Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00439


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1840.
Terca-feira 10
O 01 ARIO puhlici-se lodoi O dias que oSo
forem de guanta: o preco da asignatura lie de
4f<>04 rs. por quarlel, fagot adianlados. Os
niiuocil do* assignaoles ao inseridos a razio
,1c 20 res por liona. 40 res en typo diffcreii-
te, e as rcjielices pela nieUilc. O que nao (o-
rem assign.uites pagio 80 ris por liaba, e 160
tul lypo dTereiite. ^____
PH ASES DA LA NO MEZ DE NOVEMBRO
I.ii clieia a 3, as 0 horas e 51 minutos da inanli.
liingoaiitta 10, as I' horas*!* mi. da inanh.
La ora a 18, as 8 hora* e 38 ma. da larde.
Cicscral* a Ja, as 8 horas e 11 min, da larda.
PARTIDA DOS COBRF.IOS.
Goianna Parahvh* Segundas e Sedas reiras.
IIin Grande do Norte, cliega as Cuartas letras
ao aneio din e parle uas mesmas horas as
Quintas fciras.
Cali, Seriuhaem, Rio Formoso, Porlo Calvo*
Macey. no l., I I e 21 do cada mez.
Garantanse lionilo a 10 *24.
Boa-Vista e Floros a 13 e 28.
Victoria as Quintal i'eiras .
Oliuda lodos os dias.
PURA MAR DE HOJE.
Primeira a ID h < minutos da manha.
Segunda a ID b. 30 minutos da larde.
de Novembro.
Anno XXII. N. 232.
DIAS DA SEMANA.
0 Segunda. S. Oresles. And. da J. dos orpb.
*) e do J. do C. da i. T., do J. M da l y.
lil Tere. S. A adre Aveliuo Aud. do J. do civ.
d;i I. v. c do J. de pal do 2. dist de t.
II (.marta. 8. Marlinho. j\ud. do J. do civ. da
2. v ,c do'J.de par do 2 dist. de t.
l Quinta. S. Dioso. Aud. do J. deorph.'os, do
1. municipal da I. vara.
|3 Sesla. S Eugenio. Aud, do J.dociv. da
l.v. edoJ.de pal do I. dist. del.
14 Sabliado. Ss Clemenlino Aud. do J.do civ.
da I. r., e do J. de paz do I. disl. c J. de f
I i Domingo. O Patrocinio de Nossa Seuliora.
CAMOS NO DA 8 DE NOYLUIUIO.
Cambio sobre Londres J a 28'/.,d. p.lfa 0 d.
Paris 355 ris por franco.
Lisboa 100 % de premio.
Desc. de letras de boas firmas I '/, p. V*0 meI-
OuroOncasbespuuliolas.. 31*000 a 3l#m)
. MocdasdeCjinnvel. I0j200 a I0f00
a defijIoOoov! tlijfJOO a I040II
ii d 4}000... 0/100 a flfton
Prata PaUces........ U980 a J/ni.0-
a Pesos columnares. 1#990 a 2#000
Ditos Mejicanos. ifl'.in a l#940
Miuda......... IflOO a lTSO
AccesdaComp. co Heucriue de 50j000ao par.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
PARTE OFFICIAL.
Commando das armas.
:- Illm. Sr.=Fique V. S. na intclligoucia de que d'ora
avante as inhumacrs dos cadveres das pracas do seu
! cialho se levarn a rillo no conhorto da igrr-ja de
Jioisa Seuliora da Soledade. Dos Guarde a V. S. Quar-
tcl-general na cldade do Recifc. 23 de outubro de 1846.
Amonio Corra Seiira.=lllin. Sr Francisco Jos Damas-
erno Rozado, coronel comiiiaiidante do 1. batalho do
lacadores.=Olliciou-sc no mesmo sentido ao comman-
danie do 2." balalho d'arlilliaria a p, 4.# da mesma
arma, campanilla de ravallaria.
= lllm. .Vr.=Haja V. S. de ordenar, que preceda un
elame regular 9obre os individuos, que, estando em cu-
ratlvo no hospital regimenlal, fallecercni, antes de se
levarem a o licito as iuhuiuaccs dos cadveres; enviando
.-leste quartel general semelhantes documentos, que so-
nco authculicatos pelo cirurgiao mrecirurgio ajudan-
le, incumbidos do curativo dos enfermes. Dos guarde
a V. S. Quarti'l-goneral na cldade do Recife, 211 de ou-
lubro de I846.=nlonio torrea Sera Illm. Sr. Jos Vi-
cente d'Ainorlm Bezrrra, triieutc coronel commandan-
te do 4. batalho d'artilberia a p.
Aulo de villora fello no cadver do soldado da 3."
companhia do 4 baUluSo d'arlllharla a p, Joo Flix
Urzerra, fallecido as 10 horas da noile do dia cinco do
corrate, de una peneumomla aguda em 3." gro.=As
10 horas do dia 6 de novembro de 1846, estando roiini-
nidos o cirurgiao mor encarregado do hospital rrgiuicn-
tal, Jos Kernandes Uuibuseiro, e os cirurgies ajudan-
lei de dia, doutor Policarpo Cetario de Barros, e Sebas-
tio Jos Gomes, prncedeo-se o exaiue de visloria no
cadver cima mencionado, e verillcou-s* ser a niorle
real. Hospital regimenlal na Soledade, 6 de novembro
dr 1846-aJosj Fernandes L'mbuiciro, cirurgiao mor en-
carregado do hospital regimenlal.Doutor Policarpo Ce-
tario de Barros, cirurgiao ajudantc de a.SebaitiSo Jo-
si domes, cirurgiao ajudantc do 2. batalho, de dia
O Sr. Aunes Machado observa, que a emenda, queso
artigo 1." do projecto, que concede loteras para o esta-
hclecimento de un hospital de caridade, ollereceo o Sr.
Pcixoto de tirito em a sessao de 6 do corrento, o a casa
approvou, resolve todaf as duvidas do nobro deputado,
que o precedi; porquanto essa emenda f*4*desnppa-
recer a preferencia absoluta, que se havia dado as men-
cionadas loteras, eeslatuio urna reclprocidade, ou al-
ternativa entre estas e as domis, cujas rodas tenhao de
correr tiesta clcladr, pois apenas determinou, que nunca
dentro de nin anno le deixasse de exirahir uina dolas.
O Sr. Villela lavares : Sr. presidente, ou eu no pu-
de coniprehonder bem a argumentaran do nobre depu-
tado, que me precedeo ou entilo onlendo, que proce-
dem as relloxoe aprese otadas polo Sr. Cabial da sim-
ples loitura iln artigo 5.* drite projecto, c da emenda,
que liontem passnu,relativa aoprojeclo do hospital de
caridade, se v, que lia tima loteria, qucjtrm pelo en-
ca 11 ni 11| ii i-i pulra, e que he ella a loteria concedida
em favor das obras do llioalro ; porque o artigo oxpri-
me-se assim : emquanlo nao eorrer a roda de urna, lotera
do Uiealro em un auno, se no permittir o andamento de ou-
Ira qualquer. Ora, eita oxpressiio lie quasi a mesma, que
passou em favor do hospital de caridade; mas, se nao li-
vor corrido a lotera do Iheatro, nao sei como ha de cor-
rer a loteria a favor das obras do hospital. (Apoiados
Kis-aqui a emenda, que passou, quando se discuti o
projeelo sobre a criar.no do hospital Suppriiuo-sc as
palavras e de preferencia a oulra qualquer, c diga-se :
dentro de cada anno o
AaSEMBLE'A PROVINCIAL.
SESSO EM 7 DE NOVEMBRO DE 1846.
PRESIDENCIA SO IB. SODZA TEIXEIBA.
SI.MMARIO. expediente. Apresentaca de dous projee-
lo dos Sis. Cabra! e i'inlo d'AImfida, e de mitro do Sr. Au-
nes Machado. /IpprotKiro, em le reir discussio, dos
projtetos ni. 27 e 31.
Al onze horas da inanlia, o Sr. I." secretario interino
faz a chantada, e verifica acliarem-se presentes 22Srs.
ib pillados.
O Sr. Presidente declara aborta a sessao.
OSr. 2." Secretario interino l a acta da iriiiio antece-
dente, que he approvada.
0 Sr. 1, Secretario interino menciona o seguinle
EXPEDIENTE.
Din ofllcio do secretario interino da provincia cont-
niuaicaudo, que, coiii urgencia, se exigi da cmara mu-
nicipal deOlinda una copia dos termos da arromaiacao
do imposto das balancas do pesar assucar nos trapieliis
do Recife, c que. logo que cingue, ser transmitala as-
seiubla. Inteirada.
Outro ilo mosmo, participando que se pedirao infor-
inacos lliosouraria das rondas provinciacs, arespeito
il i< bases, coin que so loeni roalisado as arrcmalaccs do
di'inio dos cocos. Inteirada
lima representacao daassoclacao conimercial, pedin-
do assembla, se digne in.intei a inlorprelaco aullioi-
llca da lei de 1842, ndoferindoa prolencao da cmara de
Ollnda, relativa ao imposto dasbalancasdoposaras.su-
ear nos trapiches desta cldade. A' commisso de legis-
laeao.
I'epois de julgados objeclo de dcliberaco, mandao-se
iiii|iiiiiiir os seguimos projeclos:
A assembla h-gislaliva provincial de Pernainbuco
resolve;
Artigo 1. Fica considerada matriz da freguozia de
Palmado a capella de S.-Goncalo da povoacao de ltapis-
suiua.
" Art. 2.1 Fico revogadas loda ns leis c disposi;5es
Pin contrario.
Paco ila assembla legislativa provincial dePornaiii-
buen, 7 de novembro de 1846. Cabra!. Pinto d'Al-
miida.
A assembla legislativa provincial de Pernambuco
resolve:
" Artigo nico. Quando o medico do municipio rxer-
cor as fu uceos de commissario vacciaador provincial,
">'' llie descontar no ordenado respectivo os vi nomoi-
loi, que por este titulo I lie bajan de tocar.
" Mco revogadas todas as leis e disposifes em con-
lirio.
Paco da assembla legislativa provincial de Ponaiii-
bueo, 7 de uovciubro de 1846. Joaquim Mues Ma-
chado- .
onniMmi oa.
Tereeira dUeusiao do projeelo n. 27, que auloria o preii-
ieni! dssrovincia u mandar construir dous acudes, um na
Vovoaclo de N. S. da Gloria do oitii, e outro em Pojen de
flores.
He apporovadoiem discussao.
Tereeira discussio do projeelo n. 31, acerca da con-
(insfio da obra do tbealro publico.
OSr. Cabral: Sonhor presidente, pedia palavra para
fazer urna observacao a reipeito do artigo 5." dcste pro-
jecto. (I/).
Montern passou o projecto n.*22.concccudo, noi.'ar-
''Ko. 20 loteras em favor dos estabelcclinentos de cari-
dad* e de preferencia a oulra qualquer ; o artigo 5. do
I injerto ou ilisi'usso eslalieleee igual preferencia lo-
lpria dojheatro; logo tonos, que esta disposicao esl em
'Pposicao coiii aquello artigo, que passou em tereeira
dlscusaio: poriauto desojo saber, quem deve preferir,
seos estabelci'iinenlos de caridade ou se o iheatro ; pois,
tipdo dr votar sobre a materia, me parece, <|ue eite ar-
1 >i vai projudicar oque passou hoiitein, e por isso nc-
tiAsito ser esclarecido pelos nobres autores do pro-
jecto. r
(t de mancira que nao dcixe de hauei'
andamento de urna lotera, ele... mas pelo artigo 5." do
projeelo, que ora se discute, le estabelcce, que, en*
quaiito nao correr a loleria do thealro, nao corroa
mitra qualquer.... logo, para correr unta lotera favor
das obras do hospital, he preciso, que se extraa a do
thealro; mas eu crelo, que nao fui osla a inienriio da
casa, quando votou pela emenda do Sr. Pcixolo de 11 ri-
to, relativa s loteras concedidas em favor do hospital:
a menean da casa fui, que nao se dsse preferencia anu-
irs loteras ; mas, passando este artigo tal qual, nao sei
como conciliar- si' o negocio, porque pode mui bou sac-
ceder, que nao pnssa correr a lotera do Iheatro em al-
giilu anuo, c cutan liea projudicada a do hospital.
Um Sr. Uepulado : K, dada a preferencia, se nao fo-
cni vendidos os blheles, ella podo correr ?
O Orador : Isto he caso diverso, nao corre, porque
nao piule, mas nao porque naodeva.
Scnhores, eu quero volar pelo projecto...nial, votan-
do por elle, vejo, que se prejudca a disposicao, que
lionlem passou, que posso fazer um mal, querendu fa-
zer um bem...
O Sr. llego Monleiro: Ambas as loteras hao de cor-
rer.
O Orador: Est bem: como o nobre deputado me nl-
lirma, que lio de correr ambas as loteras, c como que
se comprimidle por isso, voto por o projeelo, rom tan-
to que a responsabilidad!' coi a p orconta do nobic de-
putado, (Risadas)
OSr. Mues Machado replica, notando, que entre a
preferencia, que o artigo, que so disrule, d s loteras
do Iheatro, e a que a emenda approvada na sessao ante-
cedente concede s do hospital, se oo d iiieompalbi-
lidade ; porquanto a concluso a tirar d'cssas duas dis-
posices he, que se desoja, nao se acabe um auno, son
que cada una dessas loteras lenba corrillo, ao minos
urna voz ; e, firme nenas ideas, depnis do alguiua* re
flexes mas.tendontcsa justifica-las, declara, que votar
pelo artigo tal qual se acha redigido.
O .Sr. Figueiredo : Sr. presidente, talvez pareca lo-
mo idade de iiiinha parte fallar anda em oppcisiro an
projecto, que ic acha em discussao, porque tonho col-
tigiilo pelos debates, que seus autores nao codom, creo
que uem urna virgula, de suas proposces : paroce-
nie, que ellas passar tao inleramente, como no projee-
lo se c um,-i ni ; e porlanto, Sr. presidente, tonho pre-
senliiuoiilos de que scrao sein fructo quaesquer obser-
vacces, que eu haja agora de fazer. Todava como,
por occasio da segunda discussao, me compromeil a
presentar algumas emendas, condado na doeldadc e
patriotismo dos nobres deputados, autores do projecto,
vou cuuiprir niiiiha palavra.
Dovo, no entretanto, provenir a assembla, que no
tonho por fim senao procurar manter o contrato, que
existe celebrado entro a companhia o a presidencia ila
provincia, arredilando em que os nobres deputados
nao tec ni em vista aniquilar a companhia, rmquanto
restaralgiima esperanca deque possa concluir a obia,
o que smente se conspirarais conlra ella, quandu obs-
liiiailainoia se no qiioira pioslar esse ciupcnho.
Supponho, Sr. presidente, que, quando no projeelo se
extingue a conipanhia e le commette ao presidente da
provincia a faculdade do convencional' o modo, poi-
que devem seros accionistas pagos dos avancos, que
tiverem feito, he por supporeni us nobres deputados,
que d'nn.ir.i ni.incita se nao pode concluir o thealro.
Mas, se se poder conseguir o acabamenlo da obra, sem
se atacar logo o contrato, sem te deltar por Ierra a com-
panhia, cuino fazo projeelo; se houvcr para isso um
molo, parece-ine, que o devenios abracar....
OSr. Nunes Machado; Galo escaldado deagoa fria
teni inedo.
O Orador: Esse meio esl adoptado as ininhas
emendas : cl-las aqui.
u Art. i. Para a concluso da obra do iheatro, he
o presidente da provincia aulni isado a fornecer ros-
pectlva companhia, pela ultima vez, a quanlla de
12:000/000 de res, determinando um lempo rasoavel,
dentro do qual deve achar-ie a obra perfeilaiiirnle aca-
bada.
lar a acabar a obra no lempo mareado, poder o presi-
dente ila provincia mandar rescindir o contrato, c lin-
dar a obra par adniiuistracao, que para Isso nomear.
Art. 3." No caso do artigo antecdeme, ser a coui-
panhia indemnisad dos avancos, que livor feito pela
frm, que se houver de estipular eutre o presidente
da provincia, e a companhia : fleando sempre rm vi-
gor a hypolheca eslabeleclda no producto dis loteras
e rendimenlo do thealro at inteira soluco da davi-
na, a
Com laes emendas, Sr. presidente, julgo, que lenho
coiiclladoo flm.que di/.oii ter em vista os nobres depu-
tados, coni a relgo e respeito, que devenios guardar
acerca doi contratos : Pacta religose observando. Tcnho
fundadas rasos para ero, que, votaudo-se una quola
de 12:000/000 de ris, para poder a companhia acabar o
Iheatro, ao se Ihe lai favor ulgum...
O Sr. Joaquim filela : Muito grande.
O Orador:He um engao perfeitodo nobre depu-
tado ; lembrc-se o nobre deputado, que o tbealro he
obra publica ; para cuja ediflcacao a provincia contrahe
um cmpresliino, de que se deve desonerar : c nao le,
que a provincia ganhe em conlrahlr empreslinios, po-
dendo deixar do fazc-lo. Se, pois, a provincia tcm de
fazer una obra sna, no favorece a companhia, quando
Ihe d dinheiro para ronclui-la ; faz sim um beneficio
s mesma, dspensando-se de augmentar mu rmpresti-
mo, de que lem de pagar juros.... Porlanto ha una
vantagetu, ou nleresse publico enidar-sc os l2:000/000
de ris.
L'm Sr. Deputado : E ainda inals inleresse em se ver
llvre d companhia.
O Orador : Smenle pelo goslo de so ver llvre 1!...
Sr. presidente, entendo, que as emendas sao as inas
convenientes : note \ Ble., que ellas mantem o con-
trato em qttanlo he possivel manter : o como, por ou-
tro lado, desojo, que a obra soja acabada, propo-
nho, que o presidente marque companhia um pra/.o
rasoavel, para concluir a obi a, lob pona de mandara
presidencia contlnua-la por administracao, fleando
desta forma prevenido o iiiconvenionle, que os nobres
deputados quefem prevenir, por supporem.da parte da
couipaiiliia ,m vontade de acaba-la ; in voalade, coni
que nao posso atinar, se considero, que o interesse da
companhia esl em dar andamento ao Ihealro, de eujo
rendiuiento deve esperar a paga do dinheiro empresta-
do. Obrando pela maneira adoptada as emendas,
Sr. presidente, l'uo respeilados os principios de dirci-
to, que no projeelo sao abertamentc infringidos, nami-
nlia humilde upinio ; o, o que he mais, dolamos de
eslabelcccr um precedente tcirvel: os nobres deputa-
dos uo s.iln ni, no calculan o mal, que foleto a Ma
provincia, extinguindo, sem ser pelas formas tegaes,
urna companhia j existente, c que tcm dircitos adqui-
ridos,. .
l'm Sr. Deputado : Que nao cuniprlo aquillo, a que
se coniprainiti o.
O Orador : Como nao cninprio J estar isso pro-
vado conteneosanirnlo ? Se nao cumpli, ou se nao
cumplir, eu don na niiuha emenda ao presdeme a fa-
culdade de mandar rescindir o contrato, porque ca-
lendo, que tal resciso lmente pode ser operada no
foro contencioso : nein o nobre deputado sabe, se l
poder a companhia aprsenla!' rasos siiflicienles, para
mostrar, que o contrato no est rescindido, o que ella
eumprio eom sua nbrlgaco, ao meaos as hypotlieses,
em que dito contrato lora celebrado : nao podemos as-
segurar nada a respeito....
Dliia, pois, que-se faz um grande mal provincia,
plantando-so doutrina de que a assembla pode, de
um momento para n outro, acabar eom as couipanhias.
Cora sean llianle precedente, eslou persuadido, que
uo se pode mais formar companhia alguma ; e allirmo
a V. Exc., que grandes obstculos j toeni apparecldo
para a fonnaeo da companhia da ponte pensil dos Afo-
gados, dopois que comecou a gracar a doutrina do pro-
jecto.
L'm Sr. Deputado : Isso nao he argumento.
O Orador : He argumento, e argumento ponde-
roso : appello para o futuro.
O Sr. Mues Machado : Isso lie argumento ad ter-
ror em.
II Orador : O nobre deputado nao sabe, ou nao cal-
cula non, qual o novo espirito publico a respeito de
oupi e/as por assoclaces : se os capitalistas sonberem,
que esta a? .embica pode distruir as eompanhias, de um
momento para outro, nunca mais ellas se f'ormo.
lnliui, Sr. prriidrnir, a ininlia emenda vai mesa;
para nao faltar segunda voz, mandaici esta (irado),
que serve de complemento ns outras.
Emenda lubitltolllvaao asilgo 4. '
ic Para prefoier os 12:000/000 rs. do artigo 1." da e-
nienda, soro applieadas as sobras, que possao Jiaver
nos arligosdr despicas decretada! pe i lei do orraineiito
vigente. S. {.--Figueiredo.
Apoiadas, entran em discussao.
O Sr. Mues Machado declara, que volar conlra as o-,
mondas, por acha-las comprehensivas de medidas, que,
ao passo que multo favorecein a companhia do iheatro,
damnilieo os interesses da provincia; pois que, segundo
ellas, di-ve eitl dar,aquella, aliu do dinheiro, queja
Ilcita forneciilci, mais 12:000/000 de rs., para habilita-
la a concluir a obra, dispensando-a assim do nico u-
nii, que Ihe inipunliao contrato, que ora o empresli-
mo, a que se ella obrlgou, c que ainda nao fez.
O Sr. Figueiredo: Sonhor presidente, ic cu me
achasse posmido das ideias nutridas polo nobre deputa-
do, que acaba do senlar-se ; se eom elle pensasso, que,
continuando a admiiiistraen dolhratro nadlrcceSoda
obra, rreebrrla grandes vantagens em premio de sua ne-
gligencia, eu votada pelo projecto, c acompauharia ao
nobre deputado rm todas as suas declamaces. Mas es-
lou mui longe di'siippr, que a adminislracao receba da
enipreza outras vantagens, que no sejo incommodos
e sacrificios.
Quando apresentei asomeiidas, que oftertcl conside-
raeo da casa, dille, que ellas lendio a garantir o coo-
Irato, que se pretenda aniquilar, ao mesmo lempo que
concliavo o respeito llovido ao contrato eom as inten-
ros dos nobres deputados, que querio, que o thealro
fosse acabado. Ea|ireseutei as emendas, iteuhor presi-
dente, nao porque ostivesse convencido da sua legalida-
de rm Ihcsc, pois queja indiquei, qual o caminho, que
supponho, derla tor ojiegocio pendente ; mas porque
em liypollieso acbei, querellas adocario o rigor c ille-
galidailo do projecto, Mas o nobre deputado, que as
eonibaten, fundni-se lmente, em que a companhia li-
aba mullas raniaijnit eom a inanutenrao do contrato,
c o dissecom taula frca, que, por pouco, a estive acre-
ditando. Mas eu provarei, que vantagens laes, c lopro-
ClainaCAS na exiatcui scuo o.i iiiciiic iiu iiubr
tado.
re depu-
Sabc V. Ex., que os juros do dinheiro em nossa torra
saconas elevados, do que em parle alguma do globo;
sabe o nobre deputado, que hoje 01 interesses do dinhei-
ro sao de dous por cento ao mez, e ainda mais, quando
o mlseravel tomador cabe as indias dos usurarios ; sa-
be o aobre deputado, que hoje o mnimo do juro do di-
nheiro dos capitalistas inais seguros, e menos exigentes,
he o de um por cento: como, pois, julgar-sc (aleando a
vos) grande vanUgeiu emprestar 100 eolitos de ris eom
o premio de 6 por cinto ao auno? Ser isto una for-
tuna ?
Srnhor presidente, nao se concede vanlagem alguma
companhia; ella fornece 100contos paraocabar o thea-
lro, porerbendo apenas o inleresse de meio por cento,
quando poderla tc-lo de dous, c mais.....
Um Sr. Deputado: E a aduiinislraco?
O Orador : Por corto, que nao ser eantiaem admi-
nistrar una obra, de graca c honradamente : he antes
um onm ; vantagens tero, sem din ida alguma, os que
a administraren! por um ordenado de 1:800^000 ri.: es-
tes sim, alcanrarao um lucro; mas nao aquellos, que
traballi.il ao gratuitamente, e eom o desiuteresse, que
os nobres deputados tocia enufessado na casa.....
O Sr. Nunes Machado: Nao me chame para ah.
0 Orador:O nobre deputado fui excepeo, maso
seu collega J aqui o confr.ssou, c o sen tcslciuuiibo nao
he suspeilo.
A oulra vanlagem proconisada he a do tor a compa-
nhia preferencia nos camarotes..... Con) elfeito, he isso
grande MtKdgfM rm um paiz, aondo se pede por favor,
cal polo amor do Dos, que se tome um bilhete.....
Que vaolagens,.,., que premio*, que fortuna.....
lmSr. Deputado : He milito grande.
O Orador: Pois eu digo ao nobre deputado, que lie
um onus, e que a companhia le grande beneficio ao
paiz, i|iiaiiclo"iomiiii conladesta obra.
Mas dille o nobre deputado,que, se nao houvossom in-
teresaos, a companhia terla desistido do seu intento :
responderei ao nobre deputado, valendo-mo ila expe-
riencia, que tenho a respeito, que no s nao ha inle-
resse, como que, quando mosmo houveiie, nao seria elle
por si s bstanle para dar existencia companhia du
Iheatro. A empreza a mais vantajosa, aquella, que of-
feroco mais lucros, no so formn eom facilidade, e ao ac-
eeno do interesse : andnu-se por ahi pediudo, erogando
a lodos ; rogou-so a proteceo dos capitalistas; liouve
mosmo noeessidadede fonienlaroseii patriinotismo.e s
aisim se pode a companhia do lieberibe formar: e hojo
caininlia eom prosperidade. Porlanto, Senbores, aquel-
los, que bou quizercm fa/.er provincia inerccem as
coiisideraciies da assembla provincial. Ncstc caso se a-
cho os inembros da companhia do iheatro, que se or-
ganllOlii menos por interesse, do que por patriotismo :
ella organisoii-se a feufa das diligencias, o ......aun po-
la inlliienria do administrador da provincia, qiiccntfio
era; e os accionistas se prestaran, mais por altencn e
por obsequio, do que por amor do lucro : c tanto isto
he assim, que no momento, em que as colisas mudarn
de face, mullos dos que assignrao, deixrao de cum-
plir eom a obrigaco da entrada. Nao ciclen,lo aos que
assim obraran ; digo mesmo, que devino ser compel i-
dos al a reseisao do contrato, mas nos tormos du ilirei-
to, e nao de unta maneira, que nao he curial ; nao lie
conveniente, ou poltica.
Ilsse o nobre deputado, que as inhibas omcudas sao
conlra os Interesses da provincia. Coin elleito, aatleu-
derem-so as palavras do nobre deputado, prlo que so-
ro, dir-sc-hia, que, na verdade, a provincia pardeo
ludo. Mas, Senhorcs, slo no he assim. O que preten-
do, o que peco nas ininhas emendas he, que o contra-
to soja mantido, rmquaiilo a companhia se quizer prr*~
tar aoacabamruto da obra, e que soja rescindido, no
caso de reluctancia da parte da inosma companhia. Km
que, pois, so as miabas emendas coiur.itias aos into-
rossis da provincia? Ser por querer respetar dircitos
adquiridos, por querer livrar a provincia de um maior
cmpresliino? Serei lachado de intenso aos interesses da
provincia, por sustentar, que as assemblas provin-
ciacs nao pndem reacindir contratos; cque osles nao
podem sor rescindidos seno pelos lucios marcados em
direilo ?
Sr. presidente, em una palavra : o fun do projecto
he a concluso da obra do thealro: ora.se mis poder-
mos conseguir esse fin, por meio de um accordo entre
as ideias dos nobres diputados o as ininhas, parece-mc.
que temos chegadoao possivel desidertum.
Masdisso um nutro nobre deputado, que a miiiha e-
iii, nda auioi isava a innovacao do contrato, mas que,
sendo inhiba opiniao, que elle deve ser mantido tal
qual. uo sabia como eu propunha lal hinovaco. Sr.
presidente, eu ja disse, que procure! nas emendas man-
ter o contrato ou ludo, quaiilo fin- possivel manter, c
pie, -ce havendo obstinarn da coinpanliia, se deveria
seguir mitra medida : quonsoboraiiameiilco innova he
o projecto. (I cstahelcccr-se o pra/.o rasoavel, dentro
do qual a companhia devora acabar a obra, nao inno-
va o comalo, porque tlll mesmo ae disse, que a obra
se concluira no menor espato de lempo possivel; e na
emenda apenas se declara, qual o lempo possivel.
Sr. presidente, eu disse, ha pouco, em um aparte, que
nao sabia, se, ainda passando o projecto, sejulgariaa
companhia eom o direilo de nao entregar o Iheatro au-
tos de se promover a resciso pelos lucios legitimas....o
nobre deputado espaiitou-se amito, e chamou a Isso
principio perigoso, o descobrio aelle urna insinuaran do
resistencia al physica; julgou, que eu proclamavaas
vas de facto : eu nunca recorr incloi io reprova-
diis : desses meios lmente se poder valer os aventu-
rlos; (inuilof apoiuiloiJ.mas au aqiiellcs, que tiverem
a consciencia da sua diguidade, (muiloi apoindosj e do
cjiii.ito podn conseguir pelas vas pacificas cm bene-
liclo do seu paiz. {Apoiados)
O Sr. Villela Tavares : Apoiado : inulto bem,
O Orador : Estes de eerto nunca recorrern laes ex-
pedientes. (.-Ipoiaiinj)
Eu nao disse, que a companhia podia resistir materi-
almente, disse, que o podia fuer legalmente, jurdi-
camente : o crcio, Sr. presidente, que o nobre deputado
no querer agora rebaixar tanto a independencia do
poder judiciario, julgando, que o presidente da provin-
cia pode fiear cima dos tribiinacs.
Concluirei o met discurso, afiaucando a V. Exc, eom
loda a sinceridade, que o ineii fim nas emendas he a
concluso da obra masilesejo, que isto se faca por ma-
neira tal, que se nao aniquile logo o contrato ; porque
he inulto ncccssarloque se uo desanimo o espirito de
associaeo, que entre mis vai-sc desenvolvendo. Eu cl-
tei,' ha pouco, um laclo, c agora o repito sob iiiiuha res-
pousabilidadc ; c he, que, depois que osle projecto pas-
sou cm segunda discuisRo, aquellos, que desejavao a or-
ganisa;o de eompanhias esmorecrao ; cat a compa-
nhia de Rebcribc deve irenicr .
l"o:r : Nao, nao.
O Orador: Eu respondo aos nobres deputados, ap-
pellando para o futuro ; c desojo muito, que o nobre de-
putado se pcmlia coi campo, c trate de formar uina com-
panhia.
(O orador le o contrato, analvsa-n ; lia varios apartes,
e tal susurro, que nao podemos mais acompauha-lo.j
(Co8ffaHflT-M-ftz.;
DIARIO HE "EHUIIBU'.
Na assembla, a ordcui do dia para a sessao de hoje
he continuacao da de lionlcni.e primeira discussao.-das
posturas addicionaes das cmaras muuicipaes da Victo-
ria cLinioeiro; do projeelo, que orea a receila e fixa a
despeza de todas as cmaras da provincia on o auno
municipal de 1846-- 18-17; do que manda descontar no
ordenado do medico do municipio os vencimentos, que


w

elle prrccber romo < onimi-sti ao varrinadnr* prnvinri.il;
r do i tu- erige em matriz il.i f.oguezh de Pasmad., i ce-
peda de' S.-Goncalo da povoaco de Itapis-uina.
RENDIMENTO 1)0 DA 9. ..'..... 2:943>860
ni sr mr.i i.i HJE 10.
PatachoUniofun o.
'ii-iiI.hIo.
hf.kdimeivtododia 9.
Geral..............1:5031*507
Pmvlnrlal. .......... TftOS
Diversa provincias.......... 54/i7l
2.352/776
llrclarnQ 6.
VI' E-imSl'UDO PONTIFICIO FM PF.RNtMRUCO.
Oalnlsn asslgnido, rncarrcgadn rio vcc-ronsula-
do pnnliflrin nestn provincia, trndo rercbido di- S Kx\,
o internuncio apostlico na rilrtc deste imi'>. a carta
circular, que segur, ini blindo um ejemplar do aclo de
Itii-m *c julgar cun dirrito a rile, comparsa m mearos
subdelegada. i|iir, pnivaiidn s.'r ru, Ihe ser entregue.
Afogado, 9 de iioveuibrodr iHit.
Machado Itioi.
TIIF.ATRO PlIRU O.
Reprrscntia insigue pica nova. = OlheUne oinlriqan-
le de eneta= dividida em cinco actoi coito quatlros.
Para Orar todo O equivoco drsta peca c..... a tragedia
OllnMu. faz-nins si-iaiitr- ao respcit.tv.l publico, que a
pirai'val repsenla!- he niprcssa eui Lisboa, cnmpnsi-
eSo do Sr. Jos Mara da Silva Leal, a qu.il oblivemos
pjt especial favor dnSr. Francisco Giicdcs de Araujn, c
he
iiiiii di mais sulil mes produrcoi'S daquelle insigne
Iliterato, que, iinilando o prusaniemo do grande Sliaks- sen peznr, na rigorosa nrccssldade de declarar
pear, eiiriqni'ceo a cena purtiipucza. Ilr rnmplieadis- and miento das rodas, annuneiado para o dia^7 do
simo o sen enredo, sua proza elrgaule, e suas sernas
terna*, r patticas. F.lla he adornada coin dua chacra:
a piimeira Cuiantu he grato ler anuir ser rauta-
da por mu amador; a *rguuda charra, que se Intitula
O romanee do Salguriru sn canlaila por una e-
nlinra particular, que no* quer obsequiar nes-a imite.
A platea se arha prmiipta. cuiirnrinr se aiinuneiou pe-
la* milicias; a superior coin assculos de paibiuha, a
2/000 rs.
PURI.P'ACAO I.I ITERARA.
Ha innilo que os Iliteratos e hniiieus de go*to reco-
nhei ein a tuce ssi'tatle de infundir em os niMSns jovens
estudaiites as regias e cxciupliis clnssiros da elnqueucia
nacional, disciplina ile suinina ntilididr, e que de certo
nao be possivel adquirir cabalmente na rbelorica de
, Quintiliaim, a qnal, posto seja de grande mrito, rom-
soberana clemencia de >. V, o papa Po IX. a to los os ludo na sua pa.te esseneial. que lie a eloeuco, rudo
seus subditos, qni> estiverem im caso dos aitigns m lie I enmposta para Latinos. miopid.- seguramente servir na*
nieneon.idos asshn o participa aos residentes nesta ra a lingna, rm que fdl unos e rsc.rvemos; alcni d
provincia, para que este, 011 os que a ella eliegarem. a '
quem possa aprovrilar o referido perdi, e dlrijo
tasa do viee-eonsnlado, ra da Aurora, n. 10. onde se
lavrar a derlaracSo indicada no decreto de amnista,
que i.iiuhrui segu.
Vire-consulado pontiflclo em Pernambuco, aos 2 de
novriubro de 1840.
Amjelo Franciica.Carneiro.
caa, fcando certo, que o Alfonso he camaradinha
nao vende caro, nao.
D-*e dinhclro apremio obre peuhnres de nr
pratae hypoiheca em ca*a terreas : na riiarstrriM do
Rozario, u. .30. segundo andar.
--O "r. de en'jenho do < anto. Antonio Jos deMe||n
T.oelho, que. ha lempos, esereveo nina carta sobre ai,_
mulato de nome Manncl.nur e aeha em sen poder. pnr,
oeoniprar, pride cntritdcr-e rom o sen proprio eulinr
hoje, Manoel Gomes avalcanli. o qnal he morador ei
1 'aquivira, Irs do r, Lourer.co Cavalcanti. termo (|a
comarca de Na/.arrih
Os abaixo a*ignado pirtiripo ao publico, ne
teemfeito snriedade debaixo da firma ('.ais lrn, do esti firma enearregada da liquidarlo das extlncta,
firmas (.ais, ain c Gals Jnior.
CaU. aini It Cali Jnior.
Precla-sedc um escrav corinhelro para tuna
casa do lioincm soltciro ; na ruada Crui, no Reclfe
n. 43.
O'iem tlvrr cavallos para sangrar, ripar e tirar
travaje dlrlja-e ao hecen da Carvalha n. 5.
Jos Marque da Costa Soares iimdou a sua re-
dencia, da ra atrs di matriz para a ra Formina do
bairro da ''oa-VIsta n. 5.
0capitn de fragata Caetano Alves de Sonza (n
sciente que, por haverem sua familia ontra pestoa do
mesino iioiiie, se assignar, d'ora em diante, Caetano
Alves de Soma Hlguelra.
L L. Vauthler, estando para embarcar at o da |j
" No filarla da ra da Florenlina n. 16. precisa-ae, do corrente rnga a loda a pessoas em enjas hiblio-
roin urgencia de um mostr de oliro para fazer una thecas existan livros pertrnecntes au-auoiinclanle.qurse
porrii de vasos para flores ; p*ga-se bein. i sirvan devclve-|ns.
Furojro. de um sitio. iu estrada para Relm, una Joanna" Maria de Jesus fi publico que, encaml-
carleira pequea de senhora coberta de couro de nhando execucao contra llenrique Jo Rrayner deS tu-
que patente coiileinlo papel, tinleiro um sinete peque- /a Rangel e ua miilher fer penhora em uma caa,
las nossas Inslitulcdes polticas, os usos e Costil me do no de miro uma penu de inarfim e piala um laplslsitn na ra Direila dos Artigado*i, que |he eslava hypo-
prrsente aeculo requerem especialidade oratorias, que de pratn e nial oulrns pertenees. Qliem descobrir a |tlecadi; a qnal,andando em praca. nan honre lancadnr:
de eerlo se nao enenntio em seus precciins, pela *> | iiiesma carteira, a pode entregar no sillo que l'oidolpor issn torna a Ir a dita caa novamenle a pra{a pira
pane relativos ao foro romano. Ee deiiilnnlum aclia-se Inhalo nu na ra do Trapiche n. 40, que ser bein Ihe er ad.[udieadi eom o aballoiento da lei. O pretrn-
ell'eituado eom a pnblieiro da obra Lines de Elo- recompensado dando-se at maior valor do que real-
mente tem.
(iniosequizeriiiili.ir, dirija-se a ravessa de S-Pe-
dro, o 0
Aluga-se um sitio em Aplpncos eom lodos o*
eominodns i oinpetenies para grande familia Junto ao
rin coin estribarla p iradoui cavallos, bastantes frif -
lrfas : atrs da igreja de S Goncalo na lloa-Vista a
tratar eom A ndelo Jos de Meiidoiuja.
= Eiignmma-se roiipa de to la qualldade por preco
coinmndo : na travessa de S. Pedro, n. 35
t"TF.MIA DA MAMRIZ DA GIOAn" HA VI'TORIA.
Nao obstante toda* a rasies que fnriu ponderadas
nosauuiiiicios anteriores aintla o abaixo assignado,
lliesoiiK iro desta loteiia e que taiilbeui n he da do,
Ibeatrn matriz da Roa-Vista e mitras ae v bein a
que o
cr-
reme me. nao |iile infelizmente ser realisado; porqu* ,
depentlendo elle da completa venda dos bllheles cata
leni sido morosa e ponen adiantada. A vista do que,
novamente ira infere o sobredilo andamento para o da
21 do corrente, na eperanca deque o compradores de
billiete o lialiilii.-iro para levar esse aclo a efTeltu em
o novo da designado cestaudo asslin tantas transfe-
reniia*. Instantes desagrada veis ao publico e mu i lo n ais
aoabaixo assignado Continan a estar a venda us bi-
ihetes nos lugares do costme. H" realisado o anda-
mento das rodas no consistorio da Conceifao e os pre-
inid sern pagos (inmediatamente e coin a mesma
promplidao coin que teem itlo os di outras loteras,
de que lie thesoii'eirn =4n(nni'ii da Silva (luimo.
N.'74. A Sanlidade de Nosso ScnTior, qucrrndo
distinguiros primeirns dias do sen pontificado por um
singiilarissimoarlo de clemencia, na confianca de que
qurllcs a quem este Interessa correspondern coin
sinceras c constantes prnvas de fidlidadc e adhesao ao
sen soberano c pal ; benignamente se ha dignado con-
ceder aos nirsmos um geral pcrdo, eom alguma cx-
cepcao propria de seinelhantes casos.
Dos inclusos exeinplares observar V. S. sru thror,
e jumamente o modo, por que o drveni pralicar aquel-
es subditos pontificios emigrados do sen pair, queaV.
S. se dii igirem para alcanzar o efleito. A respeito do que,
envo lambrm a V. S. o modelo da declararo pres-
cripla no artigo 1. do acto soberano, cima menciona-
do, e eom sentimento de distincta estimacao Son d \
S. humilissiino servo(i. ledini, internuncio apostlico.
> Rio-dr-Janeiro, 29 de selembro de 1840. Ao Illtn.
Sr. vice-eoiisui ponlicio cin Pernambuco.
Esl conforme. ~ Angelo Franciico Canuiro.
PI IX.
ti Aos seus fidelissimos subditos, sade c apostlica
benco.
Nos dias, em que nos commovia o nosso coracao
profundamente a publica alegria pela nossa exaltarn ao
ponlicado nao podemos disfarcar um sentimento de
dr, pensando, que nao puncas familias dos nossos sub-
ditos cro excluidas de participar do commuin prairr ;
porque na pi varn das domesticas consolacOes suppor-
tavao gran de parte da pena por algum dos seus mere-
cida leudo oRcnddo a ordein da soriedade c ni sa-
grados dlreltos do legitimo principe. Volvemos lambeui
um vista enmpassiva para multo* joven Inexpcricntes,
que apelar de arrastrados por lisonjas fallazes, no meio
dos tu nuil ios polticos, nos parecio mais scduzidos, do
3ue seductores. Por isso desde enio niedilainos esten-
er a mo, c offereccr a paz de coracao aquello! extra-
viados fillios, que quizessem inottrar-se sinceramciKc
arrcpendldos.
Ora, a afleifo, que o nosso bom poro nos lia palrn-
teado, c os signacs de constante venerafo, que a Santa
S tem recebido em nossa pessoa, nos tem persuadido,
i]ue podemos perdoar scni perigo publico Dispomos,
pois, e ordenamos, que os primeiros dias do nosso pon-
tificado sejo solcmnisados eom os seguintcs actos de
graca soberana :
1.* A todos os nossos subditos, que sr achao actual-
mente no caso de punico por delitos polticos, perdoa-
inos o resto da pena; eom tanto que clles fac.o, por es-
criplo, solemne declararn, sob sua propria honra, di-
que nao querem abusar, em modo e lempo algum, dcsla
graca : mas antea querem fielmente cumprir lodosos
deveres de bous subditos.
2.* Coul a inesnia cmidieco serao admittidos rin o
nosso estado todos aquclles subditos exilados, por titulo
poltico, que dentro do praio de um anno, desde a pn-
blicaco da presente rrsolucu, por meio dos nuncios
apostlicos, ou outros representantes da Santa S, lize-
lem conhecer da manelra conveniente o desejo de se
aproveitarem dcslcacto de nossa clemencia.
3. Absolvemos Igualmente todos os que, por have-
rein tomado parte cni qualquer machinarn contra o
estado, se acho vinculados por precritos polticos, ou
declarados incapaics dos officios municipacs.
4." He nossa intenco que sejo suspensos e sup-
primidos os procedimentos criminaes, por delirios me-
ramente polticos, c anda nao conhecidos eom um jui-
20 formal, e que os suspeitos sejao livreincntc sollos;
urna vez que nao baja dclles quem prca a continuarn
do processo, na cspcraiica dr justificar a propria inno-
cencia, e de revindcar os seus dlreitos.
5* Nao he nossa intenco, porm, que as dispo-
nes dos precedentes artigos sejo comprrhendidns a-
quclles pouquissimos ecrlesiasticos, ou ofliciaes mili-
tares, e emprrgados do governo, que tenlio sido j con-
demnados, ou esto emigrados, ou subjetos a proecs-
sos, por drlictos polticos : c acerca destes nos reserva-
mos tomar outras drterminaedes, quando o conheci-
nento dos respectivos ttulos nos aconsclhc a assim o
l'azer.
6." Nao queremos igualmente, que nesta graca se-
jo comprehendidos os delictos comniuns, de que se ha-
jo tornado reos os rondemnados ou suspeitos, ou
exilados polticos : e cmquanto a estes he nossa Inten-
co, que tenbo plena execucao as leis ordinarias.
Nos queremos confiar, que todos aquelles, que usa-
i mu da nossa clemencia, salieran em todo o lempo res-
peitar estes nossos dirritos, c a sua propria liorna. Es-
peramos mais, que por este nosso perdo soccrgado
os nimos, quererd depr quacsqurr odios civs, que
sao sempre causa, ou efleito da paixes polticas ; e
assim sr restabeleca verdadeiratneiilc aquellc vinculo de
paz, eom que Dos quer, sejo cstreitamenle unidos to-
dos os Aldos de um pai. Quando, porm, as nossas es-
peranzas em alguma parte falhem anda que coin accr-
quencia Nacional =- pelo padre inestrc uigurl do Sacra-
inento Lopes Gama. Foi rrccnteuieiite impressa na cor-
te do Rio-de-Janeiro, c lal acccitaco teve, que, apenas
sabio do pelo o 1." volme, foi logo adoptado n'aula
publica de rhetorica, no seminario de S.-Jos, etc., etc.
Achate aqui venda, na ra larga do Rozarlo, botica do
Sr. Ilartholoinro : preco tjf rs. cada cxcmplar, dous vo-
liitues em brochura.
-i______ ______^msss!*^m*mm
Avisos marilimos.
=Freta-sc para qualquer porto da Europa a escuna in-
glrza Carolina, do lote de 160 toneladas, de mulo boa
construeco, c exccllenlc marcha ; a tratar eom os ses
conssignatarios, Adamson Ilowic S C, na ra do Trapi-
che, n. 42.
I ara o Cear saliir imprctrrivclmenlc no dia 20 do
crreme, a sumaca nacional SanbHt'ruj, mestre Jos
Jnaquim Alves, forrada e pregada de cobre: para carga
ou passageiros, trata-se coin scu frelador Victorino Au-
gusto Hoiges, no largo do Corpo-Sanlo, n. 25, de 1 as 3
horas da larde.
Para Liverpool sai o vapor inglcz Antclope, capto
O Bricu; deve aqui chegar dos portos do Sul, at o da
12 do corrente, e seguir, depois de 24 horas, sua viagem
para Liverpool : quciii quizer Ir de passagem, procura-
r em casa de Deane Toule & C.
Tara o Iiio-de-Jancirosegu em
poneos dias, o lirigne nacional Despique;
recebe carga, passageiros e cscravos a
frete : trata-sc eom Machado & Pinheiro,
na rita ila Cruz, n. Go, ou eom o capi'ao,
Domingos lleiniij'ic M,iliM,
Veude-sc a sumaca S.-i/nra-i'oa-Sort (undrnda
ao p dos Arrecifes deprmera marcha por barato
preco : a tratar na placa da Independencia ns. 13 e
15 ou a bordo at as S horas do dia.
Para o Ass coin escala pelos portos da Caicara ,
Pelllloga cTouros, segu breve o bergantn! Sagitario:
para caiga e passageiros trata-seno armazein ao lado
da cadi'ia n. 23.
Para a Rabia a sumaca Xora-Anrora pretende sa-
bir na litar de quiila-fcira l2do corrente ; o que se
faz certo aos Sis. passageiros, para, de vespera, trata-
rem coin o capilo ou eom Amorini limaos, na ra da
Cadria, n. 45.
Ezequiel
Leifoes.
JooKeller S C. faro leilo, por intervenzao do
corretor Olvcira, de grande variedade de fazendas, to-
das proprias do increado, e dillerenles das que at boje
teem apresentado a seus fteguezes, cuja em ni mu i i es-
pera, lenha lugar, boje, 10 do crreme s 10 ho-
ras da manba em ponto, no scu armazrm, ra da
Cruz.
Kalkmann & Rosenmund faro leilo, por Interven-
:odo corretor Olvcira, de um sortiiiieuto de miu-
drzas, entre ella fitas de seda, ferrageiis finas, espin-
gardas laurinas e tuna porco de bichos de massa ,
proprins para rnamenos de salas ; cujos se vendero
em lotes a vontade dos compradores : quarta-feira ll
do corrente, as 10 horas da tuanha.
=^ 0 corretor Olvcira fara leilo, por mandado do
respectivo luizo, e a rrqucrincnto dos credores do fal-
lido Antonio Joaquitn da Silva Castro, de todas as fa-
zendas da loja deslc : quima-feira, i2 do corrente as
10 horas da manba em ponto, noseuarmaiem da ra
da Cadria do Ilccife.
=r L. L. Vauthicr, nao leudo podido concluir a venda
da sua mobilia de casa, em o leilo dr 9 do corrente, pe-
la niiiltplicidadc dos objectos, cootinuar a venda do
restante, por estes dous das, na sua casa, na ra do
Aragao.
visos diversos
utAl pessoas constantes da relaco abaixo transcripta,
eque teem em seu poder termos dr terrenos de mantilla
larrados.sem serrn anda assignadot pelo annuncian-
tc, hajo de os apresentar no hotel Francisco, onde as-
sistr o annunciante, at o da do seu embarque, que te-
la lugar no dia 12 do crreme, para se cumplir esta fr-
malidade, sent a qual as parles nao se podrm militar
dos termos, c teem de requerer nova mrdico. c o an-
nunciante que tem direito a receber a sua gratificar.,
deixa o competente procurador, para ser ella cobrada
na occasio da nova medican, que se fizer, dr tal modo,
que as parles terao dr faz.-r duplicada despeza; o que se
avisa, para nao allegare ni ignorancia.
I.uiz Leger Yauthitr.
Manoel Uarle Rodrigues, Pedio Gonralvrs de Sania
Auna, Antonio Henrques Mafia, Gaspar Jos dos Res,
lia dr da nossa alma, nos recordaremos tanibem sem-| Justnianno Antonio da Fonseca, Jos Pedro da Silva,
prr, que, se a clemencia he o mais suave altrbuto da JRartliolomro Francisco de Sousa, Antonio Jos de "Albu-
soberania, a juslra be tambrm o seu prlmeiro dever.
Dado em Roma em Santa-Maria-Maior, no dia 16 de
ulliodo anno M. D. CCCXI.V1, do nosso pontificado an-
uo primeiro /. f. P. IX.
Est conforme. angelo Praneiiro Carneiro
0 arsenal^ de guerra tem de remrtter para a pro-
vincia do Para 400 arrobas de plvora nacional: qual-
quer Sr. consignatario, ou dono de navio, querendo,
pode comparecer no uiesino arsenal al o da i2 do cor-
rente, eom sua proposta em carta fechada, declarando
o ultimo prred, pelo qual lera de frrte por cada uma ar-
roba da"mencionada plvora para aquella provincia.
Arsenal de guerra, 9 de novembro de 1846.
P escripturaro,
Franeiieo Serfico de Ans Carvalho.
Pela subdelegada de polica dos Artigados se faz
publico, que se ada recolhdo cadeia o prcto Valen-
tn), escravo, o qual foi preso na estrada de Tigipio;
querque. I). Mara Francisca do Reg, Manoel da Cu-
nta Guiniares Fcrrrira, Manuel Lulz de Mello, Fran-
cisco Jos Raposo, Jooda Molla iiotelbo, Victorino 3o-
sc de Souza Travasno, D. aiaii.t Muigmida Vclioso, Ja-
clntlio Eleodoro Mortyr deOI'vcira, D. Mara de Plnho
Borges, D. Maria Roa da Assiimpcao, Rrrnardo Jos
Carneiro Montriro, Joo Kaplista Erbster, Jos Antonio
da Silva, Manoel Rodrigues dos Anjos, Jos Rodrigues
do Passo
Fui trao da ra das Cinco-Pomas no dia 5 do
corrente as 8horas da noite quando eslava a sabir
um comblo uma rede aberta rom varandas de mais
de palmo de largura o fio da mesma he torcido eom
urna coberta de chita dentro. Roga-se a quem a dita re-
de for oUerecida de appt cliendc-la e leva-la as Cinco-
Pomas n. 71, que ser bem recompensado.
Ollerece-se uma inulber para ama de casa de ho-
mem soltciro ou de pouca familia ; quem de seu pres-
faz sciente ao rcsprtavel publico que continua a en-
tinar toda c qualquer danca figurada, em casa de sua
residencia na i na do Rangel, sobrado de um andar ,
n. 48.
--Aluga-se um escravo padeiro, pelo preco de 10/
rs. nirnsacs : no palco de N. S. do Terco sobrado de
um andar, n. 26.
~ D-se a premio a quanlia de 600/ rs. : na ra das
Trinche'iras n. 46, primeiro andar.
No dia 9 do corrente, te ha de arrematar em hasta
publica de arrrndamento annual, na porta do Sr. dou-
tor juiz de orphaos no Alerro-da-Hoa-Vista um so-
bradinbo de um andar e tua respectiva loja propria
para armazcm derrcolhergneros, na'travessa da Ha-
dre-de-Deos, n. 14, pertencente aos herdeirot do fina-
do Jos Manoel Fiuza.
Alugao-se em S.-Anna algumas casas para a
festa eom bastantes commodos sentlo uma dellat
a hrira do rio defronte do Sr. Gabriel : a tratar no
Hanguinho, sitio de portan de ferro, defrontc da igreia.
F. Augusto Zietz embarca para o Rio-de-Janelro
ten escravo crioulo, de nomc Miguel.
Pergunta-se ao Sr. fiscal dos Afogados, em que c-
digo aehou S. me artigo ou paragraphn, que o autorise
para fazer corridas cm domingo, e as 8 horas da noite,
e srm o competente cccrvo, multando e fazendo tudo
quanto Ihe vem ao bestunto. Sr. fiscal de dia.... te ret-
ponder, voltar O Bello.
Precisa-se fallar eom o Sr. Antonio Jos Victorino,'dar.
denle* podeui comparecer nu dia II do crreme pelas
3 horas ila tarde, a porta do Sr, doutorjulz da segunda
varado civel, no Alerro-da-Boa-Vita, pois he a ultima
praca. A casa fui avallada em 480/900 rs. como se v
dos editaes publicados neste Diario, nt. 161, 164 e 165
deste anno.
--Precisa-se deum portuguez, que ctteja no caso de
sercaixeiro de um' engenho, distante detta cidade 12
legoas : a quem isto conver, dirija-se aloja do Sr. Ma-
noel Concaives da Silva na ra da Cadeia do Reclfe.
hm Ulinda, ra do Balde, junto
do Varadouro, loja do sobradodo Sr. Joa-
quitn Lopes de Almeida, ha uma pessoa,
que se encarrega de apromptar qualquer
comedoria, ou qualquer qualidade de co-
mer de peixe ; as pessoas, que precisa-
ren, podem mandar avisar eom antece-
dencia que sern servidas eom todo o
asseio e promplidSo.
Aluga-se. o primeiro andar da casa da ra do A-
oiori m, n. 13, por preco comiuodo : a tratar na mesma
casa, no trgundo andar.
Aluga-se a olaria n. 7, sita na travetta do Hondr-
go : a fallar eom Francisco Pires ,no Aterro-da-Roa-t il-
la, n. 37.
Aluga-se um moleque cozlnheiro que coznha o
diario de uma cata, e que fat todo o mais servco: quem
I o pretender, dirija-te a ra Direila, n. 91, primeiro aa-
Idar.
mrstre pedrelro : na ra do Noa,em casa do tenenrl Jo-
s Francisco, ou annuncic sua morada paca ser procu-
rado.
0 abaixo assignado faz saber ao respcilavel publi-
co, e particularmente aos pais de familia, que abri em
sua casa, no Aterro-da-Roa-Vista, n. 82, urna lula de pri-
meiras Ir i ii as, e os cursos de grographia edelingoa
fraiicez: as pessoas, que desejarrm seguir qualquer
destas aulas, podem dirigir-sr a indicada residencia, a
qualquer hora do dia: o ir (ambeui dar lices etn casas
particulares Dr. Joaquim de Oliveira Sousa.
Pergunta-sc ao Sr M. I. L., se quer concluir amiga-
velinentc o pagamento de um cavado, que comprou,
ou se quer, que apparejo alguns factos, tendentes
mesma compra...... O Capot
Aluga-sc urna casa decente para pequea familia
sendo em uma das boas ras do bairro de Santo-Antonio
ou Boa-Vista-, annuncic.
fypriano Voinjiller rclra-se para Inglaterra,
I.avo se, engoiiinio-se ecozem-sc vestidos de se-
nhora; ensino-sr meninas a ler, c cozrr e tambera se
ensina a prrlas a cozer e rngotnmar: na ra da Concor-
dia, n. t2.
~ Urna senhora de bons coslnmes, a qual sabe de-
sru.penhar o servico de qualquer urna casa, de por-
tas adentro, se oll'erere para ama de casadehomem
soltciro: quem a pretender, dirlja-se a ra do Azeite-de-
Pelxe, casa, n. l4, que achara eom quem tratar.
AOS SRS. D0NOS Dh TABERNAS E ARMA7.ENS,
QUE VENDEM LI0UIDOS.
0 arrematante das afrricrs dos pesos c medidas deste
municipio faz sciente aos mesmoi Srs., que, nao obstan-
te deixareui de vender ago'ardentedo paiz, sao obriga-
dos a ler lerno para bebidas espirituosas, pois que veu-
detn espirito de outras quaiidades; assim como, que nao
hepossivcl.quenma taberna, que tem lodos os lquidos
para vender, inclusive a/rite doce, dcixe de vender vi-
nagre, para oque o arrematante esl disposto a denun-
ciar a quem compete, destes abusos: e para mais escla-
reciinento val abaixo transcripto o artigo 10 do regimen-
t dasafcrifdVs:
Artigo 10. Todos os armaiens, casas de negocio, de-
psitos, cstabclecimeutos de coininerclo, ou industria
de qualquer natureza, que sejo, fixos ou volantes, onde
sr compre ou venda, cm grosso ou a rctalho, niercado-
rias ou gneros, solidos ou lquidos, c onde seja necet-
sarlo pesar e medir, sero obligados a ler, comoj se
achava cstabelccido, collecces ou temos completos de
pesos c medidas, na forma do padro do imperio, se-
gundo a natureza do objecto ; c os armazens e tabernas,
onde se venderein dillerenles lquidos, continuars a
ler uma collecco, ou terno de medidas para cada um
delles, eom as espeelficacfies seguintcs: um para a-
zeite de carrapato e de pelxe ; um para azelte der; um
para vinagre; um para vinlio, e oulro para todas as mais
bebidas espirituosas.
= AlTonto Saint-Martin, na ra Nova, n. 14, segundo
andar, recebeo, pelos ultimo navios viudos de Franca,
mais sorlinento do queja tem annuncado, consumi
do seguinte : -- manteletas de grosdenaple prcto. guar-
necidas de franja de retrox ; mantas da mesma fazenda;
chales de seda de novos padrdes, mulo bonitos e supe-
riores ; mantas de seda, igualmente de mulo bom gos-
lo, e de entre ellas o que ha de mais rico; cortea de te-
da lavrada para vestidos, brancos c de cores ; chapeos
de seda paTo senhoras, ricamente ornados e do ultimo
gosto ; ditos de palhinha, Usos, abertos e rendados, mo-
delo a Ponidas; ditos para meninas, abertos e lisos ;
ditos de palha da Italia, redolidos, para meninos de 2
8 anuos; lencos de selim depriman qolidadc, naia
pescoco de senhora; bareges verdadelros, de milito bom
gosto, para vestido; cortes de vestidos, de ganga de qua-
dros, inulto boa fazenda ; luvas de pellica limito supe-
riores, eom seus bracelclea ; outras pretas coin malhas;
ditas de pellica de piimeira qualidade, para hoineui, as
quars nao enrugurssem, por mullo que deltas se use -
panno prelo de Pars, todo de laa, seni mistura de algo-
do, muito leve e de muita dura, panno esle propissi-
ino para o clima dos annos trridos ; casimira prcta, de
tecldo beasado chamado sctmzclir, muito lino, a vr-
tude desse novo tecido he de mo mostrar o cor-
dao, por vclha, que fique, c assim dum uso extraor-
dinario : os senhoret, que pretenderen) ver quahiurr
desle objectos, tcrrj a bondade demandar avisar ao
annunciante, que Immediatamente Ih'os levar cm suas
Precisa-te de uma ama de leitc ; na ra do Quei-
inado n. 40.
No dia 4 do corrente foi furtado por urna pret,
do pescoco de una menina um cordao grosso eom
uma moeda de prala um buzio e urna liga ; tudo en-
castoado em orno. A quem for oll'erecido o dito roubo,
pode toma-lo e entregar a Manoel FlrminoFcrreira, na
travetsa do Qucmado n. 3, que gratificar generosa-
mente.
-- O Sr. Manoel Jos Ribeiro queira procurar um
carta na ra da Cadeia do Recife loja n. 20.
Arrenda-se, por fesla, o sitio, que
foi do fallecido Jos Carlos Teixeira no
lugar da Crtiz-de-Almas, proprio para
grande familia, por ler muitos commo-
dos : quemo pretender, dirija-sc-ao mes-
mo sitio, ou na tta da l'raia, n. 72
= Preclsa-se de um feilor para tomar conta de um
pequeo sitio ; na pracinha do Corpo-Sanlo n. 66.
AOS SNRS. DE ENGF.NHOS E A TODAS AS PESSOAS ,
QUF. IISTERESSARtM.
O arrematante das afei cues deste municipio do. Re-
cife previne aosiuesmos Srs., que as ancoras quecoo-
diizem lquidos para vender no dito municipio, drvein
ser afiladas pelo incsinu arrematante segundo o arti-
go 13 do regiment das afei cues.
Precisa-sede dous lavradores ; cm casa do doma-
dor, ou fabricante de candieros de gaz na ra No-
va n. 52.
CASA DAS AFERICOES, RUADAS LARANGF.I-
RAS, Y 20.
O arrematante das afericoes deste municipio de no-
vo tem a prevenir a quem interessar que, estando a
liinl tr-se o lempo marcado das dlas afericet teem
concurrido poucat pessoas; motivo por que declara,
que nao se responsabillsa pelos que dcixarrm de alr-
rir dentro do lempo marcado ; pois que nao he postl-
vel dar vencmento a todos nos ltimos dias.
Arrenda-se urna paila ria e duas casas para peque-
a familia na Passagem-da-Magdalena junto a ponte
grande : na ra da Gloria sobrado n. 50
Na ra de lionas, sobrado n. 22, primeiro andar,
ensina-sr, cmquanto duraren) at ferias da academia,
rhetorica, grographia, e geometra: a* pessoas, que qnl-
zercm utilisar-se do seu presumo, podem comparecer
a qualqurr hora.
Aluga-se uma cata coin copiar e trapcira. no lugar
de Sant'Anna, eom dous portdese jardiio aolado, a qual
pode servir para, duas familias; tendo a mesma quairo
salas, sele quarlos, cozinha, cocheira eestribaria.com
terreno plantado de capim, para um cavallo, alm ib'
algumas arvores de fruclo : os pretendentes dirijo-se a
praca da lina-Vista, botica, n. 6, ou a esta tvpographia,
que se dir quem aluga.
~ Aluga-se, pela festa ou por anno, uma casa no lu-
gar do Catanga, do lado do rio e da sombra, eom du*>
salas,'cinco quartos, cozinha-fra, lugar para estribarla
e prcto : os pretendentes dirijo-se a piafa da Roa-Vis-
ta, botica, n. 6, ou a esta lypographia, que se dir qurm
aluga.
Manoel Cavalcanti crioulo, pedrriro morador na
ra de S.-Jos determina vender urna casa na prai
do Forte : se tiouver algum impedimento por onde
elle nao possa vender, anuunciem.
Aluga-se o armazein eom porta coxeira da casa
sita no pateo da maii/ de S -Amonio n. 2 ; a tratar na
ra Nova, loja da esquina n. 2.
Peranle a segunda vara do clvel, doutor Nabuco ,
se ha de arrematar no dia 14 do corrente, urna Ijl"-
graphia de madeira guarnecida de ferro coin seus
pertenees; lOcaixasde timas preparadas; 8 caitas de
vidro paracaixilhos;4ditasde dilo coin faltas; uma
caiva eom estampas de gesso ; ludo penhorado a Lulz*
Bell* por execucao de Russel Mellors & C.
Dao-se 150/000 rs. a juros sobre penhore de ou-
ro ; no pateo do Paraso n. 24.
Quem preci sar de uma ama da leite dirlja-se
pateo do Para izo, n.24.
Aluga-sc o so to do sobrado n. 7 da ra Hova, pr<
prlo para pouca familia,'ou hornero solteiro ; a irattr
na ra do Cabug loja n, 6,


g^^i
Lnizda Cnla Ldte declara, que o annonc'o da
venda de Un sitio ruin rafa na estrada lia >ohla4r pura
o Maiigniilin ou V.vz'0 rom a a-signnluia das ler-
nas inkiai j I,. C. I, min sp pnlPiidr Colfl niiniin'ian-
liv i|ii'', |iiisin alriinia erausa possil* na estada da S..le-
dadepan o Manguinho nao qurr vrndpr,e mora na
ra N-"va n. 58.
~ Pii'lrao. na nnilp do dia 7 dororrpnte da caa da
ra do Qn.'linalo n. 42 2 liahus de (landres, un gran-
dr c nutro ppqunio ciiilnidin prlmclM milpa brall-
ca lenci.r .le bretanlia .Ir linlin loalhas grande llr
mesa c,.; o segundo iilgit.un* camisas de hoiiiPin p
calva un estojo de nav .Iba* p un maco de cartas (Ir
fmula llnga-sc a qualquer pctsua, a qin-ni algiius dos
olijrctos cima ditos forpm fiu"rrci-i<1u<. n favor di- an-
iiiiin-i.-ir ; assim cmni.sr rrrnuiprnsa a i|iicin drstr fur-
lo Iit noticia e *r di 0/rs a qiiciu ii'co idu/.ir o pa-
tojo aa imo dr son dono a quPin sompntp pode inte
rrssar pola o aru valor nao rcpdp a 5/000 ra.
Prpclaa-np dp un .aixplro hrasllclrn para vpnda ,
equp nnrxcrda de '0 a i2 anuos : qnpin rstvrr iips-
tan cireimi*.anclas, dirija-sr a Moa-Vista, na Poutc-Ve-
lli.t. venda ii. 33
_ Olleieeem-sp quatro amas dp leitr provandu a sna
liiii c.m ui'ta: qupin as qulicr, dlrlja-se a ra de S.-
boiu-'esus-dis- .rioulas n. 26.
Rape" fia se
O enrarrpeado d agpnria do Rap-Gas*e npsta pro-
vlnria loro n honra dp participar ooa spiis fregueses ,
que sp arKa .i vi'nda no deposito da ra da '.riit, nu Ho-
rtiP, n. .'18 nina das niplliores fumadas, que aqui Ippiii
vindo do Rin-dp-Janpiro do inuitn apreciado r pp
ensso p uirio grnssn fabricado rom as mrlhnivs qua-
lld ni.-* ii. i'iiMn da Virginia, finjo aroma rlvallaa ao
mals superior rap pi-incc/a de T.lsboa.
OLIVllODETODOS
i esclnreelmpiitos Hienden e praticos nccpssa- biifli eoilnhrlrnj un niolrqnp d.- .2aunes; emit
i podpr preparar rpinprpgar, ipiii osorror.o <|u grlnha de 11 anuos: trata-se na ra da Cruz, n. DI.
r. os remedio* e*e preservar p curar-se proiup- |>, l<;/|0 l'S. Call C \<'II11)1.11 fl
, rom poneo dispendio, da mor parte das moles- > I
r.imipr.'is.
OomprSi se duas escravas mocas ,
rulo urna drll's cnslureira e engnmm..-
rieira e a outra engnmmaileia e cozi-
nlirira ; no A|prrn-da.-Bnn-V!>ta. n 36.
r.oinprSo-sp eseravos de ambos oa sexos: ua ra
Nova, loja dr frn agrns n. 16.
- ompro-se, para fra da provincia, eseravos de
ambos sexos de 12 a 22 anuos : na ra larga do Ro-
sario voltando para os quarteis, :.. 24, primeiro an-
dar.
Compra-se una carioca de uin boi ein ineio
uso ; defronte da igreja da Soledadc, n. 2.
Vendas.
Livros nova mente chegados de
Bruxellas e de Paris.dc mo-
dernas edicocs, que eslo a
venda por mdicos precos,
na livraria da esquina do
Coliegio:
Curso de direito natural, segundo o estado actual da
silencia por Abrens edicaode 44 ,1 v. em 8.' ; da
Democracia na America, por Tocquevillc 5 v. cm 12 ;
Systema penitenciario nos Estados-Unidos por Heau-
niont e Tocqijeville 2 v. Cartas sobre America, por
Chevalfer, 2 v.; Curso de economa poltica, pelo ines-
mo, 2 v. em8, 1844 ; Tratado de direito penal, por
P. Rossi, novas edlcfies ; Curso de economa politiea,
pelo ineamo edicao de 43, 2 v. em oitavo ; Theorla do
cdigo penal, por Chauveau, edicao augmentada coin
as doutrinas do professor Roitard 4 y., 1843 ; Obras de
Pothier edicao Dupln, 8 v. ; Curso de direito civil ,
porZacbaria*; os Cinco Cdigos explicados por J. Ro-
gron e comparados com os novos cdigos da Ilollan-
da,1846; do Poder paterno, marital e tutelar, por
Chardon 3 v. em 8.; Curso de direito civil, por Or-
inante, 3 y em oitavo; Curso de direito commercial ,
por Pardrssus, nova edicSo 3 v. em oitavo; Direito
commercial martimo por Boulay-Paty ,2 v. ; Tratado
da Irttra de cambio, por Pcrril 1 v em oitavo ; Ma-
nual de direito commercial, por Bravard ; Direito ro-
mano pelo mesiiKi ; Sociedades commerciaea, por
Dclangle 1 v. ; Historia romana por Mebulir, trad.
francea de Golbery 4 v. 1843; Obras completas de
Bcntham nova edicao, 3 v. grandes em oitavo ( ven-
dr-so o quarto tamhem separado ); Novos cursos de
philosopMa e de litteratura por Brcart, 1846; Trata-
dos ic aritlimeliea r geometra por Rourdon e Legen-
dre. 1846 ; Obi as completas de Lamartine 1 Y- grande
rm oitavo ; Obras ecopomico-polit. le J. R. Say, nova
edicao; Obras completas de Mlchelet,3 v. em oitavo;
Obras polticas de Sismondee de B. Constan!; Historia
do.onsulado e do imperio porTbiers ; licoes de elo-
qupncia jiidiciaria, de Iterryrt ; Historia da vida de J.-
Ctirltto pelo padre I.igny," riqtiissima edicao com mul-
tas estampas; Opsculos tlirologlcos de Miixzarelli ,
0 v.: Grandcias do calliollcisnio d'Aug. Seguier, 2 v. em
oitavo 1842; Kstudos philosopliicos sobre o christianis-
mo por Aug. Nicols 4 v. 1845 obra admiravel ,
appl.iii'lida pelo clerico catholiro e particularnieiKc
ciigiada pelo areeb. de liordeaux rm urna pastoral in-
serta na obra ; F.studos sobrp a Inglaterra por Len
Faneher, 2 v. em oitavo 1845 ; Tendencias parificas da
soeiedadp europea por Durand ls45 ; 'Associacao das
alfandegas allPinaes por M. Richelet, 1 v. 1845; Ks-
tudos sbreos reformadores ou socialistas modernos,
Saint-Simn Owen e Fourier, por M. R.iybaud nova
<-<1ico 2 v., 1844 ; Sciei.clas sociacs por 1. Rey ( de
Orenoble ) 3 v. 1842; Economa social, por I'ccqiienr,
ni v. em oitavo 1842 ; Tratado das pravas em direito
civil e criminal com referencia aos cod. das nacoes, por
Bonnipr, un v. em oitavo, de mals de 700 paginas, 1844;
Curso de direito publicoe administrativo, por I.aferrire
(heo mais recente trabalho sobre esta materia); Obras
deTurgot, de Malthus e d'Ad. Smitli etc. formando
urna bibliotheca do economista novas ediefies enriqui-
cidas de notas extrahldas dos principaes economtslas,
como Mac ( nlloch Rossi. Rlanqni cte- 1843 n 45;
OlnasdeDoniat, novaed^iio, 4 v.; Dilogos ou ques-
toes de direito dieussao cabal de todas as questOes
dfdlreito que sao anda controvertidas, e que se apre-
.s|,"lo mals frequenteniente no foro por J. Coulon ,
'Rr. v, cm oitavo 1810 ; Explicacao histrica dos Ins-
tltntos, precedida de historia da legislado romana, por
Ortolan 3 v. rm oitavo, 1844 ; Curso de Irgislacao pe-
nal comparada pelo menino 2 v. cm oitavo ; Tratado
da accSo publica por Mangin ,2.' edicao de 44.2 ero*.
v- ; Manual de direito romano por Mackeldy 1841 1
v. em oitavo ; Tratadode diicito criminal, porM. Rau-
"r.i. cm oitavo ; Tratado de medicina legal, por
Deverglee Sedillot ; da Humanidade c de suas diversas
ordnu de clvllisaco condieo do progresso social e da
felleidade dos povos na unidade por llonhetain um
gr. v. em oitavo 1844 ; sciencia politiea fundada sobre
a sciencia do homem, ou esludo das ra(ai humanas de-
liaixoda rclacao (ihilosopliica histrica e social, por
V. Couitet ; Manual de direito publico Pcclesiastico ,
por lUipin 1845 com os relatnos de Portalis e os
principios sobre os recursos por exersso de poder as
congregacoes seminarios, p o ensino publico a prin-
cipal lrgls!a9ao relativa a polica e ao rcgiipen dos cul-
tos aos bens ecclesiasticos etc. ; urna chrortologia dos
papas eoc2!a!ugo da: principaes obras sobre o di rel-
io cannico um v. ; Tratado do governo representa-
tivo por Th. Descubes em oitavo ; Obras de Carlos
Conite ; Obras juridlco-phllosophicas, de Kant, de Ler-
niiiiier e de Joufiroy ; obras completas de Cicero tra-
dcele fraileras 50 v. em oitavo ; ditas de Platn ,
13 v. em oitavo trad. de Consin ; Do Aperfeicoamento
moral ouda educacode si mcsino por Degerand ,
4 v. ; Curso de litteratura antiga e moderna de La-
o u
Manual da taiiit,
''nnlPiido
todos o*
ros nara
profrssor.
tanipntp
las rnrnvpls, P conseguir um allivio quasi equivalente
a saiidp, as molestias iiipinav-ris.
Seguido
de um iralnmento esppciiiro contra- a eoimeluclie, e de
regras hygiPniras para prevenir as mnlrsiias
pp|o doutor O. dr Ploesquellec.
Preco 44000 ra em brnrliura.
O siinplpinentn, iudispensavpl aquem tPin a obra, d;-
*p gratuitainPiitP aoi pmnpradores. Odito supplrinrn-
te tras as tres dillerrntPS rpecitas para a cnmpnaiciio da
agoa sedativa;psIp prprloso remedio.que tainaiih.i rrpu-
tncao jit tPm caobo, e que deve existir em todas a casas
para remediar promptamentc aos accidentes c incoin-
modos repentinos.
Vendp-sp na pricn da Independencia, livraria ns. 6e 8.
VpikIpiii-sp hpzerros francezes, de Nautrs de
supprlor qualidadp os niPlhorPS que teem viudo a
este mereado, por atacado ou mesmn pin du/.ias, a
vontade dos cninpradurp* por mais barato preco do
que Pin nutra qnalquer parlp : na rua da Ci uz, n 20
^=VpndPin-sp passas iniudas para fazer podius ; rprp-
Vni>p e vinhii linio rommnm. e
quarlnlas, pe" liar|8ini^ prco de 4"
rs. cvt- tima : na na da Crnx. H. af>.
-- \eniTpni-se trt'% nnnitas eseravaa dp 20 anuos, eom
prendas, que sp farao ver ao comprador; II1 inoleque
dp 18 unios boin tralialhador de niarhad i r fonee ; uin
dito dp i2 anuos, proprio para oucio: na rua larga do
Rozario, n. 24. primeiro andar.
Veiideni-se 25 pser.ivos. rlipgadns iiltlmamente do
Araraly. srnilo 6 p nd i-, quer'U'iii, Pngoiiiniao. lavo .
c pnz. nliao; olio negra* Com algililia* habilidades, spii- I de bancas dr rulinnnis a2.V*-< niarqucias c
do urna da Costa, p quitandpira ; nove pretil* p mulato*,! pn as melhorea que aiipirrct-m a 25/rs. ; proprios para o Servlco do campo tendo iim mulato de amarello ; niela* dita de dito nielas dita de
aue- giro; pama* dp augien ; eadeira para seniora
rnina-srassentaiPinamea; toucadore de ja-
Vendem-se Memoria* economicasda academia real
dp Lisboa, 5. memento* de geometra por Kueu-
dp, um v. : M-.....do Ihell .Ir rsn i.iurar o livro. un
v ; iiinGiiardi-t.ivros iiioderno 3 v. ; obras do Mar-
que* do Pnmbal 4 v ; R.cipacao philiwophica 10 T.;
Cartas do papa Oangiuirle 8. Cod^gncominemal ,
um v. ; llistmia c.....ipleta da iiquisicao da Italia, Hes-
panlia e PnrtiifaJ ornad i rom B ral hii|uu um v. ; or-
tographia de MadurPlra um v. ; o l.idadio luilUOO ,
um v. : no p*teo do Paraizo, o. 24.
"= Vendrin-sp opli.i.s dp augiro ; cadeiras de dito ;
ha.ipasd- impo desala i 2WH0U rs cada un jogo
le angl-
do
breve compendio le geometra linear e
pluia, resumida de diversos autores, por
Sdvatio Thiwnaz d S<>uiii Magillies, i
vol, luot h ido : na livraria da esquina na do Collegio.
AO B0M TOM PXRISIEKSE.
ItUA NOVA, N.7.
TEMPF.TTI" /\I,FAIATR,
lem a honra dp participar aos ten IrpguPzPS qnr dls-
snlvPii desde u dia 15 de sPlPiubro do auno passado ,
a sociedade qup linll 1 cornos Srs. Golombiez. 81 0111-
panilla largando ao niesuio lempo a luja dos sobredi-
tos Srs. As pessoas qup oqnizrrein favorecer eom a
sna frrgup/ia o acharad na sita loja na rua Nova .
n 7. Trm pannos para calcas, collrtcs e casacas, de to-
da* asi|iialii| uIps p* mais novo,* rhrgados dp Pars
jas p aiupixas serpa ; frijries ; rrvilhas ; lentilia ; rham- a collr,-(,ao dos mais repentes ligui ioos ; p rpcebeo 110-
pinlia ; vinhodo Porto ; Scherry ; Madeira ; viuho do
Rheno ; Sautrrnea ; Clarelle, em quartolase calas di-
to engarrafado a 400 rs. muito bom; superior cognac;
rhmn de Jamaica; arrae ; genebrade llolland.i; vinlio
de Malaga vrlho, enuncias garrafas ; frasco de todas
as qualidades de fructas da Europa ; repolhos conser-
vados ; barris pequeos de caviar, de uina libra ; mos-
tarda franceza e ingiera ; Scherry cordial; latas de sal-
mOo ; sardinhas; ervilhas e mais outras consen-as de
pelxc e carne ; conserva* de pepinos c ceboiliuhos; ccr-
veja preta e branca, da celebre marca llarclay j azelte
doce superior ; cha ; charuto regala. Estes gneros
sao todos da melhor qualidade e se achao amostras
para os senhores compradores, no arina/em de Fernan-
do de I.urca na rua do Trapiche n. 34.
A cautelas da lotera da cldade da Victoria achil-
se de boje em diante expostas venda no Aterro-da-
Roa-VIsta. as lojas dos Srs. Caetano Lulz Fcrrcira,
n. 46; Thomaz Perelra de Mattos Estima, n. 54; Leal
8t Irmo, n. 58, e Antonio Ayres de Castro, n. 72 ;
nsslm como na travessa do Vera, n. 13, onde ofre-
guezes acharan iiempre um variado sortimento de bons
nmeros. O pagamento das que sahirao premiadas
na passada lotera do Livramento, contina a ser fcllo
como d'antes a toda e qualquer hora do dia, sem ex-
cepeo de domingos e dias santos.
Acabao de chegar livraria da
esquina do Coljegio as obras comple-
tas do insigne Lniz de Cames em tres
volumes da mais ntida e correla edi-
cSo, qtie tem apparecido : e vendem-se
por preco excessivamente mdico os
poticos exemplares que j reslo.
Aos Senhores armadores
c alfaiatcs do dignissimo clero avlsao Guimares Pera-
fim & G., com loja na esquina da rua do Colleglo, n. 5,
que vendem-se 09 seguiitrs artigos, que se tornao in-
dispensaveis s suas oceupaces, a saber: volantes no-
vos, largos c estreitos, sonidos cm cores ; trina, larga c
estrella ; galrs lingiudo us do vrrdadriro ouro ; dito de
palheta com novos riscos, de um quarto at duas polle-
gadas de largo ; rendas amaiellas, largas e estrellas, de
novos padroes; espigiiillia branca c ainarclla; tafet
de todas as ims; e haum excrllrute sorlimenlo de sc-
tim-papel; cainbraias lisas e ordinarfas ; fil de llnho
branco, com una e meia rara de largura ; bobinet da
inrsina largura; esroinllia prcta ; sargrlim de todas as
cores, e tambem preto ; (esta fatenda be achamalotada,
finge eda epor isso suppre a falla da vpibotina e do vel-
liulilhn.1 panninhos pelos e cor de rosa ; mitins pretos ;
hollanda prcta. parda e branca; franquclim preto; prin-
ecza preta ; alpaca; lila branca de patente ; dita prcta
muito superior; e dita ordinaria.
E Im ni assim, tambem se vendem excellentes nicias
curtas, de lindo, feilas no.Porto; babados de linho, lar-
gos e estreitos, ao que chainao trainoia, fabricados em
Guimarfies ; pecas do verdadeiro panno de linho de All -
manha, com 25 varas, por 12/rs.; todos os artigos ci-
ma annunciados srrao entregues, a precos mais mode-
rados possiveis, e podemos assrvrrar, que por menos al-
giima cousa do que cm outra qualquer loja desla ci-
dade.
v.iuieute um lindo sortimento de objectos de luxo e
phantaiia ,de diversas qualtedes.
I abrir de chapeos (!c sol,
rua do Passeio-Publico, n. 5.
ditas
ja-
de conduru ; ludo
T

M iS
harpa, 8 v.; racSes fnebres dr Bossuet e de Fleegi
2v. ; o livro scientifico os porqus? por D. Lev
843 um v.; Obras de Victor Cousin, 4 v grandes em
oitavo.
Vendem-se tres escravas, umadenaco com habi-
lidades, oulra crioula, de 14 annos e outra mulatinua
clara, de 16 annos : naT.ingoeta, venda, n. 13.
1
Lili A,
rita Nova, n. 2 pii-
meiro andar,
prximamente cliegatlo do Rin-
de-Janeiro, tem a honra de ofFe-
recer nos Srs. oTiciaes da guarda
nacional c exercito alguns objec-
ri| Sirgueiro,
lH
'i
i
i
i
Pl los pertcncen^es a seus uniformes, jj
i- sendoestesos do ultimo uso naquel- (Ti
la corte, saber: chapeos armados,
dragonas, bandas, fiadores, espa- iJ.
das de ac, metal do principe fHj
dilas com copos dourados, talins, |p-|
cananas, carteiras, manase col- Jjl
dres guarnecidos de galo de ou- [u
refino, gales de ouro finopa- Jhj
ra calcos, bonetes e divisas, de todas as patentes, boloes para so- lH
bre-casacas luvas de camtirsa j
branca, etc O mesmo, tendo cor- MI
respondench comas piimeiras ca- L\,
sas do I\io-ile Janeiro,esla habili- mi
tado para se incumbir de mandar
vir daquella corte tudo quanto Ihc
seja cncommendado, com a maiot
Jli brevidade e commodo preco.
a
w.
Vende-se uina escrava de nacao, de 18 a 20 annos
de idade; coilnha, engoniina, lava de sabio: a tratar,
na rua estrellado Rozarlo, loja de marceneiro, n. 3i.
Joo I.'nilici tem a honra de participar ao res-
pcitavcl publico que acaba de receber de Fran-
ca peles ltimos navios francezes um bello
sortimento do ultimo gosto sendo : chapeos de sol ,
para honicui e senhora de seda lisa, lavrada e furta-
cores com cabos e castora muito ricos ; seda de todas
as cores e qualidades ; panninhos cntrancados c lisos;
ludo para cobrir chapeos de sol; chapeos de sol depan-
iiinho de todas as cores para homcm com cabos c
casldes ricos : tambem concerta os mrsmos, tanto
de homem como de senhora ; pois tem nulo quanto he
necessario para os ditos e promette umita brevidade,
para faicr qualquer concert : tudo por preco com-
modo.
Aos Srs. proprielarfv. .* de
engenhos.
Vcndem-se taixas de ferro coado, moendas de raima
para agoa, ou animaes, rodas dentadas, crivos, boceas
de fornalha, e mais objecto nccessarlos para engenho ,
por pirco commodo : na fundieo de ferro de M. Cal-
111 m & C, na rua do l'ruui no Rlecife, ns. 6 e8.
Na piafa da Independencia, loja de miudezas n.
39, vrndcin-se luvas dr pejlica, sem dedos, para seuho-
i a; ditas para houipin; e ditas de ceda de todas as cores,
tanto de homem com de srnhora.
Vcnde-sc assoalho c forro de loUro mals cm conla
do que em outra qualquer parte: passando a ribeira,
no armazn de Joao Serrador, n. 23.
Vende-se um cordo grosso de ourode le, com tres
voltas, e um relogio tambem de ouro: na rua do Roza-
rio larga, n. 29.
Na praciuha do I.ivrameuto, loja de fazendas, u. 46,
de Magalhes & Irmiio, ha para vender una porcao de
rhapros de mas>a, muito bous em qualidade, a IfSOOrs-
cada um.
RAPE' PRNCIPE
do Itio-dc-Janciro.
Sempre achar os tomantes as casas abaixo designa-
das este superior rape principe do Itio-dc-Janciro cm
libras e mcias ditas e sempre fresco. Torna-sc re-
commendavcl lauto pelo aroma agradavcl e facilida-
de, rom que destila, como por nao seccar ncm ferir o
nariz consrrvando-se sempre fresco na caixa Deposi-
to ua rua do Trapiche n. 34, cscriptorlo de Novacs
Se Compaiihia ; rua da Cadcia do Recite lojas dr miu-
dezas dos Srs. J. J. de C. Morars, J. C. F. Soaies Jnior,
Ponte & Mello, Guedcs Si Mello A. F. Pinto StCompa-
nha e de fazendas de J. da C. Magalhes e Cuiiha &
Amoriin ; rua do Crespo lleni iqnr iV Companhia e An-
tonio Doiningucs Ferreira ; rua doQueimado, loja de
ferragens, tic ('ampos S Almeida de miudezas de J.
M. da CruzcV Companhia Codcra & Guimarars ; rua
do Livramento loja de fazendas, de r. C. de Alhuqurr-
3nc ; rua do Rozario loja de miudezas, de Victorino
C Moura, e venda de J. M. Rodrigue Valenfa ;
piara da Independencia, loja de C. G. hrockemfrld;. es-
quina da rua do Cabug r lojas de F. J. Duarle e J. J.
iiii usa ; Atcrro-da-lioa-Vista, Caetano I,. Fcrrcira,
T. P. de M. Estima e A. A. de Castro & Companhia; pra-
va loja de cera, de M. F. Rodrigues ; rua do Rozario ,
venda n. 43.
Vende-se urna mana bride, picadeira cilha de
laa, pente de ferro, escora formao mcete canudo
para disteis ; tudo para ravallo e em bom estado por
4/ rs. ; um candieiro de estudante em bom estado nu i
por 2^000 rs.: na rua das Larangriras, n. 2. ja, c os hynnos para todas as (estas e dias santos do anuo,
Vciidrm-se duas pretas, sendo uina crioula, e am-
bas muito moras e de bonitas figuras : na rua de S.-Hi-
ta n. mi.
Vcnde-sc uina porfao de velas de carnauba, por
atacado, ou a ret.illio; na rua das Cinco-Pontas, con-
fronte a matriz de S.-Jos n. 154.
=2Vende-se um inoleque, de 12 a 14 anuos : na rua
da Cruz n. 62.
Casa da F,
na rua eslreita do I'ozto, n. C.
Continuao-se a vender na casa cima as cautelas da
loteria da matriz da cidade da Victoria cujas rodas cor-
ren! a 21 do crreme mes : os precos sao os do costume.
Cera do Rio-de*.lancro.
vcndem-se na loja de ferragens, n. 44, da rua da Ca-
dcia do Recife velas de cera de libra c meia at 16
em libra, da melhor qualidade por sr fabricada pe-
lo melhor fabricante que ha na corle, porprefo limi-
to commodo ; assim como bogias de 5c6em libra a da
mesma qualidade.
Vende-se um sobrado de um andar, na rua da Cal-
cada-Alta ; um sitio no lugar do Giqui com duas ca-
sas de taipa una dellas com venda arvoredos ba'ixa
para capini c muito boa agoa ; 2 cava los um rodado
e oulro melado que servem para carro por serein j
ensinados : na ruadas Larangeiras n. 18.
-- Vende-se um violo de chaves, quasi novo com
excellentes vozc por preco commodo ; na rua da
Cadela-Velha lojan. 33.
M Vende-se uina morada de casa de sobrado
de um s andar comsotao quintal e ca-
cimba varanda de ferro sito na rua Dlrrl-
ta n. 56; na qual tem urna pequea parte um orpbao;
c faz-sc todo o negocio aluda mesmo a pia/o c vol'.,
cm alguma casa terrea, ou eseravos : a tratar com Jo:
Ignacio Soares de Maccdo em scu sitio Divertido na
estrada do Manguind ou na rua dos Ouartris no
primeiro andar porcima da padaria do Sr. Manocl An-
tonio de Jess,
para i................
caranda; Innqninhas drquatro pps
do* melhorea molde e por preco mais barlo que
pode ser : tuna preta. de30 anuo* pnucnmnl ""?'-
no* e da qual a vista do comprador, sp diraO as naoi-
lidadp.* : na rua da Cambas-' armo n. 8.
Vende-se nina v ndarnni poucoa fundos na rua
doCollpgln n. i7 ; a tratar na rua do Crespo, tojo n. .
Vendem sp 4 lindo* i.io|p.|UP de l4 a IK annos ;
2 dito, dP 7 a 'I anuos; un. pardo i.pluno para pagem,
dp 17 annos 2 prrlos sendo um carreiro p o ontro ca-
n.piro; d.ias prpti*,. de 18 annos, rom alguma liabi-
ll.ladrs; urna dita, de r> unios con. Illll Hlho ii.ulali-
nho de 2 annos a preta rozinha o diario de una casa,
eneiimina Itero, posp chao p lava ; duas pardas, dp 18 a
25anno*. eom algninas habilidades: na rua do Colle-
glo n. 3, segundo andar.
= Vendp-sp sal, a bordo do hiate Eipndnrtt, fondea-
do defrontP do trapicliP novo : a tratar aliordo do mes-
mo hiate ou na rua lo Tones, n. l4.
Vende-se magnifica cera em velas do Rio-de-Janei-
rn sorlimenlo ennipleln dp l at >'> em libra e tnui-
bem bogias dV 4, ji r ti rm libra Pin caixa* p as libra*, a
vnnladp do Comprador ; pollada l'nliia suppiior. |ir
preco roinmodo : na rua da Srn/.alla-Velha aruiazcm
n. i mi
Vende-se um cavallo ru{o grande castra-
do, bom carregador que serve para sella .
e tambem he de carro ; na rua da Gloria .
sobrado n. 59- #
Livraria da esquina do
Collcgio.
Novo Ministro dos enfermos, ou inelhodo pratlco de
administrar os Sacramentos aos enfermos, c assistir aos
moribundos 1 v. rm oitavo, de 360 paginas por 3#000
rs. ; Methodn de ajudar os moribundos recopilado de
varios autores 1 v. de 300 paginas por 3#000 rs. ; o
Christo enfermo e moribundo,roul'ormando-se a Jesus-
Christo as diu'rrcntcs circumstancias da sua paixao e
morte 1 v. de 216 paginas por 2/000 rs.
Vcndc-se urna escrava de nacao Angola de boni-
ta figura que cozinha o diario de uina casa e lava de
varrrlla por preco commodo ; na rua Direlta, n. 18
Vcndc-se urna vasa terrea, sita na rua da praia do
Caldeireiro n. 5 : a tratar na mesma casa.
Na rua Nova loja n. 58 continuao-sc a vender ,
por barato preco sapalfles e sapatos para homem e de
como marroquin r como de lustro,para senhora.
Vende-se um miilatinho, de 10 annos ; um dito ,
de 13 annos ; don ditos, de 20 a 22 annos com bo-
nita figura ; um inoleque de naco de 18 annos ; 3 es-
eravos de servlco decampo ; una negrinha de 13 an-
uos ; 6 eseravos mocos com bonitas figuras o com va-
rias habilidades : ua rua Direita, n 3.
= Vende-se urna preta muito moca sem vicios nem
acha(]iies queengomma lava cozinha faz doces e
cose alguma cousa ; na rua da Palma sobrado novo
da esquina logoao sabir doPocinho das 8 hora da
manhiia em diantc.
Os vigsimos
da loteria do ninntc-pio do Rio, no Recife, casa de cam-
bio do Vieira ua rua da Cadeia, u. 24.
CHITAS FIMSSIMAS, A 100 RS. O COVADO.
A primeira loja do Aterro-da-boa-VIsta, n. 10, acaba
de recebrr lindas chitas, magnificas em panno, e de um
gosto exquisito, por serena todas guarnecidas de urna
tarja, que finge Bien preto : pelo preco cima dito.
Vendr-sciinia terrina, una cafeteira azul, duas
garrafas lapidada douspratos cobertos dous copos
para agoa 3 pratos grandes travessos duas manlei-
guelras azurs una leiteira azul 3 pratos azues para
(alias ; tudo por 16/ rs. : ua rua das Larangeiras, n. 2.
= Vcndem-se barricas c mcias ditas com i'.u inln: gal-
lega muito superior; barricas c mcias dilas com cal
r'irgem de Lisboa ; barrica* com potassa branca e preta;
le iiaduras para perla dearmazem ; penciras de rame;
rodas de arco9 para barricas ; bichas de Ilamburgo :
tudo por pirco commodo : na rua do Vigario arma
/cm n. 9.
Iressc, fabricante de igaos
c realejos no Aterro-da-
Boa-Vista, n, ttl,
avisa ao publico, que elle contina scu nllicio, faz or-
naos para igreja, de todos os tamaitos, com trombeta ;
realejos com tambor ecampanhia, contendo quadrilhas
para danfar: as pessoas que ohonrarcm cmv.isitar, adia-
rn, entre outras obras j.i promptas,um orgao para igreja,
i|iir sendo ouvido nao tem apparecido aqui) a duas filias,
a clavier e chave de realejo, para falta de organista ou
por falta de saber toca lo, cnto se toca com achave (co-
mo se fosse um realejo) oblcndo a mesma vos, conten-
do noscvllndrps a uiissa, ou qualquer msica para igre-
reunidos na mesma obra; dito orgo, fortepiano tam-
bem j promplo. Conccrla os ditos instrumentos e p3e
marchas novas; concerta pianos e qualquer Instrumen-
to de msica, coiiccrnente ao scu ofiicio.
Na botica da ruado Itngel, vendem-se os reme-
dios seguintcs, dos quars a experiencia tem confirmado
os melhores ell'eitos : denlico, que tem a propriedade
de limpar os denles cariados, e rcstituir-lhcs a cor es-
maii na, em muito poneos dias; o uso do dito reme-
dio fortifica aa gingivas e lira o mo cheiro da bocea,
proveniente nao sii da carie, como do trtaro, que se
r... ao pescoco destes igaos; o remedio he designado
ptios nmeros I. e 2.: orchata purgativa, mu til as
i 11 i in as e as pessoas de toda c quajquer idade ; he com-
posta de substancias vegetaes, nao conten mercurio,
nem droga alguma, que possa prejudicar ; remedio para
curar calos, em poucos dias ; dilo para curar dores ve-
nreas antigs, e que irem resislldo ao tratamento ge-
ralmrntc applicado ; dilo para provocar a uienstruacao,
e acoderar a aeco do ulero nos partos naturaes, em
3ue nao se precisa das manobras cientficas da arte ;
ito para resolver tumores Ij mpliaiicos, vulgo glndu-
las ; dito para curar bobas e cravos seceos, o mais elB-
cas que seconhece at aqui ; dito oximel de ferro, mul-
to til mu (liliiro7.es, vulgarmente chamadas frialdades;
pos anti-biliosos de Manorl Lopes ; capsulas de gelati-
na, rontendo balsamo de cupahiba ; ditas de oleo de
rccinos purificado ; ditas de cubebas rm p fino ; ditas
de assafetida; dilas com pos purgante; ditas de ruibardo
daChina; ditasde sulphato dcquioiuo de 1 e 2 grao cada
capsola ; algaleas, velinhas elsticas; pilulas de sal de ca-
li. inho; agoa das Caldas, chegada prximamente; reme-
dios qur curo a frialdadc dentro de 40dias,inesmoestan-
do inchado; oleo muito bom para conservar o cabello,que,
alm de nao deixar cahir o cabello, limpa a caspa, e
cujo uso continuado faz reappareccr o cabello perdido ;
pilulas especificas para curar as gonorrheas chronicas,
<1 liando a lesao nao passa da ureta ; igualmente um x*-
rope anli-hemorragico, applicado nos caios, em que e
delta sangue pela bocea : o pre5o de todos estes reme-
dios he mu rasoavel, e os bons resultados da sua appli-
cacao he que devem fazer sua apologa.


*
Vendem-se lencos de seda da India, a 1^440 rs. ; jj
rlscadinho* franci-7.es de bonitos padres pa- %
ra vestidos de senliora de cores linas, a 240 rs.
o covado ; cortes de cassa-chitas de ricos pa-
dres e de cores milito iixas corn 7 varas, a 3/j/
rs. o corte ; chitas largas francezas padres
muito modernos c de tintas milito finas, a 320 r-.
o covado; corles de meias casimiras, de superio-
res padres e de umnduracn superior a casi-
mira a 2^400 rs. o corte ; ricos diales de laa e
seda muito modernos a .V .1*900 c 4 rs. ; cassas linas, o mais rico possivel de cores
finas e de ricos padres a 5/200 rs. o corte ,
panno pretoe de todas as cores e qualidades ;
brrtanha eesgui.o depuro linho; chlese man-
tas de seda e crep ; assini como un completo
sortimento de fazendas linas ; ludo por pceo
tiio em conla que he iinpossivel a vista da fa-
zenda o comprador delxar de comprar : na ra
do Queimado nos (|tiatro-cantos casa auia-
rella loja n. 29.
Vi
Potassa branca.
da mais superior qualidade em
barricas pequeas, e desembarca-
da no dia 30 de agosto prxi-
mo pas.sado, venderse por pre-
co commodo : emeasa de L. G.
Ferreira & C.
Na loja da esquina da ra do Collegio.n. 5,
dctiiiimaracsSerafim & C.,
vende-se, alin de un bonito sortimento de fazendas ,
por prerns bastante moderados, as segulmes :
Cortes de novas casimiras francezas, a .... 4/000
Ditas ditas melhores, a......... 5/000
Ditas pretas francezas o covado, a 3/000
l'.innos, pretos. azues, verdes c de outras cores
, dillercntcs, desde 2/400 rs. o covado a 12/000
Cortes de caifas de pelle do dlabo a 1/441)
Chales de laa e seda, grandes, a...... 2/oliO
Lencos de canibraia guarnecidos a bico, a /040
Lindezas para vestidos o covado a /240
V.scocczes de laa c algodao, com xadrez lingindo
seda o covado, a.......... /320
Cortes de laa e seda para vestidos a 7/000
Chila-cassas o corte a........ 2/240
Corlesdecolletesdc fuslao francez, a .... 1/1100
Lcn(os finos para grvala a....... /400
= Vendem-se moendasde ferro para engenhos de as-
suear, para vapor, agua e beslas, de diversos tamaitos,
por preco cuuimodo ; e igualmente taixas de ferro coado
e batido, de todos os tamanhos : n* praca do t.'orpo-San-
to, u. 11, i-iii casa de Me. (.almont & Companhia, ou na
ra de Apollo, aruiazem, n. 6.
Yoltarete.
Na esquina da ra do Collegio loja n. 5 de Guima-
raes Scrafim & Cotupanhia, vendein-sc cartas francezas,
linas, entre-finas r ordinarias ditas portuguezas ) to-
das por pre;o mais barato do que em outra qualquer
parte.
Vende-se potassa branca de superior qualidade,
em barris pequeos ; em casa de Matheus Auslin iSi
Companhia, na ra da Alfandega-Vellia, n. 36.
Vendo-sen artnurao de urna loja ,
feita ao gusto moderno e qnasi toda en-
vidrara.la por commoifo preco : a tra-
tar com Tliomaz, inarcenciro na ra da
Gadeia de S -Antonio n. ai.
Superior fardo.
Fardo de Trieste, em bar-
ricas de 5 Arrobas ; o qnal se
reconimcnda como o m.iis nutritivo dequantos aqui se
imporlo c por isso o mais proprio para melhor en-
gordar os cavallus : vende-se no primeiro armazn (lo
caes da Alfaudcga indo do arco ou cm casa de J. J.
'i'asso Jnior.
= Vende-se una preta de naco 11109a ptima co-
ziuheira lavadeira de sabao e quitandeira c que
tem boa figura : na praca da Independencia livraria,
III. e 8, se dir com quem se deve Halar.
= O corretor Oliveira lein para vender cobre em fo-
Ih e pregas de dilo para forros de navios : os pretn-
deme* dirijao-se ao inesmo, ou aos Similores Mesquita
& Dutra.
Na ra do Crespo, loja nova, n. 12,
de Jos Joaquim da Silva Maya ven-
dem-se ricos clmpeos de seda para se-
nliora. chegados ltimamente tle Franca,
e que sao muito proprios para o tempo tle
festa, tanto por seren de bom gosto,com.i
pelo diminuto preco, por que se vendem
Vendem-se livros em branco com
capa de panno eitos em Hamburgo ;
na praca da In dependencia livraria ,
ns. 6 e 8.
= Vende-se marmelada em latas ; caixinhas de mas-
sas finas de diA'erentes qualidades cera de carnauba ,
tanto ein porefles como a rclalho ; una canoa de cai-
re ira, em multo bom uso por preco commodo : na ra
da Cadeia-Velha, n. 2.
Vende-se potassa ta luis
sa, pelo muito mdico pie
90 de 100 rs. a libra ; cal vir-
gen) de Usboa chegada no
ultimo navio : no armazem da
ra do Trapiche n. 17.
Rap de Lisboa.
Vende-se este excedente rap na ra larga do llozario,
n. 24 : afianca-se ser muais moderno e da incllior qua-
lidade possivel.
Vendc-se um ninlecote crioulo, de 18 annos de
bonita figura ineio ollicial de inarcenciro ; um lindo
iiiulatinho de9annos, proprio para officio ; urna par-
da de 24 annos de boa figura, com varias habilida-
des ; um escravo de Angola de 26 annos proprio para
o servlco decampo : na ra das Crines n. 22, segundo
andar.
Vendem-se sellins nglezes, els-
ticos, lisos e bordados, para montara de
homem e senliora : na ra da Senzalla-
Nova, n. 4a.
Vende-se um escravo bom para
todo o servico tanto de sitio como de
padaria por preco commodo : na ra
to Crespo loja n. i5.
Vende-se ou'lrora-sepor um papagaio tallador ,
mu casal de rolas brancas com uin filho ; no largo das
Cinco-Pontas, padaria n. 154.
Vendem-se varios escravos mocos de bonitas figu-
ras enm habilidades ; uina preta parida de dous me-
zes ; na ra Nova n. 21, segundo andar.
--Vende-se cal virgem em pedra nova, chegada de
Lisboa pela escuna Vtlit-Vnio ; na ra de Apollo ,
n. 34, armazem de Mendes & Terroso.
Vendem-se tenas madeiras servidas e mais ina-
teriaes das obras que se vao demolir no quintal do so-
brado u. 51) da ra da Gloria.
Vende-se um pelo, de20annos, sem vicios nein
achaques, com algumas habilidades ; um preta 11105a,
sem vicios nein achaques e que he boa quitandeira ,
por prefo commodo : na ra da Cadela do Recife, 11.
4(5, loja de chapeos.
Vende-se superior carne do serto por preco
commodo: na ra do Rangel, n. II.
Vendem-se 4 portas de costadinho de vinhatico
amardlo pelo novo plano da cmara ; una varanda de
ferro, como 19 palmos de frente : na ra Nova, venda
n. 65
-- Vendem-se duas toalhas e duas saias ahertas de
bonito lavarinto ; novamenle acabadas da agulha por
preco eoniniodo : na ra do Queimado n. 57.
~ Vende-se cera de carnauba, muito superior, a
(i/400rs. em rclalho, e 6/000 rs. em porfo; urna casa
terrea com coininodos para padaria por ler forno na
travessa da na de S -liento em Olinda que desee para
aljube n. 34 : a tratar na ra da Cuz, no Recite, n, 48.
\a ra do Crespo, loja n. 14,
de Jos Francisco Das,
vendem-se as .seguintes fazendas abaixo declaradas:
Indi.inii.is de novos padres, pelo barato preco ,
cada corle de............2/000
Dita em covados......... /220
Riscados franeczes, muito largos, c de quadros,
o covado a.........". /240
Cortes de chitas com listras Imitando velludo, a .1/000
Ditos de caisa ondeadas, de bonitos padres a 4/000
Ditos de otaros costos a ,.....3/200
Cassa-chitasde cares fixas a vara a /320
Cambraia transparente, enm listrasavelludadas,
a vara a..............S
Ditas em enres, de novos padries a 3/000
Males de laa e seda de bonitos gostos a 6/000
Fazenda de quadros milito encorpada, para cal-
cas de cores fixas, pelo barato preco cada
covado, de........... /320
Merino muito largo, pelo diminuto preco cada
eov.ido.de............1/400
Superiores chales de cores, de muita duracao, a 2/500
Ditos del.a, de novos padres, a.....1/O0
Algodao trancado muito rncorpado, de cor al-
vadia proprla para roupa de escravos o co-
vado a ..........."J
Cassa lisa inferior, muito larga, a vara a /240
K outras militas fazendas que se yendero por piceos
muito rasoaveis e das quaes se dar as amostras tra-
zenilo-se o competente prnhor.
Vende-se um pretode nacao, de 26 annos, pouco
mais ou menos bom can.iciro de bonita ligqra, sem
vicios nein achaques ; na ra da Concordia, pastando a
ponlezinlia a direila, segunda casa terrea.
__Vende-se por precalo, duas escravas de 18 a
20 annos com boas habilidades : na ra de llortas,
n. 84. ...
Yende-se una loja de nnudezas ,
sita na pracinliu do Livramento, com
poneos lundos, a dinbeiro, ou a prazo ;
na ra doCabug, loja de miudezas, n. i.
Farelo de arroz, em barricas,
de 4 5 arrobas cada barrica a 3jjf5oo
rs., muito preciivel ao farelo de trigo; o
qual tambem serve para engordar cri-icao:
no armazem do Bacelar, defronte da
e.-cadinba e no do Braguez junto ao
trro da ConceicSo.
=: Vende-se um guarda-roupa em bom uso; um
lavatorio tambem em bom uso com seu Competente
jarro e hacia : no Aterro-da-ltoa-Vista n."8.
= Vende-se um grande sitio com casa de sobrado,
dentro da cidade por preco multo commodo ; no qual!
se podeill fa/.cr uns pinicos de sitios,ou abrir ras para se
edificar : a tratar com N. Gadault no seu sitio no Mail-
giliuho.
o neonteslavclmciite barab i-
reiro da ra do Crespo, loja
n. 5, ao p do arco de $.-
Antonio, vende :
Chitas de sofl'rivcis pannos, lindos padres, o
covado a.........140, 160, 180 e 200
Ditas muito finas, algumas francezas, ricos de-
senhos, o covado a..........240 e 280
Madapolao, exeeUenlc9 qualidades, a vara 160, 180 e 200
Dito muito fino, a vara.........
Algodozinho, exccllenles qualidades, sofi'rivel
largura, a vara........... 160
Lencos de cambraia arrendados para senhora a.
Ditos de cassa misturados com seda para gr-
valas, a......-........ 400
Ditos ditos para metade, a........ 200
Ditos de setim lavrado, a........ 2,240
Cassas suissas com vara de largura, o covado a 320
Lindeza fingindn multo bem seda, o covado a 240
Corles de pelle do diabo e gaiiibrrcs de tres
covados e meio, a.......... 1,440
Ditos de brins franeczes de lindos padrors com
duas varas e nina quarta, a.......2,240
Ditos de casimiras, padres novos, com tres co-
vados e meio, a........... 1.800
(hales de la i e esccete lingindo merino, a. 2,000
Ditos de cambraia bordados, a.......1,000
Panno fino verde escuro o covado, a.....2,000
Ditos cr-de viuho c azul escuro limito finos o
covado, a.............4,000
Chitas saracas de lindas ranugens. o covado a. 200
l'ccinlias de cambraia lisa muito linas, com seis
varas e mcia, a...........3,400
Riscadinhos fraucezes, liudsimos padres, o
covado, a............. 240
IS. B. dao-se as amostras deixando penbor.
Joan Jos de (Jarvalho Aloraos ,
agente, nesta provincia, do controto do
tabaco rap princeza, de Portugal, fuz
publico que se acba a venda o mesmo
rap ebegado pelo ultimo navio de Lis
boa em porcea retalbo pelo prest
marcado pelos contratadores de 3s'6co
ra. cada bote a dinheiroa vista ; na ra
da Gadeia do Becife loja de miudezas,
n. 5i; tambem se vendem as oitavas a 4o
ris
Vendem-se por prejo muitlssimo commodo os
seguintes trastes, em muito bom uso: urna mesa re-
donda de meio de sala um par de banquinhas de an-
gico ; urna mesa de Jacaranda; un sopna de angico ;
una cama com enxerges e colches ; dous pares de
mangas de vidro pequeas ; um dilo de lanternas ; urna
mesa de jantar com apparadores ; una mesa de en-
gonimar ; nina cama de vento com armacao ; um la-
vatorio com a sua competente bacia e jarro; duas ban-
quinhas com gavetas; um excellerite banheiro ; e ou-
tros inultos arranjos domsticos. Os prctendentes di-
rij.io-sc a esta tvpographia onde ler as inforniaccs
do dono que em breve deseja retirar-se para fura da
provincia; rasao, por que se desfas daquillo que caro
lhe custou, e que lao barato pretende vender.
Na na do Crespo, loja nova
n. 12 de Jos Joaquim
da Silva If aya ,
vendc-se brim depuro linho, de quadros e listras de
cores e que sao muilo proprios para a festa pelo ba-
ratissimo preco de 720 rs. cada vara ; ricos cortes de
casimiras clsticas para palcas a 6/ e 8/000 rs. cada
corte; alpaca preta a 800 e 1/800 rs. o covado ; pannos
finos, preto e de cores, por barato preco; cortes de col-
letc de velludo setim e gorgnro; ludo por preco ba-
rato assiin conioum ricosornientode lencos de seda
jiara grvalas muito proprios para a festa.
=Vende-se um ptimo escravo pardo para o servi-
co de campo : na ra da Cadela do Recife loja n. 20.
= Vende-se cal virgem em meias barricas che-
gada prximamente por preco mais commodo do que
em outra qualquer parle ; na ra da Mocda, armazem
Vende-se fai Inha de trigo da marca SSSF de ra-
minho ; no caes da Alfandega, armazem do Bacelar, a
tratar com Manorl da Silva Sanios.
=Vendem-se superiores charutos de regala chega-
dos no vapor Imperador por prejo commodo ; na ra
do Trapiche n. 34, tereciro andar.
Vende-se una canoa aberta de carreira, por pre-
co commodo ; para ver no Forte-do-Matto estalciro
do Jaclntho e para ajustar na ra da Moeda casa de-
fronte da de ii. 9.
Vende-se sement de alfacc multo nova e de qua-
lidade branca e preta ; na venda da esquina do largo da
lloa-Visla, n. 88.
ftaruade t pollo, armazem
n. I.
vende-se potassa da Russia nova da fabrica nacional
do l'.in-dc- lani-ii o. l-.sta potassa lie muito forte e su-
peior a estraugeira, que tem viudo e j tcui sido ex-
perimentada por diversos Srs. de engenlio, que assiin
0 aflirnio. Cal virgem de Lisboa, a preco muito baixo.
Commodidades para a festa.
Ha novamente chegado ao mercado um grande sor-
linienlo dos bem procurados chapeos de Chile: seu bem
manufacturado tecido, igualdadce alvura da palha, os
i.unan assaz reconuuendados aos amadores, tanto mais
sendo seus precos mais commodos do que em parte al-
guma. Vendem-se as seguintes lojas : ra do Queima-
do, loja de miudezas, n. 16; na ra do Crespo, loja, n.
3; na da esquina da ra da Cadeia-dc-Saiito-Anlonio,
n. i; e na praja da Independencia, fabrica de chapeos,
n. 7.
Vendem-se 8 escravos mocos bons para todo o
naba Un. de campo ; 3inoleniies de 16 annos ; um pre-
to velho muito forte, por 220/000 rs., bom para tra-
balhar e botar sentido a um sitio ; 6 escravas mocas ;
duas ditas que cozinho, cosem engomino e lavan
roupa; urna nrgriuha de 14 annos, recolhida com
bons principios de habilidades ; una parda de 20 an-
nos de bonita figura : na ra do Crespo n. 10, pri-
meiro andar.
Na ra do Crespo loja nova,
n. 12, de Jos Joaquim
da Silva llaia,
vende-sc um restante dos bem acreditados cortes de in-
dianas para vestidos de senliora, pelo barato preco df
2/800 rs cada um; cortes da fazenda victoria, a 3#600 rs.
cada um; ricas canibraias com listras de seda, ab/OOO rs.
cada corte; ditos de gosto chines, aftOOOrs. cada um
corle; cassas chitas para vestidos, a 2^w000 e 3/A00 cada
corte ; camhraias de quadros de cores escuras, para ves-
tidos, a3/500 rs. cada corte; calcinitas para meninas de
escola a 400 rs. cada um par; meias linas para meninos,
de difi'erentes tamanhos; e outras umitas fazendas, que
ludo se vender por preco burato, assiin como um resto
das ricas e baratas Linternas com caslicacs de tiiiisslma
casquiuha, e que se vendem por 9, 10 c 12 mil ris cada
part '
Kap princeza Novo-Lisboa
a ISOOOrs. a libra.
De todos os raps, que a Industria brasileira tem al
hoje fabricado, iienhnm imita melhor o verdadcjro ra-
p princeza portiiguez do que o intitulad RAl'l I'RIN-
1 K/.A NOVtl LISBOA, fabricado po Rio-de-Janeiro, sen-
do lao prrfeita a sua semelhanca, que os mais veteranos
tabaquistas o tomo pelo genuino rape princeza de Lis-
boa.
O deposito drste excellente rap, he no armazem de
Alves Vianna, ra da Senzalla-Velha, n. i lO; e tambem
se vende nos tres bairros da cidade : no do Recife em
casa dos Srs. Jos Dias da Silva e Pnntes & Sampaio, lo-
jas de ferragens ra da Cadeia-Velha ; no de S.-Anto-
nio em casa dos Srs. Antonio Domingos Ferreira ra
do Crespo, n. 11 ; Joaquim Jos Lody, loja de miude-
zas ra larga do Rotado ; Jos Joaquim da Costa lo-
ja de miudezas na ra do Cabilg ; no Atcrro-da-Boa-
Vlsta lojas de miudezas dos Srs. Antonio Ayres de Ca-
iro Si Companhia Antonio da Silva Guimaraes e Tilo-
ma/ Pcreira de Mallos Estima.
Vendem-se espadas plateadas pura
oDt-iaes de guarda nacknal : na ra No-
va, n. i.
= Vende-se um terreno as trras, que forao do en-
geuho da 'orre, muilo perto do rio, por ticar na es-
trada que vem da Passagem-de-S.-Anna com 300 pal-
mos de frente e 600 ditos de fundo com muitos ps de
eajiieirns e em esquina daoulra estrada que vem da
Ponte-de-Ucha pelo preco mais commodo possivel
de2/00C rs, o palmo : na Iravcssa da ra da Concordia,
n. 5.
Vende-se um sitio na estrada dos
Aiilictos com boa casa de vivenda, de
pedra e cal cacimba de agoa de beber,
e estribara ; a tratar com Joaquim de
Oliveira e So tiza, junto ao mesmo sitio.
Cal virgem.
Vendem-se ancorase barricas com cal
virgem de Lisboa chegada ultima-
mente por preco mais barato do que
em outra qualquer parte ; na ra da Ca-
deia loja n. 5o.
Na loja n. 10, da ra do Crespo ,
vendem-se pecas dehollanda preta, com
4o covados a 2,sooo rs.
Attencao !
Na ra da Cadeia, loja n. 5o, deCu-
nha & Amorim aiuda resta para vender
urna pequea porc3o do formidavel ra-
p de Lisboa j bem conhecido dos fre-
guezes pelo baratissimo preco de 3^ooo
rs. cada bote; dito de Paulo Gordeiro,
do Rio-de-Janiro que muito imita ao
de Lisboa por ^ioo rs. o bote. Tam-
bem ha para vender rap de Lisboa do
ultimo cliegado por 3.?6oo rs o bote j
e garante-se a boa qualidade de todos
He chegada una grande porcao desla
lao preciosa como til agoa ; pols, vendo
. seu autor, o doutor Mornay 3t Companhia,
--j a grande extraccao c iniiiensos cll'eitos,
{que teinproduzidn nao pode deizar de
-Jn> continuar. Esta agoa serve para llmpar
^| {a cabeca e amaclar o cabello; evita iinpl-
>fliceiu pannos e rspinhas ; a ciareis o ros-
^.fl i 10, amacia a pelle do rosto; e se pode ser-
1 vlr delta para evitar dores no msto, quan-
do se faz a barba, o que muitos ja teeni
experimentado.e por isso continuao a fazer
tusodella. Vende-se nicamente, na praca
,> da Independencia, lojas ns. 13 e 15, a 1/000
{rs. ; assiin como outras militas perfumaras
c calcados.
No boliquin da Cova-da-Onca, na ra larga dn
Rozarlo n. 34, conlinuiio-se a vender bichas de Lisboa,
de superior qualidade, por preco commodo.
= Vendem-se 10 travs de qualidade sendo de 36 a
44 palmos de comprlmento : na ra da Praia de S.-Rita,
-serrarla n. 25.
jh Vendem-se dous carrinhos quasi novos sendo
(&$% um de duas rodas e o outro de 4 dilas ; este ser-
ve para um oudous cavallos por ter lanca de -sobie-
' salante; todos por prejo muito commodo : a tratar com
Joo Ignacio do Reg na esquina da ra do Livramen-
to sobrdenle mu andar.
-- Vende-se arroz, branca superior por preco com-
modo ; na ra da Praia venda n. 46
=Vende-seurna honita cscrava, alta, bem parecida,
de 24 annos que engomnia, cose he muito fiel e io
tem vicios, oque se alianca : um preto meitie traba-
Ihador de cnxada, que ganha na ra e paga certo 560 rs.
diariamente; 3canoas,sendo duas abenas de carregar
familia, novas, bem arranjadas e pintadas a oleo, e
una pequea de um so pao : na ra eslreita do Roia-
rio botica n, 10.
Escravos
Fngidos.
-- Fugio, das 6 para as 8 horas da noite do dia 8 do
corrente o cabra Francisco ; leveu calcas de algodao
trancado camisa de chila ; tem o rosto comprido, bar-
ba serrada ; tem no hombro direito um osso sabido pa-
ra Tora. F.ste escravo lie casado c he reinettldo pelo
capitiioManoel Jos Fetnandes do Ass ; levou tam-
bem una rede. Roga-seaos capitaes de campo e to-
das as autoridades de o pegarem e levarem a ra da Ca-
deia, lojadeferragens.de Joo Jos de Carvalho Mo-
racs, que recompensar, .....
= Da villa de Quexeramobini provincia do Ceara ,
fugirfio os lies escravos seguintes : Eufrazio pardo, de
36 annos, de boa estatura, cabeca e cara redondas, den-
les alvos belcos grossos, sobrancellias grandes e largas;
tem no rosto um signal de um carbnculo, cabello qua-
si sollo; anda muito apressado ; he sapateiro etain-
bem trabalha de earplna : Miguel pardo irniao do
aciniadito.de 19 anuos, bem alvo pernas compridas,
ps grandes, secco do corpo, rosto regular de bonita
llgura Irahalha de sapateiro : Joo, cabra acabocladu,
de 29 annos, corpulento cabello cacheado, bem em-
pernado, cara larga, beicos grossos dentes alvos; lie
muito esperto ; tem um signal nos pellos de un la-
Iho, que lhe der.io ei.tende muito do negocio de gado.
Quem os pegar leve a dita villa a entregar a seu se-
nhor, Jos Crrela de Barros ou Jaclntho Jos debou-
za Plmentel que ser generosamente recompensado ;
e sendo perto tiesta praca, a Manoel Joaquim Gomes.
Fuglo. na noite do dia 5 do corrente, um preto de
nome Francisco ; representa ter 38 a 40 anuos, ponco
mais mi menos alio, grnsso do corpo dentes alvos,
careca na frenle da cabeca ; anda adoentado ; levou ca-
misa e ceroulas de algodao da trra una calca de briiu
cinzenlo, usada/chapen de couro j velho mu surrao e
nina rede. Eslc' preto j esleve fgido bastante lempo
no serlao, por isso falla a moda do serian. Roga-se as
authoridades policlaes c capiliies de campo de o ap-
prehendereni e levarem a ra da Cruz, no Recife, n.Mi
que serao bem gratificados.
= Fugio, do engenho Gongacari, um preto de n<
me Joo Banana, figura ordinaria, crioulo; leiu una
cicatriz debaixo do olho esquerdo ; fugio com um ferro
no pescoco : quem o pegar, leve ao dilo engenho, ou
no principia do Aterro-dos-Afogados sobrado n. .
= Fiiglro do engenho Tapicur ulliinauentes os
escravos seguintes : Antonio crioulo alto clieio o
corpo pernas e ps grossos com a cutis enriigada, a
calor de ligado do meio da canella at os dedos : tu-
tano, alto cheio do corpo, rosto earregado, be ico
grossos. tendo (ao usenlar-se) una frrida em um p .
levou camisa e ceroulas de algodiio da Ierra : Joal"'' !
da niesnia altura bem parecida beicos dobracios
tendo por rima do lambo uns botes procedidos ue ai
gumas reinadas, e a inodireUa fechada, que pom
abre. Quem os pegar, lveni ao dilo engenho, ou na tu
doCabug n. lu, que ser recompensado.
Fugio, do engenho Matto-Grosso da fregiiezia o
Cabo no dia 26 de oulubro prximo passado o rsc?"
vo Joao conhecido por Joo Marceneiro ; lie desie ii'-
cio e .arpia ; representa 30 annos ; te:n olhos grande.
tesu larga bocea grande beicos grossos bons den-
les ps bem feilos sem iienhunia barba falla gag. ,
foi seguido at trras do engenho S.-Estevao onde s^
verificou da polica daquelle lugar que dito "'"'J.
esteve apoiado alli inesmo por Dina preta,chama
Drlfina e seus irmaos todos rstes escravos sao de ut
viuva alli assisientc ; cuja viuva com ditos seus c,cr.
vos estao dando principio a mudar-se para as parte u.
Curcuranas, para onde lia suspeitas, que lenhao ma
dado o escravo fgido. Roga-se as autoridades poi
ciaes, capitaes de campo e pessoas particulares, 1".
prguem e levem ao dilo eugenho ou na_ casa
Burgos no Recife, ra Direila, n. 29, que serao recoin
pensados generosamente.
PERN.
NA TTP. D< M. F. DE FAMA. !$$


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E69M6WMSM_9ORPEM INGEST_TIME 2013-03-25T13:52:11Z PACKAGE AA00011611_00439
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES