Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00059


This item is only available as the following downloads:


Full Text


D IA[R 10 DE PERNAMBU
C%
F.
-
Hje Quinta Feira 19 de Abril de 1827.
ess=



S: Hermogenes M.

I

Preamar as 11 horas 18 minutos da manna,
(* IVHHIHI W
i.JJ
'
HESPANHA.

L
2
JAgrimas, tormentos, vexaces,
lastimas, e miserias de toda a especie,
be o Sumario que podemos dar, dos
acontecimentos actuaes da Hespanha :
parece nao poder subir a mais o cumu-
lo dos males presentes, e toda va a-
inda maiores se arreceaS se vai por di-
ante o brbaro systema que hoje gc-
verna a Hespanha, nunca se ha visto
nos factos da sua historia huma Corte,
como a de hoje: em tempo de Jo5
% a Corte foi corrompida com um
Rei Sibarita, o qual s tinha energa
para os prazeres afeminados, quema-
tao o espirito, derrotando o Coracao:
em tempo de Felippe2. alnquisicao o
dobrou seus horrores, com hum Rei o
sanguinario, que se pode dzer o Ti-
berio da Hespanha ; e por isso a admi-
nistracao foi cruel e violenta; no rei-
nado de Carlos 2. a Corte, e adrr.-
nistraca5 foi insignificante, porque o
Rei era fraco, estupido, e nullo; po-
rem que comparado podem ter todas
aquellas epochas com o estado actual
da Hespanha? Nos tcmpos de Joao
2. havia huma delicadeza, que nas-
ce do luxo polido ; e nao havia crucl-
tade, nern superstiea ; com Felippe
2. havia onU-m regularidade cccuc-
o
o
o
o
o
o
5
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o

o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
3
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
ma, forca no Governo, e era o povo
temido das outras Nacoes: em fim com
Carlos 2. ao menos havia paz interi-
or; e nao se viao as tceles internas,
que espedac^o agora a Hespanha por
as mas dos msmos Hespannoes ; pp-
rem heje nao ha sombras daquelles
bens, e todos os males d'aquelles tem-
pos, eoutros de novo sao entornados
as ma6s cheias por macs de Frades,
Inquisidores Apostlicos, que sa5 os
melhores conselhos de Fernando, ou
do novo ero da malfadada Hespa-
nha:
( O Portiiffucz )
Sr: Redactor.
.

Li no seu Diario N. 81 de 14 do
corrente hum apontoado de rodiihas
copiado do Journal dos Debis no Ti-
mes, e deste traduzdo para o seu Di-
ario. Nao posso deixar passar tantas
inepcias sem fazer sobre ellas algumas
pequeas observac^es. Dis o. tal Re-
dactor do Journal dos Debats: O
dia 4 de Novembro foi designado para
esta solemnidade por ser o dia natali-
cio da Rainha de Portugal D. Carlota,
a quem o Doutor Francia da o Titulo
de Augusta Protectora do Paraguay "'

t-*"
"


--
(332)
o
o
o
Ora exaqw Sr. Redactor o que he es-
tar ao taclo dia natalicio di Augus- g
ta Protectora do Paraguay. Se o Re- i
daetor do Journal des Debata se desse g
o trabalho de-'ler qualquer folliiuhatig
Portugueza, veria que o dia natalicio
da Sr*. D. Carlota he a 25 de Abril e
nao 4 de Novembro, como elle nos
quer impingtr. Todo o inundo sabe
qu o Journal dos Debats he hum Pe-
ridico Apostlico, eJezuitico, e por
isso nao nos devenios admirar do quan-
to elle avanza de atrevido, e mentiro-
so nao s a respeito da Constit ni cao
dada por S. M. 1. aos Portuguezes,
como das sonhadas intrigas manejadas
com a Corte de Madrid por meio dos
Iuglezes. He corn tudo admiravel ver
o Redactor do Journal dos Debats ser-
vir-se do invezivel Coininandaute da
son liada Csquadra do Paraguay para
insultar, e menoscabar com tanta im-
pudencia, e grossaria as acedes de S.
M. I e de mais a mais abocanhar as
Leis fundamentaos da Monarqua Por*
tugueza, que elle diz garantirem a
llaiuha a Regencia do Reino. Semi-.
lbantes palatifrorios s podem inganar
os tolos, ou aquelles que nao sabem o
bello espirito de que he animado o tal
Redactor Francez, fiel nrga da Ser
issima Junta Apostlica.

Sou Sr. Redactor
Scu attento venerador e criado
O Amigo da verdade.
.
Variedades.
.





Em hum discurso dirigido a Luis
18 por Carnet se l* o segu ate :
Na5 tem havido Rei por mais Ion-
vado e estimado que toase, que mere-
ja comparar se a hum Epaminondas, a
Pericles, a Themistocles a Marco Cu-
tio, ou a Amilcar Barca.
o
o
o
o
3
O
o
o
o
o

o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
O
O
o
o
o
s
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
c
o
c
c
o
o
o
z>
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
c
o
o
o
o
o
w


G
Q
o
o
Vede na Biblia o livro dos Res, e
principalmente o que perteuce aos pro-
phetas Samuel e J ah.
Cuotaine ser obrigado a fazer estas
citac,6es; mas ern iim he necessaria
mostrar a estes Senhores, que a nos-
sa justiticaca est nos seus Irnos e a
sua em parte n en huma. Sempre os
Padres cuidarao em se aproveitar da
credulidadedospovos, para oprimiros ^
Res. Porque uinilhaces nao tem os
Papas feito passar todas as testas Co-
roadas? Como nao se indigna todo o
sangue dos Bourbons, lembrando-se
da penitencia afroutoza; que a Henri-
que infligi o Bispo de Roma? Ha
huma historia mais escaudaloza a to-
dos os respeitos do que a dos Vigarios
de Jezus Cliristo ? Quautas guerras
de Religia por elles acceudidas! Nao
he a el les, que se devein as Cruzadas,
elnquisica e o S. Bartholomeo? Na5
era5 os Padres que at cavad no pulpito
os furores da liga ? Nao sao el les que
metera Jacob Clemente, aasassiiio de
Henrique 3. c no N. dos Santos?
Nao Uo a Sorboua, esse tribunal The-
ologo, que primeiro proscreveo o gran-
de, e im mortal Henrique IV ? Em tim
nao se enconira os Horneados Frade?,
e dos Jezuitas em todas as conjuraces;
contra os Soberanos ? O fanatismo, 6
a hypocresia tem feito derramar mais
sangue sobre a trra, do que as guer-
ras polticas todas juntas. A cazo he
de maravilliar que estes tartufos, ou
madrassos, seja ta contrarios a quera
pode desmascarar suas horrendas tor-
pezas, e tirar os povos da estupidez e
ignorancia, em que elles muito de
propozito os conservan ? Julgai ( di-
zem elles ) pela passada revoluca, a-
valiai por ella os efeitos desta orgu-
I liosa philesophia, que se oppoem a
Religia. Nos podemos responder-
Ibes: Julgai pela revoluca a avareza
Sacerdotal, que antes h querido co-
inetter lautos criraes, do que vir era
socorro do Estado, A sa philosophia
nunca fui opposta a (a Religia; mas

pmmmmm


(333)
t
os mos 'Sacerdotes sao" iftlfthfos de | para tintar do seu ajuste.
ie, e di-
l .
o
o-
i
f)
o
o
4,o Veiide-ae humtescrava criolla, com
icldie tle Z anuospouco mal*, ou me-
ns :T sane engomar, cozioha sorivel,
e .4ava kitim roupa, quein a perteuder
comprar unija^se a tuticj u ra do
Rozara) .!? 140, que achara coui
quein traiar. ,
o VeuC'se por preo mdico hum
1( ort construido na A lemauha e de bom auc-
tor, quem e quizer comprar dirija-se a
Luiz ines Ferreira & Mansieid.
7 Vende-se. o Engenho denominado
Lama^ar, distante* iegoas para o Nor-
te.da-Vtlla de cuauna; moente^eoor-,
rente, sem esclavatura: quem ofper-
tender, dirija-se a Loja junto a Guarda
da Cadeia, que l lhe dira quem o
perteude vender.
_ ^eila.
,8 Que se hade iazer no da Sexta fei-
.me Sr. Redactor; quem tem | r* ^ do coi reo le pelas II horas da lita*
habito de Cbristo, na5 sendo porem o >ha no Armazem de Sanios de liuuia porca de Tabaco de
a nSas; etls so ((aere.n san0
nheiro.
Hurn estrangeiro pouco pratico na
Ifugua Portugueza, ouvindo rmchar g
1 mi cavallo perguntou em sua meia g
Inicua de quem era aquelle cavallo:
qual cavallj perguntou huma pessoa
presente, aquelle que se rio agora
aqullo nao se chama rir, chama-se
liuCiVar, dase o entro. Ae meio da; g
ouvindo o estrangeiro cantar hum gal-> $
lo, (icou milito admirado, epergnu- g
tou, he costume nesta tetra riucliarem '..
os gallos ao meio da ? c
o
*_
i
PERGUNTA. ^Q |
Diara*
pop
professo, tabem se pode armar de Ca-
vad e i ro ?
WZtl
Compras. '*
1 Quem ti ver para vender huma caza
terria nos Burros de S. Antonio ou
Boa vista com os cmodos seguiutes
huma salla na trente e utr da parte
de detraz coin ditas ou tres camaunlias
Cuznha tora e quintal sofrivel anuncie
por este Diario.
Vendas.
2 Quem quizer comprar huma Negra
vendedeirade muito bom genio, esem
vicios, tale no Botcquim da ra das
Cruzes N. li)7 para tratar do seu
pteco.
3 Quem quizer comprar huma venda
co o alguin sortiinento dirija sea Rna
Direita D.49 que poder ajustar coin
consentimento do'douo da caza.
fr4 Quem quizer comprar huma escra-
va Naca Ca$ange, de idade de 15 a
16 minos dirija-se a Fora Portas da
parte do mar grande caza N. 174
!
'
fumo.
Alugueis. .i,
j\9 Qualquer peaaoa, que tiver 3 oii 4r
esclavos que saiba trabalhar emagri-
o cultura, e os quenaalugar para traba-
1 harem em hum Citio na Cidade de O-
l.mda, por mes, ou por semana, anun-
cie por este Diario para ser procurado,
e. se tratar do ajuste.
A liKLM)AMENTOS.
10 Arrenda-bc hum Cilio na estrada
quevaidaSolidadeparaoMariguinho,
que oi do Marechal Joze Roberto;
quem o quizer arrendar fale com Joa-
qunn Estanislao da Silva Gusmad.
o
o
o
o
o
c
c
o
o
o
o
c
o
o

o
c
o
o
o
o
o

Furtos.
.. :
11 Na noite do dial docorrente mez
turtara da Cruz dAlinas do Citio de
Manoel Joze de Souza Braga hum ca-
valio ruco pedrs bemgordo com hurri
gallo detras da orelha direita, e alem
dos trros que tem no quarto tem na
fqueixada direita o ferro seguinte 3C
I quem delle der noticia ou o trocer a
o co dono no (nesmo Citio ou na ra
.'



(SS4)
f
iv
dos Quart.i. sobrad D 7, refer | mandr vir .los Pair.es estrangeiroa,;
das quaes offereceao servio co respei-
% tavel Publico o offici de defunctos a
2 nouco composto dor Joze Mana Be-
nesmo
suas "alvinas. :\
Amas BBltH*. ... 5 "0^npoSto.dor Joze Mar.
12 Preciza-se de dnas Amas de Leite g P 1 ea Missa do i
paro hire.n criar na caa pa dos Ex- g "J!"2 Mozart insicas estas
,oS mil res por mez a cada huma sendo .- g ^^SH de melhor gosto, e de ma-
dres, e^]o eslavas pelo prejojte ^3^^
aparecido, S nunca vistas neste Faiz, o
que luido faz o abaixo assgnado para
satisfaca dos que o procurao, a quem
___^,nt^ ^-Si-A bpii rost.iimadn
disvellQ. ni i ,
JoaquimJSernardo Mendonca

se aj'ustar com seos Srs. : que sej. |
limpas, e tenba5 abundancia de born |
leite. Quem quizer a sso prestarse
pode fallar ao procurador na mesia o
caza dos Expostos.
Avizos Piwnci'tAmES. a
13 Mr. Uhigas tema honra de avizar ,
ao Respeitavel Publico desta Cidade, g,
que Domingo 22 do cerrerit fa* a'su* .
ultima representacao destinada a seu
Beneficio.
14 Pela Adimnistracao doCorreio Ge-
ral desta Cidade, se fas Publico que
parte deste Porto para o de Angola no g
dia ^1 docorrente o Brigue P. Rial
Jlibiio Pinto.

o
o
O
de que he Capitao Joze Frnsndes O-
KveU asCarWraJansadasna Ca- | ^SS^^^SSStSSS^
xaGeral at as 6 horas da tarde do da f 2T vESk Faisca, M, Joze dos
NOTICIAS MARTIMAS.
ENTRADAS.
jLflA 14 docorrente Rio Formo-
zo; 18 horas; -S. Felecidade, M. Car-
los Leocadio Vieira, equip. 13; carga
caixs de assucar, a Antonio Marques
o
o
O
o
antecedente.
15 O < abaixo assignado Professor de
Msica nesta Cidade faz certa ao Res-
peitavel Publico, que tem acabado de g
compor a muzica de huma Missa con-
certante, com sollos de vozes, e instru-
mental obligados, arwnjada a imta-
ca, e gosto dos excelentes pencamen-
tos deRossiue, ornis moderno e a-
gradavel Compositor de nossos das:
e est bem persuadido, de que est
compozicao nao agradar menos, do
que a que den ao mcsmo respeitavel
Publico o anuo prximo passado. O
abaixo assignado sempre reconhecido
a ohonrozo, e grato acolhimento, com
que a gente de bom gosto desta Cida-
de atiende a suas Msicas, nao cessa
de procurar fazellas mais brilhantes,
tanto com suas novas compozic^es, co-
mo com receitas, que tem o cuidado de
o
c
o
c
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o

o
i
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
44 dias ; Pataxo Faisca, M, Joze dos
Santos Lessa, equip. 10, carga carne
seca ao mesmo JV1.
Dia 15, e 16, Nenliuma Entrad*.
Dial7.-r-Coryeta.de Querr Ing.
Heron, vinda do Rio de Janeiro, pela
Bahia em 17 dias, e da Babia a este
Porto em 5. Unna; 24 horas; b,
Restauraca, M. Jacinto daPoxa e
Silva, equip. 9, carga caixas de assu-
car ao mesmo M. Semineni; 21 ho-
ras L.S. Antonio, M. Joze Marques,
equip. 7, carga cajxas de assucar, a,
Antonio Joze de Ohveira Costa.
SAH1PAS.
Dia 14, 15, 16, e 17, Nenhuma
Sabida. a
Dia 18.Rio Grande do bul; b.
Princeza dos Anjos, M. Joaqmm Bapr
listados Santos, equip. 12, carga sal,
e 40 caixas de assucar.

PFRNAMBUCO NA TYP. 1)0 JMAKIO. BA D1RE1T ft267. 4^
We-ae na Lofe de Livrps dtfr^U de Palacio a prc 1?> .... .
'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELNOZC2P8_AUBEJX INGEST_TIME 2013-03-25T12:25:48Z PACKAGE AA00011611_00059
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES