<%BANNER%>

UFLAC



Voz da religiao no Cariry
ALL ISSUES CITATION THUMBNAILS PAGE IMAGE ZOOMABLE
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00008749/00008
 Material Information
Title: Voz da religiao no Cariry
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Creator: unknown
Creation Date: February 14, 1869
 Subjects
Genre: newspaper   ( sobekcm )
 Notes
General Note: Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: University of Florida
Rights Management: All rights reserved by the source institution.
System ID: AA00008749:00008

Full Text





e O O. 1"


A


lIoDA n


, i: 1


ASSIGNATURAS.

CRATO 0WO
OUTR OS ONTOS '
1N 3EtoI1O AVULSO Io

rui.LICA-SE AOS ;uO.:: GOS1


-TTE ET DOCUTE ONES CTES.- SANCTOS DA SFMAA
Ide em todos Os ponlos, ensinae a todos os povos. t" ,1'. I oIn


SOB 05 AUS.PIC0 S DO
?MADE JOStl ANTONIO DE MARIA IBIAPINA
E R.EDACA(TO DE
.n! OAQUIM TELLIS MARROCOS.


tie


i 6 "r- S. ThircthFL.
17 Q::'. Temp. 8. Pictrpo
.18 O r '. S '- l'. 'o:I.
!19 .e t. TrS"e:. S. COnrdo.
.20. '1) Te:ip. .. Pedro N,


Room= -A


A VOZ DA RE G3 0 CAI ..


AC c ., ~_D DA C:::A.

E' b r rva, m'"'? e o' r l',.:.1', santi o r' cere.
m.o:', cue n .s .-., grej C(,thol ica
na imro s.iao da cui.z.'i s^br' a ronte de seus filhos.
0 Pr!', come C (e -1 t0 SC.i or e usijiiistrC)
Ce sou cito, f'.z o v:, '~ o.s s ".s, qu'71 quer que
seja sua di.'i i.ie, p;~ 'io e fortwna, a mesmna seu
ftonoa AinI U firf e niatta Aerm p npedb*!


Ceu fas surgir bri!hante e ',miioo n sr!, as trevas
da noite jd o envolvem (*' 1 not!t'UV'u.
,e o firmamento em u.i ite r.zivel i no8 spre-
zenta o magnifico ip orn:' e, ,t:3 :. '.is beiL.s,
.jum inosa.s., refulgontes + ", I,'.. r f 'a te ui a
Snuvem sinistra, que ,e f 1: 1 ,o c :so, t.n (,lvG tu-
do em trevas, e circunda o twpa-o com [avcusas Uce-
nas da more.
Se,as auras do Oriente ImI 'rr.fz.am bpnigna cun-
duzem o nivio per erit -s rQu' cis o graln-
de mar; ~.la vemi o tu *'..gno impetuuso e lurn-
buando, e stunmere o f'il eiif,. que ieva toa.n,


.,.m t ,. h :.u. ,;" .~ is .t ,)a verem re-
vrt ..11) H)~e,, .e a-te qu ~s p6, e Cqu scris
, redcsido em 6' --
SS'r duvi. b mo t a 'mbrna da
mlor.'., oiu-st I!) sC vas p" e!&1 t c .emine ent e
se ~nnincia maip:i, s vu!uz.s (.. at iares, pelas bar-
m ron e da e a t o d
E corn eeito, s, a .toe r.i.ando nos espaos do


tas v.das, no sab mo ,- e .t a i ,e.lta-
nente 4 praia sias (Ides' "'". U tra',i an (la aria 0
epitapbio do tantos mncrt,..
Se uma consitu'lo ..* ma3 dad s com
i uventude qu' ,i ; a e tp ar
longa vi.a; eis o -:i,;! 'ria, a :in!empprie dos
e mementos nos ftej s,'VT .1,s'.a ii.fluenrcia
e nos precipitando :nu 56 dj s pu"chro, no fria cd-


'.__,-7 T_-77 .-7--:.--.f w, y L .- .- 'I.' -(U ---. -


.7 'P rj ,, r 6 J ., 4 ,


F MORTE




C '; : eDR S ,; rr) s ; ,,
Te n" P Deu 1 ''"! L

e p.ra eu diga aqui
sumente a v-'dadp.e



,70 grtor o aba:o, profuia a tr.,sa que s
diffundi) por tudo a potpu-l:o do v. iu.
Mulberes de todas as coa.- correm orossurosas
e consternidasl d casa do Ca i',.ad: todas ouerem vw-
tar e prestar servi,'s; todas quermn all pefnoitar, as-
sistir comn a piedosa eiiermaa, e ver -rnorrer a san-
cta.-Assim se aisia'
As Senhoras D. Maria Gorgonba Wanderley, D.
ana Francisco Maria de Aibuquerque e D. Juaqui-


! a Maria da Anpr .' o pp nil'o de eon-
Stinuarem ali i f I 'i :*' ." Theresa
-de Jesus, e D. :a U; .z ,zui. da Trnede,
mestra d'quelbs rC :: :., e s.havio esgota -
dos de foras pC'o. inko t,' ho,. e atuiodas vigi-
has.
S Em quan!o qs neM', S ,'or) ). Anna Fran.
Scisa 0 I ,03X. io A,-e. t' o a'ss.),m corn
Pa resign da a ,-,t', cas '.'., T "ri"ricordioss
enfermeirMs. a dev'.' ra D. ria Wander,-
ley c ampreg : ,, -" : o rto '.,* *:xti, r o
delicuios cue .r ::.:: ,.q te', yte (co0 tb de
I ~ ~No terceu d.'iermrirGdne a ftlzt pabe-
.n. te choice : ; 'on" se6 t rnp "


ar "' 'ici "i ri Jos e
Matlos ( a'i --- (' Pjis- servj
i a p, rntor. ..',0 ?.. i t,..., 'e r'.;i : iam at
de coa'... e .e -. a . kIo s..rte o mIJ rer:.

O 'S na,. C re : '" o eu T il"-'. r j s[t, o So tic o.
E teni r ce ;' i.) ': d.> t, ,,> s f0'5v e r,'f; i-
'los sag."cC3 q'.u1 l'vinn nToa c.ira, d.ta a imnagem da
I ossa S e:,:'r, do Cario sLbr- o 0 S i a .;1 b '. m
i uia hL ilade subliiae, con uQi. eloquecia p a. -


I I II I ~ r I I 11 1111111 -- -------- II


-t-


I


q. It


DOMINGO 14 DE FEVEREIRO DE 18o0.


ANNO (.





Aerredor do equal se redtirah todos os homes, que Ide e abandancia no Cariri-novo.
poaises tOm envilicido, tio empenho de abatel o: Os trabalhos agricolas sso copiosos e muito dei-
m V fl;,i,,n,, el ,nard l relevadose-acodecid s so a esperar da nova cGlbeita.


sentimenlos occultos e os pensamentos de muitos co-
ra.es*, a invej, a ma'edicencia, a trio. o furor
e o odio do'i iimmnigos: a dedicaveo, oamor, a
constrincia e {i'lelidiade dos que furem gratos e do-
dicados 'o teo .fiho.
-E ai de ti, 6 Mulber, que tudo isto efTfrrds no-
ten coravAo de Maie, que sera trespassado pela espa-
, da da dOr e do mesmo iwartyrio de teo filho.


A INFANCIA..-Com este titulo sabio 4 luz nodia
2 do uigente urn Jornalzinho recreativo, crilico e
notirioso, sob a direcqAo dos alumnos do loternato.
Saudamos Oa pequenos lidadores da imprensa de
nosso paiz e acolbemos corn urn rizo de benevolen-
cia o seu Periodico, fazendo votos pela sua prosper.
ridade.


A'tsin esta toUcanto historic 6 so uresmo tempO a --
reTliadede da predict, do Propheta ,alchias, qua FALLECIMENTO.- No dia 3 deste deu 6 espirito
exaltou este nysteiio como o mais grato e propici- as CreadGr a Sr. D). Isabel Francisca de Brito, mae
atorio do todos os sacrficos que se cffuiecerao a De- do nosso prestimoso amigo, o Seobor *. Francisco
us em Judd e .eJeiusalem. Josd de Brito.
Com effeito tudo 6 grande, tudo 6 sublime neste A illustre finada possufa todas asquslidades pre-
holucausto! ciosaM que a recommendarAo toda sua videa c;,stim


0 Salvador a victim : Maria o sacrificador que
, offerece d Du.us,) e o velbo simeAo reprezentava,
dis S. Agostitiho, a humanidade inteira euvelhecida,
nas desordens do peccado.
t pelo seu resgaste q' Jesus Christo comera desde en-
t^ A ft.- lcp ii-rnsra, ,n n a Maria a CnnarnraA na


I.. % -A ,%.AI |l|JJM
e considerasio public, e 4~veneraoao dos pobres a
quem sempre soccorreu.
Deus a chamou a si no meio das proves da de.
dicaqgo e amor de seus filhos, e das attencles dol
que sabiao appreciar aqUeol bondoso cora0o.
Que sua almna discanse nos CUos! Amem,


nissao deseu ilbo e a m e do enerpo ,,
f mr --a l A LITTERARIA.-Io Folhetim deste
e dia agrade~indo e louvando a DEUS como o Sum. numero publioamos hoje e concluiremos no seguimte
To Sacerdote que se console pela cessago das de. um interessante escripto sob o titulo video e more
rordens que desolavam a humanidade. da pi6dosa Leonarda do Corao de JSUS.)
Chamamos a attengeo dos nossos leitores so.
S: .. ___ ,. bre esta publica,8o, que interessa pelo estylo e pe ,
OCCURRENCIAS DO TEMPO. narrao do facto.

OUTRA.-O Senhor Bernadino Gomes de Arailjo
INVERNO.-As chuvas eontinnlo corn regularida- acaba de escrever a Hitoriadas Missaes no Carirn


no campo urn or mais puro quo Ihe fortificasseo rivel, e livre do contagion a todes as outras irmnas.
p1um0es ameagados de uma proxima tisica; e entio Que era grande o seo mericimeDto para a quell
a p'edosa 1 eonarda fica occupando o soo lugar. Divina Senbora revela a extinvao do mal, que ficou
Urn agrAdo enternecedor, um carinho modesto e limitado na superior Luisa do C.raVo de Jesus.
cheio de docur8, uma amabilidade tocaute, e aduba-' le tanta prerogative, de tanta felicidade s6 podem
da por uma alegria angelica que distribuia corn to- gosar os entes previligiados por Deus; e a virtuosa
das as suas companhIeras e irm$s, fasiAo que ellas Leonarda parecia por certo umna destas creaturas que
Ihe pre.tassern mais do que o respeito, porque the a Providencia deixs por algum tempo pairar sobie
prestaiso adorao o. a terra para bemrn diser o seo nome, manifestar a sua
Sim nunca esqu cau em suas orac6es o nome de Omnipotoncia.'
sua amiga e superiOra, a caridosa Leonarda conta- Passado esse prodigio que foi recebido como un
va por cert o nm io seo. restabelecimento; e receben. veradeiro milagre, a mesma Regente accommitti-
do a grata noticia de quo sua prima experim ntava da da febre amarolla, e sua devotada prima acha no.
ura melhora sensivel e animadora, apressa-se em es | va occasiao de despetnsar com ella todos. s cuidados,
crever-lbe e encarece a sua volla. todos os desvelos e crinbos, que s6 uma boa mae,
A b6a regente nio se demora, corre rortEnto aos sa.be prodigal sr a urna fitha querida.
bragos de sua compaibheira e amriga da infaicia, que DIurante esse period assustador e terrivel em que
a recebe cornm trasporte de vivo praser, mas ao the- a intensidado do mal nada cedia a energia do tra-
ar a casa de Caridade revela -se na pudice virgem tamefto d irigido pelo seu medico Pr. Wanderley' a
o mal do sarmpo. picdo9a Leoi arda nio subia da cabeceira de seo
A piedusa L'onara reconhbeceo ento urnm prom- leito, senao para dar mais ecpanseo as sues legri.
pto castigo sofreguidfo corn que exigia a presen- mas, corn mais fervor pedir a Deus pela conser-
a de sua prima; o consternada corn a apparigao ali vaao de uma existencia to necessaria a b6a ordem
de um mael to contagioso, invoca o (me :N.S'., e regularidade da quell pio estabelicimento.
do Carmo, pede- hke que afugente umr mal to; ter- 0 mal porem progride; o vomito negro apparece;


a.& ;


LI

t
S


Il~u~ ,,.,... I -- -- -


I


A VOZ DA RgLIGIAO NO CARTRI
- I "


|


-


- -


LN--------







A VOZ .- RELUG!AC' O'CARL!f. S

ovo. cnjo serv2io esAra Endlr rcuu ms: mas deste em.
A' este important trabaho. sitterrro ae,,narrs '-, pnho me prveo os meus p3eccdcs' ado-me VJRm
mna pagina do tnosso Jornal at6 a coucclusto de sua .j 0 exeldres somen1e.
pubica.o. Digne-se Vm.. acceita. a ." :cb0 offerta e fa-
De espago daremos nossa oril re a Obra zer que eila produsa a] um cz.ye em favor das po-
garantindo desde j1 que ella per si -t-o chama a bres o'hCs.
atten o dos leitores. Con o mais profundo respe :co ve-erato, beijo
.a mno de Vima. como
ITTEiUT'i SLo Humilissimo
( Brn0r'o G "s !r:'o
I1ISTORIA MissIo-velha 1 5 de J.e!:o s8 9.
DAS i ASSOES .O CArU, .nVo. .. OCACAO
NOS ANN( SDE .4 E ESPIRITO DIVINO! Y6s, Qe, .pnr vsso r amor
ESCRIP'TA POR frsnrastes aos Aposln>os as .u :c'es de vossa
EAuo Gc r, ~A.Ao sancta Lei, pera divugel-a e-m odo mundi', aos
1BERNAKhUlo GCMES DE AiAL a s Ic
,a[;,gelistas, pera escreverem-,a; nos Doutores para
PROFESSOR DB I."' L'ET AS A,?OS TADO, nterpretal-a; acs Confessores parn sustental-a, e aos
I-A URA DA r. UE, C, Vartyres para confessa!.a na .rezenyi dos tyrannos, e
NATURAL DA FREGUESIA ]DO ATO E .
sellai-a com seu sanyue, por entire Os fogueiras e
MORADOR NA DE 3MISSAO-VELIjA. as ruzes:
DEDICATORI'A .V6s,. Que sois a fo.ea sejdcrfa e das gra8as,
"nsplroi, per vcssa immen,' cariade, a este vilissi-
no mo e indigno servo, para que diga e escreva com
, Rm,. b'. Jose Antonio do Maria lbiapa. inteiresa a verdade as vossas maravilias .
Se'o hur! l prtpraj ua todfa en.: inn su---
--- ~--l .o lm. senior o ins'rumrento.
; mprehendi, por ordem" sUperior, escrever ber' Pretendo con vosso favor escrever a historic
conitra minha capacidade litteraria, a istora das ds Yisses to Carii-novo, para as quaes mandastes
missOes do Cariri-novo, cujo Aposolado foi distribu. vosso servIo "" e.)a...1
ido por DEUS a VRmr.. Insp ri-me pois as vossas verdades, para que so
Eis o rezuitado de meu temerario arrojo. veja neste esc.-to Its uma de vosas maravilhas.
Mau, c-mo o meu escrioto, eu o offereco a Sir, D viniss 0o Espir.to! So eu, pobre leigo, e
VRm'. para dispor delle, como Ihe approuver. ignoran'e, ecer:c con os terms proprios para
E ceda a propriddade, que me garente o direito, trrsa C ,_ceric'ede a abund ncia de gra as e
em favor da Casa de Cardade de Missao-velha; (em m:ser;ccr:2s, '-e do .rmastes pe!a mao do vosso


Smedico trabalha, as irrrs choro,. e a 3iedosa c e seos vo2c Sdo sdo acceitos, e, sem desejar,
Leonarda ora, ora muito, ora conn ifd a comr lai. s se espera a hora de psgar a sua
S. divia.....
L' note memento que ela tranzid de6r ,s Tudo se fes par, ebamar-se aquella alma a vi-
ftcada de afflicqbes, veindo inar-se aquellk a a; a se 0c:a medica empregaya os seus ultimos
q01l ndo poderia viver, cor os Joeihos em terra, eas recurscs, a regiao cnr:st as sus prices, as suas
S maos em supplica roga a S. do Carmo, de cuesm or.c.e, s ss aaGinhis; mas o decreto estava la-
era irma e devota, que a;cance oara sua prima o wr(:, s A precise mais urna santa ir habitar a ce-

pelo sacrificio da sua. TOdes as veses cue o seo e6dico dU1a se apro-
'rodigio, milaigre, sc-enca oue-naha du rdal-o, lmanr ?are recCeita-a, ella disia com evangelical re-
--a melhora foi rapida, curta a convalescence comr- C' c--sSo balaos todos (s seos exforgos Dr..
pleto o restabelecimernto! *. o'c::e eu morro sCmprOe.
Corn to maravilihe!o successo parece que a e.^ k n: aavras e-o (,fias com a mais profunda
citricidado de praser tocoa a todos os cora<0es As- co!r.cco, e ,arsc,.o tazer o sello da verdade e-
suernses. ., e-.,.
Satidava-se no Medico pelo seo triumpho, e a i... a Lsa summamente compassiva, car,
edosa Leonarda pela sua gloria. / S s, e eseL'.areca pera saber o que Ihe cumpria
Restabetecida assim a lRegente, assAo-se pOCS foser n t)b do oroso trannze, ao abandonria por ta -
dias e sua prima Leonarda 6 atacada do mesmo to su, arr'ga da infcncia, sua irma de habito, senao
ma,* i..a.,o nd o ,poude mais resistir 4 contri' o do seu
Ella que tanto se afigia, que tao cons ernada, coracto e aos deliquios de sua almaa.
S desanimada se mnstrava. como estad- de sua prima, Echoou entao lugubremente em today a cidade que
|estd agora content, e s6 pede a suas irmas pieces 1 casa de Caridade estava convertida em um hos-
e a Deus salva.ao para sua alma. ? pi~l, e que a piedosa Leonarda estava a finar-se.
Lembrava-se da promessa que havia feto, sa^ a (Continua.) "


L `-.11~.----4 --~;:;.. -




V' - .


A VOZ DA RELIGIAO RO CABIRT.


LITTERAT UURA


CANTICO A' VIRGEM CELESTE


peus vos falve. Aurora
P)e formoso dia!
Virgem sempre pura,
Celeste Mariab
2
ruw vos. salve Estrelli
JB1lla, e fulgurante!
Ex.'elsa Rainha
Divi o Athlante
*
Toos l nos Ceus
Vos d.0o primazia
For feres de todos
&!Ai, amor, e guia


P.s Virgens Celesles
Qvis PT mrnis flrmosa,

,.
I)os Iajos, e Sanctos,
Sis I rageat oS

T3o .:erro P?.dre
801. Fina mimosa
L2 do0 ,ccc dr'es
SS.ois uri amt'rosa


To Ivino Espirito
Scks a terva Esposat
Aese j-unto deeller
Fossa ;ntercessora:


Ao veOo D:vino
Como 1:, a n da
!ed e ::<; nos Ceus
u ache moradas
DiDo-


A' J~SS TA ,UCIIARISTIA.
6 me cerre) n se inflama
Cheio de A"rcr eda dia,
Quando 'o.:efneoto at dcaurast
Dee JESUS n' Euear:&!a.
Meu Armor Sacrementado,
1Divin!ssima Ob!aoao!
as chn mmas de vosso amor
Transfjrrm.ai meu cora&o
dastIgai-me muito embora
Comr vOsso .usto rigor
Coiatanto que nio pfriveis
Xinuha alma, do vusso amor.
Sois0 o ao subs'.ncial
I)e minha aImsa vosso amante;
Fezei-a digra de" 6s
Fiel esposa, constate.


~___~ ~


Men Jesus Amorozissimo
ror vossa pnra bondade
Transformai nmeu coragao
Em chammas de Caridade.
6h dilicia .ompre terns
Do Eterno 1AEUS de amor
Fa protest jamaes ser
Do outro, mas de vos, Senhor!
Victoria Maria do Cora.o de Jesus.
Professor na Casa de Cerddade de Misslo-velha.1

ANNUNCIO.


R.ogamos e:'ariridmente a todos os Senhores As-
signantes de.te Jori-al o faver do pagamento de
suas assigiaturas.
Temos 6 fazer grande dispeses corm acompra dos
typos que 4 nosso pedido o S'. L*. Antonio Luis
A:ves Pequeno Junior fez em Pernanmbuco, alem
de A4O resmas de papel e tirita quo vamos a
deer ao S'. Pedro Jos6 Gonsalves da Silva.
Esperamos por tanto que todos as benhores As-
signantes uao s4 desta Cidade como das cutra- Ioca-
idides atteidio pots 0o i gso -id0
zemos Tis a as ma s graves urgencias.
E affianriamos aos senhores, que pagarem adian-
tado que, se 4 de i to de toda probq.bilidade e ex-o
pecta:iva, o Jornal ndo comp.etar o ternpo da assigna-
tura, salisfarenaos vista do recibo o que lhes res-
tareoss. s
Aos nossos cooperadores nOs diversos pontos do
*Cariri-novo roeamos tao bern que se dignem conti-
rfar ra prestaqAo de seus valiosos servivos na arre.
cacdago da impor"aci d8s assignaturas 6 no desem-
peiho do m:i:. eito cue tao generosamente acceitarao
por sev:,ao a& Deus e obequio .o Veneravel Padre
*. I,. .
I I l b .. p BARALIA .
0 Sonnor ?edrc Loko de Menezes o encarrega-
do da recep go das assignaluras -.
Aos assinantes que residirem dentro da villa se fart
entrega dos jornaes em propria mao, e OS de -fora
soTic'tm s o fvor d receber suas folhas em casa
do Senior Professor Pelismnio J.ose Pereira.
.S^AO- VI.LHA. ,
Lu eo Aure.o Br:gdo dos sanctos
SM LAGRES.
Professor losd Sisnando, de Maria Xenofonte.
GOYANNINHA
S Padre r anoel Rodrigups Lima.
JARDIM .
Se ymundo Ferreira da Rosa Muniz.
PORTEIRAS
S anoej BgIdo dos S intos.
Ern tocos es:es pontos quem tiver qualquer. ne,
gccio relat:vo a Yuz DA RELIGIAO NO CARIRI pode en-
Stander-se comn os nosos cooperadores, acima nrnc.
nados e na staa a auzencia corn cs Umon" Viga-
'rios. n e tei recibido o journal sob sua benevolencia
e dedicagao.

Crato Lergo da Motriz,..Typ. do Internato.
imp. por Agostinho L piz Arniaut.


P' :;I- -~ II-. I-~L~LI. .-..~1~~1 -"--Y~1~CI.11-~*?~'-.~ ..W'IUI~PL ~~S~i~Ll~[$sl~U~III- I