Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00082


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I 1


' '"
r '
h
N. 106
>?????*
I A RIO DE PERNA3IBUCO.
Hoje Sexta Feira 18 de Mao de 1827.

S. Venancio M.
.
.

Preamar as W horas e 30 minutos da manha.
(Continuado de N. antecedente.)


- \
8
J^E o abaixo assignado e*>t bera in-
formado, nao ha lium so acto do Go-
verno dos Estados Unidos, que possa,
no ponto de vista em que o Governo
de Sua Magestade considerou o objec-
to, ser considerado como nao enchen-
do a condicao contemplada pelo Acto
do Parlamento de 5 de Julh de 1827,
por nao por o Commercio, e Navega-
cao da Gr Bretanha, e das suas pos-
sesses exteriores, no pe da Nacao ma-
is favorecida, excepto somente a con-
tinuabas do direito distinctivo (2) de
(2) Discriminating duteis. Debaixo
desta denominaca se comprehendem
os extra-duteis impostos pelo Acto de
20 de Julho de 1790 ( 30 cent, por to-
nelada para os Navios construhidos
nos Estados Unidos, mas perte.ncendo
em todo ou em parte a Subditos de hu-
ma Potencia Estrangeira, e 50 para
qualquer outro ) e o direito addico-
nal de 10 por cento sobre todos os di-
reitos que paga os gneros importa
dos em embarcares Americanas quan-
do sao importados em Navios Estran-
geiros, Direitos distinctivos he ainda
a versao de SchefTer. Todava parece
pelo contexto cima, que os direitos
tonelage de noventa e quatro centesi-
ii.os por tonelada sobre embarcares
Inglezas, e da addicad de dez por cen-
to sobre os direitos ordinarios carrega-
dos sobre gneros importados em em-
barcaces Inglezas entradas nos portos
dos Estados Unidos das Colonias In-
glezas. Ambas as medidas abracadas
pela ordem em Conselho, os direitos
da reciprocidade, e a descontinuaca
da communicaea, se funda em hum,
e o mesmo facto a continuacao dos
direitos de differenca dos Estados Uni-
dos. E o direito de reciprocidade alli
julgado equivalente, que pela Ordem
em Conselho foi imposto sobre embar-
cares Americanas que entra nos Por-
tos das Colonias Inglezas, era somen-
te su luciente a pdr as Embarcacoes In-
glezas, e Americanas, empregadas no
g negocio entre aquellas Colonias, e os
g Estados Unidos, no p da mais perfei-
ta igualdade.
Na5 pertence ao abaixo assignado
questionar sobre a poltica das med-.
o
o
o
o
0
o
o
O
O
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
8
c
o

o
a
o
o
o
o
o
distinctvos neste lugar equivalem aos
extra-duties, augmentados por Actos
posteriores ao Escritor, que temos em
vista, cujas noticias se limitaao anuo
de 1816; por quanto os direitos addi-
cionaes sao expressamente menciona-
dos ua f ontinuaca do mesmo periodo.
/,.-/'





( 426 )

das, que a Gra Bretanha julgou con-
veniente adoptar a respeito do Corn-
mercio com as suas Colonias.
Somente infere dos Actos de Parla-
mentos passados a aquelle respeito
nos ltimos quatro armos, que a com-
municaca entre os Estados Unidos, e
as Colonias lnglezas as Indias Occi-
dentaes, America Meridional, e ou-
tras praas, na extensao considerada
por aquelles Actos, he considerada
pelo Governo de Sua Magestade como
de proveito para aquellas Colonias, e
para o Imperio Britannico ein geral.
Com esta convicca, e removida a
nica desigualdade, que se suppoe e-
xistir pelos direitos de reciprocidade ;
o abaixo assignado na5 podia dcsco-
brir o motivo para se prohibir inteira^
mente depois de breve tcmpo, pelo
que respeita as possessoes lnglezas as
ludias Occidentaes, America Meridio-
nal, e varios outros lugares, hum com-
mercio proveitoso a ambas as partes,
e que em conformidade com o Acto do
Parlamento podia, se se julgasse con-
veniente, tersido continuado indefi-
nidamente com aquellas Colonias, da
mesma maneira que se fez acerca das
possessoes lnglezas da America Sep-
tentrional.
Portanto nao podendo absoluta-
mente assignar causa para a contem-
plada suspensa do Commercio em
questao, o abaixo assignado reca
que, pela mesma razao que o objecto
em vista nao poder ser entendido, elle
seja mal interpretado.
Nao tendo instruccao sobre hum
contingente que na5 era previsto, p5-
de ncsta occasia expressar somente o
seu pezarque huma medida que ua5
pode-ser vista favoravelmente pelo seu
Governo, houvesse sido adoptada no
momento em que elle estava authori-
sado a renovar as negociaces sobre
aquello objecto, e com a bem fundada
esperanca, pelo teor liberal de suas
in6truc9es de que se concluisse hum
ajuste fundado nos principios de m-
tua conveniencia para ambas as par-
o He bem sabido que a demora a-
o quelle respeito Jfoi devida a causas que
o-nao estavao ao alcance dos Estados
o Unidos, principalmente ao estado de
saude de Mr. King, que ltimamente
os privou de seus servidos.
As razes da marcada differenc.a
g dada pelo Governo dos Estados Unidos
g a hum arranjo de tratado em vez de
regulacoes adoptadas por ambos os
paizes, sao suficientemente obvias.
He rrfuito importante a todas as partes
interessadas, esseneial para aseguran-
9a de opera$5es commerciaes 011 agri-
culturaes, que o commercio se pozes-
se em hum p mais permanente, e ex-
plcito, do que o pode ser por leis re-
ciprocas, sujeias a serem modificadas,
ou revogadas a todo otempo, ao arbi-
trio de huma das partes, e nem sem-
nre entendida fcilmente por aquelles,
o a quem diz respeito. E os obstculos,
c que ten embarazado os Estados Uni-
0 dos de acceitarein o commercio con-
templado pelo Acto de Parlamento
que somonte se podia fazer i 11 toto, e
condescendendo com termos sobre que
nao tinba sido consultados, cre-se
que fcilmente se podem remover por
modificaces essenciaes a elles, e que
nao se julgao htcompativeis com o in-
teresseda Gra Bretanha.
O abaixo assiguado lar^iu os o-
Ihos somente sobre- o theor geral da
Ordem em Conselho, e nad julga ne-
cessario reflectir sobre alguma das su-
o as particularidades. Ci que a ommis-
saS de huuia menc,a5 especual do com-
mercio das Provincias lnglezas as In-
dias Orientaes, na clausula que faz es-
pecial excepcao pelo que respeita ao
mesmo commercio com as possessoes
lnglezas na-Europa, he puramente
accidental. E presume que nao seper-
tende estendet os direitos de reciproci-
dade ao commercio por trra ou nave-
ga$a interior, entre os Estados Un-
dos e as possessoes lnglezas na Ar
c
c
o
o
o
c
o
c
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
c
c
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
c
o
o

c
z
o
o
c
o
o
9
o
-p


427)
rica Septentrional, se se acba, como
ass'Mita o abaixo asignado, que os di-
reitos de compensado dos Estados U-
nidos nao se applicao a aquelte com-
mercio.
O abaixo assignado aproveita esta
occasia de rogar a Mr. Canning que
aeceita os protestos da sua perfeita
consideracao.
Alberto Gallat'm.
Ao R. H. G. Canning &c.







Sr. Redactor.
o
o
o
o
c
o
o
o
o
c
o
o
c
o
o
o
*>
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
c
o
c
o
o
o
o
c
c
o
o
o
o
o
o
Havendo-me o Capita Sebastia
da Rocha Dumanak movido huma ac-
et de forca e esbulho sobre hum pre-
dio que possuo no lugar da Solidado
obtive contra elle Sentenca pelo Juiz
de Korad'estaCidade, Escriva Cunha;
de qne appeltando o dito Capita para o
o Tribunal da Reh^a respectiva, es- g
tava eu certa de seguir este recurso,
quando no dia8 do crrente maio me
cntrou em caza hum sugeito com dous
calombos no rosto, dizendo me que
hia da parte do Escriva lavrar a mi-
nha Apudacta para a juntar a os autos
edando lhe eu 640 rs. escreveo rile
hum papel em que eu me assignei sem
o 1er na boa f de ser a Apudacta ; e
mandando eu depois a caza do escri-
va saber d'este negocio respomleo el-
le, que tal homein natinha mandado,
nem conhecia Enta fiquei persuadi-
da que o subjeito dos calombos he sem
duvida algum inviado do Capita Du-
mauak, queme foi pregar hum dos se-
us calombos, ou calos, e em lugar da
Apudacta'ser escripia a miaba de-,
sistenciaou outro contracto que sirva
ao bem daquelle ieu contendor; e
para prevenir semelhante entrega lhe
rogo queira mcirir no seu Diario estas
duas regras, de cujo favor lhe ser e-
ternamente agradecida
Sua reverente Criada
Florinda Mara de Jezus.
o
o
o
c
C
c
0
c
c
c
o
c
c
o
o
o
o
o
c
c
c
o
c
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
o

Compras.
1 Quem quizervender,oualugar hu-
ma escrava em estado de criar huma
criai^a, dirija se a ra doTrapixe caza
N. 9. Alguma mulher forra, que
telinabom leitee queira criar poder
tabem dirigir se a dita caza.
Vendas.
2 Na ra da Cadeia Bairro do Recife
Lo je N. 26 ha de venda, os Quader-
nos intitulados Reprezentaca aas-
semblea geral constituinte e legislati-
va do Imperio do Brazil sobreaEscra-
vatura por Joze Bonifacio d'Andrade e
Silva Deputado a dita assemblea por
preco de 610 rs. A Historia do Brazil
a mais moderna, por Deziderio Mar-
ques Lea em II volumespor 10#000
r. A Pauta das avaliacoes de todas
as mercadorias que se importaao Im-
perio do Brazil por 4$K*> rs. Eoutros
muitos Livros l'ortuguezes, Latinos,
lnglezes, e Francezes, entre estes al-
guns de Direito, tudo isto ckegado
prximamente de Lisboa.
3 Quem quizer comprar huma cama
de Jacaranda embutida e feita em Lis-
boa falecotn Beruardino de Sena Lu-
na que sabe quem tem para vender
por preijo cmodo.
4 Quem quizer comprar huma Botica
jaestabelecida, com alguma freguezia,
nos Affogados, dirija-se a mesma, que
achara com quem ajustar ; he cmodo
pre9o, e o dono paga o carreto se a qui-
zerem mudar para o Recife,
5 Vndese huma morada de caza ter-
na na Boa vista no lugar da Estancia
bem repartida junto a Igreja com o
fundo para o Citio da esquerda e forei-
ras a mesura Igreja, quem apertender
comprar dirjase a pra9a da Boa vista
a fallar com a viuva do Coronel que foi
dos Henriques, Joaquim Ramos de Al,
meida que com ella tratar seu negoco.
6 Quem quizer comprar huma mola-
ta de idade 22 a 23 annos de muitos
bons costumes, custureira, borda mui-



428 )
I
to bem, engoma sofrivel, cozinha, e
sem vicio algum dirija-se a venda de
Joze Lourenco na ra Direita queahi
adiar com quem ajustar.
J7 Quem quizer comprar barricas de
cevada, dirjanse a venda defronte do
beco largo na ra da Cadeia do Reci-
feN. 12.
8 Quem quizer comprar hum escravo
de nome Domingos, canoeiro, e milito
bom remador de Lauxa; que se vende
por perciza, de idade de 20 a 22 an-
nos falle a Joze Francisco Ramos mo-
rador na quina do beco o Vaiadario
em Fora de portas que se ajustar.
Arrendamentos.
9 Quem quizer arrendar huma caza
na Cidade de Olinda, com quintal mu-
rado, e com diverjas arvores, e hum
viveiro de peixe, dirija-se a ra de Fo-
ra de portas caza N. 9 26, para tratar
do seu ajuste.
Fgidas de Esc r a vos.
10 No da 12 do corren te pelas 6 ho-
ras da tarde dezapareceo huma negra
nova de nacao Calm, com os signacs
seguintes marca 8 no peito direito
dentes limados humaferida as Costas
e tras tanga de riscadinho a zul, qual
quer pessoa que a descobri a far con-
duzir arua d'Alfandega velha N. 5
aue se lhe recompeucar o seu traba-
lno.
11 No dia 1 do corrente fugio hum
preto por nome Antonio mas os pare-
ceiros que o conhecem o tralao por Ma-
noel de Naca Banguela com os sig-
naes seguintes, alto, rosto comprido,
com huma cotiladaem hum dos pulios,
o cujo preto he cnnoeiro, qualquerCa-
pita de Campo o podcr pegar e le-
vallo a seu Sr. que he Custodio Do*
mingos Codeceira, morador na ra do
Mundo novo no Recife.

o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
chegado prximamente das Ilhas, per-
tende seguir viagem para as Ilhas dos
Assoures por todo o prezente mez de
Maio, quem nelle quizer carregar, ou
hir de passage dirija-se emcaza deJo-
aquim Pereira da Cunha a falar com o .
Capita Manoel Joaijuim Vieira.
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
c
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
Avizos Particulares.

VlAGENS.
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
13 A Companhia Cmica arrematante
do Theatro Nacional desta Praca faz
scieute a todos os herdeiros que esti-
verern aiheios dos maevoios intentos
do actual Emprezario Joaquim Joze
Nunesde Carvalho que elle mandou
intimar ao Padre ceg Gpndim, e a du-
as Senhoras queignora o seu direito,
pelo sen Partidario em fraude, e des-
mazello Miguel Joze Maria Lobo pa-
ra em nome do IJl.mo Sr. Prezidente as-
signarem hum requerimentoContradi-
zendo aquilio mesmo que a raza, e o
bem de seu direito lhes fez assignar,
quando requererao que foce em Praca
o mesmo Theatro a quem mais der, o
que assim se executou em consequen-
cia do Respeitavel Despacho do mu
recto, e digno Dezembargador Tho-
maz Antonio Maciel Monteiro; vistQ
que este he o tempo prescripto em que
o dito Theatro se costuma arrematar,
em utilidade dos msenos herdeiros ; o
que a Companhia Cmica arrematante
faz sciente a todos os interesados para
estarem de sobre acord contra os en-
gaos dos sobreditos impostores, Re-
cife 18 de Maio de 1127. assignados
Francisco de Freitas Gamboa,
Alberto Ventura Dias,
Joa5 Joze Lopes Avite Lipert,
Maria Eliza Wright,
Felismina Barboza de Oliveira,
Antonio Lopes Ribeiro,
Joanna Maria Angelina,
12 O Brigue Portuguez Principe Real Jze Rodrguez de Miranda.
fc3* PERNAMBUCO NA TYP. DO DIARIO RA DIREITA tf *267. <3


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EK3J0SBCP_6W9588 INGEST_TIME 2013-03-25T15:19:14Z PACKAGE AA00011611_00082
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES