Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:00031


This item is only available as the following downloads:


Full Text
N. 121
DIARIO DEPERNAMBCO.

H.oje Sexta Feira 8 de Junho de 1827.
m rr;. n Q.iiLii u j
Je/. S. Salustiano,

Freamar as A /ioros e o minutos da tarde.

Extracto de IIuma Carta de Bogot

Extrahida do Correio de Londre
do 1. de Fevereiro de 1827.
P
Elas Cazetas Veris a chegada de
Bolvar a este Paiz. A actividade, e-
nergia, e decisao, sao agora a ordern
do da. Elle esteve com nosco somet -
te huma semana, e as seguintes medi-
das ja sao filhas tje sua sabedoria. Em
primeiro lugar, o artigo 128 da Cons
ti(u9a5 o habilita as presentes cir-
cunstancias em que se acha o Paiz a
assumir a authoridade suprema. O se>
guinte he' o artigo:
" Artigo 128. Em casos decommo-
^a interior, e revolta armada, que a-
meacem a segura 119a da" Repblica,
bem como nos de exterior e repentina
invasa*, elle ( o Prezidente ) tera po-
der, com previo consentimento e a-
prova$a do Congresso, a tomar to-
das as medidas que forem indispnsa-
vclmeule necessarias, e que nao esti-
verem comprehendidas na usual es-
phera de seus attributos. O Congres-
so nao reunir-se ha, elle ter o supre-
mo poder para obrat-por t\ so ; porem
elle congrega-lo-ha sem amis peque-
a demora a fim de proceder segundo
snas determhiac.es. Esta extiaordi-
o
c
c
o
o
o
c
I
c
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o

o
c
o
o
o
o
o
o
ra authoridade ser nteiramentele-
mitada aos lugares e tempos indispen-
savelmente necessaria. "
O que agora se vai fazer he, redu*
zir a despeza animal da Repblica, de
doze a q mitro milhoes, pelosseguintes
nicios:
Diminuir huma grande partp do e-
xercito, e organisar-se em seu lugar a
milicia.
Nao se conceder meio sold a Sol-?
dados nem a Officiacs.
Despedirse dous Secretarios de
Estado incorporando-se nos outros as
suas pastas. -
Suprimir hum grande numero de
empregos, e acabar-se com a mari-
nha.
Diminuir huma grande parte das
rendas ecclesiasticas.
Finalmente Bolvar est determ-"
nado, seja como for, apagarointe-
resse da divida nascional. "Elle senfu
ra amargamente a na administraca5
de finanzas, e declara que a fe do Pa-
iz ser sustentada, custe o que costar;
Elle hadado indicios; como os meios
nfais efficases que elle pode divisar pre-
zentemente, de ceder certos ramos da
renda a commissarios que forem nome
ados pelos que fizera o emprestimo
em Londres, os quaet deveiu transmi-
tir os fundos directamente a lngiater?

*'
-


w

(488)
I
V
.
ra, para pagar os dividendos.
Todas nossas esperanzas estao,pos-
tas neste extraordinario hornero. O
ceVto he que elle pode fazer neste Pa
iz tudo quanto quizer.
PROCLAMADO.
Colombianos! Cinco anuos ha que
deixei esta Capital para marchara fren-
te do exercito libertador as praias do
Cauca para as argentinas rnontanhas
de Potozi. Hum milha de Colombi-
anos, duas Repblicas irrncs, cbtive-
ra sua Independencia debaixo da
sombra de nossas bandeiras, e o mun-
do de Colombo ha deixado de ser Es-
panhol. Tal he o resultado de nossa
auzencia.
Vossas desventuras me chamarao a
Colombia ; eu vertho cheio de zello a
consagrar-me a vontade Nascional,-
que ser ineu cdigo, porque ella he
infalivelT
A voz Nascional me obriga a to-
mar sobre mim o supremo com mando;
eu o aborreo mortalinente, porque
por isso son eu aecusado de ambicao,
e de anhelar a monarqua. Que! El-
les me julga6 tao louco como para as-
perar degradar-me r Nao sabern que
o destino de Libertador he mais subli-
me do que o throno i
N. B. Esta Procamacao na5 tern
nem a data, nem o lugar aonde foi
publicada.
/+ 4- + +*+ \


(Cotinuagao do Diario N.A\5.)
CAPITULO 9k

Das cauzas do segundo genero de
injustic.a.
Diferentes motivos pe*rsuadem aos
homens nao defenderem outros, e a
faltaren! assim a sua obrigac.a: por
que ou nao querem tomar inimizads
o
O-
.
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
r-
c
o
o
o
o
o
o
o
O
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
. o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o

o
o
o
o
o
^
o
o
o
o
o

o
o
o
c
o
o
o
o
o
o
sobre si, ou trabalhos, ou despezas;
ou porque se acha de tal sorte jutreti-
dos em occupa^Ses, e eXercicio de seu
genio, que desamparad as mesinas pes-
soas, que deveria proteger. Logo
parece que uao basta o que Platao
deixou escrito em louvor dos Filso-
fos, aifirmando que saojustos, porque
se exercita no descubsimento da ver-
dade, desprezando, e rejeitando o que
a maior parte dos homens appetece
com excecivo desejo sobre que as vezes
ha letigios e guerras. He claro que
*r\ moemn t<'innii Otlfnbrvr nrmici-
^ ..._...~--------- ,, #-, ------------r..-^
r lei da just9a, nao ultrajando a nin-
guem, pecca contra a segunda, por
quanto oceupados em seas estudos,
deixa no desamparo aquelles a quem
sao obrigados a dar soccorro. He o-
pinia de alguns que estes nao devem
ter parte em negocios da Repblica,
excepto se forem constraugidos a for-
ca. Seria mais acertado fizessem isto
de sua vontade ; pois he certo que as
ac9es rectas, por serem justas devem
sercm voluntarias. Outros intretidos
no Governo, e augmento da propria
caza, ou mal intencionados contra os
homens, dizern que cuidaS em seus
negocios, persuadidos que na opiniad
dos mais nao fazem injuria a pessoa
alguma. Tambero estes evitando hum
genero de injusticas, e nem no outro,
que he faltar a sociedade, nad concor-
rendo para ella nem como pensamen-
to nem com obras, nem com as rique-
zas. Teuho explicado as regras fun-
damentaes dajustica, e depois destas
os dous gneros de injustica, e as cau-
sas dellas ser fcil agora a qualquer o
saber juagar quaes seja as obriga9es,
quelite compete em todo o tempo, com
tanto que se nao deixe dominar pelo
amor proprio. Bem sei, que os ho-
mens dirficultozamente se encarregao
dos negocios alheios: anda que te-
mos em Tereicio quanto o bom velho
Chremetes mostrava iuteressar-se nel-
les; mas cada hum distingue clara-
mente, e avalia sobre a propria expe-

*



11 i*

./' '--' -/ *

(489)
rienda a forca das suas prosperidades,
ou desgranas, e vo com olhos indiffe*
rentes, e ao longe o que os mais expe-
rimentad em si. Por iaso julgamos
di iteren temen te acerca d? nosso bem
ou do nosso mal, e acerca do heme
mal alfreio. Por isso teiii razao os que
prohiben) fazer-fcnos cousa algumasem
saben os priineiro se he justa ou in-
justa. A equidado logo por si se ma-'
nifesta aos olhos ; mas quaudo se nos
otferecem dn v idas, e com tildo que re-
nica deliberar, euta entra a >nalicia.
( onlinuar-se'h.)

9
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
o
o
Q
o
o
o
-
o
o
o
o
o
o
o
o
o


o
Compras. o
1 Quem tiveralguma Cauoa, segura,
e boa, que possa conduzr de quatro,
a cinco pessoas. e aqueira vender, a-
nuucie por este Diario para ser procu- |
rada, ou alias dirija-se a esta Tipogra-
fa para se lhe indicar a pessoa que a
pertende.
Vendas.
2 Na Praca da Unia Loje N. 33
tem para vendor Rap fino da Princeza
1.a Sorte muito fresco chegado ltima-
mente de Lisboa a preco de 2080 rs. a
libra, botes demeia libra a lOlOrs. oi-
tava 20 rs na mesma Loje tem para
vender bogias de cera da India muito
alvas a preco de 720 rs. a libra declara
que sao de seis vellas em libra.
3 Quem quizer comprar huma cabra
muito boa de cor preta parida de pou-
cas dias com hum s cabrito, dirija-se
a ra do Livramento emeaza de So-
brado de hum so andar N. 237 que
l achara com quem tratar.
4 Quem quizer comprar huma mora-
da de cazas terrias sitas no Caldereiro
ra da Mangueira falle na ra de S:
Thereza tiesta Cidade N, 512 ese
vende por preco cmodo.
5 Quem quizer comprar hum escravo
de NacaS Cabinda comidade de30an-
nos pouce mais ou menos e sabe bem
socar assucar dirija-se a ra da Lapa 0W
por cima do Nixo o 1. andar para
tratar doseuajuste.
6 Quem quizer comprar duas mora*
das de cazas terrias no lugar dos Mar-
tirios, dirija-se a ra Dreit cazaN.
187 e igualmente huma veud a na caza
do mesrno N, que l achara com quem
tratar.
7 Vende-se huma Olaria nova de pe-
dra, e cal (que aitida se est acabando)
com 184 palmos de comprido, 60 de
largo, cazas para Feitor e Pretos, tor-
no, e cmodo para arromar tijolo, bar-
ro nara toda a aualidad* #]* ob"*- ierra
a a "" *
para plantar, agoa dosse paraamassar
barro, viveiro de peixe, e com utencili-
os promptos para trabalhar; tabem
tem canoas e pretos canoeiros sendo
queirao: cuja Olaria he edeficada en
trras do Eugenho Magdalena, e dev-
de com a Camboados Remedios ; quem
a pertender procure na ra caza D. 4.
8 Vcnde-se huma negrinha de 11 pa-
ra 12 anuos Nacao Anguila eprincipia
a'cozer, quem a quizer procure na
o
o
o-
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
c
c
o
o
c
o
o
mesma caza asima.

. Fgidas de Escravos.
9 No da 30 de Maio fugio hum ne-
gro j>pr nome Feleciauuo de Nacao
Angola, que reprezenta ter.22 jan-
nos, muito preto, sem barba, estatura
ordinaria, bastante ladino, o qual le-
vou jaqueta de pana azul ordinario,
ou de chita, calca branca, c chapeo fi-
no redondo : porem como he bastante
espertalha, poder ser que mude de
trajo, qualquer pessoa que o pegar o
poder levar a Francisco Antonio de
Oliveira, morador na ra da Alfaudiga
velha N. 4 que o mesino recompeu-
car o sen *rabalho.
10 No dia26 de Abril fugio huma es-
clava do Gento de Angola Nacao Al-
baca, alta, meia fula, com hum signal
de huma custura groca confrontando a
o peito com a barba, huma carniza
groc,a de Hamburgo, vestido de chita
encarnada e a marela, qualquer Capi-
tn de Campo poder pegar e lvala





'j-rVVi' -"iiii

( 400**5
ta ma do Colejo por sima do Bote-
quim que ser bem agradecido.
11 Em dias do'passado Maiofugirao
dous eseravos com os signaes seguin-
tes a saber; hum negro chamado An-
1011103 de Angola, estatura ordinaria, e
cheio do corpo, com bum dedo de me-
nos en huma das ntaos ; e huma negra
de nortie Maria; taobem de Angola,
baixa, magra, com falta1 de todos os
deites da frente, olhosgrossos. Quem
delles tiver noticia, e Os levar a seo
Sr. J. Gadoult na ra Nova na Loja
que fica por de baixo do Sobrado do
Brigadeiro Peres, sera bem recompen-
sado. A o mesmo fngio hum negro cri-
lo, a mais d hum auno, chamado An-
tonio, alto, seco, e com os dentes li-
mados, promete igualmente recompen-
sa a quem Iho levar.
12 No dia 18 do mez de Marco fugio
hum moleque deoomeManoel que re-
presenta a idade de 18 anuos, de, Na-
ca Congo, e tem ssignaes seguintes:
cara comprida, bem parecido, olivos na
flor do rosto, dentes limados, com bas-
tantes espinhas na cara, barba aguda,
corpo delgado, e talvez com algumas
sicatrizes, procedidas d'algumasjunca-
das por outra igual fgida: tem o om>
ci de Sapateiro: a pessoa que o pe-
gar procure o Sobrado na ra do Li-
vrameto D. 18 que ahi receber o
premio de seo trabalho.
-

NOTICIAS MARTIMAS.
ENTRADAS
1A 2 do corrente. Setinhem ;
24horas; L. S. Antonio, M. Joze Mar*
ques, equip. 6, carga caixas, a Antonio
Joze de Oliveira Costa.
Dia 4 Baha ; 23 dias ; S. S. Jo-
ze Deligente, M. Bernardo Joze Pinto,
eqirip. 14, carga varios gneros, a An-
------------------------_-------------------- m
O
O
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
c
c
o
o
o
c
o
o
r
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
o
o
o
c
o
o
o
o
o
O
o
c
o
o
o -
c
c
o
O
o
c
tonio da Silva & Companhia, passagef.
ros o Capita de Mar e Guerra Joa-
quim Raimundo de Lamare, trazendo
as suas orden o Voluntario Antonio
Carddzo de Carvalho Mathos, (ambos
sao da Marinha N. e I.) o Capitao do
1. BatalhaS de Oradores- da Corte
Joze Pereira dos Santos, Antonio
Francisco Vella, Joaquim Elias de Fa-
rias, Francisco Lbano de Moraes,
Francisco de Paula Medina, Jozefa de
Lima Pires, Joze da Silva Torres, e
Joze da Cunha. Babia; H dias, S.
Tercena Pastora, M. Antonio de Pin-
na e Silva, equip, 9. carga varios g-
neros, ao msmo M passageiros o Pa-
dre Joaquim Rodrguez Frages, Joa-
quim da Silva de Santa Barba, Joze de
Goes Torres, Joaqun da Costa Perei-
ra, Onofre AI ves de Souza.
Da 6'Baha; 12 dias; S. Bi-
zarra. M. Mariano Joze da Costa, e-
quip. 14, carga varios gneros, a Ben-
to Joze da Costa, passageros Joa5
ManoelGuimaruens, Joze Joaquim de,
Saldanha, Joao Maria Francs.
SAHIDAS.
Dia 2 RioFormozo; S. Rozar-
nho, M. Joze Rodrigues, equip. II.
em lastro, passageiros Francisco Mar-
tins.de Oliveira, Marcelino Assis dos
Santos Telles, e 6 eseravos. Ser-
nhem ; S. Conceica, M. Antonio Jo-
ze da Silva, equip. 7, em lastro. Rio
Formozo; L. S. Joze Viajante, M.
Joze Joaquim da Costa, equip. (i, em
lastro. Philadelphia ; B. Amer. A-
driana, M. William B. Campagueje,
equip. 11, carga varios gneros do Pa-
iz
Dia9 Aracati; S. S. Joze Pa-
lafox, M. Antonio Joze da Costa Fer-
nandes, equip. 10, carga varios gene-
ros, passageiros Ignacio Lpez da Sil*
va, e Pedro Harpes.



|^ ri.WNAMBLC NATYP. DO DUJUO Rt'A D1RE1TA N..*267. 4^
l
?


I
i
iNfc.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2UJH28XZ_KBCC12 INGEST_TIME 2013-03-25T15:00:46Z PACKAGE AA00011611_00031
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES