Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00400


This item is only available as the following downloads:


Full Text



1

.
\
>
I


Anuo de 1820/

*

DIARIO DE PERJNAMBUCO.
Subscreve-so na Tipografa do nesno Diario roa Direita N.I67 1. andar nezes por 640 res huma falla
ne sahira todos os das otis.

Segunda Fbir 11 de Agosto. S. Tiburcio e Suzuna Mm.

Preamar as 2 horas e 30 minutos da tarde:

tt
s
CORRESPONDENCIA.
*JJNr. Edictor. Ao 1er a celebre ra-
rdade inserta no falso amigo do Povo do
I. de Agosto, a minha indignacao su-
bi de ponto, por ver como, se calumnia a
corporacao dos Lentes do Curso Jurdico,
alias distincta, e digna da consideracao
dos Brazileiros honrados sob todos os res-
peitos.
Depois daquelle atrabilario escriptor
referir na sua insulsa endeixa, que a U-
niversidade iria pelos ares, se acaso con-
tinuarse o Jury, isto > que se este fosse
repetidas vezes, nada. aproveitariao a
Estudantes, accrescenta na nota, que a
pez a r de nao seretn feriados os cMas do
Jury, cora tudo se derao ferias na Acade-
mia, a fira de se darem vivas de pertur-
bacao! Confesso-lhe, Sur. Edictor, que
urna tal proposicao revolta, e nao se po-
de ouvir sangue fro : ella provoca essa
colera heroica, que nao do hoiem sem
mrito ; poi a indignacao urna paixa5
nobre e legitima, e que so desconhecem
essas almas de gelo, e insensiveis, que
nena um zello tem pelos iuteresses da Pa-
tria, pela causa da Justica, e da Razao,
. Quando os feriados nao sao dezigna-
dos por Ley, se a cazo os Lentes os dao
urna, ou outra vez por qualquer motivo,
o podem fazer, nao avendo Ley, que tal
Ihes prohiba, por conseguinte, se no dia
31 de Julh, a que se refere a rardade do
Amigo do Povo, ouverao feriados no Cur-
so Jurdico, e se, como elle affirma, fo-
rao dados para que os Estudantes dessem
no Jury vivas de perturbaba5 isto impor-
ta o mesmo que dizer, que os Lentes sao
inimigos da ordem ;!pois quem propugna
per aquella inimigo desta. Mas quem
e inimigo da ordem, i nimigo da Ley,
logo os Lentes do Curso Jurdico sao ini
-
migos da Ley. Eisaqui o qu se depre-
hende daquella infame rardade, sugeita
ao cadinho das reflex5es ; porei nada
menos era de esperar de escriptor tao ig-
riobil, todo votado a causa da sem-razao,
cujos improperios, bem longe de denegr*,
rem a fama das pessoas, contra as quaes
se dirigen^ sao pelo contrario o seu mais
completo elogio : com tudo como a impu-
ta cao seria, seria de ve ser a sua respos-
ta; pois la calomnie est un charbon,, qi
noircit, quand ne bride pas; ( BeauK*
euje porque nem sempre o Publico aju" '
iza rectamente, deve ser devidamente esj
clarecido.
A Ley nao tolhe aos Estudantes a li-
berdade de irem, ou deixarem de ir s au-
las, e quando faltao ellas sofrena a pena
( se puagp pode chamar ) de se Ihes
marcar -Talta. Sendo isto assim tica e*
vidente, que, se os Estudantes concorre-
rao em grande numero no dia 31 de Ju-
lho, para assistirem ao Jury, foi porqu
quizerao, nao aVendo Ley, que tal Ihes
prohibisse, sem que alei vosamente se di-
ga, que s Lentes derao de propozito fe-
riados nesse da, para os Estudantes con*
correrem aquelle acto. Demais, que
se importariao os Estudantas com urna
faita, quando os .Estatutos exigem quinze
sem causa para a perda do auno ? O que
provaa.reu.niao dos Alumnos, do1 Curso
Juridio no dia 31 do passado Julho, pa-
ra assistirem ao Jury, nada mais *, se nao
o amor da Patria, da Liberdade, e da
Constituica5, em que arde essa estudiosa
Mocidade, por ver as formulas, organ isa-
cao, e marcha fjesse Tribunal Constitu
cionl; e sobre tudo porque aquelle dia
era designado para a reuniao do primeiro
Conselho relativamente Abelha; e nin-
guem ignora, a na5 seren os columnistas,
que a causa da Abelha move o interesse^
i 4H
f
tf



MM
I
...


Vi


.

??siT

.
(680)



e disperta a curiosldade dos homens sen- remas instituicoes liberaes, para retardar
satos, e verdadeiros Constitucionaes. os inevitaveis progressos do seu paiz. A-
O que fica dito era bstante para res- consethamos pois ao Amigo do Povo, que
pondr esse novo apostlo da aizaoia ; deixe de fallar nos Lentes do Curso Juri-
porem, como dezejo prostra-lo d'uma vez, dico, e que continu a redigir o monstru
I vou mais longe com esta carta. No dia oso agregado de parvoices, com que en-
31 de Julho nao overao feriados de pro- che a sua Folha; pregando por ex. que
pozito; pois o sino tocou para as aulas, e a Constituido abunda de formulas De-
oDoutor Coelho, querendo dar aula, nao mocraticas, pelo quenecessita de refor*
o fez por encontrar somente dous ou tres raa ; o que nao merece a'attencao do Sr.
Estudantes. Alem de que no dia 3 de Promotor, talvez porque um erro de
Agosto ouve nova reuniao de Jurados, e entendimento, e nao de vontade, pois
com tudo ouverao todas as trez aulas ; quem mal sabe, que couza e' zeugma, ou
mas nem por isso os Estudantes deixaro anaphora, menos poder entender a Cons-
cie assistir aquelles. Pedimos *ncareci- tituicao, e peior analiza-la.
damentoao Amigo do Povo, que explique Era fim termino esta, contando-lhe
isto com urna nova raridade. E ainda tima historieta a respeito de Scrates, que
este impostor ter a impudencia de dizer, vem muito ao caso. Tendo hum manee*
que os Lentes da5 feriados, para os Estu- bo imprudente dado um coice no Philoso-
dantesassistiremaos Jurados? Mas, diz fo, alguem lhe aconselhou, que o aecu-
o Amigo do Povo, que no dia 31 de Ju- zasse perante o Magistrado; responden
Ihosederao vivas de per tur bacao. Serao muito de pressa o Philosofo cm a Sua
por acaso vivas de perturbacao os que fo- costumada agudeza Queris vos, que
raodadosaConstituicaS, S. M. I., eu leve um burro Juizo ? Applicando.
Assemblea Legislativa, Liberdade de o cont digo, que pode o Amigo do Povo
Jmprensa? E' ate onde pode chegar o urrar, e dar coices todos os sbados con-
abuzo das expressoes d'um mo escriptor, tra os Lentes do Curso Juridico, que se
que acada passo rompe os diques sua deshonrariao entrando em lica cora tac/
protervia Mas que! Aquellas vozessa5 abjecto, e desprezivel adversario, pois
muito euplionicas, e somente gostao dellas como diz um Lrico Portuimez
os ouvidos Constitucionaeg : osservis, os
Ladrai, mordei-vos caes, que um omem
serio
Nao sae com charlataes ao desafio
Sou
Seu constante leitor '
Um amante do Curso Jurdico*
-------------------#........
columnistas nao as podem sofrer, seu tym-
panotem urna construccao muito particu-
lar, que os Phisiologistas ainda nao desco-
brirao. Porem para que me canco eu? A
raridade do Amigo doJPovo, Sr. Edictor,
se explica d'outra maneir. Tenha paci-
necia, sofra-me mais um pouco. A muito
tempo se pretende beliscar no Curso Ju-
rdico ; porque esta Instituica


A anuncio.



e urna
nova barrena, que encdntrou a Socieda- T%
de das columnas e felismente a aura, que J^EDE-se ao Sur. Cruzeiro 72, que em
adeja sobre Ohnda, ainda nao trouce em abono das suas reflexSes ahi insertas pro-
suas leves azas partculas contagiosas da- ve, em que consistiu o procedimento a-
quella pestilente molestia. Ora, como o narquico dos Estudantes no dia 31 na ca-
nr. Amigo do Povo encontrn urna a- za do Jury, afim de se lhe responder ao
bertazinha, sahiu-se com a sua raridade, pe da letra. Alem disto- que prove, que
addmdo-lhe a insultante nota, em'que ta- os vivas dados S. M. I. e Constitui-
xa os Lentes, e Alumnos de amantes da cao forao por cerimonia. Sim, oCruzei-
perturbacao. Faltou-lhe accreseentar, ro parece, que se uhra por si
^ueelleserao--Demagogos, Revoucio-
N *
I

*l
.
V
narios, Inimigos do Aljar, do Throno
4ec. porque estes sao os lgubres lugares
commuos, de que lanoao.mao os mal in-
tencionados, que provao somente a agi-
t^cao d'alguns gnomos reduzidos a ca-
Uunniarcm Cidadaos probos^ e invectiva-
cruzeiro, e compa-
P'ra os columnas,
nhia
O dom da liberdade he dom snpposto.
Pois que far-ei ao ouvir taes chu&lataes ?
Manda-Ios bugiar he o melhor gosto.
i
'

-*


/
'-.
. .

* i
Cotinm^ad da Lwta do Correio. d Shorts Assignnts errtr tlft
ts seiis Cartoons.
Francisco de FfeUas Gamboa.


-

A


f

217
8 "
9 -
SO- *''
1 "
.3 "
4 "
5 tt

,Ntonio Joze Santa Arma
ha
Soares
f


(> "
-7 "
a.
so "
i
2 *<
.3
4
ir



u
ce
r
<\
U
<<

-


5
7
cS
9
40
I
2
3
4
!
7 "
8 "
9 "
50
1 "
2
4 "
5 "
Souza
Silva Castro
Sautos
Silva
'i Barroca*
" Carvaiho
Souza Gomes
Silva Gomes
" Reis
Theodorio
Teixeira Lima
Vi eir
" Ramalho
Lope? Chaves
Lima
Pinhtiro
Ribeiro

ti

u
*t
tt

tt
tt
tt
tt
u
it
.




M





i



..
*
m Avizos Particulares.
aEM precizar de huma pessoa para
administrador d'engenho, hbil pa-
ra ludo mas, pois sabe le, escrever,
contar, e se tem aplicado a agricultura a-
nuncie por ete Diario.
A pessoa que estiver em circunstan-
cias de ser Feitor dehum citio, e que sai-
b trclar d Jardifn ou flores, difija-se a
caza D. 4 na ra da Alfatfdgavelha.

Vende-se*
HUma canda grande aberta, e una de
carreira, ambas em bom ttzo, e htuA
prio caneiro, moco, e serti defeito, ou
vicio: na Pracinha do Livramento loie
D.26.
)eis vaccasboas deleite, humas coni
crias de poucos dias, e outras1 prestes a pa-
rir ludo por preco cmodo s na Cidade de
Olhida ra do Va radon ro caza .- 20.
Garrafas de licor de diferentes qua-*
lidades a preoo d 160 rs. e dando a gai<-
Meirels Souza Freir rafa a 190 rs. porem adverte que a menor
Martins Arfea porcao que vende h 100 garrpfes: n*.
Brandao ra Direrta D. 57.
f* Maiota Huma venda cita as 5 pots: na
" Costa I -mesma HK?* 7o. ..."*..
Marques_Bi-aga ,
AcnmiHBe. >
irf qwartao, rroVo, riopfteri do Cal*-
jW, qem for seu dono dirfja-se fu
do Livramento D. 10, quedarwfa ssrg-
naes certos lfie ser entregue.
Huma negrinha, na rea, a qual naS
sabe dier ^uem he seu Sr., quem fr sea
dono procure no forf do Mato prenda de
Joze Nutt Lima que YsLjg \he dir q*em
a tem, e dando os signalcertos Ih ser4
entregue.
Alluga-se. '

'
Santos
". Silva
Luis Souza
f< Viraens
*!

- *


" Fe mandes
" Jezus
Mo reir
Machado Cordeiro
Dias .
Vanna ,
Medeiros Reg
Mendes Santos
ManoefBaptista

:
,:.,
Continuar-se-ha
Theatro%
.
-
HUitfA caza frrea, ou loja, sendo ri
_irua do tange!: na maDreita no
rlEn^A feir| 11 do crrente a beneficio ArmaZem de louca junto a Tipogra{ia 'do
Jt do Contraregra deste Tneatro se re- Diario,
prezenta a heroica comedia irttulad Negras, para venderem teuca -. no
HeracKo Reconhecido hum dos me* mesmo Armazem cima.
Inores Duetos, eoEntremez da Afdeia
de loucos. A Comedia por nao ser rpre- Fllftot-S.
gentada a muilos anuos, e pela pompa, e |kTO da Segunda feira 10 do crrente
brilhantismo com que vai ornada agrada- JC^I Agosto de 1329 do Armazem de
rsemduvidaao respeitave publico. Francisco Antonio deOliveira na ra da

-


-'
'


r.

ii#
*

(682)

fandega velha N. 4, bqm molecote
novo, vindo prximamente de Angola na
Galera Tamega, o qual reprezenta ter de
idade 18, a 20 annos, e tena marca no
braco esquerdo S, e levou tanga de chita
azul com flores brancas : quera do mesmo
der noticia, oudescobrir o freguez que o
agazalhou, dando parte a eu dono ser
bem recompensado.
D
Noticias Martimas.
Entradas.
-.N
S
Escravos Fgidos.

J\\. 7 do corrente. Pariba; 4 di-
as; B. Amer. Calliope, M. Jery L.Page,#
equip. 10, carga farinha, e mais gneros
da America, a Ferreira & Mansfield.
Rio de Janeiro; 17dias; B. Ing. Trusty,
M. H. Wylie, equip. 8, em lastro, a
Harrisson Poole & Latham.
Oa 8. Barra Grande ; 24 horas ;
Jliao, marinheiro idade dei 18 annos, Hiate S.Antonio, M, Joze Mathias de
sem ponta de barba, e milito picado Miranda, equip. 9, carga assuCar, arroz,
debixigas, estatura, ha i xa, com asmaos eazeite de mamona, a Lourenco Joze
pretas de alcatrao, fgido'no dia 3 do ^ Neves, passageifo Domingos Joze
corrente, com calca azul de pao/ e ca- Soldado de Ordenanca.
miza d'algodao com nodoas de ajcatrao, Da9. Unna; 24 horas; S. S;
e consta inda andar nesta Praqa : os a- Antonio Valerozo, M, Gandido Nepomo-
prehendedores levem-o a ru das Cruzes cen0j equip. 10, carga assucar, a Quei*
em caza de seu Sr. que he Francisco r0sFonceca, passageiros Joze Machado
Gon^alves da Rocha caza N. 7, que Ferreira^ Gonsalo Ferreira da Silva,
era muito bem recompensado. Francisco Alvs Cordeiro, e o Teen te
Antonio, de na^ao rebolo, estatura Joaodo Reg Barros Acciole. Porto de
ordinaria, qouca barba, descorado, per- podras; 24 horas; S. Estrella Matutina,
/)s finas, queixadas altas, em hum dos m. Francisco Nunes, equip. 9, carga as-
pes tem o seguudo dedo levantado. Joz sucar> a Antonio Rodrigues Lima, pas-
te nacao rebolo, alto de estatura,, e ma- gageiros Francisco de Paula Bandeira,
.gro, pernas finas, e meio corcovado, ca- Francisco Gon9alves Leandro Joze de
ra xata, barba feixada, e as espaduas lar^ Souza, Joao Vicente, e Simao JoZe de
gas. Caetano, de nacao Quissammam, Vasconeeltos. II ha de Madagascar;
de estatura alta, semblante ri^pnho, per- godias; B. Amer. Ford, M. James Pri-
nasgrossas, pouca barba, e com hwm si- or> equip. 10, Carga carne seca, a Fer-
catris em 6ma do peito do lado direito, ao ^^ & Mansfield, fas quarcntena de 3
correr do corpo, em a nionheca da mao ^'lVL3m
csquerda tero hum caroso que s $upoenj Sdhidas.
tef do desloucada em pequeo, levarao ^^^
vestieos todos tres carniza de: baeta encar- J\ do corrente Costa da Mna
nada de mangas curtas calcao curto de g^ p Francisso dos San-
linhae-em erossa, e cobertura da mesma ** DUIU "*', ,.- .
nrt;t u A{a an r- tos, equip. 21, carga diferentes gneros.
Goianna; Can. Lialdade, M. Joa-
quim Joze da Costa, equip. 8, carga mo-
lhados.
t)a 8. Salem; B. Amer. Olinda,
M. D. H. Mansfield, equip. 8, carga
assucar, e couros. ,
Dia 9. -Maranhao, e Para; E. A-
mizade, M. Christovao Jlenriques An-
drens, equip. 12, carga diferentes gene-
ros, passageiros Maria da Silva Pedro
Cardozo, Maximiana de Araujo Quintel-
la, Francisco Teixeira dos Res Guiua-
raens, e 1 escravo.
^
a'


baeta, fgidos na noite rdo dia 2 do cor-
rente mez, viado do Citio do coqueiro es-
trada de Beln de donde vinhao para ca-
za de se Sr. na ra dos Tanoeiros o
Guarda Mor d'Alfandega Jacinto Joze
Thomas da Silva: os aprehendedores le-
vem-os ao mencionado domno que serao
bem recompensados do seu trabalho. Po~
is desde ja protesta o mesmo anunciante,
contra qualquer pessoa que occultar os di-
tos escravos.
I

Pernamlmco mi Tipografa do Diario.
*,
.
\*.
__
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ87PJFBW_9XSNOC INGEST_TIME 2013-03-25T13:18:52Z PACKAGE AA00011611_00400
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES