Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00348


This item is only available as the following downloads:


Full Text
f)
>
'

.
-.
N. 118.
>

i
.
Jnno de 1829.
i1
I

DIARIO DE PERNAMBUCO.
Subscreve-se na Tipografia do meimo Diario roa Direita N. c 67 1. andar em mezes por 640 res huma foiha
que sahira todos os das otis.
i



Segunda Feira 1. de Junho. S. Firmo M.


Preamar as 4 horas e 6* minutos da tarde.
C-CU^T> $> CT^W
*
Gontinuagao dos Mrtigos de Regulamento para o res, para a Administrad do Correio. Es-
Vornio. ta multa ser cobrada pela mesma forma,
Aie _. ... que ficaestabelecida para as multas dos que
Rt. 115. b ica sujeito a mesma multa, conduzem Cartas fora das malas dos Conei-
estabelecida no Artigo precedente, todo e os.
qualquer individuo residente as Cidades e Art, )20. Os Com mandantes dos au-
Villas notaveis, que nao entregar no Cor- os de Guerra, sao igualmente obligados a
reio respectivo as Carta, que receber por dar parte do dia da Ma sahida, e do Porto
seus Navios, Agentes, ou Corresponden- do seu destino, dous dias antes, e a mandar
tes, de outro algurn Porto ou lugar do Im- na ooite da vespera, receber as Malas que
perio, e ainda do Estrangeiro, ua tendo houver; excepto quando o bem do ser vico
estas entrado no Correio. Entregando as exigir que elles nao manifestem o seu des-
no mesmo Correio leceber o portador hu- tino, ou o dia da sua partida,
ma-gratificaca de $0 por 100, do que valer A rt. 121. Nos casos sobreditos. o Ad-
o seu porte. miuistrador do Correio calcular sesera ma-
Art. 116. Para que se facilite ao Pu- 8 conveniente guardar as Cartas, que hou-
blico mais o meio de communcacao, que ver no Correio para os Portos do destino
offerecem os Navios Naoionaes de Guerra, dos referidos Navios, a flun de serem remet-
e Mercantes, por todos elles se remetter tidas pelo primeiro Paquete, o que accon-
Malas para os Correios dos Portos do seu tecer umitas vezes, por deverem estes fa-
destino, se as houver. As Cartas, que fo- zer viageus mais curtas : e quando assim o
rem, e viereiu em taes Navios, fica sujei- 'entender, enviara' pelos ruesmos Navios
tas aos meamos portes das que forem, e vi- someute as segundas vias das Cartas de Of-
erem nos Paquetes. ficio, quetiverem entrado no Correio.
Art. 117. Paraofim sobredito todo o Art. 122. Os Paquetes adniitir pas-
Capita, ou Mestre de qualquer Navio sageiros at o numero que pela Repartica
Mercante, dez dias antes da sua partida, da Marinha sera' designado para cada hum,
far declaraca na Administrac^o do Correio segundo a sua capacidade, pagando pelas
respectivo do Porto do seu destino, e dous suas passagens as quantias, que annuaU
dias antes far avizo de que est prompto mente sea arbitradas pela mesma Repar-
paia sahir; e na vespera, depois de nove tica ; at o firo do corrente nuno sera as
horas da noite, hir o mesmo Capita, ou que va taxadas- na Tabella N. 10.
Mestre, em pessoa, receber as Malas, seas Art. 123. Cfe passageiros, que perten
houver, que Ihe sera entregues, passando derem obter passagem nos-Paquetes, deve-
aquelle que as receber dous recibos, hum r dirigir-se aos Gommandantes destes,
dos quaes ficar no Correio, e outro ser habilitados com Passaporie do Ministerio
enviado pela mesma Enibarcacarj com so- da Marinha, ou de algurn dos outro* Minis-
brescripto ao Correio, a quem va dirig- terios, naquelles casos, em que elles os
das as Malas. costupao dar ua conformidade do Decreto
Art. 118. immediatamente que o na- de 2 de Dezembro de 1820.
viotiverchegado ao Porto do seu destino, Art. 124 O Commandante lhe desig-
o Capita, ou Mestre mandar entregar as nara' o numero do camarote, que deve oc-
Malas' no Correio, e cobrar recibo da en- cnpar, passando-lhe hum conhetintento por
elle asignado pelo theor da Norma N.
j i.
Art. 125. Com este conhecimento ira'
o passageiro pagar a passagem competente
na Administraca do Correio, aonde se po-

.



trega para sua descarga.
Art. 119. Todo o Capita, ou Mestre
de Navio Mercante, que deixar de cumprir
com oque fica disposto nos Artigoss prece-
dentes, ser multado de cem a duzentos mil

T~


L__

4
(474;
Ta' nota do recebimento sobre o mesuio co-
nhecimento: e s a vista desta podera' o
passageiro ser admitlido effectivamcnte a-
bordo para seguir viagem. ;
Art. 136. Para pbviar que algum pas-
sageiro desista da viagem depois de tirar o
conheciment, e por falta de noticia fique
impedido o camarote; ,que se lhe tiver de-
signado, havendo quem o solicite, todo o
passageiro, que nao mostrar ao Gomman-
daiite do Paquete, quepagou suapassagem
ua Administracao do Correie, dentro do
prazo de 48 oras, perder por este himples
iactc o (iireito que tinha adquirido para hir
o Camarote, que lhe tiver sido designado,
salvo novo ajuste coin o mesmo Comman-
dante.
Ait. 127. Sobre comedorias se enten-
dern os passageiros com os Coro mandantes
dos Paquetes ; os quaes,- para procederein
com regularidade, estabelecertf, hum pre-
co fxo uo principio de todos os seis mezes,
em huma Tabella, qu sera approvada pe-
lo Ministerio da Mariuha; regulando desde
j, e no entretanto, a Tabella N. 12,
Art. 128. Toda a bagagem/que qual*
quer passageiro quizer l*var nos Paquetes,
am de 12 arrobas de pezo, ou de 8 ps c-
bicos de volume, nao iucluindo o* que po-
der accommodur dentro do sen Camarote,
ser considerada como encomrnenda, e pa
gara o frete correspondente. Excepta-sa
(|uae.s(pier gneros de mantimentes, que os
passageiros quizere.m levar para seu consu-
mo durante a viagem, que uno pagaro
frete.
Art. 129. Os Cotnrnandantes, e mais
Officiaes dos Paquetes, poder levar por
sua coala a carga de encomendas, que fcc
commodarem dentro dos sus Camarotes;
e se levarem algumas encomendas fura des*
te lugar, sera obrigados ao pagamento do
frete correspondente.
Art. 130. O Escrivao do Paquete ter
hum livro, em quelaucaratonme de Iodos
ti passageiros que receber, declarando a
sua qualidade, e o porto do. seu destino.
Art." 131. Os Paquetes poderao, cm
lempo de Paz, receber en^cmmendas de
quaesqoer gneros, e fazendas, que nao ex*
ceda no total o p*zo de meia carga corres-
rfspondente a sua lotaca. Exceptuaos
porem, plvora, e aru.mento, e toda a
qualidade de lquidos espirituosos suacepti-
veis d iuflarpaca ; salvo se taes erfefos fo-
rero carregados por ordem, e coota do Go-
verno.
Art^ 132. O Escriv.au do Paquete, ou
o Official, que a bordo do mesmo suas ve-
xes fizer, ter, para o f5m sobredio, hum
-Kvro de carga, uoqual lanzar seguidamen-
te por ordem numrica todas as encomen-
da*, que se receber en ^ escre vendo-se nes-
tas o numero que corresponder no livro, se-
gundo a ordem, porque forem entregues:
e no acto do recebimento passar tres co-'
nhecimentos do mesmo theor, segundo o
estilo mercantil, pelo Modelo K. 13
Art. 133, Nenbum volume poder ter
mais dedous quintaes de pzo ; e se for de
lijuidoi, nao se dmittirrj sena at barriz
de quatro em pipa.
Art. 134. Todas as erlOmmendas de-
vem ser marcadas, e designadas, com as cla-
rezas uecessarias, usadas em commercio ;s
pezadas, e despachadas na Alt'andega; a-
onde sedaraos despachantes hum mnete,
pelo qual conste tanto do despacho, como
do pezo: com este bilhete se irao Correjo
pagar o frete; e so, a vista d'este pagamen-
to, poderad as encommendas ser receidas
abordo dos Paquetes.
Art 185. O preco dos fretes ser regu-
lado no principio de tollos os trimestres pe-
la Administracao dos Correios, com atten-
ao aos precos corren tes das Pra9as respec*
tivas, que nunca poderad ser excedidos.
Para o primirc* trimestre, quedeve fiudar
uo ultimo de Junho do correte anno, vai
regulado pela Tabella N 14.
Art. 136. Hum da aules do que osti-
ver destinado para a sahid do Paquete, vo
Escrivo fechar o livro da carga ; e depois
dalle fechado nao receber mais encommen-
das, pena de perdi ment do sen lugar. Ex-
trahir do mesmo livro huma relaca da car-
ga que recebeu, e a remetiera ao Adminis-
trador do Cofreio para os ffeitos conveni-
entes.
Art. 137. Logo que os Paquetes d ere m
fundo nos pbrtos do seu destino, o E*crivad
dentro das primeiras 48 horas remetter pa-
ra a Alfaudega respectiva s encommendas,
que ah pertencerem, accompaohadas de
huma relaca& exacta, extrahida do Livro da
carga, para verificaban da entrega; e em
ouira igual certida se lhe passar ia Al-
fondega recibo do que hoiver entregado, o
qual' ser obrigado a apresentar na Admi-
nistracao do Corrcio do porto, aoude tiver
recebidoas mesmas encominendas, na cer-
teza do que fica responsval pelas faltas, 'e
pelos extravos de direitos, que, por sutt
culpa, ou ommissa, accontecerem.
Art. 138. Os Com man da a tes dos Pa-
quetes fiearao obrigados a pagar aos Car-
gadores as avarias, que procederm de de-
f.to do Navio, ondemoacoidreionamen-
to das Encommendas, ou de roubo de todo,
ou parte deilas, ou extravio quatquer, a-
ctMitecido* no mar*; a excepca do qtffe for
feito per torca superior. Para estaindVm-
n sacad percebera 45 por 100 da importan-
cia total dosfretes.de todas as encommendas,
que receberem abordo. Forados casos so-
bredimos os Com mandantes dos Paquetes
i


i


**



f*q>lll......1 II
(4*5)


nunca responders p&r varias, nem a Fa-
zenda Publica;
*~m
i* AVIS.**
(J Ombtte-se aos interessdos
do Cruzeiro, junt Cadeia,
a permutabas deste pelo do
Attrro de Affbgados, que no
cazo de permutado tira cdfti
bra^o novo de Carvalho de
Portugal, e li exceltente
inscrip9a5 fvd em letras
deourosa-A. D. 8. C. h Anti-
dotho do Despotismo, o Sus-
tentculo da Constituido US
com a condi^ao porem, que n
remonto seta clleado en-
trada do Catuc.
Avizos Particulares.
A
Pessoa que anuncion no Diario N.
113^ querer entregar hum menino para ser
desmamado, e educado, e tratado com de-
cencia, emhuma cSW tfbfo procure a ca-
sia D. 12, ra das Plores que rhedirquem
o peftende.
Comprarse.
Hunnv cabra l>ixcV," com basto ntele-te :
na ra Nova ultima caza a frefa, indo pa-
ta a Ponte da Bea-vfe 14
. Vende-se^
Bilhetes da Rifa que faz Joze da Silva
Monteiro, do seu Bngenho de Tabocas com
todos os seus utencilios vendem-se nos lu-
gares seguirt es : no Recife, caza dolfce-
zoureiro Bento Joze da Costa, ra da Ca-
deia loja de J cao Marra Seve, f. Antonio
oia de Joaquim Perefra de Mendenca, jun-
to ao Arce, e na Botiea junto do Sacramen-
to, de Jon Morerralvlaro.ues, Boa-Vista,
Botica da Praca de Joao Fcrreira d* Cu una,
no Atierro, cm caza de Joao Martias Ribei-
ro, Oi nda, uo Varadouro, renda de Ma-
noel do Nascimento.
O muito velleiro Patacho Constan-
cia recentenrente cagado, forrado de co-
bre, e aparelhado de num ludo para quat-
loga viagero, e ludo do milhor, quem
0 quizer examinar pode dirigir-je ea
bordo, que Se efia ancorado defronte do
Forte do Matto : os pertendeodes dirjan-
se aoseu Consignatario, ManOel Joaquim
Ramo e Silva. .J, .- ,
A Sumaca liveira em muito bom
estado/muito veleira, e aparelhada de no-
vo e prompta para 'ualqaer yiagem : quem
a quizer examinar, pode dirigir-se a seu
bordo, quesecba ancorado defronte do
Forte do Matto,,e tratrar do seu ajuste,
na ra da Cacimba com o seu Consignata-
Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Hum Citio, nos A (logados na Estrada
Jo Jequi, todo murado, ccyti htf ni b'om po-
rnal, possov e bomba de cobre, e varios ar-
voredos, boa caza de Vivenda : outro igual-
mente, no mesmo na mesuia, com boa ca-
za de vivenda, sota, e anexa huma EftfM-
iihca de fazer me, trras fficientes pa-
ra plantar tauas, e bastantes arvoredoa,
caza de fazer tarinha, e seus pect enees i
e tabem 10 cazas de pedr e cal, no mes-
mo Affngado, ena mesma Estrada : os per-
teudentes dirija se a ruando Livramento
Sobrado 0.2,2. aunar; declarase que
as trras de todas estas cazas, eCiossao
pr0PFAScaza de Sobrada, que foi do Padre
Manoel do lluro, cm duna meias agoas a-
nexs sita no Bairro-Baixo desfa Cidade,
hiiido para a Fortaleza das 5 Pontas, com
quintid murado, que ten do frente de ra
17 palmos, e a casa 50; algunas arvores
d fruto, e trra para canteiros, quatio po-
9os para regar, e pa-a todo tizo de casa, e
tanque rjara lavar ropa.
Huma venda, na esquina da roa do
tueimado, que volta para o beco do Pei-
xe f.ito, com surtimeoto livre do queso
chama alcaide. \
fluma sorte de trra, seni pencw, e
ptima para toda a lavoura, com huma fa-
mosa planta de 30 carros de cana cri81a, e
5 de Caaaqa, quazi prompta aq Corte, e
50covas de'rossa, outras lavouras miu*
das com 3 vaccas de leite/e hum bol man-,
co, e hum CSCravo cafrefro, e de boa en-
chada, sita na Magdalena, com frente na
estrada do Luca, que segu para a Matriz
da Yarzca: os ptertendeiites dinja-se a so-
brerita venda da esquina da ra do Quer-
Huma afrn^o" o*e*V'eda inteira,, na
roa que fica por detras da lgreja de S. Joze,
buscando ao^ar : na venda da esquina .
1S
Os dous tomos da Historia Universal
IdeBossuet; eguinto Curdo, e Tito Li-
vio : na mesma cima.
Ifum califa" bixor, boa para errar me-
. njno, e bojletreta* eman^a: na ruado
Range^D.^.
^1

*Y>.


I
.


m

I
(476)
Hum muleque de nacaS Angoia, com
officio de Sapateiro :. na Typografia do Da-

TO.
Queijos de manteca do Serta : na ra
do Araga D. 6.
Huma venda, sita na ra Direita,
com poucoa fundos/ com prazo : na meswia
ra D. 60.
Assucar de todas as cualidades, tanto
em rama, como refinado, por preco cmo-
do : na mesma cima.
Hum cavallo, rusto pombo, de estri-
bara, bom carregador baixo : na ra do
Padre Florianno D. 4.
Joze Thomaz de Campos Quaresma
aviza ao Publico, que Ibe falta estrahir,
huma pequea porcao de bilhetes de sua
Rifa, roga- as pessoas que tiverem de com-
prar, o faca, a fim de a concluir ; os qua-
es acha-se a venda na ra da Cadeia do
Recife N. 41, e na ra Nova loja do Me-
ros.
*
Furtou-se.
Deo entrada n'Alfandega o Brigue Inglez
Worrall Capita Meredith Roberts vin-
do de Liverpool e manifest) osegunte ;
Consignatarios Heyworths & Companhi.
191 Fardos
341 Caixas
1 Bah
90 Barris
83 Caixas
51 Barricas Serveja
11 Barricas) pvM^
1 Caixa l Ferra*em
3 Toneladas Ferro
533 Volumes de Faiendas
Manteiga
Queijos
8 Caixas
1 Barrica
50 Barris
9 Caixas
2 Dita
2 Barricas
Cobre
Pregos do dito
Chumbo
Liabas d' algodao
Selins
L
15 Barril i nhos Tintas
Da 30 de Maio de 1829.
..

No da 16 do coi rente, huma canoa
aberta, d'amarello, sem encavernada, com
arga na proa, sem ser pintada, sem pa-
neiro tanto a proa, cony>,^ popa : quem
d'ella tiver noticia,.ffrrija-se a sua das la- Noticias Martimas.
rangeiras, N. 159] que ser recompen-
sado.
Do Engenho do Meio, propriedade Pedira seus passaporles de sahida no da 30 do
de Francisco de Carvalho Paes de Andrade, crrante.
hum burro, bastante grande, edr preta,:
quem delle tiver noticia, haja de anunciar frj
ao dito no Sobre-dito, ou ao seu procura- JL Ara Unoa, a Sumaca Bom Jezus dos
dor, na ra do Livramento Sobrado D. 2, Navegantes, Mestre Joaqun Baptisia dos
2. andar, que Be Ibe dar alvicaras : no Santos, e dono Jernimo Luiz da Costa.
da 29 do mez pascado, hindo para o Ea^e- Para Urina, a Sumaca N S. do Roza-
, ribo do sobre-dito, huns cargueiros com ca- rio, Me*treTibnrcio Joze dos Res, e dono
\allos, desaparecen entre elles hum cavallo Joze Antonio Falcad.
lasa, frente aberta, os quatro pescaba- Para Unna, Sumaca Santo Antonio
dos, e com a marca W: quem delle tive'r Valerozo, Mestre Caurfd Ncpofiioceno, e
noticia, pode denunciar ao mesmo procura- dono Antonio Carduzo de Queiroz Fonccca.
dor cima, ou ao proprietario, do sobre-di- Para Unna, a Sumaca Dezengano Fe-
to Eugeubo. # z Mestre Joze da Silva, e dono Joa5 Alves
Arrenda-Se. de Carvalho Porto.
'Para Unna, a Lancha Santo Antonio
Hum S;tio, com caza de vivenda, a Invejozo, Mestre Joze Mathias de Miran-
margem do Capibaribe, e perto da Praca : da,' e dono Loureneo Joz das Neves.
quem o tiver dirjase a ra da Cruz N. Para Serinhaem, a Sumaca Santo Anto-
5. nio, Mestre Joze Marques, e dono Antonio
AchoU-Se, Joze de OJiveira Cosa.
* Para o Havre de Graca, a Galera Fran-
lluma trouxa de ropa, no dia22do ceza Minerva, Capita Pedro fclaudio
passado : quem.for seu dono* dirija-se Amavel Gaehot.
HoaVista, na Praca, D. 5, que dando si Para Cowes, Brigue Inglez Adriatic
naescertos lhe ser entregue. Capita William Cockerill.
..
SJ2T
&
Pernambuco na Tipografa do Diario.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPB0XGEEL_7IB6FK INGEST_TIME 2013-03-25T14:23:50Z PACKAGE AA00011611_00348
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES