Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00265


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i.....i' '.....'
-1 r i !
N. 58.

Auno de 1839.

-
DIARIO DE PERNAMRUCO.
I
Sobscreve-se na Tipografa do mesmo Diario roa Direita N. 207 1. andar em mezes por 640 res huma folba \
qne aahir todos os dias ateia.
Sexta Feira 13 de 31 ar$o. S. Sandia V.
i


Le Ciloycn genereux, en servan la patrie nepeu avoir
le dcssetnde se rendre ha'issable, ou meprisaUe a ses yewx
MORALE UlUVEKSELLE
-
- Preamar as 9 horas i 18 minutos damanhk.
.

.


PARAHIBA do NORTE.
-
rafeiro, qoe os cacadores,"dos Constitucio-
naes, vulg^ Liberaes, e'na boca dos taes
Ligeiros pozeraS em campo, por or-
^jM fin vencerao a Justina, a Liberda- dem suprema da liga circundo chnmbalica,
de, e a raza. Chegou o da 5 marcado para aliciar testemunhas falsas, que crimi-
para a primeira reunan dos Jurados, e de- nassem a todos os marcados, na mu wme-
pois de preenxidos todos os reqaesitos da zinha Oe?assa dos Pasquins, vejo tudo isso,
Lii, fo julg do o Recolbido, que deu mo- video meliora, estou convencido, probo
tivo a uiin.hu injusta, e arbitraria prizad, que, ninda irais vista do silencio, que
E
nao couter materia de crimiualidade. Gra
cas ao Concelho dos 9 que respeitando a
Constituidas, as Leis, ao Chefe Supremo,
e a Augusta Assembla soube taSbem res
tem achado nessa geute a publicacao de
lautos documentos &c. &c., pareecndo-
me fallar delles o pico Latino quando di-
ce Conticuere omne*, intentique ore te-

peitar a razao, e averdade. Tanto se deve nebant quehum Classico Portuguez as-
sim traduzio Callaran todos prontos es-
cutando mas eu sigo, e comigo muita
gente, que he tudo mentira impuderitissi-
ma, que estao callados, porque nao fa?,em
caso de aleives de prezos revolucionarios,
a Liberdade da Imprensa.
( Gazela ParaJiioana del de Margo.)

*+*



Os que c tinhao no rol dos Redactores que outro meio de defteza nao tem ; e mais
prezos, o degsa Gazeta, podem passalio ainda, que logo qtie se estabele^a huma
certa imprensa, hum certo Jornal, rujas
paginas nao inanxadas pelas frvotes pro-
dceles de Capricornios ( Diario N. 37 )
para o dos que had de ser. Coasa boa!
"
l



CORRESPONDENCIA.

Bm Redactores.
Video meliora, probo que, deteriora sequor.
'
N
Unca escrevi p*ra o Publico, boma
aparecero euta guapas obras, insignes
pe^as, e documentos de fazer mbasbacar a
esses revoltosos (*) irremissivelinente, dete-
riora sequor.
E porque sempre fui amigo de adian-
tar-me, vou rogur-lbes, a publicacao do se-
guinte documento, que he hum dos taes, a
vista do qual, se alguein me disser, que ah
se vr> o juramento de hum joven bem edu-
porer he a primeira. Tenho lido os cado, fallando ainda com os labios da inno-
seus ltimos Diarios, e cousas vejo ah, que cenca, de hum lado, e do outro, a negati-
concordo devem culpar muito entre outros va simples do doble Escova-botas, que a-
ao lllustrissmo Sr. Desembargador Gusta- inda jurando mente, a isso responderei, que
vo, porque o seu proceditnento nao foi im- este e nao aquelle ; isto he, o Escova-bo-
parcial, sigo porem que este Ministro he tas tem a raza da sua parte, porque video
rectissimo, que obrou, como devia, eque meliora, proboque, deteriora sequor ve-
isso tudo, que se tem dito he nascido da jo o melhor, e aprovo, sigo porem o peior.
raiva ta naturalhumprezo. Video melio- "-------------" '
ra, proboque, deteriora sequor. (*) Fallo dos pronunciados na devassa
Vejo, e muito be n, e at sem ajud* dos Pasqoins: chamos revoltosos, qu
de loneta de grao, que o Escova-botas, he o potest capere, capiat.
.
INifc.nnl I yM IWMW*WPW>*HM


m*




'
(230)
Ficar-lhes ha obligado, Srs. Redactores, o ?atde, e pelo Escrivao Pinto, e Joze Joa

Joze Mcda.
A,
DOCUMENTO.
_Os cinco de Marco de 1829 tiesta Cida-
tle do Recife ein cazas de rezidencia do
Doutor Ouvidor Corregedor Ernesto Fer
teira Franca, onde eu Escrivao viiti pelo fim de terem p de exigir documentos para
quim do Espirito Santo, e Felipe Lopes
Netto, inimigos declarados delle Contes-
tante, para espalharem, que elles tinhao* si-
do seduztdos por elle para hirem jurar na
Devassa dos Pa9quins ; e que para este fim.
os eusinuarao, mandandoelle depoente to-
mar conselho com e Advogado Padilha, eo
dito preto com o Guarda mor da Rellacao a
guate e fiz este termo. Eu Manoel Anto-
nio Coelho de Oliveira Escrivao o escrevi.
Joaquim Pereira Marques, branco,
solteiro, morador na ra do Livramento,
de idade 17 anuos, vive de andar na aula de
Francez, testemunha jurada aos Santos E
como por elles bem ensinuados o tem eje-
cutado tudo para o fin de se vingarem da
inimizade, com elle contestante e de ver se
por este modo o podem perder, e nada mais
dice. _!
Eloffo'foi dito pelo depoente Joaquim
vangelhos em lium livro d'elles que prome- Pereira Marques, que foi a caza do Padi-
teo dizer verdade, e do costume dice nada. Iha contar-lhe, porem que uatinha tetrao
E peguntado pela petica do Supplicante jurar. E dice o contestante, que se achava
Francisco 1 guaci de Atade, dice, que em documentando-se pelo Juizo competente o
hup dos das do mez de Fevereiro prximo que contesta. E mais nao dice, e depois de
paseado pelas trez horas da tarde, mais uu lhe ser lido a vista de ambos, assiguara
menos, na ra do Livramento, e porta do com o dito Ministro. Eu Manoel Antonio
Escrivao Silva, Velho, o Solicitador Anto- Coelho de Oliveira Escrivao o escrevi
Franca Joaquim Pereira Marques An-
tonio Fernaudes Chaves.
*???*-


Q
Srs, Redactores.


nio Fernandos Chaves, por alcunha escova-
betas, falou a elle depoente para jutar con-
tra o Advogado Antonio Elias de Moraes na
Devassa de pasqnins em cazas do Dezem-
bargador.Ouvidor Geral do Crime, dizendo
o dito Solicitador a elle depoente, que fos-
se jurar contra o dito Advogado para se ^^DUando li o seu Diario de hontem 11 dr
vingar d'elle, porque tinha demanda com a corrente mez em que vem enxirida a ordem
may delle depoente. acrecentando, que do Ex.mo Sr. Prezidente, dirigida ao Sr.Gus-
se lemesse alguma cousa mudasse o nome, mos- tavo Adolfo de Aguilar Ouvidor Geral do
trando lhe lium papel em que estavao vari- crime, pela qual lhe ordena que proceda a
os noroes de pessoas contra quem lhe pedia, devassa a fim de se conhecer quael as pes-
que jurasse, e lembra-se elle depoente esta- soas que auxiliao os pretos do Palmar do
rem os tiotnes as, Veras, Tavares, e taobem estava o no- emais socorros sem os quaes elles nao po-
m do Supplicante Francisco Ignacio de deria ter por tanto tempo subsistido, tre-
Ataide, fazendo o dito Chaves mais empe- mi com medo de que taobem nclla nao sa-
nho a respeito do mencionado Antonio Eli- hissem pronunciados os que ja esta presos
as de Moraes. E mais nao disse, e lido o por a pronuncia da dos pasqnins que tiesta
seu juramento achou conforme, do que tu- Cidade aparecera no dia dous do mez pas-
do dou ft-,'assim como que foi tomado r dito sado, principalmente, oque he milito na-
depoimeuto na prezenca do dito Solicitador tural, se d'ella for Escrivao o Sr. Antonio
Antonio Fernaudes Chaves, em consequen- Ribeiro Campos.
cia do reqnerimento que fica junto, Nem seadmirem Vms. do meu temor ;
E, logo pelo dito Solicitador Antonio porque, quem tem sabido e lido nos seus
Fernaudes Chaves foi contestado o depoi* Diarios, Srs. Redactores a caballa que se
ment supra pela maneira seguinte que armou para que fossem pronunciados em di-
elle Solicitador s condeca a elle depoen- ta devassa os que esta presos as Cinco
te de vifcta, sem que com elle nunca tivesse Pontas e Cada desta Cidade bem conheci-
ainizaxle, e nem negocios ; e pelo nome lio- dos nesta Provincia por ttulos que Ihes
je foi o. p; iuieiro da que d'elle soube, e que grangeara a considerado e estima dos lu>-
quaudo hovivessc de eooperar para seme- me/is de bem alguns dos quaes sao Elleito-
lliante fim, o que nega, procurara pessoas tores deParochia com grande numero de
dasua fixa amizade, e nao a elle depoente sufragios para Camaristas, Conselheiros de
com qpem nunca teve correlacoens algu- Provincia, e Juzes de facto, ua5 se admirar
jx\a ; e declarot mais que elle depoente foi r Be os vir pronunciados como Socios das
seduzido, emais humpreto por nome Fian- incurc.oens, roubos, e assassinios do Fami-
cisco Mendes, por Francisco Ignacio de A- erado Maluiiguijiho,
__



ii 111* ii i /,;;'

(231)
A distancia tm que se elles acliai do quizerem hir trabalhar no mencionado
Catuc, e o nenhum contacto que tem com Trem; advertindo porem que segundo as
seu ehefe de nada os pode salvar; por- Ordeus do Excellentissimo Sr. Prezidente
que, se nao tendo nern hunt dos presos re- s podem ser admetidos no dito trabalho
Inceos de amizade com os que fora para Otciaes Libertos, e nao captivos.
S. Autao, e estando quase todos el les pas- 3 F. J- dos Santos fas tiente ao respei-
sando a festa na Casa-forte, Monteiro, e tavel Publico, que tendo prestado a sua as-
Caldereiro lugares aonde estavao na noute signatura de duas Rifas de diferentes obje-
"* do dia 1. de Fevereiro; como ah os vira ctos a huin seu amigo, ja fra desmanxada,
umita gente com quem estiverao toda a nou- as perseas que tiverem comprado bilhetes
te, fora pronunciados na devassa dos pas- poderad hir a ra da Gloria casa D. 15, fi-
quins com testemunhas aliciadas que jurad cando na certeza de que nao respondo por
ter visto as 10 horas da noute do dito dia, pagamento algum, pois o dono da dita rifa
os Srs. Moraes, Mello, Antonino, Barata, est pronto a satisfacer os portes dos bilhe-
eoutros na Ponte do Recife conversando tes, por isso fago cente para intelligencia
sobre os pasquins que haviao de ser prega- dos compradores de tal rifa.
dos, indicndole entao os lugares em que 4 A pessoa que percizarde rtfQm caixei-
os Srs. Barata, Antonino, eTavares haviao ro para qualquer cupacao, anuncie por
pregar os que lhes coubeem partilha, quan- este Diario.
do a essa hora estavao os dous primeirosno 5 A pessoa que quizer mandar dar no
Mouteiro, e o terceiro de convivencia no Rio de Janeiro em notas do Banco, a quan-
Poco da Panela com gente muito mais dig- tia de 130,000 reis, para receber aqui em
na do que o Soldado da Policia que estav moeda de prata 85 UOOreis anuncie por este
dormindo debaixo de hum dos bancos da Diario para ser procurado.
Ponte do Recie, e o molato capateiro que 6 Perciza-se oe huma mulher branca,
passaudo por ahi de volta de Fora de Por- para ama seca ce huma casa de familia,
tas tabem os couheceo, que muito beque quem quizer, e estiver as circunstancias
os veja taobem pronunciados na devassa que de o ser, anuncie por este Diario, para ser
se vae agora proceder ? Pod ser que as-sim procurada,
nao seja, mais eu duvido, mxime, se o
Sr. Ouvidor Gustavo inquirir as testemu-
nhas d'et-ta. como inquiri as d'aquella de-
vassa.
Srs. Redactores, sevirem queestes me-
us temores nao sao pnicos queira publi-
car esta em seu Diario com o que muito o
brigarao ao seu venerador.
Treme treme.
Compra-se.

Avizos Particulares.

F
. V. da Silva, partecipa ao respeita*

7 Huma vaca que seja boa leiteira : na
ra da Cruz N. 7.
8 Prata velha: na Tipografa deste Dia-
rio. \
9 Hum moleque ladino, que tenha 12
anuos de idade pouco mais ou menos, e que
nao tenha vicios : na Boa-Vista junto a-agu-
arda, no 1. andar do Sobrado D. 2.
10 A historia Universal por Bossnet em
Jatim : na ra Nova ao p da Conceiga D.
25.
11 Huma casa terrea que tenha alguma
largura, ainda que seja velha, constante
vel Publico que o Santuario de que fes an- que seja cituada em as ras, das Crnzes,
nuncio no seu ultimo avizo, he de huma llortas, Agoas-Verdes, Rangel, Direita:
grandeza porpocionada para se poder dizer na ra do Rozario, quem vae para o Car-
Missa em casa, equanto, a sua elegancia mo D. 29.
e riqueza, pessoas que o tem hidb ver afir- 12 Seis vacas de leite, com crias depou-
ma ser o mais rico que ha nesta Provincia, co tempo: na ra dos Quarteis lado esquer-
e por i*so pede a todas as pessoas d'bom-
gosto, haja d lhe fazer a honra de vir ao
seu Armazem de Leila Publico ra dos Ta-
nueiros N. 11. A. 1. andar, ver hum
prodigio d'Art, que de certo consideraras
o tempo para esseefeito espendido por bem
em pregado.
2 O Inspector do Trem Militar, tendo
ordem para mandar prontificar oito centos
do D. 5.
13 Feixes de capim a 200 res : na mes-
rna cima.
"Vende-se.
14 Huma negra de naca 6 Rebolo, de ida'
de 26 aunos : na ra das Larangeiras N.
11.
15 Hum tresmalho quazi novo/edua* ca
caatis para a Provincia da Paraiba do or- noas prteucentes .ao mesrno : na ra de S.
te, e s havendo no dito Trem hum Offici- Rita D. 3.
al deTinoeiro, convida por mio deste 16 Quatro vacas paridas boas leiteiras :
Diario a todos os Officiaes de Tanoeiro que no l,c andar do Sobrado D. 2, praca da







l

> .


(232)
Boa-Vista, junto da Botica ao p da guar-
da.
17 Huma loja de ferragem, na ra Nova
desta Cidade, a desobrigas de credores, e o
resto com prazos favoraveis ao comprador :
na mcsma ra D. 6.
18 Hum preto muito bom cozinheiro : no
Pateo de S. Cruz, sobrado uovo.
19 Humas cordas de rede, de fio de algo-
da, deSerigueiro, muito boas: na ra do
Rozario quein vac para o Carmo, D.30.
20 Huma escrava, deoacao Angolla, i-
dade II a 12 anuos, sem vicios, anda bu-
cal : defronte da casa dos Espostos D. 363.
21 Huma negra de naca Rebollo, de i-
dade 26 aunos; na ra das Laraugeiras
N. II.
rada Silva: o dono procure no bilhar do
botequim da Praca do Corpo Santo.
28 Hum negro abil para qualquer ser-
vido, sem vicios: na ra da Guia loja do
Sobrado N. 58.
Alluga-se.
29 Huma casa terrea ou sobrado, sendo
as ras, Direita, A goas-Verdes, Hortas,
Pateo de S. Pedro, Livramento Rangel,
e Fenha: dirija-se aTypografia deste Dia-
rio aonde achara quem pertende.
Perdeu-se,
SO Hum bilhete de 250$000 rs. em cobre
de Francisco Nicolao de Pontt-s, passado
por Francisco Ribeiro de Brito, o qual ja
22 Huma porcao de lencos de touquim, esta entendido de o ^WAS.!?
de bonitas cores mesmo dono; quem o tiver achado dinja-ae
MeiasdeSeda lizas, e bordadas de su peri- -*ft-* ** !BSJSStH
or qualidade para Senhoras. 31 No da 8 do corrX.t^tneJno
scumilhas muito boas, de differentes c- ruada Gloria al a roa Velba hum,, e,n
fcranco pernome Joaquim, de idaue l an-
Leques de seda de diferentes gostos. nos, seco do corpo,bM SJ?
Sapatos de setim de varias cores para Se- grande, levou vestido, "****? *^
J|hora j.ola, e sapatos: quem d elle souoer ou ti-
Ditos de marroquim para dita. ** noticia queiraanunciar por este Diario.
Ditos ditos para menina. ,
F5vellas e fitas para sinto, tudo de muito Arreilua-Se.
BHnos^de'Diamantes, Cornicopias. Argo, 32 Hum Sitio, de S. Anna^ t o Mont-
las, Rostas, Aneis, Alfiuetes cotn cor- ro: quem o tiver anuncie por este Diario
<]a54 pera ser procurado.
Ditos sem dito. Amas de Leite.
Brincos de minas novas, Argolas, Rozetas, '
Aunis, e Alfinetes. 33 Huma, que tenha ^*t
Cornicopias de Minas-novas, e solitarios Nova, pnmeira loja defronte da Sacrista
de topacio, tudo ebegado proxiunamente do SS.
de Lisboa. Escravos Fgidos.
Na Praca da Unia, loiaN. 33. *' '^ nrono
23 hL cavalle estribara, russo, 34 No da 20 de Fevere.ro desaparecen
carregador de meio, e muito gordo: na hum muleque de idade 19 a 20 annos por
ra do Rozario, quem vae para o Caraio, nome Francisco, com ossignaes seguales:
D 29. nnraa marca no perto esquerdo que parece
24 Huma casa terrea cituada coafronte a ser hum iiubiabo, seco do cor pe, co fe-
Igreia de S, Cruz na Boa-Vista; aqual e ces muidas, levou vestido carniza e caica
ocha toda ratificada de novo, e com bom oe estopa: os aprehendedores o poderao
quintal: na mesma cima. pegar e lvalo no beco da Linguete, ven-
25 Hum negro da Costa, bonita figura, da N. ? 4 que ser bem recompensado do
e sem vicios: ua casa de Marcellino de
Campos Quaresma, ra do Mondegu* ou
no 3. andar da casa em que inora o Ouri-
dor da Comarca, D. 11, das 2 horas em ie
as 5 da tarde.
26 Bixas muito boas chegadas prxima-
mente de Lisboa, por preco cmodo : as
Cinco Pon tas D. 48.
Achou-se.
seu ira bal ho.



2? Quairo b lite tea da rifa 4e Fe-lis Vtei-
Noticias Martimas.
Entradas.
LflAl2 docorrente. New York ; 48
dias; B. Amer. Agenoria, M. Wiiliam Da-
vis, equip. 8, carga gneros 4o Paz, a Ma-
diera & froreter.
i cr^fc^ ** a**^vj



-
Peruambuco na Tipografa do Diario.



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECGGQU00F_173GWC INGEST_TIME 2013-03-25T14:37:25Z PACKAGE AA00011611_00265
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES