Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00415


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"'"< I M ''........

^

^
1
4
N. I85
-

7*)BH
Anuo de 1829.
DIARO DE PERNAMBCO.
SoWve.se o. Tipo.rrafia do mes-no Diario na DireiU N. Wl 1. andar. e. por MO re boma .H..
qne saliira lodos os das atis. ___
Segunda Feira 31 de Agosto. S. Raymnndo TXonnato Cavdid
Freamnr as 6 horas e. 30 minutos da tarde.
CORRESPONDENCIAS.


lhe ter fallado no alti-sonante tom da ver-
dade, nesse ton que faz estremecer aos
^-y que se julga5 reos de falcidades, que ain-
iSm Edicor. A ninguem offender, da nao perdera a vergonha de todo ; mas
a pr m^regra de ustu^logo segu- o Sr. aggregad C a quem semp.e trato,
se que ao offendido licito disWrar-se co1U respeto em toda aquella carta ) ven-
acorn Mulo, qneotemabocanha- do o silencio do Coronel, ahe acampo
do Zhn prilia o Sr. Capitao-mor com a sua longa, fa.fd.osa e exagerada
afretado Fra cisco Xavier .Pa.s de historia da Romada como offcnd.do, s,g-
lf*X!.*J, a Z arta inserta noCru- nal evidente de que fo, elle o miormador,
Mello jarreto a sua carta inserta na'Cru-
zeiro N. 63 contra mim, a qual passa-
re a analizar por alto, por nao merecer a
pena de propoiwne a rebater a cada peri-
odo, vistas as inconsequencias, e falcida-
.__i_- ~ii-. ^ nnmnom nms
isto c, o insuflador das falcidades, eia
que cahiu o Coronel, e eisaqni a raza5
porque se reprezenta como valente cam-
piao, para me contradizer; porem coitu-
conncTdo or aggregad de intacto regou ainda ma.s que o pobre do Coro-
=r3S35ES ZX&&&&&
Z'2S5?&ZZ 5 &.U*, .-iculou Uto
r> ____.__..,wl/- mo ol
tenha paciencia o Sr. aggregad que en
tome por thema o cabecalho do seu pala-
vriado. .
Se a ninguem offender e a primara
rogra de Justina, se ao offendido e licito
desforrar-se para com o injusto, e se o br.
agregado sabe disso tanto, que apira o
escreve, para que inconsequente ? Por
ventura o offend na minha carta inserta
noN. 16daAbelha, quando propuz-
me a faer ver ao publico a falta de exac-
tidao da correspondencia official do Coro-
nel Francisco Jacinto Pereira ? Parece-
me, que nao; pois s tratei. de mostrar
que nem o Coronel, nem oSr. acgrega-
do, nem outra.qualquer Auctondade fa-
serao maisdoqueeu, guardadas as pro-
porcoes do encargo em que cada um se
ochava, tendo para isso mostrado as fal-
cidades dos Officios do Coronel, de que
' at hoje nao pode desforrar-se. Se alguem
individuos voluntarios deste Termo
*< [ Qued'elles? Como se chamao ? Aon- ,
de esta ? ] e tal influencia ouve que
uns poucos destes com Semeao Correia
d'Albuquerque por cabeca quebrarao a
prizao publica da Povoac,ao [ um tron-
co ] e soltarao prezos de justicia (a> sem
que um so dos individos fugissem delT
" les: ( bravo isto e' que e* ser bom
historiador! ) como pois o Sr. Capitao
Mor Sequeira assevera, formaes pala-
vras que todo o povo inclusive&ran-
" des, e pequeos fugiao daquelies lou-
t< coS ? __ se pois a verdade nao est
" da minha parte o Senhor Capitao-*
" mor que declare quacs forao esses
" grandes, e pequeos, que fugirao
(bravissimo! ) que cu mostrarei por
a
(
(

)

(a) No tronco existiao dois negros
;-H.-i*srft5a7r ass;s&tt&te
J,a, M^l^^'^^i^tmaLeav^r- nhores hoje se acha de posse. Para que
f^^^SXuZ, pois escorregar motivo? Por a,
J&RS X* a pezar de e qui se coahoce o ma.s- ex d.gUo .

~1
k.
r




.
I llM i"
(740)
" cesse as minhs imposturas ) que qnan
" do menos nao deixa de arrastar apos (ie
" $i Lem veis acontec m en tos ? Para que
e negar que o avizo da Tropa em al-
cance aos facciozos estar em Cantar
<(
^ facto, que mui^s Ihes-prestarao com
-. "' repetidas visitas, eotitros, queeindis-
" tancia de 8 legoas se-lhes-forao reunir.
Ora como o Sr. aggregado me pede que
eii declare quaes forao esses grandes, e
pequeos, que fugirao dos facciozos de- foi que te fe7a^Wamne>tl toteTr a
laro que todos, sem excepcao, pois o Povoacao do Brejo; onde se mlgava
mesmo bemeao, nica pessoade mais re* coiuu disse o Nobre, em sens nastys "
prezejitaraj, nao foi prezo com elles, sim Aqu esqueceu-IIie acrescentar para
indovizitar aossus prenles; e si vera queme des masca ro u ? para que na5 me
est lama, o motivo da sua prrzao foio pe- deixou passar por um valente Atleta
jlasso de trras, que tem em Jacarar, so* desle Imperio? para que quiz que se ce-
reoqualobr. aggregado mandou a- nhecessem as minhas imposturas? Eu Iho
tfr rossado logo depois da sua prizao. E respondo a tudo. Amicus Plato, sed fena*
tiuanto at> mas que menciona no seu es. gis rnica veri tas. Attenda mais
corrego, nao meresse reposta ; porque o Eu nao* soir iningo dos Srs. Officla-
^!f,n uamrt?S,-matrCU,arndvWuaS es'^e vieFa<" naexpedica, e qiimJdo
sl*w n0,,nta"os'. e0Ulras das que a Roma poderla ter fito nao vem fos desmerecer do bom conceito, que me*
ao cazo para refutacaS dft.rn.nha carta recem do Publico; nao me ttfue o Sr
t *fc a,em/isto so um pa- aggregado por si; 'baja vista t que e.
6, Al qe os revolucinanos desti- Rocha Paes Jarreto e*ie a, buH ma*
tuidos de forca laneao mao para dar im- neiras, bom comprtamete,, e conduela
Wn^ agregado, o mesmo estranho que lhe deu o ExceJIentis-j^,
que para dar importancia aos seus apocri- Governador das Armas ; por que7uj t-m-
los serbos, tem feto mais imposturas daoo sobre tactos apcrifos, que deber-
1 ? ?2J2 aUra asna revoluto. A^ora erque resta que e/ri opfnao do Sr. aggregado S. E. ta
S&25tffe Pr fa0t,,S i( COm bt?mileVera SC dar Pedido por n ; ;
Ei? eSSeS gandes que porem longe de se pensar assim, toda,.,,'
N
.._ ..vg i/C(juo nnr. ciijcs do Comandante da Expedalo e
pregado conclun-a Ij.stom da entrada queeste se nao foi exacto foi por Ja",,!
rio Roma na Povoacao d Brejo com o formado pelo Sr. aggregado, a Me, ,|.
ZZT ? "aS SUf 0r SideT,"25 CS' rnda8' e,m,fS pr- ,hecedor deste Termo, e sene Imitan-
?T'.,eTO,.n5?onana' n^'t'eesca- tes. Por tantoseja taanente o Sr. ^
4, at ^VeZ'te8' ^f 'eCebe"' S W- greg^o.Meemissario, que carrejo
doFuoneo Vi' e u,dm'"e/ com .a*: taitas, em quefi cihr o Coro!
do Europeo Vinagra que nada disto pe,, e conxa maldices de todos, a quera
' S nvSf0 Pa,a I"6,boriira{^ isto le-n compromettido, e nao proeme Trre-
parsi ph>far que tudo ,sto nao foi urna arde ?i aexecrafa puWick por meio L
IlllllAia _____ *
Wrtcher, sim urna revoluto seria, ^^^^^^^S^SkZ
como inculca, em qu se nao fosse sua Se. crado ficart
5e^f rted1- 7n'e?ara^,lrpe^a1i' e STeSado -^eW?oS?^- "1 ^ PS ^ (.lesviandlseda estrada que segu pa,
,< S ? P^,"',mrSfequei;aCOln - r^rnnoutras. utdltlad,ef. fr esme- com.Wndada vangoa.da pelo Mello J
aPf/- 0?h e',t- do,P!lhhco aos Offici- centro pelo Roma,e a retagoarda pe
!"TSj^ea.ntnga^quetadigna- Machado. Ora, concedo q^,e Ujl
SV1 esemPellarao a 5"do Gb- apesar de que tenho certeza de que na
S e3^eterrfe,810 *** a30= Porem reparta oqsT ag!
_ runa de beliao ( era melhor que d> gregado estes 41 por 3 que o quociente


V


v
-T
_


i_
.....
4',
1
i
A
ser 3 e urna fraccau; eis o numero de *
que se compuuha cada peloteo, de respeitavel para o Sr. aggregado dar a
cada um o seu commandantej a fim de
tlesoulpar-se na& sei de que f, P9 & na
desculpas de papatrra esta ma deltas.
Vamos adiante cono este eiepttegb- -In-
siste o Sr. aggregado em affitpiar que es
ta tropa < assim mesmo respettavej como
/elle a pinta _) nao passou pela sua porta,
sim jpela fazenda do Tenente Coronel Le-
ao, na distancia de um quarto de legoa
jcam pouca diflerenca. Seia embora um
quarto de legoa: o ca90 e que aqu por
mais que salte, sempre escorrega, ecah,
talvez quebr o nariz ; porque quando
eu dice que aquella tropa passou pela por*
ta do Sr. aggregado, nao se ontende pela
calsada, ou pelos batentes, sim a vista
' leUa; pois.no descampado entre tima fa-
zenda, e outra nao ha outra estrada ge-
ral, nem mesmo particular, que sirva.de
desvio; e a distancia tao pouco conside-
ravel, que da caza do. Sr, aggregado po-
de-se a vistar a quem passa na estrada
em auxilio de oculos. Quanto a negati-
va da passagem da tropa por entre as suas
guerrilhas nao ha escorrego maior! aqi
o Sr. aggregado vai outra vez -de nariz ao
chao, e quic Ihe salte o chin da cabe-
ra, e lhe apareca a calva a toda a luz do
dia! Vejamos o que elle diz. No da 9
( dia em que a tropa sahiw do Brejo )
havia reunido 60 soldados ( alias 80 e
feotes) com algumas armas, e mui
pouca municao ( 50 e tantas granadei-
rasalem'do mais, e cartuxame quanto
poderao fazer urnas poucas de pessoas
em dia e nueio ) e assim mesmo postei
duas guerrilhas na estrada que segu
para nimba casa (^ bravo! ) da qual os
facciosos se desviarao ( bravissimol )
Quero dar de barato que so tivesse 60 ho-
rneas, como aifirma ; para que mais gen-
te para um ta denodado hroe, que nem
por pensamientos qucr passar por cobar-
de ? A caso este numero nao era superior
pura bater o inimigo de emboscada ? A-
iriovo Sr. aggregado, nao caa! Lembre-
se da mensagem que mandou aos faccio-
sojm que fallava no seu avultado mi-
ii/ro de gente, em tantas e quantas gra-
Ideiras, e nao sei quantos mil cartuxos,
pira assim os desviar, e que elles por nao
taserem cazo, ou nao acreditarem no seu
aviso, dicera em Genipapo ( du&&, ou
ti e* horas antes de passarem pela sua por-
*

/
ta') que por isso m%smo haviao passar
pelas suas barbas, e assim o tizerao; lem-
bre-se quando mandou ordem a sua gen>
te, para que nao oflfendesse aos facciozos,
salvo se se encaminhassem para sua caza,
lembre-se de ludo isto, e nao diga que eu
a (firmo fatuidades, e nem que tenho a i-
maginac,a5 escaldada: oxal tivesse o Sr.
aggregado o meu sangu'1 fro, que tal vez
ignorasse o Publico estas manqueiras,
que a sua eletricidade me obriga a paten-
tiar! Vamos com a paxorra do meu san-
gue fri acompanhando a electricidade
dos seua escorregos. Diz o Sr. aggrega-
do que os facciosos se desviarao da estra-
da que segu para sua caza, onde estavao-
postadas as guerrilhas ; peor est esta
Pois ha vendo urna estrada geral, franca,
-e bem espacosa, toda bordada de bosques
pelas margens desde o Brejo ate'o cen*
tro desses certoes ( e nrmente as vezi-

<

H
t<

U

t<


nhancas da sua fazenda,' por cuja frente
os facciosos mandara diser, que haviao
de passar da hi a 2, Ou 3 horas ) nao a*
chou o Sr. aggregado em toda ella um
canto em que postasse as suas guerrilhas,
sim na vereda, que da estrada geral se di-
rige para, sua casa ? Neste caso foipo
postas as guerrilhas para defender a sua
'pessoa, e nao para impedir, e cortar a
marcha dos acciosos, tia eonformidade
das ordens do Excel lentissimo Presiden-
te, o qual tanto confiou no Sr. aggrega-
. do, que ainda hoje se intitula o-Encar-
regado das ordens do Governo mas ve-
jad que tal e' o Encarregado So se pe-
la nova Tatica este e' o melhor meio de
bater facciosos, e salvar a Patria: se as-
sim e'grande General e' o Sr. Encarre*
gado! Grande General temos nos! Gran-
de General tem oBrazil! Os Macens,
os. Anjos da Victoria da Franca nao sao
. capazes de ser nem seus ordenanzas! E
ornis e* que assim parece; porque do
contrario elle nao se espinharia tanto so
com a leve suspeita de cobarda, chegan-
do a persuadir-se que eu na minha carta
de 9 de Juuho o quera fazer passar pe-
rante o Mundo inteiro por cobarde; por
que nao faz milito tempo que Joze COr-
deiro de Carvalho foi chamado official-
mente pelo Sr. Encarregado ao seu Quar-
tel, e quando ahi o apanhou o atacou de
rasoes, e as duas por tres bateu ma a
um estoque ( arma da sua paixao ) que
nao sei' porque milagro o moco escapou,
a)ar-se descuidado, o, que tuda

XI

T-



c
K

L
*
*
-
t

f742^







f alern de outros imiiftos acontecimentos,
que omito por nao ser tao diFuso ] prava
a sua extraordinaria coragem! Logo nao
j





do: ao Sobre dito Capitao-mor i-
gualmente fiz ver as medidas que tinha
tomado antecedentemente. Por quan-
to quem vir semelhante assersao deve
crer quf1 o Sr. Gapitao-rnor Sequeira
havia expedido ordens de providencia
antes d#minhas participacoens "
foi por falta de coragem que o Sr. Encar-
regado deixou passar os facciosos, e nem
tao pouco por ser de)les parcial, vista a
presunca que carrega de ser o maior Im-
perialista, que piza neste Imperio, cujos Basta de escorrego; basta de impuden-
Utulos existentes., sendo pouco significa- cia. Os Documentos 1., 2. e 3.
.tivos, no seu modo de pensar, elle mesmo farao ver o carcter do Sr. Encarregado
se condecoracom o de Encarregado das em seus bons dezejos contra mim ppren
ordens do Governo, para meihor impor, e coitado tao infeliz que procurando des-
aterrar ?ste desgra9ado Termo. Eisaqui, acreditar-me, desacredita-se a si mesmo
.br. Edictor. por que o Capitao-mor Se- Sr. Edictor, como Vm. me hade fa-
queira (Tormaes palavras do Sr. Encar- zer por sua bondade o favor de dar ao
regado) nao merece desculpa ; por que a ,prelo esta carta, tenha paciencia comiffo
pesar da coragem do Sr. Encarregado, d taSbem ao prelo ao p desta -ests 3
eucomovelho, e ja bastante experiente Documentos, certo de que pelo primeiro
; nas alternativas deste mundo nao meas- conhecer o Publico, que nao obstante
susto com as bravatas do Sr. Encarrega- me achar eu entao ao esquecimento de S
do; nao ralbo por o Excellentissimo Pre- Ex. o Sr. Presidente, fui quem primeiro
sidente, sem motivo justificado, me por dei as devidas providencias, que estavao
em segundo lugar quanto as ordens que ao meu alcance, e nao o seu Encarreffa-
den para dicipar a Quixotada do liorna, do, a quem S. Ex. officiou lffo em data
pondo, em pnmeiro ao Sr. Encarregado ; de 3 de Fevereiro, officiando-me depois
nao sucumbo com suas calumnias, pelo .em data de nove dodito-mez, cujo officio
contrario quantQ mais elle me caJuraniar, me chegou as rmlos depois daRomada ex-
mais desacreditado ficar, certo deque ti neta : pelo segundo conhecer o Publi-
nunca Ite torcere carrera ; finalmente co, eoSr. Encarregado que o Capitao
nao me atierro com a reforma queme de- Gregorio apezar de dizer, que pelo mes-
rao, por que espero que o tempo far ver mo Soldado que recebeu o meu officio, re-
ao Publico, e ao Excellentissimo Presi- cebeu igualmente o delle, com tudo de-
dente qcarcter do sen encarregado ^le clara que o meu era datado em 8, e o do
. ordens ueste Jermo, e por fim me farao Sr.. Encarregado em 9 do mencionado
jnstica, ncando sempre em pe o seguinte Fevereiro; e assim parece-me que tanto
dilema: se nao foi por cobarda que o Sr. por este, como por auiielle Documento
encarregado nao cumprio as ordens do xpedi ordens de providencia primeiro,
Excellentisirao Prezidente contra os Ya- que o Sr. Encarregado: pelo terceiro fi- *
cozos, fui por parcial com elles; e se nalmente conhecer o Sr. fencarreffado, o
, nao foi por parcial, foi por cobarde. Ago- Publico, e todo o Mundo que naf hesitei
ra eacolna o Sr. Encarregado o que mais em obedecer, e faser obedecer as orden
Jheconyem. do Excellentissimo Sr. Presidente logo
Ultimo escorrego. Continua o Sr. que o Sr. Encarregado me fez sciente da
jLncarregado disendo Nao menos cul- particular confidencia, que delle fasia S
> pavelle o Sr. Capitao-mor Sequeira Ex. no encargo das ordens que lhe diri-
. ^ quando diz :. Por quanto a penas gia concernentes aos famosos, .cuja der-
^ cjictfou-mc a noticia da entrada daquel- rota, e debandamento tanto lhe recomen-
f la gente na Povoa^ao do Brejo passei dra, e cujo heroico desempenho da par-
^ immediatauente a officiar aos Com- te do Sr. Encrregado foi.... foi.... foi
\ mandantes daquelles termos Izidoro ...,. como tenho feilo ver ao Publico
', *?ZG ~,a* dos **s> e Gregorio Joze e ao mesmo Sr. Encarregado. %
, Alves da Silva para lhe faserem toda a Agora resta o Sr. EncarrefiadoVes-
% opposicao posMvel; e apenas o Capi- ponder quem est convencido de avadar
% lao-mor Xavier me participa que se a- felsidades, ouquem parece alegar, |U
% cha encarregado pelo Excellentissimo inculcar servicos, que os nao fez? eu si
i rezidente da Provincia para lhes cor- elle ? Se o Sr. Encarregado nao me res-:
jassasom aunui: cow^auan- ponder, os Anjos que me respoudaG; po-
i
t





.!
(743)


/

rem en sempre achava mais bomtc-que el- te objecto: se talacontecer; espere por
le abandonando a impostura, edeixando mim, que anda nao me seccou a fonte.
o seu caracaa fallar pelos dictam.es da sua Adeusat* log j. Pesqueira 9 de Acost
conciencia, respondesseassim-- E' ver- de 1829. ,- :,"**
dade que tenho escorregado pela, fraque- Seo ttento Venerador e Criado.
a, que a nuulia filaucia, e grande vida- 0 Cap'taormofr Manuel JozedeSerqueira.
de me tem feito-desconbecer, o quesero *
pelo nieu grande amor proprio,. e desme- > Documento 1. Recebi o officio
urada ambioao,. e egosmo,, de que a de V. S. e vejo o que me di s sobre os ma-
mtureza me dotou, tenbo postergado as, levotos que -estiverao'nesta Povoaca a
Leis d' amizade, e ultrapasado o- dve- qual noticia be que eeguftw para o buique
res de bouiem de bem para que en somen- e ja se dirig rao para la otitem que penco
le ngurasse neste Ternvo, onde, se possi- V. S. jala a vera ler o encostro e \ fis
vel fosse, quisera reunir em mim ogover- remeda do officio de V. S. para o Cap*
natdffo, isto, a parto-judicial, ..policial, ta5 Gregorio e fico a espera da res posta
administrativa econmica, poltica* : ci- do dito e esta nite prenoiton outro refr-
vil, e eclesistica,, e mais se huvera ; co na Barra e segu hoje sobre osque va*
porque naa mesa tisfasso com asimples adianto quejulgo ehegarao por la. w
capitana mor dasordenancas, cuja-efec- Guarde a W S. milito annos Barra de
tividade com honras de Coronel ja me foi Sima 10 de Fevereiro de 1829. Ilus-
dd'erkla por despacho, Sim quisera rnui-", trissinio Sr. Capitao*mor Manoel Joze de '
to mais do que isso, e emprense i que Serqueira Izidoro Joze Dias dos SaU-
esta Hornada fosse oura couza melhor tos, Capital eConunandan te .do Districto
que merai icssepeb nrenos ma bartonia, Taboca. .^
e por isso tenho procurado dar-lbe maior Documento 2. t Hoje pelas 9 ho-
eoncidera^ao, e vnltcs para jnelhor avur- ras do da recebi bum oficip de V. S. da-
tar as miabas bravatas, em tudo seine- ta4o de 8 do corren te, ern que njediz,
loantes as do Cavalleiro da triste Figura ; que tendo-lhe coustado, que entrara hu>
pon m ja estou convencido que nao se ^k>- ma porcao de gente armada ha Poyoacao
clecoJher unrolho decve com tanta la- .do Brejoda Madre de Dos ; e por i^so
garta ; por que os habitantes des te Termo me ordena, faea, quanto estiver. de minba
jaestaocom os olhos abertos, de sorte que parte, a ftm de estorvar, e mesmo recha-
ja conbecem as ?antageus da Constitu- car-la, oppondo-me como inellior me for
'l. Pili V I I' f 11 r 1 f > (\:\ lili il i\j T, co i^vikI". iwwoi irnl rt tmnna m\**tt ^\*,. ..A l ~. -.J. *J___J"
1

. '
.
:



.


/
vwi> uw vjuciuu, c jiifi W3irjcvT i-rtiiai- uuui o ^cijliuiu i/.lil ne, .para queoCapita-morSequeiratao- tos, e no mesmo officio tiie ordena, que
bemse calle ; pofsse eu tornara escone> eu participe a V. S.., de todos ns nslq
gar, ecahir emalgumatoleiro, que ser daqueJla gente sedicioza, ao que respon-
de mim com o dito Capitao-mor ? Ja sei do : ao, amanhecer do dia de ontem se re-
que au Ihe escapa nada; e por isso he tirara da Povoaeao o Brejo a menciona-
melbor nat fallar mais i\aquellas torturas (Ja forea, seguindo viageni pela estrada,
que se fiserau ao preso no Piquete das Var- que vai para a Villa de Cimbres. Pelo
ginhas; porque procurando eu justificar proprio Soldado que conduca o officio de
desse facto a tropa do'Coronel, confessei V, S., me foi entregue hum officio do
que a gente do Piquete, onde o facto a* Capita^-mor Agregado Francisco Xavier
eotittceo,. era das minhas ordenancas, ali Paes de Mello Brrelo,' com data de19 do
estacionada por mim, ciiicf atedado nao mesmo mez, 'em que me faz certo achnr-
castiguei como devia, viudo aricar, por s encarregado pelo Excel lentissimo Pre-
esta desculpa, a emenda pior, (jue o So* zidente da Provincia, dedarasproviden-
neto- J.ogodevo dar-me por convencido, cias percizas sobre o mesmo objecto, e
F uestes termos, Sr. Edictor, que o por isso me ordena novas ordens, tenden-
sentr s ------------ ,.. _n--------------- _._
?rdade; poremeomo" isto vai de en- por mu tos annos. Quartel do Poco 10 ele
roat> seu orgtilhoso carcter desup- Fevereira-4e J829. Illustrissinio Sr.
por que ainda queira- recalcitrar sobre es- Capitaotnfu.* yanoel Joze de Serqjieira.
I

.


t
nt.rT


*
(744)



i ci.. Pai- lilico como Joze Bernardino de St*na, he
_ Gregorio Joze Alves da Silva, Cap- JJJVj^ Magistrados Legicidas O
tao e Commandante. HViiente Coronel Francisco Joze Mar-
* aumento 3. o -Receb o office ^ei^.Lcaracler a penna mais bem a-
de V. S. datado de JO doojnjnte, em g^g^ capas e descrever, promo-
que me determina, que obedeca, e mea p ^ pblico, fervorosamente na
cumprir todas as orden*, que pelo i,api- (leGoia;m 0 Governo absoluto, per^
ta-mor Argado, eincarregadoas r- Cmara que o proclamasse ;
dens do Excellent.ssnno Prez!dente .la suartinoo ^ dog Benementos
Provincia, me forem dirigidas do que fc- ? de fow da mena Villa, e o Coronel
co entendido. 9gJ|ftj-J &Kl de Paula Cavalcante f
milito .auno. Poc,o 12 de *eveieiio ae ... se conserva fiel a forma do
1829 Ulust ftpteffa Ca m^rnor JN^, m0strando assim os Re.
Manoel Joze de Serqueira. -~ ^P r)etaveis varoens de que se ella compoem,
Joze Al ves da Silva, Capitao e Comman- JJ^SC descendentes dos Vltras
Vidaes, Negreiros, Das, e CamarSes.
Frustrado assim o plano desse Proteo pe-
utico ; desse hornero eujo carcter concisa
te em nao ter nenhum, elle recorre: aoex*
Capit
dane? Estava reconhecidos.

>


.,------- -- interior asas- uaetano oa nuva m-..^6------------
pela sua na conduta. o "tenor *sas Goiana, acompauhou
.'ina-se cruelmente os ^adaos mesmo meo od, H,e n)aisclalo
dentro de suas cazas; osBezemba gado- de -Viva o Imperador absoluto -
Levs, com suas in,|uus<"> =-.------
des! promovem a revolta na Provmc.a.
As nrizoens apinhadas com prezos seos
procesaos se eterniza em quanto a fome
e a mizeria va dando lentamente cabo
delles. O cruzeiro, e oSiuiy do Povo, re-
digidos por esses dous Ministros, o Viga-
rio Francisco Fer.eira Barrete, e o Fa-
-T

l neme tuuu ww v.. *>-------Tu ?
Porque nao gostaro esses henhores r
Paciencia, Senhores, Paciencia,
Que eu a tive taobem at agora.
Sr. Edictor, para que os Excellen-
Huimos Srs. Thomaz Xavier (Jarcia de
Almeida, e Anlero Joze Ferreira de Bn-
to nao iffnorem o que vai por esta Provii*
rio Francisco Ferrejra brrelo e^o r -~ ^^ em
dre Joze Marinho Falcao Paddha, ati- a,qu i h obrigar
indo o facho da discord.a, promovem a estimavel Itamo c q Venerador#
anarqua, emitindodescaradamente .deas aseo
ubversivas da forma do Governo jurado
por toda a Naca : o Sr. Promotor do
Jury, onseivando-se mudo equedo, com
sto seua importa, OsSrs. Jmzes de Paz,
sem cumprirem seus deveres, deixao a
_ i_ t___..:<- .-ii unMPlide .lao

Avizos Particulares.
AEicistekcia de Bilhete por se venderem, tem sido
o nico motivo, e im ueahuai antro, d in-moru do
,o das rodas d- Lotera ; W*^ *2
dnoro,o, o reo de policial iJo r*
Na Typografi-a do Diario.
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZUCOKU9Y_CKMPHF INGEST_TIME 2013-03-25T15:00:32Z PACKAGE AA00011611_00415
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES