Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00116


This item is only available as the following downloads:


Full Text


Anuo de 1844. Quarta Fcira 2
OI)MB.o,,Ublie.-., I, do. os di.s que n,o f.Z^ETTT^TTTTJnTir.
he .le Ir. mil n. uorqu.r.el pago, .di.n.ado, Os .nnunciodos ass.gn.n.e. sao insendo.
.,., eoi doi que nao foj,. t rtl0 de "'" *" lyp "" "" Cru'" u a praga ;. Independencia loj. de litro.n } e 8
PARTIDA DOS CUKRKIOS TERRESTRES.
'TlO^M r ,," """"'I"5' ?' fc"..-Kio Cunde do Norte, cheg. S e Z ,,ar
I 'Id .7 rnb'eu K"'Fo" Macero, I'oru.C.ivo, Al.,.,.,, no V "
ai a 13. 28 duo.-dd.oe d. V.cton. quin,., feirf.. Olind. .odes o. di.e.
< i a ,),AS ,)A SEMANA.
27 Se? s Jo.io. Aud. do J. de D da "" y
11 lerea 4- Germ.no Rel, .ud. do J. de D.d. 3 t
(liarla ). Maximino Aud. do J de I), da 3. v
J Quintal temando Aud do J de U da fc T*
3f Sexta s. i'elromlla. Aud do J. de I) da 9. r:
i Sab s Fumino. Bel. aud do J. de da 1 .
1 Gnuu da.ts. Trindad s-. Marcelino.
rsjexaBttiiK...
jy C.mlfins .olire Londre -5.
i* .. ,. Parii 37
de Maio.
Anno XX. I. 152-
iiii ni imiinini i mu ii 11 i ni aniin m i .i un i un
ludo agora d|>Pnde da bi meamos: I nona prorlenca, "odaragio' aaarjia: con-
Unueaaoi como prin.oipia.moa, aeremai apnntadoa im admiradlo mire as n ages matl
cul,as- I ro a Oral Jo iran.)
cambios ro DI ..) i>< jwo. compra venda
Ouro-Mwdade .40 V. <7,30 47.50*1
.1 .1 ,. \. -17.100 i"
ic oo g -iiiii y iwo
'm. 4,960 J '|SU
I manare* I .'.ni.- >MI
Diloi mexicano. 1 ,'Jti .tteO
PHASES DA Ll A NO MEZ DE MAIO.
Mineante a J as < ora, n ... ,,, {,;,,, 2g j h ,g a, ^^
'reamar de hoje._____________________T.__________
,,,.. ,,,i,n::,v" /"'-'"-" '--'-. ish.......s:i,r., r,.,,d......,.
"'-Tii-n.r-i"
Comniando das Armas
EXPEDIENTE DE 20 DO CORRENTE.
licioAo Exin. \ ice-Presidente, instan-
do pelo abono da diaria, quedevado ser for-
necida ao preso por crimes polticos Ignacio Pi-
res da Suva, Alferes da extincta aog'j'nda linha,
diaria reclamada em 22de Julho, 2., e 14 d' \-
gosto do anno p. p., visto que.nao tendo o mes-
mo Alferes nesta provincia os r.ocessarios meios
para se manler. o tendo de m?.IS adoecido gra-
vemente de urna poma, for.\a f0i recolhel-o ao
Hospital Reg.mental, onde ha sido tratado con-
ven.entemenledesde ^go< t0 ate agora) v;ndo as.
sim a arregar co n ame d^,. (1;1 qua| con_
vemqueseja in.lemni ,a(|0 da Inn,(rlan0ia da
diana reclamada em ^rtude do disposto as fm
penaes Portarias de i8 d-Abr| e 30 de S(jtem
bro de 1825.
Dito-Ao m^oio Iim. Sr., participando:
Ihe, que o Bot li:ar0 Gameiro sujeitou-se a con-
tinuar no f'jrnecimento dos rerrledios para o
Hospital como mesmo a(,ate 0flTerecidQ por Pa-
ranhos ((/2 2|3 por cento), e rogando-lbe hou-
vessede scientilicar disto a Thesouraria, com
d^la'.acao que o novo abate dataria do dia 18
des'.e mez em diante.
DitoAo Commandante do batalho d'Ar-
iilharia, dizendo-lhe, que ficava sciente do a-
cordo tomado pelo Boticario Gameiro. a quem
lewa por na intelligencia, que o abate do 02
2|.'{ por cento principiara a ter vigor do dia
18 como se Ihe disso, e nao de 21 como propo-
sera.
dignar-se de mandar reformar, ou enviar as or-
dena, que achasse convenientes.
DitoAo Inspector da Alfandega, para in-
formar som demora, a im de poder satisfa/.er a
exigencia, que fez o E*m. Vice-Presidento da
Provincia em ollicio de 20, de que no registro
(los despachos daquella Alfandega se linha del-
icado de observar o que delerminava o 8. do
artigo 115 do regulamento de 22 de Junho de
1830, nao os Janeando por inteiro em trans-
umpto, e sim por resumido extracto.
DitoAo Engenhoiro em Chefe. encarre-
gado da medicao dos terrenos de marinha, para
em cumprimento do despacho do Exm. Vice-
presidente da Provincia, proferido no requeri-
mento de Joaquim Jos de Figueiredo. mandar
proceder medico e avaliacao do terreno, pecio, tendo em vista de que se deviao fazer
dous proressos, t termos dilTerentes; porque,
cuntendo o mesmo terreno, alagado allerrado,
e terreno propiamente de marinha, dilTeren-
tes deviao ser os ttulos, que se passassem.
dem do dia 22.
OlicioAo Exm. Vice-Presidcnte da Pro-
vincia, informando o requerimentode Jos Ro-
drigues da Costa, Carcereiro da caaeia da villa
do Brejo, em que pedio o pagamento do seu or-
denado vencido no anno financeiro de 1842
1843
Assevera-se que o Rei e a Rainha dos Belgas
voltariao pasa Bruxellas a 19 de Abril; e que
depois iriiio a Pan'/, assistir festa do Santo do
nome do Re dos Francezes que este anno
sera solemnisada pela abertura da exhibicao
das manufacturas nacionaes M. Bareel, pri-
meiro Secretario da divisao dos Goireios na re
partico das obras publicas, tinha embarcado
no dia 10 em Ostend para Londres. Segundo
as melhores inl'ormacoes parece que a missao
B"
II
DitoAo Commandante do corpo de Guar-
das Nu.;ionaes destacado, remetiendo Ihe todos
os papis relativos a fuga dos presos da cadeia
deNazareth para que avista delles man lasse
proceder a Concelhod'investigago para conhe-
er da conducta da guarda, o poder tal Conco-
Jho servir de base ao de guerra que tinba de
julgar os implicados nesta fuga.
PortaraMandando dar baixa ao soldado da
quinta companhia do-segundo hatalhao de Ar-
tilharia a p Antonio Jos Gomes, por ter fina
lisado o seu engajamento e nao querer conti-
nuar.
dem do da 21.
GflicioAo Exm. Vice-Presidente, infor-
mando novamente sobre a pretencao do Alferes.
BOtu Ferreira .Viarques Brasil, que por doen-
te quera ser tratado no Hospital Regimental
DitoAo mesmo Exm. Sr pedindo-lhe es
clarecimento a cerca do pagamento da despeza
f'eita por M. G. Q. Patriota, d'agoa e luz para o
destacamento do .imoeiro de 5 de Janeiro a
15 de Setembro do anno p. p., que em sua opi-
niao nao podia ser paga pelo corpo de Guardas
N'acionaes, conforme S. Ex. delerminava, visto
queo corpo nao recebara os gneros para esse
fornecimento, e nem a importancia em di--
nbeiro.
DitoAo DelegaJo do termo desta eidade,
aecusando o recebimento de um desertor, que
teve conveniente destino.
Thesouraria da Fazcnd.i.
EXPEDIENTE DO DIA 21 nO CORRENTE.
OflfjuioAo Exm. Vice-Presidente da Pro-
vincia, informando sobre a licenca concedida
ao guarda dos armazens do Arsenal de Guerra
' raocisco Bringel de Almeda Guedes.
DitoAo mesmo Exm. Sr dizendo, que
pertencendo a despeza dos sote recrulas de que
iratava a informacSo do Teoente do Estado
maiorjos" Bernardo Fernandes Gama ao Mi
riii ,!;i Marinha, pareca quedevia ser pa-
ielo Inspector do respectivo Arsenal, no ca-
que tivesse fundos para ella destinados
DitoAo mesmo Exm. Sr devolvendo -,\
conta que acompanhava mm o ollicio do Dlo
> de Poiicia 'I" termo do Brejo, que nao se
achavaem estado deser paga, pelos motivos
que expenda o Gommissario Fiscal do Minis-
i da Guerra emsua infornj
Temos Recebido o Times at 17 de Abril
prximo passado contendo noticias de Paria at
15. de Madrid e Lisboa at 9 d'aquelle mez;
e d'ellas daremos os extractos mais interessan-
tes :
No dia 11 tarde tinha cheeado o Princi-
pe Alberto de volta da Allemanha ao Gastello
de Windsor. A Rainha recebeo all a primei
ra noticia dacbegad* do Principe (seu esposo)
a Inglaterra por meio do tolegrapho galvnico
situado na linha do grande caminho de fer.o
occidental. Dentro n'um minuto depois da
chcgadadoS A. R. ao termino de Padding-
ton, eslava a noticia em Slougb; e n'este sitio
acbava-se por ordem da Rainha um proprio
montado n'um dos mais velo/es cavallos das
reaes cavallariiis o qual parti inmediatamen-
te com a grata nova paraocastello, endeche
gou em oito minutos e meio, contados desde
o instante da sua nartida do Slmi.o-h risfim o
annuncio da volta do consorte Real a Inglaterra
cbegouao conhecimentodaRainha Victoria,odo
Rei e da Rainha dos Belgas em menos de dez
minutos, doiois que S. A. R. havia chegado
a Paddington, e 40 minutos antes queo Prin-
cipe enlrasse na Real residencia de Windsor.
Boatos da prxima retirada de Sir JamesGra-
bam da Rcpartico do interior predominio nos
circuios bem informados, nos quaes tambem
sao acreditados. Um tal acontecimento nao
deixa deer toda a probabilidade. Como Se-
cretario de Estado d'aquella reparticao tem o
filustre baronetesido singularmente infeliz. A
m sorte das medidas que Ihe teem cabido pro-
pr ao Parlamento tem causado embaracos
ao Ministerio, e diminuido a confianca do paiz
de M. Bareel dizia respeito a urna ne}{ocacaoqu
mui lisongeiraseria ao (ioverno Ingles; a saber,
o estabelecer-se urna cominuncacio diaria por
vapores entre aquellas dous portos, e igualmen-
te reduzir-se o porle das cartas Inglezas, abo-
lindo-sea obrigacao de pagal-o adiantado.
Sobre o julgamento dos conspiradores da ir
lamia, l se no Times, que corrio boatos,
uns aps outros, quanlo a linha de conducta e
estrategia, que elles adoptariao para o lim de
evitarem a sentenca que Ibes eslava inminente
sobre ascabecas; que no dia 12 de Abril tinha
bavido urna reuniao do seu concedi o qual
cria se que ficara adiado para o seguinte dia ,
masque o resultado das suas deliberaces ti-
nha sido dado de tantas fiinnas que seria m-
possivel aquelles, que nao assistiriio aos seus
concelhos, dizercom preciso que especie de
embargos se consideravao como mais proprios
para obstarein ao curso do processo ulterior;que
fl" opTrfaSSas geral era, que* primeira inocuo
seria inlerpor n'um dos dias immediatos recur-
so para novo processo, pera o que os argumen-
tos dariao lugar aconsumir-se urna porcao con-
sideravel de lempo; e que no caso de mau suc-
cesso por este lado entao suscitar-se-hia a
questao de nullidade de modo que s Mr.
Pierce Mahony sabia, quantos mais ards, es-
tratagemas, e monstruosos depoimentos se se-
guirao. Todavia conclue o correspondente
d'aquelle jornal, pens que nao ha razao al-
guma plausivel para se duvidar d'isto, pois que
ha a maior probabilidade de ser todo o prazo
que se segu, tao proficuamente empregado da
parto delles para differir-se a sentenca, quan-
lo o pra?o de Janeiro foi consumido em procras-
tinar-se a reunido do jury.
'.ssmsaa3ta
tentativa sendo morto pelos mesmos solda-
dos.
A praca do Almoida tinha-so quasi despovoa-
dode muflierese criancas, opprimidaspela mi-
seria c fomo, e receosas do efleito do bombar-
deamento; econstavaque tolos os habitantes
deixarioos muros, seos revoltosos o naoti-
vessem permiltido senao aos que nao podiiio
pegar am armas.
Por decreto de 9 de Abril mandou o Gover-
no alionar urna relo a cada individuo indigen-
constrangido
a abandonar a
le que' fosse
praca de Almeda.
No dia l> forao surprohondidosa capturados
em Louros, c outros pontos da estrada que all
conduz o capitio Sfi Chaves, que pertencera
aoexercitomiguelisla, e mais dez individuos
(|uc marebavao a lormar urna guerrilha fra de
Lisboa sendo aquelle seu chele gravemente
ferido.
Por decreto de 15 forao novamente adiadas
as cortes ateo dia 23 de Maio; e sor outro de
17 loi determinado que nao s os militares que
se revollassem, senao tambem os paizanos que
se armassem formando guerrillas, eosalicia-
dores de unse oulrosa fav ir darevolta, fossem
immediatamentejulgados em concelho de guer-
ra no sitio do delicio, ou no mais prximo, so
assim conviesse.
Cltimamente tinha partecipado o Visconde
da Fonto Nova, que em consequencia do fogo
sobre a praca de Almeida acabava de sahir o
resto da populacao; que a soldadesca desenfrea-
da percorrendo dentro as ruinas roubava ludo
quanto encontrava as babitaces abandonadas,
achando-se os revoltosos no maior apuro; e que
o vapor Tercena condu/iria para a capital no
dia 17 de Abril 40 prisioneiros de impor-
tancia.
Em conformidade do decreto de 9 de Marco
era o os guerrilhas capturados e prisioneiros
transportados immcdiatamente para os presi-
dios do ultramar.
L-so no Diario do Governo de Lisboa o
na
a Sir R. Peel apr n'aquella reparticao um ho-
mem que seja mais bem succedido na predis--
posicao e proposla das medidas na Casa dos
Communs A nomeaco de Sir James Gra-
bam para a India, cerno successor de Lord El-
leborougb he repetida com referencia ao
boato a que alludimos Outros attribuem a
desgoslo a fallada retirada prematura do honra-
do baronete, em parte por causa da dificulda-
dade em que pozeriio o Governo os seus infe-
li.es bilis sobre as fabricas ; mas principalmen-
te recusa de Sir li. Peel de recommeodal-o a
ainba para a Lord tenencia de Cumberland ,
que foi conferida a Lord Lonsdale, juntamen-
te com ,i de NVestmoreland. Dizem que Sir
lames Graliam contara tanto com a Lord -te-
nencia de Cumberland. que fallava da sua no-
meaco, como cousa absolutamente assenta-
da, Evening paper.
Recebemos o Diario do Governo de Lisboa
de 30 de Marco a 20 de Abril prximo passado;
as noticias mais importantes que n'elle se cin-
teem, sao em resumo as seguintes:
As tropas do Governo tinbao acampado
em torno da praca de Almeida no dia 27 de
Marco; a 26 achavao-se promptas todas as ba-
teras; e a 30 rompeo o fogo sobre ella.
Em consequencia do fallecimento de Carlos
(Joao) XIV, rei da Suecia e Noruega, tomarao
a Rainha e a corteportugueza luto por um mez,
o qual comecou no dia 4 de Abril.
Por Decreto de 5 do mesmo mez forao adia-
dos os exercicios escholares da universidade de
Coimbra at o dia 20 de Maio.
Por participacoes oliciaes d'aquella eidade,
em data de 2, constou que na noute anterior
alguns soldados do regiment 12 seduzidosti-
nhao-se insubordinado no quartel; mas que
seguinte :
sua energa. Isto induzio provavelmente este motim fora suffocado pela maioria do m'es-
I mo corpo, qne se conservara obediente ao seu
chefe, auxiliado pela outra frca da guarnigo,
sendo presos 20 soldados que n'elle tomarao
parle.
Continuava o fogo contra a praca de Almei-
da, tendo-se-lhe lancado no dia 3 para mais
de duzentos projectis, que causarao grave pre-
juizo aos revoltosos, os quaes inculcarao que-
rer fazer urna surtida na noute de 3 para 4, mas
nao se atreverao a sabir da praca.
O Governador militar da Guarda havia par-
ticipado que apprehendera toda a plvora e mu-
nicSo da extincta guerrilha de Mides sssim
comoo2.cabecilha d'ella conhecido pelo no-
me de Poeta, que era um dps maiores facine-
rosos do reino, pois constava j ter feito 17 mor-
tes, e algumascom a maior barbaridade; e que
BANDO.
D. Jote Manso Capito General do oitavo
dttrictoda fronteira di Hespanlia i(c.
Faco saber, que acbando-so bloqueada a
praca de Almeida, do reino visinho do Portu-
gal, pelas tropas de Sua Magestade Fidelissi-
ma, edesejando e\itar que deste reino se auxi-
lie, aos que nella se encerrao, com recursos do
qualquer especie, tenho por conveniente orde-
nar e mandr, como desde logo ordeno e man-
do, o seguinte :
1, Em quanto durar a resistencia da pra?a
de Almeida fica prohibida a entrada em Por-
tugal, em todo o limito da provincia de Sala-
manca, a nao se verificar pela aldea do Bispo
p.ra valle de La Mua, onde se achao as tropas
de Sua Magestade Fidelissima.
2." O que for apprehcndido passandoa fron-
teira por qualquer outra parte della, dentro da
provincia de Salamanca, ser preso pelos pos-
tos de vigilancia estabelecidos na linha diviso-
ria, e julgado como contrabandista por um
concelho do guerra ordinario.
3. Este bando se publicar immediatamen-
te em todos os povos limtrofes e principiar a
vigorar vinte e quatro horas depois da sua pu-
blicacao.
4. Os que conseguindo iludir a vigilancia
dos postos da linha penetrarem em Portugal
furtivamente se sjeitaro no caso de ser ap-
prehendidos no outro reino s penas que Ibe
applicarem as autoridades delle, cmo se fos-
sem subditos portuguezes. Dado em ciudade
Rodrigo em 27 de Marco de 1844. = Por c-
pia=J/ans0.
Le-se no mesmo Diario :
Illm Sr. Desejando que chegue ao co-
nhecimento de todos a falal desgrana que acon-
teceo na villa deOlleiros districto de Castello
tentando o dito guorrilbeiro evadir-te aos sol- Branco, no dia 28 de Marco, me resolvo a par-

lados que o apprebendero, fora victima da suajtcipar a V, S, para fazer o obsequio de use-


rir no seu Diario do ( tremo, n sr?uinte :
Ouvindo dar n i mei i d i villa de ( MJeiros repe
lid is gritos. i1".' is fin 'o boras d i i irde do dito
da h; lo que acudissem a urnas criancas
las por um respeitavel
lobo aamnado; mi, o padre Antonio Mara de
a da Certa me cncam-
nhei par ios n as \ ictitnas des-
gra<; idas, e a o lobo desped -
< indo acabei i de urna crianca que guardava
;a Jo. dirigindo-me para elle com urna es-
pingarda Ibe atravessei opescQco.com urna bal
ja, cujo ferimento augmentou o furor daquelle
animal, preteodeudo dovorar-mo, escapando
Ihe milagrosamente pai i cima de um castanhei-
ro que a fortuna me ilep irou.
Esiebravo e feroz animal, antes que ch !g --
te sitio (inba passa lo pela ribeira da Loo-
treira termo de Olleros, aonde devorou um
rebanho Je gado quasi inteiro c mallratrou o
pastorarrancando-lhe parte do couroda cabe-
ra e maltratando-o na cara e bracos: passou
i iqui ao ribeira das Hortas onde ei controu
urna mulber seifando berva eagarrando-a a
rrastou rasgando-lhe os peitose bracos, a qual
a estas horas j i ter Jado os ltimos suspiros :
contiguo ao mestnositio se acbava um bomem
ivrando ao qual se dirigi e rasgou a--ara
* caneca e nariz deixando-o
no mais lamentavel estado possivcl : pertodcs-
te mesmo sitio encontou urna pastora qual
se lancou com as garras a ponto Je Ibe arran-
tr o crneo, ficando immeiiatamnte morta
d i |ui passou a um sitio inimedi ito, encontran-
do varias pes>oas que se o :upav3o no servico
.\ lavoura e agarran lo-se a eada um Je per
-1 a todos ni iltratrou, principalmente n rosl i,
te principal a une elle se diriga deban lo
n i fim desta tcrrivel voracidade quatorze feri-
s, Jos quaes apenas podero, segundo a opi-
niSo dos facultativos, escapar dous,
l'endo-me finalmente dirigido ao sitio aonJe
o enconlrei pela primeira vez, como cima dis-
' !:' desappac eo logo que me acudirSo :
da i fui com qm su itoem busca delle, cebe-
gari. lo nSo esperando
ntr rlo all sal i elle de rspente e se
ut in ou ao ditosujeito, ao quil deitou por tr-
ra : e luctando este c >m aquel le porto de cinco
- e nao podendo desear regar a espin-
[ue tema matar o bomem, atraves-
sei as mSos ou espadoas do dito loln com um
meta; porm vendo-se nova mente ferido
o ir ue nenbuma das ferid is que tinlia recebi-
u sgracadamente era mor se avancou con-
- i mim.doqual tambom escapei, passandoum
iro.quealli havia; porm. recuando este ter-
rvel animal, foi passbr perto do ujeitoque ja-
zil postrado por trra dilacerado, ou alias mal-
ido, e caneado da lucia porm corajoso ,
lan ou mo da espingarda, que tinbajunti a si,
I i-lbc um tiro Ihe quebrou urna perna;
I iroximado a n tute o nSo podemos
- ^u.ir. N> dia.seguinte appareceo no Roqueiro,
onde ni iltratou duas| es* las e ahi finalmente
mort > por um bomem, que Ihe enterrou um
nxadSo na cabera.
Julgooi H ) meu dever, que um c iso Mo estra-
nho em Portugal nao ficasse em silencio, e que
bo conhecimento do publico por sso
a res ilvi mandar inserir to funesto amnteri-
mento e V. S. perdoar esta incommodo.Sou
de V. S constante leitor. O padre Antonio
Mara de Mascarenhat
na 30 de Marco de lSVi.
[Diunuiio Governo
;o.
da Silva eootro: mandou-se dcscer ao Ju^o
.1 i segunda vara para avahar.
Appell icao civel do Jizo dos Feitos, appel-
lantea Fazenda, appellado Domingos Lopes de
Amonin: \iti ao Procurador da Cora.
AppellacSo cvel, appellante Jos de Mello
11 Fonseca, appetlada a Fazenda Publica: vista
10 Procurador da Coroa.
AppellacSo civel do JuilO de Direito da co-
marca de Santo Antao, appellante Manoel Ca-
valcanti, appellada I). FeliciannadeJe/us: vis-
11 as parles.
Appelhcaocrimedo Juizode Direito da co-
marca de vfacei, appellantes o Bacharel Ma-
no. II.ourenco dh SMveira e outro, appellada a
Justira [crimt de rexpansaailidadt): foi confir-
mada a sentenca.
Appellacaocivel, appellantes o menor JoSo,
e outro por seu curado/! appellado Jos Fran-
cisco Dini/ Machado: vista ao curador.
Appellaciio civel, appellante Joao Carlos da
Silva Carneiro, appellado Joaquim Jos Macha-
do'Pmentel: foi confirmada a sentenca com
de 'laracSo.
AppellacSo civel, appellante Jos Thomaz de
llampos, appellado Puget & C.*: foi confirma-
da a sentenca.
AppellacSo civel, appellantes Manoel Correia
dos Santos e outro, appellados Rento Jos da
(unha e sua mulber: vista ao Procurador Ge-
ral.
Tribunal da Bclacao.
Jufgamento do dia 2tj.
AppellacSo civel, appellantes .Manoel Gomes
Raptistd, ua mulber e outro, appellado Ma-
noel .ui/ Goncalves: vista as partes.
Appellacaocivel, appellante o Tenonte-Co-
r'neK.avalcanti, appellados Luiz i imo admi-
nistrador de-sua mulber, e Antonio Francisco
Je Barros como tutor do menor Francisco: re-
queira a parte o'que Ibe conver.
AppellacSo crime J Juizo de lireito Ja vil-
la Je S. Bernardo do Cear, appellante ajusti-
ippeliados Jernimo < lavalcanlid'Albuquer
. liento Maranbo Cavalcanti de Albuquer-
quee Miguel BibeiroCavalcaoti: I : reforma
Ja a sentenca, queconcedeo o haht u i trput
VppellacSo civel do Juizo Municipal Ja Prin-
reza comarca do Ass, appellante A. da Cunba
UrandSo, appellado Joao Mara e sna mulber:
vista is ii te*.
Ap| iveldoJuo dos i eil is, appel-
enda
Nac irmada
Ap do Juixo dos i
. i d desta i p
.
mies Jos I | ar-
i e outro, idos Francisco de i i
Necrologa.
(>mni lempore ditigit qui amicus cst.
Prov. cap. 17 r. 17. n
I alian i na tribglacSo do meu espirito:
s conversarci com a amargura da minba alma.
Job. cap. 7 v. 11
Derramar urna lagrima de saudade sobro o
tmulo do amigo verdadeiro he tributo doloro-
so, p>r- m grande desalalo a quem sonV perda
ISo irreparavel: dirigir preces ao Redemptor
dos homens pelo eterno descanco de urna alma
generosa be dever sagrado da Religio Calholi-
a: e resumir em breve, e simples quadro os ac
tos da vida daquelle.cua morle deploramos be
trela das mais honrosas, porque a lisonja nao
lem interesse de acompanbar as palavras ditas
a cerca de quem ja nao existe, de quem mais
nada espera.
Foi chamado ao seio da Eternidade no dia
27de Abril na villa dp Flores, aonde (ora cu-
rar-se do />w?ioiii'a,oTacharc! Formado Mano-
el de Hollanda Cavalcanti, Juiz de Direito do
Civel do Pao d'Albo.
N iscido na villa do Limoeiro a 8 de Dezem-
brodel812, filho do Coronel Christovao de
lloj/anda Cavalcanti, depois de receber una
educacSo fundada nos saos principios da moral
cbristSa, e a nstruccSo primaria, veio Manoe
de II dlanda para a cidade de Olinda estudar o
reparatorios para entrar na Academia de Sfi-
Se todos os Jui/es, se todos os amigos fossem
em nosso pai; como o que Dos acaba de cha-
mar a si, os latos da classe a que elle pertencia
estariao mais estreitos nesta provincia, nao ha-
verio as intrigase rancores, que dividem col-
legas, que deviaoser amigos, e unidos em to-
dasascrises. Os que tivero a dita de apreciar
estes dotes, que nos reconhecemos no amigo,
cuja perda choramos, os que pas*ao pela dor de
severem delle privados, suppliqucm ao Co pe-
la bemaventuranca de um Magistrado honrado,
e modesto, de um amigo extremoso.
DIARIO DE PEBMIBl'CO.
Dissemosem nosso ultimo numero que Sua
Ex. o Sr. Vice-Presidente por despacho de 2V
ordenara a remoco do hospital de caridade do
Convento dos Carmelitas para o edificio onde
esteve a fabrica de tecidos; eapressamo-nos bo-
je a declarar, que esse despacho nao foi defini-
tivo, e sim concebido pouco mais ou menos nes-
tes termos:Romettidoa Administragaodos es-
tabelecimentos de caridade para eflectuar a re-
mocSo, ou declarar os obstculos que ella so
oppoe.Este despacho foi proferido em requo-
rimento do Padre Provincial dos Carmelitas,
pedindo a referida remocSo.
Foi reintegrado no posto de ('apitao da G. N.
de Santo Anlo Manoel Camello Cavaleanle de
Albuquerque, o no de Tenente da mesmajo-
s Jernimo Fernandes Coelho.
Por Portara de 2i do corrente forao nome-
adns o Capifao Jos Francisco Leito Major de
LegiSo da G N de Cimbres, Joaquim d'Al-
meida Catanbo Major do primeiro batalKo e
Pantaleao de Siqneira Cavalcanti Jnior Major
do segundo bata I hilo da mesma legiao.
Em data de 2o foi nomeado Major do segn
do batalhao da G. N. de Flores oCapitao Vic-
torino Lopes de Barros, e forao demittidos o
Delegado de Flores Manoel Pereira da Silva, o
de'laranhuns Antonio leiveira de Macedo, e o
Subdelegado do Maranguape Joao de Pinho
Borges.
Descarrega Barca americana Brandyiiinc diversos g-
neros.
Hiate y lar das Larangciras dem.
Bri"ue inglez Elisabelte ftynon dem.
y
Publicaban a pedido
lllut. Srs. Diz Joaquim Lopes de Almei-
da (|ue para bem de seu direito precisa que
Y Y. SS. sedignem atteslarse o supplicante du-
rante o lempo que lem servido do recebedor dos
rendimentos do patrimonio dos orfaos tem fi-
elmente cumprido com as suas obrigaces, dan
do conta dos dinheirosque lem tido a seu cargo:
n'esles termos pode W. SS. assim sejao ser-
vidos. E receber merci.
Attestamos, que o supplicante durante o tcm-
po que tem servido de recebedor dos rendi-
mentos do patrimonio dos orphSos tem bem
e fielmente desempenhado as suas obrigaces
ncias Socieae e Jurdicas, na qual recobeoo' dando promptamente conta dos dinheiros que
tem recebido ; por cuja causa se tem feito crc-
dor da estima desta administrado ; verifican-
do com isto o bom conceito que delle suppli
cante sempre esta administraeao fizera. Re
rao de Bacharel Formado no anno de 1839.
N > tempo em que frequentou as aulas nios-
trou logo as boas qualidades, de que era do-
tado.
Na primavera da vida em que sem duvida se
conhecem as inclinacoes dos homens, Hollanda
loi sempre companbei.ro indulgente, prestavel
condiscpulo, bom quisto eestimavel, amigo fiel
a constante; foi da mesma sorte alumno, bem
que cheio de toda a estima de si. rwpeitador de
seus Preceptores.
Em ISit foi elle despachado Juiz doCiver"
da comarca do Pao d'Albo. Ueste einprego bri-
Ihrao anda mais as boas partos deste digno
Pernambucano. Nunca se ensohorbeceo com a
jursdiccSoquetinha em urna comarca, onde
era apoiado por sua familia; contra elle jamis
se levantou urna queixa de ter praticado nem
mesmo um acto de aspereza, quanto mus de
injustica
Podia dizer ao poutde Pao d'Albo com a
confianza do Jui;. de Israel Loquimini dme
coram Domino, etcotemnam illud hodie E\-
le nunca se aproveitou da ebivada influencia da
fam la. a que pertencia, senao para praticar
acci s nobres.
Podendo contar.pode-so d/er,' com a unani-
midaJe dos suflragios do Collegio eleitoral de
seu domicilio, nunca fe/, cambio de votos nem
se envolvi em odiosas caballas, concorrendo
sempre a favor dos candidatos de mritos.
Jamis (rabio a ami/ade; antes foi incansave
cife em sessao d'adminislracao do patrimonio
dos o phios 17 de Marco de 18H.
O Pudre Rigueira P. Chaky.
Illm* 5fs. Diz Joaquim Lopes de Almei-
da, actual recebedor dos rendimentos do pa-
trtmonio oo orpbSo,que para bem de sou direi
to precisa, que VV.SS. Ihe mandem passar por
certidao, qual a importancia que tem reco-
Ihidoao cofre desta administraeao, d'esde o
l.'de julho do anno passado, ateo presente,
dos rendimentos do mesmo patrimonio, e se as
suas contas se achao justas, e liquidadas: n'es-
les termos pede a YY. SS. assim o mandem.
E recebera merci.
Passe do que constar. Recile em sessao d'ad-
minislracao do patrimonio dos orphaos 17 de
Marco de 18AV
O Padre Rigueira P. jlmeida. Chaby
Certifico, que revendo o livro segundo do
contas correnles dos procuradores, delle consta
baver o supplicante recpWdo ao cofre da admi
uistracao do patrimonio dosorphiios na qualida
de de recebedor dos mesmos rendimentos, d'es-
de o primeiro de Julho do anno passado, al
boje, a quantia de vinlp e tro/ contos seiscen-
tos e vintc sete mil e sote ris, constando tam-
hem acharem-se as suas contas al a presente
dala justas e liquidadas. E para constar on-
pnAgA no recike 25 i>e maio de 1844.
Revista mercantil.
Cambios Houverao poucas tranzacos por
falta de sahida de navios.
Algodao As entradas foro regulares e ef-
fecturo-se vendas a 4.>900 rs. o da
primeira sorte e a 4s4O rs. o da
egunda.
Assucarcar Tem entrado pouco em conse-
'quenciadesebuvas, e nao eem havi-
do vendas.
Couros Nao soffrro alterares.
Alvaiade Vendeo-se a 4 rs. a @.
Bacalbao O depozilo esti rcduzidoa 400 bar-
ricas,queseestaoretalbandjalO,)500
rs., lendo seguido para a Babia um
carregamento de 2,600, que chegou
de Torra-Nova.
Carne secca Exstem apenas 30,000 arrobas,
tendo augmentado o consumo, c nao
tendo havido entradas; a doRio Gran-
de tem-se vendido de 1 800 a 2*000
rs. ea de Buenos-Ayres de lfSOO
a 1*700 rs.
Farinha de t.'igo Entrrao 600 barricas com
as efuaes o depozilo em primeira mao
he de 4j500 barricas e o depozilo
gerel.d^ 8,000 a 9.00J ditas.
Dita de Mandioca --Vendeo-se a 3*200 ris a
sacca.
Louca ordinaria lu'em de 235 a 237 'A p. c.
de premio.
Manteiga dem a 45b" rs. a libra da ingleza.
Plvora Nao ha de boa qualidade.
Sabao Yendeo-sc de 1(?* a 105 rs. a libra.
Contina a fa'ta de navios exislindo no porto
2 americanos 1 ar^en". 23 bra-
sileros 1 belga 1 hespanbo' 3
inglezes, e 3 poriuguezes" a<> todo 34.
em servir os seus amigos Em sua caa achavao] de convier passou-se a presente certidao em vir-
seos collegas, e podo-se dizer que to- | tude do despacho retro. Salla das sessoes d'ad-
dasas pess ii. que passavaopela villa do Pao do niinistracao do patrimonio dosorpbSos 'J.') de
Ubo, 0 mais franca e generosa bospitalidade, el Maio de 1844. Jus Maria da Cruz.
i que nao a procurassem orao obrigados a
\l -a.
Qsentfmento que maisdominava sua alma,
era o da gratidSo, este seotimento <|ue eleva o
l menos valioso
feito i ra retribuido com
i .i-lhe para sempre em lem-
a.
fc* npturano.
_J-----IJ.S9L-
COMMERC10.
Pandega.
1 r?*
Rendimento do dia 25.........12:264*916
Movimento do Por o
[Vatio entrado no dia 25.
Terra-Nova ; 35 das, barca ingleza Creamoi't*
de 208 toneladas capitao Jchapley equi-
pagem 14 carca bacalho
Si Navios sahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro; patacho brasileiro t'hilinlo, ca-
pitao Joao de Abreo carga asquear.
Falmouth ; patacho dinamarquez Carnet ca-
pilao Schmidt capitao assucar.
Podo; escuna portugueza Priticeza capitao
Fernandes da Silva carga assucar : passa-
geros, Joao Cordeiro Bento daSilveira
Portuguezes.
Rio de Janeiro ; patacho brasileiro Virapama ,
capitao Ballhaznr dos Res: passageiros, Th.
Arlband e sua senhora.Francezes; Lu Gon-
calves Lima Marcolino Lopes Lima, Bra-
sileros.
.Yaci entrado r.o dia 26.
Maranhao ; 11 das patacho brasileiro Caro
lina, de 122 toneladas, capitao Francisco
Bernardo de M., equipugern 8 carga varios
gneros: passageiros, Caetano Selvino da Sil-
va Florencio de Mello Albuquerque, Bia-
sileiros.
Navio entrado no dia 27.
Lisboa ; 33 dias brigue portugus 5. Domin-
gos, de 200 toneladas, capitao Manoel Gon-
calves \ ianna equipagem 14, carga va-
rios gneros.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande doSul ; sumaca brasleira S. An-
tonio de Vadua capitao Joaquim Vlartins
da Silva carga assucar.
Gibraltar patacho argentino Victoria capi-
tao Carmelio carga agurdente: passa-
geiro Schefer Allemo.
Cear ; hiate brasileiro Ulinda, capitao Anto-
nio Jos Yianna carga varios gneros: pas-
sageiros Francisco l'idelis Barros Y cen-
le do Rogo Toscano de lirito, e sua familia t
Padre Joao da Nl\a Costa, Francisco Xavier
deCarvalho, Joaquim Lopes Raimundo,
Jos Alejandre da Silva Jos Francisco ,
Brasileiros.
Editar
1 O Illm. Sr. Inspector da Thesouraria
das rendas provincaes manda la/er publico, que
em comprimen to do ollicio da Exm. \ ice-Pre-
sidente da provincia ilc 17 do corrente se arre-
matara no dia 15 de lunlio proxici i i uro
to nuii) dia o 1" lango da estrada da N icto-
ria oreado na quantia de 18:737* 158 rs., sob
as clausul is espe iaei abaixo transcriptas.
1 >s licitantes devidamentc habilitados comps-
: das scssSes I, mesma 1 besoura-
ra no da e hora indicados.
Secretaria da Thesouraria das rendasprovin-
m


' IIMMIWLIIl'i
S
riaesdoftrnaml.uco20deMiiodel8il.-Oi 1 = Percisa-se do urna mnlhe,"de niela da-
irecretano, /,i: da Cosa Porto-carreiro.(U) de para servico deuma casadopouca familia
Jacorn Ceraldo Marta T.umachi de Mello J'8tante ('esta Pra(.'a. na roa dasTrincbeiras no
jfecreffo wrmdo de Inspector d'Alfandega ^ndar do sobrado **
de Pernambuco por S. M. [. o Senhor ,, "",.' or f*'* ('uo
/Wn> // yMC /;eos guarde $c.
Faco saber que no da 29 ddcorrente ao
meiodia, e na porta d'.-lfanJega se hao de
arrematar trez caitaseum brinquedos para en-
anca (on tendo cada caixinha 31 duziase7 )
no valor de 127.000 rs., impugnadas pelo A-
mannense Goncalo Jos da Costa o Si Jnior
no despacho por factura de Hermam Mehrtens,
sendo dita arrematacao suscita ao pagamento
dedimitos eexpediente. Alfandcga 28daMaio
de1844
Jacome Gtraldo Mara t.umachi de Mello.
ayy-ijei:1-
Oeclaracoes.
30 Exm. e Rm.Sr. Bispo Diocesano man-
da declarar que os das Santos, que teem dis-
pensado saoosseguintcs : 24 do Fevereiro;
a segunda oitava da Pascoa ; o 1." de Maio ; a
segunda oitava do Espirito Santo ; 10, e 24 de
Agosto ; 21, e 29 de Selembro ; 28 de Outu-
bro ; 30 de Novetnbro ; 21, 27, 28, e 31 de
Dezembro. Recife 22 de Maia de 18H.'O Pa
dre Francisco Jos lavares da Gama Secre-
tario de S Exc. Rm. (10)
2 C'ompanhia Rrasileira de paquetes de
vapor.
A barca de vapor Pernambucana, comman -
dante Joao Militao Henriques chegar dos por-
los do Norte at o lim do correnle mez e se-
guir para Mecei, Babia, e Rio de Janeiro.
Tamben) dever cbegar, e seguir para os di-
tos portos doSul o vapor Imperatriz com-
mandante o Capilao-Tenonle Jesuino Lamego
Costa at os priuieiros dias do mez de Junho
vindouro ; os Srs. passageiros que pertende
rem embarcar as ditas barcas poderao diri-
gir-se a inscrever os seus nomes na Agencia
da ra de Apollo n. 6. (14)
% vso< martimos.
2 Para o Porto partir dentro em poucos
das o brigue brasileiro Fiel forrado, e enea
vilbado de cobre, tem a maior parle do seu car
regamento engajado para carga ou passa-
-geiros para o que tem excedentes commodos;
tnta se con. Firmino J. F oa Roza, na ra d,<
Moda n. 7 ou com o capitao Manoel Marci
en no Ferreira. (g)
Passageiros somente.
3 Para Liverpool sahir nestes 10, ou 12
dias a bem conbecida e veleira galera ingleza
Columbus Capitao I). Green, tendo toda car-
ga prompta; quem quizer ir de passagem di
rija-se aos consignatarios Me. Calmonlr C.
largo do Corpo Santo n. 11. (7J
a es.
3 Lenoir Puget & Companhia azcm leilao
por inlervenelo do correlor Oliveira, de um es-
plendido sortimento de fazendas francezas e
suissas taes como cambraias, cassas bordadas,
chales de fil cassa e seda ricas brifn de li-
.ho de lindo goslo, fitas de retro/., papel, pen-
les He tartaruga mantas de seda globos pura negocio algum com ellas; pois que os acceitan-
que foi adia-
do no dia quinta feira santa al sexta da Pai
So um alinete de peito todo de brilhante, re-
dondo, com duas ou trescarreiras do bnilianles
em roda o um brilhante no mei'o (|ue foi
perdido quinta feira santa de tarde em N.Fran-
cisco, sendo a igreja que mais assistencia se fez
nella, e depois decorrer se as mais todas,que di -
zem serachado por um Sr doengenho, oque
este deixra a seu correspondente para se procu
rar o dono ; esteSr. queira annunciar sua mo-
rada ou dirija-so ao pateo do (Jarmo sobrado
n. 18 segundo andar que so Ihe dar o a-
chado. m^j
1 Quem achou urna bolc;a do laa oscura
listrada ou de quadrinhos. na nouto doter-
ca feira, 21 para 22 docorrente, contendo
dentro della 30*000 ris em sedulas e mais
papis. que se precisao ; annuncie. ou dirija-
se ao pateo do Carino sobrado de dous andares
casa n. 18 segundo andar que l se recom-
pensar com o mesmo dinheiro (8)
Joao Fredorico de Abreu Reg res-
ponderlo ao annuncio de Jos Joaquim Po-
reira inserto no Diario de Pernambuco de 23, e
24 do correnle em que o mesmo Pereira diz ,
que o annunciante intenta vender umescravo
de nome Manoel que por elle Pereira se acba
embargado em ra/ao de Ihe ter sido hypolheca-
do, pelo legitimo dono Lourcneo AI ves do Al-
buquerque, declara o ennunciante aorespei-
tavel publico, que, tendo elle annunciante;!
multo o escravo em seu poder j o poderia ter
vendido, quando seu intento fsse usar de lac-
ios indecorosos vi/, e criminosos, o nio con-
forme a moral, o as leis. Vas nao outro tem
sido o proceder do annunciante, que, julgando-
secomdireito ao mesmo escravo em ra/ao do
mesmo l.ourcnco Alves do Albuquerquo Ihe o
haver hvpothecado. tirando-o depois por meios
oceultos recorreo aos moiosjudiciaes inten-
tando contra o dito Lourenco Alves deAlbu-
querque accao criminal por crime de esteliona-
to por baver hypothecado a mesma cousa a di-
versas pessoas intentando accao civil, que Ihe
compete e embargando tambem o escravo a
quern deo depozitario. Portanto est visto ,
que quem como o annunciante com despezas. e
demoras procura os legtimos meios que Ihe
comptem. nao quer, nem he capaz de comet-
terasaltas, que qualquer homem inconside-
rado, ou mesmo constituido em m fe Ihe quei-
< imputar. Bem cerlo est Jos Joaquim Pe
-eir do quo ha dito o annunciante ; e por isso
dispensando o mesmo annunciante de polmi-
ca* inuteis, corrija a sua facilidade do atacar e
'-Henderos mais, esoja mais moderado, e pru.
dente, quando bouver de dizer cousas que
sseivem de envillecer a quem as diz|aos olhos
do publico.
Manoel Joaquim Pascoa I Ramos embarca
a sua osera va I/abel, de Angola para o Rio
tirando do Sul.
1 Rozas Braga & Companhia azem pu-
blico que na tarde de sabhado 25 docor-
rente, se Ihe desencaminharo 16 letlras que
o seu caixeiro tinha em urna carteira n'algihei-
ra, para cobrar ; e por isso aquella'pessoa, que
as aohar pede-so-he por favor para as restituir;
prevenindo, que ninguem laca tran/aco ou
Bem devera cu guardar o silencio em face do! com asna de cacimba nesta parteoabaixo as-
annuncio do Sr. Diogo Jos da Costa inserto signado poderia mu fcilmente fazer vira/ o feiti-
emoDiario de Pernambuco numero Il'I de cocontrao feiticeir.i; porm o abaixo assignado
2o do Majo correte e limitar-me fazer punir nao pretende oonder suasogra, |iorquo conhe-
pelos Tribunaes e segundeas leis do paizos ce puramente a sua innocencia sobre o fado
termos injuriosos que all me sao lenlos, pois que acaba ilooxpor e muito se resentira o u-
as palavras d'aquelle monstro de ingralido baixo assignado que estas linhas que em nada
mais merecom desprezodo que seria considera- se diriu-ni a sinso-ra .1.m motivo a oflendel
cao; todava enderegaroi ao publico slgumas a ; portanto o abaixo assignado so pretende com
reflexes fim de que o mesmo publico conbe- a linguagem da de :encia afastar de s a impu-
ca como traiceeramente me tere o spide vene-1 taca., quo o dito caixairo de sua sogra Ihe (a/,
noso que hei aquecido em meu seio. Cbega- recuperando assim o crdito de seu estabeloci-
anda em mojjor dado encontrou em mim de : fumLuie viver luMn cidida^proteccao. De urna escadinba onde at fto presente. Queirao Srs. Redatores man-
est.va na ru;i do Crespo passei-o para urna lo-l dar publica estas linhas na sua bem concei-
ja maior na Boa-vista e depois tendo de esta- tuada folln que muito obrigarS. Seu as-
meas finas de seda e algo-
e um grande sorti
candieiros de sala
do para senhora luvas ,
ment de pexinxas modernas; no seu armazem
da ra da Cruz, quinta-feira, 30 do coi rente as
10 horas da manha notando que se entrega
pelo maior lance como se praticou no leilao
de 14 do correnle no mesmo armazem. (14)
I vi.SOS VtTSOS.
2O abaixo assignado declara a certos impos-
tores, que Manoel Vicente do Carmo, natural
da cidade da Parahyba filho de Estevao Jos
de Santa Anna morador no sitio do mesmo
abaixo assignado em Olinda nunca tevo jira-
fa em primeira linha por concoquenca nao be
di/ertor como espalhSo os mesmos impostores.
Joao Raptista da Silva Manguinhn. (8)
SeoSr Joaquim Francisco do Rogo Ror-
ros necessitar de documento legal da sismara, e
demarcacao do seu engenho Ma< iape, dirija-se
ao3.andar do sobrado do pateo da Matriz de
Santo Antonio do Recifen. 9; esealgunsou- ..
ros Srs. tambem precirarem de iguaes ttulos | cedade no dia 29 do correnle pelas fi horas da
das trras que em a fregueiia de Santo Antao | tarde advertindo que a excepcao das pronos-
da>MatUforloconcedidas naLagda que cba- fas n'esse dia .-.presentadas, nenhum outra
mo de Duarte Das, as testadas das Ierras que mais se admittirft. to\
notos annos tiraran por sismara Baltbazar Joaquim Felis da Roza embarca para o
io. e Antonio Carne.ro de \ Bconcellos, Rio He Janeiro o seu escravo de nome Camello
n Gurjau; e conjuntamente, das de outra sis- Aluga-se o segundo andar da casan 6
i concedida em aquelles mesmos annos a na ra do Corion/ no bairro do Recife pro
UoncaloUrneirodaCoste.cont.guaa de Antonio priopara bomem solteiro, ou pouca familia:
-uraoo Vidal. pdem all dirigir se. tar no primeiro andar da mesma casa.
tes ja se acbao prevenidos para as nao paga
rem seno aos annunciantes : sendo as lettras
seguidles ja vencidas pelos Srs. Antonio Jos
Pinto da Silva 313*333 r Manoel Jos de
Sousa & Companhia 367*666 rs. Joaquim
Jos de Oliveira 732*393 rs. dito 379* rs.,
Francisco Joaquim Cardozo 814*100 rs., Ma-
noel Joaquim Ferreira Jnior 767:778 rs., Joao
Jacinto de Sousa 184*690 rs. dito 214* rs ,
Antonio Joaquim de Azevedo 312*493 rs di-
to 275*500 rs., Miguel Jos Barbo/a Guima-
raesr Companhia 1:258*500 rs., Caetano Jo-
s da Silva 180*000 rs. Joao da Silva Santos
383*500 rs., Viuva Cunha Guimarcs 336*922
rs., Manool Jos Guedes Magalhaes 202*800
rs., Ignacio Viegas (restante) 159S750 rs.: ob-
servando que em algumas lettras ja so acha-
vaopassados alguns recibos por tonta das mes-
mas ; bem como em separado deltas. (26)
2 A Commsso Administrativa da Socie-
dade Apolnea, tem marcado o dia 8 de Junho
prximo para a sua partida podendo os Srs.
Socios que tiverem empresentar propostas pa-
ra convidados, ns dirigir a casa da mesma So-
belecer urna toja do forragens na ra Nova, ca-
sa n. 29. cujos fundos se achavao oceupados por
minha officina casa pertencente ao Hospital
de Caridado e cujo arrendamento me foi trans-
mittido por o Sr. Manoel Joaquim Carneiro
Leal, a quem dei a quantia de 2:000*000 pe-
las bemfeitorias que nella havia feito por or-
dem da administradlo do mesmo Hospital ;
pedido do Sr. Dogo mudei de resolucao e or-
mei outro estabelecimento de fazendas france-
zas e miudezas em que liie dei sociedade.
Anno e novo me/es assim estove at que levado
de ambico me propo/ terminar a sociedade e
ficar com toda a toja, ao que fcilmente assen-
li, e oferecendo-me, elle a convite meu, inde-
penden temen te de bala neo a quantia de de/ con tos
equinhentos mil ris, declarei-lbe que me sa
tisl'j/ia com dez contos de ris, do que me pas-
sou letras em prestaces polo tempo de dous
annos, e para garanta passou so disso um pa-
pel particular e nao escriptura publica como
falsamente diz aquello annunciante no qual
papel se pactuou ficarem-me pertencendo os
fundos da casa.
Nao Ihe retirei por isso minha protecciio e
antes rogo seu abonei-o em varias casas in-
gle/as como succedeo casa dos Srs. James
Crabtree&. Companhia, at a quantia de dez
contos de ris, a casa dos Srs Rozas &. Braga,
para com quem me responsabilisei at a quan-
tia de quatro contos do ris e a outras militas
casas para com asquaesgo/ava de crdito. Ten-
do alguma desconfianca suspend o meu abono
para com os Srs. Crablrce V. Companhia de-
pojs que o Sr. Dbjigo^lbjes acabasse de pagar o
que por conta do primeiro abono anda Ihe de-
vi i, o esta cireumstancia foi bastante paraq ue
o Sr. annunciante diminuisse sensivelmente
de crdito Novos pedidos novos empenhos
o at a interferencia de meu amigo o Sr. Anto-
nio Botelho Pinto de Mosquita seguido tudo
de muitas promessas a cerca do sen comporta-
ment commercial me resolverao dar-lhe
novos abonos, as casas do Srs. Faserre V.
Companhia dos referidos Srs. Cabtree 9.
Companhia >quem escrevi a tal respeito urna
carta por elles sollicitada em virtudc do que
rchabilitou o annunciante ou crdito.
A inda ha poucos mezes abonei ao Sr. Diogo
urna letra em favor dos Srs. Silva Barroca V
Andrade proveniente de dinheiros que me
pedio emprestados para pagar urna letra de um
cont e tanto o quo mandei pedisso aos refe-
ridos Barroca &. Andrade com meu abono ,
visto na occesiSo nao ter moeda.
Bem fastidiosa fra nio s ao oublico co-
mo a mim mesmo a narracao dos beneficios
quo hei prestado quelle annunciante. F, no
entantoa recompenca que colho he a mais
refinada ingratidao, boa mputaco degradan-
te de querer tirar o crdito a aquello para cujo
crdito tenho tanto concorrido E tudo isso
estou soffrendo porque, apparecendo os an-
nuncios da administracao respectiva para ir a
praca a casa em que tem loja o annunciante ,
quer este a todo o custo e por meio de viz en-
redos tirar-mc o resto qne nos fundos da casa
oceupo com a minha oficina para ficar com
a loja toda por um excesso de ambicao I
Avalie agora o publico com que indignacao
nao dove ser tratado o Sr. Diogo e eu appel-
lando para todos os Srs. Negociantes a quem o
hei abonado remetto-me ao silencio pro-
metiendo voltar as costas e votar ao mais -fornal
desprezo qualquer annuncio com que queira
de novo iasultar-me; emquanto que pelos
tribunaes competentes vou procurar vingar a
minha honra tao vilmente ultrajada.
Jos Pereira Teixeira.
O abaixo assigando com padaria na ra Di-
roita n. 80., muito tempo offendido por um
dos caixeiros do sua sogra, quecom o fim de a-
dular tem atassalhado a honra do quem nunca
o offendeo dirige-se pela primeira vez ao
prelo para desvanecer a persuasao em que se
achaoalgunsde seus freguezes, de quem he me-
nos conbecido, declarando serfalso quanto o di-
to caixeiro de sua sopra proclama a quantos ma-
tulos o freguezes da praca comprao na padaria
do abaixo assignado dizendo Ihes que os pezos
do abaixo assignado sao roubados e que o pao e
bolaxa he feita de farinba vclha amassado
signante, Floni-i Augustodfii/leirtlUs.
1Precisa-se de um Capello para um en-
genho distante 18 legoas d'esta cidade, deven-
do o mesmo ensinar primuiras letras a alguns
meninos; .issegura-se i pessoa a quem isto con-
vier decente tratamento, o sufficiento retri-
bu cao e sobre as mais condiedes pi'idom se
dirigir os pretondentes a ra do Atierro da
Boa-vista casa n. 88. segundo andar. (8)
1Tambem se precisa do un destillador do
aguas ardenles que esteja a coslumado a traba-
Ibar segundo os systemas modernamente emprc-
gados, a pessoa a quem convier engajar-so por
esta qualidade de traba I bo pido procurar sa-
ber as condiedes d este mesmo ongajamonto na
casa cima mencionada. (7)
2 -No diavinte docorrente ns8 horas da noi-
lo desapareceu das Cinco-pontas, um cavallo
melado magro com cangallia e cali resto ;
quem o adiar leve-o na Magdalena no sitio da
Viuva do fallecido Joaquim Nunes Pereira do
Farias, ou na ra do Cahug bijas de Pereira
e Guedes, que gratificarlo generosamente. (1)
2 QUOR DA CHINA
ou
Essencia da fbrmuzura.
O delicioso, suave e agradavel aroma deslo
precioso cosmtico o tornao digno de figurar nos
mais elegantes toucadores (toilletes) elle goza
de propriodades mu notaveis, que repetidas o
variadas experiencias feitas em diversos paizes ,
o mormente no Brasil, onde elle he j bem co-
nhecido por seus salutares c fie i tos tem confir-
mado como sao : 1. Amaciar limpar, cla-
rear e alisar a pello, entreter sua frescura e bri-
Iho naturaes, tirar as sardas, panos, espinhas,
e toda a especie de manchas, que'nelle appare-
i'aosem a alterar : 2. destruir as rugas,a bro-
tueja impigens e mais outras afleccSes cu-
tneas: 3 tiiaro mao balito o dar a bocea
agradavel perfume, lortificar as gengivas pro-
venir as dores dos denles &c. Em tedos estes
casos a experiencia tem mostrado o quanto he
justa, a alia roputacao deque goza esto com-
posto no Oriente onde seus e le i tos sao lodos
como inlalliveis ; cada garrafa cusa 1*200 rs.,
um impresso explicar seu uso. Vende-se na
ra da Cruz n. 37 por 1*200 rs. cada garra-
finha. (26J
2Aluga-se a loja do sebrado da ra do Hos-
picio n. 1 propria para venda, por ficar em
esquina, e mesmo para qualquer estabeleci-
mento : a fallar no mesmo sobrado. (4)
Quem annunciou querer um escravo pa-
ra tratar de um cavallo, dirija-se a Boa-vista,
armazem de sal n. 2.
Quem annunciou querer vender 160 o-
lavas de pratar obras velhas, e 40 ditas de ou-
ro, dirija-se as Cinco-pontas n. 45.
Aluga-se o terceiro andar da casa da ra
do Queimddo n. 8: a tratar no loja do mesmo.
OHereccseum Portuguez solteiro para
feitor de sitio ou engenho, do quo j tem algu-
ma pratica: quem delle precisar, dirija-se. a
ra das Cru/es n. 8 casa de pasto.
l*m homem de meia idade se oflerece pa-
ra caixeiro de cobrancas sendo autorisado a
fazer transaces, proceder judicialmente com
osdevedores; quem precisar annuncie.
Ir- Precisa-se de urna preta que saiba co-
sinhar o engommar, e fazer o mais servico in-
terior do urna casa de pequea familia e tam-
bem um moleque que saiba tratar de caval-
lo e para compras de ra ; na ra do Trapi-
che-novo n. 36, primeiro andar. (<)
Jos dolnojosa Varejao deseja saber do
Capitao graduado Manoel Fernandes da Cruz ,
qual o motivo de Ihe nao ter respondido 3 car-
tas que Ihe tem escripto.
1 P-se dinheiro a premio com penhores de
ouro, mesmo em pequeas quanlias* ua ra
Nova n. 55. ___ (3)
AeSfao-sea venda na loja
do bom barateiro de Guer-
ra Silva & Companhia
na ra ova n. II, supe-
riores laas para vestido a
prego de 500 rs cada co-
vado.

i


'
. r i 111
\ GABINETE DE OBSEftt ACO
NO
Microseo pi solar ackromatico exposto note-
^undo andar fotorreSooccupado pela As-
ido t ommerctal.
"As ex] tem lugar todos os dias ( ex-
ccpto as i r :- rras ) quando o Sol o permit-
a, desde o meio da ale as 2 horas.
Preco dos bilhetcs da entrada 1* rs por cada
pessoa. (lj
:t Sosequizer vender o engenho Pirangl,
a margem do rio de Una ha qnem se propo-
nha acompral-o, para o quo aguarda o preciso
aonuacio. 4)
2 Quem precisar de um bom official de pe-
dreiro'para trabalharcm alguma "obra, ou con-
cert r*econjuntamente dous srvenles, todos
a do Rozario n. lil"; tainbem se ollerece diaria-
mente duas canoas, e seus competentes cano-
4
lina Africana livro, cojos servidos arrematou,
no Jui/.o dos Africanos : a qual tem os signaes
seguintes ; de 18 annos pouco mais, ou me-
iiis, estatura baixa, rosto comprido olhos
grandes e encovados, nariz chato, bocea gran-
de beicos grossos, pos e inaos feios bracos
grossos um tanto carcunda e barriguda ;
quem da mesma souber,declare ao annunciante
1
elros para deitarem areia de uitulho ou para
obras, com promptidao. [$
2 A pessoa, que no Diarion. itl de 15do
corrente annunciou que quem necessitasso de
documento legal extrahido de sesmaria de urna
legua de trra em quadro em que est situa-
do o engenho Maciape da freguezia de S. Lou-
renco da Malta declarasseo seu nomo, e mo
radia, pode dirigir-se ao Com mandante Geral-
do Cornudo Polica ; na ra Nova n. 41 se-
gundo andar. 9
2 SABOTICA.E ARM \ZEM DE DRO-
GVS.NA RA DA MADRE DE DOS, NI.
Vend'em- se as preparaedes seguintes por pre-
co muito comino lo e de superior quulidade.
Magnesia Calcinada ptima
()s Balutaros e licito- desle medicamento como
purgante mj suave e capa/, de se Hpplicar a to-
das as pessoas do qualquer sexo ou idade ab-
sorvendo ao mesmo tempo todos os cidos exis-
tentes em nosso estomago e que tanto per-
turbara nossas (uncroes digestivas tornam seu
uso recommendavel, e mnilo necessario. A
experiencia tem mostrado a hum sem numero
res do efleito therapeutico dos medicamentos,
que tinto fnaior lie a sua aceao purgativa ,
quautu maior he a quantidade de cidos que a
maior parte das vezes desenvolver nossas docn-
- as d'eslomago. Urna ou duas colheres de so-
pa misturado com agua durante o dia lie
quantidade sulliciente para produzir bom ef-
leito.
Na mesma casa tambem se venden) tintas e
todos os oulros objectos de pintura ; verni/es
de superior qualidade entre e famente branco e que's pude applicar sobre
a pintura mais delicada sem que produza al-
terar?, o algamn em sua cr primitiva. Arrow-
Rootde Bermuda ; Sag; Sa bonetes; SaoSo
de Windsor ; Agua de Scidlilz ; Limonada
gasoza ; Tinta superior para escrever; Perfu-
maras inglesas ; Fundas elsticas de patente,
Escovas r pos para dentes ; Pastilhas de mu-
riato de morphina e ipecacuanha ; A?ul li-
nissimo proprio para ailar roupa Pos de sei-
dlits e de soda ; Pastilhas do bi-carbonalo
de soda c gingibre ; As verdadeiras pirulas
vegelaes universaes do D. Brandreth, viudas
de seu aulhor nos Estados* Unidos, c. &c. (3)
O agrimensor, abaixoassignado, oferece
os seus serviros as pessoas que tiverem propie-
dades a demarcar e alianca a mais escrpulo
sa exactidao e o maior zelo no desempenho da
sua arte ; devendo todos os que do seu presti-
mose qui/erem utilisar,dirigirem-se (porcartal
ao mesmo jbaixo assignado na Rua-direila ,
sobrado n 121. Joaquim da Fumeca Sva-
ra de Figueiiedo. (9)
2 J. Chardon tendo feito entrega por es-
criptura publica passada no cartnrio do Tabe-
iio Bazcrra Guvalcanli, no dia 11 do corrente,
de tudo o que possue ao Sr. I.. I'oudra por
tonta do que lhe deve precisa para terminar
dita entrega que as pessoas que se julgarem
seuscredores por qualquer cousa bajao de
apresentarassuas coritas correles, ou ttulos
at o dia 2!) do corrente me/, ao dito Sr. L. I'ou-
dra na ra Nova n. 2*>. ;estava reconhecido.)
Pos Asiticos Carminados.
2 O uzo quasi exclusivo que hoje se faz
destes pos em minios paizes, e a nprovacao que
el les tem merecido dos mais eminentes dentistas
da Europa sao provas evidentes de suas pti-
mas qualidades elles conservao os dentes, e
unem a propriedade de os branquecer e clarear
perfeitamenlo a de prevenir e deler sua carie,
bem como a de endurecer seu esmalte, elles
pateo ttiao toda a brancura, e explrndor dos
dentes, destruindo o trtaro (podra), que so-
bre elles se deposita, eque alm deoffuficar a
sua alvura da as ve/es a bocea peisimo aspecto :
elles consolida as gengivas amolecidas pelo es-
corbuto ou outra cousa, communicaon bocea
urna bella cor de rosa, eomcheiro e frescura
mui agradaveis, e corrigen) o mo balito. Ven-
de-se somente na ra da Cruz n, 37, a 1 > rs.
cada vidr<>. I!i
No dia 26 do corrente desappareceo da
casa de Lui Francisco de Mello Cavalcant,mo-
rador na ra das Flores n. 1 a preta Marco-
LOTERIA DAS MEMORIAS HISTRICAS.
PREMIO OH ANDE 8:000^000 DE US.
DITO IMMEDUT0 4:000^000 DE RS.
Esta lotera tem de correr, logo depois da
do Livramenlo quo acaba de extrair-se, o por
isso o andamento de suas rodas lera lugar im-
pretcrivelmente no da is de Junho prximo
futuro, designado por S. Exc. o Sr. Vice-Pre-
sulente da.Provincia; os bilhetes vendem-se ni-
camente naslojasde cambio dos Srs. Vieira e
Manoel Gomes na ra da Cadeia do Recife ;
as boticas de Joao Moreira ra do Cabug; e
Chavas ra do Livramento ; e no escriptorio
dc> thesoureiro. i 14;
Precisa-se de um official do funileiro; na
ra dos Quarteis n. 10.
O tintureiro que morou na Camboa-do-
Carmo mudou a sua residencia para a ra dos
Quarteis em frente ao porto, detraz do mesmo
quartel aonde esta prompto para tingir toda
a qualidade de fasendas por preco commodo.
Precisa-se para feitorde engenho, um ho-
rnem a doucocbegado de Portugal ; na ra do
Colleglo n. 13.
Precisa-se do urna caixeiro que tenha
pratfca de venda ou mesmo que seja chegado
ltimamente ; em Fra-de-portas, ra do Pil-
lar n. 90.
OH'ercce-se urna mulher livro para todo o
servico interno de urna casa ; no beco do Ve-
ras n. 8.
QiK'rn tiver urna preta velha para alugar,
que nao exceda o proco de 4# rs. mensaes, di-
rija-se a praca da Boa-vista n. 2,2.
Quem annunciou querer comprar um
sellim im meio uso dirija-se a ra larga do
Rozario venda n. 44.
Aluga-se urna boa casa terrea na ra da
matriz da Boa-vista por 8f rs. mensaes, por 3
annos, pagando-se melado de urnas peqnenas
bemfeitorias que se lueriio em dita casa, ad-
vertindo que o preco desta casa sempre foi
10,./ rs. ; a tratar na ra do Camarao n. 7.
Quem precisadeum pardo anda moco, para
bolleiro, ou criado; va a Solidade n. 13 indo
pela Trompo, pegado ao muro do sitio do Snr
Rocha.
1 Precisa-se de ><>0# rs. a premio hypo-
Ihccando-se a parto de um sobrado no valor de
muito mais da quantia pedida ; quem quizer
dar annuncie. (4;
Precisa-se fallar ao Sr. Joaquim Rama-
Ibo da Silva para so lhe entregar urnas cartas
viudas do Porto pela barca Tentadora; na ra
da S Cruzn. 3.
I Precisa-so de urna ama para urna casa
de pouca lamilla para o servico interno da
mesma ; na ra das Cruzos, luja de pintor o
vidraceiro n. 28. \K
1 Arrenda-se a casa de 3 andares e dousso-
ISos, com o seu armasen), na ra da Cruz n. 8,
por 1:200# rs. preco pelo qual est arrenda-
da ha muitos annos e tambem se permuta por
outras propriedades anda sendo alguma de
campo e tambem se vender se assim con-
vier; a tratar na mesma casa. ;7,
Manoel Jos da Silva Relio-monte roga a
todas as pessoas que teem penhores em seu
poder, de os ir tirar, pois j por muitas vezes
se tom pedido polticamente c nao tem sido
possivel ao menos una satisaco ; por isso at-
iendo a ests circumstancias, espera que uo
prazo do ludias os vao tirar.
1 recisa-se do um oflicial de barbeiro ; no
beco do Campello a fallar com Valentn) Jos
Correia.
1 Francisco Copello. subdito Genovoz, re-
rira-se para a cidade da Baha. !2)
1 U-sede I00# a i:00# do rs. a juros so-
bre penhores de ouro ou prata ; as Cinco-
pontas n. 120. (3>
rana de superior qualidade a SOOrs. a libra ;
na ilharga do Livramento botica n. 4. 3
3Vcnde-se um negro de|nacao, de boni-
ta figura del'.' annos, propria para todo o
servir outroca-se por algum molequo de 12
a 16 annos ; na ra de S. Rita-nova n. 91 (4'
2- Vendem-sol60 oitavas de prata em obras
velhas. proprias paras desmancharon; quem
pretender annuncie. (**)
2Vendom-se 30 a 40 oitavas de ouro velho,
sendo parto em cordes; quem pretender an-
nuncie. (*'
2 Vendem-se dous pares do lanternas ;
quem pretender annuncie. ('-)
2Vende-se urna canoa docarreira aberta,
em muito bom estado a qual vende-se para
um pagamento; na ra da Florentina n 2. (3)
2~ Vende-se urna guarnicao de papel pinta-
do edourado ornis rico possivel e do ultimo
gostopara forrar sala, e chegado prximamen-
te do Rio de Janeiro; na ra de Apollo n, 6. (4)
2Vende-se urna negra moca de bonita fi-
gura tendo algumas habilidades, com urna
cria de dous andos, muito esperta vende-se
por precisao ; na ra Direita botica de Igna-
cio Nery. (o)
2Vende-se um negro de 22 annos, de bo-
nita figura bom socador deassucar, forneiro,
o faz todo o mais servico de padaria ; na ra da
Guia n. 42. secundo andar. 4
2 No Recife, ra da Cruz n. 33, escripto-
rio de Jos Antonio Gomes Jnior, continuo-
se a vender saccas com alqueire de superior fa-
rinha de mandioca muito fina, o alva feita
na Moribeca e por preco mais commodo do
que ateo presente. (6)
2Vende-se capim do planta em grande por-
eo e a retalho muito em conta ; na Solida-
de venda n. 20 na esquina que vai para
Bellem. (3)
2Vende-se urna cama de angico com seus
enchergoe, por preco commodo : na rna do
llangel n. 71. (3;
2 Vendem-se duas moradas de casas ler
reas de pedrae cal pequeas, sitas no boquei-
ro da Estancia ra de Henriques Das por
barato preco fas-se lodo o negocio ; a tratar
na venda da esquina da ra do Arago, que
volla para aS. Cruz n. 'i3. (6
2Vendem-se meias do seda brancas e pre-
tasde peso, inglezas um grande sortimento
deluvas, o mais rico possivel, e livros em
branco franceses por mais barato preco do
que em qualquer loja de livro ; na ra do Ca-
bug lojasde lasendas ingle/as e rancezasde
Pereira & Guedes. (7.
5 Vende- se Jacaranda superior chegado do
Rio de Janeiro pedras de marmore redondos
para mezas do meio de sala, de muito bom gus-
to ditas para commodas cadeiras america-
nas corn assento de palhinba camas de vento
com annafao marque/as sofs mezas de
jantar camas de vento mui bem feitas a 4500,
ditas de pinbo a 3500, assim como outros mui
tos trastes ; pinho da Suecia com 3 pollegadas
degrossura, dito serrado, dito americano de
diflerenles larguras o comprimentos ; assim
como travs de pinho e barrotes ; na ra de
Florentina em casa de J. Bcranger.
0 511 p ras
=: Compra-se effectivamente nesta Typogra-
phia toda a qualidade de pannos cortados ou
velhos de linbo c algodao toda a especio
de fibra linheza, algodao, de refugo em ra-
ma, papel e papelo velho.
Cornprao-se effectivamente para fra da
provincia mulattnhas crioulas, e mais escra-
vos de 13 a 20 annos pa^ao-se bem sendo
bonitos; na ra larga do Rozario n. 30 pri-
n.eiro andar.
1 Comprao-se effectivamente para lora da
provincia mulatas negras, e moleques de 12 a
20 annos, pagao-se bem ; na ra Nova loja
de ferragens u. 16. (4)
Compra-se urna escrava que seja moca,
sem vicios nem achaques. e boa vendedoira de
ra e que saiba cosinhar alguma cousa ; na
ra da Gloria n. (2.
I Compra-se urna arte franceza por Seve-
ne ; na ra da Penda o. 3.
Ven #.3 as.
-'\ ende-se a verdadeira gomma do mata-
1 Vende-se ou permuta-se por escravns
urna grande morada de casa em Olinda com
excellentes commodos com grande quintal,
com grande baixa para capim e poco; na ra
de Agua-verdes n. 22 ; na mesma casa engom-
ma-see lava-secom todo aceio promptidao e
preco commodo. ,7
Na livraria da esquina da ra do Collegio
acaba-sede receber da Europa um variado sorti-
mento de livros entre os quoes so compre-
hendero s seguinfea Chanvean, corte penal ,
edifo de 43, muito augmentada; historia do
direito patrio pelo lente Coelho da Rocha ,
1841; o supplemenlo ao digesto portuguez.de'
Correia Telles ; medicina franceza de F. Bor-
ges; tratado de testamentos de G.Pinto, de
1844; ordenac5es do reino; direito civil, de
B. Carneiro ,4 v. ; Droz economa poltica
1842 eom o Say;Rogron,code de cominerce 1S42
com as notas de Bravard ; Tissot, curso de
phUosophia de 40; curso de bellas lettras de
F. Freir Carvalho de 40-43 ( contem lcSes
de eloquencia potica nacional e o Cames
enriquecido de notas pelo autor ) Cicero as
obr.gacoes civis em portuguez ; Tito Livi de
>9; Euclides; Geometra 1839; Telemacos fran-
cezes ; Virgilios ; Horacios; discursos sobre a
historia universal de Bussuet; oracoes sagradas
da lnndade, edicao de 41 ; imitacao deChris-
to; Ritual breve dito de Paulo quinto ; Escu-
do admiravel ; Ripansos, dourados o simples ;
Retiro espiritual; manual devoto dourados
horas da semana santa ditas portuguezas; di-
tas luzitanas Ponas, diccionario dos casos de
conscienca ; noules romanas nos sepulcros dos
Scipies ; historia romana de Goldsmith em
porluguez ; defensor da religiao 0 v. ; ins-
truccoes de ccrimonias ; Flossantorum, forma-
to grande e pequeo ; director fnebre ; mea-
tro da vida ; breviarios ricamente dourados-
missaes ; compedio de historia anti^a roma-
na, france/a, #c. ;grammalicu portugueza; rna-
nuaes encyclopedicos de 43; melhodo faeillfmo
para aprender ler; Midosi; expositor portuguez
com estampas ; Constancio; meslre ingle/, me-
dicina domestica; poesa do Souza ; diversas
obrasclassicas latina; curso de rbetorica de
Blaier, o resumo, principios de msica; colleo-
| cao de muito boas novellas; lunarios perpetuos-
romances portuguezes ; testamento poltico de
Inglaterra; cathecisinos de noces geraes da so-
cedade propagadora dos [conhecimenios uteis ;
Rossi, economa poltica 2 v. 11812.
Vende-se um cavallo rodado, grande, car-
nudo, com muitos bons andares e he esquipa-
dor ; urna escrava de 20 annos, costureira. luz
lavarinto de todas a larguras c he muito lma
engommadeira ; urna mulatinha, e urna negri-
nhade 12 a Vi annos,cosem muito bem ; urna
prota de 18 annos, propria para todo o servicio ;
urna dita que cozinha, engomma e he boa
quitandera ; um pretode30annos, de boa fi-
gura, trabalhador de enchada fouce e todo
o mais servico; urna elegante mulata de 20 an -
nos, costureira e engommadeira; na ra do
Fogo ao p do Botario n. 8.
__Vendem-se 212 palmos de trra na ra
da Casa-forte, aonde se pdem levantar boas
propriedades, assim como um pequeo sitio
na campia do mesmo lugar, cujos terre-
nos achao-se hypothecaos ao Sr. Jos Joaquim
de Oliveira; procura-se compradores para es-
te terrenos por ordem do mesmo Sr. Oliveira ;
a tratar com Jos Luz Pessoa no mesmo lugar.
1Vende-se farello novo em saccas de 3 ar-
robas chegado de Hamburgo ; em casa de H.
Mehrtens, na ra da Cruz n. 40. (3)
Vende-se urna pendra do rame, propria
para refinacao deassucar por proco commo-
do ; na ra da Cruz n. 37, segundo andar.
Vende-se um resto de garrafas com vinho
de Gerofiga por preco commodo; na ra da
da Cruz n. 37, segundo andar.
Vende-se urna escrava moca de nacao ,
de bonita figura sem vicios nem achaques,
lava muito bem tanto de varrella como de
sabao engomma, cosinha tem principios do
costura e he boa quitandera ; na ribeira de
farinha venda n. 3.
i Vende-se moeda de cobre a dous por
cento de premio em porcao de 50^ rs. para ci-
ma ; na ra da Cadeia do Recife loja de cam-
bio n. 24, do Vieira. (4)
1 Vende-se um presepio dentro de unta
redoma de vidro ; o um S. Andr ; na ra do
Queimado loja de ferragens n. 30. (3)
Vende-se um sellim inglez em bom uso ,
o urna bride com a competente cabecada e pi-
cadeira por preco commodo ; na ra do Tra-
piche n. 32.
Vende-so urna negra boa engommadeira ,
e cosinheira e um oratorio proprio para se
celebrar missa ; na ra de Hortas n. 100.
Vende-se um sitio na estrada do Arraial,
que volta para o Catuc ,a com muitos arvoro-
dos cacimba com boa agua de beber, muito
grande, e trras foreiras ao Monteiro com
duas casas de taipa urna velha e outra nova
para acabar; na ra do Rozario da Boa-visia n 2
Vende-se um relogio de cima do mesa ,
com sua piaa e redoma de vidro e tem cor-
da para um mez d horas emeia horas e he
muito moderno por menos de seu valor, por
motivo de estar empenhado e o dono retirar -se
para lora da provincia ; na ra do Camarao ,
venda n. 7.
Vende-fe urna negra de 1G annos, de bom
corpo muito sadia esabe tratar dos arranjos
de uma casa ; no Forie-do-.Mattos prensa do
algodao de Jos Ribeiro de Brito.
Vendem-se 4 ornamentos quasi novas,cada
unido sua cor, um calis tolo dourado mui-
to rico duas alvas com todos os periences ,
sendo uma rica bordada de susto e de pan-
no deesguiao por preco commodo ; no Atter-
ro-dos-Afogados n. 2IS, casa de Francisco Xa-
vier das Chagas.
1 Vendem-se 2 escravos de 20 a 22 annos,
de bonitas figuras; no largo do Corpo Santo,
a fallar com Antonio Rodrigues Lima. (3j
1 Venc-ai; pui precisao um cavallo de es-
tribara em boas carnes, e serve para carrosa,
por j se ter experimentado ; na ra da Alegra
n. 34. /4)
Escravos fgidos
Fugio no dia 18 e Maio de 18'4 um negro
de nome Jos, Mozambique de 22 a 2'i annos,
levou chapeo preto calcas de riscado cami-
sa de madapolo pode ser que mude para ca-
misa e ceroulas de algodao da trra tem ca-
lombos ao pe da relha e na testa tem falta
de cabellos no meio da cabec3 causado decarre-
garpeso nariz bastante chato, de estatura re-
gular cheio do corpo ; quem o pegar, leve a
ruadaPraian. 22, que ser recompensado.
1 Fugio da povo-ico do Assui, freguezia de
S. Anna do Araripe municipio da villa do Gra-
to um escravode nome Antonio cabra de
30 annos estatura regular, magro, rosto bem
descarnado pernas arqueadas uma mais que
outra e repuando-se bem. cochei ; quem o
levar a Joaquim Onofre de Faria morador na
dita povoacao do Assur, receber de gratifica-
cao I00# rs. e quem so der noticia delle, sen-
do verdadeira receber 0 rs. 10,
Qualquer eapitSo de campo ou outia
qualquer pessoa prenda um mulato de nome
Antonio RoiSo, baixo.giosso.com poucobaiha,
muito fallante esperto que anda vendendo
miude/a, e I asen das, anda con) urna preta de
nome Mara alta de bonita figura, bem preta,
muito (allante, e esperta; quem a pegar, leve a
cidadede Muida nosQuatro-cantos n. 18 que
ser gratificado.
llBClPB Ni TP. OB M. F. 1>B frAKIA 1844.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIEAOA5N2_EDST0D INGEST_TIME 2013-03-25T14:23:24Z PACKAGE AA00011611_00116
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES