Barros, visto reconliecer iieces-id.de da
obra, pelo estado de estragos ero que se acha a es-
tt^joccasionados pela ultima cheia, examinanJo-se
piimeiramenla e os cofres municipal m-
porlara despez.Em conteqoeneia liiamlo
ouar ao procurador sobre o eslado dos cofres. *-
A requerimenlo do Sr. Regoe Albaqnerqae, re-
solveu cmara marcar o prazo de dou metes, con-
tados de hoje, para aquellos qae liverem de receber
custa de processos cnmin.es, apretentarem, dentro
do mesmo lempa, seus requerimenlos cosa os docu-
inentoi legaluados afim de se preceder ao paamefi-
lo proporcional, quando nao edegue a qoola para
ser elle inleeTal ; bem como que se ofliclaste ao ad-
vogdo, pedtndo-lhe uma relar-o dat lites pendentes,
municipalidade A ou R.com
PERMIBVGO.
CAMAJHa MNIGIPaI. DO RECIFE.
SESSAO EXTRAORDINARIA DE 10 DE OUTU-
RHO DE 1855.
Presidencia do Sr. Bario de Capibtuibe.
Presentes os Sis. Reno e Albuqueique, Reg, Dr.
S Pereira, Mamede, Barata e Mell),abrio-e a ses-
illo, e foi lida e approrada a acta di antecedente.
do estado em que se achara.
> go- JA commissa. especial dos Sr. S Pereira e Mello
Aj uqueln oa se**ao Pa!Uada foi reroettido o oflrclo do
"f Exm. presdeme da provincia, mandando que a c-
mara reconsideraste a qoeslao sobre a adopego dos
semidouros ua cavallanca, apresenloo um exiei
e dem elaborado parecer, comtxalendo as razes
coinmissai.de Hygiene, contra taet somidenros, a
sustentando o procedimento da cmara a tal respei-
lo com a opiniso escripia de diverto dygienistas il-
luslrado, concluindo. vista dot faclot e principios
que citou, que a cmara poda penniltir lieenca, pa-
ra a laclara de sumidnuros. nao deutro dat habita- ~
roes, e soraenle mais 011 menos prximo dlloa, eui
arejado, exposlo ao sol, e com os preceltos rigoroso-,
do modo especialdasuaconslroceao.Foi o pare-
cer approvado unaniinemeole,mandan-lo-oa cmara
enviar para copia a S. Exc, em retposla ao dilo of
licio Prestou joramauto do cargo de jai de paz
supplente do 1." districlo da fregucrla do Recife, o
cidadao Jos Baptisla da Fonceca Jnior.
Dcspacharam-ie as p? icoes do Dr. Alexaadre de
Souza Pereira do Carmo, de Antonio Joaquim dus
.Saolos Audrade, de Aona JoJrjuina do Sacrameato
do capillo leneule Antonio Carlos Figueira de F
gueiredo, por seu procurador.de Feliz Aires de Lu
na. de Frederico Jackes, deJaciuldo de Abren Ri
deiro, de Jos Nuues de Paula, de Joaquim Bernar-
do da Horda, de Jos Joaquim de Aniral, de Je-
snino Ferreira da Silva.de Jo.lo Jos de Carvaldo Mo-
raes.de Marcoliuo de l.ima, de Manoel Antonio to-'
ncalves.de .Manoel Antonio Teixeira, de Maooel Ale-
xamlrctnmet, de Maria Magilalena, de Vicente Au-
lonio do Espirito Sanio; e levautou-se a sessao.
Ku Manael Ferreira Vccioli, secretario escrevi.
Declaro era lempo, que as peliees rinda da presi-
dencia para serem informadas, da Zeerino de-AI-
meida Pinto, lanacio Jos Pinlo.M.noel piret Cam-
pellode Almeida, Antonio Moreira Reis, Francisco
Antonio da I,daga. Felrx Soares de Carralho, Jo-
se \ eri.imo dos Anjoa.I.oh de Franca da Cr.z Fer-
reira, Francisco Antonio Pereira de Brilo, lodos so-
bre arorameoio de 'terreno de marn.ias, em drer-
sos lugarea.for.ni remellldas ao engenheiro cordea-
dor para dizer se o lerrenos1 eslo destinado, na
planta d. cid.de para srrreiila publica, ou se serao
para esse fim neressarios Acciolio declarei.Bario
de Caplbaribe, pritidtMe.Rego.Sd Pereira,
Oticeira,Barata de Almeida.Gamtiro,titilo.
blABIO DE PEBWAMBtJ0.
Foi honlem pela manhaa qoe recebemos as aaze-
l. que do Europa no Irouxe o rapor TAaniaT,' en-
trado aule de honlem a tarde e bem assim as car-
ta de nossos correspondentes de Lisboa. Paria, Lon-
dres o Uamburgo que u leiloret acharo eslampt-
das em oulro lugar deile Diario.
Os Rossos enlrmcl-eiradus na parte epleulrio-
nal de Sebastopol, cujas foitificacOes auginenlaram.
fizeram continuo fogo sobre os alliadusal ao dia 28
de selembro sem que estes lhe* podes<*ra repou< do mesmo modo, foi soraenle no dia 2 que lendo
completad as obras necessarias, comecaram a bom-
bardear os forle oceupados pelos primeiros: mas
al o dia 3 do crranle a que chegam as ultima
noticia daquella praca, nenhum resultado vaulajo-
so linliam obtido obre os memns.
Em um do nmeros anteriores deste Ota 10 dan-
do conla da perda dos alliados no assalto por elle
dado a 8 do pausado as furlificajoet da parra meri-
dional de Sebastopol, dsemos que 01 F'rancezes
haviam perdido 7,568 domen, enlre niorlo, feri-
dos, e extraviado, e os Ingleie 2,447, soairaarjdo
a perda de ambos oa exercilos em 10,015 Itomens.
r-
:1

I
i.
'


1
nano oe mmawco Km feiri 3o de outumo k isk
I

Bis aqni agora a teladlo que segundo o Jornal
to Commercio de Lubua, publicara a Gzala Mili-
tar de Vienua dat perdas do* UussusTio mesuio as-
1*1(0.
Muras, 20 ulHciaes. .10 ssrgeulos, 6 tambores
ii 311 soldado ; ferdos. 12 ofliciaes, 112 sargen-
tos, 12 tambores e 1.608 soldado* ; extraviados, 12
sargentos e 163 toldados. Total 385 morios, 1,886
feridus e 176 exlrviji
O ciar ordenara qucada da de ser50 Tosse cou-
I idojjior dou goniieo de Sebastopol.
Duas academia militares vio ser prximamente
creadas ero S. Pertesburgo, ama dt engenhara, ou-
j J rlilharia.
N Na Asia |j ireosRuose Turcos, psre-
\co por 01 liada o sitio de Kars, praca perteo-
eonle aos
O gene MurawieTcommuuicaru para S. Peters-
buriio que o commandante t preca nlo podando
a e.ivaltaria dentro delta por falla de (ur-
ra^eiis^ zcra. lahir para fra. mas que seiido en-
contrad pelos seus sol Jados, lora completamente
desbarataba, pnrdendo os Turcos 500 homens fra
decombal te ficando prsioneiros2 ofliciaes supa-
rior I sbatenos o 185 soldados.
1 tullera ito 1,200 cavalleirus regulares
alomos bachl\buzuks.
Os peridicos d? Prutsja fallam da provima re-
linda das esquadra alliadas do Bltico, litando as-
ira eocerradas por este auno as operacOes bellicat
naquelle mar ; entretanto essa esquadras acham-se
aiuda alli. t parle ein Nargen, parle protimo a
Cronstarit.
T ele setembro i naus de liulia, 2 corve-
Igoe pertencentes s Jilas esqmdras, bom-
B i baleras ruas da bocea do Duna em
luranle mais de urna hura, e passaudu depois
ar policio junio da columna Bullen tornaran)
giuec>r o fugo que durou liara e meia.
As baleras da bocea do Du-'ia soffreram pouco
Bullen o e-drago fui copsideravel Kossulli
e Ledru Kollin publicaraui ltimamente
yo raaoifeslu ao mundo, segundo as gazelas
ral ira. lie apeuas urna segunda edicaodo
prihuiro, que ja foi por mis publicado.
Hldeote da repblica Je Vneta em 1KW,
nin, publicara trmbem um manifest que
se dirige exclusiva me nte a Italia.
Ei-lo. ,
republicano Uu atrozmente calum-
rovas pravas de abenega^ao, e de oovo se
sacrifica causa nacional.
vencido de que' primeiro que ludo 1 lie mis-
Italia, e que he esla a questlo ca-
lartido republicano pela miaba bocea da a
boya: Constitu a Italia, eaou vosso ;
sanio, ido.
I coiulitncioiae* dis : Veusai em cousli-
idn-It i, e ido etn engrandecer o Piemonle : se-
os e nao muuiclpalislas, e sou vosso;
seulo, itii
licano haslua retolulamcure a bandeira
Se 1 casa de Saboya levanta o grito de
1! eolio.... e s nesae caso l'ica a casa
de Saboya
ram 'ojos que a Italia seja, e a llalla ser!..
san. 1
a Uespauh, eis o que se le no Jar tal
le Lisboa de 12 do crrenle,
congresso hespanliol .continui'.m
uio oflereceod 1 inlereise ao leitor. '
1 3 r nuiiam-se varios drputados demo-
las puros, afim de accordarem nos'
'obus>cer o principio liberal, pondo cobro
ie effllgem a iluacau, e tornando esta
siente. Nomeouse una commis-
a de propor as bases que Ido de ser-
irlida a reunilo.
reunilo 50 a 60 deputados, os
i mais 15 ou 20 das metmas idea-,
chan em Madrid, constiluem a maioria
de m Madrid.
rtunilu se resolveo presentar as cor-
les Jo 1 i una proposta, cujoolijecto seja consti-
tuir um ovo gabinete de ideas mais avaucadas sob
a p.esidenciadoduque da Victoria.
nurreirlo de Sulal cada vez ge lor-
iis numerosa e poderosa, o que aecupaja se-
nt os lurtelas dalli. ()i revoltosos contam
mais da 30,000 homens.
104 para o norte, o imperialistas lem der-
leuteseni varios encoulros.
houve larabem ltimamente urna in-
icliiudo-te ja os insurgentes em marcha
wbi* Trpoli.
os Unidos apenas temos a noticiar que
) movimento poltico linlia sido inaugurado
York id;,partido da leroperanca,sendo uo-
1 delegados de cada dislriclo para una
itfbgcral.
elia lavrara por qnasi todas as ci-
MissiMipe.
lite?, rcferimo-noi ao que pu-
tero anterior e tambem as cartas
leales ue presente Innscriplis.
Rocas -t- Norle. V g
T-ungilude de Fernando =32 28' 50" oeste de Ureen-
nwirh.
Lungiludc das Rocas. = 33 20 0 oeste de Green-
------------------nwich.
Rocas + Oosle = 51' 10"
la se loruam esverdlnliadas, e diflerenles em cor,
deitacando-se seosivelmeule dat aguas do largo,
por isso oo se deve entrar uesfii agua verde, por-
que acontece passar-se de urna profuudidade incri-
vel para urna sonda de dea pos 1 as Hacas, ai
aguas crescem 7 pea no preamar dat marea medias,
e 10 pe no preamar das marea vivas ; ascorrenles
vio alli geralmeale ao ONO e ao NO, () com urna
velocidade de 2 '% a 3 millias por hora, eircums-
lancia que sa pode explicar pela direccJu quas cons-
tante dos ventos reinantes naquellas paragens. He
minlia opiado que os dous pequeos bancos de
areia em que cima (oquei, sio formados pelas for-
l*t ventanas do invern, sendo depois desmorona-
dos pelos venios largos do verlo,
Pernambuco 4 de oulubro de 1855- (Assignado)
John Hale Houiball, ex-capidu da barca Counie
ofZelland.
Traduzido por Joaquim Aloes Morara, com-
mandante da escuna ndoya.
Oliservares. (***)
He fra de duvida, que a psito geographica dos
baixos denominados Rocas uao est bem determi-
nada, pois que comparaudo-se as latitudes e longi-
tudes que llie assignalam alguns observadores, 110
tam-se differem.-as bem sensiveis, especialmente ua
longilude, onde acha-se a diflerenra de 21 millias
(!) como demunstrarei.
Segundo Norye:
Latilude da illia de b'ernando= 3 66' 20" sul.
Latitudu das Rocas......= 3 52 12 sul.
.'. As Rocas correm a respilo
da ilha de l'ernaudo, ao rumo de
85 noroeste, dislaule 51'.
M.l
Segundo Piuieulel:
l.atitude da ilha de r/eruaudo= 3" 50'tul.
I.alitudc das Rucas.....= :t 17' sul.
Rocas +iorte. =
:!
Longilude de Fernando. = 32" 28' 50" Oesle de GfB-
enwich.
Longilude das Kocas = 33 li 0 Uete de Gra-
--------------1 enwich.
Rocas f- Oesle. =45' 10"
45.1
.'. As Bocas demoram a respei-
lo da ilha de Fernando, ao ru-
mo de 86 noroeste, distante 45
milhas.
\ 86
CoDfo^ptWTuTefnio l'menlel tambem*ha outro
bailo na lalilude de 4 45' sul, ao rumo de SSOda
"Illa de Fernando Yle Noronha, distando o dito bai-
lo 25 leguas da cofia do Brasil ; mas outro uegam
a existencia de seiuelanle baixo.
Horsbougli. un na obra intitulada : < India Di-,
reclory or irection* for Sailing lo and from Ihe
Hast India:, CMma ele. pagina 33, sita as /co-
cal na lalilude le 3 2' 30" sul. e na loiigilude de
33" 31' oesle"*'* treenwich, ou provavelinente (se-
gundo elle di na longilude de 33 7' Oesle de (jre-
enwich ; co*iparando-se esta posiclo com a da ilha
de Fcrnan.lf de Noronha ob-ervada por diversos
nuticos, oMem-se o rebultado teguinle :
O genera Brisbane e BuiTKsvem 1821, deleifm"j.
naram a u/sicJo da Pirmide, poV^taitoda obse.rva-
ejo e dos .'hronometro, sendo : ^^v
Lalilude A ilha de Fernando. = 3" 55' 15'^ul..
Lalilude dat Bocas. 3 52 30
Komi + norte.. .
-, 1 Longitud
Longilode de Feinandu = 32
CeilliICADO.
observadores acreditados, aquella- mais prxima
verdadeira, conclue- por lermo medio3.52* 30' Snl
e33. 6"ou33.7'. Oesle de lireenwich.aqual hepro-
vavelmente a mais exacta, ou 50 milhas a Oesle de
Fernaudo ; d'onde se infere, que sua posu-o as
cartas esli eral mente errada, porque Arrow Sroylli
as sita 1 38 a Oesle da Fernando, e Healher 1 45
a Oesle da metma.
Longilude das
Fenaudu = .12 Ifjv
Bocas* = 33 .|
Oesle de Grcen-
wicli.
Oeste de (ireen-
wich.
4
10 do naufragio da barca ingle/a
ttea of Zellande dos baixos de-
nBotas onde perdeu-sei
xlria CoUHtta of'/.ellanid 350 ioi
a de Pernambuco a 4 deVgpsto^rfe
150 1 iiiieladas de asaocar, e ilM>-
ara Macein, onde ehegou a ; e cafrrn-^d
Oijsa(i-jJe algodlo, daixou aqualre
MAST' esmu m^, re)(ressaa.lo a^ernambuco^
ueitao :t 24, alim^de receber aljau-
gnm passagdiroH e ei oarcar 0 rancho.
1 ;i nej seguio a mencionada bar-
ra Liverpool as 6 horas da larde,
ilO rijo com conlinuo. aguaccirosj
e do S. E. ; ao meiu da de 26, fazia^
E. il'agullta, leudo navegado 121 milhas,
leram pela eslima a lalilude de 6 36' sul
21, oeste de (ireeuwich, por is-
so <|ne, 1 en ario aati 'nomiea te pode
lachsrr-se o sol inlercep-
iguaceiros.
1 a sangrar'com proa de
^^Ktdo 8,5 milhas por ho-
rariavel do S. E. ale E. S. E.
la manida de 27. con lie
ir a embarrarlo prxima
rrrbeiilacAH, demorando ellas a sola-
^vaali nadi.tlaineiile ordenou o capitn que te
lema dala, afim de virar de burdu ; mas,
menl'ii, virar, riiullou eucalliar sobre pe-
as vasas- com os escalere*, e des-
pejar !.i minutos.
cor luiua o capillo) fui para
Iripolacjlo em numero de 19
usvh es pissageiros ; ao ainanhecer o
ch'l, muilas saccas de algodlo. des-
de vi ros oulros que alli se ha-
antes desle, e n'um pequeo banco
Mava elevado 2 e S ps cima d'agaa,
botes, algumas aboborat, urna
gal com agua, alguns pedacos de carne
Rocas -1- OesteJ 1 15V
2" Longilude.
Longilude do Feroaudo = 32 16V Oeste de Grecn-
Lorrgit. das Bocas. \, =flj .7 Oeste dWireen-
-----------wich.
Bocas -1- Oesle 51'
. ; .. S
Demorando
as Rocasa res -
peito da ilha
lado

roesle em dis-
tancia de 75'
ou 51' milhas,
conforme a lon-
gilude que se adoptar.
O capillo Beechey, na stia viagem ao Pacifico em
1825, por meio de chrononielros correlus 00 Rio de
Jaoriro, obteve a longilude da ilha de Fernando
32 II' 13" oesle de Greenwich :
i. 1" Longilude.
Lligitirte de Fernando 3fi 14' 43'I Oesle de Gre-
% enwich.
Longilude das Rocas. 33 31 0 Oeste de Gre-
-. ~"J--------------enwich.
>_ Roca -i- Oeste. = ^V \ 2" Longituile.
Longilude de Fernando )32 14' 43" Oesle de Gre-
"7 enwich.
Longilude das Roen. J 33<. 7 Oesle de Gre-
jL,.------------- enwich.
Rocas -1- Oeslef= 52' 17"
Demorando as <
A vista do exposto, v-se qne o baixo na est
precisamente determinado, com o que, lorna-e pe-,
rigosissimo a navegaco ; he roister pois, a (bem da
metma, que o Exm. Sr. ministro da raarinha Un-
ce saas vistas para om objecto de lana magnilude,
nomeando urna commissao de ofliciaes habis' da
nossa marinha, alim de examinar e determinar com
precido o ponto em questao : talvex se podesse edi-
hcar urna pyramide, ou plantar coqueiros, se por
ventura nao forem movediros os bancos de areia i
respeito dos quaes trata o capillo Johu Hale Houi-
ball no uaufragio da dila barca, para servir
de atalaja aos navegadores. Ora, o que se da a
respeito desio lugar, tambem se d a resuello de
muilos Oulros pontos da costa, mormeiile do Rio de
. Francisco para o Norte al a cidae da Fortaleza,
le cujo litoral leuho o conhecimenlo e pratica de 6
annos, pelo faci de lia ver cruzado e tocado em lodos
os pontos accessiveis a navios, proporcianando-se-
uie desl'arte, ocrasilo para conliecer a contradiclo
em que caliem Norye, bem como oulros navegadores
assim como os uossos mais habis pralicos, a respei-
to da posi{lo em que collocam diflereutes baixos e
pontos da mesma costa. O mappa de Norye, tratan-
do da costa da proviocla do Rio Grande do Norte,
d os baixos de Julo da Cuulia ao rumo de N. E. 4
N. com a Poula do Mel. demorando mesma a res-
peilo dos baixos ao S. O. 4 S. em distancia de 13
milita ; entretanto, estando esta escoua norle-sul
coma Puna do Mel mais occidental denominada
Redondinha, em distancia de 12 milhas da mesma,
no dia 6 de maio de 1854, avislaram'-se qa superfi-
cie d'agua as pedras do dito baixo, prximamente
ao navio, o que prova estar elle mais a L'Esle do que
o silua o mappa: este-facto foi presenciado pelos pas-
sageiros II. A. Milet eogenheiro desta provincia e
J. A. Nicholson, indo aquelliva serviro da compa-
oliia Peruambucana ; e ludo levei ao conhecimento
do Exm. Sr. Paranlros ( eulo ministro da marinha.)
O mappa dito de Norye, cullura aenseada de Piran-
i 3 milhas ao norte da Ponta Negra, quando na re.s-
lidade est i milhas ao sul da mencionada pona ;
e sita as Barrciras da Inferno 6 milhas ao norte da
dita Poula Negra, quaudo ellas eslo 3 milhas ao sul
da mesma PonU : daudo-se inexaclidlo, ido s na
situarlo, como tambem na distancia dos ditos luga-
res mencionada Pona Negra, conforme presenci-
eu e notou coinigo o,Sr. capillo da fragila Ama-
zonas, quando alli eslivemos em fevereirn desle au-
no, ein servico da companhia cosleir desta provin-
cia ; o que mencione! 00 supradil relatorio.
Para corroborar o que cima levo dito, citarei o
relatorio dado pelo Sr. capillo de fragata Amazo-
nas, em 15 de mareo de 1853. no qual descreveodo
a Costa ao Norle do rio de S. Francisco, nota os erros,
omisses e contradice, em que cahem todos os
cosmographos que Irado desta parle da cosa do
imperio ; por enjos molivos, ia sendo victima 11
vapor imperador, commandado entao pelo digno
capillo de fragata Gervasio Mancebo, com dia. cla-
ro, em fevereiro de 1854, na sua viagem do Bio de
Janeiro para o Norte, aconlecendo-llie osinistro pr-
ximamente ao Rio de S. Francisco do Norte ; e as
mesma causas, sedeveallrbuir o naufragio do va-
por S. SebasliRo, commandado pelo Sr. capillo l-
enle Antonio Xavier de Noronha Torresao, sobre
os baixos deS. Miguel das Alagoas.
Ue fura de toda a duvida, que, sem o auxilio de
niappasconecto', torua-sc por demais precipitoso,
uavegar-se em una costa hasltiilcincnle recifosa co-
mo he a nossa. A visla disto, niuguein misar con-
testar, que com semelhaotes carias, quaes as qoe
actualmente possuimos, tempre estar sojeita a na-
vegaco a consequencias falaes, contribuindo gran-
demente para isso as fortes crrenles e a qliasi lolal
carencia de pharoes. Permila-ine pois o Exm. Sr.
ministro da marinha, que eu chame de novo a sua
alinelo para um assumptn de lamanlia. importan-
cia. Illuslradu como he, zeloso e vivamejite interes-
tado por ludo quanlo di respeilo a melhoramentos,
S. Exc. apreciar devidameote os males que. resul-
lamaos aaveganles, de mappas inexactos, e de rotei-
rm incorrectos.
E cam efleilp, as boas qualidades nuticas de um
navio, cinyeniealrmeiile tripulado e appnrelhado.
e a pericia do- dliciaes, muirTO milribueni pnr.-a
nina semira navegacau'; tn.is'lie igualmeTfre ijmon-
testavel, que a existencia de boas cartas, de roteiros
bem elaborados, e a perfeirlo dos instrumentos de
observadlo etc. Ihe f.zem desapparecer cm grande
parte os pehgos. e os cuidados.
A circunstancia llu trale quauto inesperada, do
recente naufragio da barcaCounless of vtelland
prov.ucou o ex.-imc a queaprocedi, e suggerio-me as
reflexes que acabo de expender. Muilo feliz me re-
putaria se ellas allrahissem a llenrao de S. Exc, e
o levassem a ordenar os estudov necessarios para o
levantamenlo de um mappa exacto da coala desle
bello imperio. S. Exc .4^aaju>icjicia um grande
servido, e um manir beneTtcTo anda aos inleresses
dgvemmerrio e da/navegarlo, tornando-a assim me-
nos pesada, menos arriscada, e evitando alcm disto
eiidrmes perdas de e*pitaej-e-re vrdas.
Taes slo o raeus'vc/los ; tal he a nica aspirarlo
do modesto traballio, que submello rnnsiderai;lo
do Exm. Sr. ministro, e das pessoas interessadas* e
entendidas na materia.
Brodo da escuna lndo.ja surta. em Pernambuco,
2.) de oulubro de 1855.
J. A. Moreira
Commandante.
urna
um
d>
!>
'*.
cento

8
i
um
Cacau.............
Aves uraras ......
papagaios......,
Bolachas'. .:....'.....
Bisadlos...........
Caf bom............
o reatlolho.........
com easla.........
odo..........,
Carne seeca .*......,
Cocos com casca........
Charutos bous........
ordinarios.....
regala e primor ,
Cera de carnauba.......
em velas.......' ,
Cobre uovo ndo d'obra ,
Couros do boi salgados .....
verdes...........
espitados.......
de ouca .......
11 cabra corlidos .
Doce de calda.........
i) goiaba.......
secco ,..........
jalea ......
Eslpa nacional........
n eslraugeira, mo d'obra
Espanadores grandes.....
pequeos.....
Fat iiha de mandioca.....
. milho.......
ararula.....,
Feijio.............
F'umo bom..........
11 ordinario........
em Tulla bom,.....
u a ordinario .....
reslolho ......
Ipecacuanlia.........
Gomma ............
Gcngibre...........
Lenha de adas grandes ....
n pequeas .....
i> loros....... u
Pranchas de amarello de 2 costados urna
louro......... ,,
Costado de amarello de 35 a, 40 p. de
c. e 2 ;, a 3 de I.....
de dito usuaes....... 1
Cosladinho de dilo ........
Soalho de dilo........... ,
Ferro de dilo .'..........
Custado de loaro .'.....
Cosladinho de dito........ D
Soalho de dito........... ,,
Forro de dilo...........
cedro.......... >,
Toros de tatajuha......
Varas de purreira......
i) agqilhadas........
qoiris.......... a
Em obras rodas de sicupira para c. par
eixos bou
Mclayo...............caada
Mill,............... alqueire
Pedra de amolar.........%ma
fillrar..........
o rebolos.........
Ponas de boi...........cento
alqueire
alqueire
alq.
ccolo
quintal
duzia
Piassava .......
Sola ou vaqueta .
Sebo em rama ._
Pclles ile,i;arnero .
>al.--a parrilba ....
Tapioca.......
Lidias de boi ....
Sabio ........
Esleirs de perperi .
Vinagre pipa. .'. .
Caberas de cachimbo
moldo
meio
58000
10*000
38000
78000
8960
49200
38000
38500
69400
58000
38840
18400
9600
29100
1(8000
1.19000
9160
9195
9100
9200
158000
9300
8200
8160
9300
9280
19280
I9OOO
28000
19000
15600
29000
38500
69100
89000
39000
"9000
49OO
39000
389000
39000
-18500
29IOO
9900
IO9OOO
149000
79OOO
308000
119000
88000
69OOO
38500
79000
.69000
392OO
29000
38000
19280
19600
19920
19280
448000
209000
v9300
19600
9640
68000
98OO
48000
9320
29500
neiro de56.50 centesimos a 57.50 c. 1,200 ditas
do lavado de 68 a 74. As existencias na praga erara
uo 1. de oulubro, tanto dos qoe estav&m despa-
chados, como em depo cai, sendo 8,000 do Hait, 3,500 da trra firme, 16
mil do Brasil e 16,000 da India. No precos dio sa
alca de 2 fr, quinto as principas procedencia
comparativamente sos precos du i* de setembro.
Ultimo precos.Ro lavado 1. 34 a 1. 48, nlo
lavado 1.08 a 1. 16 ordinario 1. al.OSokil.
(deposito.) O da Babia falla de lodo.
Assucar. Procurado e com difticuldade, a maior
parte para a eiportardo para Londres e Liverpool
e principal do II i vana e do Porto-Rico ; mas lti-
mamente a preco do i* boa quarla sorle das And-
inas francezas leudo subido a 60 fr. (direilos pagos;
os compradores se rellraram na perspectiva de uro
lempo,decisivo, que nlo pode seguudu as suas espe-
rances, deisar de Irazer urna reacrlo para a baixa.
Esla rerelo he pouco provavel. Nao se fez ne-
1 huma Iraniaccao importante da* surtes do Brasil,
cujo deposito he de 2,50o saceos contra 200 em 1854
e 600 em 1853.
ltimos preco-. Brasil brinco 140 a 145 ; flavo
121 a 140,mascavado I10a120por k-l. (direilos
pagos .1
MOVIMENTO OO PORTO.
. ''*! i-nto-ntOft
rvupi'oj entrados no dia 29.
Parahiba3 diai, hiale brasileiro aConcei^lo de
Maria, de 27 toneladas, mestre Severiano da
Costa e Silva, equipagem 4, carga lorot de men-
gue ; a Paulo Jos Baptisla. Pastageiro Claudio
Jos de Sal'A una.
Baha'.ijlia-, brigue hamhurguez Harriel e Mol-
ly, de 250 toneladas, capillo J. C. Boperv. equi-
pagem 11, em lastro de areia; a ordem. F'icou
de quarenleua por 15 das.
Baha9 dias, hiate brasileiro Castro, de 54 to-
nelada*, meslro Francisco de Castro, carga tabaco
e mais gneros; a Domingos Alves Matheus. F'i-
cou de quarenleua por 15 dias.
Nacios saludos no mesmo dia.
F'almoalliGalera americana uTalman, de 518 tone-
ladas, capillo B. Bandixen, equipagem 14, carga
a mesma que trouxe.
Bio de Janeiro e porto* intermediosVapor ingle/.
Thamar, commandante T. A. Bevis.
Bio de Janeiro e porto* iutermediosVapor brasi-
leiro Tucautinsii, commandante o capillo de fra-
gata Mancebo. Passageiros desta provincia o l)r.
Jos de Sa'Cavalcanli Luis, Jos.Fernandes Fra-
' dique, e 1 escravo a entregar a Manoel de Vas-
concellos Jnior.
GibrallarBarca ingleza Elisa., de 328 toneladas,
capillo Johu Climenl, equipagem 9, carga as-
sucar.
EDITAES!
6." parte.
Hansa de corda sem maromba pelo Sr. Flix, na
qual executara muilos exercicios novo e aiuda nao
victo nesla cidade.
7. parte.
A viagem ao antipodas, eiercicio muiio diukil,
eieculado pelo Sr. Feli.
8. parte.
O Bull-dogoe-ioglez subir aleo lelo do Ihealro
em um fugo artificial.
9. parle.
A corda bamba execulada pelo Sr. Ileuaull, na
qual Tara diversos jogo de torca e do gimnstica e
terminar os seus exercicios com a collaclo de co-
mer e beber com a caneca para baixo, segurando a
mesa, e tempre a grande lauro da corda bamba.
10. parle-.
Asceucao pelo Sr. Flix sobre um barril, qu faz
rodar para cima e para baixo por urna taboa coito-
cada diagonalmente n'uma altura du 5. vara e 30
ps, a qual apenas lem um ter^o de largura, ejer-
cicio iiiteirameute novo e nunca visto oesta cidade.
Postcao acadmica
lirada dos museos de Boma e Par : l.> parle, a
morle d'Abel2., a fuga de Cairo3., ero as-
su*tado com a sombra, de suaml~4., Hercules
laucan lo Lychas ao mar5.', o juramento dos Ho-
racios6.", Tactos e Bomulus 00 combate dos Sa-
binos.
Principiara as 8 hora*. '
Vendem-se os burieles no Hotel'da Barra at
serca-feira, e no dia do espectculo uo bilhetelro do
Ihealro. "
AVISOS MARTIMOS.
VI n*"
que
COMMEHCIO
; BACA DO RECIFE 29 DE OL'TL'BRO AS 3
HORAS DA TARDE.
Cnlacf.cs ofliciaes.
Lambo sobre Rio de Janeiro I *, de rebate.
Descont de 30 dias 9 % ao auno.
ALlfANDEGA.
Beudimenlo do dia 1 a 27. .
dem do dia 29 ,
f
417:6729544
11:1938277
Igds.,,
sobn:
uerooranuoasv 16-3~! \ 54,3
Kocas a respeilo \------- -i \z------
da ilha de Fer- \", V!
nando, ao rumo 76'V- f, J-, 7 52'V
porcao de bulaclia. O baixo
liamos, e que depois veriliquei
la forma circular, e he d ex
J cobrudo-se d'agua f
\ al a altura de 7 a 8 p-
bastees de areia, qoe j,.
J)e ordem para cou
rseucias, i.imliem fez-se com
algifclau urna especio de anteparo, alim
agazalbarmos ; e 00 domingo seguin-
8 lluras da manilla, depois de
Manilo a agua que faziam o sote e a
camo-los ao mar. e seguimos a discri-
de 88 ou 87 no-
roestelas distan-
cias de 76' ou 52'
milluis.conforme.
a longilude
sa ado
2-, 7
87
capillo FstrMo navio de S. M. B. Chanlicler,
I em 1828, deteeminou a posiclo da. casa do governa,
P femos":'"" '^ con,Pa""do-se Com *" **"-
Lalilude da illia de Fernando = 3 50' 0" sul.,
Lalilude das/Rocas = 3 52 30 sul.
Rocas -1- Sul. 2' 30"
ZL^yk^*^.**^*'^^*.

Ifcps de marcar, nem iuslrumeuto al-
li^o; ; poico depois de havermos sa-
I das Horas afuu lou-se o bole, por
rdi:nei que pa*sas*e a gente para a
r detla fazer muita agua,, sendo ne-
tres horneo con-lanleinenle a ex-
ives;amus Inda esla (arde e nnile, cun
ato bom e mar brando ; na segunna-
u-se o vento fresco e o mar agitado,
nave. las oudas, como no dia anlece-
;rc i-feira (4) sisamos a vela, por haver
teelo ein demasa, e ja nao haveudo
'miento, eslandu a geule bastante fa-
llando avislamo Ierra, bem como
iual nos levou para ella, onde saci-
ve D.Xarinha, guiando-uoa de-
v-sli, lugar era que lomos gran-
) e bi;m IraraJcn doraute a lem-
13 de MlsjBbru ajusta mu*
capitn da barca brakilira Maria
1 intia de 3509, para traerr-nos a
jsnio da nos filemos de vela,
fura da barra, afim de completar a car-
0 mez lizeino-nos de vela da-
hegaudo a esla cidade no dia I. de
oulubro crrante.
BAIXO DAS ROCAS. ()
1 silu.de pela caria de J. W.
I 57'de lalilude sul e na longilude le
1 de Greenwich, di-lan Jo da ilha de Fer-
irontu 61 milhas : rtte bati tea 1 ex-
lenalo de 4 milita*, ha de forma circular, cobrin
do-s d'agua 00 preamar at 7 a 8 ps, todo elle, a
excepcAo dr 2 pequeo* bneos de areia, que se
ina da superficie d'agua ; lera
m Imiamar hhm massa cansideravel de rocha es-
branquicalas que licam descebarlas, as qoavt se
um pouco ua rteoslo de um qoarlo de mi-
1 etla lugar que acabo de deterever, en-
ea |>eqaeua corda de areia, na qual te
dislingus ama jteilra qoe lem a forma de siuo, po-
den >o n'um bote : pouco mais cima
ra, algumas amarras. Ires qut-
"i jase lem batanle cobre, dem.u*-
Ir.;-i: ^^Irsgio rcenle, muilos destroco., de
nato*, ; .1 dade de otsos humanos Uu dig-
no de *?-. dai aguas, e as plantas msr-
Dha aeM^aa mi* Rocas : o fundo he geralmeu-
le mao e muilo irregular na vizinhanga das/fo;a,
nao ha indicio aluuin que po*sa prevenir o mve
gante, a nlo senm a floreaces do mar ; nem om
signal al boje i- lem couhecido sobre tu diversas
qaalidade* de fundo, de maneira qne possa determi-
nar eom p.-ecslii a distancia, em qae te est do pe-
rigo; observe! que na viznhanca* das Rocas do-
mina o taibro, e que as aguas as projimidades del-
,/ 1
;; Este sais das Rocas, supponho ser o qae em
Femando de N ironha cliamam B'iixo ia$ Cabras.
'.vii o traductor.)
enwicli
Longilude das Bocas. = 33 31 Oesle de Gre-
enwich.
^locas -1- Oeste. =
Longilude de
I 10'
2 Longilude.
Fernando 32" 21'
Lougilude das Rocas. = 33
Bocas -|- Oeste. =
Oeste de Gre-
enwich.
. 1 Oeste de (irc-
cuwich.
urna
@
ti
cento
de barro. milbeiro
9200
179000
49000
9210
9120
9160
309000
59OOO
LISBOA 13 DE OCTUBRO.
Movimento do porto.
Macios entrados.
Oulubro 6 de Liverpool em 5 das, vapor bra-
sileiro Mrquez de Olinda.a capillo Maciel Jiinior.
dem -de Pernambuco em 48 diaa, brigue por-
luguez ultibeiro, capillo Smilh. ., _^-^__
, Sonidos. ,
Oulubro 9 -r para a Madera e paitos do Brasil.
vapor brasleifo Mrquez de Olioda.D
dem paca a Baha, barca brasileira Amelia.
1. /'ara sahir.
Para o'Rio dssjalneiro barca portugueza .1 da-
mas! or.
Para Pernambucobrigue porluguezVortador.
Para a Baha brigue portuguez Oliveira.na
REVISTA COMMEBCIAL DOS PRINCIPAES
MEBCADOS DA EUROPA, PELO VAPOR
THAMAR DE SOL'THAMPTON.
Pensamotque os le lores de.le Diario p>derlo lal-
vez achar algam inlercsse ua exposiclo eslalislica
do movimento dos assucares durante os 8 primeiro*
raezes do auno e a situarlo geral do arligo.
PAI/ES.
459:1652821
Descarreaam hoje 30 de oulubro.
Barca americanaM/irylandgello.
Brigue dinamarqnez.-tmi Ceciliataaba de trigo
mporlaca o-
Vapor brasileiro Mrquez de Olinda. vindo de
Liverpool, consiguadu a compauhia, manifeslou o se-
guinle:
3 caitas lecidos de algodlo; a James Ryder &
Companhia.
1 dita livros, bonecas, ele ; a Rostron Rooker A.
Companhia.
75 dilasvaijr^os lecidos de algodlo. lia e algo-
dlo, chlese chaped< oI, 1 caixa relogios dco-
ro ; a Southal Mellors & (,.
18 faixas lecidos de algodlo, seda e ;'!goii0, 9
voluins amostras ; a U. Gibsou.
1 cajxa len^ot e chales de crep, 1 dita papel; a
L. Antouio de Siqueira.
2 di'as lecidos de algodlo, I caixa amostra* ; a
Aitsmaoii Hnwie V C.
1 caixa Irem decozinha ; ao capillo Maciel.
2 saceos amostras ; diversos.
Patacho brasexo Bmulacao, viudo du Acarac e
Ass, consignado a Manoel Goue,alves da Silva, ma-
nifeslou o segu ule :
57 barricas e 1 grajao sebo, 401 mullios courinhos
de cabra, 6 saccas gomma, 681 meio* de sola, 12
grajaos faci, 1,980 courinhos de cabra, 33 roncos
de bezerro. 4 caitas e I pacole queijos, I barrica
graxa, 6 ditas, 12 saceos e 1 pacote cera de carnau-
ba, 3 volumes queijos, 1 caixa cooros de ones, 330
alqueiressal, 2"i0mulhu* paiba de carnauba,! arro-
ba cera de ahelha ; a ordem.
.o.NM'I.AIio GERAL.
Beudimenlo do -dia .1 a 27. 27:7!i8ji:%
dem do dia 29 ....... 2619864
I Importado em
[ 8 mezes em mi-
| Hies de libras
I inglczas.
Existencia a 31
de agosto em
nilhues de li-
bras inglezas.
I 1855 I 1854 I 1855 | 1854
O Dr. Anselmo Francisco Perelu, commendador da
imperial ordem da Rosa, juiz de direito eipecial
do commercio desta cidade do Beclfe, por S. M.
1. e C. etc.
Faco saber em como no dia 19 de ndvembro pr-
ximo futuro se hade arrematar por venda, a quera
mais dr, depois da audiencia desle juizo.na casa dat
audiencias, um sitio com casa de vivenda e arvores
de fructo no lugar da estrada dos Afilelos, avahado
em 12:0009, penhorado por execuco do reitor do
Seminario de Olinda, a Francisco da Carvalho Paes
de Andrade.
E para qne chegue ao conhecimento de lodos loan-
dei patsar edilaes, que serlo publicados pela impren-
sa e afQxados uos lugares designados 'no cod. com-
mercial.
Dado e pastado nesla cidade do Bccfe aos 26 de
ou 1 ubi n de 1855.
Eu Fraucisco Ignacio de Tprres Bandeira escrivlo
interino o subscrevi.
Anselmo francisco Perelli.
O Dr. Anselmo Francisco Perelli, commendado
imperial ordem da Rosa, e juiz de direlo espe/ia
do commercio nesla cidade do Recito, e
ca de Pernambuco, por S. M. o Impera
lieos guarde ele.
Faco saber aos que o presento edita I vire m, e delle
uoUcia liverem, em como no dia 8 do prximo futu-
ro mez de uovembro, cm prac,a publica desle juizo
ua usa das audiencias, se lia de arrebatar por ven-
da, a queririwtet.^'goTstouas j/valaces, 1 par
de brincos de ouro com 2 oitavas e Y qmn-j0 a 25000
rs. a oilava, 49500 rs. ; 2 pares de botes de pu -
uho com 8 oilav.t a 29000 rs. a oilava, I69OOO rs.
1 par de brincos com 4 otavas e meia a ,900u rs. r-
oilava, 495OO rs. ; 1 par de brincos com 2 "lavas a
I96OO rs. a oilava, 39200 rs. ; 1 cordo com 2 ota-
vas e meia a 2S000 rs, a oitava, 09OOO r*. ; 1 copo
com 80 oilavasa 140 rs. a oilava, .119200 rs. ; 18
garios com o peso de 210 oilavas a t40 rs. a oilava,
279100 rs. ; a sexto parle do c-crave Caelano, de
nac", com idade de 50 annos pouco mais ou menos,
avallado no todo por 3009000 rs. ; a sexta, parte da
escrava Joaquina, dilo, avallada 110 lodo por 400S
rs. ; cujos bens assim avaliajo* foram penhorados
por execuco de Mauoel Pernea MagathSe*, como
cesionario do commendador; Jlo Pereira de Audra-
de, contra os eteculados Manoel Luz Coelhode Al-
meida e sya molher.
, E para qoe chegue a noticia do* licuantes, man-
de! passar o. prsenle, que ser publicado pela im-
prenta, e dous de Igual Iheor que serlo afiliados,
um na praca do commercio e outro na sala das au-
diencias. '
Dado c passado nesla cidade do Recito de Pernam-
buco aos 29 de oulubro de 1855. Eo Francisco Ig-
nacio de Torres Bandeira, escrivlo inleiiuo o subs-
crevi.
Anselmo Fi'ancisco Perelli.
*- O 1 Mu. Sr. inspector da Ihesouraria provincial,
em cumprimenlo da resoluclo da junta da fazeuda,
manda fazer publico, que nu dia 8 de novembro pr-
ximo vndouro, vai novamente a praca para ser ar-
rematada a quem por menos tizer a obra dos repa-
ros precisos na casa da cmara municipal e cadeia da
cidade de Olinda, avahada em 2:200.-.
E para constar se mandou allixar o presente e pu
biiear pelo Diario. Secretaria da Ihesouraria pio-
vineial deal'ernambuco 23 de oulubro de 1855. O
secrelario A. F. d'Annunciarao,
O III111. Sr. inspector da Ihesouraria provincial
em cumprimenlo da resoluclo da unta da fazeuda,
manda fazer publico, quepo da 8 de novembro pro-
mi'i
RIO DE
JANEIRO.
O brigue nacional MARA LUZIA, ca-
pitn Pedro Valette Filho, com brevidade
vai seguir ao porto indicado, tem grande
parte do seucarregamentotPaiado: para
o resto, passageiros e escravo* a frete,
(aosquaes da* as melhores uccommoda-
roes) trata-secom osconsignsitarios A.i-
toniode Almeida domes &C, na ra do
Trapiclien. i 6, segundo andar.
Segu breve.^fente a e*-
ctina nacionrif J06E, ca-
pitSo Jos Ja<|tiim Alves
das Neves vpara o resto do
seu car/fgamento, trata-
com os consignatarios Antonio de Al
ida Gomes & C.,/h rna do Trapiche n.
. (Este navio s toca no
r pratico.)
COIPASlU PERN\BliCA?ir\.
ESCKmORIO DA GERENCIA NO
LargD da Assemblea h.'lO, I andar.
(Vvapor Pernambucano Matxjuez de
" a, de excedente* accommodacoe
ara passageiros, commandante Antonio
Silveira Maciel Jnior, deve tocar ne*te
porto por estes dias, e depois de 24 horas
seguir' para o'Rio de Janeiro com escala
para Babia : para passageiros, trata-se no
escriptorio da gerencia, ou no dos Sr.
Rostron Rooker A C, na praca do Corpo
Santo.
Para o Kio de Janeiro sabe com brevidade o
briEue brasileiro Marianna, capillo Jos da Cunha
Jnior ; recebe carga mu-la, escravo-1' passaceiros;
^ quem convier, procure Manoel Ignacio de Olivei-
'.1, ua praca do Corpo Sanio u.6, escriptorio, ou ao
caiotao na pra;a.
\Para o Ass
salte qom'muita brevidade o hiate An-
gelice : a tratar com Antonio Joaquim
Seve; na ra da Cruzn. 15, primeiro an-
dar*
"Ira o Rio drsHide doS 1
segu ci,m brevidade, t/Aler parto da carga promp-
(a, o brigue brasileiro/ npalnia : quem uo mes-
rregar, o f o0 ir de pasiiagem, enten-
apitacTrilav^^do Jos Francisca lloulart
a ra dcv^**picl'e n. 14,
Uran-Brelanha. |
Cunlinente.. |
518
531
Tolal
713 |
532|

178|
881
313
141
I 1,079 | l.Stsp 26ti|
4K1
Ue menos
1855.
SlilVEItSAS PROVINCIAS.
Kendimento do dia 1 a 27. .
dem do di 20.......
28:0593!M0
1:1218055
9
I:I25055
2', 5
' Kesulla des-
ta cumpa r-
elo,que as Ro-
cas demoram
a respeilo da
ilha de Fer-
nando, ao ru-
mo de 88 ou
87 sudoeste ,
distante 70' ou 46'milhas, i-oiiluriiie a longilude que
tomar-te.
O bario Koussin, s paginas 167 do l.e Pille
du Bresil colloca as Kocas '25 leguas ao occidente
da ilha de Fernando, na longilude de 33 45* oesle
de Greenwich.
Anlonip Lopes da Coila Almeida. lis paginas 166
do Koleiro Geral n dii: (em este recito urna exis-
tencia real, e he muilo perigoso, como se demonstra
por muilos naufragios alli acontecidos ; entre elles
oda Brilaniiii e o do Km Georg (Transporte) em
1805.
Horsbough refere-se primeiro a descripclo de l^al-
rymple, assaz fallivel. purque elle sitda as Rocosa
L' Esto de Fernando, estando segundo as mais mo-
dernas iavesligacnes .50 milhas a Oes!*; algomas Car-
la* portugueza, a situlo a Oesle 15 leguas. O ca-
pillo John liucli levantou um plano desle rochedos,
a os sita 45 milhas distante de. Fernando no mesmo
parallelo ; elle diz qoe as rochas mais perigosas, slo
as do N. E. e N., sea comprimeulo total ser de 5
milhas ; a correute lie de 2 112 militas por hora e a
maro sobe 6 ps. No diario do Norlhamplon, se des-
creve como um baixo muito perigoso, e pouco ci-
ma d'agua, com rebenlaclo em roda, exceplo da par-
te do S. O., em que se descobre um areal braoco,
onde um bote pollera atracar. Horbogh pagina
33, para lomar entre as diflerenles posicSes deter-
minadas em navio munidos de boas instrumentos e
RECUBEHORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
HAKS DE PERNAMBUCO.
Rendimento do'dia 1 a 27.....36:8859201
dem do dia 29....... 596:900
37:482?5I0I
CONSUI.AUO PROVINCIAL.
Reudineulo do dia 1 a 27.
dem do dia 29
----------
80753#526
1533410
31:2069936
PAUTA
dos preros correnles do assucar, algodo, e mais
gneros do paiz, que se despachan! na mesa do
consulado de Pernambuco, na semana de 29
J de oulubro a'i de novembro de 1855.
Assucar em c.iisas branco 1. qualidade
i) 2."
na mase.........
bar. e sac. branco.......
o i) mascavado .....
i> refinado...........
Algodlo em pluma de 1.a qualidade

2."
3."

canada
() Ignoro como foi observado pelo capillo a di-
recelo da corrate nlo lendo salvado agalha de
bllacula, nem instrumento algum.
(Nota do traductor.)
{") Feitas pele commandante da escuna Lin-
b em caroro......
Espirito de agurdenle .
Agurdenle cacha;a........ u
o de cannn.......
resillada.........
> do reino........
Genebra.............canada
............... botija
Licor.......,.......canada
t> ............... garrafa
Arroz pilado dua arrobas, um alqueire
> m casca............
Azeite de mamona........canada
b mendobim e de coco
< s de peixe.........


39(500
29200
39810
59800
5-9100
JJOOO
19450
9550
wwo
9480
M80
9600
9-580
240
9580
9240
49600
19280
9600
19760
19280
I I
i 166 ou 13 % | 218 ou 45 %
O consumo longe de diminuir vai Iconstantemeute
em augmento. Por toda a parle o prejo do retina-
do sobe seiisivelmenle, e quas lodas as grelinarias
leem vendido seus producios para muilos mezes e
nao podera salisfazer a procura. Esta posiclo cipli-
ca-a alca do preso em lodos os mercados. a Ingla-
terra onde a falta he maior que em qualquer otra
part. i> Relgica as cidades anseticas, e outras do
norle, assim como nos porto do Mediterrneo. He
para nular igualmente qu m vendaslpublicas da so-
rie-l.-nle de commercio dos Pazes-Batiw. feitas em
Rollerdln a 21 de setembro, foram por preenrVe-
vados de,fl. 1 a 5 cima du precos da venda do es-
to.
As noticias do norte da Franca dio a couheeer
que as fabricas de assucar da belerraba se preparam
para coinecar os seus Irabalbos do campo 1855 a
1856.
A secca prejudicou ao deseuvolvimenlo da planta,
as boten abas slo pequeas, e as quautidades de as-
sucar flbriradonlo serlo tao importantes como se ha-
via esperado. E de mais urna boa parto da recolha
ser esla vez aiuda convertida em alcool.
Para se poder ernillir urna opinilo segura cumpre
esperar-se pelo fim de oulubro.
llamburgo i de oulubra.
Cafe.Encllenla posirjau. As nllimas uolicias do
Rio de Janeiro leem reanimado a especulaclo, e lu-
do quanlo se lem podido obler mesmo pagando-se
unjjavancu de 1|8 a 1|4 sch. leni-.e realizado. Os
pnneipaes possuidores se conservar na reserva na
certeza de que mais tarde os precos subirlo inevi-
taveimenie, masa posigao dillicil do mercado mone-
lario imped'a alca de ir em progresso. As vendas
chegam ao algarismo importante de 28,000,000, sac-
cas du Rio e Santos por precos que pouco leem va-
riado de 4 a 5 1|2 ; as Iransaccijes dos das ou Iras or-
les leem sido proporcional mente usignliicanles.por-
que us abaslerimenlos leem sido limil.idus s quali-
dades do Brasil ; do de S. Domingos foram vendidas
9,000 saccas de 5 a 5 3|8sch.
L'llimos precos.Brasil ordinario al 7(16,__
real ordinario 4 1)2 a 4 5|8,bom ordinario 4 3| a
* 7|8, -lino ordinario 4 5|I6 a 5 3|4 sch. por libra.
As-ur.ii .Negocios importantes com alca no pre-
50 de 10 a 12 sch. As trausacc,6es leem sillo prin-
cipalmente sobre os da ilvana e daMauricia. Das
surtes do Brasil venderam-se 2.600 saceos do Iri-
gneiro da. Baha por prejo de 16 1(2 a 16 7i8
m. h. e 900 saceos do branco de 17 a 19 in. b.
Cacao.Muita procura. Existencias reduaMas ;
os ua Baha slo colados a 41 sch, o ha inleiraineii-
te falla.
Londres 8 de oulubro.
Caf. Esto arligo qae os rosullados das ultimas
veuilas publicas na Ho|landa liieram subir, s man -
lm em condiefles vaulajosas para os vendedores, e
espera-se mesmu urna alca ulterior. as serle do
Brasil temos 1 mencionar 1,200 saccas do Ri pre-
sentadas nos leudes, e lomadas em grande parle por
preco de 40 a 43. 6. pelo baixo a bom ordinario. A
entregar fizeram-e importantes Iransacces de perlo
de 3,000 saccas de Sanios e olo carregamealo- do
Rio do Janeiro a precos imperfellamonte communs.
mas que devem-so estbeleccr entro 44 e 47 sch u
que iudica urna alca nutavel.)
Asiucir.Mercadoanimado, e principalmente na
primeiro ouinzeua du mez de setembro. ludepen-
denteiiieute das vendas importantes efectuadas das
procedencias das possessoes britnicas, devenios fa-
zer scienle que a surtes ettraugeiras tambem lve-
ram grande pruenra queaproveitam mais parlicu-
larmenle aos de Ilavana e da Manilha. Do Brasil
apenas venderam-se algomas centenas de caigas da
Baha a preco de 26. 6 a 28 sch. o de qualidade
igoal ao 11. 10 delypo hollaodez.
Gaco. TransaccOes modeladas : venderam-se
perlo de 150 saccas da Baha de 10 a 41. 6 sch.
Havre 7 de oulubro.
Cato.Moilo regularmente procurado e com pre-
go lirmemente su lanles Iransacces para a eiporlaclo com desti-
no ao MedHerraneo Vendas : Hait 15,000 sacras
disponiveis a prego de 58 a 59 frano. 50 kilog de-
posito)9,500 saccas do nao lavado do Rio de Ja-
ximo vindouro, val nov
rematado a quem por
mentares a faz.erem-se.
riba na estrada de Pao
12:8919822.
E para constar se mandou a
blkar peto Diario. Secretaria da Ihesouraria pro
vincial de Pernambuco 23 de oulubro de 1855. O
secretario, Antonio Ferreira d'Annunciarao.
praca para ser ar-
as obras supple-
jrfj.0 rio Capiba-
a^iadas em res
presente e pu-
DECLARACOES
BANCO DE PERNAMBUCO.
O Banco pe Pernambuco continua a to-
mar letras sobre o Bio de Janeiro, e a
sacar contra a mesma praca. Banco de
Pernambuco 10 deoutubt*ode 1855.O
32Etaro da direccao, Joo Ignacio de
MedeiroiKeRO.
CONSELiiO ADMINISTRATIVO.
O conselho administran .0 lem .1 -.-ouprar os ob-
jectos seguinles :
moquiSajrearreg
da-se coiiT, ca
a bordo, ou *t
natario
O escrivao da irmandade dofienhor
Bom-Jesu* da Va-Sacra da Boa-Vista,
erecta na igrja da Santa-Cruz, de ordem
do irmao provedor, conviaa a todos os ir-
maos mesarios e os avulsos, am de com-
pareceremno consietorio da merna igre-
j, na quarta-feira 51 do corrate, as 5
horas da tarde; e em mesa geral, tratar-
dos negocios de nteresse da mesma irman-
dade.
Irmandade das almas do Recite
O escr'rvao da irmandade das almas
erecta na matriz do Corpo Santo, em ob-
servancia do compromisso, e'de ordem
da mesa regedora, convida a todos os it-
mosda dita irmandade para comparece-,
rein no dia 1 de novembro, pela 9 horas'
da manhaa, no consistorio da metma rr-
mandade, para.a eleico da nova* mesa
que tmde regera mesma irmandade pa-
ra o auno futuro. Consistorio 50 de ou-
tubro de 1855.Joaquim Lopes de Al-
meuJa, escrivao da irmandade.
vRela contadot ia da cmara munici-
pal dests^ cidade se faz publico, que o pra-
zo marcado paia pagamento do imposto
de carros a*e-passeio, carrocaM eoutros ve-
hculos de nduro, espira quarta-feira
31 do corrente, lindo o qual ficam sujei-
tos a multa de 50 por cento, todos equel-
lesq'iedeixardm de pagar at a dala su-
jira. Contadora municipal do Recife49
de oulubro de i 8T55.O contador, Joa-
quim Tavares Bodovalho.
Perdeu-se um cachorro d'agua no
da 24 do crrente, com os signaes segu li-
tes : todo branco, com oreins grandes,
curto,- Cesta va um pouco tosquiado, tem
apenas urna nodoa por baixo de urna das
oi.elhas. costuma acudir pelo nome JOL"-
1,1: quemo acharouder noticia, di-rija-
sea ruado Trapichen. 15, armazem, |quc
sera' bem recompensado. -
Aluga-se para se patsar a Testa um sitio na es-
trada do Monlero, com bstanles eommodos, mailos
arvoredos e grande cacimba com boa asna-: a fallar
na ra do Collegio o. 8, segundo andar.
A pruvedoria da laude declara ser falsa .
serclo de esperarem os navios duas c tres hora* pela
visila, pelu coirarlo tem ella sjdO feila eom -oa
prumplidao, ao vigilaule qoe nlo deve deisar de ser
algum que procurou o seu intrets com detrimento
do publico se Ihe peda que prev o qae dsse. assi;-
nando o seu nome.O secretario, Pedro Doonelty.
Avisa-se a pessoas que desejam concorrer a
arrematarlo da taberna da ribera do peixe, que fi-
cou a mesma praca transferida para o da 3! do cr-
reme oulubro, depois da audiencia do Sr. Dr. juiz
da segunda vara do civel,,depois da mesma audien-
cia, por execurlode Jnaqolro Feruande de Aievedu
conlra seu filho Joaquim Fernandas de Aievedo J-
nior.
D.i-se a quantia do MIS a 1009 jaros, com
penhores: nara^ova, toja u. i2,se dir que
Aluga-se nma casa, torrea muito grande, eom
0 quarlos, 2 salas e bom quintal, ua roa dos Coelhos
n. 13 : quem pretender, dirija-se a taberna pegada
a mesma casa.
Atoga-se urna das melhores casas da Boa
gem, perlencenle ao palrimouin, acabida de novo,
lano em reedificarlo como caiada e pintada y a
lar na ra Imperial n. 37. Na mesma ejsa ven-
dem-se 3 nortadas de pedra de cantara, 10 cepos de
2 palmos e mete, urna porrlo dos ditos de 2 e 1 pal-
mo, assim como cento e tantos palmos de lage.
Oflerece-se par servir de ama secca orna ruu-
Iher de boos coslumes: quem preciiar, annuncie por
esto jornal.
Manoel Goncatves Agr,
administrador do eslabelecliaenlo de carros fnebres,
silo em um armazem perlencenle aesreligiosos fran-
ciscanos, confronte secretaria de polica, faz scien-
le ao publico em geral e aos seos amigos, que se
aclia munido de lodos os preparo para enterras,
como sejam : rico eaiioes.de velludo de oovos siu-,
dellos, Unto para anjos rumo adultos, assim como
encarrega-se de lirar lcencas da cmara e parocha,
de fornecer carros de pasaeio, cera, arrearoes a con-
tento los prelendentes, msica e convites, promet-
iendo empregar lodo o zelo promplidlo as obri-
gacOes que coiilrahir com qualquer pessea qoe a
procure em o armazem cimadiloa qualquer hora do
dia, e da noile. na ra de Santa Tberexa n. 32.
r
com o consig
A mesa regedora da irmandade d N. S. do
Rosario do bairro da Boa-VIsla pretende solemnisar
su padroeira ua segunda donringa do prximo
timbro, por isso raga a todas as pessoas que se quei-
ram prettar corj-te^Mt|i|ii>ii^|i. ,a ufeJihnwnjj-------'
a**- usUFPariA MJV./.ti *3uej'^Dfl^>s queja tem
DE NA "GACHO /kXrOn ^n"n3', P" recebmenlo de qualquer csmola a
me*a lem de andar em coifimissoes adquirndo (oda
e qualquer eslnola que os liis quierem dar. A
mesma Senlicra do Kosaro nlo deixara de recom-
pensar a todos quaolos benignamente se preslarem
para oengrandecimenlo de eu culto,Mirando os do
mal pestfero, e a mes ficar summameule agradeci-
da.Antonio das Chagas Ramos, escrivao interino.
Manejcl AlcV^*%k^aw^ Ko'
lAVEGAgAdAjrl
LlSOlMSTIIRi.
O vapor
lesla compa-
nhia D. Ma-
fia II, com-
nandante o
teoenle Gui-
Tii.res, de-
vendo aqoi
chegar vio-
do de Lisboa
e escalas no
.1 i a 31 do*
rorrele, de-
pois iia com plenle demora seguir para a Baha e
Rio de'Janeiro, recebando passageiros e encommeb-
dns: os ialeressados dirijun-se ao agento Manoel
Duarl Rodrigues, ra do Trapiche n. 2.
I{ara qoalquer rttn dos porlos do norte, sendo
Cear,, Maranhlo ou Para, pretende rarregar ou fre-
tar-se o luale S. Ju-r. mestre e pratico Paulo Jos
Rodrigues, com lauto que seja para um dos porlos
em liireiiura : a quem convier, pode eutender-se
cun I.uiz Jos de S Araujo, na roa do linim n. 22,
ou ta praca".
I----------
LEILOES.
-r O agento Oliveira far leilio, por conta e risco
de juein pehencer, de cerca de 500 saceos de fari-
ubide Irigo do Chile, das melhcres marcas que.lem
viitdoa esle mercado : lerca-fetra, 30 do carrele,
" as 10 horas da maabla, no armszem do Sr. Jos
asemira carmesim. cavados 100 ; aniagem, ..ra n,rle das Ne,es' becco ,ionv'. Recito.
"lOBe < ; esleirs, 1,079; saualosfeilos"na provio-
cia, pares 2,523 ; manas de lia, 96 ; clcheles pa-
ra capoles, pares 110 ; casenlira encarnada, envi-
do 63 ; boles grandes convexos de melal dourado
como n. 4-, 5,208; dilos peqoenos, 3,318 ; dilos
grandes com o n. 2,8,096; ditos pequeo*, 4,554;
ditos .grandes como o. 3, 1,1,76; ditos pequeos,
7.56 ; dilos grandes com a lellra R, 770 ; dilos pe-
queos ditos, 440 ; algodlo em rama, arrobas 4;
cubos inodoros, 18 ; rolhas de curuca para garrafas
grnzas 3 ; pavios, dozias 9.
Quem os quizer venderfcprcsenle as suas propostas
em caria fechada na secretoria do conselho/is 10 ho-
ras rio riia de novenibro prximo fuluro.'
Secretaria do consellio adminislrativo para tor-
uecimento do arsenal de guerra 29 de oulubro de
1855.Bento Jos' Lamenha Lins, coronel presi-
dente. Bernardo Pereira do Carino Jnior, vogal e
secretario. N
O Illm. Sr. regedor inlerinoilo C\mnasio Per-
oambucauo. manda declarar que esle eslabeleci-
menlu admilte do dia 2 de Janeiro do anno prximo
vindouro em (liante alumnos internos, os quaes de-
vem apresenlor cer lidio de dade. de vacciua, e re-
cibo do quartel da pensio, pago ao Econumo. Quan-
lo ao enrhoval os prelendentes enlendam-se co.m o
mesmo Illm. Sr. regedor interino.
S*cretaria do (jymnaaio Provincial de Pernambu-
co 29 de oulubro de 1855. O secretario, Antonio
da Assumpclo Cabral.
H.
DE
raude e extraordinaria representarlo de exerci-
cios gvmnaslicos pela familia de
S1LVAIN HENAULT.
Concedido por S. Exc. o Sr. cooselheiro presiden-
te da provincia.
Silvain Ileuaull summameule penhorado pela ob-
sequiosa concesslo que ihe fez S. Exc. o Sr. cunse-
llieiru presidente da provincia, vem humildemente
agradecer lio grande prova de boudade e proleccao
da parle de S. Exc.
QUARTA-FEIRA 31 DE OTUBRO.
Depois de execulada una bella uuverlura, a lam
lia Ileuaull principiar os seas trabalhns da manei-
ra seguinle :
1." parte.
O joven Ernesto dansar um passo gracioso.
2. parle.
O joven Alfonso dansar um dillicil passo de sua
I Aven (3o.
3." parte.
O Sr. Flix dansar urna grande dama estrava-
ganlc, e terminar com o grande salto mortal.
4. parte.
A joven pernambucaua dansar um passo gracioso.
5. parle.
Mr. Ilenault dansar um passo cmico pela pri-
meira vez visto neste iheatro.
t O agente Borja far leillu em seu armazem,
na roa do Collegio n. 15, sexta-feira, 2 dti novenrbro,
as I! luirs da manilla, de um grande e variado sor-
lmenlo de obras de marcineria, inclusive urna por-
Clu de cadeiras porluguezas e hollandezas, que tem
de ser entregues pelo maior preco oblido, varias
obras de ouro e prala, relogios para algibeira, e ou-
lros miiitin nhjecios que no mesmo arma::em se adia-
rlo patentes etc. ; e o meio dia em poni irlo tam-
bem a leio um excedente carro de l roda, diversos
escravos mucos de ambos os sexos, entre os qoaes, ha
um muleque de 4 annos de idade, assim como 4 va-
cas de le e com crias : em ludu slo nao ha limito
de preco algum.
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se um bom armazem eom solio na roa
da Praia n. 40: tratar com Guillierine Selle, ra
du Collegio o. 15.
A pessoa que annunciou querer hypothecar
urna escrava por 200, airija-se ao paleo de Carmu
n. 7, primeiro andar.
No diaSS de outobro da 1855 fugio ama preta
de nacao Qucma, de nome M.ircalliua.dade de 30
annos, liana e gorda, peitos grandes, bem preta e
bonita, com todos os denles de frente ; levou cabe-
Co e saia e chales : quem a apprehender, Jeve-a
raa Velha n. 77, primeiro andar, que sera bem re- -
Compensado.
Quem precisar de um caixeiro porluguez para
taberna, do que tem bastante pratica, ou para antro
qualquer hegocio, dirija-se ao pateo da Penha, li-
berna n. 10.
Precisa-se de ama ama par casa de punca fa-
milia, smenle para coziuliar o diario : ua ra lar-
ga do Rosario n. 21.
Precisa-se de um liom forneiro t, amaasador :
quem se adiar uestas circunstancias, dirija-se a ra
larga do Rosario n. t8, junto do quartel, que aehar.i
com quem tralar. Na mesma aluga-se ama canoa
grande de mais de milheiro, com canoeiro ou sem
elle.
S. Sebastiao.
Na matriz da Boa-Visto llavera no da 30 do cor-
rele pratica pelo Rvm. padre mestre pregadorda
capella imperial Jlo Capslrano de Mendodca : c a
igreja se abrir as quarlas e satinados para resar-se
o terco.
Vo i praca nos dias 26 e 3(1 de oulubro c 6 de
novembro, dpors da audiencia do j'oizodus orpl
na sala da mesma, as casas terreas, sitos na ra dn
Alecrim ns. 12 e-16, e as meia-agua torree, sitas
na Iraveasa do Vigeiro ns. 9, II e 13, e na roa Im-
perial n. 60, por arrendami alo anoual.
Conliuiia a estar ausente de casa de sen enhor
um inoleque fula, croulo, de idade 8 anuo-, de
nome Philadelphio, espadando, dentes srjenles e
claros, anda com camisa branca e calca azul de al-
godlo, e consta que apparece no Recito : quem o
appreheuder, ser recompensado, levamtoaua ra da
Aurora n. 10.
Precisa-se de um caixeiro que Ifenha pratica
de taberna e que d fiador a sua conducta. Tambem
se precisa de outro que nlo lenha pratica, que
dos chegados ha pouco para estar em companhia do
oulro : a tratar go puteo da Sania Cruz n. 6, pada-
ria.
Precisa-se alagar um preta que nao seja moco,
para servico Je casa : na iravessada Trtmpe n. 7.
Roga-se ao Sr.A^laudiuo Pereira Pinto Caval-
canli qoeira Ier a bondnde de vir a ra de Crespo n.
13, que muilo >e Ihe deseja fallar.
Precisa-se de 2009 n juros sobre hvpoitiecaem
ama casa nesla cidade, que rende lOjmeiisaes : qoem
quiler dar annuncie para ser procurado.
O abaixo assignado deixou de ser caixeiro do
Sr. Firmiano Jos Rodrigues Ferreira, e agradece
ao mesmo Sr. o bom Iratamento que delle cecebeu
dorante o espaco de 7 anno que foi seu caixeiro.
Jlo Venancio Machado da Paz Jnior.
Precisa-se de um escravo por alague! para o
ervico de urna pequea familia : ua ra do Hosni-
cio n. 7. r
Na ra do Qaeimado n. 38 deseja-se fallar ao
Sr. Marcelino Jos Rodrigues Collaeo, a negocio d
arfen ele.
Oescrivaoda'rrmandadedo Santissimo
Sacramento da freguezia de, S. Jos do
Kecife, scientitica .a todos os leu charissi-
mos irmao, quequinta-eira 1 denotem-
bro. tem de celebrar-sc na igreja de Nos-
sa Senhora do Tertj.o, que serve de ma-
triz, a solemnissima festa do Santissimo
Sacramenlo; espera portanto que todos a
ella coucorrerao, bem como os liis, am
i TOMADA DE SEBASTOPOL.
HYinAlO TRIUMPHAL.
Dedicado a SS. MM. o Imperador dos
Francezes, rainha da (iraa-Brctanha. e
sultito Abdul Med,id, e posto ein tnusica
pelo hbil pianista Mr. l'achimetti ; n-
tida impresso do Kio de Janeiro ; ven-
de-se a 2$r. cada exemplar, na ra do
Collegio n. 8. .
A pessoa que annunciou presisar de 200)>000
a juros cun segoranca em urna e-crava, querendo
dirija-se a ra Nova esquina da do So, primeiro
andar quo achara com quem tratar.
Alusa-se urna parda escrava de bous coslumes
para ama de qualquer casa estrangeira, a qual he
muilo zelosa no servico d urna casa, no tralameiilo
decrianets e cose pertoiainaiite quaiqner costura :
Quem a quizer alugar procure em Pora le Portas no
becco do Vieira casa junio ao Sr. Siqueira.
Preesa-se de urna ama de leile': na ra dAu-
rora primeiro porlio passando a fundiclo.
Ama de lelle.
Quem p'-ecisar de urna ama de leile diriga-M a
ra do Brum do Recito n. 28.
l.avn-se e engomma-se cun atseio |i prompli-
dlo : qoetn precisar dirija-se au becco do Rourio
n. 2.
Alu;a-se o grande silio doCajueirj, enlre as
duas pontos da pnssatem da Magdalena, lim ato p-
timo vivero.maitas fruleiras de todas as i ualidade,
grande casa de sobrado, cocheira, jardim ite.: quem
quizer dirija-se ao mesmo silio.
Roga-se a pessoa que trncou um cliapo novo
deixando um veMio do coutislurio de N. S. do Terco
em ocrasilo do Te Deuui. baja de o cairelar viVlo
ser pessoa conhecida, e nlo o fazendo so declaaar.i
o nome (promelte-sa segredo caso faca en rega.)
Precna-se alugar 3 prelos robustos quem t- de se tornar mais pomOOSO 15o solpmne
ver e quizer dirija-se a ra de Apollo n. ",A que eo-
cootrar com qoem tratar.
Preciia-se por aluguel um prcla forra oo cap-
tiva deven.lo saber cozlnhar o diario de una casa de
familia : quem quizer dirija-se a ra de Apollo o.
7, Apara tratar.
acto.
Precisa-se de um feitor bom e fiel:
na ra do Sebo, sobrado amarello, ou na
esquina da ra da Madre de Dos n. 45.
.....i ra** an riinmiTiiinn


.
OUlUO DE PERUMBUCQ TERCA FEIRA 30 OE OUTUBRO 01)865
CONSULTORIO DOS POBRES
ftO mUA NOVA 1 AHB&B 50.
<> llr.l'. A. Lobo Mokoio d consultas homeopalhicas lodos os das ana pobre, desde y horas da
luiihaaalo aei< eitraordinario a qualquer hora do da ou notte-
Oflerece-se igualmente para prslicar qualquer operaco deeiruraia. e acudir promplamcnlc a qual-
qur roulher qiM estoja mal de parlo, e cujascircumslaitciamao permitan) pagar ao medico.
80 COSSLTOKI DO BR. ?. A. LOBO MSHBt.
30 RA NOVA 50
VENDE-SE O SEGUINTE:
Manual'Cmplelo de meddicina homcopalhica do l)r. 11. Jahr, traduzido ein por
luguez pido Dr. Moscozo, qualro voliimes encadernados em dous e acompauliado de
od diccionario dos termos de medicina, cirurcia, analomia, ele, etc.
que
209000
limporlanle de lodas as qoelratam do estudu e pralica da homeopalliia, por'ser i nnica
e fiindamenlal 'esta doulrinaA PATHOENKSIA OU EFFEITOS DOS MEDICA-
MENTOS NO ORGANISMO EM ESTADO DE SAt'DEconhecimenlos que nSo podem dispensar as pes-
soh que-se querem dedicar pralica da verdadeira medicina, interessa a lodos os mdicos qne quizerem
exne.rimeiitar a doulrina de ilalnemann, e por si mesmos se convenceren) da verdade d'ella: a lodos os
az'endeirosesenhoresdeengenhoque eslSo longe dos recursos dos mdicos: a lodosos capilesde navio,
ama ou nutra ve nao podem daixar de acudir a qualque iucomroodo sou ou de seus tripulantes :
i que por circumstancias, que nam sempre podem ser prevenidas, sao |obriga-
dos a prestar f conlinenti os primeiros soccorros ero suas entormidades. ,
>meopalha ou Iriducrao da medicina domestica do Dr. Herinc,
nilieru ntil a pessoas qne se dediram ao esludo da homeopalhia, um volu-
tcompanhado do diccionario dos termos de medicina...... 103000
>s de medicina, cirursia, anatoma, ele, etc., encardenado. 39000
e bem preparados medicamentos nio se pode dar um passo seguro na pralica da
lia, e o-proprietario desle e>tabelecimeiilo se lisonseia de tc-lo o mais bem montado possivel e
nineuem duvida boje da crande supe/iordade dos seus medicamentos.
a 12 tubos graudes..................... 8J000
Boticas de I medicamentos em glbulos, a 10, 129 e 159000 rs.
ditos a.................. 9Q9W0
dilos a.................. 239000
ditos a................., 30*000
dilos a.......; ......... (09000
Tubos avalaos......................... 19OOO
Frascos de nieia onca de lindura................... 29OO
1 de verdadeira lindura a rnica. ,............ 29OOO
ha sempre a venda grande numero de labes de cryslal de diversos Umanhos,
mentos, e aprompU-se qualquer encommenda de medicamentos enm toda a brevida-
de e por precos muilo coiumoc'os.
TMTAIHITO HOlOPATHICOr
Preservatico e curativo
DO CHOLERAMORBUS,
pfxostms
EK-=kVM.ia:ae: ws jt^m***. .
povo parase podercurar desla enfermidade, administrando os remedios mais efhcazes
imquanlo'se recorre ao medico, ou mesmo para cura-la indepeiideote desles nos lagares
em qne alo os ha.
RADUZIDO EM POBTUGUEZ PELO DU. P. A. LOBO MOSCOZO.
dous opsculos contmas indicaces mais claras e precisa, so pea sua simples econcisaex posi-
lodas as inlelgencias, nao s pelo que dii respailo aosfneios curalivoa, como prn-
reservalivos.que lem dado os mais .satisfactorios resultados em toda a parle em que
ellas ten sido porto era pralica. \
Sendo o Iralamento homeopalhlco o anteo que tem dado grandes resultados ocurativo desta horri-
namosa proposito Iraduiir esles dous imporlantes opsculo?, em liugua verncu-
la, para dest'irle facilitar a sna leilora aquemignoreo francej. \
a-se nicamente no Consultorio do traduHor, roa Nova n. 5>, por 25000 rs.Nt ___________
i||*|.*-t*|Wa@t
AO CORI'O EI.EITOUAI. UA NfefVLN- @
UA DEPERN\MliCCO. \
f> O Dr. Sabino Olegario Langero Pinho, "dto- $5
0} sejando a honra de ser um dos membros da' K
fj) assembfa provincial,roga a lodos os senho- 0
H res eleitores que Ihe prestem seus votos, por *J$
9 cujo favor Ihes licara sumuiamenle obrigado. @
% Kecife 2I de oalabro de 1835. fl*j
PABA A FESTA.
Aluga-se no melhor lugar da Torre, utn
sitio com grande casa nova, estribarla e
cocheir equartopara teitor: a tratar na
na da Cruz n. 1,0.
ANNUNCIO.
nincB de famidas baralissimas, na n
ideia do Recito n. 50, defronle da ra da M
dre de Dos, quina do segando becco viudo da pon-
te, lado esquerdo. Nesle eslabelecimenlo achirlo os
Srs.'fazendeiios, commercianles do ceulro, e o pu-
TrThio en geri 1, um completo sorlimento de fatendas
qualidade esemavaria,
que a dinheiro i vista, e vendem por precos bar-
lissimos ; assim como boa dlsposicilo para bem ser-
vir eagradar .1 lodos os fregones que se dignaren)
honrar o eslabelecimenlo.
AULA DE LAT1M.
O padre Vicente Ferrer de Albuquer-
quemudou aspa aula para a ra do Ran-
gel n. 11, onde continua a receber alum-
nos internos eexternos desde ja' por m-
dico prero como he publico: quem se
qufcer utilisar deseupequeo prest mo o,
pode procurar no segundo andar da refe-
rida ualqer hora dos dias uteis.
Eslu a sabir a lu no Rio de Janeiro o
REPERTORIO DO MEDICO
HOMEOPATHA.
E.YTRAHIDO DE RLOFF E BOEN-
NINGHAUSEN E OUTROS,
posto em ordem alphabetica, com a descripcao
PUBLICACA'O COROGRAPHICA*.
Esta' a venda na livrarla classica n. 2,
no pateo do Collegio, a obra intitulada
Breve Noticia Corographica do Im-
perio do Brasil, escripia em 1854; ero-
g-se aos senhores assignantes que tenham
a bondade de mandar buscar" os seus
ejemplares, no armazem de leiloei, na
ra do-Collegio n. iq.
LOTERA DO GYMNASIO PERNAM-
BUCANO.
CASA 1)A\FAMA.
AOS iOOO,', 2:
O raulelisla da casa da
(juimaraes, tem cvpo tunados billietes e
gunda lotera d
El^S.
Ionio da Silva
cus muilo tor-
narla parle da se-
3jal corre no da 3de
O curador fiscal da massa fallida de Amonio
Augusto de Oarvalho Marinlio, convoca aos credores
da mesilla massa para comparecerem ein casa da re-
sidencia do Eim. Sr. Dr. juiz do commercio, pelas
ti horas da manhai do'dia 30, para nomea<;lo de de-
positario, e espera qoe os mesmos Srs. credores nao
dcixarao de comparecer, pois sem nomeac,iU> de de-
positario uAo pode ler andamento o proerss da fal-
lencia.
Discurso sagrado, recitado em cominemorai-o
da indepeud*liria do Brasil, 110 solemne Te-Deum
que os, habitantes da imperial cidade de Niclhere)
Aaeram celebrar no di.. 7 de setembro de 1853, pelo
Sr. Juaquiii Piulo de Campos, eoMCgo honorario da
capella imperial, ollicial da ordem da Rosa, depala-'
do a assetnbla geral pela provincia de Pernamiiu.o,
professqr de eloquencia nacional do anti^n lyceu
da cidade Jo Recife, bibliotecario da Faruldade de
Direiloda mesma cidade, e socio correspondente do
instituto histrico do Brasil etc. Este discurso im-
presso e vendido pelos Srs. I.aemert & Companhia
do Rio de Janeiro, por graciosa licenra do autor,
veinle-se na livraria 11.P 8 da pra(a da Indepen-
dencia, a 19 cada exemplar.
.Minia attenco.
O cautelisla Salustiauo de Aqino I erren a vende
para negocio bilheles e cautela das loteras da pro
vincia, sendo a quautia de (009 rs. para cima di-
nlieiro a vista : na ra de Trapiche n. :, smundo
andar, pelo- urocos abaixo declarados. Os bilheles
e cau(elas sdo pagos sem o descont de oilo por cen
to da lei nos tres primeiros premios grandes.
Bilheles 59300
Meios 2fi70
Tersos 19820
Hilarlo- 19360
Quintos 19090
Oitavos (80
Decimos 550
Vigsimos 280
O caolelisla, Salusliano de Aquino Ferrcira.
Preeisa-se de una ama forra ou captiva perfei-
la en^ommadeira ecoziuheira, para casa de posea
familia, pelo que se pagara a contento e com genero-
sidude : na ra Nova, loja de ourivesu. 1.
Precisa-se do tima ama para n servido iulerno
e externa de urna casa de pouca femilia : na ra Di-
reila n. 72.
Precisa-se de ama ama : na ra Bella n. 36.
Milita attencao!
O cautelisla Salusliano de Aquino Ferreira~avisa
aorespeilavel publico, que lomou a lirme n-soliio.io
de vender bilheles e cautelas das loteras vindouras
sem o descoulo de oilo por centda lei, pelos presos
abaixo declarados, principiando com a prnneira par-
le da terceira lotera do Gymnasio l'ernambucaiio.
permaiiecendo firmes estes presos em quaiito nao se
mudar o plano actual das loteras da provincia
qual he justamente a quarta parle das mu acredita-
das loteras do Rio de Janeiro.
Recebe por inleiro 5:0009000
8 2:500oOO()
1:6669666
1:2509000
1^009000
6239000
3009000
2)09000
Pernambuco26deoulubro de 1835. O caole-
lisla, Salusliano /le Aquino Ferreira.
O Sr. Joaqoim Lopes Ferreira lem urna carta
viuda do Rio de Janeiro, no escriptorio de Jos Joa-
quim Dias I cruandes.
CONTENHAM-SE senhores
FALSIFICA 0RES.
ndo ao abaixo asignado tjue em
s padarias e depsitos desta cida-
Bilheles 39300
Meios 29800
Tercos 19880
Quarlos I9IOO
Quintos 19120
Uilavos 700
Decimos 580
Visesimos 300
Vendem-$e dous pianos fortes deja-
caranda', construceo vertical e com to-
dos os melhoramentos mais modernos,
tendo vindo noultiino navio de llambur-
go : na ruada Cadeia, armazem n. 8.
Km casa de lleni \ lirtmti &C.,rua da
Cruz n. 10, lia para vender um grande
sorlimento de ouro do melhor gosto, as-
sim como relpgiosdeoiiro de patente.
I tiiao, ua fita da Ci 11/. n. 40,
ha para vender umsortimenlo de conservas linas co-
mo pilols pois, sardiiies. speme*, langue de buf-
Eate defeiesaurisses, beal'stak. cliaponueaii au jain,
ou. poulet au ju d'ccrevisse, liieandeau de vean;
assnrl como diversas qualidades do vinhos, 'como
Champagne, \ers, Madeira, Porto de ptima qua-
lidade, vinbo de-Fra versos licores, liummel,.etc, eogaae engarrafado;
tambein ha peliscos aceiados'ao modo enropeu a
ualquer hora.
a viso aos fregue-
ses.
A taberna da ra .Nova 11. Vi, liri de se achai
complelainrule sortida, lem, que cliegou de prxi-
mo, latas 1I0 I r -J libras com muilo superior cha,
que vista da qualidade e do Rosto, os compradores
se convencerlo, assinl como vende-se ludo por mui-
lo barato prero.
Veude-se um balcao de louro para qualquer
cs!ahelecimento : na ra dos Tsuoeiros, sobrado
amarello.
Vendem-se 2 mesas novas para engommar : na
ra da Seuzala Nova 11. 13.
Farinha de mandioca.
Na ra do Vigario 11. .">, priineiro an-
dar, vendem-se saccas com l'arinlia > de
mandioca, minio nova e de superior qua-
lidade.
Vcude-ie um bra^o da Imlauoa, grande, con-
xas. e 4 arrobas de pesos ludo em bom estado: quem
pretender dirija-sc as Cinco Puntas 11. 66
171 AU \V CIAD % N< ra do Vigario n.19, primei'o andar, lenr
ILUK lili ILUH. I venda a superior fianells para forros de sellius,
A Farinha de Santander Flor de Flor, eliegada recenlememV da America.
msta
algut
de, se teltfi vendido bolacha lina denomi-
nadaV'XUa-Verde, scientilica ao res-
peitavel pulblico, que a verdadeira bola-
cha lina de injvencao do abaixo assiguado,
s se vende, uV sua padaria, ra Impe-
rial n. 177), estrepita Uo Rosario n. 59A
e 45 e Rangel 11. Tv, e que toda a- mais
<|iie se vender em ouma qualquer parte he
falsificada. Villa-Verde.
(unn'vLujz
alquer obraa
Bolam-se para qualquer olira canoas de arca,
assim como se aterran) terrenos, cinbora sejam dis<
lanles do porto, por ler-se carrocas\para a condc-
elo, sendo que os atorros se l'acain laraibcm por em-
preilada : na travessa do Pociuho 11. 2fli A, armazem
do materiacs.
Precisa-se de urna ama que saiba
fazer todo o mais serviro de casa :
86, segundo aadar.
ifi^:
jjtiuliar e
irrita 11.
na do Qiieima-
do 11.1.
Cliales de touquint om
ramos de seda matiz, fa-
zeiula iuteiranie te nova,
pelo diminuto pre^o de
aO^OOO rs. cada um.
Vcnde-se urna negra de 15 anuos de idade,
ponen mais 011 menos, boa eo/.inheira, lav a de sabio
o faz lodo o serviro de urna casa : na rqa da Madre
de Dos 11. 36, loja.
Vende-se uin piano de Jacaranda com punco
uso, muilo bom, e por prero ruiiiiiindo ; assim como
um (oucador de acarando e um berro de dito, por
sao duno se retirar para fura : na ra do Cabugu,
loja do Sr. 11111 maraes se dir quem vende dilos ob-
jectos.
Veude-se eslameuha para hbitos de Icrceiros
franciscauos : na ra du Kiir.-uitameiilo 11. 76 A.
Miudezas bara-
* tas.
Os arrematantes da loja da roa dos 'J11.11 le-11.
20, junto a padaria do Sr. M.inool Antonio de Jess,
estilo resolvidos a acabar com o restante das mude-
k/as que exisiem, por loda esta temada ; paranlo, a
ellas, meo- amisos, que he boa occasiao de se fazer
pechinchas, pois veudeme por lodo e qualquer
preCo que se olferera. e anda ha bom sorlimento.
he. a melhor farinha de trigo que existe em
lodo o mundo, porisso sempre liequalili-
cada a mais superior eui todos os merca
dos, aondetem sido importada ; lie esta a
primen a vez que vem a este mercado,
porerri gal antc-se a veracidade da infor-
manio: vende-se nicamente no arma-
zem deTasso limaos.
Bous gostos e de
libas qualida-
des.
?>a ra do (Jaeimado, uosqualrocairtus.ua SBgUB-
da loja de tazeudas n. 22. defronle do sobrado ama-
relio, vendem-se s segiiinles la/.endas. por presos
que realmente fazem admirar:
Caaeagira preta de superior qualidade pelo bara-
li-snno prero de 23 e 28600 o covado, excellenle
panno prelj lino, prova do lindo, par casaca e pa-
lito a 23300, 33 e 3?, alpaca prela muilo lina a 400.
300 e 600 rs. o covado, curtos de colleles de fustilo de
boa qualidade c bonitos padres a TOO o 900 rs., bo-
nitas cassas francezas e muto finas a 1100 rs. o cova-
do, cambraia muito lina de salpico, propria para
vestidos e ruupa de chanca a 15 a vara, camisas
l'raucezas muilo linas com pellos de esguiao para ho-
mem a 28800, curies de cassas para vestidos de bo-
nitos padrdes a :, lencos brancas de cambraia de
linho muilo linus e grandes a 6 a duzia, meias tinas
para sen hora a 240, :100 e 400 rs. o par, ricos chales
dechally com lislra de seda e bstanles grandes a
J!, ditos de merino muilo linose lisos a 6-5, luvas de
seda de cores para homem e senhora a I* o par. di-
tas prel.is de lor^aU fazenda superior, viudas de Lis-
boa a 19120, ricos curies de seda para vestido., pelo
baraliasimo preco de 20, dito de cambraia de seda
de lindos padres a 6, chally verde e amarellu,
mnilo superior fazenda, e que luuitn se usa para ves-
tido a 800 rs. o covado, romeiras le cambraia e iil
com laros de ricas lilas de seda a 1*280, grvalas de
seda de" bonitos padres a 610, meias de laia para
padres a 2 o par, corles de casemira finas e de bo-
nitos padres para calcas a 5, hrinzinhos de puro
Hubo a 240 o covado, ricas colxas de damasco e mui-
lo grandes, pelo baralissimo prec,o de 108, brna Irn-
raidos de puro linho e de bonitos gostos para cairas a
800 rs. a vara, meias cruas para homem a 200 rs. o
par, chales de larlalana de bdtaitos padrdes a 18, cor-
itos do cairas de casemiras de l'jodflo a 1, merino
Irelo. faze'nd muito boa a lOOO o covado, lapirrf
prelo o mais lino que he possivel enconlrar-se, pro-
prio para veslido e balinas de padre, pelo baralis-
simo prer.o de 1,280 o covado, riscadinhos francas**
muilo lios e de bonitos padrees a 240 o covado,
meios leos prclosjiara sravata, fazeuda superior,
a 19, lencos lira uros com lislras, de cambraia, mui-
to lino a'OO r., briin branco trancado de puro li-
nho a 18200 a vara, e ilm de ludas estas Tazeudas
ouiias mqitas que -o a vista das boas qualidades he
que se pude ver o quaulii silo baratas, afianc,ando-se
aos senhores compradores que nesle eslabelecimenlo
nao ha fazenda alguma que seja avahada, e sim ludo
sem avaria, de bous gostos e boas qualidades.
He fazenda mui-
to linda, os me-
lindres.
Esta fazenda he inteiraroento nova, eliegada no
ultimo navio francez, e de lodas as que se usam pa-
ra vellidos, he a mais bella, he de l.la e seda, e de
largura regular, cada corle tem 13 covdose meio,
evende-se peto baralissimo preco de 68300, -alien
covado a 300 rs. : na ra do yueimadoj nos qualro
cantos, na -efunda loja de lazendas 11. 22, defronle
do sobrado amarello. '
Cortes de mcia casemira a 2&0U0.
Na loja de GaimarAes & Uenrqncs, riia do Crey-'
po n. 3, vondem-se meias casenuras de su parrar
qualidade, pelo baralissimo prero
le calca.
SYSTEMA MEDICO
HOLLOWAY
Veudem-se lonas larga ceslnilM, P' P^f9
commudo : em casa de Fox Brolhara, na ra da Ca-
deia do Recife n. 62.
POTASSA E CAL VIRGEH.
No antigo e ja' Lem conltecido deposi-
to da rita da Cadeia do Recife, escriptorio
ii. 12, ha para vender muitu superior
potasio da Kussia, dita do IVio de Janeiro
e cal virgeuitide Lisboa em jiedra, tudoa
precos nutito lavoraveis, com os quaei li-
ca rao os'conj pradores sa 1 isl'eilos.
Attenrio ao novo sortiuiento de fazendas
baratissimas.
Novas chitas de cores segura* e alsumas de pa-
dres icvo- a 160, 180, 200, 220 e 240 o covado,
corles de chita da bonitos desenhos. padres inteira-
menle novos, com 13 covados por 38, riscados fran-
cezes linos a 240 e 260 o covado, cassss francezas de
cores, padres bonitos e delicados a 600 rs. a vara,
nova luelpometies de quadros de con a 640, 720 e
800 rs. o covado, liambur so fino, de boa qualidade,
para tonces. ceroutas e loolhasa 08. 98600 e 108 a
peca de 20 varas, novo panno lino para lenc,es,com
ro.us.le-ivaras de largura a 28240, chales de Ida
Rraudesde cores com barra a 38300, ditos de case-
mira finos e muilo bonitos de cores com barra por
88, selim prcto macao superior, proprio para vesti-
dos e colleles, por prero que em pjilicular se dir,
chales de seda grandes' e pequeos, n oulras mullas
fazendas, que a dinheiro vista se veudem por ba-
ratsimos precos : na ra da Cadeia do Recife, loja
u. 30, defronle da ra da Madre de Dos.
J'ratos oecs patentes
para conservar a comida
quente: vendem-se napra-
9a do Corpo Santo, arma-
zem 11. 48, de Kostron Ho-
oker #jO.
Vende-se a^o em cuuheles de ira quintal.; por
preco muilo cuinmodo : uo armazem da Me. Cal-
moni ,\ Companhia, pra^a do Corpo Saulo n. 11.
1MLULAS HOLLiy
Esle iiieslimavelespecifico
le de bervas medicinaes, nao curio, uem/
alguma oolra subslaucia dele > mal
leiira infancia, e a cumple: 3, lie
igualmente prumplo ygurn ; o mal
na compleieao malsroDusta ; lie inbslranifule nno-
cenle em sa* operaros e cBeilus ; pois busc* e re-
move as duendas de qualqoer especie e gro, por
n)ais ntigas e lenazes que sejam.
Enlre milhares de pessoas caradas coan esta re- <
medio, mullas que ja eslavaia asjwrlii da morlc,
preservando em seu uso, conseaolrafn recobrar.
saude e torcas, depois de haver tentada inulilmenle
todos os uniros remedios.
As mais afllicta no devem enlrtgar-se a desespe-
rarao ; fai;am um complanle entaio das ellicazes
ellilos desta assombrosa medicina, e prestos recu-
peradlo o beneficio da saude.
Nao se perca lempo em tomar esse remedio para
qualquer das seguintesenfermidades:
Kebre loda especie.
Accidentes epilpticos.
Al porras.
Amputas.
Areias mal d'..
Aslhma.
Clicas.
Couvulses.
Dbil idade ou exteous-
' r3o.
Dbil idade ou falta da
torcas .para qualquer
cousa.
Uesinleria.
Dor de garganta'.
o de barriga.
nos rins.
Dureza no ventre.
Eiifermidadesno ligado.
venreas.
Enxaqueca.
Erisipela.
l'ehres biliosas.
Cola.
Ilemorrhoidas.
Hvi|ropi-ia.
Ictericia.
luigesles.
Inflamaiafocs.
Irregaiaridade da mena
Iruacao.
Loaafcrtgas de lodaespe-
cie.
Mal-de-pedra.
Manchas na culis.
Obslruccao de venlrc.
l'litisicaou cousumprau
pulmonar.
Hcifnrio d'ourina.
Rhenmalism.
?'inplomas steaaslsrios.
[inores.
Tico doloroso.
Ulceras.
Venreo (mal.;
' intermitientes.
' Vendem-se estas pilulas no estabelecimenl
r*arua do \ igano 11. 9, primeiro andar, ven- ^ |jnl,jreSl 44, strad, e na loja di
de-sefaretoQovo,chegado de Lisboa pelo bnguefcij^ticiri,,,, drogpistas e outras pessoas
devanea. f de sua venda era tda-a America do Saf; ]
FARINHA DE MANDIOCA. "^""seasboceiinhasaSOOr,. <*.*<**
vende-se superior lannha de mandioca coniem urna isstrucsSo em portoauez p
em saccas que tem utn alqueire, medida
velha por 3$000 reis : nosarmazens rsv.
3,5 e 7, no armzem deronte da porta da "WeTT
o modo de se usar deslas pilulas.
U dcp-osilo geral he em casa do Sr. tkium
^cnarto, na ra da Cruz 11. *2ri, em
Gello.
Precisare de "jOO* a juros de don- fior ccnlu,
com t-eguranra em urna esrrava, a qual cozipha o
diario (Ve urna casa, lava lano de barrella como de
sabilo, sabe vender na ra e he fateira. ludo a es-
crava para o poder de qaem der
co.n o ai"oel
oalwinsdeitiedicina e cirurgia, post ao tctuce n. 43, ?
das pessoas do povo, pelo
DR. A. J. DE MELLO MORAES.
Subscreve-se para esta obra no consultorio homco-
palhico do Dr. LOBO MOSCOZO, ra Nova 11. .300
primeiro andar, por 38000 em brochara, e 6800,
eueadernade
SSLLTORIO CENTRAL |
HOWEOPATHICO. |
f Gratuito para oa pobres.; g
la de San') Amaro, (Mundo-Sot) n. 6. j
O Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho il J$
J consultas todos os dias desde s 8 horas da ^
maullan 8l as 2 di larde.
Visita os enfermos em seos domicilios, das
2 horas em dianle ; mas em casos repentinos
e de mole- a graves as visitas serio
ci'.as em qualquer hora.
As molstias nervosas merecem Iralamento
especial segundo meios hnje aeonselbados
pelos praticos modernos. Esles meios ehs-
tem no cor
filar 11. 10.
PRECOS.
gUfjrM
.38700
que
tt)
760
600
i'.O
arainle unir.l-
BUI
Meios
Quarlos
Oitavos
Decimos
Vigsimos
O mesmo cautelisla declara,
mente os seus bilheles inleiro- em original:, pagan-
do os tres premios gratules sem o desconln doruno
por centu do imposto geral. (
Attencao. 1
Koga-se a todos os devedores da taberna da ra da
I Cadeia do Recito n. 23, defronte do becco l.argn,
qua eslo atrasados em seus pagamentos, tanto de
leflras vencidas como de cunta de livro, que quei-
ram realisar seus pagamentos al o fim do crrenle
mez de oulubro, e aquellesque o nao tizer, passarilo
a se'r eieculados, 6 seus nomes publicados, islo para
evilar a prescripcalo.
i na.
lie gerlmeiite reeonhecida a cellencia desla
preparacao pm porque seus resul-
tados sempre I dominio do publico.
Sebas1 .eir faz uso desla preciosa
massaf para fin e as pesso que qaize-
rcra hoora-lo dispondo de seus servic,os, podem pro-
vess do Vigario n. 1, 1loja de bar-
f
DE1TISTA FRANCEZ.
S Paulo Uaignoui, dentista, estabelecido na
roa larga do Rosario n. 36, segando andar,
' colloca denles com a pressiodo ar, e chumba 9
denles cora a massa adaioaulioa e outros me- 9
SEGUROS.
auipanhia Indemnisadora tendo
principiado suas operac/es, toma seguros
maritimoK a premios razoaveis: seu es-
criptorio, na ruado Vigario n. i, estara"
aberfo toft os dia uteis, das 10 horas da
manlia, a's-2 da tarde.
J. JANE, DENTISTA, S
Scoulina a residir na ra Nova 11. 19, primei- %
dar. O
<
Os Srs. accionistas da sociedad Emprezari da
edifieafan da casa de baile desta provincia, sflo con-
vidados a re I Harem a primeira preslacao de 13 por
cenlo sobre o capital de suas acedes, no prazn de 20
de dala desle, 00 escriptorio do Ihesoureiro ao
Sr. Ceorge l'alchell, no largo da Corpo Santo, con-
forme a resclurao tomada pela direccao da mesma
cnmpauhia na ronformidade de arl. 6 dos estatuios.
Recito 14 de outubro de 1853. O secretario, Cy-
priano Fenelon Cuedes Alcoforado.
-r-0 Ulru, Sr. thesoureiro das loteras
manda 'azer publico que se acham a
venda os bilhetes da quarta parte da se-
guida lotera do Gymnasio na thesouta-
ria dasloterias, na ra da Praia, n. 27,
13 rodas andanj impreterivelraente no
dia 5 do mez de novembro. Tbesouraria
dasloterias, 22 de novembro de 185.".
Luiz Antonio Rodriguesd'Almeida, escri-
vuo da* loteras.
Cbntratam-se
pessoas livres ou escraras, qoe se queiram empregar
no trafico de canoas, pagando** por .mez, ou fazen-
ilo-se vaolasein nos lacros, qoe por ventura possam
haver na passaiaem de canoa da ra da Aurora para-
o llieatro de Santa-Isabel, ou desle para aquella :
procure no "piteo do Carrao 11. 9 a qualque'r hora do
dia, qoe achara com quem tratar.
Acaba do chec^r nava pimenls da Jamaica,
sediente para tempero, assim como sauo', cevadi-
nha e ervilhiis: no armazem de Paula & Santos, roa
do Amorim n. 48.
0 r. Ribeiro, medico, mudou
sua residencia para a casa cnzen-
ta de quatro andares, na ra da
Cruz 11. lo, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora.
'. para
e principal: a
auuuucie para ser pro-
chronicas, 4 vo-
. 209000
. 6*000
. '. 7000
. 49QOO
. 16-3000
(3000
85000
168000
IO3OO0
88000
7000
68000
iSOOO
Novos livrosde homeopalhia em francez,
lodas de summa importancia :
Uahnemanp, tratado-das mole-lia-
lames.........
Teste, molestias dos meninos.....
Hering, homeopalhia domestica. '.
Jahr, pliarmacnpcahomeopalhica. .
Jahr, novo manual, i vuluraes ....
Jahr, molestias nervosas.......
Jahr, molestias da pelle.......
Rapou, historia da homeupalhia, 2 volumen
Harlhmann, tratado completo das molestias
dos meninos..........
A Teste, materia medica homeopalhica. .
De Fayolle, doulriua medica homeopalhica
Clinica de Slaoneli .......
Caiting, verdade da homeopalhia. .
Diccionario de Nyslen.......108000
Aulas completo de anatoma com bellas es-
tampas coloridas, cociendo a descripcao
de todas as partes do corpo humano 3O8O00
vedem-sc todos esles livros no consultorio homeopa-
Ihicu do Dr. Lobo Moscoso, ra Nova n. 30 pri-
meiro sudar. .
Precisa-se de urna ama forra ou captiva, para
os serviros intemos e externos de una casa de pouca
familia ; psase bem : a tratar no pateo do Carmo
a. 20, primeiro andar.
\rj" Urna pssoa versada em lalim, francez, su
glez, portuguez, pliilosopbia, rhelorica, geomelria,
aritlnnelica, muita iilteralura.e com algum cooheci-
menlo de physica, oOTerece-se para ensinar tora desla
cidade, porni s pude contratar negocio para a fre-
guezia de Santo Anlao, 00 parle que Ihe esteja mui-
to conjuncla. JES
OHlciaes de alfaiate:
precisa-se na ra Nova, esquina du ponto.
LOTERA DO RIO DE JANEIRO.
Acham-se a venda os novos bilhetes da
lotera 57 de Monte Po Geial, que devia
correr de 22 a 2 do presente, nos lugares
do costume: as listas esperam-se pelo va-
por Imperador, nodia 2 do futuro mez
de novembro; os premios seriio pagos lo-
go que se tenliam distribuido as raesmas
listas. ,
Precisa-se de um andar de casa que olfereca
muilo bons commodos, pasa-se bem sendo as ras
seguales : em a fresnezia de Santo Antonio, roa
do Queimado, Cabugi, larga do Rosario, Nova, Col-
legio, Odeia, Cruzes; no bairro do Recito, Cadeia,
Cruz, Vigario : quem a quizer alugar, enlenda-se
com Antonio Joaquim Vidal, ua roa da Cadeia de
Recife, ou com Joaquim de l'aula Lopes, defronle
da escadlnba da alfaiidfga, e na roa Aogosla n. 91 ;
assim como se compra Urna carrora e om boi para a
mesma.
l'recisa-iic de 800 a premio' por hypolheea,
daudo-se por Mguranra urna boa mobilia de jaca-
raml% nova, > um bom piauo : quem quizer annun-
cie para ser piocurado. -
DeseRoiida-feiraem dianle al a eliegada de
Madame Thea :d ficar fechada a loja deila por can-
sa de concert.
Espera-se de Paria pelo primeiroajapor ingles
Madama Theard com rico sorlimento de fazendas de
gosto
CHAROPE
-^f DO J
'O un:m<]^AIo contina a ser na botica de Bar-
Iholnmeu Francisco deSnuza, na ra lardado Rosa-
rio n. 36; garrafas grandes58300 e pequeas 3*8000.
Massa adamantina. ,
'Antonio liar boza de Barros, estabelecido com sala
de barbeiro na ra da Cruz o. 62, primeiro andar,
chumba denles com esla preciosa massa ; na mesma
sala vendem-se e alugam-se bichas por commodo
prer.
'" Precisa-se de urna prela lavadeira esabeudo
eugommar melhnr: 110 sitio do Sr. l'enlon, na Pon-
to de Uchoa, ou no armazem, 11a ra da Cruz du
Hecito 11. 42.
Na coufeilaria da ra da Cruz 11. 17, deseja-se
fallar com o Sr. Luiz Demetrio Coelhu a negocio que
ndoignora.
Para sen horas.
1
Os abaixo assignados com loja de ourives 11.1 ra
do Cabug n. 11, confronto ao palco da matriz c ra
Nova, fazem publico, que receberam de novo muilas
obras de ouro, Kn principalmente pulceiras de susto),
continan! a vender barato em proporcao as obras, e
passa-se una conta com responsaliilidade, declaran-
do a qualidade do ouro de 1i ou 18 quilates, licando
assim u comprador garantido Seraphim & Irmao.
No dia 6 de novembro prximo futuro, em pre-
senca. do I Um. Sr. |Dr. juiz de orphaus e ausentes
desla cidada e sru tormo, ho de arremslar-se pelo
maior preco que ollerecido for, a armado e fazendes
da loja das Cinco l'otilas n. 62, perlencente ao casal
do tinado Jos Andr de Uliveira. O escriplo adia-
se em raao du porteiro do juizo, Amaro Antonio de
I'anas : as fazendas poderaoser examinadas na mes-
ma loja, cujas chaves estao em poder da meeira in-
venlarianle, que mora na casa em cojo andar torreo
est aquelle eslabelecimenlo. e que requeren a ar-
remalaru auuuuciada.
Os Srs. Flix Gomes Coimbra e Jos Ferreira
de Uliveira Soulo Maior teem cartas na ra do yuel-
mado 11. 7, primeiro andar.
Sebastian Jas Comes Peuna acha-se de novo
estabelecido com taberna na ra Nova 11. 6,">.
_ Aluga-sc o segundo andar da casa da ra do
Trapiche n. l, propria para escriptorio, ou peque-
a familia : a (ralar ua mesma casa.
COMPRAS.
Compra-se urna bengala de licorne : qaem a
liver inmune ou dirija-se a ra do Amorim 11. -i,
lerceir andar.
Compra-se um eicravo de mei idade para tra-
tar de um cavado; assim como urna casa torrea
em Apipucos ou Monteiro, qoe nao exreda de 5008
a 6008 : na ra da Cadeia du Recito n. 16.
Comprase urna casa terrea que lenba bom
quintal e em boas ras no bairro de Santo Antonio :
quem liver auuuucie, ou dirija-se a ra do- Cresuo
n.13.
Compra se urna casa terrea com quintal e ca-
cimba, em bom estado ; prefere-se sendo em chaos
proprios e boa ra no bairro da Boa-Vista : a tratar
na ra do Rosario da Boa-Vista n. 41.
.iNhsa-se que he chegajiu o jollo, e vende-se no
anlio dbyjosito n, rm> da Sintala Velha n. 118. a
entrada he pieo portausjla mesma >casa que lira peto
lado do caes d Aixillo ; o preco le du cosame I-?
ks.: a rroua^c sendo menos de arrobba 160 ., bra
Veas e-leai as de 6, pedras de' marinare para
mesas, papel de peso inlez papel de.^nilruirlo, oleo
de lioliaca em botijas, chicotes jr"r* carro e arretos
pi>l e 2 cavallos. torrnas d/rfe>ro para fabrica-ile
asfuc-m aaiJa ludia par*empalliar, linla branca
e.verde, metal nWSaesSSS^^ssaTa forro, cemento roina-
1)0, armamento ile todWr qualidades, cabos de li-
'11I10, de cairo c de manilba, airadlo e pixe de bue-
cia, champagne e vinhos fino- do Reno : vendem-se
nu armazem de C. J. Astley i\ Companhia, ruada
Cadeia n. 21.
No paleu do Carmo, quina da ra de Hurlas 11.
2, vende-se manleig* ingieza de 480 a 960, dita
l'rai.ccza t.720, rhocolale lino a UO, velas de car-
naubi pura a 180, ditas de espelmaceto a 800 rs.,
ehouriras de Lisboa a 100 rs., toucinho a 1160, bola-
chinha desodn fina de Londres a 610, dila insleza a
100 rs., dila Napoteao a 180, dila aramia a ,")60, se
quilbos a 100 rs., -ebode ILollanda a OOts., azfid
doce n 610 a garrafa.
Vende-se milho em saccas grandes a 58, arroz
do casca a 3920O o alqueire, oleo de ricino em latas,
como bem :i travs de arueira de 10 oalmos, 10 toros
deantticodeO a 10 palmos de compndo, pur preco
cominodu : ua ra do Vigario 11. 5.
Vendem-se saccas de milho muilo novo : na
ra de Sunla Rila, taberna n. \
\ r mlciii-sc na ra do l.ivramenlo, loja n. 2,
peras de ca-s.i com salpicos a 18500, alpaca prela de
duas larguras a IVJO o covado. riscados fraucezes
200 rs. o covado, ganga amarella a :I00 rs. o covado.
Vende-sc um sobrado na cidade de Olinda, na
ra de S. liento 11. I ; quem pretender, entenda-se
com Manuel Nunes de alel*), na ros do Bomlim.
Vendem-selmdoschapeosdepalhinlia
e cabello para meninas : na ra da Ca-
deia do Recite, loja de miudezas n. 19.
Vendem-se cartas de jojjar muito li-
nas propria para voltarele : na rha da
Cadeia do Recite, loja de miudezas n. 19.
Vende-se no sitio do Chora-menino,
fabricado rape Metiron, una poivio de
qiiartolasebarrisem muilo bom estado,
que t'oram de vnho ; assim como urna
cabra (bixo) coin'muitolwm e abundante
leite : tudo por preco baratissimo.
Novas joias de
ouro.
Na loja de Oliveira & liouralves, ra do Cabugi
n. 12, ha 11111 lindo, variado e modernissimo sorli-
mento de obras de ouro. tanto de H como de 18
quilates, coiisislindu emadereros, meios ditos, roz-
las, correiiles e oulros ubcelos de oslo : Iroca-se
ludo por sedlas, anda que sejam velhis. Os pre-
cos s3o mais commodos do que em qualquer oulra
loja.
Ceblas do Porto em restias.
.la desemharcou a cebula du Porto em restias, \ in-
da 110 bhgue .v. M'intt'l, e vende-se 110 ivrmazrm de
Juao Marlins de Barras, na travessa da Madre de
Dos n. 21.
allandcga, ou a tratar no escriptorio de
Novaes & Companhia na ra do Trapiche
n. V, primeiro andar.
POTASSA BRAS1LEIRA.
Vende-se superior potassa, f
bricada no Rio de Jana|ro-b-
{^jada recentemente, retommen-
da-se aos senhores de enrCnhos os
ja' e^^erimen-
seus Iwiis elteitos ia' e^
peri
tados: na 111a da Cruzsj, 20, ar-
mazem de L. Leconte^iFeron &
Companhia.
de sup
de 28O0O-& corle
A bou Jjima
ellos a
ueoo
3900a
18*U
\j0MB
VENDAS.
Ora cao contra a peste e o cholera-
morbus.
Acha-se venda na Ijvraria n. 6 o 8 da prara da
Independencia um folhelinho com ditlcreales ora-
Cues contra o chulera-morbus, e qualquer oulra pes
te, a 40 rs,cada um.
Vende-se-jirria casa torrea sila ti ra do Santa
l'bereza n. 17 : quem_a_prelender, dirija-se ra
Velha 11.18. ^~--------_^^
Vendem-se os perlences da casa deTsa&jo da
ra da SehzMa Velha, esquina du becco dos Por,-
los, a qual (em bastantes commodos para nutro
qualquer neeocio : quem 1 pretender dirija-se 11 ra
do Trapiche n. 26, taberna.
ARADOS DE FERRO.
Na fundicao' de C. Starr. 4 C. em
Santo Amaro acha-se para vender ara _
dos d. ferro de ~ric" qualidade.
Vendem-se Icadeiras de balanco americanas,
pelo preco de 108 cada urna: na raa da Cruzo.
i:l, primeiro andar.
-^Vendem-se machinas de debulhar c moer mi-
Ilin. rarrinlios de 111.10 muilo leves, presos america-
nos de 11. 2 a 12, e estanto de muilo ba qualida-
de : na ra du Cruz n-. t:, primeiru and.r.
Batatas
A 640 rs. .1 arro!)n
para lechar cunta, em muit) bom estado, cliesadas
de Lisboa ; farinha de mandiuca da mais nova no
mercado a 28500 rs. a aacci : na Iravessa da Madre
de Dos n. 16, armazem de Agosliuho Ferreira Scn-
rn Cuimares.
Vende-se um cabriole! descoberlo, com ar-
reios, tudo novo f multo bonito, por prero cummo-
do : na ra Nova, cocheir porbaixo da cmara.
Aos senhores de cngentio.
No Recito, priineiro armazem de farinha de tri-
go, un becco du uiiralves, veude-se a verdadeira
l'arlnlia sallcsa, em meiss barricas, e das niclhores
qualidades de Lisboa, e saceos dan marcas mais acre-
iladas do Chile, que lem vindo a esto mercada.
COCNAC VE11 DADEIRO.
Vende-se o verd.ideiro c isnac. lauto em garrafas
como em esrrnfues: na rui da Cruz 11. 10.
" Cobertas de seda e lfta.
Na ra do Crespo n. 5, vendem-se por mdico
preco cuberas de seda e ISa,turc>s,dos mais bellissi-
inos e variados gostos que lem apparecido nesle ge-
nero,
Ricos pcnlcsde fariruga par,
Dilos de alisartinbinnde la.
Dilos de marfil lambem para alisal
Ditos prelo* dverdadeiro bfalo para alar
e*^sass. -____________._. 18280
J.uvss,retas ce torcal com bototos, fazenda
boa 800
Lavas de *>,! derures para hoinem e senhora 18000
Lindas inea-dc seda de cores para criancas 18800
Meias pinladastiViljEscociB para criancas210e400
Bandcijas grandes a dTpiTiuihS InasIRtOOO e IfiOOO
Papel almaro grevee pautadu, resn 180001
Papel de pesu paulado muilo superhr 386I
Penas linissimas bico de lauca, groza v IsMI
Ditas omita linas, (troza
Canelas linissimas de marlim
(lcolo.de armacao de aro delodas as graduadles 800
Lunetas com rinarSo de lar la rusa (18000
Toucadores de Jacaranda com bom espclho / ,1800o
Meias de laia muflo superiores para padres 2,-jOOO
Ricas benaalas de caima com lidos castes 28 e .'fisOOU
Chicles linus para buinem*: senhora a 1 e 2c4NK)
Meias pretas de algod.lo para padres 600
liravalas de seda de lodas as cores 18000
lilas de velludo estrellas e de todas as cores,
a'vara 160
Atacadores de cornalina para casaca 400
Ricos relosinhos para cima de mesa 18000
Escovas linissimas para cbelo e ruupa, navalhas li-
nissimas para barba, meias piuladas e cruas de mui-
to boas qualidade, (raneas de seda de lodas as co-
res e larguras e de bonitos padres, filas linissimas
lavradase de lodas as largara* e cores, bicos liuissi-
mos de linho de bonitos padres e de diversas lar-
Ciiras, lesouras as mais linas que he possivel encon-
Irar-sc e de lodas as qualidades, riquissimas franjas
brancas e de cores com bullas proprias para cor-
tinados; e alen) de ludo isto uulras muilissimas cou-
sasque a visla de suas boas qualidades e o baralis-
siniojpreco porque se veudem, nao he pussivel haver
quem deive de comprar na ra du Queimado us
quetro cautos na bem conhecida loja da toa toma
n. 3.
Vendem-se sellins com pertences' pa-
tente nfjlez, e da melhor qcalidade que
tem vindo a este mercado : no armazem
de Adamson Ho\\'eiV.C. rita du Trapi-
che n. V"2-
t*S- CORLES TLRCOS.
Vendem-se estos delicados crfrles de cissa prela.
cum piulas carmozins e lislrados, os mais lindos pos-
siveis pela sua novidade de padres, e ni se vendem
lias tojas dos Srs. Campus & Lima, rUa do Crespu ;
Manuel Jos Leile, ra do Queimado ; Narciso Ma-
ra Carneiru, ra da Cadeia, por preco muilo em
conla.
__Vendem-se no armazem n. 60, da ra da Ca-
deia do Recito, de llenry Gibson, os mais superio-
res relogios fabricados em Inglaterra, por preco
mdicos.
A boa fama
Na ra do Queimado nos qualro cantos na bem
conhecida toja de miudezas da boa fama u. 33 en-
cuulra-se sempie um completo -1 rlmiento de miu-
dezas de lodas as qualidades e de diversos gustos o
que ludo se vende por tilo buratos precos que aos
proprio compradores ran-a admirarau :
Libras de linhas del novelo, brancas n. 50,
60, e 70 a M00
Libras de linhas, ditos n. 80, 100, 120 a 18280
Duzia ile lesouras para costura a 18000
Duzia de lesouras tinas para costura a 18280
Pecas com II varas de lita de seda lavrada 18200
Macos com 40, 50, 60 e 70 pecas de cordao
para veslido 100
Pecas com 10 varas do bicu eslreito 560
Duzia de dedaes para senhora 100
Cauinhas com agulhas rancezas 160
Caitas rom 16 novellos de linhas de marcar 280
Pulceiras encarnadas para meuinas 210
Cruzas de bolea para carniza 160
Pare de meias fina para senhora a 2p, 300 e 360
Meadas de linhas muilo linas para bordar 160
Meadas de linha de pesu 100
Crozas de boles muito tinos para calcas 280
Asulbeiros linos com aculhas sorlidas 200
Rabadus abcrlosde linho lisos e bordado, a
vara a 120 e 240
La pis linos envernisados a duzia 120
Carleiras demarroquim para algibeira 600
Kivclas douradas para calcas e cutele lao
I ranrelins prelos de borracha para relogios
alOOe 160
Tinleirose areeiros de porcelana o par 500
Cbariileiras enlre finas 10
Duzias de laps sem ser-envernisados 80
Du/.ias de torcidas para candieiro n." I i 80
Vento finos de bfalo para alisar a 300 e 400
Pecas com 6 112 varas de fila branca de linho 50
Caitas com clcheles 60
("..irritis de linhas de 200jardas de boa qua-
lidade 70
Macinhos com 25, 30 e 40 grampas 50
Suspensorios, o par io
Vende-se urna balance romana cqm todos o
seus perleuces.em bom uso e de 2,0)0 lil,ras; qaem
pretender, dirija-se a ra da Cruz, arrna>,in n. 4.
t'azen da s ha ra t a s.
Corles > casemira de pura lila e bonilk padres
a 585IKJ.r8. u corle, alpaca de cordao muflo fina a
OH c. o covado, dila muilo larga propriafcan man-
.' to a 610 u covado, cortes de brim |ianl*/de puro li-
nho a 18600 o rorlc, ditos cr de palfta a'18600
corte, curtos de casemira de bom aostvs j|500 o cor-
le, sarja de'laa de duas larsuras propria para vesli
do de quem est de loto a 180 o jKvado, cortos de
fusldo de bonitos eostos a 720 e tfii o o corte, brim
trancado de linho a 18 e a 182(0, liscados proprios
para piquetas e palitos a 280 o cavado, crlesde co-
letesdegorguro a 38500 : naloja da ra do Cres-
po n. 6.
Attencao ao seguinte.
"Ca'niubraia franceza de cores le muilo bom goslo a
600 rs. a vara, curtes de casar prelos de muito bom
gosto a 2jBB(fto corle, ditos de cores com bons pa-
dres a 29200,\ alpaca de sed^com^ qnadrns a 720j)
covado, corles deWaTOTfTrnos con.T covados ca-
da corle, de muslo bom gosto, a 4:)500. lencos de
bkn-com.-{>i|maK a 320 cada um, ditos de cambraia
iile lili lio sraides. proprios para cabeca a 560 cada
um. chales ii.periaes a 800 rs., 19 18200 : na loja
da ra do (,re-iu ,n. 6.
Eai casa de llenry Bruiin A C, ra da
/Cruz n. 10, vendem-se:
Lonase brins da Russia.
'' Instrumentos pora rnbsiea.
Es 1 ellos com moldura.
Globos para jardins.
Codeiras e sol'a'spara jardim.
Oleados para mesa.
Vistas de Pernambuco.
Cemento romano.
Gomma lacea.
PIANOS.
Vendem-se em casa de Hcnr\
C- ra da Cruz ni 10, optim
chejjados no ultimo navio da Euro
Vendem-se 1,500 saceos novos para 1
assurar : na ra da Seuzala Nova n. 4, se
vende.
W Deposito de vinno de 1
W pague Chateau-Ay-, primeira qua- (^
(^ lidade, de propriedade do coi
f^ de Marcuil, ra da Cruz do ^^^
cife n. 20: este vinho, o mel
de toda a Champagne, vi
a o$000 rs. cada caxa, ai
nicamente em casa de L. Le-
comte Feron P-As caixas sao marcadas a b-
fP go-*-Conde de Marcade os ro-
^ tulos das garrafas sao azues.
EsginaTrrfS,kintio
muitu superior, com II varas a pea, por 38600:
vende-se na ri*r do Crespu, loja da (squiua que sol-
a para a ra da Cadeia. '
;. ASfSOO"?
Vende-se cal de Lisboa ullimameale eliegada,^
sim como polassa da Russia verdadsira : na prao
Corpo Sanio 11. II. _
\j
ChegueiD 'o ba-
rator! !
_ Civas para rape muf***p a tartaruga, pelo bara-
lissimo preru de 18280 ca urna : 11a ra do Cres-
po n. 6.
fonc
2 voll
8 da
CASEMIRA PRETA A 4^500
0 CORTE DE CALCA.
Vendem-se na ra do Crespo, loja da esquina que
volla para a ru* da Cadeia.
Brrns de vella : no armazem deN. O.
Bieber & C, ra da Cruz n. 4. fC
age;
Da Fundicao' Lo
Sen zal n
Nesle eslabelecimenlo con
ver um completo sortimento Je_
das c meias moendas para eittWenho,
chinas de vapor, c taixas de Ierro batido
e' coado, de todos os tamauhos, para
dito.
Riscado de liste as de coreas, proprio
para palitos, calcase aquetas, a 160
o covado.
Vende-se na ra do Crespo, loia di esqoibiTffle I
volla para a cadeia.
Chales de merino' de cores, de muito
bom gosto.
Vendem-se na ra do Crespo, loja da esquina que
?olla para a cadeia.
Moyihs de vento
orabombasderepuiopara regar borlase baia,
decapim, nafundijaSde l). W. Bowman : naror
do Br um us. fi, 8 ("10. *
.AOS senhores de engenho.
Reduzido de 640 para 500 rs. a libra
Do arcano da mvencao' do Dr. Eduar-
do Slolle em Berlin, empregado as co-
lonias inglczas e hollandezas,' com gran-
de vantagem para o. melhoramento do
assucar, acha-se a venda, em latas de 10
libra., junto com o methodo de cinpre-
ga-lo no idioma portuguez, em casa de
N. O. Bieber & Companhia, na ruada
Cruz. n. 4.
CAL 1)E LISBOA A IjoOO.
Vendem-se barriscum cal virgem de Lisboa, para
fechar cotilas, pelo diminuto prero ril : na ra da Cadeia do Recito, loja n. ,">(), defron-
le da ra da Madre de Veos.
'ende-sc encllente laboado de pinho, recen
tomento chegado da America : ha ra de Apollo
trapiche do l'erreira. a entender-so com oadminis
ador do mesmo.
Na ra do Vigario n. 19, primei-
ro andar, tem para vender diversas mu-
ticas para piano, violo e (lauta, como
sejam, quadrilhas, valsas, redowas, scho-
tickts, modinbas tudo modernissimo ,
chegado do Rio de Jpneiro.
Na ra do Vigario u. 19, primeira andar, ha
para vender superior retroz de primeira qualidade,
do fabncauleSiqueiralinhas de r^rii e de nume-
ro, e fio porre le, tudo chegado pelo ultimo navio viu-
do do Porto, e juntamente vnho suierior, feitnria
em peqaenos barris de dcimo.
NA RUA DO CRESPO
Loja n. 6 !! !
Vrndem-se pecas de esguiao de al&odao, muito
boa fazenda, pelo preco-de 38300 a pee, curies de
cambraia de barra, bonitos padres e muilo boa fa-
zenda. pelo preeo/d* 38000 o corle, maulas para
grvala l8"200jsdi urna.
.EONOR D'AMBO
o e\cellnte romance htstori-
^d'Amboise, duquezaHe Breta-
es por ISOOajpCTnaTiWaViiL -
a prai^avda Ind^nendncia.
Vende-se cal eirfpedi' cltegai.
navio de Lisboa, e potass* a'mi
mais nova : no tnico deposito da ra
Apollo n. 2B, de A. J.T. Basto &
Companhia.
FAZEHDAS DE )STu
PARA VKSH|
Indiana de quadros muil
cortes de 1,1a de quadros^^H
do : vende-se na rna do Crespo toja
volla para a ra da Cadeia,
Vendem-se era casa de S. P. Johns-
lon & C., na ra de Seazala i nra..n. 42,-^
Seflins inglezes.
Relogios patente irf|^Q
Chicotes de carro ^ mtaria.
Caudieiros e castiraes 1 tados.
Lonas inglezas.
Fio de sapateiro.
Vaquetas de lustre para carro.
Barris de graxa n. 97.
Vinho Cherry em barris.
Camas de ferro.
Taixas para engeraos.
tndicao' de ferro de D. W.
na ra do Brum. pa.
iavSf
completo sortimento de taixas t
fundido e batido de 3 a 8 palmos d
bocea, asquaes acham-se a venda,, por
preco commodo e com promptidao" :
embarcam-se ou carregam-se em carro
sem despeza ao comprador.

ESCRAVOS FGIDOS
Desappareceu no dia 13 de selembro do
rente anuu, urna escrava, poriiooit
la, fula.de idade puucu mais eumenos de 2b a 30
anuos, com falla de denles na fu
to como em cima ; toen urna das Om rasgada* ;
levou verlidode chita com lislras ai as c panno
da Costa, com um flandres de azeit
qualquer auloridade policial oa o
a podero prender e leva-la roa da
ser bem recompensado.
Contina aeslar ausente de rasai iseu seabor u
major. Antonio da Silva Guan travo Ig-
nacio, criouln, cor prela, alio ,, idade 35
anuos, pouco mais ou menos, peritas nm pofeo ar-
queadas, ulhos grandes e vermelhos, lesla sita e
Brandes cntos,lcom um signal oelia que paree* um
S, um dcdfttMum dus pe partido, chupa baataole e
lie muilo ronfndor de petas, and* corcovad* : quem
appreheiide-lo ser generoumenle recompensado,
levando* a ra Imperial a. 64, casa di residencia
de seu senhor. -,J
l-'uaio no sabbado (i de onlobro a preta alaria li-
na lknguela, escrava de Francisco de Frailas ame
boa e sua mulher, levou vestido escuro desbocada s
uin Uboleiro com roleles, tem os dedos grandesrio-
pes torios para dentro : inlilult-se forra, porque Ihe
concedemos essa erara por morle de nos ambas :
pessoa conhecida diz que vira o prelo forro Joaquim
caiador e vendedor de miudezas, seduzi-la no mes-
mo sabbado ti noile na escada do Sr. Jos Claudiun
Leile na raa do Rosario, a dito escrava Marianna,
liara que nao fosse para casa de sua senhora :
prelo Joaquim foi escravo de Si. Tliomaz d* Aquino
Fonseca : presume-se qae a lenba oniltado, visto
queja de oulra rugida, pela qnal esleve oa cadeia,
foi inlerceder por ella. SuppOe-eqo ambo uhiram
a vender miudezas para o mato. O abaixo assigasldo
ruga a ludas as autoridades, capililes de campo a a
pessoas suas conhecida a aporehensao da dila ta:\
va, que se respousabelisa pelas desperas.
Froncttco de PTtitai Uambjt.
lOOsOOOdegratiica
Doappareceu no da 17 de agosto prximo pjjJ-
do, pelas 7 horas da noile, a prela Lourenja, de ua-
CSo Angola, de idade 35 a 40annos, pouco mais *o
menos, enm os signaes segundes : um dedo da mao
direila inchado,mgra, lem marca brancas as dea
neniar; tovoo camisa de algodSoiinho, vestido de
chita ra, panno fino, e mais urna troux de roopa:
roga-sea todas as auloridade policiaes on caBJIJes
de campo que aapprehendam e levem a sdu euhor
JoSo Leile de Azevedo. na pr*c do Corpo Santo n.
17, qoe recebar \ gratillcatao cima.
PERN TVP. DE
M. F. DBFaRIA
a***-.--
855^

oaaiva amn ruriini in runniiTn w%


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZZGR3GH3_0TEM2R INGEST_TIME 2013-03-25T12:49:46Z PACKAGE AA00011611_00556
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES