Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00105


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^
I
Anuo de UM4L____Segunda Feira 15
O Diario publica-ae ludoa oa draa qae nfio lona lanbfioadoa o prego .! 'igMiara
he da Ire mil ra. porquartel pagoa.adiantadoi. 0* er.nnircioadoaauignanteaeaoinaeridoe
,..,. a oa toa que n., loira i raao .le SU rea por linba. Aa reclamai Sea devisa ser din-
pida a la yp na das Cru:es n. 34 on k praca de Maio
'Fuilo ?.
/ ^. a' tir uemos c
colla*.
Atino XX. W. Ufa
:. j>t>:s
Tuil-i a?,, (I-pende OOBO principiaaMI e eren apontadoa con a-lwi:ra';-"> enlre aa nagoea mais
(Proclamagj di \- embica Geral PARTIDA DOS COUKEIOS TERRESTRES.
CniANMi.e I arahjh, SeIUd. Mu. feiraa.Bio Grande do Norte che-, a 8 e2J e par-
. '-"'.SennWin Riotormos,.. Macer, PortoCal.o, e Alagoae: no 1. o
A, *I"" -G",n]"">" e "o *<> '-'I 'le cede me. Boa-vis., e Flor-
es a 13a W d,to._ Cidad- da Victoria, quintas feiraa. Olinda lodoa oa diaa.
i. ,. DUS ,)A SEMANA.
13 See, *. l'odro Regalado. Aml doj.de D. da 2. r.
|t Ierra a. Gil Re. aud. doJ. de 1).(| 3. T.
15 Qeria a. hidpj. Av. do J i!e D. d* x.
Jl Quinta -J. A avenen o do Senhor
17 Sexta s Peieoel. u i doJ. de D
4S Sab s. Venanoio. Bel. aud. do J. del) da l.r.
i;i Don. a Pedro Celestino.
c imbus SO nu Id Di >i vio.
; f f/ CambioifobteLondree 25. |Oare-M.....la de f>.4l)0 V. 17,500 I7-1
! <.:/- u Pana 870 rea por franco N. 17,'iOO *''
. \' m Lisboa 112 por 100 depremio I a de 4,003 9,600 ''
CrC^y im,-- n IPrali--r*atacoea .M) -V
r ven :i e u.s
ba
le lelras Je boai firmas \ > 1
pn
o
PesOa c diunmnarct
Ditos mexicanos
romnri enda
17,600
400
800
l)
.0. '-'.040
1.060 O0
PitASI.S DA LA NO MI'./. DE MAIO.
La creia a'J aoa 65 mi,,, da tanle I La ora a 17 ai 6 boraa r3min da iaanK.1
Minguantea ) as <) horas e 2 iiiiu .la manh.'ia I Cies.-eiite a .'o aa 6 li eS. da tarde.
'reamar de hoje.
Prirneira aa 1 I.orase I min da aaanhaa I Segunda aa I borai i 42 aalnotoa da tard
TMIIrWfT y i -r~Tilaiilalrla aiaTT

ERRATA.
No Diario n. 110, expediente da Presiden-
ca de 26 de Abril, c no ultimo officio em ve?
de 18 de Julho la-so-- 18 de Junho ( que o
da marcado pifa coircrem as rodas da lotera
das memorias histricos).
BSKL'fJ -5il,!H,.55SBI
^A
rt OFFiCIAL.
LE N. 121.
O Doutor Pedro Francisco da Paula Cavilcan-
ti d'Albuquerquc, Vice-Presidenli da pro-
vincia de l'ernumbuco. I aro taber a iWos
os tev habitantes, que a Assemblca Legisla-
tiva Provincial decretou, e eu sancciunei a
resouco segu ule:
Art. 1. Fiea suspenso no correte anno lec-
tivo o regulan.etilo do 1. doi'cvereiro de 1843,
approvado pelo artigo 9 da lei n. I lude 29 de
abril, na parlo que exige approvaio nos exa-
mes da lingoa nacional, e da latina para a ma-
tricula as aulas do curso de preparatorios do
do lyco.
Art 2. A matricula dos alumnos, a favor de
quem he /cita esta lei, tica espacada para o pra-
so de oito diasda publicayao da mesma lei.
Art. 3. Ficao revogudas todas as disposicoes
cm contrario.
Mondo portento todas as autoridades,
quem o conbecimenlo e execuco da referida
resouco pertenec*, que a cumprao e facao
cumpnr tao inleiramente como nellaseconlem.
O Secretario desta provincia a faca imprimir,
pubiiear e correr. Cidade do Kecife de Pernam-
buco em 30 de Abr de 1844; vigsimo tercei-
ro da independencia e do iinperio^. Eslava o
sello das armas n;;cionaes= Pedro francisco de
Paula Cavalcanti d'Albuquerque.
(..arla de lei,pela qual Vossa lixe. mandaexe-
culara resolucu da Assembla Legislativa'-Pro-
vincial, t|ue bi'uve por bfljn sanccionar, Stispen-
leudo o regulainenlo do lyco na parte que exi-
ge approvavso nos exames da lingoa nacional
e da l.itina, durante o correnle anno lectivo, e
espacando o praso das matriculas, na forma re-
tro declarada. Para V. Exc. ver Antonino Jos
de Miranda Folcio a fezSellada o publicada
nesla secretaria da provincia de Petnambuco
ein 2 de Maiodel844 Antonio Jos de Oi-
veiraRegist.Jaa Ibibas203 v do I. 1. de re-
gisto de leis provinciaes. Secretaria da provin-
cia de Petnambuco 2 de Maio de 1 $MJos
Ignacio Soares de Macedo.
punta de Justica, durante a ausencia do Desem-
bargador Joaquim Teixeira Peixoto de Abreo
Lima, ao Deaembargador Manoel Rodrigue"
Villares.
DitoAo Juiz Relator da Junta deJustica,
remetiendo, para, depois de vistos, sercm pro
sen tes mesma Junta, os processos dos r-os
Antonio Percira e Manoel Nunes Vianna, sol-
dados do batalbao provisorio de prirneira linba
da provincia do Cear.
DitoAo Engenbeiro em Chofo das obras
publicas, declarando, que teni consignado a
quantia de ,908 rs.. quesera dcduzida das so-
bras provaveis de outras consignac;oes, para pa-
gamento da despeza com a obra arrematada d.i
Maio de 1844Antonio Jos de OliveiraRe-
gistada a f. 204 v. do livro 1. de registo de leis
provinciaes. Secretaria da provincia de Pernam-
buoo 2 de Maio de 1844'-- Jos Ignacio Soa-
res de Macedo,
Gnverno da Provincia.
EXPEDIENTE DE 30 DO PASSADO.
OfficioAoCommandante das Armas, de-
terminando, que expeca suas orden, para que
no da 3 do Maio (prsenle) se poste no largo
do (ollegio toda a tropa de prirneira linba dis
por.ivel, !im de, juntamente com ocorpo de
polica, c a prirneira legSo da guarda nacional i
d esle municipio, formar em grande parada na- \
ra fazer as honras militares no Exm BarSo da f "n" A l ,ri,|,,f8- -^TT 'S,,t'C"
Boa-vista Presidente da provincia, que De^ I ordaTbesurana das Rendas Provinciaes, eao
di> .i,... /ifp l Inspector-iscal das obras pdicas
uta emliarca para acorte OfTiciou-se \ res-i ,'v. .> c .. .
..;, .' .' i i i "'lo Do Secretario da l'rovincia ao I nspec
ncito ao-t.ommandanle geral do corpo policial, !, ^,.L ,-. ..',
torda 1 hesourana da ra/enda, transmitliodo,
para ler execuco, a ordeni do Tribunal do
mando em chefe de toda a tropa, c expedirao-se T,lesouro ob n (i0
as precisas ordtms, pan. que a galeota do eover <-.,... EM D0.,),,V ..
flicioAo Reverendo Miguel do Sacra-
mento Lopes Gama, aecusando recepefio doseu
officio d'esla data (6), em queda parle de a-
char-se na directora do Curso Jurdico de U-
linda.
DitoAo Engenbeiro emChefc das obras
publicas, approvando o contracto, pelo qual A-
maro Fernandos Daltro Jnior obrigou se
construir um passadigo sobre o rio Jaboatao na
estrada da Escada. Gommuncou-se The-
sourara das Rendas Provinciaes.
e ao Commandante superior da guarda nacio-
nal desto municipio, encarregando-o do com- .,',
..i_____u.r.\i '..... _____._- iesour
no recebesse S. Exc. e o conduzisse bordo do
l'araense; e hem assim para que salvassem as
lortalczas, apenas suspendesse aquello vapor.
PortaraConcedendo demi'sao do lugar de
Director do lyco ao Exm. e Rm. Bispo do Ma-
ranhao, c nomeando para aquello emprego ao
Reverendo Vigaro Fnncisco Fcrroira Harret.
Commun',cou-se ao inspector interino da
Thesouraria das rendas provinciaes.
DitaReformando no mesmo posto aoCoro
nel Chefo da segunda legiaoda guar. a nacona'
..^i .ii. i .! -..-^i::::,-,, iiiiiimiii yuui< ri ,,. i a- u i/- i i DitoAo Inspector oa I hesourana das Ron
do municipio do (.abo, Manoel Cavalcanti de i, .
v i,...... vi ti das l'rovinciaes, ordenando, qut com a possive
Alququerque cMello, quci-epresentou nao po- .
,i. _. r i nrevidado passe a contractar co o a respectiv;
der continuar no servico em
consequencia
suas molestias. Removeo-se para a releri
legua o Coronel Chefe da do Cabo. Manoel
Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquerque,
nomeando-se para all o substituir ao Coronel
lenlo Jos Lemenha Lins; e communicou-se ao
removido, e ao nomeado.
DitaCnnredendo A Jos Gomes dos Santos
Pererr. de Bastos a reforma, que requereo, no
I oslo de Tenente-Coronel Commandante do 7.
batalbo da guarda nacional do municipio do
Rccife.Nomeou-sc para o dito posto ao ma-.
or do mesmo halalhao I/idro Francisco de Pau-
la Mcsquila e Silva; e para o po*to, vago em
consecuencia d'esta nomeaco, ao capitlo da
ex ti neta segunda linha Francisco Antonio Po-
reim dn Silva: o que se communicou ao Com-
mandante superior respectivo.
I
passe a coniractar co ti a respectiva
ju propretaria o arrendamenlo da casa perlencen
leaviuvade Gervasio Pires Fcrroira, sita na
ra dos Pires, a (un de para alli ser transferido
o lyco desla cidade; o determinando; quesub-
metta o contracto {pprovaeao da Presiden-
cia
Ih'toDo Secretario da Provincia ao Inspec-
tor da i besouraria da Fa/.enda, transmitlindo,
para ser executada, a ordem do tribunal dothe-
sourosob o n.94.
DitoAo Commandante do corpo destaca-
do, cotnmunicando-lbe a pronuncia do sargen-
to S.F. d Araujo Torres, e sentenca dada ao
soldado J. S. dos Santos Marinho, pela Delega-
da da Cidade da Victoria.
Portara Nomeando o Coorelho de Guerra,
que linha de julgar o soldido d'artilices F. J.
de Sant'Anna.
DitaMandando dar baixa ao soldado d'ar-
lilharia Joao Soares da Silva, por ler (nalisado
o lempo a que eslava obrigado servir como re-
crutado, e no querer continuar.
dem no da 29.
OfficioAo Inspector da Thesouraria, parti-
cipando-Ihe, queS. M. 0 Imperador por, aviso
do I. de Janeiro desto auno, houve por bem de-
terminar fosse rodusida erca parte do respec-
tivo sold a consignacSo mensa I de 20S rs.,
que o Cirurgiao Manoel Monleiro d'A/evedo do
i. batalbao de (lacadores deixra a sua fami-
lia nesta provincia.
DitoAo mesmo respeito da importancia
de 2450 pregos, neoessarios ao concert da co-
berta da casa da residencia do Commandante da
fortalesa do Itamaraca.
DitoAo Engenbeiro em Chele das obras
publicas, para entregar os utensis que por cm-
prestimo deviao ser levados a Itamarac, para o
levantamento da coberta mencionada no officio
cima.
Dito Ao Commandante do corpi^de guar-
das nacionaes destacado, dizendo-lhe, que, es-
lando preso por desertor o soldado Elias do Car-
mo, naopo.lia ter o destino que lembrava em
seu officio de 1G do correntc.
DitoAo chefe de polica, sobre varios de-
sertores do batalbao segundo de artlbaria a
P&.
Command das Armas
LEI N. 122,
O Doutor Pedro P'rancisco de Paula Cavalcan-
ti d'Albuquerque, ice Presidente da pro-
vincia de l'ernumbuco. Fago saber todos
os seus habitantes, que a Assembla Legisla-
tiva Provincial decretou, e eu sanecionei a
resolugo scguinle:
Art. nico. O bonorario do professor da
lingoa latina do barro de S. L rei Pedro Gon-
alvcs do Recfe fica equiparado ao do proles-
sor da mesma disciplina do lyco.
Ficao derogadas todas as leis e disposicoes
em contrario.
Mando por tanto todas as'autoridades
quem o conhecimento o execuco da referida
resouco pertcncer, que a cumprao o facao
cumprir tao nteiramente como nellase contem.
O secretario desta provincia u faca imprimir
pubiiear e correr Cidade do Recifo de Per-
nambuco em 30 de Abril de 1844,vigsimo se-
gundo da indepettdedcia o do imperio=Eslava
o sello das armas nacionaes Vedro Franeisco
de Paula Cavalcanti d'Albuquerque.
Certa de lei pela <|Uil V. Exc. manda exa-
citar a resouco da Assembla Legislativa Pro-
vincial, que houve or bem sonecionar, equi-
parando o ordonado do professor de lalim do
burro do Recifeaodo prolessor da mesma dis
na do lyco, na forma a cima declarada. =
Para \. Exc, ver. Antonino J no de Miranda
Falcao a rezSellada o publicada nesla secre-
taria da Provincia de Pcrnuiubun ios 2 de
EXPEDIENTE DE 28 DO P. P.
OfficioAo Exm. Presidente, representan-
do Ihe sobre a maneira irregular de se he
transmiltirem direelamente da Thesouraria as
ordens vindas da Conladotia Geral da Guerra,
DitaRemovendo o Racharel Francisco de tendentes a supressao de vencimentos, ou des-
Paula Vellez de Guivara, Promotor Publico da contos, porquanto taes ordens Ihe devioser re-
comarca do Bonito, para n comarca do Rrejo; metlidas por S Exc; ou que por seu interme-
o Racharel Jos Cardoso de Queiroz Fonseca, dio fosse prevenido de que ellas Ihe serian en-
Promotor Publico da comarca do Brejo para a viadas pela Thesouraria, marcha esta que, es-
de Olinda, e o Racharel Francisco Jos do Me- lando de accordo coma legislacao.traria ao ser-
deiros, Promotor Publico da de Olinda, para a vico a ordem e regularidadc, que convinha
do Bonito Communicou-se ao Presidente da manlerem todos os ramos do publico servico.
ticlacao, oo inspector da Thesouraria da Fazen- DitoAo Juiz Municipal da Segunda Vara
da, as cmaras do Bonito, Rrejo e Olinda, e aos desta cidade, aim de que houvesse do preparar,
respectivos Juires municipaes. e submettera decisao do Jury ni prxima reu-
OfficioDo Secretario da qrovincia ao Ins- niao, o processocrime do soldado de artlbaria",
peclor da Thesouraria da Fazcndo, transmittin- Jos Maria Dias.
do, para terem execueo, as ordens do Tribunal DitoAo Commandante interino da forla-
do'Ibesouro sol) os ns. 50,84, 53,50, 01, lesa de Itamarac, communicando-lhe as dis
62, e 63. posicesdo Imperial Aviso do 19 de Fevereiro
dem de 4 do correvte. ultimo, e quacs os vencimentos que em virtude
OfficioAo Inspector da Thesouraria das dolas Ihe ficavao competindo do 1. de Marco
Rendas Provinciaes, ordenando,que mande por cm diante.
novamenlc nm praca a numerucio do predios DitoAoCapitao Aflonso Honorato Bastos,
do municipio de Goianna, sujeitos ao imposto remnttcndo-lhc a nomeaco e mais papis do
da decima. concelho de guerra, a que deve de responder o
DitoAo Engenbeiro em Chele das obras soldado d'artilices Filippe Jos de Sant'Anna,
publicas, approvando o contracto, quocelebiou pelo crimededesercao.
i-diii Joaquim Ignacio de Carvalho Mendonca, DitoAoCommandante da companhia de
i eorca da factura das obras accessorias da casa artilices, exigindo a f d'officio do soldado F.
da birr-ei^ade Motocoiomb. Communicou J. do Sant'Anna.
s'ao Inspector da Thesouraria das Rendas Pro- DitosAo mesmo, approvando o contracto
vinciaes, e ao Inspector-fiscal das obras publi- que fez com a irmandade da Concoicao dos Mi-
cas litares, para o enterramentodns prafasquo hou-
I itoAo Presidente la RelacSp, aecusando vessera de fallecer, mediante as rasoaveis condi
recebidooseu officio de 3 deste me/, em que cOes, que mencionava em seu officio de 27, que
participa baver nomeado para servir de vogal da ficava respondido.
IDBM DO DA 30.
OfficioAo Exm. Presidente, rcquisilando-
llte a cxpedicSo de suas ordens Thesouraria,
parase llio passar a sua f d officio,
DitoAo Inspector da Thesouraria, remet-
tendo-lho a copiado termo d'arremalacao dos
medicamentos para o Hospital Regimcntal no
eorrente anno, c o formulario competentemente
organisado.
DitoAo mesmo, dando Ihe os esclareci-
mentos, que pedio em seu offcio de 23, com
respeito as irregularidades encontradas pela
Conladoria Geral da Guerra nos papis de con-
tabilidade desta provincianos mezes de Agos-
to evelembro do 1842, c providencias dadas em
ordem do dia 27 do correnle para sanal-as, fa-
zendo-se a suppressiio da gratificacao addicional
abonada ao Primeiro-Tenentc F. C. P. do La-
cerda, co descont da que tem recebido desde
Agosto do referido anno do 1842.
DitoAo Commandante interino da forta-
leza de Itamarac, remettendo-lho os utensis
requisitados para o levantamento da coberta, e
dando-lbe algumas disposicoes sobre a obra.
Dito Ao Commandante do Corpo destaca-
do, mandando cm vista do Concelho d Investi-
gado a que se procedeo, rcbaixar para solda-
do o segundo sargento Manoel Angelo de Santa
Anua, continuando elle, e o soldado Antonio
Germano, presos por tempo de 15 dias, sendo
carregados com 8 armas nos oito primeiros, por
espaeo de urna horaacada dia, visto ter-sc prova-
do sufficicntomente a parte que contra elles de-
ra o Capitn Superior do dia a praca a 22 do
eorrente.
DEM 1)0 DA 1. DE ABRIL.
OfficioAo Exm. Presidente, rogando-lhe
a expediccao de suas ordens, para ser transpor-
tado a provincia do Maranho no vapor Paro-
tnse o Sargento Ajudanto do 5. batalbao de
fuzileiros Joaquim Manoel da Silva e S.
DitoAo Inspector da Thesouraria, remet-
tenOo-lhe a guia que pela Pagadoria das Tro-
pas da corte foi passada ao Segundo Tenente
da terecira cfasse Sebastio Jos do Reg Bar-
reto.
DitoAoCommandante do segundo bata-
talliao d altilharia a p, mandando averbar nos
assentos dos Cadetes. M. I. de Carvalho Men-
donca e Trajano A. de C, Mendonca og


2
~v
timos pennos J<' latim geographia liisto- [data tinlia rccornmondado o Administrador da '
r 1,1 e pbilosophia e cinplicitef na lingoa Mesa do Consulado, para mandar abrir o ar-
fi cesa. "> mazero do pao-brasil, pertencente aquello arse-1
Portaria = Mandando excluir ccm guia pa- nal, que se acbava com o toldado abatido, na i
ra o hatalbo a que d'antes pertencia o soldado seguada-feirade manhSa o de tardo, e mais
do corno de Guardas Nacionaes destacados Ma- dias uteis, quesc segussem parase fazer pelo I
Cactano do N isi imenno por ter sido em mesmo arsenal o necessario reparo
Junta do saude julgado iucapaz doservico. DitoAo Admiuistrador da Mesa do Con-
lOEM Do da !. sulado, reoommendando mandasse abrir o ar-
OITicio \o Exm. Preside nde, commum- mazem de que trata o precedente officio.
i:, indo-lhe, que no vapor Todos o Santotem '. DitoAo mesmo, dovolvendo o processo que
estinatiio a servir inliou oseuofficio de 30 de Vlarco,daap-
> rcito do ul un que pi ntu prehenso feita pelo Guarda Francisco Jos de
seachavo no caso de | i em varias mercadorias estrangeiras per-
:: in la
Dito-Ao Exm. G Comn nteo. s
Armas dj corte, remeltendo-lhc aguia dos -
loa l.ui/i va ilc d'Attrjquorque Laccr-
seguiio no vapor I los os Santos m deslino
ao exercito do Sul onJeia i servir, e|
derando Ihe qu tendo o dito Lacerdu os
quesitos por le exigid s par i sel i.* Cadete
l!ie havia concedido I ; ra uzar dodis-
tinctivo at que u tin i la a )ustificac3o, fosse
enviadas ao corpo respi tivo no mesmo exer-
cito.
Dito ao Inspector do Arsen d de Marinba,
para quo livesse a bondade de mandar pessar
[iira bordo do vapor 7Wof os Santos as duas
pracas mencionadas en o oflTicio procedente.
DitiAo Commandante do batalho d'arti-
Iharia, mandando excluir pa gento ajudantc addido Joaquim Manoel da Sil-
va S, dequioto hatalbo de fusiloiros que se-
gua no vapor Paraenu para MaranbSo.
Portara .= Mandando excluir-do batalbio
do artilharia e p issar gui 5 1 soldados L C.
de A. Lacerda, e M. P. da Costa, qu.....guiao
para a corte no vapor Todos os Sanios, com
destino a servirem no exercito do Sul.
Til escurarla da Fazcnda.
KVI'KIHKMI 1)0 DA 11 I>0 l> P.
I IflSi oAo Exm. Presidente da Provincia,
enviando a conta e documentos d 1 Major Ser-
gio Tertuliano Castellobranco, a fim de deci-
dir o que julgasse conveniente.
DitoAo Commandante das Armas, diren-
do que os 1 rogos, que ainda se laziio necessa-
nos para o concert da cosa da residenciado
commandante da fortaleza de Damarac deviao
ser lornePtos pelo Arsenal de Guerra, havendo
o respectivo director por a thesouraria o compe-
tente importe, tomo determinouo Exm.-Pru
si efite dii provincia por oficio de 2S do Marco
DitoAo Inspector'la Thesouraria da Fa-
senda da provincia das lagoas, aecusandoa
recep ao de scu ollicio de 18 do passado, em
que communicouter tomado posse do lugar que
exercia.
DitoAo Inspector do Arsenal de .Marinba,
dizendo que devia concluir o afreta ment, do
briguo Dos te Guard, pelo preco de 3:000<
rs. para ir a Iba de Fernando ; obrigando-se
o mesmo brigue a condusir na sua volta um
carregamento de podra, e os mais obiectos que
se oflerecessem.
DitoAo Administrador doCorreio, parti-
cipando tor Sua Magcstade o Imperador, por
Aviso do > de Mareo expedido pola Secretaria
de Estado dos Negocios do Imperio, segundo
communicou u Exm. Presidente da provincia
em ollicio de 10 do crrante,mandado declarar,
que nenhuma necessidade havia de elevar-se,
como reclamava, o crdito i\c R:8i0,000 rs.
atierto para asdespezas dos Gorreios da pro-
vincia, visto que elle nao exceda a 8:330,000.
rs., conforme a tabella polo mesmo adminis-
trador aprsenla Ja, da qual antes $: obser-
vava, que existiao sobras, que podio sor ap-
plieadas r.o pagamento los salarios dosdous c r
teiros, que forao creados por Avisos da referi-
da Secretaria de Estado de -2'j de Selcmbro do
anuo passado, e "27 de Janeiro do correte.
dem do ma 12.
OfficioAo Exm Presidente da provincia,
participand 1 o afretamento Jo hrigue Dos ti
Guarde, para ir ilba de Fernando
DitoAo Director do Arsenal de Guerra ,
fazendo a mesma participadlo, a fin de man-
dar embarcar os artigos, que so tinhao man-
dado apromptar por ai|uella Repartitao; e para
se entender com o Inspector do Arsenal da Ma-
rinba sobre as embarcaces para a sua conduc-
a o.
dem do da 13.
OllicioAo Secretario da privineia aecu-
sando a rccopcSodo scu ollicio de 17 de Feverei -
ro que acompanhou os exemplares de diversos
decretos, c decisdes do Governo do anno pas-
sado.
ti mentes a .1. B. A. Costallad.
DitoAo Inspector d'Alfandega partici-
n.ui o quo cmsewao da thesouraria, foi nde-
ridoo requerimento deL Rruguire, consig
nario da barca sarda Sagrado Coraco de Jess,
em iuc pedio ser aliviado ta multa do 100.000
r< que lhe foi imposta por aquella Alfan-
de.vi.
' .Un J^.'1'T1
1 KRHLIBIKO.
I'.ira substituir no lugar de Subdelegado da
(reguezia dos Aflogados ao Sr.Mascarcnbas, cu-
ja demissao noticiamos no nosso ultimo nume-
ro fui nomeado o Sr. Tenente-Coronel Ma-
nuel Joaquim do Rogo eAlbuquerquc Mello.
O paquete ingle/, chegado no dia 11, tendo
saltillo do Rio dous dias depois do Imperuiriz
nao nos Irouce jomaos nem adianta noti-
Passa porcerlo ter fallecido cm Flores o Juiz
JoCivel de Pao d'Alho Manoel de llollanda
aialcantidc Albuquerque, que alli fura para
toniur ares.
SMibicico a ; edido.
elbicSes do maranho.
\linisttrio do Imperio,
Illrh. e Exm. Sr. -Forao presentes Sua
Maestade o Imperador os oflicos de V. Ex
le 13, 16, e l!) de Janeiro do corrente auno,
todos relativos a defeitos, e nullidades occorri-
das das ultimas olenas do Deputados Pruvsn-
ciaes, participando uo primeiro dos mencio-
nados oflicios, iuc, tendo o Juiz Municipal da
I vari da capital d'essa provincia ido a casa
da Cmara, em consecuencia de denuncia que
recebera, de ter sido roubada .: urna, que con-
tin'iij as cdulas dos eleitores do collcgio da
mesma capital, procoder a um exame no cofre,
em que ella fra recolbida, felizmente ah a
u h ira intacta ; nao acontecendo porm o mes-
mo como livro das actas, o qual, devendo ser
recolhido no mesmo core, nelle nao existia ;
que tendo o mesmo Juiz de proceder a outro
exame as codulaS, j depois do concluida a a-
Duracio, e terminados os trabalhos docollegio,
fura este informado pelo Presidente da Cmara
Municipal deque as cdulas nao tinhao sido a-
inda remedidas, por cujo motivo o dito Juiz se
dirigi sobre esto objectoaoPresidente do colle
gio, do qual entretanto nao recebeo resposta
no segundo que, intentando alguns individuos,
que f.i/iao parte do collcgio leitoral, dar ce
saspeito aquello Sai/., nao fura aceita a sus-
peieono torcoiro linalmente que. devendo o
luizdePaxda villa de Guimaraes ter entre-
gado a Vara ao svu imniediato, poi ser entrado
novo anno, a releve em si nicamente pelo
-
o
motivo ib- presidir reanito' do collcgio lei-
toral, aperar das reclamacoes do dito imme-
diatfl ; demorando alm disto o collegio os
seus trabalhos sob frivolos pretextos, de ma-
neira que sendo o da 6 de Janeiro o marcado
para a cleico 8nda no dia II nao eslava ella
concluida. E tomando o Mesmo Augusto
Scnhor em consideracio ludo quanlo V Ex.
liudamente expendo nos mencionados oflicios,
14a.por beip Mandar-*onimuoir-lbe para sua
inteligencia, oexecuvSo, que, quanlo ao ob-
jecto do segundo, foi regular a sua decisao a
respeito da suspeigao do Juiz Muni.ipal, pois
que os actos do busca c exame, a que elle pro-
codeo nao constiluem senao um corpo de de-
licio, por onde secomeea a formacao da culpa,
e n'esta os Jui/es nao pdein ser dados de sus -
peitos vista da expressa disposicao do Cdigo
do processo criminal; e quanto aos objectos
do primeiro, e ultimo que nao resultando dos
abusos, o Ilegalidades commetlidas no colle-
gio ta capital, e no de Guimaraes, o ser
Ilegal cm sua maioria a eleicae da Assemhla
Provincial, ao conhecimento d'esta deve V.
( Seguem-se seiscentase tantas assignaturas.)
A decisao do ministerio a cerca das eleicoes
do Maranho.
.... A'o resultando dos abusos Hit-
galidades commetlidas no collegio da capital,
e no de Guimaraes o ser illegal em sua maio-
ria a ileigo da assembla jirovincial ao co-
nheciment) desta deve V. Exc submetter todos
os fsclarecimtntos 1 denuncias sobre os facas
ocrorridos para ella resolver como for di justi-
ca. Esta he a soluco dada pelo Ministerio
actual consulta do Presidente do Maranho,
feita em data de 13 e 19 de Janeiro dosle anno.
Como be que 8nles de ter conhecimento das
actas da eleico que ainda lhe nao haviao si-
do remellidas o de cuja totalidade nao se
acha at hoje de posse o mesmo Governo pro-
vincial podia saber o Ministerio que do taes
abusos c Ilegalidades nao resultava o ser a elei-
Ca illegal em sua maioria ? Eis o que logo
salta aos olhos de quem l o Aviso. Pois se pe-
la eleiro em sua maioria se deve como he
evidente entender o resultado da apura "10
de lodos os collegios., a eleicao em sua essencia,
nao se podia allirmar semelhante cousa sem
ter os precisos dados.
Agora se pela eleicSo em sua maioria se de-
ve tao somenle entender a maioria tos collcgi-
roa b : 1 de vapor Paaueli do iut, le 1814-Jo*1' Orlos Vertir c Ahneida os, a asserc&o seria materialmente exacta ;
tros viagens que lez a pste porl uerequ- Torres,Sr. Presidente da provincia do Ma- mas importara no mesmo que desconhecer in-
tou em ollicio do 12 do corrente. Uanho. teiramente u naluro/a das eleices provinciaes,
e por um erro bem grosseirocoolundil-as com
HEPRESENTACAO.
SENII0R.
__Os habitantes da cidade de S. Luiz do
Maranho abaixo assignados, animados do de-
sojo de patenteara V. M. IMPERIAF-, quam
justa, itnparcial e prudenlo foi aadminislracao
to Fx-Presidenlo da provincia o Doutor Jer-
nimo Martiniano Figueira de Mello, affiraon^
ba de ser demittido pela Governo do YM IM-
PERIAL, ouzao depor nos degrosdo aUGUS
TO THRONO o tributo devido ao mo cimen-
to e servicos de lao hbil e recto empregado,
atienta maiormente a suspeita dossupplicantos
de que queixas injustas e acintosas tenho (eito
apresental-o ante V. M. IMPERIAL como um
administrador arbitrario, parcial e vingativo
Desde o mez de Janeiro do anno prximo
passado em que ci mpossado^no Governo d'es-
sa provincia, foi-se de mais cm mais consoli-
dando a ordem e tranquillidade publica, che-
gando a tal ponto a sua eslabilidade que a pro-
vincia eslava desassombrada, e descansava sem
estremecer ao menor reccio de vfil-a alterada e
perturbada.
Ocommercio, e a lavoura, os dous princi-
paes mananciaes da prosperidade publica, se
nao medrarao pela nenhuma sahida que inle-
lizmcnte encontro nos mercados estrangei-
ros os gneros de produccao do paiz, j por nao
poderem competir em concorrencia com os de
outras naces, j por haver diminuido a im-
portacao om virtude da estagnacao trazida pe-
las calamidades e guerras intestinas, n5o lorao
certamente obstados em sua marcha por medida
alguma contraria aos interesses e florecimento
de I les.
A administraco, SENHOR, de que tralo
os supplioantes foi to conforme ao espirito da
Il- fundamental do imperio, e as puras inon-
oOese paternal solici lude de V. M. 1PERIAL,
que nenhuma das garantas individuaes foi le-
vemente ofTenJida, no obstante haver subido
a berdade da imprensa a tal descomedimento
que pareca exceder todos os limites de urna
legal censura c opposco, sem que todava fosso
mister reprimil-a para fazej-se respetar eobde-
cerdas autoridades, e cidados um administra
dor, cuja lona nascida do acert e roctido dos
sous actos tinba solida base na approvato, ad-
hesao u amor dos povos d'esta provincia.
Nada. SENHOR, faltou ao E.x-Presidente.
o Doutor Jernimo Martiniano Figueira de
Mello, para.ser a sua adminislracio (ali.s urna
das mais justas e benficas) a mais notavel de
todas as da Provincia, senSo a continuacSo por
mais algn* me?es para que com o tempomelhor
nhecimenlo da ndole, e disposcesdos povos,
proficuas providencias para completa estabilida-
de da ordem e tranquillidade publica, e vigoro-
sa administraco da justica, (loando esta pro-
vincia privada de colher os Inicios lisongeiros,
e duradouros que tao eflcazmente lhe afiamjava
a continuaoao.
Os supplicantes, SENHOR, niio podendo do
urna maneira mais valiosa testernunhar a sua
gratidao pela acertada escolhadeY. M. IMPE
R|AL e sabia conducta d'aquelle Delegado o
farem por n.eio da presento ropresentacao, a
fim de que possa V. M. IMPERIAL devida-
mente apreciar e recompensar os servicos de lao
conspicuo cidado, e esta provincia dar-lho
urna prova do quanlo se acha penhorada pelo
seu justo e benfico governo.
as geraes. Pois se Restas em que os Deputados
que represento a naeiio sao feitos pelos elei-
tores de cada provincia em que se divide o ter-
ritorio nacional nao pode dos aliusos e Ile-
galidades da eleicao da menora das provim ias
resultar o ser Ilegal em sua maioria a cleiclo
de todo o imperio naquellas em quo os depu-
tados quo represento a provincia sao feitos
indistinctamente peros mesmos eleitores dola,
pude dos abusos e Ilegalidades da eleicao par-
cial de um ou outro collegio resultar o ser Ile-
gal em sua maioria a eleicao de toda a previn-
ca
l,.--l.s o .l XI.
.M (1 1 i 1 1 1 ni Ul lili
au uc I O f I.
Ex. submetter todos os eselarecimenlos e de-
DitoAo Inspector do Arsenal de Mari- inuncias sobros factosoceorridos, paradla re-
nba, enviando a ordem do Exm. Presidente solver como fr de justica Dpm guarde a Y.
de provincia, que mandou pagara 1 fei- Ex. Palacio do Rio de Janeiro 25 de Fevereiro
DitoAo mesmo, participando, que nesta
He justamente o que loria de acontecer-na
presente questao se fossem contados os votos dos
dous collegios cujos abusos e Ilegalidades se
achao solemnemente reconhecidos pelo Governo
provincial c geral ; porque n'urnas eleicocs
tao disputadas como as actuaos e lao exclusi-
vamente feilas no interesse dos dous partidos
em que se divide a provincia, um excesso 00 48
volos ou abusivos ou suppostos a saber'24 lo
collegio de Guimaraes c 24 do collegio da
capital onde se reunirao s 53 eleitores e se
apurrao com fraude patente e provada 77 lis-
tas inclusive algumas de eleitores que nao.
comparecern e oulras falsas de eleitores que
niio votrao em collegio nenhum iria dar a
oligarchia ou menora urna victoria illegal
sobre a coalicaoou maioria que trumpbou Ic-
galmente apresent.indo-nos em resultado
urna Assemhla intrusa, toda compostu de fui-
sos representantes.
Temos pois que tanto n'Uffl como n'oulro
caso seria errneo concluirse que nao resulta
de taes cansas o ser illegal em sua maioria a
eleigUo da Atttmbla provincial: no primeiro
porque a conclusao nao din ana /los factos,
antes esta em opposicao a clles no segundo
porque he consequenria de um princp o falso.
Isto quanto aos lundamentos da (K'cisao ;
vamos agora sua inteligencia TinhfR'-nos
dito a principio que o Aviso mandava des/, re-
zar na apuracao as provas materiaesda (ramK ,
e assim o consignamos na Hevtsta mas istc'
nao he exacto como se v da sua letra. Antes
mandando pelo motivo referido submetter ao
conhecimento da Assemhla provincial todos es
eselarecimenlos 1 denuncias sobre os lacios oc~
corridos nao tralou da apuracao dos dous col-
legios como devora ter fcilo se desprezasse as.
provas, esojulga que nos abusos denuncanos
nao ha materia bstanle para interlerir o Go-
verno isto he para mandar proceder i< novas
eleices deixando ludo a arbitrio da assem-
hla que he quem tem de decidir si piles devem
ser apurados ou annullados, segundo os jul
gar legaes ou nao. He evidente quo o Aviso,
reconliecendo a existencia dos abusos e illega-
liAude commetlidas nos dous collegios, os ex-
clo ou sequestra ncccssariamenle da apuracao
geral atea decisao da Assemhla a quem devem
ser enviadas as actas dos mesmos com os docu-
mentos comprobativos dos seus exce.sos e frau-
des : nem outra intelligoncia se lhe pudo dar
sem que se siga absurdo. Pois o contrario
seria reconhocor que houvo fraude esamcional
a ; seria submetter a decisao do negocio A s-
sembla e antecipar essa decisao mandando
contradictoriamente contar volos j reconhe-
cidos como abusivos e (raudulentos porquan-
to a quoslao que tem de ser resulvida pela as-
semidea nao versa sono sobre se devem sor
contados ou nao esses votos. E que oulro se-
ria o resultado se o Gorverno tivusse desprezado
as provas entendendo que nao bavia abuso ?
De mais provado como temos e se pode
verificar das actas que de laes abusos e Ilega-
lidades resulta u ser Ilegal em sua maioria a
eleicao, haveria alm de absurdo manifesta
usurpacao se se contassem os votos dos dous
collegios na apuracao geral porque impor-
lava no mesmo que impor a provincia em
prejni/o dos legtimos representantes intrusos
para conhecerem dos abusos que commeltOrao
ou mandarao commottor em seu proveilo. E
a responsabilidad!' nesle caso recahina sobre o
executor visto que a dei isao do Ministerio he
dada sub condilione. No resultando &C. ',
a qual logo que se nao verificasse como de
fado acontece seria motivo bastante para o
Governo provincial sobrestar na execuoao do
aviso al nova decisao.
Devenios acrescentar que o Sr. Figueira de
Mello a quem ninguem poder negar sem n-
justica muita illustracao perspicacia e tino
administrativo, consullotl o Governo supremo
sobre so deviao ser ou nao apurados os dous
collegios; o aohando-se este negoi 10 novamen
te.afleclo S. M. I. seria talve acertado
osperar-se por nova decisao antes de se dar exe-
cuoao ao Aviso.
Depois de so ai hai este artigo no prele
constou dos que S. Exp. o Sr Vice Presiden-
te maro ra para .1 apuracao o dia ln le Abril,
liestadeoidir se devem sw ou nfio apurados
collegios de Guimaraes o da Capital.


3
Edi I.
A despedida d> Sr. Figtitira di Mello.
- <' embarque do Sr Figueira do Mello j
que teve lunar no da 22 ilo corrente no vapor
Todas Santos, foi un dos.mais apara tusosj Miguel 4rch e hrilhanlcs de que ha memoria na provincia, vial da nrdem aa Roza, Camlleiro de CKrit-
Di'sde I vespera qua S. Exc. era constante- lo e Inspector d'Alfanlega de l'ernunhmo
monte procurado o visitado em casa do Sr. por S. M. I., que Dos Guard.
Brigadoiro .Magalhaes onde so hospedou depois Faz saber, que hoje 13 do corrento soba
Je mais Ilustreo rospeitavol em cidadfios ho-,doga ao meo ilia um relogio doouto no valor
nestos nesta capital, e al por muitos que nao de O'VyOOO rs., aprehendido sem despacho pelo
ostumavin a froquental-o durante o sou go-Guarda Antonio Francisco Xavier, sendo aar-
verno dos quaes recebia as mais fervorosas e romataco livre do direitos ao arrematante. Al-
cinscras provas de alecto estima o considera-
co. No dia do embarquo foi acompanhado
si rampa pelas principies aulhoridades o por
um numeroso e lu/.ido squito de cerca de 300
pessoas da gente gra la e honrada indo porto
de 100 despedir se delle at ao vapor, onde se
apertavao para fallar-Ihe e abracad-o. Vendo
tanta dedcaco eallecto naquelle* quo o cer-
cavSo quando ja se nao acbava revestido das
insignias do poder nao pfl-Jo o benemrito
cidado deixar de enternecer-so o derramar
lagrimas ao apartar se do, cus bons amigos do
Maranbao que tao pee/norados ficavao da ca-
pacidade do Administrador e das qualidades do
homein. Alin do',,ses nao equvocos testemu-
nbos de estima e 'evotacao teve o Sr. Pigueira
de Aleilo oulro* nao menos lisongeiros e since-
ros como frasea honrosa feheiticio qno Ihe
dirigi o c >rpo do cornmercio no momento
de deixri'. a Presidencia, 'assignada por quasi
todos os negocianfos dcsta praca em numero
de 5'j eeara repros-ntacio dirigida a S. M.
J. ogradecendo u nomeaeBo que delle le/, pa-
ra Presidente desla provincia assignada no
curto espaco de 3 das por mais de 630 cida-
daos. ''inda Presidente nenhum foi honrado
pelos Maranhenses com tantas demonstraeoos
de distinecao, mas tambem ainda nenhum se
rnostrou mais digno dellas pela sabedoria ,
prudencia rectido e acert com que admi-
nistrou juslia aos povos.
fandega, 10 de Maio de 1814.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
ilcclaracoes.
El
\ lan (lega.
Rendmcnto do dia 11..........6:92i,828
Pescarreya hoje 13
Briguo Josefina divoisas morcadorias.
PRAg* 00 RKCIl Revista mercantil.
Cambios Teein havido tranz.acoos regulares a
25 ', d. por l rs., e Igumas dimi-
nutas a 25.
Algodao Porto pequeas as entradas da se-
mana, e teem-se ellectuado vendas a
5,>eotfl00rs.
Assucar O deporto he considoravel, e he
pouco procurado de 700 a 800 rs.
por arroba sobre o ferro.
Couros Sao ollerecidos a 130 rs. a libra
Hacalhao () deposito be de 350 barricas, e
0 consumo diminuto leudo havido
vendas de 8 a 9i rs.
Carne secca Smente entrurao 1200 Rucnos-Ayres o sahio para Havana
um brigue argentino e o depozito
he de 80 000 tv ; sendo o preeo da
do Rio Grande I jGOO a 1 ,>800 rs., e
d de Ruenos-Ayres l400 a !,;600
ris.
Parinha de trigo Chefjarao 500 barritas da
Baha e nao tein soffrido alteracao
de preeo.
Plvora ingleza Vendeo-so a 280 rs. a libra,
. despachada por conta do comprador.
Sal estrangeiro dem a 1*300 rs. b alqueire
Contina a falta de embarcaces no porto o
quo tem foilo os gneros do paiz es-
ta re m em apathia eexisten) no an--
coradouro 36 va/os. sendo i ameri-
cano 1 argentino, 27 brasileiros ,
1 dinamarqus 1 rancez 2 in-
gle/es e 4 portugueses.
>ami iiiiii.i ih.ji m_ vu------'-ijjL.ujmL!-
=0 Administrador da Recebedoria das ren-
das internas geraes. leudo annunciado pelos
Diarios a todas as pessoas dos bairros do Re-
cilo Santo \ntonio e Boa-vista que dei-
xro de pagar a laxa de sous escravos, c impos
to de lojas, lo anno correle, e mesmo aquel-
las quo j pagano desde o primeiro de Dezem-
liro prximo passado al o prsenle quii hou-
vessem de comparecer naquella Recebedoria no
prazo de30dias. contados da data daquelle
annuncio para satislazerem odobro do mesmo
imposto c taxa; sto do conormidade corn osar
ligos 10. e 11 da lei de 21 de Outuhro de 1843.
e mais ordens a respeito e como nao tenha
comparecido pessoa algu'iia para pagar pela
ultima vez annunca quo se at o da 0 de
Maio corrente nao viorem satislazor, passa a
mandar para juizo urna relacao de todos os
llovedores, alim de seren executados; assim
como annuncia a todas as pessoas que ain-
da estilo a dever o imposto de barcos do inte
rior, o de seges o carrinhos, que venhao quanlo
antes satisfazer os seus dbitos nao s dos an-
nos anteriores como do corrente linanceiro.
Recebedoria 11 de Maio de 1844. Fran-
cisco Xavier Cavalcante de Albuquerque.
Vico-Consulado da Rupublica Oriental do
Uruguay.
Em virtude das ordens recehidas do consu-
lado geral convida-se a todos os subditos da
mesma repblica residentes nesh provincia a
comparecerem noste Vice-Cnsulado no dia 15
ilo crrante no atierro da Roa-vista n. 43 as
10 horas da mandan, a fim de serem compe-
tentemente alistados. Vico-Consulado da Re-
pblica Orienlal lo Uruguay em Pernamhuco
11 de Maio de 1844.
Adriano Xavier Pereira de Rrito.
to com o n." 3137 firmado no verso coma tal bilhele, quesete nao se adiar a carta ,
asignatura de Joaquim Machado, por conla de para quo'tivessc cu o gosto do a pendurar ao
quem tinha sido comprado; roga portantoo poscoco, O publico porm ajui/ar entre nt
ahaixo assignado a quem o houvcr adiado a qual dos dous quer tnassacrar o crdito alboio.
bondade de Ih'o mandar restituir emsuacasa Porfiro da Cunha Moreira Alies:
,io paleo do Matriz n. 1 e ao Sr. thesourdro Na ra do Crespo n. 14 segundo an-
da dita lotera o favor do o nao pagar, caso dar tem um escravo boui con/.inheiro para so
saia premiado seno ao ahaixo assignado. I alugar.
Manoel Francisco Cesar de Mello. Quem necessitar de documento legal ex-
- Prcciza-se de urna ama de boa conducta, trbido dososmaria de urna legua de Ierra em
ndoidade, para casa do pouca familia; quem quadro, em que esta situado o eogenh Naca-
estiver neslasc rcumstancias, dirija-so a Pra- peda freguezia de S. Lourenco da Malla, quo
ada Independencia luja n. 21. em o anno de 1867, foi pelo donatario uarto
^= Precta-80 de urna ama, que saiba co-Coclho do Albuquerque concedida (unalo
zinhar bem. ensahoar, eengommar, para urna Mondes l.eilSu( e da demarcacio da dita trra,
casa do pouca familia;, quem estiver nestas cir- foita mu o. a uno !> ItiSS a roque/intento do
cumstancias, dirija so ao pateo da Penha n. i. proprietario daquelle engenho o Provedor da
P roe i /.a -se do atnassadores para padaria j Pazenda Real, JoSo do liego Barros que ern
e mesmo aiguns mocos, que so quoiro appli- !697o vinculou; annuncio.seunomo e mo-
car a este trabalbo o a vista do seu desenvol-' radia.
vimento, e actividade safar o seu ordenado ; { O concerlador do chapees de sol,morador
na travessa da Madre do Dcos padaria n. l, se na roa de S francisco la/, sciente a todas as
dir quem precisa. pessoas, quo mandario concertar chapeos de sol
ssOflbrecom seofoctivamento canoas dearoia, j no anno de 1843, e no presente, cujos chapeos
lijlos, por preeo mais commodo, que em OU-1 SC ach.o promptos dos colicortos a tempo infi-
tra qualquer parte; quem pretender, annuncio. nito e os nao vao buscar por osle faz scien-
PUHLIC.u; AO LITTERARI V.
Minerva Hrasileira.
jornal do scieneias, letras e artes, publicado por
nina associacao de litteratos na corte do Rio de
Janeiro.
Snbscrovo-so nesta cidade a dez mil ri.s por
anno, pagos adianindos, na livraria da prac da
independencia n. e 8, onde serao entrefinos os
ns. j.i publicados, c os que forein sahindo.
Avisos martimos.
Para o Aracaty o Cear pretende sabir a 22
do corrento o hiato Olinda, tem o seu carrega-
mento prompto c s recebe voluntes miudos;
tratase com Manuel Joaquim Pedro da Costa na
ra da Cruz n. 51.
mffss^s'ism
Leiles.
Uovitnento do Ikorto
Navio entrado no dia 11.
Ilahia ; 4 das, pauuete inglez Swift, capitao
Danglas: passageiros, Parster, Inglez; Acker
mam Hollandaz.
Navios taidos no mesmo dia.
Rio Grande ; brigue Brasileiro Gmoves ,
ca-
pitao F. J. Prats carga ai
Barcelona ; sumaca llespanhola Aurora ca-
pitn G S JoSo carga algodo.
Maranba>; hyate nacional '. Jos Flor do Alar,
capitSo i.. P. Briiid&O carga varios g-
neros.
\nrio mirado no dia 12.
Halefax; 44 das, brigue inRlcz Velocily. do 111
toneladas capitio James Afllick equipa-
K N. O. Bieher & Cumpanliia farao Icilao,
poi inlervencao do corretor Oliveira e por
conta de quem pertencer, de 50 barricas de fa-
rinha de trigo de superior qualidade : quarta-
feira, 15 do corrente, as 11 horas da manha ,
no armazem por dotraz do llieatro velho.
== I.eil.lo que l'azeiu l.onoir l'uget& C", por
interveneo do conctor Oliveira, de um esplen-
dido soi inoculo de faz.endas franeczas e suissns,
que so bao Iciivclnicnte por todo o proco, a saber : cha-
peos de maca e castor de primaira qualidade,
brins de lindo c algoduo, sedas para vestidos e
coletea, sellos, merino, chales tic. toquin e de
seda, luvas, mantas de setim, papel de peso de
cores, llores artificiaes, felas de algodo para
horneas escobaras, ditas de sedas, litas de re-
troz, vellidos, o una poixo de pechinchas, que
serao ioraliivelinente arrematadas ; terca teira,
14 do corrente, :is 10 horas da uianba, uu seu
ainiazeni da ra da Cruz.
- C) ahaixo assignado participa ao rospei-
tavol publico quo desdo o dia 10 do corrente
mez de Maiodeixou do ser caixeiro do Sr. Jos
Thomaz de Campos (^uaresma. Francisco
1/anoel d>s Santos Lima.
=; Prociza-se alug. r algumas canoas para
areia, quo peguem 800 a 1000 lijlos; quem as
liver dirija-so a ra do Rangel n. 34.
=r O ahaixo assignado, administrador da of-
licinade forreiro.e serralheiro.do F'ra-de-por-
las ra do Uruin n. 7. portenconle ao Sr. Joao
Maria Seve, faz publico a lo los os freguezes da
casa, e mais pessoas, que precisaron! deobras;
assim como tambem aos Srs. propietarios e
consignatarios de embarcaces que na mesma
nfficina se fazem, c concertfio todas, e qu esquer
obra do mais delicado gosto tan lo para torra ,
como martimas, por procoscommodos, eafi-
auea o mesmo administrador a piomptaexe-
cuc0 c beinfoiloria das obras; na mesma of
Reino vendo-so ferro de diHerentes polegadas de
grossura, tanto em varos redondos, como qua-
drados.e em barras. Jos Rernardo Ventura.
A pessoa, que annunciou precizar de um
caixeiro, que tenha pratica de casa de mol ha
dos; diiija-so a ra do Queimado loja de fer-
ragens n. 2.
Arrenda-se um sitio no lugar da Magda-
lena com boa casa do vivenda de podra e cal ,
rom commodos para grande familia casa para
pretos, estribara, com terreno para ter 12 vac-
casde loite e terreno para plantaco baixa
para plantar capim, com algum alvoredo, t urna
grande olaria no mesmo sitio com barro para
toda a qualidade de obra ; quem o pretender ,
dima-so a ra da Praia a fallar com Jos Hvg-
no de Miranda, ou annuncie,
PHI^DtlivrATICA
O 1. secretario avisa aos Srs. socios, que
hoje, pelas 6 '/i horas da tarde, ha sessao extra-
ordinaria da sociedade.
= Aluga-se urna caniVa aborta, quo conduz
400 lijlos de alvenaria grossa e tambem alu-
ga-se um grande soto, com commodos para fa
milia, no lugar dos Coelhos na Boa-vista, junto
a olria do Sr. Miguel Carneiro da Cunha ;
quem o pretender, dirija-se a ruad'Alogria
n. 34.
Sexl^-feira, 10 do corrente, das t para 7
horas da noute perdeo-se 92,>000 rs. em sedulas
sondo urna de 50ji rs 4 de lO rs.. e 2 de 1
rs., c a vista se daro outros signaos: desde o
principio do lado direito da ra do Cabug, in-
te as lilas pessom que se no praso de 8 dias
contados da data deste em dianta os nao frein
buscar perdero os ditos chapeos, esero ven-
didos para ser pago dos concerlos, (cando o an-
DUnciente livre do toda a rcspnnsabilidade.
Lina Sr." de bons eos tu mes se encarrega
da criacao de meninos do peito impedidos e
desimpedidos, e tamben recebo meninos des-
mamados para curar da sua educaco no que
prometi esmerar-so ; quem do seu prestmo se
quiscr utilizar, dirija se ao paleo do Carino n;
2i : na mesma casa vendein-so 4 varas do bico
largo do ramngem para vestido de senbora.
Precisa so de um homem que tenha
pratica dos caminhos do Sul para servir do guia;
a pessoa que estiver nestas circunstancias di-
rija se a ra da Concecflo da Boa vista n. 2.
(v)uem precisar de um caixeiro Porlugno/.
do idado de I i- annos para loja de fa/endas ,
pois sabe bem Icr escrever e contar por
ter j bastante pratica de negocio e afianea-se
a sua conducta ; annuncio por esta falla para
sor procurado.
COLLEGIO DA BOA VISTA.
UVA ATRAZ DA MATRIZ \. 28.
A directora deste collegio participa aos paes,
o correspondentes das snas alumnas que tem
rosolvido mudar a sua residencia para o bairro
de S Antonio, e para cujo fim tem alugado um
excedente sobrado de dous andares o sotao, si-
to na ra do Collegio n. 9, aondo pretende
continuar a recehor meninas pensionistas, meias
pensionistas, e tambem algumas externas.
O collegio ter d'ora em diante o mue do
COLLEGIO DA SANTA JANUARlA.
= E. Schaeffr retira-se para a Europa.
Arrenda-se o segundo andar da casa n.
23, sila na rna larga do lio/ario ; a tratar na
botica de Bartholonico Prancisco de Sousa.
Preci/a-se de urna pessoa hbil para pir-
meiro caixeiro de urna loja, que conservo a sua
escrpluracao em ordem ; annuncie por esta
olba.
Avisos diverso'
D i-so a quantia de oOj rs. a juros sobre
penhores de prata, miro ou firmas a contento,
i em maiores quantias sobro hvpolheea em casas
nesta praca; quem os pretender, dirija-se a ra
dasCruses n. 34 quo se dir quem os di.
Do poder do ahaixo assignado desappa-
lo para o Recfe at a Pracinha dahi pelo la
do esquerdo da ra do Crespo e virando para
a da Cadeia at defronte do theatro e voltan -
do pelas mesmas ras e ra Nova sempro da
parte direita at o fim da ponte da Boa-vista pe-
lo Atierro at a respectiva Matriz; quem os liver
adiado e querendo restituir pode levar a ra
da Gloria n. 73 que ser generosamente re-
compensado.
Respondendo ao annuncio do Bernardi-
no Argemiro Soares transcrito no Diario n.
110 ; declaro ao publico que he verdade nao
ter eu pago por elle 60,j rs., que devia dos alu-
gucis da casa, que Ihe afiancei, no beco do V-
ras,por isso quesua mai foi quem por elle pagou
(como ella o disse), e que nao me ineulqueide
prompto pagador das minhas fiancas, por quan-
lo annunciei para que so me apresontasso acon-
ta do que dito Bernardino devesse para eu pa-
gar; pois que desde o anno passado exijo essa
flanea e nao foi possvel conseguir. Agora
porm recebo um milito civil bilhele do dito
Bernardino. em que me diz, que me acho de-
sonerado da (anca acmpanhando ao dito bi-
lhele um recibo com a declaracao do me ochar
roceo.no dia 10 do corrente, um meio bilhele da
uclual (olera de Nossa Senbora do Uvrainen-1 dosonerado; mas accrescenta dilo Bernardino no I n. 62.
LOTERA PE N. S. DO LIVRAMENT.
Hoje, 13 do carrenle, andao inallivelmen"
le as rodas desta lotera e o resto dos bilhele8
acho-sea venda nos lugares do costume.
No sitio do ahaixo assignado, inspector do
quarteirao da estrada dejoo de Barros, adia-
se urna escrava que diz ser do Sr. Manoel An-
tero do Sousa Res cuja escrava veio offere-
cer-se para eu a comprar, di/endo que nao que-
na ir mais pata o poder do seu senbor por nao
poder solrer mais o rigorose castigo, apresen-
lando as mos todas raxadas de bolos : assim o
dito Sr. sem perda de lempo a venha receber,
do contrario ser recolhida a cadeia, e antes
~uo isto faca nao se rosponsabilisa pela fuga da
mesma. Joao Xepomuceno Ferreiradt Mello
Em casa de Augusto Corbott, ra da Ca-
deia do Recife n. 40, ha emprc para vender um
grande sortimonto oe vinhos engarrafados, Ma-
rJeira, Porto, Cheriz, agurdente de Franga,
e Shrubdas melhoresqualidadesque teem vindo
a este mercado;charutos Regala e Caxoeira vin-
dos polo ultimo vapor da Bahia, tudo por pro-
co muito commodo ; igualmente tem charutos
da Caxoicra em caixinhas de 200 por 1800 rs.
cada urna caixinka.
Manoel Teixera Bacellar avisa aos seus
credores, que.tendo o Tribunal da Relacao re-
vogado a sentenca, que julgou o compromisso
concedido pela maioria. por se nao terem pre-
enchido todas ascondicoesda ordenaga que au-
torisaestasconcordatas, vai entregar os bens que
Ihe roslo e as dividas activas a execuco de todos
os que so habilitaren) na forma da lei, e faz o
presente annuncio para que preparem quanle
antes suas acedes.
Da-se urna porco de calica e lijlos quebra-
dos ; quem quizer dirija-se a ra d'Ortas
1

*
Bf^Hs^lH


*". '-. --

Irr i'11 i" Ii .1 i i da ra !. S. I i ineis-
o, dofiontc .! i < ni ;,i, ii. .'>. siohe,altos cbai-
mis, que sotrcsandarcsc un grande anua-
win ; tjut'iii pi'L'tciidi'i' dirij i-se ao seguudo ani-
dar da me ii
|)-so at um cont de ris a juros em pe-
queas e grandes porgues, com penuores de ou
va mi prata, ou hypothcca; na rita da Praa
ii. I i.
Vlag t-se una casa : rrea naesquina da rna
da Coiiceifo n.47, com dous quartos, duas sa-
las, cosinha fi i, quintal e eacmbaj na ra do
(Jabug, loja de francisco ircki ( haves.
Precisa-se de una inulhi r il idade, capaz
para (azer coinp inhia a una senhora, une h-
bil i lora, trata-sc na ra das Cruz-es no seguudo
andar do sobrado n. 3 I,
Precisa-se de um forn ii i, que safba ocen-
par o seu lugar, as Cinco-po itas n, '
l).i-sr dinhi iro a premio sob pi nbores de
ouro mi prata, li\ potlieen uu boas tirinas, na m i
do Rosario estrella, s gundo andar da casa, on-
de mora o Sr. Dr. Baptista, n. 30.
= Koga-sc aos Srs. crodores do fallecido Joa-
quina los da <-ost i Oliveira, hajao de reunir-sc
mi primeiro andar da 'isa por (iina do tanque,
que foi do mesino, quarta reir 15 do correnle,
as 10lioias da inanliaa, a lim de se Ihes apresen-
lar o respectiva inventario, deliberaren) oque
incllior l'or de sus interesses.
--= Prectsa-sc de tres contos de ris a premio
de mu nuio, garantidos por un predio livre
dentro desta cidade, c no valor deoito ouuiais
contos, isto por tempo de tres anuos ; a quem
eouvier annuncie.
= Oabaiso assienado julga nada dever nesta
praca a pessoa alguma; porni, se alguemse
julgar sen oredor, tenha a bondade de apresen-
lar su.'s -onias ni ra Nova n. 9, loja de .1. Pe-
dro Vdour i C.1 Antonia los Santot arge$,
Mr. Greaddter avisa ao respvtayel publi-
co, e particular mente aos Srs., quelite pedirn
para aunar pianos, que eNc tendo de demorar-
se anda nesta cidade, t odia 20 do correnle,
prope-se aunar com perfeifo iodos os pia-
nos, que Ihc proposerein, e assiste no Rccifc,
ra da Cruz, n. 19, em casa do Sr. Cals Jnior.
Precisa-se de dous contos de res a uros
de un por cento ao niez, portcinpo de un au-
no, pagaudo-se os juros todos os mezes, com so-
gurancaeni um bom sobrado de dous andares
livre desembarazados; queni os quizer dar an-
uuncie.
Precisa-se de um caixeiro para venda, e que
da mesi'na tenha bastante pratica; anuuneie.
A vito importante ao publica.
\eaha de chegar una ponao nova e fresca
daquellasinvaluavcis pilulasda medicina popu-
lar, e as plulas vegetaes americanas, sendo a
composicao deltas inteiramente vegetal, e to
ronhecidas nesta cidade as varias molestias de
ligado, febres., rheumatismo, lombrigas, ul-
ceras, escrfulas-, erisipelas etc.: chcoine-
llior remedio conbecido para purilicar osan-
guc. Itoga-se aos enfermos de provarem este
adamado r. medio : vende-se com sen compe-
tente rcccit&ario em casa do nico agente Joo
l'iller, ra da ouz n. 18; para inaior conimo-
didade dos compradores na ra Nova Guer-
ra .--Iva & C", alieno da oa-visla Salles a
Chaves, ao pceo de lvllil rs. eada eaixinlia.
Existe no engenho \ cente Campello, 're-
guezia da Escuda dous guaraos casianhos de
cangalha, sendo um andrino, que forao apre-
hendidos a um Ilheo de noin Jos Cordeiroque
descubri (jucos linda comprado por diminuto
preco a urna pessoa que os tiuha lunado nessa
praca, ou nos seus nrrchaldcs, qiiem Ihe faltar
diios quartos dirija-se ao iiiesmo engenho a
tallar com o proprietario Manoel Goncalvcs Pe-
eir Lima.
, O agrimensor, abaixo assignado, ofereco
os seus servico* as pessoas que tiverem proprie-
dades demarcar e afianca a mais escrpulo
sa exactido e o maior ze!o no desenipenho da
sua arte ; devendo todos os que do seu presti-
mo se quizerem utlsar,dirgrem-se (porcarta)
ao mesmo abaixo assignado na Rua-direita ,
sobrado n 121.
Joaquim da Fonseca Soares dt Figutiiedo.
Compras
h
= Compra-sc c.Tectivamente nesta Typograu i
pida toda a qualidadu de pannos cortados o- I
vclhos de linbo e algodao toda a especie
de fibra linheza. algodao, de refugo em ra-
ma, papel c papelao vclho.
CoinprSo-se cuVclivamente para fi'ira da
provincia mualas negras, emolcqucsdo 12 a
20 annos, pagan-sc bem ; na ra Nova loja
do lerragens n. 16.
Compra-so a biblia sagrada, traduzda em
vulgar pelo padre Antonio Pcrera em 7 vo-
luir.es ; na Camboa-do-Ca.mo n. 19.
Compra-se urna crrente grssa do bom
ouro sem (cilio; na Camboa-do-Cnrmo n. 19.
('/ mpra-se urna carga de limos bem ma-
duros paga-sebem ; na ra da Alegra n. 84.
landeira ; urna negrnlia e urna mulalinha ,
proprias para mucamas sabendo coser muito
bem, de 12 annos ; um preto de todo o servico;
urna uegra muito reforcada para todo o sor-
vicio por 250,000 rs. ; na ra do Fogo n. 8.
Vonde-sc urna mulatinba de 16 annos ,
bonita figura, cose, engomma, e lava, sem vicios
nem achaques de qualidade algum ; na ra es-
treita do Itozario n. 34.
J. Saporite tcm para vender um sortimen-
to das melhorespedras marmoro do dilTorontes
cores, redondas p8ra mesas de mcio dj sala ,
c oiitras para consolo o tremes, que lhc che-
garo a pouco de Genova, por preco commodo.
Veiide-soa quantia do 400,000 rs. em di-
Vemas
Um rapaz Brasileo que esereve bem e
emt bstanle pralica de pserever senlencas. pro-
cessos e todo papel judicial se offerece a" al-
gumeartorio para o dito lim, prometiendo mui-
ta actividade e preco muito commod'i e es-
ereve mesmo em sua casa ; quem o pretender ,
annuncie.
Corrern-se tolhas tirao-so pssaportes
para dentro o fra do imperio c despachos de
escravos por commodo preco, e brevidade; na
ra do Rangcl n. 34.
Aluga-seo annasein que faz frente para
0 Passcio-publico e a entrada he pela ruu do
Collegjo n. 7; os pretenden tes poder diri-
gir-so a loja da viuva de Alfonso & C.
Aloga-se urna morada do casado um an-
dar com solio o armasem na ra da Lapa n,
lo ; a tratar na ra da Guia n. 46.
Aluga-se um primeiro andar do um so-
brado proprio para grande familia, por ter
bastantes commodos, e por preco rasoavcl; na
ra da Praia de S. Rita n. 37.
Alugo-se 4casinhas sitas no Atlcrro-dos-
Allogados por preco commodo ; a tratar no
mesmo lugar n. 67.
Caetano da Costa Moreira embarca para
fra da provincia osea cscravo, do nomo Va-
lentim.
Aluga-seo segundo andar do sobrado da
ra da Cruz por cima da botica do Antonio
Mara Marques Ferreira ; a tratar na ra da
Cadeia n. 40.
M. S. Mauson, cirurgiao dentista, partici-
pa ao rcspeitavcl publico, que mudou sua re-
sidencia para ra Nova n. _', segundo andar por
cima da loja des Snrs. Joles Colon)biez ^ Com-1
uanhia, onda contina a eiercer a sua profis-
go.
Vende-so urn forte piano, novo, que so es
collieo entre Sclicgados ltimamente de Fran-
ca do muito boas vozes, o mais delicado possi-
vel oin sua construccafi; no Atierro da Boa vista
loja de louca do Udo do Norte
= Vendem-so 32 palmos do terreno da casa
cabida na ra do Caes do Machado, inclusive to-
dos os materiaes cxistonles, alicorees cozinlia,
as duas (rentos que se chao em p ; a tratar
na ra do Quoimado n. 57
^ endo-sc cobre a 3 por cento de premio;
na ra do Torres n. 18. 4
Vcndc-se urna corrente de ouro e urna
vara do cordao fino; na ra do Santa Bita
n. 87.
-- Vende se urna negra de 20 a 22 annos ,
coze, engoma, e cozinba soflrivel : na ra Ve-
llm n. 57.
.--Vcndem-se superiores bengallasde cana de
india,carteiras para algibeira as mais superiores
ricas fitas de selim lavradas, e oulras militas
miudezas por procos mais baratos do que em
nutra quabjuer parto ; na pracinha do I.ivra-
ment n 53, loja de Ferreira & Oliveira.
Yendcm se duas escravasde nacao, de 18
a 20 annos; um dito sem vicios nem aclia pies,
muito fiel ; dous ditos por 740 rs. muito sa-
ilios e nao sao fujoos; dous moleques pecas ,
de nacao, de 15 a 16 annos ; um bonito mula-
tinbodel3 annos; urna parda boa co/.inheira ,
por 3'iOj rs ; uma mucama recolbida do 18
annos; urna escrava crioula, do 15 annos; na
praca da Boa-vista n. 10
Na botica da ra do Bangol vendem-se
os remedios seguintes dos quaes a experien-
cia tem confirmado os mclhores efcitos: den-
tifico, que tcm a propriedado de limpar os don-
tes cariados e restiluir-lhos a cor esmaltada ,
o u mui poucos dias do uso do dito remedio ,
fortifica a gengivas, e tira o mochoiro da boc
ca proveniente nao s da carie, como do tr-
taro, que se uno ao pescoco destes orgaos ; o
remedio be designado pelos ns. 1 e 2. Orchala
purgativa mui til as criancas, o as pessoas de
toda o qualquer idade; be composta de substan-
cias vegetaes, nao conten mercurio, nem dro-
ga alguma, que possa prejudicar. Remedio pa-
ra curar callos, em poucos dias; dito para cu-
rar dores voncrias, antigs, e que tem resistido
ao tratamento geralmentc applicado; dito para
provocar a menslruacao, e a solear a accao do
tero nos partos naturacs em que nao so pro-
cisao las manobras scientificas da arte; dito pa-
ra resolver tumores lymphalicos vulgo gln-
dulas; dito para curar houbas c cravos seceos o
maiseffica qae so conheee ataqai;dito oximel
de ferro, mui til as cbloroses. vulgarmente
chamadas frialdades. O preco de todos estes
remedios he mui rasoavcl e osbons resulta-
dos da sua applioacSo he que dovem fazer a sua
apologa.
Vendo-so nina fornalha do ferro para fo-
gan, que tem 4 becas um braco de balanga
com torrentes um lernode pesos do oito li-
bras al meia quarta ludo proprio para ven-
da ; 4 toalhas de lavarinto, de muito bom gos-
to sendo duas de bretanha de Franca, e duas
de bretanha de linho ; na ra do Padre FIo-
rianno o. 21.
Vende-se uma preta de 20 annos cosi-
nheira, engommadeira, cose, borda de susto
lava c he muito carinhosa para meninos; uma'
dita de 17 annos, de bonita figura, proria pa-
ra todo o servico de casa ; um moleque do 15
ainos de bonita figura; na ra das Cruzes n.
41, segundo andar.
Vonde-se uma escrava moca do bonita
figura sem vicios lava cosinha com uma
cria do 8 para 9 annos ; na ra de flortas so-
brado n. 94.
Vendem-se telhas a 16000 rs. o mlheiro,
lapamento a 6000 rs. c alvenaria a 12000 rs.
ludo de bom barro, e bem cosido; quem preten-
der annuncie.
Vende-se uma escrava de bonita figura,
de 28 anuos sabendo com perfeico engom-
niar, cosinhar o fazor lavarinto; una dita do
24 annos. cosinha, engomma, lava e he qui-
vidas todas nesta praca e documentadas, pela
melado ; na ra do Llvramento, venda o. 24.
Vonde-se um caritnho do dos rodas, com
capote, feito na trra novo, e de muito bom
gosto por proco ras'oavl; na ruadoQueima-
do, loja do ferragens n. 4.
Vende-se uma mulatinba do 11 annos,
coso chano sabe lidar com meninos; defronte
da forca casa terrea pintada de verde de novo,
com janellas do venosianas.
Vende-se espirito de vinho do 36 graos a
1280 a caada eem porcies grandes se dar
mais em conta ; na ra Nova n. 3.
Vende-se uma venda com poucos, ou
nenhuns fundos, e a armncio com seus per-
tcnces ou sem elles, na ra Direita dos A no-
gadas junto a venda da esquina do hoco do
Quiabo bem afreguzada para a trra e para o
matto vende-so a dinheira eo motivo se di-
r ao comprador; a tratar na mesma.
Vende-se por preco commodo 400 ps
do coqueiros em bom estado para serem mu-
dadas lamben) vendem-sc ein pequeas por-
ches sendo todos de boa qualidado na ra da
Gloria ou na ra do Qucimado botica de-
fron te rio beco da Congregacao.
Vendem-se casimiras de quadros do ulti-
mo gosto, brins finos de quadros, chapeos fran-
ceses ditos deso com barra, luvas de pel-
lica para homeme senhora a 800 rs. o par,
imias para meninos u meninas ; na ra do
Queimado n. n.
Vendem-se bonitos cortes de lanzinha com
14 covados o nielo a 3600 rs o corto na ra
da Cadeia do Recifo, loja do Joao da Cunha .Ma-
ga I liaos.
Vende-se um moleque crioulo de 16 an-
uos de bonita figura e bem sadio proprio
para lodo o servico ; na ra Direita padaria n.
129 confronto a torre do Terco.
Vende-se um cavallo do sola com ar-
relos, ou sem elles ; no pateo do Collcgio, ven-
da da esquina defronte da loja de livros.
Vende-se na loja do Bourgard na ra da
Cadeia do Recifo o balsamo hemogenio em
vidros, do autor Podro Garbazz e por elle ro-
mettido do Rio de Janeiro all condecido por
seu;-milagrosos cffeitos ; o autor declara, que
os vidros teem o nome do balsamo c o delle ,
e que os que nao tiverem sao falsos.
_ Vende-se uma casa de dous andares e so-
tao cm chaos proprios na travessa da Ma-
dre do Dos n. 7 tumben) se vende a prazo
co.ivencionando-so.em precojna ra da Cruz n.50
Vende-se uma escrava do 25 anuos, de
nacao Angola cosinha, lava e he vendedei-
ra ; nu ra do Nogueira n. 27.
Vende-se um sobrado de dous andares e
sotao ainda novo, com muitos commodos em
qualquer dos andares, com 32 palmos de fren-
te ; assim como outra de igual frente em ar-
masen), e travojada para primeiro andar; ou-
tra dita tamben) ja travojada com 22 palmos
do frente todas 3 com um grande terreno no
fundo, e com caes de pedra do lado da mur ,
proprios para qualquer ostabelecimento, por
lerem todas as cornmodidades.mormente por ter
embarque a toda hora o ludo so vende em
<"". par ser para pagamento d dividas ; na
ra da Praia de S Rita n. 37, segundo andar.
Vendem-se almanakes administrativos
mercantil!, industriaes do Rio do Janeiro para
o presento anno; cha preto superior ; na ra
da Cruz loja n. 56.
_ Vendem-so lindos cortos de morsolina es-
coceza para vestido, que pelo bem acabado da
fazenda imita soda cassas decores mui linas
lencos do seda de bom gusto para rnao e ou-
tra multas fazendas modernas ; na ra do
Queimado loja n. 17 do Luiz Antonio Perei-
ra.V Companhia.
Vende-se rap do Lisboa do melhor, qUo
ha no mercado, em libras e oitavas, assim como
cha hfssdn ; na ra do Collcgio loja n. 4 de
Menczes Jnior.
= Vendesojacarand superior chegado do
Rio de Janeiro podras de marmore redondos
para mozas de mcio de sala, de muito bom gos-
to ditas para commodas cadeiras america-
nas com assento de palbinha camas de vento
com armocao marque/as sofs mezas de
jantar camas de vento mui bem feitas a 4500,
ditas de pinho a 3500, assim como outros mui-
tos trasi'es ; pinho da Succia com 3 pollegadas
de dito serrado, dito americano do
difjercntcs larguras o comprimentos ; assim
como travs dv'pi'10. o barrotes ; na ra de
Florentina em casa de J. Beranger.
EscravOS fgidos.
Vendem-so taixas de ferro balido o coado,
travesdomadeiro superior ; um negro de An-
gola, bom trabalhador; na ra do Vigario n. 3.
Vendem-se dous moleques de nacao, de
15 annos ; 3escravos de 24 annos, de nacao
com bonitas figuras ; 5 escravas do nacao, corr
varias habilidades as quaes so do acontento
na ra Direita n. 3, defronte do beco de S Pe-
dro.
Vendem-se 4 moradas de casas de pedra e
cal sitas em S. Antao, boje cidado da Victo-
ria, as quaes sao muito modernas, e bem cons-
truidas por serem feitas a dous annos e sao
talvez as melhores casas, que teem naquella ci-
dade ; assim com tambem setroco por nutras
nesta cidade ou pur escravos; na ra do Cres-
po n. 12, loja de Jos Joaquim da Silva Maia.
Vende-se uma canoa de carreira aberla,
que pega du 10 a 12 pessoas, nova e bom pin-
tada ; no Alterro-da-Boa-vista n. 54.
Vende-sr, um violo, com melhodo de
Carulli por preco commodo ; na ra do Ran-
gel n. 50.
Vende-se uma parte de uma casa terrea ,
na ra do Arago n. 17 ; a tratar na ra da 8.
Cruz.
Vende-se uma obra de Virgilio nova e
um compendio de philosophia por Geru ei
encadernado, tuno por muito menos preco'
do que se vende as lujas do livros; na ra No-
va o. 38
Fugio de bordo do patacho Aurora oes-
cravo Antonio baixo, relort/"10; com orelha
esquerda corlada na parte inh.'nor bastante la-
dino levou camisa e calcas a zues quem o
pegar, leve ao mesmi/ patacho u a ra da
Cruz casa n. 45, a NascimontoSch *ttw 9{ C,
que ser gratificado.
No dia 15 do passado fugio do i'Uo das
Roseiras, do major Joaquim Elias do Mi.'l)ra ,
um seu cscravo crioulo de nome Silvai.0 ,
ntestre pedreiro de 30 annos pouco mais, o u
menos, do estatura regular, secco do corpa,
bem preto. do bonita pbisinomia, olhos vivos ,
suissas finas, e compridas, com falta de alauns
denles, quando falla d um goito na bocea,
peitos cabelludos, bastante canhoto quasi to-
do o seu servico he com a rnao esquerda com
a qual toca viola, pernas finas, tem uma cica-
triz no peito do pede uma ferida antiga; quem
o pegar, leve ao sitio a cima, quesera recom-
pensado.
Fugio no dia 6 do corrente uma preta de
nome Catiiarina de nacao Calabar, alta, cor
preta, secca do corpo levou vostido de chita
azul com flores amarellas uanno da Corta com
istras rouxas ; quema pegar, leve a ruada
Assumpcau n. 60 ao p do beco dos Acougui-
i.hos.
No dia 22 do abril do corrento anno fugio
do sitio dos Tanques, d Istricto de Alago-gran-
de coinaica do Rrejo de Arela um escravo
de nome Antonio do gento de Angola-, de 30
o 40 anuos, alto, secco em proporco desden-
tado na fronte ps pequonos nao he mal pu-
recido tem as nadegas cicatrizadas do roldo ;
levou um sacco de o.urodo ovelha em cabello ,
uma rede com varandas Icncol de la 5 ca-
misas, 4 ceroulas, duas calcas e jaquetas,
chapeo fino e urna espingarda ; quem o pa-
gar, levo ao mesmo lugar\ que receber de
Manoel Marlins Casado a graliflcaco de 50^
rs. ou ma conforme a longitude aoude for
pegado.
No dia 9 de abril do corrente anno fugio
do sitio denominado Tanque do Vieira__
comarca do Limoeiro, um preto de nome Mar-
cos crioulo, muito baixo, grosso, espadado ,
pouca barba, com uma baixa do lado esqurdo,
j na mesma barba, pernas grossjs, o com marcas,
tem os dedos pequeos dos ps aparados e sem
nnhas o s perfeilos os dedos grandes, repre-
senta mais de 30 annos; quem o pegar, leve ao
dito sitio asen S!r, Joo Sacerdote de Uveira,
que recompensar.
No dia 10 do corrente pelas 10 horas da
manhaa fugio um preto de nomo Sebastin, bai-
xo grosso do corpo, com uma cicatriz na per-
na esquerda, com dous dedos de monos no mes-
mo de 30 annos ; levou camisa e ceroulas do
algodaosinho ainda a pouco veio do outra f-
gida costuma a ir para as partes do Arraial
onde em um sitio trabalhuva ; quem o pegar,'
lovo a ra da Coocelco da Boa-vista sob.ad
i- 14, que ser gratificado
Roga-se as autoridades policiaes de'Pon-
la-de-pedras a apprehenco de um pardo do
nome Antonio Rorno o qual he escravo de
Bernardo da Silva Guimares.morador nosQua-
tro-Cantos da Cidado do Olinda o qual escra-
vo consta que existo naquella lugar com casa
alugada em companhia do uma preta do no-
meMariajo pardo he baixo.grosso.pouca barba,
tanto elle como a preta sao muito espe tos e
he provavel so chamem forros, e aclio-se f-
ra da casa de seu snr., desde o dia 27 do abril,
tendo saludo para vender meudezas; e roaa-so
appienoncao com os ubjectos que elle tem em
sou poder.
No dia 10 do corrente fugio um nearo de
nacao Cacango do 40 annos. do boa altura,
secco do corpo, corn principio do calvo de
nome Joao. pernasfluaa, ps seceos ;levou cami-
sa de chita e ceroulas de algodo, o outra ca-
misai dfli baetfl azul po. cima chapeo de palha
oleado de preto ; qoem o pegar, leve a ra de
A.-uas-verdes sobran., n. 70 que racen
10,000 rs. de gratificado,
Ikcifb na Tip. di m, f, m f,a_844
MELHOR EXE


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6UYTY3NG_POJW9P INGEST_TIME 2013-03-25T15:40:39Z PACKAGE AA00011611_00105
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES