Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00334


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
,?
N 104.
*

-
-
- ,
<

/
Anno re I82).
DIARIO D PERNAMBUCO.
*
?nhsrr*ve-se na Tipoerafia domeimo Diario roa Direita N. 267 1.e andar m mz* por 640 res huma folfca
t\pe sahfr rodus o das nteis.
Quinta Feira H de Maio. &. Gil.
Hreamar as 2 horas e 6 minutos da tarde.



I
Correspondencia da Astre'a.
Snr. Redactor.
Huma palavrinlu cm (eral sobre os traidores
' Ti
a Jratrta%
da corajoza
Opinia Publica, deichaudo o
campo as leis justas, paz, e a seguranca
filhas de hurn systema constitucional mixto,
liberal .. Este modo de pencar me pare-
ce claro; pois logo que os hoinens se c-
lao, s por eme acto conseulem. e de corlo
ir-odo aprova: por isso aquelle que nao
obra foitemente contra o iui'me goveruo
/Uem nao he contra rro, he por nos absoluto, antes conde9cende.com osscos
disse Nosso Senhor Jezus Christo seos damnados proeedimentos. d Ihe lempo pa-
Discpulos, como se le ein S. Matheos, ca- ra elle mnltipplicar os estorbos, dezanimar
pitlo 9, verso 40. Tomando pois a sen- o Povo com repetidas per*egnic6gs,..e for-
tenca por outio lado, podemos tirar huma tificar o seo farorriv! systema detyrania;
consequencia, ct>e he u seguinte: logo d Ihe tempo para minar os alicerces de
quem nao he por nos, he contra nos; e por qualqner Coostituicao, amis prrfeita, e
^so quem podendo defender-nos, nao nos decalcar arrojadamente todas as garantios
refende, antes nos dezampara, he nosso sociaes: ein huma palavra, quem nao de-
ni migo, bella o governo absoluto sem rebusso, de-
azeudo poisapplicacao destes princi-. zeja certaiuente qu elle medre, e que a
pos, ou indiferentismo, ou interesse, ou smbi- vida: tergo todo o homem commodista,,
cao, n defende a Patria por palavras e inteieceire, ambicio/o, indiferentista fe-
obras publicamente, e nao ee declara em Iliaco, que se gaba de ser. *bom patriota
seo favor de hum modo sem equivoco, he Constitucional, mas que nao se quer maui-
contra a patrio, he seo inimigo*. a f festar como tal, la por certos motivos secre-
sem obras, he rnorta diz o Apostlo: tos, e que espera os'Kasos do tempo,
he precizo obrar bem para ter merecmen- com a mirasempre em pilhar alguma cou-
tos; e por ..consecuencia, todo o egosta, ia: aquelle quedisimuladamente lova
o indiferentista, ou ambicioao, que nada o systema Constitucional, mas diz que nao
faz pela Patria," he traidor Patria, digno quer comprometer se, ou cahir no desagra-
de grave castigo.... Em verdade quem nao do do governo, ou elle seja o poituguez,
se mostra claramente cootra o despotismo, ou o hespanhol, ou qualqner ontro:.... e ao
he tcitamente favor do despotismo: quem mesrno tempo chama prudencia ao seo vil
o nao tica escrevendo, ( se pode ) on gri* interesse unido dobreza d'alma ; todo o
tando em publico contra os cosarios, suas individuo com este carcter he traidor pa-
machinaces e cruezas, fin de animar con- tria, he Inmigo da. Liberdade ; he hum es-
tra elle os cidadas virtoozos, e estimular cravo infame, vil aziatico, na se i do para ser
os sentimentos de Liberdade, e a energa eunuco; he verme roedor da sociedade, ou
patritica em geral; quem isso nao faz, ente negativojtfa humana geraca.
quero dizer, quem s conserva calado, e tu- Ora se o que acabamos de ponderar se
do dissimula, he favor Jo despotismo in- intende respeit dos egostas, e daquclles
directaraeete, he seo ajudador e cmplice qne se disfarca que diremos dos que !i-
debaixo da capa da chamada modraca, zonjeao, eaniuiatf'os governos perversos
que bem dizer, he velhacaria, e perfidia; descaradamente > Que diremos dos que pu-
po9 se lodos vigiarem o despotismo, e o bllcao com arrojo injurias e fdleidades con-
baterem sempre^nimosamente, na5 Ihe des- tra os bons ciddaos, e athe insultos contra
culpando neuhum dos se js actos, ou faca- a Liberdade, ese moetra furioso* sequa-
ubas, elle fiegra medrozo, e fu gira cercado xesdo absolutismo, bem como os eacripto-
. -
i miAt
wmmm


mil i
M
imJmm






-




'
V-

i
T414)
'



res desses mizeraveis, Portugal, Hespanha, que vos inconcideradanAe&te derramis,
-c varios outros?.... Dccerto que os pode- aer vos poder acudir ueui o Santo Padre
idos chamar com desprezo, descaradissitnos
traidores Patria. Que diremos dos^ue
mudad de opinia por interease baixo c vil,
( chama se virar a cazaca ) e se fazein esp-
as, e gazeteiros ministeriaes, e meomo per-
seguidores dos patriotas honrados ; e da li
nem todos os reis vezinhoa.....Mas agora
pergunto eu ; quem largou a vergonha nv
chao, para osses i infames achare m.....Se-
gundo meo intender, o que os. Hespanhoes
w Portuguezes liberaos, e os que sao verda-
deros Constitucionaes deviso fazer, era ao

herdade da imprenca ? Mui deverdade que menos expulsar de seos paizes essa canalba
sao ahominaveis traidores patria. Que deslavada e traidora, e impurral a para Al-
diremos dos que se esforca machiavelica- ger, Turqua, China,; ic. j he tempo de
mente iuiroduzir Tropas Estrageiras em purificar a Europa, e todas as nacoes da
seos paizes, bem como Hussianos em Fran- corrupto que as contamina, a fim de que
ca, Austracos em aples, Francezes em os de mais cidadaos livres possa habitar
Hespanha, &c. &c. ? decerto que sao mona- este mundo em o verdadeiro espirito de
ruosos traidores Patria. Que diremos paz; nessa paz sancta, t}ue hade ser pro-
das Furias que acortcelhao a impozica de clamada finalmente pelo Anjo da Patria,
tributos, que se crim tribunaes do Santo cujo pezado p deve calcar para sempre a
Offlcio ? Que se levantcm commisses mi- crespa serviz da discordia, do despotismo


e tyrauia universal; como todos os boni
dezeja e espera ; Amen .... ... Sou Sr.
Redactor

O Inimigo dos Traidores a Patria.
CORRESPOJVDEJVCIM.
Sr. Edictor.
.i
o


Esde Outuhro do anno prximo pas-
!
litares, bem como em Roma, e as commis
s6es prevotaes ou peipetuas, assim como em
aples, fuzilandodesapedosamente osbo-
inens como se fora coelhos ou loubos no
monte ? e eri tudo contra o contracto soci-
al, e os decretos da humanidade ? quando
alias elles coiisethcirps sao os authores de
todo o mal, e os que detespera e dezafiao
a paciencia dos povos, e afli os que tero
encanado, e aconselhado mal, e mesmo
vendido os seus IVJonarchaa, seguudo pare-
ce ? Do certo que sao honibillssimos trai-
dores Patria. Que diremos desses moni-
tros imperrados trocar o solido bem de
hum Goveroo Monarchico Constitucional sado, que ouvi fallar na existencia de huma
livre, justo, e segur, por hum tyranno sociedade secreta ueste Ileci'e, sern com
governo absoluto, que deve fazer a desgra-' tudo ter podido obter outrd esclarecmenlo
a de seus filhos e viudouros ; permutando mais: suppuz serisso alguma destas histo-
assim os bens inmensos da liberdade dura- rias do lobis-homem, e a cabra cabriola,
doura, pelos lucros tranzitoros de hum of- com que as nossas velhas tzem adormecer
Vio, ou cargo, *u posto militar, que atu- as crianzas rabujentas, eni&so eslava, quan-
ra meia duzia de annos, entre as inconstaii- do por acaso li em hum dos nmeros da A-
cias da fortuna ? Por certo que sao trado- belha Pernambucana hum tal Coinprovin
res Patria......O' trajdores a Patria! ciano; quedava por certo a existencia da
nao tremis vista do abysmo, que os cri- tal nigromancia, e candombl, e qu tenda
mes cavo debaixo dos ps dos impos!! a flus subversivos, trabalhando por arrazar
Kad reflectis que csse tempo que se perde a Constituios e levantar sobre solidas co-
ln barulhos. he o em que os dspotas cal- lumnas o Governo absoluto do nosso Rey
deia e recaeflo melhor os ferros do capti- Velho, ao ler isto, de repente largo a tal
veiro das futuras geracBes ? Responde!, A belha, e grito abrenuncio Satans, em
traidores Patria, Portugueses, Hespa- nomedabenta hora, e fui me escafedendo,
nhes, Romanos, Napolitanos, e iodos d elles todo espantado, como quem tinha visto al-
similkantes: respondei, queeaperaesde vossos mas do outro mundo, e resando o Padre
embustes, sejtodoso conhecem deque vos uosso em cruz, at que cheguei a minhaca-
servem vossos torpea braoens, e vossas in- sa, cornos narises cheirando-me a esturro:
signias ? de que vOi servem vossos empre- todo absorto em reHexoeus de todo o cali-
gos, vossos cargos, vossas riquezas, se nao bre passei alguna dias sern mesmo poder
para documentos autnticos da vossa infa- crer, que isso fosse verdade, masoCruzei-
iniado vosso descaramento e servelismo ? ? ro, Peridico, que logo depois dessa Ab-
~ Respondei traidores k Patria no mundo lha apareceo, veio tranquilizar esta alma,
inteiro, nao temis a Ira e a reaecao dos e derramar sobre ella hum balsamo conao-
vossos Concidados, !.....reparai beu na lador, porque dando por certa a existencia
voragem queamiassa engulir-vos!.... Re- da sociedade assegura nao tender ella para
flecti que podis sef atojados nesse aangue, os ms, que o Comprovinciano adivinhou,
*


m
0
-
- K -
v

1 -
(415) <
/

I

antes se colhe pelos seus ditos ser ella para figuroes sao d'essa Sociedade, voce nao sa
manter a ConstituicaS BraVo O Impera- be quem -elles herao a piucos anuos desta
dor Bravissimo \- A boa ordem! Da capo parte, e a figura que fazia ? Nao sabe que
Desculpe.Sr. Edi.ctor estes ex tases : suppo- estes fora os primeiros, que porsuas fadi
nha-me estar ouvhido alguns dos Hroes de gas, e trabalhos proclamarao o Systema
Molieri. Ora isto muito me agradou, nao Constitucional, e que pelo terem sustenta-
obstaute huma escorregadela que deo o do, e feto grandes e relevantes servidos
Correspondente do Cruzeiro definiudo o aprol do mesmo, fazem hoje o vulto, e re-
que hea Columna do Trono Com.titu- prezentacuo que vemos ?rNa5 conheCe que '
ciofial Christos velbos, e gente da l do elles tem ganbo todas essas honras, e galar-
Carvoeiro isto na verdade chegou-me ao doeus pela raza de terem reprezentado de
goto, e principiei de fazer meus entes de galaens nesta Scena Constitucional, amea-
razao ; remontei-me aos meus primeiros di- cartdo com as snas durindanas, e altas cla-
as, e recordei-me que o meu bom velho Pae, ras aos que se nao pronuciara logo ? Nao
quando quera elogiar algum dcs?es cabe- vio a pouco quautos d'esses ahdavao sup-
leiras, que empenbava o cabello da barba, plicando votos para Eleitores, Deputados,
e que acreditava que o poder dos Reys vi- Conselheiros de Provincia, do Governo,
nha immediatameote de Dos, e que hera Juizes de Facto, e Camaristas, e at para
acrrimo inuimigo dos pedreiros livres, ein Juizes de Paz r* Como pois se pode ^crer,
tfm que hera Sebastianista, n.e dreia que sendos elles creaturas da Constituido,
meu filho imitaaess,e honrado homem, que premiados por o nosso Augusto imperador
he da tempera velha, Pe de boy, e he dos Constitucional, seu primeiro, e mais firme
que er na fdos carvceiros, e nunca bebeo sustentculo, e que a porfa-apeteciaft oc-
ch, ou caf, e debaixo destas ideias figo- cupar aquelles Cargos pblicos, que o Sys-
rou-se-me ser a socredade composta de al- tema tinha creado, eque nao podia existir
guns d'esses Santarrfiens, apalacadbs, que sem elle, queiraS agora ser inimigos do seu
gasta o tempe peas Igrejas, engolirtdo Creador, traidores, e ingratos a S. M I.,
mistas, e incommodaudo os Santos com e acabaren? oom esses Cargos, que se Ibes
tantas, e taS repetidas peticoens. nao tocou por esta vez, puderao occupa-los
Eis se nao quando, em boa hora o diga, l mais para diante, e passarem de nobres-
veio tercommigo hum desses rapazolas de gulans era huma brilhaute Scena, a repre-
bom toui, que para verem irais ao longe, zentarem de comparces em taj5 irrisoria
trazem setrs oculos* verdes, e todo aceso vo- Farc,a no mesmo Theatro, e na prezenc,a do
ilutando lavaredas, sem achar assento em siesmo Povo ? Em hum negocio de tanto
que se accoreodasse, edepois de ter ssim risco, e per i go, eemoqual o menos que
levado muto lempo, sem que eu me ani- hes pode suceder he passarem de Abbades,
masse de Ihe perguutr o motivo das suas a Porteiros ? %
cocegas, vira-s para mim, eentallas vozes Trauqilize o seu espirito, n.eu meni-
me diz, Sr. Amigo, est ludo perdido, va- no, crea em Dos, e va certo que tendo si-
mos a ser testemunka da mais completa das do o Nosso Imperador, quem nos mimose-
nossas desgracas ; o nosso Brazil vai a sub- ou com esse prezente do Ceo, e tendo dado
mergir-e amaior anarqua, e mais pofun- as provas as mais dicizivas de amor ao Sys-
doabysmo; ao ouvir estas p a la v ras ta fe- tema Constitucional, nao hepossivel que
as irticao-se-He os cbelos, palptame o Elle, que talvez a esta hora tetina pierioco-
coraca, sobe-me a palidez ao rosto, e tre- nhecimento da Sociedade, seus membros,
molo, e convulso o interrogo. Pois que e seus verdadeiros fins, queira transigir
h ? Appareceo o Anti-Clristo, o Capiba- cornos membros dell, se com effeito sao
ribeencheo, cabio a ponte do Hecife, ou. esses os seus planos, efim, porque leuden-
temos inimigos na barra? Enta socegou, do "para a destruyas do Brazil e dos Brazi-
ecom mais moderacao prosegue. Ja sabe, leiros, Elle ftir por desempenhar o Glorio-
que a sociedade das columnas he coiuposta so Titulo de seu Deffensor Perpetuo, e en-
de absolutistas, e que o seu fim be procla- ta veremi qual ontro SansaS smtgar es-
mar, o Nosso Augusto Imperador Consti- sa ruinosa Socjedade debajo do peso das
tueional, e Deflensor Perpetuo, Imperador suas mesmas columnas, e infame madeiro.
absoluto, assm como sao os de Constanti* Deste modo consegu tr'anquilisar o es-
nopla, e Ja pao, e *a os seus membros Fu- pirito do tal menino, que me deixou ale-
ao, Fuao, e. &el &c. oaqui me apoM- gre, esatisfeito pela docilidade com que
tou huma enfiada toda de gente de alto Ce oqvio as minbas reflexoens ; e como esta
thurno. Ao ouvir estes nomes, de hum historia pode divertir pela suaglantaria aos
grande suspiro, tomei huma narigada do seus Leitores, digne se de a publicar no seu
meu, simonte, assuei me, e respondi-lhe, Diario, que assim satisfar a
\enha c meu menino para que anda vaco
contando historias ; sa he certo que esses Hum Imperialista Constitucional.





-


Mfcmi i..
* .
.-
.
(416)
- /
Alluga-fce.
Avizos Particulares.
10 Escravas Indinas quem as tiver dirija.
. sea ra de Ortas sobrado D. 64, ou anun-
1 J$L Pessoa que percizar de Iinma ce por este Diario.
, mulher j de meia idade, capas para adini-
nicfracad de huma casa : anuncie por este Afreildcl-Se.
Diarto, para ser procurado. .'
A pessoa que percisar de hum homem
para escripia, que conta ptimamente, es- 11 Hum cilio perto da praca com boa en-
treve ceno o Portugiiez, e com letra boa e za, arvorecjcs de fructas, e campo snficien-
iqiI legivel, e tradu? bem o Franccz : an- te para vacas, quem o tifer anuncie por es-
nu lete pelo Diario, oii fale com b Bandei- ta Diario,
ra que ten loja na ra do Cabula.
Vende-se
3 Porpreco cmodo, a milito vetleira NotlClS Martimas.
Sumaca Desengao Feliz, bem fubicada,
nparelhada de novo, e prompta a seguir
viagei ; quem a quizer examinar pode di- Peditao ttus passaporlcs de saluda no da 12 do
rigir-se abordo da mesma, que ada se an-
corada jdefronte do Trapixe Novo: os p?r-
tententes dirijasc ra da Cacimba ao
seu consignatorio.
4 Duaa vacas de leite com suas cria ;
e tabc'm hum cvallo de estribara, preto
eaxio, muito novo, proprio para carrinbo,
cu sella : quem pretender qnalquer das
cousas, djiija-se a ruada Gloria na Boa-
Vista, casa N. 104.
. 5 Queijos do Rio Grande do Su!, e cai-
xns de Manrciadas nova, e de boa qualida-
He, por prreo commodo : na ru* da Cruz
Arniazem N. 36.
crvente.
Jl AnA o Rio Fonnozo, a Sumaca F>pi-
riio Santo, Mestre JoaO Francisco dos San-
tos, dono Caetauo de Carvalho Rapozo.
Entradas.
Baha
Ia 13 do corren te. Ro de Janeiro,
uhia, eAlagoas; 22 das, Paquete, Com.
o 2. Tenente Felipe Vieira de Souza, pas-
sagejros o Dezem barga do f Joze Libano do
6 Os Administradores da Loja de Joa- Souza, o Coronel Francisco Ricardo Zany,
qum Joze Cotilloavizafi a todas as pessoas Thiago Cario* da Rocca. o Alteres Manoel
que qujzerem compra* as fazendes existen- Joaquim do Reg Barreto^Estanislo Joa-
tes na mesma inclusive a armaca, jan a fallar com elles na Praca do Corpo
Santo N. 3 at ao dia20 do correte, aon-
de podera ver o estado em queellaseacha,
e na falta scra vendidas em lelao no dito
da e na mesma caza as 10 horas da man ha.
7 Huma armaca de yenda inteira, e
boa : na r.'a que fica por detras de S. Joze,
buscndolo mar, na venda da esquina D. bo, ao mesmo M.
18.
8 Hum escravo, serrador, com idade de
28 annos ponto mais ou menos; na ra do
Queimado l). 12.
1
auirn dos Snt>s, o 2. Tenente de Arti-
Ibaria do Rio Grande do Norte, Francisco
Leita de Almcj'da. 'Rio de Janeiro e Ba-
bia ; 17 dias; Paquete Ing. Lapning, Com.
G. N. Foster, e tegue viagem a 15 do cor-
rente para Falmouth. Babia; 10 fias;
B. Dois Amigos, quip, 12, M. Joze Fran-
cisco dos Santos, carga carne, coiros, ese-
Sthidas.
Leilfi.
9 No dia 14do corrente pelas 10 horas
da manda, de fazendas limpas e avariadas,
em cujo numero cntrarao as que seacharao
na Loja que foi de Joaquim Joze Coelho,
para serem vendida por conta de quem
pertencerem em caza de Thomaz Gardner
& Compauhia Pra9a do Corpo Santo N. s 3.
Dia \% Demevara; B. Ing. Balclu-
ther, equip. 11, M. Samuel George, em
Dia 13 Porto de Pedras : S. Estrella
Matutina, equp. 9, M. Antonio Francisco
Nunes, em lastro. Providencia; B., Am.
Agenoria, equip. 8, M. Welliam Daris,
carga assucar, e coiros, passageiros George
Abbot, Andrew B. Morrell.
i CT^rn^D & CL^^D-y
1
Pernambuco na Tipografa do Diario.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEH7X6TGN_JLDAMU INGEST_TIME 2013-03-25T16:02:19Z PACKAGE AA00011611_00334
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES