Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00396


This item is only available as the following downloads:


Full Text

MMk


N. 160
.
Auno de 1829.
DIARIO PE PERftAMBUCO.
A
Subsc.Se na Tipografa do mes*o -D^io roa fiireUa N. 67\ ,,.
' nr. Wl. *odarmmai por 40 res Lama folha
qae sohir todos os das ot^is.

" M
?!*!!il!!^DE AGOS'ro- & &* "^
/"reamaras 8 horas e6 rntnnlos da rbanha

S.
CORRESPONDENCIAS.
Sr. Edictor.
c-*a-D^(


----Uppos'to quena carta do Constituci-
onal, nao collega da 'blha, inserta no
t opa Pernambucana de entaS; que ta3fi.
f lora no pr.me.ro de Junho, de A*
nelS2, quando, cominandad* por P-
droso, concorreo para a dsolcaoda pla-
Amigo do Povo n. = 9' e do cu >T",""'""' ,y,,15"l:,a Uo overno, ta
Redactores do Cruzeiro, natneofferet mo Pedirte *!&+****%*
duvida alguma o sen primeiro art^l Sovemo W; retlrar P^9 Cabo o
>r me padecer conformeP razao, Xl Sa" eS^T/1"""^ qUe ***
va o segunda artigo anda me obriga? a ross Sffi^^E* ^ deBiU>
pefar da sua falta de rsposta s minhas noZZ cano doPo?-, antecedentes, a fazer-Ihe as seguintes T='^tlXvV "
perguntas. s ",Jo a "delidade aojrame.
i: Poique raza esse Ccstitucio- S^JS$?Z& **
tendo s.do tantos os socio? dos elnbs tender do Cruzen, ^"'"f I""6 e"'


doQi


- -.......*, ,ia ima uh. ca-
nela, da Praea da Boa-Vista e do fW s o a -...^rur
i-edordo Bispo,. 9ne em Ss/^ttW seu coi.ega SSf1^ d
a Independencia do Brazil, e a boa or- indP S? ^ P' atacando
demdesta Provincia, (0m adlllTao a do a Ss L0*,6 m0,'t0S e obri^-
forcad'arma*, da demaggica ejlZnt m^Z^r^^'-^ P'^ria-
ca Junta Provizaria doGoverno"z faS nereS /TOrna social, que
menca honrosa de cinco dos"eus Wustret or7ZIV "^ *>"**. u ter
Membros, e entrega ao JgS2ffS SuKSXft. ^^
Pedrosos, os Madeiras os fiarme nfl. -e lan9ar-nos em huma geral
Menezes, os T ^enc.os! SSE?"' ^ ^ ? a ^
os i^eitoes, os Candidos, os Emilianos, Gimin ir wm* V ,_ *
osLanoias, os Calengas, os Caninanas explS*fJa^!2,^da *
outros mu.tos, que a historia desta Pro- das, e indica^e ^f f? !?as D?^
2.c Porque razao esse Constitucio-
nal, fazendo fnebre commemoracao dos
Cabos do Batalhao Ligeiro, chamados
Gervasistas, e dos que a final se denoiii-
narao Carvalhistas, se esqueceo de hon-
rara memoria dos Pedrosistas, Morga-
distas, &c. que os intermederao, e que
tonto concorrera para a Independencia
do Brazal, e tranquillidade dcsta Provin-
cia.
9, Porque fatalidade a mesraa
bou o seu constante leitor
O Curioso.
*
_, Snr, Edictor.
XjEpdo o Cruzeiro N. o 67 nao deso-os-
tei da ra vmha com que rezingaja a seu
Redactor cqm o da Aurora, e entretido

i **



.

I
- .

^








nesta rezlnga fui continuando cora a lei-
tura, at* que finalisou-se, cora huma ex-
clamacao em altisonante tomImpera-
dor, e Coutituicao. Constituicao, Sr.
Edictorfi! is aqu huma das raridades
tloSeoulo 1*9 (\iisse ca cmigo) qe po-
da ser encaixada como a sexta, no Ami-
go do Povo. Entregando-me todo a me-
d Wcoes nestes fenmenos, 1embrei-ie
logo de 'huma- historia, muito anloga a o
-cazo, qe*ninhamaecontava-me quando
m quera eximir de dar-rae a merenda
quOtidiana, Ora la vai tal e qual r Ha-
vianoSetao dbPianc hum'Sertanejo,
que viva d criar galinhas, e muito se
desvellava com huma pata choca, pela ex-
peliente ttttthada, que criava de patinhos.
Muito searrepiava o bm do Sertanejo
quando encentra va diariamente morios
*hum ou doii9 dos patinhos. Desgostoso o
nosso encofrado' conl este prejuiso, que
tatito o tnortificava, trato deexpreitaro
pa pao dos seus patinhos. Vai senaS
quaiido hum da, em que hia buscar agoa
ao assude, encentra com hura monstruoso
Sapo Curur, que na mesma occasjao
muito forceja va para filar hum dos pati-
nhos. Ora remeta Vm., Sr. Edctor, qual
devia ser o furor do Sertanejo uestes aper-
aos Eu Iho digo. Abandona a borraxa,
e a cuia, e precipitando-fe todo sobre o
Curur com huma faca de arrasto, pode
a final, depois de hitar muito, pilhar o
referido f*apao, fiem feri-lo. Que alegra,
-que praser a victoria-! H Depois de taba-
quear 6 gso com o Cprnimb^ue, passa q>
Vetcdor a sentenciar prskmeiro, e
'qnerendo agoniza-lo cora hum spplicio
nero bichinho, ovino a sua terrivel sen-
tenca fpos n'esse tempo elles ouviao e
falla vao) com voz enternecida supplica,
qu visto morrer, quera terminar os seos
instantes de vida em 'Jiuma fogueira; a
aja cxclamacao responder o enfurecido
Caneludo em tom DitatorM : Lembras-
inehum suplicio mais horroroso, porem
nao con ven lio, para nao satisfazer aos t-
\w desejo; e muito sajihor. de si o diab-
lico Sertanejo conduz para o assude o ve-
Ihacao do padecente, e aleando o muscu-
loso braco, arremessa-o dentro d'agoa.
Veja agora o resultado, Sr. Edictor. O
Curur depois de dar estonteadamente
hm.-profundo mergUlho, ver a superfi-
cie d^agua,e deca&eca repitnpada encara
^ara-owttipicte Sertanejo, *>ca a mote-


&
.
jar n'sta fraie ~ Ai, meu bobo, cahfste
na corrila, tornando a refrescar as
queixadas com outro merguho, continuou
Repara, meu esquentado, oomo seen
gabella os defensores dos patinhos- E
nisto acabava minha me a historieta.
Dar-se-ha acazo, que o Redactor do Cru-
zeiro queira taobem adoptar a espertesa
do Sapo Curur4. Eu Ihe digo de que for-
ma. Como este Sr., e a sua Confiara Ja-
pnica tenha observado, que, apezar das
suas bravatas, e lingoagem desaforada,
nao tem podido realizar os seus projectos,
he muito provavel,que em ultimo resulta-
do recorrao agora ae*taardilosa, invencao
praa ver,sepormeiodaarmadilha, nosooin
espirito de indfapozicao e vinganc.a mar-
chando para o extremo inverso, hiremos
precipitar-nos no abismo do absolutismo,
por elles tao suspirado!!! Para eutao
nos poderem entoara palinodia do Curu-
r !!! Est engaado, Sr. Sapo Cruzei-
rista, nao ha de nadar repimpado no assu-
de do Despotismo; seVm. tentar comer
os patinhos, os seus Defensores o hao de
torrar as brazas da Constituido, perce-
be ? Basta, de historia, Sn Edictor do
Diario, se jhe achar alguma gracinha,
logo he contar outra o seu respei tador
Viva-o-TrambolIw.


---------->*
Sr. Edictor.
I.,.
No A que estivessemos dispostos nao
darpalha a bstab, e tratar com desrprezo
esta infame sucia Japnica, todava nao
podemos deixar da fzer algumas reftexo-
es sobre as asneiras emittidas pelo oSioie
do Povo, no sen N. 10 Raridade
quinta, mesmo para mostrar-mos a este
abominavel Sectario do despotismo, que;
nao tememos.
Grande a aversao d'este captivo
as Lentes, e Estudantes desta Acade-
mia ; ^o que muito nos honraj aprovei-
tou-se da nossa ida ao Jury, de Sexta 'feira
.31 deJulho, para man i es tal-a, produ-
zindo tfm montao de absurdos (o que ad-
mira ser em tao'poacas liuhas).
Diz este charlataS, que se derao fe-
rias nesta Academia para se ir aoJury
com toda a solemnidde dar vivas de per-
turbaqao.
'&Mti*e/trias, % mentira: t
T


-

w:

.

! '
.
f*5)

3 " ce te tt
4 i
6 (f -> 7 8" 9 *'
10
1 *
2 3 *: te
4 '< te
5 .' te
6
ti
tt
Marques
Mattos Basto
Nogueira
Oliveira
Vi eir Braga
Peixoto Silva
Pinto
Pereira
' Bastos
' Caldas
S
Queiros
Res
Rodrigues
Mala
Nasci*
* ment
Silva
Barroca-
re
te
cou 6 sino as hora do costume para as 100 u
aulas, cuje salla esteve a berta. Dois dos
Lentes l nao fora, porque todos tem o
dreito de dar tan certo numero de faltas
inda mesmosem motivo justificado, logo
au houve feriado, mas sim falta, a qual
nao pertence ao oSuue do Povo marcar,
porque ha aqui quein disso esteja encarre-
gado. >,'
Derao vivas de perturbaba, para a
sucia colunatica verdade, porque nada
Os perturba niais do que a palavra CONS-'
TITUICA, quanfo mftis-aj untando-* r-
]he Viva que mostra a firme resolu-
eao em que estamos de fozel-a vivera
custa de iossas vidas se preciso tur.
Entretanto confessaiiios queonosso
oSimy do Povo muito erudito !!!!! A
quadra bella, elegante, sentenciosa, e
merece bem o nome de, rridad.
Havendo sempre o Jury
A Dos! UNIVERSADE.
Boa lgica! E' decolunista! Inda
melhor a exactidao de sua Unguagem:
Universidade quer dizer una Acade-
mia em pe so ha urna faculdade ra-
ridanV, e descoberta nova!
Ferias vem a ser = m diaem que JC^ezolvioos a nao dar-moscapim a e#*
imG houvera aulas tos e estudantes = Taobm significa- go do Povo, protestamos nao responder
cao nova desta palavra, e por consequeu- a quaes quer insultos, ou zurros de nenie
ciararidade! IhattUs burros, e nicamente nos rezr*
Resta pedirmos aos Redactores desta vamos para no Tribunal do Jury mostrar
vminuto peridico, orgao dos infates ao respeitavel Publico, que tao infames
absolutistas, que contimie a honrarmo sevandijas, e falsarios de ladrilhada cara,
como sen odio, powaewpreihe wewoe- nao podem fozer-nos dismereoer do can*
remos, attenta a nossa reselucao de na> celta, que ate boje temos justamente me
abandonarlos a causa Constitucional, recido aos honrados Concidadaos, que
Sbr/ftataotnr, qveica inserir o sen Pe. nos coiihecem, eque nao percizao, como
lioico ttas nhas, caui + que muito o- esses, cuja vida publica, e particular foi>
r.
Continuar-te-ha
' r
ts- Anuncio, -rj
.

R

biigasaaum
Acadmico.

~
,',
Conlinump d* IMa geraldas onrtas re-
tardadas publicada na Admintragao
do Correio Geral de Bernambuco em o
!. ejulho de 1829.
ina hu*n agregado de crimes, e indigni-
dades, que por nossa honra taeremos oc-
cultar, de abater-nos pera nos por a par
delles; pelo que rogamos, que naja o
Publico desuspender qual quer juizoa nos-
sorespeito at aquella poca.
104
6 *
7 "
1
9
A
Nconio Joe ornes Coala
M
tt
tt
tt
M
O Redactor do Constitucional.
Avizcte Particulares.
-JBL Pessoa que annunciou no di a 3 de
JordaeCastro Agosto estar as circunstancias de *er
^jopta Alvos iava Feitor de huoi cjtio procure a Frangido
Lima Joze Tavares Lira, morador na Trempe.
Meireles A pessoa que annunciou querer bu-
Misquit wa caca terrea ou sobrado no Bairro do
^~.
ll


' '
'.....X



' I

T666)
Beeife, em ra que naS fose publica, do Hum muleque para torada trra, i-
precio the 6#000 reis, procure na Praca dade 18 a 20 aiinos; ra da cacimba ven-
da Boa vista caza D. 5, que tem hunt da N. c 9.
andar de hum sobrado em lugar adequa- Os seguintes gneros, hum cspelho
do aogosto de quem procura. grande de salla, huma duza de quadros
Antonio JozePereirannuncia; que grandes, duas parelhas de mangas de vi-
tendo proposto huma pequea rifa conlbr- dro, hum par de catines ehum par de Jar*
me o plano.da Lotera do Seminario, e ros, tudo emmio uzo; Patio do Colegio
por descuido do Impressor, se impremir Loja do Relojoeiro.
logo com a firma de letra redonda, o qu I urna escrava de idade de S a
-
nao he ..de costume (razao porque nen-
huma estraccao tenrlido os bilhetes ), e
anuos, cozinha, ensaboa, e he bem pare-
cida : na ra da Cadeia do Barrro de
para que se efectu este diyertimento, que- ^Santo Antonio no 3. andar do sobrado
podei rezultar vantagens para alguna; D. II..
roga por iso que ienhum reparo facao Hum Sitio de trras em Belem, pro-
neste insidente, por qtmnto o annuncian- prias, com caza nova a qual tem quatro
te prontamente comprir a sua paga, ca- quartos duas sallas e cozinha pnxada fora
*o se efectu, adve t-se, que os bilhetes e com basUnte arvores de diversas frutas;
sao. d- proco de 120 reis, e o primeir quem quizer comprar annuncie a sua mo-
premio he 10C$00 reis, e o mais tudo radia.
conforme o plano; vende-se na botica.do m
Alluga-se.
O'
1. andar das cazas N. .279 na
ra dos Quarteis, com bons cmodos;
na mesma no 2. andar.
Huma morada de caza de sobrado
Vieira na Boa vista, na do Pinto ra No-
va, loja do Bandeira, Aterro da Boa vis-
ta, e na venda do Lisboa ra do Roza-
rio. :
A. D. \ S. Cardial, aviza ao res-
ucita vel Publico que no cazo da sua rifa
nao-ter tefeito com a quinta Lotera ca- com muitos cmodos, e ratificadas de no-
_Ji ________________*_ ^_________fT ifi.i.i xrt\ na i*ha 4a f^nia NI O 1 *-t no tti.i-
r para a seguinte, e quem nao quizer es
-tar pela demora receber o importe dos
bilhetes da maS de quem os comprou.
A pessoa que annunciou no Diario
de 4 de Agosto querer hum primeir an-
dar para alugar, no Bairro de S. Auto-
vo, na
ma.
ra da Guia, N. 1J; na mes-

o
Perdeu-se.
2.9 meio Bilhete N. ? 3288 da
bio dirija-se a botica a ilharga da Sacres- 5. Lotera do Seminario de Ohnda, p^o-
iia do Livrameto D. 28, que Ihedir xima a correr, por isso se previne a quem
o ti ver em seu poder, que neo hum direi-
to tem ao premio, que possa sahir ; e que-
xjuem tem hum muito bom em boa ra.
X!ompra-e
rendo, o pode entregar na ra de S. Ben-
to em Olinda aoTenente Coronel Ignaci-
o Antonio d'te Barros Fa.lcaS. CazaN.
Paos .de rede em bom uzo, pu no- o auiuiuu uc umrus *,fl.ii'ou> ^a
vos; Aterro dos Afogados, na caza im- 12, de quem receber seu adiado,
mediata ao sobrado de Joze Goncalves, H
'OU annuncie pelo Diario. .'
j Hum escravo Pedreiro, mulato, ca-
bra, ou negro; namesma caza cima/

:XDX-
Noticias Martimas.
Entradas.
."
&
Vende-se,
JUuas moradas de caza com bastantes
cmodos, duas estribaras, quintal mura-
do, epert do rio Capibaribe, no lugar e Babia; 22 dias, trazendo do ultimo 5,
deS. Anna, e taobem se troca por otras Paq. lng. Royalist, Com. Golen W.
na Praca ; ra Noy D. > 29. v Eamelius Nash,
D

ia 3 do correte. = Rio de Janeiro,
.*


FwMmUuco
d^^^D-
-s


i

T
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJ8R7HW5K_W8E50K INGEST_TIME 2013-03-25T12:32:32Z PACKAGE AA00011611_00396
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES