Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00147


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.i r "nn mu-
i fir"

N. 5.
i -
A uno de 1839.

DIARIO DE PERNAMBUCO.
Sabscreve-e na Tipoffffia d# mesao N. o 267 Dfcrio ma Direita 1. aad.r em aece. p.r 640 res bm folb.
qp ahir todos os das atis.________
Quinta Feira 8 de Janeiro. S. hnrenlo Jmtiniano.
Le Citoyen genereux, en servant la patrie nepeutavoir
Is dssssin de se rendrehissable, ou meprisahle a ses yenx.
TMf atoa .! UvllirOCVIIV
T*.. IIvtuiJDtVIIv
,
-:
Primar cfx 6 A#ras 54 minutos damanha
i
-h-
/

A
Continuado do JV. antecedente.
TITULO 4.
jpplicacao das Rendas.

i Rt. 74. Nao despenders as randas dos
Conseihos se nao crn objectos nroprioa de
suasattiibuicoes, nem dara aos juizes, ou
outros Empreados se nao que por Le es-
tiver determinado, ou no futuro for ordena-
do pelo Poder Legislativo. "
Art 75. O Procurador nao tara despe-
za, que*nao saja authorisada por Postura,
ou determinada por deliberado da Cmara.
Alt. 7o. Nao podendo prover a todos
os obieetos de suas attribuicfos, ptefenrao
aqueles, Que forem mais urgentes; e as
Cidades, ou Villas, aonde na_ houverem
Casas de Misericordia, attentarao pnncipal-
' mente na creaca dos Fxpostos, sua educa-
cao, e dos mais Orfaos pobres, e desampa-
lados. ?- n~n
Art. S7. Geralmente proporao ao Con-
cilio Geral de Provincia, taato os meiosde
aumentar suas rendas, como a necess.da-
df>r ou utilidadc de fazer d'ellas alguina ex-
raordinari'a applicacao.
Art 78. He prohibido porem todo o a.
iuntamento para tratar, on decidir negocios
nao comprendidos neste Regiment, co-
mo proposisoes, deliberaces, c decisocs
feitas e.H nome do Povo, e por iss* nulloj.
incompetentes, e contrarios a Constituido
Artigo cento sesseuta e sete, moilo menos
para depor Aulhoridades, ficando entendido
Le sao subordinadas aos Presidentes das
Provincias, primeiros Administradores d
t3lUg- TITULO 5.
Dj K/iipregados.
\xt 7*# A Cmara nomear oseu Se-
cretario,' o qual tora a se Cargoaescriptu-
racaS de todo o expediente d'ella, passar
&s Certides que Ihe forem pedidas, sem
precisao de despacho, levando por ellas os
emolumentos taxadus por Lei aos Lscriyaes ;.
e tera em boa guarda, e arranjo os Livros
da Cmara, e quanto pertencer ao Archivo^
pelo que recebera* huma gratificado annn-
al. paga pelas rendas do Conselho. Ser-
__^--..o.lo m quanto bem wrtir. OsLs-
crives actuaes serviro de Secretarios du-
rante os seus ttulos.
Art. 80. A Cmara Horneara* hum Pro*
curador, que ser afiancado, ou por ella
mesmadebaixo de sua responsabiUdade ou
por fiador idneo na proporc^ das rendas,
que tem de arrecadar ; e servir' por quatro
annos. .'. '^
Art. 81. Ao Procurador compete:
Arrecadar, e applicar as rendas, e mul-
tas destinadas as despezas do Conselho.
Demandar perante os Juizes de Paz a
execuca das Posturas, e a imposicao das
penas aos contraventores d'ellas.
Defender os direitos da Cmara peran-
te as Justicas Ordinarias.
Dar conta da Receita, e Despeza todos
os trimestres no principio das Sesses.
Rectbera* seis por cento d tuno quan-
to arrecadar ; se este rendimento porem toe
superior ao trabalho, a Cmara convenci-
nara' cora o Procurador sobre a gr&tificacao
merecida *
Art.SS. Nomeara' a Cmara hum Por-
leiro, e sendo necessario, hum ou mais A-
iudantes deste, encarregados da execuca
de suas ordens, e servicoda Casacom huma
gratificacaS paKa pelas rendas do Conselho.
Art 83 Tabem nomeara a Cmara
hum ou mais Plscaes eseus Supplentes para
servirem durante os quatro anuos, assim es-
tes como os nomeados no Artigo precedente,
servindo huma vez, nao poderao ser cons<
trangidos a tornar a servar, se nao depon
de passados outros quatro annos.
Art. 8*. Quando o Termo daUdade,
m\ l
t.
4
----------- -_-^a

m*m




(18)

ou Villa comprehender mais de huma Fre- prao, e faca cumprir e guardar ta intei*
guezia u tiver Capellas Curadas, uomear ramenle corno ella se -conten. O Secreta
a Cmara para ruda huma d'ellas, sendo ne- rio de Estado dos Negocios do Imperio a
cessario o Fiscal com seu Supplente ou iu- faca imprimir, publicar, e correr. Dada rio
dependente, ou sujeito ao da Cidade,-ou Palaciodo Rio de Janeiro em o primeiro da
Villa, corno julgar mais couveniente. do mez de Outubro de mil oitocentos o vi t-
Ari. 85. AosTiscaes, e aos Suppletes te oite, Stimo da Independencia, edoluw
*'
na falta compete:
Vigiar na observancia das Posturas da
Cmara promovendo a sua execuea pela
advertencia aos que forem obligados aellas,


ou particularmente ou por meio de Editaea.
A sf iim
- V 1 i %
de seus deveres.
peno.
IMPERAlJbR Com Rubrica e Guarda.
[
Joze Clemente Pereira.

r\ \J v*r\r*rt rutina

V

/

Executar as Ordens da Cmara.
Dar-Ihe parte ein cada reiiuiaff do esta-
do da sua administrbaos c de tudo quanto
julgarem conveniente.
Para o expediente, no desempenlio
des! es seus de veres, se ser vi rao do Secreta-
rio, e Portel rb da Cmara.
Art. 86. Serao respoqsaveis os Fiscaes,
e seus Suppletes uo tempo, ein que ser vi-
ren, pelos prejuizos occasionados por sua
negligencia ; e se esta forpulgada grave pe-
la Cmara, ou continuada, serao por ella
multados na quamia de des mil res a trHta
mil ris, eUemandados peante os Juizes de
Paz, se recusareui pagar.
Art. 87. Os Fiscaes ns Capitaes das
Provincias recebero huma gratiicacad paga
pelas rendas do Conselho, e approvada pelo
Conselho Geral, ou pelo Governo, sendo
na Corte. "
Art. 88. Os Juizes de Paz sao os pri-
vativos parajulgareui as multas por contra-
ven^ oes as Posturas das Cmaras a requeri-
mento dos Procuradores d'ellus, ou das
panes interessadas : e no processo seguir
o disposto as Leis, que regularem suas at-
tribuices, dando em todos os casos appel-
laca na forma das mesmas Leis, se a parte
o requerer, logo que se lhe intimar a sen-
tenca.
Art. 89. Em todos oa casos, em que es*
ta Le manda s Cmaras, que se dirija aos
Presidentes; devem ellas, na Provincia, en-
de estiver a Corte, dirigir-se ao Miaistro do
Imperio; nella taobem se dirigir As-
sembla Geral nos casos, em que as de ma-
is Provincias houvereio de dirigirse aos
Coiiseltios Geraes; e em quanto estes ae
nao iostallarem tarso auasvezes os das Pre-
sidencias.
Art. 90. Fieao revogadas todas as Le-
is, Alvars, Decretos e mais Resoluces,
que daS a Cmaras outras attribuices, ou
Jbes impoem obrigaces diversas das decla-
radas na presente Lei, e todas as que esti-
verem em coutradicao presente.
Mandamos por tanto a todas as Autbo-
ndades, a quem conhecimento, e execu-
ca da referida Le per ten ce r, que a cum-
Csrta de Lei pela qual Vossa Magesta-
de Imperial Manda executar o Decreto da
Asseinbla Geral Legislativa que Home por
bem Sanccionar em que se estabelece a for-
ma das eleices dos Membros das Cacaras
das Cidades, e Villas do Imperio ; marca/
as suas fuuccdes, c as dos Empreados res-
pectivos: tuiio na forma cima ueclarada.
Para Vossa Magestade Imperial Ver.


Joao Baplista de Cmrvalho a fez.
Registada a fi. 53. do L. de Cartas,
Leis, e Alvars. Secretaria de Estado dos
Negocios do Imperio em 14 de Outubro de
1828.
Epifanio Joze Pcdrozo.

Montenhor Miranda.
Foi publicada osla Carta de Lei nesta
meellaiia Mor do Imperio do Brasil. Rio
Chanei nana Mor do imp<
de Janeiro 18 de Outubro de 1828.

Francisco Xavier Raposo tPMuguerqtie,
Registada na Chancellara Mor da Cor-
te, e imperio do tfrail a fl. 143. v. do L.
1. ) de Cartas, Leis, e Ai vara. Rio de Ja-
neiro 20 de Outubro de 1&2S.
Minoel de Jzevedo Jilurques.

Avizos Particulares.
1 O Inspector do Trem Militar desta
Provincia participa todas as pessoas;
quem o uiesmo Trem esteja devendo, que
podem comparecer na Contadoria da mes-
tna Repartica, com osconbecimentos em
forma, das 9 horas da maoha, alhasgda
tarde, para seren pagos de suas dividas.
2 Perante a Junta do Hospital Militar
desta Proviucia se hade arrematar, por
tempo de seis mezes qu* principiar Ao pri-
meiro de Janeiro a tnnta de Junho do


iViiiW'" T
TT


(19)

?
presento amjo de 1829 a quem por menos fu
zeros orm cij^ntos dianos do pao, e carne
verde, todas ^Ts pesgoa* que se acharem as
-circunstancias <1* o faz'r, poder compa-
decer n sobrcdito Hospital munido dosse-
is respectivos Fiadores nos das 8, e 9 do
'torrente desde asll horas da mauh t as
2 da tarde.
3 Joaquim de Olivoira e Souza previne
ao Publico, que nao recebho bilhete de co-
br, inculcado passado por elle, por quau-
to/a s nao ueve cotisa alguma a pessoa
inhuma, como que nunca passeu biihce
de cobre ; e qualquer pessoa que sejulgue
scu crcvjjr pode inmediatamente exigir o
pagamento nn casa de sua residencia, Atier-
ro da Boa Vista.
4 Na ruado Atterro da Boa-Vista do la-
do da Matriz prximo a ella, est huma
casa de pasto, que tabern luz juntares sa~
bcrozos para lora, com todo o aeeio, e per-
feica da arte; bem entendido, por diuhei-
ro: que por( se lembtar de hum letreiro,
que tinha huma casa de pasto em Lisboa.
Para fiar tenho amigos,
Para arrecadar inimigos:
Para disto nieliOiar,
Nunca mus quero fiar. .
Na mesma proprieade se veudem uvas bo-
as.
5 Em Fora de Portas em caza de Felipe
Joze Ferreira junto a caza da saude acha-
se duas cartas viudas de Monto Video huma
para Mara Joze Cavalcante, e rutra para o
Cadete do 8. Corpo de Artilharia ii Po-
zic.no Salvador Coelno, de Dunuonte e Al-
bu querque.
ti Quem percizar 4 hum Caxeiro para
Armazeni, Loj de l'erragem, ou venda, d-
rija-se a rna i'etraz dos Martirios a caza de
Manuel Joze du Monte.
.

C.ompra-se.
i
7 A pessoa que tiver, e quizer vender
hriiti, ou ilois livros de Quintiliano, falle o
Miguel Bernardo Quinteiro, morador na
ra Nova, junto ao Hospital de S, Pedro
d' Alcntara, ou anuncie pelo Diario, para
ser procurado.
Vende-sc.
8 Hum Sitio no lugar do Jang, com
oito mil pesde coqueiros, e mattas para le-
nlia. boa trra para plbntac,a, com hum
viveiro de peixe, com casa 'Se pedra e cal,
>aos prprios : os pertendeales tirija-se
rua Diieita Sobrado D. 4.
9 Ilun.a cmoda, e hum tocador com
pedra ensintn de muito bom gosto: na rua
JaCrus noRecife, na Botica N. 23.
Hutn cayallo novo, igualando a uHrt

ma muda, de boa figura, milito prdigo, com
boas estradas do n.eio abuixo, e botando se
a es q ni par, com bons siguaes, cor preta,
calcado dos quatro pes, com huma estrella
na testa, e dinas grandes : na ra Direita
nacas que tem huma figura -montada.
Iliiia poroao de caibrps encouta ; na
rua Nova casa D. 2$.
10 Bilhetcs da 9.a Lotaria Extraordina-
ria, a Beneficio do linpeifaT' Theat o der S_
Pedro d'Alcntara do Kio d .ruiro, aqtjul
corre.por todo cite corrtfirtc^me?,, cada rrWro
b!hete 0#000 is.: no nnazrm de inora-
dos da Pracinha da.Liirifttiehto, de Anto-
nio Francisco da Costa.
J1 Huma ptffte" da asa de dous andares
N. 61 na rua da Cadeia do tteeife : os
pertendentes -dirija se a rua de Ortas casa
D: 24 que achara 5 com quem tratar, na
certeza deque todo, e qu&fqaer negocio
que se ofereca, sendo cometido por pessoa
de inteira probdade jamis deixaiadeser
aceito.
12 Bixas de Porto e de Lisboa : na ruado
Colegio Botica de Cyprianno Lti'iz da Paz
D, 3.
3 Hum felina Iuglez em meio u?o por
prec.0 cmodo : na rua Nova Botica Fran-
cesa ao p da Igreja da Couceica.
14 1 ii*ii Kspuio de Jacaranda com sna
rreza de pedra, huma marqueza decondu-
r, eduas rotulas em bom tamanho, e uso,
para porta, e janella de caa terria : na rua
doLivrameuto, lado da Penha, D, 23, 1.
aedar.
15 Batatas, e queijos londiinos: no Fr*
te do Malo armazem N. \3.
Hum inoleque de i da Je que reprezen-
ta 16 anuos para tora da Praca; ou Pro\iu-
cia : na rua do Uvramento D. 7.
16 Tiz i oradas de cazas na Villa do Li-
noeiro, duas na ruada Fura e huma na rua
do Fcgo : na rua Din ita N 189.
1? A \ida re Guilherme Tell : na Praca
da Unia L Queiuiadt>N.c 5, t no Bilhar do Botequini
da Praca.
18 Feijnf branco da Ilha de S. Miguel :
na rua do Queimado N. 96.
19 Almanaque$ paiaoanno de 1829: no
Bilhar do Botequim da Praca do Corpo San-
to.
SO Bixas chegadadas ltimamente de Lis-
boa : na venJa de garupa do Pateo do Hos-
pital.
Furtos.
21 No dia 3 do correhte, tomaran de
hum negro, no caminho du Passagem, hmn
cavallo, com os signats seguintes: mella*
do, fente aberta, c* liado: a pessoa que ti-
ver noticia, dirija e a rua Diuita ca^a IX
-12, que ser bem rec O
,









(20)
22 Hum cavallo de estribara, do Sitio
doArrail, no dia 30 do mes passado, com
os signaes seguintes, castanho, lavrado,
com o ferro *-( ; quem souberaonde existe
tara participaca ao seu legitimo dono, Jo-
o Carlos Pereira de Burgos que ser bem
gratificado,
Alluga-se.
*2 Huma escrava cozinheira,
Noticias Maritypas.

Entradas.
t


engoma-
JU 2 do correte Aracati, por Assu ;
S. Beija Flor, M. Anto/rto Joze da Costa
Fernandes, equip. 12, carga sal, peixe, e
couros, a Francisco Antonio, passageiroi
o Pratico Felipe Ignacio Gomes, Francisco
deira, e de todo o servico : os pertendeutes Antonio dos Santos, e Tilomas Joze de Se-
dirija se a Boa-Vista, ra da Coaceica na, \
casaN.5. Dia 4. Gaspee; 41 das; B. Se
Perdeil-Se Flower, M. FraneioLuce, equip. 11, carga
bacalhao, a Roberts Pelly & Companhia.
24 Hum par de botoes de ouro ovados de Goianna; 24 horas; L. S. Joa5 Baptista,
uso de punhos de carniza, com as letras ini- M. Manoel da Silva Rosa, equip. 5, carga
ciaes M. P. Q. intrelacados em cifra, da milho, e farinha, ao mesmo M. Caravel-
Pracinha do Livramento at os quatro can- las; 25 dias; S. Pencamento Feliz, M. Jo-
tos, quera, o achar dirija-se a Tipogra6a, ao Gonealvea da Silva, equip. 10, carga fa-
onde receber de alviceras o valor intrinsico rinha,a Joze Goncalves Moreira. Goian-
do mesmo par de botoes. na; 24 horas; Can. Lealdade, M. Joaquina
25 Huma chave de curalina, no dia do Joze de Castro, equip. 9, carga caixas, e
Monte, na ladeira ; a pessoa que a achou algoda, ao mesmo M.
querendo a restituir, dirija-se ao beco da Dia 5. Babia; 19dias; B. Imperador
Garrama na renda da quina, que ser bem do Brasil, M. Joze Antonio Teixeira Fal-
recomoeusado. cher, equip. 17, carga taboado de jacaran-





Viag-ens.
da, e 1019a, a Joze Antonio de Oliveira,
passageiros Carlos E.Kragh, Antonio Fran-
cisco Villar, e Joze Maria de Carvalho.
26 Para asllhas de S. Miguel e Faial ie- Salem ; 45 dias ; G, Amer. Janua, M. Hy.
gue viagem o P?. tacho Portugus Liaoquem K. Brediges, equip. 15, carga farinha, e
nelle quiser carregar oti hir de passagem maU gneros, a Ferreira& Mansfield.
dirija-se a fallar com o Fretador do dito Jo- Dia6. Philadelphia; 31 dias; B. A-
ze Pereira Lagos Jnior morador na ruado roe. Olio, M. Joteph J. Kirk, equip. 11,
QueimadoN.0 96; o qual hade tahir em- carga farinha, e mais gneros.
Dia 7. Lisboa; 37dias; G. Danubio,
M, Joze da Silva Amora, equip. 74, carga

preterivelraente at 10 de Fevereiro de 1829.
Escravos Fgidos.
27 Mara, por aleuaho cabocala, crila,
de idade de 12 annos, cara larga, naris cha-
to, olhos e beicos grandes, edr fula, pes a- noel da Silva Coellio, e Manoel Goncalvcs
palheitados, com o dedo iudix dos mesmos Bastos,
oais crescido que os outros, levou saia de
riscadiulio encarnado e amarello, ecabecao ShidaS.
de algodaozinho fino, tudo ja sujo, fgida
hontem 7 do coi rente pelas 8 horas dama- Dia 2. Bahia, e Rio de Janeiro;
nhaa\: os aprehendedores poderao levalla Paq. Ing. Lord Melville, Com. John Furse.
a Tipografa deste Diario que se lhe recom-/ Dia 3. Portos do Norte; B, E. de
pencar o seu trabalho. Adverte-se que es-i Guerra N. I. Atalauta, Com. 0I.0 Te-
la negra julgaTse estar recolhida em algiima nente Joze Maria.
sal, vinho, e fazendas, a Joze Antonio Go-
mes Jnior, passageiros Luis AndreSmobje
esua unulher, Joa da Silva Maia, Antonio
Felis de Valois, Joze Antonio Correia, Ma-
caza por ella nao saber as.ras, e por i*so
previne-se a qualquer pessoa que a tenha
em seu poder a venha entregar, e ao pu-
blico para nao cahirem na ignorancia de a
comprarm e quando assim o nao facao es
tar huiis e outros sujeitos a pena
lhes iiope a Lei.
que
Dia 4. Havre ; G. Franc. L' Hiron
dell, M. Pedro Paul Thomas, equip. 13,
carga algodao, e assucar.
Dia 6. Goianna ; Can. Couceica do
Pilar, M. Manoel Falcao, equip 9, carga
oolhados e fazendas. seguirn viagem pa-
ra o Rio de Janeiro a G. Amer. Janus, e o
B. Amer. Elio.

v

+Qj**~& <* 0-^*^0
Pernamhuco nu Tipografa lo Diario.
O
0
m^t
I
1
)



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7AKIU9CD_JSOCNX INGEST_TIME 2013-03-25T14:14:42Z PACKAGE AA00011611_00147
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES