Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00352


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*



I.




N 122.
4.

"Anno de 1829.

fl
DIARIO D PERNAMBUCO.
- -.




Sabscrefe.se na Tipografa do mesmo Diario ra Direita N. 967 1. andar em mezes por 640 reiiboma folha
que satura tonos os das otis. .
'


Sexta Pura 5 de Junho. & Marciano M.

'
Freamar as 6 horas e 54 minutos da tarde.
-




, -




CORRESPOJYDEJYC/jK
Sr~ Ediclor.
. '


C. ,-._'
Onfidado pela carta rio Senhor Amigo
de todos, impre-sa em o Peridico Cruzei-
ro N. 2o para acciuar, como Promotor,
ao A. da prime ira pes* impressa na Abe-
Iha N. II, su obligado, para nao ser
accuzado de dorinfrite no exercieio dos me*
usdevere*, emiitir o* prinjpios, que me
cunduzira a na<5 instaurara ucctizocad, pa-
ra que me convid .. Km o Decreto d 25
, de Marco de Ir24, cpie vem i.a tiente da
Consticuiea, diz S. M I O Maior, e
mais Justo de todos o- Imperadoras = i).
Pedro Piimeiro por Giaca de Ueo*, e Un-
nime acLmaca dos Povos, Imperador
Constitucional, e Defensor Perpetuo do
13 r azi i = Em o Artigo 10 da C<>nshtoiy..6,
tendose increado os poderes ^Jo Govc no
Mouarchico Rcp Os Keprezentant* > d, N afino U-a/ileira
sao o Imperador, e a A-semidea G ral em
o 12 se exprime da mam ira t-r-guiote To-
dos estes poderes no Imperio do Brzil sir
dil<->!aces da Naca e no artigo 14 7
s* acba a seguintc Lei fundamental Es-
Collier uova Dina>tia, no ca/o da extiucao
da Imperante Em o ortigo 96 diz mais
O Poder Moderador he a chave de toda a
cVigauisaca Poltica, e he delegado priva
tivamrnte ao hoperador. O q\ie se acha
escrito na Abelha. foi repetido, e descutido
na Assembla Legislativa ilo auno passado, ot a Barra Grande, offerec^o 'o meo teste-
e hum dos nos.-os diguos Heprezentantes inunho em satisficad* do-convite do Jo-
foi chamado a orden; por se separar da o- ven Denunciante
punan da Abelia. Depois do mais aturado soffVimento, a
He hum principio de direito Publico, revntnca rompi o grito da liberdade orn
que extinto hum Governo, pela revoluca, 1817, que se repercuti em tod.s os angu-
retorga o- poderes primarios, cedritos pe- los de Pemamlv c>, e chg o a.t as Pro-
lo> Poyos ao autigo chi fe, aos cedentes, e vincia limtrofes coto o designio de lber-
que estes, pata fogiretn a anarehia, he tar-se* o Brazil to tirnico ugo Pottuguez,
livre mudar a (tama do Governo para a qfle e esta Provincia do p. dorio, e afiogaucU
jnlgarem convinhavel coiiscguirem o seu de bmna do/ia de mascati s, e lvemenos,
be/o estar, eedeiem nutra vez os niesmos, que boje fazemas dilicias da. Columnata
mas, ou menos iiito* ao Poder, ou Po os quaes odetavao, e odeiai o noma
deres, que elegerem, para os dirigir.
S. M. I. sem duvida Ama ioais ter si-
do chamado ao Throno Brazileiro pelo a-
mor, que Ihe cornagrava os Povos, em
raza das Suas Virtudes, e Real Mt reei-
ment, do que pela Alta Dinasta, de que
Decendia ; porque a decendencia de S. bli^
me Estirpe, he obra, para que Elle m.5
Trabad liou, e o amor dos Povos he todo
filho das suas sublimes Viriude#, epSea
Trotio baz ado no coraga dos Bous Bra/i-
leiros ja mais estremecer ; mnito eub ra
trabalhe o despotismo para medrar no B a-
zil, em quanto Tiver Vida O An^usti>siu,o
Senhor D. Pedro 1 ; a sore dt sses viz
esclavos, nao pausar da de hum jdjpho-
bio, que acabar mordeudo-se, e rasgan-
uo-se de raiva.
Pode ser que eu esteja engaado, que
euerre; ms errando, aprender; por e-
rem os meus sentimentos mui opostos ao
dos Romanos, a quem Horacio repreemlia
em a sua Carta aos Pezoens, ver^. 88, Cnr
iie>cire, pudens prave, quam discere ma-
lo r
0 Promotor do Jury,

1


-.
- .
Besposla ao A'anuncio do Cruzeiro N. 25.
V
%
T.
_rEsTEMNHA occpjar do comportamento
poltico do Sr. Villela Tavares desde 1817
at 1894 isto he desde o Campo da Honra



tftf*
- ,



MM^KBHh
A

>


-

.

(488)



Brazleir ; este grit fo repetido por to- que esteve na Barra grande,
dos os homens de bem, dos quaes muitos Chega ao Rio, e S. M. nao se Tendo
hoje rodeiad o Excelsa Throno do Nosso Dignado de o conlirniar OFereceu Ihe o lu-
Augusto Imperador, occupando elevados gardel.d CirurgiaS do Hospital, acceita-
cargos, e gaiardoados cora grandes Titu- o, c volta aexercelo. ,
los: O Snr. Vil lela Tavares adherio aquella Esta a conducta poltica que tem (ido
rcvoluca, mas couduzio se de huma ma- Sr.VillelaTavares desde 1817 at-1824. Estes
neira honroza em todo esse tempo: ro os servidos pelos quaes obteve oEmprego
prezo para a Daliia de onde voltou- em fias queoccupa; qtiantoporem aos servicos pelos
ue Dezembro de 1821 ; governava entao quaes obteve a merce do Habito dechristo,
esta Provincia a primeira Junta Provisoria* eqaeprovavetmente nao tra sido ntros,
de que era Prezidente o Snr. Gervazio Pi- ninguem rnelhor o pode saber, que o Ex.m9
res Ferreira. Prezidente que lh'alcancou, e Ihe fez esse
Deposta esta Junta por os anarquistas mimo, adquirido com melhores ttulos, que
seduzidos por Einmssarios do Ministerio o de ter concorrido para depozicao, e de-
daquclle tempo os quaes forao premiados senvol vimento da auarquia contra hum Gc-
por sein-elliante atteutado, e cuos* C befes verno acreditado para com S. M. o Impera.-
trazem a insignia com quefora dlecorados; dor, entao Principe Regente.
Snr. Villera Tavares desaprovuu serme Quanto aos trabathos de que se encar-
iante procedimento, e nao teve parte algu- regou quando foi ao Rio, ignoro; e lem-
ma uessa Bernarda : Testemunha* os Mern- bro-me que o Denunciante pode sabe-los ou
- bros d'aquella Junta, do Escova Botas, ou do Soldado do Coi po
Nomeado novo Governo, foi este de- de Polica que aehando-se distacado no Ca-
alojado do Palacio, e posto em fuga pelo tuca: jaron na Devassa dos Pasquitis de ver,
estouvado Pedrozo, e seo ranxo ; o Snr. e ouvir aos Pasquiuheiros!! !! !
Villela obediente ao Governo e sempre op- Estes meamos podia fornecer-lhe to-
postoa Bernardas vai para o Cabo ; onde das as iaformacdes, que quizesse, sem iu-
reoniudo-seao depois a Tropa, e mais gen- commodar a mais alguem.
te ; o Governo volta para o Reciffe, ngu-
Hurm assoile dos Denunciantes.

raudo em toda esta, acea o Snr. Villela
Testemunhas o Ex."0 Mrquez do Recite
entao Membro d'aquelle Governo e as Per-
nambucanas, que redigia o Sr. Villela.
Dimittindo-se ao depois este Governo, Csntinmgad do Duionano Filosfico, Poltico-,



he nomeado Manoel Carvalho Prezidente
o-Sr. Villela ra6 o reconhece, e reputado
aospeito he mandado sahir da Provincia, J)
que nao obedece, e fai para o Cabo, fin- Jt Apa e
f retauto tinha sido por S. M. I, Nomeado, de restar al
Prezidente o Ex." Morgado do Cabo, ho- tos Canonis
je Mrquez do Recife. He o Sr. Villela hum o exemplo d
dos priuciptes colaboradores, e que traba
Iba por empossalo da Prezidencia; conse
a Literario.


a infalibilidade. ,S-'anda po
ma crenca ito eupirito de cer-
sobre a failibidade do Papa,
io Vil. na uncao e consagra-
cao de Buonaparte seria de sobejo para ti-
rar grande crdito a urna tal opinia.c


gue por seos exforcos, e de outros, que a Aquel le fallivel Papa, qtiando punha o
Cmara do Cabojure o Projecto de- Cousti- oleo santo na cabera e as mos de Buoua-
tuicao. Huma porca de Tropa no Recife parte, disse, na Igreja de Nssa Senhora
se pronuncia contra ManoeP de Carvalho; em Pars, no dia2 de Dezembro de 1804^
prende-o, mas nao podendo conseguir o Dos todo Poderoso, que i estes a Hazacl,
fim que era depolo da Prezidencia, marcha Governador da Syria, e a Jehu re d' Israel,
para o Cabo. All eafava o Sr, Villela com manifestando a vos-a vontade pelo orgad do
o verdadeiro Prezidente, acompanha-o pa- Prolecta Elias Que igualmente derramas-
ra a Barra grande, e faz os mais relevantes tes o oleo santo dos res sobre as canecas da
servicos a S. M. ao Systema GoastiUicio- Sal e: de David pelo ministerio do Profeta
nal que deffendiao, nao so na quallidade de Samuel derramai agora, Sr. pelas mi-
Cirurgia em Chefe daquella Tropa, como nhas maos os thesouros da vossa graca, a
na de Secretario particular do Prezidente, lancai a vossa bentja sobre o vosso servo
encarregando-se de todo o expediente da Napolea, que, nao obstante a minha pes-
Secretaria : rindo aquel le negocio, volta soal indignidade, hoje consagro Imperador
para o Recife, e vai ao Rio implorar de 8. em vosso nome.
M. a Confirmacam do lugar para quehavia A este servo de Dos, assim cousagra-
sido nomeado. d seguio depois nao so a abdicacao do So-
Testemunhas o Ex.""- Marques do Re- lio, mas proscripcao, prisa, eaetestaca.
cife, e Prezidente actual, t toda a f eate Papel mota*. Cataclirse, abuso de


i
~
__




mm-




pslavras.... Seja q.ual for a sua hipaiec,
o papel nunca pode ser mocil a, ei renda
cunncia forcada; i. h. em s* obrigantfe a
acceitalo, Quaudo se nao pode trocar inrf*
midiatamente por especies, que tinem,
roubo ama aunada, lauto mi ais odioso que
a arma e a lei; Urn Monarcha fa elido moe-
da falsa 1..... o maior absurdo, que a
imagiuaij pode fignir-se ; e com tudo
urna colisa real, e mu lo real!........
Partido, ou Faeqd.- E* um elemento
ecessario em rodo q rgimen litre; por-
que nao tiai do que um sUfclvema d'opr-
nioes sobre os negocios pblicos. ( Ataur
temos difluido Partido ) A Facea ja qirr
ctser ousa diversa Faccao exprime. "
qualijuer assoeiaca d' hidiv-iduos cora vis-
las, fUjsi^niosy atences, e esforcos a fa-
vor d' interessea particulares." AsCortes
do Despotas sao o peaiz das Face oes ; s
nos G Peridico* Animal de carga, qu se
allugaou por mais o por menos, conforme
a oecasia ; e que, anda nao sendo litiga-
do, sempre o ecco d'iim partido. (*)
Poder.- Synonimo dte direito, no pen-
sar dos Mouarchas absolutos, dos seus se-
cretarios, do9 cortezos, e dos validos. E*
urna aculda'Je de que todos abusad........
Tauto importa que seja um, como que se-
jao todos. Os representantes do povo nos
governos democrticos sao homeus bem co-
mo os patricios qu fidalgos nos governos A-
ristocraticos Em chegando aquella occa-
sia critica, em que os iuteresses da cqui-
nunidade se contrapoem aos do individuo,
certa est a victoria da parte do iuteresse
individual. A* s una diflferenca e que
o poder dos representantes do^Jovo de
curta duraca, e pode dentro d' &m auno ou
dous, mudar para melhor ; as V o poder
, hereditaria e nao tem fiscal, eiita de D-
os Ihe vcuba o lemudio.


Avzqs Particulares*
A.

i
-
;
(Ccnltnuar~sc-h).
Correio*
P.
Ela Admiuistracao do Correio Gerat
desta Cidade se fas Publico que parte deste
Porto para o da Parahida no dia9 do cor-
rente a Escuna Temer idade de que he
Mestre Francisco Joae da Costa as Car-
tas serd lansadas na Gaixa Geral at as
9 horas da no i te do dte antecedente.
(*) Trz-trz; quem ? Aqu
mora oCruzeiro? Espere um poucachi-
nho, que hade ver mes quitos por cordas....
Pe^soa que anuociou no Diario N. 9
Il), percizar hum homem para adminis-
trador de. hum Sitio, anuncie por este Dia-
rio a sua woFadia para ser procurado.
{O5* Por canza da clin va nao liverao lugar
s pergoustas anunciadas para odia de hon-
ten ; odia de boje fi novamente marcado
. para esse effeito.
A p'essoa que ti ver htuna negra, que
siibacuzrniar, e engomar, para potca fa-
milia, dirjanse a ra Nova D. 19."
A pessoaque percizar de hum homem
para escrita de huma caza de Coritmereio,,
oo Advogado; dirija se a Typografia dest,
Diaria, a fallar c que informar quem he. -
A pesada que percisar de hum hometn
para caixeiro de huma loja de fazilda, ou
de rita, anuncie por cate Diario, para mtt
procurado, ''.' Ir
Joze Ferreira Anttmes VIaca, anun-
cia ao Publico que se ATremUara duas*
morada d cazas no beco tapido, e huma
qa ruar do Cotuvello, por excucaS de Jbze
Francisco da Costa, contra os herdeiros de
Antonio Carduzo de Carvalho, o anuncian-
te na5 se lembra se assijfuou a i ruinas Pi-
nhoras nellas por cauza de estar molesto,
nao pode rever beiii os seo9 asientos, e por
isso aviza por este meio a qum jcs Pi
nhora assi^irada por elle as ditas cazas
cornpareca no Catorio do Escrivao Dutr*a
para ser pago em coucorrcncia eom o dito r
exequente.
Os Herdeiros Irmos do falecido Pa-
dre Francisco Joze de Gova S e Albu-
querque, fazem scieute ao respeitavel Pu-
blico, que no Eugenho Araripe do VJeio,
termo de Goianua, e Freiruezia d Pasma-
do dos Herdeiros do f-decido Amaro Ber
nardo da Gama, se a cha e- avado o patrimo-
nio da quantia falecido Padre Gova, e mais a renda anua!
de 25,0G0 rs. desde 22 de Agosto de 1803
que fazem qnazi 26 anuos, e monta diU
renda a quantia de 650,000 rs. o que tnd
est obr^'ado a pairar-se do valor do dito
Engenho, o quaJ dize'm estar a arre;nafar-
seem Praca Publica,'por1 isso fazem dos
Herdeiros este avizo aoa rematantes, para
a todo o tempo uao poderem alegar igno-
rancia, c tudo podem ver ns escrituras,
mxime na em que comprou dito falecido'
'Gama dito En gen ho a 22 de A#o-to de
1803, e se acha no Car torio de Antonio Jo-
ze Pereira da Silva, e em bnin livro de to-
dos os titulos dedido Engreuno, que tem os
Herdeiros de dito falecido Gama, que o de-
9

/
' *

4



,
% -i *1
i
i

(



r






(490)

'
Tem entregar ao arrematante.
Y
- :" '
O Uerdet'ro Francisco Pedro Bandeira de Mello.




Meios ponos..............,...f. ,640
Na loja das fa zea das Baratas, na esqua
da Pracinha do Litraroeuto de Joa Carlos
Pereira de Burgo*.,.

Yejjde-se.

1 Noticias Martima.
--

i

Manoei Caudino de Oveia e Cruz,
roga ao respeitavel Publico a compra dos
Julhetes de sua Rifa, a fim de correr no
tempp marcado ; o quai promete o exacto
enmprimento de ta elegante Rifa : os bi*
Ihetes achao-se a venda nos lugares se-
ITtiirites ra da Cruz, Botica 23, ra
da Cadeia no Recife, loja de Antonio Go- vindo do sed cruzeiro. Rio de Janeiro ;
Entradas.
LFU 3 do corrente. B. Franc.de Guer-
L' Railleause, Com. Low Claperuou,
mes Pessoa, ra do Livramento. Botica D.
II, ra do Rczario Botica D. 11, Pateo do
Sacramento, Botica de Joa Moreira Mar-
qut s, en Fra de Portas?, venda de Fran-
cisco Gill, em Olmda. Botica'de Joze dos
Santos Pinheiro.
Francisco Antonio dos Santos, torna
a indicar a todas as pessoas, que quize'em
prar bilhetes da sua Rifa, poia queja
vendido grande parte d'elles, ruga a
todas as pessoas oue tiverem de comprar
COll|
tem

\ -
e
-

D. G, ra do ozaiio venda do Lisboa.
Hiun escravo, crilo, muito bom car-
pina, de idade 24 auno, sem vicios : na
Prac* da Boa-Vista D. % ou a Botica de Jo-
a Ferreira da Cunha, ua mesina Praca,
juto a Guarda. ?
Pecas de chitas finas de cores cova-
"O ........... ........... ,200
D^as de riscadinhos finos........ 4,000
Bo
Fortuna, M. Mathias de Almeida,
L
e
quip. 22, carga vnho, e inais'gneros d
Paiz, aJoao Evangelista Pereira, passa
gems Joaq'iim Pereira da Cuuba, e Joze
de Freitas Lima.
j. Sahidas.
DiaT* Urnia ; Hiate S.Antonio In-
vejozo, M. Joze Mathias de Miranda, e*
Ditas de xias entre fi as......... 3,840 quip. 9, em lastro, passageiro Joze Pereira
Ditas ditas sobre-finas...;..... 7,000 da Silva. nua ; S. Dezengano Feliz,
Ditas amarelas................. 5,500 M. Joze da Silva, equip. 7, em lastro, pas-
Difas de madapoldcs finos........ 4,160 sageiros Domingos Ferreira da Rocha, e
Ditas ditus entrefino.......... 3,200 Jacinto Antonio do Naseimento = Uan ;
Ditas dito ditos...*...... 2,560 S, Bo:n Jezus dos Navegantes, M. Antonio
Meias fina9 para Senhora
Xitas finas para cobertas, covado
Ditas^entre finas........dito...
Ditos ditas..............dito....
Madapola fino, a vara............
Dito entre-fino... .dita...........
Massos de linhas do Porto detN.
1 a t4................,......
Lencos d;touquira.............. 1,920
Mantas.... ditas................. 1,920
,640 Joze Ferreira, equip. 12, em lastro. Uu-
,140 na'; S. S, Antonio Valerozo, M. Candido
,120 Nepomoeeno, equip. 13, em lastro. = Un*
,100 na ; S N. S. do Rozario, M. ^iburcoJo-
,200 ze dos Reis, equip. 8, et lastro. Unna ;
140 S. Pansamento Feliz, M. Joa Goncalves
da Silva, equip 9, em lastro, passageiros
1,800' Manoei Lopes da Silva e 1 escravo, Da-
vid Joze Martins, e4 escravos d Benio
Joze da Costa.
Chales .. ..ditos................ 3,520 Da 4.= Baha, e Rio de Janeiro; B.
Ditos..;.,.. ditos pretos.......... 3.840 de Guerra Frnc. L. Railleause, Com. Lo ve
Cazemiras finas de cores, o covado ,960 Claperuou, passageiro G. Boilleau.


Pernambucon Tipografa do Diario.

ft

'.'
13 das ; Barca Ing. Tasmania, M. J. W,
Mennell, equip. 13, em lastro, a Smth
Mitchel Lambert & Companhia. Mara-
nha ; 44 dias; F. N. I. Paraguassu, CoTn.
o Capita de Fragata Justino Xavier de Cas-
tro.
Da4. Goianna ; 3 dias; Cau. Lial-
dade, M. Joaquina Marques Peres, equip.
8, carga assucar, e algoda, ao tnesmo M. ,
passageiros Antonio de-Oliveira Mello, a
as pessoas que tiverem de comprar Vicente Justiano de Sa5 Domingos. Rio
o faca, o^s quaes aeha-se nos lugares s- de Janeiro ; 16 dias; B. Frnc. Sophia,
guiutes Pateo do Collegio, foja de Re- M. Setellier, equip. 10, em lastro, a Ri-
lojoeiro, ra Direita, loja de Coiros D 34, cou & BoUeau. Rip Grande do Sul; 25
ra Nova Armazem francez D. 25, &D. 7, dias ; B. E. Silvanno, M. AlvesMadeeia,
ra do Cabug, loja de seri^ueiro de* Joze equip. 17, carga carne, a Manoei Francia*
Felis, ra do Qaeimado, loja de miudezas co Monteiro. Lisboa ; 43 dias; B. Fort.
I

t

.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKEFLJXP7_ME3RRU INGEST_TIME 2013-03-25T12:21:52Z PACKAGE AA00011611_00352
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES