Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00115


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 1844.
Sabbado 2>
O Diabio |>ublica-ae
he de fe
ledos
uso diasque nao forero santificados : o oreco mil rs. por quariel pagos adianlados. Os annunciosdos assignantes sao inseriiloa
pI., e os dos que nao forera raio de SU res por Imita. As reclama. ,e, dertm set diri-
gidas sla lyp., rua .'as Cruje n '4 ou i> prnca ra Independencia lj, de livr..an e %
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
COUMA, a rtrbb. secundase .exia. feir.s. Kto Urande do Norte. ohega a 8 c 2> e par
i ,i 7 Serinh,em RioFormotO, Malevo, PorioCa.TO, e AlaSoas: nUf =
41 eul dcada mei. Garanhuns a Bonito a lile 24 de Mili mei Boa-vista e Flor
al.jc _' dtto. (..da.le d. Victoria quima, firs. Olinda lodo os das
oas da semana.
I Seg s. 1 auiilla. Aud. do J. ti Ierra s. Mancoi. Re, aud. do.!, de D.da 3. t
XI Quarla s. Itila de r-ssia. Aud. do J de ]). da 3. v.
"3 Qoinll s Basileo. Aud do J de 1) da '.. T
24 Sexta a. Afra. And doJ.deD da", t.
5.i Sal s Gregorio, Bel. aud do j. del), da i. t.
Jii Iiumi, l'asioa do Espirito Sanio.
de Maio.
Auno XX. IV. 121.
I ndo agora de|rn'!
linuenoa oooso it.....i
cultas.
'le nu mesinns:
a .i ...2r;Jv*iar.BiJww
da nona proderria, rodragjo' e tJ>on-
leiemoa apona roa PO.m v. n *
iqjo da .' i
, u gntra Mfioea san
Geral du araiil.]
/ Cambioa aolire Londrea ''5.
i. i. I'a-n '0 res no
Liiboa 142 i ir lUU
i .'r cobre ao |ir
Idetn de letras de boaa f ni as 1 >
INMl DEN >IO,
Ouro-Moeda de fi v 0 V.
, "N.
.< enu.i i r
-
!'..- col una
Iliioa menican t
l' 1(1
!.! v.
pompta
|7,3n
17.400
y. 00
i fi .i
i .'.ni
1,960
venda
17,500
!
y 600
l yvi
1,980
.yn
pnass |)\
Loa cteia a 2 ao 55 mu da la/da
Mingeme a 'J as (i horas e 2 mu da minh ia i Crascentt 8 .- i,
'reamar de hoje,
Primeira as 4 horas a 51 m n di uian.' LS/runda .. II h.i
' O Mi/ DE M VIO.
I ; oraa rV. mo. da manh.t
I r S m da tu Ir .
W'liMVi-
DIARIO
I" m'miiiin driarV
i _-----n2ijaiju
IBWrfc.u^t^aa^.!mi1|, g-,
PERNAM
ama-.^^
. fflwviwrmste.v.-g.ff^^rr.T?-.'zaxzi\zix.J ../.: .-... *:..
-igJSHMI
PARTE OFFiCIAL.
Ici pertencer, que a cumprao o facao cumprirreompanhou qnando embarcou parco Rio Gran-
LEI N. 133.
O Doutor Pedro Francisco de Paula Cavilcan-
l d'Albuquerque, Vice-Prtsidente da pro-
vincia du Pernambuco. Faro saber a (mas
o$ seus habitantes, que a Autlribla Legisla-
tiva Provincial decretou, e eu sanectonei a
lei seguintc.
Art. t. As freguezias de Sanio Antonio do
Recife, e S. Jos dos Bizerros, liclo divididas
da forma seguinte:
Arl. 2. A de Santo Antonio do Recife de
Leste a Oeste desde o mar pelos pateos da Ri-
beiraeda Penlia, rua da Assumpcao, heeo da
Carvallia, becco doSerigado o travessa da \ ira-
cao at o rio.
Art. 3 A nova froguezia ter a nvocacao
de S. los do Recife, e ser matriz a igreja de
Sao Jos.
Art. 4. Ficao pertencendo a nova freguezia
os pateos e beccos que a limitao.
Art. A de S. Jos dos Rirerros a Leste
do riacho Angelim com desasis legoas ao Oes-
te at o Poco-comprido, ed'ahi dividindo para
o Norte com a freguezia do Rrejo da Madre de
Dos pelas agoas do rio Ipojuca, I.agoa Nova,
J.ageiro do Cedro, Serra da Cacimbinha, Salga-
luiliu ao alto do Alagado at ebegar ao mesmo
riacho do Angelim, e pelo Sul com a freguezia
do Altinho.
Artvl. A nova freg^eeia ter a invocagao
de Sao Caetano", e ser matriz a capella de Sao
Caetano na Raposa.
Art 7. Aos Parochos das novas freguesas de
Sao Jos do Recife, e Sao Caetano licao perten-
cendo os inesmos vencimentos dos Parochos da
matriz de Santo Antonio do Recife e da de Sao
Jos dos Bizerros.
Art, 8. Os Parochos das reguezias de Santo
Antonio do Recife e da de Sao Jos dos Rizer-
ros, terao opijao sobre as freguesias novamente
creadas.
Art 9. Ficao derogadas todas as leis edis-
posices em contrario.
Mando portanto todas as autoridades,
queni oconheciinenlo e execuco da relerida
lei pertencer, que a cumprao e facao cum-
prir tao inteiramente como nclla se conten.
O Secretario desta provincia a faca imprimir,
publicar e correr. Cidade do Recife de Pernam-
buco em 2 de Maio de 18--; vigsimo tercei-
ro da independencia e do imperio=Fstava o
sello tas armas nacionaes= Paula Cacalcanti d'Albuquerque.
Carta de lei,pela qual Vossa Exc. mandaexe-
cutar o decreto daAssembla Legislativa Pro-
vincial, que bouve por bern sanccionar, dividin-
do as freguezias de Santo Antonio do Recie, e
Sao Jos dos Bizerros, e creando na l.1 a fre-
guezia de S. Jos do Recife, e na*a de S. Cae-
tano. na forma retro declarada. ParaV. Ex. ver
-AntoninoJosde Miranda Falco a fezSellada
e publicada nesla Secrotaria da provincia de Per-
nambuco em 6 de Maio de 18H.Antonio Jo-
s de OliveiraRegistada a folhas225,do livro
I. de leis provinciaes. Secretaria da provincia
de Pernambuco 6 de Maio de 1344. = Jos Ig-
nacio Soares de Macedo.
tao inteiramente como nella se conlem. O Se-
cretario desta provincia a faca imprimir publi-
car e correr. Cidade do Recife de Pernambuco
ern 2 de'Maio de 18H. vigsimo terceiro da
independencia e do imperio. Eslava o sello
das armas nacionaes. Pedro Francisco de
Paula Cavalcand d Albuquerque.
Carta de lei pela qual Vossa Exc. manda exe-
cutar o decreto da Assembla Legislativa Pro-
vincial, que bouve por .bem sanecionar, resta-
belecendo os dcstrictos de Paz, creados pelo C-
digo to Processo Criminal, e limitando o terri-
torio da jurisdiccao dos Juizes do Civel na for-
ma a cima declarada Para V. Ex verAnto-
ninoJosde Miranda FalcSo a (ez. Sellada c
publicada nesta Secretaria da provincia de Per-
nambuco em GdeMaio de 18H.Antonio Jo-
s de OliveiraRegistada a f. 22o do I l.de
leis provinciaes Secretaria da provincia de Per-
nambuco t de Maio de 1844.Jos Ignacio
Soares de M acedo.
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 21 DO CORKENTE
OfficioAo Inspector da Thesouraria da Fa-
zenda, scientificando-o d'haver oRoticario Jos
Mara Freir Gameiro sujeilado-se forne-
cer, do dia 18 deste mez em diante, o Hospital
lU'gimcntal pelo mesmo preco, ltimamente of-
ferecido pelo Roticario Jos da Rocha Para-
li los, islo he, 62 2|3 menos do que o arbitra-
mento dado no formulario. Communicou-se
ao Commandante das Armas.
DitoA ('amara Municipal do Ronito, re-
metiendo copia da lei provincial numero 132
de 30 de Abril p. p., que marca os limites da
freguezia respectiva.
DitosAs Cmaras Municipaes das cidades
de Goianna e do Recife, enviando copia da lei
provincial n. 128 de 30 de Abril p. p., que an-
nexa aquella comarca a parte de Tijucupapo,
que esta pertencia.
Dito A Cmara Municipal do Bonito, ac-
cusnndo remessa d'uma copiada lei provincial
n. 133 de 2 do presente mez, que divide a fre
gueziadeS. Jos dos Bizerros.- Tambem se
rcmetleo Cmara desta cidade copia da re-
lerida lei. para executal-a na parte, que decre-
ta a divisao da freguezia de Santo Antonio do
Recife.
de do Sul.
DitoAo Commandante do corpo de (i. N.
destacado, mandando levantar a nota de deser-
QSodo soldado Manoel Remani do Nascimen-
to. por se ter apresontado ao Commandante do
dostacament i do Bonito, antes de ter completa-
do o tempo marcado para qualilicar desercao.
Portara Mandando reconhecer segundo
Gadeto ao soldado d'Artilharia Alexandre Cos-
me Damio, por ter em Conceibo TaveriguacSo
satisfeito as exigencias da lei
DEM DO DA l.
OfficioAo Exm. Yice-Presidente, partici-
pandoIbe que as ruinas da casa de residenoia
do AjudaDle da fortaleza do Rrum, cujo con-
cert no anno de 1842 foi oryado em IOO rs.,
augmentaro consideravelmente, de sorte que
nSo leudo sido feito por falta de consignarim,
o nem no anno passado pelo mesmo motivo,
hoje a despe/.a equivala importancia de urna
nova casa; e finalmente que a nio ser de promp
lo toda reedificada, ella ter de vir a Ierra, e de
nutilisaros armazens que Ibe licao por baixo.
PortaraMandando dar baixa ao soldado da
segunda companhia do batalho d'Artilharia
Bernardo Jos Pereira, ahrindo assento de pra-
ca ao paisano Manoel Caetano da Silvu por elle
offerecido para servir o tempo que Ibe faltava
como voluntario.
DEM DO DA 17.
OfficioAo Exm. Vice-P/esidentc, requi-
sitando-lhe a ex pedicelo" de suas ordens a The-
souraria para ser entregue ao Commandante in-
terino da fortaleza de Itamarac a quanlia de
130 rs., anda necessaria para concluir a ca-
llarla da casa de residencia do Commandante
naquella mesma fortaleza, ponderando que este
excesso provinba de nao ter o orcamenlo inclui-
do todas as madeiras, e mais alguns objectos
que tem sido empregados na obra, e dos quaes
s se conheceo a necessidade depois de tirada a
antiga coberta.
DitoAo mesmo Exm. Sr., communicando-
Iboo fallecmento do soldado reformado Anto-
nio d'Oliveirn, e deprecando ordem para serpa-
o esclarecimento que pedir sobre os vencimen-
tos do Ajudante que eslava no gosode liconca
para se tratar.
PortaraMomeando o Concelho de Guerra,
que tinli i de julgar o Alfares da oxlincta segun-
da linha, nrisioneiro do Rio Grande do Sul,
Ignacio Pires da Silva, pelo crime de bave
conspirado na lba de Fernando', onde se acha-
ra recluso
_j!i ra.
Por despacho d'esta Jato (2i)ordenou S. Ev.
o Sr. \ ice-Presidente da Provincia que o Bran-
de hospital de Caridade loase removido do con-
vento do Carmo d esta citlad em que csteve estabelecida a lubrica de tecidos,
de Gervasio Pires e restituio aos Religio-
sos d'aquellu ordem a parle do mesmo con-
vento, que era oceupada pelo referido horr-
pital,
l*ijl)licaco a pedido
LEI N. 134.
O Doutor Pedro Francisco de Paula Cavalcan-
ti d'Albuquerque, vice -Presidente da pro-
vincia de Pernambuco. Faco saber a lodos
os seus habitantes, que a Assembla f.egisla-
Ura Provincial decretou, e eu sanccwnei a
Itisi'guinte:
Art. 1. Ficao restabelecidos os districlos de
Paz creados pelo Cdigo do Processo Criminal.
Ar. 2. \ divisao judiciaria em rcla^ao ju -
risdiccio dos Juizes do Civel, e emquanto estes
existirem, fica limita la aos municipios, que fo-
rera caberas de comarcas
Arl. 3. FcSo revogadasas leis e disposicoes
em contrarios
Mando portanto ;'i todas as autoridad
DitosAo Inspector d'Alfandega o ao Ad-
ministrador da Mesa to Consulado, intelligen
ciando-ps, de que osoflicios e informarles,que
bouverem de dirigir Presidencia, devem vir
por intermedio do Inspector da Thesouraria da
Fazenda.
DitoAo Inspector da Thesouraria das Ren-
das Provinciaes, approvando o contracto, pelo
qual Alexandre Ribeiro de Miranda Fontoura
obrigou-se fazer por 1098 rs., a numeraco
dus predios do municipio de Goianna, sujeitos
ao imposto da decima.
PortaraNomeando Instructor do segundo
batalho da Guarda Nacional do municipio do
Recife ao Alferes Ajudante de primeira linha
reformado Miguel AflonsoFerreira.Foi igual-
mente nomeado Instructor do quarto batalho
do mesmo municipio o Capitn de primeira li-
nha reformado Manoel Soares de Souza: e com-
municou-se ao respectivo Commandante Supe-
rior, ao Commandante das Armas eao Inspec-
tor da Thesouraria da Fazenda.
B
pela Thesouraria a despesa do enterro na im-
Commando das Armas
EXPEDIENTE DE 14 DO CORRENTE.
OfficioAo Commandante interino do bata-
lho d'Artilharia, dizendo-lhe em resposta ao
>eu officio de !), que podia mandar recolher ao
Arsenal de Guerra os objectos de armamento,
e equipamento contidos oas requisicoes quea-
companbavo oseu dito officio.
DitoAo mesmo, mandando extrabir a se-
gunda va da guia que pelo batalho loi passa-
da Boprimeiro Cadete Jos Pereira Teixeira,
juem ocoabecimoiito e execueo da referida por se ter deseaica!i;iaJo a primeira, que o liado do destacamento,
portanca de t,G40 rs., que devia de ser entre-
gue Jos Lourcnco da silva Jnior, Thesou-
reiro da Irmantlade de N. S. da Solidade, em
cuja Igreja lora o mesmo soldado sepultado.
DitoAo mesmo Exm. Sr., enviando-ihe,
de conlormidade com o disposto no seu officio
de 7 do corrento, 0 orcamenlo em duplcala da
importancia dos objectos ltimamente requin-
tados para oservioodo Hospital Regimental.
Dito o Chele de Polica, a cerca dos de-
sertores dos corpos de linha.
dem do da 18.
OlFicioAo major graduado A. F. P. da
Cunba, remeltendo-lhe a nomeaco c mais pa-
pis relativos ao Concelho de guerra a que ia
responder o Alferes da exjjncta segunda linha
Ignacio Pires da Silva, para que reunindo o
Concelho Ihe desse prompto andamento.
DitoAo Coronel T. C. Rurlamaque, so-
bre o tapamentode urna janclla do quarto que
serve de Estado maior na fortalesa do Rrum,que
devia ser feito porsua conta, ou por a do Te-
nente Calvan, que no mesmo quarto residi.
DitoAo Commandante do batalho d'Ar-
tilharia, ordenando-lhoque por intermedio do
Agente do Hospital Regimental, fizesse constar
ao Boticario J. M. F. Gameiro, adeliberaco to-
mada pelo Exm.Sr. Vce-Presidente, a cercada
arrematacao dos remedios, devendo por escripto
declarar se Ibe convinha continuar no forneci-
mento com o abalo de 62 2|3 porcentodos pre-
cos marcados no formulario, porque do contra-
rio o fornecimento passaria a ser feito pelo Ro-
ticario J. da R. I 'araribos, conforme ordenava
o mesmo Exm. Sr.
DitoAo Commandante interino da fortale-
sa de Itamarac, respondendo o seu officio de
17, que tratava da remessado soldadoque adoe
cera, e do destacamento e equipamento deste
soldado, e dos outros dous que se havio ausen-
e finalmente dando-Ibe
Estatutos para o Collegio dos Orphaoi, em
virtile do Decreto de 11 de .\ovembro de
1831.
TITULO 1."
CAPITULO 1.
. 1. O Presidente da Provincia ser o pro-
tector nato deste estabelecimento.
CAPITULO 2."
Da ./dniiiiislraco do Patrimonio dos
(Jrphos.
2 o Os bens todos do Collegio serao admi-
nistrados por urna corporacao com o titulo de
Administraeao do patrimonio dos orphaos com-
posta de cinco membros, que sao un Presi-
dente, un Escrivo. um Thezoureiro, um
Procurador, e um Fornecedor. Na faltado
Presidente far as suas ve/.es o Escrivo; em
falta deste o Thesoureiro, &c. As suas func-
coe durarao um anno.
3. Aelcbao da AdminisUacao ser feita
quinze dias depois de installado o collegio, o
ordinariamente ser feita trez dias antes do 1
domingo de Maio.em que se ha de festejara Ma-
temidadede Nossa Senbora, Padroeira dos Or-
phaos. U Presidente da Provincia em Conce-
lho criar a primeira Administraeao e assub-
sequentes, escolhendo os cidados de maior ze-
lo, cconfiinca.
4,o Compete Administraeao : l.4ad-
ministrar, e arrecadar os lundos do collegio na
forma de decreto de 11 deNovembro de 1831.
2 iscalisar as coritas dos dous membros, Pro-
curador, e Fornecedor para cujo fim se reuni-
r no ultimo de cada mez. 3. entregar ao Di-
rector do collegio ou na sua falta ao Vice-
Directoro que por elle for exigido para susten-
taco diaria dos orphaos; o que ser feito no
1." de cada mez. 4." pagar o importe dos bi-
Ihetes de pao, carne, lenha &c. para os or-
phaos; que forcm assignados pelo Director.
5. pagar aoCirurgiao, ou Medico departido,
e botica segundo as receitas rubricadas pelo
Directoi t." pagar por trimestres vencidos ao
Director os ordenados de lodosos empregados
por urna folha assignada pelo mesmo Director.
5. A administraeao nao poder lazer o-
bra alguma dentro do collegio sem ser ouvido o
Director, c approvada palo Presidente da Pro-
vincia.
t.0 Logo que a primeira administraeao
for empossada cessar a actual Commissao, cu-
jas contas serao examinadas pelo Thezoureiro
geral de fazenda publica, e dous oficiaes da
mesma Repartico nomeados pelo Presidente
da Provincia. Pelo mesmo mod se examina-
rao as contas das Administracocs subsequentes,
oito dias antes do ultimo de Maio.
7.o Haver um colre no archivo do colle-
gio, e nelle se hao de recolher os rditos da
casa : lera trez chaves differentes. Urna na
Olio (lo Presidente da Administraeao, outra na
do Escrivo, e outra na do Thezoureiro. ha-
vendo dentro do mesmo colre um livro para as-
i


w
sent das entradas e sabidas dosdinheiro*,o qual
nao sabir i seoSo por ordem expresas do Presi-
dente da Provincia, eos lancamenti.....So as-
signados pelos trc 'u.' sem i s chaves do cofre.
Illl LO 2.
Da or CAP1TCL1 I
I Os empreg id I. :olle-gio sao o Di-
rector, Vice-Director, Mordomo, Porteiro e
Eofermeiro. L"m dos di u< primeiros sera Sa-
cerdote.
capitulo 2.
o l>irec(or.
$> 2. Ao director compete lodo o governo ,
direccao, ofiscaliscao de portas dentro do col-
legio, eso responder por todo ao l\re>idejH;,jiutrjiJivmp*M-feeeito8rio do Professor. No
dias santos por tenco dos fundadores do patri
nionio dos orpbos;e adoeccr, a Administra-
cao pagar a r.utro Sacerdote para ir celebrar
no collegto nestes das, durante o impedimento
lio Director.
5. Compete ao mesmo Director: 1. edu-
car e doutrinar os orphos na ReligiSo Catholi-
ca e hons costumes vigiul-os, reprehndel-
os com ceridade paternal, mpor-lbs pena*
correcionaes, e lancar fra os neorregiveis,
precedendo representadlo ao Presidente da Pro-
vincia. 2.J vigiar sobre todos os empregados do
Collegio, e informar no fim de cada trimestre
pho 13, e ter.i as mesmas qualidades do Mor- cedidos todos osannos nos das immediatos ao
domo.
CAPITULO 6.
Do Enfermeiro.
das ferias do Natal, as quaes comeqaro na ves-
pera de Nossa Senhora da Conceico e dura-
rs at 13 de Janeiro inclusive. Por esta or-
10. O Enfermeiro tratar! dos doentes, dem no 1." dia serao os premios para os del."
administrando-Ibes os remedios, comidas rou- lettras, no segundo para os de mutica no 3.
pa &c. Sera obrigado a acompanhar o facul- para os de geometra &c.
tativo quando visitar os doentes e Ihe ex- S 9."Cada um dos prolessores propor a pre-
pon as circunstancias delles o effeito dos me-1 mios os que julgar capazes dando a lista delles
dicamentus &c. Trar limpa e aceada a en- ao Director um mez antes das ferias e o Di-
frmaria para o que ter um servente que o
ajude. Ser-lbe-ha dado um livro rubricado
pelo Director, onde assentar o dia mez e anno
em que adoeceo o Orphao e bem assim o dia
em que o doente se deo por bom lera mais
Orphos doentes est perigoso participar ao
Director para administrar Ibe os Sacramentos.
Nio sahir do Collegio sem licenca do Director.
^ 17. Ser nomeado na forma da paragra-
pbo 13 e deven ser um homem prudente ca-
rinboso, eaffavel.
TITULO 3.
)os (Jrph&os.
CAPITULO 1.
1. A idade para admissao dos Orphos se-
r de 7 at 10 annos ; e poderao permanecer
no Collegio at contarem 16 de idade pelo
(iue nenhum ser admiltido sem cerlido ou
ao Presidente da Provincia sobren capacidade justificar/So de bnptismo e um altestado do
de cada um. 3. propor os trez ltimos empre-1 respective Parocho e Juiz de Paz por onde
gados no caso de >aga para gerem aprosados pe-1 eonste ser Orphao pobre aceitando-sc com pre-
lo Presidente da Provincia, 4 queivar-se mo- lerenda os ilhosde cazados A accitar-odos Or-
ttvadamentedos que forem babitualmcnto om- p baos compete ao Presidente da Provincia. (*)
misgos em suas obrigacocs, e incorrigiveis ao $ 2. Os Orphos sero divididos cm 2 clas-
Presidente da Provincia para este o autorisar I ses urna dos que tiverem "annos, o outra
.: es pulsa I-os. .' requisilar a AdministracSo
vestuarios, comedorias, e o dinheiro irensal
das despezas diarias, sem que a Administra'ao
possa por duvida alcuma a taes requesices. 0.
allugar os serventes precisos para o trafico da
casa, ajustar lenha pilo carne, e todos os
mais gneros, para o sustento dos Orphos,
lavagem de roupa, &c, ; sendo alguns destes
fornecimentos feitos em concurrencia por a-
quelles que por menos izerem, e melhor ser-
virem ao Collegio
7' O Director residir no Collegio, e nao
rectoren odia marcado brindar aos propostos
com urna medalba de pratu onde em urna la-
ce estar esculpido o Emblema do Brasil, e no
reverso esta legenda Ao merecimento dos
bons filhos da Patria Os orphos premiados
so rrar ao pescoco as medalbas quando sahi -
rem fra, e nosdias festivos marcados nestes Es-
tatutos As medalbasdeprimeirasleltras tero fita
branca, as de muzica amarella.e asdegeometria
verde. As medalhas nao tero mais de 2oitavas, e
sero requisitadas pelo Director Adminislraco,
segundo o n. proposto pelos respectivos Profes-
sores.
10. Alm das ferias do Natal havero as da
Pascoa : estas comecaro no sabbado vespera
de Domingo de Ramos, e acahar na dominga
in Allis inclusive. O Director lar por trazer
os Orphos sempre oceupados afim de evitar a
ociosidade to prejudicial mormente nos
primeiros annos. Pelo que nos dias feriados fa-
ro, que seentretenho no jogo da bola e do
bilhar, ou ja em plantar, liriipar, e regar o jar-
dinete. O Director requzitara um |Ogo de bo-
la, e outro de bilhar Adminislraco em os lu-
gares do Collegio que ao mesmo Director pa-
recrem mais convenientes. Todas as quintas
feiras sero feriados as aulas excepto se hou-
dos que litevem dahi para cima at os 16. O ver dia Santo na semana. Tambem o sero os
Director nomear as 2 cla.ses referidas decu- grandes dias Nacionaes. do Orago da casa e
rioes que |ulgar necessanos para vigiarem sobre
ellas ssim no refeitorio como no coro na
occasio da Missa e Qraco, c nos dormitorios,
ficando estes decuries responsaveis pela falta
de harmona e cumprimento da boa ordem ,
Anniversario da Installaco do Collegio.
TITULO 5.
Da sustentando diaria.
CAPITULO i.*
1. Alm dos Orphaos comer a custa oa
a respeito dos seus subalternos. Esta nomesa- casa os cinco empregados della sendo ohriga-
coes nao devem recahir sempre nos mesmos a
fim de que os que mando aprendo a obede-
cer. Cada decurio ten a lista nominal dasua
decuria. Os castigos dos Orphos sao, por-se j
podera.au/entar-sedellepormaisdc3diaBSemldejoelboi no refeitorio, privarao do recreio
licenga do Presidente da Provincia. Poder
sabir algumas vezes a passeio com os Orphos ,
os quaes nunca sabino sosinhns; porm sim
com elle, ou com o \ ice-Director.
$> 8." O Director ser da escolha do Presi-
dente em Concelho, e alm da morigeracao in-
dispensavel para um lugar to ponderoso, de-
ser ser um homem dedicado s lettras.
CAPITULO 3."
Do Y ice-Director.
9.o Ao Vice-Director todas os altribuicSes
competem do Director estando este incoinmo-
dado enfermo ou au/enle. Tambem nao
poder ausentar-se sem licenca na lorma do
paragrapho 7.
10. Ao \ ice-Director compete lanzar em
um livro rubricado pelo Director as despezas
diarias da casa, e n'outroos termos de posse.
11. O Vice Director ser da escolba do
Presidente em Concelho, e ter as mesmas qua-
lidaJes marcadas no paragrapho 8. para o Di-
rector.
CAPITULO b.
Du Mcrdoiii
12. O Mordomo tera a dispensada casa :
ter jrn livro on le assente as entradas dos g-
neros, peso, ou medida delles a a dispeza dia
da as Artes; outra de Msica para as quaes,
mormente para a primeira o Presidente em
conselho escolher quanlo antes o respectivo
Professor. Alcm disto ica o Director authori-
sadoareceber mestFes de oflicios, como sapatei-
ros alfaiates corrieiro &c. &c. dando-Ibes
no andar de baixo quartos para estabelecerem
suas oficinas gratis com a cdndico deensina-
rem aos Orphaos que o Director Ibes destinar ;
mas estes mestres e seus officiaes nao dormi-
ro no Collegio.
< i. O Prolessor de primeiraa letras ensi-
ste livro ser i 'rector Ln,r a Grammatica da f.ingoa materna eo
aquem dar conta todos os me/es : rPpart:>a i bom gnslo do estudo Uassico fazendo que os
as raques diarias e as dar ao cosinheiro ; vi-, ? alumnos, *** rtas do Padre Antonio
piar sobre o bom arranjo economa e li.n- ,'e,r.a de & Jjao IcCastro a de D
peza da cozinha tratar do refeitorio ; parao ^r- !J t ^^ e as. Iu'iai,as
que tera um servente que o ajude. Tera a seu ,le Camoes- "ndo-lhes a regencia Gram-
na borla pri/o'em um quarto por algumas
horas, ser privado de sabir a passeio com os
outros&c. ; e no caso de reincidencia, susten-
to de pao, e asua.
' TITULO. 4.
Dos Filudos dos Orphaos.
CAPITULO l.o
1." Todos os Orphos depois de receherem
a educaco primaria sero dedicados as difte-
rentcs ohcinas conforme a vocaco que para
cada urna dellas tiverem.
2.' Havero por tanto no Collegio urna
escolla de primeiros letras pelo methodo Lan-
castriano a qual sero obrigados todos os Or-
dos ao refeitorio o Director o Vire-Director e
os Orphos ao mesmo lempo : tambem come
rao a custa da casa os seus serventes.
2. O almoco ser cha, ou cal : cada in-
dividuo tera um pao de 4 oncas.
3.' Para o jantar, c ceia em dias de carne
cada Orphao desde 7 annos at 2 ter urna libra,
e de 12 at 16 libra e meia : o mesmo lero os
empregados. Nos dias de peix constar o jan-
lar de feijo arroz e bacalho e a ceiad'ar-
ror, ou hervas, e pao.
4. O jantar de carne constar de cozido
com verduras arroz, piro, urna iaranja, se
bouver. As ceias algumas vezes sero de lutria ,
arroz, ou hervas com pao. O Mordomo todas
as noutessaber do Director o que determina
para o jantar, e ceia "do dia seguinte.
5. as -4 Testas do auno, e nos grandes
dias Nacionaes e Anniversario da Installaco
phaos outra de Geometra Mecnica applica- do Collegio o almorz ser de caf com leite e
cuidado indagar os precos correntes dos gene-
ros : lar tanger a sintta para chamar os Or-
phaos ao almoco jantar e ceia ; e nao su-
bir do Collegio sem licenca du Director.
13. Sera proposto pelo Director ao Pre-
sidente da Provincia para este aprovar a nornea -
cao eser pessoa de reconhecida lidelidade e
economa.
CAPITULO o.o
Do Porteiro.
S 14. O Porteiro que ser tambem Sacris-
to abrir, e feichar a portara a porta da
Igrejl e todas as mais portas da casa, portoes,
&c.; ea noite depois de ludo feichado entrega-
r lodas as chaves ao Director : lera cuidado
que nao cntrem no Collegio pessoas desconhe-
cidas, e menos se ntroduzSo bebidas espirituo-
sas : zelar as alfaias da l^reja f.ra locar os | to dos discpulos.
matical. Huma tarde de cada semana escolhe-
r para Ibes ensinar a doutrna Chnst.
4 i Os que se derem por promptos em
prirneras Letras mostrando aptido para mais
passaro para a aula de Geometra Mecnica.
Outros serao applicados Msica vocal e instru-
mental.
o" A escolla de prirneras letras princi
cha, e ao jantar haver sopa mais um prato
de meio e doce a arbitrio do Director.
6." O refeitorio he sempre lugar de silen-
cio. Ao jantar haver leitura um dia da Cons
tituico do Imperio e n'outio do Novo Testa-
mento, e ser leita pelos Orphos, que j sou-
berem lr, correndo por todos. O Director ou
Vice-Director, que prezuPr meza poder
dispensar a leitura cm alguns dias.
7. Os Orphos que passarem de 10 annos
servirao meza em n. marcado pelo Director ,
correndo por todos semanariamente para oque
cmnir-se-bo de aventaes.
8. Os doentes tero o tratamenlo e die-
ta que o Facultativo determinar.
TITULO 6.a
CAPITULO 1.
Da policio do Collegio
1. A polica e disciplina do Collegio per-
tencem ao Director a quem se recomenda o
maior aceio em todos os quartos, c movis ;
assim como a boa ordem e regulardade do
seivgo.
2. Os Orphos acordaro as 5 horas da
mauha dispertados por urna matraca, ousine-
ta que estar a cargo do Porteiro. Logo que
-
sinos quando o Director ihe ordenar para o
que tera um servente, eajudar a missa. Alem
distotera um livro das entradas dos Orphao-
as respe tvas idades e naturalidades de
: um eos bitos. NSo sahir sem licen-
ia do Director.
15, Ser nomeado na forma do paragro-
piar as oito e meia da manba c lindar as 10 se rgo concertarlo as camas sem adjutorio
e meia e as trez da tarde at as cinco. de fmulos iro lavar o rosto, e esperaro pe-
6 A aula de Geometra Mecnica, princi- lo Director no anti-cro para a Oragio que
piar as 8 V* da manha e acabar as 10 urna dever ser breve.
so vez ao dia, e a de mu/.ca das 10 al meio i ; 3." O almoco dos Orphaos ser as 7 horas,
dia, e das 3 da tarde at 4 >. depois do qual seguro para as aulas, ou ofli-
7. O Director vigiar se os Professoresj cias. Ojantarser ao meio dia e at as 2
frequento as aulas, e cumprem com suas obri- horas haver silencio finalisando esle iro pa-
gacoes e poder urna vez por outra assistir a ra as aulas acabadas as quaes tero urna hora
qualquer das aulas para observar o adiantamen-1 de eiercicio recreativo. Acabada a ceia que
ser as 8 horas da nouto re/aro um terco e
8." Em todas as aulas havero premios pa- depois devem agasalhar-se ao toque de urna si-
ra os discpulos, que o merccerein, e sero con- i neta ou matraca.
4 As quintas feiras, e sbados vairero
' Por delibero'o do Concelho Presiden- os dormitorios todos os Orphaos sem distim
cal de 17 de Julho <\>' 1834 (oi diado o nu- as 2 huras a tarde, salvo os de 7 a 9 nnra.
mero dos OrpbSos cm U, e autorizado o Presi- o. O vestuario dos Orph jaqueta
dente para augmenta-lo. j azul calvas de ganga azul, boo e soceos,
$6.* Haver urna enfermara bem arejada
com camas sufficientes, &c e um quarto ao
p que sirva para urna pequea botica onde
se tenho os remedios que o Professor indi-
car mais urgentes para um caso repentino.
7.' Haver um quarto espacoso para rou-
paria e prateleiras para a roupa lavada co-
mo para a suja.
8." *> portara e porlo do Collegio se a-
brir as 6 horas da manha e feichar-se-ha
este as Ave Mara, e aquella as 8 horas da nou-
te e o porteiro desde o escureccr at esta hora
nao se alastar da podara a lim de ver, quem
entra, esahe.
9. Nao entrao no Collegio pessoas para
communicarem com os Orphos sem fcenla do
Director.
S 10. Ser prohibido o uso do jogo de car-
tas ou dados e de charutos ou cigarros,
por cuja transgresso sero responsaveis peos
Orphos seus respectivos decuries.
U/11. Haver5 luzes deazeite de carrapati<
pelos dormitorios esaloes de dormida, cozi-
nha e portara.
Dispoziges Geraes.
I.1 O Presidente da Provincia assistir an-
nualmente ao anniversario da intallaco do
Collegio e o visitar toda a vez que quizar por
si, Ou por algum dos membros do Concelho
quem encarregar desta commissao. De 6 em
6 mezes, isto he, quatro dias antes do ultimo
dia de Junho, e outros tantos em Janeiro, de-
pois do dia de Res, o Presidente da Provincia
mandar o Thesoureiro Geral da Fazcnda Pu-
blica, e mais dous Oflicaes da mesma da su a
escolha para tomaren) as tontas da receita e des-
pesa ao Director, e estas conlas sero tomadas
no Collegio, e os livros onde forem approvadas,
depois de assignados pelo Presidente da Provin-
cia, serao recolhidos ao archivo da casa. Esles
livros sero rubricados pelo Presidente da Pro-
vincia.
2.* Os Orphos que tiverem a idade designa-
da pela disciplina da igreja conlessar-sc-hao de
6 m seis mezes em Domingo ou dia Santo, a-
lem da desabriga quaresmal, para o que o Di-
rector convidar algum sacerdote de luzes o
prudencia. O Presidente da Provincia impetra-
r do Exm. Bispo Diocesano, que os Orphos
nao estejo sob a jurisdieco Espiritual do Pa-
rocho; porm sim do Director, ou do Vice-Di-
rector sendo Sacerdotes.
&.1 Todos os ttulos dos empregados sero
dadas-pelo PresidouftTlalPrrJvhcia, e regista-
uos pela Adminstraco depois da posse. O mes-
mo Presidente dar poss ao Directore ^ ice-
Director no dia da instalaco, e aos demais em-
pregados ser dada pelo Director, do que ludo
iavrar termo o Vce-Director, em um l?ro in-
titulado dos Registosrubricado pelo Frcsi-
nenle da Provincia.
4.1 A Adminislraco no 2. da depois de
lindo cada trimestre, logo que receber a follia
dos ordenados, remetiera ao Director toda a
importancia dos mesmos, para este fazer os pa-
gamentos a lodos os empregados, e ter um li-
no com o titulo, recibo dos ordenados, onde
assgnaro os que os receherem
5." Dentro do Collegio nao podero habitar
mulheres, nem pessoas que nosejlo emprega-
das no mesmo, e s estarao no quintal as lava-
deiras emquanto lavarem as roupas, a lim de
que nao hajo extravos.
6.* Todos os empregados do Collegio mora-
ro no mesmo Collegio, excepeo dos Proles-
sores, e he permiltido ao Director e Vice-Direc-
tor terem um ou mais escravos, ou criados seus.
7.* Os empregados que adoecerem podero
ser tratados no Collegio, e a custa do mesmo,
perdendo metade de seus ordenados durante a
molestia. Se quizerem porem ir para suas casas
com licenca expressa do Presidente da Provin-
cia, neste caso conservar o ordenado por in-
teiro.Padre Manoel Ignacio de Carvalho.
O Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
O Concelho do Governo approvou estes esta-
tuios com as seguintes emendas.
No 2." do cap. 2 Poder porem a Admi-
nstralo representar ao Presidente da Provin-
cia qualquer procedimento do Director, quese-
ja contraro a boa direco, e em prejuizo do
Collegio.
3. A Adminstragao echando excessiva a
exigencia feta pelo Director inmediatamente a
representan ao Presidente para que este resol-
va, como justo for. .kenuo porem a exigencia
de naturezatal, que nao admita demora al
deciso do Presidente sem damno dos educan-
dos, a Administrsco a satisfar, e inmediata-
mente dar conta.
Notit. 4 cap. l. 10 As ferias do Natal
principiaras do da 24 de Dezemhro, e linda-
r.i.i ( de Janeiro, e as da Pascoa do Domingo
de Ramos at o ultimo dia Santo, ou 2.* 0t-
va; as Ouintas-feiras sero de lelo as es-
collas.
as DisposicSes Geraes 6 He permiltido
ao Director e Vice- Director um escrivo, oq
criado seu,


s
Alfan ciega.
Rendimento do di a 24......... 5:965*266
Descarrega hoje 2o.
Barca americana Brandyuine diversos g-
neros.
Uovimenlo do Porto
Navios entrados no dia 24.
Maceio; 2 dias, hiale DroTiro Esperanca do
MarankOo de 36 toneladas capiUo Ma-
noel Jos Soares, equipagem 5, carga lastro.
Rathavia ; 75 Jias, brigue belga Ro^ins de
212 toneladas, capitao Deryk equipagern
15 carga varios gneros.
Navio sahid no mesmo dia.
Babia ; hiate de guerra nacional Cavador ,
commandanto o Capitao-Tunente Ernesto
Alves Branco Muniz Brrelo.
Eclitae.
4 O Illm. Sr. Inspector da Thesouraria
das rendas provinciaes manda fazer publico,
que em virtude da Lei peranto a mesma The-
souraria se bao de arrematar em husta publica
a quem maisder nos dias 5, 7, e 8. dejunbo
prximo vindouro pelas 11 boras da manha,
os seguintes Impostos.
1.* Dois mil e quinhentos reis por cabera
de gado vaccum que ff>r consumido.
2.o Dizimo do gado cavallar.
3. Quarenta reis por cada caada de bebidas
espirituosas do consumo da provincia, excepto a
agurdente de fabrico nacional, sendo feita a
arrccadaco no Municipio do Recite.
A arrccadiicao de cada um dos rendimentos
ser feita r,or tempo de trez annos contados do
1. de Jalho de 1844 a 30 de Junho de 1847.
e dividida segundo os diversos Municipios da
provincia com cxcepco do imposto de 40 rs.
sobre as bebidas espirituosas.
As pessoas que se proposerem a estas arre-
matacos comparecao na sala das sessesda so-
bredila Thesouraria nos das a cima indicados
munidas de fiadores idneos, e competente-
mente habilitadas.
E para constar mandou o mesmo Sr. Inspec-
tor alixar o presente, e publicar pela im-
prensa.
Secretaria da Thesouraria das rendas pro-
vinciaes de Pernambuco2demaiode 1844.
O Secretario Luiz da Costa Porto-carrei-
ro (32)
2 CURSO JURDICO.
O Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama ,
Commendador da Ordem dt Christo, Prega
dor, e Conego honorario da Imperial Capel
la Director interino do Curso Jurdico de
Olinda por S. Magestade o Imperador, que
Dos Guarde, /c. 'c.
Para inleiro cumprimento do art. 5. cap. 1
dos estatutos, que regem esta Academia, fa-
co saber a quem uonvier, que os que houverem
de requerer qualquer dos exames preparatorios
ajuntard s suas pelicoes documentos de ma-
tricula de aulas publicas sem os quaes licar
entendido que esiudro paiticularmente ,
advertindo que os que esiiverem no 1. caso
nao s serao examinados com menos rigor co-
mo manda o citado art dos estatutos se nao
que terao prioridade na serie dos exames.
E para que ebeguo ao conhecimento de to-
dos fiz afixar es:e edita!, que ser publicado
pelos peridicos por alguns dias successivos.
Olinda, 21 de Maiode 1844 Miguel do Sa-
cramento Lopes Gama, Director interino. (23)
O Dr. Jos Nicolao Rigueira Costa jtttl
municipal da 2.a vara do termo do fe-
cife e preparador dos processos que tem
de ser submettidos ao conhecimento do
jury, por S. M. I. e C. que Dos
Guarde fo,
Faco saber que pelo Dr. Juiz de Direito da
1.* vara do ciime Joaquim Nunes Alachado me
fora feita a participaco de que para julgar a
pretaJosepha escrava de Jos dos Santos Ne~
ves, que tinba ferido gravemente a sua sen ho-
ra bavia convocado neste termo para o dia
1. de Junho prximo vindouro pelos 9 horas
da manhaa urna sessao extraordinaria do jury,
para a qnal sabirao sorteados os quarenta e oito
Senhores que se seguem : Bernardo Jos
Mirtins Pereira Manoel Caetano Soares Car-
Major Francisco Cesario de Mello Joao Dias
de Carvalbo Commandanle Superior Fran-
cisco Jacintho Pereira Alexandre Rodrigues
dos Anjos, Jos Rodrigues da Costa Soares,
Joo Xaxier Carneiro da Cunlia Francisco
Rodrigues Chanda Anlonino Jos de Miran-
da Falcao, Antonio de Souza Res, Francis-
co Jos da Silveira Dr. Antonio Jos Pereira,
Joao da Malla de Miranda Castro. Antonio Jo-
s de Oliveira Manoel Camillo Pires. Anto-
nio Bento Froos, Caetano Gomos da Silva ,
Manoel Ignacio de Oliveira Brigadeiro Anto-
nio Kodriguos de Almeida Luiz Ignacio Ri-
beiro Roma ,. Francisco Baptista-de- Almeida ,
Antonio Fortunato da Silva, Jos Luiz Perei-
ra Jos Ignacio Ferreira e Silva Antonio
Jos Rodrigues de Sousa Jnior Joao Vieira
do Araujo Patricio Jos Borges Maior Ma-
noel Bizorra do Vale Dr. Joao Jos Pinto ,
Jos Pereira Vianna Antonio Luiz Goncalves
Ferreira, Jos Francisco Ribeiro, Jos Mara
Freir Carneiro Jos Lopes Boza.
Os quaes hao de sorvir na referida sesso ,
pera o que sao pelo presente edital con\ idados,
devendo comparecer, assim como todos os in-
teressados no dia e hora designados sob as pe-
nas da lei, se faltarem.
E para que chegue noticia de todos mandei
lavrar o presonte que ser publicado pela im-
prensa e afixado nos lugares mais pblicos des-
te termo. Dado e passado nesla cidade do Re-
cifesob meu signal cspIo deste juizo ou valha
sem selo ex chusa aos 23 de Maio de 1844. Fu
Jos AfTonco Guedes Alcanforado escriviio o
escrevi. Jos Nicolao Rigueira Costa.
* i.-r
nesla cidade na linaria n. 6e8da praca di que se requerem nos casos em que se torna ne-
Itidependencia a \2) rs. por armo livre do cessaria a indicaran dj raiz de salsa-parrifha.
porte, sendo entregue as chegadas dos vapores Y H. \ C." nio podem deixar de fazer urna
em casa dos Srs. asignantes. 12) refiexao as pessoas que fuerern uso desta prepa-
raco ; que vem a ser o nao abusaren) da pe-
quea quantidadeque prescrovem os praticos
| duas colheres ci cha duas vezes ao dia em meio
copod'ague) visto cada ,'arrala de doze oncas
conler a virtude de cinco libras desalsa-par-
rilha.
Na mesma casa lamben se vendem tintas, e
;odos os outros olijettos de pintura ; verni/es
ViSOS JMitkUOS.
1 Para o Porto partir dentro em pomos
dias o briguo brasileiro Fiel forrado, e enea
vilhado de cobre, tem a maior parte do seu car-
regamento engajado para carga ou passa-
geiros para o que tom excolientesCOmmodos; de superior qualLdudu.,. er+tre-elles htrmpcrft'i-
trnta-serom Frrnritro J. F. da Roza, na ra da lamento branco e que se pode applicar sobro
som que produza al-
vt
oda n. 7 ou com o canitao Manoel Marc-
anno Ferreira. (8)
Pasiageiro smente.
2 Para Liverpool sabira oestes O, ou 12
dias a bem condecida v"'
e veieira galera ingleza
Columbus Capitao I). Green, tendo toja car-
ga prompta; quem quizer ir do passagem d i
rija-se aos consignatarios Me. Calinonlr C.
largo do Corpo Santo n. 11. (T)
Leudes.
Deca iacde.
s.
2O Exm. e Rm.Sr. Bispo Diocesano man-
da declarar que os dias Santos, que leem dis-
pensado sao os seguintes : 24 de Fevereiro"
a segunda oitava da Pascoa ; o 1. de Maio ; a
segunda oitava do Espirito Santo ; 10, e 24 de
Agosto ; 21, e 29 de Setembro ; 28 de Outu-
bro; 30 de Novembro ; 21, 27, 28, o 31 de
Dezembro.Recife22de Maio do 1844.O Pa-
dre Francisco Jos Tacares da Gama Secre-
tario de S Exc. Rm. (10)
Pela Administracao da Meza do Consu-
lado se faz saber que no dia 29 do corrente
mezse ha de arrematar porta da mesma Ad-
ministracao urna sacca de algodao aprehendida
por estar o mesmo viciado e urna caixa de as-
ucar aprehendida pelos respectivos empregados
do Trapixe Novo, por inexactido da tara.e fal
sificacSodoassucar ; sendo a arrematarlo livre
de despezas ao arrematante Meza do Consu-
lado de Pernambuco 25 de Maio do 1844.__
O Administrador Interino Francisco Manoel
I de Almeida Catanho.
5 O Administrador da Meza da Recebe-
dona de rendas internas geraes, faz saber a to-
das as pessoas que tem escravos matriculados,
que o me* de Junho p. futuro he o marcado
do artigo 9. do regulamento de 11 de Abril de
1842, para fazerem naquella meza todas as de-
clararles dos escravos vendidos exportados,
forros, morios, e&c., afim de se dar a com-
petente baixa na matricula apresentando do-
cumentos que comprovem semelhantes ca-
sos. Francisco Xavier Cavalcanti de Albu-
2 Lenoir Puget & Companhia (azem leilo
por intervencao do corretor Oliveira, de um es-
plendido sortimento de Paseadas francesas c
suissas taes corno cambraias, cassas bordadas,
chales de fil csssa e seda ricas brim de li-
ndo de lindo gosto, ti las de retro/, papel, pen-
tes de tartaruga mantas de seda globos para
camlieiros de sala meias finas de seda e algo-
dao para senhora luvas, e um grande sorti-
mento de poxinxas modernas; no seu armazem
da ra da Cruz, quinta-feira, 30 do corrente as
10 horas da manhaa notando que se entrega
pelo maior lance como se praticou no lei lio
de 14 do corrente no mesmo armazem. (14)
/trisos diversos.
Pede-so segunda vezaSr.'D. Francisca
do Assis, que quanto antes mande entregaras
chaves da casa da Solidado n. 22 ejunta-
mentc o importo do 8 inezes e tantos dias de a-
luguel da dita casa, visto que se mudou e nao
se sabe para onde do contrario se usar dos
meios judiciaes.
A viuva e herdeiros do fallecido Coronel
Bento Jos da Costa avizo ao publico que
por escriptura lancada na nota do Tabelliao
Guilherme Patricio Bizerra Cavalcanti em 22
do corrente, extinguirao a firma Viuva Cos-
ta Se Filhos e autoriso a Bento Jos da Cos-
ta para proceder a liquidarao das dividas ac-
tivas da dita firma e pagar as proprias, que
por ventura hajo.
A^ -SOCIEMDE ^
PBILO-DKAMATICA
niirrntif.
(12)
2 O abaixo assignado Escrivaoe Admi-
nistrador dn Mesa de Bendas Internas Provin-
ciaes desla cidade, faz constar a todos os pro-
cao dos Aflogados, que no primeiro de Junho
prximo vindouro principia nesla repartico a
cobranca a bocea do eofreda respectiva decima,
do segundo semestre do corrente anno finan-
ceiro de 1843 a 1844 E para noticia de
todos mandou afixar o presente, e publcalo
pela imprensa. Recife 21 de Maio de 1844.
Luiz Francisco de Mello Calateante. (12)
1 Companhia Brasiliira de paquetes de
vapor.
A barca de vapor Pernambucana, comman-
0 1.Secretario aviza aos Srs. Socios, que os
bilhetes para a recita do dia 27 do correnle ,
principiao a ser distribuidos hoje do meio dia
em diante em casa do '1 hesoureiro, na ra do
Rangel n. 15: outrosim, que a Commissao
Administrativa se rene pelas 6 e meia boras da
tarde para apnrnvsgao d convidados.
1 A Commissao Administrativa da Socie-
dade Apolnea, tem marcado o dia 8 de Junho
prximo para a sua partida podendo os Srs.
Socios que tiverem a apresentar propostas pa-
prietarios das 4 freguezias desta cidade.e povoa-1 ra convidados as dirigir a casa da mesma So-
ciedade no dia 29 do corrente pelas 6 horas da
tarde advertindo que a excepcao das propos
tas n'esse dia apresentadas, nenhuma outra
mais se admittir. (9)
1 Jos Rodrigues subdito Porluguez, ret-
ra-se para lora do imperio. (2)
1Oabaixo assignado declara a certos impos-
tores, que Manoel Vicente do Carino, natural
da cidade da Parabyba filho de Estevao Jos
de Santa Anna, morador no sitio do mesmo
abaixo assignado em Olinda nunca leve pra-
nm _.:_..>... i:u ;.._________ i
danteJoao Mililao Henriques chegar dos por- ca em primeira linha por conce'quenca nao be
tos do Norte at o im do correnle mez e se-
guir para Mecei, Bahia e Rio de Janeiro.
Tambem dever chegar, o seguir para os di-
tos portos do Sul p vapor Imperatriz com-
ftiandante oCapitao-Tenente Jesuino Lamego
Costa at os priuieiros dias do mez de Junho
vindouro ; os Srs. passageiros, que pertende-
rem embarcar as ditas barcas poderao diri-
gir-se a inscrever os seus nomes na Agencia
da ra do Apollo n. 6. (14)
nciro Monteiro Joao Francisco Regis Chiin- 9
lela, Januario Alexandrino Ribeiro Caneca 2 PLPUCACAO LlllIv'AB
Antonio (ioncalvea Ferreira Dr Joao Flori- Gazeta dos Tribunaei
pesDias, ran.i's. o Antonio de Souza, Fran- Publicada na corte do Rio de Janeiro as se-
cisco de Paula Freir Manoel Figueiroa de gundas, quartas o sextas luirs, contendo os
Faria Jos Antonio Pereira Joao Fernn- \ (rnbalbns do Suppremo Tribunal de Justica e
des da Gruz Joaquim Correia da Costa, An- de todos os mais tribunaes da corte, Seo. &o. ;
tonio Annes Jacome Pires. CapitSo Antonio '-jornal utilissimo para esjuizes, ad yogados, e
Upes Guimaraes, Antonio' Ferreira Bailar.. mais possofi empregadM no fro! mbacreve-ie
dizertor como espalbao os mesmos impostores.
Joao faptisla da Silva Mtnguinhn. (8)
1 -Nodiavinte docorrente as 8 horas da noi-
te desapareceu das Cinco-pontas, um cavallo
melado magro com cangalha o cabresto;
quem o achar leve-o na Magdalena no sitio da
Viuva do fallecido Joaquim Nunes Pereira de
Farias, ou na ra do Cabug lojas de Pereira
e Guedes, que gratificars generosamente. (1)
1 NAB TICA.E ARMAZFM DE DRO-
GAS.NARUADAMADREDEDEOS, N.l.
Vendem se as preparacoes seguintes por pre-
co muito coromoilo e de superior qualidade.
Extracto fluido e concentrado de salsa-parri-
Iha da Jamaica.
As muitas experiencias sobre eslas prepara-
coes tem fe i lo conhecer ;i sabia Corporacao Me-
dica, que coropoe o Coltegio de Londres, Edin-
, e Dublio ser ella a nica donde so
podein coliier o benfico. o salutares efleitos,
a pintura mais delicada
lerac&o algamn em sua cor primitiva. Arrow-
Rootde Bermuda ; Sag ; Sabonetas; Sabao
de Windsor ; Agua de Seidlitz ; Limonada
gasoza finta superior para escrever ; Perfu-
maras inglesas ; Fundas elsticas de patente ,
Escoras, rps paradentes; Pastilbasde mu-
riato de morpbina e ipecacuanba ; Azul li-
nissimo proprio para ailar roupa Pos de sci-
dlits e de soda ; PasIbas de bi-carbonato
de soda e gingibre ; As verdadeiras pirulas
regetaes universaes do D. Brandretb, indas
de seu author nos Estados-Unidos, &c. &c. (36)
Pos Asiticos ('(irminados.
1 O uzo quasi exclusivo que hoje se faz
destes pos em muitos pases, e a aprovacao i|uo
lies tem moiecido dos mais eminentes dentistas
da Furopa sao pravas evidentes de suas pti-
mas qoalidades, olios conservSo os denles, o
unem a propriedade de os branuuccer e clarear
porfeitamenie a de prevenir e deter sua carie,
bem como a de endurecer seu esmalte, elles
patenteia toda a brancura, e esplendor dos
denles, destruindo o trtaro (peilra), i|ue so-
bro elles se deposita, e que alin de olluscar a
sua alvurj da as vezes a bocea pessimo aspecto :
elles consolidad as gengivas amolecidas pelo es-
corbuto ou outra cousa, communicao a bocea
una bella cor de roza, o um ebeiro e frescura
mu agradaveis, e corrigen o mo hlito. Ven-
de-se somente na ra da Cruz n. 37, a lji rs.
cada vidro. (19)
1 LICUOR DA CHINA
ou
Estenciu da formuzura.
O delicioso, suave e agradavel aroma deste
precioso cosmtico o tornao digno de figurar nos
mais elegantes toucadores (toilletes) elle goza
de propiedades mui notaveis, que repelidas o
variadas experiencias feitas em diversos paizes,
e mormente no Brasil, onde elle he j bemeo-
nhecido por seus salutares cfTeitos tem confir-
mado como siio : 1. Amaciar limpar, cla-
rear e alisar a pelle, entroter sua frescura e bri-
Iho naturaes, tirar as sardas, panos, espinbas,
e toda a especie de manchas, que nelle appare-
cao sem a alterar : 2. destruir as rugas,a bro-
tueja impigens e mais outras affecces cu-
tancas: J titaro mao balito e dar a bocea
agradavel perfume, fortificar as gengivas pre-
venir as dores dos denles, dte. Em todos estes
casos a experiencia tem mostrado o quanto he
justa, a alia reputaco deque goza este com-
posto no Oriente onde seus efteitos sao lodos
como inlalliveis; cada garrafa cusa lj200 rs.,
um impresso explicar seu uso. Vcnde-se na
ra da Cruz n. 37 por 1 i200 rs. cada garra-
bn na. [zoj
O bilhete n. 161 da l.1 parle da 2.1 lote-
ra a favor das obras da igreja de N. S. do Li-
vramento pertenco ao Sr. J. M. Fiuzada Cu-
aba do Para.
Precisa-se de urna portugueza de dade ,
para servir em urna casa de pouca familia, dis-
tante desta praca; quem estiver nestas circuns-
tancias, dirija- se a ra das Trinxeirasno 1.
andar do sobrado n. 42.
Pergunta-se a quem souber responder, qual
0 deslino que teve o corpo de dolido do cada-
ver do preto liberto Joaquim da Costa, que
o escravo do Joau Baplista Navarre, que foi
remettido pelo Sr. Subdelegado do Poco da
Panella em Agosto de 1842 pessoa compe-
tente. Ojusticeiro do Diario-novo.
Roga-se ao Sr. Delegado o mais autorida-
des policiaes, que queirao tancar suas vistas so-
bre a quadrilba dos jogadores das trez cartas e
da lita, pois estiio s as Cinco Ponas a es-
pera que chegucm os pobres matulos para Ibes
ganharem o dinbeiro, pelos meios cima.
1Aluga-se a loja do sebrado da ra do Hos-
picio n. 1 propria para venda, porficarem
esquina, e mesmo para qualquer eslabeleci-
mento : a fallar no mesmo sobrado. (4)
1 Na loja da ra do Queimado n. 5 de-
zeja-se fallar aos Srs. Jos dos Reis, Joao Pau-
lo Gaedes. Jos Christalino Cavalcanti, Ma-
noel da Gama Romeiro, Manoel Caetano San-
tiago e Jos lemandes de Albuquerquo, to-
dos moradores em Serinhaem : Josefa Mara da
Paixo moradora no Rio FormozojFrancisco
JosLudovico morador na Venda grande, e
ao Dr. Antonio Jos do Sousa Gomes, morador
em Olinda, para negocio, que muito Ibes in-
foresH, (ijj

1


.
'
^A
3 GABINETE DE OBSERVAR \0 O abaixo assfgnado vendo em o Diario de \
>.0 2 do oorrente Malo um annuncio eni que diz,
JHicro$eopio tolaraehromatico exposto nott- que a casa terrea sita na rua Direita dos Afoga-
gutulu andar do torreooccupado pela At-
socio Commerxtal.
As experiencias toro lugar todos os dias ex-
cep'.o us I cr i- feiras ) quandooSol o permit-
a, desde o meio da at as 2 lu r .s.
dos ii. 3(i, osla livpolhecada e quer-se fazer
negocio ; o mesmo abaixo assignado previne ,
que pessoa Blguma faca negocio com a dita ca-
sa semque primeiro se emenda com o abaixo
assfgnado, pois que tern de se cobrar una quan-
lia de pertode"20l# ra., que o fallecido Padre
I recodos bilhetes da entrada l.< rs por cada Joaquina Bento do RosarioTorres, se respon-
pessoa. Id sabelisou em cusa de um Sr. Negociante, e por
7 Existe no Engcnho Vicente Campello *er a dita casa um dos bens do dito Padre, o at
freguezia da Escada dous quartaos de cangalha ao ProSt'111'' n* M ter ainda faito o inventario
castanhos sendo um andrino que forao
apreen-
didos u um libro de nome Jos Cordeiro que
descob/io que os tinha comprado por diminuto
rieseusbens, emcujocabe a justilicago das
dividas, por estes motivos be que o abaixo
assfgnado f.iz o prsenle annuncio para que
em qualquer lempo nao se chamem a ignoran-
j>reco a urna pessoa que as t.ulia- lurtwk- rresta ,.a. Franmco Euztbio de Furia.
praea ou nos seus arrebaldes quem I lie Faltar
ditos quartaos dirija-se ao mesmo Engeoho a
fallar com oj)roprietario Manoel Goncalves P"e-
reiral.ima. ^10)
3 Manoel Gomes Viegas tendo feilo aviso
a todos os seus dotadores de contal de litro ,
por este Diario nos dias 5. 6, e7 do crrenle ,
a fim de que estes viessem saldar suas cuntas,
ou tratarem um praso corto, em que as podes-
sem pagar ; muito poucos destes Srs. teem ap-
parecido ecomo o maior numero sejao den-
tro desta praga por isso novamente u annuu-
ciante os avisa, e com instancia Ibes pede, que
nao eixem de comparecer, ecom especialida-
2a 3 annos de (Indas se:n que tenho dado
quantia alguna porcunla. 1,1
3 A casa terrea n. 36 sita na ra Direita
dosAfogados, est hypothecada, e pretnde-
se fazer negocio com ella por isso se laz pu-
blico, para que qualquer pessoa, qnq sejul-
gar com direito a referida casa o rocame no
prazo de 10- dias s.)b pena de o nao poder fazei
mais. j
2Offerecem-se lijlos de ladrilho, alvenaria.
tapamento telhas ecandas de areia e barro ,
para qualquer obra e em qualquer parte, por
prego muito commodo ; na ra Imperial n. 67,
ou a fallar com Francisco da silva Penna:
O abaixo assignado declara ao publico
eem particular ao Corpo de Commircio que
lendo comprado ao Sr. Jos Pereira Teixeira ,
a loja da ra Nova n. 21*, com o vallor de dez
contosde reis, iuclusiveis 3:03># rs. de luvas ,
e armagao da casa, este Snr. fui pago puntual-
mente n j vencimento das lellras como se pode
ver de seus recibos, e como este Snr. tenba fei-
lo todas as deligenclas para dar um corle no meu
crdito sem motivo para isto e so por genio
malfazejo dizendo a algumas pessoas, que eu
inda llie nao pague i, e que a fasenda.que tenlio
na loja he comprada a lellras com seu indoce,
por isso declaro que urna so nao existe com
sua firma ao contrario tendo-me vendido por
escriptura publica o estabelecimenlo om as
exorbitantes luvas que a cima mencionei, lo-
go que se acbou pago, principiou ameagar-me
com despejo como que a casa lhe pertencesse,
porm felizmente ella pertence aos es'.abeleci-
mentos decaridade e basta este titulo sagrado
para fazer lembrar a nobre commisso o direito
do pobre que para Dos tem o mesmo vali-
menlo. Diogo Jaseda Cotia.
Roga-se ao Sr. Administrador das Ren-
das Internas tieraes tenba a bondade de res-
ponder se os moradores de S. Amaro devem pa-
yar o imposto dos osera TOS na Repartigo deste
Municipio do Recife ou se na Reparticao do
2 Alugao-se 'i casinhas no Atlerro-dos-Afo- Municipio de Olinda visto ler passado aquelle
gadus por precocommodo ; quem as preten-
der dirija-se a ra Imperial n. 67 ou a fal-
lar com Jos Francisco da Silva Penna : o mes-
mo tambem aluga um moleque para vend r pSo
so de manha. G
2Quem annunciou querer comprar um
tanque de madeira dirija-se a ra da Praia ci
S. Rila, serrara n. >'>. 3
2 Precisa-se de um caixeiro Portuguez
de 12a 16 annos, que tenba alguma pratica de
lasenda ; as Cinco-pontas n. 56. 3
2 Caelano Silverio da SHra vai ao Mar
nfiao. 4^}
2 Joo dos Santoi Nunes Lima embarca
para o Rio de Janeiro a sua escrava de nome
Thomazia, do gentio de Angola. 3
'2 SOCIEDADE PHILO-THALIA.
O primeiro secretario avisa a todos os Srs.
Socios hajao de comparecer sem falta a sea
sogeral da sociedadeem o dia segunda leira
27 do correte as 1 horas da larde na casa
da uiesina sociedade para a eleicao da nova
direcejo, e tratar-se de outros objectos de gran-
de interesse. 8
2 Precisa-se alagar um moleque ou mes-
mo negro de idade nicamente para tratar de
um cavallo ; quem tiver annuncie. 3
2 Se se quizer vender o engenho Pirangi,
a margem do rio de Una lia qnem se propo-
nba a compral-o, para oque aguarda o preciso
annuucio. ;
'2 Aluga-se um grande sotao no lugar dos
Coelhos junio a olera do Snr. Miguel Carnei-
ro comcommodos para familia e cacimba ,
gua.rscsio se a>ugs urna canoa .-.i na que
conduz'i00 lijlos de alvenaria ; quem preten-
der dirija-se a ra da Alegra n. 34. o
A pessoa que annunciou querer comprar
urna carteira que tenba estojo de barba di-
rija-se a ra do Queimado n. 2.
L'm homem de meia idade so propoe a
ser caixeiro de cobranzas, estando autorisado
a lazer transages e justicar qualquer deve-
dor ; quem se quizer utilisar de seu prestimo ,
annuncie.
Aluga-se um sobrado de dous andares ,
sito na ra da Senz8lla coni grandes commo-
dos para grande familia; quintal com cacimba,
porto para ra da Guia alugao-se ambos os
endares oucada um de per si ; tambem se
aluga urna casa terrea na Boa-vista na ra do
Arago, com bous commodos quintal e ca-
cimba ; a tratar na ruado Queimado n. J ,
terceiro andar.
Quem annunciou precisar de um feitor
para um sitio na cidad de Maceio diri.a-se
atrax do quartel de polica, casa da esquina
n. 10.
1 Quem precisar de um bom ofOeial de pe-
dreiro para trabalhar em aL'uma obra, ou con-
cert e conjuntamente dous serventes, I
os dias utHs, procure na botica da ra estrel-
la do llozario n. 1"- tambem se oflerece diaria-
mente duas caucas e seus competentes cano-
eiros para deitarem areia de cntullu ou para
obras com promptido. s
Aluga-se un sitio com casa de pedra e
cal cocheira estribarla boa agua grande
baixa de capin bastantes
queiros, na Magdale
Paulino de Almeida ; a tratar na ra Relia, so-
brado prximo a niar.
oairro a formar parte desta cidade, pordeli-
beracSo da Assembla Provincial do anno pro-
xim i passado, e da mesma forma a respeito das
dcimas das rasas.
I A pessoa, que no Diario n. i 11 de 15 do
crrante annunciou que quem necessitasse de
documento legal extrahido de sesmaria de urna
legua de Ierra em quadro em que est situa-
do o engenho Maciape da freguezia de S. Lou-
renco da Malta declarasseo seu nome, e mo
radia pode dirigir-se ao Commandanle Geral
do Corpo de Polica ; na ra Nova n. 41, se-
gundo andar. 9
O Sr. Domingos Augusto da Costa Gui-
niaraes que annunciou retirar-se para o Rio
Grande, queira nao o fazer sem que primeiro
va a ra do Trapiche n. 2S segundo andar ,
pagar39^600n. de gneros, quecomprou pa-
ra a sua taberna em Novembro de 1836.
O Sr. Manoel Jos Pereira de Amorim ,
morador na ra do Pillar em Fra-de-portas,
queira dirigir-se a mesma ra padaria n. 122,
para dar comprimento ao negocio que nao
ignora.
Precisa-se de um official de barbeiro ; no
beco do Campello a fallar com Valentim Jos
Corrcia.
A pessoa que annunciou querer saber
quem vende a loja com poucos fjndos, dirja-
le a ra do Queimado n. -2$, segundo andar.
O lintureiro que morou na Camboa-do-
Carino rnudou a sua residencia para a ra dos
Quarteism frente ao porto, detraz do mesmo
quartel as pessoas, quede seu prestimo se
Ij'Jili.Ti fij UtillSar, O ili iniuw a >U l'IMI IIK1 ,
aonde tinge por prego commodo.
I J. Cnardon tendo feito entrega por es-
criptura publica passada no cartorio do Tabe-
liao Bezerra Cavalcanti, no dia 11 do correnle,
de tudo o q"ue possue ao Sr. 1.. Poudra por
conta do que lhe deve precisa para terminar
dita entrega que as pessoas que se julgarem
seuscredores por qualquer cousa hajao de
apresentarassuas cor.tas correntcs ou ttulos
al o dia 2!) do correte mez ao dito Sr. L. Pou-
dra na ra Nova n. 2"!.
Findos os dias da le se ha de arrematar
una casa terrea na ra do Amorim n. 58 cu-
ja arrematado ha de ter lugar na ra Nova a
portado Sr. I)r. Neves, cujo escripto j esta
na mao.do porteiro.
D-seuma porcao de tijolos quebrados e
inteiros que sirviro de um tapamento e jun-
tamente entulhode clice a quem for buscar
na ra de Hurtas n 01
Compra-se nm sellim em mel uso ; quem
tiver annuncie. *
Vendas
Compras
1Vende-se a verdadeira gomma de mata-
rana de superior qualidade a SOI) rs. a libra ;
na ilharza do Livramento botica n. 4. 3)
3_ \endo-se um pardo oOicial de pedreiro ,
de 18 annos, sem vicios ; no Atterro-Boa-vis-
ta n. 60.
2 Vende-se moeda de cobre a dous porcen-
to de premio ; na ra do Torres n. 18.
2 Vende-se um negrini.'a de nacao
annos. enxomma de todas .asqualidades faz
bem lavrtelo ; dous mokques de la anoos,
dito de 12 an-
que em qualquer loja de livro ; na ra do Ca-
bug lojas de asendas ingle/as o irancezas de
Pereira ; Guedes.
Vende-se urna escrava de nacao, de 20
annos engomma cose, cosinha, e lava; urna
dita crioula, de 18 annos, engomma, cose, co-
sinha, .0 lava todas de bonitas figuras ; na ra
das Cruzes n. 41, segundo andar.
1 Vende-se urna negra moca de bonita fi-
gura tendo algumas habilidades com urna
cria de dous andos, muito esperta vende-se
por precisao ; na ra Direita botica de Igna-
cio Nery.
1Vende-se um negro de 22 annos de bo-
du 18 nita figura bom 6ocador de assucar forneiro,
i e faz todo o mais servico de padaria ; rra ra da
Guia n. 42. segundo andar. 44*
Vendem-se dous terrenos por detraz do
Carmo noalinhamento di ra da Concoidia .
ptimos para todo o servico ; um
nos ; urna escrava de22 annos. bo.^ cozinheira ^ ^.^^^^ da ^ da ^
doceira e engomma ; o escravos me eos, de na ge ediflcar na rua
cao de bonitas figuras ptimos.pai.a todo o v
servico ; na rua Direita o. 3. n) ,.,____
2 Vendem-se espadas com roca e sen.1 e"a>
Mhasdouradas, multe limpase boas para o- >a| chegado prllinamen.
ficiaes, a 4500 f.; "a rua Nova loja de fe r- 8 1 P na ^
ragens n. 25 de Te.xe.ra J Andrade. A y de.se uma a de na at de 3fl
2-\ende-sefannha de boa qualidade, vm- commodo; em Fra-de-por-
da dos portos da Baha, a 3200 rs. o alqueire r> ^ l v K
da medida velha : na rua da Cadeia de An- tes Ven(jem.se lb0 oitavas de prata em obras
1 Vende-se uma guarnicao de papel pinla-
"f- do e dourado o mais rico possivel e do ultimo
velh s proprias para su desmancharen); quem
pretende r annuncie. (3)
l_VeiiL,e:n"ss 30 a 40 oitavas de ouro velho,
sendo parlo em cordoes; quem pretender an-
nuncie. i3
1__Vendem- se ^ous Pares dl! lanlernas ;
carreira aberta,
al vende-se para
agamento; na ru^ da Florentina 11 2. 3
Vende-se uma neg a cym uma cria rnula-
tinha por prego oommt'do i na rua Impe-
al n. 31.
Vende-se ama maiatino.1 multo prenda-
da com a condico de ser pafi1 ,ura lla Pro_
vincia ; na rua Imperial n. 31.
Escravos fgidos
tonio n. 19 e a bordo da Garopeira fundeada
junto a escadinha da alfandega. [5]
2Vendem-sequeijos novos a \fl rs. man-
leiga ingleza a 64'l rs. e franceza a 400 rs. ,
milho alpiste a 580 rs o quarteirao, letria a
240 rs. massa estrellinha a 160 rs. cha bis-
son a 2500 rs. e todos os mais gneros de ven-
da por preco commodo ; na venda'da esquina quem pretender ,
da rua do Arago n. 43. 7) 1-Vende-se unO canoa do
2-Vende-se uma negra de nacao de boni- em muito bom estad.. ^ J^
te figura, de 11) annos, propria para todo o
servico ou troca-se por alium moleque de 12
a 16 annos ; na rua de S. Rita-nova n. 91 4
2 Vendem-se 13 escravos, sendo 3 bstan-
le adiantados no ollcio de pedreiro um pti-
mo carreiro uma negra co/inheira uma mu-
lata dous moleques de 11 a 12 annos ; na rua
da Cruz n. 51. (5,
2 Vende-se ou permuta-se por escravos
uma grande morada de cata em Olinda com
excellentes commodos, com grande quintal,
com grande baixa para capim e poco ; na rua
de Agua-verdes n. 22 ; na mesrna casa engom-
ma-see lava-secom todo aceio promptido e
prego commodo. (7
2 Vendem-se por prego muita em conta
ricas carteiras de viagem com espedios para
barba espelhos grandes e pequeos para sala,
lavatorios de mogno com seus pertences de por-
celana camas com colxdes de mola para re-
creio, dous pianos, um novo e ou4LerfrieJ9.
uso ,''cl)msnwtto boas vozes camas de angico ,
Jacaranda, eamarello bancas caderas e me-
sas de diversas qualidades e outros muitos
objectos, que a viste do comprador se por pa-
tente ; assim como se recebe todo e qualquer
objecto tanto novos como usados para se vender
por meio deste estabelecimento ; na rua Nova ,
arma sem n. 67. ,l'i)
1 No Recife, rua da Cruz n. 23, escripto-
rio de Jos Antonio Gomes Jnior continu5o-
se a vender sacras corn alqueire de superior fa-
rinha de mandioca muito fina, e alva feita
na Moribeca e por prego mais commodo do
que ateo presente. (g)
2Jos Francisco da Silva Penna prat,'lRa
com 100^ rs a qualquer pessoa que lhe a,')_
prjhender e entregar um escravo peitencente ao
Sr. Vicente Thomaz dos Santos ; o qual fugo
110 dia 27 de Novembro de 184o com os sig-
naes seguintes de nome Joo, de nacSo Qui-
Ihimane alto, secco do corpo, cor retinta, fal-
las mangas cicatrizas, pelo corpo, de castigo ,
que tetnhlevadn levouum ferro do gancho no
'"pesettr, caTgrs, e camisa de algodao/inho he
canoeiro, ja lol pegado em Ulinda de nutra vez
que fugio; descoofia-se que esteja para as ban-
das de Maceio ; caso apparega pdem levar a
seu snr. na rua Imperial n. il, que receber a
gratificago promettida. (15
Ainda esta fgida a prcta Agostina, que
fugio no dia 16 do corrente de Fra-de-por-
tes de casa de Mara do Pillar; a qual he do
nacao Rebollo estatura regular, secca do cor-
po bastante fufa bocea grande, beigos gros-
sos peitos atacados maos e ps grandes, de-
dos compridos ; levou vestido de chita branca,
com listras encarnadas, saia de zuarte azul por
Vende-se uma mulatinha de bonita figu- nma do v,'s'jdo Panno da Co',a cora mata-
ra com algumas prendas para fra da pro- Ines b'anCS llstra encarnada ao pe dos 111a-
vincia ; no principio do Atterro-dos-Afogados lJame'' san, de inbSacom um laboleiro ven-
n< 31 dendo camaro tem sido encontrada com o
... mesmo laboleiro inculcando-se a andar venden-
-A endem-se chapeos de seda nara chuva, de do c na quarta feira foi vista na Casa-forte ;
boa qualidade a Un. ; na rua do Queimado quem a pegar, leve a sua enhora em lra-de-
lu,a n. 2o .de Gu.lherme Selle. ; portas ou no bolequim da Eslrea sera
V ende-se capim de plaste em grande per- ;,ce mpensado,
cao e a retallio muito em conta : na Solida- | No da 27 de Abril p p. fugio do si lio do
esquina que vai
para
(3)
de venda n. 20 na
Reitero.
1Vende-se uma cama de angico com seus
encherges, por prego commodo ; na rna do
Rangel n. 71.
Lance-de-cagoes da lllia dellamarac a escra-
va Africana de nome Maria Francisca bem
ladina, de 30 anuos cor bem preta estatura
ordinaria, um tanto chea do corpo todos os
(o,< denles perfeitos com uma pequea cicatriz na
n.7.. a fldDe"KUml0venda em Fora-de-porlas, test, peitos pequeos, cosidas na frente um
na rua do Pillar n."S8 afreguezada para a ter-, tanto salientes.uma das candas com outra cica-
3 para o niatto com poucos fundos ou triz de
com aquelles, que o comprador quizer; a tra-
tar na mesma.
1 Vendem-sf. duas moradas de casas ter-
nas de pedra e cal, pequeas, sitas noboquei-
ro da Estancia rua de Henriques Dias por
barato prego faz-se lodo o negocio ; a tratar
na venda da esquina da rua do Arago, que
volta para a S. Cruz n. '3. (6
Vendem-se lindos cortes de fasenda esco-
ceza para vestidos ne senhora e chambres de
homem pelo diminuto prego de 'iSO rs. cor-
tes de lanzinha a 22'i0 rs. ditos de dita de su-
perior qualidade e padroes muito modernos a
60U0 rs. ditos de dita com listras de seda a
103 rs.
quadros
que recompensa-
urna gomma que lhe deixou o osso
mais alto que o natural pesemos pequeos,
lingua um tanto descorada ; levou vestido de
chita azul-ferrete com palmas amaradas o pan-
no da Costa ; quem a pegar, leve ao engenho S.
Jo'o na mesma liba ou nesta cidade a Fran-
cisco Xavier Martins Bastos
r generosamente.
No da 23 do corrente fugio uma escrava
de nome Calharina do gentio de Angola, bai-
xa e cheia do corpo], bocea grande, tem no de-
do grande da mo direita uma inaiha preta re-
presenta ter 17 a 18 annos; levou veotidorou*
'xo com llores da mesma cor, e camisa de al-
i godozinho ; quem a pegar leve a rua do Tra-
. lindos cortes de cambria de listras. J^^'q^e ser Smpeosldo
>SJe i".I r^d,T*Ul Prt,f, -dG 380 2- NO diaVde Janeiro ffi O
3 COMlTiA-SE urna porgo de ouro c pra-
ia tudo de le, tanto em barra, como em obras
velhas,paga-se bem: na rua do Torres n. 1Y '
2- Compra-se um cavallo novo, gordo, e de padroes para cortinados de eaM"""teieo7deIZ T^T pr'"'l'|"i" ,le UTO Panc"?a ?
bons andaros agradando se pau-ara en. relago cassa, grandes para pescoco de senlior, ,Vou- -' J g "['Parecer a c
ao merecimeoto ; <|Uem livor annuncie. -'i tras muitas asendas por prego comino!
Compra-se um cavallo, que seja noto rus do Crespo loja n. I2.de Jos Joaquina
grande, e gordo, bom andador sem achaques, Silva Mai.
ndo capado tambem serve: na ruadaCa-' IVendem-se meias de seda brancas
deia-velba loja n. 60. tae-de peso, ingleza,
Compra-se 40 acedes da Compaobla de de luvas, o mais rico
Bebirebe; na riia da Cadeia do Recife n. 41. 1 branco franc
na
da
8 pre-
un grande sor ti ment
i1 -sivel e livrus em
por mais barato prego, do
na mao esqueida o dedo pegado ao mnimo sem
' unlia. levou calcas e c tmis 1 .k-, algodfio ame-
ricano muito sujas he remador de lancha e
pes ador de rede da carnario ; quem ,1 pegar.
1 "" 1 Fra-deportas o, sado. 12
tiECIFi NA'lTP. )B M. 1. DKI-AIWA1844.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENPU9S6C4_RLKRMD INGEST_TIME 2013-03-25T13:04:43Z PACKAGE AA00011611_00115
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES